Page 1

“Para falar ao vento bastam quatro palavras,

para falar ao coração são necessárias obras.” Pe António Vieira

Janeiro de 2010

O Pátio dos Estudantes


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Vista parcial de Resende S.M

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE Rua da Escola Preparatória 4660-204 RESENDE Tel:254877396 Tel/Fax: 254871604

Editorial O Pátio dos Estudantes, o jornal mais antigo do concelho, mais uma vez vai cumprir o objectivo de divulgar junto da Comunidade Educativa os nossos anseios, as nossas preocupações e as nossas realizações. Mas sabendo nós que este jornal pode e deve ser um instrumento de comunicação entre todos os membros da comunidade e com outros parceiros do território educativo, muito nos apraz a colaboração da Senhora Vereadora da Cultura, da Senhora Bibliotecária Municipal, do Ilustre Patrono da Biblioteca Escolar da EB2 e dos Presidentes das Associações de Pais. É de extrema importância a colaboração de todos os elementos da Comunidade porque só assim será possível levar a bom porto a missão a que nos propomos e que podemos sintetizar na frase “TODOS OS ALUNOS TÊM DIREITO AO SUCESSO”. Para que essa missão se concretize plenamente é fundamental a colaboração de todos os pais e das suas associações com a escola. A leitura deste jornal é uma das colaborações que lhes pedimos e que agradecemos. O Director, Manuel Luís Tuna

Índice

RESPONSABILIDADE EDITORIAL Agrupamento Vertical de Escolas de Resende TEXTOS E IMAGENS Professores do Clube de Jornalismo Professores e alunos COORDENAÇÃO E ARRANJO GRÁFICO Professores - Sérgio Matos e Zélia Lopes REVISÃO DOS TEXTOS Direcção da Escola FOTOGRAFIAS Professores e alunos No nosso agrupamento há canais de comunicação e informação privilegiados, pelo que se indicam os seguintes endereços electrónicos:

 Página Web do Agrupamento: http://www.eb2-resende.rcts.pt

 E-mail do Agrupamento: info@eb2-resende.rcts.pt

 Plataforma Moodle: http://moodle.esev.ipv.pt/eb2resende/

Projecto Educativo TEIP

03

Sexualidade e adolescência

04

A diversidade no participar

05

Bibliotecas Escolares

06

Biblioteca Escolar do AVEResende

07

Actividades na B.J.C.D

08

Crónica natalícia

09

Quadra natalícia

10

Clube dos Ouriços

12

Presépios de Natal

13

Festa de Natal - EB2 de Resende

14

Festa de Natal - EB1 de Resende

15

Festa de Natal - 1.º Ciclo de S. Cipriano

16

Festa de Natal - C.E.S. Martinho de Mouros

17

A.P.E.C.E.M

18

Alunos com melhor aproveitamento - 2º ciclo

19

Douro - leituras: O gatinho abandonado

20

Artesanato: património cultural imaterial

22

Momentos Lúdicos

23


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Projecto Educativo TEIP O Agrupamento Vertical de Escolas de Resende foi considerado pela Administração Educativa um Território Educativo de Intervenção Prioritária (TEIP). A razão deste facto está nas condições sócio-económicas ainda existentes no Concelho. O baixo nível de escolarização da grande maioria da nossa população e índices económicos que nos situam como um dos concelhos com menos riqueza no País foram as razões que levaram a Administração a considerar-nos

nesse projecto. Felizmente os resultados escolares

dos nossos alunos têm melhorado ao longo dos últimos anos e, actualmente, estão ao nível da média nacional, nas provas de aferição realizadas nos 4º e 6º anos em Língua Portuguesa e Matemática e nas taxas de transição, que reflectem a avaliação interna. Também as situações de indisciplina e/ou violência são raras nas nossas escolas. Da situação descrita por esses indicadores nasceu a necessidade de melhorarmos o nosso desempenho e quando dizemos “nosso” estamos a falar de toda a comunidade educativa ou seja, alunos, pais e encarregados de educação, pessoal docente e não docente, direcção da escola e parceiros, sejam institucionais ou da comunidade. O instrumento fundamental que irá nortear o trabalho no Agrupamento nos próximos anos é o “PROJECTO EDUCATIVO TEIP” e que sob o lema “ JUNTOS VAMOS CONSEGUIR” procura privilegiar o trabalho articulado com a família. De uma forma resumida apresentamos a seguir os principais objectivos do projecto: - promover uma educação para o sucesso, prevenindo o insucesso e aumentando a qualidade do sucesso; - desenvolver competências sociais nos nossos alunos promovendo actividades de ocupação de tempos livres e prevenindo comportamentos de risco; - valorizar a imagem da escola, envolvendo a comunidade na dinâmica da mesma, principalmente os pais e encarregados de educação e proporcionando aos mesmos oportunidades de aumentar as suas competências parentais. Para que esse trabalho, entre a escola e a família seja eficaz, no plano de acção do Projecto Educativo prevê-se: 1. A constituição de um Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família (GAAF) que será formado por uma equipa multidisciplinar que integra professores, psicólogo, técnico social e animador cultural. Pretende-se que este gabinete tenha um trabalho de proximidade que pode chegar à visita domiciliária. Este gabinete apoiará alunos que indiciem problemas de comportamentos inadequados, desinteresse notório pelas actividades escolares, dificuldades de integração no meio escolar e diagnóstico nos casos de fraco aproveitamento escolar. 2. Apoio às famílias no âmbito das competências parentais e das novas tecnologias procurando dar-lhes formação adequada para que consigam apoiar os seus educandos. Este apoio refere -se à prevenção dos riscos inerentes à sociedade actual e, por outro lado, proporcionar-lhes melhores condições para obterem o sucesso educativo que todos desejamos.

Director do Agrupamento Vertical de Escolas de Resende Manuel Luís Tuna

PÁGINA 3


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Sexualidade e adolescência O Pátio dos Estudantes recepcionou novos artigos relativos ao primeiro período e que antecederam a época natalícia. Dada a sua relevância, serão partilhados com a Comunidade Escolar nesta edição. No dia 30 de Novembro de 2009 realizou-se, no auditório da escola EB 2 de Resende, um debate sobre o programa da sexualidade e adolescência, para todos os alunos do 6º ano de escolaridade. Estiveram presentes as oradoras Dra. Cristina dos Serviços de Psicologia e a Dra. Teresa Osório dos Serviços de Ginecologia. O momento foi aproveitado para iniciarem uma breve explicação sobre a sexualidade, como se manifesta, quais os métodos contraceptivos que existem e desmistificaram algumas dúvidas que existem ainda na nossa sociedade.

30.11.09

SIDA

SÍFILIS

O que é?

O que é?

É uma doença provocada pelo vírus VIH (Vírus da Imunodeficiência Huma-

É uma doença provocada pela bactéria Treponema Pallidum.

na).

Sintomas

Formas de contágio:

Inicia-se 3 semanas após o contá-

- partilhar seringas infectadas;

gio, no local da infecção, na região

- relações sexuais com portadores;

genital, um pequeno nódulo rosado

- transmissão ao feto pela mãe;

que evolui para uma úlcera indo-

- tatuagens com agulhas não esterili-

lor. Na segunda fase da doença, há

zadas;

uma erupção cutânea com sinto-

- partilhar objectos cortantes e pes-

mas de mal-estar, fadiga, dores de

soais (lâminas, escovas de dentes,

cabeça e nos ossos.

máquinas de barbear...).

Prevenção

Formas de não contágio:

O preservativo é muito eficaz e a

- picadas de insectos;

mulher

- contactos sociais e profissionais;

vaginais com líquidos desinfectan-

- utilizar casas de banho públicas;

tes suaves.

- beijar, abraçar, tocar;

pode

aplicar

irrigações

Formas de contágio

- partilhar roupa;

Quase exclusivamente por contac-

- utilizar os mesmos talheres;

to sexual. Um simples beijo em

- tomar banho com portadores;

qualquer

- brincar com portadores.

zona

que

tenha

uma

pequena ferida, é arriscado.

HEPATITE B

O que é? É uma doença causada por um vírus que ataca o fígado, sendo o sangue o principal meio de transmissão e depois a saliva. Formas de contágio Transmissão ao feto pela mãe, através do sémen e secreções vaginais, suor, lágrimas e saliva. Prevenção Através da vacinação.

PÁGINA 4


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

A diversidade no participar Acróstico sobre a água

O Outono

Água há em todo o mundo

No Outono a chuva bate furiosa-

Gelo é constituído por água

mente na janela. O vento é ameaçador e

Ui se nós não tivermos cuidado

traiçoeiro. O sol raramente aparece, às vezes até parece que fica com medo do

A vida natural acaba

mau tempo.

Estamos todos de mãos dadas

É nesta estação do ano que se costuma dizer que as árvores ficam despidas,

Sempre unidos por esta causa

ou seja, ficam sem folhas. Elas são consi-

Um copo de água potável dá saúde Ser bom cidadão é não estragar lagos, rios e mares Temos todos a obrigação

deradas a roupa das árvores. As folhas caem com a força do vento e da chuva que as faz parecer aviõezinhos coloridos a cair.

Evitar a sua poluição

O Outono e o Inverno parecem ser

Não aos pesticidas e a

irmãos porque são as duas estações do

Todos os produtos químicos

ano mais parecidas. É também nesta épo-

Ar puro é bom

ca que se apanham os frutos secos, como nozes e amêndoas.

Beber água potável também

Eu não gosto muito desta época

Ignorar a falta de água é muito grave

porque está muito frio e faz muito vento.

Levar ao desperdício Imaginem o mundo sem água

Cláudia 6ºC

Da qual tanto precisamos A água é o bem mais precioso do Mundo

Levar um sorriso à Santa Casa da Misericórdia de Resende

Defender a natureza E também preservá-la. Ana Dias Teixeira Viseu Cardoso nº 2 5ºF

18.12.09

No dia 18 de Dezembro de 2009, a nossa turma e outros colegas da escola,

Um filme divertido

fomos com os professores de Área de Projecto, à Santa Casa da Misericórdia de

09.12.09

No dia 9 de Dezembro, os alunos do 5º Ano, acompanhados pelos Directores de Turma, foram ao Auditório Municipal, a convite da Câmara Municipal de Resende, assistir a um filme . O filme retrata a vida de uma rapariga que foi transformada num monstro para salvar o mundo dos “Alliens”. O filme foi engraçado, tinha muita acção mas era um pouco assustador porque havia personagens maquiavélicas. Todos gostámos desta actividade.

Resende. Quando chegámos, cantámos canções de Natal para os idosos e um dos senhores também

cantou

connosco. A

seguir, oferecemos aos idosos uma pequena lembrança que a nossa turma fez nas aulas de E.V.T. Os idosos ficaram muito felizes com este nosso gesto de carinho e bondade. E nós, sentimo-nos satisfeitos por ter feito uma boa acção.

5ºE

5ºE

PÁGINA 5


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Bibliotecas Escolares Não estamos sós no universo!

Não estamos sós no universo! Esta convicção tem acompanhado o Homem ao longo da sua caminhada na Terra. E porque é que gostamos de acreditar que não estamos sós? Porque está na natureza humana querer partilhar as suas experiências, as suas histórias, as suas dúvidas, as suas crenças, conhecer e dar-se a conhecer, ouvir e ser ouvido, aprender, apreender, crescer, evoluir... em conjunto. As bibliotecas são fruto desta necessidade de querer conhecer e dar a conhecer, de partilhar com o outro o conhecimento para que a evolução siga o seu curso. Também elas acreditam que não estão sós no seu universo e por isso têm crescido, evoluído. O saber é partilhado. Para crescer sabem que podem contar com as experiências de umas, as práticas de outras,

adaptando,

melhorando,

aperfeiçoando,

criando, partilhando. Logo à nascença as bibliotecas escolares do concelho de Resende escolheram não ficar sós no seu casulo e têm vindo a crescer desenvolvendo um verdadeiro trabalho de equipa que decerto não demorará a dar os seus frutos. As bibliotecas do Agrupamento Vertical de Escolas de Resende, da Escola Secundária e do Externato D. Afonso Henriques, em conjunto com o SABE, Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares da autarquia de Resende, integradas numa família ainda maior como a Rede de Bibliotecas Escolares a nível nacional, vão seguramente crescer e evoluir. Só precisam de vontade de partilhar e alguém com quem partilhar: um aluno, um professor, um funcionário, um encarregado de educação, um amigo ou toda a comunidade. Sejam todos bem-vindos!

Dr.ª Ana Pinto

PÁGINA 6


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Biblioteca Escolar do AVEResende Boletins da BE Este ano lectivo, a BE do AVEResende, sob a coordenação da professora bibliotecária, professora Minervina Dias, já publicou três boletins informativos. Poderá consultá-los no blogue da Biblioteca Escolar: http://bibliotecaescolaravresende.blogspot.com/ Equipa BE

BOLETIM INFORMATIVO N.º 3

Actividades na BJCD Um conto de Natal “Nas Asas do Arco - Íris” 09.12.09

Na manhã do dia 9 de Dezembro, os alunos foram surpreendidos pelas novidades na BJCD ao depararem-se

com uma nova actividade, a qual que lhes suscitou curiosidade e interesse. Num primeiro momento, a actividade em questão consistiu na realização de um convite à leitura do conto Nas Asas do Arco – Íris, da escritora Alice Cardoso. De seguida, com o intuito de interpretar e interiorizar a mensagem moral do conto, solicitou-se a descoberta e o registo, em documento próprio,

do que a Ariela e as suas amiguinhas

iriam fazer para tornar especial o Natal na cidade cinzenta. Posteriormente e para finalizar, os alunos elaboraram um desenho representativo do mesmo, tendo dado asas à sua imaginação e criatividade!

Reflectindo ... A reflexão sobre a mensagem deste conto poder-nos-á conduzir para o reconhecimento da importância e da potencialidade do nosso papel na sociedade. Apesar da fada Ariela apenas existir na ficção, está ao alcance de todos contribuir para colorir a vida daqueles que vivem um dia - a - dia cinzento, onde um simples sorriso, uma atenção especial, uma palavra amiga, poderá acalentar os seus corações. Clube de Jornalismo

PÁGINA 7


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Actividades na BJCD Comemoração do dia da Declaração Universal dos Direitos do Homem 10.12.09

Nos dias 9 e 10 de Dezembro de 2009, na biblioteca Dr. Joa-

quim Correia Duarte, a equipa de BE dinamizou uma actividade denominada “Aprendo e divirto-me”, com os objectivos de contribuir para a formação pessoal e social dos alunos; valorizar a imagem da BE; promover a literacia da informação e desenvolver competências, em particular, no âmbito da leitura e da escrita. Estas actividades, consistiram na realização de tarefas específicas e diversificadas, registadas num documento (Guião de Actividade). De acordo com as instruções do guião, os alunos percorreram e contactaram com os diferentes espaços físicos da BE, realizando actividades relacionadas com os artigos da Declaração dos Direitos Humanos. O guião contemplava ainda, de uma forma lúdica, a reflexão sobre conhecimentos ao nível da língua materna. No final do percurso, os alunos registaram no “livro”, elaborado para o efeito, uma mensagem alusiva à temática em causa e de acordo com as instruções do guião. Equipa da B.J.C.D

A aluna do 6ºF, Rute Micaela Loureiro Borges foi a vencedora e recebeu como prémio um livro do escritor António Mota, recomendado pelo Plano Nacional de Leitura, intitulado “Os Sonhadores”.

Quadra natalícia na B.J.C.D

Dezembro 09

PÁGINA 8


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Crónica natalícia 12.01.10

Concluímos há pouco as celebrações do Natal.

Bom Mestre que nos vem ensinar caminhos da felicidade e do amor, e o Amigo Certo

Desta vez, com uma novidade

que dá sentido às nossas vidas, futuro à

interessante: milhares de famílias

nossa passagem por este mundo e espe-

portuguesas, e também algumas de

rança à nossa existência breve e contingen-

Resende, retiraram a figura do velho

te.

e fictício “pai-natal” das chaminés e das varandas

Esta sociedade que se afasta da Fé

e puseram nos mesmos lugares um sugestivo e

e de Jesus para dar largas a liberdades sem

artístico painel de lona, com a imagem do Menino

regras e a vidas sem sentido, tem vindo a

Jesus.

perder cada vez mais o sentido histórico e Em boa hora! – acrescento eu, e explico-

verdadeiro do Natal. Contribuiu para isso,

me: A palavra “natal” resulta do verbo latino

anos atrás, uma grande empresa americana. Pretendendo aumentar as suas vendas

“nascere” que significa nascer. “Dies natallis” sig-

durante as festas natalícias e auferir com

nifica dia do nascimento.

isso assombrosos lucros, lançou no mundo

Celebrar Natal só pode ser, portanto, cele-

a figura do chamado “pai-natal”: um velho

brar um nascimento: nascimento de alguém ou

que chegaria das terras nevadas da Lapó-

de alguma coisa.

nia, trazendo presentes a todos, e ainda

O dia em que nascemos é o nosso dia de

mais às crianças. A figura do “velhinho”

natal. Nesse importante dia, celebramos em cada

não passa por isso de um grande embuste

ano o nosso aniversário: com alegria, prendas,

e de um enorme aproveitamento comercial.

mimos, festas e homenagens. Ora, o dia 25 de Dezembro de cada ano é

Estando a nossa sociedade voltada para o consumo, a ideia tornou-se moda, a

o dia de anos de Jesus. Foi o dia do seu nasci-

figura do velhote substituiu a do Menino e

mento, há mais de dois mil anos.

vem-se perdendo, a pouco e pouco, o sen-

Os que seguem a Cristo e se honram com

tido do Natal.

o nome e a vida de cristãos, considerando Jesus

Ora, isto é um erro grave: para as

O Irmão e O Salvador, reúnem-se em famílias

crianças e para todos. A mentira não edu-

nessa noite para celebrarem a Sua vinda, com

ca. O que é falso não perdura. A mentira só

ceia farta, amor e prendas, e nas igrejas nesse

pode alienar-nos… e afastar-nos de Deus e

dia para, juntos, O homenagearem pelo Seu nas-

da Verdade.

cimento, proclamarem a profunda gratidão dos

Os velhos não nascem. O “pai-natal”

homens e cantarem a glória incomensurável de

é uma figura gorducha barbuda e simpáti-

Deus.

ca, mas hipócrita, falseada e inventada. Na linha de uma interessante tradição

Viva por isso Jesus que nos veio sal-

romana, que celebrava nesta altura a Grande

var, com tanto Amor e com tanto Sofrimento!

Festa do Sol, pelo facto de acontecer por esses dias o solstício de Inverno e o retorno do sol para

Bom Ano para todos.

dar mais luz e mais calor à natureza e aos homens, a cristandade acabou por colocar nesse dia a vinda de Jesus ao mundo, como a Grande Luz que

vem

J. Correia Duarte

iluminar os nossos corações, o

PÁGINA 9


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

A quadra natalícia A Escola de Rendufe em festa No último dia de aulas decorreu a festa de

Cavacas com sabor a Natal Cavacas quentinhas

Natal na nossa Escola. Todos os alunos participa-

Acabadas de fazer

ram, numa bonita peça de teatro, na entoação

Venham para a mesa

de canções e recitação de poemas alusivos a

Não as deixem arrefecer.

esta quadra. Foi uma das muitas oportunidades de exteriorizar o sentimento da amizade que une

Desculpem estar a incomodar

todas as nossas crianças.

Trago o menino para as provar

No final, fizemos a recepção ao Pai - Natal que nos entregou as prendas, tão desejadas.

Deste doce tão delicioso Concerteza que ele vai gostar.

Após o espectáculo, aguardava – nos uma mesa cheia de iguarias da época, que as mães e

Quando á noite adormeço

as avós prepararam com mimo. Todos entramos neste espírito Natalício

Vou com Jesus brincar Acendo mil estrelinhas

participando com alegria nesta festa para nós e

Que a todos vai iluminar.

para os nossos familiares. Foi um dia especial, em que a comunida-

Vem Jesus meu amigo

de educativa esteve presente e se estreitaram

Envolve-me em felicidade

laços.

Vem brincar comigo Foi, de facto, uma festa muito divertida!

E mostra-me a amizade. Quando conta Jesus Que as cavacas são boas

Texto colectivo Alunos da EB1 de Rendufe

Ele diz que quer mais E quase as come todas. Mariana Lourenço nº 17 5º C

Poema ao Menino Jesus O Natal já chegou O Menino Jesus já nasceu É um dia de alegria Todos juntos Cantamos melodias A família reúne-se Prepara-se o Presépio Faz frio lá fora Mas o Menino Jesus Aquece os nossos corações.

5º E

PÁGINA 10


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

A quadra natalícia Mais uma vez, chegou o Natal… Num vai e vem de actividades, muito trabalho pela frente e elevado empenho, finalmente chegou o Natal. Trabalhando em equipa, havendo cooperação entre alunos e com o envolvimento destes e suas famílias, os resultados não podiam ser melhores. Foi criado um encontro entre os estabelecimentos de ensino/pais, onde houve a oportunidade de trabalhar as competências ligadas às referidas actividades. Foi gratificante constatar a receptividade dos Pais, Encarregados de Educação e Junta de Freguesia, quanto à sua participação e ver a forma alegre e divertida com que as nossas crianças os presentearam, mostrando-lhes orgulhosamente o que tinham preparado em tempo recorde (teatro, canções, poesias). Nesta data festiva, foi referido que este, não significa só presentes mas sim o caminhar

Dezembro 09

Dia de Natal Hoje é dia de Natal Mas o menino Jesus. Nem sequer tem uma cama, Dorme na palha onde o pus. Recebi cinco brinquedos Mais um casaco comprido. Pobre menino Jesus, Faz anos e está despido. Comi bacalhau e bolos, Peru, pinhões e pudim. Só ele não come nada, Do que me deram a mim. Os reis de longe lhe trazem, Tesouros, incenso e mirra. Se me dessem tais presentes, Eu cá fazia uma birra. Às escondidas de todos Vou pegar-lhe pela mão E sentá-lo no meu colo Para ver televisão Inês Águas nº 5

de mãos dadas para a construção de uma socie-

5ºF

dade mais justa, tolerante, solidária, aproveitando este espírito Natalício para exercer actos de solidariedade.

Poemas de Natal

EB1 de S. Cipriano

Natal é felicidade Felicidade e amor Amor para todos Todos os pobres Pobres mas felizes Felizes com o mundo Mundo cheio de alegria Alegria e paz Paz para as pessoas necessitados Necessitados a quem nós vamos ajudar Ajudar com muita paz e amor

Cátia Alexandre 5ºC

PÁGINA 11


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Clube dos Ouriços Olá a todos os leitores do Jornal “O Pátio dos Estudantes”. O Clube dos Ouriços, de acordo com o seu plano de actividades, para o período de Natal decidiu recolher produtos ambientais do recinto escolar, tais como: ouriços, pinhas, rebentos de pinheiro, folhas secas, troncos de vide, bem como outros materiais (cartão, luzes de natal, guardanapos decorativos, pegas de cozinha, velas, etc) para criar/ construir: árvores de natal artificiais iluminadas, para decorar os espaços da escola, nomeadamente a secretaria e o buffet. Para além das árvores, ainda foram feitos arranjos de natal, pegas e velas utilizando a técnica do guardanapo, separadores para livros com o logótipo do clube, entre outros. Estes produtos foram expostos e vendidos, com o objectivo de angariar fundos para ajudar a Associação da Liga Portuguesa Contra o Cancro. O clube em parceria com a turma do 5ºC, tomou a iniciativa de promover uma campanha de solidariedade para ajudar/apoiar as famílias do concelho de Resende com mais necessidade. Esta campanha teve como objectivo recolher bens alimentares de primeira necessidade, brinquedos e roupa. Para esta 1ª edição de solidariedade, os resultados obtidos ultrapassaram as nossas expectativas, pois todos ajudaram com o pouco que tinham e assim foi possível dar um sorriso diferente a muitas famílias de Resende. O clube agradece a todos os que participaram nesta campanha. O clube dos Ouriços voltará a lançar novas campanhas de solidariedade, esperando que os resultados/objectivos sejam tão animadores como os desta campanha de natal. O Clube dos Ouriços

Tradições de Natal em S. Cipriano

Na nossa aldeia que é S. Cipriano há muitas tradições e é muito bonita. Aqui existem duas bandas de música: “A Banda Velha” e de música “A banda Nova”. É tradição que no adro da nossa igreja, todos os anos no dia de Natal, seja a “Banda Velha” a fazer o seu concerto de início da nova temporada musical e que no dia de Ano Novo seja a “A Banda Nova” a fazer da mesma forma, o seu concerto. É muito engraçado ver as pessoas da nossa aldeia, todas entusiasmadas, a aplaudir as respectivas Bandas. Também vêm pessoas de outras terras para as verem, ouvirem e assistirem às missas de Natal e Ano Novo cantadas pelas mesmas Bandas de Música. No fim das missas há o tradicional “beijar do Menino Jesus”. Turma J-1.1

PÁGINA 12


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Presépios de Natal

Os professores de Educação Visual e Tecnológica e os alunos da Escola EB2 de Resende brindaram-nos com a apresentação de um lindíssimo presépio que meticulosamente construíram. Dada a sua magnitude, foi dividido por diferentes locais da escola, salientando-se que até os mais pequeninos pormenores, repletos de significado, foram percepcionados pela generalidade da Comunidade Escolar. Este presépio contextualizou-se no Conselho de Resende, pelo que as suas freguesias se encontraram devidamente representadas no mesmo. Assim, nesta

verdadeira

obra-prima, as freguesias de:

 Anreade  Barrô  Cárquere  Feirão  Felgueiras  Freigil  Miomães  Ovadas  Panchorra  Paus  Resende  S. Cipriano  S. Martinho de Mouros  S. Romão ganharam uma vida especial!

Prof. Sérgio Matos

PÁGINA 13


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Festa de Natal - EB2 de Resende No

dia

18

de

Dezembro a escola EB 2 de Resende, organizou uma

festa

de

Natal,

para alunos, professores,

encarregados

educação

e

de

restante

comunidade escolar. Alguns

alunos

representaram o nascimento de Jesus. outros cantaram

canções

de

Natal. Todas as turmas ofereceram

ao Menino

Jesus um presente de

Presépios de Natal

acordo com o seu Projecto Curricular de Turma. Um

menino

de

cada turma colocou um chinelo no presépio. A seguir, todos os meninos adormeceram para não verem os presentes trazidos

pelo

Menino

Jesus. No fim, os meninos

de

pijama

foram

junto do presépio buscar

os

presentes

que

havia para cada aluno. Esta

festa

foi

muito alegre e relembrou-nos

o

espírito

natalício. 5ºE

PÁGINA 14


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Festa de Natal – EB1 de Resende Nesta edição do Pátio dos

18.12.09

Os alunos do 1.º Ciclo da Escola EB1 de Resende realizaram

Estudantes é com especial

no dia 18 de Dezembro de 2009 a sua Festa de Natal. A organização

agrado que se publicam arti-

da festa esteve a cargo das professoras e professores da escola e

gos elaborados pelos Encar-

decorreu entre as 9:30 e as 12:00 horas, no Salão Nobre dos Bom-

regados

beiros Voluntários de Resende.

de

Educação

dos

alunos do nosso Agrupamento.

Com entusiasmo, para ali convergiram todas as crianças e muitos familiares, todos imbuídos do autêntico espírito natalício.

Para eles, o nosso bem-

Cada ano de escolaridade, por sua vez e por turma, subiu ao palco

haja e uma palavra de agra-

exibindo toda a criatividade, toda a alegria e toda a arte em cada

decimento pela sua partici-

apresentação. Canções, danças, récitas, presépios… tudo iluminou e

pação.

deu cor ao palco, onde a estrela que mais brilhou foi, sem dúvida, a

Esta iniciativa surge con-

exultação contagiante dos rostos infantis.

textualizada na actual reali-

Seguiu-se depois um pequeno lanche - convívio, com a parti-

dade escolar, onde se consi-

cipação de todos os presentes. Na mesa franqueavam-se, entre

dera fundamental a

colabo-

outras iguarias, as degustações gastronómicas da quadra: filhós,

ração dos Pais e Encarrega-

rabanadas, aletria, bolo-rei… tudo cuidadosamente trazido pelas pró-

dos de Educação no comple-

prias crianças.

xo processo ensino - aprendizagem,

O momento mais aguardado, a distribuição das prendas, veio

bem como um

a seguir. Apareceu o Pai Natal e, por entre uma ensurdecedora grita-

acompanhamento atento no

ria e outras esfusiantes expressões de contentamento, cada um teve

percurso educativo e forma-

a oportunidade de receber, de mão própria, um presente. E, a pouco

tivo dos seus educandos. Pretende-se enriquecer o

e pouco, toda aquela gritaria se acalmou. A partir de então, a atenção de cada criança cingiu-se ao desembrulhar da prenda, aos pri-

nosso Jornal, permitindo a

meiros ensaios do brinquedo e … “Ala, que se faz a tarde!”, rumo a

partilha, a divulgação e o

casa.

reconhecimento do trabalho desenvolvido por todos. Neste sentido, convida-se toda a Comunidade Escolar, em particular, Pais e Encarregados de Educação, a participar activamente nas edições do Pátio dos Estudantes, podendo enviar os seus

Com a melhor das determinações, todos partiram a gozar as merecidas férias! Em nota, deixemos o nosso agradecimento aos professores, pelo empenhamento na preparação da festa, à Junta de Freguesia de Resende, pelo patrocínio das prendas, aos Bombeiros, pela cedência das instalações, aos familiares, pela dedicação e, claro, às próprias crianças, que (porque assim são… ) nos contagiam de felicidade com cândidas recordações. Prof. Fernando Vieira - Presidente da Associação de Pais de Resende

artigos para o e-mail: averesende.jornalescolar@gmail.c om.

Clube de Jornalismo Prof. Sérgio Matos

PÁGINA 15


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Festa de Natal – 1.º Ciclo de S. Cipriano O Natal, ou a festa de Natal, feita na escola de São Cipriano é igual a muitas outras praticados pelas escolas do nosso concelho. E é de

JI e EB1 de S. Cipriano PROGRAMA

congratular o empenho de todos os professores

1-

Canção: “Vogais de Natal”- J.I.

para que se realizem estes eventos. É uma das

2-

Canção: “Pastores” – J.I.

maneiras de chamar mais pais às escolas para

3-

Poema: “ É Natal” – EB1

4-

Poema: “ O Pai Natal” – J.I.

56-

Poema: “ O Pinheirinho” – J.I. Coreografia: “ As bruxas do mal”- EB1

7-

Canção de Natal: “ À volta do pinheiro” – EB1

8-

Poema: “ Dia de Natal”- EB1

participarem e conviverem com os seus educandos.

Aqui em São Cipriano juntaram os alunos

da EB1 e Jardim infantil no mesmo evento. Os alunos fizeram um teatro alusivo ao Natal, cantaram, tocaram e o final da festa foi o momento pela qual os alunos mais aguardavam,

9- Canção: “ Tocam os sinos “ – EB1 10- Poema: “O Natal está a chegar” – EB1 11- Canção: “ We wish you a Merry Christmas” – EB1

a chegada do Pai Natal com o saco das prendas.

12- Teatro: “ Empregado de escritório procura-se” – EB1

Tudo isto com a participação dos pais.

13- Flautas: “ Pastores da serra” – EB1 14- Canção: “ A todos um bom Natal” – Todos

Infelizmente nem todos os pais puderam estar presentes devido a compromissos dos mesmos, mas felizmente ainda existem muitos que fazem questão de participarem em todos os

15- Chegada do Pai Natal

18.12.09

eventos e festas programadas por esta escola, e é de louvar o empenho que os professores têm para que assim continue. Alexandra Cristina Borges Monteiro Presidente da Associação de Pais de S. Cipriano (JI e EB1).

Festa de Natal no Centro Escolar de S. Martinho de Mouros

No último dia de aulas do 1ºperíodo realizámos a nossa festa de Natal. Foi uma festa muito bonita, onde não faltou um auto de Natal, muitas danças e canções relativas a esta festa da família. Muitas pessoas assistiram a esta actividade tão colorida e animada. Agradecemos a participação de alguns pais que cantaram muito bem! Muito obrigada também às palavras carinhosas e incentivadoras do senhor Director do nosso Agrupamento de Escolas e do senhor Presidente da Câmara de Resende. Ah! Os cachecóis são muito quentinhos! Turma M5 – 4.º ano – Prof. Natividade em: http://turmam5.blogspot.com Para mais informações sobre o trabalho desenvolvido no Centro Escolar de S. Martinho de Mouros deverá consultar o nosso blog: http://ce-s-martinho-mouros.blogspot.com

PÁGINA 16


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Festa de Natal – C. E. S. Martinho de Mouros No dia 18 de Dezembro de 2009, realizou -se na nossa escola de S. Martinho de Mouros a festa de Natal.

também apresentaram danças que se enquadraram muito bem nesta representação. A seguir um grupo de meninos fizeram

Começamos por nos vestir na sala de

a dramatização da história”O Zé Pimpão e a

aula, de seguida veio um senhor filmar-nos,

Maria dos olhos grandes” acompanhada de

para fazer um DVD.

canções e danças. Por fim cantamos todos

Depois saímos da escola, por turmas,

juntos a canção do “Oh happy day”. Os nossos

dirigimo-nos para o pavilhão. Por volta das 10

pais também participaram com uma canção

horas e 30 minutos começou a nossa festa de

na nossa festa de Natal.

Natal.

Para finalizar a nossa festa ouvimos A festa começou com a abertura de uma

um discurso do Senhor Director do nosso

caixa grande, da qual saíram muitos balões

Agrupamento e do Senhor Presidente

da

coloridos. De seguida os meninos do jardim de

Câmara Municipal de Resende. Por último

infância do nosso Centro Escolar presentearam-

recebemos uma prenda oferecida pelos Presi-

nos com uma bela dança. Depois todas as tur-

dentes das Juntas da Freguesia de Barrô, S.

mas do primeiro ciclo participaram na represen-

João de Fontoura, Paus e S. Martinho de Mou-

tação de um auto de Natal. À medida que se foi

ros, assim como um lindo cachecol oferta da

apresentando o auto de natal, algumas turmas

Câmara Municipal de Resende. Turma M7 (4ºano) - Prof.ª Emília

Palavra Puxa Palavra Acróstico

Festa de Natal Festa de Natal na nossa escola Escola que estava cheia de gente

Da Festa de Natal

Gente que adorou e que admirou

Festejamos no dia 18 de Dezembro uma Festa

Admirou a nossa festa

Escadas cheias de pessoas

Festa que foi engraçada

Sexta-feira comemoramos esse dia

Engraçada foi a acriançada

Tínhamos medo de errar

A criançada que estava a dançar com as fitas

As danças que alegraram as pessoas.

Fitas coloridas Coloridas como nós estávamos

De uma caixa saíram muitos balões

Estávamos felizes

E nós muito animados dançamos.

Felizes como os nossos pais Pais que nos vieram adorar

Naquela maravilhosa Festa havia vários disfarces

Adorar as canções

Aquela maravilhosa manhã foi espectacular

Canções cantadas por professores e alunos

Tínhamos fitas coloridas

Alunos que agradeceram a presença de todos.

A nossa Festa foi muito elogiada Linda Festa bem organizada!

Dia 18/12/2009 Turma M7 (4.º ano) – Prof.ª Emília Centro Escolar de S. Martinho de Mouros

Turma M7 (4.º ano) – Prof. ª Emília

PÁGINA 17


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

A.P.E.C.E.M APECEM Pais e

(Associação de

Os Finalistas do 4º ano do Centro

Encarregados de

Escolar, visitaram o Estádio Dom Afonso

Educação do Centro Escolar de São Martinho de Mouros) foi criada em 23 de Abril de 2007, em reu-

Henriques em Guimarães, conviveram com os jogadores, visitaram os balneários, o relvado e trouxeram prendas que a direcção do Vitória de Guimarães ofereceu. Em Par-

nião dos Pais e Encarregados de Educação, dos alunos do

ceria com a Autarquia cria-mos um clube de

Centro Escolar de São Martinho de Mouros, com o intuito

Andebol federado que participa nos Cam-

de ser uma ajuda pertinente à direcção do novo Centro

peonatos regionais da Associação de Ande-

Escolar, mas também um elo de ligação organizada de Pais ao Agrupamento Vertical de Escolas de Resende, com o objectivo prioritário de fazer com que os Pais e

bol de Viseu, caso único de alguma Associação de Pais! Neste Ano Lectivo de 2009/2010,

Encarregados de Educação fizessem parte integrante da Escola e do movimento educativo, participando activa-

até agora participamos na Festa de Natal, cantando uma Música, e trazendo alegria,

mente nas actividades da Escola e nas suas próprias actividades educativas. Têm sido 2 anos e tal de trabalho

satisfação e surpresa a alguns dos presentes e sobretudo aos alunos. Temos mais

da direcção, muito motivador e bem recebido por parte da Comunidade Escolar, sempre com um feedback bastante positivo. Logicamente que temos algumas limita-

uma equipa federada de Andebol, perfazendo cerca de 40 miúdos a praticar a modalidade num horário pós escolar que permite

ções financeiras, uma vez que a quota anual dos Pais é

mais tempo aos Pais para os irem buscar,

de 2 euros, mas nada que nos impeça de nos últimos

no fim de executarem as suas profissões.

tempos termos feito bastantes actividades que passo a descrever: no primeiro ano , e logo depois da tomada de

Neste sentido deixamos um apelo às Juntas de Freguesias de Paus, São Martinho

posse, trouxemos ao Centro Escolar uma delegação do Vitória de Guimarães, composta pelo presidente do clube Emílio Macedo , o capitão da equipa e jogador Moreno, e

de Mouros, Barrô e São João de Fontoura que nos continuem a ajudar na medida do possível pois sem elas e sem o apoio que

também o seu treinador Manuel Cajuda. Foi um dia memorável onde os nossos alunos tiveram a oportunida-

nos tem dado é tremendamente impossível consignarmos os nossos objectivos. Agrade-

de de brincar, falar, conversar com personalidades que estavam habituados a ver só na televisão. A direcção do

cemos também ao Município de Resende todo o apoio que nos tem dado e facultado,

Guimarães ofereceu bolas, galhardetes e outras lembranças.

acreditando assim nos nossos projectos e idéias, para uma Escola de Igualdades logo

Pela primeira vez um grupo da APECEM partici-

uma Escola melhor e mais robusta, sem dis-

pou e colaborou com a Autarquia de Resende no Festival da Cereja, ajudando a preparar os nossos alunos e a

criminações nem diferenças. Continuaremos a trabalhar para uma Escola mais introduzi-

colaborar na organização dos Desfile. No final desse ano lectivo fizemos um lanche de Pais, Encarregados de Edu-

da na Comunidade Familiar, mais solidária , mais colaboradora com os Órgãos de Ges-

cação, Alunos e alguns Professores, que contou com a

tão

presença do Sr. Presidente da Autarquia, Eng.º António

numa futura Escola de Pais como parte inte-

Borges. No ano seguinte participamos na Festa de Natal

grante do nosso magnífico Centro Escolar.

Escolar,

e

sobretudo

transformada

com a oferta de bolo rei a todos os presentes, na Festa de Carnaval contribuindo monetariamente para os materiais a utilizar, na Festa de Final de Ano Lectivo dando algumas lembranças aos meninos que nos iriam deixar , rumo a uma nova aventura no 2º ciclo.

O Presidente do Conselho Executivo da APECEM

Marcos Antunes

PÁGINA 18


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Alunos com melhor aproveitamento - 2º ciclo Nesta edição do Pátio dos Estudantes, com o intuito de motivar os discentes para a melhoria do seu desempenho escolar, em prol do seu sucesso escolar, são divulgados os nomes dos alunos com melhor aproveitamento nas turmas dos 5º e 6º anos de escolaridade. O Pátio dos Estudantes consultou as pautas de avaliação das turmas e procedeu ao cálculo das médias aritméticas das classificações quantitativas das áreas curriculares disciplinares, seleccionando o(s) aluno (s) com a média mais elevada e com as melhores menções qualitativas nas áreas curriculares não disciplinares, por turma. Para os alunos seleccionados, parabéns pelo trabalho desenvolvido! Para todos os alunos do Agrupamento, uma palavra de alento, recordando-lhes que com empenho e dedicação diária conseguirão obter muitos sucessos!

Ana Teresa Silva

6ºF

6ºA

Miguel Pinto

Fernando Ramos Pinto Júlio Luís Duarte Liliana Patrícia Pinto

6ºE

6ºG

6ºB

Inês Assembleia

Joaquim Rodrigues Ana Dias T. Cardos o

5ºD

Ana Matilde Dias

5ºC

5ºG

6ºD

6ºH

Rosana Teixeira

Cristina Loureiro

5ºB

5ºF

6ºC

Ana Rita Pereira

Ana Bernardo

5ºB

5ºE

Ana Isabel Botelho

Ana Ferreira Eduarda Sequeira

5ºA

Margarida Almeida

5ºA

Cátia Alexandre

Clube de Jornalismo

5ºG

Nota: Nas turmas do 5º A, B, e G, foram seleccionados mais alunos porque tinham a mesma média aritmética.

PÁGINA 19


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Douro - Leituras Esta história, da autoria da Profª Dulce, é dedicada às suas duas sobrinhas, Ana Teresa e Mariana. Através dela, a autora espera contribuir, de algum modo, para sensibilizar os nossos leitores para o problema do abandono dos animais.

O gatinho abandonado A noite chegou. A chuva e o vento batiam com força nas janelas e portas. Mariana espreitava pela janela do seu quarto. Sentia-se protegida, naquele calor, enquanto lá fora o frio pairava no ar. De repente sentiu um arrepio! Como estaria o gatinho que ela e a prima tinham encontrado nesse dia? Era tão pequenino. O pêlo suave lembrava um novelo de algodão. Tinham combinado leválo para a arrecadação do quintal. Enquanto Ana Teresa o protegia com o seu corpito, Mariana tinha corrido até casa e pedido à mãe uma caixa de papelão. Forraram-na com um pano macio e colocaram o gatinho naquele ninho improvisado. Olharam uma para a outra, sorrindo, orgulhosas! Iriam tratar dele! Só que agora, Mariana não tinha a certeza se tinham feito bem deixá-lo sozinho. Afinal era apenas um bebé. Sentiu uma ligeira pancada na porta. Olhou para trás e viu a porta do quarto a abrir-se. A mãe sorriu. - Então não devias estar na cama? Amanhã tens que ir para a escola. - Estava a ver a chuva! Mãe, será que está muito frio lá fora? - Claro que está, meu amor. Mas aqui tu estás quentinha e se fores para a cama ainda ficarás mais. Mariana sorriu e dirigiu-se para a sua caminha fofa, onde o seu urso de peluche parecia ter adormecido há muito. A mãe compôs-lhe a almofada e cobriu-a. - Então qual é a história que queres que eu leia? - Pode ser uma que fale de gatinhos? - De gatinhos? Claro! E começou a ler. Mariana não estava atenta à história. Olhava a mãe mas a sua cabecita estava longe. Será que o gatinho estava confortável? Teria frio? Ela e a Ana Teresa tinham-lhe feito uma cama confortável. Mas tinha receio que ele se sentisse perdido! Tão perdido como quando, depois da escola, o tinham encontrado, atrás de um arbusto a miar muito baixinho. A mãe parou de ler. Olhou com atenção o rosto da filha. Algo se passava. Tinha a certeza que Mariana não tinha ouvido uma única palavra da história que estava a ler. - Mariana, não estás a prestar atenção à história. O que te preocupa, filha? - Mãe, os bebés nunca deviam ficar sozinhos, pois não? - Claro que não! Os bebés precisam quem cuide deles. Mas porquê essa preocupação? Já não és um bebé! Com oito anos és uma senhorita. E o pai e a mãe estarão sempre aqui contigo. - Eu sei mãe! Mas há quem deixe os bebés sozinhos! E os olhos negros ficaram ainda mais negros quando duas lágrimas começaram a rolar-lhe pelo rosto. - O que se passa, Mariana? Porque estás a chorar?

PÁGINA 20


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

- Tenho de te contar uma coisa que eu e a Ana Teresa fizemos. E começou a contar como tinham encontrado o gatinho perdido. Como resolveram tratar dele. Como lhe fizeram uma caminha com a caixa de papelão. Como o tinham deixado sozinho na arrecadação. E agora não sabia o que fazer. Estava preocupada! O vento e a chuva podiam assustá-lo. E ele era tão pequenino! A mãe olhou para a filha orgulhosa! Ali estava a sua filhota, preocupada com um gatinho que se encontrava sozinho, na arrecadação do seu quintal. Sorriu! Sem dizer nada saiu do quarto. Mariana ficou sozinha a pensar onde teria ido a mãe. Ouviu-a e não disse nada. Limitou-se a sorrir e a sair do quarto. Será que tinha ficado triste com ela e com a prima? Mas se tivesse ficado triste não teria sorrido! Estava a pensar na mãe quando lhe pareceu ouvir um gato a miar. Ergueu a cabeça e ficou à escuta. Não era imaginação sua. Havia um gato a miar junto ao seu quarto. Levantou-se da cama, e descalça, sem fazer barulho, encostou a cabeça à porta. O coração começou a bater acelerado. Abriu a porta devagarinho e viu junto à porta, a caixa de papelão com o gatinho, que miava como se chamasse por ela. Baixou-se e pegou-lhe. A mãe tinha-lhe trazido o gatinho. Levou-o para o quarto. Deitou-o aos pés da sua cama acariciando o seu pelo macio. Ele pareceu sossegar. Enfiou-se na cama e ficou a olhá-lo. Lá fora, o vento e a chuva pararam de bater na vidraça da janela do seu quarto, como se de repente, a paz reinasse no mundo e não houvesse motivo para preocupações. A pouco e pouco, o sono foi chegando e apesar de se esforçar para se manter acordada, os seus olhos negros estavam cada vez mais pesados. Não deu conta quando a mãe entrou no quarto e lhe aconchegou os lençóis. Dormia tranquilamente com um sorriso nos lábios. Estava feliz! Profª Dulce Pereira - Vereadora da Educação e Cultura da Câmara Municipal de Resende

Um agradecimento especial Nesta edição do “Pátio dos Estudantes”, o Clube de Jornalismo solicitou a colaboração do Sr. Dr. Pe Joaquim Correia Duarte, da Dr.ª Dulce Pereira e da Dr.ª Ana Pinto. Nenhum deles necessita de apresentações, pois a comunidade escolar bem os conhece, dadas as suas funções e/ou serviços prestados na e pela comunidade resendense. Destaca-se a espontaneidade e amabilidade como receberam e trataram este pedido, pelo que não se poderia deixar de agradecer publicamente e neste espaço. Clube de Jornalismo, Prof. Sérgio Matos

PÁGINA 21


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE RESENDE

Artesanato: património cultural imaterial

Fabrico artesanal de chapéus de palha

Fabrico artesanal de brezes ( cestas de palha e silva) Fabrico artesanal de croças (veste de palha que protege o homem do mau tempo).

O artesanato é um legado e uma herança, que importa dar a conhecer, mas também preservar e divulgar. Pode afirmar-se que esta herança está ligada à nossa identidade cultural, individual e colectiva. É importante afirmar que todo o artesanato se caracteriza pelo lugar a que pertence, numa invulgar riqueza que vai desde os chapéus de palha, aos cestos e bordados, passando pelas peças de linho. Imbuídos por este espírito, os alunos da Escola EB2 de Resende, no âmbito da disciplina de Educação Visual e Tecnológica, e como arranque para a preparação do Desfile de Carnaval, “Animar o Património”, previsto para dia 12 de Fevereiro de 2010, pelas ruas da Vila, participaram num Workshop de Artesanato no Museu Municipal, na primeira semana de Janeiro. Prof.ª Olga Barros

Poesia à lua A Lua Havia uma terra que era muito escura e um grupo de quatro homens foi de viagem para outro reino. Passaram por um lavrador e perguntaram o que era a luz que vinha do alto de um carvalho. O lavrador respondeu que era a Lua, que a tinha comprado por três moedas. Os homens decidiram, então, roubar a Lua e voltaram para a sua aldeia, onde, à noite passou a estar tudo iluminado. Quando um dos homens morria, levava um quarto da Lua consigo. E a aldeia voltou a ficar escura. O Inferno, os mortos acordaram com tanta luz e fizeram brincadeiras e algumas maldades. S. Pedro, ao ouvir tanto barulho, foi ao Inferno e adormeceu os mortos outra vez. E levou a Lua para o céu. Joaquim 5ºE

PÁGINA 22


O PÁTIO DOS ESTUDANTES

Momentos Lúdicos

B

D

F

E

S

T

R

E

L

A

E

Y

B

S

H

L

O

P

E

O L

BOLO-REI

T

V

A

U

M

I

R

R

A

ESTRELA

O

I

H

L

P

G

A

J

N

N

R

C

N

T

J

P

R

R

B

T

BELCHIOR

E

O

W

C

S

R

T

E

D

A

MIRRA

I

R

Q

A

E

D

U

O

V

R

X

O

G

R

K

N

I

R

S

E

N

A

Z

E

L

A

S

U

O

S

M

B

E

L

C

H

I

O

R

A

BALTASAR GASPAR

INCENSO OURO CANTARES COROA

Sopa de letras feita pela turma C2 da E.B.1 da Passos Sopa de letras feita pela turma C2 da E.B.1 da Passos

Uma adivinha brilhante

Leandro Lourenço – 4º ano E.B.1 de Passos

À noite no céu me coloco Para que me vejam a brilhar Adoro estar lá no céu

Esta casa é bem alta Forrada de pau e pinho Ó senhor da casa Dê-nos um copo de vinho Diana Paulo - 4ºano

Para o poder cintilar.

Uma adivinha Real Tu sabes, tu sabes,

Aqui vimos, aqui vimos Aqui vimos, bem sabeis Os alunos da escola de Passos Aqui vimos cantar os Reis Catarina Costa - 4º ano

Melhor do que ninguém. Vieram coroados, Em camelos montados,

Uma Super Adivinha de Natal Numa gruta pequenina Tu os podes encontrar Maria, José e o Menino Numas palhinhas a descansar. Estou muito embrulhadinho E enfeitado com um laço Quando me recebem Dão um beijo e um abraço.

EB1 de S. Cipriano -Turma J-1.2

Adorá-lo (ao Menino Jesus) a Belém.

Nádia Figueiredo - 2º ano

PÁGINA 23


Disciplina “Aprende a dizer não

àqueles que te propõem divertimentos que levam à doença e te afastam da felicidade. Há um tempo para brincar e um tempo para estudar.” Autor Desconhecido


O Pátio dos Estudantes  

Jornal escolar do Agrupamento de Escolas de Resende

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you