Issuu on Google+

juliano machado arquiteto

;m


Juliano Ijichi Machado

Trabalho Final de Graduação

Nascido em São Paulo, Brasil, em 1988 Graduado em 2012 na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP

Selecionado pela FAUUSP para representar a escola no encontro de faculdades públicas de arquitetura da América do Sul, o Arquisur, que ocorreu em Buenos Aires, Argentina, em Outubro de 2012.

Curso de Idiomas Zoni Language em Nova Iorque curso de inglês de 6 semanas (janeiro - fevereiro 2013) Experiência. Entre 2009 e 2011 (24 meses), bolsista na Rede SACI, projeto da PRCEU da USP com o objetivo de auxiliar pessoas com deficiência. A função era desenvolver imagens para o site do projeto. Entre 2011 e 2012 (12 meses), estagiário do 23 SUL arquitetura, um escritório jovem porém já premiado internacionalmente no concurso New Practices São Paulo, organizado pela AIA de Nova York. Participação, neste período, em projetos de diversas escalas; desenho de mobiliário, projetos de residência, créche, terminais de ônibus e adequação de escolas públicas para acessibilidade. Concursos Design Selecionado para exposição internacional Poster4tomorrow em 2008 e 2009 Selecionado como destaque no concurso de cartazes do Museu da Casa Brasileira, com participação na exposição Seleção +22 que ocorreu no próprio museu em 2012.

Convidado pela disciplina do TFG da FAUUSP para apresentar o trabalho para os alunos da disciplina. Entre o bairro e a metrópole Projeto de uma biblioteca http://issuu.com/julianomachado0/docs/ caderno_final_juliano_issuu Softwares Adobe Illustrator Adobe Indesign Adobe Photoshop Autodesk AutoCad Google Sketchup contato: julianoijichi@gmail.com 11 976854495 Portifolio Design:

http://issuu.com/julianomachado0/docs/ portfolio_design


Cadeira Avá O objetivo da disciplina da FAU era desenvolver uma cadeira que aproveitasse as qualidades e potenciais da madeira. Durante o semestre o projeto é apresentado, discutido e, com base nas críticas, refeito. Desta evolução de 4 meses e após 4 projetos e modelos apresentados, surge a Cadeira Avá, com estrutura de madeira maciça e encosto e acento de madeira laminada. Feito em 2011. Orientação de Julio Maia


Reforma Apartamento Pinheiros A reforma no apartamento da Rua Mateus Grou, Pinheiros, tinha como objetivo oferecer ao casal proprietário um ambiente mais integrado que respondesse ao estilo de vida deles, suas paixões; comer e beber bem com amigos e familiares. Para isso, a pequena cozinha fechada, típica de apartamentos paulistanos, nada tinha a oferecer. A quebra da parede que separava a cozinha da sala possibilitou o ambiente integrado e um grande balcão, elemento estrutu-

rador do projeto, que começa na parede da antiga cozinha fechada e “invade” o espaço da sala. Na parede semi-circular, o maior plano do apartamento, foram instalados nichos de MDF, com revestimento de fórmica, seguindo a curvatura. Autor: Rafael Urano (23Sul) Colaboração: Juliano Machado Publicado em Arquitetura e Construção, ed. Fevereiro


Habitação Social no Bom Retiro O recuo do edifício em relação à rua possibilitou a clara distinção entre a entrada do edifício residencial, com recuo maior, e a área de comércio, setorizando a entrada de veículos e de pedestres no limite do lote, mais recuado e com um jardim meio nível abaixo que possibilita a ventilação e iluminação natural da garagem. Acima do comércio há uma praça com playground, área gramada e bancos que possibilitam a ventilação e iluminação zenital da área comercial e cria a marquise do passeio coberto no piso térreo. Da rua São Domingos fica claro o caráter público do local; a rampa com parte gramada convida o pedestre a usufruir do programa contido na praça. A ampla área livre cercada de bancos é também um estímulo à criança voltar a brincar no espaço público. No pavimento tipo, uma grande área coletiva para as duas unidades de cada andar; a criança que ainda não tem idade para ficar na praça pode brincar com o vizinho neste local, que também é o bicicletário das unidades e tem um depósito para uso dos moradores de cada pavimento. Feito por Juliano Machado, Eliezer Kang, Georges Boris e Maria Miserocchi em 2009. Orientação de Milton Braga.


A unidade foi criada a partir do conceito do casco universal, onde a sala não é mais passagem, é remanso. Ao entrar na unidade, pela rótula, é possível acessar qualquer cômodo sem interferir em outro ambiente. É muito comum a

família receber uma visita que vai dormir no apartamento por uma noite, ou um parente que vai morar lá por um tempo, por isso a importância da sala ser um remanso, podendo de noite virar um dormitório quando necessário.

Unidades Habitacionais Praça Elevada

Térreo Comercial Garegem


RUA Sテグ DOMINGOS

0 RUA MAJOR DIOGO

2m


Praça de equipamentos públicos no Butantã O projeto se divide em três setores, o restaurante, o ginásio e o edifício cultural, definidos por volumes distintos. Uma passarela metálica cruza os edifícios, integrando-os, tornando-se assim o elemento estruturador do projeto. Entre a estação de metrô do butantã e o ginásio, uma praça semi-rebaixada cria um respiro ao pedestre, um espaço mais calmo e reservado com o uso estimulado pela presença de um restaurante e de quadras esportivas. No lado oeste do terreno está o prédio cultural. Rampas criam um percurso

pelos programas do edifício (a biblioteca, as salas culturais e o auditório) e são também o elemento marcante de sua fachada leste. Entre os prédios da cultura e o ginásio, semi-enterrada, há uma praça, integrada com o café e a biblioteca. Os acessos principais ao pavimento semi rebaixado se dão por escadas-rampas. Feito por Juliano Machado, Georges Boris e Ricardo Nucci em 2010. Orientação de Marcos Acayaba


av. vital brasil

D

B

C

PLANTA NÍVEL SEMI-REBAIXADO COTA -2m

rua mmdc

Restaurante

D

B

C

AA

O

10m


D

B

C

PLANTA COTA +1,20m

AA

D

B

C

AA

O

Ginรกsio

Ed. cultural

O

10m

CORTE AA

10m


Transposição do Rio Pinheiros O Rio Pinheiros é um delineador da cidade. Em suas margens dois fragmentos da metrópole com uma barreira a ser transposta. O projeto busca integrar as duas margens, transpondo o rio e oferecendo à cidade o espaços para retomar a margem do rio como área de remanso e convívio. Surge então a terceira margem do rio, a passarela de pedestres, local de encontro, de articulação entre os diversos equipamentos públicos implantados pelo projeto; a guarda civil, o SAMU, restaurante, o ecoponto e o ecoporto (estes com a função de triagem de material e distri-

buição de cargas públicas, que seria feita utilizando o rio). A passarela ainda passa pela estação de trem Cidade Universitária. Assim, o projeto se mostra como um ensaio de como o Rio pode ter uma função diferente na cidade, tanto na construção de um espaço mais humano, como em sua função no sistema de transporte de cargas da metrópole. Feito por Juliano Machado, Bhakta Krpa, Marinho Velloso, Luis Fernando e Leonardo Klis em 2008. Orientação de Alexandre Delijaicov


A

3

1

4 2

A

1 PRACA CABECEIRA: ELIMINCAO DA ALCA

5 ECOPORTO

2 SAMU / BANHOS / RESTAURANTE

6 CABECEIRA PRACA/ BANHO PUBLICO

3 ECOPONTO

7 GUARDA CIVIL

4 CPTM

8 CIRCULAR


B

5

7

6

8

B

0 5

10

50


Entre o bairro e a metrópole Projeto de uma biblioteca Orientação: Prof. Luís Antônio Jorge Diante das complexidades do local, o partido do projeto mostra-se como um ensaio de como um ponto de chegada e partida de um bairro (no caso a estação de metrô Vila Matilde) torna-se um ponto de irradiação de equipamentos públicos de interesse local ligados por uma biblioteca, o edifício que potencializa a postura coletiva do bairro em relação à metrópole. A água agora tem importância fundamental na região, o piscinão, antes uma cicatriz deixada no bairro, agora se torna um lago, ainda com sua função no sistema de drenagem urbana, mas convidando a população local a usufruir e acolher o espaço para as mais diversas atividades. O Córrego torna-se elemento fundamental na estruturação de um novo eixo de circulação entre os equipamentos públicos locais. Acompanhando o córrego, uma biblioteca linear 5 metros acima do nível da rua, funcionando também como passarela, um passeio ininterrupto para o pedestre entre os equipamentos públicos, tanto os pré-existentes, como os criados no projeto.


3

2 1

1. Lago 2. Auditório 3. Biblioteca infantil 4. Rua biblioteca 5. Edifício de articulação 6. Praça 7. Edifício garagem

8. Bicicletário Existentes 9. CEI e EMEI 10. Estação Metro vila Matilde 11.Terminal de ônibus 12. Conj. Hab. Rincão 13. Hospital São Carlos

9


5 4

12 6 11

7

10

8 13


Rua biblioteca Este é o elemento chave do projeto, pois desta rua-biblioteca afloram os novos equipamentos na medida em que o contexto urbano se torna propício À medida que o leitor deseja aumentar sua imersão na leitura, sua imersão no edifício também se intensifica. No encontro dos eixos, a rua biblioteca ganha caracteristicas de praça. Ao se afastar desta área central, o ambiente torna-se mais efetivo para uma leitura mais concentrada e mais confortável. Os livros ficam sempre na fachada sul,

mais protegida do sol, ocupando a fachada de forma irregular, abrindo visuais para a cidade, ora ocupando do piso ao teto, ora formando apenas uma linha na altura da visão.


1 4

2

3 5 6 6

1. Sanitários 2. Teatro 3. Área de leitura 4. Seção de audiovisual 5. Pátio externo 6. Escolas existentes


A biblioteca infantil A apreensão que a criança tem sobre o tempo torna-se elemento fundamental no entendimento deste edifício; as aberturas variadas levam focos de luz que variam dependendo do horário e do dia. Ao visitar a biblioteca de manhã, uma estante de livros terá um foco de luz e algum outro local parecerá claro o suficiente para se ler. No fim da tarde, o foco de luz está em outras estantes de livros, outros lugares parecem agradáveis para se deitar e ler. Este tipo de variação é importante para a criança se sentir sempre estimulada a ir atrás de novas e emocionantes descobertas literárias.


Edifício articulador Este edifício torna-se o ponto que melhor representa o encontro entre as escala da cidade e do bairro; dos dois lados, caminhos que articulam a rua, a praça, a biblioteca e o metrô, no miolo um espaço de remanso, onde se pode descansar, conversar com mais calma, encontrar (ou conhecer) um vizinho.


contato: julianoijichi@gmail.com 11 976854495


Juliano Machado - Portfolio de Arquitetura