Page 308

Nathan quase sobe na mesa de tão empolgado que estava. — Pode explicar isso melhor? — Quando recebi a notícia da prisão de Jael, minha primeira atitude foi ir até Babilos e libertá-la. No entanto, a prudência me deteve. Mas eu podia sentir o que ela sentia. Medo, solidão, angústia. Aquilo doía em meu peito. Eu ainda não havia percebido que estava lá, com ela. Não havia entendido que não precisava atravessar distâncias para ajudá-la. Na verdade, eu estava mais perto dela do que qualquer outra pessoa. — Então, bastou apenas um pouco de concentração e tranqüilidade – Nathan havia compreendido. — Por segurança, busquei um lugar antigo e neutro, ainda imune ao poder do mal. Ela olhou para Otoniel. — Eu não fui tão imprudente assim. Ele sorriu e concordou com ela. — Não sabia quanto tempo ia levar, mas estava decidida a ficar com ela até o fim, fosse ele qual fosse. Levei alimento para fortalecer o meu corpo e busquei o Pai, pedindo sua direção. Eu não poderia ficar aqui no palácio, aguardando, enquanto sentia o coração dela gritar por socorro. Os sacerdotes ficaram em silêncio por algum tempo. — Acha que ela pode sentir o mesmo em relação a você? – Otoniel perguntou. O semblante de Deborah ficou carregado e tenso. Ela cruzou as mãos em cima da mesa e ficou olhando para elas por um momento, sem nada responder. Por fim, ela falou em um tom baixo, e quase para si mesma. — Eu espero que não – ela mordeu os lábios e fechou os olhos. — Será muito doloroso para ela se for desse jeito. Em Babilos, a rainha urrava em seu quarto. Ela soube da fuga de Jael e, imediatamente, mandara executar as duas amazonas que falharam em sua missão. No momento, ela caminhava pelo quarto, enquanto sua mente buscava entender como Jael lhe escapou com tanta facilidade. O rei Anrafel entrou no instante em que ela quebrava o espelho com um castiçal. — Não é conveniente para uma rainha perder o controle dessa forma. Perdeu apenas uma batalha. — Essa batalha era decisiva para ganhar a guerra! Ela não podia ter me escapado! O rei segurou os braços da rainha e a obrigou a encará-lo. — Ela não escapou apenas de você – ele falou com raiva. – O meu palácio foi invadido! Meus homens fizeram o papel de tolos! — Então, diga-me, o que você fez com a tribo daqueles traidores?

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement