Page 1


Apresentação

Fisiologia do Exercício é uma das subáreas mais fascinantes dentro da Educação Física, e assim como as demais, imprescindível ao legado de conhecimento e atuação de um profissional da área da saúde. A assimilação de conhecimentos pode ser estimulada por diversas estratégias, incluindo a contextualização, aplicação na prática, questionamentos e criticidade, assim como por meios lúdicos. A criação desta obra se apresenta como uma alternativa às referenciais obras literárias e aulas teóricas de Fisiologia do Exercício, com fins didáticos de usar questionários para melhor desenvolvimento de conceitos, teorias e situações-problemas. Espera-se que o conteúdo seja bem aproveitado pelos estudantes, e até mesmos professores já formados, porque manter o steady state do conhecimento é algo que demanda muita energia.

Juliana Araújo Cursa Bacharelado em Educação Física na Universidade Federal de Pernambuco.


Sumário

1. Conceitos básicos....................................4 2. Bioenergética..........................................8 3. Contração muscular...............................13 4. Fibras musculares esqueléticas...............16 5. Sistema neuromuscular..........................20 6. Proprioceptores.....................................25 7. Avaliações do sistema neuromuscular......28 8. Tipos de contrações musculares.............30 9. Sistema cardiovascular...........................33 10. Variáveis cardiovasculares....................39 11. Sistema respiratório.............................57 12. Variáveis cardiorrespiratórias................70 13. Hormônios..........................................85


1

-

CONCEITOS BÁSICOS


1

Conceitos básicos

1. O que é atividade física? Qualquer movimento resultante da ação muscular que gere um gasto energético é atividade física, ou seja, pode ser um pulo, uma andar até a padaria, brincar com o cachorro, etc. (Não considera intensidade). 2. Conceitue exercício físico: O exercício físico é um conjunto de atividades físicas que visa a melhoria da aptidão física e performance, tendo objetivos prédeterminados, planejados e monitorados e com padrões corretos de execução. 3. O que é esporte de alto rendimento? É uma categoria que exige especificidade, tendo um conjunto de exercícios físicos visando o máximo rendimento para a competição entre dois ou mais atletas.

4. O que é preparação física? Treinamento pedagógico das capacidades físicas com objetivo de aumentar performance desportiva. 5. O que é preparação técnica? Treinamento dos fundamentos específicos de cada modalidade esportiva. 6. O que é preparação tática? Aplicação de um conjunto de fundamentos técnicos, individuais ou coletivos, defensivos ou ofensivos, com objetivo de surpreender o adversário.

5


1

Conceitos básicos

7. O que é preparação psicológica? Detecção por profissional qualificado dos pontos positivos e negativos da personalidade dos atletas, para valorizar esses perfis, sob o ponto da coletividade. 8. O que é treinamento desportivo? Conjunto de preparação física, técnica, tática e psicológica do atleta ou de uma equipe para alcançar a mais alta performance em uma competição. 9. Explique o que é homeostase. É o equilíbrio metabólico do organismo, onde o mesmo tem capacidade de manter uma situação físico-química característica e constante. 10. O que é steady state? O mesmo que estado estável, ou seja, é a capacidade do organismo em manter o equilíbrio metabólico e suas características físico-químicas constantes durante uma situação de grande estresse como uma atividade física ou exercício-físico. 11. O que é Fisiologia Geral/Básica? Fundamento do metabolismo do corpo durante o repouso para manutenção da homeostase. 12. O que é Fisiologia do Exercício/Esforço? Fundamento do metabolismo do corpo durante a atividade física para manutenção do steady -state.

6


1

Conceitos básicos

13. Conceitue e dê um exemplo de ajuste. São variáveis fisiológicas que se alteram durante o exercício para que o indivíduo chegue ao steady-state. Ex: hiperemia ativa, quando há maior circulação de sangue no músculo esquelético resultante das contrações durante o exercício físico, uma vez que nesse momentos as células necessitam de mais oxigênio e glicose, que estão presentes no sangue, e para que isso ocorra corretamente, o fluxo sanguíneo aumenta no local. 14. O que é adaptação? Cite um exemplo. São as alterações morfofisiológicas que ocorrem durante o repouso, visando o aumento da homeostase. Ex: hipertrofia funcional dos músculos.

7


2

-

BIOENERGÉTICA


2

Bioenergética

1. O que é Bioenergética? Área da Biologia que estuda como os seres vivos obtém energia, a transformam, armazenam, utilizam e repõem. 2. Quais são os macronutrientes? Apenas os que são capazes de produzir energia e formar tecido: Carboidratos (glicose), lipídeos (triglicerídeos) e proteínas (aminoácidos). Os demais são apenas repositores, como a água. 3. Fale sobre os tipos de energia. Elétrica: Através do movimento de elétrons na camada dos átomos, cmo exemplo temos as sinapses. Luminosa: Solar, produção de luz , como em alguns peixes e nos vagalumes. Mecânica: Produção de força muscular, a hidráulica e a eólica. Química: Produção de energia que acontece a partir de reações, como exemplo, na digestão. Térmica: A termogênese e a respiração celular são exemplos. 4. Fale sobre o ciclo da energia nos seres vivos. Toda energia da Terra vem do sol (energia luminosa e térmica). As plantas “sugam” a partir da seiva a energia e fazem fotossíntese, liberando moléculas, os macronutrientes (carboidratos e lipídeos). Nós inspiramos oxigênio que será “queimado”, liberando energia para a ressíntese de ATP. 5. Somos seres aeróbios, anaeróbios ou mistos? Somos seres essencialmente aeróbios (produzimos energia na presença de oxigênio) e momentaneamente anaeróbios (em situações de fadiga muscular, exercícios envolvendo sprints, por exemplo, onde o oxigênio está em quantidade insuficiente).

9


2

Bioenergética

6. Qual a importância do ATP? É a única forma de energia/combustível celular, onde a quebra do fosfato pela ATPase libera energia térmica. 7. Qual é a chave do início do processo de ressíntese? ADP. 8. Existe Steady State numa atividade mista? Em uma atividade mista aeróbia sim, porém em uma atividade mista com predominância do sistema anaeróbio não, porque na predominância do sistema anaeróbio acontece a fadiga, impossibilitando que haja Steady-State. 9. Quais os tipos de sistemas energéticos? Aeróbio (proteico, lipídico e glicolítico) e Anaeróbio (dos fosfagênicos, e glicolítico)

10. Fale sobre o sistema anaeróbio dos fosfagênicos? Limitado pela concentração da creatina, que fornece energia para as primeiras contrações e aparece em mais quantidade no músculo do que o ATP. Fornece intensidade máxima com duração de 7 a 20 segundos e recuperação de 3 a 8 minutos, com predominância das fibras do tipo IIB. O poder de ressíntese é de 1/1, que não é eficiente. Relacionado à potência (força x velocidade) e exercícios que envolvem saltos. 11. Qual a relação entre a ressíntese de creatina-fosfato com intensidade e esforço? Na alta intensidade, o metabolismo vai ser acelerado, com o consumo de oxigênio a creatina será conduzida para a mitocôndria, onde acontecerá o Ciclo de Krebs/Respiração, aumentando o esforço do atleta. A regeneração da creatina depende da via oxidativa.

10


2

Bioenergética

12. Fale sobre o sistema anaeróbio glicolítico. O micronutriente mais utilizado é o glicogênio muscular, com predominância de uso das fibras IIA e IIB. Com a quebra do glicogênio disponibiliza-se glicose, onde uma molécula de glicose faz ressíntese de 2 ATP’s no saldo. A glicose produz energia e o ácido lático como substrato. Este sistema começa a ser usado em provas a partir de 20 segundos, onde anteriormente foi usado o dos fosfagênicos. 13. Fale sobre o pH do corpo e a produção de ácido lático. O pH do corpo é ligeiramente básico. O ácido lático é sinalizador de fadiga porque no meio ácido as enzimas não funcionam perfeitamente, diminuindo a potência muscular, aumentando a temperatura local, não causando dor, mas desconforto. 14. Como saber a capacidade anaeróbia? Somando a capacidade do sistema fosfagênico com a do anaeróbio glicolítico. 15. Quais as consequências de acumular lactato? Fadiga muscular, diminuição da contração muscular e da intensidade do exercício, desconforto e hipoglicemia. 16. Quais os destinos do lactato? Ir para a mitocôndria ou fígado para atuar na gliconeogênese; ao sangue para ser tamponado pelo íon bicarbonato; ou aos rins para ser eliminado na urina; ou ser eliminado pelo suor.

11


2

Bioenergética

17. Se a concentração de ácido lático no músculo é alta, a quantidade de bicarbonato no sangue será alta ou baixa? Baixa, porque a quantidade de bicarbonato no sangue só será alta quando houver mais ácido lático no sangue do que no músculo, já que a função do bicarbonato é a de tamponamento da variação do pH causada pela alta quantidade de ácido no sangue. 18. Fale sobre o sistema aeróbio. Usa os três macronutrientes, porém a proteína é considerada deletéria e só será usado em treinamentos longos e em casos de desnutrição. Em condições saudáveis os carboidratos são os primeiros a serem utilizados e os lipídios apenas quando há diminuição do glicogênio. Predominante em atividades acima de 80% do VO2 máximo, com maior ativação das fibras do tipo I. Caracterizado pelo ciclo de Krebs, o piruvato é a chave do processo de entrada para o sistema aeróbio. O poder de ressíntese da glicose é de quebrar ligações 39 vezes, onde 1 glicogênio faz ressíntese de 36 ATP’s e o ácido palmítico 130.

12


3

-

CONTRAÇÃO MUSCULAR


3

Contração muscular

1. Diferencie os filamentos de actina e miosina. A actina é envolvida por troponina e tropomiosina, e possui sítios ativos para o ligamento da miosina. A miosina possui diversos ligamentos, onde cada cabeça possui um ATP. 2. Qual a função da tropomiosina? Inibir interação entre actina e miosina. 3. Descreva as fases da contração muscular. Repouso: O impulso não despolariza a fibra muscular, o cálcio está armazenado e o ATP e o complexto actina-miosina não estão ativados. O músculo encontra-se relaxado. Excitação: O impulso despolariza a fibra muscular, onde o cálcio é liberado no sarcoplasma e se fixa nas paredes de actina, mais especificamente nas paredes de tropomiosina, abrindo os pontos de contato. O ATP é ativado e complexo actina-miosina é formado. O músculo está estimulado, mas não contraído. Contração: O impulso continua a despolarizar a fibra muscular. Ocorre quebra do ATP e formação do ADP, liberando energia térmica para o processo mecânico que é a contração muscular. O complexo actina-miosina continua formado, mas não ocorre o deslizamento da actina e miosina. Restauração: O impulso deixa de chegar à fibra muscular e o cálcio volta para as vesículas. O ATP é ressintetizado, o complexo actina-miosina é desfeito e a contração termina. A diminuição da quantidade de cálcio faz o músculo relaxar.

14


3

Contração muscular

4. O que são a tríade e os túbulos T? Rede de microtransporte que propaga o potencial de ação da membrana para regiões mais profundas das células. 5. Qual a importância dos deslizamentos das fibras musculares? Os filamentos ao deslizarem entre si permitem que os músculos sejam encurtados ou alongados, sem alterar o comprimento.

Figura 3.1 - Organização do músculo estriado esquelético.

15

eBook 250 Perguntas e Respostas sobre Fisiologia do Exercício  

Material elaborado por Juliana Araújo -www.julianaaraujofit.com

eBook 250 Perguntas e Respostas sobre Fisiologia do Exercício  

Material elaborado por Juliana Araújo -www.julianaaraujofit.com

Advertisement