Page 1

Ano 2 - Nº 4 Jul / Ago 2011

Fotos: fábioantômoio

Os investimentos do Grupo Chefia em transportes geram benefícios

Os cuidados com o meio ambiente

A parceria entre a Termaco e a Chefia

A melhor medida para ajudar o meio ambiente é trabalhar em conjunto.

Sucesso nas ações geram resultados positivos para os consumidores.

Parceria viabiliza mais uma aquisição do Grupo Chefia

Veja matéria na pág. 3

Confira matéria na pág. 5

Veja reportagem na pág. 7

Itaú e Chefia: parceria firmada


Revista Chefia e Filhos

2 Expediente

Edvaldo Barbosa de Melo Tesoureiro Eduardo Correia Melo Diretor administrativo Edmilson Correia Melo Dir. Financeiro

Editorial

Esclarecimento Grupo Chefia e Filhos esclarece a mudança dos preços dos combustíveis

Aécia Ismália Andrade Melo Contabilista Ednaldo Costa Meneses Gerente Posto Chefia e Filhos I Wilson dos Santos Gerente Posto Chefia e Filhos II Ronaldo Alves da Silva Gerente Posto Chefia e Filhos III Reginaldo Alves da Silva Gerente Posto Chefia e Filhos IV Marcelo dos Santos Oliveira Gerente Operacional Chefia Gás José Roberto Santos de Araujo Gerente de Vendas Chefia Gás ........................................................................

www.networkeditora.com.br NETWORK EDITORA Rua Augusto Luz, 34 Bairro Suissa - Aracaju/SE DIRETOR DE OPERAÇÕES Adm. Hans Hagenbeck e-mail: hans@networkeditora.com.br DIRETORA COMERCIAL Adm. Karina Dias e-mail: karina@networkeditora.com.br JORNALISTA RESPONSÁVEL Eliângela Carvalho - DRT/SE 778 REPORTAGENS Aline Bittencourt EDITORAÇÃO Joselito Miranda - DRT/SP 014509 REVISÃO Carol Moraes TIRAGEM 5.000 exemplares CIRCULAÇÃO Estado de Sergipe

Em respeito ao consumidor, setor fiscal e sindicato, o Grupo Chefia e Filhos que atua no mercado de postos de gasolina e transporte e se destaca quando o assunto é qualidade nos serviços, sente a obrigação de esclarecer os motivos pelo qual ficou por 45 dias sem funcionamento. Primeiro entende-se que para qualquer serviço prestado paga-se imposto. No caso do posto de gasolina, compramos combustíveis por um determinado preço e o revendemos com um percentual de lucro em cima do valor adquirido. Para nos fazer compreender lembramo-nos da elevação no preço dos combustíveis que tivemos em nossa cidade, logo após os preços baixaram abruptamente. Quando os postos de gasolina abaixam os preços para venda, certamente o valor de compra compensa o valor de venda. Usando a lógica, o retorno é o lucro, com o qual são pagos os impostos, funcionários e etc. Pois bem, o combustível comprado por nosso grupo sai em torno de R$ 2,41 e a concorrencia vende por R$ 2,49. Mas, em contra partida com a lógica do lucro explicado acima, estávamos sem condi-

scx.com

Rosângela Rodrigues Correia Gerente de Recursos Humanos

ção de preço para competir no mercado. Há 11 anos mantemos parceria com o nosso fornecedor, mas o preço de mercado e o preço praticado não estavam equiparados. Sendo assim, tivemos que reavaliar todo o sistema para encontrar um meio em que a satisfação do cliente venha em primeiro lugar.

Esta revista é uma publicação periódica do Grupo Chefia e Filhos. Não nos responsabilizamos por conceitos assinados e pelos conteúdos anunciados.

• Posto Chefia e Filhos I Av. Maranhão, 1554 Santos Dumond Aracaju/SE


Revista Chefia e Filhos

3

Meio ambiente

A ordem é: trabalho em conjunto! Nunca antes se debateu tanto sobre o meio ambiente e a sustentabilidade. Mas, tanto se fala em sustentabilidade e poucos sabem o que realmente significa. Afinal, o que é ser sustentável? Esse é um questionamento que deveria ser conhecido e aplicado por todos os cidadãos. Destinar corretamente os resíduos domésticosé uma das simplespráticas de medidas que estabelecem a cultura da sustentabilidade e um princípio para um planeta mais sustentável. Para isso é necessário que se reduzam os desperdícios, os despejos de esgoto doméstico nos rios e as demais práticas ambientais irresponsáveis, pois os danos causados ao meio ambiente serão drasticamente minimizados e a sustentabilidade dos assentamentos humanos e atividades econômicas de qualquer natureza estarão asseguradas. A consciência ambiental é a principal atitude a ser tomada por cada cidadão, a partir daí o estímulo em preservar o meio ambiente atravésdo plantio de árvores, da reciclagem de lixo, da coleta seletiva, dentre outros, serão com certezamedidas sustentáveis. Caso você queira contribuir com o meio ambiente, mas não sabe de que forma ser sustentávelsaiba que o simples fato de separar em sua casa ou empresa partes normalmente descartadas dos alimentos como cascas, folhas e talos, ou

A consciência ambiental é a principal atitude a ser tomada por cada cidadão

até mesmo plásticos, vidro e alumínio, fomenta a sustentabilidade e a conservação do meio ambiente. Em uma discussão numa rede social, os temas meio ambiente e sustentabilidade foram bastante abordados. A jornalista Raquel Nunes coloca que cada família pode calcular sua influência negativa sobre o meio ambiente. “É uma medida bem interessante na qual se calcula a energia elétrica consumida pela família; o número de carros e outros veículos que ela utiliza e a forma como o faz, e os resíduos que ela produz”, afirma. Ainda de acordo com Raquel Nunes, “a partir daí; cada família poderá dar a

sua contribuição para promover práticas e procedimentos que garantam a devolução à natureza de tudo o que usaram e, com essa ação, gerar novas oportunidades de renda e de bem estar social para sua própria comunidade”. Além disso, políticas sociais e ações governamentais e até da própria sociedade tem que ser discutidas e colocadas em prática. A educação da sociedade é um processo muito lento e de longo prazo. Por esse motivo, o envolvimento das empresas nesse assunto, pode com certeza acelerar o processo. O crescimento seria mais consciente e se falaria mais em sustentabilidade.

CHEFIA E FILHOS E A SUSTENTABILIDADE O Grupo Chefia e Filhos entendeque para um planeta mais saudável é preciso a contribuição de todos. Por isso, o grupo também ajuda aCooperativa de Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju, (CARE) com doações dos materiais recicláveis recolhidos em seus postos. A CARE é formada por antigos moradores da lixeira da “Terra Dura” que sobrevivem do lixo que a população doa. Foi criada pelo Ministério Público em 1999 e, embora tenha condições de assistir a 100 famílias, por falta de doação, não chegou a 50 delas.


Revista Chefia e Filhos

4

Geração saúde

Caminhar é o caminho Obesidade, pressão alta e problemas cardiovasculares são sintomas que estão relacionados com várias doenças, tais como: infarto e derrame. Por isso caminhar é altamente recomendável para as pessoas que sofrem de algum desses distúrbios. Para você que não é adepto às academias, ao futebol, vôlei, bicicletas, enfim, caminhar é barato, é fácil e ainda é muito bom para saúde. De acordo com estudos, caminhar é o exercício que não perde adeptos, mesmo com o avanço da idade dos mesmos. Caminhar é uma forma de se perder várias calorias, mas os benefícios desse ótimo exercício vão muito além. Estudos indicam que uma boa caminhada pode proporcionar: •

redução da pressão sanguínea;

redução do stress;

melhor circulação do sangue;

aumento do tônus muscular;

melhoria da postura; dentre outros.

Clipart

Caminhar é o exercício que não perde adeptos, mesmo com o avanço da idade dos mesmos

Para o consultor esportivo Professor DoutorHenrique Luiz Monteiro, no período de estudante, muitas vezes, as atividades físicas são deixadas de lado, já que a preocupação em se dedicar às provas e aos trabalhos é cotidiana na universidade. Porém, de acordo com o consultor esportivo, não se pode esquecer os exercícios.“A caminhada é um

bom caminho, pode nos ajudar a manter a forma e evitar que fiquemos sedentários. Sem deixar de levar em conta que ainda é uma boa opção para aqueles que não são tão chegados às práticas esportivas que exigem mais das pessoas”, diz Luiz Monteiro. Ainda de acordo com o professor doutor, “é bom lembrar que as atividades físicas devem fazer parte de um programa global de saúde para que possamos reduzir ou eliminar alguns fatores de risco de doenças cardiovasculares. Um dos meios de se manter fisicamente ativos é a caminhada”. A modalidade é considerada a melhor forma para realização de exercícios aeróbicos para os adultos aparentemente saudáveis, especialmente para os idosos e para os pacientes portadores de doenças cardíacas e doenças metabólicas-diabetes, obesidade e excesso de triglicerídeos no sangue.

Recomendações 1. Para uma pessoa com mais de 35anos, o ideal além do exame clínico convencional, pode ser, a critério do médico, a realização de um eletrocardiograma de esforço.

Vale lembrar que o ato de andar faz parte de nossa vida e a caminhada-exercício é simplesmente o ato de andar num ritmo mais acelerado.

2. A caminhada não combina com o uso regular do cigarro, a ingestão excessiva de álcool antes de caminhar e comportamento obsessivo de competir com os participantes. 3. Existem alguns sintomas que são percebidos depois da caminhada e que vale a pena procurar um médico. São eles: tontura, fadiga excessiva, sudores eintensa, batimentos cardíacos irregulares, falta de ar intensa na recuperação e dor no peito. 4. A avaliação do desempenho de tempos em tempos. Pode-se perceber o quanto este simples exercício é capaz de proporcionar benefícios ao organismo. 5. Utilizar, sempre, roupas e calçados leves (suar não significa perda de peso ou esforço maior). 6. Evitar tecidos sintéticos. O tênis deve estar bem ajustado e macio. No frio, deve-se utilizar agasalho de algodão.


Revista Chefia e Filhos

5

Sucesso de parceria

“Os proprietários do Grupo Chefia e Filhos são fantásticos, espertos, dinâmicos, extremamente engajados no setor e em fazer dar certo. Eles são bastante interessados em fazer com que a parceria flua.”

Divulgação

Há mais de 40 anos o Grupo Chefia e Filhos vem traçando metas e construindo o sucesso de suas ações. Sua base de sustentação sempre foi a qualidade dos seus serviços prestados. O Grupo que atua na área de transportes e postos inova sempre quando o assunto é “diferencial”.Com trabalhos desenvolvidos também na área de distribuição de gás e postos de abastecimentos, dentre outros, o Grupo vem investindo cada vez mais na área de transportes. Foram adquiridos recentemente 6 novos veículos para transporte (caminhões). A parceria iniciou-se a partir convite do Sr. Ailton José Teodoro, gerente operacional da Termaco em São Paulo, este com grande credibilidade no setor de transportes, fazendo com que os diretores do Grupo Chefia não pensassem duas vezes em fazer investimentos junto a Termaco, que se destaca no segmento de transporte de cargas. A “Revista Grupo Chefia e Filhos” fez uma entrevista com o gerente da filial Termaco em Aracaju, o administrador de empresas, Paulo Henrique Romasko, que contou no que consiste a Termaco e falou sobre a parceria. De acordo com Paulo Henrique, com 23 anos de vida, a Termaco hoje é formada por um sistema integrado de logística. Foi fundada no dia 4 de setembro de 1986, trabalhando na movimentação portuária e no transporte rodoviário, destacou-se, na época, por trazer a primeira máquina para movimentar containers no Porto de Macuripe – CE, tornando-se a pioneira no seguimento. “A Termaco nasceu no Ceará, onde fazia o transporte de containeres, trabalhando para armadores donos de navios. Após certo tempo, percebeu-se a necessidade de ampliar o serviço para o Nordeste, abrindo filiais para

Fotos: termaco.com.br

Grupo Chefia e Filhos e Termaco: parceria que deu certo!

atender a esses mesmos clientes. Nesse momento, surgiu a filial Cargo Service que é o nome do setor que faz o serviço de transportadora da empresaTermaco Logística”, informa o gerente da filial em Aracaju. De acordo com Paulo Henrique, a Termaco é formada por quatro empresas:a Serviço e Acessórios de Containeres, Transportes de Containeres, Armazenagem e Movimentação de Carga no Porto e Transporte Rodoviário de Carga. “A parte rodoviária é a mais nova e começou fazendo o transporte para o Nordeste e depois se expandiu. O transporte começou a crescer em 2006, quando foram abertas a maior parte das filiais nos Estados da Bahia, Sergipe, Ceará, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, São Paulo, Maranhão e Piauí”, conta Romasko. Ainda segundo o gerente da filial em Aracaju, a empresa trabalha com 12 tipos de cargas seca, entre a matéria prima ou o produto acabado. Sergipe conta com uma filial desde 2007 e trabalha para muitas empresas grandes no estado. “Trabalhamos em vários seguimentos, desde as pequenas até as grandes empresas, por isso o cumprimento dos horários é de extrema importância”, declara Paulo. Questionado sobre os parceiros, ele salienta que o Grupo Chefia e Filhos, que tra-

balha com exclusividade junto a Termaco, é um exemplo de parceria que deu certo quando o assunto é grandes frotistas. O gerente da filial Aracaju explica que a transferência de cargas entre filiais pode ser feita com veiculo próprio, comveiculo agregado ou com grandes frotistas, que é o caso do Chefia, mas que para ter sucesso e credibilidade é necessário que haja um consenso entre os parceiros. “Por isso que é muito importante esse serviço que o Grupo Chefia e Filhos faz. Eles cedem os veículos para que nós possamos fazer a transferência das cargas”, informa. Ainda de acordo com o gerente Paulo, “o Grupo Chefia e a Termaco trocam bastante figurinhas para que tenham o veiculo certo e um custo benefício que seja bom para ambos os lados”. Ele coloca que o cumprimento dos horários é um dos principais pontos a ser salientado. “Os proprietários do Grupo Chefia e Filhos são fantásticos, espertos, dinâmicos, extremamente engajados no setor e em fazer dar certo. Eles são bastante interessados em fazer com que a parceria flua - foram adquiridos recentemente 6 novos veículos para transporte (caminhões)”, confessa o gerente da Filial Termaco em Aracaju, Paulo Henrique Romasko.


Revista Chefia e Filhos

6

Serviço

Não se cale. Denuncie!

“A Conferência das Nações Unidas sobre Direitos Humanos (Viena, 1993) reconheceu formalmente a violência contra as mulheres como uma violação aos direitos humanos. Desde então, os governos dos países-membros da ONU e as organizações da sociedade civil têm trabalhado para a eliminação desse tipo de violência, que já é reconhecido também como um grave problema de saúde pública”. Tomando como princípio esse direito da mulher, ou melhor, o afrontamento ao direito da mulher, no sentido de violação dos seus direitos, é que paramos para pensar no por que dos altos índices nos casos de atentado de violência contra as mulheres. Embora, muitas vezes o álcool, drogas ilegais e ciúmes sejam apontados como fatores que desencadeiam esse tipo de violência, na raiz de tudo está a maneira como a sociedade dá mais valor ao papel masculino. Segundo o portal ‘Violência contra a Mulher’, “essa atitude por sua vez se reflete na forma de educar os meninos e as meninas. Enquanto os meninos são incentivados a valorizar a agressividade, a força física, a ação, a dominação e a satisfazer seus desejos, inclusive os sexuais, as meninas são valorizadasa pela beleza, delicadeza, sedução, submissão, dependência, sentimentalismo, passividade e o cuidado com os outros”.

NÃO! à violência contra a mulher

Com esse mesmo raciocínio podemos nos questionar sobre o porquê as mulheres sofrem caladas. Essa resposta é cultural e está enraizada nos preceitos morais da família.

Sergipe Aqui em Sergipe, de janeiro a fevereiro de 2011, foram registradas nas delegacias de 300 casos de violência contra a mulher, sem contar com os casos em que elas não denunciam porque não se sentem amparadas pelas políticas sociais.

Ivânia Pereira, presidente da UBM A presidente da União Brasileira de Mulheres (UBM), Ivânia Pereira repudia a maneira como as autoridades locais definem esses casos, registrados na Delegacia de Grupos Vulneráveis. “As mulheres, crianças e adolescentes não são vulneráveis. É preciso que as delegacias das mulheres mostrem a cara. Nós somos mulheres, cidadãs de direito e não somos vulneráveis dentro da sociedade”, entende Ivânia Pereira.

Denuncie Violência contra idosos, crianças e mulheres: além das Delegacias da Mulher, a Delegacia de Proteção ao Idoso e o GRADI (Grupo de Repressão e Análise dos Delitos de Intolerância) também podem atender as mulheres que sofreram violência, sejam elas idosas, homossexuais ou de qualquer outro grupo que é considerado uma “minoria”. No caso da violência contra meninas, pode-se recorrer também às Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente.

De acordo com pesquisas realizadas sobre a violência contra a mulher, estima-se que mais da metade das mulheres agredidas sofram caladas e não peçam ajuda. No portal indica-se que para elas é difícil dar um basta na situação; muitas sentem vergonha ou dependem emocionalmente ou financeiramente do agressor; outras acham que “foi só daquela vez” ou que, no fundo, são elas as culpadas pela violência; outras não falam nada por causa dos filhos, porque têm medo de apanhar ainda mais ou não querem prejudicar o agressor, que pode ser preso ou condenado socialmente. E ainda têm também aquela ideia do “ruim com ele, pior sem ele”. Ainda conforme dados, muitas se sentem sozinhas, com medo e vergonha. Quando pedem ajuda, em geral, é para outra mulher da família, como a mãe ou irmã, ou então alguma amiga próxima, vizinha ou colega de trabalho. Já o número de mulheres que recorrem à polícia é ainda menor. Isso acontece principalmente no caso de ameaça com arma de fogo, depois de espancamentos com fraturas ou cortes e ameaças aos filhos. Com informações do portal “Violência contra a Mulher”.


Revista Chefia e Filhos

7

Itaú e Grupo Chefia e Filhos: parceria consolidada Nesta última quinta-feira, 4, deste mês de agosto, o Grupo Chefia e Filhos fechou contrato com o Banco Itaú. O objetivo principal, a aquisição de mais uma carreta. Em reunião entre os irmãos e sócios do grupo, Eduardo e Edmilson Correia Melo com o gerente do banco, Aroldo Fontes Rezende, foram discutidos a consolidação da parceria e a pretensão da continuidade desta, que segundo um dos sócios do Grupo Chefia, “é uma inciativa que edifica os investimentos no setor de transporte”, afirma Eduardo. Com o intuito de melhorar cada vez mais e proporcionar qualidade no serviço, o Grupo Chefia e Filhos saí em disparada. Com pioneirismo no que faz, sua proposta é a garantia do serviço e o atendimento diferenciado aos seus clientes. Por isso, como diz Eduardo, um dos sócios do grupo, “investimentos e atuações em novas áreas destacam o crescimento do grupo que já percorrem um caminho de sucesso há mais de 40 anos”.

Gerente do banco Itaú, Aroldo Fontes Rezende

Fotos: Sérgio Junior

Banco viabiliza mais uma aquisição do Grupo

Ainda de acordo com ele, a idéia da parceria com o Banco Itaú surgiu há algum tempo quando o grupo adquiriu a 1º carreta aço inox com sete compartimentos. Segundo Eduardo Correia, a parceria com o Banco Itaú e a aquisição de mais uma carreta só confirma, “pretendemos continuar a fechar mais contratos com a instituição”. Para o gerente do Banco Itaú, Aroldo Fontes Rezende, o Grupo Chefia e Filhos

são parceiros interessados em contribuir com o melhor para os dois lados. De acordo com Aroldo, “a melhor linha de financiamento e a boa representação do banco, só veio a acrescer na consolidação da estrutura do Grupo Chefia”. “Para nós do Banco Itaú é uma grande satisfação fechar contratos desse porte e manter a parceria com um grupo que é comprometido com o crescimento”, elogia o gerente do Banco Itaú, Aroldo Fontes.

• Posto Chefia e Filhos IV

Av. Francisco Porto, 1086 Salgado Filho Aracaju/SE


Recomenda e aprova o uso do Gás LP

O

G‡s LP h‡ muitos anos Ž amplamente utilizado nos Estados Unidos e na Europa no Agroneg—cios. Os fazendeiros, produtores, criadores e indœstrias h‡ muito descobriram as vantagens de utilizar o G‡s LP em seus neg—cios na busca de uma maior qualidade para seus produtos e evitar a contaminaç‹o dos mesmos por poluentes derivados da queima. Em relaç‹o a outros combust’veis utilizados no Agroneg—cios o G‡s LP desponta como a melhor soluç‹o por conta das seguintes caracter’sticas: • É um energético que possui uma queima limpa; • É possível controlar a temperatura da queima;

• Não produz sedimentos oriundos da queima; • É um energético que pode ser transportado e estocado; • Substitui defensivos agrícolas de natureza química, evitando dessa forma a contaminaç‹o do solo e dos aqŸ’feros subterr‰neos, rios, lagos e mares; • Permite uma produção mais natural; • Evita a derrubada de matas e florestas nativas, substituindo com maior eficiência a lenha e o carvão vegetal; • É o energético que menos agride o meio ambiente.

O g‡s liquefeito para todos os brasileiros. Presente no dia a dia dos brasileiros, o G‡s LP* Ž uma fonte vers‡til de energia que impulsiona o crescimento e o bem-estar de todo o Pa’s. Confira as vantagens que o Gás LP traz para empresas, indœstrias, agroneg—cios, restaurantes, comŽrcios e, principalmente a sua casa: • Presença em 100% dos municípios brasileiros. • Até 70% mais econômico que o gás natural.** • Até 25% mais econômico que o chuveiro elétrico.** • Energia limpa. • Energia versátil: soluções sob medida. O GLP - Gás Liquefeito de Petróleo é amplamente utilizado em todos os segmentos da indústria, do comércio e dos serviços, incluindo condomínios e residências.

* G‡s Liquefeito de Petr—leo ** Veja comparativo no site www.sindigas.org.br

Gás LP energia brasileira

Chefia e filhos 4 jul ago 2011  

Revista informativa da rede de postos de combustiveis Chefia e Filhos, de Aracaju - pela Network.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you