Issuu on Google+

Jornal do São Francisco LABORATÓRIO CLÍNICO

Barreiras-BAhia Rua Café Filho, 210 - Jd. Primavera (Próx. a Caixa e Bradesco)

FONE: (77) 3611-6680 / FAX: (77) 3612-8858

De 07 a 13 fevereiro de 2014 • Ano 7 • Edição 146

AGRONEGÓCIO

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

8,7 milhões de Bahia Farm Show, toneladas em grãos a décima edição da e fibras PÁGINA 16 maior feira PÁGINA 17 JORNAL DO

1

Internet

(77) 3639.5100 | LEM, BARREIRAS E RODA VELHA

jornaldosaofrancisco.com.br • 77 3612 3066 • R$ 2,00

São Francisco A VOZ DE INTEGRAÇÃO DO OESTE BAIANO

VIRGÍLIA VIEIRA

FIM DA ESPERA Com a autorização do DNIT, prefeito de Barreiras pretende tirar o tráfego de veículos pesados do centro da cidade de forma definitiva PÁGINA 6

IVANA DIAS

LOCAL

RELIGIÃO

Liquidações levam consumidores Devotos reverenciam Oxum e Iemanjá Bonecas, doces, pipocas, frascos de shampoos, sabonetes, velas, às compras em janeiro vidros de perfumes, pentes, espelhos, pedidos, flores e bijuterias foram alguns dos presentes ofertados

As vendas do primeiro mês do ano movimentaram o comércio de Barreiras, superando as compras de Natal, mas não foram melhores do que as registradas no mesmo período do ano anterior PÁGINA 4

PÁGINA 8

SEGURANÇA

REGIÃO

Em breve, mais policiamento

Simulador de direção: uma dificuldade para autoescolas

Os profissionais passarão a atuar em Barreiras, municípios do Oeste e em algumas cidades que não pertencem à região, mas sim ao Comando de Policiamento Regional Oeste (CPRO) PÁGINA 25

Centros de Formação de Condutores do Oeste ainda não compraram o equipamento PÁGINA 22


2 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

OPINIÃO

ALEXANDRE GARCIA

JORNAL DO

São Francisco jornaldosaofrancisco.com.br

Jornalista, apresentador de telejornal, colunista e conferencista. Apresentador eventual do Jornal Nacional e Comentarista do Bom Dia Brasil

chefia-edicao@jornaldosaofrancisco.com.br redacao@jornaldosaofrancisco.com.br Praça Dr. Augusto Torres, 38 - Centro Histórico Barreiras - Bahia - CEP 47.805-230 FONE/FAX: (77) 3612-3066 Editora: Heloíse Steffens | Repórteres: Ivana Dias, Virgília Vieira e Cheilla Gobi | Diagramador: Nicélio Ramos | Colunistas: Alexandre Garcia, Durval Nunes, Carlos Augusto, Raul Beiriz e Vanessa Horita | Publicidade: Aline Mello Impressão: IGráfica | Tiragem: 7 mil exemplares

OS PREPARADOS

EDITORIAL

Nós gostamos de omelete!

E

m ritmo de obras. Foi desta forma que o Poder Executivo de Barreiras iniciou o ano de 2014. É só andar pelas principais ruas do centro e de diversos bairros da cidade para observar as mudanças. Os buracos que se multiplicaram no período das chuvas, agora encontraram tempo favorável para a operação tapa buracos. A administração municipal colocou as máquinas nas ruas para trabalhar. Em contrapartida, a população reclama do caos trazidos pelos trabalhos de recuperação. De fato, a interrupção do trânsito em algumas vias atrapalha, dificulta ainda mais um trânsito que não está nada fácil, principalmente nos horários de pico, mas há que se compreender e reconhecer os pontos positivos. Muitos estão acostumados a apenas reclamar. Se o prefeito faz, há motivos para reclamações e questionamentos. Se o prefeito não faz, também há descontentamento. Ora, em algum momento é preciso encontrar discernimento. Não há obras sem incômodo, então é preferível não tê-las? Como disse o

prefeito Antonio Henrique na última terça-feira, 04, em ocasião da abertura dos trabalhos legislativos, “não se faz omelete sem quebrar os ovos”, ou seja, é impossível iniciar obras e não ter transtornos. Também não importa em que momento estas obras estão sendo executadas: o necessário é que elas aconteçam. O prefeito anunciou também a elaboração de um plano para asfaltar Barreiras, onde se pretende investir em torno de um milhão de reais por mês, só com recursos do município e, por meio do apoio dos governos estadual e federal, deve-se viabilizar recursos para recuperação de toda malha viária do município. Outra iniciativa que deve ser de suma importância para embelezar ainda mais o município e desafogar o trânsito é o deslocamento da feira livre municipal, hoje localizada no centro da cidade. O novo centro de abastecimento deverá estar localizado em espaço amplo e que ofereça melhores e mais seguras condições de acesso e de trabalho. Vale ressaltar ainda a visita ao Mi-

nistro dos Transportes, César Borges. A iniciativa garantiu a viabilização de recursos para o Anel Viário e tornará realidade, depois de 13 anos de espera, um anseio da população de Barreiras. A partir da transferência do tráfego de veículos pesados do centro da cidade para o Anel Viário, será resolvido o problema de trânsito na rodovia que corta a cidade, pela qual circulam muitos veículos. Mais do que prejuízos no tráfego, muitas foram as vidas ceifadas na rodovia em questão. Diz o prefeito, também, que tem trabalhado fortemente para atrair empresas para o munícipio. Anunciou, em sessão da Câmara de Vereadores, a instalação de uma loja da rede Havan que, em menos de um ano, deverá gerar renda e empregos à população. Ao que parece, o ano de 2014 será de obras, em ritmo acelerado. O que o Jornal do São Francisco espera e deseja é que o poder público continue neste ritmo, em ritmo acelerado de ações e de trabalhos que tragam mais infraestrutura, mais segurança, mais emprego, mais saúde e mais dignidade.

NOTAS

Fiol, a lenda Ano de eleições, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) podia deixar de ser a fada dos dentes e virar o ás na manga do Governo Estadual. Parece que na parte em que está pronta, será. Só que o Oeste da Bahia parece não constar no mapa da mina eleitoreira do Governo. Já estão sendo lançadas na mídia, informações de que o Governo fará isso e aquilo outro para a Fiol sair do papel. Do meu papel já saiu mais notícias da Fiol do que mosca de lixão. Ninguém responde. A Fiol ainda é uma lenda. Das piores. E pode ser que jamais deixe de ser.

Põe na caçamba Sobre aquele acidente que houve no Rio de Janeiro, na Linha Amarela, em que a caçamba do caminhão bateu na passarela que caiu e matou cinco pessoas, há muita especulação e pouca ação.

Caçamba suspensa evitou que a placa fosse vista e fotografada? O motorista falava ao celular? O que falta então para a Justiça agir? Sim, leis. Quem faz lei é o Legislativo. Aqueles cujos helicópteros transportam cocaína ou que são fotografados em um evento e alegam ter sido um sósia a pessoa retratada. Põe esta lentidão na conta do baralho do Legislativo, que se servisse para jogar pôquer seria possível fazer um jogo imbatível: cinco ases. Ou você acha que no Congresso Nacional não existem cartas marcadas ou cartas demais?

Show de manifestações Ser a sede da Copa é uma honra para nós. Entrar em um hospital nos envergonha. Pois esperem março para ver o que os estudantes farão. Falo de quem não é coxinha, pura enganação. Vem por aí uma enxurrada de manifestações, temperadas por aumento nas passagens aéreas, passagens de ônibus e, no caso de Barreiras,

a não passagem de trens... Ou será que você acredita em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e Saci Pererê? Isso é ‘dilmais’ para mim, com o perdão do trocadilho.

Aposentados e pensionistas do INSS recebem valores reajustados A partir de janeiro de 2014, os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que possuem renda de um salário mínimo começaram a receber o benefício com o novo valor, de R$ 724. Também são reajustados os valores de quem recebe acima do mínimo. Para quem começou a receber o benefício até janeiro de 2013, o reajuste é de 5,56%. Quem começou a receber depois desta data, obteve reajuste proporcional conforme tabela publicada no site www.previdencia.gov.br.

A

presidente garantiu, na Suíça, onde está a sede da FIFA, que o Brasil está preparado para a Copa. No mesmo dia, passageiros da Gol, para se libertarem do confinamento por três horas dentro do avião, eram fotografados sobre a asa, depois de abrirem a porta de emergência, no Galeão. Em Campinas, passageiros da TAM ficaram seis horas dentro do avião porque não há escadas suficientes para embarque e desembarque. No Rio, os trens de subúrbio pararam porque uma composição descarrilara. Onde há metrô, volta e meia há enguiços e quase todos os dias há ônibus tomado pelo fogo, como protesto. Sem contar os congestionamentos que atrasam a vida de todos, por toda parte. O trem-bala prometido, nem para a Olimpíada. E pensar que tivemos sete anos para nos preparar. Fazem o movimento #nãovaitercopa, mas é uma inutilidade anárquica. Porque já se gastou muito com os estádios; agora, pelo menos, é preciso desfrutar dos erros, digamos assim. Ficamos calados quando deveríamos ter gritado: foi quando o então presidente Lula fez tudo para trazer a Copa, e conseguiu, a despeito da necessidade de segurança pública, educação, saúde, transporte público. Uma irresponsabilidade optar pelo circo. Mas a nação não chiou. Deixou acontecer, porque não está acostumada a exigir participação. Agora, talvez com culpa no inconsciente, querem deter a Copa. E saem para as ruas não como vândalos - eles saquearam Roma de cara limpa -, mas como arruaceiros mascarados, a atear fogo em fusquinha de serralheiro, com mulher e criança dentro; a invadir shopping, a quebrar vitrina. A violência é para espantar os democratas, os verdadeiros manifestantes, que exigem padrão FIFA para os serviços públicos. Vejo muita gente torcendo para a Copa ser um fiasco, tanto para o governo quanto para a equipe brasileira. Aí, cada um com suas conclusões. A melhor seleção de todos os tempos, a tricampeã no México, ajudou a dar popularidade ao general Médici, a ponto de ser o único presidente do país a ser aplaudido quando entrava no Maracanã. Os políticos sempre tratam de desfrutar das sobras das glórias dos atletas brasileiros. Não critico quem torce contra. Sei que a intenção desses é a esperança de que um dia deixemos de lado o circo para nos dedicarmos a exigir solução para as péssimas condições de segurança, saúde, educação, transporte público, organização urbana, planejamento, que infernizam a nossa vida. Com copas e futebol, somos alegres infelizes.


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

LOCAL

Mais celeridade e eficiência na prestação dos serviços públicos É o que o Poder Executivo Municipal espera obter ao reforçar a frota de veículos. As aquisições foram possíveis com o repasse de recursos da União e, também, das secretarias de Saúde e de Ação Social. Prefeitura entrou com pequena participação na compra das motocicletas Ivana Dias

A

frota de veículos do poder público de Barreiras foi reforçada. A aquisição de novos veículos teve por objetivo dar maior assistência às necessidades das secretarias municipais, facilitando de modo geral as atividades do Executivo, bem como diminuir os gastos com locação de automóveis. A entrega aconteceu após carreata, em clima de comemoração, na Praça Landulfo Alves, no dia 18 de janeiro. Entre as aquisições do Executivo, feitas com recursos da União repassados ao município, estão: um ônibus Expresso Saúde para o Centro de Reabilitação de Deficiências do Oeste da Bahia (Ceproeste); três ambulâncias para o Serviço de Atendimento Médico (Samu); quatro motocicletas, divididas igualmente entre a Prefeitura e a Guarda Municipal; duas caminhonetes L200 para a Secretaria de Saúde; seis ônibus escolares e 13 carros modelo Fiat Uno, distribuídos entre as secretarias de Ação e Promoção Social,

Educação e Saúde, e uma Patrol para a Infraestrutura e Obras. Em seu discurso, o prefeito Antonio Henrique destacou os benefícios da iniciativa que, em suas palavras, trará mais eficiência e qualidade ao trabalho. “Estamos entregando a nova frota para que as secretarias possam atender melhor o povo. Quero que fique bem claro que a compra não foi realizada com recursos do município, mas sim da União. Houve também a contribuição com recursos das secretarias de Saúde e de Ação Social. O município não teve condições de comprar carros, mas apenas motocicletas”, disse. No dia anterior à entrega dos veículos, o município de Barreiras recebeu um ônibus escolar adquirido com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em convênio com o Governo do Estado da Bahia, em Ibotirama, durante a visita do governador Jaques Wagner. Na ocasião, o prefeito agradeceu à deputada estadual, Kelly Magalhães, por incluir Barreiras na relação das cidades contempladas pelo FNDE. Este ôni-

3

IVANA DIAS

Prefeito Antonio Henrique exibe feliz as chaves dos veículos adquiridos bus soma-se aos cinco novos transportes escolares adquiridos para os estudantes. “Começamos o ano de 2014 com o pé direito e espero que melhore muito mais. Recebemos a Prefeitura com carros sucateados, tivemos que alugar máquinas para iniciar o mutirão da limpeza no início de 2013 e também carros para o transporte escolar”, relembrou o prefeito Antonio Henrique ao tratar das dificuldades enfrentadas ao assumir o mandato, sendo reforçado pelas palavras do chefe de gabinete, Dourivaldo Aquino, que destacou que grande parte dos carros pertencentes ao município possui mais de dez anos de uso e já não atendem com eficiência as demandas. “Quem trabalha na Prefeitura sabe da dificuldade por conta da falta de veículos adequados, principalmente quando há a necessidade de deslocamento para a zona rural ou de atendimento emergencial em bairros mais distantes. A nova frota minimiza esses transtornos e dá mais qualidade e celeridade aos atendimentos prestados”, disse. Melhorias no atendimento à população Em entrevista ao Jornal do São Francisco, a secretária de Saúde, Regina Figueiredo, disse que as aquisições trarão melhorias e celeridade no atendimento à população, na Atenção Básica e, mesmo, nas situações inesperadas. “As apoiadoras dos Postos de Saúde da Família (PSFs) poderão visitar os pacientes com mais frequência para verificar as carências, analisar o que deve ser melhorado, assistir a realização do atendimento e constatar qual é o desempenho da equipe”, explicou. Ainda de acordo com a secretária, a nova frota vai

colaborar nas situações inesperadas. “Além das situações do dia a dia, temos aquelas que não são planejadas, mas que são uma necessidade de última hora e que agora teremos condições de solucionar com o apoio dos quatro carros. Esse fator é altamente positivo”, avaliou. A novidade ficou por conta da implantação do atendimento no primeiro ônibus Expresso Saúde. O veículo é adaptado para transportar pacientes que realizam tratamento no Ceproeste e que não tem como se locomover, assim como seus acompanhantes. “Este ônibus fará a busca ativa de pessoas. Muitas vezes os pacientes interrompem o tratamento ou deixam de fazer, por não ter como ir, pois normalmente são cadeirantes. Isso é facilitar, dar mais conforto e maior possibilidade na continuidade do tratamento dos pacientes daquela unidade”, evidenciou a secretária. Entre as ações para melhor atender a população do município está a pactuação com o Governo do Estado para implantação do Fisa. O programa atenderá pacientes da rede municipal, no intuito de prestar atendimento domiciliar e reduzir a demanda na rede hospitalar. “Aquele paciente acamado que tem internação com muita frequência será atendido por médico, enfermeiro, fisioterapeuta, assistente social, nutricionistas, enfim, uma equipe multidisciplinar completa para dar assistência. Em caso de haver uma intercorrência que o paciente precise voltar à unidade hospitalar, ele tem o leito garantido, não entra na fila”, explica. A pactuação foi assinada no dia 17 de janeiro pela secretária de Saúde, Regina Figueiredo, em Salvador, e será executado a partir do mês de abril. ■

Integrantes do Samu participam de treinamento Cerca de 70 % dos profissionais dos 23 municípios ligados à Regional de Barreiras receberam instruções de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) Ivana Dias

A

capacitação de Atendimento Pré -Hospitalar (APH) foi realizada no dia 24 de janeiro, no Parque de Exposições Engenheiro Geraldo Rocha, pelo Serviço Móvel de Urgência (Samu). O treinamento teve a participação de profissionais dos 23 municípios que fazem parte da Regional Barreiras e Ibotirama. De acordo com o coordenador regional, Flávio Neves, cerca de 70% dos profissionais - médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores - receberam instruções em oficinas práticas e realizaram testes físicos e psicológicos. “Este é o primeiro treinamento teórico-prático que

acontece em Barreiras. O principal objetivo foi chamar todas as bases regionais do Samu para promover a integração, uniformização do protocolo de atendimento e a troca de experiências para prestar melhor serviço aos nossos pacientes”, disse. A pesquisa realizada pela Regional Barreiras/Ibotirama, em 2013, destacou os tipos de ocorrências, principalmente em nível de gravidade. Entre elas, as urgências clínicas e cardiológicas, o atendimento de queda de altura (cavalo e carroça, que acontecem com frequência nas zonas rurais da regional) e acidente de moto. “Atualmente essas são as principais causas de atendimento do Samu, que é o trauma”, destacou, ressaltando

ainda a dificuldade de comunicação. “A Regional de Barreiras e Ibotirama têm grande extensão territorial. São cidades distantes em relação a outras. Às vezes, quando se tem grandes acontecimentos, a chegada até o local pode demorar muito”, explica. Ambulâncias Na região, atualmente existem 49 viaturas com 26 equipes atuantes. Em Barreiras, nove ambulâncias com três equipes trabalham 24 horas para atender a população, não esquecendo ainda das viaturas 4X4 para atendimentos na zona rural e em locais de difícil acesso. “Temos essas viaturas para conseguirmos melhor e

mais rápido acesso ao pedido de socorro”, disse. Em 2013, de acordo com o coordenador, a frota foi 100% renovada. Apenas os municípios de Morpará e Oliveira dos Brejinhos ainda não receberam veículos. “Devem chegar ainda duas viaturas que já estão autorizadas pelo Ministério da Saúde e pela Coordenação de Urgência do Estado”, informou, ressaltando ainda que o número de ambulâncias e de profissionais é suficiente para atender a demanda da região. “A regional foi planejada de acordo com o número de atendimentos, da população e de comunidades. O detalhe são as grandes distâncias, que acabam sendo desafios”, conclui. ■


4 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

LOCAL

Jornal do São Francisco

Liquidações levam consumidores FOTOS: IVANA DIAS

A aposentada Maria Onete dos Santos não teve a mesma sorte. Os produtos que planejou comprar já haviam sido todos vendidos no horário em que conseguiu entrar na loja. “Cheguei às 4h da madrugada para adquirir um fogão de cinco bocas de R$ 400 por R$ 200, além de uma cama box. Como só consegui entrar as 8h da manhã, não tinha mais nada”, conta.

As vendas do primeiro mês do ano movimentaram o comércio de Barreiras, superando as compras de Natal, mas não foram melhores do que as registradas no mesmo período do ano anterior Ivana Dias

O

município de Barreiras iniciou o ano de 2014 com a sua economia aquecida. Lojistas de diversos setores do comércio local investiram em descontos de 10% a 70% para atrair os clientes, além de proporcionar facilidades de pagamento nas promoções. Contrariando a tradição e a expectativa dos comerciantes, os meses de novembro e dezembro – tidos como os meses de mais vendas em virtude das festividades de fim de ano -, não foram superiores ao primeiro mês deste ano. “Vendemos muito na última semana antes do natal, mas de primeiro a oito de janeiro, as vendas da liquidação superaram as de dezembro. Mês de promoção vendemos mais. Claro que vender com menos desconto é melhor, mas vendemos mais em época de promoção, é um período bom de vendas”, disse a gerente administrativa de uma loja de vestuário infantil, Aline Seixas Cardoso Mendes, acrescentando ainda que a estratégia adotada pela empresa neste período do ano tem grande contribuição para os resultados positivos alcançados. “Os descontos variam de 20% a 40% à vista e também parcelamos em até quatro vezes no cartão e no cheque. Assim o cliente leva até um pouco mais”, destaca. A liquidação do início deste ano, embora satisfatória, de acordo com a gerente administrativa, não ultrapassou as vendas registradas no mesmo período de 2013. “Ano passado as vendas foram melhores. Trabalhamos com produtos para crianças e a liquidação coincidiu com o período de

matrícula e linha escolar, fator que pode influenciar nas compras”, justificou. Entre os lojistas e comerciantes, uma unanimidade: todos aguardam pela liquidação do primeiro mês do ano. “As liquidações de janeiro viraram tradição. Todo mundo adora promoção. Muitas vezes a pessoa não tem condição de comprar e aguarda esse período ou deixa de comprar em dezembro para comprar em janeiro. Quem mais participa da nossa promoção são aqueles clientes que entram de vez em quando, passam, olham, namoram o produto e aguardam por um preço melhor. É vantagem para o cliente”, explica a gerente administrativa de uma loja de roupas feminina, Priscila Vital. Apesar disso, a profissional que considera satisfatórias as vendas do período, ressalta que estas não superaram as comercializações de dezembro. “Estamos há 15 anos no mercado e constatamos que o melhor período é novembro e dezembro. O ano passado foi bom, mas não superou os anteriores. Quanto à liquidação, no período de 1 a 10 de janeiro deste ano, nossa primeira semana de liquidação, tivemos acréscimo de 5% em relação às vendas do mesmo período em 2013”, afirmou a gerente. Vantagens para clientes e empresários De acordo com o economista Ernani Sabai, as liquidações costumam ser uma estratégia de venda que proporciona vantagens para clientes e empresários. “O consumidor tem a oportunidade de comprar mais barato e, consequentemente, de fazer melhor uso da sua renda. A liquidação permite ter acesso a produtos que, muitas vezes, não teria condições de comprar se estivessem com o preço normal. Mas é preciso que seja uma liquidação efetiva, verídica”, frisa. Já o comerciante tem na liquidação a vantagem de atrair mais consumidores para o seu empreendimento. “Dependendo do tipo de promoção, ele pode não apenas comercializar esses produtos, como também no processo vender itens que estão na faixa de preço normal, sem fazer parte da promoção. Às vezes a compra de um produto é incorporada a outro,

e isso pode ser atrativo para o consumidor”, destacou Sabai. O mecânico de manutenção, Marcos Barbosa, é um cliente que ilustra bem o contexto explicado pelo economista. À procura de um fogão, o mecânico percorreu as principais lojas da cidade e encontrou o produto que procurava, com o preço abaixo do que custava em pesquisa realizada no mês de dezembro. “A queima de estoque é uma boa oportunidade para comprar. Pesquisei e encontrei um fogão com um desconto que vale a pena. É muito bom para os lojistas e para nós clientes”, disse. Na fila para comprar Uma grande fila foi formada, ainda durante a madrugada, em frente a uma loja de rede nacional no último dia dez de janeiro, em Barreiras. Ansiosos, os consumidores queriam garantir a entrada às 06h da manhã – horário em que a loja abriu as suas portas – para comprar móveis, eletrodomésticos e eletrônicos com até 70% de desconto. Foi o que fez o garçom, Lázaro Souza. Ele conseguiu adquirir todos os produtos que desejava, chegando por volta de 01h30 à fila. “Pela primeira vez eu comprei nesta promoção e acho que valeu a pena. Pretendia comprar um fogão e um notebook, por isso me preparei durante o mês de janeiro. Consegui fazer uma economia de R$ 400 nos dois produtos. Ano que vem vou participar novamente”, adiantou. Pessoas de outros municípios também vieram para Barreiras no intuito de participar da liquidação. Moradora da cidade de Santa Rita de Cássia, a professora Silvana da Costa pretendia comprar uma máquina de lavar roupas, mas não teve sorte. “Quando consegui entrar na loja, às 8h da manhã, não tinha mais no estoque”, lamenta. Para não sair sem comprar nada, gastou R$ 470 com diversos produtos como ventilador, churrasqueira elétrica, entre outros.

Planejamento Para aproveitar as liquidações, de acordo com o economista Ernani Sabai, a recomendação é planejar. O trabalhador mais organizado e que fez o seu planejamento financeiro, deixou uma reserva para o mês de janeiro, sabendo que no período de pós-festividades acontecem promoções em diversos segmentos. “Ele aproveita para fazer a aquisição de mercadorias que antes não teria condições de efetuar e, até mesmo, para ampliar o leque de produtos que vai adquirir”, explica. Entretanto, segundo ele, é preciso ter muita cautela para que as promoções não passem a ser um problema. “É preciso lembrar que, além da compra, elas podem ter outras despesas fixas para manter – que vão refletir na renda, por exemplo, o vencimento do IPTU, IPVA, matrículas das crianças. Tudo isso vai interferir nas finanças da família. Se não tiver um controle, isso pode causar um endividamento das famílias”, evidencia. Alerta Além da recomendação para evitar o descontrole, outro alerta do economista diz respeito às facilidades oferecidas aos consumidores na hora de comprar, que muitas vezes são verdadeiras armadilhas. “Tem acontecido de alguns empresários aumentarem consideravelmente os preços em determinados períodos e como talvez não tenham obtido bons resultados, agora tem optado pela liquidação, voltando o produto ao preço normal. É preciso ficar atento, pois não se trata de uma diferença efetiva para o consumidor, de redução das margens de lucro, como é normal”, disse Sabai. O economista ressalta ainda que “se a liquidação for verídica, já com preços normais, isso torna o produto mais acessível”.

Nicélio Ramos


LOCAL

Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

5

às compras em janeiro Comércios sentem reflexo das dificuldades enfrentadas pela agricultura Apesar das vendas do final do ano de 2013 terem sido consideradas satisfatórias, a maioria dos lojistas se deparou com uma realidade diferente no comércio local: os percentuais de lucro não superaram os registrados em anos anteriores – provavelmente reflexo das dificuldades enfrentadas pela agricultura no Oeste baiano. “Tivemos dois anos bem difíceis em função das estiagens. Um dos setores que alavanca a economia da região é a agricultura”, explicou o economista Ernani Sabai. Ainda de acordo com ele, este momento delicado vivido pelo agronegócio trouxe outros reflexos, como o aumento do desemprego no campo, diminuição do poder aquisitivo das pessoas e geração da insegurança. “Quando a agroindústria vai mal, efetivamente todo o setor que está integrado nos elos da cadeia produtiva também sofre algum reflexo. Maior desemprego e insegurança refletem em menor consumo”, disse o economista. Outra explicação de Sabai para justificar percentuais abaixo aos registrados em períodos anteriores diz respeito ao endividamento. “A economia aquecida – caso do ano de 2012 – fez com que as pessoas aumentassem o nível de endividamento com bens duráveis como veículos e casas, principalmente por meio dos financiamentos. Por conta disso, muitos trabalhadores estão com a renda comprometida em função de contas mensais já estabelecidas”, acrescenta. E o 13º salário – antes uma opção para realizar as compras de fim de ano -, agora é visto como solução para o pagamento de dívidas e, também, para concentração de reservas. “Muitos trabalhadores optaram por usar o 13º para regularizar alguma pendência, pagar contas antigas ou efetivamente criar uma reserva para alguma situação de instabilidade econômica ou de desemprego. Assim, ele retrai o consumo e diminui o poder aquisitivo para novas compras - o que refletiu nas novas vendas que deveriam ter acontecido no mês de dezembro”, evidencia.

A aposentada Maria Onete não conseguiu os produtos que desejava

A gerente Aline Mendes garante que as vendas são melhores no período de promoções

A gerente Priscila Vital comemora primeira semana de liquidação: um acréscimo de 5% em relação às vendas do mesmo período em 2013

O mecânico de manutenção, Marcos Barbosa, percorreu as principais lojas e encontrou melhor preço, abaixo do que custava em dezembro

“Ano de 2013 foi positivo, mas resultados não surpreenderam”, diz Celestino Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), *Alberto Celestino, o ano de 2013 foi positivo, mas resultados não surpreenderam. “Tivemos um ano não muito favorável para o comércio na área econômica. A agricultura e o município, querendo ou não, atuam de forma decisiva.

Lázaro chegou à 1h da madrugada para garantir as suas compras

Como alguns pagamentos não saíram, gerou atraso para o comércio. Vale lembrar também que o funcionário negativado fica impossibilitado de comprar no comércio local. Então com todo esse cenário, não teria como 2013 ser um ano favorável para a comercialização, mas foi um ano positivo”, disse. Nem mesmo a Campanha de Natal promovida pela instituição, que na edição do ano passado impressionou com premiações de elevado preço, foi capaz de aumentar os resultados esperados pelo comércio local. “As vendas de natal foram satisfatórias, mas como a CDL movimentou os lojistas com uma campanha que caiu no gosto do público, esperávamos um resultado um pouco melhor, mas, claro, se as economias da cidade e da região fossem melhores. Fechamos 2013 com saldo positivo e apostamos que em 2014 alcançaremos o que não conseguimos no ano passado”, avalia. De certa forma, segundo Celestino, os lojistas estão correndo atrás do “prejuízo”. Devido aos fatores negativos que influenciaram o comércio em 2013, os lojistas iniciaram o ano com promoções para movimentar o caixa das empresas. Se os comércios perderam, quem ganhou foi o consumidor. “As empresas necessitam de fluxo de caixa, então precisam fazer promoções. É onde o consumidor ganha. Quem não fez compras em dezembro, conseguiu melhores preços em janeiro. Isso é bastante favorável e o consumidor deve estar atento. As empresas fazem a aquisição de seus produtos com a perspectiva de vendas no final do ano. Quando não se confirma a projeção da estratégia de venda, os produtos

são liquidados no início do ano. Então é importante ter uma reserva de dinheiro e aguardar as promoções deste período, que são sempre bem-vindas”, aconselha o presidente. Ainda de acordo com ele, as promoções de janeiro ganham corpo no País a cada dia. “Os empresários têm necessidade de girar esses estoques de produtos e, como vimos aqui na cidade, as empresas que fizeram promoções conseguiram atrair um grande número de consumidores”, disse. Apesar dos resultados, Alberto Celestino se mantém esperançoso quanto às vendas deste ano. “As perspectivas são as melhores possíveis. Nós temos um cenário bastante positivo. As chuvas começaram no período esperado pelos agricultores, o clima é bastante favorável e já se sabe que a área plantada é maior que a do ano anterior. Tudo indica que, se o cenário continuar assim, o comércio terá vendas aquecidas”, disse, ressaltando ainda que a Copa do Mundo também deve movimentar e trazer turistas para o País. O presidente da CDL aproveita a oportunidade para lembrar os consumidores que a entidade mantém um calendário anual de liquidações – algumas bem conhecidas da população – com o intuito de movimentar o comércio local, oportunidade para a qual os clientes devem estar atentos para fazer boas compras. “O calendário inicia com a promoção do Dia das Mães, que é a primeira do ano. No segundo semestre temos o Liquida Barreiras, que é sempre muito esperado pelos consumidores. Essas duas campanhas geram grandes expectativas”, finaliza. ■ * Presidente em exercício no período da produção da matéria.


LOCAL

Jornal do São Francisco FOTOS: VIRGÍLIA VIEIRA E CHEILA GOBI

6 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Fim da Espera Com a autorização do DNIT, prefeito de Barreiras pretende tirar o tráfego de veículos pesados do centro da cidade de forma definitiva Cheilla Gobi

F

oi muita espera pelo tão sonhado Anel Viário. Finalmente concluída em 2013, a população de Barreiras ainda não vê serventia na obra que possui 4,1 quilômetros de extensão, incluindo a ponte sobre o Rio Grande, que tem como intuito desafogar o trânsito da cidade, uma vez que cerca de três mil veículos pesados, entre caminhões, carretas e ônibus interestaduais e intermunicipais, continuam passando diariamente pelas principais ruas e avenidas, causando transtornos à população. Agora, ao que parece, a desordem vai acabar. Na última semana, o prefeito Antonio Henrique juntamente com o vice-prefeito, Carlos Augusto Barbosa (Paê) e a primeira dama do município, Antônia Pedrosa, estiveram em uma audiência com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/Bahia), Amauri Sousa Lima, em Salvador, para definir a situação do Anel Viário. Na ocasião ficou acertada a chegada de um engenheiro do DNIT para, em parceria com a Prefeitura, definir as intervenções que serão executadas, entre elas a transferência de imediato do trânsito pesado de forma definitiva. Em nota, o poder público municipal comunicou que a partir do dia 10 de fevereiro, carros pesados de grande porte deverão utilizar o Anel Viário, deixando de trafegar pelo

centro urbano. “Temos visto inúmeros acidentes no centro da cidade, por isso o prefeito nos passou essa incumbência para que o problema seja resolvido. A função da Prefeitura no caso é a cobrança, portanto, partimos para o campo da ação: estamos providenciando as placas no padrão DNIT, já nos reunimos com a Polícia Rodoviária Federal, vamos fazer quebramolas na área de acesso para diminuir a velocidade dos veículos e colocar placas de alerta para evitar acidentes”, disse o secretário de Serviços Públicos e Transportes de Barreiras, João Muniz. Contudo, ainda há muito a fazer. Pontos precisam ser acertados para fluir o tráfego na via, inclusive melhorias nas estradas próximas ao Anel Viário, no caso as BRs 020, 135 e 242, como o próprio superintendente do Dnit já havia sinalizado ao Jornal do São Francisco. Conforme publicação de edição 143, de dezembro do

ano passado, as reclamações vão desde o trevo de entrada da BR-135 à pista estreita, principalmente após a entrada para Angical e, a ausência de trevo na BR-242. Em recente reunião, o chefe do Poder Executivo destacou os problemas da via, com base nos apontamentos destacados pelo jornal, e antecipou também algumas obras para melhorias. O prefeito anunciou a execução da obra de alargamento da BR-135 (saída para Riachão das Neves), que será realizada pela empresa CBV Construtora - vencedora da licitação, o serviço de manutenção desta mesma rodovia (trecho na saída para São Desidério), que será feito pela empresa Rodocon Construções Rodoviárias e, reparos no asfalto da BR-242, que corta o centro urbano de Barreiras. A empresa Paviservice de Pavimentação ficará responsável pela obra. De acordo com Antonio Henrique, o processo de licitação para contratação

Vamos fazer quebra-molas na área de acesso para diminuir a velocidade dos veículos e evitar acidentes"

O órgão vai acionar as empresas contratadas para que os problemas sejam solucionados"

João Muniz Secretário de Serviços Públicos e Transportes de Barreiras

Simone Kuriki Secretária de Infraestrutura do município

da empresa que realizará intervenções maiores no trecho do Anel Viário deve ser concluído no mês de fevereiro. A seu ver, com as definições do DNIT, haverá condição de, nos próximos dez dias, sinalizar as vias e disciplinar a retirada dos veículos pesados da maior parte do perímetro urbano, para melhorar o tráfego na cidade. A partir do dia 10 de fevereiro, carros pesados de grande porte deverão utilizar o Anel Viário, deixando de trafegar pelo centro urbano

Vistoria No último dia 30 de janeiro, a equipe da


LOCAL

Jornal do São Francisco Prefeitura e o engenheiro analista de Infraestrutura do DNIT, Egnaldo Machado de Araújo Júnior, fizeram vistoria técnica do local. Durante a fiscalização, apurouse que o maior problema encontrado é a travessia dos carros. Construção de trevo, acostamento e sinalização foram alguns dos pontos observados. De acordo com a secretária de Infraestrutura do município, Simone Kuriki, o DNIT e a Prefeitura estão trabalhando para solucionar o problema do trânsito na cidade. Medidas emergenciais no trecho do Anel Viário, além do trevo, sinalização e acostamento, devem ser providenciadas. A prefeitura solicitará também do DNIT, que seja colocado no trecho um quebra-molas para diminuir a velocidade dos veículos que trafegam no local e, consequentemente, evitar acidentes. “Os problemas já foram repassados para o Dnit e, a partir do relatório feito pelo técnico, o órgão vai acionar as empresas contratadas para que os problemas sejam solucionados, conforme cada contrato”, disse. A secretária garantiu ainda que a recuperação na saída para São Desidério já foi iniciada, assim como já está sendo executada a limpeza do acostamento e execução das placas de sinalização. Informação e conscientização Para conscientizar aqueles que durante anos de viagens seguiram seus percursos pela rodovia, uma fiscalização será realizada para informar aos motoristas de veículos pesados que, a partir do dia 10 de fevereiro, terão de seguir por outro caminho, não mais pelo perímetro urbano. Isso deve acontecer tão logo seja concluída a regularização da via. Nesta data, uma blitz educativa e ações integradas com as Polícias Militar e Rodoviária Federal, Guarda Municipal e Coordenação de Trânsito do município, com apoio do DNIT, serão promovidas para viabilizar o início da operação de transferência do tráfego do centro da cidade para o Anel Viário. “Teremos que trabalhar juntos. Esta parceria entre todos os entes públicos será extremamente importante para o sucesso da mudança”, disse a secretária, destacando ainda que a partir desta mudança será observada melhor fluidez e então outros projetos poderão ser executados para melhorias no trânsito do centro da cidade. Horário para carga e descarga de caminhões Outra mudança que deve trazer benefícios ao trânsito no centro da cidade diz respeito à Lei n° 1062, de 26 de novembro de 2013, que regulamenta o estacionamento de carros pesados em vias públicas e dá outras providências. A Lei já está em vigor no município e estabelece ainda o horário para carga e descarga de mercadorias. De acordo com o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Carlos Augusto Barbosa, as empresas do município estão sendo orientadas a cumprir as normas estabelecidas por Lei, para que não haja prejuízos nas atividades econômicas. “O horário para carga e descarga está previsto de segunda à sexta-feira, das 18h30 às 07h30. Nos finais de semana, no sábado somente a partir das 12 horas até às 07h30 de segunda-feira”, destacou Paê Barbosa. De acordo com a Lei, aqueles que executarem os serviços de carga e descarga realizados fora dos horários estabelecidos estão sujeitos à multa do veículo e apreensão, conforme consta no Código de Trânsito Brasileiro. ■

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

7

Câmara abre trabalhos legislativos Com a presença do chefe do Executivo Municipal, Antônio Henrique de Souza Moreira, vereadores deram início às atividades Cheilla Gobi

S

essão solene realizada no último dia 04, às 19h30min, marcou a abertura do ano legislativo de 2014 na Câmara Municipal de Barreiras. O chefe do Executivo, Antônio Henrique de Souza Moreira, fez questão de levar a sua mensagem de boas vindas aos edis. Na abertura dos trabalhos, o presidente da Câmara, Carlos Tito, desejou sucesso neste novo período. A vereadora Núbia iniciou seu discurso pontuando tópicos que, segundo ela, precisam ser implantados na Câmara de Barreiras. “Precisamos avançar em diversos setores, visando melhorar a prestação de serviço. Considero alguns tópicos urgentes, como: identificação dos servidores com crachás e fardamento, equiparação salarial dos assessores com relação aos salários pagos em municípios vizinhos, plano de cargos e salários para os efetivos da Casa Legislativa e regulamentar o uso das viaturas da Câmara”, disse. A vereadora Maria das Graças Mello comparou o trabalho entre os dois poderes. Segundo ela, um bom resultado administrativo só pode ser derivado do princípio da harmonia e da divisão de funções na busca do equilíbrio necessário para a realização do bem coletivo. “Estamos começando hoje o segundo ano deste mandato, e cada um de nós carre-

ga a expectativa de fazer o possível para que a nossa cidade seja um lugar melhor para se viver. De acordo com as diretrizes partidárias, a essência de nossos deveres enquanto mulheres e homens públicos é traduzida em atuar em prol do bem comum. Executivo e Legislativo não podem atuar em detrimento do outro e sim em conformidade com o princípio da separação dos poderes”, disse a vereadora, frisando ainda que o diálogo é o melhor caminho para concepção de uma cidade melhor. Já a parlamentar Karlúcia Macedo, utilizou o seu tempo regimental para criticar a forma como os trabalhos executados pelo poder público nas avenidas principais vem sendo conduzidos. “É louvável os trabalhos, mas discordo da forma como vem sendo realizada a obra, interrompendo o trânsito, deixando-o de forma desordenada. Por melhor que seja a realização de uma obra, esta deve acontecer de forma a manter a qualidade de vida das pessoas”, disse. Os vereadores Antônio Carlos de Matos, Izabel Rosa e Otoniel Teixeira chamaram a atenção dos secretários do governo para a falta de atendimento na área da saúde e precariedades na educação. “Os senhores que têm cargos de confiança são responsáveis por alavancar a administração pública de Barreiras e se a equipe não colaborar, será impossível administrar”, assegurou Antônio Carlos.

Após os pronunciamentos dos vereadores, o prefeito Antônio Henrique se dirigiu à tribuna, onde fez a leitura da mensagem do Executivo. Na ocasião, o prefeito também fez um balanço do primeiro ano do seu governo e falou sobre os problemas enfrentados. “Desejo ao Poder Legislativo sucesso neste período. Reafirmo e renovo nossos compromissos de campanha com a infraestrutura, a saúde, a educação e a segurança pública. E com nossa confiança em Deus e com muito trabalho vamos preparar Barreiras para um novo tempo. Portanto, vamos trabalhar juntos pelo bem de nossa cidade”, disse. O presidente da Casa destacou ações desenvolvidas no primeiro ano de mandato, como: aquisição de oito novos veículos, a estruturação de oito novos gabinetes, implantação de três painéis digitais para publicação de todos os atos do Poder Legislativo, o diário oficial impresso e eletrônico, a ouvidoria com funcionamento 24 horas, um novo site, painéis eletrônicos com cronômetro no plenário, implantação de lanchonete nas dependências da Câmara, aumento no salário dos servidores, dentre outras inovações. “Realizamos pleitos importantes e seguiremos com a mesma postura de colaboração com as boas práticas que devem nortear a administração pública municipal, bem como atentos e vigilantes”, concluiu o presidente. ■

“Ponte da Cotia” preocupa moradores Secretário de Serviços Públicos e Transportes anuncia reforma para os próximos 30 dias VIRGÍLIA VIEIRA

Além de carros e motos, ciclistas e pedestres utilizam a ponte constantemente Cheilla Gobi

O

s carros transitam devagar, mas ainda assim encontram dificuldades em passar pela Ponte Angélica Aires, mais conhecida como a “Ponte da Cotia”. A via que é feita de madeira, por conta do tempo de uso, comprometeu a estrutura do local, responsável pela li-

gação entre o povoado Angélica Aires e a sede do município de Barreiras. A situação do local tem preocupado os moradores, que sem muitas alternativas acabam passando por ela todos os dias. Além de carros e motos, ciclistas e pedestres utilizam a ponte constantemente. A via também é bastante acessada por turistas e chacareiros que visitam o Rio de Ondas. O presidente da Associação de Moradores da Comunidade, Ivan Pereira, ressaltou a situação precária da ponte e o risco que os moradores correm ao transitarem pelo local. “A condição da ponte preocupa e tememos que mais acidentes aconteçam. Recentemente, um morador que passava de bicicleta caiu no rio, ainda bem que sem grave consequência”, contou. Recentemente, moradores através da Associação de Moradores, tentaram se mobilizar para uma ação conjunta com empresários e donos de chácaras, para reformarem a ponte. “Já estávamos cansados de solicitar a recuperação da ponte à Prefeitura, mas fomos informados de que finalmente vai sair a obra”, disse Ivan. Segundo o secretário de Serviços Públicos e Transportes, João Muniz, a situação da ponte já era de conhecimento da Prefeitura e a reforma já está na pauta de prioridade do governo. Além

da reforma, foi confirmado o melhoramento da estrutura da ponte, que deverá ser entregue nos próximos 30 dias para a comunidade. “Em uma visita ao povoado, atendendo à uma solicitação de limpeza de rua e iluminação, comprovamos a necessidade desta reforma. Imediatamente acionamos os setores responsáveis, o prefeito aprovou, licitamos a obra e agora aguardamos a chegada do material para iniciarmos imediatamente a recuperação tanto desta ponte, quanto de mais três: Ponte do Labele, Ponto do Mourão e a Ponte do Val da Boa Esperança”, anunciou o secretário. De acordo com documentos apresentados ao Jornal do São Francisco, o processo atualmente está aguardando a chegada do material, e assim que este estiver disponível, a ponte deverá ser interditada, para então ser desmanchada e recuperada. “Vamos precisar da colaboração de toda a comunidade, pois o local será interditado até que as obras se concluam”, afirmou Muniz. Além da ponte, a comunidade receberá uma limpeza geral das ruas e iluminação. “Este é um local turístico que precisa de uma atenção maior do setor público. Este é o compromisso do prefeito com a comunidade”, disse o secretário. ■


8 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

LOCAL

Jornal do São Francisco

Novos diretores da CDL são empossados

FOTOS: CHEILLA GOBI

Os 13 novos membros da diretoria para o biênio de 2014/15 se destacam pelo perfil jovem Ivana Dias

Devotos reverenciam Oxum e Iemanjá

A

Bonecas, doces, pipocas, frascos de shampoos, sabonetes, velas, vidros de perfumes, pentes, espelhos, pedidos, flores e bijuterias foram alguns dos presentes ofertados Cheilla Gobi

religiões e crenças”, disse. Apresentações e manifestações dos terreiros presentes na Praça Landulpho Alves ao final do dia, anunciaram o término da festa. ■

A

o entardecer ao som do afoxé e tambores, em clima de fé e de devoção, fiéis e admiradores reverenciaram Oxum e Iemanjá às margens do Rio Grande, centro histórico de Barreiras. No dia dedicado a fazer homenagens às Rainhas das Águas - 02 de fevereiro -, o cais foi tomado por uma multidão. As embarcações chegaram com as imagens dos Orixás, Iemanjá, Oxalá e Oxum por volta das 18 horas e foram recepcionadas com grande queima de fogos e pelos adeptos dos terreiros e outras pessoas, com água de cheiro das baianas e flores. Bonecas, doces, pipocas, frascos de shampoos, sabonetes, velas, vidros de perfumes, pentes, espelhos, pedidos, flores e bijuterias estavam entre os presentes ofertados. Também foram acesas velas de várias cores, simbolizando os mais diversos Orixás. No céu, apresentação acrobática de aeromodelismo. Toda a extensão do cais do Rio Grande até o mercado popular foi palco do evento organizado pela secretaria municipal de Cultura, pelos terreiros e areeiros. Na Praça Landulpho Alves foi montado um terreiro para reverência às Rainhas das Águas, no qual as baianas aguardavam as oferendas a serem bentas. Por volta das 17 horas, saíram em cortejo até a rampa reservada para realização dos rituais. Em seguida, os areeiros desceram o rio juntamente com Mãe Sônia, do Terreiro Abassa de Katendê, com Oxalá, Xangô e Iansã, onde aguardavam o cortejo fluvial dos Orixás Oxum e Iemanjá. As oferendas foram depositadas no barco de Oxalá e lançadas ao Rio Grande. Os areeiros, cumprindo sua tradição, distribuíram uma farofa que simboliza paz e prosperidade, assim como o chamado banho de pipoca, para purificar o corpo. “O que a gente espera é que Iemanjá nos ilumine, dando benção para todas as nossas vidas. Iemanjá é tudo pra nós, então

Iemanjá No ano passado, sete terreiros fizeram suas obrigações religiosas às margens do Rio Grande. Este ano o número subiu para 11

a nossa felicidade é estar perto dela”, resume Pai Rafael Xangô, representante do Centro Espírita Xangô De Alafim. No ano passado, sete terreiros fizeram suas obrigações religiosas às margens do Rio Grande. Este ano o número subiu para 11. De acordo com informações da secretária de Cultura de Barreiras, Diana Macedo, a festa popular faz parte do calendário do município, uma tradição antiga, iniciada há alguns anos por Mãe Nicinha, do Terreiro Pai São Jorge Guerreiro, fortalecida e engrandecida pelos demais terreiros da cidade. “A secretaria esteve empenhada nos preparativos da festa que já faz parte do calendário do município e que a cada ano se fortalece na integração entre

é reconhecida como a mãe de todos os orixás, vem representada em forma de sereia, com longos cabelos soltos. Por representar a grande mãe, o culto à Iemanjá encontrou no Brasil, sincretismo com as Nossas Senhoras do catolicismo, como por exemplo, Virgem Maria, Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora das Candeias e Nossa Senhora da Conceição, dentre outras. Sua festa coincide com o calendário católico. A tradição começou em 1923, quando um grupo de pescadores ofereceu presentes para agradar a mãe das águas, pois os peixes estavam escassos. Desde então, a festa tornou-se cada vez mais popular e reúne milhares de fiéis. Em Barreiras, além das homenagens à Iemanjá, Oxum também é reverenciada. Oxum é conhecida como mãe da água doce, rainha das cachoeiras, deusa da candura e da meiguice, dona do ouro. Oxum é a Rainha de Ijexá. Orixá da prosperidade, da riqueza, ligada ao desenvolvimento da criança ainda no ventre da mãe.

Desfile fluvial com os orixás. Barcos com Oxalá, Oxum e Iemanjá. O cortejo teve a participação dos areeiros que manifestaram seu respeito e fé pela manifestação cultural e religiosa

cerimônia de posse da nova diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Barreiras foi realizada no último dia 31 de janeiro, no Le Revê. Os 13 novos membros, eleitos aos 28 dias do mês de novembro de 2013, no auditório da instituição, foram empossados pelo presidente da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas (FCDL) do Estado da Bahia, Antonie Yossef Tawil, para o biênio de 2014/15, mediante a leitura do termo de posse. A equipe que se destaca pelo perfil jovem, tem o empresário Rider Mendonça e Castro, como presidente eleito; primeiro vice-presidente, Carlos Henrique Souza Filho e, segundo vice-presidente, Humberto Carlos Fagundes Ribeiro Junior. “A rapaziada está tomando conta das unidades importantes de Barreiras. Tenho muito orgulho de estar presente à posse de uma diretoria que teve ousadia para assumir a CDL, que já tem um trabalho muito desenvolvido”, disse o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio da Bahia, Carlos Henrique Souza Costa. Para o novo presidente, a instituição que tem 37 anos é respeitada e reconhecida por toda a sociedade barreirense, devido ao trabalho dos ex-presidentes e diretores que tiveram o comprometimento de inserir a classe e a população de forma voluntária. “Hoje temos uma entidade estabelecida em bases sólidas e qualificada para melhor atender os lojistas. Esse novo time recebe a missão de estar à frente de uma instituição que conquistou a credibilidade dos seus associados e, sobretudo, da comunidade. Em meio desse grupo sinto-me honrado em fazer parte dessa trajetória”, disse Rider Castro. De acordo com a Junta Comercial, a cada ano são constituídas, em média, 900 novas empresas. De janeiro de 2005 a maio de 2013, mais de 2,5 mil novas empresas foram criadas no município, o que ocasionou mais de 27 mil empregos diretos proporcionados pelos empreendimentos. “Somente o setor de comércio e serviços é responsável por 16,6 mil empregos diretos, pois recebemos diariamente milhares de pessoas que consomem nossos produtos”, afirma Rider. “Nossa diretoria se dedicará para tornar os associados mais participativos nas ações institucionais e nas incorporações de obras sociais, ao longo do quadro que hoje é composto por mais de 750 empresas”, disse. O vice-prefeito Carlos Augusto Barbosa, Paê, prestigiou o evento e ressaltou a importância do comércio no município. “A região Oeste é muito conhecida pelo agronegócio, mas todos sabem da grande capacidade de emprego do setor de serviços. A CDL é referência de responsabilidade no desenvolvimento de Barreiras”, concluiu. ■


Jornal do São Francisco

LOCAL

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

9

Campanha da Fraternidade alerta contra tráfico humano Atividade criminosa faz cerca de 2,5 milhões de vítimas por ano Ivana Dias

O

tráfico de pessoas no Brasil faz cerca de 2,5 milhões de vítimas por ano, incluindo homens, mulheres e crianças, especialmente vulneráveis e carentes – psicologicamente e de recursos -, de acordo com informações da Organização das Nações Unidas (ONU). A situação é realmente preocupante. Justifica-se porque a Organização Internacional do Trabalho (OIT) define a situação do tráfico humano no País e no mundo como alarmante. Atenta para esta realidade e para o aumento de vítimas do tráfico humano, do trabalho forçado e da exploração sexual é que a igreja definiu como tema da Campanha da Fraternidade deste ano, a “Fraternidade e Tráfico Humano”, cujo lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”. As propostas foram feitas pelos grupos de trabalho de enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e de Combate ao Trabalho Escravo, junto à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a entidades ligadas à Pastoral da Mobilidade Humana. O trabalho também conta com o apoio de Organizações Não-Governamentais (ONGs) – criadas para dar assistência às pessoas -, a exemplo do Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame), localizado em Salvador.

E

ducar é uma tarefa difícil, mas pode e deve ser trabalhado com amor e dedicação, o que torna prazerosa a arte de ensinar e aprender continuamente. Nesta coluna, viveremos uma profunda reflexão sobre a arte de estudar para concursos públicos, tornando-se atualmente quase uma profissão denominada “concurseiros”. Iremos entender cada banca examinadora, suas principais características, estudo do edital e sua relevância e como elaborar plano de estudos. Caros leitores, na verdade, tem a ver com reconhecer suas deficiências para que possa minimizá-las. Fazer um plano de estudos, dividir o tempo disponível e o estudo do edital com eficiência, priorizando as matérias em que se tem mais dificuldades. Tudo depende de nós mesmos, de nossa determinação, da nossa disciplina, da nossa vontade. Muitas vezes é mais fácil abdicar de sonhos do que lutar por eles, como diz um ditado chinês: “Se não sabes para onde quer ir nenhum porto lhe será favorável. A busca por um material ideal para montar sua minibiblioteca se faz

“As ONGs nascem geralmente de uma necessidade local e o Chame surgiu de uma realidade vista no exterior, em atendimento às mulheres brasileiras e dominicanas que estavam traficadas”, conta a analista internacional, especialista no combate ao tráfico de mulheres, assessora da CNBB e uma das fundadoras do Chame, Fernanda Leite, durante evento promovido pela Diocese de Barreiras para apresentação do tema da Campanha da Fraternidade. A partir desta experiência, Fernanda percebeu a necessidade de realizar um trabalho de prevenção no Brasil. “Depois que se está nesses lugares não se tem muito a fazer. A partir desses atendimentos foi constatado que seria interessante trabalhar a prevenção no Nordeste”, relembra. Ao retornar ao Brasil em 1994, Fernanda iniciou um estudo para instalação da ONG, sendo o Estado da Bahia, identificado como sendo o melhor local. O trabalho recebeu o apoio da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e suas atividades passaram a ser realizadas no Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a mulher. “Ficamos durante sete anos dentro da UFBA, como projeto de extensão. Como a universidade não tinha condições de dar continuidade ao projeto, o Chame foi fundado em 2001”, explica. Foi constatado, ainda, que nos anos

80 houve grande imigração de mulheres baianas. Elas não saíram exatamente do Estado baiano, mas passaram por cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, pois naquela época não havia tantos voos da Bahia para Europa. “A Bahia é um ponto turístico muito forte, principalmente em Salvador. Percebemos também que a exploração do turismo sexual é uma grande porta para o tráfico de mulheres. Empresários disfarçados de namorados ou pretendentes levam as jovens para fora do País e o próprio turista explora as mulheres não só sexualmente, mas em outras questões também”, explicou. Apesar de todo o empenho, as atividades demoraram a se expandir. “Depois do ano de 2000 foi que tivemos um impulso maior. Devido ao Protocolo de Palermo, o governo brasileiro começou a tomar mais corpo, mais responsabilidade com o crime. O Brasil está se organizando para fazer o atendimento às mulheres traficadas, com o direcionamento aos centros de referência para os primeiros atendimentos e depois os encaminhamentos necessários”, disse. O Protocolo de Palermo foi criado em 2000, em Palermo na Itália, pela ONU. No Brasil, o Congresso Nacional aprovou, por meio do Decreto Legislativo n° 231, de 29 de maio de 2003, o texto do Protocolo Adicional à Convenção das Nações

Willamy Shelig Willamy Shelig da silva Mendes está há 15 anos á frente do projeto educacional venha, veja e vença, ganhador do troféu soja de ouro destaque 2011 e 2013, diretor da UEB (União dos estudantes do Brasil), ministra palestras e cursos intensivos em munícipios baianos, do goiás, Tocantins, Pernambuco.

VESTIBULAR & CONCURSO necessário, assim como a leitura de livros que modificam sua forma de agir e sua percepção. O grande vilão disso tudo é o problema "tempo de estudo", candidatos com horário apertado devido ao trabalho, com bebês pequenos que não os deixam dormir. O importante é saber direcionar muito bem o tempo que se tem, com um estudo eficiente, eficaz e produtivo. Quanto ao ambiente de estudo, é importante que se treine a concentração em qual-

quer situação. As bancas examinadoras são responsáveis pela elaboração, divulgação e organização do concurso público. No site das bancas é possível visualizar os locais de aplicação das provas, a lista de aprovados, as provas aplicadas, os gabaritos, os recursos deferidos e eventuais comunicações aos candidatos. São diversas bancas examinadoras no País. Na maioria das vezes, as provas de determinado concurso são

Unidas contra o Crime Organizado Transnacional Relativo à Prevenção, Repressão e Punição do Tráfico de Pessoas, em Especial Mulheres e Crianças. “No entanto, já observamos um problema novo, a dificuldade em atender os transexuais. Na documentação, o nome é masculino e os centros atendem apenas as mulheres”, disse. Outra grande dificuldade, de acordo com a analista, diz respeito à segurança, motivo de grande preocupação em quase 20 anos de atuação no Brasil trabalhando com o tema. “É muito difícil e inseguro. Trata-se de crime organizado, de corrupção e muitas outras coisas envolvidas. As questões relacionadas à segurança geraram grandes apreensões às instituições que estavam nos apoiando”, aponta. Fernanda também auxiliou a autora Glória Perez na novela “Salve Jorge”, com informações sobre os casos reais que foram acompanhados no Chame. As histórias foram vividas pela protagonista Morena (Nanda Costa). Casos reais O Chame já conseguiu ajudar universitárias baianas vítimas do tráfico de pessoas. Essas histórias foram contadas no vídeo “Europa, o conto que não conta”. É o caso da menina que não foi prostituída nem explorada sexualmente, mas trabalhando na casa de uma família, acabou sendo explorada durante três meses. Ela não podia sair, falar com a família e trabalhava de segunda à segunda, sem horário, por quase 24 horas por dia. A jovem era constantemente obrigada a acompanhar a dona da casa ao shopping, furtar e ainda sair do local com o produto. Caso fossem flagradas, a presa seria a funcionária. ■

elaboradas pela mesma banca, ou seja, INSS, Polícia Federal, TCU geralmente é feito pelo CESPE; AFRF, CGU geralmente é realizado pela ESAF. Por isso, é importante conhecer a Banca para qual irá prestar prova, pois o estilo tende a ser o mesmo. Então, se você já se decidiu para qual concurso irá se dedicar, busque resolver provas antigas e fique por dentro das matérias de concurso específica para cada órgão. Isso irá dar mais agilidade na hora de resolvê-las e proporcionará mais conhecimento do tipo de "pegadinhas" das provas. As principais bancas examinadoras: Fundação CESGRANRIO (Concursos Federais e Estaduais), CESPE (Concursos Federais e Estaduais), CONSULPLAN (Concursos Federais e Estaduais), ESAF (Concursos Federais e Estaduais), FCC (Concursos Federais, Estaduais e Municipais), FEC (Concursos Estaduais e Municipais), FGV (Concursos Federais e Estaduais), IADES(Concursos Estaduais), Instituto Quadrix (Concursos Federais, Estaduais e Municipais), NCE (Concursos Federais e Estaduais) entre outros que analisaremos posteriormente.


10 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco INFORME PUBLICITÁRIO

Iniciação Acadêmica integra e orienta calouros da FAAHF Ano letivo na FAAHF começou no mês passado; neste semestre a IES abriu turmas de dois novos cursos: Psicologia e Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos.

ser...?

O

N ou OFF, de que lado você está?

Que tipo de profissional você busca

Eficiente? Eficaz? ou Efetivo? Que tal ser os três ao mesmo tempo? Mas isso, só depende de você. Com certeza, as dúvidas são bem maiores para quem está ingressando no

ensino superior. Com esse objetivo, a Faculdade Arnaldo Horário Ferreira (FAAHF) realiza a cada ano letivo a iniciação acadêmica, um grande encontro, reunindo todos os ingressos da IES, a fim de orientá-los quanto ao perfil e as perspectivas acadêmicas deste século e apresentar as normas acadêmicas e administrativas da Faculdade. Neste ano, as boas-vindas aconteceram oficialmente na noite de quartafeira, 22/01, no Centro de Convenções da FAAHF reunindo calouros, direção, coordenadores, professores e equipe administrativa, além da saudação de veteranos de sete colegiados. Atualmente, a FAAHF conta com acadêmicos de Psicologia, Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, Agronomia, Letras, Pedagogia, Ciências Contábeis, Direito, Administração e Engenharia de Produção.

ASCOM/FAAHF

Calouros foram recepcionados no Centro de Convivência da IES.

FAAHF adere ao FIES Agora, a Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira (FAAHF) de Luís Eduardo Magalhães também oferece o Fundo de Financiamento Estudantil, o FIES, um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições não gratuitas. Poderão recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliações positivas nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação e cuja renda familiar bruta seja inferior a vinte salários mínimos. As inscrições são feitas exclusivamente por meio de um sistema eletrônico desenvolvido pelo Ministério da Educação pelo site http://sisfiesportal.mec.gov.br/, em qualquer período do ano. Os estudantes

que concluíram o ensino médio a partir de 2010, e queiram solicitar o FIES, deverão ter realizado ENEM de 2010 ou anos posteriores. Com a adesão ao FIES, o estudante pode financiar de 50% até 100% do valor da mensalidade, dependendo da renda familiar, tendo como agentes financeiros a Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, ambos com taxa de juro é de apenas 3,4% ao ano. Durante o tempo do curso o aluno paga até R$ 50,00 por trimestre de amortização e depois de formado possui uma carência de 18 meses para começar a quitar o financiamento. Além disso, o prazo para pagar é longo: até três vezes o tempo de duração do curso mais um ano, diluindo assim os valores das parcelas.

CURSO DE EXTENSÃO Abertas as inscrições para Contação de Histórias Aulas terão início no dia 22 de fevereiro na FAAHF A Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira (FAAHF) está com as inscrições abertas para o curso “A arte de contar histórias”, voltado para a formação de contadores de histórias. Segundo a coordenadora do projeto, coordenadora do colegiado de Pedagogia da IES, Regina Candida Führ, o curso tem como público alvo, acadêmicos e educadores das áreas de Letras, Pedagogia e Psicologia, além de profissionais que já atuam na área de contação de histórias, a exemplo de

psicopedagogos e auxiliares de biblioteca. Ministrado pela professora e contadora de histórias, Terezinha Borsato Mariussi, o curso com duração de 10 meses, dividido em encontros mensais, terá início no próximo dia 22 de fevereiro, às 8h, na FAAHF, no valor mensal de R$ 50,00 (incluindo valor de inscrição). As inscrições acontecem na secretaria de coordenações de cursos, no horário das 13h às 21h às 13h às 21h.


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

11

Alta no Salto VANESSA HORITA www.altanosalto.com contato@altanosalto.com

Administradora por formação e blogueira por paixão, sou uma leonina intensa e apaixonada por tudo que gira em torno do mundo da moda, tendências e lifestyle.

Moda Praia REPRODUÇÃO

O

FOTO PESSOAL

assunto desta edição não poderia ser melhor: a moda praia. É comum pensar nas roupas que se deve colocar na mala na hora de viajar para a praia. Óbvio que as roupas devem ser sempre as mais leves possíveis, mas isso não quer dizer que precisamos "andar de qualquer jeito". A moda praia é bastante democrática, pois podemos abusar das cores, comprimento, formato e estampas. Um vestido longo florido, com uma rasteirinha e um lenço amarrado na cabeça, fica bastante estiloso. Os shortinhos são peças chave nesta época, pois combinam com tudo. Nos pés, sempre usar rasteirinhas e, no máximo, uma sandália anabela. Ah, os biquínis ou maiôs também podem se tornar peças bacanas para compor o seu look. Uma saída combinando com o biquíni, por exemplo, pode ser o seu look para almoço na praia. Usem a criatividade e abusem dos acessórios. Não se esqueçam do chapéu. Já para os homens, se antes era fácil, agora então nem se fala. Homens devem optar por bermudas e camisetas leves. Alguns gostam de ousar usando cores como rosa, amarelo, azul ou verde e as bermudas também podem ser estampadas. Vejam alguns looks para entender melhor essa tal de “Moda Praia”.

REPRODUÇÃO

REPRODUÇÃO

FITNESS ACADEMIA

9988-6400


12 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

Mosaico IVANA DIAS ivana-dias@hotmail.com

Aniversário FOTOS: ARQUIVO SOCIAL

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Inauguração

Rodrigo, Ricardo, Thaís, Naldomar e Benê, Humberto Santa Cruz, Maira de Andrada e Dom Josafá Com 74 anos de trabalho no setor de materiais de construção em Barreiras, a família Campos inaugurou no último dia 22 de janeiro, mais um empreendimento na cidade de Luís Eduardo Magalhães. Os empreendedores receberam as boas vindas do prefeito Humberto Santa Cruz e da primeira dama, Maira de Andrada. Dom Josafá Menezes fez a benção.

A comemoração dos 102 anos de Corsino Almeida foi realizada no dia 6 janeiro, com a celebração de uma missa na Igreja Santa Terezinha. Logo após, filhos, netos e bisnetos reuniram-se na residência do patriarca.

INFORME PUBLICITÁRIO


Jornal do S達o Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

13


14 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

LABORATÓRIO CLÍNICO UMA EMPRESA DO GRUPO SANTA RITA

Há 15 anos serv • Análises Clínicas • Hormônios • Toxicologia • Biologia Molecular

• Citopatologia Geral • Anatomia Patológica • Teste de Paternidade • Teste do Pezinho

• Sexagem Fetal • Teste da Mamãe • Medicina Ocupacional • Check Up Laboratorial

CONVÊNIOS


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

15

SOMOS FILIADOS AO PROGRAMA

vindo você DESCONTOS ESPECIAIS PARA • INTERPLUS • PAI • PORTOMED • JEQUITI

• RAPIDEZ NA ENTREGA DOS RESULTADOS • PREÇOS ESPECIAIS PARA APOSENTADOS E EMPRESAS • RESULTADOS DOS EXAMES PELA INTERNET • COLETA EM DOMICÍLIO • ATENDEMOS NO HORÁRIO DE ALMOÇO

PNCQ

Programa Nacional de Controle de Qualidade

Barreiras-BA: Rua Café Filho, 210 Jd. Primavera (Próx. a Caixa e Bradesco) FONE: (77) 3611-6680 FAX: (77) 3612-8858 E-mail: labinvitro@hotmail.com

ATENDIDOS

FUSEx


16 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

JSFRURAL

Oeste deve produzir 8,7 milhões de toneladas em grãos e fibras O balanço de 2013 não foi positivo ao agronegócio da região devido à estiagem e problemas com a lagarta Helicoverpa, segundo o presidente da Aiba. Este ano, porém, o setor espera maior volume na produção REPRODUÇÃO

Cheilla Gobi

O

balanço de 2013 não foi positivo ao agronegócio do Oeste da Bahia devido à estiagem e problemas com a lagarta Helicoverpa - praga que na safra passada provocou prejuízos estimados em R$ 2 bilhões em lavouras da região. A avaliação é do presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Júlio Busato. Já para a safra de grãos e fibras de 2013/14, o setor se organiza para alcançar projeção de volume de 8,7 milhões de toneladas - alta percentual de 41,5% em relação ao ano anterior. “No Oeste da Bahia, 2013 não foi um ano bom para o agronegócio. Tivemos estiagem, além do problema com a lagarta Helicoverpa. Na safra 2011/12, tivemos 48 sacas de soja por hectare; em 2012/13, tivemos 35,7 sacas e, na safra 2013/14, estimamos 56 sacas por hectare. O cenário está propício para a recuperação da produtividade”, avalia Busato. Em relação à safra passada, o crescimento na área plantada de soja foi de 4,4%, que deverá ampliar a produção em 61,7%. Apesar da safra de soja ter sido iniciada com atraso devido à estiagem, o plantio da cultura atingiu 98%. A previsão foi feita pelo Conselho Técnico da Aiba, juntamente com entidades e empresas do setor, no último dia 19 de dezembro. Entre as culturas, o algodão teve sua área plantada reduzida na safra 2012/13. Com cerca de 70% do plantio executado, a cultura obteve um acréscimo de área de 20,3% na safra 2013/14. A previsão é de aumento na produção de aproximadamente 41,5%. Já a cultura do milho apresentou ampliação de área de 6,9% em relação à safra passada e espera-se aumento na produção de 31,6%. “Estamos com uma variação de 61% na soja, 41% no algodão e 31% no milho e os resultados nos serão dados se houver uma condição normal de clima e nós controlarmos a Helicoverpa”, garantiu o presidente da Aiba. O investimento pelos produtores em tecnologia agrícola de ponta, que possibilitou o desenvolvimento de diversas regiões, inclusive o Oeste, é apontado como o principal fator para a guinada no segmento. Mas este desempenho esbarra especialmente em um entrave que limita a competitividade do setor - as dificuldades de logística para o escoamento da safra. Busato destaca a necessidade urgente de melhorias das rodovias para o escoamento de grãos, a concretização da Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) e o Porto Sul. “Na verdade, o produtor do Oeste da

O setor se organiza para alcançar projeção de volume de 8,7 milhões de toneladas - alta percentual de 41,5% em relação ao ano anterior CHEILLA GOBI

destino. Portanto, a competividade é desleal e isso tem freado o nosso crescimento que poderia ser ainda maior. Vai fazer a diferença e dominar o mercado aquele que tiver a melhor logística”, evidencia. O presidente ressalta ainda que, em 2013, as dificuldades de logística foram acompanhadas por legislações severas,

que tornaram a mão-de-obra brasileira a menos competitiva do mundo. “Gostaríamos que o Ministério da Agricultura tivesse mais autonomia, fosse mais atuante e mais ágil na questão da Ferrovia e Porto Sul, além de tentar uma adaptação ou mudança na lei trabalhista - adequada ao campo”, finaliza. ■

Primeiro Levantamento Safra 2013/14 (dez-2013) Safra 2012/13 Safra 2013/14 Var. % Área (ha) Produtiv. Produção (t) Área (ha) Produtiv. Produção (t) Área Prod. (t) Soja 1.255.334 35,7 2.722.075,7 1.310.000 56,0 4.401.600,0 4,4 61,7 Algodão 253.493 228,0 872.661,0 304.831 270,0 1.234.565,6 20,3 41,5 Milho 248.000 130,0 1.968.900,0 265.000 163,0 2.591.700,0 6,9 31,6 Sub-Total 1.756.827 5.563.636,7 1.879.831 8.227.865,6 7,0 47,9 Feijão Pérola 9.797 50,0 29.391,0 9.797 50,0 29.391,0 - Café1 163.147 36,3 25.319,0 14.700 40,0 26.121,6 11,8 3,2 Outras Culturas 471.892 534.950,1 373.941 422.553,3 (20,8) (21,0) Sub-Total 494.836 589.660,1 398.438 478.065,9 (19,5) (18,9) Total- ha 2.251.663 6.153.296,8 2.278.269 8.705.931,5 1,2 41,5 Cultura

Presidente da Aiba, Júlio Busato

Bahia é referência mundial. Temos a melhor produtividade de algodão e soja e já estamos nos aproximando do milho também, mas enfrentamos muitas dificuldades, como estradas ruins, distância dos portos, filas enormes e o nosso produto demora muito tempo até chegar ao seu

*1: Café em Produção - 10.884 (ha); Café em formação e renovação 3.820 (ha) Base de Dados - Conselho Técnico da Aiba: Aiba, Abapa, Abacafé, Fundação BA, Sindicato Barreiras, Sindicato LEM, Aprosem, Aciagri, Cargill, Bunge, Cooproeste, CREA, IBGE, EBDA, Adab, Conab, BNB, BB, AEAB e AGROLEM.

Data: 19/12/2013 FONTE: AIBA


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

JSFRURAL

17

Bahia Farm Show vai ser ARQUIVO JSF

A décima edição da maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte-Nordeste do Brasil vai contar com programação diversificada e promete superar as expectativas Cheilla Gobi

C

onsiderada a maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte-Nordeste do Brasil, a Bahia Farm Show celebra neste ano uma data especial. A 10ª edição comemorativa, lançada em dezembro do ano passado, em Salvador, será realizada de 27 a 31 de maio deste ano, em Luís Eduardo Magalhães. Para esta edição, mais de 65 mil pessoas devem visitar a feira durante os cinco dias de evento e espera-se que o volume de negócios seja superior ao registrado no ano passado, que

Este ano, a área destinada à feira deverá ter um acréscimo de 20% foi de R$ 671 milhões. Fato que pode ser facilmente explicado, uma vez que 85% do espaço reservado aos expositores, já está praticamente todo comercializado. Também a área destinada à feira deverá ter um acréscimo de 20%. Para esta edição da feira, o presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Júlio Busato, antecipa a

apresentação da evolução das tecnologias voltadas ao setor produtivo. “Será uma oportunidade para o agricultor se informar e conhecer as novidades em tecnologia agrícola. Estamos torcendo para que seja um ano de chuvas e que tenhamos uma boa safra para que a feira supere os números de negócios. A expectativa é superar R$ 800 milhões. Estamos divulgan-

do em nível nacional para trazermos mais empresas do setor. Estamos com 85% dos lotes vendidos”, afirmou Busato. A Bahia Farm Show não para de crescer e de se transformar. De acordo com o coordenador da Bahia Farm Show, Thiago Pimenta, a feira deste ano trará novidades. Na área de infraestrutura, o complexo ganhará uma segunda entrada, uma nova praça e mais vagas de estacionamento, além de outra rua coberta. “Estamos sempre buscando melhorar a infraestrutura da feira. Nosso objetivo maior é oferecer conforto e comodidade aos expositores e visitantes”, disse. Na programação pela comemoração dos seus dez anos, a feira contará com homenagens aos povos sulistas, nordestinos e orientais, que fizeram do Oeste uma potência agrícola. Conforme antecipou o presidente da Aiba, este ano a feira contará com exposição fotográfica, apresentações folclóricas e comidas típicas de cada um destes povos. “É o nosso jeito de agradecer e homenagear. Esta será uma Bahia Farm Show inesquecível”, garantiu Busato. ■

Mais logística, modernização tecnológica e desenvolvimento socioeconômico e ambiental Em seu último ato, Salles assinou estatuto do Prodeagro e garantiu investimentos para a região Oeste Cheilla Gobi

E

m seu último ato oficial como titular da secretaria estadual da Agricultura, Eduardo Salles assinou no dia 17 de janeiro, em Barreiras, o estatuto do Fundo para o Desenvolvimento da Agropecuária da Bahia (Prodeagro) – fundo criado pelo governador Jaques Wagner através do Decreto 14.500/2013, que objetiva a melhoria da infraestrutura logística, modernização tecnológica e desenvolvimento socioeconômico e ambiental. O protocolo de assinatura foi realizado na presença dos presidentes da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Júlio Busato; da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Isabel da Cunha e, da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento do Oeste Baiano (Fundação Bahia), Ademar Marçal. O fundo terá suprimento de recursos financeiros através de crédito fiscal concedido às indústrias processadoras de soja, milho e café. As indústrias, ao receberem o crédito tributário, repassarão os valores automaticamente para o Fundo. “O dinheiro virá dos próprios produtores. O fundo tem a participação das secretarias de Agricultura e de Infraestrutura e deverá possuir programa que tenha como objetivo a realização de investimentos para o qual foi criado”, explicou o engenheiro agrônomo, Eduardo Salles. A criação do fundo, de acordo com Salles, concretizou um sonho antigo dos produtores da região e contou com o empenho

do atual presidente da Aiba, Júlio Busato, e dos antecessores Walter Horita e Humberto Santa Cruz, não esquecendo, ainda, em suas palavras, da sensibilidade do secretário de Infraestrutura e governador em exercício, Otto Alencar. “O fundo dará sustentabilidade para o Oeste da Bahia – um projeto que há dez anos vem sendo planejado e trabalhado”, disse. O secretário destacou ainda, em ocasião do evento “Manhã de Formação” para agricultores familiares no dia 18 de janeiro, em Barreiras, que o fundo servirá para pesquisas agropecuárias e vai permitir a melhoria das estradas vicinais para o escoamento da produção do Oeste. Na oportunidade, Salles destacou o seu papel na defesa da agropecuária na Bahia e garantiu dar continui-

dade a este trabalho. “Lutei a cada minuto durante estes três anos e meio enquanto secretário, um trabalho em conjunto. Não vou perder nunca a defesa incondicional da agropecuária na Bahia”, assegurou. Segundo informações da assessoria da Seagri, os recursos serão relevantes para a realização de pesquisas com relação à Helicoverpa Armígera - praga que atacou diferentes plantações em diversos Estados do País, inclusive a Bahia, trazendo prejuízos às culturas de milho, soja, algodão, mamona e até o feijão, na ordem de mais de R$ 2 bilhões, somente no Oeste baiano. Para o presidente da Aiba, Júlio Busato, o fundo será de fundamental importância para o desenvolvimento de projetos importantes para o agronegócio,

para melhorar a logística e para facilitar o escoamento da produção. Nas palavras da presidente da Abapa, Isabel da Cunha, a criação do fundo pode ser considerada uma das mais importantes conquistas dos últimos tempos. “É um grande avanço ter a iniciativa privada e o governo juntos para a gestão de um fundo com o objetivo de trazer benefícios e melhorias para o setor”, destacou. No dia 20 de janeiro último, o governador em exercício e secretário de Infraestrutura, Otto Alencar, durante a solenidade de transmissão de cargo ao novo secretário de Agricultura, Jairo Carneiro, deu posse aos membros do Conselho do fundo, colocando-o em operação. Salles deixa o cargo para concorrer a uma cadeira na Assembleia. ■ ASCOM/AIBA

O protocolo de assinatura foi realizado na presença dos presidentes da Aiba, Abapa e Fundação Bahia


18 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

JSFRURAL

Agriculturas empresarial e familiar somam forças contra a Helicoverpa A praga que causou prejuízos da ordem de R$ 2 bilhões ao setor rural do Oeste baiano, agora tem mais um inimigo. Pequenos produtores conheceram as ações do Programa Fitossanitário e, também, aprenderam a identificar, monitorar e combater a lagarta FOTOS: VIRGÍLIA VIEIRA

Agricultores familiares de vários municípios da região participaram da Manhã de Formação – encontro que teve por objetivo, a apresentação das ações do Programa Fitossanitário Cheilla Gobi

D

o pequeno ao grande produtor, a lagarta Helicoverpa Armígera ainda preocupa no Oeste da Bahia. Por esta razão, agricultores familiares de vários municípios da região participaram da Manhã de Formação – encontro realizado no dia 18 de janeiro e que teve por objetivo, a apresentação das ações do Programa Fitossanitário. Na oportunidade, produtores aprenderam estratégias de como identificar, monitorar e combater a praga, controle biológico e as ações do Governo do Estado. O evento promovido pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), foi realizado no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Estância do Rio Grande, em Barreiras. Na abertura, o presidente da Aiba, Júlio Busato, justificou a importância da realização do evento, ressaltando os índices da baixa produção da região na última safra e de como a entidade, em parceria com o Estado, criou o Programa Fitossanitário, que servirá de modelo para todo o território nacional. De acordo com dados da associação, o Produto Interno Bruto (PIB) do Oeste é de R$ 8 bilhões e os prejuízos em virtude do ataque da praga chegaram a R$ 2 bilhões. “Este encontro demonstra a preocupa-

ção de todos. Mas quem é esta praga, afinal? Na safra 2011/12, algumas fazendas da região reportaram o conhecimento de uma lagarta de difícil controle. Na safra passada atacou de forma inadmissível, causando um prejuízo de quase R$ 2 bilhões no Oeste. Infelizmente, a Helicoverpa está atacando diferentes culturas. Somente com um trabalho imediato e com a união de todos – pequenos, médios ou grandes produtores - venceremos este desafio”, destacou. Também presente, a presidente da Abapa, Isabel da Cunha, frisou a importância dos agricultores familiares neste processo. “Não mediremos esforços para orientar e auxiliar os agricultores que lutam diariamente para produzir, gerar emprego e renda e trazer desenvolvimento para a Bahia e para o Brasil”, disse. O ciclo de palestras teve início com o presidente da Associação de Engenheiros Agrônomos de Barreiras e membro do Conselho Técnico da Aiba, engenheiro agrônomo Adriano Lupinacci, que falou sobre identificação e monitoramento da lagarta. De acordo com Lupinacci, a praga - uma espécie de mariposa trazida do exterior e que já causou

significativos prejuízos - está presente em 11 estados do Brasil e representa uma série de dificuldades de controle. Isso porque, segundo o agrônomo, o ciclo de vida da praga tem início na postura dos ovos. A mariposa pode colocar cerca de mil ovos por postura. De cada ovo sairá uma lagarta que, na segunda fase do ciclo, se transformará novamente em mariposa. A lagarta costuma se alimentar de plântulas, folhas, flores e frutos, com preferência para a parte reprodutiva da planta. “Este é um problema de toda a sociedade brasileira. Os pequenos produtores não estão isentos e, infelizmente, somente com inseticidas não vamos controlar esta praga que ataca diversas culturas. É preciso um conjunto de práticas”, disse, relembrando ainda durante a apresentação do Programa que o objetivo é fazer o monitoramento, acompanhamento e controle para que todas as medidas sejam tomadas adequadamente. O que precisa ser feito De acordo com o agrônomo, primeiramente é preciso conhecer a lagarta e as culturas que podem ser afetadas; adotar o Manejo Integrado de Pragas (MIP) de forma coletiva e duradoura e, executar, de maneira integrada, os pilares básicos durante o manejo, tais como: controle cultural, biológico, controle com Organismo Geneticamente Modificado (OGM) e o controle químico. Lupinacci alerta ainda sobre a importância do monitoramento das lavouras para identificar a presença da praga e o índice de infestação. “O com-

bate eficiente da Helicoverpa se dá na fase inicial da praga, quando a lagarta ainda está pequena, não ultrapassando os sete milímetros de comprimento. A partir deste tamanho, o controle fica pouco efetivo em lagartas com comprimento acima de três centímetros”, afirmou Lupinacci, lembrando que o uso de armadilhas luminosas ou com feromônios podem contribuir para monitorar a praga. Para o agrônomo e coordenador técnico do Programa Fitossanitário, Celito Breda, há a necessidade de um manejo associado, desde o controle químico com pesticidas até o controle biológico através de vírus, bactérias, vespas e inimigos naturais. Segundo ele, no caso do agricultor familiar, o melhor método para controlar a Helicoverpa é o uso de vírus e vespas (Trichograma). “Diante da angústia do produtor perante uma praga que não estava sendo combatida de forma eficiente apenas com o controle químico, fomos atrás de outras ferramentas. No controle biológico tivemos a grata surpresa para esta praga, no domínio através de vespinha, no qual tivemos índices de até 90% de controle dos ovos. A vespinha vai ajudar muito os agricultores familiares desta região”, frisou. Em caso de tempo chuvoso, Celito Breda orientou o uso de inseticida à base de Bt, que são bactérias auxiliares no controle desta praga. De acordo com o CONTINUA NA PÁGINA 20


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

19

INFORME PUBLICITÁRIO

Contador responsável

Vandson Barbosa Pamplona Especialista em

Administração Financeira e Controladoria

A

Consult Contabilidade é uma empresa de consultoria e assessoria contábil que oferece um novo conceito na prestação de serviços contábeis direcionado às necessidades da sua empresa. Além da contabilidade tradicional aplicada aos seus clientes, aplica criterioso planejamento tributário para evitar passivos tributários e garantir economia tributária com redução de impostos amparada pela legislação vigente. Dando grande atenção aos custos sociais e trabalhistas, não se limita a simples elaboração de folha de pagamento, fazendo um minucioso acompanhamento da legislação trabalhista e previdenciária sempre à procura de meios legais que permitam reduzir esses custos. Dando grande importância ao controle de pendências tributárias, todo mês é feita a emissão das certidões públicas de todos os clientes, as quais, além de indicar possíveis pendências tributárias, as mesmas são disponibilizadas no escritório virtual Consult Contabilidade web, o qual o cliente tem acesso através de senha. No que se refere às inovações tecnológicas aplicadas pelo governo na fiscalização e apuração de impostos, a Consult tem uma equipe capacitada e alta tecnologia para dar suporte dentro da empresa, permitindo que as obrigações da era digital dos fiscos sejam devidamente atendidas. Tudo isso e muito mais é oferecido aos clientes com a preocupação e compromisso de fazer com que a contabilidade seja uma ferramenta gerencial para tomada de decisões. CONSULT CONTABILIDADE é uma empresa que está sempre inovando e capacitando a sua equipe, sob a gestão e responsabilidade do contador Vandson Barbosa Pamplona, com a colaboração dos contadores Carlos Augusto Castro da Fonseca e Luciana de Cássia Lima Pamplona.

Rua Barão de Cotegipe, nº 147 - Centro - Barreiras/BA - CEP 47805-020 - Fone: (77) 3612-8090 / 3611-6608


20 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013 coordenador técnico do Programa Fitossanitário, a utilização destas ferramentas é criteriosa e precisa da orientação de técnicos experientes. “Como aplicar é algo bastante técnico, não é tão fácil como o controle químico, por isso precisamos dar este suporte aos agricultores familiares. Colocamo-nos à disposição dos agricultores do Vale para ministrar cursos e treinamentos”, disse. Orientações aos produtores Os produtores presentes aproveitaram para esclarecer suas dúvidas acerca do controle biológico. Sobre o uso de vespas, o agricultor Inácio da Silva, do município de Luís Eduardo Magalhães, buscou informações sobre onde encontrar o inseto e como utilizá-lo. Breda explicou que as vespas podem ser adquiridas nas revendas e que o custo varia de R$ 35 a R$ 50 por aplicação. Cada aplicação “inundará” a lavoura com cerca de 100 mil vespinhas que vão parasitar os ovos das lagartas e

Jornal do São Francisco

JSFRURAL promover um controle de 50 a 90%. Na oportunidade, Breda anunciou que a partir de 2015, a Fundação Bahia vai passar a produzir vespas em grande escala. O agricultor familiar José Alberoni, do Assentamento Oscar Niemeyer, município de São Desidério, ficou surpreso com as orientações. “Eu já tinha ouvido falar da lagarta, mas não sabia como identificá-la. Confesso que aprendi muito neste encontro e, a partir de agora, munidos de novos conhecimentos, ficaremos atentos e vamos trabalhar em conjunto, buscando o controle desta praga”, avaliou. Sobre o desempenho do Governo do Estado diante desta situação, o agrônomo e ex-secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles,

Faeb apresentará plano de agropecuária Ivana Dias com informações Faeb

A

Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb) apresentará a proposta do plano de governo da agropecuária a todos os pré-candidatos ao governo da Bahia. O projeto será elaborado pelo ex-secretário Estadual da Agricultura, Eduardo Salles, que foi contratado para coordenar a comissão criada. “Salles foi convidado com este objetivo em função do trabalho importante realizado por ele à frente da Seagri e por ser uma pessoa da área, com experiência e amplo conhecimento da agropecuária baiana”, disse o presidente da Faeb, João Martins. Além do convite da Faeb, o ex-secretário foi convidado, ainda, pela Associação Comercial da Bahia (ACB), para coordenar a Comissão de Agropecuária. A entidade também deverá discutir políticas públicas e ações de governo para o setor de agropecuária com os candidatos. “Como secretário, iniciamos a estruturação do setor, criando 24 câmaras setoriais, encarregadas de elaborar planos estratégicos para os próximos 20 anos. Além disso, durante os últimos três anos, estive em 302 municípios e verifiquei in loco os problemas e demandas dos pequenos, médios e grandes produtores. Considero ter o preparo necessário para contribuir para a elaboração do plano de governo que o setor necessita”, disse. De acordo com Salles, a agropecuária baiana é muito importante para o desenvolvimento do Estado, sendo responsável por 24% do PIB estadual, além de gerar 30% dos empregos e 42% das exportações. “A Bahia concentra o maior contingente da agricultura familiar do País, com 665 mil famílias e, além disso, 30% da população do Estado está no campo. Com essa dimensão, a agropecuária merece prioridade e atenção especial”, concluiu. Eduardo Salles é engenheiro agrônomo de formação e no mês de janeiro deste ano deixou a Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri) para se candidatar a deputado estadual. ■

falou das ações no combate à lagarta e parabenizou pela iniciativa na realização do evento. “Um encontro de formação de agricultores familiares desmistifica a indiferença existente entre agricultura empresarial e agricultura familiar. É importante saber que a Helicoverpa veio para acabar com diversas culturas, não importa se é pequena ou grande produção e, talvez, esta praga penalize mais o agricultor familiar do que o empresarial. Está na hora de unirmos forças. Os organizadores do evento estão de parabéns por entenderem a importância desta união para resolver um problema em prol de toda a região”, disse. O evento contou com a participação do deputado federal, Oziel Oliveira, do presidente da União dos Municípios do Oeste da Bahia (UMOB), Humberto Santa Cruz, de secretários de Agricultura dos municípios de Barreiras, Luís Eduardo e São Desidério e de vereadores de Barreiras. ■

EDITAIS

PEDIDO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO CANDINHEIRO INDÚSTRIA, COMÉRCIO E EXPORTAÇÃO LTDA, inscrita no CNPJ: 02.097.552/0001-95 torna público que está requerendo ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - INEMA a Licença para fabricação de óleo vegetal em bruto e adubo simples extraídos da mamona, localizada na AV. Vicente Cristo, nº 681 no bairro de Planaltina no município de Iuiu - Bahia.

Responsável Técnico: Ariston Neves Santos Júnior Eng. Agrônomo: CREA: 19.032/D

POLÍTICA AMBIENTAL A Candinheiro Indústria Comercio e Exportação LTDA, inscrita no CNPJ: 02.097.552/0001-95, situada na AV. Vicente Cristo, nº 681 no bairro de Planaltina, município de Iuiu – Bahia, na busca da melhoria contínua das ações voltadas para o meio ambiente, assegura que está comprometida em. • Promover o desenvolvimento sustentável, protegendo o meio ambiente através da prevenção da poluição, administrando os impactos ambientais de forma a torná-los compatíveis com a preservação das condições necessárias à vida; • Atender à legislação ambiental vigente aplicável e demais requisitos subscritos pela organização; • Promover a melhoria contínua em meio ambiente através de sistema de gestão estruturado que controla e avalia as atividades, produtos e serviços, bem como estabelece e revisa seus objetivos e metas ambientais; • Garantir transparência nas atividades e ações da empresa, disponibilizando as partes interessadas informações sobre seu desempenho em meio ambiente; • Praticar a reciclagem e o reuso das águas do processo produtivo, contribuindo com a redução dos impactos ambientais através do uso racional dos recursos naturais; • Promover a conscientização e o envolvimento de seus colaboradores, para que atuem de forma responsável e ambientalmente correta;

A DIREÇÃO

Quase um século de litígio Produtores acusam polícia goiana de intimidar trabalhadores que realizavam o plantio em fazenda localizada no município de Jaborandi, próxima à área do conflito Virgília Vieira

A

briga judicial em que os Estados da Bahia, do Goiás, do Tocantins e do Piauí pleiteiam a determinação e demarcação de terra vem tirando o sono de muitos produtores rurais do Oeste da Bahia. Recentemente o Jornal do São Francisco foi procurado por produtores que afirmam terem sido alvos de policiais civis fardados do Estado do Goiás. De acordo com os agricultores, que preferiram não ser identificados, no dia 21 de novembro do ano passado, policiais tentaram intimidar trabalhadores que realizavam o plantio em uma fazenda de propriedade privada, localizada no município de Jaborandi. Com esta ação, o receio dos trabalhadores e dos proprietários das terras é de que possa haver nova invasão, não só pela Polícia Civil de Goiás, mas por milícia armada, como aconteceu em 2012, conforme aponta o boletim de ocorrência nº179/2012. Na oportunidade, a invasão da propriedade foi feita por homens armados que trocaram tiros com a Polícia Militar do Estado da Bahia, resultando em duas mortes. Segundo os produtores, o medo de novos conflitos é constante, principalmente com o início da colheita se aproximando. No relato feito ao JSF, os empresários contaram que os policiais ameaçaram retornar no momento da colheita, deixando claro que “os trabalhadores estavam plantando, mas não iriam colher”. O Litígio Em primeira mão, o Jornal do São Francisco noticiou na edição 114, a possibilidade de a Bahia perder as suas terras em um litígio envolvendo os Estados do Goiás, do Tocantins, de Minas Gerais e do Piauí, que reivindicavam uma fatia considerável – em torno de um milhão de hectares - do território baiano, na região da Serra Geral, Garganta e Rosário, região com alta produtividade nas culturas de soja, milho e algodão. A Ação Constitucional 347 tramita no Supremo Tribunal Federal desde 1986, mas a disputa territorial tem origem no ano de 1919 e inclui hoje os Estados do Piauí e do Goiás. Em 2013, os Estados de Minas Gerais e do Tocantins entraram em acordo junto ao Estado da Bahia. As terras em litígio situam-se na região do município de Luís Eduardo Magalhães, opondo, como fundamento principal, as fronteiras traçadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e aquelas definidas por um parecer do Serviço Geográfico do Exército Brasileiro. Atualmente considera-se como limite a escarpa da Serra Geral. ■


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

CLASSIFICADOS

COMPRA E VENDA DE IMÓVEIS TIAGO THOMAS CAZUNI PADILHA VENDAS Morada Nobre 149 - Cobertura Prédio Érico Veríssimo, primeiro piso, cozinha, área de serviço, sala de jantar, sala de estar, 2 suítes, lavabo, segundo piso, Suíte master com dois banheiros, área de lazer com churrasqueira e banheira de hidromassagem de 6 lugares, todo documentado. Duas vagas de garagem, 230 metros de área privativa. Playground com piscina, quadra poliesportiva. Salão de festas. Valor R$ 1.300.000,00. RENATO GONçALVES 111 - Uma casa situada na Rua Aratu (ao lado do Fórum antigo), com dois quartos, uma suíte master com banheira e closet, sala de tv, sala-jantar, cozinha, lavabo, adega, canil, dependência de empregada, garagem para quatro carros, área de lazer/churrasco, piscina. Documentação toda pronta para financiamento. VALOR600.000,00. 122 - Apartamentos residenciais, com três suítes, sala

dois ambientes, varanda com exaustor para churrasqueira, ampla copa-cozinha, dep. de empregada e garagem para dois carros. Com toda a infraestrutura. Valor: A consultar. MORADA DA LUA 144 - Uma casa com três quartos sendo uma suíte, duas salas, cozinha, banheiro social, garagem e área de serviço. Documentação para financiar, mas não pelo Minha Casa Minha Vida. Valor R$ 90.000,00. MEGA OPORTUNIDADE 148 - Um lindo sobrado, com 288m² construídos em um lote de 12x30, sendo quatro quartos, uma suite, três banheiros, dependência, despensa, área de serviço, mezanino, armários embutidos, esquadrias de alumínio e portas de madeira, jardim, garagem para quatro carros, toda documentada para financiamento. Valor: R$ 590.000,00. LOTO SÃO PAULO 126 - Um sobrado com 227m² construídos, sendo primeiro piso, duas salas comerciais, com banheiro, segundo piso, com três quartos, sendo um suíte, sala, cozinha, área de

serviço, sacada, garagem para 4 carros, lote 360m², todo reformado. Valor R$ 450.000,00. 165 - Uma casa 3/4, 1 suíte, sala, cozinha, área de serviço, área de lazer, piscina e garagem para 3 carros. Valor sob consulta. BOA VISTA 136 - Uma casa de 198 m², em um lote de 300m² (10x30), com três quartos, sendo um suíte, sala, banheiro social, cozinha, área de serviço e despensa, garagem para três carros. Aceita permuta com carro ou caminhão. Valor R$ 330.000,00. JARDIM OURO BRANCO 145 - Um lote no Jardim Ouro Branco, com 14 x 30 com 420m², documentado, parte alta da cidade, com belíssima vista. Valor R$ 200.000,00. 150 - Sobrado em um lote de 8x25, com aproximadamente 140m², com quatro quartos, sendo 3 suítes, cozinha, duas salas, área de serviço, garagem para dois carros, piscina e churrasqueiras. Valor R$ 350.000.00.

SAÍDA P/ SÃO DESIDÉRIO 147 - Vende-se uma churrascaria completa, funcionando, e uma loja de conveniência, excelente localização. Saída para São Desidério. Valor: a combinar. MORADA NOBRE 152 - Uma casa com 230m², com 3/4, sendo duas suítes, duas salas, cozinha planejada, área de serviço, escritório, piscina com cascata, toda no porcelanato, lote de 12x30, garagem para três carros. Valor R$ 640.000,00. 153 - Dois lotes de uma rua a outra, nos fundos da AABB, totalizando 817m². Valor R$ 330.000,00. 166 - Vende-se dois lotes no Morada Nobre, 1º Lote medindo 12x27m, 2º Lote medindo 15x23m. Valor R$ 120.000,00 CADA. PRAINHA / UFBA 155 - Um lote de 3600m², com asfalto na frente, energia, água, próximo à UFBA. Valor-R$ 140,00 o m2..

CRECI - 14.364

156 - Um lote com frente para o asfalto, com 2400m², com uma casa, com 2 quartos, sala, cozinha, banheiro, varanda, área de serviço, totalizando 80m² construídos. Valor R$ 250.000,00.

OPORTUNIDADE

157 - Uma área de 30.000 m2, com energia, frente para o asfalto, fundos com Rio Grande, em frente a ABA, toda documentada, com IPTU em dia,. Valor R$ 65,00 o m2. Ótimo para loteamento ou condomínio. Aceita carro, outro imóvel rural ou urbano. VILA REGINA 158 - Vende-se residência de dois pavimentos, com área de 420 m2, composta de parte térrea com 03 suítes, sala com 03 ambientes, escritório, área externa de lazer com churrasqueira, banheiro e piscina, cozinha ampla, área de serviço com depósito e dependência, garagem para 03 carros; Parte superior climatizada, com sala home theater, sala íntima, sala de jogos com mesa de sinuca profissional e academia. Valor sob Consulta.

21

Rua 24 de outubro Nº59- Centro- Barreiras-Ba Fones: (077) 3612-2421 / 9191-2276 Compra e venda: Lotes urbanos, casas, chácaras, fazendas. Aluguéis: Casas e pontos comerciais www.imobiliariafragatta.com.br RECANTO DOS PÁSSAROS 159- Um terreno nos fundos da Coopeb, totalizando 12823 m². Com fácil acesso, excelente para condomínio residencial, prédio etc. Valor R$ 3.300.000,00.

ALUGA SAÍDA P/ SALVADOR 503 - Um barracão na saída para Salvador, em frente a BR 020, com 15 metros de largura por 30 de comprimento, precisa de reforma, mas dono aceita negociar. Valor R$ 7.000,00.

IMÓVEIS RURAIS 1000 - Uma fazenda a 60 km de LEM, sentido Roda Velha, com 4.600 hectares, sendo 3.300 de lavoura, com armazém, silo e sede. Valor- 400 sacas de soja por hectare em 1+4. 1001 - Uma fazenda em Roda Velha, com 4 mil hectares, sendo 2.300 de lavoura, sendo 400 hectares irrigados, com outorga para mais 6 pi-

vôs (600 hectares). Valor R$ 30.000.000,00 em 1+2. 1002 - Uma fazenda no Anel da Soja, com 6.500 hectares, sendo 4 mil hectares de lavoura. Valor 300 sacas de soja por hectare em 1+4. 1003 - Uma fazenda em Placas, com 2.200 hectares, sendo 1.900 de lavoura. Valor 350 sacas de soja por hectare em 1+1. 1004 - Uma fazenda na BR 242, entre Barreiras e LEM, com 3000 hectares, sendo 2400 ha abertos. Valor 600.000 sacas de soja em 1+9. 1008 - Uma fazenda na Coaceral com 7.300 hectares, sendo 5.300 abertos. Valor 180 sacas de soja por ha em 1+4. 1009 - Uma fazenda de 6.700 ha com 4000 ha de lavoura no Município de São Desidério. Valor 300 sacas de soja por ha em 1+5. 1011 - Uma fazenda de 35.000 hectares na Coaceral. Valor 120 sacas de soja por hectare em 1+3.

1012 - Uma fazenda no Linha Alto Horizonte, com 2500 hectares, sendo 1100 de lavoura, 600 ha de capim, dois poços artesianos, 2 casas e galpão. 1013 - Uma fazenda no Novo Paraná com 620 hectares sendo 500 ha de lavoura, casa, poço e galpão. 1014 - Uma fazenda de 1000 hectares com 770 ha de lavoura na estrada de Taguatinga. Valor R$ 18.000.000,00 à vista. 1015 - Uma fazenda em Barreiras com 7200 hectares, com 3000 ha de eucalipto plantados entre 2 a 5 anos de plantio. Valor- R$ 100.000.000,00 - prazo a combinar. 1020 - Fazenda a mais ou menos 70 km de LEM, com 1830 ha com 1350 ha de lavoura velha. Valor: 640 mil sacas de soja, 1 entrada mais 4 prestações anuais. 1021 - Fazenda a mais ou menos 50 km de LEM, na linha Timbaúba com 975 ha, com 750 ha de lavoura velha. Valor: 350 mil sacas de soja. Entrada mais 4 pagamentos anuais.

OPORTUNIDADE ÚNICA FE R R A M E N TA S ● LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ● ATENDIMENTO DE GARANTIA ● VENDA DE MÁQUINAS ● ASSISTÊNCIA TÉCNICA ● VENDA DE PEÇAS

X A F / E N O F AUR A U R

A ELIN

R

BAR

37 OS,

0 8 8 4 1 1 6 3 77

S/BA

ND – SA

RA R

A EGIN

IRA RRE

EXCELENTE FAZENDA DE 1.500 HECTARES, DISTANTE 20km DO CENTRO DE BARREIRAS, NA BEIRA DO ASFALTO, PLANA, DOCUMENTAÇÃO OK, GEORREFERENCIADA, CERTIFICADA PELO INCRA, COM AUTORIZAÇÃO PARA DESMATAMENTO IMEDIATO. VALOR POR HECTARE/R$ 2.700,00. PARCELAMOS EM PAGAMENTOS ANUAIS.

- BA

VENDE-SE 23 CARTEIRAS ESCOLARES, ESCRIVANIA E PROJETOR DE SLIDE. CONTATO : CHAGAS ADVOCACIA

(77) 3611 5988 RUA DOM PEDRO I , 402 A, 1º ANDAR, EM FRENTE AO COLÉGIO HERCULANO FARIA.

TINTAS {

IMOBILIÁRIAS AUTOMOTIVAS SERIGRÁFICAS Fone: (77) 3611.4310/3611.8176 - Fax: (77) 3611.4038 Rua Aurelina Barros, 57 - Jardim Ouro Branco - Barreiras/BA (logo atrás da CDL)


Jornal do São Francisco

região

REPRODUÇÃO

22 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Autoescolas enfrentam dificuldades para oferecer o simulador de direção Lei entrou em vigor no dia 1o de janeiro deste ano, mas Centros de Formação de Condutores do Oeste ainda não compraram o equipamento e reclamam do curto prazo para se adequar à Resolução Cheilla Gobi

D

esde o dia 1º de janeiro de 2014, a Resolução 444/2013, que determina o uso dos simuladores nos Centros de Formação de Condutores (CFCs) está valendo, mas ainda não foi aderida pela maioria das autoescolas no Brasil. Das 328 CFCs da Bahia, sendo 63 na capital e as demais no interior do Estado, nenhuma está adequada à nova exigência. É o caso, também, das autoescolas da região Oeste. Para o presidente do Sindicato de Autoescolas da Bahia (Sindauto Bahia), Abelardo Filho, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) agiu com irresponsabilidade, esquecendo-se da principal peça - o usuário. Em sua opinião, antes de aplicar a legislação, o Contran deveria ter feito um projeto, realizado testes com os Estados para conhecer a realidade de cada um e ter promovido audiências públicas, mas nada disso aconteceu. “Ainda há muitos questionamentos a serem respondidos. Tudo isso é importante saber antes de se aplicar a legislação”, afirmou o presidente, que não se diz contrário à resolução, mas considera importante a discussão de formas de atender a exigência. Dentre os motivos para o impasse, estão: o valor do equipamento, que custa em média R$ 40 mil. O segundo é a mensalidade para a manutenção, que é de aproximadamente R$ 2 mil por mês e, também, a grande demanda para apenas quatro fabricantes do produto no País. O consumidor, por sua vez, também vai pagar mais, uma vez que as autoescolas devem repassar este aumento no preço da habilitação, que deve subir até 20%. Antes desta exigência, de acordo com a Federação Nacional das Autoescolas (Feneauto), o interessado em obter a permissão para dirigir tinha que

desembolsar, em média, R$ 1,2 mil. Com a alteração, este valor subirá até R$ 250. O cidadão somente deverá pagar pelas atividades no simulador quando estas aulas forem prestadas. A norma é válida apenas para a categoria B (habilitação para automóvel). As aulas, de 30 minutos cada, devem ser feitas obrigatoriamente antes do início da parte prática. As atividades no simulador não diminuem o número mínimo de aulas práticas exigidas: 20 aulas de 50 minutos. As aulas simuladas também não têm caráter eliminatório. No Oeste O coordenador da 10ª Circunscrição Regional de Trânsito (CIRETRAN), Getúlio Reis, explica que o uso do simulador já deveria ter começado em junho de 2013, mas o prazo foi prorrogado até 31 de dezembro do ano passado e, agora, segundo informações extraoficiais, o prazo é de 90 a 120 dias, dando mais tempo para as autoescolas adquirirem o aparelho. De acordo com o novo prazo, as autoescolas teriam até abril deste ano para se adequar. “A fiscalização será feita pelo Detran como já acontece -, para armazenamento das imagens das aulas no simulador. Essas informações serão enviadas automaticamente para o órgão responsável (Detran)”, acrescenta. Para Reis, o aparelho é de fundamental importância para os iniciantes, haja vista o índice alarmante de acidentes na região Oeste. “O simulador vai inibir, em média, de 40 a 50% dos acidentes atuais”, disse o coordenador da 10ª Ciretran. No Oeste da Bahia, as autoescolas estão enfrentando dificuldades para se adequar à exigência. A diretora geral de uma autoescola no município de Luís Eduardo Magalhães, Nadyane Lopes, diz que está

adotando as providências necessárias para respeitar a resolução, mas justifica que o prazo para aquisição do equipamento - de valor significativo – não é suficiente. “Sabemos da importância do equipamento, mas não está sendo nada fácil adquiri-lo, devido ao seu alto preço. Mas vamos fazer o possível para cumprir as exigências”, garantiu. O responsável pelo setor de teoria e prática de uma autoescola de Barreiras, Carlos Alves, disse que sua autoescola está na mesma situação - tentando aderir ao simulador, mas com dúvidas sobre a efetividade da Lei. A preocupação do empresário barreirense é ressaltada também pelo presidente da Sindauto/Bahia, Abelardo Filho. “As dificuldades das autoescolas em implantar o sistema, também são problemas para os Detrans por serem órgãos executivos. Dessa forma, o sindicato tem promovido o diálogo, como forma de resolver a situação”, disse, destacando ainda precisar de, no mínimo, dois anos para a adequação da exigência. A versão dos fabricantes Segundo o gerente da Real Simuladores, Flávio Vicente, que responde por uma das fábricas homologadas pelo Detran para a produção do equipamento, a demanda é grande, mas o caos se instalou porque os CFCs resolveram aderir ao simulador na última hora. Segundo ele, o prazo para a entrega do simulador é de 45 a 90 dias. São produzidos 16 simuladores diariamente. Em 2013, a Real Simuladores produziu apenas 80 aparelhos. O sócio fundador da Realdrive Simuladores, Alencar Bossoni, afirma que até dezembro do ano passado, a empresa só havia feito orçamentos, mas não fechou nenhum negócio. ■

Como funciona um simulador primeiro momento, o simulador Naula,olembra um jogo virtual e, a cada o aluno vê o nível de dificuldade aumentar. A simulação começa com conceitos básicos e vai incorporando situações de adversidade, como trafegar em vias de grande movimento, em pista escorregadia ou sob neblina intensa. O aparelho também pode simular situações à noite, sob chuva, em rodovias e estradas de terra. A proposta do equipamento é oferecer mais segurança ao aluno. Assim, nos trechos do percurso onde apontar mais dificuldade, o aprendiz poderá refazer as aulas. Terminadas as aulas, um relatório é gerado com foto, biometria do candidato e desempenho - velocidades desenvolvidas, acelerações, freadas, troca de marchas, velocidade média, número de vezes em que o motor “morreu”, dentre outras situações. E tudo é arquivado e fiscalizado pelo Detran. O equipamento também permite testes e adaptações para portadores de necessidades especiais e pode ser usado no combate a traumas, por quem tem medo de dirigir.


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

região

23

Segurança pública em debate Efetivo reduzido, pagamentos individualizados a policiais, roubos de cargas agrícolas, tráfico de drogas, aumento de furtos e outros crimes foram queixas relatadas na primeira reunião itinerante da Umob Virgília Vieira

A

União dos Municípios do Oeste da Bahia (Umob) reuniu prefeitos da região no dia 21 de janeiro, na Câmara de Vereadores de Cotegipe, distante 102 km de Barreiras, para a primeira reunião ordinária itinerante. A falta de segurança nos municípios foi o tema mais debatido entre os gestores, que aproveitaram a presença dos representantes do Comando da Polícia Militar da Bahia para reivindicar mais apoio e solicitar esclarecimentos. Estiveram presentes 13 prefeitos da região, sendo eles: Angical, Barra, Baianópolis, Catolândia, Cotegipe, Cristópolis, São Desidério, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves, Wanderley, Mansidão, Muquém do São Francisco e Formosa do Rio Preto, além de populares. Em seu pronunciamento, o prefeito anfitrião, Marcelo Mariani, ressaltou o trabalho da Umob em prol do desenvolvimento da região e justificou a escolha do tema segurança pública. “Esta é uma grande oportunidade de debatermos um assunto de grande urgência. Temos passado por vários problemas, mas o que incomodou neste ano que passou foi à segurança precária, por isso propus o debate. Com o apoio da Umob, conseguimos unir forças e levar as demandas e necessidades da região Oeste para o Estado com mais facilidade”, disse. O presidente da Umob e prefeito de Luís Eduardo Magalhães, Humberto Santa Cruz, também destacou a impor-

tância do tema proposto pelo prefeito de Cotegipe e aceito por unanimidade pelos prefeitos. “A situação da segurança de todos os municípios que fazem parte da Umob é crítica, os municípios tiram dos cofres públicos muito dinheiro para arcar com responsabilidades que seriam do Estado. Nosso pedido de socorro é pela melhoria na atuação das polícias Civil e Militar”, frisou Santa Cruz, dirigindo-se ao Comandante-geral, Coronel Alfredo Castro. Queixas e suborno Durante o debate, todos os prefeitos puderam relatar acerca das dificuldades de cada município. O prefeito de Angical, Leopoldo de Oliveira Neto, mais conhecido por Popó, ressaltou o fato de o município ter a maior reforma agrária da América Latina e não contar com a estrutura necessária de policiamento. O gestor relatou ainda indícios de suborno policial. “Sabemos que a Polícia é paga pelo Estado, e muitas vezes ela quer dinheiro do prefeito, dinheiro que todos nós sabemos que é irregular. Eles são pagos pelo Estado e estão ali para fazer a segurança de todos. O que eu desejo é que a gente trabalhe em sintonia, como parceiros”, disse. O prefeito de Muquém do São Francisco, Márcio Mariano, queixou-se da falta da Polícia Civil no seu município e de contar com apenas três policiais militares. “Uma grande preocupação que temos é o distrito do Javi, que é um ponto

REPRODUÇÃO

estratégico de facções criminosas e está localizado na rodovia. O tráfico de drogas aumenta a cada dia”, ressaltou. O prefeito de Formosa do Rio Preto, Jabes Junior, foi taxativo ao comentar acerca do aumento de roubos de cargas agrícolas e o efetivo insuficiente das Polícias Militar e Civil. O prefeito de Barra, Artur Silva, relatou episódio recente que apavorou a cidade. “Depois de algumas mudanças no Comando de Barra, ficamos com poucos policiais na rua e no final do ano passado um grupo aterrorizou a cidade. Assaltaram um banco e alvejaram as casas dos policiais e de muitos moradores. Foi um verdadeiro pavor”, relembrou. Já o prefeito de Cristópolis, Antônio Pereira, foi exceção entre os gestores. O chefe do Poder Executivo apenas elogiou e agradeceu a atuação da polícia no município, destacando que a segurança pública é um problema praticamente solucionado no município. “Nossa cidade é pequena, temos uma viatura que roda toda a noite. As Polícias Militar e Civil têm desenvolvido um trabalho inovador junto à comunidade”, disse. Defesa da Polícia Representando o delegado regional, José Resende de Moraes Neto, o delegado Carlos Freitas abordou sobre a delicadeza do tema e elogiou a iniciativa. “Temos nossas limitações, mas acredito que mesmo esbarrando na questão do efetivo, podemos trabalhar de forma planejada para

JSF no Planalto RAUL BEIRIZ

raulmarques16@gmail.com

Baralho do Poder Raul Beiriz

“C

ai o rei de espadas; cai o rei de ouros. Cai o rei de paus. Não fica nada"! Quem dera tudo fosse assim no mundo da política como na música de Ivan Lins, não é? Estivemos em recesso em janeiro, mas não por culpa nossa. Porque a dona do baralho estava mudando o ministério. Na verdade, o que acontece é que ser ministro neste ano de eleição é apenas para cobrir um buraco deixado por alguém que saiu. De quem está bem longe, parece que as mudanças vão melhorar o time ou o desempenho do Governo. Não. Não vão. Apenas darão mais poder para quem tem o baralho nas mãos. E não há blefe. Em política, todo mundo joga

para ganhar. Eis o motivo e a razão para que as eleições sejam esparramadas de dois em dois anos. Isso facilita a entrada e saída de quem está por cima. E dificulta só a chegada de quem ainda está por baixo. Tal qual um banquete para nobres, onde não se pode ausentar-se da mesa por um instante, pois alguém pode sentar no seu lugar em segundos. Tal qual o empregado que se gaba de não tirar férias. Na verdade, ele tem medo de perder o emprego. Nos cafofos de Brasília, no baralho do Executivo, isso não acontece. Todo mundo está garantido se sair de perto da mesa. Nestas 52 cartas, nos baralhos do Legislativo ou de outros órgão públicos. Dilma Rousseff já deu a partida neste

processo de dança das cadeiras. O porta-voz da Presidência, o jornalista Thomas Traumann, será o novo ministro da Comunicação Social. Foi descartada Helena Chagas, que apresentou sua carta de demissão na quinta-feira para a presidente Dilma Rousseff, informou uma nota do Palácio do Planalto nesta sexta-feira. Deste jeito, a nosso ver, Helena Chagas volta em um carteado menor. Pois pedir demissão parece ser igual a matar alguém em política. Crime imperdoável. Sabe-se, no entanto, que o governo quer reforçar suas ações nas mídias sociais – aquele negócio chato que prefeituras fazem em Facebook e coisas do gênero. Dilma também deseja que o Governo tenha uma postura mais

amenizar esses problemas. De imediato, vejo que a única saída é a articulação do gestor com a própria polícia disponível e a realização de operações pontuais e itinerantes para conferir à comunidade uma sensação maior de segurança”, disse, anunciando ainda que um concurso da Polícia Civil em breve deverá aumentar o efetivo na região. Em resposta aos prefeitos, o Comandante-geral da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), Coronel Alfredo Castro, informou que a polícia tem feito esforços para que ainda neste ano, 1,4 mil novos policiais sejam convocados, mas que, em decorrência do processo seletivo, estes profissionais estarão disponíveis apenas no ano de 2015. No que diz respeito à denúncia do prefeito de Angical sobre o pagamento a policiais, o comandante-geral ressaltou aos gestores que não façam pagamentos que não estejam previstos no convênio entre Prefeitura e Polícia Militar. “O que não estiver respaldado não deve acontecer. Não podemos aceitar que pagamentos sejam feitos aos policiais. Como gestor de segurança pública, não apoio e não posso admitir que as verbas sejam destinadas para pagamentos individualizados de policiais”, disse. Carta de Cotegipe Os relatos dos prefeitos em relação às dificuldades dos municípios com a segurança pública deu origem à Carta de Cotegipe, documento que foi encaminhado ao governador Jaques Wagner. ■

ativa na mídia. A receita, no entanto, é distribuir melhor a atenção dada à imprensa. Tal qual o jogador de futebol que fala com uma baita má vontade com o repórter de uma emissora, com exceção da Globo. Mais três mudanças ministeriais aconteceram. A Dilma Rousseff disse que Aloizio Mercadante é o novo ministro da Casa Civil; José Henrique Paim, da Educação; e Arthur Chioro, da Saúde. Gleisi Hoffmann, que era da Casa Civil, volta a ser senadora e se candidatará ao governo do Estado do Paraná. O exministro da Saúde, Alexandre Padilha, disputará as eleições em São Paulo, por sinal, um carma que São Paulo precisa resolver. Os ministros da Saúde sempre querem governar São Paulo, uma daquelas coincidências que ninguém engole. Mercadante saiu da Educação para assumir a Casa Civil, um petista roxo, que está sempre sendo chamado quando há confusão no Planalto Central. Com novas cartas na mão, a presidente deve jogar fora outras para bater e ganhar a partida. Este jornalista só espera que Dilma não faça como em uma partida de buraco. Bata para pegar o morto.


24 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

Hanseníase tem cura Em Barreiras, uma grande campanha de conscientização foi realizada para orientar acerca da importância da detecção precoce e início do tratamento – fatores que contribuem para a cura mais rápida do paciente Cheilla Gobi

N

os dias 24, 26 e 27 de janeiro são comemorados, respectivamente, o Dia do Hanseniano, o Dia Mundial de Combate à Hanseníase e o Dia Estadual de Combate à Hanseníase. Acompanhando o calendário nacional de combate e prevenção à doença, várias equipes da Secretaria Municipal de Saúde de Barreiras estiveram mobilizadas em campanha desde o último dia 20. Durante toda a semana, os agentes trabalharam com a distribuição de panfletos e orientações à população. No dia 24, as atividades se concentraram na Praça Castro Alves, no período da manhã. Profissionais da área atenderam ao público para identificar possíveis casos da doença. Em Barreiras, o acompanhamento e tratamento dos portadores da doença são realizados durante todo o ano no Centro de Referência Leonídia Ayres, Unidades de Saúde da Família (USF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS). De acordo com a diretora técnica da Vigilância Epidemiológica, Arisleide Aprígio,

detectar precocemente os sintomas da hanseníase e iniciar o tratamento da doença são de fundamental importância para que o paciente seja curado o mais rápido possível. Ela alerta inclusive para os casos em menores de idade, que passaram a ser frequentes em território nacional. Por essa razão, em Barreiras, as atividades de conscientização têm sido dirigidas também nas escolas públicas. “É uma busca ativa para identificar novos casos e encaminha-los para o atendimento. Estamos preocupados também com o índice em menores de 15 anos. Precisamos estar inseridos neste contexto da família, e o menor não é o caso índice. Se alguém na família tem hanseníase, devemos nos infiltrar nesta família até descobrir o caso índice bacilar”, explica. A assistente administrativa, Lúcia Dias, já teve a doença há dez anos e sabe da importância de procurar atendimento constante. “Fiquei sabendo desta ação e resolvi procurar o atendimento. Como eu já tive a doença, a enfermeira achou viável me encaminhar para o atendimento laboratorial”, disse. A conscientização repassada pelos agentes de saúde é importante em face das dúvidas existentes sobre a hanseníase, principalmente em relação ao contágio do bacilo e convivência com portadores da doença. “É importante que toda a população se debruce nesta causa, fiquem atentos quanto às manchas no corpo e procurem os serviços para realizarmos o teste”, alertou a diretora técnica da Vigilância Epidemiológica, Arisleide Aprígio. Crianças e adolescentes O Ministério da Saúde identificou 300 crianças e adolescentes com hanseníase em escolas públicas de todo o País no ano passado. De acordo com a pasta, o conjunto de diagnósticos é resultado de campanha feita para verificar casos suspeitos e

promover o tratamento coletivo da doença em 852 municípios considerados prioritários. O objetivo do governo foi detectar novos casos de hanseníase entre menores de 15 anos e, a partir disso, identificar famílias e comunidades onde há adultos portadores da doença que podem ter sido a fonte de infecção das crianças. Os municípios que participaram da campanha foram escolhidos entre os de maior incidência de hanseníase do País e alcançam todos os Estados. No município de Barreiras foram notificados e tratados 16 menores no ano de 2012 a 2013, conforme informações da Vigilância Epidemiológica. Recursos Estados e municípios que ainda apresentam maior concentração da doença e que estão localizados, principalmente, nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, vem sendo apoiados pelo Ministério da Saúde. No final do ano, foram disponibilizados R$ 15,6 milhões a 40 municípios prioritários para a implantação de ações inovadoras que acelerem o combate à hanseníase e esquistossomose. Os recursos devem ser aplicados em ações aprovadas pela Secretaria de Saúde, com foco na busca de casos suspeitos, exames de contatos e outras ações que eliminem os focos de transmissão da doença. Atendimento De acordo com a diretora da Vigilância Epidemiológica, a população pode procurar qualquer unidade de saúde mais próxima da sua residência para fazer o teste de hanseníase. Em Barreiras, são 30 unidades, sendo cinco delas na zona rural. A diretora técnica informa ainda que o percentual de cura da doença no município, atualmente, é de 91,5%, superando o índice de 85% estabelecido pelo Ministério da Saúde. ■ FOTOS: CHEILLA GOBI

SOBRE A HANSENÍASE • O tratamento é feito nos serviços de Saúde. Pode durar de seis a 12 meses, se seguido corretamente. • Também fazem parte do tratamento de hanseníase, os exercícios para prevenir as incapacidades e deformidades físicas. • As pessoas que moram com alguém que recebeu diagnóstico de hanseníase devem ser examinadas nos serviços de saúde e orientadas para reconhecer os sinais e sintomas da doença. • Todos os casos de hanseníase têm tratamento e cura. • A hanseníase é transmitida por meio das vias respiratórias, tosse e espirro. A principal fonte de transmissão da doença é a pessoa doente que ainda não recebeu tratamento medicamentoso. • A hanseníase não se passa por abraços, aperto de mão e carinho. Em casa ou no trabalho, não é necessário separar as roupas, pratos, talheres e copos.

Diretora técnica da Vigilância Epidemiológica, Arisleide Aprígio, esclarece sobre formas de contágio e como combater a doença

A assistente administrativa, Lúcia Dias, procurou o posto de atendimento para fazer a avaliação

• Para detectar sinais da doença, olhe para o seu corpo e procure observar, nos braços e mãos, nas pernas e pés, no rosto, nas orelhas, nas costas, nas nádegas, se há algum indício.

REPRODUÇÃO

SAÚDE


Jornal do São Francisco

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

SEGURANÇA

IVANA DIAS

Em breve, mais policiamento Polícia Militar iniciou o Curso de Formação dos Soldados, que tem turma de 99 novos soldados. Depois de nove meses – tempo de duração do curso, os profissionais passarão a atuar em Barreiras, municípios do Oeste e em algumas cidades que não pertencem à região, mas sim ao Comando de Policiamento Regional Oeste (CPRO)

Aulas incluem noções de Direito, Legislação da Polícia Militar, Policiamento Ostensivo Geral, História da Polícia Militar, Educação Física, Abordagem Policial, Direitos Humanos, Tiro Policial Teórico e Prático, entre outras disciplinas Ivana Dias

B

arreiras deverá receber mais policiamento ainda neste ano. Isso porque a Polícia Militar iniciou o Curso de Formação dos Soldados da Polícia Militar 2014 (CFS/PM) – curso que tem por objetivo a capacitação dos novos profissionais de segurança pública para o exercício de suas funções perante a sociedade. A turma conta com 99 novos soldados que serão preparados durante o período de nove meses, com aulas que incluem noções de Direito, Legislação da Polícia Militar, Policiamento Ostensivo Geral, História da Polícia Militar, Educação Física, Abordagem Policial, Direitos Humanos, Tiro Policial Teórico e Prático, entre outras disciplinas. Presente à cerimônia de boas vindas – ocasião em que foi realizada também a aula inaugural, no dia 9 de janeiro, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o comandante regional, Inácio Paz

Lira Junior, ressaltou pontos importantes aos novos soldados, como a hierarquia, a disciplina, o papel da Polícia Militar, o modo como a sociedade enxerga a autoridade policial e de que forma os profissionais devem se ver e qual deve ser a conduta diante da sociedade. “Este é o momento de conhecer como a instituição funciona e o que a sociedade espera da gente. A expectativa com a chegada desta nova turma é muito grande. Um grupamento de alunos de um quartel torna-o vivo. Com mais efetivos chegando às ruas – homens e mulheres qualificados, preocupados com a segurança pública, com o bem-estar do cidadão e com o direito de ir e vir – a liberdade e integridade física serão promovidas cada vez mais em nosso Estado”, disse. Segundo informações do comandante, os novos soldados devem ficar lotados na região Oeste (Região VI) e em algumas cidades que não pertencem à região, mas

sim ao Comando de Policiamento Regional Oeste (CPRO), como Brumado, Macaúbas, Livramento e outras. O número de profissionais que permanecerão em Barreiras após o CFS/PM, ainda não foi definido, mas espera-se que as maiores cidades da região – como Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Bom Jesus da Lapa - recebam maior contingente. “Estou aqui para parabenizar os novos policiais militares. Nós, da região, ficamos ainda mais satisfeitos porque, com certeza, este é um reforço que vai melhorar as condições de segurança dos cidadãos de Barreiras e região. Que sejam bem-vindos e acolhidos pela sociedade do Oeste da Bahia”, disse o vice-prefeito de Barreiras, Carlos Augusto Barbosa (Paê), também presente à aula inaugural. No dia 13 de janeiro, o 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Barreiras apresentou três Aspirantes Oficias que devem qualificar a operação de segurança da região. ■

Médico é denunciado por omissão de socorro Da Redação

U

m médico que atende no Hospital Eurico Dutra, em Barreiras, foi denunciado no último dia 02 de fevereiro, por omissão de socorro. De acordo com informações do médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Igor de Almeida Alves, durante um plantão o médico teria se recusado a atender Marcos Leitão, paciente que deu entrada na unidade hospitalar no sábado, 01. O paciente sofreu uma queda e após receber os primeiros socorros foi levado pela equipe do Samu ao Hospital Eurico Dutra. Chegando à unidade, sem que

fosse feita a avaliação do paciente, os profissionais indicaram o Hospital do Oeste (HO). A atitude de ambos levou o médico do Samu a denunciar o que ele considerou “um desvio de conduta profissional”. Esta não é a primeira vez que um médico é denunciado por omissão de socorro em Barreiras. Aproximadamente há dois meses, a manicure Ozeneide dos Santos prestou queixa de omissão de socorro por parte de um médico. O Código Penal dispõe, no artigo 135, que é crime de omissão de socorro “deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, à pessoa inválida ou ferida, ao desemparado ou em grave ou iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, socorro da autoridade pública”. É o chamado crime omissivo puro, de

perigo e violação de uma obrigação jurídica de agir. A omissão é dolosa quando existe a vontade consciente ou manifesta de não dar assistência. A pena é detenção de um a seis meses ou multa. A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave e triplicada, se resulta a morte. O último episódio aconteceu no dia primeiro de fevereiro, quando Talita Raiane foi levada à Maternidade Municipal de Barreiras, mas não foi atendida. A família acusa a instituição de recusar atendimento e dificultar a liberação da ambulância para leva-la até o Hospital do Oeste. Segundo o pai da criança, a enfermeira chegou a pedir que a mulher fechasse as pernas para suportar a chegada ao outro hospital. O parto aconteceu dentro da ambulância. Mãe e filha receberam alta na terça-feira, 4, e passam bem. ■

25

Rebelião no complexo policial provoca tensão Da Redação Presos do Complexo Policial de Barreiras, no Bairro Aratu, encerraram por volta das 21h, rebelião iniciada às 17h30min do último dia 02 de fevereiro. Policiais civis e militares contiveram a rebelião, que durou mais de três horas. A revolta dos presos é com a superlotação, assistência médica considerada precária, cardápio ruim e falta de espaço para banho de sol, práticas de atividades físicas ou de lazer. De acordo com informações da Polícia, o motivo da rebelião foi uma tentativa de fuga em massa, que foi contida. Nenhum dos detentos conseguiu fugir. O conflito, acompanhado de muita gritaria, causou prejuízos às grades das celas. Cadeados foram quebrados, suportes onde presos são algemados para revistas foram removidos, a parede da carceragem próxima à cela das mulheres ficou parcialmente destruída e a porta que separa o pátio interno do externo foi arrancada. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Após a situação ser controlada, a polícia revistou as celas, enquanto os detentos ficaram em uma área próxima ao setor de carceragem. Uma operação “pente fino” foi realizada no dia seguinte, 03, mas nada foi encontrado. O Complexo Policial abriga cerca de 140 pessoas em um espaço que suporta apenas 28. Está prevista para este semestre a construção de um presídio por método modular, com capacidade para 500 presos. Agentes defendem a interdição imediata da cadeia e a transferência dos detentos para outra unidade prisional, por causa da superlotação e das más condições do local. ■

Carga de óleo é roubada em Barreiras Da Redação Um caminhoneiro foi alvo de assaltantes na noite do último dia 31 de janeiro, na BR-242, em Barreiras. Francisco de Freitas dirigia a carreta com carga de 210 caixas de óleo de soja que seria descarregada em Juazeiro do Norte, quando foi assaltado. Segundo a vítima, três bandidos encapuzados lhe atacaram e, posteriormente, o largaram em uma estrada vicinal, depois da Serra do Saco. Após conseguir carona, foi direto registrar a ocorrência. A carga estava avaliada em R$ 35 mil, aproximadamente. Não há pistas dos criminosos até o momento. ■


26 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco

ESPORTE

Campeonato Municipal de Futebol inicia neste sábado REPRODUÇÃO

Mundo da bola Carlos Augusto herock caherock@hotmail.com

Adiós D

Da redação Com informações Ascom LEM

A

grande decisão da primeira divisão do Campeonato Municipal de Futebol acontecerá em Luís Eduardo Magalhães no próximo sábado, 8, a partir das 16h30, no Estádio Municipal Coronel Aroldo, entre as equipes do Vento em

Popa Esporte Clube e Santa Cruz. Na semifinal, o Vento em Popa derrotou a equipe União por 3 a 1, enquanto o Santa Cruz superou a equipe do Udinese pelo escore mínimo de 1 a 0. O torneio promovido pela Liga Desportiva de Luís Eduardo Magalhães (LDLEM) terá ingressos no valor de R$ 3, individual e, R$ 5, para duas pessoas. ■

Má fase técnica custou caro para Ibson No Corinthians, Ibson nunca conseguiu "encantar" a torcida. Pelo contrário, sempre foi alvo de muitas críticas. Sem clima para seguir no clube, pediu e foi emprestado para o Bologna, da Itália. A transação já foi fechada. Em São Paulo, Ibson teve problemas desde que chegou ao clube na metade do ano passado. Não conseguiu se adaptar à filosofia do clube, jogou bem menos do que queria e nunca foi o substituto que os torcedores queriam para o ídolo Paulinho. Este ano, só jogou uma partida, contra o São Bernardo, mas saiu vaiado ao final do jogo. Uma despedida da qual os torcedores corintianos parecem que não vão sentir saudades. E com a crise que tomou conta do Parque São Jorge depois de três derrotas consecutivas no Paulistão, Ibson deve estar agradecendo, e muito, aos dirigentes do Bologna pela chance que vai ter de jogar em outro clube. ■

Mais uma chance O meia Carlos Alberto é sem dúvida um dos jogadores mais rodados do atual futebol brasileiro: já esteve no Fluminense, Corinthians, São Paulo, Vasco da Gama, Grêmio e Bahia. Depois de ter a carreira interrompida por quase seis meses por denúncia de doping, o atleta é a nova aposta do Goiás. Carlos Alberto, de 29 anos, foi contratado por um ano, com possibilidade de renovação incluída em cláusula contratual. Com três quilos acima do peso normal, o jogador que já está treinando em Goiânia, pediu um prazo de 15 dias para entrar em forma e resolver problemas particulares, antes de estrear no novo clube. Será que vai dar certo?

Zé Roberto fica, mas ganhando bem menos Terminou a novela. O meia Zé Roberto, de 39 anos, vai ficar no Grêmio até o fim da temporada. O novo contrato, que já foi assinado, permitiu que o clube fizesse uma readequação salarial, já que o Grêmio passa por grandes dificuldades financeiras. O jogador aceitou a proposta do clube, manteve o mesmo salário que ganhava, mas vai ter os direitos de imagem reduzidos pela metade. Os valores não foram divulgados, mas estima-se que Zé Roberto está ganhando quase R$ 120 mil a menos por mês para continuar jogando em Porto Alegre. Quem diria.

Foto: www.r7.com

urou um ano a história do argentino Wálter Montillo com o Santos. O meia foi vendido por R$ 24 milhões para o Shandong Luneng, da China. No clube paulista, Montillo jogou 52 partidas e fez oito gols - um desempenho bem abaixo do que muita gente imaginava. No entanto, o Santos vai lucrar quase R$ 10 milhões com o negócio e reduzir a alta folha salarial do clube - Montillo ganhava entre salários e direitos de imagem quase R$ 750 mil por mês. O peixe também confirmou a contratação do atacante Rildo, que estava na Ponte Preta. O novo atacante, que foi indicado pelo técnico Oswaldo de Oliveira, tem chance de formar uma dupla com o centroavante Leandro Damião, principal reforço do clube para este ano.

São Paulo empresta zagueiro para futebol italiano

Tricolor baiano começa reduzir folha salarial

Com o grupo repleto de defensores - Rodrigo Caio, Antônio Carlos, Paulo Miranda, Édson Silva e Roger Carvalho, o São Paulo decidiu emprestar Rafael Tolói para a Roma, da Itália. O empréstimo vai durar seis meses, mas o clube italiano tem preferência pela compra do atleta se gostar do desempenho dele. Tolói já assinou contrato e está na Itália. Apesar do interesse do Fluminense em comprá-lo, o atleta pediu para ser emprestado para a Roma, pois há muitos anos tinha interesse de jogar fora do Brasil.

O volante Kléberson não joga mais no Bahia. Ele aceitou a proposta do clube e rescindiu amigavelmente o contrato que tinha. A multa rescisória que deveria ser paga pelo Bahia pela quebra de contrato foi reduzida e parcelada em 26 meses. O valor da rescisão vai garantir a Kléberson um recebimento mensal de R$ 50 mil. De salário, o jogador recebia cerca de R$ 180 mil. A redução significativa faz parte de um processo de enxugamento de despesas para que o clube alcance viabilidade econômica para pagamento da folha salarial sem atrasos. O atacante Souza deve ser o próximo a fechar o mesmo tipo de acordo com o Bahia.

Argentino que jogava no Inter, vai para a Inglaterra A apagada passagem do atacante Scocco pelo futebol gaúcho - jogando no Inter - durou menos de seis meses. Chateado com a reserva e, em busca de novos desafios capazes de permitir que ele volte a marcar gols, Ignácio Scocco fechou contrato com o Sunderland, da Inglaterra. No futebol inglês, se não houver nenhum imprevisto, Scocco vai ficar por dois anos e meio. Ao ser apresentado no novo clube, o argentino disse que no Brasil não encontrou a "adrenalina" necessária para jogar como queria. Com a venda de Scocco, o clube gaúcho vai conseguir recuperar boa parte dos 6,5 milhões de dólares que gastou para trazê-lo do Newell's Old Boys, onde foi grande destaque na Libertadores de 2013.

Adeus ao porco O zagueiro Henrique, um dos principais destaques individuais do Palmeiras, foi vendido para o Nápoli, da Itália. Pela transferência do jogador, o clube paulista vai receber R$ 10,4 milhões, que serão pagos parceladamente. Os outros R$ 2,6 milhões da negociação ficam com o jogador e o seu empresário, Marcos Malaquias. Apesar do pedido formal feito pelo próprio técnico Gilson Kleina, fã declarado de Henrique, o Palmeiras decidiu vender o jogador, por considerar a proposta muito boa. Com a saída de Henrique, o uruguaio Maurício Victorino deve ser efetivado como novo titular do time, que até agora é considerado a grande sensação do Campeonato Paulista.


Jornal do São Francisco

27

Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

CRÔNICA

T

irava colmos de bambu para plantar no rio São Francisco - sustentar os barrancos que estão desmoronando impunimente. Com a pureza das mentes inocentes, Lara interveio com veemência e meiguice: ― Não corte papai, há um ninho no galho! ― Mas eu preciso fazer as mudas, minha filha. ― Então eu posso transferir o ninho para o pé de jenipapo? ― Claro que pode; mas como vai tirá-lo? ― É só colocar a escada, papai. O pai encostou a escada no colmo e alcançou, com uma vara, a extremidade que sustentava o ninho, puxando-o para o lado. Lara, trepada na escada, estirou o braço para pega-lo, contente, quando aquela resvalou e ela foi ao chão chorando, ai minha perna, ai minha perna; seu pai acudiu ligeiro, mas sentia muitas dores e nem podia se firmar. No hospital, o traumatologista identificou fratura na tíbia. Realizou o procedimento adequado e recomendou um mês com a perna engessada. Na volta para casa questionou:

Minha Cara Mãe Calina

Zilda os devorasse. Preparou uma caixa de papelão, com filó de mosquiteiro em dois lados, onde os colocou, e um potinho de água e um cocho com alimentos. Os sabiás vinham visitar os filhotes e pousavam no peitoril da janela - onde a criança botava mamão, banana, milho moído e água - e alegravam o ambiente com seu canto mavioso. ― Papai, o senhor já viu quantos pássaros frequentam nosso bosque? ― Ah, muitos, minha filha; e eles são responsáveis pela disseminação das espécies. ― Como, disseminação? ― Eles pegam os frutos numa árvore e vão comê-los em outras onde deixam cair as semente ou seus dejetos, multiplicando as plantas em outras áreas. Você não vê quanta plantinha nova surge no quintal? Aí está o maior valor dos pássaros. E também dos insetos. ― “Num akedito!” Enquanto falava, colibris esverdeados bailavam alegremente nas flores da ingazeira. Os filhotes ganharam a liberdade, mas Lara permaneceu cuidando do bosque, porque sempre havia um ninho no galho.

DURVAL NUNES

durval.chicha@hotmail.com

HAVIA UM NINHO NO GALHO ― E o ninho papai? ― Amanhã eu o transfiro para o jenipapeiro; prometo. Seu quintal era um verdadeiro jardim botânico, com inúmeras essências nativas e fruteiras que atraiam pássaros variados, que a despertavam com a sinfonia do arrebol. O tio Aurélio enchia bandejas de alimentos que dispunha em pontos estratégicos e armava gangorras para as crianças se balançarem. Agora, Lara estava proibida por causa do gesso. Naquela noite ela se deitou com os

pássaros, na lembrança, no remorso e na ânsia de vê-los salvos na manhã seguinte. De madrugada, o sol surgiu rubro e fulgurante, espargindo feixes de luz por entre as copas dos arvoredos, inundando de energia o quarto de Lara. Pelo vitrô viu o pai transferindo o ninho e a ave mãe espavorida, descrevendo círculos em torno do jenipapeiro. Lara passava o dia na internet, recostada numa poltrona na varanda dos fundos. Os buguelos já ensaiando voar, implorou a seu irmão Augusto para pegar os dois e evitar que o gato de dona

ENTRETENIMENTO

1

5 1

2

Touro. Agora que o seu planeta regente, Vênus, não está mais em movimento retrógrado, você sente que as coisas fluem com mais naturalidade. Entretanto, nesta semana, com o novo movimento de Mercúrio, é preciso que esteja atento à tendência a confusões envolvendo amigos, grupos e instituições. É preciso que tenha clareza a respeito de projetos e ideias que envolvem outras pessoas, taurino.

6

8 6 7

Gêmeos. Ao longo desta semana, o seu planeta regente, Mercúrio, iniciará o movimento retrógrado, que se estende até o final do mês de fevereiro, indicando um período em que você deve estar atento a confusões envolvendo o trabalho e as questões emocionais. Podem retornar antigas ideias e objetivos ligados ao campo profissional, mas é preciso que esclareça as coisas e que se comunique com credibilidade e responsabilidade, geminiano.

1 3 6 8

SOLUÇÃO 9 3 2 1 5 7 6 8 4

6 5 1 4 2 8 7 3 9

7 8 4 6 9 3 1 2 5

8 7 5 2 1 6 4 9 3

3 2 9 7 8 4 5 1 6

1 4 6 5 3 9 2 7 8

Sudoku é um quebra-cabeça baseado na colocação lógica de números. O objetivo do jogo é a colocação de números de 1 a 9 em cada uma das células vazias numa grade de 9x9, constituída por 3x3 subgrades. Os algarismos não podem se repetir na mesma coluna, linha ou grade.

2

5 6 3 8 7 1 9 4 2

4 2

9 2

4 1 8 9 6 2 3 5 7

Solução

Áries. Nesta semana, você tende a se sentir inquieto e impaciente e deve ter cuidado com atitudes precipitadas e impulsivas. As mudanças estão favorecidas, mas você deve ter cuidado com tendência a idealizações excessivas e deve ouvir a voz interior e estar atento à sua sensibi-lidade, ariano.

2 9 7 3 4 5 8 6 1

5/douto — train. 6/macalé. 7/jubileu — samurai. 15/ladrão de galinha.

25

5 2 3

B V M G S L L V D D K U G X F I V S P C D B Y I

N T Y P T J J U X H Z R D K R A M F O M P O T V

W P W U A H J U E C M N S U Z L X F K J S D V K

APRESENTA APROVADOS ARTIGO BALANÇA CERIMÔNIA CHAMADA CIDADE COMPANHEIROS COMPETIÇÃO CONSTRUIR CONTEÚDO CONTRIBUIR

CULTURA DEBATE DIVULGAÇÃO ECONOMIA ELENCO ESPORTE FAMÍLIA INTERNET MONOPÓLIO MOTORISTA PUBLICIDADE REGISTRO

SOLUÇÃO W P W U A H J U E C M N S U Z L X F K J S D V K

7 3 9 8 1

I Z M T I M K L C T L W G X E E U Q M B N R Y Q

HORÓSCOPO 8

6

K C O V R Y G P A I H P D O H S K R P V Y E U V

N T Y P T J J U X H Z R D K R A M F O M P O T V

E M B O O C Q W L L U J Z F F O K Z T R D J L Y

B V M G S L L V D D K U G X F I V S P C D B Y I

J T I I T C O M P A N H E I R O S Q N S Q H J E

I Z M T I M K L C T L W G X E E U Q M B N R Y Q

C P R L O E M A D U M A Q A J O T V I H N C Z O

K C O V R Y G P A I H P D O H S K R P V Y E U V

L R P O M N I I H C V T B M C Z R J K E O O G N

E M B O O C Q W L L U J Z F F O K Z T R D J L Y

Y S R P P H Y M B I X N H J U N U Z U H S I C R

J T I I T C O M P A N H E I R O S Q N S Q H J E

R S P O D S A O S R V E H P S K A L A K T R A O

C P R L O E M A D U M A Q A J O T V I H N C Z O

U W E N A V E N E T X S U H U U N L P R E T I O

L R P O M N I I H C V T B M C Z R J K E O O G N

L A D R Ã G O D V E G M A L S I N H P A

J U E B U I L V E O U Z S C A C L I I A D R A

A L E C R I M R T R U M

J H U G U A I T N T E S A O S T E M I S S OR N O O I O P A R E A I S M U R A I E Ç N S A FA O N E N T L T D I D I I C O S E

D

de 75 jogos

V P C O U D U O X R C E R I M O N I A T I K L Q

Y S R P P H Y M B I X N H J U N U Z U H S I C R

Capa Dura

V T F M A E D C I J Y R Z B M T V J X B T O I S

R S P O D S A O S R V E H P S K A L A K T R A O

+

G W V V H R I E D D Z P T A V S Y I B J D A M L

U W E N A V E N E T X S U H U U N L P R E T I O

Acabamento em Espiral

A R W O I J E O S R J A U X V Z A Y R E C C A Q

V P C O U D U O X R C E R I M O N I A T I K L Q

formato

T L K I F C E D I N T E R N E T U I T U U I F M

V T F M A E D C I J Y R Z B M T V J X B T O I S

NOVO

I U X X T R E U A L O P L O O Z L A L E N T Z J

FÁCIL

(?) Wagner, apresentadora

Jogos que você já conhece em um

A M S M I X B E O C L X K O T A B L M F Z E R P

G W V V H R I E D D Z P T A V S Y I B J D A M L

501, em algarismos romanos

P U U N H I V T U E Q C K A H E C B T J K P O Y

SUDOKU Frutinho roxo apreciado por tucanos Sentimento ausente no carrasco

Trem, em inglês Código telefônico

Z K K E R E X N X S U B J U D T F A B A T M I Y

A R W O I J E O S R J A U X V Z A Y R E C C A Q

Negra (?), cantora de "Um Minuto"

K D J T H P E O Z G M N N X J A W X G K M O F F

T L K I F C E D I N T E R N E T U I T U U I F M

Taxa básica da economia, utilizada como referência pela política monetária (BR) Esperta; inteligente (gíria) Orlando Teruz, pintor carioca

P K N K O B N C I I E M O U V N M T V L X C Y Z

I U X X T R E U A L O P L O O Z L A L E N T Z J

Na hora (?): no momento preciso Profissionais que trabalham no Samu

"O Último (?)", filme com Tom Cruise

Q O B E H Q A T O D F O R G C M Y A N L U N U N

A M S M I X B E O C L X K O T A B L M F Z E R P

Material de próteses da cirurgia plástica

"Fatos (?)", tipo de pleonasmo (Gram.) "(?) Dourado", cantiFarta ga de roda

C I B R V T R B M O N L T T E L U N H N Z V N A

P U U N H I V T U E Q C K A H E C B T J K P O Y

Jards (?), compositor brasileiro

Z

T P C M O C D S N S U V S Z D B O M S C B Z I X

Z K K E R E X N X S U B J U D T F A B A T M I Y

V E

BANCO

A estrutura beneficiada pelo cálcio

Pronome preferido do egoísta

C D J B S W H X G L E C I N A P R O V A D O S D

K D J T H P E O Z G M N N X J A W X G K M O F F

Culto De (?): quase maduro

T Q G Y I J M X A P T J G J D B U F T P G O S V

P K N K O B N C I I E M O U V N M T V L X C Y Z

(?) ou ímpar, forma de sorteio

I L K D N M Y T V Y K J E X I L O R I E X H F E

Q O B E H Q A T O D F O R G C M Y A N L U N U N

Fonte da mensagem (Ling.)

K O Z P O C U L T U R A R P C D L K L J Q G H M

C I B R V T R B M O N L T T E L U N H N Z V N A

Sebastião Tapajós, violonista brasileiro

Muito grande "Produto" do aparelho fonador

"Cinderela", "João e Maria" e "Pinóquio"

T P C M O C D S N S U V S Z D B O M S C B Z I X

© Revistas COQUETEL

Tecido utilizado no estofamento de móveis Criatura anã que vive sob a terra (Folcl.)

Bebida alcoólica da cubalibre

C D J B S W H X G L E C I N A P R O V A D O S D

Bomba de fissão nuclear (Fís.) As homenageadas na festa de 15 anos "Vaso (?) não quebra" (dito) (?) Lula: durou de 2003 a 2010

Festa de cinquentenário Tem a melhor qualidade de vida da América Latina

T Q G Y I J M X A P T J G J D B U F T P G O S V

Criminoso comum na zona rural

I L K D N M Y T V Y K J E X I L O R I E X H F E

MÉDIO

www.coquetel.com.br

CAÇA-PALAVRAS

K O Z P O C U L T U R A R P C D L K L J Q G H M

CRUZADAS PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

Câncer. O momento atual favorece inovações profissionais e mudanças emocionais nos cancerianos. É um período de renovação e de libertação. É um momento também interessante para os seus relacionamentos, depois de muitas reavaliações e hesitações. Mas nesta semana, com o movimento retrógrado do planeta Mercúrio, é importante que reflita e tenha muita calma em assuntos que envolvem viagens, estudos e conhecimentos, canceriano. Leão. A partir desta semana e ao longo do mês de fevereiro, os leoninos devem ter muito cuidado com negociações, principalmente se envolvem recursos alheios e compartilhados numa parceria ou ca-

samento. Isso está assinalado pelo movimento retrógrado do planeta Mercúrio, que pede calma, cautela e que tudo seja muito esclarecido. É importante que você ouça a intuição, leonino. Virgem. Nesta semana, o seu planeta regente, Mercúrio, iniciará o trânsito retrógrado, onde permanecerá durante todo o mês de fevereiro, caracterizando um período em que muitos assuntos retornarão em seus relacionamentos e associações e é preciso se comunicar com clareza, evitando mal entendidos. É importante também repensar a sua atitude e os conceitos que tem sobre relacionamento, virginiano. Libra. Este é um momento interessante para ter uma nova visão e atitude em relação ao amor e às pessoas, libriano. Os assuntos domésticos, que envolvem imóveis, casa e família também estão com uma energia mais fluída. Entretanto, nas questões profissionais, é preciso que tenha mais clareza porque podem acontecer mal entendidos que prejudiquem o relacionamento com seus colegas. É um momento interessante para aprimorar conhecimentos relacionados ao trabalho, libriano. Escorpião. Esta semana favorece inovações em relação à família e ao ambiente doméstico e que respeitem mais a liberdade, o espaço e a singularidade dos escorpianos. Entretanto, começa um período que se estenderá durante o mês de fevereiro e que você deverá reavaliar as suas ideias, conceitos e atitudes em relação ao amor. E podem retornar antigos sentimentos mal resolvidos. Muito cuidado com Idealizações excessivas e com a tendência a bancar o pa-pel de mártir ou de vítima nas situações afetivas, escorpiano. Sagitário. Neste momento você se sente mais confiante em relação ao uso de suas habilidades, talentos e de questões que envolvem recursos e finanças, sagitariano.

No entanto, com o início do movimento retrógrado do planeta Mercúrio, que ativará situações ligadas à casa e à família, é preciso que tenha calma com decisões que envolvem imóveis e moradia. É preciso ser flexível, ouvir a voz do coração e estar atento à intuição, sagitariano. Capricórnio. Agora que o planeta do amor e dos relacionamentos, Vênus, já está em novo movimento em seu signo, você sente que as questões afetivas, os relacionamentos e a sua atitude emocional fluem com uma maior naturalidade. É também um momento interessante para se expressar com mais inventividade e criatividade em relação aos seus talentos e potenciais. E o novo movimento de Mercúrio pede que esteja mais atento às sutilezas e que observe as entrelinhas da sua comunicação e contatos, capricorniano. Aquário. Este é um momento interessante aos aquarianos, em que percebem um novo ciclo se desenvolvendo em suas vidas, com mais iniciativa, confiança e desenvoltura. Entretanto, nesta semana, com o início do movimento retrógrado do planeta Mercúrio, é importante que evitem assinatura de contratos, que envolvem finanças e negócios. É preciso pensar muito antes de tomar uma decisão e isso caracterizará o mês de fevereiro. Nas negociações, melhor que ouça a sua intuição e que valorize o que realmente é importante, aquariano. Peixes. O planeta Mercúrio, símbolo astrológico de inteligência, comunicação e mente, passa a atuar retrógrado em seu signo, pisciano, simbolizando um momento em que você tende a se sentir confuso e pode idealizar em demasia, como também se iludir em certas situações. Para que isso não aconteça, é preciso que esteja atento à sua voz interior e que expresse a sua sen-sibilidade de uma maneira criativa. De qualquer modo, muito cuidado para não se meter em confusões, pisciano.


28 Ed. 146, de 7 a 13 de fevereiro 2013

Jornal do São Francisco INFORME PUBLICITÁRIO

CURSOS A DISTÂNCIA

Uma trajetória de

sucesso

começa com um primeiro passo:

Faculdade a Distância

Claretiano.

* Nota obtida no ENADE de 2011, publicada em dezembro de 2012. Mais informações, acesse: www.claretiano.edu.br

no

FACULDADE A DISTÂNCIA COM A

MELHOR NOTA NO

ENADE *

POLO BARREIRAS

Claretiano – Centro Universitário – Rua Ibirapuera, 715 Renato Gonçalves – Anexo à Escola Jardim Imperial

0800 34 4177 | (77) 3613 1844

www.claretiano.edu.br

FORMAÇÃO DE PROFESSORES

ENGENHARIA

• Artes - Educação Artística • Biologia - licenciatura • Computação • Educação Física - licenciatura • Filosofia • Geografia • História • Letras - Português / Inglês • Matemática • Música (NOVO) • Pedagogia • Química (NOVO)

• Engenharia de Produção (NOVO)

GESTÃO

SAÚDE

• Administração • Ciências Contábeis

• Educação Física - bacharelado

TEOLOGIA

• Serviço Social (NOVO)

PROGRAMA DE BOLSAS

CLARETIANO

• Agronegócio (NOVO) • Análise e Desenvolvimento de Sistemas • Gestão Ambiental (NOVO) • Gestão de Tecnologia da Informação • Gestão Financeira • Gestão Pública • Logística • Recursos Humanos

SOCIAL

• Teologia • Convalidação da Teologia

PROGRAMAS DE BOLSAS DE ESTUDO

TECNÓLOGOS (A PARTIR DE 2 ANOS)

A proveite também nossos cursos de Pós-graduação.

V E ST I BUL AR 2 0 1 4

FACULDADE A DISTÂNCIA INSCREVA-SE


Jornal do São Francisco - Edição 146