Page 336

— Deborah, por que você fala como se fosse uma despedida? — Não é uma despedida, Rute – ela explicou ainda de costas. – Eu só abri o meu coração. Vocês todos me são muito queridos. Quando o banquete terminou, todos começaram a se dispersar. Deborah chegou-se a Nathan e Hulda. Ela segurava as rédeas de Bruma. — Você não vai voltar conosco, não é? – Hulda perguntou. — Não, eu não vou. Ela, então, se ajoelhou diante deles. — Por favor, me dêem sua bênção. Nathan e Hulda se entreolharam. Ambos sentiam o coração dilacerado. Eles esticaram as mãos trêmulas e as puseram sobre a cabeça de Deborah. Nathan proferiu as palavras antigas de bênção e Hulda as completou. Ela, então, levantou-se e abraçou os dois. Um abraço rápido para evitar mais dor. Em seguida, sem mais nenhuma palavra, ela os deixou. Quando Deborah chegou à ponte, desmontou e afagou a cabeça de Bruma. — Volte para o acampamento, meu amigo. Ele relinchou em protesto, e ela encostou o rosto no pelo macio e brilhante. — Também amo você, mas não pode me seguir. Agora, vá! Vamos nos ver em breve. Num trotado leve, ele se foi, confundindo-se com a escuridão da noite. Ela caminhou até a ponte e fechou os olhos tentando tomar coragem. — Pretende mesmo fazer isso sozinha? Deborah abriu os olhos e se voltou. Jael saiu do meio das árvores. Ela ainda trazia o arco cruzado no ombro. Por um momento, nenhuma falou. — Eu tentei odiar você, Deborah – começou Jael. – Mas eu não pude. Não faz parte de minha essência odiar você. — Sei que mereci sua tentativa. — Não. A verdade é que você estava certa. Há um propósito para tudo nessa vida. Minha revolta me cegou para a verdade. Deborah aproximou-se e pegou nos cabelos da irmã. — Jael, você me fez tanta falta. Jael sorriu. — Eu não vou te abandonar agora. Ela apontou para a ponte. — Está pronta? Deborah riu nervosamente. — Pronta? Não, eu não estou pronta. Mas irei mesmo assim.

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement