Page 1

Aracati

Majorlândia promove IV Regata Ecológica. Pág.6

Folha de

Itaiçaba comemora 57 anos com sua população

16 a 31 de outubro de 2013 - Número 24 - Ano I - Editor: Roberto Oliveira - Tel: (88) 9654-7859

Foto: Germano Lopes

Projeto “A vida é amiga da arte” homenageia personalidades aracatienses no Instituto São José

Professora Vânia Nunes (6ª da esquerda para direita) homenageou as professoras do ensino infantil

O público que prestigiou o projeto “A vida é amiga da arte”, no Instituto São José, em Aracati, viu de perto o quanto a arte e a cultura estão inseridos no dia a dia da escola e do município de

Aracati. Idealizado pelas coordenadoras pedagógicas da escola, o projeto teve como objetivo despertar o lado artístico dos seus alunos, que criaram objetos de arte em oficinas pedagógicas como

pintura em tela, artesanato em palha e brinquedos com material reciclável. O projeto homenageou também grandes personalidades aracatienses ligados à cultura do município.Pág.8

Praça da Copa será no Pedregal

Foto: Divulgação

Júri simulado do caso Nardoni foi uma grande aula de Direito Penal para alunos da FVJ. Pág.9

O aniversário de 57 anos de emancipação política de Itaiçaba foi marcado por eventos esportivos populares como corridas de bicicleta (foto), ovo e saco, além de corrida de jegue, que agradaram a população. Os festejos do 7 de outubro foram encerrados com um bonito desfile cívico em frente à prefeitura. Pág.10

Maria José Ferreira da Silva recebe placa das mãos do Secretário da Fazenda João Marcos Maia, na Assembleia Legislativa, em Fortaleza, dia 27 de setembro de 2013

Na passagem dos vinte e cinco anos de fundação do Sindicato dos Fazendários do Ceará (SINTAF) e em homenagem ao Dia do Fazendário, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará homenageou a senho-

ra Maria José Ferreira da Silva, ex-coordenadora regional do Sintaf na região do Apodi, em reconhecimento à luta incansável em defesa da categoria fazendária e do despertar da cidadania fiscal para a população do Ceará.

A prefeitura de Aracati definiu com o governo do Estado o local onde será construído a partir de janeiro a Praça da Copa, investimento de mais de R$ 3 milhões que será feito ao lado da FVJ, na CE 040. O prefeito Ivan Silvério destaca a importância da nova praça para os moradores do Pedregal.Pág.4


2

- 16 a 31 de outubro de 2013

Ideias & Debates

Aracati Folha de

CRIMINALIDADE: FOI ASSIM QUE TUDO COMEÇOU

N

Dr. Uchôa

este fim de semana soubemos pela televisão de mais um dos inúmeros casos que tem ocorrido pelo Brasil afora de pessoas que perderam a vida em assaltos estúpidos, em que não ofereceram

reação alguma ou então fizeram apenas pequenos gestos naturais de defesa, no sentido de proteger o patrimônio ou até mesmo um filho pequeno, como foi o caso ocorrido nesta última semana. Os assaltantes são quase sempre jovens menores de idade, entre 15 e 17 anos, protegidos pela lei que lhes garante impunidade. O título deste artigo lembra como esse tipo de crime teve início no Brasil de hoje. A partir de certo momento, para ser mais preciso em 2005, apesar de a maioria do povo ter sido contra o referendum que proibia as armas, por pressão dos chamados direitos humanos e outros grupos, a população passou a ser orientada

pela televisão e pelo rádio a não reagir aos assaltos, entregando ao assaltante tudo o que ele exigisse, para preservar a própria vida. Por outro lado o Governo iniciou várias campanhas em todo o território nacional para a entrega remunerada das armas existentes. O resultado era esperado: com a população desarmada e orientada a não esboçar qualquer gesto de defesa, os bandidos ficaram com o campo limpo para agirem, em razão da dupla vantagem do lucro certo e de quase nenhum risco. O aumento na quantidade absurda de assassinatos que temos hoje em dia, comparado aos índices de oito anos atrás, se de-

ve à presença inesperada de um fator psicológico superveniente. O ladrão adquiriu uma espécie de direito natural de acionar o gatilho. Eles dizem nas entrevistas, sentindo-se aliviados em sua culpa: “Porque ele reagiu? A culpa foi dele”. Até a polícia parece ter absorvido a ideia covardizante de não reagir. Por isso os ataques a bancos se tornaram uma rotina. Altos lucros com nenhum risco se tornaram um atrativo de enriquecimento rápido. No assalto aos Correios de Aracati, os assaltantes se sentiam completamente em casa, enquanto diziam às pessoas presentes: “Não queremos o dinheiro de vocês, só o da Dilma”. Do jeito

que as coisas estão a vez dos outros bancos é só uma questão de tempo, tamanha é a facilidade. Para que contratar guardas, se a orientação que eles recebem de seus superiores é não reagir? Está, portanto, na hora de os responsáveis pela segurança da população, aí incluídos polícia, políticos, religiosos, etc, reverem as suas posições, em função dos maus resultados. Algo tem que ser feito para evitar tantas mortes prematuras e tanta dor para as famílias. Uma coisa é certa: a criminalidade vai aumentar, se nada for feito. Antônio Rodrigues Uchoa, é médico e presidente da Unimed Aracati

Caso Isabella Nardoni: E se não foram eles?

José Augusto Neto

S

egundo a acusação, no dia 29 de março de 2008 (sábado), por volta das 23h e 49min, na Rua Santa Leocádia, nº 138, apto, 62, Vila Izolina, Edifício Londom, São Paulo, capital, o casal Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Jatobá, com unidade de propósito, valendo de meio cruel, utilizando de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, asfixiaram e defenestraram (jogaram da janela do sexto andar) a menina ISABELLA NARDONI, causando-lhe a

morte. Esta é a acusação: Anna Jatobá teria agredido a menina ainda no carro, causando-lhe um ferimento na testa. Alexandre teria trazido a menina ao apartamento, jogando-a com força na sala do apartamento, quebrando-lhe o branco direito e a bacia. Em seguida Anna Jatobá teria asfixiado Isabella e incentivado o pai a jogar a filha pela janela. Perquirindo atentamente este caso, confesso que tenho profundas dúvidas, ou seja, dúvidas razoáveis, que me tiram a convicção da certeza. Senão vejamos: Quem chegou primeiro ao cenário do crime? Meu caro leitor, quem chegou primeiro ao cenário do crime, mesmo sem ser acionado foi Fernando Neves, tenente e comandante da Força Tática da Polícia Militar, que chefiou as buscas ao suposto ladrão e dias depois detalhou a operação: “Foi feita uma varredura minuciosa nos mínimos detalhes,

foi feito cerco no quarteirão, nós travamos elevadores, ninguém entrou, ninguém saiu e varremos todo prédio. Não encontramos ninguém”. Alguns dias depois este tenente matou-se quando um mandado de busca e apreensão era realizado no seu apartamento, pois era alvo de uma investigação de pedofilia. Interceptações telefônicas autorizadas pela justiça descobriram que ele tentava um encontro com uma menina de 5 anos, a mesma idade de Isabela. Algumas fontes dizem que o tenente teria sido o primeiro a chegar ao Edifício Londom, mesmo sem ter sido acionado pelo setor de emergência. Primeiro é de se estranhar que um pedófilo, um doente chegue ao local do crime sem ser acionado, faz a varredura no local e diz que não encontrou nada. Segundo é de se estranhar que na casa desse tenente, foram encontrados computadores e revelações, que ele estava procurando uma menina de 05 anos, com o perfil de Isabella. O esquisito é que todo o mundo viu o caso Isabela pela TV (cobertura por 56 veículos de comunicação) e pouca gente sabe disso. Muito estranho!

Ao contrário do que diz a acusação, os muros do condomínio eram baixos e de fácil acesso e, na época, havia apenas um prédio em construção e um terreno baldio nos arredores. A hipótese de que o invasor fosse morador do prédio não foi devidamente averiguada. O pedreiro Gabriel Santos Neto, que trabalhava na obra vizinha ao prédio dos Nardonis, disse à Folha de S. Paulo que a construção teria sido arrombada na mesma noite. Posteriormente desmentiu o fato e não pode mais ser encontrado para testemunhar no julgamento. A defesa insistiu no depoimento do pedreiro e o mesmo não foi encontrado. O repórter Rogério Pagnan, da Folha de S. Paulo, a quem este fato foi afirmado, testemunhou no julgamento e disse que tinha entrevistado o pedreiro, confirmou toda a versão dessa testemunha. Outro fato intrigante é que foi encontrada uma camisa suja de sangue, no apartamento vizinho, que foi arrombado na noite do crime. A perícia confirmou que o sangue não era de Alexandre Nardoni. Na próxima edição

continuaremos com o assunto, onde iremos abordar novos elementos deste crime, como a perícia feita por Jorge Sanguinetti no livro Erros e Contradições do Caso Isabella Nardoni. Augusto Neto é advogado criminalista, é ouvidor do município de Aracati, professor de Direito Penal e Processo Penal, escritor e apresentador do Programa Sinal Cidadania


Aracati

Ensino Superior

Folha de

este mês de outubro a Faculdade Vale do Jaguaribe comemora 14 anos de dedicação ao ensino de qualidade em Aracati e na região. Eduardo Neto Moreira, professor e Diretor Geral da FVJ, fala sobre a instituição neste período. Mais conhecido como professor Eduardo, ele é graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará, especialista em Gestão de Instituições de Ensino Superior - Fametro, Mestre em Sociologia-UFC, Doutorando em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará e tem experiência na área de Administração, Educação Superior e desenvolvimento social. É pesquisador nas áreas de pensamento empresarial, políticas sociais e responsabilidade social e avaliador de cursos de Graduação INEP/MEC. A seguir a entrevista: Folha de Aracati: Professor, a FVJ completa 14 anos e o que mudou neste período em Aracati e região? Eduardo Neto Moreira: A FVJ existe há 14 anos e tem

A

3

Entrevista com o professor Eduardo Neto Moreira, Diretor Geral da FVJ

monitoria é uma atividade que auxilia a docência e é exercida por alunos de graduação. A FVJ anualmente abre inscrições para o seu Programa de Monitoria, que tem como resultado principal reforçar a base curricular da graduação e estimular o desenvolvimento da docência. O processo seletivo passa por provas teóricas (questões subjetiva e objetiva) e prática (determinadas

que nós prestamos. Afinal, nós estamos contribuindo para o desenvolvimento do Aracati. Foto: Comunicação FVJ

N

16 a 31 de outubro de 2013 -

Professor Eduardo Neto Moreira

prestado relevantes serviços a região de Aracati, Litoral Leste e Vale do Jaguaribe. Mas, a faculdade precisa avançar, precisa se consolidar enquanto instituição que oferece serviços educacionais de qualidade na região. A demanda da comunidade por cursos é grande. Temos que cada vez mais profissionalizar a gestão da instituição. Nós estamos num mercado educacional, cada vez mais exigente. Temos avaliações constantes do Ministério da Educação e isso exige de nós uma capacidade de gestão mais arrojada, diante

do tempo e das exigências contemporâneas. O meu desafio, como diretor geral da casa, tem sido conduzir a faculdade para esses novos tempos. Esses novos tempos trazem uma concorrência cada vez maior. A exigência do aluno e da comunidade acadêmica é cada vez maior, a gente precisa cada vez mais dar sinais concretos de qualidade na prestação do serviço. Porque nós trabalhamos com educação e educação não é brincadeira, é coisa séria. Então nós precisamos primar muito pela qualidade do serviço

Folha: O senhor tem aproximado a comunidade acadêmica com a população de Aracati. Esta é sua marca como diretor? Eduardo: Acho que sim. Tentamos sempre uma maior aproximação da faculdade com a cidade, com a região. Acredito que essa aproximação é a construção de uma imagem positiva da faculdade perante a comunidade. E internamente na gestão, eu digo que é a busca da profissionalização na gestão. Na gestão acadêmica, na gestão financeira da faculdade. Isso é uma marca que a gente quer colocar. Então, eu digo: é uma maior aproximação da faculdade com a comunidade, com a sociedade, com as instituições, com as empresas, com o mercado. Tentando garantir confiança a essas instituições e as pessoas de que aqui a gente possa ter uma escola em que a gente possa confiar a formação dos nossos filhos, dos nossos

funcionários. Isso para mim é uma marca importante. Folha: Qual o maior desafio nessa mudança da mentalidade das pessoas? Eduardo: O desafio é mudar pessoas, mudar mentalidades, mudar o modo de fazer. Profissionalizar a gestão significa evitar que as relações pessoais deem o norte, ou seja, nós vamos trabalhar muito mais por processo, por resultado. Em busca de garantia de resultado. Obviamente, para isso nós precisamos envolver as equipes. As pessoas precisam estar motivadas, crendo que o caminho que nós estamos seguindo é um caminho correto, que vai levar ao sucesso, a consolidação da marca FVJ, reconhecida não só no Vale do Jaguaribe, mas em todo o Ceará em especial. Então, eu digo que mudar as mentalidades, mudar o modo de fazer e gerar confiança externamente, são desafios que se apresentam a gestão de uma instituição de educação superior.

Monitoria estimula a prática da docência e o aprofundamento do saber

Roque Júnior, aluno do 3º período de Fisioterapia e Monitor

pela especificação do curso e disciplina), sendo estas em laboratório ou sala de aula. Entre os requisitos básicos, para participar da monitoria, estão a necessidade do aluno candidato ter cursado a disciplina na qual pretende ser monitor e ter sido aprovado com nota 7,0 (sete) ou maior. Os alunos selecionados recebem um desconto substancial em sua mensalidade, independente do curso, e o certificado de monitoria. Roque Júnior e Sabrina Ferreira são alunos do 3º período de Fisioterapia e praticam a monitoria na disciplina de Anatomia I e II. Essa atividade é feita três dias na semana, durante 15 horas, no laboratório. Em casa eles dedicam mais algum tempo ao estudo. Sabrina conta que quando iniciou o curso teve aula com dois monitores diferentes, mas só isso não despertou a vontade de ser monitora. Para ela, a vontade de crescer no que faz é o que a levou a participar da seleção para monitoria e consequentemente exercer essa atividade. “Ensinamos também alunos de Enfermagem e Educação Física. E por recomendação do professor Ossian Filho estamos associados na Associação Nacional de Anatomia”, afirmou Sabrina.

Aluna do 1º período de Fisioterapia, Jéssica Monteiro, mora em Jaguaruana e aprova as aulas monitoradas. “Já assisti quatro aulas e elas estão tirando minhas dúvidas. Estou aprendendo. Nem tudo que é passado na aula, às vezes ‘pegamos’”, diz. Roque Júnior lembra que usou o professor Ossian como espelho de profissional, pois ficou apaixonado pela didática dele. E conta que na preparação para a seleção de monitoria passou alguns dias sem dormir. “A sede de ser monitor era muito grande. Sendo monitor reciclo o que eu conheço, reviso mais uma vez e fico mais afiado”, conclui. Para Sabrina Ferreira é preciso estudar muito. “Na frente do aluno você tem que estar sujeito a qualquer pergunta. Todas as aulas têm planejamento, inclusive com exercícios. O aluno que não vem para a monitoria, geralmente sente mais dificuldade nas provas em relação, aos que tiraram dúvidas na monitoria”, explica. Para Roque Júnior, na monitoria todos se completam. “Na monitoria, educando é o educador e o educador é o educando”, observa.


4

Aracati

Política

- 16 a 31 de outubro de 2013

Folha de

Praça da Copa em Aracati já tem local definido

O

prefeito de Aracati Ivan Silvério esteve na quinta-feira (10) pela manhã com o diretor de projetos do Instituto de Desenvolvimento Institucional das Cidades do Ceará (IDECI), Napoleão Ferreira, que trouxe também ao município sua equipe de trabalho. Além do diretor do IDECI e do prefeito, estiveram presentes também o diretor administrativo-financeiro da Faculdade do Vale do Jaguaribe (FVJ), professor Deroci Aguiar e o engenheiro do Crea, José do Carmo. O objetivo foi discutir e definir o local onde será construída a Praça da Copa em Aracati, um projeto do Governo Estadual, em parceria com o Governo Municipal, cujo orçamento atingirá mais de R$ 3 milhões. O local já foi definido. Ficará às margens da CE-040, no bairro Aeroporto, ao lado da FVJ. Satisfeito por ter encontrado o local ideal para a praça,

Foto: Divulgação

A praça será construída às margens da CE-040, no bairro Aeroporto

É na CE 040 o local definido pela prefeitura e governo do Estado para a construção da Praça da Copa

já que o município não tem espaços com área ampla de uma hectare e meia para fazer uma obra desse porte, o prefeito Ivan Silvério destacou a definição do espaço como uma grande conquista, principalmente para os moradores da comunidade do Pedregal. De acordo com o prefeito, os locais que a prefeitura encontrou tinham outros proprietários, o que impossibilitaria a execução

do projeto a tempo. “Eu estava correndo contra o tempo, eu tinha que dar uma resposta ao governo do Estado e alguns locais que encontramos tinham outros donos, então daqui que fosse desapropriar levaria tempo”, disse o prefeito. A Praça da Copa será um local de encontro dos torcedores durante os jogos da Seleção Brasileira de Futebol durante a Copa de 2014. Mas,

após esse período, será um espaço exclusivo para eventos religiosos e culturais. “E essa praça é da Copa até a Copa, após ela passará a ser uma praça de eventos muito importantes para o município de Aracati”, destacou o prefeito. A área onde será instalada a Praça da Copa terá 1,5 hectares e se localiza as margens da CE 040, próximo à Faculdade do Vale do Jaguaribe e a escola Antônio Monteiro, na divisa com a BR 304. Com previsão de início de obras para janeiro de 2014, o projeto irá valorizar a comunidade do Pedregal. Ainda de acordo com o prefeito, o local não poderia ser melhor escolhido, uma vez que a comunidade do Pedregal tem uma juventude muito forte e precisa de espaços para diversões. “Esse espaço irá fomentar ainda mais a economia do município, porque a partir do momento em que for feito, nós teremos formas de aquecer a economia local”, enfatizou. No Estado, além de

Aracati, 13 municípios foram contemplados com a Praça da Copa, mas muitos não adquiriram terreno ainda.

Entrada da cidade

Outro aspecto positivo destacado pelo prefeito ao falar da obra foi a de que ela irá valorizar a entrada da cidade. “Com certeza, o local vai valorizar a entrada da cidade. O Aracati agora ele não só cresce na sede, na sua área da sede, e sim em outros locais”, disse, destacando o crescimento do bairro Aeroporto, que já conta com toda uma infraestrutura com restaurantes, faculdade, a escola Antônio Monteiro, a futura sede do Instituto Federal e o aeroporto, entre outros. “Enfim, os moradores da comunidade do Pedregal também serão beneficiados, pois usarão muito bem aquele espaço para a juventude desfrutar de alguns momentos de entretenimento, de reflexão”, finalizou o prefeito.


Aracati

Cidade

Folha de

16 a 31 outubro de 2013 -

5

Empregados Comissionistas no Comércio de Aracati

Dr. Everton Castro

U

ma breve análise na realidade do comércio da cidade de Aracati e Região demonstram que é muito comum a realização de contratação de trabalhadores que recebem salários por base em comissões, a esses empregados damos o nome de empregados comissionistas. Em outras palavras, trabalhadores comissionistas seriam aqueles trabalhadores que recebem os seus salários de uma

forma variável, onde o humor do comércio, bem como a sua desenvoltura nas técnicas de vendas, irão determinar o quanto ele irá receber naquele mês, já que a sua remuneração será baseada em um percentual, anteriormente acordado entre o empregado e seu patrão. Essas contratações, muitas vezes, se dão pelo fato de termos um comércio muito sujeito a transacionalidade da demanda de clientes e usuários de certos serviços. As estações climáticas, as datas comemorativas, início de aulas, festas culturais são apenas alguns dos fatores dessa oscilação nas demandas do comércio. Entre esses empregados comissionistas, temos os empregados comissionistas puro e os empregados comissionista misto. O empregado comissionista puro é aquele que recebe seu salário baseado apenas nas comissões que ele auferir naquele mês. Apenas

e somente comissão. Esse empregado poderá receber em um mês muito acima de um salário mínimo, como também, em outro mês, ter suas vendas não satisfatórias e não atingir o piso mínimo. Neste caso, fica assegurado o direito de receber, no mês em que as vendas tenham sido baixas, pelo menos um salário mínimo ou o piso da categoria, se porventura existir. Tal garantia é prevista na nossa Constituição Federal, que assegura que todo trabalhador será remunerado pelo menos com o salário mínimo. É dever do patrão complementar os valores para atingir o salário mínimo, não podendo, em hipótese alguma, essa complementação ser compensada no mês subsequente ou em outra oportunidade. Por outro lado, podemos ter o empregado comissionista misto, onde a esse é assegurado o salário fixo, podendo ser o salário mínimo ou o piso da

Aracatiense Cláudia Regina volta à prefeitura de Mossoró

A

aracatiense Cláudia Regina (DEM), prefeita de Mossoró, reassumiu o cargo na manhã da quinta-feira (10), dando continuidade às ações planejadas pela gestão. Uma de suas primeiras atividades foi reunir o secretariado para agradecer o empenho e zelo de todos na manutenção dos serviços durante o período em que a prefeita esteve afastada do cargo. A prefeita agradeceu a recepção dos populares e dos servidores e disse que, durante todo o tempo de afastamento acompanhou o sentimento dos mossoroenses de respaldo à administração. “Retornamos com mais força e vigor para darmos seguimento ao trabalho que iniciamos. Vamos ao trabalho, pois temos quase 300 mil pessoas esperando por nossas ações e não vamos decepcioná-las”, comentou a prefeita. Este ano, Claúdia Regina e o vice-prefeito Wellington

categoria, além das comissões que porventura o mesmo auferir. Tanto o empregado comissionista puro como o misto deverão ter essas condições estipuladas no contrato de trabalho. Se não há pacto expresso com o empregador sobre a comissão no caso de vendas, o empregado não faz jus ao pagamento. Ao patrão irá existir a obrigação de, no caso de admissão de empregado, a efetuar em sua Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) anotações referentes à remuneração e as parcelas que irão integrá-las, conforme

estiver previsto no contrato de trabalho. É necessário esclarecer que os trabalhadores que recebem por meio de comissões, terão todas as suas verbas salariais calculadas na média aritmética das mesmas, sendo assegurados a esses empregados: o descanso semanal remunerado, as férias e o 13º salário. Caso ocorra a cessação das relações de trabalho, o empregado comissionista irá receber pelas comissões pendentes, mesmo que o contrato já tenha sido encerrado. Dr. Everton Castro é advogado cível e trabalhista

Novos policiais militares Durante a reunião de avaliação do Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (MAPP), na sexta-feira (11), o governador Cid Gomes marcou para o próximo dia 5 de novembro a solenidade de formação dos 1.147 novos policiais militares (PMs). O evento acontecerá no Centro de Eventos do Ceará (CEC). Essa será a segunda turma do

concurso da Polícia Militar realizado em 2012 a concluir o curso de formação. Em fevereiro deste ano, 920 novos policiais militares foram designados para atuarem no Interior do Estado. Em 2014 será formada uma terceira turma, com efetivo que atingirá, ao final desta nova formação, um número total de 3.000 novos PMs (total das três turmas).

Cláudia Regina se encontrou em fevereiro com o prefeito Ivan Silvério, em Mossoró

Filho (PMDB), foram cassados pela quarta vez por irregularidades na eleição de 2012. O juiz da 33ª Zona Eleitoral, Herval Sampaio Júnior, condenou a prefeita e

o vice-prefeito à cassação do diploma de eleitos, inelegibilidade por oito anos seguintes, contados a partir do pleito de 2012, por abuso de poder e captação ilícita de voto. Totolec solidário faz a alegria de crianças do bairro do Pedregal, em Aracati. Na ação, vários brinquedos foram distribuídos por Faniel Vitalino


6

Classificados / Geral

- 16 a 31 de outubro de 2013

Aracati Folha de

CLASSIFICADOS

Imóvel na praia de Majorlândia, com os seguintes compartimentos: No térreo: salão, banheiro, cozinha, quintal e poço; no 1º andar: suíte, quarto, banheiro, acesso na frente e nos fundos, com uma área de 180m2 de superfície. Valor: 45.000,00 Lotes no mais novo loteamento da cidade: “Sorriso de Monalisa”. O melhor investimento para o seu dinheiro. Lotes a partir de R$ 19.200,00, financiamento próprio em até 96 meses.

Imóvel localizado no Córrego dos Rodrigues, com área total de 2.700 m2 e com 240 m2 de área construída; 3 quartos, 1 suíte, sala de estar, cozinha, área de serviços, poço com árvores frutíferas. Valor do imóvel: R$ 300 mil.

Temos para financiamento pelo programa Minha Casa, Minha Vida, imóveis localizados na Vila Grega, com as seguintes características: garagem, 2 quartos, 2 banheiros (uma suíte), varanda, sala, cozinha americana, área de serviço, com 71,90m2 de área construída, por R$ 85 mil. Temos para financiamento pelo programa Minha Casa, Minha Vida, imóveis localizados na Vila Grega, com as seguintes características: garagem, sala, cozinha americana, 3 quartos, 2 banheiros (uma suíte), varanda, área de serviço, com 86,30m2 de área construída, por R$ 100 mil.

ALUGAMOS, VENDEMOS E ADMINISTRAMOS O SEU IMÓVEL.

Majorlândia realiza a 4ª Regata Ecológica

R

Regata reuniu jangadas de várias praias do município

ealizado em Majorlândia, em Aracati, 4ª Regata Ecológica atraiu um bom número de pessoas e de competidores no dia 6 de outubro. O evento faz parte da programação dos 171 anos de Aracati e de 76 da praia de Majorlândia. A 4ª Regata Ecológica de Majorlândia teve o apoio da prefeitura municipal de Aracati e foi organizada pela Comunidade Ecológica Ciclística de Majorlândia (CECIM). Para o prefeito Ivan Silvério, o evento é importante para o município uma vez que incrementa o turismo na região. “A praia de Majorlândia é reconhecida pelas belezas naturais. O evento ajudou a atrair visitantes para este destino turístico de Aracati”, disse. Para o coordenador do CECIM, Raimundo Nonato de Andrade, o evento superou as expectativas de público, de 3 mil pessoas. “Essa regata é uma das ações do projeto Conscientização Ambiental, que é desenvolvido em Majorlândia desde 2009. Muita gente compareceu e pode ver o trabalho desenvolvido pelo CECIM, que é um trabalho visando a conscientização ambiental”, destacou. De 4 a 6 de outubro, dia do aniversário da bela praia, foram realizados trabalhos pedagógicos, apresentações culturais, desfile da garota regata ecológica, torneio de futsal.

Qual a função do shampoo e condicionador?

Bem, a mulherada compra mil shampoos e condicionadores para testar, mas, esquecem até mesmo de sua verdadeira função. O shampoo pode ser comparado à roupa lavada: primeiro ela é limpa, depois amaciada (amaciantes para roupa). É mais ou menos isso que acontece com os nossos fios de cabelo. Primeiro as escamas do cabelo são abertas quando utilizamos o shampoo, que limpa profundamente os fios. O shampoo limpa e retira a oleosidade produzida pelo couro cabeludo e cabelo. O condicionador tem como função fechar as escamas do cabelo, devolver o óleo natural, fazendo com que fiquem condicionados e adquiram uma camada protetora (essencial para o brilho e a nutrição). Devolver a maleabilidade, diminuir o trauma entre uma escovação e outra e dar brilho aos fios também é uma função que faz parte da atuação dos condicionadores. Bom, visto isso, você precisa ver o que seu cabelo necessita e comprar o produto ideal para atingir este objetivo. É simples, mas é incrível como muitas pessoas não sabem disso e vivem

atrás desses produtos. E é justamente por um abrir as escamas e o outro fechar, que somos orientados a usar a mesma linha de produtos de um e de outro, para dar mais efeito. Isso não impede de usarmos shampoos e condicionadores de linhas diferentes. Vocês provavelmente devem estar pensando: e agora?!?! Bem simples, o que você quer fazer? Hidratar? Manter a cor? Prevenir queda? Acabar com a caspa? Existem mil produtos para isso. Linhas populares (farmácia, supermercados), linhas fundo de quintal e linhas profissionais (mas, muito cuidado). As linhas profissionais são um pouco mais caras, são as que têm mais tecnologia (moléculas, aminoácidos, ioneneg, incell...) e você vai ter um resultado mais rápido e bem satisfatório. Dica: não vou falar de nenhum produto específico porque cada cabelo reage de uma forma. Mas, se o seu cabelo quando lavado fica muito embaraçado, está na hora de você trocar de shampoo. E lembre-se: seu cabelo é o principal acessório seu. Compre um shampoo e um condicionador melhor.


Aracati

Geral

REPÓRTER ARACARTI

Folha de

Roberto Oliveira Expedito Ferreira

O ex-prefeito de Aracati Expedito Ferreira teve as contas referentes ao exercício de 2012 aprovadas pela Câmara Municipal no dia 3. Catorze dos 15 vereadores votaram a favor do ex-prefeito. Apenas Denise Menezes (PT) não seguiu o voto dos demais colegas.

Na mídia

A Folha de Aracati teve duas fotos de seu facebook aproveitadas pela imprensa da capital. Uma das fotos foi do lamentável acidente do ônibus da

viação Nordeste, que ia para Mossoró e tombou na BR 304, publicada pelo portal de notícias O Povo. A outra, a da IX Regata Ecológica de Majorlândia, publicada no jornal Aqui Ceará, edição do dia 8 de outubro. A qualidade do material jornalístico da Folha tem atraído olhares atentos.

Café da Vila

Aracati ganha um novo espaço na sua belíssima e histórica Rua Grande. Trata-se do Café da Vila, um espaço para arte e cultura, com galeria, livraria, cafeteria e uma espécie de PUB “abrasileirado”, onde é possível ouvir Netinho Ponciano “ao vivo” nas noites de quinta-feira, tomar um cappuccino, comer croissant, ou degustar sushi e pizzas ao mesmo tempo em que se aprecia

uma exposição artística (elas mudam quinzenalmente). O local conta ainda com clube do livro, espaço para jogar gamão, xadrez e dominó. O Café da Vila abre de terça à sábado, a partir das 17h.

Bicicletas

Quem quiser participar da promoção de aniversário da Folha ainda dá tempo. Basta imprimir o cupom que vem impresso nesta edição, preencher com o nome, telefone e o endereço e depositar numa urna que está lá no Totolec. Os amigos do facebook também podem participar, imprimindo o cupom e fazendo o mesmo. O sorteio acontecerá dia 28 de outubro, no programa Sinal Cidadania. A entrega do prêmio acontecerá na praça do Marista, às 10h da manhã do dia 29.

16 a 31 de outubro de 2013 -

Feira Gastronômica

A E.E.F. Edmar Sena (localizada na comunidade do Cabreiro) realizou no dia 30 de setembro a Feira Gastronômica. Com o tema Alimentação e Nutrição, o evento concluiu o Projeto Agrinho, que vem sendo desenvolvido há anos no município por escolas da zona rural. Com o tema geral abordando a saúde, a

7

escola Edmar Sena optou por trabalhar a alimentação. A feira foi desenvolvida em conjunto com os alunos, que realizaram uma exposição com alimentos, onde explicaram aos visitantes os valores nutricionais que cada um possui. No dia 2 de outubro a escola participou da caminhada no centro da cidade, realizada pela SEDUCA, para a conclusão do projeto.


8

Aracati Instituto São José expõe trabalhos de alunos e homenageia personalidades aracatienses

- 16 a 31 de outubro de 2013

U

ma noite inesquecível para Aracati. Assim podemos definir o que foi a apresentação do projeto “A vida é amiga da arte”, ocorrida na quadra do Instituto São José, em Aracati, na noite do Dia das Crianças, quando os objetos artísticos produzidos pelos alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I foram expostos para o público que lotaram a quadra da escola. Ao todo 550 alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I participaram do projeto e apresentaram suas obras, entre os quais trabalhos de pintura em tela, feitos por alunos do 1º ano A, capa de cadernos com tecidos, desenvolvido durante oficina com os alunos do 2º ano A, artesanato com material reciclável, além de objetos trabalhados com palhas, feitos com a participação de pais de alunos que são artesãos, entre outros. Um terço gigante, confeccionado pelo artesão Luiz Eduardo Damasceno, foi destaque da exposição. Para a coordenadora pedagógica do Instituto São José Vânia Nunes, a realização do projeto “A vida é amiga da arte” serviu para resgatar a autoestima do povo aracatiense. “Nós estamos vivendo um momento em que a situação no Brasil é negativista e precisamos ser positivos, levar nossas crianças a refletirem sobre a importância do Aracati como município referência de cultura que é em nosso estado”, avaliou. A coordenadora parabenizou o Instituto São José por ter como um dos objetivos de sua proposta pedagógica inserir a memória da cidade para que ela não morra. “Uma cidade sem história é uma cidade morta e não podemos deixar que só as pessoas idosas conheçam a história do Aracati”, destacou. Além da exposição de

Educação Infantil

artesanato, o projeto também fez homenagens aos músicos da terra, como o saxofonista Sandro Guimarães, o baixista Júlio César, o Pepeu, Caroba e sua banda, e as educadoras Jane Mércia, Mikaelli Santos e Emanuelle Miranda. Outras 20 personalidades que já se destacaram elevando o nome de Aracati até fora do país, entre eles o Secretário de Turismo do Estado, Bismarck Maia, foram homenageados da noite. O prefeito de Aracati, Ivan Silvério, parabenizou o Instituto São José pela iniciativa e destacou a importância da instituição para as famílias e para a história do município. “Eu fico feliz neste momento em ser homenageado por esse colégio que tão bem representa a educação do nosso município”, disse o prefeito, destacando o bom trabalho feito pela irmã Núbia e pela Coordenadora Vânia Nunes. “A escola tem feito um grande trabalho há muitos anos aqui nesse município e quem agradece, na verdade, é o povo de Aracati a todo setor educacional, a questão religiosa, a importância que o Instituto São José tem para nossas famílias”, disse. Ex-aluna e ex-professora do ISJ, Rosângela Ponciano também foi homenageada. Ela destacou a importância que a escola tem dado a um antigo sonho que começou com a irmã Francileide, então diretora da escola. “Foi ela quem me chamou para trabalhar com a música e aí chamou outros professores para trabalhar teatro, dança, e desde então, a escola valoriza a arte, a cultura, e trabalha muito a questão da cultura aracatiense. Então eu vejo que hoje o aluno vicentino conhece e ama a história do Aracati e isso é muito importante”, resumiu.

Folha de

Artesanato feito com coco pelos alunos

Diretora Irmã Núbia, Vânia Nunes e Welton Deivid

Pintura e arte com material reciclável feito pelos alunos

Os homenageados da noite no Instituto São José

Peça O vento e o tempo encantou o público

Professoras do ensino infantil e fundamental do ISJ

Contente e honrado com homenagem que recebeu, o ambientalista Tércio Vellardi disse que o prêmio deve ser dividido com as pessoas que amam a natureza e cuidam do meio ambiente. “Eu me sinto muito honrado e queria ressaltar que a luta em defesa do meio ambiente não é só minha, ela é de todos os aracatienses”, destacou. Na parte final do evento, o público se emocionou com uma

bela apresentação de dança feita pelo grupo Eclipse, do Instituto São José, e a encenação da peça “O vento e o tempo”, feita pelo Grupo Dias de Teatro. Solidariedade A Associação Peter Pan recebeu uma doação de 500 brinquedos para crianças com câncer do hospital Albert Sabin. Fazendo um balanço positivo do evento, a coordenadora Vânia Nunes destacou a responsabilidade repassada aos governos municipal, estadual e federal em não deixar que a arte e a cultura morram. “Nós esta-

mos chamando a atenção para que todos revejam a postura em relação ao nosso querido Aracati. As artes que aqui estão precisam de apoio, de ajuda, de geração de emprego e renda para nossos artesãos e nós do Instituto São José estamos ao dispor de todos aqueles que queiram ajudar o povo aracatiense”, finalizou. O projeto “A vida é amiga da arte” foi idealizado pelas coordenadoras Vânia Nunes, Rejane Barbosa e Elaine Reis e suas comprometidas educadoras. A diretora do ISJ, irmã Núbia Ribeiro Melo avaliou o evento como excelente e parabenizou a todos.


9 Teoria & Prática Aracati Professores de Direito dão show de técnicas e júri simulado na FVJ entra para a história da instituição Folha de

Com direito a sorteio de jurados, réus algemados e calorosos debates entre o Ministério Público (representado pelo promotor Ismael Capibaribe) e a defesa dos réus (feita pelo advogado criminalista José Augusto Neto), o primeiro júri simulado da Faculdade Vale do Jaguaribe (FVJ) foi um show a parte dos professores do curso de Direito e, certamente, irá entrar para a história da FVJ. Conduzido pela juíza da 1ª Vara Criminal e Cível de Aracati, Dra. Ana Celina Studart, o júri do caso Isabella Nardoni teve a participação dos alunos da instituição e durou aproximadamente três horas. Brevemente acertado, defesa e acusação tiveram 30 minutos para convencerem os sete jurados e mais 15 minutos para a réplica. O caso Nordoni foi escolhido pela grande repercussão que teve e por apresentar vários elementos que são aplicados à disciplina durante um julgamento real. Ao final, os jurados acataram

Fotos: Comunicação FVJ

16 a 31 de outubro de 2013 -

O advogado José Augusto Neto e seu assistente: defesa vai impetrar recurso e quer revanche.

a tese do MP e condenaram Alexandre Nardoni por 7 votos e Ana Carolina Jatobá por 4 votos a 3. O resultado agradou a todos. Para o coordenador do Curso de Direito da FVJ, o advogado Jorge Ferraz, o primeiro júri simulado será um marco não só em Aracati, mas no Ceará. “Apesar de ser um júri simulado, teve todas as características de um júri real, presidida por uma juíza da Vara do Tribunal do Júri, um promotor de renome no Ceará e

um advogado muito conhecido na região que proporcionaram aos seus alunos esta magnífica aula prática”, destacou. Na opinião da professora e juíza de Direito Penal da FVJ, Ana Celina Studart, o evento foi muito proveitoso. “Como juíza de Aracati e professora, destaco que os meus alunos tiveram a união da prática com a teoria. Foi muito interessante para o nosso Direito Penal e para o estudo dos alunos e o conhecimento prático da vida acadêmica”, disse.

Outro que ficou satisfeito com o resultado foi o promotor de justiça Ismael Capibaribe. “O que a gente fez aqui foi exatamente mostrar ao aluno da FVJ como será a vida dele ao longo da profissão. Esses embates e teses ele vai conviver dia e noite e a gente pode contribuir um pouco”, disse, concluindo que o júri ficou longe de ser um simulado. “Na verdade, ficou próximo da realidade”. Prejudicado - O advogado Augusto Neto disse que o julgamento foi extremamente prejudicial à defesa, uma vez que as regras estabelecidas foram quebradas. Ele também entende não haver provas suficientes para a condenação do casal Nardoni. “Com relação ao Alexandre Nardoni não existe nada, ele não confessou o crime, a perícia foi falha, tinha dois laudos cadavéricos, onde o primeiro dizia que a causa mortis era indeterminada. Depois que enterraram a menina, fabricaram outro laudo e a prova foi

muito tendenciosa. Contra Ana Carolina Jatobá não existia nada, marcas no pescoço, marcas da mão da Jatobá não detectadas no pescoço da Isabella, não há nenhuma testemunha ocular presencial que viu ela induzindo Alexandre Nardoni a jogar a criança. Aliás, isso nunca aconteceu. Então, toda a tese da acusação foi com base em suposição, no exercício de imaginação. Então, a condenação do casal foi extremamente injusta do ponto de vista real e do ponto de vista fictício. E o aluno aprendeu que o Tribunal do Júri julga os crimes dolosos contra a vida, aprendeu aula de oratória, como é que se comporta o MP, a defesa, como se comporta o princípio do contraditório da ampla defesa. Acho que o aluno foi o principal ganhador desse evento. Mas a defesa entende que o MP enlouqueceu em determinados pontos, ficou atordoado com as colocações da defesa e, portanto, vamos impetrar recursos e queremos revanche”, finaliza.

foto cade?

Realismo: a pedido do advogado Augusto Neto, policial tira algemas de aluna que interpretou Ana Carolina Jatobá

Dr. Augusto Neto e seus assistentes concentrados na defesa

Promotor Ismael Capibaribe, juíza Ana Celina, Dr. Jorge Ferraz e Dr. Augusto Neto

Os estudantes ouviram com atenção as argumentações da defesa e da promotoria

Discussões ásperas entre defesa e acusação prenderam a atenção da plateia; defesa acusou MP de interferir em suas alegações

Dr. Augusto Neto em ação no júri simulado da FVJ

Coordenador do Curso de Direito da FVJ, Dr. Jorge Ferraz e Dra. Ana Celina Studart saíram satisfeitos com a grande aula

Dr. Augusto Neto recebeu uma homenagem no final do evento


10

Aracati

Regional

- 16 a 31 de outubro de 2013

Folha de

Em clima de festa, Itaiçaba comemora 57 anos Atividades esportivas e desfile cívico atraíram bom público às ruas da cidade no dia 7 de outubro

M

uita gente bonita, diversão e competições que empolgaram milhares de pessoas e lotaram as ruas centrais de Itaiçaba marcaram o dia do seu aniversário, 7 de outubro. Para comemorar os 57 anos de emancipação política, a prefeitura e a secretaria de Esportes levaram para as ruas diversas atividades esportivas e à tarde houve o desfile com a participação das escolas municipais. Pela manhã, os moradores prestigiaram competições como corrida de bicicleta, que teve um percurso de oito voltas e foi vencida por Adriano Freitas Falcão, seguido de Batista e Rafael. Ainda pela manhã, houve as corridas de ovo, vencida por Elizaneide e Raiane no feminino. Já a corrida de saco teve os seguintes ganhadores: feminino, Ana Cláudia e Tainara, respectivamente primeira e segunda colocadas; Thiago e Chiniquim no masculino, primeiro e segundo colocados, respectivamente. A corrida de jegue, que empolgou o público, foi vencida pelo jegue “Canário”, montado por Luis Fernando, um veterano neste tipo de competição. “Esta foi a primeira vez do Canário e graças a Deus nós conseguimos a vitória”, disse o competidor. A ideia dos eventos esportivos, além do desfile cívico com alunos das escolas do município, foi resgatar as tradições da cidade.

Multidão prestigia a competição do pau de sebo

Prefeito Zé Orlando (ao centro) prestigiou o desfile das escolas municipais

E quem compareceu ao evento municipal não se decepcionou. Dona Lindalva dos Santos levou os filhos Renato e Guilherme para prestigiarem as brincadeiras entre os moradores da cidade. “Ano passado só tivemos o desfile e hoje pudemos trazer as crianças para ver de perto as brincadeiras”, disse. Outro morador que também gostou da festa foi o aposentado

Desfile cívico também despertou o interesse da popualção de Itaiçaba

Pela manhã, disputa acirrada na competição de bicicletas

Antônio do Carmo Pereira, de 67 anos. Ele destacou a alegria dos participantes na festa. “Este é o momento de festejarmos o aniversário de 57 anos da nossa cidade com muita alegria e animação”, destacou. Feliz com a participação da população, o prefeito Zé Orlando destacou a participação popular como fator de sucesso do evento. “Quero agradecer a todos

que vieram de suas casas para prestigiar nossa festa de aniversário. Ela demonstra que Itaiçaba tem um povo unido por um só objetivo, que é seu desenvolvimento”, destacou o prefeito.

Jeová Costa Lima

Itaiçaba foi criada em 15 de outubro de 1956 por desanexação de Jaguaruana.

Como distrito administrativo pertenceu primeiramente ao município de Aracati. Em 21 de agosto de 1823, o Decreto Lei Nº 169, de 31 de março de 1938, transferiu o distrito para a jurisdição do município de Jaguaruana. Ainda no mesmo ano adotou a denominação atual de Itaiçaba (significa Passagem de Pedras), por força de um Decreto Lei Nº 448, de dezembro de 1938. Na luta por sua independência administrativa destacou-se o Deputado Jeová Costa Lima, autor do Projeto que no dia 15 de setembro de 1956, se transformou na Lei Nº 3.338 que deu liberdade administrativa ao município. Oficialmente, a cidade foi instalada em solenidade no dia 7 de outubro de 1956, tendo como seu primeiro prefeito Agostinho Correia Lima.


Aracati

Imprensa

Folha de

16 a 31 de outubro de 2013 -

11

Folha de Aracati: um ano de muitas notícias primeiro ano do jornal Folha de Aracati foi lembrado pelo jornalista e editor do quinzenário como um “ano de muitos desafios e sacrifícios”. Apesar da boa avaliação e aceitação do jornal na cidade de Aracati e na região do Vale do Jaguaribe, Roberto Oliveira lamenta a falta de apoio, sobretudo dos comerciantes locais que querem vender muito sem investir em propaganda. “A propaganda é e sempre será a alma do negócio, mas muitas pessoas acham que não precisam de nenhum tipo de mídia para vender seus produtos. Se a propaganda não fosse tão importante para o mundo dos negócios, a Coca-Cola, Casas Bahia ou a Ambev deixariam de divulgar na TV, nos jornais e revistas e nas emissoras de rádio”, analisa o jornalista. Reconhecido por seus leitores como um jornal moderno para os padrões do interior do Ceará, a Folha já virou patrimônio cultural de Aracati. Sua página no facebook foi aberta em maio e em pouco mais de três meses chegou a atingir 5 mil seguidores. Eles não só curtem as

Foto: Folha de Aracati

O

Totalmente colorido, a Folha agrada seus leitores pela variedade de temas abordados

Produzido a cada 15 dias, a Folha é distribuída de graça nas ruas de Aracati

postagens do jornal como comentam os principais assuntos. “Temos um público exigente por informação e que acompanha e comenta nossas postagens”, diz. Sonho antigo do jornalista, a Folha circulou sua primeira edição na cidade no dia 29 de outubro de 2012, data do aniversário do editor. A capa questionava sobre o futuro político da cidade para os próximos quatro anos. De lá para cá, foram publicadas 23 edições, sempre destacando os acontecimentos sociais, político, culturais e espor-

tivos na cidade. Para Rose Nogueira, Coordenadora de Comunicação da Faculdade do Vale do Jaguaribe, a Folha contribui para a formação da identidade da cidade e da região. “Apesar dos preconceitos que o jornalismo regional sofre, ela continua sendo uma importante fonte de informação. Por esta razão, parabenizo a Folha de Aracati por ter conseguido quebrar paradigmas e contribuir para a formação da identidade desta cidade e da região em que circula, contribuindo também, para

Equipe da Folha prepara os jornais que vão chegar às mãos dos leitores

a documentação histórica, moral e ética do nosso povo.

Qualid ade

Primeira personalidade pública a ser entrevistada pelo jornal, o prefeito Ivan Silvério também faz questão de destacar a importância da Folha de Aracati para a cidade. “Aracati só tem a ganhar com a Folha, um jornal moderno, de qualidade e que contribui para difundir nossa cultura, nosso turismo e unir os nossos munícipes”. Cem por cento colorido,

neste primeiro ano, a Folha de Aracati tem agradado seus leitores pela variedade de assuntos abordados e também por apresentar novidades como charge, editorial e caça-palavras.

com professor Augusto Pessoa

Vamos aprender a falar corretamente: Coalhada (e não qualhada) / coradouro (e não quarador) / bebedouro (e não bebedor) / matadouro (e não matador) / sestro (e não sesto) / privilégio (e não previlégio) / usufruir (e não usufluir) / peneirar (e não penerar) / maneirar (e não manerar) / inteirar (e não interar) / ovos estrelados (e não estalados) / de forma que (e não de formas que) / de maneira que (e não de maneiras que) / pneu sobressalente (e não pneu sobrexcelencia) / em mão (e não em mãos) / televisão em cores (e não a cores) / calota (e não carlota) / bermuda (e não permuta) / hilaridade (e não hilariedade) / beneficente (e não beneficiente) / cogote (e não cangote) / camisa listrada (e não listada) / leite mungido (e não mugido). CENTRO EDUCACIONAL DRAGÃO DO MAR: em 2014 com o 9º ano, 1º, 2º, e 3º do ensino médio nos turnos manhã e tarde. Matrículas abertas. Rua Cel. Alexanzito, 669. Fones: 3421-1758 / 3421-3218 / 9670-8125 e 9455-4592 com o Prof. Augusto Pessoa.


12

- 16 a 31 de outubro de 2013

Publicidade

Cel. Alexanzito, 512 A - (88) 3421-1267

Aracati Folha de

folha-de-aracati-24  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you