Page 115

— Lembra-se de como costumávamos cavalgar a noite, lá em Gades? — E dormir contando as estrelas? Claro que lembro. Deborah girou, sorrindo de maneira cúmplice, e saiu correndo em direção a porta que levava a estrebaria. Jael seguiu atrás. Estava tudo calmo e silencioso. Elas pegaram Bruma e Solaris e só montaram após terem passado o portão. Foi uma cavalgada livre e destituída de preocupações. Após cruzarem uma ponte, desceram para a margem do rio e soltaram os cavalos. Jael desabou deitada na grama. Deborah sentou-se ao seu lado com as pernas cruzadas. — Como eu senti falta desses momentos! – Jael exclamou. — É, eu também. — Deborah, eu soube da sua decisão de ir a Salema. — Quem te contou? Hulda? – Ela perguntou como se já esperasse por isso. Jael confirmou com um sorriso. — Ainda somos uma família – ela comentou. Deborah deitou-se. — Vai me recriminar por isso? – havia certa apreensão na voz dela. — Claro que não! Eu só queria saber uma coisa... Você e Barak, eu pensei que existisse algo entre vocês... Deborah suspirou profundamente. — Eu o amo, Jael e sei que ele também me ama. Jael sentou-se. — E por que o está deixando ir para aqueles reinos distantes? E por que você vai partir para o lado oposto ao dele? Não é tempo de acertar as coisas? Deborah também se sentou. — Ainda não. Não, enquanto a minha vida for um enigma mesmo para mim. Não tomarei nenhuma decisão nesse sentido, até ler a Profecia. Nós dois conversamos e concordamos que seria melhor assim. A missão que temos pela frente, e as vidas que dependem disso, nos obrigam a sermos altruístas quanto à própria felicidade. Eu percebi isso ao ver o rosto das pessoas que foram resgatadas lá embaixo. Jael, a nossa missão é mais importante do que nossas próprias vidas! È por isso que eu quero ir a Salema. Na verdade, eu preciso ir. Jael continuou escutando. Ela também havia sentido isso, ao ver a expressão de alívio das pessoas que foram deixadas para trás por Jabim. Eles sabiam que um novo tempo havia chegado. — Quero me identificar com meu povo – Deborah continuou. – É o meu povo de nascimento. Eu nasci ali, e se não houvesse sido tirado o meu direito de reinar, as coisas poderiam ser diferentes. Eu também poderia ter sido influenciada por Atalia e estar do outro lado, agora. Jael sentiu a dor na voz da irmã e pôs a mão no seu ombro como gesto de conforto.

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Saga Os Tronos da Luz : A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar  

A Profecia de Hedhen – Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada...

Advertisement