Page 1

Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Ensino Básico – 1º Ciclo Disciplina: Estágio 4º Ano/ 1º Semestre Docente: Mestre Helena Paula 2009/2010

Diário de estágio do dia 14/10/09

Este foi um dia muito ansiosamente esperado, devido ao facto de ser o nosso primeiro dia de estágio prático numa sala utilizando o MEM. Desde logo a professora cooperante teve a preocupação de nos fazer sentir bemvindos à escola, e de nos apresentar aos outros professores. Começamos o dia fazendo uma visita guiada às instalações da escola a fim de ficarmos a conhecer o espaço físico da mesma. Por fim entramos na sala C, que é onde a Profª cooperante educa as 16 crianças lá existentes. Chegados à sala, fomos apresentados à turma e cada aluno fez uma apresentação individual dizendo quais as coisas que mais gostavam de fazer. Logo depois os alunos foram sentar-se nas suas mesas, que estavam dispostas em quatro grupos de 4 mesas cada. Entretanto a Profª, foi-nos explicando o que estava exposto nas paredes da pequena sala de aula (plano semanal, listas de verificação, estratégias de resolver problemas feitos pelos alunos, diário de turma…), minha primeira impressão foi a de que estávamos perante um modelo muito bem organizado isto porque cada coisa tinha o seu canto e tinha um porquê de estar lá. Passado o período das apresentações, o dia começa com o plano do semanal, onde é esclarecido entre todos, o que irão fazer durante aquela semana (existe afixado no quadro, uma tabela com os registos das tarefas


semanais). Logo depois dois alunos foram à frente da turma, fazer um teatrinho, o que lhes confere à partida desde cedo uma capacidade de representação e de apresentação de trabalhos perante os colegas, que lhes vai ser muito útil ao longo das suas vidas. Terminado a representação a professora pediu à turma que emitisse a sua opinião acerca da peça e depois emitiu ela própria a sua opinião, de modo a melhorar algum aspecto menos bom da apresentação. Posteriormente foi um aluno ao quadro, ler um texto criado por ele próprio, e que depois de lido, a turma teve oportunidade de tecer comentários. Neste exercício, pude verificar que os alunos da turma já possuem um vocabulário elaborado, tendo em conta as tenras idades (7 anos), e já se exprimem perante a turma de um modo fluente, coisa que alguns de nós se calhar ainda tem dificuldade. Este exercício é favorável à criação de skills, como sejam a autonomia e a criatividade. Após terminado este exercício, a Professora Cooperante, distribuiu uma ficha de trabalho de Língua Portuguesa, tendo por base um texto criado por uma aluna e aperfeiçoado por toda a turma que engloba a expansão do texto. Este tipo de ficha é resolvida individualmente, mas com permissão para se entreajudarem. Aqui encontra-se patente mais um valor, o da solidariedade, que aliás neste método de trabalho, está sempre presente, não havendo lugar a egoísmos. Resolvida esta ficha foi tempo de carregar baterias. A 2ª parte da aula, teve início com a distribuição de uma ficha de trabalho, abordando desta vez a Matemática. Esta ficha foi criada pela Professora da sala, e foi resolvida a pares. Quando terminassem a ficha, estes teriam de ir ao quadro partilhar com a turma o método que utilizaram para a resolução de


problemas, e se alguém de outro grupo tivesse outra fórmula para resolver a questão, tinha pois a oportunidade de dizer. A aula terminou com os alunos a irem trabalhar nos seus projectos. Aqui foi uma grande surpresa para mim, pois sendo apologista das novas tecnologias no ensino, pude constatar, ao contrário de algumas escolas, que nesta sala alguns alunos iam utilizar o Magalhães, para consultarem a Diciopédia, por forma a recolherem informação para a elaboração dos seus trabalhos.

CONCLUSÃO Não obstante o facto de estar apenas começando a lidar com o Movimento Escola Moderna – MEM agora, já me sinto à vontade para tecer alguns comentários acerca do Modelo. Vê-se claramente que dentro da sala de aula, existe uma forte organização, desde a disposição da sala e seus materiais, até ao facto de cada aluno saber qual o seu papel no dia-a-dia, fruto da planificação semanal e do plano individual de trabalho (PIT). Notei também que um dos objectivos é o de deixarmos a criança criar livremente, dando asas à sua criatividade e imaginação. No entanto, quando falo em deixar a criança criar livremente, não me refiro a libertinagem, o educador tem um papel fundamental em todo o processo educativo, deverá estar apto a proporcionar as melhores condições para a melhor evolução do aluno. Para tal há que conhecer o aluno, apela-se a um ensino individualizado, inserido no grupo. Ou seja, actualmente uma das principais preocupações pedagógicas é conhecer o perfil do aluno e, a partir


deste conhecimento, podemos ajudá-lo a inserir-se no grupo, na comunidade de que todos fazemos parte. A criança é primacialmente egocêntrica e isso é bem visível nas suas manifestações, e sair deste estado é um processo algo moroso que se não for cuidadosamente trabalhado poderá nunca ser ultrapassado. Assim, a educação tem como missão aperfeiçoar o indivíduo em todos os aspectos, na sua globalidade, como um campo de experiências e de descobertas. Cabe ao professor, oferecer-lhe os meios de se conquistar e de organizar as suas acções, de se conhecer, de se explorar, de desenvolver e descobrir o seu eu. Analogamente, tentar-se-á conduzir o aluno para uma inserção natural no grupo e depois no mundo, desenvolvendo o seu espírito de iniciativa e de empreendimento, a sua vitalidade, a sua eficácia, tornando-o consciente da finalidade dos seus esforços e do seu trabalho, alimentando-lhe a imaginação, permitindo-lhe existir por si mesmo. Em síntese, partindo sempre do pressuposto que a criança é um ser em constante evolução, incansável e sedenta de conhecimentos, cabe ao professor

auxiliá-la

nessa

longa

caminhada

de

transformação,

não

recriminando nem tendo ideias pré-concebidas daquilo que será a criança no futuro, mas estando sempre atento a tudo o que se passa no presente. O professor não tem legitimidade para corrigir a expressão criadora da criança, então tudo o que possa fazer é evitar constranger a sua vontade e estar em constante reciclagem de metodologias, técnicas, materiais que possam contribuir para o melhor crescimento infantil.

José João Pereira Fernandes Aluno nº 2074906

Diário do dia 14 de Outubro  

Diário do dia 14 de Outubro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you