Page 361

Ainda correndo, a vista embaçada pelas lágrimas, uma profunda dor no coração, Rute caiu sem forças sobre a relva. Ela não percebera que havia chegado ao vale onde o exército acampou antes de alcançar o rio. Ela perdeu a noção do tempo em que ficou ali, deitada de bruços, chorando. Ela não percebeu quando um cavalo se aproximou e alguém saltou com passos apressados. — Rute? - disse uma voz conhecida e preocupada. Rute ergueu a cabeça e limpou os olhos. Quando ela viu quem estava na sua frente, sentou-se e lançou-se em seus braços. — Noa? É você mesma? Noa acariciava os cabelos da menina, enquanto ela chorava descontrolada. — Rute, o que houve? Com palavras entrecortadas pelo choro, ela contou tudo a Noa. — Nossa esperança acabou - disse Rute. — Se vocês tivessem chegado mais cedo, talvez... — Rute, olhe para o vale — Noa pediu. Rute virou o rosto e olhou. Ela piscou várias vezes para ter a certeza de que não estava tendo visões. Tomando todo o vale, estava o maior exército que ela já vira. Era o dobro do exército que saíra de Hazorah. Na frente, montado em seu magnífico cavalo branco, estava Barak. O rosto da menina ficou petrificado. Como ele parecia diferente e poderoso! — Nós não chegamos tarde, menina - disse Noa, com um sorriso. — Chegamos na hora determinada pela Profecia. Lá embaixo, uma confusão se formara. As amazonas se colocaram ao lado de Ky ara e cercaram Eunice. Esta, no entanto, não ficou só. Outras guerreiras que foram tocadas por todos os acontecimentos, e que viram as atitudes tomadas por sua capitã, subiram na plataforma e ficaram do seu lado. Atalia, ignorando a iminente luta, olhava incrédula para o povo que se mantinha em silêncio. Ninguém se manifestara, além das amazonas, no momento em que as trombetas tocaram. Havia um clima tenso no lugar. Ela olhou para o corpo de Deborah. O rosto pálido, a pele fria, o peito parado. Ela, Atalia, vencera! Por que, em seu reino, ninguém comemorava? Subitamente, um raio rasgou o céu e caiu sobre a estátua da deusa. Um pedaço enorme de rocha caiu sobre o sacerdote Onri. O homem mal teve tempo de gritar, antes de ter sua cabeça e parte do tronco esmagados. O povo, agora, gritava e se desesperava em busca da saída. Alguns, no entanto, apesar do medo, resolveram ficar. Raios caíam por toda a parte, dentro da arena do anfiteatro. A sacerdotisa-chefe puxou o braço da rainha e gritou em direção às amazonas. — A rainha precisa de proteção! Ky ara praguejou alguma coisa, e chamou um grupo de amazonas para

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...