Issuu on Google+

“Um orçamento com a Troika. Qual a Reforma da Administração Pública?” – XVI Colóquios de Administração Pública atraem atenção nacional

Nos passados dias 16, 17 e 18 de Novembro, o Centro de Estudos de Administração Pública (CEAP) apresentou a XVI edição dos Colóquios do respectivo curso, estando o evento deste ano subordinado à intervenção do FMI e respectivas implicações/consequências na administração local: “Um orçamento com a Troika. Qual a Reforma da Administração Pública?” . Com o objectivo de abordar temas que fossem de interesse universal, o CEAP estabeleceu parcerias com os núcleos de Relações Internacionais (CECRI) e Direito (AEDUM). Deste modo, para além de painéis relacionados com a crise económica e a gestão local, houve ainda a oportunidade de se assistir a tertúlias relacionadas com a Reforma da Justiça e a Soberania Nacional. Os painéis pautaram por uma assistência elevada, derivada dos respectivos intervenientes. Enquanto que no dia de abertura podemos ouvir o professor Pedro Camões, Administrador da Universidade do Minho, ou o polémico Marinho e Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados, o segundo dia foi marcado pela presença do prestigiado professor Adriano Moreira, Presidente da Academia de Ciências de Lisboa. Por fim, o último painel contou com a presença dos deputados da Assembleia da República, António Braga e Hugo Soares, seguindo-se a sessão de encerramento na qual o reitor da Universidade do Minho, António Cunha, e Luís Rodrigues, presidente da AAUM, participaram. Para Eduardo Coturela, Presidente do CEAP, “a abordagem deste conjunto de temáticas demonstra a presença da administração pública em inúmeros momentos da nossa vida, embora não tenhamos na maior parte das vezes essa consciência. Quando confrontado com o cumprimento das suas expectativas, Eduardo faz “um balanço bastante positivo, dado que conseguimos integrar diversas personalidades, académicas/não académicas nas conferências. Porém, o que acaba por ser verdadeiramente recompensador é a resposta da comunidade, em particular dos estudantes de administração pública, assumindo uma postura de responsabilidade cívica que se repercussiona na sua participação social e respectivo sentido critico. Como resultado, creio que assistimos presentemente à formação de uma


administração pública desprendida de preconceitos. Em suma, as conclusões produzidas neste evento têm que ser divulgadas, de modo a cumprir com a maior eficácia e eficiência o principal objectivo do mesmo: contribuir de forma positiva para uma mudança de rumo portuguesa que nos permita ultrapassar esta “maré negra”.” Segundo o reitor da UM, a actividade teve “um balanço muito positivo, uma vez que obteve grande impacto a nível nacional, devido fundamentalmente à qualidade dos oradores que aqui discursaram, tendo sido evidenciado pelas repercussões que teve nos diferentes órgãos de Comunicação Social.”

José Maria Mateus Pinheiro


Artigo XVI Colóquios de Administração Pública