Page 1

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiop asdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd POLÍTICA fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfgh de jklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl zxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxc DESENVOLVIMENTO vbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvb da nmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnm COLEÇÃO qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui Escola Secundária de Bocage opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiop asdfghjkcvbnmqwertyuiopasdfg hjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjk lzxcvbnmrtyuiopasdfghjklzxcvbn 2011/12 | 2015/16 Biblioteca Escolar


Índice Ponto I 1.Finalidades e Princípios Gerais 1.1.Objectivos 1.2.Igualdade de acesso e liberdade intelectual 1.3.Responsabilidade da aplicação dos princípios constantes neste documento

Ponto II 2. A Biblioteca Escolar da Escola Secundária Bocage 2.1 Missão e Objectivos da biblioteca escolar 2.2 A biblioteca escolar 2

Ponto III 3. Caracterização da Colecção da biblioteca escolar da ESBocage 4. Critérios de Selecção 4.1. Critérios gerais 4.2. Selecção do documento livro 4.3. Documento Não Livro: DVD / Vídeo / Cd-Rom e áudio. 4.4. Publicações Periódicos 4.5-Publicações Digitais 5. Critérios de Aquisição 6. Critérios para aceitação de ofertas e doações 7. Critérios de preservação, desbaste e abate 8. Orçamento, 9. Sugestões e Reclamações


10. Disposição Finais Anexos Anexo1 – Formulário de reclamação sobre a colecção Anexo 2 – Formulário de termo de aceitação de doação e ofertas.

Índice de Quadros e Gráficos Quadro 1- Tipologia de documentos Quadro 2 – Distribuição das monografias segundo a CDU Gráfico 1 – Tipologia de documentos existentes na BE Gráfico 2 - Distribuição de documento livro e não livro Gráfico 3 – Monografias segundo as classes da CDU

Ponto I 1.

3

Finalidades e Princípios Gerais

A finalidade deste documento é traçar linhas orientadoras da actuação da biblioteca em articulação com os Departamentos Curriculares, no que diz respeito ao desenvolvimento da colecção. A definição de uma Política de Desenvolvimento da Coleção i é essencial para sustentar um crescimento equilibrado entre os diversos suportes e áreas temáticas e estabelecer uma relação coerente entre as verbas disponíveis e as prioridades nas aquisições.

1.1.

Objectivos

Orientar a equipa da biblioteca na tomada de decisões quanto à Política Documental, estabelecendo critérios para a selecção, aquisição,


aceitação de ofertas e doações, gestão e preservação, desbaste e abate dos materiais da biblioteca escolar; •

Planificar a médio e a longo prazo o desenvolvimento de colecção;

Constituir uma declaração pública do compromisso da equipa da BE para com os princípios da liberdade intelectual e igualdade de acesso às ideias e à informação.

CD.1. Igualdade de acesso e liberdade intelectual

O Manifesto das Bibliotecas Escolares da UNESCO e a Declaração Universal dos Direitos e Liberdades do Homem, aprovada pelas Nações Unidas, contemplam a liberdade intelectual e o acesso à informação como direitos fundamentais, disponibilizando os serviços da Bibliotecas Escolares de igual modo a todos os membros da comunidade escolar. A liberdade para aceder à informação é um direito essencial das sociedades democráticas, por isso a Biblioteca Escolar deve considerar as diferenças étnicas, filosóficas e religiosas. Estes princípios orientadores devem conduzir ao desenvolvimento de uma colecção equilibrada e representativa de uma sociedade pluralista, permitindo que os utilizadores possam fazer as suas escolhas de forma consciente.

CD.1. – Responsabilidade da aplicação dos princípios constantes neste documento A Política de Desenvolvimento de Colecção será proposta pela professora bibliotecária, conjuntamente com a sua equipa, sendo a sua validação feita pelo Conselho Pedagógico, depois de apresentada à Direcção. A responsabilidade

da

execução

deste

documento

é

da

bibliotecária.

Ponto II – A Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Bocage

professora

4


2.1 Missão e Objectivos da Biblioteca Escolar A biblioteca escolar da Escola Secundária de Bocage tem como missão disponibilizar à comunidade educativa o acesso à informação, em diferentes suportes, contribuindo para uma maior articulação com os currículos, e fomentado uma maior qualidade das aprendizagens. A BE promove o livro e as competências leitoras, assim como as literacias de informação e científicas induzindo a uma maior autonomia necessária para o desenvolvimento intelectual e para o exercício pleno da cidadania. São objectivos da BE: •

Apoiar a realização do Projecto Educativo e do Plano de Actividades da Escola;

Satisfazer exigências curriculares e decorrentes do sistema educativo;

Dar resposta às solicitações impostas pelos programas;

Desenvolver actividades informativas/formativas;

Favorecer a construção da aprendizagem e a interacção/actualização constante de saberes;

Reunir e organizar/disponibilizar toda a documentação existente na escola para que possa ser útil em qualquer momento a toda a comunidade educativa;

Criar nos alunos hábitos de frequência das BE para fins não só de fruição, como de informação e formação;

Promover o enraizamento do gosto/interesse pela leitura e pela aquisição da sua competência;

Promover o desenvolvimento do espírito crítico, valores humanistas e a preparação para a vida.

5


2.2 A Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Bocage A biblioteca escolar da Escola Secundária de Bocage é um espaço de acesso ao conhecimento, é um serviço do desenvolvimento curricular e das aprendizagens e promotora da leitura e literacias. A biblioteca escolar é constituída por um conjunto de recursos físicos (instalações e equipamentos), humanos (professores, alunos e assistentes operacionais) e documentais em diferentes suportes devidamente tratados e organizados. Os serviços e as actividades da biblioteca escolar devem estar integrados nos planos estratégicos e operacionais da escola e na visão e objectivos educativos da escola. O papel da professora bibliotecária deve centrar-se na gestão da informação, ser um agente colaborativo e formativo no percurso curricular dos alunos e no desenvolvimento curricular em cooperação com os professores. De acordo com a legislação em vigor, a biblioteca escolar da Escola Secundária de Bocage é coordenada por uma professora bibliotecária, coadjuvada por uma equipa e, ainda, integra no mínimo uma assistente operacional. O horário da biblioteca escolar da Escola Secundária de Bocage acompanha o horário de funcionamento lectivo da escola.

III – Gestão e Desenvolvimento da Colecção das BE do Agrupamento

3.1 Caracterização da Coleção da Escola Secundária de Bocage

A biblioteca escolar dispõe de um fundo documental acumulado ao longo de mais de um século, diversificado e, em certas áreas, muito valioso. O fundo mais antigo está em reserva, na sala tradicional da biblioteca, só o fundo mais

6


actualizado e de acordo com os currículos e interesses dos alunos estão em livre acesso. O fundo documental em livre acesso encontra-se totalmente registado, classificado e etiquetado, apenas 50% está informatizado. Em Março de 2012, existe, na biblioteca um total de 12 715 documentos os quais estão distribuídos da seguinte forma: Tipologia de documento Cassetes VHSii

Quantidade

%

0

0

CDs áudio

228

2%

CD-Roms

153

1%

DVDs

303

3%

3

Publicações periódicas Monografias

4567

0% 37%

Monografias em reserva (e livro

7 000

57%

12 715

100%

antigo) Total Quadro 1

Gráfico 1

7


No que diz respeito aos documentos em reserva e ao livro antigo, gostaríamos de registar o seguinte: •

alguns dos livros em reserva estão tratados tecnicamente,

os livros que estão em reserva apresentam valor patrimonial , mas desajustados às necessidades dos utilizadores, livros em alemão, enciclopédias em francês, documentos

que já não

fazem parte do currículo nacional, entre outras situações semelhantes. •

alguns dos documentos são periódicos com valor patrimonial e cultural, como por exemplo a Brotéria, a Revista Portuguesa entre outras e que deverão ser sujeitas a um tratamento técnico específico.

foi solicitado colaboração à Biblioteca Municipal de Setúbal para fazer o tratamento técnico do livro antigo, aguardamos resposta. 8

Distribuição do documento livro e não livro Documento Livro

Documento não livro

6%

94%

Gráfico 2

Pelo quadro apresentado verificámos que 94% da colecção corresponde a material livro, o que significa que continua a haver um forte investimento na colecção ao nível das monografias e estará no momento de reforçar a colecção ao nível do material não livro e digital.


As monografias distribuem-se do seguinte modo, de acordo com a classificação CDU, utilizada no tratamento documental:

Quantidade

Classes da CDU

Percentagem

0 – Generalidades

243

5%

1 – Filosofia

372

8%

2 – Religião

32

1%

3 - Ciências Sociais

329

7%

345

8%

6 - Ciências aplicadas/Medicina/Tecnologias

121

3%

7 - Arte/Desporto

462

10%

8 - Língua/Linguística/Literatura

2170

47%

9 - Biografia/Geografia/História/Fundo local

493

11%

5 - Ciências puras/Matemática/ Ciências Naturais

9

Total

4567 Quadro 2

Gráfico 3

100%


Poderemos inferir que: •

A maior percentagem da coleção centra-se na classe 8 da CDU – Língua e Literatura -, o que é uma situação normal nas bibliotecas escolares de modo a proporcionar actividades de promoção da leitura e responder às necessidades e interesses dos nossos leitores;

• Que a classe 5 da CDU – Ciências puras/Matemática/ Ciências Naturais – e a classe 6 - Ciências aplicadas/Medicina/Tecnologias - apresentam taxas relativamente baixas face ao perfil dos nossos alunos, os quais optam, na sua maioria, por prosseguirem estudos nas áreas científicas, e deste modo a oferta da biblioteca escolar poderá ficar aquém das necessidades; •

Segundo as directrizes da IFLA pelo menos 60 % dos fundos documentais

devem

corresponder

a

recursos

de

não

ficção

relacionados com o currículo. A este propósito poder-se-á afirmar que colecção da biblioteca escolar da nossa escola apresenta um fundo documental de 54 % de não ficção, mas só após uma avaliação rigorosa da colecção se poderá afirmar se esta percentagem está ou não directamente relacionada com o currículo;

• Perante os dados estatísticos apresentados e tendo em linha de conta que a escola dispõe, à data da realização deste documento, de uma população discente na ordem dos 1200 alunos, constatamos que a BE da nossa escola dispõe de um número aproximado de 4 documentos por aluno, o que nos permite inferir que o número é insuficiente, tendo por base as directrizes da IFLA que determina que deverão existir dez (10) documentos por aluno, sendo que desse total, 7 deverão ser em suporte livro e os restantes 3 em suporte não livro. No que se refere ao documento não livro, registamos um número muito insuficiente.

IV. Critérios de Selecção

10


4.1 Gerais A selecção do fundo documental deve ser coordenada pela professora bibliotecária e pela equipa da biblioteca escolar, auscultando os diferentes Departamentos Curriculares e envolvendo a Direcção. Desta forma, devem ter em conta os seguintes critérios gerais: •

As necessidades de informação dos utilizadores tendo em conta o Currículo Nacional, o Projecto Educativo e o Projecto Curricular de Escola;

• •

Sugestões e Recomendações do Plano Nacional de Leitura; A oferta formativa da escola, áreas curriculares e não curriculares;

• •

O equilíbrio entre os ciclos de ensino; O equilíbrio entre todos os suportes e as diferentes áreas do saber;

As necessidades educativas especiais e as origens multiculturais dos alunos;

A identificação de materiais inovadores que despertem o interesse da comunidade.

A actualidade e diversidade;

A linguagem clara e que estimule os utilizadores à sua leitura

A relação qualidade/preço do documento relativamente ao seu contributo para a colecção;

A apresentação e design.

4.2 - Seleção do documento livro: • a inclusão de obras de autores clássicos, contemporâneos, portugueses, estrangeiros e novos autores; • ao conteúdo e potencial utilização; • a adequação a diferentes grupos etários; • as diferentes capacidades de leitura;

11


• as novidades editoriais; 4.3 - Documento Não Livro: DVD / Vídeo / Cd-Rom e áudio Na selecção do documento não livro deve-se ter em atenção: •

a durabilidade;

a qualidade do grafismo e da imagem;

o tipo de equipamento requerido para o uso deste tipo de material;

actualidade,

diversidade;

interesses e gostos dos utilizadores;

a possibilidade de longevidade deste tipo de tecnologia.

4.4 Publicações Periódicas Na selecção das publicações periódicas deve-se ter em atenção: 12

o objectivo, âmbito e público-alvo da publicação periódica;

o rigor e correcção da informação veiculada;

o gosto e interesses da comunidade educativa;

a qualidade do formato;

o custo e relação qualidade/custo.

4.5 Publicações Digitais •

Facilidade de uso, tendo em conta os conhecimentos prévios necessários;

grau de destreza necessário;

grau de interactividade com o utilizador;

qualidade e eficácia das ajudas e outras características técnicas;

adequação ao nível educativo para o qual está referenciado;

acessibilidade a múltiplos utilizadores;


existência, na BE, de equipamentos necessários para o seu uso;

acesso continuado a informação retrospectiva, quando necessário ou desejado.

V. Critérios de Aquisição

As aquisições podem realizar-se através de compra, de permuta com outras bibliotecas escolares ou de oferta, de acordo com os critérios de selecção elencados neste documento. A professora bibliotecária e a sua equipa deverão fazer a gestão das sugestões

dos

grupos

disciplinares,

professores,

alunos,

assistentes

operacionais e encarregados de educação para em seguida proceder à confirmação dos preços e da publicação, à localização do documento no mercado, apresentando a melhor proposta e condições de aquisição à Direcção,

para

posteriormente

ser

processada

de

acordo

com

os

procedimentos administrativos habituais da escola. No processo de aquisição deverá ser tido em consideração: •

o investimento exclusivo, por ex. apenas em obras de referência – desaconselhado por restringir a escolha plural e diversificada de outros documentos, igualmente pertinentes e adequados aos interesses e necessidades dos utilizadores;

a consultar o maior número possível de editoras, distribuidoras e livrarias com catálogos disponíveis, alguns em linha, por forma a optar

pela

melhor

edição

tendo

em

conta

a

relação

qualidade/preço; recorrer, ainda, a revistas especializadas e bases de dados bibliográficas. •

evitar a tendência para selecionar todos os títulos de uma só colecção;

13


prever a substituição de alguns títulos que não se encontrem disponíveis no ato de compra;

Todos os documentos adquiridos receberão o respectivo tratamento técnico documental e integrar-se-ão na colecção da biblioteca escolar.,

VI. Critérios para aceitação e ofertas / doações As doações ou ofertas, provenientes de entidades públicas ou privadas ou de particulares, serão alvo de análise por parte da professora bibliotecária e respectiva equipa. Assim, estabelecem-se os seguintes critérios: •

Necessidade e interesse dos utilizadores;

Lacunas existentes na colecção;

Que conste na lista de necessidades da biblioteca;

Estado de conservação dos documentos

Estado de actualização da doação;

Qualidade das ofertas e a sua compatibilidade com as necessidades e interesses dos utilizadores;

Adequação aos princípios definidos neste documento e à missão da BE; Os doadores particulares serão informados destes critérios, pelo

que lhes é fornecida informação acerca dos mesmos e solicitada autorização, através de um termo de aceitação (Anexo 1), de forma que as bibliotecas possam proceder à sua incorporação na colecção, ao seu encaminhamento para outras instituições ou à sua eliminação.

VII. Critérios de Preservação, Desbaste e Abate

14


Serão sujeitos a processos de preservação (conservação e restauro) todos os documentos de indiscutível valor para a colecção desde que a sua recuperação seja viável, de acordo com o estado físico do documento e do investimento financeiro que essa acção acarrete. Assim, a BE deve preservar todos os materiais que não possam ser repostos e que mantenham o seu valor e conteúdo pertinente. A BE deverá adoptar estratégias de preservação, como por exemplo a digitalização. Relativamente aos procedimentos de recuperação, apenas deverão ser utilizados materiais adequados para o efeito. Nem sempre todos os recursos documentais existentes na biblioteca correspondem às necessidades de informação dos utilizadores tendo em conta o currículo nacional e a oferta de escola e aos interesses actuais dos seus utilizadores, havendo a necessidade de proceder ao desbaste da colecção. Esta acção deve ser uma tarefa integrada no circuito do documento, abrangendo todos os suportes documentais, requerendo uma revisão sistemática e criteriosa do fundo documental. O processo de desbaste não implica forçosamente a destruição dos documentos, podendo ser encontradas soluções que passam pela gestão partilhada e dialogada das colecções entre as diversas bibliotecas escolares do concelho de Setúbal, através da doação ou de empréstimo. Existe ainda a possibilidade de capitalizar estes recursos, através da promoção de actividades na BE, como feiras de livro manuseado, troca de documentos entre a comunidade e outras iniciativas que tenham como propósito prolongar a sua utilidade. Sendo um processo essencial para manter a coerência da Politica de Desenvolvimento da Coleção, é fundamental a existência de critérios bem definidos, tal como no processo de aquisição. Assim, destacam-se os seguintes critérios para desbaste cuja aplicação pode ser generalizada a todos os documentos, independentemente do suporte: •

Alterações introduzidas nos planos curriculares de ensino resultantes de reformas educativas;

Perda de relevância em relação aos conteúdos curriculares em vigor;

15


Estado físico, degradação por idade do documento ou por utilização (nesta última situação será necessário repor o documento);

Documentos cujo conteúdo, suporte, língua, não se adequam ao perfil do utilizador, nem aos equipamentos existentes;

Exemplares repetidos sem critério de interesse (neste caso poderse-á ficar apenas com um exemplar e os restantes serem para abate ou para a feira do livro manuseado);

Alteração da tipologia da escola;

Documentos sem requisição ou consulta por um período superior a 8 anos e que não sejam objecto de conservação por critérios de preservação patrimonial, histórica ou cultural.

Os critérios para abate são os seguintes:

Desfasamento científico e/ou técnico do documento (área das 16

ciências exactas); •

Documentos

fisicamente

danificados,

incompletos

e

cujo

conteúdo já está desactualizado; O desbaste e abate do fundo documental devem ser feitos sob a coordenação da professora bibliotecária, envolvendo os Departamentos Curriculares, com a aprovação da Direcção. VIII. Orçamento

A avaliação e gestão da colecção possibilitarão uma racionalização e optimização dos recursos existentes na biblioteca, possibilitando a desejável adequação às necessidades da escola, respondendo de modo eficaz às necessidades pedagógicas relacionadas com os programas curriculares, gostos e interesses dos utilizadores. Deste modo, a biblioteca escolar deverá ser dotada de um orçamento / verba que permita a manutenção da colecção e o seu desenvolvimento, assim


deverá ser reservada uma parte da verba para a renovação e actualização de novidades e outra para o equilíbrio da colecção, tentando compensar, de forma progressiva, algumas lacunas existentes. A professora bibliotecária e a equipa da biblioteca deverá fazer um esforço para contribuir de forma ativa e proactiva para a obtenção de verbas para a biblioteca escolar, seja através de concursos, apresentação de projectos, protocolos, parcerias entre outros. Anualmente, a professora bibliotecária reunirá com a direcção para analisar as necessidades e apresentar uma proposta de aquisição de documentos livro, não livro e digitais, à qual o órgão de gestão responderá de acordo com a disponibilidade orçamental devidamente justificada, conforme consignado nos normativos legais em vigor (Desp.nº18797/2005 – Acções Complementares; artigo 8º, alíneas b) e c) e no orçamento geral da escola (Rubrica – materiais de educação, cultura e recreio).

IX. Sugestões e Reclamações

Apesar das decisões quanto à aquisição, manutenção, exclusão, remoção, proscrição ou supressão de determinados materiais da colecção das bibliotecas seguirem os princípios estabelecidos neste documento, está reservado o direito de qualquer utilizador contestar a disponibilização de determinado recurso, tendo em conta a autoria ou conteúdos/matérias que possam ser considerados controversos. Assim, em caso de reclamação, deve o utilizador preencher o formulário respectivo (Anexo 2), disponível na BE, e entregá-lo na zona de atendimento, ou colocar na caixa de sugestões, ou registar no livro de reclamações ou ainda enviá-lo por e-mail – bibocage@gmail.com -. Todas as reclamações serão objecto de análise pela professora bibliotecária e pela equipa da biblioteca, sendo a decisão final comunicada por escrito ao reclamante e à Direcção.

17


X. Disposições Finais

A Política de Desenvolvimento da Coleção definida neste documento tem como período de vigência quatro anos lectivos compreendidos entre 2012/13 e 2015/16. O documento será revisto de 4 em 4 anos, após uma avaliação do Plano de Desenvolvimento da Colecção que lhe está subordinado, de modo a manter a sua actualidade e pertinência face às necessidades e interesses dos utilizadores e a novas orientações quer do Gabinete RBE, quer do Projecto Curricular e Projecto Educativo da Escola Secundária de Bocage. Face aos objetivos e critérios definidos neste documento, será feita uma avaliação da colecção no seu todo, após uma análise exaustiva dos recursos que a integram e uma análise das necessidades da comunidade de utilizadores (e de potenciais utilizadores). Esta avaliação da coleção permitirá identificar os seus pontos fortes e fracos e delinear as prioridades de desenvolvimento da colecção, tendo em conta o orçamento disponível, para de seguida ser 18

elaborado um Plano de Desenvolvimento da Colecção. A Política de Desenvolvimento da Coleção será divulgada junto de todos os utilizadores e interessados, recorrendo para isso a todos os meios disponíveis, nomeadamente através do blogue da biblioteca da biblioteca escolar http://biblioteca-esb.blogspot.com/ ou na página moodle da escola (disciplina Biblioteca) ou em suporte de papel, para consulta nas instalações das bibliotecas.

O presente documento será remetido à Direcção para a apreciação e consignado à aprovação em Conselho Pedagógico. A Professora Bibliotecária

_____________________

A Directora

_____________________


Escola Secundária de Bocage Setúbal, 22 de março de 2012

Aprovado em CP de 18 / Julho / 2012

A Professora Bibliotecária Júlia Martins

19


i

Por coleção entenda-se o conjunto de recursos documentais da biblioteca escolar, em diferentes suportes (livro, não livro e documentação em linha), geridos por esta e de acesso local ou remoto. ii

Os VHS foram retirados de acesso livre e estão a ser substituídos por DVD e / ou convertidos para DVD.

ANEXOS


Anexo 1 O Órgão de Gestão

Tomei conhecimento _________________

TERMO DE ACEITAÇÃO – DOAÇÕES

Eu, ____________________________________, transfiro incondicionalmente, para Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Bocage, todos os meus direitos sobre os documentos doados e declaro que a referida Biblioteca poderá dispor da referida doação como melhor lhe aprouver.

_________________________, _____ de __________ de _____

Assinatura do doador ________________________________________

Assinatura da Professora Bibliotecária _______________________________________


Anexo 2

RECLAMAÇÃO Nota: Os dados fornecidos neste formulário não serão objecto de outras utilizações nem serão transmitidos a outras bases de dados, sendo garantida a total confidencialidade do autor da reclamação.

Identificação do reclamante Aluno __ Professor __ Funcionário __ Pai/Encarregado de Educação ___ Nome ___________________________________________________________ Morada __________________________________________________________ Telefone __________ E-mail _________________________________________

O reclamante representa-se a si próprio? _____ (S / N) Organização? ______(S / N) Em caso afirmativo, qual________________________________________________

Identificação do objecto de reclamação Livro __ Periódico __ Filme __ Outro __ Qual? ________________________ Título ____________________________________________________________ Autor / Realizador __________________________________________________ Teor da reclamação Especificamente, qual é a objecção em relação ao documento (referir páginas, se for caso disso) ________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________ Para que nível etário recomendaria o documento? ___________________________________ Na sua opinião, quais poderão ser os efeitos de ler/usar o documento? Especifique. ________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________


- Encontra algum aspecto positivo ou favorável no documento? ________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________ Leu/viu todo o documento ou apenas parte dele? ____________________________________ Qual é a acção que pretende que a Biblioteca tenha em relação ao documento em causa: - Retirá-lo da Biblioteca? ___ - Não o ter acessível a determinados tipos de público? __ Especifique ________________ - Outra acção _____________________________________________________________ Que título recomendaria para o substituir, no âmbito do tema em causa? _____________________________________________________________________________________

Assinatura do reclamante e data ______________________________ Setúbal, ___/ ___/ __


Politica de desenvolvimento da Colecção  

trata-se de um documento fundamental para gerir a colecção de uma biblioteca

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you