Page 1

Brasil

PRESBITERIANO

Maio de 007

Órgão Oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil

Rede Presbiteriana de Comunicação

Ano 50 / Nº 6 - R$ 1,80 Furtuoso Teles de Sousa

IPB se manifesta a respeito das leis sobre o aborto e a homofobia Presidente do Supremo Concílio, rev. Roberto Brasileiro, escreve artigo com a posição da denominação frente a assuntos que estão mobilizando o país

Págin­a 11 Divulgação

Divulgação

Pastor espanhol fruto do trabalho da APMT fala ao BP

Região Centro Oeste inaugura encontros da SAF pelo Brasil

Cultura Cristã lança livro sobre a aplicabilidade da pregação

Págin­a 14

Págin­a 10

Págin­a 18




Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Opinião

Seu recado

Amando a criação do criador Silas Luiz de Souza

U

m tema recorrente em discussões entre crentes e ateus é criação ou evolução. Os cristãos têm enfatizado corretamente que cremos em um Deus criador. Isto é essencial. O problema é que nem sempre os cristãos conseguem enxergar algumas conseqüências dessa declaração fundamental. Se Deus é criador por que nossa relação com o mundo por Ele criado é muitas vezes de indiferença e não de admiração? De destruição e não de cuidado? Por que não nos empolgamos mais com o mundo que Deus criou? Se é obra de Suas mãos, por que não nos emociona, não nos alegra, não nos leva à gratidão e ao louvor com mais freqüência? Mais do que isso, por que são alguns dos países protestantes, os Estados Unidos, por exemplo, os maiores destruidores da natureza? Ora, se sabemos que Deus é o criador e nós o amamos e servimos, não deveríamos tratar de tudo que é obra de

suas mãos como um jardineiro dedicado cuida das flores, da grama, das plantas de um jardim? A agenda ecológica mundial tem sido colocada, na maioria das vezes, por grupos não cristãos, quando poderia ser apresentada pelos cristãos. As questões ambientais estão tomando conta das reuniões de cúpula de líderes mundiais e a igreja deveria dar sua contribuição. Certamente, a igreja não é partido político, sindicato, organização assistencial ou científica. Mas é certo também que o reino de Deus abarca tudo e não podemos fugir do debate. Quando lemos nossa Confissão de Fé e estudamos um pouco o ambiente onde ela foi formulada, na Inglaterra do século 17, percebemos que nosso documento doutrinário fala das questões eternas da tradição de nossa fé e também fala de questões próprias do momento que o povo vivia em sua época. A igreja tem uma série de coisas importantes para fazer e de diversas formas proclamar o evangelho res-

taurador de Nosso Senhor Jesus Cristo. Se ficarmos discutindo o que fazer com as sobras do sacramento, a pertença ou não a esta ou aquela organização ou definindo quem é fundamentalista, liberal e pentecostal, vamos deixar coisas importantes de lado e ficar circulando em torno de questões muito pequenas. E o mundo não vai dar ouvidos a uma igreja que fala apenas de si para si. O mundo antigo prestou atenção no cristianismo porque sua teologia, discursos e atitudes confrontavam crenças, filosofias e sistema social que o império havia montado. Que sejamos igreja de Jesus Cristo, perene, com a mesma mensagem eterna e, contudo, em diálogo aberto com a sociedade para que sua comunicação seja compreendida em nosso tempo.

Silas Luiz de Souza é pastor da IP Central de Americana (SP), Professor de História do Cristianismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP) e de História da Igreja no Seminário Presbiteriano do Sul, SPS, em Campinas (SP), e coordenador do Curso de Bacharel em Teologia do SPS.

Estive pensando muito a respeito do texto publicado na seção Seu recado do BP de março. É triste que pessoas ainda desperdicem espaço num jornal de tamanha repercussão com críticas a seus irmãos. Como presbiteriano confesso, ideológico e apaixonado pelas nossas diretrizes me julgo no direito de esclarecer e chamar a atenção para alguns pontos: a) Não pude constatar no texto criticado (BP fevereiro de 2007, pg. 9) qualquer apologia à substituição do "pregar" pelo "louvar". Ainda que assim o fosse, lembro aos irmãos que discordam dessa prática que vai chegar o tempo em que não haverá mais a quem pregar e estaremos apenas adorando, ou louvando, se assim preferirem... Ademais, basta observar os dois principais mandamentos para que possamos justificar, se assim fosse necessário, a prática de primeiro louvar, depois pregar: 1º "Amarás a teu Deus sobre todas as coisas”. Quem ama adora, louva, se emociona; 2º “Amarás a teu próximo como a ti mesmo”. Tem-se aí a necessidade da pregação, se eu adoro porque é bom para mim, tenho o dever de anunciar essa bênção ao meu próximo, daí a necessidade de pregar. Outro ponto controverso trata dos termos utilizados como Ministério de Louvor, levitas etc. Creio estar havendo um equívoco quanto à dicotomia entre as previsões normativas bíblicas que orientaram os caminhos da igreja primitiva e a formação estrutural/dogmática da própria igreja presbiteriana dentre outras

EXPE­DIEN­TE

Brasil PRES­BI­TE­RIA­NO

Uma publi­ca­ção da

Rua Maria Antônia, 249, 1º andar, CEP 01222-020, São Paulo – SP Telefone: 0(XX)11 3255 7269 E-mail: edi­torbp@rpc.ipb.org.br

Rede Presbiteriana de Comunicação

Órgão Oficial da

Ano 50, nº 632 – Maio de 2007

www.ipb.org.br

Conselho Deliberativo: Gunnar Bedicks Júnior – presidente Jared Ferreira Toledo da Silva – secretário André Luis da Silva Mello – titular Darly Gomes Silveira Filho – titular Euclides de Oliveira – titular Johnderson Nogueira de Carvalho - titular Ricardo da Mota – titular

Conselho Editorial: Valdeci da Silva Santos - coordenador Juarez Marcondes Filho - membro Marcos José de Almeida Lins - membro Romildo Lima de Freitas - membro Silas Luiz de Souza - membro Walcyr José de Paiva Gonçalves - membro

Edição e chefia de reportagem: Letícia Ferreira DRT/PR: 4225/17/65. E-mail: editorbp@rpc.ipb.org.br Textos: Letícia Ferreira - editorbp@rpc.ipb.org.br e Caroline Santana - caroline@rpc.ipb.org.br Diagramação: Aristides Neto Impressão: Folhagráfica

Secretaria de Atendimento ao Assinante: (19) 3741 3000 / 0800 119 105

denominações. Realmente no Novo Testamento não se vê os termos ministério de louvor, levitas, ministrar a palavra mediante louvor, nem há necessidade de que isso ocorra, pois tais termos, ministérios, institutos, etc., fazem parte da competência discricionária de organização burocrática da IPB. Assim como não há previsão bíblica expressa para as sociedades internas da igreja como UPH, SAF, UMP... Tais divisões, termos, setores dizem respeito à organização estrutural e administrativa da igreja. É com tristeza que vejo que pessoas que crêem tanto na importância da pregação da palavra desperdicem linhas para criticar e deixem de pregar a Palavra de Deus... Se substituir a pregação por louvor pode escandalizar, o que dizer de substituí-la por críticas aos nossos irmãos? Permito-me escrever-lhes essas linhas amados, apenas por crer que estou pregando o amor e até mesmo a Palavra de nosso Deus. Que Deus nos abençoe e nos dê discernimento para louvar, pregar e também para escrever. Patrick Friedrich Wilhelm Macaggi Litzendorf Fontes Cesar, advogado e membro da IP do Capão da Imbúia, em Curitiba (PR)

Erramos Na coluna Aniversários, da edição de abril, foram trocadas as fotos do presbítero Belarmino Hipólito de Azevedo e do rev. Daniel das Chagas e Silva.

Assinaturas Para qual­quer assun­to rela­cio­na­do a assi­na­tu­ras do BP, entre em con­ta­to com:

Luz para o Caminho 0(XX)19 3741 3000 0800 119 105 bra­sil­pres­bi­te­ria­no@lpc.org.br Rua Antônio Zingra nº 151, Jardim IV Centenário CEP 13070-192 - Campinas - SP


Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007



Consultório Bíblico

Ainda sobre o espiritismo Odayr Olivetti

P

* Preço válido até 31 de maio, ou enquanto durar o estoque

ergunta: “Em vários aspectos, um médico espírita usa a Bíblia para atacar e destruir a fé cristã. Como responder?” Resposta: Não é à toa que cristãos antigos já diziam que “A Bíblia é a mãe de muitas heresias”! Usando a Bíblia com mente carnal ou corrupta, pode-se defender muitíssimos erros, com tremenda condenação dos que o fazem! 1. Quanto à declaração de que quem comete falhas ou peca gravemente abre espaço para os maus espíritos e é preciso chamar os espíritos desencarnados (humanos) para fechar esse espaço e reintegrar a pessoa: (a) O homem se fez inimigo de Deus e causou terrível

mal a si mesmo e à terra: Gênesis 3 (note-se o versículo 17). Seu pecado desfigurou gravissimamente a imagem de Deus no homem. O homem passou a sofrer a morte física, morreu espiritualmente e, se esse mal não for sanado, sofrerá morte eterna. (b) Com isso, abriu-se enorme brecha, verdadeiro abismo entre Deus e o homem, e dentro do próprio homem. Espaço que só pode ser preenchido por Cristo e em Cristo, que é a expressa imagem de Deus: Cl 1.13-23; Hb 1.1-3. (c) O homem, morto em delitos e pecados, precisa do novo nascimento espiritual, operado pelo Espírito de Deus, para a sua restauração perante Deus. Pela fé em Cristo e pela ação do Espírito, o pecador é feito

nova criatura: Jo 1.12,13; 3.37; 2 Co 5.17; Ef 2.1-10. 2. Quanto à declaração de que Cristo morreu só por Ele: Cristo foi sem pecado - Hb 4.15; morreu para tirar os pecados do mundo - Jo 1.29; veio para redimir e salvar o Seu povo - Lc 1.68,69; Ele levou sobre si o nosso pecado - Is 53; 1 Pe 2.21-25; “todo o que nele crê” não sofrerá a perdição eterna - Jo 3.16; 36. 3. Quanto à declaração de que os anjos são inferiores aos espíritos humanos desencarnados, pois estão a serviço dos homens, e Miguel não pôde com Satanás: Hb 1.13,14; Jd 9 - Em Hebreus, o contexto mostra que o autor inspirado está contrastando os anjos com Cristo, infinitamente mais poderoso do que todos os

anjos; e em Judas, Miguel não esqueceu que Satanás ocupara a mais alta hierarquia angélica, e, por isso, em vez de repreendê-lo, disse “o Senhor te repreenda”. Ver, porém, Ap 12.7-9. É importante lembrar que os anjos prestam serviço aos salvos, não a todos os homens: Hb 1.14, e, muitas vezes, são enviados para missões específicas e se limitam ao cumprimento dessas missões. Não significa que não tenham poder para coisas maiores. Outra coisa: O anjo mais poderoso (Satanás) é delimitado por Deus: Jó 1.12; 2.6. Qualquer palavra que ofenda ou diminua o Espírito Santo, Jesus declara que é pecado imperdoável: Mt 12.31,32. Os maus espíritos (não espíritos humanos: Hb 9.27) só fazem

o mal aos homens. Exemplo: Mc 5.1-5. A ação e o ministério dos anjos santos de Deus são terríveis para os inimigos de Deus (Exemplos: Ap 7.13; 9.13-21; 12.7-12), mas são benéficos para o povo de Deus (Mt 24.31; Lc 2.8-14; 15.10; 16.22). Nas palavras de Jesus Cristo ressurreto, sofrerá a ira de Deus quem acrescentar algo à Escritura ou tirar algo dela: Ap. 22.18.19. Também são de Jesus Cristo ressurreto estas consoladoras palavras: “Bemaventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam” (Lc 11.28). Odayr Olivetti é pastor presbiteriano, ex-professor de Teologia Sistemática do Seminário Presbiteriano de Campinas, escritor e tradutor. E-mail: odayrolivetti@uol.com.br

Anuário IPB 2007. O ponto de encontro da Igreja Presbiteriana do Brasil.

R$ 13,00* Uma ferramenta útil para a igreja, pastores e líderes. Inclui as alterações da última reunião do SC-IPB e as mudanças de campos pastorais mais recentes. Dados atualizados dos presidentes de Sínodos e secretários executivos dos Presbitérios.

Ligue agora 0800-119-105 e peça o seu exemplar.

www.lpc.org.br




Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Acontece

Anep promove Sétimo Encontro Nacional de Escolas Presbiterianas

Informações e inscrições no escritório da Anep, em São Paulo, pelo telefone (11) 3275-0259, ou pelo site www.anep-ipb. org.br.

O Congresso em Educação Cristã, Sétimo Encontro Nacional de Escolas Presbiterianas, promovido pela Anep (Associação Nacional das Escolas Presbiterianas), acontece de 14 a 17 de maio, no Instituto Presbiteriano Mackenzie, em São Paulo. O principal tema será Educando para a Paz. A abertura, no dia 14, às 19h, no auditório Benedito Novaes Garcez, terá uma devocional feita pelo presidente do Supremo Concílio da IPB, rev. Roberto Brasileiro, e uma palestra, pelo chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie, rev. Augustus Nicodemus Lopes, sobre A confessionalidade na Escola: o caminho da educação para a paz. No decorrer do congresso, os subtemas serão abordados por palestrantes como o jornalista Boris Casoy, que falará sobre o tema Educação contra a violência: remédio eficaz, ou paliativo inconseqüente?, e a escritora, mestre em Psicologia e membro da Academia Americana de Terapia Familiar, Maria Tereza Maldonado, que falará sobre Bullying, como confrontar o problema na Escola Cristã? No dia 16, às 14h, a diretora do Colégio Presbiteriano Mackenzie em São Paulo, profª Débora Oliveira, falará sobre O Currículo e os Materiais da Escola Cristã. Ainda como parte do encontro, será realizado um simpósio virtual com transmissão simultânea televisionada para várias escolas que se equiparam para a recepção desses eventos, o que, segundo a diretoria da Anep, deverá ocorrer com mais freqüência no futuro. Além das diversas palestras, os participantes terão oportunidade de discutir e apresentar casos reais experimentados pelas escolas, em uma troca de informações que deverá beneficiar a todos. No dia 15, às 18h, haverá uma Assembléia Geral da Anep para tratamento de questões regimentais e estatutárias.

Cecep realiza Primeiro Congresso Nacional de Oficiais da IPB De 7 a 10 de junho, no Sesc de Venda Nova, em Minas Gerais, o Cecep (Conselho de Educação Cristã e Publicações) realiza o Primeiro Congresso Nacional de Oficiais da IPB. O tema, Liderança Bíblica: o desafio de ser oficial no século 21, será desenvolvido pelo pastor e escritor norte-americano John Sittema, autor do livro Coração de Pastor publicado pela Editora Cultura Cristã. Durante todo o congresso, as ministrações devocionais serão feitas pelo presidente do SC-IPB, rev. Roberto Brasileiro. Serão também oferecidos os seminários Bons oficiais e bons pais, pelo presb. Solano Portela; O equilíbrio matrimonial, pelo rev. Augustus Nicodemus; Ser filho de oficial, pelo rev. Jader Borges; O diácono presbiteriano, pelo rev. Alderi Souza de Matos; Pastoreio e discipulado, pelo rev. Cláudio Marra; O pastoreio no Novo Testamento e na IPB, pelo rev. Jôer Corrêa; Apto para ensinar, pelo rev. Heber Carlos de Campos; A liderança colegiada no Antigo Testamento, pelo rev. Mauro Meister; O uso do tempo, pelo rev. Ludgero Morais, e O oficial e a disciplina, pelo rev. Valdeci Santos. A comissão organizadoa informa que o preço da inscrição, R$290, inclui hospedagem e alimentação. Informações com a Editora Cultura Cristã pelo e-mail cep@cep.org.br ou pelo telefone (11) 3207 7099.

Viagem da Reforma Protestante O rev. Alderi Souza de Matos, historiador oficial da IPB, será o guia histórico

de uma viagem especial que irá percorrer os locais onde se deram os acontecimentos mais importantes da Reforma Protestante do Século 16. O programa, que será de 27 de outubro a 9 de novembro, inclui cidades na Inglaterra, Alemanha, França e Suíça. Informações pelo e-mail asdm@makenzie.com.br.

13º Congresso de UPHs do Sínodo Minas-Espírito Santo Na IP de Baixo Guandu (ES), terá lugar o 13º Congresso Administrativo da Confederação Sinodal de UPHs do SME (Sínodo Minas-Espírito Santo), de 1º de julho a 7 de julho. O tema será Homens Fortalecidos para Servir, com a preleção do rev. Eliobergues Eler Guimarães, pastor da IP Monte Sinai, em Barra de São Francisco (ES).

Terceiro Encontro de Recursos para o Trabalho Infantil A Secretaria Sinodal da Infância do Sínodo Sudoeste Paulista mudou a data de seu Terceiro Encontro de Recursos para o Trabalho Infantil, que será realizado na IP de Botucatu (SP). O evento teria acontecido no dia 28 de abril, mas foi transferido para o dia 30 de junho. As palestras serão Inimigos do Trabalho Infantil em crescimento, Comunicando e sendo entendido (clareza e objetividade) e Didática - o que é? Material didáticocomo usá-lo? Além das palestras, serão oferecidas duas oficinas para Escola Bíblica de Férias: O Atleta de Cristo e O internauta de Jesus. A cada dez inscrições de uma mesma igreja, uma será gratuita. As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de junho, pelo e-mail ismael_mary@uol.com.br, por carta (enviando-se os seguintes dados: nome, endereço, cidade, igreja a que pertence e e-mail): Rua Dr. Cardoso de Almeida, 1960 – Centro – 18600-005 – Botucatu/SP. Ou pelos telefones (14) 3882 0893/ 9716 8063/ 8144 6317.


Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007



História: As Confissões Reformadas

Segunda Confissão Helvética (1562) Alderi Souza de Matos

E

sse importantíssimo documento foi escrito pelo reformador suíço Johann Heinrich Bullinger (15041575). Convertido à causa evangélica em 1522, no ano seguinte ele conheceu Ulrico Zuínglio, o fundador da tradição reformada, do qual se tornou grande amigo, sucedendo-o em 1531, na liderança da Reforma suíça. Nessa função, procurou unir os protestantes suíços e alemães. Com vários colegas de diferentes cidades, escreveu a Primeira Confissão Helvética (1536), que se tornou a primeira declaração da fé reformada com autoridade nacional. A Segunda Confissão Helvética mantém a mesma estrutura, mas foi inteiramente redigida por Bullinger. Foi composta inicialmente após um

parecer favorável do reformador Martin Bucer (1561), sendo reescrita durante uma epidemia na qual Bullinger julgou que iria morrer (1562). Ele anexou a confissão ao seu testamento como uma dádiva final à cidade de Zurique. Os tópicos tratados no longo documento são os seguintes. Caps. 1-2: a Escritura Sagrada, sua inspiração, conteúdo e interpretação – reconhece o valor da tradição eclesiástica (pais da igreja e concílios), porém subordinada à autoridade primária da Escritura; exclui do cânon os livros apócrifos (pela primeira vez em uma confissão reformada). Caps. 3-7: Deus, a providência e a criação – reafirma a doutrina da Trindade e o Credo Apostólico; condena a veneração de imagens e o culto dos santos. Caps. 8-10: o pecado humano, o

livre-arbítrio e a predestinação – pecado é corrupção inata e depravação pessoal; aborda a vontade humana em três situações (antes da queda, sob o pecado e após a regeneração); a predestinação recebe forte ênfase pastoral. Caps. 11-13: Cristo, a lei e o evangelho – reafirma a cristologia de Calcedônia e nega as antigas heresias cristológicas; aceita as decisões dos quatro primeiros concílios da igreja. Caps. 14-16: arrependimento, justificação e fé – define a justificação pela graça mediante a fé (imputação); a fé verdadeira produz boas obras que Deus aprova e recompensa. Caps. 17-18: a igreja e o ministério - distingue entre igreja invisível (eleitos) e visível (militante); os deveres dos ministros são pregar o evangelho, ministrar os sacramentos, cuidar das almas

e manter a disciplina (capítulos mais longos da confissão). Caps. 19-21: a teologia e prática dos sacramentos – reafirma o batismo infantil como sinal do pacto; a presença de Cristo na ceia é espiritual. Caps. 2229: questões práticas da vida da igreja – a importância do culto público, cânticos, orações, jejum, catequese, sepultamentos, propriedades eclesiásticas e casamento. Cap. 30: o papel dos magistrados civis – condena posições anabatistas. Esse testemunho particular de fé se tornou uma confissão pública por dois motivos. Em 1565, o príncipe alemão Frederico III, do Palatinado, pediu a Bullinger uma exposição detalhada da fé reformada para apresentá-la ao Parlamento, onde os luteranos pretendiam acusá-lo de heresia. Bullinger

encaminhou-lhe sua confissão de 1562, que foi impressa em latim e alemão. Além disso, os suíços sentiam a necessidade de uma descrição mais ampla de sua fé e para isso adotaram o documento de Bullinger, com pequenas modificações. A confissão foi publicada em Zurique no dia 12 de março de 1566, sendo aceita por todos os cantões reformados. Posteriormente, foi recebida na Escócia, Hungria, França, Polônia, Inglaterra e Holanda, tornando-se, ao lado do Catecismo de Heidelberg, o documento reformado mais estimado e influente. Reflete o pensamento maduro de Bullinger e destaca-se por sua catolicidade e moderação. Alderi Souza de Matos é pastor presbiteriano e historiador oficial da IPB. E-mail: asdm@mackenzie.com.br




Maio de 2007

Brasil PRESBITERIANO Divulgação

Aconteceu Inaugurado templo presbiteriano na Bahia Por rev. Nelson Barbosa da Silva, pastor da IP Primeiro de Maio e da Congregação Presbiteriana de Pilar De 23 a 25 de fevereiro, a IPB ganhou um novo templo. Trata-se da Congregação Presbiteriana de Pilar, em plena caatinga do Norte da Bahia. Ela fica no Distrito de Pilar, município de Jaguarari, a cerca de 450 quilômetros de Salvador e a cem quilômetros de Senhor do Bonfim. A Congregação de Pilar é filha da IP Primeiro de Maio, em Senhor do Bonfim, Presbitério de Campo Formoso, Sínodo Noroeste da Bahia. Nasceu no dia 19 de agosto de 1987, na residência da irmã Durvalina Ramos da Silva e família. Durante alguns anos, os irmãos reuniram-se em um colégio da cidade. Nesse tempo, muitos foram chegando-se à igreja, de modo que o trabalho cresceu a ponto de não mais poder ser realizado naquele local. Deus nos abençoou muito e proveu um terreno doado pela empresa Mineração Caraíba. Deuse, então, o início da construção desse templo, sendo um dos maiores do nosso presbitério. Atualmente, a congregação conta com 60 alunos matriculados na Escola Dominical e tem como finalidade ser o agente de Deus na

Feira da Amizade em Porto Alegre Por lic. miss. Edvaldo Xavier Gomes e Marliese Christine Simador Godoflite No dia 10 de março, tivemos a nossa Primeira Feira da Amizade na Congregação da Segunda IP em Porto Alegre (RS). Foi um dia muito alegre e abençoado, quando tivemos a participação dos membros da igreja nos ajudando e a participação das pessoas do bairro que vieram, apreciaram e compraram artigos, doados pelos membros da igreja e vendidos a preços bem acessíveis (R$1 a R$5). Foi muito gratificante olhar as pessoas que aqui passaram e ver a alegria em seus olhos por adquirir tanta coisa por um preço de tão fácil alcance. Também pudemos analisar essas pessoas no intuito de saber a real condição de cada família do bairro e conhecer melhor esse povo, nos tornando, em contrapartida, conhecidos por ele. O alvo da feira é totalmente voltado para a ajuda de pessoas carentes do bairro, para quem adquirimos cestas básicas e material escolar. Montamos a Pasta do Aluno, contendo

Membros da Congregação de Pilar em frente ao novo templo

cidade, obedecendo ao “Ide” de Jesus como porta voz do evangelho. Que Deus continue abençoando ricamente a nossa IPB para que ela continue sendo porta

voz do evangelho que salva, transforma e liberta, juntamente com todas as suas igrejas e congregações, entre elas a Congregação Presbiteriana de Pilar.

cadernos, lápis de cor e escrever, giz de cera, canetinhas coloridas, régua, borracha, cola e apontador. São 30 kits que serão distribuídos e, por meio das crianças que os receberão, cadastraremos cada família beneficiada, conhecendo, assim, a real da situação dessas pessoas e podendo, dessa forma, dar a assistência física e espiritual que necessitam. Também equiparemos uma sala de ensino na congregação com o material necessário para um bom aprendizado dessas crianças e crescimento espiritual, tirando-as desse mundo sujo e devastador em que vivemos atualmente. Temos uma grande missão no Bairro Moradas da Hípica e estamos certos do que Deus tem planos para esse lugar e já tem feito Sua obra em nossas vidas e nas das pessoas que aqui congregam conosco. A tarefa não é fácil, as dificuldades são muitas e enormes, mas sabemos que não estamos sozinhos, temos a certeza da companhia de Deus e seus anjos e Seu Espírito nos fortalecendo e orientado a cada dia. É apenas o começo.

Quem sentir o desejo de nos ajudar, visite o site da Secretaria Executiva da IPB (www.executivaipb.org.br) e clique no link Adote uma Igreja, onde encontrará todas as informações sobre a congregação. Divulgação

(E) Rev. Osias Correia, pastor da igreja, e a esposa Silvana, e o missionário Edvaldo e a esposa Marliese


Brasil PRESBITERIANO Presbiterianos são recebidos na Academia Evangélica de Letras do Brasil No dia 12 de março, foram recebidos como novos membros da AELB (Academia Evangélica de Letras do Brasil) o rev. Eurípedes da Conceição, pastor efetivo da IP da Tijuca, e o dr. Eduardo Mayr, presbítero da IP de Copacabana, onde foi também realizada a solenidade, ambas no Rio de Janeiro. O evento foi conduzido pelo presidente da instituição, jornalista Josué Silvestre, com a presença dos membros da academia e muitos convidados – inclusive autoridades civis e militares. A AELB é fruto da iniciativa do escritor, jornalista, conferencista e pastor presbiteriano, rev. Bolevar Pinto Bandeira. Ele foi diplomado como o primeiro presidente pelo então presidente da Academia Brasileira de Letras, dr. Austregésilo de Athayde, no dia em que a academia evangélica foi oficialmente instalada, 31 de outubro de 1963, em sessão solene no Palácio da Cultura, antiga sede do Ministério da Educação e Cultura, no Rio de Janeiro.

SAF do Vale do Jatobá promove concurso de poesia Para comemorar o Dia Mundial da Poesia, escolhido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) o dia 21 de março, a SAF da IP do Vale do Jatobá, em Belo Horizonte (BH), promoveu, em 10 de março, um concurso de poemas sob o tema Foi por você. Cada sociedade interna fez seu poema e o vencedor foi o escrito por Vilmar Rodrigues de Sousa e declamada por Ronaldo Olavo Amorim, da UPH: “Foi por Você Por mim, foi por você que ele criou O mar, a terra e os rios ele nos doou As belas flores e o ar que respiramos É bondade de Deus que sempre recebemos Foi por você, foi por mim que a chuva cai ao seu tempo Proporcionando-nos farto e diversificado alimento Proporcionando as riquezas dos rios com fartas águas Que são responsáveis pela geração de energias Por mim, foi por você que a inteligência nos deu Dos cientistas, da medicina realização procedeu As idas e vindas ao espaço quantas novidades trazidas Pessoas e medicamentos quantas pessoas bem tratadas Foi por você, foi por mim o presente da salvação Crer em Jesus Cristo é a única solução Pois assim certeza de uma vida eternal Todos nós teremos se vivermos fraternal.”

Rev. Eurípedes entre a filha Jéssica e a esposa Elenir

A AELB foi organizada nos moldes da Academia Brasileira de Letras, com um quadro fixo de titulares que ocupam 40 cadeiras, cada uma com seu patrono. Integra intelectuais evangélicos – homens e mulheres – de várias denominações, residentes em diversos estados brasileiros. Sua finalidade é estimular a produção literária, artística e científica com enfoque nas Escrituras Sagradas, atuando no segmento evangélico no contexto da sociedade brasileira. A AELB tem sede no Centro Cultural da Bíblia à Rua Buenos Aires, 135 – 8º Andar - Centro – RJ e realiza reuniões mensais de estudo e congraçamento.

Memória e saudade Rev. Daniel Sellos Pelo rev. Isaías Monteiro Barbosa, secretário executivo do PRSV (Presbitério de São Vicente), do qual o rev. Daniel Sellos era membro Encerra o seu ministério na Terra e inicia seu ministério no Céu. Deus o chamou para serviLo lá, mais perto dEle, junto com os santos na glória. O nosso irmão rev. Daniel Peroud Séllos nasceu em 11 de julho de 1935, em Manhuaçu (MG), e terminou sua carreira ministerial no Presbitério de São Vicente (SP), no dia 11 de abril, em Barretos (SP), onde estava internado para cuidados médicos. Foi velado na IP de

Maio de 2007



Itapetininga (SP), e sepultado no cemitério daquela cidade no dia 12 de abril. Lá estavam presentes seus familiares, muitos ministros do evangelho de várias cidades do Brasil, presbíteros, diáconos e muitos amigos. Ele fez profissão de fé e batismo em 19 de julho de 1952, na IP de Mantimento (MG) e se tornou aspirante ao ministério pela mesma igreja, em 1959. Foi candidato ao ministério em 1960 pelo Presbitério de Caratinga (MG), licenciado em 8 de janeiro de 1967 e ordenado em 10 de setembro de 1967, pelo Presbitério de Governador Valadares (MG). Pastoreou as IPBs de Itanhomi (MG), Montanha (ES), Jardim das Oliveiras em Governador Valadares, Primeira de Caratinga, Bom Jardim em Ipatinga (MG), Sete Lagoas (MG), Betel, Sexta e Nazaré de Belo Horizonte, Itabira (MG), Cascavel (PR), Itapetininga, Itaúna (MG), Peruíbe (SP) e Itanhaém (SP). Foi presidente dos Presbitérios Norte de Valadares (MG), Alterosas, Itapetininga (SP) e São Vicente (SP). Sua luta conciliar foi por melhores condições financeiras para os pastores jubilados e viúvas de pastores. Transcrevo a seguir uma singela homenagem da IP de Itanhaém, que o rev.Daniel estava pastoreando quando foi chamado pelo Pai, escrita pelo rev. Valter S. Vasques e publicada no boletim da igreja no dia 15 de abril: “Rev. Daniel Peroud Séllos: pastor, irmão e amigo — Não conseguimos expressar em palavras, faladas ou escritas, a tristeza que sentimos com o falecimento de nosso querido irmão e amigo rev. Daniel Peroud Séllos. Somente nossas lágrimas, nosso sincero pesar, nosso fraterno abraço à família enlutada, sua esposa d. Sassá, seus filhos Daneil Jr., Elton e Clemente, sua sogra d. Joazina e suas noras e netos, expressam o que sentimos. Esta igreja sente a perda de seu querido pastor que, antes de tudo, foi irmão e amigo de cada um de seus membros. Este fiel servo de Deus não se olvidou e jamais retrocedeu ante a tarefa a ele confiada pelo Senhor da igreja. Incontinenti e corajosamente, sábia e inteligentemente cumpriu o mandato que Cristo Jesus lhe confiou. Por quase um ano e meio de trabalho aqui desenvolvido, fez algo que poucos pastores poderiam realizar em seus ministérios em quaisquer igrejas: alcançar a rara unanimidade do carinho, do afeto, do respeito e agora das lágrimas sinceras de nossos tristes corações. A saudade é imensa, mas o louvor e a gratidão a Deus brotam da firme confiança nas promessas do Senhor de que nosso irmão recebeu o prêmio da soberana vocação. Certamente sua biografia é riquíssima e, se um dia alguém desejar escrevê-la, poderíamos indicar um título apropriado à sua vida cristã e ao seu ministério: Rev. Daniel Peroud Séllos: pastor, irmão e amigo.




Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Ação Social IP no Paraná promove assistência espiritual e social a jovens infratores

Um braço forte para os presos e encarcerados Caroline Santana Pereira

D

verdade vos digo que sempre que o fizeste a um destes pequenos irmãos, a mim o fizeste” (Mt 25. 36 e 40). ATIVIDADES A IP de Matelândia dirige, na penitenciária, cultos nas tardes de domingo, com mensagens evangelizadoras e sobre conduta cristã. Durante a semana, os próprios internos realizam estudos bíblicos e orações, liderados pelos presos mais maduros na fé. Após dois anos de trabalho, dos quase cem jovens detentos, 20 a 25 rapazes participam das atividades regulares. O rev. Reginaldo ressalta também que aqueles que já estão em liberdade afastaram-se das práticas mundanas, da criminalidade e voltaram para suas igrejas de origem. A igreja presbiteriana oferece amparo nesse processo de reintegração, com atividades ligadas à alfabetização. Segundo o pastor, apesar dos resultados positivos,

e uma simples visita à penitenciária local, no dia 15 de fevereiro de 2005, nasceu o Projeto Vivendo em Família, desenvolvido pela IP de Matelândia (PR), cujo objetivo é levar o amor de Jesus para jovens infratores que estão cumprindo pena em regime fechado. Naquela ocasião, alguns membros da igreja dispuDetentos em Matelândia seram-se a visitá-los. Desde produtiva então, o trabalho cresceu, alcançou o apoio das automuitas pessoas, inclusive ridades e o reconhecimento cristãs, ainda têm grandos assistidos. de preconceito com esses O rev. Reginaldo Silva, infratores e libertos. Outros pastor da igreja, conta que, problemas para o desenvolna primeira visita, o agente vimento desse ministério penitenciário fez questão de são as precárias condições enfatizar que os infratores carcerárias, que desestimucometeram vários crimes e lam os internos a mudaque qualquer incidente que rem completamente o seu viesse a acontecer seria de comportamento, pois são inteira responsabilidade dos obrigados a viver em superirmãos da igreja. “Sentimos população. um frio na barriga, mas conMuitas são as necessidafiamos que era a vontade de Deus manifestar o amor aos presos. Quando lá estávamos, um jovem nos atendeu e disse que eles estavam orando para que Deus enviasse alguém para lhes ensinar a Palavra”. O pastor afirma que os atendidos são jovens provenientes de várias classes sociais, muitos de origem evangélica, que se envolveram direta ou indiretamente com o tráfico de drogas. Assim, esse projeto tem a meta de cumprir um dos ensinamentos de Jesus: “Estive preso e fostes me visitar (...) Em verdade em Culto com louvor e oração na penitenciária

Divulgação

se ocupam de forma

des dos assistidos, como amparo jurídico, aconselhamento, envio de cartas, corte de cabelo, aquisição de roupas, objetos pessoais etc. Por isso, a meta da liderança é ampliar esse projeto e auxiliar os jovens com mais eficiência. Para tanto, a pretensão é criar uma biblioteca, conquistar o apoio voluntário dos profissionais da saúde e advogados, conseguir computaDivulgação

dores para oferecer aulas de informática e de trabalhos manuais, além de terapia ocupacional com a ajuda de empresas. Assim, os jovens serão reabilitados espiritualmente e socialmente. MISSÃO Para o rev. Reginaldo, esse trabalho mostra que a que igreja do Senhor tem uma visão integral do ser humano, já que procura assisti-lo em suas necessidades espiritual e física, ou seja, possui uma fé viva, pois “assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta” (Tg 2.17). Com isso, o reino de Deus cresce, pois histórias de vida são transformadas para edificar outras, mesmo num ambiente hostil como o de uma prisão, onde só a misericórdia de Cristo Jesus e sua graça podem atuar, tanto para converter como para tratar os corações. O pastor explica que tais mazelas que atingem a humanidade são conseqüências do pecado que reside no homem e resultam em miséria, desonestidade, injustiças, drogas, homicídios e outros. “Contudo, não podemos ver tudo isso sem orar a Deus e pedir sabedoria para a elaboração de planos e estratégias, a fim de que a igreja seja um canal de bênçãos em cadeias, penitenciárias, hospitais, asilos, albergues e bairros carentes espalhados pelo país afora”. Informações sobre o projeto Vivendo em Família pelo e-mail regysylva@hotmail.com.


Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007




10

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Trabalho Feminino

Presbiterianas da Região Centro Oeste promovem encontro

Mulheres que surpreendem: instrumentos de Deus Divulgação

Edicelia Tomaz Carneiro

O

tema do quadriênio 2006/2010, Mulheres que surpreendem: instrumentos de Deus, anunciado pela presidente da CNSAFs, Anita Eloísa Chagas, em abril de 2006, foi recebido pelas presidentes das sinodais da Região Centro Oeste com muito entusiasmo e empolgação. E logo surgiu a proposta: por que não realizar o encontro regional em março, no Dia Internacional da Mulher? Todas gostaram da idéia e marcaram para esta data. Foi um desafio para nossa região e, desde então, colocamos na presença de Deus todos os projetos, planos e organização. O encontro aconteceu, pela graça e misericórdia de Deus, de 8 a 11 de março, em Anápolis (GO), no Seteceb (Seminário Teológico Cristão Evangélico do Brasil), sendo hospedeira a Sinodal Brasil Central. Contamos com o apoio da Federação de Anápolis, que esteve conosco desde o início da organização e durante todo o evento. O culto de abertura foi realizado na IP Orvalho do

Foto oficial do encontro

Hermon, quando representaram o Sínodo Brasil Central o presidente do mesmo, rev. Samuel Vieira, e o secretário sinodal, rev. Celso Soares de Oliveira, além de outros pastores. O pregador foi o rev. Marlúcio Caetano Borges, pastor da igreja local. Tivemos a participação do coral Asas do Socorro, do cantor Paulo Gomes e da declamadora de poesias, Luzmar, que fez uma homenagem a todas as mulheres pelo Dia Internacional da Mulher. O encontro contou com a presença de mais de 250 participantes das nove sinodais da região, além de pastores Divulgação

Equipe hospedeira da Federação Anápolis

e presbíteros, presidentes de sínodos, secretários sinodais, presbiteriais e conselheiros que acompanharam suas delegações. Abrilhantaram nosso encontro as irmãs Eunice Souza da Silva, secretária geral do Trabalho Feminino, e Eloísa Helena C. Monteiro Alves, secretária executiva da CNSAFs. APERFEIÇOANDO PARA SERVIR MELHOR A proposta da CNSAFs para os encontros regionais é oferecer treinamentos para que as mulheres possam se aperfeiçoar e servir melhor no trabalho do Senhor por meio da SAF. Foram ministrados neste primeiro encontro os seguintes treinamentos: Estrutura da IPB e a SAF dentro desta Estrutura, com Zilá Soares Ribeiro; Departamental com criatividade, com Delza Resende de Castro Chagas; Regras Parlamentares, com Eloísa Helena C. Monteiro Alves, e Secretaria Executiva, com Anívia Soares Cardoso. Foram ainda ministradas as palestras Sócia da SAF: aprendendo a ser sócia, por Eunice S. da Silva; Liderança: uma nova visão para um

novo momento, com Eloísa Helena C. Monteiro Alves; e as oficinas Artesanato em palha, levada pela Sinodal Triângulo Mineiro; Tear, pelas Sinodais Brasília e Taguatinga; Biscuit, pela Sinodal Brasil Central; Sabão Líquido, pela Sinodal Araguaia Tocantins; Reciclagem, pela Sinodal Mato

e o sabão feito na oficina foi doado para esta instituição. Algumas irmãs a visitaram. Todas as sinodais realizaram as tarefas propostas para o encontro com muito carinho, atenção e dedicação, inclusive o bazar montado com peças artesanais feitas pelas irmãs, que foi um sucesso. No culto de encerramento, tivemos a participação do cantor Paulo Gomes, de Davi Lucena, de onze anos, e sua harpa, e a mensagem entregue por Eunice Souza da Silva, secretária geral do Trabalho Feminino. Foram dias de bênçãos, aprendizado e crescimento espiritual para todos que ali estiveram. O trabalho feminino da IPB, Região Centro Oeste, agradece o apoio recebido da CNSAFs, Supremo Concílio, Divulgação

Presidentes das sinodais da Região Centro Oeste

Grosso do Sul, e o Projeto Amiga, trabalho com mulheres da Terceira Idade, pela Sinodal Triângulo Mineiro. Na Noite Cultural, tivemos a participação emocionante do coral das crianças e adolescentes do Instituto Cristão Evangélico de Goiás. Foi levantada uma oferta de amor

sínodos, presbitérios, igrejas e irmãos que dispuseram em ajudar como patrocinadores, intercessores e cooperadores para que este encontro se realizasse. Edicelia Tomaz Carneiro é vice-presidente da CNSAFs da Região Centro Oeste, que conta com nove sinodais, 36 federações, 307 SAFs e 6566 sócias.


Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

11

Atualidade

Lei da Homofobia e aborto: manifestação da IPB Roberto Brasileiro

N

a qualidade de Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil, diante do momento atual em que as forças organizadas da sociedade manifestam sua preocupação com a possibilidade da aprovação de leis que venham labutar contra a santidade da vida e a cercear a liberdade constitucional de expressão das igrejas brasileiras de todas as orientações, venho a público me MANIFESTAR quanto à prática do aborto e a criminalização da homofobia. I – Quanto à prática do aborto, a Igreja Presbiteriana do Brasil reconhece que muitos problemas são causados pela prática clandestina de abortos, causando a morte de muitas mulheres jovens e adultas. Todavia, entende que a legalização do aborto não solucionará o problema, pois o mesmo é causado basicamente pela falta de educação adequada na área sexual, a exploração do turismo sexual, a falta de controle da natalidade, a banalização da vida, a decadência dos valores morais e a desvalorização do casamento e da família. Visto que: (1) Deus é o Criador de todas as coisas e, como tal, somente Ele tem direito sobre as nossas vidas; (2) ao ser formado o

Furtuoso Teles de Sousa

ovo (novo ser), este já está com todos os caracteres de um ser humano e que existem diferenças marcantes entre a mulher e o feto; (3) os direitos da mulher não podem ser exercidos em detrimento dos direitos do novo ser; (4) o nascituro tem direitos assegurados pela Lei Civil brasileira e sua morte não irá corrigir os males já causados no estupro e nem solucionará a maternidade ilegítima. Por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Rev. Roberto Brasileiro, presidente do Supremo Presbiteriana do Brasil Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a legalização do aborto, com ais para todos os cidadãos liberdades, a liberdade de exceção do aborto terapêu- brasileiros; (2) as medidas consciência, mantendo o tico, quando não houver legais que surgiram visan- Estado eqüidistante das outro meio de salvar a vida do beneficiar homossexu- manifestações cúlticas em ais, como o reconhecimen- todas as culturas e expresda gestante. II – Quanto à chamada to da sua união estável, sões religiosas do nosso Lei da Homofobia, que a adoção por homossexu- País; (5) as Escrituras parte do princípio que ais, o direito patrimonial Sagradas, sobre as quais toda manifestação con- e a previsão de benefícios a Igreja Presbiteriana do trária à homossexualida- por parte do INSS foram Brasil firma suas crenças e de é homofóbica e carac- tomadas buscando resolver práticas, ensinam que Deus teriza como crime essas casos concretos sem, con- criou a humanidade com manifestações, a Igreja tudo, observar o interesse uma diferenciação sexual Presbiteriana do Brasil público, o bem comum e (homem e mulher) e com repudia a caracterização da a legislação pátria vigente; propósitos heterossexuais expressão do ensino bíbli- (3) a liberdade religiosa específicos que envolvem co sobre a homossexuali- assegura a todo cidadão o casamento, a unidade dade como sendo homo- brasileiro a exposição de sexual e a procriação; e fobia, ao mesmo tempo sua fé sem a interferência que Jesus Cristo ratifiem que repudia qualquer do Estado, sendo a este cou esse entendimento ao forma de violência contra vedada a interferência nas dizer, “(...). desde o princío ser humano criado à ima- formas de culto, na sub- pio da criação, Deus os fez gem de Deus, o que inclui venção de quaisquer cultos homem e mulher” (Marcos homossexuais e quaisquer e ainda na própria opção 10.6); e que os apóstopela inexistência de fé e los de Cristo entendiam outros cidadãos. Visto que: (1) a promulga- culto; (4) a liberdade de que a prática homossexual ção da nossa Carta Magna, expressão, como direi- era pecaminosa e contráem 1988, já previa direi- to individual e coletivo, ria aos planos originais de tos e garantias individu- corrobora com a mãe das Deus (Romanos 1.24-27; 1

Coríntios 6.9-11). Ante ao exposto, por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTASE contra a aprovação da chamada Lei da Homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática da homossexualidade não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas as orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais. Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil não pode abrir mão do seu legítimo direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo. Patrocínio, Minas Gerais, abril de 2007 AD. Rev. Roberto Brasileiro Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil


12

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Divulgação

Aniversários

IP de Heliópolis, Garanhuns (PE)

IP de Açucena (MG) 50 anos

50 anos

Por rev. Alessandro Alfredo de Oliveira

Por Rev. Samuel Vitorino (adaptado do boletim escrito pelo Rev. José Ernando) Divulgação

No dia 31 de março de 1957, aconteceu a Cessão de Organização da IP de Heliópolis, presidida pelo rev. Aureliano Gonçalves Guerra. Na ocasião foram eleitos os oficiais - presbíteros: Besaliel Fausto Botelho, Odilon Cassimiro de Barros e Pedro Cipriano Filho, e diáconos: Paulo Braga, Pedro Gomes dos Santos, Juracy Rodrigues Vilela e Enedino Agápito da Rocha. Naquele dia, foi dada posse à diretoria dos seguintes departamentos: Soldadinhos da Verdade, União de Moços Presbiterianos (UMP) e Sociedade Auxiliadora Feminina (SAF). O rev. Jayme Pinheiro era o pastor dirigente da então Congregação de Heliópolis. O presb. Manuel Cipriano usou da palavra, fazendo registro das dificuldades do início do trabalho, mencionando vários nomes que se destacaram pelo esforço e compromisso na plantação da igreja. Foi homenageada a sra. Júlia Taylor (viúva do rev. George Taylor, ex. diretor do Colégio Presbiteriano XV de Novembro), que, com grande desprendimento, se doava ao trabalho cristão. Feitas as formalidades, foi entregue a igreja ao seu primeiro pastor, rev. Jayme Pinheiro, que ministrou a Ceia do Senhor naquela tarde. O atual pastor efetivo é o rev. Samuel Vitorino. Louvamos a Deus pela vida e ministério desses irmãos e a todos que, com muita fidelidade a Deus e a Sua causa, cooperaram e continuam cooperando, presenciando o cumprimento das palavras de Jesus“ (...) e as portas do inferno jamais prevalecerão contra a Igreja” (Mt. 16: 18). Soli Deo Glória

O primeiro crente convertido nas proximidades da cidade de Açucena (MG) foi Rafael Ferreira Neto, que freqüentava os cultos na casa do Inhô-Juca, conhecida pelo nome de Vista Alegre, e então congregação presbiteriana, dirigida pelo rev. Apolinário Sathler. A primeira visita pastoral realizada pelo reverendo em Açucena, na casa de Rafael Ferreira Neto, foi em novembro de 1937, ano das primeiras profissões de fé, inclusive a do sr. Rafael e de seu amigo, Agostinho Dias de Oliveira, um grande sustentador da igreja. A Congregação Presbiteriana de Açucena foi organizada no dia 19 de novembro de 1937, na casa do irmão Rafael, com 11 alunos matriculados na Escola Dominical. A primeira aula aconteceu no dia 26 de novembro de 1939, na sede da congregação, a dois quilômetros. A organização da igreja ocorreu no dia 18 de maio de 1957, dirigida pelo Presbitério Rio Doce (MG). O total de membros arrolados na época contava com 147 maiores e 129 menores, compreendendo as congregações de Coronel Fabriciano, Acesita, Naque, Vista Alegre, Periquito, Felicina e a sede, em Açucena. A IPB de Açucena é a mãe das igrejas do Vale do Aço. Passaram-se 50 anos e ela continua firme nas promessas de Deus cumprindo sua grande comissão na cidade e na zona rural, com o trabalho desempenhado pelos pontos de pregação e congregações. Muitos irmãos estão desenvolvendo seus dons e talentos em nome desse trabalho. O rev. José João, professor do Seminário em Belo Horizonte e representante da Agência Presbiteirana de Missões Transculturais, estará presente na igreja nos dias 12 e 13 de maio e pregará sobre Missões. No dia 19 de maio, haverá um culto de gratidão a Deus em praça pública, com a participação do Presbitérios do Vale do Aço e, nos dias 26 e 27, o irmão Francisco Ernesto Eller falará sobre O coração do homem no século 21.

Primeira IP em Anchieta (RJ) 71 anos

Por Estelita Dias da Silva No dia 8 de fevereiro, a Primeira IP em Anchieta (RJ) celebrou seus 71 anos com o tema Abençoando vidas para a glória de Deus. No culto de ação de graças, dirigido pelo rev. Carlos Anteberg, estiveram presentes o pastor Reinaldo dos Santos, ministrando a palavra, da igreja Batista Memorial em Realengo (RJ), e o coral Isaías dos Santos, da igreja local. A igreja foi fundada em 8 de fevereiro de 1936, fruto do esforço cristão da IP do Rio de Janeiro, oriunda de trabalhos na residência do irmão Olympio Costa, sob a direção do rev. Álvaro E. G. dos Reis. Atualmente, mantém a Escola Dominical, diversos departamentos e grupos com intuito de edificação do corpo de Cristo. O departamento infantil faz cultos específicos para as crianças, o departamento de jovens criou recentemente um coral, que tem sido uma benção para a igreja, e o departamento das senhoras possui trabalhos diversificados que têm fortalecido e assessorado outros departamentos. Os homens têm se destacado num trabalho social realizado anualmente em agosto, nas dependências da igreja, o Dia da Ação Social, quando várias pessoas da comunidade são atendidas nas suas necessidades. São oferecidas orientações quanto à saúde e higiene pessoal e encaminhamento para aquisição de documentos indispensáveis. O ministério de oração se reúne às terças-feiras, com cultos à tarde e à noite. O objetivo é fortalecer e avivar a igreja, cujo compromisso é evangelizar, cumprir o “Ide” que Jesus ordenou, porque muitos ainda não conhecem o amor de Deus. Divulgação


Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

13

Aniversários

IP de Taubaté (SP)

Jubileu de Ouro Divulgação

Finalmente, no dia 17 de março de 1957, reuniu-se a Comissão Organizadora da Igreja Presbiteriana para organizar a Igreja Presbiteriana de Taubaté. Naquele dia, foi formado o rol de membros, totalizando 44 comungantes, e foi realizada a eleição de três presbíteros e três diáconos. Hoje, a igreja conta com 294 membros comungantes e está sendo construído o novo templo, com as dependências maiores para acolher ainda mais almas para louvar a Deus. “Sim, grandes coisas fez o Senhor por nós, e por isso estamos alegres.” Sl 126.3

IP de Açailândia (MA)

35 anos

Por rev. Marcos Trindade Divulgação

IP de Matelândia (PR) 34 anos

Por Rev. Reginaldo S. Silva No dia 17 de março, foi realizado, na IP de Taubaté (SP) um culto de ação de graças pelos 50 anos de organização eclesiástica. Estiveram presentes na celebração lideranças IPB e autoridades municipais. Durante o culto, houve a participação musical do Coral Jubilai e da equipe de louvor. Na direção do culto, o rev. Samuel Mendes Dutra, pastor auxiliar, conduziu os momentos litúrgicos. Ministrou a Palavra o rev. Cláudio Correia dos Reis, pastor eleito da igreja. Após o culto, todos se dirigiram para o Clube Abaeté. Lá, foram homenageados os ex-pastores, presbíteros e ex-presbíteros. Destacaram-se a presença de quatro membros fundadores: Verleine Azevedo, Luiza Mendes da Silva, diác. Euro de Oliveira Azevedo e Cyria Gomes Azevedo. Na ocasião, o prof. Caleb Soares lançou o livro Os Bandeirantes da Reforma, que conta a história da chegada do presbiterianismo no Vale do Paraíba e em Taubaté. No dia 18 de março, a igreja contou também com a pregação do rev. Norberto Santandréa. Depois de duas tentativas para estabelecer o trabalho presbiteriano em Taubaté, em 1951 e 1952, a Congregação Presbiteriana de Jambeiro deixou para que o referido trabalho fosse estabelecido em tempo oportuno, o que foi feito no dia 22 de dezembro de 1953, pelo rev. Rubem Alberto de Souza, pastor do campo do Vale do Paraíba (SP). Começou com um culto na casa do irmão Josué de Almeida e Silva e contou com a presença de famílias presbiterianas que freqüentavam a Igreja Metodista local. No domingo seguinte, já foi criada a primeira Escola Dominical. Desde então, todos os membros que iam unindo-se ao grupo dos presbiterianos de Taubaté eram arrolados na congregação e, depois, na IP de São José dos Campos (SP). No dia 25 de fevereiro de 1956, o Presbitério de São Paulo determinou que os membros da Congregação Presbiteriana de Taubaté, filiada à IP de São José dos Campos, fossem organizados em congregação do presbitério.

Em 1956, houve por bem o Presbitério de Curitiba enviar um pastor missionário para a região Oeste do Paraná. A escolha caiu sobre o rev. Martinho Rickli, que fixou morada em Cascavel. As casas dos irmãos Elmuth e Erick Reese, no local denominado Bananal, eram os pontos de reunião e pregação do missionário. Enfim, no dia 18 de março de 1973, a congregação de Matelândia foi organizada em igreja, cabendo o pastorado ao rev. Isauro Carriel. Hoje, a igreja tem como seu pastor o rev. Reginaldo Silva, que a dirige há quatro anos. A IP de Matelândia tem duas congregações e seu pastor é membro da Cerima (Comissão de Ensino Religioso Interconfissional de Matelândia), no qual atua com duas professoras nas Escolas Municipais. Desenvolve também trabalhos evangelizadores na penitenciária da cidade e na de Foz do Iguaçu, visando à ressocialização dos internos por meio de seu trabalho de ação social, Projeto Vivendo em Família (ver página 8). São 34 anos de abundantes bênçãos de Deus e, nas comemorações desse aniversário, foi abordado o tema Educação de Pais e Filhos, com rev. Manfred Ernst Schwalb e sua esposa Val. No dia 17 de março, foram abordados os seguintes temas: O mandato do Pai: responsabilidade na formação do lar e Formação do caráter; Honra, honestidade e respeito. Já no dia 18, foi abordado o tema Encorajamento, Obediência e Disciplina. Divulgação

A IP de Açailândia (MA) completou, no dia 5 de março, 35 anos. Ministrou a palavra de Deus o rev. José Roberto da Rocha, pastor da IP de Caxias (MA). Foi uma festa maravilhosa, que contou com a participação do ministério de louvor da igreja local, uma benção para a glória de Deus pai. A igreja, atualmente, é dirigida pelo rev. Marcos Trindade.

Primeira IP do Riacho Fundo Dois (DF) Quatro anos

Por rev. Philipe Ferreira Xavier da Silva Divulgação

(E) Rev. Philipe, presb. Vanilson, rev. Adail, presb. Benjamin, rev. Elioenai e presb. Saulo De 30 de março a 1º de abril, a Primeira IP do Riacho Fundo Dois, em Brasília (DF), comemorou seu quarto ano de organização eclesiástica. Na ocasião, pregaram a Palavra o presidente do sínodo de Taguatinga, rev. Elioenai Bandeira, o pastor da IP de Brasília, rev. Adail Sandoval, e o pastor da IP de Brazilândia, rev. Euclides Ferreira. Foram três dias inesquecíveis. O coral da igreja fez sua apresentação inaugural. Vários irmãos cantores entoaram um louvor sincero e envolvente. Atualmente, a Primeira IP do Riacho Fundo Dois é pastoreada pelo rev. Philipe Ferreira Xavier da Silva.


14

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Missões Transculturais

Rev. Ignácio Minchón Garcia reforça trabalho presbiteriano na Espanha

Primeiro pastor espanhol fruto do trabalho da APMT Caroline Santana Pereira

O

despertadas para o ‘Ide’ do Senhor Jesus”. Questionado sobre as expectativas da Mesa em relação à obra na Espanha, principalmente após a ordenação do rev. Igancio, o rev. Everton explica que, nos últimos quatro anos, a liderança precisou fazer várias reformas internas, como a mudança de seu estatuto fren-

primeiro pastor presbiteriano fruto do trabalho evangelizador na Espanha feito pela Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT) é o rev. Ignácio Minchón Garcia, da Igreja Presbiteriana de Huelva, onde também ocupou o cargo de presbítero. No dia 14 de janeiro, a Mesa Representativa da Igreja Presbiteriana da Espanha reuniu-se para a ordenação ao sagrado ministério do novo pastor. A cerimônia contou com a participação de membros da igreja, dos demais missionários presbiterianos atuantes naquele país e suas respectivas famílias, pastores da Igreja Evangélica Batista e representantes da Igreja Presbiteriana Filadélfia em Sorocaba (SP). Para o rev. Everton Pita Rev. Ignácio e família Tavares, secretário da Mesa Representativa da IP da te ao Ministério da Justiça Espanha, esse é um momen- Espanhol, filiação à FEREDE to muito especial para a lide- (Federação das Entidades rança e para a igreja. “Todos Religiosas da Espanha) os missionários da AMPT- e ao CEAA (Conselho IPB que atualmente estão Evangélico Autonômico de na Espanha têm uma admi- Andalucía), aprovação do ração tamanha pelo pastor Regimento Interno da Mesa Ignácio, considerando sua Representativa, registro maneira gentil e bíblica dos pastores e dos locais de tratar a obra do Senhor, de culto de Sevilla e Don levando-a com seriedade Benito junto ao Ministério e empenho, além de vê-lo de Justiça Espanhol, bem como um homem de Deus como uma reestruturação na que se preocupa com o bem- diretoria. estar das ovelhas e com a Atualmente, as principais excelência do preparo do metas dos pastores são: alimento espiritual, a fim de fortalecimento das igrejas que elas sejam fortalecidas e em Don Benito, Huelva e

Sevilla, o desenvolvimento dos projetos já implantados nas diversas áreas de atuação, como social e espiritual, e o avanço da obra para outras regiões do país, a fim de seguir ganhando vidas para Cristo. O rev. Ignácio será o pastor auxiliar na Igreja Presbiteriana de Huelva, ao lado do rev. Walter Pereira

eu conhecia os diferentes missionários que passaram pela IP de Huelva, mais o meu desejo se intensificava. Tudo foi concretizado pela vontade de Deus. BP: Como foi o seu período de estudos e preparação? Rev. Ignácio: Os estudos no seminário foram bastante intensos, numa linha teológica reformada e muito Divulgação

Pinheiro, recém-chegado à Espanha e com o propósito inicial de fortalecer o trabalho local e apoiar o novo pastor em seus primeiros passos ministeriais. ENTREVISTA COM REV. IGNÁCIO GARCIA BP: Como o senhor sentiu o chamado para dedicarse ao Sagrado Ministério Pastoral? Rev. Ignácio: Senti o chamado para o ministério em meus primeiros passos de convertido e, à medida que o tempo passava, aumentava esse desejo. Quanto mais

exigente em seu conteúdo. Podemos dizer que é um dos poucos seminários teológicos reconhecidos como Universidade junto ao governo espanhol. Louvo a Deus pelo seminário e pela obra que desenvolve em favor dos crentes da Espanha. Meu tempo de preparo foi na IP de Huelva, onde tive o privilégio de colaborar como seminarista, realizando pregações, visitas, discipulados etc. Creio que foi um tempo muito produtivo para o meu preparo ministerial e quero ressaltar que, em todo esse tempo, sempre contei com

a assessoria de um pastor tutor que me ajudou em todo período de preparação. BP: Quais são os seus principais planos nesse novo trabalho? Rev. Ignácio: Minha expectativa é me fortalecer no aprendizado pastoral, pois estou apenas começando e me falta experiência. Meu principal objetivo é caminhar com um pastor mais experiente, a fim de aprender a me desenvolver com soltura no ministério. BP: Como o senhor avalia a situação espiritual do povo espanhol? Quais são os principais desafios da obra evangelizadora e missionária na Espanha? Rev. Ignácio: Como primeiro pastor nacional da IP da Espanha, vejo, na minha humilde perspectiva, a grande necessidade espiritual desse velho continente e a urgência da obra missionária, pois as pessoas atualmente vivem sem querer saber nada sobre Deus, arraigadas ao modernismo que está levando esse país a esquecer que há uma necessidade urgente de buscar a Deus. Esse modernismo está colocando na mente dos jovens que Deus é uma lenda de história ilustrada e chegou até nossos dias como um legado. Creio que o grande desafio, hoje, considerando o contexto em que vivemos, está relacionado mais aos setores desfavorecidos da sociedade, nos quais há uma atitude mais humilde e mais receptiva para ouvir as boas novas de salvação.


Brasil PRESBITERIANO História

Maio de 2007

15

SAF e UPH mostram seus acervos

Museu presbiteriano inaugura nova exposição N

o dia 11 de abril, às 15h, um culto de ação de graças aconteceu no Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas (SP), pela abertura de mais uma exposição no Museu Presbiteriano Rev. Julio Andrade Ferreira. Segundo Flavia S.S. Cárdia, que trabalha no museu, o tema da exposição, que deverá ficar à disposição do público por três meses, é Forças de Integração, com uma amostra do acervo das sociedades SAF e UPH, demonstrando a importância destas na história da IPB. Após o culto, os presentes foram conduzidos ao museu a fim de conhecer a mostra. “Muitos homens e mulheres do passado, com seus feitos, nos ajudaram a descobrir o senso da realidade das coisas, isto é, nos ajudam a acordar para a vida. Nos despertaram da nossa apatia para a realidade de Deus e da vida. Com recursos ínfimos, fizeram tanto, somente

para deixar provas históricas de que Deus usa coisas loucas deste mundo para confundir as sábias e os que não são para tornar patente que o poder pertence ao Senhor”, declarou o curador dos museus da IPB e secretário executivo do Supremo Concílio, rev. Ludgero Bonilha Morais. Ele instou os presentes a entrarem no museu com reverência e a manter na memória quem e o que fizeram para legar tal patrimônio. “Tenho por certo de que a verdade jamais muda. A nota ‘dó’ é a mesma aqui ou em qualquer outra parte, hoje e sempre. É disso que estamos aqui envoltos: daqueles que nos deixaram seus testemunhos e, mesmo depois de mortos, falam. Não desprezemos a herança, os louvores do Senhor e as maravilhas que fez, mas deixemos este legado às vindouras gerações”. Para o presb. Júlio Prates, secretário de Imprensa da Confederação

Júlio Prates

Rev. Alderi fala no culto de abertura da exposição. Ao lado, o rev. Ludgero Bonilha de Morais e o rev. Silas Luiz de Souza Nacional de Homens Presbiterianos, é um resgate da memória das sociedades internas da IPB: “Temos agora a certeza que nossa memória não ficará perdida”, disse. Estiveram também presentes no evento o historiador oficial da

denominação, rev. Alderi Souza de Matos, o historiador e professor do SPS, rev. Silas Luiz de Souza, o diretor do seminário, rev. Adão Carlos Nascimento e o responsável pelo Arquivo Histórico, rev. Enos Moura. “Estiveram também outros

convidados de igual importância perante Deus, o que muito nos alegrou. Todo o evento contou com o número aproximado de 60 pessoas, expressivo para uma tarde de quarta-feira”, afirmou Flavia. Representando a SAF, estiveram, entre outras, a curadora do museu do Trabalho Feminino da IPB, Alzira Helena V. Ferreira, a presidente da Confederação Nacional de SAFs, Anita Eloisa Chagas, e a secretária geral do Trabalho Feminino, Eunice Silva. Representando a UPH, estiveram, entre outros, o presidente da Confederação Nacional de UPHs, presb. Paulo Roberto S. Daflon, bem como alguns presidentes de sínodos e federações. A exposição está aberta à visitação de segunda à quinta-feira, das 13h às 16h30. Para outros horários, será necessário um agendamento prévio pelo telefone (19) 32413539, com Flavia.


16

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Missões Nacionais

Pregando a palavra na Amazônia Por rev. Paulo César Belan

A

1.200 quilômetros de Manaus, no extremo oeste amazônico, está localizada a cidade de Tabatinga, com 45 mil habitantes, fazendo fronteira com a Colômbia e o Peru. É uma porta de entrada para o narcotráfico colombiano, um autêntico corredor por onde escoa a maconha, a famosa “pasta branca”. A cidade já foi mais violenta e dizia-se de lá que “mata-se um pela manhã e deixa o próximo pendurado para matar a tarde”. A cada semana há, pelo menos, uma morte, o famoso “acerto de contas”. Quem não se envolve em tais práticas está fora da lista de morte. Com a presença das forças militares e auxiliares, a situação está bem melhor, porém

ainda deficiente. Com um alto índice de promiscuidade, alcoolismo e dependência exarcebada do uso de drogas, a igreja do Senhor Jesus tem feito diferença nesta região. Caso os eleitos fossem tirados desse local, a cidade submergiria. A Junta de Missões Nacionais (JMN), em parceria com o PRAM (Presbitério do Amazonas) enviou o casal rev. Paulo César e Márcia Belan e os filhos Mariana, Juliane e Felipe, em janeiro de 2004, para a plantação da Igreja Presbiteriana em Tabatinga, um lindo templo. O velho sonho do amigo e irmão presb. Dirceu Cersócimo, ex- presidente da JMN por mais de 18 anos, e de tantos outros, em ver uma igreja presbiteriana plantada em Tabatinga, agora é real.

Divulgação

(E) O prefeito de Tabatinga, Joel Santos, o deputado federal Ciro Gomes e a esposa, a atriz Patrícia Pilar, o rev. Paulo Belan e a filha, Mariana, por ocasião de um casamento coletivo para 500 casais da cidade, com distribuição de Bíblias Com 45 membros comungantes, 50 não-comungantes, 75

alunos matriculados na Escola Dominical e a presença de 80

irmãos nos cultos ao Senhor, decolamos para a solidificação do presbiterianismo na região do Alto Solimões. Além da JMN e do PRAM, Deus levantou alguns parceiros amigos para a execução deste projeto: Primeira IP de Rio Claro (SP), IP do Centenário de Rio Claro (SP), IP de Vila Pompéia (SP), IP do Guará Dois (DF), Primeira IP de Nilópolis (RJ), IP de Manaus (AM) e o Presbitério do Planalto (DF), que cedeu o rev. Paulo Belan, além de tantos outros irmãos e amigos que têm orado por esse campo missionário. A Deus, que nos capacita a desenvolver essa missão, seja dada toda glória.

Evangelização no interior do Pará “E, quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé” (Atos 14.27). Divulgação

Por rev. Lázaro Vanderlei Fernandes A primeira ação missionária desenvolvida pelo rev. Lázaro Fernandes em Oriximiná (PA), foi numa campanha de saúde para vacinação da população. Enquanto a equipe aplicava os medicamentos, o pastor proferia palestras para os pais e alunos sobre meio ambiente. O trabalho cresceu e hoje está solidificado, contando com Escola Bíblica Dominical, culto vespertino, reunião de oração e estudos bíblicos. Muitas são as ações promovidas nessa missão, como as devocionais feitas nos lares de famílias conhecidas através do trabalho de capelania evangélica desenvolvido no Hospital Municipal. Pacientes e seus acompanhantes solicitam apoio espiritual e acompanhamento, mesmo após suas saídas daquele ambiente. A evangelização também é feita de casa em casa e nas ruas

Crianças atendidas pelo campo missionário em Oriximiná da cidade. Utiliza-se até mesmo um alto-falante, que dissemina o som num raio de 500 metros. São distribuídos folhetos com mensagens bíblicas e Os Cinco Pontos do Calvinismo, pequeno estudo dirigido com trechos das Escrituras, com vistas a alicerçar as almas nas verdades bíblicas da Salvação. As pessoas são convidadas a ler a Bíblia Sagrada e meditar nela. Outro trabalho desempenhado é o encaminhamento de pessoas para um Centro de Recuperação

de Drogas, localizado em Macapá (PA). Todos são acompanhados nesse processo de recuperação. Espera-se confiantemente no Senhor pois, no devido tempo, Ele levantará homens e mulheres que estejam livres para cooperar nos trabalhos do Campo Missionário de Oriximiná, em plena Amazônia Legal. Que todos orem e busquem juntos a orientação de Deus para a implantação da Igreja Presbiteriana em Oriximiná.


Brasil PRESBITERIANO Saúde

Maio de 2007

17

Presbitério Leste Sorocabano visita obras que serão inauguradas neste mês

Hospital Evangélico inaugura Centro de atendimento à mulher Tânia Franco, em colaboração para o BP

M

embros da Comissão Executiva do Presbitério Leste Sorocabano (PRLS) visitaram, na semana passada, as obras de construção do novo prédio do Hospital Evangélico em Sorocaba (SP). Acompanhados pelo engenheiro responsável, Azor do Prado Ferreira, conheceram as futuras instalações do Centro de Atendimento à Saúde da Mulher, que deverá ser inaugurado neste mês. Quando entrar em funcionamento, o centro oferecerá quarenta leitos e atenderá pelo convênio com o SUS,

via parceria com a prefeitura de Sorocaba. Após instalada, a maternidade deverá realizar até 150 partos por mês. Além da maternidade, o local contará, também, com um ambulatório e vai auxiliar no excesso de procura dos serviços prestados nos Centros de Saúde e na Policlínica Municipal. O Presbitério Leste Sorocabano firmou parceria com a instituição e designou um capelão para os serviços eclesiásticos do hospital, em tempo integral. Os visitantes conheceram os dois andares onde funcionarão o centro obstétrico, com salas de exames de pré-parto e a ala de internações. Tecnicamente, Azor Ferreira, explicou sobre

Tânia Franco

O engenheiro Azor Ferreira, a frente, fala sobre o andamento das obras do novo prédio do Hospital Evangélico a membros do Presbitério Leste Sorocabano

a qualidade dos materiais que estão sendo usados no acabamento e detalhou a segurança da área cirúrgica que, entre outras coisas, contará com um sistema de captura de partícu-

las que manterá o ar totalmente limpo no local. Mais de R$ 3 milhões serão investidos no centro, recurso proveniente de campanhas de doação por meio do Programa

Amigo Contribuinte e da destinação de verbas públicas, por meio de emendas parlamentares. A prefeitura de Sorocaba, por convênio, já repassou R$ 1,5 milhão. Para equipar a unidade ainda serão necessários aproximadamente R$ 350 mil. Participaram da visita o presidente do presbitério, rev. Luiz Henrique Sobrinho; o vice-presidente, Gustavo Sant´Anna da Cunha; o secretário executivo, Wagner Santos, o primeiro e segundo secretários, reverendo Hélio Ribeiro de Queiroz e presbítero Miguel Fernandes Ribeiro, respectivamente, e o tesoureiro do PRLS, Jurandyr Vieira Cardoso.


18

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Literatura

A verdade da prática: A teoria e a prática da aplicação bíblica Valdeci da Silva Santos

U

ma aplicação prática do sermão tem sido, nos últimos anos, um elemento em extinção em grande parte das mensagens proclamadas nos púlpitos protestantes. Há aqueles que pensam que ela consiste apenas de um rápido resumo daquilo que foi dito. Outros a reduzem a uma série de exortações gerais para que o cristão faça o bem, leia a Bíblia e seja um bom dizimista. Ainda há também aqueles que apresentam uma justificativa teológica, dizendo que essa tarefa pertence ao Espírito Santo. O fato, porém, é que poucos pastores conseguem estabelecer a conexão entre o conteúdo do sermão e sua utilidade prática para os membros da congregação. No livro A verdade da prática: A teoria e a prática da aplicação bíblica (São Paulo: Cultura Cristã), Daniel Doriani, professor de Novo Testamento do Covenant Seminary, encarrega-se da importante tarefa de despertar os pregadores para a necessidade de uma maior interação entre eles e o seu público mediante à aplicação da mensagem. É uma obra que oferece grande contribuição ao preparo do pregador, ao estudo e à pregação do texto bíblico. Pode livrar o pregador de cometer dois terríveis crimes no ato da pregação: dizer algo contrário ao texto, e assim pregar uma heresia, e dizer aquilo que o texto diz, mas de uma maneira totalmente

desinteressante e descontextualizada para com o seu público. USO CORRETO DO MÉTODO EXEGÉTICO A relevância da abordagem de Doriani é apresentada logo na introdução de sua obra, quando ele destaca a escassez de literatura sobre este assunto (pp. 7-9). Além do mais, o autor confessa que, no início do seu ministério, ele tinha muitos métodos para interpretar a Bíblia, mas nenhum para aplicála. Doriani ainda observa que, de forma geral, as discussões sobre hermenêutica bíblica têm “dado certa direção quanto ao modo de elucidar o que o diz o texto – em seu significado original e significância para os leitores originais.” Contudo, ele entende que essas discussões pouco fazem no sentido de dizer o que o texto diz para o homem contemporâneo (p. 13). Diferente do que muitos imaginariam, Doriani não propõe um novo método para aplicação, mas apenas um uso mais correto do método exegético histórico-gramatical. Segundo ele, “as aplicações válidas para públicos contemporâneos correspondem às aplicações que os autores tencionavam para os seus leitores originais” (p. 10). Dessa forma, o seu “modelo geral de aplicação” gira em torno de três elementos básicos: o texto, o intérprete e o ouvinte. Todavia, cada um desses participa de um processo de contínua interação (p. 19). Esse livro é repleto de con-

Capa

ceitos interessantes e práticos. Um dos mais úteis é a análise do autor sobre as três teorias de interpretação e aplicação, no primeiro capítulo. A primeira, é que a aplicação é uma atividade completamente divorciada da exegese. A segunda, é que o significado do texto encontra-se em sua aplicação. Neste sentido, o exegeta deve sempre começar com a relevância da passagem e sua convicção sobre como esse ponto guia a sua interpretação (o resultado pode até ser uma alegoria ou o uso do texto como um pretexto por parte do pregador). A terceira teoria é a da interdependência, ou seja, a interpretação e a aplica-

ção são mutuamente dependentes e uma impulsiona a outra. Uma boa aplicação será resultante de uma exegese correta e, ao mesmo tempo, motivará a mesma. Essa interdependência entre interpretação e aplicação é claramente apresentada no ministério de Jesus e de seus apóstolos. DIÁLOGO Outro aspecto digno de nota é a sugestão do autor acerca da apresentação da mensagem em forma de diálogo entre o pregador e o seu auditório. Dessa forma, o pregador motiva o seus ouvintes a anteciparem os argumentos e conclusões extraídos da própria passagem bíblica. Se for bem-

sucedido em fazer com que os seus ouvintes participem de sua exposição, o pregador poderá levá-los à entender, mais facilmente, a relevância da sua mensagem para a vida deles. Há que se observar ainda as ênfases do autor quanto ao fato de que a instrução doutrinária já é, em si, o ponto inicial para a aplicação. Também insiste no fato de que doutrina e ética não se encontram divorciados e nem são fatores antagônicos como alguns argumentam (“doutrina divide, mas o amor edifica”!). Finalmente, a análise do autor sobre as fontes de aplicação encontradas na própria Bíblia serve para motivar o pregador e estudar mais profundamente o texto bíblico e analisar melhor a sua congregação. Todavia, o leitor desse livro deve ser advertido contra a expectativa de que seu mero estudo irá concederlhe habilidades excepcionais na arte da aplicação. Em primeiro lugar, essa não é nem uma promessa e nem uma proposta do autor. O que ele se propõe a fazer é auxiliar aqueles que desejam melhorar nessa área. Em segundo lugar, a obra de Doriani, ainda que útil, não é a palavra final sobre esse assunto. O próprio autor reconhece a necessidade de mais estudos na área e desenvolvimentos necessários sobre esse importante tema. Valdeci da Silva Santos é coordenador do Doutorado em Ministério do Centro Presbiteriano de Pós-graduação Andrew Jumper e pastor da Igreja Evangélica Suíça.


Brasil PRESBITERIANO Editora Sinodal 1927 • 2007

Há 80 anos uma referência em Teologia

Mais Vendidos

anos a serviço da Palavra ÃO

MEDIT

Maio de 2007

A

BÍBLICA

OLOGI TE

P

COLOG

IA

SI

IDADE

ATU

AL

AFIA GR

BIO

ÓRIA IST

IGRE

JA

DA

H

Onde comprar? Adquira esses e outros produtos Sinodal nas livrarias em todo o Brasil

Ligue e consulte as condições especiais para grandes quantidades

e e d o r es d Re buid i str Di

Caixa Postal 11 – 93001-970 São Leopoldo/RS

(51) 3590.2366 www.editorasinodal.com.br pedidos@editorasinodal.com.br

19


20

Brasil PRESBITERIANO

Maio de 2007

Plano de Saúde

Comissão de Previdência, Saúde e Seguridade da IPB esclarecem a denominação

IPB e Unimed Barra do Piraí assinam acordo Furtuoso Teles de Sousa

Rev. Antônio de Oliveira Júnior

A

partir deste mês pastores, diáconos e seus dependentes que tenham planos de saúde Unimed obtidos por meio do convênio com a IPB, terão a cobertura do plano Unimed Fácil. Esta modalidade de plano gera uma sinistralidade (total dos gastos com o atendimento de saúde) menor, o que resulta numa mensalidade também reduzida. A diferença para um plano não participativo (como também é chamado) é que

o cliente paga uma pequena taxa toda vez que o utiliza. Há taxas para consulta (R$ 12), quatro níveis de exames (de R$ 5,33 a R$ 48) e internação (R$ 50,00) – este último, caso o cliente não pague nenhuma outra taxa durante todo o período que permanecer internado. “Apesar de haver essa participação do cliente, o custo do plano como um todo é bastante reduzido, pois evita a má utilização e as fraudes, uma vez que o cliente fiscaliza se o que está pagando foi realmente realizado”, afirma o dr. Gilson de Souza Lima, pre-

sidente da Unimed Barra do Piraí (RJ). Essa mudança visa a oferecer o que há de mais moderno em administração de planos de saúde e também melhorar a negociação entre a IPB e a Unimed. Atualmente, existem diversos contratos diferentes, o que dificulta o acompanhamento das despesas e prejudica as negociações de reajuste que ocorrem a cada mês de abril. Por fim, é necessário frisar que o Unimed Fácil é um plano Regulamentado, ou seja, oferece toda a cobertura prevista no rol

de procedimentos da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), órgão do Governo Federal que regulamenta o setor. Muitos dos planos atuais sequer são regulamentados e possuem cobertura limitada para muitos procedimentos. As dúvidas poderão ser esclarecidas com a sra. Elisabeth, no Setor de Cadastro da Unimed Barra do Piraí, pelo telefone (24) 2447-7007. O rev. Antônio de Oliveira Júnior é o relator da CPSS (Comissão de Previdência, Saúde e Seguridade) da IPB

Rev. Antonio de Oliveira Júnior, relator da CPSS

A CPSS, também a título de esclarecimento, informa mais uma vez a decisão da Comissão Executiva do Supremo Concílio sobre o assunto: CE-SC/IPB-2007 – DOC. CCXXXII – Quanto aos documentos plano de saúde UNIMED FÁCIL para pastores, missionários, n 125 e 256 oriundos da Comissão de Previdência, Saúde e evangelistas, presbíteros, diáconos e demais membros da IPB; Seguridade e do Sínodo Sudoeste Paulista referentes ao seu 2. Informar que este novo plano é co-participativo com fatura relatório no que concerne ao plano de saúde e proposta de individual, entretanto as suas mensalidades são menores que mudança de plano de saúde respectivamente. Considerando: as atuais; 3. Conceder o prazo de seis meses para que a CPSS 1. A decisão SC/IPB-2006, Doc. CXII referente ao plano de providencie a migração de todos os participantes ao novo plano saúde; 2. Que a comissão verificou a impossibilidade da maioria e findo o prazo excluir aqueles que não aderiram; 4. Extinguir os das grandes operadoras de planos de saúde com atendimento planos código 2000, 2001, 2002, 2004, 2005 e 2009 fazendo sua nacional de emitirem boletos individuais de pagamento, como inteira migração para o novo plano obrigatoriamente; 5. Manter é o caso da atual; 3. Que dentre as operadoras que aceitam nos moldes atuais o plano código 82 para missionários da APMT, efetivar o mesmo tipo de contrato já existente, exigem que a JMN, CNE e funcionários da IPB e autorizando o reajuste de 3%; IPB se responsabilize pelo pagamento integral das faturas, o 6. Solicitar a CPSS que investigue a participação no plano da IPB que inviabiliza o contrato; 4.Que possivelmente existem par- de pessoas não vinculadas a ela e providencie a sua exclusão; ticipantes recebendo o benefício de estarem no plano UNIMED 7. Normatizar que a partir de agora o missionário que se deslisem ter vínculo real com a IPB ou com órgãos da IPB; 5. Que gar de uma de nossas agências missionárias contempladas no por motivo de contratos não regulamentados sem cobertura plano código 082 terá seis meses para migrar ao plano UNIMED integral alguns beneficiários tem levado a UNIMED à justiça e FÁCIL e conceder dois meses para o funcionário. 8. Determinar com isso a IPB tem sido solidária; 6.Que pesquisa com 15 das que o órgão missionário contemplado no plano 082 comunique melhores operadoras de planos de saúde do país a maioria não imediatamente a CPSS o desligamento de algum obreiro de seus tem interesse neste tipo de contrato de adesão sem vínculo quadros; 9. Apreciar o trabalho acurado e meticuloso da CPSS empregatício. O CE-SC/IPB-2007 RESOLVE: 1. Criar um novo que forneceu ferramentas suficientes para esta decisão.

bp_maio2007  

Região Centro Oeste inaugura encontros da SAF pelo Brasil Cultura Cristã lança livro sobre a aplicabilidade da pregação Órgão Oficial da Igr...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you