Page 28

ANDORINHAS Nômades a trazer boas novas Um marinheiro ergue as mãos aos céus Unidas são felizes Unidas são fortes Ógea elegante seduz e só de uma oportunidade precisa Um canto emite Código de salvação O céu cruzam Cansadas da viagem elas chegam Muito horror pelo caminho O voo triste prenuncia a catástrofe O céu cinzento ( não vai chover ) É o novo ar que se respira As esperam Postes e fios Copas das árvores ( as poucas existentes ) Meninos que sonham... O som que produzem é tão lindo Difícil não parar para ouvir e ver À noite a brisa refresca os corpinhos Casais de andorinhas se afagam e suspiram Na árvore o calor é mais natural Correntes gigantes se aproximam Bicharada faz suas últimas preces... Na árvore um alvoroço Ai Lágrimas em forma de peninhas cobrem o chão No céu as sobreviventes olham a cena Alguém acende um cigarro e ri de todos Até quando Até quando Até quando...

Leo Vincey In: http://poesiemfoco.blogspot.com.br/

EXPRESSõES! Out de 2012 | 28

EXPRESSõES!_15  

15º número da revista digital de literatura e outras artes mais feita no braço do mundo.

EXPRESSõES!_15  

15º número da revista digital de literatura e outras artes mais feita no braço do mundo.