Page 383

de Aroer e enviadas a Salema para essa ocasião. Eram coroas feitas de um material desconhecido, mas que pareciam captar qualquer luz do ambiente no qual se encontravam. Otoniel deu um passo à frente e Jael foi ao seu encontro. Ela ajoelhou-se diante dele. Solenemente, ele depositou em sua cabeça uma das coroas. Esta passou a refletir o mesmo brilho que se via na roupa de Jael. Feito isso, ela se ergueu e encontrou o olhar orgulhoso de Otoniel. Sorriu para ele e voltou ao seu lugar. Nathan foi o próximo. Deborah não precisou se erguer ou ajoelhar-se. Ele foi até o trono e ela inclinou a cabeça. Nathan depositou em sua cabeça a segunda coroa. Suas mãos tremiam de emoção e ele não conteve as lágrimas. A coroa, ao ser colocada na cabeça de Deborah, passou a emanar uma forte luz branca e pulsante. Quando ela ergueu a cabeça, pegou as mãos pequenas do sacerdote e as beijou afetuosamente. Barak também aguardou no trono, enquanto Salum trazia a sua coroa. O sacerdote sorriu ao ver o olhar do rapaz. Ele parecia não acreditar no que estava acontecendo. Salum aguardou que ele inclinasse a cabeça e colocou a coroa após respirar profundamente. O sol invadiu o salão e parecia explodir da cabeça de Barak. Todos tiveram que proteger os olhos. Ninguém duvidava. Os tempos foram mudados e os Tronos eram soberanos novamente. Começava a nova Era dos Luminares. Houve festa em Salema durante toda a semana. Nesse meio tempo, Deborah conseguiu realizar um desejo há muito tempo esperado. Ela foi com Hulda visitar o túmulo dos pais. Ficava numa cripta, na ala subterrânea do palácio. Estava abandonada e escura, mas Deborah decidiu que muitas reformas seriam feitas ali. Ela pousou a mão sobre a pedra escura e fria que indicava o local do túmulo de Cirene. — Sua mãe tinha esperanças de que você chegasse aonde chegou - disse Hulda. — Essa esperança a acompanhou na morte. — Fico feliz por não tê-la desapontado. Deborah encostou o rosto na superfície da pedra. — Eu gostaria tanto de tê-la conhecido. — Olhe para dentro de você e verá sua mãe. Deborah sorriu para Hulda e ambas caminharam em direção a saída. — Para onde vai, agora? — Deborah perguntou. — Voltarei a Ilha dos Profetas com Míriam e ficarei uns tempos por lá, descansando. — Não vai desaparecer, vai? Hulda riu. — Você sabe que nessa era que se inicia o tempo não será contado como sempre foi. Temos tempo sobrando a nossa disposição. Sangar e Noa caminhavam de mãos dadas sobre a colina que

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement