Page 171

escolhidas e que o grande sacrifício preparado por ela havia falhado, sua ira não poderia ter sido pior. O sacrifício continuaria e as vítimas seriam os prisioneiros que ainda viviam naquelas prisões. Pessoas indignas de serem sacrificadas à grande deusa, ela pensou. — No próximo ano, eu garantirei um sacrifício digno – ela falou para a sacerdotisa com um tom de voz frio e controlado. — A deusa entenderá, majestade – disse a mulher se afastando. Dessa forma, a cerimônia continuou. Deborah viu que eles estavam em um quarto que devia servir de depósito para os comerciantes. — Onde estão as outras crianças? – ela perguntou. — Eu as levei para o túnel que vai dar na estrada do campo. Elas conseguirão ir para casa, pois a maioria delas foi trazida de lá. Ela admirou-se da segurança na voz dele. — Eu preciso sair da cidade. Pode me ajudar? — Você pode sair pelos túneis. Podemos alcançá-los por aqui. Venha! Ela levantou-se e o seguiu. O quarto tinha uma porta que se abria para um longo corredor. Deborah o seguiu e percebeu que o menino já estava acostumado a andar por ali. O corredor transformou-se em rocha sólida e ela viu que tinham alcançado os túneis. Quando eles chegaram a uma bifurcação, ele apontou para o caminho da esquerda. — Esse vai dar embaixo dos muros da cidade. É só seguir em frente. Ela o deixou e se foi pelo túnel que ele indicou. O menino ergueu a mão num adeus que ela não viu. Ky ara andava de um lado para o outro junto ao portão de entrada do anfiteatro. Uma das amazonas, que haviam tentado barrar a estranha junto às celas, havia lutado na batalha de Hazorah e jurava ter visto a Herdeira em sua frente. Segundo o relato da guerreira, Deborah esteve ali e soltou as crianças. Ky ara pensava no que fazer. Se a rainha soubesse que tal fato aconteceu e que a Herdeira escapou de suas mãos, ela terminaria seus dias abandonada em alguma cela imunda ou numa mesa de sacrifícios, enquanto outra amazona tomaria o seu lugar como capitã da guarda. Isso não podia acontecer. Ela encontraria Deborah e a levaria debaixo de grilhões para presentear a rainha. Sim, ela faria isso. Vasculharia cada casa, mandaria fechar os portões da cidade. Ela não poderia escapar em tão pouco espaço de tempo. Enquanto Ky ara tecia seus planos, Deborah corria pelo caminho que levava montanha acima, pois há muito já havia saído da cidade. Ela seguia o

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement