Issuu on Google+

Cada vez mais as empresas de transporte são obrigadas a oferecem, além dos serviços tradicionais, serviços diferenciados e que agreguem valores aos seus clientes. Um ponto fundamental em qualquer transportadora é a qualidade dos motoristas que conduzem seus veículos. Os motoristas representam a transportadora perante o cliente, perante o cliente do cliente, perante a sociedade, e de certa forma, perante a lei. Quando um motorista mal educado entra na planta de um cliente para carregar, ele é a própria transportadora. A mesma coisa ocorre quando ele chega ao destino. No caso de ocorrer um acidente, a sociedade enxerga que o acidente foi com o veículo da transportadora “tal”. A transportadora é corresponsável pelos atos de seus motoristas, respondendo perante a lei. O motorista é o maior responsável por causar a boa ou a má impressão da transportadora que ele representa. Portanto, ele é um ponto de atenção. Pouco adianta um SAC absolutamente competente e rápido, um Comercial que entenda e atenda as necessidades do cliente, quando um motorista põe tudo a perder. Abaixo, as 10 melhores práticas, na minha visão, para cuidar e desenvolver os motoristas. Lembre-se, a prática leva à perfeição. 1- Regras, procedimentos de segurança e apresentação Regras e procedimentos de segurança dizem respeito à condução dos veículos com ênfase na direção defensiva. Estas regras devem ser claras e disponíveis em forma de manual, que por sua vez deve ser esmiuçado no treinamento inicial de todos os motoristas e deve estar disponível e com fácil acesso, de preferência dentro de cada cabine. A reciclagem do treinamento deve ser obrigatória, com prazo definido pela empresa e deve incluir todos os motoristas. Os motoristas devem ser encorajados a manter uma aparência sadia, com uniformes limpos, cabelos e unhas cortadas e barba feita. 2- Recrutamento e contratação O recrutamento de motoristas deve incluir, além das tradicionais pesquisas junto aos órgãos de proteção de crédito e seguradoras, o prontuário da CNH, que inclui pontuação e acidentes. A pesquisa deve também incluir empregadores anteriores. Escolhidos os profissionais para contratação, estes só devem dirigir após receber todos os treinamentos, e a certeza de amplo entendimento das regras da empresa. Eles devem assinar cópias de manuais e procedimentos recebidos para formalizar.


As cópias devem ser arquivadas junto aos registros de cada motorista. 3- Regras para a condução de veículos Regras para condução de veículos devem ser claras e descritas em manual, que deve ser mantido na cabine. Se for o caso, antes da partida, deve ser entregue ao motorista itinerário de viagem, constando ponto de partida e de destino, descrevendo a rota a ser seguida com pontos de atenção. Os locais de parada também devem ser citados no itinerário. Os horários de trabalho e de parada precisam estar claros para o motorista, de forma a não haver dúvidas. Outro ponto importante diz respeito a regras de velocidade permitida. O acompanhamento deverá ocorrer através de discos de tacógrafo e relatórios gerados pelos rastreadores dos veículos. Medidas disciplinares deverão ser tomadas em caso de violação às regras. 4- Regras operacionais e procedimentos Para que o motorista tenha sucesso, é fundamental que o pessoal operacional conheça as regras que ele terá que seguir, quantas horas ele poderá rodar e se existe algum contratempo com o veículo. Os Supervisores Operacionais precisam se envolver com a questão de melhores práticas dos motoristas. 5- Orientação e treinamento Nenhum motorista deve começar a dirigir qualquer veículo da empresa até a conclusão da orientação e da "certificação". A orientação deve incluir a formação de condução defensiva, normas de segurança, políticas e práticas da empresa, horas de direção permitidas, inspeção veicular, e de fixação de carga. Um teste real de condução, acompanhado de um profissional qualificado, ajudará a determinar os pontos que devem ser enfatizados no desenvolvimento profissional. A empresa também deve manter reuniões regulares, focando temas como, qualidade, segurança, direção defensiva, direção econômica e outras que achar interessante, inclusive de cunho pessoal como questões de saúde e família. Todos os treinamentos deverão ser registrados e cada participante deverá receber certificado, cuja cópia devera ser anexada junto aos registros de cada participante.


6- Retenção de motoristas e reconhecimento Ótimo, você conseguiu atrair e desenvolver motoristas. Seus profissionais são os melhores do mercado, seus clientes não cansam de elogiar, mas, e agora, como mantê-los? Da mesma forma que as más condutas devem ser corrigidas, as boas devem ser recompensadas. Salário é importante, porém, não é a única forma de reter motoristas. Um programa de recompensas baseado em metas atingíveis, que podem incluir manutenção dos veículos, limpeza, médias de consumo, regularidade e obediência aos horários, aparência pessoal e trato com os clientes, por exemplo, pode recompensar em valores ou prêmios, incluindo a destinação dos melhores veículos aos melhores motoristas, isso dá status a eles. Outra prática importante diz respeito à entrevista de desligamento, podendo assim entender e corrigir as causas que levam os motoristas a deixarem a empresa. 7- Investigação e acompanhamento de acidentes Todos os acidentes devem ser investigados, e ter sua causa determinada, assim como suas causas raiz. Se possível, os fatores de risco também deverão ser levantados, permitindo uma ampla análise, de forma a impedir eventos futuros através do tratamento e correção das causas básicas. Os motoristas envolvidos, dependendo da gravidade do acidente, devem ficar afastados de suas atividades até completa elucidação, podendo gerar desde um novo treinamento, até punições mais severas. Também deverá ser feita análise se houve violação às normas e procedimentos da empresa. 8- Regras de jornada de trabalho As regras de jornada de trabalho deverão ser minuciosamente explicadas e deverão haver acompanhamento para evitar violação. A não observância das regras de jornada de trabalho poderá causar desde acidentes, até passíveis trabalhistas, portanto, merece atenção. 9- Regras e práticas de manutenção Os motoristas deverão receber treinamento de forma a fazer as checagens rotineiras, serem capazes de identificar possíveis problemas, bem como de saber as causas das falhas e formas de correção.


Todo veículo deverá possuir os registros de manutenção apontando data do evento, descrição dos serviços, quilometragem na data, peças utilizadas, previsão de revisão dos serviços tanto em data como em quilometragem, valor gasto e quem foi o responsável. Desta forma, é possível programar manutenções futuras e valores gastos ou futuros. Lembre-se: seus veículos são outdoors ambulantes, caminhões limpos passam impressão de seriedade. 10- Código de ética, conduta e medidas disciplinares Por fim, a empresa deve expor de forma clara quais são seus princípios e valores, qual é a sua missão e visão, seu código de ética, e quais são as medidas disciplinares. Dever haver registros das ocorrências, principalmente no que se refere a acidentes, jornada de trabalho, tratamento de colegas de trabalho e clientes, uso não autorizado de equipamentos e atividades ilegais ou inseguras. Você deve analisar e procurar entender em quais destes pontos você tem lacunas, podendo assim, corrigi-los ou aperfeiçoa-los. A decisão de mudar necessita partir da direção da empresa, e deve de certa forma, contagiar a todos. Qualidade é algo que se nota, portanto, você não precisa dizer que possui, seu cliente vai notar.


Cada vez mais as empresas de transporte são obrigadas a oferecem