Issuu on Google+

A6

SALVADOR

SALVADOR DOMINGO 1/1/2012

REGIÃO METROPOLITANA

INOVAÇÃO Com a ajuda de amigos e simpatizantes, produtos como filmes, shows e álbuns de música podem ser realizados

Os sites não só ajudam projetos a arrecadar fundos, mas também estimulam o incentivo a ações culturais por internautas

Recursos da web são alternativa para produtores culturais

Raul Spinassé / Ag. A TARDE

JULIANA BRITO

Os sites de financiamento colaborativo têm se destacado, em especial, como ferramenta de financiamento de projetos culturais. Algumas páginas como o Incentivador e o próprio Catarse estão sendo buscadas por produtores de cultura de todo o País. Outras são especializadas nisto. É o caso do Queremos, voltado à organização de shows. Um dos mais bem-sucedidos projetos que o Catarse recebeu, em seu primeiro ano, foi o documentário “Belo Monte, anúncio de uma guerra”, da produtora paulista CineDelia. Encerrado no último dia 21, obteve mais de 200 mil visualizações, conquistou 3.429 colaboradores e arrecadou 120% da meta estabelecida – 100% dela foi atingida em apenas duas semanas de exposição na página. Além do dinheiro, o documentário também ganhou em divulgação. “Uma das coisas legais que o crowdfunding trouxe para a gente foi a criação de uma rede de apoiadores. Teve gente que não tinha dinheiro para doar, mas que está disposta a ajudar na realização do filme”, conta o responsável pelo marketing online do documentário, Caio Tendolini. O instrutor de mergulho e documentarista paranaense Emílio Rodrigues e o jornalista Felipe Costa escolheram

INCENTIVADOR Segue a mesma linha do Catarse e se propõe a promover projetos de diversas áreas do conhecimento www.incentivador. com.br

QUEREMOS O objetivo do site é dividir por uma fatia do público o valor necessário para a produção do evento, garantindo a sua realização. Os doadores podem ser reembolsados até integralmente com a arrecadação da bilheteria www.queremos.com.br VAKINHA Assim como o Queremos, difere dos sites de crowdfunding por não exigir que a meta seja atingida para que haja o repasse dos valores arrecadados www.vakinha.com.br O músico Paulo Rios utilizou o serviço de um site para financiar as apresentações e um CD do Conjunto Camará

esse meio para financiar uma parte de um documentário sobre a felicidade, cujas filmagens vão acontecer em 17 países da América a bordo de uma kombi. Na opinião de Emílio, os sites de financiamento colaborativo são uma boa via para buscar recursos, mas ainda refletem a falta de hábito do brasileiro em

apoiar cultura. "Setenta por cento das doações que recebemos vieram de conhecidos nossos. Apesar de estarmos fazendo uma viagem – e as pessoas parecem que só vislumbram esse lado do projeto – teremos, sem dúvida, muito trabalho; há dias em que você trabalha 16 horas", queixa-se Emílio

Rodrigues.

Autonomia

Uma das vantagens apontadas por quem usou os sites para projetos culturais é a autonomia financeira. “Fazer cinema no Brasil ainda é caro e essa é uma ferramenta de financiamento dentro da sociedade civil”, diz Caio Ten-

dolini. O músico baiano Paulo Rios vê nos financiamentos colaborativos uma saída para os produtores de cultura que sofrem com as exigências das leis de incentivo e editais. “É algo totalmente desburocratizado, sem o intermédio de algo superior ou algo por trás”, avalia.

Além de usar a plataforma para realizar projetos próprios, o artista encontrou no Catarse o meio de incentivar projetos. "Descobri o site como apoiador de um projeto que vi na internet e continuo apoiando projetos de outros artistas", diz Rios, que produziu CD e shows do Conjunto Camará.

Gildo Lima / Ag. A TARDE

Hoje, a festa começa com missa às 8h na Igreja da Conceição da Praia

Católicos festejam hoje o Bom Jesus e Nossa Senhora A entrega da imagem de Bom Jesus dos Navegantes iluminada pelo pôr do sol da Praia da Boa Viagem, ontem, às 18 horas, reuniu milhares de fiéis, que seguiram direto da missa celebrada antes pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, na Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, na Cidade Baixa. “A Igreja sabe que expressões de louvor a Deus como essas, apesar de não fazerem parte da liturgia, são resultados da vontade do Espírito Santo e fortalecem a fé”, exaltou dom Murilo Krieger. A festa recomeça hoje, às 8 horas, com uma missa festiva na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia. Às 10 horas, a imagem do Nosso Senhor Bom Jesus dos Navegantes será reembarcada no cais localizado na Capitania dos

CATARSE É voltado para “projetos criativos”, que não só incluem iniciativas culturais, como também esportivas e qualquer outra que se encaixe no conceito. http://catarse.me/pt

MOVERE A página é similar aos dois sites anteriores. Pode se inscrever nela qualquer pessoa que deseje realizar “coisas legais”, desde que possíveis www.movere.me

BOA VIAGEM

GEISA LIMA E TÁSSIA CORREIA

ALGUNS SITES DE FINANCIAMENTO

Portos. A imagem segue em procissão marítima acompanhada por centenas de embarcações. Três paradas são realizadas para as saudações dos devotos e dos portuários: uma é feita no Farol da Barra; outra no Segundo Armazém das Docas e a última em Monte Serrat, de onde a procissão segue até a Boa Viagem. Uma procissão terrestre segue em direção à Cidade Baixa com a imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem, que recepciona a imagem do Bom Jesus dos Navegantes.

Orações

Devotos fizeram orações desde o lançamento da Galeota Gratidão do Povo na manhã de ontem e repetiram o ato na entrega da imagem de Bom Jesus. “A emoção é grande a cada ano que ela é lançada ao mar”, destacou o diretor náutico da irmandade, Expedito Sacra-

1892

Galeota Gratidão do Povo foi cuidadosamente levada até o mar na manhã de ontem

“Sigo o ritual de acompanhar o lançamento da Galeota e todo o trajeto” VALDEYR CABRAL, aposentada

mento, 67 anos. Para ele, o momento de festejos e os encontros entre as imagens são essenciais para os fiéis que seguem a programação. Em 1892 saiu a primeira galeota. O costume era que ela recebesse suporte e 21 salvas festivas da Marinha. No entanto, houve um conflito entre representantes da igreja e

da Marinha que culminou na retirada da embarcação. A população se uniu para a construção da Galeota Gratidão do Povo, que é preparada especialmente para a data. Segundo Antônio Jorge Icó, 60 anos, integrante da equipe de praia, a história serve como exemplo de união e fé. “Precisamos desta união , in-

Este foi o ano em que a Galeota Gratidão do Povo saiu pela primeira vez. O costume se repete desde então numa das mais bonitas manifestações religiosas da cidade

clusive financeira, já que não recebemos mais apoio dos órgãos do Estado”. A aposentada Valdeyr Cabral, 70 anos, conta que se emociona com a festa, principalmente após a morte de um filho, há seis anos. “Sigo o ritual de acompanhar o lançamento da Galeota e todo o trajeto”, relata a aposentada.

CURTAS Dois ficam feridos em tiroteios Na manhã de ontem, a Superintendência de Telecomunicações das Polícias (Stelecom) registrou duas tentativas de homicídios na capital baiana. Josemir Souza da Conceição, 24 anos, foi baleado por dois homens ainda não identificados pela polícia, por volta das 9 horas, no bairro de Pituaçu. Horas antes, agentes da Stelecom registraram o ataque a tiros contra o jovem Ramon Rodrigues, 22 anos, no subúrbio ferroviário de Paripe. Ambos foram socorridos por policiais militares levados

ao Hospital Geral do Estado (HGE) e ainda correm risco de morte. Os crimes são apurados pela polícia.

Um dos crimes foi registrado em Pituaçu. O outro ocorreu no subúrbio ferroviário

Filas nas lotéricas

Jovem é assassinado em Plataforma

O movimento foi intenso até o último minuto disponível para apostar na Mega-Sena da Virada 2012 Marco Aurélio Martins / Ag. A TARDE

Flávio da Silva Araújo, 18 anos, foi encontrado morto, ontem, próximo à sua casa, na Rua Planalto Real, em Plataforma. O rapaz foi morto com cinco tiros. A morte costernou os vizinhos, pois, de acordo com eles, Flávio estava animado para festejar o Ano Novo na Barra ou na Praia da Base Naval de Aratu. Segundo eles, o rapaz trabalhava, mas parecia ter envolvimento com o tráfico de drogas, informação dada também pela polícia. “Não sabemos ainda se ele era traficante ou estava devendo,

mas esse crime tem relação com o tráfico”, disse o tenente Andrews, responsável pelo policiamento na área.

Natural de Santo Amaro, Flávio Araújo estava morando em Salvador há cinco anos


Recursos da web são alternativa para produtores culturais