Page 12

JUNHO • 2014

12

Pedro Coelho mobiliza pescadores para tornar Baía de Câmara de Lobos mais atrativa Pedro Coelho reuniu no passado mês de Maio, no edifício da Lota de Câmara de Lobos, com os pescadores e proprietários de embarcações que utilizam a Baía para, em conjunto, debaterem as prioridades e ações concretas a implementar no curto e médio prazo para revitalizar aquele espaço, com vista à sua dinamização turística e económica.

A

iniciativa promovida pelo edil integra-se nos objetivos da Agenda 21 Local – Realizar o Futuro de Câmara de Lobos e marca o início de um ciclo de ações que a autarquia pretende levar. Com estas ações, a edilidade visa mobilizar as forças vivas e os agentes sociais, culturais e económicos do concelho em torno do debate sobre as potencialidades turísticas de Câmara de Lobos. Na linha dos compromissos estabelecidos no programa de governação municipal, o executivo de Câmara de Lobos fixou o turismo como um dos vetores estratégicos da afirmação do município no contexto da competitividade das regiões e localidades. Assim, nesta primeira fase, a autarquia tem programado implementar um conjunto de ações para dinamizar e valorizar turisticamente a Baía de Câmara de Lobos, pois aquele espaço é um dos principais

ativos do município, tendo um potencial estratégico para reforçar a competitividade da cidade e alavancar a economia local. A Baía de Câmara de Lobos é uma das principais imagens da marca Madeira, por isso a edilidade sustenta que é necessário olhar aquele espaço de forma diferente. Para afirmar o potencial da Baía, o executivo liderado por Pedro Coelho pretende, ao longo dos próximos meses, realizar um conjunto de melhorias e de ações que permitam posicionar aquele espaço como a principal alavanca da economia local, permitindo a emergência de novas atividades comerciais em torno do turismo e aumentar as oportunidades de trabalho. O encontro promovido com a comunidade piscatória de Câmara de Lobos teve como propósito partilhar a visão preconizada pela edilidade para o futuro da Baía, auscultando perceção dos pescadores so-

bre o potencial do espaço, bem como as preocupações e recomendações ao nível das intervenções prioritárias a realizar para a sua revitalização. Por outro lado, Pedro Coelho aproveitou a oportunidade para reforçar a ideia de que a Baía deve se vocacionar para o turismo, no entanto, a atividade turística e as intervenções a realizar para melhorar a organização e utilização do espaço, devem respeitar as vivências da comunidade piscatória. Note-se que esta ação decorreu de um conjunto de reuniões de trabalho já promovidas entre o edil Pedro Coelho e diferentes entidades com competência na gestão da orla costeira, nomeadamente APRAM, Direção Regional de Pescas, Capitania do Funchal, entre outros, tendo já sido reativado o farol de Câmara de Lobos. Por outro lado, está programado instalar dois finger’s e respetivas estruturas de

apoio, por forma a possibilitar o desembarque de passageiros e viabilizar a atracagem de embarcações de turismo náutico na Baía de Câmara de Lobos, estando já em curso a realização de reuniões com operadores turísticos com vista à criação de roteiros específicos para Câmara de Lobos. Além disso, a autarquia pretende intervir na limpeza da baía, nomeadamente removendo embarcações abandonadas e organizando a ocupação da zona do varadouro. Paralelamente, proceder-seá à limpeza do fundo da Baía, removendo detritos e instalando um novo sistema de “poitas” que permita uma melhor ordenação da amarração das embarcações, para melhorar a imagem da baía e criar uma faixa livre para a manobra das embarcações, nomeadamente de turismo náutico.

Museu da Imprensa da Madeira comemora Dia Internacional dos Museus com exposição de fotografia O Museu da Imprensa da Madeira assinalou o Dia Internacional dos Museus, dia 18 de Maio, com a abertura de uma exposição fotografia intitulada “Composição Manual – A base da tipografia”.

A

exposição, da autoria do fotógrafo Nuno Andrade, é composta por 35 fotografias, nas dimensões de 40x30cm, e um filme documental sobre a composição manual, atividade ancestral que é quotidianamente executada na Tipografia Comercial, sita à Rua da Queimada de Cima, no Funchal, um espaço que resiste à tecnologia da computação. A composição manual é um processo que constituiu a base da tipografia e das artes gráficas, em que o tipógrafo retira um a um os tipos (letras) na sequência dos textos a imprimir e coloca-os num componedor, palavra a palavra, frase a frase, ordenados da direita para a esquerda, com as letras de

cabeça para baixo. É um processo em todo semelhante ao utilizado por Gutenberg no Séc. XV, que ainda subsiste numa tipografia madeirense. Com a celebração do Dia Internacional dos Museus, a Câmara Municipal de Câmara de Lobos procura chamar à atenção para a natureza do único espaço museológico existente no município e para o impacto positivo que este tem na comunidade. Esta

iniciativa inscreve-se na linha preconizada pela autarquia de valorização dos artistas e criativos regionais, disponibilizando os espaços municipais para a realização das exposições e apoiando os criativos e agentes artísticos na logística e montagem das mesmas. O Museu de Imprensa da Madeira abriu ao público a 16 de setembro de 2013 e tem por missão mostrar, inventariar e recuperar o património da indústria gráfica e da

imprensa da Região Autónoma da Madeira, e promover atividades de dinamização cultural, numa perspetiva antropológica, educativa e turística de valorização da história da imprensa e das artes gráficas. O espólio do Museu associa não só antiguidade e memória, mas também raridade e singularidade. Reúne cerca de quatro dezenas de máquinas e um considerável património histórico tipográfico, litográfico, cinematográfico, e outro associado à área da Imprensa e Comunicação, onde se destacam alguns equipamentos e máquinas originais dos séculos XIX e XX, de entre as quais uma máquina de impressão manual, fabricada pela Golding & Cº, Boston, em 1886, uma “Intertype”, fabricada na Inglaterra em 1911, pela Harris-Intertype, Ltd., que pertenceu ao Diário de Notícias, diversas máquinas tipográficas que pertenceram a várias tipografias e outras pertencentes ao Jornal da Madeira, com destaque para a máquina de impressão rotativa, uma unidade ímpar na historia da imprensa na Madeira. A exposição estará patente ao público até 31 de julho e pode ser visitada de terçafeira a sábado, das 09:00 às 17:30 horas.

Madeira Livre | Nº78  

Madeira Livre | Nº78 - 1 a 30 de Junho de 2014

Advertisement