Page 1

Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com EXEMPLAR CORTESIA - VENDA PROIBIDA

CÂMARA CONDECORA CIDADÃOS E INSTITUIÇÕES IMPORTANTES PARA O DESENVOLVIMENTO DE CONTAGEM m solenidade realizada no último dia 24, o Legislativo de Contagem reconheceu e homenageou nove pessoas e duas instituições que contribuem para o crescimento e desenvolvimento do Município. Antes da condecoração, o discurso de agraciamento emocionou a todos, ressaltando a importância dos títulos e as qualidades que fizeram de cada homenageado merecedor da honraria. "Vocês, nobres agraciados, correram atrás de seus sonhos, não cruzaram os braços, foram à luta com criatividade e absoluto domínio da profissão, pois sempre enfrentaram os desafios sem arrogância, com competência e estilo próprio, habilitando-os à honraria que agora são agraciados". O deputado Newton Cardoso e o vice-prefeito de Contagem também pontuaram a necessidade de se reconhecer cidadãos e instituições que engrandecem a cidade. "Hoje é um dia que temos que parabenizar esses agraciados, pois eles deram de si, antes de pensar em si. Estou representando o prefeito Carlin Moura, que está em outra agenda", disse João Guedes Vieira. O presidente da Câmara, vereador Gil Antônio Diniz - Teteco (PMDB), encerrou a solenidade, parabenizando os agraciados e os agradecendo pelos grandes serviços prestados em favor do Município. "Vocês, nobres homenageados, fizeram e fazem história em nossa cidade, deixando marcas inesquecíveis, dignas de receberem o nosso sincero agradecimento. Dessa forma, a Câmara Municipal de Contagem se alegra nesta noite de festa em homenagear tão ilustres cidadãos", concluiu.

LORENA CARAZZA

E

Pastor Daniel Lopes de Paula Nascido em Matipo, Minas Gerais, o Pastor Daniel Lopes de Paula é um homem de fibra e de grande valia. Residente em Contagem há trinta e seis anos, morou no Bairro Bernardo Monteiro e há vários anos mudou-se para Nova Contagem, construindo neste bairro grande parte de sua trajetória de vida. Tornou-se diácono em 1980 e após dez anos tornou-se pastor. Em 1985 fundou a Primeira Igreja da Assembleia de Deus em Nova Contagem, que funcionava em sua residência. Com muita perseverança e ciente de que precisava levar a palavra a mais pessoas, em 1988 conseguiu inaugurar a primeira sede da igreja em Nova Contagem, onde atua hoje como Pastor. Drogaria Nova Contagem Fundada há vinte e oito anos, a Drogaria Nova Contagem tem um imenso orgulho de sua trajetória e mantém em seus alicerces todos os valores e conceitos praticados desde o início de sua história em Contagem. A empresa possui dois sócios proprietários: Luiz Carlos Aredes e Ana Ananias de Lima. A história da Drogaria Nova Contagem iniciou-se no ano de 1986, inicialmente no bairro Novo Retiro. Atualmente conta com quatro lojas: três em Nova Contagem e uma no Retiro. Geraldo Gomes Paraguai Natural de Belo Vale, Minas Gerais, Geraldo Gomes Paraguai é morador de Contagem há mais de trinta anos. Homem de muita fé e generosidade, é confrade Vicentino desde os sete anos de idade, tendo sido Tesoureiro e Presidente da Conferencia São Rafael no Bairro Três Barras. Aos dezoito anos ingressou na Guarda Municipal de Belo Horizonte e posteriormente na Polícia Civil de Minas Gerais, na qual prestou relevantes serviços até se aposentar. Graças ao seu esforço e o de sua família, tornou-se um próspero comerciante. Sua pequena mercearia hoje se transformou em um amplo supermercado e uma filial, ambos em Nova Contagem. Gamaliel Herval Natural de Coromandel, Minas Gerais, Gamaliel Herval é graduado em Direito pela PUC Minas. Detentor de

um magnânimo currículo. Exerceu diversos e importantes cargos e ocupou lugares de destaque. Em agosto de 2013, assumiu a presidência da Ceasa Minas, cargo que ocupa até os dias de hoje e no qual se ocupa em ampliar as receitas e reduzir os gastos da estatal. Homem de garra e de indiscutível competência, vem dando a sua parcela de contribuição para o crescimento do nosso município, sempre se destacando e deixando marcas de sucesso e comprometimento com esta cidade. Doutor Gamaliel tem participação ativa na história de Contagem, sendo, portanto, merecedor de todas as honrarias deste Poder Legislativo. Juarez de Moura Natural de Ribeirão das Neves, Juarez de Moura construiu toda a sua história de vida neste município. Seu primeiro emprego foi aos quatorze anos na Fiação e Tecelagem São Geraldo. Trabalhou também na Alumínio Montanhês, Metalúrgica Santa Maria, Companhia Siderúrgica Mannesmann, Industan, Brasilit, Toshiba e na extinta SAMAE, onde participou diretamente da montagem da Barragem da Várzea das Flores. Weber Americano Natural de Dionísio, Minas Gerais, cidade da qual foi prefeito de 2008 a 2012, Doutor Weber Americano tem um extenso e brilhante currículo. Em nosso município, Doutor Weber acumula relevantes e imprescindíveis trabalhos realizados, tendo sido fundador e primeiro superintendente da FUNEC, Diretor Administrativo da CUCO, Diretor do CINCO e Diretor do SAMAE. Weber Americano vem dando a sua parcela de contribuição para o desenvolvimento de Contagem, bem como de Minas e do Brasil, sempre se destacando e deixando marcas de sucesso e comprometimento. Ronaldo Figueiredo Lages Ronaldo Figueiredo Lages é um homem culto e trabalhador. É graduado em Ciências Contábeis pela PUC Minas e Pós-Graduado em Controle externo pela Escola de Contas e Capacitação “Professor Pedro Aleixo” do Tribunal de Contas de Minas Gerais. Natural de Belo Horizonte, Ronaldo adotou Contagem como sua cidade do coração e aqui mora há mais de vinte e cinco anos. Profissional dedicado e muito competente, contribuiu com a FUNEC, lecionando por dois anos a matéria de Prática Tributária. Atualmente, atua na execução financeira e orçamentária e restituição de tributos junto à Secretaria de Estado de Fazenda em Contagem. Dani Morais Natural de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, Danielle Morais, conhecida carinhosamente com Dani Morais, é uma cantora de exímio talento. A paixão pela música começou na infância aprendendo os primeiros acordes com tios e primos, fazendo

do violão seu brinquedo predileto. Ainda pequena, Dani fazia pulsar sua musica em apresentações em sua cidade. Aos 17 anos, cursou artes com ênfase em música pela UNIMONTES e se graduou em canto lírico. Participou de vários festivais e projetos, alcançando destaque cantando ao lado de Alan Patrick na gravação do CD Outra Manha. Em 2013, em comemoração aos seus dez anos de carreira, gravou seu primeiro DVD, intitulado “Solto e Agarrado”, com músicas autorais e inéditas, além de gravações de grandes artistas. Atualmente, nossa homenageada é também apresentadora da TV Cruzeiro, em um programa semanal televisionado pela Globo Premier. Walder Nascimento Vieira Natural de Sete Lagoas, Walder Nascimento Vieira é graduado em Direito e Administração de empresas. Profissional dedicado e experiente, está sempre em busca de conhecimento. Possui mestrado em administração pública pela Fundação João Pinheiro, Especialização em Gestão Estratégica em Segurança Pública e Especialização em Gerência da Polícia Rodoviária Federal. Walder Nascimento já recebeu diversas condecorações: Medalha Alferes Tiradentes no Bicentenário da Inconfidência Mineira, Medalha Ordem do Mérito Imperador Dom Pedro II, conferida pelo Corpo de Bombeiros de Minas, Diploma de Amigo do quarto grupo de artilharia antiaéria, Medalha Santos Dumond, conferida pela Aeronáutica, Comenda Ambiental Estância Hidromineral de São Lourenço. Estaleiro Esporte Clube Fundado em 1996 por moradores do Estaleiro e de Nova Contagem, o time Estaleiro Esporte Clube nasceu com o objetivo de proporcionar lazer, dignidade e ocupação aos jovens da região. Com pouca estrutura e muita força de vontade, disputou campeonatos obtendo êxitos impensáveis. Foi vice-campeão em 1996 pelo Campeonato Contagem e no mesmo ano foi campeão pela Divisão Intermediária de Contagem. O Estaleiro foi campeão também da Copa Oeste e semifinalista por quatro vezes da Divisão Especial de Contagem. Participou da copa Itatiaia 2011/2012 com bom desempenho, e foi ganhador da divisão Especial de Contagem em 2011 e 2013.

O atual presidente é Cosme Dorivaldo Ribeiro dos Santos, homem de garra e perseverança, que vem fazendo um excelente e dinâmico trabalho a frente do clube. Wander do Prado Moura Natural de Contagem, Wander do Prado Moura é Coordenador de Esporte na Prefeitura de Contagem desde 2006 e atleta Olímpico e Recordista Pan Americano. Com formação em Educação Física, este atleta de grandes méritos está sempre em busca de aperfeiçoamento. Cursou marketing pessoal e tem especialização em recreação com crianças, jovens e adolescentes. Com extenso currículo, já atuou como técnico de atletismo da equipe de Cultura Runners, técnico de atletismo na equipe alta energia e na equipe Wander do Prado Runners; Wander é palestrante motivacional sobre treinamentos esportivos, orientador físico em projetos de caminhada na Sociedade Hípica e palestrante sobre qualidade de vida e importância da atividade física no setor de trabalho nas empresas. Com uma carreira brilhante, não poderíamos deixar de citar algumas de suas várias conquistas no atletismo: Pelo Clube Clã DelfosMG foi seis vezes Campeão Mineiro, treze vezes Campeão Brasileiro, quatro vezes Campeão Sul Americano, quarto colocado do Mundo no Canadá, Campeão Intercontinental no México e Campeão do Torneio Internacional nos Estados Unidos. Foi campeão Pan Americano nos 3 mil com obstáculos e Vice-Campeão Pan Americano em Mar Del Plata, na Argentina. Vice-Campeão Mundial no revezamento de Maratona na Dinamarca e Integrante da equipe Olímpica em Atlanta, nos Estados Unidos. Conquistou 6° Lugar na Copa do Mundo de Atletismo na África do Sul, Semi-Finalista do Mundial de Atletismo em Atenas, na Grécia, 3° Colocado no Mundial de Ekiden de Maratona, Recordista dos Jogos Pan Americanos nos 3 mil com obstáculos, Recordista Sul-Americano dos 3 mil com obstáculos, Recordista Paulista, Mineiro, Carioca e Amazonense dos 3 mil com obstáculos, Recordista dos Meetings nos Estados Unidos, Alemanha, Portugal e Espanha e ganhou ainda o Troféu Fair Play. Por sua brilhante atuação e por difundir o nome de Contagem por onde passa.


Ano XVII - NÂş 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e RegiĂŁo Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

2


3

Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Leonardo de Magalhaens, autor e obra Preâmbulo Há muito tempo, devo a mim mesmo uma análise dos escritos de Leonardo de Magalhaens, especialmente de ODE SENSACIONAL, a meu ver, a sua criação mais cativante. Trata-se de poema necessário, importante e belo, e os adjetivos não são elogio gratuito, mas resumem qualidades do poema, que espero explicitar. Muitos acham que minha admiração pela obra de Leonardo de Magalhaens é bajulação, compadrio, o que os mais argutos veriam afinidade eletiva. De fato, sempre estimei o seu trabalho nas rodas de conversa, sua dedicação à escrita, à reflexão desinteressada, mas o que muitos não sabem é que eu e ele tivemos nossas divergências intelectuais e rusgas pessoais, aliás, como não foge qualquer inteiração humana. Digo isso apenas para me livrar de qualquer acusação de favorativismo, apenas escrevo sobre o que conheço. Da mesma forma, não quero repetir o senso acadêmico (o senso comum da academia) que separa obra de autor, e dizer que antes eu admiro a obra ao autor. Admiro também o autor, a totalidade de Leonardo de Magalhaens, sua entrega em relação a tudo o que já empreendeu, sua lucidez, empenho. Em ensaios pretéritos, abordei a própria presença de Magalhaens nos círculos artístico, literário e intelectual de sua época e região (RMBH), bem como comentei, por alto, DESENCONTROS GRAFADOS, calhamaço maçudo, espécie de memorial ficcionalizado. Nem de raspão, toquei na pele dessas memórias, até mesmo porque não fui capaz de lê-las por inteiro. Apresentei minhas impressões gerais e fiz sugestões de ordem paradidáticas a fim de tornar o texto quilométrico e hermético mais palatável aos eventuais aventureiros que poderiam, quem sabe, desbravar as suas mais de mil páginas. Ao leitor parece desencorajador ler tal memorial e digo que é mesmo, mas também lhe digo que o próprio autor, Magalhaens, em confissão pública, lembra-nos que sua grande prosa é fruto de uma série de frustações, o que pode estimular a leitura por xeretas ou, mais eruditamente, estudantes e profissionais das ciências humanas. Caso o autor houvesse incorporado um glossário àquela obra, como sugeri, buscando dar o mínimo de referências ao leitor literário, talvez encontrasse algum destemido para desbravar suas páginas que, suspeito, escondem-se prazeres proustianos.

Magalhaens leitor Para quem viveu a juventude que viveu e passou pelas dificuldades que passou, Magalhaens foi longe demais como leitor e erudito. Vejam vocês, ele, por conta própria, buscou dominar a leitura do inglês, do alemão e do francês, principalmente, fora outras incursões por línguas mortas e modernas. Durante os anos 1990, quando solteiro, ele sempre quis viajar para o exterior, Londres, Paris e visitar um amigo seu em Berlim, mas o desemprego o golpeava e até certa desorientação, em qual rumo dar à vida. Magalhaens leu quase tudo o que é importante, o cânone literário ocidental, em prosa e verso. Começou tarde, mas avançou rapidamente nas leituras. Se nascido no século 18, era fácil ler o cânone literário, era só ler antiguidade grega e o que de importante veio depois. Já ler no século 21 demanda ler todos os clássicos, antigos e modernos, o absurdo século 20 e, como brasileiros, a literatura lo-

cal, desde Padre Antônio Vieira até os contemporâneos. Ainda fica faltando os proscritos e marginais, de todos os tempos e nações, e só esses já dão um tempo enorme de leitura. Isso é, sem ler nada mais a não ser literatura, ignorar o noticiário, as taxas de criminalidade, ignorar esporte e as mais recentes descobertas científicas, sem fazer mais nada a não ser ler literatura literária, o que, convenhamos, é irreal. E era irreal também para Leonardo de Magalhaens, ele também precisava ler anúncios nos jornais, participar de entrevistas de emprego, ler os editais de concursos públicos, ler as manchetes jornalísticas; ele, assim como nós, pessoas prosaicas, teve – como dizem os cariocas – de apanhar e saltar de ônibus superlotados, amargar horas desperdiçadas em vários intentos, mas nunca deixou de estar com um livro na mão ou, quando fatigado da leitura, que já não o contentava, o bloco de papel sempre estava ali, para rabiscar seus desencontros grafados. Ele mesmo me disse, como espécie de programa de vida: ler os clássicos e escrever o seu. Magalhaens elegeu o seu próprio cânone ocidental, a quem deu o título de MEU CÂNONE OCIDENTAL, e o título, diferentemente do que se possa pensar, não é por afetação egocêntrica, mas por entender que cada pessoa elenca as suas preferências, suas afinidades eletivas, daí ‘meu cânone’, diferentemente do cânone do ‘outro’. Neste trabalho, constituído de três volumes, comenta cada obra que considera importante na literatura universal e brasileira. Para se ter uma noção da amplitude de suas leituras, rapidamente, podemos citar alguns dos autores lidos e comentados por Magalhaens. Na literatura, Thomas Mann, Walt Whitman, Jean-Paul Sartre, Herman Hesse, entre os clássicos; os russos em profusão; os europeus, naquilo que de melhor o século XX despontou, Kafka, K. Hamsun, R. Musil, Alain-Fournier, Pirandello, Malraux, Simone de Beauvoir e, entre os americanos, William Faulkner, Salinger, S. Bellow, A. Burguess, P. Roth; os romances policiais norte-americanos (pulp fiction), beatnicks. Nas humanidades e ciências humanas, Sigmund Freud, Herbert Marcuse, Erick Hobsbawn, Erich Fromm, os sociólogos mais importantes, Karl Marx, Max Weber, Emile Durkheim, modernos como Peter L. Berger, marxistas inúmeros. Aqui não dou nem um pouco da miríade de autores literários e humanistas que Magalhaens manteve contato. Como rato de bibliotecas, ele sempre vasculhou o que de interessante havia nas prateleiras, classificando as obras enquanto ‘clássico’, ‘inusitado’, ‘moderno’ e ‘contemporâneo’, além de dar atenção especial aos divergentes e marginais. Para completar o quadro, como se não bastasse, Leonardo de Magalhaens sempre deu atenção reservada à literatura brasileira; ele poderia ficar apenas nas grandes obras universais, mas deu reservada atenção à literatura nacional, inclusive, a contemporânea de sua época e região, o que lhe absorveu tempo, em artigos de recepção crítica. Sua recepção crítica das obras de contemporâneos (e conterrâneos) se deu ao longo dos anos, depois ganhando organização em livro, nos três volumes que constituem UM OLHAR CRÍTICO: sendo o primeiro volume críticas escritas entre 2003 e 2007; já o segundo volume contempla os anos de 2008 e 2009; por fim, o terceiro volume de UM OLHAR CRÍTICO aparece em 2010. Muitas críticas que estão ali foram escritas no calor da hora, isto é, em seguida ao lançamento de um livro, por autor contemporâneo. Alguns autores

Leonardo de Magalhaens recitando “Poemaremos sem fim” (Lecy P. S.) durante “Viva Poesia, Poesia Viva”, Contagem (2008)

chegaram a enviar suas obras recémlançadas para o crítico, o que demonstra que a presença de Magalhaens gerou expectativa nos autores.

Magalhaens poeta Como poeta, Magalhaens foi um dos mais conscientes que eu já conheci, sempre se informando e estudando a linguagem literária, assim como sempre atencioso e prestativo aos círculos literários, participando de eventos, grupos, iniciativas, sempre publicando cartas-abertas, enfim, exercitando verdadeira função de intelectual público. Agora, vejamos um pouco do poema ODE SENSACIONAL e, para tanto, dividirei minhas considerações em dois tópicos. Findos esses tópicos, que focam esse poema, digno de atenção reservada, passarei a consideração sobre outros versos seus. Devido a uma necessidade subjetiva recalcada de uma época, qual seja, a dos anos 1990-2000, que assistiu, embasbaca, uma série de mudanças sociais, sem quem simbolizasse essas em música, poema, cinema. Havíamos perdido Raul Seixas já fazia tempo; Renato Russo deixou-nos em 1996, ele que era um intérprete romântico do seu tempo. Poucos notaram, mas perdemos um grande etnógrafo do Brasil urbano, desta vez, realista e focalizando a subclasse brasileira, refiro-me ao escritor João Antônio, encantado em 1996. A poesia estava deslocada da realidade, desatualizada uns vinte anos. Quando falávamos em poesia contemporânea nos anos 90 e até mesmo em 2000, lembrávamo-nos da antologia 26 POETAS HOJE (1975), de Heloísa Buarque de Holanda, cujo ‘hoje’ já havia passado. A poesia havia parado no tempo. Sim, havia revistas e sites literários nos anos 1990 e 2000 (AZOUGUE, ZUNAI, CRONÓPOLIS etc.), eventos, iniciativas, mas não estou falando de empreendimentos literários, estou falando das obras em si mesmas, das suas mensagens. Elas estavam defasadas. O que ODE SENSACIONAL faz em boa medida, e só isso já bastaria para ser um poema importante, é atualizar a mensagem poética, e colocar a poesia em sintonia com tempo e espaço. Enquanto os poetas, maldosamente falando, ficavam com ‘mi-mi-mi’ se podiam escrever isso ou aquilo, os em supérfluos poemas metalinguísticos, ou em elucubrações sobre a morte do autor e da bezerra, Magalhaens foi lá e escreveu um poema que surpreendeu a todos, vigoroso e comunicativo, fluente e altamente recomendável para leitura em voz alta. Na temática, isto é, nossos assuntos que o poema toca, trouxe a poesia brasileira dos anos 1980 para os anos 2000, sem prejuízo dos anos 1990. Na poemática, isto é, na forma, trouxe uma rítmica nova que há muito já devia ter sido utilizada pelos poetas tupiniquins, qual seja, a rítmica de Walt Whitman e dos beatnicks. Desde o nosso modernismo, a poesia brasileira largava mão do verso livre, mas não o potencializamos como Walt Whitman o potencializou, levando a desdobramentos maiores, como em FOLHAS DE RELVA. Não acuso os poetas brasileiros de não terem escrito FOLHAS DE RELVA, o que seria ridículo, mas apenas mostro que, após nossa libertação para o verso livre, não aproveitamos muito essa conquista, e logo já voltamos, arrependidos ou não, para o formalismo, que foi a Geração de 1945 e os concretistas. Os que não eram formalistas nesse período, eram os ditos marginais, a ‘geração mimeógrafo’, que faziam uma poesia minimalista e não maximalista, como fazia Whitman e os beats, nos EUA, de forma que nunca tivemos nada, em terras brasileiras, que se parecesse com aquela poética. São tradições literárias diferentes. Experimentos isolados, como TODA A AMÉRICA, de Ronald de Carvalho, foram nossas únicas tentativas de fazer uma poesia whitmaniana em terras tupiniquins. No mais, sempre pendemos para o formalismo. Não que isso seja ruim, ou bom, apenas chamo a atenção para as diferentes tradições, brasileira e americana. Para o leitor se situar, é importante informar os dados gerais de ODE SENSACIONAL. Trata-se de um longo poema, constituído de capítulos, abrangendo o total de 31 laudas. Em grego, “ode” significa “canto”, obra para ser cantada, em homenagem a uma amada ou em honra ao mérito de alguém em particular, ou de uma comunidade, no geral. Nosso poema em questão de fato pode ser cantado, declamado, o que dá na mesma, pois perfeitamente adequado à leitura em voz alta, constituído

de longos versos livres, todos bem sonoros, comunicativos, rítmicos. É constituído dos seguintes capítulos, em ordem: primeiro um prólogo, onde aparece, por assim dizer, a exposição de motivos de todo o poema, quando o poeta diz qual lirismo ‘não queremos’, e qual lirismo ‘queremos’:

POR VINÍCIUS FERNANDES CARDOSO BLOG: www.folhetimvolante.blogspot.com OBRAS: https://clubedeautores.com.br/authors/64275

E- MAIL: viniciusfernandescardozo@gmail.com

Não queremos o lirismo dos luares e dos pastos verdejantes (...) Queremos a poesia das máquinas registradoras e das chamadas telefônicas (...) Em seguida, o poema desdobra se em outras odes, cada uma delas independentes do todo, o que confere ao conjunto mais versatilidade. Na sequencia: Ode hiperbólica, Ode espetacular, Ode à guerra social, Ode para as nossas praças, Ode urbana, Ode de Natal, Ode para o poeta falido, Ode para as consciências tímidas, Ode para as lembranças, Ode para o leitor... Por fim, “Horror industrial”, “Urde brutal” e “Sono literal” desfecham esse grande poema. Além de atualizar a poesia, tanto na temática quanto na poemática, o que era necessário, defendo que ODE SENSACIONAL foi importante para toda uma geração de poetas e pensadores que passou pelos anos 1990 e 2000 sem uma voz que lhes encorajasse desdobramentos de pensamentos e criações que podiam estar realizando, mas que, na falta de uma referência, podiam se autocensurar, por se acharem única voz dissonante num silêncio cínico, um “pensamento único” no ar, uma aparente satisfação generalizada. De repente, chega ODE SENSACIONAL e quebra o silêncio, a pasmaceira, sopra ar fresco sobre as cabeças de uma geração confusa, como que lhes encorajando: falem o que têm que falar, escrevam o que têm que escrever, componham músicas e criem artes plásticas e apresentem os pensamentos filosóficos que escondiam na gaveta: não estamos mortos, vamos mostrar que estamos aqui. Dar visibilidade e encorajar sua geração torna ODE SENSACIONAL importante. Defendo ainda ser um poema belíssimo, e quase me repito, afirmando que ele traz uma rítmica toda nova para o panorama poético que conhecíamos até então, ao trazer toda uma composição em versos livres mais potencializada, desdobrada, desenvergonhada, mais livre propriamente e, por sua vez, imagino que quem encorajou Magalhaens nessa seara foram suas leituras de Walt Whitman e dos beats. Versos começando pelo verbo, como é recorrente em ODE SENSACIONAL, ou com “quando” ou “enquanto”, imprimindo movimento e vida ao poema, Magalhaens retirou de suas leituras de Allen Ginsberg e Lawrence Ferlinghetti. Outra característica de ODE SENSACIONAL é a indexação, isto é, indexar nome de logradouros, estabelecimentos, lojas, marcas, não necessariamente para dar regionalização à obra, mas corporificação no mundo real, inclusive para denunciar que a realidade foi se desertificando, que as pessoas foram se fechando em suas tocas ou migrando para o mundo digital; a indexação serve para mostrar que a o poema não está falando em ninfas e elfos, em ‘plano espiritual’, em virtualidades, não, o poema está falando do tempo presente e do ser humano presente (ou ausente), e lembro que esse recurso da indexação fora largamente utilizado pelos poetas beatnicks. Para finalizar, outra característica, diferente das duas primeiras, é que, mesmo falando para uma época particular, ODE SENSACIONAL não se torna um poema datado, pois, da mesma forma que trata de temáticas hodiernas, trata de temáticas constantes no ser humano, como amor, amizade, morte, tempo, em perfeito sintonia com as dimensões já apontadas, o que concorre para tornar o poema mais vigoroso. O último capítulo, por exemplo, “Sono literal” é um desdobramento de verso de Drummond, que busca exprimir uma verdade-aconselhamento a todos, qual seja: de que “dormir nos dispensa de morrer”.

ÁSPERA TRILHA Após ODE SENSACIONAL, Magalhaens se debruçou por dois anos sobre DESENCONTROS GRAFADOS, bem como em suas traduções e críticas literárias. Parecia que não veríamos mais o Magalhaens poeta, ele mesmo alegava que já havia

Leonardo Magalhaens junto a estátuas dos “quatro cavaleiros do apocalipse”, Fernando Sabino, Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos, em frente a biblioteca pública estadual Prof. Luís de Bessa, em BH

passado da idade da poesia. Já eu sempre desconfiava que poderia ainda sair poema da cachola. Foi quando apareceu, por volta de 2009, ÁSPERA TRILHA, em dois volumes, levando o subtítulo de “Desabafos, paródias e poemas”, mostrando como o autor era exigente com suas próprias criações. Acontece que muitos dos poemas que considerou “desabafos”, e de certa forma eram mesmo, possuíam alta carga declamatória, e era muito mais vivos e inteligentes do que havia na praça. Entre um desabafo de Magalhaens e entre um poema poético, eu ficaria com o desabafo do primeiro. Eles sempre traziam uma mensagem necessária para dado momento histórico, sempre uma visão original dos desdobramentos do mundo. Assim como ODE SENSACIONAL, ÁSPERA TRILHA exercia a função de não permitir a pasmaceira, de colocar uma palavra bem colocada onde imperava o silêncio. Outra função exercida por ÁSPERA TRILHA foi de incomodar o apático meio literário e intelectual de Belo Horizonte, denunciando cinismos, futilidades, conchavos. E era importante alguém fazer isso. Reinava uma anomia no ar, ninguém criticava ninguém, ninguém também dava tapinha nas costas de ninguém, certo desânimo imperava, mas as pessoas estavam ali, os poetas estavam ali. Ninguém queria magoar ninguém? Pode ser, mas isso levava a um pieguismo, a um pseudopacifismo, desculpa para a bunda-molice, era a falta de debate público, a falta de troca de ideias, marasmo. Mas os eventos aconteciam, as pessoas se encontravam, mas as relações eram superficiais. Os poetas não porfiavam, os intelectuais não debatiam. Cansaço? Pode ser. Com ÁSPERA TRILHA, Magalhaens buscou reaquecer a vida literária belo-horizontina, pautar novos debates, polemizar com sensos comuns, e nisso não foi compreendido, pelo contrário, foi hostilizado, e a pasmaceira se manteve. Nesta reunião, Magalhaens apresentou todo um lado seu que conhecíamos pessoalmente, seu senso crítico, irônico, polêmico, satírico, sua capacidade de análise, agora enfim materializado em texto, todas aquelas potências que conhecíamos das conversas ele realizou em ÁSPERA TRILHA. O título é uma alusão a sua solitária militância em busca de uma dinamização da vida literária metropolitana, explicitando que ele trilhou um caminho árduo, áspero, em solo pedregoso, isto é, sendo incompreendido por seus desanimados contemporâneos. Seus pares, a quem por último recorreu, pareciam ter se incorporado a mesmice ou se entocados, amargurados em suas alcovas. Com ÁSPERA TRILHA, Magalhans espanou a poeira, ao menos.

Ensaios históricos, políticos e sociais Outra faceta de Magalhaens são seus ensaios sociais e políticos, sendo os primeiros mais “duráveis” que os segundos. Os primeiros versam sobre anarquismo, socialismo, democracia, transparência política etc. Os segundos geralmente aparecem em períodos de efervescência política no país, como durante as eleições, ou no mundo, quando em crise. Tais ensaios, sejam os primeiros como os segundos, não chegaram a ser organizados em livro, imagino que porque o autor os entenda efêmeros para merecer livro. Dito isso, vejo em seus ensaios mais validade que convencionais colunas de

jornais. Eles sempre apresentaram uma carga teórica implícita, um conhecimento sociológico, histórico, que lhe dariam alguma sobrevida no tempo e, incrível, alguns comentários seus sobre períodos eleitorais brasileiros podiam ser lidos na eleição posterior que ainda estavam atuais, mas aí também por demérito da realidade, que mantinha enredo, só mudando personagens. Além desses primeiros, há os textos que versam sobre a Segunda Guerra Mundial, assunto em que Magalhaens se especializou; esses textos chegaram a ganhar blog na Internet, a saber : WWW.SEGUNDAGUERRAMUNDIALWW2.BLOGSPOT.COM.BR

Blog, traduções, publicações Magalhaens mantém, como principal canal com no mundo externo, o blog LEITURAS E ESCRITAS E TRADUÇÕES. Como se nota, não é nada marqueteiro. Apresenta o título simples e comunicativo. Para acessar, digite: WWW.LEOLEITURAESCRITA.BLOGSPOT.COM.BR. Já o aconselhei a dinamizar mais os seus trabalhos, desdobrar suas publicações, até então distribuídas para poucos eleitos. Além disso, textos seus saíram aqui, no JORNAL REGIONAL CONTAGEM. Imagino que ele espere tempo propício para edições e publicações, mas nunca é bom brincar com o Deus Cronos. Como tradutor, sente-se à vontade para fazer o que chama de “traduções livres”, sem exagerado compromisso de precisão vernacular, mas muitas delas mais vivas e acuradas do que traduções oficiais e editoriais, apresentando também especial proficiência na tradução de poesia e letras de rock and roll.

Entrevista, declamação Em 2011, Magalhaens concedeu entrevista ao poeta Lecy Pereira Sousa, disponível no Canal Pão e Poesia, no You Tube: WWW . WWW. YOUTUBE. COM/WATCH?V=1FEC_NUC32O Para se conhecer a sua dimendsão de orador, sua voz grave, quem sabe ver sua declamação de O CORVO, clássico de Edgar Allan Poe: W W W . Y O U T U B E . C O M / WATCH?V=HXKJOL2KNS4 Por fim, recomendo a leitura de ODE SENSACIONAL, obra-prima. Sua tônica forte, de tintas ‘pessimistas’, não deve repelir o leitor, mas lhe fazer sobrevoar sobre o mundo em que vivemos,sendo visão desencantada da realidade social, metáfora de tempos ásperos.

Fotos: Internet (divulgação) e arquivo pessoal de Magalhaens

LEONARDO DE MAGALHAENS NASCEU A 02 DE

JULHO DE 1977, EM BELO HORIZONTE, ONDE

ATUALMENTE RESIDE, COM POLLYANA NUNES E

O FILHO GABRIEL. GRADUA-SE EM LETRAS NA

UFMG.


Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

A ESCOLHA CERTA

5

PRESIDENTE DA Reunião discute CEASAMINAS RECEBE TÍTULO fortalecimento da DE CIDADANIA HONORÁRIA indústria de Defesa Objetivo é fomentar o polo da cadeia produtiva da indústria da Defesa, aliada à ciência e tecnologia FOTO ELIAS RAMOS

Ao se aproximar o dia 1° de maio, dia do trabalho venho novamente reforçar sobre a importância do teste vocacional. Na minha época, quando estudei na Funec, só havia três opções de cursos técnicos: Processamento de Dados, Química e Segurança do Trabalho. Escolhi a terceira opção e acredito ter realizado a escolha certa. A profissão é extremamente desafiadora. A todo momento é necessário pensar, elaborar estratégias para prevenção de acidentes dentre outras atividades pertinentes a função. Com o passar dos anos, percebi que era necessário investir em um curso superior, como trabalhava diretamente com o Engenheiro de Segurança do Trabalho, auxiliando na elaborando do PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, pensava que seria interessante prestar vestibular para Engenharia e depois realizar uma pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho. Durante três anos tentei passar no vestibular de Engenharia mas sem sucesso. Até que um dia algo inesperado aconteceu. Estava no auditório da empresa onde trabalhava, ministrando mais um curso de formação para membros da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. No final do treinamento um senhor se aproximou dizendo: “Adorei sua palestra, você conseguiu or ma fácil e transmitir tr ansmitir de uma ffor di divv er tida um conteúdo complexo, você é Pedagoga ?”. Respondi não, e aquele senhor me aconselhou a realizar um teste vocacional. Alguns meses depois procurei

uma empresa de recursos humanos, realizei o teste e descobri que ele tinha razão, minhas habilidades estavam direcionadas para área de humanas e não exatas. Decidi novamente tentar o vestibular, só que desta vez para Pedagogia. Fui aprovada e senti uma alegria enorme. Comemorei com meus amigos e familiares esta vitória tão esperada. Três anos após ter concluído a graduação, uma amiga indicou o curso de Psicopedagogia Clínica e assim percebi que encontrei meu caminho... Hoje entendo bem aquele ditado escree ve cer to por popular “Deus escr linhas tor tas” . Certamente ele sabia que a minha Engenharia seria outra. Quando recebo um aluno ou paciente triste, desanimado e sem motivação para aprender. Deus coloca em minha mente as ferramentas que irei utilizar para erguer esta pessoa e resgatar todo o seu potencial escondido. Na realidade acredito que Ele, estava me preparando para uma Engenharia diferente, onde edificaria o ser humano. O Brasil precisa de profissionais competentes, que possam atender as pessoas com atenção, cuidado e carinho. Se você conhece alguém que esteja com dúvida sobre qual profissão seguir, oriente sobre a importância do teste vocacional. Para finalizar gostaria de indicar o não Ca ernão Capelo Gaivvota. Vale filme: Fer pelo Gai apena conferir.

Flávia Kern Professora e Psicopedagoga Clínica Flaviakern@gmail.com

Projeto Cinema na Praça Contagenses terão mais uma opção de lazer e diversão

A Fundação Cultural do Município de Contagem (Fundac), lança o projeto "Cinema na Praça", que visa levar mais uma opção de atividade cultural por meio de projeções de filmes em praça pública. A ação contempla as oito regionais da cidade, com exibições gratuitas de título do cinema regional, nacional e internacional, além de rua de lazer. Para a presidente da Fundac, Renata Lima, esta é uma das atividades propostas para viabilização do acesso à cultura. O evento começa às 14h com rua de lazer; às 17h será exibida a sessão infantil e às 19h a sessão livre. O evento será sempre aos sábados e terá a duração de seis horas, de 14h às 20h. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO: Praça do Coreto (26/4) - Entre as ruas

Vc1 e VL 1, Bairro Nova Contagem Vargem das Flores Praça das Nações (10/5) - Rua México com Uruguai, Bairro Jardim do Lago Ressaca Praça do Campo (24/5) - Avenida A, Bairro Campo Alto - Petrolândia Praça Itajaí (7/6) - Rua Itapemirim, com Rua Rio Comprido, Bairro Monte Castelo - Riacho Praça Linear São Matheus (21/6) - Rua Ubatuba, atrás da casa Amarela, Bairro São Matheus - Nacional Praça do Bernardo Monteiro (5/7) Rua João Cota, antiga Rua Penetração, Bairro Bernardo Monteiro - Sede Praça Rosa Isidoro Amaral (19/7) - Rua França Campos, com Rua Nascimento Teixeira, Bairro Industrial - Industrial Praça Sô Teco (2/8) - Rua Cardeal Arco Verde, Bairro Água Branca - Eldorado

O presidente da CeasaMinas, Gamaliel Herval, recebeu o título de cidadão honorário do município de Contagem, fornecido pela Câmara dos Vereadores do município. A ideia da homenagem foi do presidente da Câmara, Gil Antonio Diniz, o Teteco. “Esta homenagem é estendida à CeasaMinas”, destacou o vereador que completou dizendo que ele e Gamaliel tem mais de 30 anos de convívio prestando serviços à população contagense. O deputado federal Newton Cardoso também esteve na cerimônia. Segundo ele, a homenagem é mais do que justa, já que Gamaliel Herval “é uma pessoa digna, séria e está fazendo um bom trabalho na

CeasaMinas”. Em seu discurso, Gamaliel Herval destacou que desde que assumiu a presidência da estatal, em agosto de 2013, está promovendo um esforço para equilibrar as finanças e fez uma licitação para expandir a CeasaMinas. “Com isso, esperamos que o entreposto de Contagem seja um dos maiores do mundo”, disse ele. O título de cidadão honorário é dado a pessoas que ajudaram o desenvolvimento econômico de Contagem, mas que não nasceram no município. Além de presidir a CeasaMinas, Gamaliel trouxe benefícios para Contagem ao ajudar a implantar o campus da Puc Minas na cidade.

CURTO TE AMAR Big Shopping vai dar um presente para comemorar o seu amor! Promoção sorteia 6 vale-compras no valor de R$ 2 mil e um VW Up! Zero KM O Big Shopping preparou uma promoção especial para as duas datas que celebram o amor: o Dia das Mães e o Dia dos Namorados. No período de 29 de abril a 12 de junho as compras dos clientes poderão ser convertidas em cupons para sorteios de cartões de compras e de um carro Zero. Serão sorteados 6 (seis) cartões no valor de R$2.000,00 (dois mil reais) e um carro zero Volkswagen Up! estimado em R$30.000,00 (trinta mil reais). A expectativa é um aumento de 9% nas vendas desse período em relação ao ano passado. Katia Andrade, gerente de Marketing do shopping explica que com sete semanas de promoção, o cliente ganha mais tempo para participar e tem mais chances de ganhar. A promoção, intitulada ‘Curto te amar’, tem grande direcionamento emocional e homenageia o amor em todas as relações: amor de mãe, de marido, de filho, de na-

morada...

A PROMOÇÃO Para participar da promoção o cliente precisa ser pessoa física residente e domiciliada no Estado de Minas Gerais. Além disso, deve realizar compras até o dia 12 de junho que somem no mínimo R$200,00 (duzentos reais) nas lojas participantes. Os sorteios dos vales-compras serão semanais (*) e o sorteio final será no dia 13 de junho quando o Big entregará o UP! VW ao cliente premiado. Além dos dados pessoais, o participante deve responder à pergunta da promoção: “Em qual Shopping você tem chances de ganhar um carro Volkswagem UP e seis vale-compras de dois mil reais?”. Um detalhe importante: os cupons depositados na urna são cumulativos até o fim da promoção, quando ocorrerá o sorteio que vai entregar o carro Volkswagen Up!.

As ações estratégicas para fortalecer a indústria da defesa em Contagem ganharam apoio da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e do governo federal. A reunião na prefeitura na quinta-feira (24/4) discutiu o planejamento de um seminário, previsto para o mês de junho, envolvendo os ministérios da Defesa, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, da Ciência e Tecnologia, além da Fiemg, e outros órgãos convidados como o governo do estado, empresários, associações e sindicatos do ramo. O objetivo é fomentar o polo da cadeia produtiva da indústria da Defesa, aliada à ciência e tecnologia, com foco nos potenciais do município. De acordo com o prefeito Carlin Moura, para o município, além do aspecto formal do ponto de vista da cadeia produtiva do qual o desenvolvimento econômico de Contagem está ligado ao setor industrial desde sua origem e história, existe também a questão da visão estratégica da soberania nacional que é fundamental. "Ficamos honrados em poder contribuir com o fortalecimento do setor produtivo e buscar mecanismos para modernização desse processo", afirmou. Durante a reunião, foi feita uma videoconferência com a secretária do Desenvolvimento da Produção, do

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Heloísa Menezes, que apresentou propostas de pauta para o seminário e vai articular a data do seminário com a agenda dos ministros. "É muito importante esse alinhamento entre as ações do governo federal com a prefeitura", ressaltou. O presidente do Conselho da Indústria de Defesa da Fiemg, Marco Antônio Castelo Branco, ressaltou que a prefeitura foi a primeira do Estado a tomar a iniciativa de se apresentar para o setor de Defesa do País. "Muitas indústrias do município participam da cadeia produtiva da indústria da Defesa, mas não estão inseridas diretamente, queremos fortalecer as que já existem, além de atrair mais investimentos. O seminário será muito importante, pois a efetiva participação dos setores possibilitará essa interação.", disse. Participaram também da reunião o professor da UFMG e técnico do Tribunal de Contas, Paulo Roberto Cardoso; o assessor da presidência da Fiemg, Macedo Ferreira, o pesquisador do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo, Ronaldo Carmona; o secretário municipal de Planejamento, Fernando Máximo; o secretário municipal de Defesa Social, José Rodrigues, entre outros assessores da prefeitura.

CAIXA ASSUME NÚCLEO DE ESPORTE EM FRENTE DE VOLUNTARIADO

Começa neste fim de semana a promoção comprou-ganhou do Dia das Mães no ItaúPower Shopping De 26 de abril a 11 de maio, os clientes do mall poderão trocar seus valores de compras por bolsas ou carteiras de mão exclusivas. Começa neste sábado a promoção do Dia das Mães comprou-ganhou do ItaúPower Shopping. De 26 de abril a 11 de maio, cada R$300 em compras poderão ser trocados por uma bolsa ou uma carteira de mão exclusivas do shopping. Nas compras no valor de R$600, a cliente poderá levar os dois brindes. Para a segunda melhor data do comércio, o Dia das Mães, o ItaúPower Shopping espera contar com um incremento de público de 8% entre os dias 26 de abril e 11 de maio. De acordo com a gerente de Marketing do ItaúPower, Renata Guimarães, o centro de compras aposta

que vestuário, calçados e cosméticos sejam os presentes mais procurados para a data. “Os segmentos de eletrodomésticos e eletroeletrônicos também devem receber destaque na escolha dos nossos clientes. O ItaúPower Shopping oferece um mix variado de lojas para aqueles que procuram pequenas lembranças até grandes presentes”, afirma Renata Guimarães. O ItaúPower Shopping está situado no ponto de convergência das principais vias de ligação da grande Belo Horizonte – a Via Expressa, avenida Amazonas e o Anel Rodoviário – e está a 15 minutos de Belo Horizonte.

O deputado Mário Henrique Caixa (PCdoB) assumiu a coordenação do núcleo de Esporte, Lazer e Juventude da Frente Parlamentar do Voluntariado, lançada no mês de abril durante Audiência Pública na Comissão do Trabalho, da Previdência e da Ação Social da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Originária da Lei 18.716/2010, a Frente institui a Política Estadual de Fomento ao Voluntariado Transformador. Além da atividade esportiva, outros 12 setores compõem o novo trabalho Empreendedorismo; Cooperativismo e Associativismo; Saúde; Política e Legislação; Meio Ambiente e Sustentabilidade Idoso; Comunicação; Pessoas com Deficiência; Educação e Cultura; Terceiro Setor; Combate às Drogas; Direitos Humanos; e Trabalho e Renda.

Para Caixa, é muito gratificante poder contribuir com o vigor de uma lei inovadora, capaz de abranger a sociedade civil, mas também governos e empresas. Ele acredita que as pessoas deveriam ser mais engajadas com as causas sociais, no sentido de lutarem pelo bem comum e não apenas por necessidades individuais. “Ser voluntário não é apenas participar de alguma Organização Não Governamental (ONG) ou de qualquer entidade do tipo. É uma tarefa que contempla e interessa a todos os cidadãos e que está diretamente relacionada à qualidade de vida, à construção de uma sociedade mais justa, par ticipativa e coletivizada. Precisamos nos conscientizar mais e participar do desenvolvimento do ser humano”, destacou o parlamentar.


6

Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

AUDIÊNCIA PÚBLICA DISCUTE O REGIME PREVIDENCIÁRIO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE CONTAGEM

PDT Contagem lança apoio ao pré-candidato deputado federal Mário Heringer

Fundo Municipal de Incentivo a Cultura

CRÉDITO ADELCIO BARBOSA

O plenário da Câmara Municipal foi palco de uma audiência pública, na manhã do dia 23, que tratou sobre Fundo de Previdência dos Servidores do Município de Contagem (Previcon). A audiência foi solicitada pelos Sindicatos dos Servidores da Educação e da Saúde (Sind-Ute e Sind-Saúde, respectivamente) às Comissões Externas de Saúde e Educação da Câmara. Eles organizaram uma pauta de demandas, reivindicações e propostas de encaminhamento sobre questões ligadas ao Fundo. O vereador Alex Chiodi (SDD), presidente da Comissão Externa de Educação do Legislativo, foi quem organizou a composição da mesa e explicou a dinâmica da reunião. Além dele, estavam presentes também os vereadores Obelino Marques (PT), representando o presidente da Câmara, vereador Gil Antônio Diniz - Teteco (PMDB), Zé Antônio do Hosp. Santa Helena (PT) e Jair Tropical (PCdoB). Luiz Carlos Dinucci, representando a Associação dos Servidores Públicos de Contagem, falou sobre a dificuldade em se conseguir resolver questões aparentemente simples junto ao Previcon, acusando o órgão de não conhecer a sua própria legislação e possuir um setor jurídico falho. Em seguida, Kelly Cristina Fonseca, representante do SindUte, listou uma série de demandas que foram recolhidas por meio das reuniões do Conselho Municipal da Previdência (CMP) que, segundo ela, tem se reunido regularmente desde o ano passado. Dentre diversos assuntos, Kelly falou sobre os problemas apontados pela auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social em 2011, que teria resultado em uma notificação fiscal no ano de 2012. "Precisamos discutir de forma muito cautelosa a situação da previdência", enfatizou. Alguns dos problemas, segundo Kelly, diziam respeito a um déficit de cerca de R$ 7 milhões relativo à contribuição patronal, ao descumprimento de ser viços de consultoria contratados pelo Previcon e também à transparência dos dados da instituição, como a lista de gastos e despesas, que deveria ser periodicamente repassada ao Ministério da Previdência Social. Além disso, foram colocadas questões relativas à excessiva demora na conclusão de processos de solicitação de aposentadoria e à morosidade da devolução de tributos recolhidos indevidamente de servidores da Fundação de Assistência Médica de Urgência de Contagem (Famuc). Esses tributos foram recolhidos, na época, sobre verbas não-permanentes, como adicional noturno e de insalubridade. Kelly frisou também que o projeto de lei proposto pela Câmara em 2012, que visa a transformar o Previcon em uma autarquia, precisa ser discutido com o CMP. Por fim, acusou a instituição de se negar a divulgar o relatório da última auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social relativa ao ano de 2013. Compartilhando das mesmas questões colocadas pela representante do Sind-Ute, Maria Auxiliadora Ramos Martins, representando o Sind-Saúde, mostrou preocupação quanto ao futuro da instituição. "Essa audiência tem o objetivo de nos precaver, pois se cada governante que passar neste município usar de forma espúria os recursos previdenciários, não haverá meios de sobrevivência desta ou de qualquer outra previdência", concluiu. Previcon rebate as acusações Chamado para fazer parte da mesa, o diretor do Previcon, Eugênio Santos, que assumiu o cargo em agosto do ano passado, respondeu aos questionamentos dos demais participantes. Em princípio, esclareceu que a au-

ditoria feita em 2011 pelo Ministério da Previdência Social foi cancelada, portanto, a notificação gerada não seria válida. Quanto à auditoria feita em 2013, Eugênio explicou que a solicitação do relatório por parte dos sindicatos foi feita antes do seu término, que só aconteceu em janeiro deste ano. "Estes relatórios são públicos, qualquer um que quiser ter acesso terá, basta solicitar", explicou. Sobre o recolhimento de tributos indevidos dos servidores da Famuc, Eugênio explicou que há um impedimento legal em receber o pedido de restituição de forma coletiva, em uma lista, como tem sido tentado pelos servidores. De acordo com o diretor, é necessário que os requerimentos de devolução dos valores sejam feitos de forma individual e já existe, inclusive, orçamento destinado ao pagamento de restituições no exercício de 2014. A demora no deferimento de processos como aposentadoria e afastamento preliminar também foi justificada por Eugênio. De acordo com ele, grande parte do retardamento nos requerimentos acontece por causa de documentos ou dados faltantes por parte dos requerentes. "Hoje, temos cerca de 140 procedimentos relacionados à solicitação de benefícios e 36 deles estão prontos. O restante não depende mais do Previcon, e sim de intimações feitas aos segurados, como correção de inconsistência de dados", exemplificou Eugênio. Advogados dos sindicatos reforçam as cobranças dos servidores O advogado do Sind-Ute, Nazário de Faria, argumentou que a administração pública pode exercer a auto-tutela e rever seus próprios atos administrativos, podendo, portanto, aceitar esse requerimento de forma coletiva. "Se há o reconhecimento do recolhimento indevido por parte da administração pública, ela tem que fazer por onde devolvê-lo, ou é simplesmente um argumento que está sendo posto para ganhar tempo", completou. Luziana Gusmão, defendendo o Sind-Saúde, enfatizou que a audiência pública é a primeira de muitas ações que serão necessárias para a resolução dos problemas encontrados na previdência municipal. Ainda de acordo com a advogada, a questão da devolução desses tributos aos servidores da Famuc é um "jogo de empurra-empurra", já que o Governo se reúne com os servidores e passa a orientação para que procurem a Famuc e lá, de acordo com a advogada, são encaminhados para o Previcon. "Parece que não há interesse em resolver o problema", concluiu. A demora nos processos de solicitação de aposentadoria também foi abordada por Luziana, que relatou que servidores que aguardam o deferimento de aposentadoria fora de exercício o conseguiram por ordem judicial. "Tem servidor que trabalha dois ou três anos a mais (...) e o Previcon segue descumprindo a lei", finalizou. Depois das exposições dos membros da mesa, a audiência foi aberta para a participação do público, quando algumas pessoas puderam fazer perguntas e observações ligadas ao Previcon e que, posteriormente, foram respondidas por Eugênio. Encerrando a audiência, o vereador Alex Chiodi encaminhou as solicitações e demandas levantadas pelo CMP para Eugênio e garantiu que a Câmara formará uma comissão que vai avaliar e acompanhar de perto todas as questões colocadas na reunião. Por fim, solicitou que o relatório da última auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social, encerrada neste ano, seja enviado

Mais de 500 pessoas participaram do Encontro do Partido Democrático Trabalhista (PDT) Contagem no último domingo (27/4), no Recanto Santa Helena. Todas as lideranças municipais do partido declararam apoio ao pré-candidato deputado federal Mário Heringer nas eleições 2014. Participaram do evento o vice-prefeito e presidente do PDT Contagem, João Guedes, o secretário municipal de Meio Ambiente, vereador Ivayr Soalheiro, o secretário municipal do Trabalho e Geração de Renda, Tiago Guedes, o vereador e presidente do PDT Betim, Erasmo da Academia, o vereador de Belo Horizonte, Bruno Miranda, a presidente da Ação da Mulher Trabalhista (AMT) de Contagem, Mônica Messias, o presidente da Juventude Socialista, Ivan Filipe, além de lideranças de partidos aliados como o prefeito Carlin Moura e militantes. Durante o encontro, o presidente do PDT MG e deputado federal, Mário Heringer, destacou o trabalho do PDT Contagem no governo municipal. “Contagem foi a cidade mineira que mais gerou empregos em 2013, e a 21ª no país. Isso mostra o compromisso do trabalhismo na cidade e que estamos no rumo certo. A cidade começou a recuperar depois de muito tempo o protagonismo que perdeu. O PDT tem essa missão. Fazer política com serie-

dade e pela sociedade com o coração aberto, em respeito as pessoas, com as mãos limpas. Vamos continuar trabalhando para fazer a verdadeira diferença que tanto almejamos na cidade e no país. Agradeço a todos os membros do PDT Contagem e como précandidato espero contar com o apoio de todos vocês”, afirmou. Segundo o vice-prefeito, João Guedes, o encontro representa o crescimento do PDT Contagem. “O deputado federal Mário Heringer realiza um trabalho sério e competente em toda sua carreira política. E seus ideais condizem com o no nosso governo, pois queremos sempre chegar na frente, com o compromisso de colocar o ser humano em primeiro lugar, cumprindo nossos desígnios, investindo na Saúde, Educação com total transparência, garantindo o direito do exercício da cidadania. “, disse. Ao declarar apoio ao deputado federal, o secretário municipal de Meio Ambiente, vereador Ivayr Soalheiro, destacou a força do PDT Contagem. “Todos que estão presentes aqui hoje trabalham para garantir o bem-estar social das pessoas e estão exercendo sua cidadania ao se preocupar com a política e com o futuro do país. Vamos apoiar quem trabalhará pelos menos favorecidos e para construir uma Contagem e um País ainda melhores!”, afirmou.

Publicação de requerimento de licença TAMPAR INDÚSTRIA E COMERCIO DE PLASTICOS LTDA - ME,CNPJ - 08.907.169/0001-31 por determinação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente torna público que solicitou através do processo 6333/01-11, Licença de OperaçãoCorretiva para Atividade de Fabricação de artefatos de material plástico para outros usos não especificados anteriormente Comércio atacadista especializado em outros produtos intermediários não especificados anteriormente. Localizada na Rua Hibisco,85 ArvoredoContagem – MG.CEP 32.113-150.

Publicação de requerimento de licença Mechitron Manutenção Industrial Ltda, por determinação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente torna público que solicitou através do processoN°10442/2013 Licença Ambiental Sumaria para Atividadede Serviços de usinagem, tornearia e Solda: Manutenção e reparação de equipamentos hidráulicos, cilindros e bombas hidráulicas compressores p/ uso industrial. LOCALIZADA NA Av. Rua LL N° 129 2° Seção – Arvoredo – Contagem – MG. CONTAGEM – MG – CEP: 32.113-188.

Publicação de requerimento de licença CTMIG- Centro de Ensaios, Testes, comércio e manutenção de Equipamentos elétricos Ltda-Me, por determinação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente torna público que solicitou através do processo 10295/2013 Licença Ambiental Sumaria para AtividadeManutenção e reparação de equipamentos hidráulicos e pneumáticos, exceto válvulas; Comércio Atacadista de Material Elétrico: Fabricação de Outros Equipamentos e Aparelhos elétricos Não Especificados Anteriormente. Contagem – MG. CEP 32.260-300

LICENÇA AMBIENTAL WEIR DO BRASIL LTDA, por determinação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente torna público que solicitou através do processo Nº 7333/0113, licença de operação corretiva para atividade fabricação de equipamentos hidráulicos e pneumáticos, peças e acessórios exceto válvulas. Localizada na Rua Manoel Pereira Mendes nº275, bairro Cinco, Contagem – MG - CEP: 32010-040.

JORNAL REGIONAL CONTAGEM LTDA. CNPJ: 04.917.575/0001-24

Editor-Chefe e Jornalista Responsável:

José Antônio Borba REGJPMG09675 Rua das Acácias, 1137 - Conj. 401 - CEP: 32310-370 Eldorado - Contagem -TEL.: (31) 3042-0034/3041-5473 E-mail: gruporegionalcontagem@gmail.com www.jornalregionaldecontagem.com.br

PÚBLICO ALVO: 100.000 LEITORES Os artigos e matérias assinados são de responsabilidade dos seus autores, não representando, necessariamente, a opinião deste jornal.

Os artistas que quiserem participar do financiamento de projetos culturais no município já podem acessar o edital do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura, publicado no site da Prefeitura de Contagem. São R$500 mil para financiamento de projetos culturais no município. O documento foi elaborado com a participação da população, por meio de audiência pública, definindo a distribuição da verba de forma igualitária para todas as regionais, em que serão contemplados projetos de até R$20 mil, distribuídos em quatro faixas de valores. No dia 25/3, a Fundação Cultural de Contagem (Fundac) realizou o pré-lançamento do edital do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura. Na ocasião, os participantes conheceram os integrantes do Conselho Municipal de Política Cultural do Município de

Contagem e a Comissão de Avaliação de Projetos. O evento contou com a participação de artistas de vários segmentos e apresentações culturais como música gospel, MPB e números circenses. A presidente da Fundac, Renata Lima, disse que a cultura de Contagem está vivendo um momento histórico. "Estas ações vão garantir a efetivação de políticas públicas culturais por meio da aprovação da lei 4.647, prioridade do governo Carlin Moura e conquista da população", observou. A Fundac vai oferecer orientações para elaboração de projetos em todas as regionais. O dia e local serão divulgados em breve. Os interessados deverão entrar em contato com a Fundac, pelo telefone (31) 33534222.

SAÚDE

QUAL A QUANTIDADE DE SONO NECESSÁRIA? Não há uma fórmula para definir qual deveria ser a duração adequada de um bom sono noturno. Acreditar que todas as pessoas necessitam da mesma quantidade de sono é tão absurdo quanto crer que cada uma deva ingerir a mesma quantidade de alimentos todos os dias. Podemos supor que sete horas e meia sejam uma média adequada. Sem dúvida, podemos afirmar que só uma ou duas pessoas em cem sintam-se bem com um sono de cinco horas ou somente uma pequena minoria precisa do dobro. Cada indivíduo parece ter um apetite inato de sono que provém de sua programação genética tanto como a cor de seu cabelo, pele ou peso corporal. Uma maneira simples de investigar sobre sua necessidade de horas de sono é levantar todas as manhãs na mesma hora, não importando a hora em que foi deitar no dia anterior. Você está atordoado depois de cinco ou seis horas de sono? Talvez uma hora a mais lhe desse mais energia? Seria muito agregar duas horas? Se prestarmos atenção na linguagem de nosso corpo e respondermos estas perguntas relacionando as repostas às horas de sono, poderemos determinar um hábito de sono adequado. Outra alternativa válida é ter um diário de sono. Anote nele, durante uma semana, a que horas vai deitar e a que horas levanta; como sentia-se ao deitar e quanto tempo levou para dormir. Depois, anote como sentiu-se no dia seguinte. No final de cada semana, revise qual foi o dia em que se sentiu com maior energia e vitalidade. Controle quantas horas havia dormido no dia anterior e tome esta quantidade como o tempo máximo de horas que dedicará a dormir na próxima semana. Repita a metodologia e encontrará seu padrão. Não existe uma fórmula para dormir menos e sentir-se bem depois. Mas pode ser uma questão de tempo. A quantidade e qualidade de sono mudam com sua idade.

Bebê: Nos seis primeiros meses de vida, os bebês dormem até 18 horas por dia. Até os três meses, o sono quase sempre se inicia direto pela fase REM. O bebê tem em média oito horas de

sono REM por noite. Em nove meses essa percentagem cai para até 15%. Na idade de dez anos, uma criança precisa de nove a dez horas de sono.

Adolescente: A pré-adolescência é a época onde se goza do melhor descanso na vida de uma pessoa. Um pré-adolescente leva de cinco a dez minutos para dormir, dorme nove horas e meia e em 95% do tempo está imerso em um sono profundo e contínuo. Eles têm mais tendência à sonolência excessiva diurna. Dormir mais tarde e conseqüentemente atrasar o horário de acordar se deve a modificações dos ritmos biológicos,que recebem uma ajudinha das festas e do turbilhão hormonal típico da puberdade.

Adultos: Na idade adulta, normalmente sete horas e meia fornecem um descanso adequado. Alcançamos a maturidade do sono perto dos 19 anos de idade. A necessidade diária da maioria dos indivíduos passa a ser de dormir oito horas. Porém, pesquisas mostram poucos os que conseguem cumpri-las. A média fica pouco acima de sete horas por dia.

Velhice Seis horas normalmente são suficientes. O passar dos anos não afeta somente a quantidade, mas também a qualidade do sono. Assim como da infância para a idade adulta o tempo de sono diminui em 50%, os períodos REM ficam menos profundos. Aos sessenta e cinco anos, a proporção de um sono profundo, para ambos os sexos, é a metade de quando se tem 25 anos. Tanto a primeira quanto a segunda fase de sono aumentam. O REM cai para um quinto. Nas idades avançadas, o sono é cada vez mais fragmentado e é muito elevado o número de vezes que se tem a fase de sono próxima à consciência. Uma pessoa saudável de setenta a setenta e cinco anos, com uma média de sete horas de sono, pode estar até 153 vezes próxima do Despertar Súbito, enquanto que em um mesmo período um jovem de vinte e cinco anos somente estará 10 vezes próximo ao Despertar Súbito.


Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Nome: Talita da Silva Faria Idade: 18 Anos Cidade: Belo Horizonte Altura: 1,65 Manequim: 36 Busto: 80 Quadril: 88 Cintura: 58 Sapatos: 35 Olhos: Castanhos Cabelos: Loiro Música: Me apego- Cristiano Araujo Um dom que possui: Sinceridade Filme inesquecível: Um amor para recordar Prato favorito: strogonoff Hobby: Cantar Frase marcante: Tudo que me desejar de negativo, baterá no peito e voltara para você em forma de paz e amor! O que tem medo? Cobras Se você não estivesse respondendo essa entrevista, o que estaria fazendo? Estudando O que você sabe fazer melhor? Nadar E no que você é muito ruim? Matamática Se você não fosse você mesma, quem você gostaria de ser? Minha mãe, meu espelho. Qual música sempre te faz dançar? Axé O que nunca pode faltar na sua geladeira? Suco Você preferia ser mais rica, mais bonita ou mais inteligente? Mais inteligente. Qual é o melhor lugar do mundo? Meu quarto Qual é o seu sonho de consumo? Viajar para vários lugares conhecer pessoas novas. Você não poupa dinheiro na hora de... ? Cuidar da minha saúde O twitter serve para? Eu não gosto de twitter , então não serve para nada.

7


8

Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

SITUAÇÃO DA CULTURA Dinis Pinheiro inaugura INSCRIÇÕES PARA SELEÇÃO EM CONTAGEM MARCA estátua de Tiradentes DA EDUCAÇÃO SEGUEM DEBATES NA CÂMARA na Assembleia de Minas ABERTAS ATÉ 5/5 Para o presidente da Assembleia, a inauguração São 71 vagas para assistente, auxiliar, secretário, MUNICIPAL da estátua é uma maneira de preservar a bibliotecônomo, pedagogo e professor memória de Tiradentes

A reunião plenária desta semana na Câmara Municipal de Contagem foi marcada pela presença e manifestação de membros do Fórum Popular de Cultura de Contagem, o que pautou as discussões dos parlamentares. Vários vereadores participaram do debate, ressaltando a necessidade de maior investimento na cultura do município. O vereador Ricardo Faria (PCdoB), membro da Comissão de Cultura da Câmara, introduziu o assunto, mencionando uma reunião realizada no último dia 16 na Câmara sobre as políticas de cultura do município. Durante a reunião, o Fórum de Cultura questionou a gestão da Fundação Cultural de Contagem (Fundac) e acusou o descumprimento da Lei 4647/13, que dispõe sobre a própria Fundação. Presidente da Comissão de Cultura da Câmara, o vereador Eduardo Sendon (PSDB) destacou os esforços de todos por avanços nessa área, e propôs que o Legislativo convide a presidente da Fundac, Renata Lima, para uma reunião sobre a gestão cultural no município e políticas públicas desse setor. "Já avançamos muito a partir do clamor da classe artística e da nossa preocupação como Comissão Externa de Cultura, mas temos muito ainda a avançar. Por isso, vamos conversar com a Fundac, para avançarmos ainda mais na modernização da cultura em Contagem". Necessidade de investimentos Diante das manifestações do Fórum Popular, que representa a classe artística de Contagem, vários vereadores não quiseram entrar na questão da gestão cultural do município, mas pontuaram a urgência em se aumentar os investimentos nessa área. Obelino Marques (PT) defendeu o estabelecimento de uma maior verba específica para o Fundo Municipal de Cultura, criado no ano passado por uma lei aprovada na Câmara. "A cultura precisa de investimento, e a minha proposta é que, no próximo orçamento municipal, os membros da Comissão do Legislativo apresentem um valor para o Fundo de Cultura, apesar de

não ser de sua competência", disse o vereador. "Precisamos, assim como já tem para a educação e saúde, de uma verba carimbada - e não flutuante - para a cultura, pois cultura é identidade e pertencimento", completou. Os vereadores Alex Chiodi (SDD) e Ricardo Faria falaram da necessidade de se criar mecanismos para quebrar a "histórica falta de investimento" em cultura no Município. "A cidade de Contagem tem tradição cultural histórica, mas não adianta criar Fundação, Conselho e Comissão de Cultura se não tivermos compromisso com a cultura da cidade. Muito dos nossos patrimônios estão se perdendo por falta de investimento, e isso não é coisa desse governo, vem de anos", disse o primeiro, lembrando do "abandono" da Casa de Cacos e do Cine Teatro Municipal. Nesse sentido, Ricardo Faria propôs parcerias do Município com o Governo Federal. Segundo o parlamentar, haveria informações de que a Lei Rouanet - Lei de Incentivo à Cultura - teria destinado R$ 5 milhões de isenções em tributos federais para empresas sediadas em Contagem, mas o recurso não estaria sendo investido em manifestações culturais do Município. "Nossa ação é restrita, por ser um tributo federal. Mas poderíamos fazer uma interlocução com o Ministério da Cultura, para criar uma 'trava' para que parte deste recurso permaneça em Contagem", sugeriu. Beto Diniz (PCdoB) e William Barreiro (PTdoB) foram os vereadores que entraram mais no âmbito da gestão cultural. O comunista defendeu a presidente da Fundac, enquanto William fez críticas à gestão cultural. "Temos acompanhado o trabalho da Fundac e temos visto seu crescimento nos últimos anos. Creio que a Renata, como excelente gestora, dará continuidade ao trabalho, ouvirá suas demandas e levará soluções para o prefeito", disse o primeiro. "O que se fez até agora e o que ainda fazem é pouco para uma cidade do potencial de Contagem", rebateu o trabalhista.

Um dia após o feriado de Tiradentes, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado estadual Dinis Pinheiro (PP), prestou uma homenagem ao mártir da Inconfidência Mineira. No Hall das Bandeiras da Assembleia, onde se encontra a entrada principal da sede do Legislativo Mineiro, Dinis inaugurou a estátua de Tiradentes. A escultura de Tiradentes faz parte do projeto inicial do edifício sede da Assembleia, inaugurado há 40 anos e tombado pelo Patrimônio Cultural de Belo Horizonte. Em seu pronunciamento, Dinis mostrou-se lisonjeado por homenagear Tiradentes e destacou o espírito libertário e a coragem cívica desse herói nacional. "Hoje é um momento de grande alegria, momento de reverenciar nosso símbolo maior de liberdade, um homem visionário, aguerrido, detentor de qualidades dignas de um líder, o nosso Tiradentes. Inaugurar a estátua deste visionário homem na Casa do Povo Mineiro é ter a certeza que seus ensinamentos estão sendo cumpridos em Minas e que seu legado nunca será esquecido", frisou. O presidente da ALMG afirmou que a iniciativa significava um reencontro com a história e o resgate de um compromisso com a sociedade mineira e com a memória de Tiradentes. “Nesta tarde, temos a oportunidade de recuperar esta bela história, que nos enche de orgulho e nos inspira”. Ele destacou “a vocação extraordinária do mineiro para a liberdade”, evidenciada

no sonho de Tiradentes por uma nação justa e igualitária. O parlamentar também exaltou o talento e a criatividade do artista plástico mineiro Léo Santana, a quem agradeceu “pelo belo presente”. Ele é o autor da escultura em bronze, de 1,78m e 180 quilos (mais 80 cm de base), colocada em frente ao Palácio da Inconfidência, próximo à entrada da rampa para pessoas com deficiência. Léo Santana, que trabalhou por três meses na execução da obra, é conhecido por ser o autor da escultura “Drummond no Calçadão”, inaugurada em 2002 na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, e as esculturas do “Monumento 20 anos Diretas Já”, em homenagem a Tancredo Neves, Ulisses Guimarães e Teotônio Vilela, inauguradas em 2004 na Praça da Assembleia, em Belo Horizonte.

TIRADENTES Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em 1746, na Fazenda do Pombal, em Minas Gerais. Foi um dos integrantes do movimento separatista Conjuração Mineira, mais conhecido como Inconfidência Mineira, que buscava libertar Minas Gerais da dominação portuguesa e, inspirado pelos ideais iluministas da França e da Independência dos Estados Unidos, instituir a república na região. Foi condenado à morte, sentença cumprida em 21 de abril de 1792. Atualmente, Tiradentes é considerado o mártir da Inconfidência Mineira, patrono cívico do Brasil e patrono das polícias militares.

Rotatória da Makro/ Carrefour está sendo reformada Obras beneficiarão mais de 100 mil pessoas. Investimentos ultrapassam R$ 700 mil FOTO ELIAS RAMOS

Para melhorar o fluxo do trânsito na região do Novo Riacho, a Prefeitura de Contagem realiza obras de revitalização da rotatória do Makro/ Carrefour, na marginal da BR-381. A obra, que custará cerca de R$ 100 mil, beneficiará mais de 150 mil pessoas que trafegam pela região diariamente. As ações foram implementadas em acordo com os anseios dos moradores, comerciantes e motoristas. O prefeito Carlin Moura destacou a importância das intervenções na região. "As obras na região do Carrefour, como a estação de ônibus da rua Rio Nilo e a rotatória da Makro, beneficiarão diretamente centenas de milhares

de pessoas. São intervenções que afetam diretamente na melhoria do trânsito e trazem mais qualidade de vida para a população". Além das readequações geométricas da rotatória, outras ações estão sendo implementadas com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana na região, como a estação de ônibus da rua Rio Nilo, recapeamento asfáltico de ruas no bairro Inconfidentes e drenagem no bairro Flamengo. Os investimentos nas obras ultrapassam os R$ 700 mil, e beneficiarão mais de 74 mil pessoas que residem na região do Riacho.

Seguem abertas, até 5/5, as inscrições para o processo seletivo simplificado da Prefeitura de Contagem, que visa a contratação temporária de servidores para a educação. A Fundação de Ensino de Contagem (Funec) é a organizadora da seleção, que tem 71 vagas para as funções de assistente, auxiliar, secretário, bibliotecônomo, pedagogo e professor. As remunerações variam de R$ 902,00 a R$ 2.038,00, de acordo com a função. Os interessados podem se inscrever pelo site da Prefeitura de Contagem (www.contagem.mg.gov.br/concursos). Para confirmar a inscrição, é preciso pagar a taxa, que varia entre R$ 25,00 (nível médio) e R$ 50,00 (superior). Para quem não possuir acesso à internet, a Funec disponibiliza computadores, de segunda a sexta, das 8h às 17h, na sede administrativa da Fundação, no Espaço do Saber e no Telecentro Água Branca. PROCESSO SELETIVO A seleção será feita por meio de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório. As provas serão compostas por 20 questões com quatro alternativas de respostas, sendo apenas uma correta. Para os cargos de assistente escolar, auxiliar de biblioteca e secretário escolar, serão dez ques-

tões de português, cinco de conhecimentos de informática e cinco de conhecimentos políticos pedagógicos. Para bibliotecônomo, serão dez de português e dez de conhecimentos específicos. Para pedagogo e professor, serão dez questões de português e dez de conhecimentos políticos pedagógicos. OPORTUNIDADES Do total de vagas, 15 são destinadas às funções de nível médio de assistente escolar, auxiliar de biblioteca e secretário escolar. Para essas funções, a remuneração é de R$ 902,99 para carga horária de 30 horas semanais. As demais 56 vagas são destinadas às funções de nível superior de bibliotecônomo (1), pedagogo (5), professor da educação básica da 1ª a 4ª séries (5) e professor da educação básica da 5ª a 8ª séries (45). As vagas para a função de professor da educação básica da 5ª a 8ª séries são distribuídas entre as áreas de Artes (5), Ciências (5), Física (5), Ensino Religioso (5), Geografia (5), História (5), Inglês (5), Matemática (5) e Português (5). Para bibliotecônomo, a remuneração é de R$ 1.735,40 para jornada de 30 horas semanais e para professor é de R$ 2.038,19 para 22h30 semanais. Para cada cargo, há reserva de 5% das vagas a pessoas com deficiência.

SEED, programa do Governo de Minas Gerais, oferece educação empreendedora gratuita SEEDCast oferecerá gratuitamente palestras e workshops com expoentes do setor para incentivar a nova economia em Minas Gerais Minas Gerais se destaca pelas fortes políticas de incentivo ao empreendedorismo. Não por acaso, abriga um dos ecossistemas de inovação mais desenvolvidos da América Latina, o San Pedro Valley, bairro de Belo Horizonte com alta concentração de startups – novas empresas do setor de tecnologia com alto potencial de crescimento. Para fomentar ainda mais a nova economia no estado, o SEED – Star tups and Entrepreneurship Ecosystem Development – lança no próximo dia 29, o SEEDCast (seed.mg.gov.br/seedcast), plataforma online que disponibilizará gratuitamente palestras com os mais variados temas de interesse dos empreendedores, ministradas por expoentes do setor. O ciclo composto por 24 palestras e workshops faz par te da metodologia de aceleração dos negócios potencializados pelo programa do Governo de Minas Gerais. As conferências serão realizadas no Espaço Compartilhado do SEED, em Belo Horizonte, gravadas e disponibilizadas online posteriormente através do link seed.mg.gov.br/seedcast. Serão duas atualizações semanais, às terças e sextas, sempre às 11h. “O SEEDCast surge para capilarizar a educação empreendedora em todo o estado. Qualquer pessoa pode ter acesso a aulas e palestras oferecidas aos empreendedores que participam do programa SEED. Queremos ser a referência em conteúdos para empreendedores tecnológicos no Brasil, disponibilizando au-

las de alta qualidade e gratuitas”, explica André Barrence, diretor-presidente do Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas Gerais, que coordena o programa. Para viabilizar a distribuição do conteúdo, o SEEDCast conta com o Beved (www.beved.com.br), plataforma de educação colaborativa que permite qualquer pessoa postar sua aula, como parceiro. Os interessados em assistir às palestras precisam apenas acessar a página da iniciativa e fazer um login simples ou via Facebook. A empresa faz parte da primeira turma de acelerados do programa, que teve início em janeiro deste ano. “A plataforma nasceu para disseminar informações, conectar empreendedores e impactar empresas de todo o estado”, afirma Leandro Campos, gerente do programa.

Sobre o SEED O SEED - Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development - nasceu para fortalecer a cultura empreendedora, acelerar o desenvolvimento do ecossistema de startups em Minas Gerais e incentivar negócios de conteúdo tecnológico no estado. Com a proposta totalmente arrojada e inovadora, constr uída a par tir do feedback de diversos atores do ecossistema, o programa tem o objetivo de transformar Minas Gerais no principal polo de empreendedorismo tecnológico da América Latina. Foram mais de R$ 9 milhões investidos pelo Governo de Minas.


Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO PTB: O TRABALHO NÃO PODE PARAR

Em 15 de janeiro de 1984, foi fundada a Associação dos Moradores dos Bairros Santa Cruz, Vila Jataí e Vila Cemig, mais conhecida como Associação do Bairro PTB. A Associação, com endereço na Rua Doutor Romeu Lages, 256, Bairro Santa Cruz, Betim/ Minas Gerais, é sem fins lucrativos e tem caráter assistencial. Presidida por Maria das Graças Oliveira, a Associação “que tem como tesoureira Marilucia Araújo e como coordenadora Vânia Elias “tem como responsabilidade a manutenção, o planejamento e a execução de programas sociofamiliares, desenvolvendo programas de inclusão e promoção social. Desde a sua formação, a Associação dos Moradores dos Bairros Santa Cruz, Vila Jataí e Vila Cemig desenvolve programas que introduzem jovens e adultos no mercado de tra-

balho. Em 1998, ofereceu o primeiro curso profissionalizante: o curso de datilografia, que tinha por finalidade aperfeiçoar a digitação e gerar mais oportunidade de emprego. Em 2001, passou a oferecer o curso de informática, ampliando, assim, o campo dos cursos oferecidos e propiciando a inclusão digital. Além do curso de informática também são oferecidos os cursos de cabeleireiro e manicure, pedreiro e elétrica. Os cursos são ministrados por profissionais altamente capacitados e proporcionam aos alunos melhores condições de se inserirem no mercado de trabalho. Em 2011, a partir do recebimento de doação de recursos, foi construído um velório comunitário, que atende toda a região de Betim. No ano de 2013, a população foi presenteada na área da saúde com 13 clínicas de fisioterapia e ginástica laboral, com transporte próprio e gratuito,

sendo elas nas seguintes regiões: Campos Elíseos, Citrolândia, São João, Multirão, Dom Bosco, Jardim Teresópolis, Nova Contagem, Ribeirão das Neves, Cruzeiro do Sul, São Luis, Matozinhos, Caeté e Abaeté. Hoje, como carro-chefe da Associação, as clínicas atendem mais de 4.000 pessoas que, satisfatoriamente, reconhecem o bom atendimento e trabalho proporcionado pelas clínicas. A Associação dos Moradores do Bairro PTB sabe que “O Trabalho Não Pode Parar” e, a cada dia, procura aperfeiçoar os seus profissionais para atenderem a população com destreza e sabedoria e, assim, ajudarem a construir uma sociedade melhor. A Associação dos Moradores do Bairro PTB convida a todos a conhecerem e a participarem do projeto. Entre em contato com a Central de Atendimento: 3592-17-16.

9


Ano XVII - Nº 249 - 25 de Abril a 02 de Maio de 2014 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionaldecontagem.com.br - email: gruporegionalcontagem@gmail.com EXEMPLAR CORTESIA - VENDA PROIBIDA

Ruas do Inconfidentes e Funec e escolas municipais na Novo Riacho são Olimpíada de História revitalizadas São obras para manutenção e revitalização de diversos espaços e vias públicas FOTO ELIAS RAMOS

Para melhorar a qualidade de vida dos moradores de Contagem, a Prefeitura de Contagem realiza diversas intervenções nas regiões do bairro Inconfidentes e Novo Riacho. A rua Orozimbo Moreira, passou por obras de recapeamento asfáltico. A obra, que custou cerca de R$ 110 mil, beneficiará mais de 74 mil pessoas. As ações foram implementadas em consonância com os anseios dos moradores. O prefeito Carlin Moura destacou o investimento na manutenção e revitalização de diversos espaços e vias públicas. "São ações que refletem diretamente na vida do cidadão, que melhoram desde o ambiente em que vivem até questões de mobilidade urbana".

Além da rua Orozimbo, a avenida Rio São Francisco, no bairro Novo Riacho, teve a sua rede pluvial ampliada. A pista de caminhada da avenida Francisco Firmo de Matos também foi revitalizada.

Confira outras ações na região • Poda das árvores da rua Rio São Francisco; • Capina e limpeza de 10 (dez) praças; • Mutirão de limpeza (Brigada da limpeza); • Operação Tapa Buraco ( 61 ruas).

O desafio de estudar a história do Brasil por meio de textos, documentos, imagens e mapas foi aceito por equipes da Funec e das escolas municipais de Contagem, que participam, na segunda-feira (28/4), da primeira etapa da 6ª Olimpíada Nacional em História Brasil (ONHB). A iniciativa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) tem como finalidade proporcionar a estudantes e professores, de escolas públicas e privadas, um conjunto de atividades para debater e estudar a história nacional. Diferente de outras olimpíadas estudantis, a ONHB é uma atividade em equipes, o que estimula a troca de conhecimentos e produção de saberes. Milhares de equipes de todo o país participam a cada ano dessa olimpíada estudantil. A ONHB é composta por cinco fases online e uma fase presencial, em Campinas, da qual participam as 300 equipes mais bem classificadas.

De acordo com a diretora de pesquisa e extensão da Funec, Maria Cristina Diniz, o diferencial da olimpíada é exatamente o estímulo ao estudo e debate de uma ciência humana, já que a maioria das disputas no país envolve as ciências exatas e naturais, como matemática, química, biologia, robótica e outras. "Essa é uma competição muito importante, que estimula o estudo da história de nosso país. Desde 2010 participamos da olimpíada. Em 2011, duas equipes da E. M. Albertina Alves do Nascimento foram para a final e uma delas garantiu a medalha de bronze", disse a diretora. A ONHB premiará escolas, alunos e professores com medalhas de ouro (15 equipes), prata (25 equipes) e bronze (35 equipes). Todas as outras equipes par ticipantes da fase presencial receberão medalhas de "cristal" e todos os inscritos receberão certificado de participação.

Jornal regional 249  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you