Page 1

B5

SALVADOR TERÇA-FEIRA 26/10/2010

Editor-coordenador Flávio Oliveira

ECONOMIA

TRIBUTOS O impostômetro mede quanto você pagou em 2010 www.atarde.com.br/economia

economia@grupoatarde.com.br

CARGA TRIBUTÁRIA Até o final do ano, serão desembolsados R$ 1,27 trilhão

Brasileiro já pagou R$ 1 trilhão em impostos

O PESO DOS IMPOSTOS

Veja o quanto de impostos está embutido em produtos e serviços. Carga tributária (em %) 76,66

32,33

36,80

Açúcar

Aparelho de som

43,78

45,93

Bacalhau importado

Bicicleta

Hoje, enquanto o contribuinte brasileiro estiver almoçando, o Impostômetro – ferramenta que contabiliza a arrecadação tributária nacional – vai atingir, pela segunda vez, a marca de R$ 1 trilhão. Na primeira, em 2009, o trilhão foi atingido 49 dias depois, em 14 de dezembro. Se no ano anterior foram arrecadados R$ 1, 093 trilhão, em 2010 a estimativa é de novo recorde: R$ 1,27 trilhão. E tem um detalhe: de acordo com os especialistas em direito tributário, em se tratando de carga tributária não há muito o que o contribuinte possa fazer para reduzir o seu impacto. Eventualmente, os governos oferecem descontos para quem paga o imposto antecipadamente e em parcela única, como é o caso do IPVA e do IPTU, ou para quem devia e deseja saldar a dívida. O advogado especialista em direito tributário Victor Pereira alerta que confiar na condescendência do estado não é uma boa estratégia. “É imprevisível. Pode chegar um governo que conceda esses descontos, como pode vir um que não faça”, afirmou. Para o especialista, o contribuinte deve evitar os atrasos, que implicam na cobrança de juros e mora. Outra estratégia é reunir todos os comprovantes fiscais de despesas com saúde, educação e dependentes para garantir

Retomada do emprego contribui para arrecadação À primeira vista, a arrecadação tributária recorde faz pensar em um cenário desanimador, mas não é bem esse o quadro. Em boa parte, esse resultado é consequência da boa fase da economia nacional. Se em 2009 o Brasil ainda estava convalescente da crise econômica do ano anterior, em 2010 mostra-se em plena forma. “Esse aquecimento gera mais empregos e isso tem impacto positivo na arrecadação de impostos”, explica a advogada e vice-presidente do IBPT Letícia do Amaral. A tecnologia possui a sua parcela de responsabilidade nessa arrecadação recorde, já que possibilitou a elaboração de técnicas que dificultam a sonegação fiscal, além de uma maior troca de informações entre as três esferas governamentais: União, estados e municípios. O recorde de arrecadação de impostos pode, paradoxalmente, forçar uma redução na carga tributária. “Esse cenário economico aquecido é favorável a redução de impostos em determinados produtos essenciais”, aposta Letícia do Amaral. Para Victor Pereira, falta informação para o brasileiro sobre quanto ele paga de impostos. “Nos EUA, o consumidor sabe, ao pagar por um produto, quanto está gastando com impostos. No Brasil não há essa transparência”.

Caipirinha

Calça jeans

Casa popular

53,03

38,60

Chocolate

Gasolina

Conta de luz

ICMS/ISS

27,93

Este ano o contribuinte brasileiro trabalhou até 28 de maio só para pagar impostos uma maior restituição do Imposto de Renda. Victor Pereira alerta que o jeitinho brasileiro está cada vez menos eficaz quando se trata de desviar-se das garras do leão. “O fisco está cada vez mais eficiente em fiscalizar a arrecadação”.

Estudo

De acordo com o Instituto

46,12

Moto (250 cc)

TV por assinatura

39,80

37,55

Telefone celular

Veículo Celta 1.0

PIS

Gasolina ICMS

0,93

Cofins

46,04

5,22

INSS/FGTS/Terceiros IRPJ

4,09

PIS

53,03

Outros

Cofins

Outros

3,73

FONTE Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário: (IBPT)

3,41

Daniel Abondanza reclama dos encargos que incidem sobre os salários mensais

dois salários mínimos pode ter 45,8% dela comprometida por impostos indiretos. Segundo um estudo do IBPT, em 2010, o brasileiro trabalhou até 28 de maio só para pagar impostos, totalizando quatro meses e 28 dias. Na década de 70, o contribuinte trabalharia apenas dois meses e 16 dias, ou seja,

17,97

4,09

6,65

Editoria de Arte A TARDE

Lúcio Távora / Ag. A TARDE

Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o Brasil é o país com a carga tributária mais elevada entre os países em desenvolvimento da América do Sul e do Brics (Brasil, Rússia, Índia e China). Um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) afirma que uma família brasileira com renda de até

25

INSS/FGTS/Terceiros

2,89

1,25

De acordo com o IBPT, o Brasil é o País com a carga tributária mais elevada entre os países em desenvolvimento da América do Sul e do Brics

64,65

Quais impostos incidem sobre a conta de luz e o litro de gasolina (%)

CSLL

JULIANA BRITO

38,53

48,30

quase metade do tempo gasto atualmente. Em países em desenvolvimento como Argentina, Chile e México, o número de dias trabalhados não chega nem a cem. Contribuintes de países como a Suécia, Estados Unidos e França trabalham respectivamente 185, 102 e 149 dias para pagar os seus impostos.

“Se fosse no setor privado, faria queixa ao Procon” O administrador de empresas Daniel Abondanza, assim como a maioria dos brasileiros, sente na pele os efeitos da má administração da arrecadação tributária. O impacto sobre o salário é a parte que mais incomoda este contribuinte. “É um dinheiro que faz falta. É cerca de 30% do que ganho e não tem jeito: o desconto vem direto da fonte. Isso fora o que pago de imposto de renda no início do ano”. Assim como boa parte da classe média, o administrador paga plano de saúde e realizou seus estudos em colégios privados. A graduação em universidade pública foi um dos raros momentos em que usufruiu de educação “gratuita”. Daniel faz coro aos milhares de contribuintes insatisfeitos com a “falta de retorno” de seus impostos. “Se fosse no setor privado, eu faria queixa ao Procon, no mínimo. Mas como se trata da máquina pública...”.


Brasileirojá pagou R$ 1 trilhão em impostos  

Até o final do ano, serão desembolsados R$ 1,27 trilhão

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you