Issuu on Google+

_TEXTO CONCEITUAL

A partir do texto curatorial, e do entendimento do tema “ da multiplicidade, transicionalidade, recorrência e permanete mutabilidade das poéticas artisticas”, entende-se que a proposta da 30ª Bienal é criar uma discussão e compreensão de um processo no mundo das artes. Ou seja, entender o que fica e o que muda , o que sobrevive, o que se mantém a deriva.... Para assimilar esse processo torna-se necessário olhar para o que o curador vai chamar de “iminência poética”, que é aquilo que está “ na borda de serem materializados” são imprevisíveis, podem vir da onde não se espera. O que vem antes da forma? O processo, a reação, o estímulo reagindo com um objeto, um corpo. As iminências poéticas estão entre o real e o imaginário, não sendo possível distinguir o verdadeiro limite entre eles. Uma possível proposta para o desenvolvimento de uma identidade visual no workshop é partir da idéia do imaterializável e espontâneo, revelando um processo, em que o final em si, é uma consequência. Um exemplo seria a simulação de um cartaz como uma placa de cobre manchado, com o texto da Bienal, seria uma idéia de mutação e reação.


_REFERÊNCIAS Estúdio Remy Zaugg arquitetos: Herzog & e de Meuron A obra arquitetônica utiliza a chapa de cobre como material na fachada. Esse material ao ficar exposto ao tempo, chuva, extremos climáticos... reage e oxida, como resultado solta uma tinta amarelada que escorre na fachada, criando uma mancha. Fica assim estabelecido uma relação da obra com o próprio entorno, onde o corpo responde aos estímulos. Essa intervenção traz a idéia de que as coisas sofrem mutação e reagem, transforma. Os arquitetos da obra entendem nesse sentindo as artes plásticas como um processo, a idéia do que não é previsto se tornou materializável e muda de acordo com o tempo.

imaterializável

mutável Processo

reação

espontâneo

estímulos

imprevisível

CD_Mutation - The Beatles Arte gráfica desenvolvida para a capa do álbum Mutation dos The Beatles. A arte mostra uma colagem com fortes traços que funde 3 rostos em um único desenho.

Coelho + Tigre

Cacho de Uva com cores diferentes


_REFERÊNCIAS

A imagem expressa, movimento, transformação, interno, externo, dentro, fora.

Transparência, incorpora. assimilar.

de dentro pra fora

textura

transparente

incorporar tempo

matéria

Fachada_galeria vermelho artista: Aline Van Langendonk A artista propôs um deslocamento de matéria ao remover camadas na fachada da galeria. Essas camadas foram revelando as outras fachadas anteriores, que foram se misturando e incorporando-se uma na outra. Como resultado a artista cria uma faixa de diferente camadas ( que variam de acordo, com a raspagem e remoção), e revela um processo, ao mesmo tempo em que remete a uma idéia de tempo, a proposta não é uma narrativa cronológica, mas sim, umas mistura de todos, durante alguns processos de intervenção na galeria.

Tipologia Gráfica O texto feito através de materiais, texturas. ( terra, luz, pontos...)


Team ten Essa imagem retrata a reunião de um grupo de jovens arquitetos que que propõe uma revisão critica do CIAM (Congressos Internacionais da Arquitetura Moderna - organização responsável pela definição de uma estilo internacional, baseado numa arquitetura considerada limpa, sintética, funcional e racional) e suas práticas. Os diversos encontros do grupo buscavam recuperar particularidades e subjetividade entendendo o indivuduo como ele individual e não o homem no coletivo. Eles vão negar a multiplicações em séries, invertendo assim a lógica do urbanismo da Carta de Atenas e propondo um urbanista que vai discutir com as comunidades.

futuro descontinuidadde

continuidade

passado essencial

fragmentos deriva

presente dialogo memória

HISTÓRIA DE VIDA

O QUE VOCÊ LEVA COM VOCÊ?

Essa imagem mostra fotografia e documentos ( históricos e contemporâneos) colocados em camadas e sobrepostos em uma imagem satélite do Google Earth no lugar da onde as pessoas viveram. O uso da transparência na imagem, é utilizado, para sugerir a idéia de sobreposição, incorporação, e fusão, complexidade onde elementos das vida se misturam numa escala de tempo e espaço.

Uma mala. Esse objeto traz a idéia de tempo (presente, passado, futuro), deriva, essencial, pertences fisicos ou nao que estão dentro de cade pessoa. É o que se leva pra todos os lugares, em uma bagagem, ao mesmo tempo não se sabe o que tem dentro da mala das pessoas e o que isso vira uma vez em que se insere em um novo lugar em que se chege. O que fica? O que se transforma? Continuidade e descontinuidades que se assimilam ao espaço e o tempo.


_Currículo FORMAÇÃO ACADÊMICA Ensino Fundamental e Médio: Escola Nossa Senhora das Graças. São Paulo - Concluído em 2003. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo: Escola da Cidade. São Paulo - Concluído em 2009. IDIOMAS Inglês: Shane Global. Londres - 2011 Espanhol: Básico EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Estágio Subprefeitura de Pinheiros – Planejamento Urbano – fev .2007/mar. 2008. . Criação de Mapas/Revisão do Plano Regional Estratégico/Organização de banco de dados sobre a Subprefeitura/Vistoria de projetos Estágio no escritório de Arquitetura e Urbanismo ODVO – jun.2008/ago 2008 Desenvolvimento de projeto de acessibilidade para FDE/ Desenhos no Auto-Cad Estágio no escritório de Arquitetura Milaomob – jul. 2008/dez. 2008 Desenvolvimento de projetos mobiliários/ Desenhos no Auto-cad Estágio no escritório de Arquitetura e Urbanismo Geral Arquitetos (arq. Maria Cristina Martini) – nov.2008/mar. 2009. Desenvolvimento de projetos executivos/Levantamentos/Acompanhamento de Obras/ Desenhos no auto-cad Estágio no escritório de Arquitetura e Urbanismo Versoarquitetura –set. 2009/fev 2010. Desenvolvimento de projeto de projetos executivos/Levantamentos/Desenhos no Auto-Cad Arquiteta projetista do Escritório Estudio Maac - Fev2010/ Ago 2010. . Desenvolvimento de projetos executivos . Levantamentos . Gerenciamento de projetos . Desenhos no Auto-cad . Desenhos no Vector


_Currículo Arquiteta projetista do Escritório Guipaoliello - Ago 2010/março 2011 . Desenvolvimento de projetos executivos . Levantamentos . Desenhos no Auto-cad Arquiteta Cordenadora do Escritório Estudio Maac - Ago 2011/ . Desenvolvimento de projetos executivos . Levantamentos . Gerenciamento de projetos . Desenhos no Auto-cad . Desenhos no Vector CURSO EXTRA CURRICULAR CURSO do FELIPO - Curso de Desenho de Observação e Perspectiva - 2005. CURSO DE AUTOCAD – Mackenzie - Julho 2006. CURSO DE ARQUITETURA E ESTRUTURA – Escola da Cidade - Ministrado pelo professor Robert Brufau - Agosto de 2006. CURSO DE HISTÓRIA DA ARTE NO BRASIL - Pinacoteca do Estado de São Paulo - Primeiro Semestre de 2007. CURSO VECTOR WORKS– Escola da Cidade - 2008. CURSO ADOBE PHOTOSHOP Básico - Escola da Cidade - 2008. CURSO INTERVENÇÕES URBANAS - Centro Universitário Maria Antonia – Ministrado pelo professor Nelson Brissac – 2009. CURSO DE DIAGRAMAS - Escola da Cidade - 2009. CURSO ARCHICAD – Lápis tecnologia – 2009. INFORMÁTICA PACOTE MICROSOFT OFFICE, AUTO CAD, ARCHICAD, ADOBE PHOTOSHOP, ADOBE ILUSTRATOR, ADOBE INDESIGN, COREL DRAW, SKETCHUP, VECTOR WORKS.


_Portifólio Prancha sintese_Exposição Escola da Cidade Juliana Barsi de Castro Teixeira. Formada pela Escola da Cidade em 2009, fez diversos estágios em escritórios de arquitetura e na subprefeitura de Pinheiros. Seu trabalho de conclusão da faculdade foi sobre espaços públicos no metrô e ganhou espaço em uma exposição na Escola da Cidade.

Espaços Públicos

Espaços Públicos foi o objeto de pesquisa adotado para me aprofundar um pouco mais num tema extremamente complexo que é a metrópole de São Paulo, e assim entender a demanda da cidade hoje e a cultura existente. O objetivo durante a pesquisa não foi chegar num conceito definido e restrito do que é, ou o que foi os espaços públicos mas sim entender sua relação com a sociedade e com o desenho da cidade, uma vez que esta intrisceco nele a questão cultura e funcional. A nossa nova realidade em São Paulo, atrelada ao capitalismo selvagem, é marcada por uma urbanidade corrosiva, com grandes avenidas, automóveis, shopping, condomínios fechados. Fato que gera a sensação de falência da cidade, uma vez que a experiência na metrópole parece estar limitada. Ela é dispersa e impermeável. Diante desse novo cenário, pode-se concluir que o espaço público da praça, lugar de parada e do simples encontro, vem perdendo força para espaços públicos que estão na circulação e nos fluxos da cidade . Os grandes encontros se dão onde há circulação de massas, como terminais, estações, aeroportos e etc. Desta forma a idéia de espaços públicos esta diretamente ligada com uma das principais questões da cidade contemporânea a ser trabalhada, ou melhor reestudada, que é a questão da infraestrutura urbana que aparece agora não como um elemento funcional, mas também como um agregador do território, rompendo barreiras e dispersões da nossa metrópole fragmentada. Trabalhar com a infraestrutura é estrategicamente pontuar locais de intervenções de reestrutura urbana que relacionem as diversas escalas. Foi diante dessas inquietações que cheguei enfim a um lugar que revelasse essas novas tendências da cidade contemporânea: o bairro da Vila Sônia, mais especificamente na saída da nova estação de metrô da linha amarela 4, no pátio de manobras. É uma imensa área que se comporta como uma barreira urbana no tecido da cidade, e terá como uso exclusivo a manutenção de trens. Nesse pátio identifiquei a possibilidade de discutir temas relacionados com a cultura, espaços públicos num vazio que demanda um desejo de cidade. . Meu ponto de partida é o estudo da Operação Urbana Vila Sônia que mede cerca de 633 hectares, e estende-se ao longo e na proximidades das avenidas Francisco Morato e Eliseu de Almeida.. Este apresenta conceitos de soluções de infraestrutura, áreasverdes, uma ocupação mais densa do que o normal na região, permitindo maior verticalização, atraindo assim mais investimentos e criando novas centralidades a partir das novas estações (Vila Sônia e Butantã). Portanto tratar da infraestrutura passa a ser uma solução,uma vez que permite questionar os desenhos da cidade, e criar novos, organizando os fluxos caóticos da metrópole, além de criar novas formas de encontros e espaços coletivos. Ela é fixa, e possibilita a ocupação territorial de centralidades, defendendo a idéia de uma cidade que não é apenas alienante.


A linha e o Ponto - Polo vila Sônia

Programa

O projeto para o pátio de manobras tem como partido articular os espaços públicos com os nós de circulação urbana onde se da as baldeações, é o PONTO, que defino como um lugar ativo a ser mais explorado. O objetivo é criar uma arquitetura que proporcionem para esses espaços coletivos, um uso de estar, de atendimento, um local da produção e reflexão, ao mesmo tempo flexível, em que o transeunte pode inventar o que fazer, um lugar permeável e sem regras, o espaço urbano da experiência não controlada. Do ponto de vista do desenho parti da criação de quatro frentes, para costurar o tecido dessa região da metrópole, que hoje assume o pátio de manobras como um local restrito e não habitado. Além disso, procurei integrar o pátio com a paisagem. na tentativa de dar um novo olhar para essas grandes infraestrutura urbanas como metro. Tirar partido do trem, e não negá-lo, assumir a sua existência, e encontrar suas virtudes que não são só funcionais, mas que podem gerar novos programas. Ou seja, olhar para o trem, e ver que ele sugere um programa inusitado para a metrópole, uma vez que cria uma nova paisagem , com movimento, em que se pode parar e contemplar. É um espetáculo urbano que a infraestrutura nos oferece. Essa paisagem, uma vez relacionada com a arquitetura, juntas, interagem com o transeunte, e deixa estabelecido uma relação de troca entre o cidadão e o próprio espaço urbano. Surge assim uma nova perspectiva que é experimentada e não angustiada, e chapada, como as visões que temos hoje ao andar de carro. Ao entender a Vila Sônia como o ponto de convergência dos fluxos da metrópole através da infraestrutura urbana ( a linha que costura a cidade), fica estabelecido a idéia de uma centralidade. O programa surge com a criação desta ,e com intuito de relacionar as diversas escalas e fluxos que convergem para esse local, ao mesmo tempo procurar de equilibrar a morfologia urbana da região. Foram criados edifício com os mais variados programas, mas que tem como essência a própria infraestrutura; São edifícios que são desdobramentos da circulação urbana, em pisos que se confunde e não se limita em um único uso, gerando no espaço da circulação, novas possibilidades e situações. Nesses novos edifícios afloram-se pessoas que chegam e vão de todos os lugares, a diversidade é imensa e pode ser explorada, com a criação de espaços para ser experimentado e habitado, do encontro e da troca, o tão desejado lugar do conflito! Esse espaço é flexível, ao mesmo tempo que comporta um rígido programa de serviços da metrópole. É o uso misto, os diferentes horários das atividades , a diversidade de pessoas, que permitem essa situação ser indefinida, e assim criar espaços a deriva. A circulação é o elemento condutor desse pólo. Foi necessário defini-lo como elemento estruturador do projeto, na tentativa de organiza esse grande fluxo que chega . Foram criadas caixa de circulações verticais que se repetem nos diferentes edifícios, como o objetivo de dar uma identidade visual, e referência para o passageiro. Ja circulação horizontal, essa se faz de forma permeável e sem barreiras, permitindo diferentes visuais a cada percursos.

praça cinética - criar uma praça cinética que tem como objetivo contemplar o movimento das diferentes pessoas e dos trens - o lugar da observação e reflexão.

bibioteca/midiateca - a área em estudo ( vila sônia e munícios vizinhos) carece de equipamentos culturais.

serviços - 3 torres com hotel e escritório - aumentar a diversidade de usos no bairro, criando fluxos de pessoas diferentes, tornar a região menos dependente do lado leste do rio pinheiros.

SUBPREFEITURA BUTANTÃ - transferência da subprefeitura para o pólo. Torná-la acessivel para qualquer pessoa, uma vez que estaria implantada com os equipamento de mobilidade, e criando assim a possibilidade de discussão e conflito.

estação vila sônia do metro

terminal de ônibus municipal/ intermunicipal

terminal rodoviário - ( LINHAS QUE VÃO PARA O SUL E CENTRO oeste DO BRASIL) comércio/vestiários/banheiros públicos/maleiros /ateliês/salas de reunioês/ sala de informÁtica/ restaurantes café/pequenos serviços.


_Portifólio

Museu Casa Brasileira_Trab. Acadêmico

Estação Piqueri_Trab. Acadêmico

MUMA_concurso museu meio ambiente RJ


Cartaz MCB_24 concurso

Maquete_P贸lo Vila S么nia

Biblioteca Cidade Tiradentes_Trab. Acad锚mico

Cartaz MCB_24 concurso


espontaneo