Issuu on Google+

3


toma!

Adelmo J煤nior Smith de front Renato Cust贸dio


Adelmo JĂşnior


Editorial A idéia de fazer essa revista surgiu vendo a quantidade de gente que trabalha fazendo o que gosta, sem reconhecimento, sem espaço, devido a carência em mídias especializadas em skateboard no Brasil, mas principalmente no Rio de Janeiro. Então surgiu essa vontade de mudar e fazer acontecer. O projeto continua e é com muito prazer e orgulho que apresentamos mais uma edição, mais colaboradores, novas idéias, mais sonhos. Obrigado aos que acreditam no projeto, ele é feito pra todos, com o propósito de fazer crescer aquilo que acreditamos e tanto amamos. A Journal art form é feita de sangue, de sentimentos, coração. Seja bem vindo! Esperamos que aprecie, caso tenho reclamações, dúvidas ou sugestões e críticas, envie-nos um e-mail: journalartform@gmail.com O melhor esta por vír, acredite nos seus sonhos, faça com amor. Fábio Tirado

3

Capa: Leo Rodrigues Foto: Cauã Csik Catedral de Petrópolis/RJ


Colaboradores: Fábio Tirado Renan Monteiro Paulo Macedo André Lisboa Antonio Tebyriçá René Jr Cauã Csik Dhani Borges Felipe Távora Dalmo Roger Pirikito Sem Asa

Agradecimentos: Adonis Perfeito Fernando Martins Ferreira Fernando Menezes Jr. Gerson Jr. João Marcelo Martin Renan Carvalho Maria Hennies Julia Murad

Ilustração Thiago Resende


Robinho Noseslide Renan Monteiro


Índice Mera - doido da vez

10

Goiás - trip

20

Sonia - artista

28

Alex Carolino - entrevista

34

aleatórias

46

Alber Leandro - amador

64

Petrópolis - crew

74

Prisma - vídeo

80

Luzes

88


CASA DA

MATRIZ


casa da matriz - rua henrique de novaes, 107, Botafogo facebook.com/casadamatriz

Robson Bomber Foto Daniel Koslinski


doido da vez

Ionir Vital

"Mera"

Texto Fabio Tirado Fotos: Dhani Borges e Fernando Matins Ferreira

I

onir Vital é respeitado, admirado e querido por todos. Uma pessoa humilde e com uma personalidade rara, sempre de bom humor e tornando a vibe sempre positiva, aonde o Mera chega é sempre bem vindo. Indo de um pico pra outro ao lado dele, me contou a história dessas fotos que vocês estarão vendo nessa matéria. Com muito orgulho e satisfação digo que ele representa da melhor forma o skateboard carioca.

Foto Fernando Martins Ferreira

10


11


Blunt de front Foto Dhani Borges

12


Half-cab flip Foto Dhani Borges

-Só pra começar, porque ‘Mera’? Posso te chamar daqui em diante assim ou prefere Ionir? Tenho esse apelido desde mulequinho, desde os 4 anos de idade. Só mais velho fui perguntar aos amigos porque do Mera, me falaram algo como mera coincidência, pelo meu nome ser o mesmo do pai, sendo eu o júnior. Mas na real eu acho que nem eles sabem o porque do Mera. -Legal Mera. Nessas fotos, você ta com estilo bem diferente de hoje em dia, cabelo grande, roupa folgada... Já faz muito tempo que rolaram essas fotos? Na verdade essas fotos foram em 2007, 2008. Na época eu tinha uns patrocínios e tava fazendo muitos vídeos e anúncios. O Dhani borges, que trabalhava numa revista veio com a idéia de fazer uma matéria, e ai tava rendendo e numa das sessões eu torci o joelho. Fiquei uns 8 meses sem andar e acabou que não conseguimos terminar a entrevista. -E porque a entrevista não rolou? Porque não tinha fotos suficientes... 13


Crooked de front Foto Dhani Borges

14


15


doido da vez

-Então pra fazer essa tal entrevista, você teria que voltar nos picos e fazer tudo de novo, porque seu estilo mudou, é isso? Na minha cabeça eu acredito que não teria necessidade, mas as pessoas acham que fotos tem prazo de validade, e eu acredito que elas são o registro eterno de coisas que eu não faria hoje em dia, assim como tem coisas que eu faço hoje que não fazia naquela época. -Tu se considera local de que lugar? “Ta sumido Mera”, cara não sou local de nenhum lugar, não importa aonde seja, largo do Bicão, Praça XV, Du ó, pista, rua, gosto de variar, apesar de que eu gosto muito da praça xv. Skate não tem barreiras, se tu gosta de andar de skate tem que andar em todos os lugares. 16

Nollie shovit Foto Dhani Borges


Porque você anda de skate? O que te motiva a andar? O Skate me motiva de várias formas, me sinto feliz andando, me sinto bem, quando to stressado, quando to feliz, é a coisa que mais gosto. Sair pra dar uns impulsos, uns ollies, encontrar com os amigos e nem andar, ficar ali trocando uma idéia. Acho que skate é muito mais do que uma galera acha que é. Me lembro de um dia, logo após meu pai falecer, meu irmão tava se casando e indo morar lá em casa. Dei todos os meus móveis pra ele e fiquei só com um colchonete e uma tv. Pelo fato do meu pai ter falecido, eu tava deixando o skate de lado, tava pra baixo, deprimido, sem fazer nada, só vendo tv no quarto. Minha mãe bateu na porta do quarto um dia e disse que tinha uma galera me chamando. Era o Marcellinho e o Dente, “qual é mano, bora andar, ta ai fazendo nada mano.” Ai foi a hora que eu peguei a mochila, botei as roupas dentro, e sai com os amigos, sem hora pra voltar pra casa. Andamos nos picos, filmamos, nos divertimos e vejo, como um pequeno detalhe mudou tudo, meus amigos. Isso abriu mais minha mente, me mostrou que meu mundo é o que eu faço há 15 anos, meus amigos de verdade fazem questão de estar junto contigo, não importa se tu é foda, se tu é ruim, importa que tu ta ali, tua presença é o que importa. Foi ai que deu o boom, filmei pro vídeo DSAL(Dorme sujo acorda limpo), tirei várias fotos com o Renê Jr, rendeu, sai da depressão e voltei a vida, skateboard é minha vida.

Pole jump Foto Fernando Martins Ferreira

17


O Skatista/Fotografo/Motoqueiro/Neo-Hippie de plantão, Cauã Csik, em novembro do ano passado após uma série de trabalhos cansativos por assim dizer (pois aposto que não estava trabalhando na construção civil esse menino), percebeu que não havia mais nada o que fazer a não ser tirar uns dias de ferias (dez para sermos mais precisos), juntando a fome com a vontade de comer, se dirigiu sem mais e sem menos a Goiânia graças a um convite de uma amiga de lá e também deu um pulinho em Anápolis. 20


Fotos: Cau達 Csik Texto: Pirikito Sem Asa

Gustavo Dias fs bigspin

21


trip

Mayday grind Pedro Dezzen

S

egundo ele, em ambos municípios há muitos picos para se andar e uma moçada que a la Pontus Alv constroem obstáculos em quadras e praças, também fazem obras de manutenção desses lugares para se poder andar ainda mais. O Raphael Gibson vulgo Paraná, na época ao saber desta jornada e pelo fato de que Csik não conhecia ninguém ligado ao skateboard por aquelas bandas do Serrado, o colocou em contato com o Pedro Dezzen. Este que na maioria dos picos que saiu para andar com o Cauã, só mandava manobras de Switchstance, acabou se tornando um certo tipo de anfitrião/guia. Nas demais fotografias são três camaradas de sessão do Dezzen andando.

22

Tem uma moçada que a la Pontus Alv, constroem obstáculos em quadras e praças


Ss ollie Pedro Dezzen

Rodrigo Ribeiro Blunt transfer 23


Pedro Dezzen Ss Rockslide

ss varial heel

24


Ss flip

25


trip

Como o motivo que levou nosso aprendiz de “Easy Rider” para o Centro-Oeste era o descanso da rotina de cliques e mais cliques, as roles foram sem compromisso e mais naquela de conhecer as cidades ao acompanhar os novos amigos. Diga-se de passagem, que os quatro em questão andam muito e em um ritmo de vida monstro. Só vendo para entender, relatado a mim pelo descendente de húngaros (Cauã). Conversa vai, conversa vem, e por que não fazer uma matéria a respeito? O registro já estava feito e o skate vem fluindo bem em Goiás, seja em picos, diferentes estilos, pessoas... Na sua grande maioria bem receptivas, ao ponto de te fazerem sentir em casa. Que aqui conste, que o Henrique Marques da Simple, mesmo não aparecendo nas fotos, é uma dessas pessoas que fazem acontecer e dão força a cenas locais, neste caso Goiânia, Brasília e regiões.

ss crooked

26


Conheça a Skate in Rio a maior variedade de produtos e equipamentos para o seu rolé

RIO SK

RIO SK

ATE IN

ATE IN

27 Madureira Shopping - 3º Piso


artista

Texto: Julia Murad

A jornalista da Journal, Julia Murad teve uma conversa com Sonia Khenfech, que faz parte do movimento do skate DIY de Montreal, no Canadá. O projeto se chama Projet 45, que controi picos de street na cidade. Além disso ela é artista, tira fotos de manobras projetadas , confira.

De qual pais você é? França mas eu moro em Montreal, Canadá Com o que você trabalha? Com arte e skate. Trabalho no museu de arte contemporânea de Montreal. Sou assistente de arte e tenho alguns trabalhos artísticos próprios e organizo uma vez por ano uma exposição de skate DIY. Como é a cena de skate de Montreal,é grande? Sim,aqui é bem grande

Você tem um site para mostrar seus trabalhos? Sim! Claro! http://soniakhenfech.blogspot.ca/ Apesar do site ainda n estar muito bem atualizado,ainda precisamos colocar Novos trabalhos online. Quando você começou a fazer isso? Eu comecei a andar de skate 15 anos atrás e comecei a fazer este tipo de trabalho na faculdade. Aqui tem mais um link do evento de skate e art que organizo em Montreal. http://collectif45mtl.blogspot.ca/

28


Qual a diferença que o movimento DIY faz para você? Não tem muitos skateparks pela cidade?

Existem muitas meninas participando do movimento de skate ai em Montreal?

Na verdade não,por isso que construímos o máximo que podemos por conta própria. Cada pessoa se inspira pela vontade da outra de trabalhar junto em nome do amor que temos ao skate e a arte pra mim,também envolve tudo isso.

Sim,tem bastante,inclusive,tem um grupo de meninas chamados skirtboarders . Eu não faço parte da galera delas mas sou uma grande fã e eventualmente andamos de skate juntas.

Você conhece alguma coisa da cena de skate no Brasil e do movimento aqui? Só conheço através do que o Fabio tirado contribui e é uma grande inspiração para mim saber que este movimento acontece em outros lugares do mundo.

Como você faz para mover a cultura do skate para o publico? Bom,eu inclusive fiz um recentemente na franca. Organizei um concurso para uma loja de skate e como eu disse,arte e skate andam juntos para mim. ´E importante mostrar estas atividades para outras pessoas,de repente elas descobrem que é realmente isso que gostam de fazer. 29


Quais suas maiores inspirações para criar sua arte? Tudo que está ao meu redor,pessoas,sentimentos,não sei,acho que sensibilidade, cada um interpreta as situações de forma diferente... acho que tenho uma visão totalmente voltada pro DIY . A gente não pede autorização nem pergunta para ninguém se podemos organizar um evento,nós simplesmente fazemos acontecer,damos um jeito de encontrar um patrocinador. É muito difícil achar uma galeria disposta a trabalhar com nossos objetivos. Porque você acha muito difícil as galerias toparem o trabalho de vocês? Eu não to dizendo que é impossível mas é necessário encontrar uma boa pessoa pra fazer parte mesmo. Nada é impossível mas também não tem

30

Milagres para conseguir isso. Quais seus próximos projetos e idéias? Acabei de fazer uma instalação de arte no palácio do congresso de Montreal e também comecei a trabalhar numa próxima instalação. O nome de uma das instalações é Narcisse e a outra que também estou trabalhando se chama ‘’crazy you,crazy me’’ Muito obrigada,Sonia! Prazer! Obrigada vocês!


Q:Why Vans is involve with Project 45? R: The association with Vans and Project 45 started 3 years ago when we notice a bunch of skaters working together to built a skatepark in Montreal. We saw how the skaters/workers involved in Project 45 where passionate on building a real skatepark built by skaters for skaters and also bringing the Montreal skateboard community together. When Yan Tremblay came to us to support Project 45, it was an easy decision to give them money to build more obstacles but we taught it wasn’t enough so we decided last year to do a shoe collaboration with them and Leeside (another D.I.Y. spot in Vancouver) to raised more money. We end up raising $16 392,97 Canadian dollar for both Project 45 & Leeside and donated the proceeds for the maintenance and the construction of new obstacles. This year Vans is partnering with Project 45 again for the second edition of their collective exhibition at the OTH Gallery next September.

31


32


33


34


ALEX CAROLINO ROLÉ PESADO Fotos: Renê Jr. Texto: Dalmo Roger

35


entrevista

Q

ual a importância da teoria da relatividade no dia a dia de alguém que tem um pop fora do comum? Sim!!! Isso foi um elogio. Muito importante, uma vez que a técnica e a força aplicadas na hora de bater a manobra influenciam diretamente na altura da mesma. Obrigado pelo elogio (risos).

36

Sua opinião sobre a teoria de que a água de Curitiba tem uns problemas e isso faz um grupo grande de pessoas, numa cidade nem tão grande se destacar é a mesma dos pesquisadores? Será que eu estou falando besteira na minha interpretação de puxa saco ou estou simplesmente repetindo o que outros dizem?

Sim a agua de Curitiba é muito boa, a Sanepar presta serviços de fornecimento de água tratada, coleta e tratamento de esgoto sanitário e gerenciamento de resíduos sólidos. Isso faz diferença, mas acima de tudo a garra do povo brasileiro em superar dificuldades e se destacar, seja na área do esporte, artes e ciências, n’os brasileiros somos foda!


Já imaginou na fórmula Pop=Gene.c2 se não tivesse a velocidade da luz para compor? ahhhhh... Esquece essa besteira e me fala um pouco sobre como é enfrentar um momento ruim, até um momento muito bom nessa carreira de skateboard profissional? Pode usar referências fora e dentro do Brasil, que sei que você tem muito para falar! Acho que tudo na vida vem com um aprendizado, a gente só deve estar atento para perceber a oportunidade de crescimento que vem junto com situações, sejam boas ou aparentemente ruins. Nada no

mundo é ruim apenas, nossa percepção dos fatos as tornam boas ou ruins. O importante e manter a mente aberta para a resposta e evoluir. Não existe problema sem solução! Nem evolução sem dificuldades. A chave esta em você. Espaços entre a luz e a falta de luz não tem energia! Claro que tem e sei que você acabou de provar... Sim.

Branco e preto se mesclam? Saúde e Educação? Longboard e skateboard são skateboards? Hum? Acho que pensei na bandeira do Brasil e essa frase militar ridícula de ordem e progresso. Esquece vai! Ordem e progresso, hum. Seu sentido é a realização dos ideais republicanos, a busca de condições sociais básicas (respeito aos seres humanos, salários dignos etc.) e o melhoramento do país (em termos materiais, intelectuais e, principalmente, morais), mas no skate é a ordem das manobras na linha e o progresso dos skaters.

Nada no mundo é ruim apenas, nossa percepção dos fatos as tornam boas ou ruins. O importante é manter a mente aberta para a resposta e evoluir. Nollie Shifty

37


HZC

Fs Nollie Heelflip Ss Manual Ss Shove it Out 38


39


Carolino é pesado! Eu fico muito puto, porque tu é massudo porra! A massa é uma medida da inércia de um corpo, uma grandeza escalar que mede a posição que um corpo apresenta a mudanças em sua velocidade quando observado a partir de um referencial inerte. Pesado sou eu! Você acha que a idade pode te tirar algo que sua mente não poderá repor com a sua experiência de carreira? Falei essa merda toda para perguntar apenas isso! Felicidade. Com esta palavra defino que amor ao skate é eterno, Com certeza terei limitações físicas para praticar o skate no futuro, mas hoje procuro me cuidar para ter um rendimento bom e evoluir no que faço. Tudo na vida é transitório, vou ficar velhinho e ai deu né...sou filho, hoje pai e amanha serei avô. Entendeu?

Tá rolando, tem muita gente vivendo do skateboard profissionalmente como atleta.

As teorias da conspiração do mercado do skateboard são perfeitas no seu entendimento?

Você acredita em extraterrestres? ... eu sim, senão não estaria escrevendo essas perguntas e falando mais de mim do que de você.

Cada um vê com seus olhos e faz julgamentos baseados em sua própria experiência, eu defino tudo isso assim “Jogo de influência e interesses”.

Você desejou ser skateboarder desde menino ou pensou em ser médico e/ou engenheiro? Pode reclamar vai... Que pergunta é essa? Quando eu era criança queria ser caminhoneiro, pegava uma tampa de panela da minha mãe (volante) e uma escova de cabelo (o câmbio) e saia viajando na imaginação. Fico feliz que comecei a andar de skate, hoje vivo do skate e viajo o mundo. Qualquer credo comprovaria o fato de que para você ser skateboarder profissional, você precisa ser realmente maluco? Não, só precisa ir atrás do seu sonho.

40

Pode se considerar “milagre” na formação, desenvolvimento ou simples troca da consciência da realidade o fato de alguém ter sucesso financeiro com o skateboard no Brasil ou está tudo ainda funcionando nos âmbitos do imaginário? Me senti inteligente agora!

Sim, mas não da maneira que o cinema retrata os seres que querem nos dominar ou destruir. A lua, o sol e as estrelas são provas extraterrestres por estarem fora da terra. e você no que acredita?


Ss Varial Heelflip

Ss Bs Ollie

41


entrevista

Ss Fs Crooked 42


43


arte: Marcelo Ment marceloment.com.br homegrown.com.br


aleat贸rias aleat贸rias

SKATEBOARD

Filipe Furtado Flip Cau茫 Csik

46


Gabriel “Bila” Fernando Menezes Jr.

PORRA! 47


Raphael Buarque Fs ollie fakie wallride reverse Felipe Tavora

Akira Shiroma Renato Custodio

48


skate

overall 49


Pedro “Minidead” Blunt de back Pedro Macedo

50


Renato Riguetti Wallride Fernado Menezes Jr.

skate ĂŠ isso

51


Jessica Mozart Fifty Renan Carvalho

52


ROLÉ

FEMININO

53


aleat贸rias

54


F谩bio Castilho Grind de front Renato Cust贸dio

55


Dinheiro eh Papel Fernando Martins Ferreira

56


57


Lucas Xaparral Ollie Gerson Jr

58


Caleb Rodrigues Wall ride Gerson Jr

59


Ment, Mateu, Motta Swk Felipe Diniz

Jorge Cupim

60


Tarm Felipe Diniz

Vinicius Mesquita Felipe Diniz

61


62


63


amador

64


A L

L E

B A

N

E D

R R

O

Fotos e texto: Paulo Macedo

65


A

lber Leandro, 23 anos, nascido em Brasília, skatista amador que vem representando a cidade de Brasília e o Brasil a fora. Ganhador do carro da promoção da marca Qix, ele também participou recentemente do campeonato mais conhecido entre os skatistas de todo o mundo, o Tampa amador. Alber vai falar um pouco de sua história como skatista e de suas experiências em suas viagens.

1. Como o skate entrou em sua vida? Eu frequentava uma praça diariamente, de uma quadra que eu morava aonde sempre ia jogar futebol. Com o passar do tempo uns amigos fizeram um corrimão no solo dessa praça e eu sempre jogava futebol e eles ficavam ali andando de skate, fiquei curioso em saber como era andar de skate e foi ali onde tudo se começou. 2. Como é andar de skate em Brasília e qual é o seu pico favorito? Brasília é uma cidade planejada e por isso ela é toda plana, e isso me ajudou muito a andar de skate. Acredito que seja o melhor lugar do Brasil para se andar, pois existem muitos picos com chão liso. Temos o Setor Bancário Sul e Norte onde parece que foi construído para se andar de skate. O local que mais gosto de andar e o Setor Bancário Sul por ter uma sequências de picos naturais para andar .–

66


Croocket

67


Feeble

3. Qual foi as melhores viagens que o skate privilegiou para você? A melhor viagem que o skate ja me proporcionou foi para a Califórnia, aonde eu conheci a nata do skate mundial, os picos , varias plazas. Isso me rendeu muito conhecimento e aprendizado. 4: Qual seu maior sonho além do skate?

Ss blunt 68

Sendo verdadeiro eu não tenho sonho fora do skate, tudo que eu sonho o skate esta envolvido. Se não for com o skate vai ser para o skate !


5. Você morou nos Estados Unidos por um tempo, conte como foi sua experiência de morar lá e qual a diferença entre o Brasil e os Estados Unidos no skate?

Tail de back

O tempo que fiquei nos USA me dediquei a andar, filmar e fazer fotos. Comecei a entender mais o skate e ter uma visão mais ampla de como é andar de skate. Através de plazas, material de melhor qualidade e sempre andando com pessoas que tem bons conhecimentos, com isso tive uma evolução muito grande. O Brasil é um país que ainda esta se descobrindo não só no skate, Os Estados Unidos é um país muito desenvolvido, tecnologia avançada e com os melhores conhecimentos, essa ‘e a diferen’ca. 69


amador 6. Como foi participar do Tampa? Tampa era um sonho de muitos anos, só de poder estar em um evento mundial onde os melhores amadores e profissionais do mundo se encontram pra andar de skate no local onde a vibe ‘e só skate e nada mais. Foi inesquecível!! Best moment! 7. Conta um fato marcante no skate para você? Tenho vários momentos e fatos marcantes, os que eu nunca vou esquecer: quando eu andava de skate com meu amigo Mikael Antunes, já falecido,; quando eu ganhei uma Moto Zero km numa competição de pista; quando eu ganhei um carro Zero Km como melhor vídeo parte de rua do Brasil e minhas viagens com meus amigos . 8. Quais são suas influencias no skate? Felipe Gustavo, Paulo Macedo, Paul Rodriguez, Nyjah Huston, Torey Pudwill, Pj Ladd, Mato Romeu e meus outros amigos . 9. Melhor vídeo de skate que você já viu e melhor parte? Pretty Sweet - Guy Mariano 10. Alber agora estamos finalizando sua entrevista deixo esse espaço aberto para você fazer seus agradecimentos e muito obrigado por colaborar para nossa entrevista. Gostaria de agradecer à oportunidade por essa entrevista, também para o Paulo Macedo, Bless Them All, minha família, meus amigos, minha namorada Taínara Martins e a todas as pessoas que me admiram e que me apoiam , muito obrigado !

Switch tail de back

70


71


Fotogrรกfo Pedro Macedo Bruno Pires Loves XV


21 3416-0717 Av. do arquiteto 360 -Recreio


crew

2 do mesmo

Petrópolis View “Imperial, cara de pau Aposenta essa coroa, já foi a hora de sucumbir. O sangue azul se foi, mas a covardia de seus antepassados sobrevoa Larga o cetro, larga o trono, desce do cavalo Tira o ouro do pescoço e flutua! Se entregue a seus súditos, esses que tanto te oferecem A arte, todo dia, pede pra entrar, mas o peso do orgulho a esmaga Imperial... deixe de ser tão literal” Texto: Maria Hennies

Fotos: Renan Carvalho e Maria Hennies

74


75


A maneira como a gente interage silenciosamente com as ruas. Como o skate é algo tão orgânico, algo que se funde com o meio em que você anda. Madeira com cimento, metal com granito, poliuretano com diversas superfícies. A fluidez que o deslize das rodas proporciona e o balanço sinuoso que faz você criar suas próprias composições... Não importa onde você more, o que você goste de fazer, ou qual é a sua posição política, você está desenvolvendo algo, está evoluindo uma habilidade sensorial de maneira única e sente ao mesmo tempo um sentido incrível de individualidade e de coletividade. Está lidando com a vida real, com o tempo real. Está vivendo o agora. Desconectado de minúcias, de convenções sociais. Não tem muita explicação. É simplesmente algo que só quem faz o que ama sente de verdade. Texto: Edu Pessanha 76


77


vídeo

PRISMA

80


Fazer vídeo de skate por sí só já é algo complicado. Cada manobra dura alguns mínimos segundos e montar um vídeo que tenha 5 minutos de manobra se torna algo muito trabalhoso e nada rentável, ainda mais quando esse vídeo é independente. O Brasil está cheio desses guerreiros, que com uma camera e várias idéias conseguem jogar para trás todas as dificuldades que o nosso mercado de skate proporciona. Ronaldo Land e Marcelo Arteiro são dois desses guerreiros, que vem desde de 2011 desenvolvendo o Vídeo Prisma, com a participação de 3 skatistas de peso tendo partes individuais. Conversamos com eles para saber mais do vídeo e quando teremos o prazer de assistir essa produção que tem muita expectativa envolvida.

Texto: Adonis Perfeito Fotos: Rene Jr.

81


Quando e como começou a idéia de fazer o vídeo? MA: Bem a idéia começou com o Jesus (Ronaldo Land), eu meio que me convidei pra fazer o video com ele. No meu caso, desde quando eu comecei a andar de skate, acho que grande parte das informações que nós skatistas recebemos vem através dos vídeos de skate, eu chegava a ver o mesmo vídeo dez vezes no mesmo dia rsrsrsr e qual skatista nunca fez isso? e sempre fiquei muito atento a edição a escolha das músicas, em como o vídeo era dividido, abertura, montagens, essas coisas acho que quando comecei a andar eu já pensava em fazer um vídeo, ai conheci o Arteiro, as idéias bateram e decidimos fazer o vídeo. O vídeo está sendo produzido por duas pessoas, existe alguma divisão no trabalho? Como funciona essa parceria? MA: As filmagens, em sua maioria, foram com duas câmeras, acho que 80% das manobras que filmamos tem dois ângulos. A ûnica divisão que fazíamos era revezar nas filmagens de linhas, mas sempre no final viamos as imagens pra ver o que o outro achava, sempre procurando fazer a melhor imagem, captar bem a manobra sem nunca esquecer o lado artístico da captação. Não havia você é responsável por isso e eu por aquilo, em quase 3 anos de filmagens não houve sequer uma discussão. RL; Cara isso é engraçado, hoje tanto eu quanto o Arteiro trabalhamos com audiovisual e ambos começamos filmando skate, onde não existe muita divisão de trabalho, o cara não é Diretor, Produtor ou Diretor de fotografia em um vídeo de skate, apesar de que isso vem mudando, mas no início o cara é videomaker, ele tem que ter o mínimo de conhecimento de todas a funções dentro da produção de um vídeo, acho que isso foi uma grande escola tanto pra mim quanto pro Arteiro, apesar de que hoje profissionalmente agente trabalhe em funções mais específicas, o mercado acaba determinando isso. Mas quando envolve um projeto pessoal e de skate isso é impossível, o apego é muito grande e agente acaba fazendo tudo rsrsrrs. Na parte da captação das imagens, nós filmamos juntos com duas câmeras, cada um fazendo um ângulo e revesando entre a teleobjetiva e a grande angular, na parte da edição agente dividiu as tarefas, mas o Arteiro está segurando mais a onda, a arte e a correção de cor nós vamos fazer juntos.

82


Vocês tiveram alguma experiência em fazer vídeo de skate antes do Prisma? MA: Eu comecei a fazer video de skate porque sempre gostei de filmar, e editar foi consequencia. Eu usava a câmera da tia da minha esposa emprestada com uma lente grande ângular fixada com fita isolante, e editava em um PC que travava a cada 5 minutos. Quando entrei no video trabalhava já no Canal Woohoo, filmando eventos e campeonatos de skate e na maioria das vezes editando esse material. O vídeo teve seu lançamento adiado, que fatores fizeram com que o vídeo não fosse 
lançado em 2011? MA: Eu trabalhava no canal diariamente, ai consegui ficar trabalhando em casa, o que me proporcionava a opção de poder fazer o meu horário e com isso conseguia conciliar as filmagens pro video, mas depois de 2 anos filmando a grana começou a ficar curta e precisei voltar a trabalhar na produtora e isso influênciou na edição do video. O Jesus também começou a trabalhar nesse mesma época e não tínhamos mais o tempo necessário parar nos reunirmos e editar o video.

83


vídeo

84


Qual equipamento está sendo usado na captação de imagem? MA: Fizemos toda a captação com uma PD170 e uma VX2100, ambas da Sony. Mas também temos imagens de outros makers em HD, mas fizemos a conversão para ficar todos no formato SD e manter o padrão. Quando é o lançamento? MA: Já tivemos tantos lançamentos marcados e não rolou que já tenho até medo de dizer um!!! rsrsrs Mas dessa vez vai, marcamos para julho deste ano. Tem alguma manobra(s) que marcou(caram) a produção do vídeo? MA: Tem, mas se eu contar estrago a surpresa. Quem tem parte individual no vídeo? MA: O video terá 3 partes individuais e uma montagem. Willians Dias(Dentinho), Emanuel Ribas(Enxaqueca) e Ademar Lucas(Luquinhas) fazem as partes individuais. Além das partes de individuais, quais outros skatistas veremos no prisma? MA: Na montagem tem gente de peso como Carlos Ique, Pedro Orelha, Maizena, Marcelo Gouvea, Nilo Peçanha entre outros. Como o vídeo será divulgado e distribuido? MA: Estamos em negociação pra fazer 3 premieres aqui no Rio e depois desponibilizaremos o video na internet pra download gratuito.

85


Luzes

Gabriela Michelini Renan Monteiro

88


89


Luzes

90


Thaiis Souza Cau達 Csik

91



Journal art form 3