Page 1

IMOBILIÁRIO

SALVADOR SÁBADO 14/4/2012

Fernando Amorim / Ag. A TARDE

TECNOLOGIA De sistemas simples aos mais complexos, mercado oferece vários recursos

Procura por equipamentos de segurança aumenta 20%

JULIANA BRITO

Com o avanço da violência em Salvador, cresceu a procura por dispositivos que aumentam a segurança residencial. Após ter sido vítima de um assalto há alguns anos, o empresário Guilherme Martins resolveu instalar um sistema de alarme em seu apartamento. Um mês depois, o ladrão retornou ao prédio e foi surpreendido pelo barulho do aparelho. “O sistema de alarme acabou, também, ajudando os meus vizinhos a escaparem do assalto. O ladrão não voltou mais e o condomínio tomou providências”, lembra Martins. Para reforçar a segurança durante o dia, o empresário decidiu instalar grades em seu apartamento. O presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada da Bahia (Sindesp-BA), Lauro Santana, acredita que a procura por esse tipo de produto tenha crescido mais de 20% nos últimos cinco anos. “Essa é uma preocupação correta. Não existe segurança perfeita, o objetivo é dificultar ao máximo a ação dos marginais”, ressalta Santana.

Simples e sofisticados

Há sistemas mais simples, que aumentam a segurança em 50%, e outros mais complexos, a exemplo do sistema de câme-

5

“Porteiro eletrônico e grades deveria ter em todas as casas”, afirma especialista “Porteiro eletrônico e grades deveria ter em todas as casas”, diz o presidente do Sindesp-BA, Lauro Santana, enfatizando o auxílio ao controle da entrada de pessoas na residência que o primeiro dispositivo, um sistema integrado de TV e câmeras, proporciona. Os dispositivos tecnológicos ajudam, é verdade, mas ter uma atitude preventiva também é importante. Ligar para casa ou para a portaria do condomínio avisando que alguma visita chegará é uma medida simples que ajuda na segurança do lar. Para quem mora em casa, é importante tomar cuidado com a garagem. O presidente do Sindesp lembra que o ideal é que essa área não dê acesso direto à casa. É preciso também estar atento aos locais de posicionamento das câmeras. “É bom instalá-las em pontos estratégicos e altos da casa”, aconselha Santana. Outra medida básica é ter sempre em mãos o número da delegacia mais próxima da sua residência.

VEJA ALGUMAS OPÇÕES SISTEMA DE ALARME É colocado na parte externa. Custa, em média, R$ 150; na opção com monitoramento, acrescenta-se a mensalidade de cerca de R$ 100. Uma outra opção é a combinação com sensores na porta, que avisam quando há invasor CÂMERAS CONECTADAS À INTERNET É possível acompanhar o que acontece em casa em tempo real. As imagens ficam guardadas no HD do cliente. Custo médio: R$ 1.800

Legalizados

PORTEIRO ELETRÔNICO Sistema de câmeras conectadas a uma TV na residência. Ajuda a controlar a entrada de pessoas. Custo médio: R$ 500

Após ter sido assaltado, o empresário Guilherme Martins instalou um sistema de alarmes em casa

ras com acompanhamento pela internet, que chegam a proporcionar 90% a mais de proteção. Estes últimos são usados com mais frequência por empresas. “Até cachorro eletrônico já existe”, afirma Lauro Santana. Os orçamentos variam de acordo com as necessidades do imóvel, detectadas durante a avaliação da empresa especia-

lizada, que costuma ser gratuita. Sócio da Tecnosistem Sistema de Segurança Eletrônica, Mauro Oliveira acredita que um sistema de alarme já ajuda a proteger a residência, mas salienta que o ideal é aliar isso a um serviço de monitoramento. “Se você dispensa esse serviço, está confiando que, ao soar o alarme, vai aparecer gente para aju-

dar. Com o monitoramento, a polícia é acionada”, observa.

Santa Emília lança residencial

Shopping funcionará Prêmio Ademi-BA divulga os vencedores no segundo trimestre

A Santa Emília Empreendimentos prepara o lançamento de um residencial na Rua Clarival do Prado Valladares, no Caminho das Árvores. O empreendimento vai contar com duas torres de apartamentos, de dois e três quartos, e estrutura completa de lazer com piscina, academia de ginástica, salão de festas e salão de jogos. Recentemente, a Santa Emília fez a entrega do Monte Pascoal Residencial, localizado na Rua Piauí, Pituba. Os apartamentos do condomínio têm dois quartos e uma área de 69 m².

Em nota divulgada na edição passada (7/4), escrevemos que o Shopping Bela Vista seria inaugurado no próximo semestre. Erramos. A previsão de inauguração do empreendimento, o único integrado a um bairro, é para o segundo trimestre deste ano. Ressaltamos, ainda, que são dois os projetos desenvolvidos pelos arquitetos Antônio Caramelo e Davi Bastos para o Shopping Bela Vista: o arquitetônico é de autoria de Caramelo, e o de interiores leva a assinatura de Bastos.

Monitoramento

Os dispositivos de segurança residencial também têm uma segunda utilidade, de proteção para quem está em casa. O presidente do Sindesp conta que o botão do pânico, que serve para acionar o sistema de monito-

ramento em situação de risco, é usado por idosos quando passam mal. A economista Viviane Dourado usa o sistema de câmeras conectado à internet para saber o que se passa com os filhos enquanto trabalha. “Sinto-me mais segura assim. E mesmo não podendo ver sempre em tempo real, as imagens são gravadas num HD”, afirma.

Os vigias de rua são muito populares na cidade e muitos moradores pagam por esse serviço acreditando que estão investindo em segurança. Pode ser um engano. Os especialistas alertam que muitas vezes esse pessoal não tem preparação adequada e trabalha informalmente, por isso a Polícia Federal não tem controle sobre eles, como ocorre com a vigilância profissional. Há também o risco de estar pagando para entrar em uma fria. “Como estão na localidade todo dia, podem dar até dicas aos marginais dos hábitos dos moradores”, alerta Lauro Santana.

CURTAS Empresas firmam parceria para lançamentos A Brasil Brokers Brito & Amoedo e a Construtora Moura Dubeaux firmaram uma parceria para o pré-lançamento de um empreendimento residencial no Caminho das Árvores. São 64 apartamentos de 160 m², divididos em quatro quartos, lavabo, sala de estar, jantar, cozinha e área de serviço, além de três varandas com ventilação cruzada. As obras já foram iniciadas. Além do Caminho das Árvores, empresas estão lançando o Mar de Itapuã, um residencial de dois quartos, com suíte, distribuídos em duas torres, com dois apartamentos por

andar. O condomínio oferece infraestrutura de apoio e lazer, segurança 24 horas e vagas para visitantes.

A Brasil Brokers Brito & Amoedo e a Moura Dubeaux lançam residenciais no Caminho das Árvores e Itapuã

Uma das premiações mais importantes do mercado imobiliário baiano divulgou esta semana a lista dos vencedores de sua 18ª edição, escolhidos exclusivamente pelos associados. A Brasil Brokers venceu na categoria imobiliária do ano e a Civil Construtora foi eleita a empresa do ano. Outros vencedores foram a Graute Empreendimentos, a empresa revelação; Duo (Fator Realty), o lançamento imobiliário do ano até 15 mil m²; Aero (Graute Empreendimentos), o lançamento imobiliário do ano acima de 15 mil m²; Odebrecht Realizações,

por gestão sustentável; e Multiplace Feira (Multiplace), o empreendimento imobiliário acima de 15 mil m².

A 18ª edição elegeu a Brasil Brokers e a Civil Construtora a imobiliária e a empresa do ano, respectivamente Gildo Lima / Ag. A TARDE

SERVIÇO

Sistema permite fazer armários de forma mais prática, rápida e sem desperdício CLAUDIA LESSA

Pensando em fazer seu armário de cozinha ou do quarto com um marceneiro? Uma forma prática e rápida é o serviço Plano de Corte, oferecido por madeireiras especializadas da cidade. O serviço consiste no cálculo do número de chapas de madeira necessárias para realizar o projeto do móvel personalizado e programar, por meio de um software, seu melhor aproveitamento. A proposta é agilizar, facilitar e garantir a qualidade do trabalho do profissional da marcenaria e, ao mesmo tempo, evitar desperdício de material. “Somos um parceiro do marceneiro, que é nosso público-alvo”, ressalta Flávia Lima, gerente de marcenaria da Madeireira Brotas (Pernambués). Com o projeto do armário em mãos, o cliente leva as medidas e detalhes à marcenaria e compra a madeira já cortada, conforme as especificações. “A van-

tagem é que o marceneiro já sai da loja levando exatamente o que vai usar e com a melhor qualidade de corte”, observa Flávia Lima. Muitas empresas, a exemplo da rede Leo Madeiras Máquinas e Ferragens (Av. Barros Reis), não cobram pelo serviço do corte quando, no caso, o marceneiro é cadastrado na loja, que também trabalha em parceria com arquitetos e decoradores.

Acabamento

A entrega rápida do serviço é a grande vantagem apontada por quem já usou o serviço de plano de corte. “É incomparavelmente mais rápida a conclusão do projeto”, confirma a decoradora. A gerente da Madeireira Brotas garante que o prazo de entrega do serviço é de até 48 horas. “Com os cortes de madeiras devidamente prontos, caberá ao marceneiro a montagem do móvel”. O acabamento é outra vantagem apontada por quem já

adquiriu o serviço. “Depois de feitos os cortes, as bordas passam pelo processo de fitamento em uma máquina própria e fica 100% perfeito”, garante a decoradora Ana Célia Albuquerque, cliente assídua de lojas que vendem as chapas de madeira, o serviço de corte e a fitagem (acabamento das bordas). Não é qualquer madeira que pode ser cortada por esse sistema. As mais comuns são as placas de MDF, que são pintadas em branco ou no padrão madeira (revestimento de fábrica), e de compensado. As chapas mais utilizadas são as de 15 e 18 mm de espessura, com medida padrão de 2,75 x 1,85. Conforme a gerente de marketing da Leo Madeiras, Michele Estrela, os preços variam de acordo com o tamanho e o tipo da madeira. “Uma placa de MDF de 15 mm de espessura, por exemplo, custa, em média, de R$ 150 a R$ 170. Já a revestida de madeira sai entre R$ 200 a R$ 250”, informa.

Com o projeto em mãos, o cliente leva as medidas à marcenaria e compra a madeira já cortada

100%

é a percentagem de perfeição do plano de corte das chapas, conforme clientes que já usufruíram do sistema, cuja proposta é agilizar, facilitar e garantir a qualidade do trabalho do marceneiro

O serviço consiste no cálculo do número de chapas de madeira necessárias para realizar o projeto

“A ideia é fazermos uma parceria com o marceneiro para facilitar o seu trabalho” FLÁVIA LIMA, gerente da Madeireira Brotas

Procura porequipamentosde segurançaaumenta 20%  

De sistemas simples aos mais complexos, mercado oferece vários recursos