Page 1

Quando há mais de um ano falávamos sobre mudanças que eram necessárias efectuar, não o fazíamos de ânimo leve. Não, fazíamos sabendo concretamente o que deveria ser mudado, o que devia ser mantido e da necessidade de realizar o que tardava. Estando a chegar ao fim o primeiro ano civil completo do mandato é nosso dever informar a comunidade loureirense daquilo que fomos fazendo. Sabemos que há obras mais visíveis que outras, mas todas elas são necessárias para o bem-estar de todos nós. Ao longo destas páginas daremos conta, em pormenor, das obras ou acti-

vidades mais significativas realizadas até ao momento. Destacamos as Festas de Loureiro, a pavimentação da Rua Pombal da Igreja, o investimento na Escola Primária de Alumieira, a limpeza do Rio Gonde na zona central da freguesia, o alargamento na Travessa do Barão, o início da construção do mini-ecocentro, a conservação e restauro de dois cruzeiros de interesse patrimonial, a participação no Limpar Portugal, a criação da comissão social de freguesia, a casa social Maria Silva Figueiredo que vai dar nova vida à casa que ela e o seu marido, César Pinho, deixaram à paróquia e que a Junta incentivou a ter nova utilidade, a participação na estafeta da solidariedade, a comemoração do centenário da implantação da república, a beneficiação de vários caminhos florestais, a colocação de grades de protecção na Rua

de St.ª Esperança. Estas foram as mais importantes, mas outras pequenas intervenções, como a limpeza de valetas, o encaminhamento de águas pluviais, os pequenos alargamentos na via pública, a construção de passeios, a colocação de grelhas em caixas de águas pluviais, foram também uma realidade… Reforçaram-se ainda as actividades na sede da Junta: o ballet, o karaté, as danças de salão, as danças urbanas, o apoio aos agricultores, o apoio ao projecto prove e à escolinha rural d'azeméis, o apoio ao grupo de bordados, entre outros. Houve também um maior envolvimento das associações da freguesia, patente na participação nas Festas de Loureiro, na Estafeta da Solidariedade e na adesão ao concurso “O meu presépio de Natal”, que está ainda a decorrer.


A Junta de Freguesia de Loureiro deu este ano o primeiro passo para criar uma valência na área social que facilitará o apoio aos mais necessitados e esquecidos da sociedade. Em resposta ao seu convite, várias instituições da freguesia uniram esforços para constituir a COMISSÃO SOCIAL DE FREGUESIA, à semelhança do que já foi feito em outras freguesias do concelho e do país. E o que é a Comissão Social de Freguesia? É uma instituição sem personalidade jurídica, ligada à Rede Social, neste caso do concelho de Oliveira de Azeméis. Em Loureiro, o núcleo fundador é constituído pela

Junta de Freguesia, pelo Agrupamento de Escolas, pela Associação de Solidariedade Social, pela Banda de Música, pela Conferência Vicentina e pela Fábrica da Igreja. E porquê estas e não outras? Porque nos pareceu serem aquelas que mais de perto lidam com pessoas em risco, ou têm conhecimento desses casos. E podem outras instituições ou pessoas singulares, no futuro, fazerem parte desta comissão? Sim, podem, desde que se justifique o seu envolvimento e sejam uma mais-valia para ajudar gratuitamente no apoio social. A Comissão Social de Freguesia não é criada para substituir as instituições

que já trabalham no apoio social. A comissão Social de Freguesia é formada para ajudar estas instituições a melhor prestarem o seu apoio, a melhor conhecerem a realidade existente. Vai reunir ordinariamente 1 vez por mês através de um representante de cada instituição envolvida, proporcionando um conhecimento mais aprofundado da realidade local. Desta forma gerem-se melhor os recursos existentes e permite-se um apoio mais justo. A Junta de Freguesia, instituição que lançou a ideia para a criação em Loureiro desta Comissão, agradece às instituições que compõem a Comissão Social de Freguesia desejando a todas um bom trabalho em prol do bem social da Freguesia. Neste curto espaço de tempo de existência da Comissão, merece realce a utilização que vai ser dada à casa doada à Paróquia de São João de Loureiro por César Pinho e sua esposa Maria da Silva Figueiredo, que a Comissão Social de Freguesia vai utilizar como casa social, dando-lhe a designação de Casa Social Maria da Silva Figueiredo. Um espaço que vai ter várias valências, iniciando com um banco de recursos, nomeadamente roupa, alimentos e mobílias. Os loureirenses sairão beneficiados, Loureiro estará na linha da frente no apoio social. Apoiar famílias e pessoas carenciadas é o objectivo da Comissão Social de Freguesia, que pretende ser um marco no apoio social e na solidariedade. Seja solidário(a) e contribua, seja interventivo(a) e torne-se voluntário(a).

Mas falta sempre muito, e é o que falta ainda fazer que estamos agora preocupados em tornar realidade. A grande obra de revitalização do Largo de Alumieira e o novo Mercado, o apoio na infra-estruturação da zona industrial da Moura, o acompanhamento da remodelação que está a acontecer na educação através dos novos agrupamentos, a obra intermunicipal do Coxo/Fojo, o saneamen-

to, a requalificação da rede viária, as novas placas de toponímia são preocupações da ordem dia para resolução. A Junta de Freguesia precisa no entanto da contribuição de todos os Loureirenses, incentivando-os a colaborar no asseio da freguesia, a ceder parcelas de terrenos essenciais para alargamentos da via pública, a envolverem-se em serviço voluntário, a

limparem as valetas em frente à sua casa, a mostrarem maior respeito pelo ambiente, não esvaziando as fossas para a rua. Só com o seu contributo poderemos crescer mais. Precisamos de todos para dar a Loureiro o que ele merece. Um desenvolvimento sustentável. Loureiro, aqui onde começa o Norte.


Poucos meses depois de tomarem posse os novos dirigentes autárquicos, começaram as tão desejadas obras na zona do Penedo com alargamentos na Travessa do Barão, marcando assim o arranque de uma intervenção profunda em toda aquela zona da freguesia. Nesta Travessa faltam agora só o alargamento junto à Rua do Barão e a respectiva pavimentação, que esperamos possam vir a realizar-se no primeiro semestre de 2011. Mas a Rua Pombal da Igreja, também parte integrante da zona do Penedo e há anos à espera de uma intervenção, já tem uma nova cara. Chegou ao fim o martírio de todos quantos utilizavam esta rua, nomeadamente os habitantes dos vários prédios ali existentes. No passado dia 25 de Novembro as máquinas fizeram o que tinha de ser feito e estenderam o alcatrão, tornando realidade uma promessa sucessivamente adiada. Antes porém, a rua foi rasgada para levar as condutas das águas pluviais necessárias ao correcto escoamento das mesmas, cuja acumulação poderia, no futuro, vir a constituir um entrave à boa conservação do novo pavimento. Os custos desta obra, adjudicada à empresa Paviazeméis, serão distribuídos em diferentes percentagens pela Junta de Freguesia de Loureiro e pela Câmara Municipal de Oliveira, entidades que foram acompanhando o decorrer dos trabalhos, e que, no dia da pavimentação, se fizeram representar através dos respectivos presidentes: Rui Luzes Cabral e Hermínio Loureiro. Rui Luzes Cabral tinha referido, no início de 2010, que aquela rua não passaria outro Inverno naquele estado e, mesmo em tempos de crise, a Junta de Freguesia conseguiu que isso não acontecesse.


Tem sido uma preocupação deste executivo a beneficiação de caminhos florestais, o encaminhamento de águas, a substituição de manilhas e a colocação de novas, a regularização do piso com tout-venant, a realização de limpezas diversas, entre outros arranjos. Para uma freguesia com uma extensa área de floresta, de cariz rural e agrícola, ter estas vias terciárias transitáveis é uma mais-valia para os seus utilizadores e demonstra asseio para quem nos visita e tem propriedades nos locais servidos por essas vias. Mas há neste domínio um longo caminho a percorrer… Ao tomar conhecimento que árvores de interesse ambiental, como o Sobreiro e Freixo de Alumieira não estavam registados na Autoridade Florestal Nacional e, por isso, estavam menos protegidos legalmente, o novo executivo da Junta de Freguesia requereu a sua classificação. Neste momento, o Sobreiro que está no recinto da Escola Primária está já classificado como árvore de interesse público. O que são árvores de interesse público? São árvores que pelo seu porte, desenho, idade e raridade se distinguem dos outros exemplares. Classificar é proteger. Uma árvore classificada de “Interesse Público” beneficia de uma zona de protecção de 50 metros de raio a contar da sua base. Uma árvore classificada de “Interesse Público” não poderá ser cortada ou desramada sem autorização prévia da Autoridade Florestal Nacional, sendo todos os trabalhos efectuados sob sua orientação técnica. Pelo Decreto-Lei n.º 28468 de 15 de Fevereiro de 1938, a autoridade Florestal Nacional classifica árvores que merecem a designação de “Interesse Público” com publicação na página da internet. A Junta de Freguesia está aberta a sugestões de outras árvores que possam constar neste registo dos monumentos vivos de Portugal.

Para conseguirmos uma Freguesia mais limpa, com contentores do lixo mais asseados, não podemos esperar que sejam só as entidades que gerem a recolha a manterem os locais condignos. Todos os cidadãos devem participar neste cuidado, não deixando isso, simplesmente a cargo da Câmara Municipal, da Junta de Freguesia ou das empresas SUMA e ERSUC. A Junta de Freguesia de Loureiro está a preparar um local para instalar um Mini-Ecocentro, ou seja, um local onde os loureirenses possam colocar os seus monos, plásticos agrícolas, lixos provenientes de relva, podas, entulho, etc... Não queremos que os nossos contentores do lixo, espalhados pela freguesia continuem a receber ramos de árvores, podas, relva, plásticos agrícolas, electrodomésticos, entre outros. Pagar uma taxa do lixo não significa que lá podemos colocar tudo. Não queremos também passar pelos nossos caminhos florestais e ver despejado nas bermas entulho, plásticos, monos, ferros, pneus, lixo industrial, entre outras porcarias. Tenhamos uma atitude mais cívica, mais amiga do ambiente, mais comprometida com a nossa freguesia. Esperemos que com a entrada em funcionamento deste Mini-Ecocentro, o lixo espalhado por aí seja uma realidade pertencente ao passado.


A aposta na educação não deverá ser uma paixão passageira. A educação deverá ser sempre uma preocupação constante, no sentido de se melhorarem as condições físicas das escolas, contribuindo para que o ensino ministrado promova a valorização do aluno e da sua família e permita o enriquecimento da região. Apesar da competência de realização de obras nas escolas ser da Câmara Municipal, a Junta de Freguesia não se colocou de fora nesta aposta e, em 2010, realizou obras na EB 1 de Alumieira, com vista a melhorar as condições da comunidade escolar na persecução do seu trabalho.

Também a colocação de um piso na imediação da cantina foi outra das beneficiações realizadas, que, principalmente em dias de chuva, melhorou a qualidade do espaço exterior e tornou mais fácil e limpa a deslocação dos alunos que estão na sala da multideficiência. Mas o investimento não ficou por aqui. A compra de um novo aspirador e de seis novos aquecedores permitiu dotar as salas de aula da escola de melhores condições de funcionamento. Tudo isto não nos impediu de continuar com o habitual apoio económico ao funcionamento diário da escola e garantir os pequenos arranjos solicitados pelo seu director! No entanto, apesar de um investimento desta envergadura para a Freguesia, que ultrapassou os 15.000,00 euros, há muitas outras obras ou equipamentos em falta ou para substituição.

Aumentar a potência eléctrica para deixar de haver problemas nos equipamentos da cantina e no aquecimento das salas no Inverno, adquirir um fogão industrial novo e um grelhador, instalar um moderno sistema de exaustão, armários na cozinha e estantes novas para armazenamento de alimentos, exi- É o caso da colocação de nova caixigiu um grande esforço financeiro. lharia nas salas do edifício mais antigo da escola (frente à Capela de Alumi-

eira), a colocação de algumas caleiras, a substituição do mobiliário e do piso da cantina, a criação de uma área de diversão para as crianças, a requalificação das casas de banho, a construção de uma sala de apoio condigna para as funcionárias, entre outras…


A ideia de fazer festa entre 18 de Maio (aniversário do documento milenar de 993, século X) e 21 de Junho (elevação da freguesia à categoria de vila em 1995) é simbólica. Não é para se fazer festa no sentido mais primitivo da palavra, é sim para comemorar datas históricas, é para aproximar os loureirenses, é para ajudar a financiar as nossas associações, é para divulgarmos a nossa cultura e história, é para potenciarmos o nosso futuro. Se conseguirmos fazer tudo isso a custos muito reduzidos, estamos a cumprir bem a nossa missão. As Festas de Loureiro de 2010 demonstraram que com o empenho de todos é possível fazer mais e melhor, sempre dignificando a nossa terra. De certo, uma actividade para continuar. As Festas de Loureiro 2010 foram um sucesso. São várias as colectividades e pessoas envolvidas que o dizem, bem como muitos loureirenses que nelas participaram. Entre as sessões de Abertura e Encerramento realizaram-se diversas actividades com as quais se pretendeu envolver a comunidade. De entre elas, começamos por recordar o jogo de futebol de 11 entre a equipa da Freguesia de Loureiro (composta por elementos das listas candidatos às


últimas autárquicas) e a equipa de Juvenis do Clube Desportivo. O Ciclo de Tertúlias ocupou-se da utilização racional da energia (organizado pela Cooperativa Eléctrica de Loureiro), do ensino do Futebol: futebol 7 (organizado pelo Clube Desportivo de Loureiro) e da Circulação Rodoviária - novas regras do código de estrada (com organização da Junta de Freguesia e colaboração de Francisco Silva). Pela grande adesão da comunidade destacou-se o 1º Encontro de Gastronomia nos dias 29 e 30 de Maio em Alumieira com organização da Freguesia e participação de diversas colectividades, que substituiu a gratuita fêverada e sardinhada. Com esta actividade, reduziram-se os custos da Junta e aumentou-se o lucro das colectividades. Nestas primeiras festas tivemos ainda, um passeio de pasteleiras e motorizadas antigas, os cantares ao desafio com a Adília de Arouca e o Eduardo Lobo de Felgueiras, o torneio de futebol de 7 interassociações, a poesia em andamento na Associação de Solidariedade Social, as actividades no Clube Equestre de Loureiro, o desfile de marchas populares, as diversas exposições, as danças de salão, a homenagem à loureirense mais idosa (ver notícia na página seguinte), e mais actividades…

1 - Feira Gastronómica com a participação de diversas colectividades da freguesia 2 - Momento de abertura das Festas de Loureiro pela Secretária da Junta, Elsa Castro 3 - Jogo de Futebol de 11 entre a Equipa da Freguesia e a Equipa de Juvenis do Clube Desportivo de Loureiro 4 - Exposição de Pintura “Momentos” da artista plástica loureirense Almerinda Santos


Um dos momentos mais marcantes de 2010, foi a homenagem à loureirense mais idosa, que teve lugar no encerramento das Festas de Loureiro, a 21 de Junho. A dona Belmira Jesus Feirão, nascida a 04 de Julho de 1911, que à data contava 98 anos, demonstrou que recordar e homenagear desta forma é elevar Loureiro a um novo patamar da cidadania. O documento que atestou o reconhecimento diz o seguinte “Nesta data em que se pretende assinalar um pouco da longa história da vila de

quecida em panfletos de divulgação, tanto em 2005, como há poucos meses. Pelo que me apercebi, celebrar a idade de uma pessoa não foi motivo de discussão, nem tampouco de preocupação ou admiração. Eram letras impressas e pouco mais. Mas que raio de promessa eleitoral é aquela, que ocupa um item que poderia ser para divulgar um grande projecto, uma grande obra? Só que não há obra colectiva maior que o reconhecimento. Não há maneira mais eficaz para avançarmos sustentavelmente se não nos conhecermos uns

Loureiro, é com a maior consideração e apreço que a Junta de Freguesia de Loureiro festeja Belmira de Jesus Feirão, pelos seus 98 anos, que a tornam, nesta data, a loureirense mais idosa e a representante número um dos nossos costumes e tradições.” Nas suas palavras, Rui Luzes Cabral referiu o seguinte: “É para mim uma honra poder, hoje, assinalar este momento. Há cerca de meia-dúzia de anos que a ideia me surgiu. Depois andou por aí meia es-

aos outros. Ai daqueles que não querem ser conhecidos, daqueles que querem chegar a casa sem ser vistos pelos vizinhos. As cidades estão cheias disso. A vida moderna está cheia disso. Mas loureiro é diferente e quer ser uma sociedade de pessoas integradas, de pessoas que se conhecem. Só assim seremos mais felizes no trabalho e na família, em público ou em privado. E chegando à D. Belmira, chegamos a Loureiro, pois ela é neste momento a nossa representante, aquela que como

disse a Elsa, há mais tempo anda por cá, aquela que guarda parte do nosso passado e, ao mesmo tempo, nos faz ter esperança no futuro. Se há algo que neste mandato me satisfaz, é estar hoje, aqui, com a D. Belmira, para lhe dizer que é para a Freguesia de Loureiro uma honra poder entregar-lhe daqui a pouco uma simples lembrança. Dizer-lhe também que até há bem pouco tempo eu, assim como muitos loureirenses, não a conhecíamos, outros porventura, pensavam até que já não habitava entre nós, e outros não pensavam nada. Realmente é triste quando vivemos numa sociedade que sabe quem nasce, que festeja e comenta o nome e os padrinhos de uma criança e quase nunca questiona aqueles que já muito deram a todos nós e já pouco saem de casa. Como diz infelizmente o ditado, “o que não é visto não é lembrado”. A partir de agora todos temos a alegria de saber quem é a nossa representante sénior. À sua família, uma palavra de satisfação. É bonito sabermos do cuidado que têm com a D. Belmira, o carinho, e o acompanhamento que lhe têm dado. O executivo da Junta na visita que fez a sua casa apercebeu-se desse cuidado para consigo. De facto, se há coisas importantes na vida, tratar dos que já trataram de nós, é, e deveria ser sempre uma inerência à nossa vida. D. Belmira, sei que completa 99 Primaveras no próximo dia 04 de Julho, por isso, obrigado por ter ajudado, com o seu trabalho, com a sua participação nas actividades desta terra, a tornar Loureiro aquilo que é hoje. Contamos consigo, para continuar esta jornada, pois só assim seremos um povo, seremos uma verdadeira freguesia. Parabéns!…”


Envolver a comunidade para que ela contribua para o bem comum, neste caso para o embelezamento da freguesia e para se manterem tradições é o objectivo desta actividade. Ver alguns espaços da freguesia com

cor e mensagens alusivas à época natalícia dá um outro ânimo aos loureirenses e, no futuro, pode incentivar a que cada um de nós, em nossas casas faça o presépio mais visível para a comunidade.

Criar uma nova “tradição” de, em cada casa, armarmos um presépio ou uma árvore de natal expostos à comunidade, seria quem sabe, um motivo positivo e de promoção da nossa vila.

1 - Presépio do Orfeão de Loureiro exposto em Alumieira; 2 - Presépio do 9.º Ano de Catequese exposto no largo da fonte no lugar de Macieira; 3 - Presépio da ACREFA exposto em Arrôta; 4 - Presépio do Jardim de Infância de Alumieira exposto frente à sede da Junta de Freguesia; 5 - Presépio do 10.º Ano de Catequese exposto no Adro da Igreja; 6 - Presépio da Associação de Pais, exposto em Alumieira; 7 - Presépio da Associação de Solidariedade Social exposto em Alumieira; 8 - Presépio da EB 1 de Alumieira exposto em Alumieira; 9 - Presépio da EB 2,3 D. Frei Caetano Brandão exposto na rotunda junto à referida escola.


A ANAFRE - Associação Nacional de Freguesias, é a voz das freguesias junto do poder central e é também uma associação que auxilia as freguesias associadas através da emissão de pareceres e outras ajudas técnicas. Em Janeiro de 2010 a freguesia de Loureiro fez-se representar no Congresso Nacional da ANAFRE, em Lisboa, por Rui Luzes Cabral e Fernando Silva, da Junta de Freguesia e por Sérgio Cabral, da Assembleia de Freguesia. A Junta de Freguesia tem estado representada em vários fóruns organizados por esta Associação a nível nacional e outros. Recentemente, Fernando Silva, Tesoureiro da Junta de Freguesia, integrou o Órgão Directivo da delegação distrital da ANAFRE, algo que dignifica Loureiro e constitui uma mais-valia para a resolução de alguns dos problemas da freguesia.

1 - Defender o bom nome da Freguesia, a sua história e cultura; 2 - Colaborar com as instituições e associações da Freguesia; 3 - Contribuir para a sustentabilidade local, através da defesa do ambiente, da indústria, do comércio, da agricultura ou outra qualquer actividade; 4 - Reutilizar ou transformar o lixo produzido e, se não for possível, proceder à sua separação para reciclagem; 5 - Não colocar lixo no chão, nas vias públicas ou outras infra-estruturas; 6 - Proceder à limpeza das suas propriedades, deixando um corredor livre de 5 metros quando as mesmas confrontem com estradas, caminhos ou habitações; 7 - Proceder à limpeza de valetas e muros em frente às suas propriedades rústicas e urbanas; 8 - Proceder à limpeza das margens dos rios ou outros cursos de água, que confrontem com as suas propriedades; 9 - Não ligar definitivamente ou casualmente às condutas de águas pluviais, resíduos líquidos provenientes de fossas, água com detergentes ou outros produtos poluentes; 10 - Colaborar na cedência de terreno para alargamento de vias, construção de muros ou passeios.


Segurança Social A nível social, a freguesia tem contado desde já há vários anos com o serviço voluntário da D. Hermínia no primeiro e segundo Sábado de cada mês, entre as 10 e as 12 horas. O trabalho que esta senhora presta em benefício da nossa população não tem preço. Obrigado D. Hermínia pela dedicação e pelo excelente trabalho dispensado. Apoio aos Agricultores Serviço de apoio aos agricultores, à agricultura em geral e outras áreas a ela intimamente ligadas, prestado pelo Eng.º Zootécnico José Augusto Diniz Ferreira, da Agroprojectos, às Quintas-Feiras, entre as 10:00 e as 12:30 horas. Apoiar os agricultores é apoiar a agricultura, é apoiar uma economia de escala local muito descrente e afectada pelas mudanças que estão a acontecer. Tem uma empresa agrícola e precisa de a modernizar? É jovem e quer dedicar-se à agricultora? Quer candidatar-se a fundos comunitários, não sabe qual a área em que deve apostar nesta região? Para estes e outros assuntos, apareça na Junta de Freguesia que decerto obterá a ajuda ou o encaminhamento que necessita. Karaté Aulas de karaté para crianças e jovens, às Quintas-Feiras entre as 18 e as 19 horas. Os professores são o Victor e a Joana, do Dojo “Dragões de Azeméis”. A adesão tem sido significativa e os resultados começaram a aparecer: no passado dia 11 de Dezembro alguns dos nossos karatecas estiveram presentes no seu primeiro estágio regional com um Mestre Instrutor Chefe. Danças de Salão Aulas de Danças de Salão para Jovens e Adultos, às Segundas-Feiras entre as 21 e as 22 horas. Os professores são novamente o Victor e a Joana, que, para além de instrutores de karaté acreditados, são também

bailarinos do circuito nacional de Danças de Salão. Ballet Aulas de Ballet para crianças e jovens a cargo da Meia Ponta de Oliveira de Azeméis, às Quintas-Feiras ao fim da tarde e aos Sábados de Manhã. Danças Urbanas Aulas de Danças Urbanas para crianças e jovens a cargo da Meia Ponta de Oliveira de Azeméis, aos Sábados de Manhã. Grupo de Bordados Este grupo de senhoras vem, desde há alguns anos, enriquecendo o panorama cultural loureirense através das criações e das exposições que vão fazendo (ver foto em baixo). Encontram-se às SegundasFeiras, a partir das 16 horas na Junta de Freguesia. Novas Oportunidades O Programa “ Novas Oportunidades” foi criado com o objectivo de validar competências das muitas pessoas que, por uma razão ou outra não tiveram oportunidade de estudar e concluir a escolaridade na juventude, e que, por essa razão, iniciaram a sua vida profissional com baixas qualificações académicas. Com esta certificação pretende-se que estas pessoas possam melhorar as suas qualificações progredirem profissionalmente. A Junta de Freguesia de Loureiro acarinhou desde logo o Centro Novas Oportunidades da Ferreira de Castro e cerca de três dezenas de pessoas têm já o seu diploma do 9.º ou 12.º Anos de Escolaridade? Para Janeiro de 2011 está previsto o iniciar a certificação com duas novas turmas, para as quais são já muitas as inscrições. Contudo, há ainda algumas vagas a preencher. Se não tem o 9º ano ou o 12º ano concluídos, venha à Junta de Freguesia e inscreva-se.


1 - Em 2010 foram colocadas cerca de 40 grades em sarjetas de águas pluviais. Mesmo assim é ainda necessária a colocação de mais algumas dezenas 2 - Os resguardos colocados na Rua de N.ª Sra. da Esperança e na Ponte sobre o Rio Gonde, em Tonce, aumentaram a segurança naqueles locais. Outros locais estão também a precisar e, no futuro, a Junta de Freguesia vai continuar a aposta nestas pequenas, mas muito importantes, intervenções. 3 - A demolição de uma casa em ruínas na Rua de Macieira que há muito ameaçava cair já não é um problema para os transeuntes. 4 - Marchas populares deram mais brilho às festas do padroeiro S. João Baptista. 5 - O Projecto PROVE visa incentivar a produção de uma agricultura de proximidade e de pequena escala. A Junta de Freguesia apoia esta iniciativa que a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, com financiamento da ADRITEM, está a desenvolver. 6 - Limpeza de uma zona do Rio Gonde na área central da freguesia. 7 - Limpeza da Ribeira da Andorinha, na Minhoteira, onde esta desagua no Rio Antuã. 8 - Obras para a conclusão do estaleiro do Pinhal. 9 - Plantação de mais de duas dezenas de árvores em vários pontos da freguesia. 10 - Arranjo e criação de canteiros. 11 - Pequenas obras de beneficiação no Jardim de Infância. 12 - Construção de valetas e passeios 13 - Acompanhamento dos diversos incêndios e apoio às equipas dos bombeiros voluntários. 14 - Loureiro assinalou os 100 anos da Implementação da República 15 - Nova Página da Junta com mais informações 16 - Arraial da Páscoa, a grande festa da vila loureirense 17 - Separação de lixo no cemitério, porque reciclar significa mais civismo e responsabilidade 18 - Loureiro associou-se à Estafeta da Solidariedade que percorreu o Concelho e assinalou o Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social.

Boletim da Junta de Freguesia de Loureiro 2010  
Boletim da Junta de Freguesia de Loureiro 2010  
Advertisement