Issuu on Google+

GRATUITO • N.º 44 • Periodicidade: Quinzenal • Director: Jaime Ramos

1 a 15 Setembro 2011

O trabalho indispensável de esclarecimento dos abstencionistas

Votar livremente foi uma conquista do Povo Português. Muito grande por parte do Povo Madeirense que, além das submissões ditatoriais à República Portuguesa a que estava sujeito, vivia ainda oprimido por uma rede de “interesses” dos então senhorios do arquipélago, estes apoiados no colonialismo lisboeta. Hoje, é que se disfarçam de “esquerda caviar”, numa aliança táctica com tudo o que é comunista, socialista e vendilhões à Direita, para um última tentativa de derrubar os Autonomistas do Partido Social Democrata e a própria Madeira Nova. (...) Ora, a abstenção pode provocar uma solução diferente, de entrega do poder a uma coligação, pondo fim à estabilidade político-social de trinta anos e ficando de facto no poder, de novo, os grupos de pressão económica que mandam nos partidos da oposição.

- por Alberto João Jardim, páginas 2 e 3

“A PALHAÇADA” O negativismo da oposição, o mal-dizer constante dos órgãos de comunicação social e dos partidos da oposição é demasiado evidente para convencer qualquer cidadão sério e honesto.

«Não há solução para Portugal se não houver um 26 de Abril»

Ainda não perceberam ou melhor não querem perceber que estão a ser enganados e conduzidos para um abismo que os vai levar ao fim do projeto profissional que tanto lutaram e sonharam. “A PALHAÇADA”, por Jaime Ramos, página 2

Blandy e Marionetas

última página

páginas 10 a 12

O Madeira Livre volta a publicar nesta edição a Teia Sinistra que deve ser combatida por todos os autonomistas madeirenses, defensores dos valores da social-democracia, do Estado Social e do desenvolvimento da nossa terra. página 23

Grandes comícios do Partido Social Democrata com a intervenção do Presidente Alberto João Jardim

SÃO VICENTE • PORTO MONIZ/ACHADAS PONTA DO SOL • SANTANA Artista convidado o conhecido apresentador e humorista da televisão FERNANDO MENDES

página 13


2

Editorial

- por Alberto João Jardim

“A PALHAÇADA” A 22 de agosto foi entregue a lista dos candidatos do PSD a deputados à Assembleia Legislativa da Madeira às eleições de 9 de outubro. Podemos dizer que “a montanha pariu um rato” uma vez que o D.N. não apresentou a sua própria lista, porém a sua coligação com a oposição apresentam as mesmas caras, os mesmos incompetentes, os mesmos perdedores. A tal renovação que tanto afirmam ficou na gaveta! Infelizmente o PS assim como o CDS apresentam mais do mesmo. Note-se que são os mesmos que há mais de 20 anos prometem, criticam. Os mesmos que perdem as eleições. Nem a cobertura do partido D.N. nem as reuniões dos inteligentes; Caldeiras, Jardim Fernandes ou Trindades juntamente com a coligação PS+CDS+DN originou a tal renovação necessária para melhorar o discurso e a credibilidade. O PSD/Madeira dentro da sua linha de orientação e espírito renovador apresentou 26% de novos candidatos nos efetivos e 36% nos suplentes. É desta forma que se renova, que se dá continuidade a um projeto autonómico de continuidade do desenvolvimento socioeconómico da Região. Sempre Prá Frente e sempre Pela Madeira são dois lemas fundamentais para um Madeirense ou Portossantense triunfar e conseguir os seus objetivos. O negativismo da oposição, o mal-dizer constante dos órgãos de comunicação social e dos partidos da oposição é demasiado evidente para convencer qualquer cidadão sério e honesto. É uma vergonha a forma tendenciosa e ofensiva como a oposição e o D.N. insulta diariamente os Madeirenses com os seus artigos de opinião, com as suas mentiras reveladoras dos interesses evidentes dos seus Administradores e Diretores. Os seus colaboradores falam e escrevem muito seguindo as diretrizes dos seus diretores, pois têm medo de perder o tacho. Ainda não perceberam ou melhor não querem perceber que estão a ser enganados e conduzidos para um abismo que os vai levar ao fim do projeto profissional que tanto lutaram e sonharam. Os Madeirenses, os Portossantenses e o PSD Madeira lamentam a existência de pessoas incapazes de optar por outro caminho que não o do seu próprio suicídio profis-

É

sional. De 2 de setembro a 7 de outubro o PSD Madeira realiza a sua campanha eleitoral com ações junto da população. O PSD dispensa os meios de comunicação social para divulgar o seu projeto e programa. Numa perspetiva inversa, temos a oposição que não consegue fazer uma campanha sem a presença da comunicação social, pois como todos sabem partilham o mesmo objetivo: dizer mal, denegrir a Madeira e os Madeirenses. A 9 de outubro veremos as consequências políticas de tais linhas orientadoras. Não deixa de ser ridículo a forma como dois correspondentes, a mando da oposição da Madeira e do D.N., escrevem artigos onde exibem as suas mentiras, denigrem e ofendem o Povo da Madeira. A campanha do PSD Madeira será participativa. Uma campanha com o povo e para o povo. Não será uma campanha de tristeza , sem povo mas com comunicação social, como faz a oposição. O CDS anda à procura da dívida. Estou convencido que deve saber onde ela está. Pode-se dar o caso de terem perdido a chave do cofre onde se encontram os documentos das dívidas que fizeram enquanto foram governo. O PS que colocou o país na miséria, no caos tem como candidato não o seu Presidente mas um Funcionário do partido e colaborador da equipa de Sócrates. Apresenta para a Madeira um programa idêntico àquele que levou o país ao desemprego, à miséria à falência. Quer aplicar na Madeira os mesmos erros feitos por Sócrates. O PSD-Madeira apresenta-se com o mesmo objetivo de sempre:VENCER. Vencendo o PSD vencerá a Madeira e o Porto Santo e todos os que vivem nesta GRANDE E INVEJADA REGIÃO AUTÓNOMA.

desagradável o nível que a abstenção assume na Madeira, embora as percentagens elevadas assentem muito no facto de grande parte desses inscritos nos cadernos eleitorais residirem fora do arquipélago, nomeadamente Emigrantes. Temos, todos, instituições partidárias e da mais diversa natureza, que fazer um grande esforço para convencer as pessoas a cumprir aquilo que é simultaneamente um DIREITO e um DEVER: votar. Votar livremente foi uma conquista do Povo Português. Muito grande por parte do Povo Madeirense que, além das submissões ditatoriais à República Portuguesa a que estava sujeito, vivia ainda oprimido por uma rede de “interesses” dos então senhorios do arquipélago, estes apoiados no colonialismo lisboeta. Hoje, é que se disfarçam de “esquerda caviar”, numa aliança táctica com tudo o que é comunista, socialista e vendilhões à Direita, para um última tentativa de derrubar os Autonomistas do Partido Social Democrata e a própria Madeira Nova. Confiando na responsabilidade dos Cidadãos, em Portugal nem sequer o voto é obrigatório, como em países onde há multas sobre quem não comparece às urnas de voto, ou, como noutros, restrições posteriores nalguns direitos ante a Administração Pública. É esta Liberdade que temos de incentivar as pessoas a vivê-La plenamente. Mais a mais, que, quando de eleições regionais se trata, está em jogo o destino de todo o Povo Madeirense, aquilo que de mais próximo e importante nos diz respeito. Mais a mais, que, no momento que Portugal está a viver, a governação deve ser entregue a quem até agora deu provas. Deu provas na capacidade de revolucionar pa-

cificamente a Madeira e o Porto Santo. Deu provas de liderança nos momentos mais difíceis, quer com o Governo da República Portuguesa, quer quando de catástrofes. Deu provas de integridade e de independência face a todos e quaisquer poderosos “interesses” que controlam Portugal. Deu provas na União Europeia. Deu provas de não se vergar a “poderes” sinistros na comunicação social. Ora, a abstenção pode provocar uma solução diferente, de entrega do poder a uma coligação, pondo fim à estabilidade político-social de trinta anos e ficando de facto no poder, de novo, os grupos de pressão económica que mandam nos partidos da oposição. O que significaria voltarmos às mãos daqueles que nos dirigiam e exploravam no tempo da “Madeira Velha”. Como seria um absurdo e um suicídio trágico para o Povo Madeirense, com o actual Governo na República, a abstenção ter como consequência o acesso dos socialistas ao poder na Madeira, e mesmo os comunistas nessa necessidade de uma coligação também cá. No meu entender, é mais difícil a tarefa que se nos apresenta ante os habituais abstencionistas, do que perante o eleitorado da Oposição. Nos que votam na Oposição, há dois tipos de pessoas. Uns, os dogmáticos, os casmurros, os que fazem desses Partidos o “seu clube”, os quais, mesmo sabendo que estão a votar mal, fazem-no. Fazem-no, como se de uma religião se tratasse. Ou então, pior, em alguns casos trata-se de pessoas marcadas psiquicamente, frustradas, invejosas do sucesso da Madeira e do seu Povo, votam “por vingança” sem saberem bem de quê. O segundo tipo de pessoas que vota na Oposição merece o maior respeito.

O trabalho indispensável de esclarecimento dos abstencionistas Porque vota em consciência. E, porque vota em consciência, é capaz de, nalguns actos eleitorais, não ter um comportamento cego, dogmático e votar diferente, naquilo que julga ser o melhor para o Povo Madeirense, no sentido de garantir condições mínimas para o Desenvolvimento Integral, de evitar instabilidades que a todos prejudiquem – inclusive aos próprios eleitores da Oposição – e de barrar o regresso aos lóbis da “Madeira Velha” que estão aí a tentar conquistar o poder com todo o descaramento, ocupando e servindo-se do partido socialista e instrumentalizando o CDS através das cumplicidades isoladas de Rodrigues. Assim, é necessário também, por parte dos Autonomistas e em todas as localidades do arquipélago, um diálogo sério com os militantes sérios da Oposição. Há um problema que exige uma actividade esclarecedora intensiva por parte de todas as pessoas responsáveis, e também em todos os cantos da Região Autónoma. Trata-se do combate ao egoísmo. Trata-se de enfrentar concepções absolutamente deslocadas, despropositadas,

sobre o fim a que umas eleições se destinam. Há quem diga: “não voto, porque a minha prima está desempregada”; ou mesmo “não voto porque o Governo não arranjou um emprego ao meu sobrinho”; ou “não voto, porque o meu vizinho tirou um curso e ainda não tem emprego”; ou “não voto porque, sim senhor, fizeram belas estradas, mas está um buraco por tapar, ao pé da minha porta”. E por aí fora... Ora, situações destas exigem pedagogia política por parte de todos os Cidadãos responsáveis. Já que a oposição contribui para maior irresponsabilidade generalizada, prometendo tudo e mais alguma coisa perante qualquer reclamação, por maior absurdo que esta envolva. O que vale é que o Povo, na generalidade e mesmo as pessoas aborrecidas, também não se deixa enganar quando ouve muitas “facilidades” e “promessas”. A pedagogia reside em explicar que em nenhuma parte do mundo os Governos são responsáveis por empregar todas as pessoas, nem é essa a sua missão. Que os

cursos que as pessoas tiram, são escolha e responsabilidade de cada um e que, hoje, graças à globalização e ao espaço europeu, há uma enorme mobilidade laboral possível, não se encontrando emprego num determinado local, mas encontrando noutro. Há que explicar às pessoas que o Presidente e os restantes membros do Governo Regional não podem ser culpados de um qualquer Serviço, às vezes nem do Governo, não ter acorrido a tempo num local onde haja um pequeno problema, nem podem ser culpados se algum funcionário malcriado tratou mal qualquer pessoa. Aliás, certas coisas não se davam se, responsavelmente, por escrito, às autoridades democráticas fosse dado conhecimento de problemas cuja existência não podem adivinhar. É que, depois, “a culpa é do Alberto João”, até quando nora e sogra se zangam ou os pequenos andam no quintal à tareia!... Em cada localidade da Região Autónoma, sabe-se quem são as pessoas que costumam se abster.

3

Há aqui um trabalho fundamental a desenvolver. Falar de bons modos com essas pessoas, demonstrar-lhes a importância de romper com os seus hábitos abstencionistas, eventualmente ajudá-las em qualquer razão de queixa que legitimamente tenham. Fazê-las sentir que o Povo Madeirense também precisa delas, e logo num momento destes. Porque este momento, com a situação desgraçada a que os socialistas nos trouxeram e com os abutres que esvoaçam sob o Povo Madeirense, não é altura para lavar as mãos como Pôncio Pilatos. É hora de, todos juntos, nos unirmos para superar as dificuldades E de travar os mais que identificados inimigos do Povo Madeirense.

POR:

Alberto João Jardim

Presidente da Comissão Política do PPD/PSD-Madeira

Jaime Ramos Director

Ficha Técnica

Periodicidade Quinzenal

Endereços/Contactos Rua dos Netos 66, 9000-084 Funchal Telef. 291 208 550 madeiralivre@netmadeira.com N.º Inscrição ERC – 125464 Depósito Legal n.º: 283049/08

Director: Jaime Ramos

Tiragem deste número: 50.000 exemplares

Editora: Carla Sousa Propriedade Partido Social Democrata – Madeira

Impressão: GRAFIMADEIRA

Parque Empresarial da Cancela Pavilhão P.I. 3.1 Funchal - Madeira

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

Madeira Livre


4

Entrega de Prémios da Regata na Quinta do Lorde O   Presidente do Governo Regional da Madeira  esteve presente, na Marina da Quinta do Lorde, na próxima quinta-feira, dia 11 de Agosto, às 18.30 horas, para presidir à cerimónia de entrega de prémios da Regata Internacional “Clipper Round The World 2011/12”, que faz escala na Madeira. A passagem pela Madeira desta importante Regata Internacional, vai permitir à Madeira fazer promoção dos seus produtos e serviços em todas as outras 14 escalas pelo Mundo.

Central dessalinizadora do Porto Santo

Missa do Monte O Presidente do Governo Regional, participou, no dia 15 de Agosto, na Missa e nas Comemorações da Nossa Senhora de Fátima, na freguesia do Monte, no Concelho do Funchal.

Apresentação do Projecto de Aldeamento Turístico no Porto Santo O Presidente do Governo Regional da Madeira presidiu, no passado dia 23 de Agosto, à apresentação do projecto do Aldeamento Turístico do Campo de Golfe de Porto Santo, cuja construção caberá à iniciativa privada.

O Presidente do Governo Regional da Madeira, no dia 18 de Agosto, na sala multiusos do Centro de Congressos do Porto Santo, presidiu à cerimónia de assinatura de contrato de aquisição de serviços de investigação e desenvolvimento (I&) na área de sistemas e tecnologias de informação e comunicação no âmbito do projecto electronicgovernment@e-island.RAM, a celebrar entre a Direcção Regional para a Administração Pública do Porto Santo e o agrupamento constituído pela Universidade de Aveiro e pela Universidade da Madeira. Este projecto, que é estruturante para toda a Administração Publica do Porto Santo, tem cariz piloto com a possibilidade de vir a ser replicado na Administração Publica Regional. Sendo a DRAPS transversal a todas as áreas de governação, reúnem-se assim todas as condições para o êxito do mesmo, o qual se apresenta com forte carácter inovador e de modernização da Administração Pública, através da agilização processual, a integração de todos os processos, de toda a informação e todos os serviços disponibilizados, bem como a disponibilização ao cidadão de conteúdos e serviços on line, desenvolvendose por seis etapas: Construção de uma rede de alto débito em fibra óptica (já concluído), implementação de uma intranet, normalizando os processos internos; implementação de um sistema de apoio à decisão; implementação de novos serviços e conteúdos on line aos cidadãos (e-gov), integração do “guichet único” com os serviços do Posto de Atendimento ao Cidadão, implementação de um sistema seguro de autenticação.Assim, do contrato a assinar resultará a arquitectura global do sistema, metodologia geral e de análise, nomeadamente o levantamento de requisitos, o desenho conceptual de serviços on line no futuro, o novo modelo organizacional da DRAPS tendo em conta o seu core business e a integração do respectivo Workflow; modelo de integração entre os sistemas de informação, assim como o desenho do API de interligação entre a administração pública e o Posto de Atendimento ao Cidadão.

Intervenções de recuperação das infraestruturas públicas afectadas pelos temporais de 2010

5

A

O Presidente do Governo Regional da Madeira presidiu, no dia 16 de Agosto, na Cidade do Porto Santo, à cerimónia de Optimização Energética com aumento da capacidade da Central Dessalinizadora do Porto Santo.

O

investimento consistiu na reformulação da Central Dessalinizadora com a finalidade da optimização e redução dos elevados consumos energéticos associados à produção de água doce através da dessalinização da água do mar, tendo também o projecto permitido um aumento da capacidade de produção instalada. O projecto agora implementado engloba, no essencial, a execução de uma nova unidade de dessalinização por Osmose Inversa, que resultou do redimensionamento e união de duas unidades de dessalinização existentes, incluindo a substituição dos grupos turbina-gerador anteriormente existentes por equipamentos de recuperação de energia de nova geração. Em termos energéticos, a nova unidade apresenta uma poupança de 38% em energia

consumida relativamente às máquinas anteriores, reduzindo de 4.5 kW para 2.8 kW o consumo energético por metro cúbico de água produzida. Considerando a produção do ano de 2010, esta optimização representa uma poupança de cerca de 1.700.000 KWh/ano com um custo actual de 157.000,00 €/ano. A nova unidade tem uma capacidade de produção regulável entre 2.500 e 3.800 m3/dia, adaptando-se deste modo à variação anual da procura de água. O elevado volume produzido quando em produção máxima permite ainda dispensar o funcionamento de outras unidades de dessalinização durante grande parte do ano, condição que contribuem para novas poupanças energéticas. Em termos ambientais, a poupança de energia conseguida significa uma diminuição na emissão de aproximadamente 750 toneladas de CO2 por ano. Por outro lado, com estes investimentos, aumentou-se a capacidade instalada de produção de água potável que antes era, no total, de cerca de 5.600 m3/dia e passou para 6.900m3/ dia, largamente excendentária  para a procura actual   mas deixando o Porto Santo preparado para o crescimento do consumo associado ao seu actual e futuro desenvolvimento. A obra foi da responsabilidade da IGA, que concebeu o respectivo projecto, recorrendo também à colaboração de empresas regionais, tendo a sua execução   representado um investimento público da ordem dos 715 mil euros, com a comparticipação financeira da União Europeia, no âmbito do programa Intervir+, em 80%.

Funchal Residence na Freguesia de Santa Luzia O Presidente do Governo Regional da Madeira inaugurou, no dia 11 de Agosto, o edifício de apartamentos “Funchal Residence”. Este edifício, construído na Rua do Ribeirinho da Pena, nº 7, na Freguesia de Santa Luzia, no Funchal, dispõe de 20 apartamentos, sendo seis de tipologia T1, 13 de Tipologia T2 e um T3. Trata-se de um investimento de 3 milhões de euros do Empresário Madeirense António Maria Aguiar.

visita às obras de reforço de fundações e travessões na Ribeira de Machico, na cidade de Machico, iniciou-se junto à Estação de Autocarros. O forte caudal torrencial registado nesta ribeira provocou o descalçamento das fundações da muralha de canalização da margem direita, pondo em causa a sua estabilidade, bem como do respectivo arruamento. Neste caso, a Secretaria Regional do Equipamento Social (SRES), através da Direcção Regional de Infra-estruturas e Equipamentos, procedeu ao reforço das fundações e a execução de travessões de regularização do leito entre a Estação de Autocarros e a Escola Secundária, de modo a garantir a segurança e a servidão das populações. Houve também necessidade de proceder à terraplanagem do leito, ao reforço do muro de canalização da margem direita, à pavimentação do acesso rodoviário e à reposição dos lancis e passeios existentes. Do mesmo modo, foram também realizadas intervenções para reforçar fundações e muros de canalização e executar travessões ao longo da ribeira, junto ao Centro de Saúde, em frente ao Campo de Futebol, nas imediações da Escola Básica e em frente à Igreja da Ribeira Grande. O Presidente do Governo visitou de seguida as obras de reparação do Ribeiro do Caramachão, onde, no temporal de 20 de Fevereiro, ocorreu a destruição dos muros de canalização e a invasão dos terrenos marginais, para além do transbordamento dos vários pontões dos arruamentos atravessados pelo ribeiro. De forma a acautelar a respectiva segurança de pessoas e bens, a SRES procedeu a obras de reparação dos danos ocorridos na linha de água e que consistiram na desobstrução e canalização do leito, reconstrução dos muros de canalização, execução de ensoleiramento e travessões e reposição de redes de serviços e de acessos. Ainda no Caramachão, a intempérie causou o assoreamento do leito do Ribeiro do Pestana em diversos pontos e o entupimento da linha de água, provocando a inundação das habitações confinantes e o derrube dos muros marginais, pelo que se procedeu à regularização do leito e à canalização da linha de água através da abertura de fundações, construção de muros de canalização e soleiras. A visita seguiu para o Ribeiro das Lajes,

junto ao Moinho Velho, onde o temporal provocou o entupimento do ribeiro que transbordou para a estrada, inundando as casas existentes e o descalçamento dos muros marginais da linha de água. De modo a garantir a segurança de pessoas e bens, a SRES procedeu às obras de reparação e reconstrução, que consistiram no desassoreamento e regularização do leito, na abertura de fundações e construção de muros de canalização, e ainda na execução de travessões e de pontão sobre o ribeiro. Para além desta intervenção, procedeu-se também à construção de novas passagens hidráulicas, à reposição das redes de serviços existentes e à pavimentação da faixa de rodagem do acesso rodoviário. De seguida, a visita encaminhou-se para o Sítio dos Maroços, onde o Ribeiro do Pico Queimado também foi afectado pelas chuvas torrenciais de Fevereiro de 2010, tendo entupido e galgado as margens, inundando as habitações vizinhas. De forma a repor as condições de vida dos habitantes, agora com maior segurança, a SRES levou a cabo obras de alargamento e canalização do ribeiro, para além da construção de novas passagens hidráulicas. Após o Sítio dos Maroços, a visita prosseguiu para a freguesia do Porto da Cruz, onde a precipitação anormalmente intensa ocorrida a 20 de Feve-

reiro de 2010 originou a instabilidade e consequente deslizamento de terras do talude da Maiata. O fenómeno natural colocou em causa a segurança das vias rodoviárias adjacentes e, inclusivamente, provocou o corte da E.M. da Maiata, via principal de acesso aos sítios da Maiata e do Larano. A SRES procedeu à estabilização do talude, cujas obras incluíram a limpeza da vegetação e materiais sólidos depositados no talude, a colocação de drenos, bueiros e valetas, a execução de pregagens e o revestimento ao longo de todo o talude incorporando um aditivo colorante de cor idêntica à das formações naturais envolventes. A intervenção englobou ainda a colocação de blocos de protecção da estrada na base do talude, a pavimentação do troço da rodovia danificado e a reposição dos serviços existentes afectados. A comitiva seguiu depois para o concelho de Santana, freguesia do Faial, onde a SRES interveio no reforço de muros de canalização e travessões na Ribeira dos Moinhos. A ribeira em causa, em particular no troço a jusante da ponte do Faial, sofreu também o impacto do temporal que assolou a Região em Fevereiro do ano transacto, nomeadamente com o abaixamento das cotas do leito e consequente descalçamento das muralhas de canalização da margem direita, a danificação do travessão existente e o assorea-

mento do leito em outros locais, pondo em risco as infraestruturas existentes a jusante. Assim, procedeu-se às obras de reparação dos danos ocorridos a jusante da ponte do Faial, que consistiram no reforço e reconstrução do travessão e da muralha existentes e na construção de um novo muro de canalização, proporcionando condições de segurança e de servidão superiores às que antes existiam. Finalmente, a visita terminou no sítio da Fajã, a montante da Ponte 1º de Julho, na Ribeira do Faial, onde se fez o reforço das muralhas e dos travessões que haviam sido destruídas total ou parcialmente aquando das intensas chuvas de 20 de Fevereiro de 2010. Também neste sítio se verificou o abaixamento das cotas do leito e consequente descalçamento das muralhas de canalização, a danificação dos travessões existentes e o assoreamento do leito em outros locais, pondo em risco as infraestruturas existentes no local. Para além do reforço de que beneficiou a canalização da ribeira, através da muralha e dos travessões, procedeu-se também ao necessário desassoreamento do leito nos locais onde se justificava essa intervenção. Estas obras, da responsabilidade da Secretaria Regional do Equipamento Social, através da Direcção Regional de Infraestruturas e Equipamentos, tiveram um custo total de cerca de 8 milhões 560 mil euros.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

Assinatura de contrato de aquisição de serviços de investigação e desenvolvimento

O Presidente do Governo Regional visitou, no passado dia 10 de Agosto, as obras associadas ao temporal de 20 de Fevereiro de 2010 que o Governo Regional vem implementando nos concelhos de Machico e Santana. Esta visita teve como principal objectivo fazer a devida divulgação do andamento das obras que se estão a desenvolver e a concluir no terreno, relativas às intervenções de emergência nos cursos e linhas de água mais afectados dos dois concelhos.


– A Madeira na Assembleia da República –

6

Com a inauguração do sistema de optimização energética da Central Dessalinizadora do Porto Santo, uma obra da Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, através da Investimentos e Gestão da Água (IGA), fica reforçado o abastecimento de água na “ilha dourada”. Durante a cerimónia inaugural, o Presidente do Governo Regional destacou o esforço do Governo em garantir um preço social da água naquela ilha.

Governo garante preço social da água

7

Novo sistema de optimização energética da Central Dessalinizadora do Porto Santo inaugurado

O

Apesar da suspensão dos Plenários da Assembleia da República, os deputados do PSD/Madeira Guilherme Silva, Cláudia Monteiro de Aguiar, Correia de Jesus e Hugo Velosa apresentaram mais um requerimento dirigido ao Governo da República e, mais concretamente, ao Secretário de Estado da Cultura. stá em causa a transferência para o Arquivo Regional de um acervo documental relativo à Madeira que se encontra na Torre do Tombo, em Lisboa. Parte desses documentos, por, ao tempo, não haver na Região condições de conservação de documentos importantes que respeitam a aspectos relevantes da nossa História, foram transferidos para o Arquivo Nacional. Acontece que o Arquivo Regional está hoje apetrechado com condições e meios que permitem a adequada conservação dos documentos históricos, não fazendo sentido que os mesmos se mantenham na Torre do Tombo. Naturalmente que haverá formas de garantir a permanência, para efeitos de estudo e consulta de adequadas cópias, no Arquivo Nacional, mas a transferência dos originais para a Região deverá ser assegurada. Recorde-se que, no anterior Governo socialista, a ministra da Cultura recusou tal transferência, com o argumento absurdo de que os documentos respeitantes às ex-colónias (Angola, Moçambique, Cabo Verde, etc.), também não tinham sido transferidos para os novos países. Esqueceu-se a ministra que a transferência para a Madeira do acervo documental

que nos diz respeito continua a assegurar a permanência, em Portugal, daquele património e registo histórico. O requerimento subscrito pelos deputados do PSD/Madeira tem o seguinte teor: “Os Deputados abaixo assinados, eleitos pelo círculo eleitoral da Madeira, vêm por intermédio de V. Exa. requerer ao Governo – Exmo. Senhor Secretário de Estado da Cultura – informação urgente sobre: Pedido, há muito apresentado, de transferência para o Arquivo Regional da Madeira, que dispõe actualmente das adequadas condições, de toda a documentação referente à Região Autónoma da Madeira, depositada e arquivada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, parte da qual já esteve na Região e foi, a título devolutivo, por razões de conservação, trazido, transitoriamente, para a Torre do Tombo.” Entretanto, os deputados do PSD/Madeira vão acompanhar o quadro de ajuda e o programa de saneamento financeiro da Região que o Governo Regional desencadeou junto do Governo da República.

O ministro das Finanças já adiantou a disponibilidade do Governo para a fixação desse programa de ajuda e de apoio à Região. Naturalmente que, estando marcadas eleições regionais para 9 de Outubro próximo, o detalhe desse acerto e plano de saneamento e consolidação da dívida pública regional só deverá concretizar-se após as eleições e a constituição do novo Governo Regional. Também a este propósito, e num momento particularmente difícil para o País, as próximas eleições regionais de 9 de Outubro ganham uma especial importância. Na verdade, viu-se o que foi a perseguição dos socialistas, à Região, nos últimos seis anos, em que Sócrates impôs um “garrote financeiro” à Madeira e nos roubou centenas e centenas de milhões de euros, obrigando-nos a aumentar a dívida. Só a circunstância de, tanto na Região como na República, existirem Governos de maioria social-democrata, permite o entendimento necessário à fixação de um

programa de apoio à Região e de consolidação da dívida. Assim, todo o cuidado é pouco no sentido de se continuar a garantir, em 9 de Outubro, uma expressiva maioria socialdemocrata na Madeira. Os tempos são demasiado complexos e graves para brincar com coisas sérias e entrar em experimentalismos e aventuras. Mais do que nunca precisamos de alguém com provas dadas, na defesa da Autonomia e dos madeirenses e porto-santenses. Alguém com obra feita. Está em causa o futuro de todos nós, em especial dos jovens, pelo que não se pode deixar destruir o que tanto custou a construir nas últimas décadas. Os deputados do PSD/Madeira na Assembleia da República querem continuar a defesa intransigente da Região, mas precisam também, na retaguarda, da ajuda dos madeirenses e porto-santenses, no próximo dia 9 de Outubro.

que implica o abastecimento ou a gestão da água ou investimento, é já uma casa onde se fazem profundos estudos e se encontram soluções técnicas com o próprio carimbo e marca da casa. Foi assim que se introduziu uma nova tecnologia no Porto Santo», rematou o Presidente do Governo Regional. Ainda durante a sua intervenção, e aproveitando o facto de estar também presente na cerimónia o eurodeputado madeirense, Nuno Teixeira, Alberto João Jardim agradeceu também a ajuda da Europa. É que, tal como referiu, 80% do investimento foi com ajudas comunitárias. «Os 20% da Região neste investimento - que praticamente duplica a capacidade do Porto Santo nas actuais épocas de ponta e, portanto, cria uma grande margem de manobra para eventuais futuros investimentos - são pagos pelo consumo energético que poupamos dentro de um ano. Trata-se, com o apoio da União Europeia,

de sabermos fazer os investimentos estratégicos ao menor custo possível para o orçamento regional». Sobre o novo investimento, podemos referir que o mesmo consistiu na reformulação da Central Dessalinizadora com a finalidade da optimização e redução dos elevados consumos energéticos associados à produção de água doce através da dessalinização da água do mar, tendo também o projecto permitido um aumento da capacidade de produção instalada. O projecto agora implementado engloba, no essencial, a execução de uma nova unidade de dessalinização por osmose inversa, que resultou do redimensionamento e união de duas unidades de dessalinização existentes, incluindo a substituição dos grupos turbina-gerador anteriormente existentes por equipamentos de recuperação de energia de nova geração. Em termos energéticos, a nova unidade apresenta uma poupança de 38% em

energia consumida relativamente às máquinas anteriores, reduzindo de 4.5 kW para 2.8 kW o consumo energético por metro cúbico de água produzida. Considerando a produção do ano de 2010, esta optimização representa uma poupança de cerca de 1.700.000 KWh/ano com um custo actual de 157 mil euros por ano. A nova unidade tem uma capacidade de produção regulável entre 2.500 e 3.800 metros cúbicos por dia, adaptando-se deste modo à variação anual da procura de água. O elevado volume produzido quando em produção máxima permite ainda dispensar o funcionamento de outras unidades de dessalinização durante grande parte do ano, condição que contribuem para novas poupanças energéticas. Em termos ambientais, a poupança de energia conseguida significa uma diminuição na emissão de aproximadamente 750 toneladas de CO2 por ano. Por outro lado, com estes investimentos, aumentou-se a capacidade instalada de produção de água potável que antes era, no total, de cerca de 5.600 m3/dia e passou para 6.900m3/dia, largamente excedentária para a procura actual mas deixando o Porto Santo preparado para o crescimento do consumo associado ao seu actual e futuro desenvolvimento. A obra foi da responsabilidade da IGA, que concebeu o respectivo projecto, recorrendo também à colaboração de empresas regionais, tendo a sua execução representado um investimento público da ordem dos 715 mil euros, com a comparticipação financeira da União Europeia, no âmbito do programa Intervir+, em 80%.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

E

Presidente do Governo Regional inaugurou, no dia 16 de Agosto, o sistema de optimização energética da Central Dessalinizadora do Porto Santo, uma obra da Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, através da Investimentos e Gestão da Água (IGA). Durante a cerimónia, em que também esteve presente o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, Manuel António Correia, e o presidente da IGA, Pimenta de França, Alberto João Jardim aproveitou para destacar o esforço do seu Executivo madeirense, no sentido de garantir um preço social da água ou, por outras palavras, de garantir um preço da água equilibrado para todos os madeirenses. Tal como o referiu na altura, e no caso concreto do Porto Santo, neste momento, o custo real, ou custo efectivo da água, é de 1 euro e 80 cêntimos por metro cúbico. Porém, os porto-santenses estão a pagar apenas um euro, sendo que o restante é assegurado pelo Governo Regional, o que equivale a uma ajuda média de 12 euros mensais por família, se atendermos a que a média do consumo é de 15 metros cúbicos por mês. Alberto João Jardim, que recordou o compromisso assumido com a população do Porto Santo, em 2000, no sentido de aproximar e depois igualar o preço da água cobrada na “ilha dourada” no «restante território da RAM. Assim se fez e foi nesse sentido que desde o ano 2000 não houve qualquer actualização do preço da água potável no Porto Santo. Sendo a Região Autónoma da Madeira uma só, os direitos e deveres devem ser também iguais», disse. Durante a sua intervenção, o Presidente do Governo Regional enalteceu o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela IGA e pelos seus técnicos na Região. Um trabalho que, segundo Alberto João Jardim, não se fica pelo desempenho de rotinas e de investimentos, mas também pelos estudos que desenvolvem, no sentido de melhor servirem as populações. Como exemplo disso, Alberto João Jardim apontou a solução técnica encontrada por Nuno Pereira, engenheiro da IGA, para a implementação do novo sistema de optimização energética da Central Dessalinizadora do Porto Santo. Nas palavras do Presidente do Governo Regional, a IGA não tem «só rotina de trabalhos


8

Linha de crédito bonificado

para apoiar tecido empresarial

A Vice-Presidência do Governo Regional, através do Instituto de Desenvolvimento Empresarial, apresentou, no passado dia 22 de Agosto, a chamada “segunda parte” da linha de crédito bonificado, no montante de 10 milhões de euros, dirigida às micro e pequenas empresas, e que envolve também jovens empresários. O prazo de vigência da linha é de seis meses, prorrogáveis se houver necessidade, e visa suprir as necessidades da economia regional e as repercussões da crise financeira internacional e nacional nos mais diversos sectores de actividade. oão Cunha e Silva, vice-presidente do Governo Regional, afirmou, na cerimónia de apresentação da linha que tem como parceiros quatro bancos: BES, Santander Totta, Montepio Geral e BANIF e ainda a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua, que a nova linha, destinada a empresas sediadas na Região, deve-se à aceitação do tecido empresarial da primeira iniciativa, com um valor global de 10,2 milhões de euros, e que beneficiou 335 empresas. De acordo com o governante, «de 2010 a 2011, apareceram, candidatando-se a sistemas de incentivos, mais de 200 empresas. Numa altura de grande instabilidade financeira e de crise internacional, é algo digno de registo». Tendo em conta as dificuldades que o tecido empresarial regional e na-

negócios e acesso a melhores condições de financiamento, o que justifica a inclusão de jovens empresários dos 18 aos 35 anos como beneficiários desta linha para ir ao encontro das dificuldades desta classe etária. No período de 2008-2011, já foram apoiadas pelas quatro linhas de crédito lançadas pelo Governo 775 empresas, com um montante de investimento de 71,7 milhões. Até ao momento, já foram emitidas 34,7 milhões de garantias. A nova linha de crédito destina-se às micro e pequenas empresas do sector secundário e terciário com menos de 10 milhões de euros em volume de negócio e menos de 50 trabalhadores, o que representa uma ferramenta para mais de 90 por cento do tecido empresarial ou para empresas que sejam detidas em 50 por cento, ou mais, por um jovem empresário. Há determinadas regras que são transversais a todos os sistemas de incentivos e que também, no caso do financiamento, não é excepção. O esforço por parte do orçamento regional obriga a que as empresas, por exemplo, estejam localizadas na Região, disponham de contabilidade organizada, não tenham incidentes junto da banca, apresentem declaração de compromisso de manutenção de volume de emprego e situação regularizada quer com a Segurança Social quer com as finanças. 

Os montantes de financiamento para as micro empresas vão até 25 mil e para as pequenas até 50 mil euros. Para projectos promovidos por jovens empresários, o montante é de 10 mil euros, tacitamente aprovado pela Sociedade de Garantia Mútua.

O

Chefe do Executivo madeirense salienta que «é bom lembrar que são culpados de todos estes problemas que temos de superar, que se o Povo Madeirense quiser vamos saber ultrapassá-los mais uma vez, são culpados daquilo que estamos e vamos sofrer, todos aqueles que, em Lisboa, nos recusaram uma Autonomia com amplitude bastante para nos permitir acautelar ante tanto disparate. São culpados, todos aqueles que nos agrediram financeiramente por medíocres razões políticopartidárias. Todos aqueles que, localmente, optaram por rasteiro demérito sociocultural, se deixaram subjugar por patologias psíquicas e foram colaboracionistas dos adversários do Povo Madeirense». No entanto, adverte o líder, «vamos em frente. Sem jamais abdicarmos de atingir a Autonomia a que temos Direito e que patrioticamente só reforça a Unidade Nacional. Vamos em frente porque, como é nossa Cultura e Tradição, mais uma vez, pelo Trabalho, ganharemos sempre todos os desafios». Em dia de festa, Alberto João Jardim elogiou o trabalho desenvolvido pelo presidente da autarquia, Miguel Albuquerque, e saudou e agradeceu «o leal companheirismo de percurso, em que a comunhão de Valores e de Princípios e a fé nos objectivos fundamentais de Bem Comum nos leva, cada um, pelo seu legítimo próprio caminho, mas que não nos permeabiliza ante aqueles que sabem que o bloco autonomista que solidificámos nestes mais de trinta anos apenas é quebrável por dentro». Orgulhoso do desenvolvimento que tanto o Funchal como toda a Região Autónoma da Madeira sofreram nas últimas décadas, o Presidente do Go-

«Vamos em frente.

9

Sem jamais abdicarmos de atingir a Autonomia a que temos Direito!» verno Regional salienta que «é espantoso o salto que o Povo Madeirense soube dar. Ninguém de bom senso, há trinta anos atrás, arriscaria prever a qualidade de vida que conseguimos na Madeira e no Porto Santo de hoje. Como também ninguém intelectualmente honesto se atreveria a dizer que não valeu a pena o que alcançámos, mesmo com os naturais erros de percurso, incontornáveis, dada a natureza humana. E também é natural que as pessoas olhem como um pesadelo para o passado recente de confronto com a República». Hoje, e como afirma Jardim «respirando mais fundo», e olhando para trás, muitos ainda se interrogam «como foi possível resistir, como foi possível sobreviver, como puderam as coisas não parar ante a força e a vontade de quem nos atacou». Na opinião do chefe do Executivo madeirense, «esta resistência de que nos orgulhamos, herdada daqueles que ao longo da História da Madeira souberam enfrentar, aguentar e sobreviver ao colonialismo, à extorsão interna e exterior e às injustiças sociais, mais uma vez se afirmou com sucesso. Precisamente quando também soubemos enfrentar serena, firme e planeadamente as tragédias de Fevereiro do ano passado. Toda esta luta, todo este grito permanente de afirmação e de Identidade de um Povo teve a Câmara Municipal do Funchal, os seus autarcas e a sua população na primeira linha da coragem, da acção e do bom combate». Portanto, reiteira o Presidente do Governo, «persistem os meus compromissos com esta edilidade». Alberto João Jardim garantiu que teremos a nova central de transportes públicos para o oeste da ilha, na Penteada, e os transportes para leste, na beneficiação do silo do campo da Barca. Começam já as obras do Centro para Deficientes Motores e a remodelação do Centro de Saúde do Bom Jesus. Durante o mês de Setembro, concursos para a beneficiação do Caminho do Lombo e para a construção da nova Escola Básica de 1º ciclo, com pré-escolar, do Imaculado Coração de Maria. No mês de Julho, foi aberto o concurso para a obra do Centro Cívico de São Roque. Em Agosto, aberto o concurso para a construção da nova Escola Básica de 1º Ciclo com pré-escolar das Romeiras, Santo António, que inclui o polidesportivo coberto destinado à utilização de toda a freguesia. Também em Santo António, em Setembro, abre concurso para requalificação da Escola Básica do Lombo dos Aguiares. Foram adjudicadas as obras dos jardins e arranjos no Pico dos Barcelos, no final da Primavera, estando o seu arranque dependente de uma reclamação de uma empresa concorrente da adjudicatária. Ainda em Santo António, inaugurada este mês de Setembro a primeira fase da ligação a três Paus e Viana, este  Governo conta construir a sua segunda fase, até ao Madeira Shopping. A obra de requalificação da Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-Escolar no Palheiro Ferreiro foi adjudicada na Primavera, mas impedimentos legais poderão obrigar a novo concurso que nunca ultrapassará Setembro. O Centro de Saúde, Segurança Social e Centro de Dia de São Gonçalo ficará instalado no novo Bairro em construção. O Governo tem contrato-programa para a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, na Boa Nova, a fim de a Comissão Fabriqueira poder iniciar a construção do respectivo Centro Paroquial. Para

além dos alojamentos, bem como das intervenções de emergência que foram já realizadas na recuperação de infraestruturas destruídas pelas aluviões de Fevereiro de 2010, nomeadamente linhas de água, intervenções já publicamente apresentadas à população, estão lançados, já durante este Verão, concursos públicos para a construção das seguintes obras, uma vez concluídos os respectivos e imprescindíveis projectos: - Troço Terminal da Ribeira de São João. - Troços Terminais das Ribeiras de João Gomes e Santa Luzia, incluindo o aproveitamento urbanístico do depósito de inertes, a poente, e a protecção marítima a nascente da foz das ribeiras. - Cais acostável no Porto do Funchal para navios de cruzeiro, em aproveitamento da necessária contenção do depósito dos inertes provenientes do 20 de Fevereiro. - Construção de 12 açudes (4 em cada ribeira) nas Ribeiras de João Gomes, Santa Luzia e São João, para retenção de material sólido. - Regularização e Canalização dos troços intermédios das Ribeiras de João Gomes, Santa Luzia e São João, incluindo construção de travessões e reparação e/ou

substituição de pontes. - Regularização e Canalização dos seguintes ribeiros: da Corujeira, no Monte, de Santana e Água de Mel, em São Roque, do Lazareto, em São Gonçalo, do Vasco Gil, em Santo António, e da Carne Azeda, no Imaculado Coração de Maria, bem como, ainda a reparação da Estrada Regional entre o Monte e o Poiso. Todos estes concursos públicos terão as sequências normais, impostas pela lei, quanto à análise de propostas e à decisão de adjudicação, com início de obras ainda este ano. De acordo com Alberto João Jardim, e «dada a situação financeira de todos conhecida, e porque não é meu hábito fazer promessas impossíveis, apesar da enorme quantidade de obras inauguradas ou a inaugurar no Funchal, assumo lealmente que houve que adiar, para o próximo mandato», diversas obras, como a reconstrução do Campo do Encontro, em São Roque, sendo necessário um projecto mais barato, as obras de restauro do edifício antigo da Quinta do Leme, com ginásio, o futuro Centro Cultural do Laranjal, os alargamentos da vereda de Santa Rita e do Caminho do Lazareto e a cobertura do polidesportivo do Colégio do Infante.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

J

cional passam, nomeadamente falta de liquidez e acesso ao crédito, estas linhas de crédito tornam-se essenciais para ajudar não apenas as micro e pequenas empresas como também os jovens empresários que, como refere o governante, «não querem encarar o desemprego como uma fatalidade e procuram através da criação de empresas ultrapassar a questão». Como referiu João Cunha e Silva, «a primeira fase deste ano serviu para apoiar 455 empresas e temos para uma segunda fase, que se inicia em Setembro, a expectativa de um número igual. O que traz como consequência a garantia de que estas empresas, pelo menos, por estarem a candidatar-se, estão em dia com a Segurança Social e com as finanças e têm condições para prolongar a sua vida, mantendo postos de trabalho e fazendo desenvolver a economia regional. Face a estas circunstâncias, e perante as dificuldades que o mundo nos traz, estamos a fazer mais do que parecia podermos. E creio que poucos podem nos acusar de não ter tido a preocupação de ajudar as empresas sempre que tal nos foi permitido, com muita imaginação, criatividade e ajudando muita gente. É bom que, cada vez mais, os madeirenses se fixem naqueles bancos que ajudam as empresas nos momentos mais difíceis». Esta linha de crédito contempla como operações elegíveis investimentos novos e necessidade de capitais permanentes, dando às empresas bonificação do “spread” e da taxa Euribor a três meses. Já as empresas estão obrigadas a várias condições, entre as quais o compromisso de manutenção dos postos de trabalho. A linha, além de uma função económica e financeira, tem também uma componente social. O objetivo é, como realçou Jorge Faria, presidente do IDE, consolidar e diversificar a base produtiva regional, a implementação de ideias de

O Concelho do Funchal celebrou, no passado dia 21 de Agosto, 503 anos de existência. Na sessão solene comemorativa, Alberto João Jardim lembrou que «termos pela frente o desafio de, mais uma vez, resistir, agora ante a situação a que irresponsavelmente foi trazida a República Portuguesa, desgraçadamente sob intervenção estrangeira, com os portugueses da Madeira e do Porto Santo a sofrer injustamente as consequências de políticas do Estado central e de um sistema capitalista sem regulação, situações contra as quais alertámos sempre e somos permanentemente oposição desde há mais de trinta anos».


«Não há solução para Portugal se não houver um 26 de Abril»

10

11

O Porto Santo foi, uma vez mais, palco da rentrée política do PPD/PSD-Madeira, com um grande comício que decorreu no passado dia 19 de Agosto. erante a multidão que se encontrava no largo junto à Câmara Municipal, Alberto João Jardim reforçou a importância das eleições legislativas de Outubro e avisou que «as próximas eleições serão entre Jardim e os Blandy e demais ingleses», que utilizam como marionetas a generalidade dos partidos da oposição, o Diário de Notícias e a RTP e RDP/Madeira. «Estas eleições serão entre os autonomistas sociais-democratas e os capitalistas ingleses que eram os donos da Madeira no tempo da Madeira Velha e os seus associados da burguesia rica mascarada de esquerda», afirmou o líder social-democrata, acrescentando que «eu não estou a concorrer a eleições contra o PS, o PP e outros dos géneros. Há aqui um embate que é entre o Alberto João e os interes-

ses que os Blandy e os outros ingleses representam, onde eles apostaram tudo, agora com o apoio da maçonaria, para me tentar derrubar e tentar derrubar o PSD. As próximas eleições serão entre o PSD e o grupo inglês que tem ao seu serviço as outras marionetas, que são aqueles partidos. Essa gente chegou ao ponto de entrar pelo PS adentro, encostar o líder que estava eleito pelas bases do PS, e puseram à frente, para ser candidato a presidente do Governo,

um indivíduo que era o deputado que organizou, com José Sócrates, a tal Lei de Finanças Regionais contra a Madeira. O povo da Madeira e do Porto Santo têm como candidato do PS um traidor que organizou toda a campanha de roubo contra o nosso povo». Além disso, Jardim teceu também duras críticas ao PP, que sempre fez coligações com o PS na Madeira e que recusa um acordo com o PSD. «Isto significa que o voto que alguém der ao PP é um voto

para reforçar o PS e a Esquerda. Não vos falo da CDU, do BE, dos fascistas do PND, do PTP de Coelho, onde estão todos os que não trabalham. Não perco tempo com eles». Na opinião de Alberto João Jardim, todos estes partidos marionetas têm dois suportes fundamentais, que são o Diário de Notícias e a Televisão dita da Madeira. Jardim lamenta ainda que ninguém tenha dado ouvidos quando, há muito e ao longo dos tempos, já vem avisando para os

este rombo contra as finanças da Madeira eu só tinha duas hipóteses: ou fazia como no boxe e desistia e acabava-se a educação, a saúde, uma porção de coisas que geravam emprego, ou então enfrentavaos, como enfrentei. E aumentava a dívida da Madeira». A opção foi mesmo «aumentar a dívida, ter a derrapagem financeira que tivemos, para podermos aguentar até eles caírem, como caíram, e agora eu poder negociar com o governo que é agora liderado pelo PSD. Não me arrependo da opção que tomei. Caíram os socialistas e agora vamos negociar com o Governo da República». Alberto João Jardim confessou ainda que «nunca pensei que o sistema capitalista se tornasse tão reles. O que estamos a passar deve-se a não ter havido autoridade sobre os bancos, mas sim autoridade dos bancos sobre os Estados, ao facto de ter havido uma especulação desenfreada. Hoje, eu estou mais à esquerda do que estava há trinta anos atrás. Continuo a acreditar no mercado livre e na economia de mercado, mas não sou tão procapitalista como era há trinta anos atrás. Hoje, estou mais à esquerda». Para o próximo mandato, há quatro grandes objectivos traçados. O primeiro, lembra Jardim, «agora que eu tive de aumentar a dívida pública da Madeira, teremos de recuperar financeiramente a Madeira. A Madeira tem muito patrimó-

nio, é mais do que suficiente para cobrir muitas vezes a sua dívida. O problema é liquidez. E precisamos dessa liquidez, com urgência, para podermos pagar os fornecedores em atraso, para poder terminar as obras que estão em curso. É nesse sentido que vamos procurar fazer um acordo com o actual Governo da República que socialistas na Madeira nunca conseguiriam fazer e seria o fim de tudo, e resolver a parte financeira». O segundo objectivo «é acabarmos todas as obras que estão em curso e tudo aquilo que está lançado». O terceiro objectivo é manter um Estado Social, ou seja, «com as graves dificuldades que aí vêm e já patentes nos orçamentos de 2012 e 2013, teremos de ter mecanismo para acudir às necessidades das pessoas.

Teremos de ter o Estado social a funcionar, porque as pessoas irão passar por muitas dificuldades e não podemos lhes faltar com o apoio que lhes é devido». O quarto objectivo é alargar a autonomia da Madeira na próxima Revisão Constitucional. O líder social-democrata madeirense aproveitou a ocasião para elogiar o trabalho realizado por Roberto Silva à frente dos destinos da autarquia porto-santense e deixou a garantia de que Fátima Menezes, que vai substituir o edil em Novembro, terá o mesmo apoio que sempre tem dado. «Vai assumir o lugar durante dois anos. Não é uma solução definitiva, mas poderá ser uma solução definitiva, pelo que teremos dois anos para pensarmos bem, PSD e povo, o que iremos fazer».

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

P

perigosos caminhos que Portugal trilhava e que o conduziu à actual situação e lembra que o Partido Social Democrata da Madeira sempre foi contra o regime político de 1976. De acordo com o líder social-democrata, «ainda hoje estou convencido de que não há solução para Portugal, se não houver um 26 de Abril. Esta posição contra o regime trouxe-nos problemas. O regime que está hoje em vigor assenta em muitos interesses económicos. Há muitas sociedades secretas. Pensando o povo que são os partidos a mandar, mas quem manda são gente dos partidos que estão nessas sociedades secretas e que fazem com essas sociedades secretas, nas costas do povo e fora dos quadros da transparência democrática, deem ordens no que se passa no nosso País. Façam-me a justiça de reconhecer que eu fui sempre contra este sistema político e que eu nunca tive ligações a sociedades secretas nem a qualquer grupo económico». O presidente social-democrata destacou a revolução tranquila feita na Madeira e o clima de paz social que cá se vive, devido à concertação social entre Governo, patronato e sindicatos. No entanto, lembrou que «em 2006, o governo socialista de Sócrates lançou um ataque financeiro contra a Madeira, violando a lei anterior, destruindo as nossas expectativas. E fizeram isto com a cumplicidade do PP. Com


12

13

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011


14

Semana da Juventude 2011

15

8 a 13 de Agosto Na semana que decorreu entre os dias 8 e 13 de Agosto, a Secretaria Regional dos Recursos Humanos, através da Direcção Regional de Juventude, promoveu a oitava edição da “Semana da Juventude 2011”.

E

sido feita em diversas áreas de interesse para os jovens, quer numa dimensão regional, quer europeia. Na Região Autónoma da Madeira, as comemorações do Ano Internacional da Juventude tiveram início na “Semana da Juventude 2010”, com um desfile de moda da autoria de jovens talentos, realizado no Jardim Municipal e culminou com uma panóplia de iniciativas na “Semana da Juventude 2011”. Com o objectivo de perpetuar a relevância do Ano Internacional da Juventude, no passado dia 8 de Agosto, foi apresentado um mural de azulejos pintado por um grupo informal de jovens, ao abrigo de um projecto financiado pelo Programa “Juventude em Acção”. Como temas subjacentes a este painel estiveram duas áreas que constituem uma preocupação actual da juventude, nomeadamente sensibilizar para o desenvolvimento do ambiente sustentável e para a promoção da arte, como veículo potenciador da criatividade e talento dos

jovens. A escolha do local para a exposição permanente desta obra de arte foi baseada no apoio e incentivo que a Direcção Regional de Juventude tem apresentado aos jovens criadores que apresentam projectos válidos e merecedores de projecção, bem como pela Pousada de Juventude do Funchal constituir um ponto de encontro, onde diariamente passam jovens de todo o mundo. E porque a “Semana da Juventude” é feita para e pelos jovens, as associações juvenis pelo papel preponderante que assumem, com a sua prática voluntária junto das comunidades e na sequência do Encontro Regional das Associações de Juvenis, apresentaram as suas actividades e projectos numa feira, que integrou associações da Madeira, dos Açores, Canárias, Polónia, Letónia, Noruega e República Checa. Esta mostra, que esteve patente ao público no Centro Comercial Dolce Vita, nos dias 9 e 10 de Agosto, resultou de um projecto de cariz transnacional entre a Associação Cultural Dragoeiro e uma

associação polaca ao abrigo de um Programa Europeu. Esta troca de boas práticas traduz a evolução que o trabalho em rede, ao nível regional, tem potenciado para o fomento do associativismo ao nível europeu e internacional. A Feira das Associações Juvenis constitui um momento por excelência de promoção das dinâmicas associativas junto dos jovens, em particular, instituições e sociedade, no papel que assumem no desenvolvimento económico, social e cultural. Dada a multiplicidade de nacionalidades e de âmbitos de actuação presentes na Feira do Associativismo Juvenil, foi promovido, paralelamente, um espaço de discussão e debate acerca das políticas de juventude e prática associativa, no dia 10 de Agosto, num Fórum Internacional de Juventude. Este Fórum constituiu um marco na construção de mais projectos de mobilidade no espaço europeu, destacando o que cada país e cada associação tem de melhor, em termos de práticas, na área da juventude, mobilizando cada vez mais

jovens para o engrandecimento do movimento associativo. No dia 11 de Agosto esteve presente ao público no Dolce Vita, mais uma edição do Mercado do Livro Usado, com literatura que englobou uma oferta superior a 2.000 exemplares e constitui uma oportunidade de encontrar livros únicos a preços acessíveis, versando variados temas de literatura infanto-juvenil, em língua portuguesa e estrangeira, fundamentais para o fomento da leitura e da ocupação dos tempos livres dos jovens. A grande procura em edições anteriores por obras que são raras no mercado, bem como o enriquecimento do acervo bibliográfico da Direcção Regional de Juventude têm constituído factores fundamentais na prossecução desta iniciativa, que é já um sucesso junto do público. A Semana da Juventude 2011 contou igualmente com a estreia da peça de teatro intitulada “(Im)próprios”, da autoria de Ivone Fernandes e Francisco Lobo Faria, estudantes de teatro. Esta peça resultou de um projecto desenvolvido por um grupo de jovens actores, cujo elenco é formado por elementos entre os dez e os vinte e oito anos e que apesar de estudarem áreas distintas, uniram esforços em prol de um projecto artístico em comum, que é o Teatro. No dia 12 de Agosto, dia Internacional da Juventude, teve lugar um dos momentos altos da Semana da Juventude, no Jardim Municipal, onde decorreu um Desfile de Moda, realizado em parceria com a Mo-

dage e os DDiarte e que contou com a participação de cerca de sessenta jovens, integrantes do Projecto ExpressArte. Neste desfile, os jovens finalistas tiveram a possibilidade de apresentar as suas colecções de moda e os trabalhos realizados nas sessões fotográficas, durante as várias edições deste projecto, que decorreram em vários concelhos da Região. A Semana da Juventude 2011 culminou com a realização de um evento de marca na área musical, com a 3.ª Edição do HipHop-Bus.

Os jovens foram desafiados a participar num projecto musical de hip-hop, por este estilo representar uma cultura que resulta da interligação entre a música, a poesia, a imagem e o movimento, muito popular entre os jovens. A coordenação deste concurso que envolveu jovens de várias escolas da Região esteve a cargo da Rádio Jornal da Madeira, em parceria com a Direcção Regional de Juventude. O concerto de encerramento deste projecto realizou-se no dia 13 de Agosto, no

Cais do Funchal, e contou com a presença de Boss AC e Filipe Santos, ícones deste género musical. A terceira edição do Hip Hop Bus levou o Cais do Funchal ao rubro, ao som de um estilo musical que tem ganho cada vez mais adeptos na Região. A Semana da Juventude 2011 constituiu mais uma oportunidade para evidenciar que ser jovem é ser activo e participativo no desenvolvimento das suas próprias capacidades e potencialidades na construção dos seus projectos.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

sta iniciativa foi composta por um conjunto de actividades que permitiram dar a conhecer o contributo dos jovens em áreas como a Inovação, a Criatividade, a Música, o Teatro, a Arte e a Moda, resultante de diversas actividades promovidas, ao longo do ano, pela Direcção Regional de Juventude. Essa Semana assumiu uma particular relevância pelo facto de se ter comemorado, de 12 de Agosto de 2010 a 12 de Agosto de 2011, o Ano Internacional da Juventude, que decorreu sob o lema “Nosso Ano Nossa Voz”, e ao qual a Secretaria Regional dos Recursos Humanos se associou através da Direcção Regional da Juventude, promovendo um conjunto de iniciativas dirigidas aos jovens, potenciadoras da sua energia, entusiasmo e criatividade. Consolidando a estratégia definida no Programa do Governo Regional, no qual se consagra a adopção de políticas de Juventude que promovam as capacidades dos jovens, a sua formação e participação activa enquanto cidadãos responsáveis e interventivos, a “Semana da Juventude 2011” veio evidenciar a aposta que tem


16

Turismo da Madeira uniformiza presença na Internet e redes sociais O domínio oficial do site do Turismo da Madeira (www. turismomadeira.pt) passou a ser o www.visitmadeira.pt. Esta alteração tem por objectivo uniformizar a estratégia promocional da Madeira na Internet e redes sociais, assim como facilitar o acesso à informação do destino por parte dos mercados internacionais. A concentração da informação promocional neste único endereço garante, à partida, que todos os mercados tenham um acesso mais facilitado e eficaz aos conteúdos que, através destas plataformas, a Madeira divulga. A estratégia de promoção levada a cabo pelo Turismo da Madeira, na Internet e nas redes sociais, tem tido bons resultados na maior interacção dos clientes com o destino e, nessa óptica, este é mais um passo no sentido de tornar o destino mais próximo e acessível a todos os mercados, respondendo, desta forma, à crescente procura que tem sido verificada. Ainda relativamente à escolha do novo domínio, é importante referir que o termo “visit” é um dos mais utilizados na divulgação dos destinos turísticos no mundo, pela facilidade de propagação da palavra nos diversos idiomas, indo, assim e pelo alcance que suporta, precisamente ao encontro daquilo que foi o objectivo desta Secretaria Regional ao implementar esta adaptação. Por último refira-se que, a partir de agora e no sentido de melhor potenciar o endereço ora ajustado, todos os suportes promocionais e informativos do Destino Madeira incluirão, paralelamente aos suportes digitais, este novo domínio oficial.

Promoção intensa a partir de Setembro

A Secretaria Regional do Turismo e Transportes, através da Direcção Regional do Turismo e da Associação de Promoção da Madeira, tem programadas inúmeras iniciativas de promoção para os próximos meses, numa óptica de captar mais turistas para o período de Inverno que se avizinha.  Para além da representação da Região nas Feiras do sector,  são  diversas as acções promocionais directas já previstas a partir deste mês de Setembro, através da realização de  campanhas porta-a-porta em Estocolmo, Copenhaga, Helsínquia e Oslo. Para o mês de Outubro, está previsto um roadshow no Reino Unido, que irá decorrer em Manchester, Newcastle e Glasgow, sendo que, no mês de Dezembro, será desenvolvido mais um roadshow, destinado especificamente ao mercado alemão. A promoção on line será outra das grandes apostas desta Secretaria Regional durante os próximos meses,  na sequência da estratégia que, a este nível, tem vindo a ser seguida. Estão previstas acções em diversos mercados, designadamente na Alemanha, no Reino Unido, na França, na Escandinávia e, eventualmente, na Bélgica e na Holanda, entre os meses de Setembro e Dezembro próximos. Também neste mês de Setembro, será lançado um microsite que terá por  objectivo alimentar a imprensa inglesa, alemã, austríaca e suíça, com notícias e com experiências sobre a Madeira,  um projecto  directamente ligado às redes sociais. A par destas iniciativas, a Madeira estará igualmente em destaque em campanhas outdoors, sobretudo na Alemanha, no Reino Unido e na Escandinávia. Existem, ainda, press-trips em desenvolvimento, previstas para Setembro e Outubro, oriundas da Alemanha, da Dinamarca, do Reino Unido, da Espanha, da França, da Suécia e da Itália.

A fidelização é um dos aspectos que caracteriza o Destino Madeira e que o distingue de outros destinos concorrenciais. Efectivamente, o facto de a Madeira ser uma escolha natural para muitos dos nossos visitantes, demonstra que, para cada um deles, somos a resposta e o local ideal. Um destino turístico que 45% repetem e que 73% consideram como primeira escolha.

S

ão os clientes repetentes que melhor passam a mensagem vivida daquilo que viram, sentiram e experienciaram a amigos e familiares, explicando as razões da sua preferência e, nessa óptica, acabam por ser os mais genuínos testemunhos de um destino que acolhe de forma especial e que dá motivos para regressar, numa próxima vez. Com o objectivo de enaltecer esta preferência e de agradecer a escolha continuada pelo nosso destino, a Secretaria Regional do Turismo e Transportes tem vindo a homenagear, pública e simbolicamente, os turistas repetentes, aproximando-os e designando-os por “Embaixadores” da Madeira. No passado dia 17 de Agosto, foi a vez de dois casais – um britânico e um francês – receberem esta homenagem simbólica, a cargo da

Animação turística em alta

Festa do Vinho Madeira 2011 promete surpreender

E

secretária regional do Turismo e Transportes, Conceição Estudante. O Casal Carter (oriundo do Reino Unido) visitava a Região pela 32ª vez, enquanto o casal Durand (de origem francesa) cumpria a sua 30ª visita. Ambos repetem o destino e repetem, igualmente, o Hotel em que permanecem nas suas deslocações – o Hotel Savoy. Tal como fizeram questão de afirmar, neste Hotel encontraram o conforto de “uma casa fora de casa”. O acolhimento e a qualidade do serviço prestado foram determinantes para que se mantivessem fiéis ao destino, do qual elogiam as paisagens, a beleza e a simpatia da população.   Ao todo, e entre 2006 e 2010, foram homenageados pela Secretaria Regional do Turismo cerca de 30 turistas repetentes.   À excep-

ção de um casal sueco – que visitou a Madeira 12 vezes e que foi distinguido em Outubro de 2007 – todos os demais visitaram a Região por mais de 25 vezes e cerca de metade já esteve entre nós mais de 50 vezes.  Destaquem-se dois casais, um de nacionalidade britânica e outro de nacionalidade alemã, que já visitaram a nossa ilha 70 e 75 vezes, respectivamente. Para a concretização destas homenagens, a Secretaria Regional do Turismo e Transportes tem vindo a contar com a progressiva adesão dos agentes hoteleiros que identificam e comunicam estas situações. Refira-se que a maioria dos turistas repetem não apenas o destino como o hotel em que ficam hospedados, o que também comprova que os serviços prestados estão e estiveram sempre à altura das suas expectativas.

Noites de Verão na cidade de Câmara de Lobos A Junta de Freguesia de Câmara de Lobos promoveu, na baixa da cidade, animação nocturna denominada “Noites de Verão”. A iniciativa teve lugar nos dias 12, 19 e 26 de Agosto, entre as 23:00 e a uma da madrugada, no Largo do Poço. Sendo esta uma das iniciativas previstas no plano de actividades desta instituição para o ano de 2011, pretendeuse, com esta primeira edição, animar as noites no centro histórico da cidade de Câmara de Lobos, divulgado assim este local como o pólo de animação nocturna do concelho e dinamizando o comércio local, bem como dar a conhecer alguns dos projectos musicais, locais e regionais. A Junta espera no futuro poder contar também com a colaboração dos comerciantes para oferecer um cartaz mais abrangente ao longo dos meses de Verão. Os comerciantes, por sua vez, louvaram a iniciativa, tendo inclusive alguns deles demonstrado abertura em colaborar em futuras iniciativas deste género. A animação esteve a cargo de bandas regionais, que dispõem nos seus elementos de artistas locais ou com ligações familiares à cidade de Câmara de Lobos. A Goog Good Band é um projecto relativamente recente. É uma

banda de blues/rock formada por Valter Cró, Frederico Cró, Énio Andrade e na voz Mariana Macedo, vencedora da edição das “Revelações de Verão 2009”. Tendo tido honras de abertura da iniciativa na noite de sexta-feira, 12 de Agosto. A 19 de Agosto, o duo Marco Gil e Miro Freitas, este último filho de um dos mais célebres artistas locais,Vasco de Freitas, animaram com sons latinos e reggae a segunda noite do projecto “Noites de Verão”. Para encerrar em beleza, no terceiro e último dia das “Noites de Verão” com a contagiante musica popular portuguesa, “Os Nova Onda”, uma das grandes bandas câmara-lobenses da actualidade. Desta feita, em dueto com Dinarte Pestana, nas teclas, e Mário Marques, na Voz, colocaram a baixa da cidade aos pulos. Com esta iniciativa a Junta de Freguesia de Câmara de Lobos, como habitualmente, voltou a promover a cultura e os artistas locais, bem como o centro histórico da freguesia, agradecendo a todos os que colaboraram com a iniciativa, em especial à Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Galaxy Paradise Lda, e a todos os artistas que acederam colaborar com a iniciativa.

nquanto iniciativa integrada no já consolidado cartaz de animação turística da Madeira, este evento consegue captar e atrair as atenções dos residentes e de muitos visitantes que se deixam envolver, activamente, nas festividades. Ainda que recorrendo a um investimento ligeiramente inferior ao do ano transacto, na ordem dos 115 mil euros, são muitas as novidades que resultam do programa deste ano. Em termos de ocupação hoteleira, a sondagem elaborada pela Direcção Regional do Turismo, a 18 de Agosto, apontava para uma taxa já superior aos 70%. O programa arranca com a VIII Semana Europeia de Folclore, no Auditório do Jardim Municipal do Funchal. Este ano, e no âmbito desta iniciativa, são esperados três grupos estrangeiros da Lituânia, Hungria e Venezuela e dois do continente português – o Grupo Etnográfico Rusga de Joane, de Vila Nova de Famalicão, e a Associação Etnográfica os Serranos, de Águeda – sendo que as restantes actuações ficam a cargo de ranchos Madeirenses, como é o caso do Grupo Folclórico e Etnográfico da Boa Nova e do Grupo Folclórico da Casa do Povo do Caniçal. No seu conjunto, o evento integra actuações de sete ranchos folclóricos que se prolongaram até ao dia 31 de Agosto. A partir de 31 de Agosto, a baixa citadina do Funchal acolhe, pela primeira vez, uma animação mais intensa, com encenações teatrais, música tradicional e a pisa da uva, no Largo da Restauração, novidades que vieram enriquecer o Programa e que prometem surpreender tanto residentes quanto visitantes. Entre 31 de Agosto e 4 de Setembro, a Placa Central em frente à Sé Catedral servirá de palco ao Projecto “Passado Vivo”, através do qual serão recriados vários episódios marcantes da história do Vinho Madeira no mundo, um espectáculo a cargo da companhia de teatro “Ordem da Cavalaria do Sagrado Portugal”. Actores e figurantes irão trajar-se à moda da época, de modo a criar o enquadramento necessário para que madeirenses e visitantes recuem no tempo e interajam neste cenário, tanto nas encenações como nos cortejos etnográficos. Sob a responsabilidade do IBVAM, os produtores de vinho de mesa e de Vinho Madeira irão divulgar o vinho assim como outros produtos regionais, com provas e ofertas, no espaço em frente à Secretaria Regional do Turismo e Transportes. Já no Largo da Restauração, a tradicional pisa da uva  servirá de mote aos espectáculos de música tradicional que, diaria-

17

mente, os grupos “Xarabanda”, “Banda D’Além” e “Flores de Maio” irão realizar, a partir das 21:00 horas. No dia 3 de Setembro, a freguesia do Estreito de Câmara de Lobos servirá de palco à habitual Festa da Vindima, com a apanha e pisa da uva na Quinta da Pinheira, seguida do tradicional cortejo etnográfico. No dia 4 de Setembro, a animação concentra-se, novamente, na baixa do Funchal. O Largo da Restauração recebe o Festival de Cocktails de Vinho Madeira (entre as 16:00 e as 20:00 horas), numa iniciativa da Associação de Barmen da Madeira. Ainda no âmbito desta Festa, refira-se que, entre os dias 31 de Agosto e 30 de Setembro, o espaço Infoart da Secretaria Regional do Turismo e Transportes irá acolher  a  “Maior Exposição Fotográfica do Mundo” – Funchal e Porto Santo 2011

– Exposição “American Circus in Britain” do fotógrafo João Carlos. Destaquem-se, ainda, as exposições etnográficas e os espectáculos que irão animar a baixa citadina do Funchal, com actuações de grupos folclóricos que se irão prolongar durante a tarde, abrindo espaço à animação nocturna prevista para estes dias.  

Porto Santo prepara chegada de Colombo A ilha do Porto Santo prepara-se para acolher, de 15 a 17 de Setembro, mais uma edição do Festival Colombo. A animação nas ruas, as actuações teatrais, as mostras de artesanato e de gastronomia, o cortejo histórico, as várias actuações de saltimbancos e bufões previstas, as arrufa-

das, os espectáculos de malabarismo e o fogo-de-artifício serão apenas alguns dos momentos fortes deste Festival, que será desenvolvido entre a Alameda Infante D. Henrique e a Praça do Barqueiro. Durante três dias, a chegada de Cristóvão Colombo ao Porto Santo, a sua recepção pelo Capitão Donatário, o seu casamento e alguns episódios da sua vida pessoal irão ser recriados, com muita animação à mistura, num ambiente festivo que simula o quotidiano quinhentista e de onde se destacam a feira, as arruadas, o cortejo de recepção a Cristóvão Colombo, a guarnição militar, as artes circenses, as cenas teatrais e a animação constante, assente na música e nas danças daquela época. A gastronomia quinhentista e o artesanato incluem, igualmente, o Programa deste Festival. Sublinhe-se que, à semelhança do que tem vindo a acontecer em anos anteriores, o Festival Colombo é aberto à população residente e aos turistas que nele queiram participar como figurantes. Do programa oficial, destacam-se: • A já conhecida Feira Quinhentista, com animação, artesanato e gastronomia, nos três dias do Festival, a partir das 19:00 horas, cuja abertura, no dia 15 de Setembro, marca o arranque do Festival. À semelhança do que tem vindo a acontecer ano após ano, o objectivo passa por promover e destacar tanto o artesanato como a gastronomia locais, característicos do Porto Santo, assim como os seus produtos mais típicos na produção agrícola. • Também no dia 15 de Setembro, o desembarque de Cristóvão Colombo, na Praia em frente à Praça do Barqueiro, a partir das 20:30 horas, seguindo-se depois o Cortejo de recepção. • Os espectáculos que serão promovidos no Palco da Praça do Barqueiro.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

Madeira divulga imagem no mercado internacional

Fidelização ao destino novamente reconhecida

A Festa do Vinho Madeira regressa ao Funchal e à freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, prometendo muita animação entre os dias 28 de Agosto e 4 de Setembro. Uma Festa de tradições e costumes que este ano conta com algumas novidades no seu figurino, concretamente no que toca à animação na baixa citadina do Funchal.


18

Casa do Estudante F De 19 a 22 de Agosto realizou-se a I edição da Universidade de Verão dos Estudantes Social - Democratas, no Porto Santo.

S

eis grupos de trabalhos compostos por 10 alunos formaram o painel de discentes desta iniciativa que contou com a presença de oradores de renome. Cada grupo estava referenciado segundo o nome de uma figura importante do Partido Social Democrata: Miguel Mendonça, Alberto João Jardim, Jaime Ramos, Virgílio Pereira, Carlos Machado e Sá Carneiro. De ressalvar que cada grupo contou com a ajuda de um orientador na elaboração dos seus trabalhos e questões a formular em cada painel ou conferência aos oradores e, ainda, para a realização da proposta a apresentar no terceiro dia de actividade. O primeiro dia de actividades, 19 de Agosto, teve a sua abertura oficial com Luís Freitas, director da Universidade de Verão, Dr. Medeiros Gaspar, Reitor da UV, Roberto Silva, presidente da Comissão Política do PPD/PSD Porto Santo, Bernardo Caldeira, presidente da Comissão Política da JSD Porto Santo, e Jaime Ramos, secretário-geral do PPD/PSD Madeira. Seguiu-se à sessão de abertura a conferência "Os Estudantes Social-Democratas", com o testemunho de ex-presidentes da Juventude Social Democrata da Madeira, nomeadamente Dra. Nivalda Gonçalves, Dr. Medeiros Gaspar, Dr. Rui Fernandes, Dr. Jaime Filipe Ramos e Dr. Miguel De Sousa. Ainda neste dia de trabalhos, pelas 23 horas, os estudantes laranja levaram a cabo uma campanha de prevenção sobre comportamentos de risco, pelo centro da cidade. No sábado, dia 20, os trabalhos iniciaram-se com o Painel Temático “Estado Social da Educação no Século XXI”, com o contributo da deputada da Assembleia da República pelo PPD/PSD Madeira e vogal da Comissão Politica da JSD/M, Cláudia Monteiro de Aguiar, e do presidente da JSD Nacional, Dr. Duarte Marques. Seguiu-se o Painel “Participação Cívica e Politica dos Estudantes” comandando por dois antigos Eurodeputados, Prof. Virgílio Pereira e Dr. Sérgio Marques. No princípio da noite, teve lugar a conferência “Serviço Voluntário Europeu”, com o Director Regional da Juventude, Dr. Jorge Carvalho, e um membro da Associação Crescer Sem Risco, Dr. Ricardo Teixeira. O domingo foi palco do Painel “Desafios após a conclusão do Ensino Superior”, com Dr. João Costa e Silva e Dr. Eduardo Costa. Pela tarde, uma houve simulação da Assembleia Legislativa da Madeira, sob a temática “O Estado da Educação em Portugal”, com a presença do Dr. Miguel Mendonça, presidente da ALRAM. Neste espaço houve oportunidade para cada grupo apresentar a sua proposta, para contraargumentar e, no final, votar acerca das seis propostas apresentadas. O último dia da Universidade de Verão contou com uma sessão de encerramento subordinada à “História e Vida do PSD/Madeira”, tendo José Pedro Pereira, Dr. Medeiros Gaspar e Roberto Silva como as figuras principais da tarde. O grupo vencedor foi o Grupo Sá Carneiro, que

Universidade de Verão 2011

oi no dia 12 de Agosto, Dia Internacional da Juventude, que a JSD/Madeira inaugurou o seu novo espaço na Travessa do Rego, junto à Escola Secundária Francisco Franco: a Casa do Estudante. Esta iniciativa foi uma forma de marcar este dia e de encerrar a Semana da Juventude promovida pela Juventude Laranja, entre 8 e 12 de Agosto. A inauguração deste espaço contou com sala cheia e com a presença de ex-quadros da JSD/Madeira e membros do Partido Social Democrata da Madeira, que de uma forma global elogiaram a preocupação da JSD com os estudantes da Região e o resultado final do espaço. Esta nova infraestrutura está equipada com uma biblioteca que está a compor-se, com alguns livros que estavam em armazém e algumas doações, uma área de lazer e uma sala de estudo equipada com

sofisticados dispositivos multimédia que permitem a polivalência do referido espaço. A Casa do Estudante tem como principal objectivo prestar auxílio a todos os estudantes que aí se desloquem para estudar e conviver, havendo sempre um funcionário presente para lhes assistir e posteriormente há a possibilidade de serem dadas explicações das mais diversas disciplinas. Aqui também funcionará a sede dos Estudantes Social Democratas (ESD’s). O Presidente da JSD/Madeira, José Pedro Pereira, referiu que esta era uma conquista já há muito sonhada por si e por toda a sua equipa, e uma forma de mostrar que a JSD/Madeira está cada vez mais empenhada em defender os interesses dos jovens estudantes madeirenses, e de contribuir para uma melhor Educação, com qualidade, rigor e excelência, na nossa Região.

Miss JSD/Santa Cruz No passado mês de Agosto, a JSD/Santa Cruz organizou o concurso JSD/Santa Cruz 2011, um concurso que contou com a participação de cerca de 15 jovens, que aderiram a várias actividades incluídas no concurso e promovidas pela organização, desde passeios a cavalo, de iate, visitas e sessões fotográficas no Centro Hípico do Santo da Serra, no Santo da Serra Golfe, estadia no Hotel Baía Brava, entre outras. No dia 12 de Agosto houve um desfile de apresentação das misses no Café do Jardim, no Caniço, e no dia 13 de Agosto teve lugar a final do concurso junto ao Mercado Municipal de Santa Cruz. Foram onze as candidatas que desfilaram para o júri, presidido por Antonela Carsta, ex-manequim e empresária na área da moda. O evento foi apresentado por Fernando Aveiro, apresentador de televisão. Entre os desfiles, vários artistas animaram o público, concedendo ao júri tempo para tomar a sua decisão. No final do desfile houve ainda oportunidade para os presentes observarem um espectáculo único na Madeira, onde várias catatuas protagonizaram momentos cómicos e de diversão. A vencedora do concurso Miss JSD/Santa Cruz 2011 foi Isabela Spínola, jovem natural de Santo António da Serra. Questionada sobre para si como foi esta experiência, responde que se sente lisonjeada por ter sido a escolhida dizendo que «é uma honra poder ser a cara de um núcleo do qual acredita nos princípios e ideais que o fundamentam, e que tudo fará para estar à altura da sua representação». O título de 1ª Dama de Honor foi para a concorrente Joana Santos, e 2ª Dama de Honor para Catarina Mata. Lissamar Gouveia foi a escolhida pelo fotógrafo oficial do evento como Miss Fotogenia, e Patrícia Teixeira foi eleita 3ª Dama de Honor e ainda Miss Simpatia.

Semana da Juventude N

teve como orientador Rómulo Coelho e tem como prémio uma viagem a Bruxelas. O melhor aluno da Universidade será anunciado na Expo Jovem e terá acesso directo à próxima Universidade de Verão do PSD Nacional. O líder da JSD/Madeira, José Pedro Pereira, anun-

ciou que em homenagem ao Dr. Alberto João Jardim, principal impulsionador do desenvolvimento regional, a iniciativa passará a chamar-se “Universidade de Verão Alberto João Jardim” e tem já agendada a próxima edição para Agosto de 2012, para discutir “A Europa e as Ultraperiferias”.

a semana de 8 a 12 de Agosto, a JSD/Madeira promoveu a Semana da Juventude, na qual foram abordados diversos temas. O primeiro dia, intitulado “Vida Saudável e Comportamentos de Risco”, foi dedicado à prevenção de alguns riscos para a saúde (álcool, tabaco ou drogas). Segundo a Juventude Social-Democrata da Madeira, tais comportamentos não promovem uma vida plena e saudável, podendo ser também evitados através da adopção de comportamentos adequados, como a prática de desporto e uma alimentação saudável. Deste modo, a prevenção e a educação são para a JSD/M uma prioridade. Vários jovens puderam realizar algumas actividades radicais (como o slide, rapel e escalada) no parque desportivo de Água de Pena, bem como assistirem a uma palestra do mesmo âmbito, orientada pela Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida”. O segundo dia, dedicado à “Inclusão So-

cial”, teve como objectivo sensibilizar os jovens para as diferentes realidades e problemáticas dos jovens com handicaps, sendo realizada uma conferência sobre a temática na sede do PSD/M. A mesma contou como oradores convidados, o presidente da Associação Portuguesa de Deficientes, Filipe Rebelo, a vice-presidente para a Juventude da Associação de Surdos da Madeira, Alexandra Reis; e um jovem cego, Fábio Freitas. No terceiro dia, a temática foi dirigida à “Importância do Desporto na Vida dos Jovens”. Neste dia foi levada a cabo na sede do PPD/PSD de Câmara de Lobos uma reunião com o presidente do Centro Social e Desportivo de Câmara de Lobos; o presidente do Grupo Desportivo do Estreito; o presidente da Associação Desportiva Cultural e Recreativa Bairro da Argentina; e um dirigente da Associação Náutica de Câmara de Lobos. Para enfatizar o dia, a JSD/Madeira realizou uma prova

de canoagem na baía de Câmara de Lobos para os jovens que quisessem participar. O penúltimo dia da Semana da Juventude ficou marcado pelo tema da “Prevenção e Segurança Rodoviária”, no qual foi organizado uma conferência, no Kartódromo do Faial, sobre a temática e que contou com a presença do orador convidado Paulo Silva, administrador da Escola de Condução Infante. No final da conferência decorreu uma

prova de Karting. O último dia da Semana da Juventude culminou com o Dia Internacional da Juventude. Tendo em conta os temas escolhidos e dinamizados ao longo da semana, a JSD//M adoptou uma linha de política geral e distribuiu panfletos informativos com políticas da juventude nas principais praias da Região Autónoma. Nesse dia foi também inaugurada a Casa do Estudante, no centro do Funchal.

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

19


REUNIÕES

20

Governo - Câmaras Municipais

Machico

E

Na Freguesia de Machico, durante o mês de Setembro, lançado o concurso para a ligação da Via Expresso ao Parque Empresarial. Neste verão é concretizado o contrato-programa com a Paróquia de Machico, para a construção das novas instalações paroquiais. Está já adjudicada a construção do caminho da Azinhaga, em Machico, que esteve impedida devido a um processo judicial. Decorrendo uma arbitragem sobre as obras já feitas, mas interrompidas pelo promotor, no Forte de São João Batista, o Governo Regional chamou a si a conclusão da obra. Transitam, para o próximo mandato, a construção do novo Pavilhão Gimnodesportivo de Machico e um novo edifício para instalações municipais.

Em Agosto foi lançado o concurso para a beneficiação do Polidesportivo na Escola da Ribeira Seca. No passado mês de Julho, foi já aberto concurso para a Estrada Seixo-Bemposta, em Água de Pena. No próximo mandato, o Governo Regional, em articulação com a Câmara Municipal de Machico, fará os seguintes caminhos: - Em Machico, da Ribeira Grande à Estrada Florestal da Fajã dos Rolos e entre o Caminho Municipal da Nóia e a Levada Nova do Caniçal. - No Caniçal, em Entre Águas. - No Porto da Cruz, na Terra Batista. - Em Água de Pena, na Achada. Ainda no próximo mandato, o Governo Regional apoiará a recuperação das capelas da Igreja Matriz de Machico, fechadas por ameaçar ruína.

Porto Moniz

são da piscina. A ligação entre o sítio da Fazenda e o Largo da Cerca, em Gaula, transita para o próximo mandato do Governo Regional. Em Agosto, foi aberto concurso para o prolongamento da “promenade” Reis Magos-Portinho, no Caniço. Aqui, no Caniço, um litígio judicial que envolve empreiteiros fez suspender o alargamento do Caminho Velho dos Reis Magos. Ainda em Agosto e também no Caniço, foi lançado o concurso para passeios e outros melhoramentos na Estrada Quinta Splendida-Cervejaria Alemã. No mês de Julho, foi também aberto concurso para o alargamento e a pavimentação da Estrada das Eiras. A construção da sede do Cruzado Canicense transita para o próximo mandato do Governo. Ainda no Caniço, no próximo mandato, será construída

uma nova área de lazer, nomeadamente para a população mais jovem. No próximo mandato, o Governo Regional, em articulação com a Câmara Municipal, procederá à construção dos seguintes caminhos: - Na Camacha: da Levada da Ribeira dos Boieiros à ligação Rochão-Eira da Cruz; da Igreja do Rochão à Ponte de Pau; Caminho Agrícola do Norte - No Caniço: caminho agrícola do Cabeço; caminho agrícola do Serralhal; - Em Gaula: caminho agrícola da Fazenda; prolongamento e beneficiação Pico Norte-Pico Sul. - Em Santa Cruz: prolongamento e beneficiação do caminho agrícola de Roma; Ribeira do Eixo à ligação Ribeira do Eixo-Lamarejas; Eiras Velhas-Boqueirão. - No Santo da Serra: Cruz-Morena; prolongamento e beneficiação do caminho da Madre d`Água.

próprios, não tendo ali o sector público responsabilidades financeiras ou de qualquer outra natureza. A estrada Terças-Salões vem sendo pavimentada à medida que a NATO, com tal responsabilidade, vá desen-

volvendo a implantação das novas tubagens. Para o próximo mandato, o Governo Regional deixou a construção da Estrada das Lombas e fará a reconstrução da Escola Secundária.

Apesar de todas as dificuldades que são conhecidas, o Partido Social Democrata conseguiu realizar o Programa a que se propôs para o Porto Santo.

E

O

da Ladeira da Vinha. Dada a impossibilidade financeira e a dificuldade de engenharia em construir o caminho agrícola Portal-Fajã da Eira-Cales, no Seixal, o Governo Regional, de acordo com a Câmara Municipal, trocou esta obra por outras duas. O caminho agrícola Penedo-Serra d`Água, cujo concurso foi já em Julho, e o caminho agrícola do Portal, cujo concurso é aberto no final deste Verão. Para o próximo mandato, como iniciativas novas, o Go-

verno Regional vai requalificar as instalações do Centro de Saúde e da Junta de Freguesia das Achadas da Cruz, bem como proceder à adução de água de rega para a agricultura no calhau da mesma Freguesia. Obras novas, do Governo, de apoio ao Programa da Câmara Municipal, serão os caminhos agrícolas Salão-Pico (Lameiros) e do Espigão, ambos em Porto Moniz, e, na Ribeira da Janela, a ligação Fajã Redonda à Estrada Regional.

ste acabou por ver concluída a sua marcha, com a abertura dos concursos, este Verão, para o novo Quartel dos Bombeiros, para a estrada Caminho da Areia-Camacha, para a pavimentação do acesso Pico do Castelo-Camacha e para a repavimentação, alargamento e melhorias na estrada Casinhas-Serra de Fora. Igualmente aberto este Verão, o concurso para o arranjo urbanístico e paisagístico no Espírito Santo, incluindo medidas de protecção à Igreja, bem como para o projecto imobiliário no Campo de Golfe. Procede-se, já, ao arranjo do passeio da Estrada do Penedo. Foi concluído e aprovado o Plano da Frente-Mar, estando os investidores privados em condições de avançar com as respectivas iniciativas. Quanto ao “Colombo’s Resort” prossegue a tentativa dos credores para estabelecer as bases do acordo que permitirá a conclusão da obra, no interesse deles

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

ingança política da maior baixeza que custou cerca de mil milhões de euros ao Povo Madeirense, ao longo de seis anos e meio, não só em dinheiro que nos foi roubado, mas também nas dívidas para com a Região que o Estado socialista não pagou e nos Fundos Europeus que não pudemos aproveitar, precisamente por nos terem sido retirados os meios financeiros. A acrescer a isto tudo, a tragédia das aluviões de Fevereiro do ano passado e os enormes custos de reconstrução. Mas o Povo de Santa Cruz levantou sempre a cabeça e foi em frente, realizando o Programa do Partido Social Democrata. Dados os respectivos custos financeiros, a pavimentação e alargamento do Caminho da Fonte, em Santa Cruz, já aberto em terra, ocorrerá no próximo mandato. Em Setembro, lançado o concurso para o Centro Cívico do Santo da Serra, que engloba um Centro de Dia, a Junta de Freguesia, a Casa do Povo, Jardim de Infância e a sede do Clube. A Estrada Regional das Carreiras é objecto de concurso no mês de Setembro, para uma sua beneficiação. Igualmente em Setembro e também na Camacha, o Governo abre concurso para a construção do Centro Comunitário da Nogueira, que inclui lar para idosos e área para apoio a jovens. No mês de Junho foi aberto o concurso para a construção do auditório na Camacha, com estacionamento e Mercado para venda de produtos agrícolas. Na mesma Freguesia e no mês de Agosto, foi aberto o concurso para a ligação da “via expresso” ao Parque Empresarial. Entretanto, proceder-se-á à requalificação do Largo da Achada, no próximo mandato do Governo Regional. Conforme compromisso do Governo Regional, será coberto um espaço desportivo no complexo da Associação Desportiva da Camacha, apenas após a conclu-

Porto Santo

O programa de infraestruturas do Concelho do Porto Moniz foi praticamente cumprido, apesar do garrote financeiro feito pelos socialistas à Madeira. Com o lançamento das últimas obras ao longo deste Verão, só uma transita para o próximo mandato. melhoramento da Estrada entre a Santa e as Achadas da Cruz iniciou-se este Verão. Terminada a Feira Agro-Pecuária, o Governo procede a arranjos no local, para acontecimentos públicos. Entretanto, como obra de relevo para o próximo mandato, construir-se-á nesse local uma grande lagoa, a qual não só embelezará a referida zona, como será fundamental para reserva de abastecimento de água aos agricultores. A obra deste programa, que transita para o próximo, é a construção de uma Praceta frente à Igreja do Seixal. A presente situação financeira é incomportável com o custo dos terrenos que, para o efeito, é necessário expropriar. Em Julho, decorreu já o concurso para novos estacionamentos no miradouro do Véu da Noiva e, em Setembro, estará já no terreno a construção dos estacionamentos

Como todos os Concelhos da Madeira, Santa Cruz sofreu também as represálias vergonhosas do Governo do Partido Socialista.

V

Depois de um período de obscurantismo fascista, dominado por uma família liderada por um clérigo suspenso, a Sabedoria do Povo de Machico veio ao de cima e o Partido Social Democrata realizou a obra que está à vista de todos, procurando cumprir o seu Programa com todo o esforço.

isto, quando o Governo socialista, nos últimos seis anos e meio, por vingança miserável sobre o Povo, roubou quase mil milhões de euros à Madeira, quer cortando-nos transferências, quer não nos pagando o que devia, quer impedindo-nos de recorrer aos Fundos Europeus na medida em que nos tirara o dinheiro que permitiria aproveitá-los. O Governo socialista nem respeito teve pelas catástrofes que sucederam na Madeira. Entretanto, quanto a obras no litoral da Freguesia do Porto da Cruz, neste verão, o Governo lança concurso para pavimentar o acesso já existente de ligação marginal à praia da Maiata, bem como para arranjos no cais e no caminho que lhe dá acesso. A ligação da Estrada Nova à Cruz da Guarda foi adiada para o próximo mandato do Governo. Neste verão, no Santo da Serra, lançados concursos para interceptor de esgotos e para arranjo de jardins no centro da Freguesia. No Caniçal, em Agosto, foi lançado o concurso para o parque de estacionamento à superfície, e a sede do Clube de Futebol do Caniçal ser-lhe-á entregue após a inauguração do novo Museu da Baleia.

21

Santa Cruz


22

23

São Vicente Apesar de todas as dificuldades vividas nos últimos seis anos, o Governo Regional foi realizando o seu programa para o Concelho de São Vicente.

E

ste Verão foram abertos concursos para a melhoria no litoral do Clube Naval de São Vicente, para o ramal da via-expresso ao Parque Empresarial de São Vicente, para o pequeno cais de Ponta Delgada, para a remodelação do Centro Cívico de Boaventura, onde ficará também a Junta de Freguesia, e para o Jardim de Boaventura. Sem estar a obra interrompida, mas a um ritmo muito mais lento por razões de financiamento, vamos executar o que falta para concluir a via-expresso Santana-SãoVicente. Uma recusa de “visto” pelo Tribunal de Contas, por causa de alteração da legislação pela anterior Assembleia da República, obrigou à reabertura de concurso, durante este Verão, para a recuperação e requalificação da Escola da Vila de São Vicente. A nova ETAR de Ponta Delgada fica a cargo da Empresa “Águas e Resíduos da Madeira”, constituída pela Região Autónoma e Municípios. A Segurança Social nacional, no anterior Governo socialista, cortou todas as verbas destinadas a investimentos na Madeira, pelo que não foi possível lançar a obra do Lar da Terceira Idade com jardins públicos na Ponta Delgada (Solar D. Hilária). Transita para o próximo mandato. O Governo Regional assumiu este Verão a responsabilidade pela cobertura do polidesportivo de Ponta Delgada, para actividades de inverno, e abriu concurso, porque a

Associação Desportiva local não quis responsabilidades financeiras, apesar de estas se encontrarem garantidas por aval do Governo. Para o próximo mandato transitam as pequenas obras da frente-mar, em São Vicente, e a estrada Cardo-São Cristóvão, na Boaventura. O Governo Regional procederá à consolidação da orla marítima da Ponta Delgada, a fim de proteger a população e suas residências.

No próximo mandato do Governo Regional social-democrata serão construídos os seguintes Caminhos: - Porta da Serra-Bica, com ligação ao Cabo da Ribeira, na Freguesia da Boaventura. - Lamaceiros-Segunda Lombada e Miradouro-Primeira Lombada, na Freguesia de Ponta Delgada. - Cascalho-Lombo do Cravo; Ginjas-Miradouro; BicaLameiros; e Caminho da Madeira-Achada, todos na Freguesia de São Vicente.

sociativas. Neste mês de Setembro, aberto o concurso para a construção da 2ª fase da via expresso Ponta do Sol-Canhas, que permitirá esta Estrada rápida atingir os Canhas. Em Agosto, lançados já os concursos para os caminhos municipais Girão-Lombo do Meio e Grama-Vale e Cova do Pico, nos Canhas. Durante o mês de Setembro, o Centro de Dia da Madalena do Mar abrirá em instalações da Segurança Social. Após a inauguração da via expresso em túnel, passando na Madalena até ao Arco da Calheta, a Estrada litoral da

Madalena será submetida a arranjos atractivos propostos pela Câmara Municipal, quer para melhor utilização pública, quer para captar investimentos, como aposta para o próximo mandato. Estão executadas as redes de esgotos na Madalena e, até ao Natal, serão ligadas, por elevação, à ETAR da Ponta do Sol. Neste Verão, e ao abrigo do programa para os caminhos agrícolas, é lançada a 2ª fase da ligação ao sítio do Lombo, Madalena do Mar. Prosseguirão os apoios à habitação.

Ponta do Sol No meio de tantos obstáculos, o Governo do PSD praticamente conseguiu realizar o seu programa na Ponta do Sol, concluindo o seu lançamento, agora no Verão. Lar de Terceira Idade da Ponta do Sol, que iria ser construído com fundos da Segurança Social nacional, viu-se adiado pelo facto de o anterior Governo da República ter cortado os respectivos investimentos em todo o território nacional. Assim, o Governo Regional decidiu adaptar, para o efeito, o edifício da Fundação João Pereira, como solução mais barata e a seu cargo. Expirado o prazo para a Região adquirir a propriedade plena do imóvel da Escola Velha, o Governo Regional vai vendê-lo em hasta pública para, com essa receita, ser possível iniciar a construção da Escola Nova (1º ciclo) da Ponta do Sol. Foi já lançado o concurso para a construção da ligação Pomar D. João-Paul da Serra. Neste Verão, é estabelecido contrato-programa entre o Governo Regional e a respectiva Paróquia, para a construção do Salão Paroquial da Igreja do Monte, Ponta do Sol. Neste mês de Setembro e ultrapassadas as dificuldades legais que os socialistas tentaram mover contra o desenvolvimento do Lugar de Baixo, é aberto concurso para o aí projecto imobiliário da Sociedade de Desenvolvimento Ponta Oeste. Em Julho, foi aberto o concurso para o alargamento e beneficiação da Estrada entre a recta dos Canhas e Carvalhal. O Governo Regional decidiu a adaptação do prédio velho da União de Cooperativas, nos Canhas, para aí poder instalar um Centro de Actividades Múltiplas e sedes as-

1 a 15 Setembro 2011

1 a 15 Setembro 2011

O


1 a 15 Setembro 2011

24


Madeira Livre | Nº44