Page 1

Brasil

PRESBITERIANO Órgão Oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil

Junho de 007

Rede Presbiteriana de Comunicação

Ano 0 / Nº  - R$ 1,80 vandro Rocha/Folha Imagem

Pernambuco: um desafio para a IPB Secretaria de Missões do Sínodo Central de Pernambuco divulga mapeamento do estado quanto ao alcance do evangelho a fim de promover a visão e a prática missionária da igreja na região

Recife, capital de Pernambuco, cidade em que se concentram 1% das IPBs de todo o estado Págin­as 10 e 11 Divulgação

Divulgação

Divulgação

Pastor da IPB lança obra sobre história da espiritualidade

Festival de Música agita jovens da IPB em Vila Velha

Cidade na Sibéria é novo campo de missionário da APMT

Págin­a 15

Págin­a 16

Págin­a 4




Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Opinião

Seu recado

O papa no Brasil Valdeci da Silva Santos

O

s dias 9 a 14 de maio foram marcados por grandes agitações causadas pela visita do papa Bento 16 ao Brasil. A vinda de Joseph Ratzinger ao maior país católico do mundo teve o propósito de canonizar o primeiro santo brasileiro (Frei Galvão) e dar início à 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, em Aparecida do Norte, SP. Esta visita marcou também a primeira viagem intercontinental de Joseph Ratzinger como papa eleito em 2005. Antes de Bento 16, o único papa que havia visitado o Brasil fôra João Paulo 2º, em 1980, 1991 e 1997. As visitas papais ao Brasil geralmente resultam em grandes comoções por parte da comunidade católica, intensa cobertura pela mídia e uma considerável indiferença por parte dos protestantes. Talvez parte da indiferença protestante deva-se ao fato de que muitos não sabem como responder corretamente a eventos como esse. Em uma época em que se enfatiza o “politicamente correto” e se prega a tolerância religiosa e a aversão ao fundamentalismo, poucos protestantes parecem ainda ter ânimo para demonstrar sua discordância com o catolicismo moderno, mesmo que este ainda

celebre a idolatria (canonização do Frei Galvão e adoração ao próprio papa) e mantenha algumas contradições tão óbvias (Roberto P. de Toledo, em seu artigo à Veja, denunciou que um dos milagres do frei canonizado foi a concepção de uma criança por um casal fora da instituição do matrimônio sagrado – um dos sete pecados capitais, segundo a igreja católica!). Talvez a posição protestante pudesse ser guiada por três princípios. Em primeiro lugar, os protestantes deveriam reconhecer as virtudes pessoais de Joseph Ratzinger. Amante da teologia agostiniana (sua tese de doutorado foi escrita nessa área), Ratzinger tem se oposto ao liberalismo teológico católico, tem denunciado a teoria da evolução como irracional e tem, corajosamente, defendido alguns valores sociais e familiares abandonados há muito por alguns grupos protestantes. Também, como um chefe de Estado (o Vaticano), ele tem se posicionado em favor do diálogo e da harmonia nas relações internacionais. Neste sentido, é possível manifestar certa simpatia por Bento 16. Em segundo lugar, os protestantes não poderiam ignorar os ensinos anti-bíblicos freqüentemente defendidos por Ratzinger. Quando Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (nomeado ainda

por João Paulo 2º), Ratzinger foi um dos maiores promotores da mariolatria. Tem sido um dos grandes defensores da “infalibilidade papal” e insiste na reivindicação de que a igreja católica é a única igreja verdadeira (Deus Caritas est). Em sua passagem pelo Brasil, ele ainda alimentou explicitamente o misticismo. Finalmente, os protestantes deveriam lembrar que a simpatia pela pessoa de Ratzinger não nos impede de contestarmos o ofício antibíblico que ele sustenta. De acordo com a tradição católica, ele é o 265º sucessor de Pedro e o representante de Deus na Terra. Esse ofício, todavia, não possui embasamento bíblico e muito menos histórico e essa foi uma das razões pelas quais os teólogos de Westminster se referiram àquele que exerce esse ofício como “o homem do pecado”, pois não há outro “cabeça da Igreja senão o Senhor Jesus Cristo” (CFW cap. 25. vi). Refletindo dessa forma, os protestantes talvez não fiquem tão indiferentes na próxima visita do papa. Quem sabe voltem a exercer a função profética de protestar contra o erro! O rev. Valdeci da Silva Santos é coordenador do Doutorado em Ministério do Centro Presbiteriano de Pós-graduação Andrew Jumper e pastor da Igreja Evangélica Suíça, em São Paulo.

EXPE­DIEN­TE

Brasil PRES­BI­TE­RIA­NO

Uma publi­ca­ção da

Rua Maria Antônia, 249, 1º andar, CEP 01222-020, São Paulo – SP Telefone: 0(XX)11 3255 7269 E-mail: edi­torbp@rpc.ipb.org.br

Rede Presbiteriana de Comunicação

Órgão Oficial da

Ano 50, nº 633 – Junho de 2007

www.ipb.org.br

Conselho Deliberativo: Gunnar Bedicks Júnior – presidente Jared Ferreira Toledo da Silva – secretário André Luis da Silva Mello – titular Darly Gomes Silveira Filho – titular Euclides de Oliveira – titular Johnderson Nogueira de Carvalho - titular Ricardo da Mota – titular

Conselho Editorial: Valdeci da Silva Santos - coordenador Juarez Marcondes Filho - membro Marcos José de Almeida Lins - membro Romildo Lima de Freitas - membro Silas Luiz de Souza - membro Walcyr José de Paiva Gonçalves - membro

Edição e chefia de reportagem: Letícia Ferreira DRT/PR: 4225/17/65. E-mail: editorbp@rpc.ipb.org.br Textos: Letícia Ferreira - editorbp@rpc.ipb.org.br e Caroline Santana - caroline@rpc.ipb.org.br Diagramação: Aristides Neto Impressão: Folhagráfica

Secretaria de Atendimento ao Assinante: (19) 3741 3000 / 0800 119 105

Sou pastor missionário residindo atualmente em Ijuí (RS). Como é de conhecimento geral da IPB, o Rio Grande do Sul tem sido a última fronteira brasileira a ser conquistada pelo evangelho. Estou aqui desde 2001 e tenho percebido a grande dificuldade em fazer conhecida a nossa denominação entre os gaúchos. No entanto, recentemente ouvi um testemunho que muito esperava: “Assisto o programa da sua denominação aos sábados de manhã e realmente sua igreja parece ser muito boa, séria e comprometida com a Palavra de Deus”. Esta frase tem um valor muito grande para nós, missionários em terras gaúchas, pois, ganhar o respeito e confiança desse povo é um dos nossos primeiros objetivos missionários. Com isso, cresce nossa responsabilidade de continuarmos nesse projeto, procurando solidificar os campos missionários em todo o Rio Grande do Sul. Contamos com a ajuda da Rede Presbiteriana de Comunicação para tal divulgação. Só da Junta de Missões Sinodal do Sínodo Meridional há treze campos, desde Erechim até Uruguaiana, extremo norte e extremo noroeste do estado, ainda englobando parte do centro do estado. Precisamos do seu apoio. Bem como buscamos apoio de Igrejas Irmãs que nos apóiem financeiramente e espiritualmente. Parabéns a toda equipe da Rede Presbiteriana de Comunicação. Rev. Vanderlei Arruda de Ijuí (RS) Sou assinante do jornal Brasil Presbiteriano há um ano e meio e amo ler e ficar por dentro das notícias de nossa igreja. Luzia Sucipião, da IP da Vila Matiheussem, em Americana (SP) Sou leitora do BP e pretendo logo me tornar assinante já que tenho crescido muito espiritualmente com a leitura dos artigos maravilhosos nele expostos. Maria Solange de Souza Lacerda, da IP de Pombal (PB) Quero lhe parabenizar o prezado irmão rev. Romildo Lima de Freitas pela sua opinião (Um ministro fiel – Opinião BP abril, pg. 2). Do jeito que as coisas estão acontecendo, os alimentos que certos mordomos (ministros) estão servindo, estão perdendo o sabor. Eu não consigo engolir. Pastor Romildo, que Deus continue lhe inspirando. Cypriano José da Silva, presbítero em disponibilidade da IP Joinville (SC) cyprianojs@gmail. com

Assinaturas Para qual­quer assun­to rela­cio­na­do a assi­na­tu­ras do BP, entre em con­ta­to com:

Luz para o Caminho 0(XX)19 3741 3000 0800 119 105 bra­sil­pres­bi­te­ria­no@lpc.org.br Rua Antônio Zingra nº 151, Jardim IV Centenário CEP 13070-192 - Campinas - SP


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007



Consultório Bíblico

Igreja: distinções importantes Odayr Olivetti

P

* Preço de R$ 13,00 válido apenas para igrejas, pastores, autarquias, presbitérios, missionários e evangelistas da IPB até 30/06/07, ou enquanto durar o estoque. O preço cobrado para os consumidores não especificados acima é de R$ 20,00 até 30/06/07, ou enquanto durar o estoque.

ergunta: Gostaria de uma palavra sobre distinções como igreja como instituição e como organismo, cristianismo e cristandade, e coisas semelhantes. Resposta: Considerações: Conceitos de igreja 1 - O seguinte esquema resumidamente revela o rumo que se tomou, chegando a um grave extravio: Século Primeiro – Onde Cristo está, ali está a igreja (Ubi Christus id ecclesia); século 2 – Onde o Espírito está, ali está a igreja (Ubi Spiritus...); século 3 – Onde o bispo está, ali está a igreja (Ubi episcopus...). Observação: Cipriano (200-258 a.D.), a quem é atribuída a sentença: Ubi episcopus id ecclesia, combateu a idéia da superioridade do bispo de Roma. Afirmava que todos os bispos são iguais. Lembremo-nos de que, biblica-

mente, as mesmas pessoas eram presbíteros e bispos: At 20.17 e 28; 1 Pe 5.1. 2 - Cristianismo, cristandade e civilização cristã A palavra cristianismo significa igreja de Cristo, onde quer que se encontre, numerosa ou não. Significa também espírito de Cristo. A palavra cristandade refere-se ao conjunto de países onde é mais ou menos notável a presença da igreja cristã. Cristandade não é cristianismo; pode contê-lo ou não. Civilização cristã, nome dado à civilização do mundo ocidental (hoje chamada “pós-cristã”), não significa “cristã” no sentido real desta palavra. Indica apenas uma civilização influenciada (e às vezes dominada) pela Igreja Católica Romana. Daí, cristandade não é cristianismo verdadeiro; civilização cristã não é civilização verdadeiramente cristã. Instituição e Organismo A igreja é um organismo vivo,

não uma instituição. A instituição é necessária. Ela é importante quando se mantém subordinada à Palavra de Deus; é um mal quando se sobrepõe à Palavra de Deus. A instituição depende de números (recursos humanos e financeiros); o organismo não. Sobre um aspecto da instituição (templo), Jesus disse: “Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada" (Mt 24.2). Sobre a igreja como o corpo de Cristo, como o povo vivo de Deus, Jesus Cristo disse: “As portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). Advertência e Consolação Advertência: a humanidade, pior que isso, o povo de Deus, sempre mostrou a tendência de alterar o sentido das Escrituras Sagradas e as prioridades estabelecidas por Deus nelas (e o protestantismo moderno não está livre dessa culpa). Os fariseus

foram mestres nisso, e os mestres da Idade Média se mostraram aprendizes tão bons dos fariseus que foram muito além deles na falsificação da Palavra de Deus. Um dos muitos exemplos disso (é muito próprio lembrar nestes dias de acendrada papalatria): Em At 15.4 vemos que a ordem dos termos sobre a igreja é: a igreja (os membros da igreja), os apóstolos e os presbíteros. Distinção importante no contexto da realização do Primeiro Concílio da Igreja Cristã. Pois não é que o romanismo alterou gravemente isso? Na Idade Média desenvolveu-se a idéia de separação entre clero e povo (grego: laos, povo; latim: laicus, relativo ao povo, leigo). O clero era a igreja; o povo era o povo – mendicante sob o clero. Havia até separação com grades de ferro, nos templos, entre o local do clero e o do povo, o que se vê ainda em alguns templos antigos.

A advertência nos vem em textos como o de Mateus 15.6, no qual Jesus acusa os fariseus com estas fortes palavras: “Invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição”. A consolação, para os fiéis servos e servas de Deus, vem em textos como o de Lucas 12.32, onde o Rei dos reis e Senhor dos senhores, que, encarnando, nasceu numa estrebaria e teve como berço uma manjedoura, Aquele que fez Sua entrada triunfal em Jerusalém como “o Rei bendito” montado num jumentinho. Este nosso bendito Senhor e redentor diz: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”. Louvado seja Deus! Odayr Olivetti é pastor presbiteriano, ex-professor de Teologia Sistemática do Seminário Presbiteriano de Campinas, escritor e tradutor. E-mail: odayrolivetti@uol.com.br

Anuário IPB 2007. O ponto de encontro da Igreja Presbiteriana do Brasil.

R$ 13,00* Uma ferramenta útil para a igreja, pastores e líderes. Inclui as alterações da última reunião do SC-IPB e as mudanças de campos pastorais mais recentes. Dados atualizados dos presidentes de Sínodos e secretários executivos dos Presbitérios.

Ligue agora 0800-119-105 e peça o seu exemplar.

www.lpc.org.br




Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Missões Transculturais

Pregando a palavra de Deus na Rússia

Projeto missionário na Sibéria Por rev. Fábio Diniz

D

ados assustadores (vide box) mostram claramente a necessidade do povo russo. Pretendo levar esperança aos jovens da Sibéria, na cidade em que estou, Novasibirsk, mas esperança real, através de Cristo. O nosso Pai tem um grande futuro para esta geração que tem sido vitima de uma triste realidade. A cidade universitária dessa região tem muitos jovens e circula muita droga. É também uma cidade grande, com quase dois milhões de habitantes, e sem nenhuma igreja reformada. Há aproximadamente dez igrejas evangélicas, sendo que apenas uma chega a ter mais de 300 membros. É um grande desafio levar esse povo a conhecer o amor e graça de Deus, para assim terem as suas vidas transformadas. Minha missão é influenciar os jovens e ajudá-los a transformar as suas vidas, treinar líderes locais, criar um círculo de relacionamentos na cidade, plantar uma igreja relevante e missionária e montar um projeto de reabilitação para dependentes químicos. Inicialmente, é preciso entender a cultura local, desenvolver relacionamentos e aprender o idioma. É importante criar esses vínculos, discipular e trabalhar junto com outros cristãos que queiram, como as igrejas locais e a Jocum (Jovens com uma Missão). SITUAÇÃO ATUAL

Divulgação

Graças a Deus, atualmenpois todos os vistos (exceto te o clima na Sibéria está o de estudante) só são renoagradável, cerca de 15 graus vados fora do país. Isso saipositivos. Já não há quase ria mais barato, mas corro neve na rua e a sujeira da o risco de conseguir o visto cidade está começando a só por três meses e ter que passar. Enfim, a cidade tende sair novamente para repetir a começar a ficar bonita. O o processo. melhor é que não precisaJá conheço alguns jovens mos mais usar tantas roupas na faculdade e posso até para sair (duas meias, calça levar alguns para as igrejas de baixo, luva, cachecol, e falar da graça de Deus. gorro, várias blusas), pelo Creio que seria importante menos uns quatro quilos a ficar mais tempo, pois premenos de roupa. ciso também aprender mais Já se vê muitas pessoas o russo. Irei para outras na rua, inclusive jovens de universidades procurar um várias tribos (punks, skatispreço mais viável, crendo, tas, músicos, bikers). Nem acima de tudo que Deus me lembrava que a cidade estará direcionando a decitinha tantos jovens. são. Estou conhecendo algumas igrejas, nas quais posso Dados sobre o evangelho na Sibéria: entender melhor a maneira Missionário rev. Fábio Diniz Católicos ortodoxos...................55% de pensar do povo russo e, em algumas delas, ajudar da minha falta de domínio sante são as Ateus............................................32% de certa maneira. Conheci do idioma russo, já consigo conversas que Muçulmanos................................8,7% uma casa de recuperação de compartilhar algumas coisas tenho com crisOutros..........................................2.47% dependentes químicos que em nossos discipulados. Em tãos “feridos”. vai ser interessante para a relação à língua, já entendo Deus está agin- Evangélicos.................................0,7% plantação de uma nova casa muita coisa. O mais difícil do em relação de reabilitação. Peço aos irmãos que surge na hora de expressar, a área de aconselhamento, O melhor tem sido o semi- já que a língua tem muitas pois existem muitas pesso- roguem a Deus juntamennário sobre Relacionamento, declinações. as que necessitam de apoio te comigo pela questão do com Deus, conosco, com a visto e pelo aprendizado Na faculdade, tudo está espiritual mais intenso. família e amigos. Estamos dando certo na graça de MOTIVOS DE ORAÇÃO desse novo idioma. Orem na segunda semana de fun- Deus. Pude falar de Deus Um problema que surgiu também pelas pessoas que cionamento. O seminário é para a minha professora, pois nesses últimos dias foi o evangelizamos, em esperealizado de terça a quinta- ela acredita que Jesus ape- vencimento do visto. Peço cial Dima, Leo Cai, Annia feira e recebe cada vez mais nas foi um filósofo. Ofereci, orações, pois preciso tomar Alekssandrovna, Aimã e pessoas (em média 40 par- como presente, um Novo algumas decisões. O prazo as pessoas do Alfa Curso. ticipantes), jovens, casais e Testamento e expliquei um venceu no dia 1º de junho. Rogo a provisão de Deus; idosos. Creio que tem sido pouco sobre quem foi Jesus. Para renovar, terei nova- que ele dê sabedoria, pois uma bênção na vida da igre- A professora interessou-se mente que fazer matrícu- são várias as áreas que preja. pelo assunto e perguntou se la na faculdade, que custa cisam de socorro aqui. Além disso, estou parti- poderia ir até a igreja ouvir cerca de três mil reais, ou Informações sobre esse cipando, todas as quintas- minha pregação. Concordei, sair do país, o que acarreta projeto no meu site, no qual, feiras, do Alfa Curso, que é lógico. Em breve ela irá, ficar três dias em um outro toda a semana, são acrescendiscipula pessoas que estão assim que puder. lugar da Europa para pegar tadas novas informações: conhecendo a Jesus. Apesar Outra experiência interes- outro visto, o de religioso, www.fabiodiniz.com


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007



História: As Confissões Reformadas

O Catecismo de Heidelberg (1563) Alderi Souza de Matos

O

Catecismo de Heidelberg é o principal documento confessional da igreja reformada alemã, sendo considerado uma das confissões protestantes mais belas, generosas e pessoais. Com o advento da Reforma, várias regiões da Alemanha se tornaram luteranas, mas algumas delas acabaram abraçando um luteranismo moderado, inspirado por Filipe Melanchton, o sucessor de Lutero. Foi o que aconteceu no Palatinado, um pequeno estado da Renânia, a região a oeste do rio Reno. Sua capital, Heidelberg, abraçou o luteranismo em 15451546 e, no início da década de 1560, o príncipe Frederico Terceiro optou pelo calvinismo. Tratava-se, porém, de um calvinismo atenuado, marcado pelo

espírito de Melanchton. O príncipe convidou alguns teólogos reformados para trabalhar na sua cidade. Os mais notáveis foram dois jovens altamente qualificados, Zacarias Ursino (1534-1583) e Gaspar Oleviano (1536-1587). O alemão Ursino foi um discípulo de Melanchton, conheceu Calvino pessoalmente e se tornou calvinista por influência do reformador italiano Pedro Mártir Vermigli. Oleviano era de origem francesa e abraçou a fé reformada através de seus contatos com estudantes huguenotes; estudou teologia em Genebra, Zurique e Lausanne. Em Heidelberg, Ursino tornou-se professor de teologia no Colégio da Sabedoria, uma escola fundada pelo príncipe, e Oleviano, além de lecionar nessa escola, pastoreou a principal igreja da cidade. Eles foram os líderes de

uma comissão que produziu o famoso catecismo, publicado em 19 de janeiro de 1563 e rapidamente aceito por praticamente todas as igrejas calvinistas. Sua influência tornou-se particularmente forte na Holanda, onde foi reconhecido como uma das Três Formas da Unidade, ao lado da Confissão Belga e dos Cânones de Dort. O príncipe Frederico queria um catecismo conciliador, que reunisse o melhor do pensamento luterano e reformado e ao mesmo tempo fosse útil para instruir as pessoas nos elementos básicos da fé cristã. O texto contém 129 perguntas e respostas que seguem o padrão da carta aos Romanos. Depois de duas perguntas introdutórias, há três divisões: (a) Parte 1: Nosso pecado e culpa – a lei de Deus (perguntas 3-11): contém uma

confissão da pecaminosidade humana e do desprazer de Deus; (b) Parte 2: Nossa redenção e liberdade – a graça de Deus em Jesus Cristo (perguntas 12-85): delineia o plano de redenção, incluindo uma exposição do Credo dos Apóstolos; (c) Parte 3: Nossa gratidão e obediência – nova vida através do Espírito Santo (perguntas 86-129): apresenta a gratidão obediente como o fundamento das boas obras e inclui uma exposição dos Dez Mandamentos e da Oração do Senhor. O Catecismo de Heidelberg tem várias características especiais. Foi concebido para ser um guia para a instrução religiosa de crianças e jovens, bem como uma confissão para toda a igreja. Reúne diferentes correntes do pensamento reformado e evita questões controvertidas. A única

pergunta polêmica é a de nº 80, incluída posteriormente, que trata da missa e da transubstanciação. Afirma a eleição, mas não menciona a reprovação e a expiação limitada; a doutrina dos sacramentos reúne elementos zuinglianos e calvinistas. Dá ênfase às boas obras como a resposta cristã à graça divina (o chamado “terceiro uso da lei”). O uso do pronome da primeira pessoa, muitas vezes no singular, dá ao documento um tom caloroso e pessoal. Possui um caráter fortemente bíblico e prático, mostrando a importância da fé cristã para a vida diária. As perguntas e respostas foram estruturadas de tal forma que o catecismo podia ser estudado em 52 domingos, ou seja, exatamente um ano. Alderi Souza de Matos é pastor presbiteriano e historiador oficial da IPB. E-mail: asdm@mackenzie.com.br




Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Aconteceu Semana Santa no campo missionário de São Mateus do Sul Por rev. José Julio de Azevedo Divulgação

rados pelo pastor José Julio, visitaram 35 presidiários, a maioria jovens envolvidos com drogas e tráfico. Depois do culto na casa de detenção, onde os detentos puderam cantar louvores com as letras distribuídas, foram presenteados com caixas de chocolate doadas por uma rede local de supermercados. O Culto da Ressurreição aconteceu em nosso templo, às 7h da manhã. Havia cerca de 80 presentes, alguns visitantes. Houve a apresentação de um coral infantil pelos alunos da escola dominical do campo e um teatro dramatizando a ressurreição de Jesus, por alunos da congregação. Depois do café da manhã reforçado oferecido pelas irmãs da SAF, aconteceu um período de lazer, quando foram entregues coelhos feitos com garrafas de plástico cheias de bombos, ovos e balas.

Mais uma cidade mineira alcançada pela IPB Por evangelista Marciano Pereira da Costa

Feliz, uma das crianças atendidas no campo missionário mostra o presente de Páscoa que ganhou

Tivemos diversas atividades especiais na Semana da Páscoa no Campo Missionário de São Mateus do Sul (PR). O campo é um projeto da Junta de Missões Nacionais em parceria com o Presbitério das Araucárias (PR). Na sexta-feira, dia 6 de abril, organizamos um mutirão social na Congregação da Raia – um dos bairros mais carentes da cidade, onde realizamos escola dominical e cultos semanais. Temos ali cerca de 35 alunos que estão sendo evangelizados há cinco anos. O trabalho do dia 6 foi iniciado às 13h, com uma devocional. Em seguida, enquanto um grupo organizava atividades de lazer (cama elástica e futebol) alguns irmãos, liderados por Henrique Less, cortavam os cabelos de crianças e outros interessados. Foram 40 cortes. Foi também feita uma palestra sobre higiene bucal. Depois do lanche, com refrigerantes e sanduíches para as cerca de 80 pessoas presentes, foi distribuído para crianças e adolescentes o novo uniforme da escola dominical e roupas doadas pela comunidade. Tudo ficou muito bom e bonito, para a glória de Deus. No sábado, dia 7, um grupo de irmãos, lide-

No dia 11 de fevereiro, a IP Central de Araguari (MG), juntamente com a Congregação Olhos d”Água, situada na zona rural de Indianópolis, iniciou os trabalhos presbiterianos na cidade de Indianópolis, localizada no Triângulo Mineiro. Até então, a cidade não tinha nenhum tipo de trabalho da IPB. O culto inaugural contou com 54 pessoas, das quais 34 membros da congregação da zona rural e 20 da cidade. Foi dirigido pelo obreiro do campo, evangelista Marciano Pereira da Costa. O desafio é grande, porém contamos com a graça e o crescimento que o Senhor nos dará. A cidade é pequena, com cerca de 5000 habitantes e o objetivo, agora, é construir um templo e a casa pastoral, pois os cultos têm sido realizados na garagem da casa do evangelista. Informações pelo telefone (34) 3245 1263 e pelo e-mail halieus2005@yahoo.com.br.

Homenagem aos dez anos de pastorado do rev. João Herivaldo Costa Por rev. João Herivaldo Costa Divulgação

Rev. João Herivaldo Costa e família

A IP de Sinop (MT), no dia 24 de março, prestou uma homenagem ao seu pastor, o rev. João Herivaldo Costa, pelos dez anos de pastorado na referida igreja. Foram momentos de grande emoção, quando a igreja o presenteou com uma grande surpresa, trazendo seus familiares de Recife. O pastor Herivando Costa, reitor do Seminário Batista Nacional e presidente da Convenção Batista do Recife, foi o pregador e o louvor ficou por conta do cantor Hevaldo Costa. A condução do culto ficou por conta do rev. Roberto Dusi (pastor auxiliar da igreja), sua esposa Zenir Costa, rev. Heverardo Costa (irmão do rev. João e também auxiliar na IP de Sinop), e Hedvaldo Costa (também irmão do pastor e secretário de Trânsito da cidade). Esteve presente ainda a mãe do rev. João, Neuza Costa, a cunhada Erica e a sobrinha Sofia, de Recife. Estiveram também o prefeito de Sinop, Nilson Leitão, e a primeira dama, Renata Leitão, além do comandante da PM da cidade de Feliz Natal (MT), da presidente da Sinodal de SAFs e de pastores da cidade. Foi uma linda homenagem. Divulgação

Casa e garagem do evangelista Marciano, onde são realizados os cultos presbiterianos


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Divulgação

Treinamento para uso dos bonecos fantoches em evangelização

Evangelização com fantoches em Passo Fundo Pelo miss. Davi Boaretto, da Mesa Administrativa do Campo Missionário de Passo Fundo Do dia 21 ao dia 25 de abril, o Campo Missionário da IPB em Passo Fundo (RS), recebeu o Ministério Ágape e o missionário irlandês da Presbyterian Evangelistic Fellowship, Sam Shaw, diretor assistente de um ministério, nos Estados Unidos, de evangelização com fantoches, The Agape Puppets (www.theagapepuppets.org). Com muita dedicação, eles nos treinaram para esse tipo de evangelização e deixaram bonecos e outros equipamentos para iniciarmos o ministério com fantoches aqui no campo missionário. Este trabalho foi precioso no preparo dos nossos membros para a evangelização de nossa cidade. Louvamos a Deus pela vida do Gerson, da Silvana e da Fabiane Simioni, da Kerolin Viana, do Sam Shaw e do também irlandês Joshua Bower, que enfrentaram uma viagem de mil quilômetros numa Kombi, vindos de São Paulo, para abençoar a obra missionária no Rio Grande do Sul. A vinda destes irmãos foi possível devido ao apoio que a IP de Alphaville, de São Paulo, tem dado a obra missionária em Passo Fundo e também a IP de Apucarana (PR), que nos enviou uma oferta para ajudar nas despesas de viagem do grupo. A IP de Passo Fundo está sendo plantada com incentivo de igrejas corajosas. Além das citadas, temos sido apoiados pela IP Vila Constantino, de Patrocínio (MG), IP Ebenézer, de Ribeirão Preto (SP), IP Chácara Primavera, de Campinas (SP), e IP Herval d´Oeste, de Santa Catarina.

Para receber notícias e saber mais do Campo Missionário de Passo Fundo mande seu e-mail para boarettoipb@yahoo.com.br .



Ao final do encontro, os presentes cantaram o hino 376 do Hinário Presbiteriano, escrito por Sarah Pouthon Kalley, cuja melodia é baseada no Hino Nacional da Alemanha e, a letra, uma oração pelos governantes. Demonstrando emoção ao ouvir hino, o prefeito solicitou que depois lhe fosse enviada uma cópia da letra do mesmo, de maneira que ele possa ser em breve entoado no Projeto Torre de Vigília, mantido por sua administração no auditório do Sétimo Andar do Paço Municipal. A comitiva que visitou o prefeito Sebastião Quintão contou, além do rev. Paulo Silas, com a presença do rev. Enos Dias Pereira, pastor da IP do Ideal, e dos sócios de UPHs das IPBs Central, Veneza, Ideal, Iguaçu, Canaã, Bethânia, Esperança e Limoeiro. Representando a federação, estava o presb. Egraldo Magela Drumond, da IP do Ideal, que atualmente é o secretário executivo.

Memória e saudade Presb. Genésio da Silva Maia

Fonte: Site da IP Central de Ipatinga (www. ipci.org.br)

Pelos reverendos Marcos Antonio Dias, pastor da IP em São Lourenço (MG), e Jairo da Silva Martins, secretário executivo do Presbitério Circuito das Águas (MG)

Uma comitiva formada por membros de nove UPH´s filiadas à Federação de Homens do Presbitério Leste Vale do Aço (MG), visitou, na manhã de 11 de abril, o prefeito de Ipatinga (MG), Sebastião Quintão. O motivo da visita foi comemorar o Dia do Prefeito, oportunidade em que o chefe do executivo municipal ipatinguense, que é evangélico, pôde ouvir a meditação da Palavra e orações pedindo as bênçãos de Deus para seu governo. Falando em nome da federação e citando trechos do livro de Neeminas, o secretário presbiterial, reverendo Paulo Silas (IP Veneza), destacou as qualidades daquele servo de Deus e notável homem público que foi Neemias, chamado para conduzir o processo de reconstrução de Israel. O rev. Paulo Silas destacou que Neemias pediu a Deus que sempre se lembrasse dele e lhe desse sabedoria e capacidade para administrar a nação. Como todo governante, Neeminas enfrentou oposição e desafios que, muitas vezes, pareciam maiores do que ele, mas nunca, em tempo algum, se esqueceu de Deus e de cumprir Suas leis. O secretário presbiterial exortou o prefeito Quintão a que, em seu governo, como Neemias, procure sempre cumprir as leis de Deus e nunca se esqueça de pedir a Ele sabedoria para conduzir os destinos do município.

A IP em São Lourenço (MG) comunica o falecimento de seu presbítero Genésio da Silva Maia, ocorrido em 12 de março. O presb. Genésio era um irmão muito amado, presbítero muito ativo, respeitado e responsável pelo ponto de pregação Ebenézer. Mesmo adoentado, fez sua última pregação em 10 de dezembro de 2006 e participou das comemorações natalinas. O amado irmão foi eleito presbítero em 1969, na IP da Fontinha, no Rio de Janeiro, mas não chegou a exercer o ofício devido a sua mudança para Minas Gerais. Em 1973, foi eleito diácono na IP de São Lourenço. De 1973 a 1975 e em 1979, foi presidente da UPH. Foi também tesoureiro da Federação das UPHs em 1979, quando foi eleito presbítero, em 10 de dezembro, empossado em 15 de janeiro de 1980. Exercia o presbiterato com alegria, dedicação e humildade. Irmão muito amado pela igreja, amigos, vizinhos e pelo presbitério Circuito das Águas, a cujas reuniões se fazia presente acompanhando seus dois genros pastores e representando sua igreja. Em seu ofício fúnebre houve a presença de 18 pastores. Deixou viúva a senhora Júlia Delfina Maia, além de quatro filhos e sete netos. Também deixou, como herança para todos que o conheceram, seu exemplo de companheirismo, mansidão e humildade. Que o Espírito Consolador continue a confortar o coração da família.

Federação de UPHs visita prefeito de Ipatinga (MG)




Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Acontece Cecep realiza Primeiro Congresso Nacional de Oficiais da IPB De 7 a 10 de junho, no Sesc de Venda Nova, em Minas Gerais, o Cecep (Conselho de Educação Cristã e Publicações) realiza o Primeiro Congresso Nacional de Oficiais da IPB. O tema, Liderança Bíblica: o desafio de ser oficial no século 21, será desenvolvido pelo pastor e escritor norte-americano John Sittema, autor do livro Coração de Pastor publicado pela Editora Cultura Cristã. Durante todo o congresso, as ministrações devocionais serão feitas pelo presidente do SC-IPB, rev. Roberto Brasileiro. Serão também oferecidos os seminários Bons oficiais e bons pais, pelo presb. Solano Portela; O equilíbrio matrimonial, pelo rev. Augustus Nicodemus; Ser filho de oficial, pelo rev. Jader Borges; O diácono presbiteriano, pelo rev. Alderi Souza de Matos; Pastoreio e discipulado, pelo rev. Cláudio Marra; O pastoreio no Novo Testamento e na IPB, pelo rev. Jôer Corrêa; Apto para ensinar, pelo rev. Heber Carlos de Campos; A liderança colegiada no Antigo Testamento, pelo rev. Mauro Meister; O uso do tempo, pelo rev. Ludgero Morais, e O oficial e a disciplina, pelo rev. Valdeci Santos. A comissão organizadora informa que o preço da inscrição, R$290, inclui hospedagem e alimentação. Informações com a Editora Cultura Cristã pelo e-mail cep@cep.org.br ou pelo telefone (11) 3207 7099.

Encontro de coros evangélicos em Brasília Por Laelton F. Cunha Será realizado o Primeiro Encontro de Coros Evangélicos, na IP Central do Gama, em Brasília, no dia 23 de junho às 19h30. A finalidade do encontro é louvar e adorar a Deus por meio da música e também incentivar o canto coral nas liturgias das igrejas, como também a participação em atividades de evangelização. Informações no site www.Ipcg.org.br ou pelo telefone (61) 9632-0268.

Terceiro Encontro de Recursos para o Trabalho Infantil A Secretaria Sinodal da Infância do Sínodo Sudoeste Paulista mudou a data de seu Terceiro Encontro de Recursos para o Trabalho Infantil, que será realizado na IP de Botucatu (SP). O evento teria acontecido no dia 28 de abril, mas foi transferido para o dia 30 de junho. As palestras serão Inimigos do Trabalho Infantil em crescimento, Comunicando e sendo entendido (clareza e objetividade) e Didática - o que é?

Material didático-como usá-lo? Além das palestras, serão oferecidas duas oficinas para Escola Bíblica de Férias: O Atleta de Cristo e O internauta de Jesus. A cada dez inscrições de uma mesma igreja, uma será gratuita. As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de junho, pelo e-mail ismael_mary@ uol.com.br, por carta (enviando-se os seguintes dados: nome, endereço, cidade, igreja a que pertence e e-mail): Rua Dr. Cardoso de Almeida, 1960 – Centro – 18600-005 – Botucatu/SP. Ou pelos telefones (14) 3882 0893/ 9716 8063/ 8144 6317.

13º Congresso de UPHs do Sínodo Minas-Espírito Santo Na IP de Baixo Guandu (ES), terá lugar o 13º Congresso Administrativo da Confederação Sinodal de UPHs do SME (Sínodo Minas-Espírito Santo), de 29 de junho a 1º de julho. O tema será Homens Fortalecidos para Servir, com a preleção do rev. Eliobergues Eler Guimarães, pastor da IP Monte Sinai, em Barra de São Francisco (ES).

Ministério da Infância da IPB promove congresso A Secretaria Nacional do Ministério com a Infância da IPB, com o apoio da Editora Cultura Cristã e do Instituto Presbiteriano Mackenzie, promove o Congresso Infantil Pequenos Passos. O evento é dirigido a quem trabalha com crianças, Escola Bíblica Dominical e departamentos infantis, e acontece de 5 a 8 de julho em Recife (PE) e de 6 a 9 de setembro, em Brasília. Os temas abordados serão Quando o desânimo chega ao Departamento Infantil, Como trabalhar no DI quando sobram dificuldades e faltam ajudantes e material, A criança no livro de Provérbios, Famílias em crise e crianças sofrendo, e É muito fácil perder uma criança hoje. O congresso oferecerá também algumas oficinas: Berçário é coisa séria, Juniores - como trabalhar com pré-adolescentes?, A música no departamento infantil, Como as crianças aprendem, Missões e o desafio de evangelizar crianças, Como preparar aulas para o DI, Como montar uma UCP em sua igreja, Bom, fácil e barato – como trabalhar com material reciclável, Organização e manutenção de um departamento infantil, EBFs – temas e brincadeiras, e O culto infantil. Entre os preletores estão o secretário executivo do Supremo Concílio da IPB, rev. Ludgero Bonilha de Morais, Rossana Lidório, esposa do missionário Ronaldo Lidório, o professor e um dos coordenadores do Centro Presbiteriano de Pós-graduação, rev. Mauro Meister, o secretário geral da Secretaria Nacional do Ministério com a Infância da IPB, rev. Jader Borges, a teóloga, escritora e doutora em

História Joyce Clayton, a missionária e responsável pelo trabalho com a Infância da IP de Brasília Edaci Camargo, o pastor da IP Ebenézer, de São Paulo, rev. Márcio Alonso, Eny Borges, da Apec (Aliança Pró Evangelização das Crianças), o cientista e professor Adauto Lourenço. Contato e inscrições com a secretaria pelo telefone (81) 3221 1583 e pelo e-mail congressoipbpp@uol.com.br.

Encontros regionais das Mulheres que surpreendem A Confederação Nacional de SAF’s, sob a supervisão das vice-presidentes regionais e com o apoio da Secretaria Geral do Trabalho Feminino da IPB, está promovendo os Encontros Regionais de Treinamento 2007. Segundo Eloísa Helena Chagas Monteiro Alves, secretária executiva da CNSAF’s, o objetivo é disponibilizar às mulheres treinamento em diversas áreas de trabalho, aperfeiçoando as auxiliadoras para melhor servirem a Jesus, à igreja e ao próximo, como verdadeiras Mulheres que surpreendem. Os temas dos estudos e oficinas foram escolhidos pelas líderes de cada região de acordo com as necessidades locais. A participação é aberta a mulheres membros da IPB que não sejam sócias da SAF. Os próximos encontros serão realizados na Região Sudeste: em São Paulo, de 14 a 16 de setembro; em Minas Gerais, de 21 a 23 de setembro; no Rio de Janeiro, de 28 a 30 de setembro, e no Espírito Santo, de 5 a 7 de outubro. Na Região Nordeste, com local ainda não definido, o encontro será realizado de 12 a 14 de outubro. O primeiro encontro, sobre o qual o BP publicou uma reportagem na edição de maio deste ano, foi realizado na Região Centro Oeste, em Anápolis (GO), de 8 a 11 de março. Estiveram presentes cerca de 250 mulheres de todas as confederações sinodais da região, acompanhadas de seus secretários sinodais, alguns presbiteriais e pastores que apóiam o trabalho das sociedades internas como forças de integração da igreja, além de presidentes de sínodos. Informações: Região Sudeste – com Mathilde, pelo e-mail mmribeiro@ig.com.br, e Região Nordeste com Ana Maria, pelo e-mail anasprados@yahoo. com.br.

Viagem da Reforma Protestante O rev. Alderi Souza de Matos, historiador oficial da IPB, será o guia histórico de uma viagem especial que irá percorrer os locais onde se deram os acontecimentos mais importantes da Reforma Protestante do Século 16. O programa, que será de 27 de outubro a 9 de novembro, inclui cidades na Inglaterra, Alemanha, França e Suíça. Informações pelo e-mail asdm@makenzie.com. br.


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007




10

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Entrevista

Pernambuco: um desafio para a IPB Divulgação

Secretaria de Missões do Sínodo Central de Pernambuco divulga mapeamento do Estado quanto ao alcance do evangelho a fim de promover a visão e a prática missionária da igreja na região Letícia Ferreira

“C

aracterizado por sua exuberância, praias paradisíacas, riqueza cultural, gente hospitaleira, Pernambuco é um cantinho aconchegante e agradável para se viver. Lamentavelmente a realidade espiritual não combina com sua beleza natural, pois nosso estado é marcado por intensa prática de idolatria e feitiçaria, uma religiosidade caracterizada pelo sincretismo, sem contar os inúmeros problemas sociais”, declara o rev. Marcos Cesar Martins, secretário de Missões do Sínodo Central de Pernambuco, que divulga um mapeamento das condições do estado com a finalidade de promover a visão e a prática missionária da igreja, despertando sua atenção para o desafio da evangelização total da região. Os dados obtidos nesse mapeamento mostram que 44% dos 185 municípios de Pernambuco, incluindo a capital, Recife, não estão totalmente alcançados para o evangelho, sendo que 34 cidades têm um índice inferior a 1% da população formado por evangélicos. O município com menor índice de evangélicos é Solidão, no sertão pernambucano:

0,17%. E a microrregião menos alcançada é Araripe, com oito municípios. É na região metropolitana de Recife que se encontram 63% dos evangélicos do Classe para crianças num estado. “É extremamente desaEm comparação com outras fiador saber que 61 % das denominações evangélicas, igrejas presbiterianas estão a pesquisa concluiu que a concentradas na Região Batista, presente no Estado Metropolitana enquanto há 120 anos, tem igrejas em o interior é precariamente 185 cidades, mesmo número evangelizado”, afirma o rev. que a Assembléia de Deus, Marcos César. na região há 89 anos. PRESENÇA DA IPB O rev. Marcos Cesar visiSegundo o mapeamen- tou a Convenção Batista de to do Sínodo Central de Pernambuco e, entrevistando Pernambuco, os aproxima- o responsável pelo órgão que damente 8,5 milhões de habi- administra as missões estatantes do estado contam com duais na região, pastor Edvan 109 IPBs distribuídas em 39 Tavares, descobriu que, em cidades. Há ainda congre- 2000, 44 municípios estagações de igrejas locais em vam sem trabalho Batista. outras 19 cidades e mais 14 A igreja empreendeu uma campos da JMN (Junta de campanha evangelizadora, Missões Nacionais) da IPB, Pernambuco para Cristo, e, alguns em parcerias com no final de 2006, já havia presbitérios, outros com igre- alcançado todas as cidades jas. “Totalizamos 72 municí- do estado. Atualmente, o pios com a presença da IPB, foco está voltado para os deixando-nos o desafio de vilarejos com a campanha 113 municípios que ainda Pernambuco 100% para não alcançamos, embora a Cristo. IPB já esteja há 129 anos em Já o pastor Samuel solo pernambucano”, aler- Oliveira, vice-presidente da ta o rev. Marcos Cesar. As Convenção das Assembléias IPBs receberam as perguntas de Deus em Recife, afirmou da pesquisa do sínodo e 75 que há mais de vinte anos responderam (veja os núme- sua denominação tem igrejas ros totais no quadro IPB no em todos os municípios de Pernambuco em Números). Pernambuco.

dos campos da IPB em Pernambuco Divulgação

IPB no município de Simpaúba

IPB no Pernambuco em números 129 anos de presença no estado 109 IPBs organizadas 72 municípios com presença da IPB 39 cidades com IPBs organizadas 19 congregações de IPBs 26 IPBs não mantêm nenhuma congregação 67 IPBs ainda não viabilizaram a organização de suas congregações em igrejas 46 IPBs não mantêm nenhum trabalho fora de suas fronteiras 20 anos é a média da idade das congregações 14 campos da JMN 61% das IPBs estão na Região Metropolitana da capital 60% das IPBs que mantêm congregações têm dificuldades para esse trabalho


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007 Divulgação

Rev. Marcos Cesar com a esposa Niedja e os filhos Amanda e Vinícius

No entanto, qualificar obreiros para trabalho pioneiro é essencial. Temos oito seminários na IPB e desconheço que haja uma capacitação específica para ministério pioneiro. Plantar novas igrejas é necessário. Há notícia de que centenas de pastores estão sem campo na IPB. Parece-me que o conceito de campo em nossa denominação é uma igreja organizada, prontinha para ser pastoreada. Se um presbitério não dispõe de uma comunidade com esse perfil logo afirma que não pode ordenar mais pastores por não haver “campo”, mesmo que haja 113 municípios em nosso estado sem presença presbiteriana. Sugiro que nossos seminários intensifiquem as matérias relacionadas com evangelismo e missões, capacitando os alunos para plantação de novas igrejas.

JMN e da APMT (Agência Presbiteriana de Missões Transculturais) também precisa ser mais divulgado, aproximando os presbiterianos da obra que a igreja vem desenvolvendo no Brasil e no mundo. Quanto à falta de visão, creio que é necessário empreender campanhas de despertamento missionário, capacitação de líderes para promoção de missões em suas igrejas, além da organização de simpósios, cursos, conferências e congressos estaduais com freqüência e eficiência para ampliar a visão missionária de nosso povo. Já a falta de recursos financeiros é um problema generalizado em nosso país. A parceria entre igrejas tem sido instrumento eficaz e ágil no processo de abertura de novos campos missionários. A IP do Recife

BP: Qual a palavra de desafio que o senhor deixa para a família presbiteriana? Rev. Marcos Cesar: David Cornfield escreveu em um de seus livros que “Jesus estabeleceu uma grande comissão e não uma grande sugestão”. Jesus não sugere que a igreja faça missões, Ele ordena que isso aconteça. Por isso, deixar de fazer missões é rebelião contra Jesus e contra o que Ele estabeleceu em Sua Palavra. Há muito por fazer na expansão do reino de Deus. Apresento aqui apenas o desafio de um estado. Desejo que a IPB prossiga priorizando a expansão do reino de Deus em todo mundo, sem esquecer sua “Janela Doméstica” e envide esforços para evangelizar o Brasil, de uma forma específica cidades e povoados precariamente alcançados.

Entrevista com rev. Marcos Cesar Martins, há quatro anos secretário de Missões do Sínodo Central de Pernambuco BP: A que o senhor acredita que se devem os resultados desse mapeamento? Rev. Marcos Cesar: Pelos dados obtidos com a pesquisa, podemos observar que a concentração de igrejas presbiterianas, em Pernambuco, está nos grandes centros urbanos e é inexpressiva no interior. Acredito que a resposta para esse e os outros dados levantados pode ser mais complexa do que imaginamos, mas arrisco alguns palpites: acredito que há falta de informação e de visão por parte da IPB em relação ao estado, mas também faltam recursos financeiros e obreiros qualificados. Tenho apresentado minha pesquisa em reuniões de pastores e conferências missionárias e os líderes ficam estarrecidos com os dados, demonstrando que desconheciam tal realidade. Percebi, nesses oito anos de ministério em Pernambuco, que o envolvimento missionário de nossas igrejas aqui é muito pequeno, quase sempre restrito a missões urbanas. Raras são as igrejas que desenvolvem um ministério fora dos limites de sua cidade, tornando mais precária a presença evangélica presbiteriana à medida que geograficamente nos distanciamos da Região Metropolitana de Recife. A meu ver, isso é indício de falta de visão missionária. No entanto, conheço igrejas com boa visão missionária, mas sem recursos para alugar um salão, comprar mobília, pagar obreiro, equi-

par o campo. Infelizmente, a falta de recursos emperra o desenvolvimento missionário de uma igreja. Também não é fácil encontrar obreiros com perfil que os qualifique como pioneiros, capazes de chegar a uma cidade sem nenhum contato e, “do nada”, fazer surgir uma nova igreja. Isso é raridade. Quando em visita a um de nossos centros acadêmicos de formação teológica questionei os seminaristas sobre o interesse no ministério de plantação de igrejas em contexto sertanejo. Eles me responderam que estavam sendo treinados para pastorear igrejas já organizadas, não tinham nenhuma habilidade para iniciar novas igrejas. BP: O que o senhor sugere como prováveis soluções? Rev Marcos Cesar: Acredito que a IPB tem doutores e especialistas em missões muito mais capazes para avaliar a situação e propor ações que promovam uma mudança desse contexto, mas gostaria de dar minha contribuição. Para o problema da falta de informação, que se divulguem amplamente nos órgãos de comunicação da denominação os dados desafiadores para a evangelização total do estado de Pernambuco. Com essas informações, creio que o assunto deveria ser tratado em concílios superiores da IPB, principalmente em presbitérios e sínodos locais. O trabalho da

11

tem um campo no sertão de Pernambuco em parceria com três outras IPBs: Aprisco das Ovelhas, em Governador Valadares (MG), pastoreada pelo rev. Marco Antônio Santos; Primeira de Colatina (ES), pastoreada pelo rev. Weberson Gáudio Rios, e Terceira de Alto Caparaó (MG), pastoreada pelo rev. José Nicodemos Pinheiro Júnior. Igrejas com boa visão missionária e poucos recursos podem se unir num mesmo objetivo, isso sem contar os eventos que podem ser promovidos para captar recursos para missões. Novamente vou usar o exemplo da IP de Recife: temos Feijoada Missionária, Doces Missionários, gansos, boi, pano de prato, bolsas, artesanato etc. Com disposição e criatividade podemos fazer o dinheiro aparecer.


12

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Divulgação

Aniversários

IP de Manhumirim (MG) 85 anos Por rev. Sergio P. Tavares Liliane Silva

o Espírito Santo, onde residia, levou uma Bíblia que passou a ler juntamente com a esposa, dona Placidina. Em 1911, Euzébio Cabral foi para a região mineira a fim de cuidar de negócios particulares e gostou do local, onde fixou residência dois anos depois. Dona Placidina e a prima dela, Francisca Silva, que foi com eles, eram membros da IP de São José do Calçado (ES) e tinham feito a Pública Profissão de Fé e recebido o Batismo. Naquele tempo, Euzébio ainda não era membro da igreja. Em Governador Valadares, o casal revelou intensa paixão pelas almas e evangelizava os habitantes do povoado, casa por casa. Vieram também para cá outros irmãos que muito somaram na divulgação do evangelho na região. No dia 9 de outubro de 1914, chegou a Santo Antônio da Figueira (antigo nome da região), o rev. Aníbal Nora, que pastoreava a IP de Alto Jequitibá. No dia 12 de outubro de 1914, o rev. Aníbal recebeu 32 pessoas por Pública Profissão de Fé e Batismo. Entre elas estava Euzébio. O trabalho se desenvolveu e, em janeiro de 1917, o Presbitério do Rio de Janeiro decidiu organizar a congregação em igreja, o que foi feito no dia 13 de maio de 1917, com 60 membros. Foi organizada com o nome de Egreja Christã Presbyteriana de Figueira do Rio Doce. A Primeira IP de Governador Valadares tem, atualmente, cerca de 600 membros (maiores e menores). A história dessa igreja é vitoriosa. O fruto do seu labor pode ser visto não apenas nas mais de vinte IPBs existentes hoje na cidade, que são suas filhas e netas, mas, também em outras importantes entidades por ela criadas e apoiadas, as quais estão cumprindo significativo papel educacional e social na cidade. Atualmente, o pastor titular é o rev. Eneziel Peixoto de Andrade, auxiliado pelos reverendos Oliveiros Ciribelli e Gílson Almeida Júnior.

Enquanto na cidade de Niterói, no dia 26 de março de 1922, se reuniam nove pessoas, representando cinco estados brasileiros, para organizarem o Partido Comunista Brasileiro, em Manhumirim (MG), precisamente, às 11h daquele mesmo dia, reunia-se uma comissão, por ordem do Presbitério Espírito Santos-Minas, para organizar a Igreja Presbiteriana de Manhumirim. A igreja teve origem com 123 membros comungantes. Dois anos depois, no dia 16 de março de 1924, acontece a emancipação política de Manhumirim. As coisas mudaram muito desde aquele dia, mas a igreja permanece fiel a Cristo Jesus e à Palavra de Deus, procurando ser uma igreja do século 21, com respostas para a sociedade contemporânea, porém, sem negociar os princípios das Escrituras Sagradas e sem perder suas características de uma igreja histórica. Em todos esses anos, passaram pela igreja irmãos e irmãs valorosos na obra do Senhor. Foram pessoas consagradas que viveram vida de Divulgação oração, consagração, serviço e contribuição para a obra de Cristo. Somos gratos a Deus por estas vidas tão preciosas. Somos imensamente gratos também pelos atuais membros que, da mesma forma, são irmãos e irmãs valorosos. Que Deus continue abençoando nossa amada igreja. Que este aniversário seja um desafio para servirmos mais e melhor ao Senhor da igreja, sem abrirmos mão de nossa identidade presbiteriana. Primeiro templo da Primeira IP de Governador Valadares

Primeira IP de Valadares (MG) 90 anos

Por rev. Eneziel Peixoto de Andrade O presbiterianismo chegou a Governador Valadares em 1911, por meio de Euzébio Cabral. Ele residia em Alegre (ES), mas conheceu o evangelho no Rio de Janeiro. Percebendo grande número de pessoas indo para a IP do Rio de Janeiro, curioso, ele entrou e ouviu a mensagem. Ao voltar para

Quarta IP de Volta Redonda (RJ) 31 anos

Por rev. Edmilson Robadel Fernandes A cada domingo do mês de abril, foi realizada uma programação especial para comemorar o 31º aniversário da Quarta Igreja Presbiteriana de Volta Redonda. A abertura das programações comemora-

tivas deu-se com a Santa Ceia do Senhor. Na ocasião, pregou o rev. Edmilson Robadel Fernandes. No dia 8 de abril, a direção do culto ficou por conta da União Presbiteriana de Adolescentes (UPA), quando se comemorou a Páscoa com a encenação de uma bela peça teatral e pregou o presb. Franklin Euller Marins, conselheiro da UPA. No dia 15 de abril, o conselho da Quarta IP de Volta Redonda reorganizou a União Presbiteriana de Homens (UPH). Após a solenidade, foi realizado o culto, quando pregou o presb. Paulo Daflon, presidente da Confederação Nacional dos Homens Presbiterianos. Nos dias 21 e 22 de abril, a igreja recebeu a IP Central de Heliópolis, de Belford Roxo (RJ), quando pregou o rev. José Henrique, pastor da igreja visitante. No dia 22, o ministério de louvor, orquestra e coral da Quarta IP de Volta Redonda apresentaram louvores ao Senhor. Com essa programação, que mobilizou a igreja a convidar, evangelizar, discipular e integrar os vizinhos e amigos, procuramos motivar também todos os membros a dedicar-se mais ao Reino e a viver de maneira mais consagrada para o Senhor da Igreja.

Segunda IP de Barretos (SP) 16 anos

Por rev. Silvio José de Oliveira Novo A Segunda Igreja Presbiteriana de Barretos (SP) completou, em abril, 16 anos de organização. É uma igreja dinâmica e acolhedora e conta com 430 membros. O pastor é o rev. Silvio José de Oliveira Novo que, com sua esposa Maysa Novo, está à frente desse trabalho há 11 anos. Fizeram-se presentes o rev. Adão Carlos Nascimento, que falou sobre “O homem na crise da Meia Idade”, e o músico Hilquias Alves, ambos de Campinas (SP). Divulgação


Brasil PRESBITERIANO

13

Junho de 2007

Divulgação

Aniversários

Eunice Adelaide de Faria

os filhos com amor e dedicação, orientando-os sempre a ser bons servos de Deus. 102 anos Eunice é exemplo de trabalho. Exerceu o ofício do Por rev. Ângelo Vieira da Silva, pastor da IP magistério com apreço, ensinando com maestria seus jovens alunos a serem honestos. Como de de Baixo Guandu (ES) praxe para a época, também era parteira, ajudanDivulgação do muitas mães a contemplar o milagre da vida, do Há 102 anos nascia nascimento de seus filhinhos. uma mulher para fazer Ela também é exemplo de cristã. Desde moça, diferença. Seu nome dedicou-se à obra do Senhor. Foi presidente da era Eunice Adelaide Mocidade, presidente da SAF, professora, superinde Faria. A cidade de tendente e secretária de Escola Bíblica Dominical. Alto Jequitibá (MG) não E o resultado de todo este trabalho? O Senhor seria mais a mesma; abençoou nossa irmã e ela tem visto sua prospeo sr. João e a dona ridade, os filhos de seus filhos. Já são 42 netos, Laurinda, pais de 65 bisnetos e quatro tataranetos. Paz sobre sua Eunice, também. Lá casa, minha irmã. estava uma grande bênA irmã Eunice é membro da IP de Baixo Guandu ção que Deus lhes dera desde 10 de setembro de 1962. Hoje, está impose só o tempo haveria de sibilitada de participar dos cultos, mas seus irmãos destacar os propósitos em Cristo procuram visitá-la. Sua lucidez é de mais singelos e profunadmirar. dos de Deus para vida daquela criança que foi Como pastor presbiteriano, sou grato a Deus por batizada pelo rev. Henrique Louro de Carvalho. Aos 19 anos de idade, Eunice se casou com me dar a graça de participar da vida de dona Antônio Bibiano. Dessa união nasceram 12 filhos Eunice. Desejo do fundo de meu coração que e mais quatro adotivos. Para os membros da IP de o exemplo de homens e mulheres valorosos no Baixo Guandu, a irmã Eunice é exemplo na famí- Senhor encher os corações dos membros da IPB lia, onde procurou sempre ser uma exímia dona de de ânimo e disposição para a grande obra de casa, uma boa cozinheira e uma boa mãe, criando Deus.

Coral Martinho Lutero da IP de Paul

IP de Paul, Vila Velha (ES)

50 anos - Jubileu de Ouro Por rev. Izaías Moreira da Silva

A IP de Paul comemorou 50 anos de vida nos dias 2 e 3 de março a 1º de abril. Foi uma festa de alegria e gratidão ao Senhor por ter alcançado tão grande bênção. Muitos pastores fizeram-se presentes e pregaram a palavra de Deus. Também participaram das festividades muitos corais, que entoaram louvores ao Senhor. A igreja iniciou sua caminhada no dia 17 de fevereiro de 1957, jurisdicionada ao então Presbitério de Vitória. Foi organizada com 138 membros comungantes e 44 menores. Atualmente, está jurisdicionada ao Presbitério de Vila Velha. Conta com 170 membros comungantes e 58 não-comungantes. As sociedades internas estão em pleno funcionamento, o conselho é composto por sete presbíteros, atuam nove diáconos e a igreja tem uma congregação.


14

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Crianças

Com palhaço, “sombras” e muita disposição, IPB de Descalvado realiza trabalho para evangelizar crianças

Evangelizar é Preciso! Flávio Gomes da Silva, em colaboração para o BP

“N

este ano daremos enfoque à evangelização”, declara o pastor da IP de Descalvado (SP), rev. Silas Daniel dos Santos. Para começar, foi realizado, no início do ano, uma Escola Bíblica de Férias (EBF), na qual crianças puderam ouvir a mensagem de Jesus. Seguindo o entusiasmo do sucesso da EBF, um grupo de jovens da igreja sentiu o desejo e a necessidade de continuar levando a mensagem de Jesus às crianças. Assim, deu-se início a um projeto de evangelização nas praças. Por ser voltado a crianças, o grupo usa muita música, músicas infantis, mas somente evangelizadoras. Contam com a ajuda de um palhaço, de alguns “sombras” (pessoas vestidas de preto com o rosto pintado de branco que seguem imitando quem passa), além de algumas guloseimas oferecidas às crianças após as apresentações. A princípio, quando chegam ao local previamente escolhido, alguns membros do grupo começam a armar a “casinha” dos fantoches (uma armação feita de canos de PVC, que segundo o presbítero Thiago Cabral, responsável pela “construção”, são mais fáceis de manejar, muito mais leves que madeira e podem ser montados e desmontados facilmente),

ao mesmo tempo põem para tocar em alto som algumas músicas. A outra parte do grupo, que inclui o palhaço e os “sombras”, se divide e sai chamando as crianças da região para irem assistir à apresentação. Em aproximadamente quinze minutos já estão todos de volta ao local escolhido. A “casinha” já está montada e as crianças esperando. Para começar, são ensinadas O palhaço chama os fantoches enquanto a às crianças algumas músicas garotada fica na expectativa cristãs infantis, tais como a do Sabão, sempre acompa- la da “casinha”, os dois balas oferecidas pelo grupo nhadas de gestos e danças. dos personagens da peça. (geralmente são coisas simNesse momento, as crianças A história resume-se a uma ples e não muito caras, já já ficam sabendo que não se conversa entre os dois e a que a igreja não dispõe de trata de uma apresentação uma outra personagem, a muitos recursos, mas que comum, mas que irão apren- vovozita. Eles se questio- sempre deixam as crianças der algo sobre Jesus. nam acerca da criação do muito animadas e servem Na seqüência, o palhaço mundo: “Vovozita! Quem como forma de cativar e aparece. As crianças ficam criou todas as coisas?”, per- aproximar os jovens da igreagitadas e já começam a guntam Quequo e Miloca. ja com os meninos que acase sentir mais à vontade. E então, a vovozita explica baram de conhecer). Acompanhado de um jaca- às crianças que quem criou Para receber essas crianré de borracha puxado por todas as coisas foi Deus. ças a IP de Descalvado, um cordão, que ele afirma Explica também o que é por meio da UCP (União ser um cachorro, o palhaço pecado e conta sobre a morte de Crianças Presbiterianas), chama uma criança qualquer e ressurreição de Jesus, que mantém reuniões aos sábae junto com ela se apresenta “perdoa todos os nossos dos. Nelas, os pequenos ao restante do grupo com pecados”. Assim, Quequo e aprendem músicas, ouvem um “como vai, como vai, Miloca fazem uma oração histórias bíblicas e recebem como vai? Tudo bem, tudo de arrependimento e aceita- aconselhamento. Ganham bem, tudo bem!”. Faz, então, ção de Jesus como senhor e ainda convites dirigidos brincadeiras “para saber se salvador. aos pais para que venham as crianças são espertas”, Depois da apresentação, as à Escola Dominical, a fim diz rindo. Brincam de “vivo crianças são convidadas a de conhecer a Bíblia e seus ou morto”, de “voa ou não conhecer a igreja local e ensinamentos. voa”, entre outras. Depois os pais que estiverem por Questionado sobre a de algum tempo diz aos perto recebem folhetos com importância dos trabalhos de meninos que ele tem dois mensagens evangelizadoras, evangelização, o rev. Silas amigos que gostariam de sendo convidados a ir à igre- Daniel dos Santos afirma: conhecê-los. Em coro cha- ja também. “Em primeiro lugar, evanmam Quequo e Miloca, os Em seguida, as crianças gelizar significa obedecer ao dois fantoches. cantam novamente algumas mandamento de Jesus: ‘Ide Aparecem, então, na jane- músicas e recebem doces ou por todo mundo e pregai

Miloca, vovozita e Quequo falam do plano da salvação para as criança

o evangelho’. Em segundo lugar, é importante para engajar a igreja nessa tarefa. Em terceiro lugar, evangelizar em praças públicas permite um alcance maior e mais democrático nas imediações onde a igreja está inserida”. O rev. Silas disse que a IP de Descalvado tem apoiado irrestritamente a UMP (União de Moços Presbiterianos) nesse trabalho. “Ajudamos na instrução, estudo bíblico e doutrinário para que os jovens estejam firmados cada vez mais na Palavra de Deus. Apoiamos estrategicamente com materiais diversos para evangelização, carros, gasolina, lanche etc.”, informa.


Brasil PRESBITERIANO Literatura

Junho de 2007

15

Livro é lançado para informar e resgatar importantes momentos do cristianismo

Trilogia recupera a história da espiritualidade cristã Letícia Ferreira

O

primeiro volume da trilogia Espiritualidade Cristã na História, escrito pelo pastor da IPB e doutor em Teologia Dogmática pela Universidade de Salamanca, na Espanha, rev. Ronaldo Cavalcante, acaba de ser lançado pela Editora Paulinas. Segundo o autor, a obra, Das origens até Santo Agostinho, chega para suprir a carência de informações sobre o assunto no Brasil e principalmente para recuperar o patrimônio da história da espiritualidade cristã, ou seja, do relacionamento entre o homem e Deus. O segundo volume deverá ser lançado no final do ano que vem. Para o rev. Ronaldo, há uma tendência entre os evangélicos de rejeitar tudo o que foi produzido antes da Reforma do século 16, o que deixa de lado muitas coisas

importantes na formação do relacionamento entre Deus e a humanidade, que culminou na vinda de Jesus. A tendência natural é começar a estudar a história a partir da Reforma. No entanto, há 1.500 anos de história antes disso. O rev. Ronaldo declara que é necessário voltar às fontes originais do cristianismo: “Percebemos que, tanto na Idade Média, quanto na igreja antiga há verdadeiros tesouros encobertos especialmente na tradição protestante. Quando lemos Lutero, Calvino, Zwinglio, os grandes reformadores, todos eles beberam nas fontes patrísticas do Antigo e do Novo Testamento”. ESSÊNCIA O rev. Ronaldo explica que o fenômeno religioso cristão é bastante rico e isso é muito bom porque se tem um campo vasto de pesquisa. No entanto, percebe-se que o fenômeno visível da reli-

Letícia Ferreira

O rev. Ronaldo Cavalcante é professor da Escola de Teologia e do mestrado em Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo gião cristã pode encobrir, ainda que inconscientemente, o que seria prioritário no cristianismo, que é o que o livro busca identificar, ou seja, a essência, a relação pessoal

do homem com Deus por meio de Jesus e, antes da vinda de Cristo, tudo o que aponta para Ele como sumo mediador. O pastor usa como exemplo o

advento da igreja romana, com os imperadores Constantino e Teodoro, no século 4º, que privilegiou o cristianismo, elevando-o a uma posição em que o perigo é o esquecimento da sua verdadeira função neste mundo, ou seja, estabelecer a reconciliação entre homem e Deus. Então aparecem os fenômenos visíveis, como uma teologia e uma liturgia bastante elaboradas, o que pode levar o crente a considerar esses fenômenos como sendo prioritários e essenciais. “Se coloca a conseqüência no lugar da causa, ou seja, o que gerou tudo aquilo é a relação com Deus e não o contrário. Esses fenômenos podem até dar pistas, induzir ou indicar, mas a idéia é que por trás das tradições cristãs católicas, ortodoxas e protestantes há a necessidade do encontro com o Deus vivo, o Deus cristão”, declara o escritor.


16

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Louvor

Festival de Música movimenta Mocidade André Oliveira

A

proximadamente 500 jovens lotaram o Teatro Municipal de Vila Velha (ES) nos dias 20 e 21 de abril para prestigiar novas composições no Festival de Música realizado pela Federação de Mocidades Presbiterianas do Presbitério de Vila Velha. O festival contou com a participação de nove igrejas como concorrentes, e as premiações foram dois períodos de quatro horas para gravação da música vencedora em um estúdio e créditos de R$300 para o primeiro e segundo lugares e de R$200 para o terceiro em uma loja de instrumentos musicais. O principal objetivo do festival foi estimular o aprimoramento musical dos participan-

tes, potencializando-os para o exercício de suas funções musicais em suas respectivas igrejas, além de promover o intercâmbio de seus conhecimentos musicais. Para tanto, os organizadores investiram em um qualificado corpo de jurados que julgaram os quesitos conteúdo bíblico, conteúdo poético, facilidade melódica, melodia, harmonia e arranjo. Há Tempo foi à música vencedora, composta pelo rev. Glauter Garcia, pastor da IP de Itaparica, em Vila Velha. Em segundo lugar, os premiados foram os membros da Primeira IP de Vila Velha, com a música Coração Puro, composta por Hélio Júnior. A IP de Itapuã, também em Vila Velha, ficou com o terceiro lugar com a música Livre Sou, composta

Letícia Ferreira

Comissão organizadora do festival

por Wesley dos Santos. Segundo a comissão organizadora, “o festival foi muito além de apenas um espaço onde as igrejas apresentaram canções. Serviu para qualificar os músicos participantes, à medida que convidamos profissionais da

música para participarem da banca julgadora. Serviu como ponto de encontro e opção de atividade cultural para diversas juventudes e, acima de tudo, serviu para que a palavra fosse levada aos corações dos participantes, evangélicos ou não.

A realização do Festival de Música contribuiu para a popularização da União de Mocidade Presbiteriana no município de Vila Velha. Programações como esta servem para a disseminação da Palavra de Deus e devem ser incentivadas até como opção de atividade cultural, dada a reconhecida e indiscutível importância da atividade musical para diversas sociedades em tempos e espaços distintos”. Parabéns participantes: IPB de Vila Garrido, IPB de Colorado, IPB de Paul, IPB de Cobilândia, IPB de Itapoã IPB de Vila Velha, IPB de Itaparica e convidados. Sem vocês esse festival não seria o mesmo. Até 2008! André Oliveira é o vice-presidente da Federação de UMP's de Vila Velha

Artigo

Conectados com o mundo... mas solitários Gilson Alberto Novaes

T

em me preocupado muito o crescimento da tecnologia da informação no desenvolvimento da nossa juventude. Preocupa-me saber que nossos jovens ficam plugados horas a fio diante de um computador, “conversando” sabe-se lá o quê, com não sei quem. Dizem que são amigos! Nunca se viram, não se conhecem e nunca vão se conhecer, mas são “amigos”. Preocupa-me quando vejo um adolescente concentradíssimo diante de um computador, só mexendo com os dedos polegares... Preocupa-me quando vejo crianças solitárias com seus joguinhos nas mãos, sem

conversar com os pais e não querendo ser interrompidas... Essa é a geração que nasceu no auge desse avanço tecnológico rápido que estamos vendo. Não são capazes de viver sem computador, sem celular, sem os jogos “on line”, sem Orkut etc. Talvez você que me lê possa pensar que sou ultrapassado e que não estou vendo o avanço tecnológico que acontece, queiramos ou não! Não é isso! O avanço da tecnologia da informação é fundamental, inevitável e benéfico, porém, na educação dos nossos filhos temos que tomar alguns cuidados. Não podemos permitir que nossos filhos tenham amigos virtuais e não saibam o nome do

seu vizinho do lado ou da frente da nossa casa. Não podemos assistir nossos filhos moverem apenas os polegares e deixarem atrofiar pernas e braços. Não podemos permitir que não tomem sol e que não andem descalços. Não podemos permitir que nossos filhos sejam “craques” no futebol virtual, mas não sejam capazes de dar um chute numa bola. Tenho saudade do campinho de futebol perto da minha casa quando eu era criança! À tardinha, todos os dias, reuníamos os amigos da rua onde morávamos e fazíamos dois times: um com camisa e o outro sem camisa. Colocávamos tijolos que serviam de traves e jogávamos futebol até escurecer. É eviden-

te que isso hoje não é possível! Mas era saudável. Alguns educadores entendem que não é possível proibir aos nossos filhos o acesso aos jogos, ao MSN, ao Orkut etc. Não acho que devamos proibir, mas devemos acompanhar, saber o que e com quem estão falando, o que estão vendo, quanto tempo ficam diante do computador, se estão dormindo o suficiente, se tomam sol, se fazem exercícios físicos... Não gostaria de ver, daqui a alguns anos, jovens inteligentes, que sabem tudo “de computador”, que virtualmente conhecem o mundo, que falam vários idiomas, mas pálidos, fracos, feios, fechados, introvertidos, neuróticos...

Nossas escolas e nossas igrejas precisam se modernizar para oferecer aos nossos filhos o que há de melhor na atualidade, mas finalizo com um testemunho. Recentemente, assisti a uma senhora idosa contando estórias para crianças com um velho flanelógrafo. O amor, a atenção aos pequeninos e o carinho nas suas palavras, aliado ao suspense em cada figura que colocava, substituiu qualquer “data-show” dos mais modernos. Em tempo: sou professor na Escola Dominical e uso “datashow”. Gilson Alberto Novaes é presbítero na IP de Americana (SP) e diretor administrativo-financeiro do Instituto Presbiteriano Mackenzie, em São Paulo


Brasil PRESBITERIANO Ação Social

Junho de 2007

17

Mulheres que surpreendem na Ação Social são instrumentos de Deus

A SAF e a missão assistencialista Sandra Silvério Lopes

Marly Silva de Marins

com alegria e gratidão que ocupamos o espaço desse jornal da nossa amada Igreja Presbiteriana do Brasil para divulgar o brilhante trabalho que as SAFs (Sociedade Auxiliadora Feminina) do nosso imenso Brasil tem desenvolvido na área de Ação Social. Um trabalho que quase sempre envolve a igreja e traz para a comunidade e para a própria igreja benefícios, ações, gestos e atitudes que alegram o coração de Deus. Dentro do planejamento da nossa secretaria, procuramos conscientizar as sinodais de que o exercício da Ação Social é fundamental para a mulher cristã. Não podemos esquecer que o nosso Mestre Jesus nos deixou vários ensinamentos, onde Ele, o nosso Salvador e Senhor assistia o povo, procurando socorrê-los em todas as suas necessidades. Marly na Primeira Executiva Nacional do Quadriênio 2006-2010 As notícias que chegam até nós são cheias de ativi- Os corações são alcança- agrícola e as cidades eram e outros. As doações solidades desenvolvidas pelas dos pelo Espírito Santo de abastecidas por caminhões citadas foram atendidas irmãs que, com apoio da Deus e a obra segue. Deus pipa (novembro/2006). com êxito. Igreja, do Pastor, da Junta seja louvado! O trabalho tem sido muito O nosso alvo é demonsDiaconal, estão realizando As campanhas lançadas bem desenvolvido pelas trar dentro da consciência um trabalho brilhante nesse pela nossa Secretaria de auxiliadoras que com cora- social que vale a pena ser nosso imenso Brasil. Ação Social são: doação de ção cheio de amor e bon- bom. A prática consciente O mais importante e rele- sangue e ajuda às pessoas dade tem atendido também do bem surpreenderá nossa vante é que a palavra é sem- atingidas pelas enchentes, a asilos, abrigos de crian- nação e agradará o coração pre pregada. Cristo Jesus é que sofreram com o grande ças, hospitais, presídios, de Deus. anunciado. O evangelho de volume de água ocorrido na seminários, comunidades Cada auxiliadora, dentro Jesus tem sido prioridade região Sudeste, período de e missionários, orando de suas limitações e reanessas atividades, e com tragédia com mortes. Por pelas famílias e ofertando. lidades, serve ao Senhor alegria temos notícias de outro lado, no Piauí a seca Providenciaamos também Jesus como mulher cristã, conversões e restaurações. destruiu 50% da produção kits de enxoval para bebês cumprindo os ensinamen-

tos do nosso Mestre e contribuindo para progresso e realizações de atividades que tem enriquecido o desenvolvimento das SAFs, Federações e Sinodais. Com certeza a soma de todo o trabalho executado irá fortalecer e abençoar o nosso trabalho feminino e consequentemente as nossas igrejas. Marly Silva de Marins é secretária de Ação Social CNSAFs


18

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Divulgação

Missões Nacionais

Rio Grande do Sul, um desafio missionário Por rev. Jair Moraes, divulgador JMN

S

omos gratos a Deus, pois, a cada dia, mais pessoas têm se dedicado à obra missionária e anunciado o evangelho. Há um foco impressionante de carência do evangelho no Rio Grande do Sul e a JMN (Junta de Missões Nacionais) desenvolve um trabalho nesse estado. Vale a pena saber o que tem para contar o missionário rev. César Pereira, de Santa Maria: “Com a bênção do Senhor, estamos no terceiro mês de trabalho aqui na cidade de Santa Maria. Temos nos adaptado bem aos costumes e ao clima da região. O município está localizado no centro do estado do Rio Grande do Sul, a 298 km da capital e, segundo dados do IBGE (ano 2006), contava com 270.073 habitantes. É uma cidade com

muitas universidades, bases do Exército e da Aeronáutica, que abriga pessoas de diversas regiões do Brasil e também de outros países. Temos aqui um povo tradicionalmente católico romano, mas há um bom número de adeptos do espiritismo, voltados ao misticismo, e há até quem pratique a feitiçaria. É considerável também o índice de pessoas com depressão e que cometem suicídio. A cultura é um tanto diferente da nossa região de origem. O povo gaúcho tem suas peculiaridades, cultivam as suas tradições, mantêm fortemente os vínculos familiares. A igreja, embora pequena em número de membros (28 comungantes e 12 não comungantes), é composta por gente de diversos estados do Brasil. A membresia é instável, pois é formada por uma grande parcela de estudantes e/ou militares com seus familiares, que

logo voltam para os seus lugares de origem ou se mudam para outra cidade. O campo missionário aqui é fruto da JMN. Em dois bairros da cidade mantemos um ponto de pregação. Temos o objetivo de fortalecer esse trabalho com a salvação de muitas vidas preciosas, e, para isso, temos feito visitas, cultos nos lares, grupos de discipulado e outras portas têm sido abertas para realização de visitas e novos estudos. Sabemos que para fazer tudo isso, além da unção da Espírito Santo, precisamos dispor de literatura e material adequado, bem como de recursos que nos facilitem o deslocamento.” Aceite esse desafio missionário, ore pelos campos missionários e pelos missionários do Rio Grande do Sul. Ajude os campos e participe conosco desta obra de Deus. Informações pelo e-mail pastor_cesar@hotmail.com.

IP em Santa Maria e seus membros Divulgação

Missões em Apuí (AM) Por rev. Ananias Loback

O

município de Apuí está localizado no extremo sul do estado do Amazonas, limitandose com os estados do Mato Grosso e Pará, sendo assim um ponto de encontro dos três Estados. Por esse motivo, há uma estrada municipal chamada Vicinal Três Estados. A principal fonte de riqueza é a pecuária. A cidade, em extensão, é equivalente ao estado da Paraíba ou aos estados de Sergipe e Alagoas somados. Não obstante, sua população é só de 20 mil habitantes, muitos provenientes de outros locais do Brasil. É a única cidade

do Amazonas sem porto fluvial, sendo formada à margem da Rodovia Transamazônica, que cruza o município numa extensão de 260 km. O trabalho presbiteriano teve o seu primeiro missionário em 1984. Um templo de madeira foi inaugurado em 1988. Já em 2002, quando aqui chegamos, esse mesmo templo estava parcialmente apodrecido e teve que ser substituído por um novo em alvenaria, cuja inauguração foi realizada em fevereiro de 2006. Com a cooperação de outras IPBs e da JMN, estamos lançando os alicerces do espaço Educacional-Social. Trata-se de um local com 300 m2 para

desenvolver os programas e atividades que muito contribuirão para a evangelização. Outros trabalhos aqui desenvolvidos são: meia hora diária de programa de segunda a sexta feira na rádio local, evangelização nos lares e manutenção de cinco grupos familiares e evangelização na creche municipal duas vezes por semana. Nossa alegria é ver pessoas deixando as trevas e vindo para a luz de Jesus. Orem conosco para que Deus envie recursos para a construção do espaço Educacional-Social. Informações sobre o campo missionário pelo e-mail ananiasloback@yahoo.com.br.

Missionário rev. Ananias Loback e a esposa Lílian


Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

ace

ww

Loja Virtual

sse

:

w.l

Frete não incluso nos preços. Promoção válida até 15/07/2007, ou enquanto durarem os estoques.

Nas compras acima de R$ 90,00, parcele em até 3 vezes nos cartões VISA, Mastercard ou Diners.

pc.o

enr iqu ou l eÇa sem igu e 19 seu emp 374 con obr 1-30 hec ece 03 i me ro nto seu b ol so!

rg. br

A Dádiva da Dor (Philip Yancey) + Aliviando a Bagagem (Max Lucado) + Bíblia, Fato ou Fantasia? (John Drane)

Bíblia Digital Ilúmina Gold + DVD Hernandes D. Lopes (2 pregações)

19

Marcos - O Evangelho dos Milgres (Hernandes D. Lopes) + DVD Turma da Arca 6 (2 episódios)


20

Brasil PRESBITERIANO

Junho de 2007

Literatura

De todo o teu entendimento: pensando como cristão num mundo pós-moderno Valdeci da Silva Santos

O

utro lançamento recente da Cultura Cristã é o livro De todo o teu entendimento: pensando como cristão num mundo pós-moderno, a obra mais recente de Gene Edward Veith Júnior. É uma versão revisada e atualizada de uma obra anterior, publicada em 1987, que reflete a preocupação cristã em interagir com a cultura ao redor, bem como motivar outros a fazerem o mesmo. O autor defende que a fé cristã tem uma epistemologia eficiente para se compreender as cosmovisões atuais e responder às suas indagações mais profundas. Na primeira parte, ele apresenta as bases bíblicas para o aprendizado “secular”, onde argumenta que o exercício da mente e a interação intelectual são elementos de uma vocação legítima de Deus para o cristão (pp. 17-34). Na segunda parte, o autor oferece uma perspectiva geral do pensamento contemporâneo, no qual aborda as pressuposições e características do mundo pós-moderno que oferecem resistências intelectuais e morais ao Cristianismo (pp. 37-84). O livro termina com a apresentação de uma hermenêutica dos principais aspectos da “mente cristã”, em que o Veith argumenta que “o cristianismo fornece uma estrutura intelectual que é, na verdade, superior a qual-

quer outra visão de mundo” (pp. 13 e 87). A conclusão é um comentário sobre o significado da expressão bíblica “amar a Deus de todo o entendimento” (pp. 135138). Como todas as obras de desse escritor, este livro encontra-se fundamentado em sólida pesquisa acadêmica, bem como em uma análise pertinente da literatura sobre o assunto. Diferente de outras obras do gênero, o livro não oferece uma discussão filosófica, mas uma estrutura de raciocínio com potencial para lidar com quaisquer idéias encontradas no mundo pós-moderno. Empregando o exemplo de Daniel e seus amigos na corte da Babilônia, o autor defende a tese de que “o cristão que busca conhecimento, procura se instruir e explora até a mais ‘secular’ das matérias está cumprindo uma vocação cristã que é agradável a Deus e de grande importância para a igreja” (p. 11). A compreensão dessa verdade, segundo o autor, é fundamental para que o cristão evite as duas atitudes mais comuns praticadas por aqueles que são confrontados com as discrepâncias básicas entre

a fé cristã e o pensamento ateu: o isolamento e o sincretismo. O fato é que alguns cristãos, esmagados pelo poder e prestígio do mundo secular, se retraem e não vêem qualquer razão para interagir com o contexto sócio-intelectual em que vivem. Outros, diante

do mesmo desafio, fazem concessões e abraçam uma versão sincrética do cristianismo, reinterpretando as verdades bíblicas de acordo com os padrões e valores vigentes. Gene E. Veith Jr. desenvolve a sua tese a partir de um estudo bíblico e histórico da importância da instrução “secular” para o cristão. Conclui que as Escrituras sempre apresen-

tam Deus como a fonte de todo conhecimento verdadeiro e habilidade intelectual (p. 19). Com respeito à história da igreja, o autor deixa claro que a instrução sempre foi incentivada pelo cristianismo, pois a fé cristã encontra-se alicerçada sobre a revelação especial Divulgação de Deus, ou seja, a Bíblia Sagrada. Logo, a leitura, a escrita e a instrução encontramse intimamente conectadas com as atividades relacionadas à pregação do evangelho e ao crescimento espiritual dos cristãos. Além do mais, “historicamente, foi a Bíblia que eliminou as superstições do paganismo e abriu as portas para a ciência, a tecnologia e a cultura ocidental” (p. 22). Logo, a centralidade da Bíblia para os cristãos implica em que eles nunca devem desprezar a instrução. Ao analisar os ataques mais comuns ao Cristianismo, Veith Jr. lembra que “aquilo que às vezes se apresenta como secular não tem nada de secular. Declarações sobre o significado, a origem e o propósito da vida são intrinsecamente religiosas” (p. 38). Dessa forma, a tese da neutralidade científica é uma falácia que os

cristãos devem saber distinguir claramente em suas interações com o mundo ao redor. Além do mais, há que se atentar para o fato de que muitos ataques ao cristianismo são fundamentados na ignorância acerca da sua verdadeira essência. O problema é que a versão mutilada da fé cristã é muitas vezes apresentada pelos próprios cristãos que divorciam proclamação de presença, ou seja, palavras do testemunho. Dessa forma, a missão cristã implica não apenas em informar pessoas, mas em instruí-las e discipulá-las quanto aos princípios bíblicos da fé cristã. Devido ao número de assuntos abordados pelo autor, o livro poderia ser mais volumoso. Há tópicos que realmente exigem uma investigação mais profunda. Contudo, o número de páginas apresenta-se como uma vantagem para aqueles que preferem uma instrução sólida e abrangente, mas não dispõem de tanto tempo nem da motivação para lerem compêndios minuciosos. O autor parece realmente ter atingido o seu objetivo em produzir uma obra útil para estudantes, seus pais, educadores e amantes do saber. Esta é mais uma excelente contribuição para a literatura protestante no Brasil. O rev. Valdeci da Silva Santos é coordenador do Doutorado em Ministério do Centro Presbiteriano de Pós-graduação Andrew Jumper e pastor da Igreja Evangélica Suíça, em São Paulo

bp_junho2007  

Cidade na Sibéria é novo campo de missionário da APMT Pastor da IPB lança obra sobre história da espiritualidade Pastor da IPB lança obra so...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you