Page 63

para casa e, depois, fosse procurar Héber e contar sobre Abiatar. Ele iria voltar e tentar ajudar Jael. Quando ele voltou, viu que a líder havia sido presa com correntes de ferro, e entendeu que iam levá-la para a carroça que aguardava ao pé do monte. O menino adiantou-se à própria idéia e correu para a carroça. Lá, ele se deitou embaixo de um volumoso pedaço de lona. Mal se percebia que estava ali de tão magro que era. Jael foi jogada na carroça. Ela se sentia cansada até para abrir os olhos, embora se esforçasse por não fechá-los. Era inútil tentar se livrar sozinha das correntes, pois o menor esforço exigiria uma força que ela não tinha naquele instante. Os homens montaram nos cavalos e a carroça começou a andar. Ela pensava em Héber, no seu povo nas mãos de Abiatar, e no que a esperava no acampamento de Sísera. Ela havia dado um passo errado e toda a Profecia corria perigo naquele momento. Quando começava a se desesperar, viu a cabeça de Zacarias surgir debaixo do pedaço de lona que forrava a carroça. Ele sorriu, e ela sentiu vontade de chorar tão grande foi o seu alívio. O menino rapidamente retirou as correntes que prendiam os braços dela, e depois a que lhe rodeava o pescoço. Foi como se uma onda de energia lhe tomasse os sentidos e ela despertasse de um sono, renovada. Sentia que estava viva e ativa novamente. Ela fez um sinal para que Zacarias ficasse em silêncio. Procurando pela carroça, ela achou um saco com pedaços de madeira cortada de forma circular, destinados a algum tipo de construção. Sorrindo, pegou dois deles. Cada um media meio metro. Respirando fundo, ela se ergueu e bateu na cabeça do carroceiro. O homem caiu para frente e a carroça parou. Aturdidos com o barulho, os dois homens se voltaram de seus cavalos para ver o que acontecia. Antes que o que estava mais próximo pensasse em agir, Jael jogou um dos pedaços de madeira que o acertou no nariz e o fez cair do cavalo, desacordado. O terceiro homem saltou do animal com ar enfurecido. Jael pulou da carroça e o encarou numa luta frente a frente. Ele com a espada e ela com o pedaço de pau. No primeiro embate, a espada de ferro derrubou a madeira no chão. Ela se jogou para o lado, se desviando dos golpes que, agora, ela sabia que poderiam ser mortais, devido ao material da espada. — Jael, pegue! – gritou Zacarias. Ele jogou a espada do outro homem que jazia desacordado. Ela a pegou no ar e partiu para o ataque. O homem não era páreo para a sua agilidade e logo estava no chão, desarmado e ferido. Ela pôs a ponta da espada na garganta dele. — Diga a Sísera que eu vou ter que recusar a hospitalidade dele, mas que em breve nos encontraremos em batalha, e que tenho outra flecha preparada para ele. Mas ainda não chegou a hora. Ela montou em um dos cavalos. — Zacarias, pegue essas correntes. Eu quero levá-las.

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement