Page 26

O POUSO Quando ele fala Tudo emudece. Pois nada e absolutamente Ninguém ousa ser contra. Suas palavras abrandam o espírito angustiado, A alma entorpecida e o corpo Enfadado. No ar, na terra ou mar, Tudo! E todos se prostram ante o seu agir. Doçura, firmeza, eloquência, São emoções transmitidas E que inebriam o momento. Pois quando ele chega, O incrível torna-se palpável, O incomensurável tão real, A felicidade estampa-se nos olhos, E nota-se o sorriso mais lindo E inexplicável. A inquietude já não existe E a força que pensávamos ter desvanece. Render-se é ser sábio. E não se permitir sentir é ser louco. É perplexo sim, e por isso mesmo É extasiante. Meus olhos vislumbram E meus olhos sabem muito Bem o que é sorrir. E se, o Sol se exime, O vento cala, O mar apazigua; É quando ele, Somente ele, Vem doce e lentamente Pousando sobre mim: O Amor.

Laura Salgado EXPRESSõES! Out de 2012 | 26

EXPRESSõES!_15  

15º número da revista digital de literatura e outras artes mais feita no braço do mundo.

EXPRESSõES!_15  

15º número da revista digital de literatura e outras artes mais feita no braço do mundo.