Issuu on Google+

Para os estudantes terem uma UMES combativa e independente de governos propomos que o 15º Congresso da UMES possa pautar: Transporte Contra o aumento da passagem de ônibus Meia passagem para estudantes de cursinhos Contra o fim da meia-passagem de Ananindeua Auditoria no Transporte Público da região metropolitana Todos apoio a campanha salarial dos rodoviários Educação

Construindo a manha~ desejada

http://vamosalutanacional.blogspot.com/ `

Twitter: @JuvVamosaLuta

MANIFESTO AO CONSELHO METROPOLITANO DE GRÊMIOS DA UMES

Reforma imediata das escolas Democracia Interna: Eleições diretas para diretor Participação estudantil nos Conselhos escolares Ampliação das atividades do Mais Educação Não ao PRONATEC! Mais verbas para as escolas técnicas federais Movimento Estudantil Campanha de fundação de grêmios estudantis Participação ativa e prestação de contas da UMES nos conselhos de e ducação,de transportes e no FUNDEB Carteiras de meia-entrada da UMES a preço acessível para todos os estudantes da rede estadual de ensino Obs: Propostas de moções ao Conselho de Grêmios da UMES Chega de corrupção na ALEPA! CPI JÁ!

“Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente A gente muda o mundo na mudança da mente E quando a mente muda a gente anda pra frente E quando a gente manda ninguém manda na gente ... Na mudança do presente a gente molda o futuro” Gabriel o Pensador

Não à Belo Monte! Em defesa dos povos do Xingu! 10% do PIB pra educação! 50% dos fundos sociais do pré-sal pra educação Assinam esse manifesto: Grêmio UG; Grêmio JAM; Grêmio Moderno; Comissão Pró-Grêmio Pedroso; Vamos à Luta no IFPA.

Contatos: Gabriel (UG): 8220-6705 Rayssa (Moderno): 8337-6093 Raphael (Pedroso): 8203-7510 Ritielly (IFPA): 8386 9549 Jean (José Alves Maia): 8321-7499

Saudamos os estudantes participantes do Conselho de Grêmios da UMES. Esse fórum acontece num importante momento da conjuntura local e nacional onde a organização da juventude é uma necessidade para enfrentarmos fortalecidos o conjunto de ataques a educação e aos nossos direitos históricos conquistados. Te convidamos a ser parte da juventude que não se contenta com a realidade como é. Não nos agrada o passado como era. Não aceitamos o presente como está. Nossas propostas são um chamado, um projeto em construção, que necessita de sua opinião. Nos construímos na onda dos protestos e das passeatas. Por isso, te fazemos um convite... Vamos à Luta!


Mundo afora, a juventude luta e derruba governos! O ano começa com a juventude mostrando uma vez mais que através da mobilização o que é impossível pode se tornar inevitável. No mundo Árabe, os trabalhadores, junto a uma massa de jovens vem derrubando governos e lutando por uma nova sociedade. Está sendo assim no Egito, na Tunísia, na Síria e na Líbia. Esse processo de luta em defesa de democracia e contra os planos de ajustes dos governos que jogam toda uma geração no desemprego vem se alastrando mundo afora para desespero dos de cima. Na Europa, os estudantes de países como Portugal, Espanha e Grécia vem realizando mobilizações contra os ataques a educação em seu país. Na Inglaterra, no fim do ano passado, houve uma verdadeira rebelião e s t u d a n t i l c o n t r a o a u m e n to d a s mensalidades. Na França, os secundaristas

paralisaram mais de 500 liceus (escolas) contra a reforma da previdência. Esses exemplos nos mostram que vivemos num mundo em que o povo não vem aceitando de cabeça baixa os planos dos governos e que é possível até derrubar presidentes quando nos organizamos. É preciso que nos inspiremos nessas lutas porque no Brasil e no Pará o ano já começou com uma série de ataques que prejudicam o conjunto dos estudantes.

Um novo governo, uma velha política Começamos o ano com um novo governo, mas com uma velha política. Dilma, a exemplo de seus antecessores aplica um brutal corte no orçamento das áreas sociais, retirando 50 bilhões dos cofres públicos. Da educação são retirados cerca de 3,1 bilhões. Enquanto a situação de várias escolas públicas seguem um caos e acontecem casos como o alagamento na UNB, o governo não mede esforços em tirar da educação e seguir pagando a dívida pública como tem feito esse ano, onde por dia envia um bilhão para a mesma. Uma vergonha. Para iludir a juventude, assim como fez Lula, Dilma em seu primeiro pronunciamento anunciou a criação do PRONATEC. Nos moldes do PROUNI, a intenção do governo segue sendo criar bolsas em escolas privadas em troca de isenção fiscal aos empresários da educação. Enquanto isso, os estudantes do IFPA, por exemplo, seguem lutando por restaurante Estudantil e os centros técnicos federais em todo o país seguem sucateados.

No Pará, luta contra o aumento da passagem e por reformas nas escolas

No Pará, Duciomar começou o ano tentando aumentar a passagem de ônibus na região metropolitana junto com o Sindicato das Empresas de Transportes ($ETRAN$BEL) para R$ 2,15. Conseguimos barrar até aqui com nossa mobilização esse aumento abusivo, junto com outras entidades mas é preciso que todos os estudantes lotem a audiência pública no dia 29/04, em frente a prefeitura para derrotar de vez qualquer possibilidade de aumento para esse ano. Não é preciso ir longe para ver que a situação das escolas públicas em Belém é caótica. No ano passado, os estudantes do Deodoro de

Mendonça realizaram uma paralisação, chamando o Ministério Público para denunciar o descaso do governo, onde até ratos moravam dentro da sala de aula. No Cordeiro de Farias, os estudantes foram duramente reprimidos pela polícia militar porque lutavam contra a invasão do Tribunal de Justiça do Estado ao terreno da escola que deveria ser uma quadra e os mesmos ocuparam para construir um estacionamento. O Grêmio do Ulysses Guimarães vem realizando várias denúncias e levou até a imprensa a situação da estrutura do prédio da escola. É preciso seguir lutando em todas as frentes em defesa de uma educação pública e de qualidade, contra os desmandos dos governos. Para isso, os estudantes precisam estar organizados, que os grêmios estudantis possam estar articulados nas escolas e que a UMES saia do atual marasmo em que se encontra.

É preciso que a UMES volte a ser uma entidade que luta pelos estudantes Ao longo dos últimos anos o movimento estudantil secundarista em Belém viveu momentos difíceis. A ausência da UMES nas principais mobilizações e quando os estudantes mais precisavam dessa entidade é fundamental para o atual quadro das escolas, para a prefeitura de Ananindeua ter implantado o Passe Inteligente atacando o direito a meiapassagem e aos sucessivos aumentos nas passagens de ônibus. A UMES é uma entidade que tem cadeira no Conselho Municipal de Transportes, no Conselho Estadual de Educação e no Conselho do FUNDEB. Os estudantes não tem visto essa entidade prestar contas de suas

atividades nesses espaços, tampouco a UMES tem impulsionado campanhas para organizar o ME nas escolas com cartilhas de grêmios, palestras e atividades to tipo. Essa ausência não ocorre de forma abstrata. Ela se justifica porque no últimos anos, a UJS, que dirige majoritariamente essa entidade esteve ocupando cargos no governo Ana Júlia e silenciou sobre todos os ataques desse governos a educação. Uma verdadeira vergonha!.Precisamos de uma nova direção pra nossa entidade que defenda os interesses dos estudantes e não se atrele a nenhum governo.


Vamos à Luta no Conselho de Grêmios da UMES Belém