Page 156

— Está ferida? Jael balançou a cabeça afirmativamente, pois sentia dificuldade para responder em decorrência da respiração acelerada. Nathan a ajudou a levantar e ir até o cavalo. Quando ela montou, ele subiu na garupa e agarrou as rédeas enquanto a protegia com os braços. Solaris tomou o caminho de volta, praticamente sem nenhum comando. Da garupa, Nathan notou a túnica empapada de sangue nas costas de Jael. Ela mantinha o braço direito encolhido contra o corpo e o esquerdo a ajudava a manter o equilíbrio e não cair. — Estamos seguros aqui? – ela perguntou num sussurro. — Essa área é praticamente desabitada. Ela ficou em silêncio e Nathan percebeu que o cansaço e a dor a estavam vencendo. — Você viu Rabtecá? – ele perguntou. — Sua mãe? Por que não me disse quem ela era? — Não vi necessidade. Jael respirou fundo. — Você é um homem misterioso, Nathan. O sol começava a esquentar. — Falta muito?... – ela perguntou sentindo a visão turva. — Agüente mais um pouco – ele falou preocupado. – É logo após aquela subida.

CAPÍTULO 15 O Monte da Lei Shiloh era um santuário pequeno, provido de um grande jardim. Mas também era um lugar que emanava uma sensação agradável de lar. Era como estar em casa. Por muito tempo, antes das trevas dominarem, aquele havia sido o único lugar de adoração, na terra de Hedhen. Ali ainda havia a essência daqueles tempos. Deborah fechou os olhos e respirou o cheiro de jasmim e rosas que cresciam no amplo jardim, em volta do santuário. Elas haviam acabado de atravessar a porta que dava acesso ao local. — Esse lugar parece intocado – ela comentou. — Acho que o Pai o protege e o conserva longe dos planos da rainha. Zipor caminhou por uma trilha de pedras brancas em direção a uma porta de madeira arredondada que parecia sair da rocha. Deborah a seguiu. Uma mulher, bem mais velha que Zipor, abriu a porta e sorriu ao ver a amiga. Quando, porém, os seus olhos viram Deborah, um reconhecimento aflorou em seu ser, como algo instintivo. Ela passou por Zipor e parou diante da moça, que a fitava com um misto de espanto e alegria. — Oh, pelo Grande Pai... Zipor, esta é... – a mulher estava trêmula.

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  
Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement