Page 1

Vacinação contra sarampo até no sábado para evitar surto 

[9]

fotos: divulgação

Documentário viaja pelo congo e economia da cidade há meio século [6]

Cesan/Ambiental Serra já foi multada 51 vezes por poluir com esgoto [4]

Vidigal e Contarato são contra ‘farra’ dos agrotóxicos de Bolsonaro [3]

tempo novo

l o j o rna mais te da en u l e i nf cidad maior ado t d o es

SERRA (ES) | 26 de julho a 2 de agosto de 2019 | Nº 1.344 - Ano XXXV | Fundado em 1984 www.portaltemponovo.com.br

Terminal e hipermercado têm 1.250 vagas de empregos abertas Cannabis ajuda pacientes de Parkinson, Alzheimer, câncer, depressão e autismo [8]

[5]

FOTO: fábio barcelos

Estado vai liberar R$ 8,2 mi para hospital infantil, diz Bruno Lamas [3] Muita música e comida para curtir na ‘Tardezinha’ de domingo em Porto Canoa [6] foto: fábio barcelos

Gambiarra que escora teto de terminal completou um mês de perigo [10]

Atleta serrana defende basquete brasileiro no Parapan no Peru [12]


P2 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 | opinião

Mestre álvaro

O nó da gravata jornaltemponovo@gmail.com

Em busca de bênção

POR bruno lyra

Degradação ambiental já! Com a possibilidade de ser apreciado pelo plenário nas primeiras semanas de agosto, o projeto da Nova Lei do Licenciamento Ambiental, relatado pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), representa mais um retrocesso nas políticas de proteção ao meio ambiente no Brasil. Um dos itens propostos pela nova lei é a eliminação da exigência para licença ambiental para implantação de qualquer tipo de estrada. Eventuais exageros, excesso de burocracia e ineficiência dos órgãos ambientais em processos de licenciamento, a ponto de travar projetos importantes, não podem ser usados como justificativa para eliminar a necessidade de licenças ambientais. Propostas desse tipo soam como matar o boi para acabar com os carrapatos que estão nele. Ao invés de melhorar o trabalho dos órgãos ambientais e aperfeiçoar leis, há um desmantelamento de ambos em curso. No caso das estradas, se com as licenças ambientais já é complexo garantir cumprimento dos compromissos de mitigação e compensação dos impactos, imagine sem elas. Veja o caso do contorno do Mestre Álvaro, obra importante para a cidade, o ES e até o país, mas de grandes estragos na natureza de área sensível. Para fazer a obra, ges-

tores tiveram que elaborar estudo de impacto ambiental. Foi levantado, por exemplo, que a obra afetará 168 espécies de animais e 63 de plantas distribuídas nos 30 hectares de vegetação que serão removidos. O documento cita, também, os alagados do entorno do Mestre Álvaro. Para reduzir e/ou compensar estragos, a licença prevê instalação de túneis para a passagem dos bichos e investimento de R$ 1 milhão para melhorar a proteção em três reservas ambientais: Apas Mestre Álvaro e Vilante, na Serra, e Duas Bocas, Cariacica. Em relação aos alagados e cursos d’água, exige-se ações específicas para reduzir o deslocamento de terra na borda do aterro da estrada e evitar um colapso na drenagem, impedindo enchentes anômalas na região ou secas tão intensas a ponto de piorar o já conhecido incêndio nos solos de turfa. Por conta do licenciamento ambiental, tudo isso foi apresentado em Audiência Pública e está disponível em documento (EIA-Rima) no site do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema). Acabar com isso, além de piorar a degradação, tira da sociedade ferramentas para fiscalizar e exigir o cumprimento de compromissos assumidos.

POR yuri scardini

Bolsonarismo, lavajatismo e PT-dependência Nessa semana, a atenção se concentrou na prisão dos supostos hackers que teriam vazado à imprensa diálogos entre o atual ministro e então juiz, Sérgio Moro, e procuradores da Lava Jato. Sem entrar no mérito em si das mensagens, para não cair no emaranhado de narrativas, politicamente, fica explícito que Moro é a personificação antagônica ao ex-presidente Lula. No entanto, atualmente, não passa de um auxiliar nomeado por Bolsonaro, um presidente reconhecidamente despreparado. BolsonaroéumPT-dependente.Ancoradonoantipetismo, ele precisou do PT para se eleger e precisa para governar; basta analisar o mantra de seus eleitores: “Ah, pelo menos tiramos o PT” ou “Com o PT seria pior”. As supostas mensagens vazadas demonstram protagonismo de Moro na prisão de Lula, mas eleitoralmente foi Bolsonaro que soube capitalizar. Portanto, o lavajatismo e o bolsonarismo se uniram taticamente, mas eles não são a mesma coisa e tendem a se separar num declínio político de Bolsonaro, que inclusive vem caindo vertiginosamente em pesquisas científicas de avaliação. Moro tem em mãos uma metralhadora seletiva de investigação

tempo novo www.portaltemponovo.com.br Edição finalizada em 25 de julho de 2018, às 18h

e punição, além de apoio de uma parcela expressiva da população. Se um dia ele decidir que ‘precisa’ dar sequência à ‘limpeza ética e moral’ no Brasil (à qual a Lava Jato se propôs), a próxima vítima teria que ser Bolsonaro ou seus filhos, já que estão no epicentro do poder e, filosoficamente, a noção de honestidade absoluta é utopia, ainda mais se tratando na escala brasileira. Bolsonaro parece ser circunstancial, mas o ‘justiceiro’ Moro não, já que é o antônimo político de Lula. Até quando a união tática do bolsonarismo e do lavajatismo vai se manter de pé é um incógnita e, provavelmente, depende da relação entre as demais forças do governo, como as alas militar, ruralista, liberal-financeiro, evangélica e olavistas, além do apoio popular, que é o último pilar que separa a governabilidade do caos. No meio dessa confusão toda está a democracia, que vive dias de incerteza. O que o Brasil vive não parece ser apenas refluxo de preconceitos patriarcais que estavam soterrados no subsolo das consciências. A democracia está sob ataque e o humanismo e a noção de verdade precisam prevalecer, pois sem a política só restará a guerra e a autocracia.

Na semana passada, o ex-deputado e secretário municipal, Roberto Carlos (Rede), esteve no Ministério da Economia em busca de parcerias e recursos para a Serra. Ele aproveitou para visitar o gabinete do senador Fabiano Contarato (Rede). Além de partidários, eles têm bom trânsito um com o outro. Após a visita, especulou-se no meio político se Roberto não estaria fazendo movimentos em busca de apoio do senador para entrar na linha de sucessão de Audifax. Afinal de contas, Contarato seria um belo cabo eleitoral, especialmente entre aqueles que desaprovam o Governo Bolsonaro, do qual o senador é forte crítico. O ex-deputado foi breve: “Fui a Brasília e aproveitei para visitar o gabinete de Contarato, oportunidade que tive de levar minha palavra de apoio ao seu mandato”.

Tô que não me aguento

Falando em sucessão do prefeito Audifax, falta pouco para o 30 de agosto, dia em que Audifax vai anunciar o escolhido para receber seu espólio político. Especulações são o que não faltam...

Pau pra toda obra

A política da Serra é muito curiosa. O bem articulado vereador Aílton Rodrigues (PSC) saiu da condição de líder da oposição para líder da situação. Ele, inclusive, está ‘advogado’ em favor do prefeito em um grupo do WhatsApp com noivos que participarão do casamento comunitário. A cerimônia foi adiada pela Justiça, mas os noivos acabaram ficando enfezados com o prefeito; foi quando Aílton entrou no grupo para esclarecer que Audifax não teria culpa e articulou uma nova data sem que os casais ficassem no prejuízo. Em entrevista ao TEMPO NOVO há duas semanas, o prefeito já tinha adiantado: “Quando tem paz, todo mundo sai ganhando”. E parece que é isso mesmo.

De olho na Câmara

Depois de uma experiência bem vista na política, como candidato a deputado federal de primeira viagem que fez quase 40 mil votos em 2018, o médico Gustavo Peixoto (foto) se animou e vai continuar a militância. Ele acaba de anunciar que o PROS da Serra está sob sua orientação e que faz reuniões visando montar uma chapa para disputar vagas na Câmara. Já conta com as filiações do ex-vereador Sérgio Peixoto e do médico Afonso Pimenta, que em 2016 fez cerca de 1.400 votos. A intenção é montar uma chapa homogênea e distribuída geograficamente pelo município e com nomes que tenham principalmente “ética na sua conduta e compromisso com os interesses públicos”.

Verde de madura

A ex-vereadora Sandra Gomes deixou a Rede e se filiou ao PV. Esse movimento vai confirmando que ela estará de fato na eleição de 2020, provavelmente como candidata a vereadora. No entanto, ela vem dizendo que também pode ser para a disputa majoritária. Sem Audifax e tantas incertezas em torno do ex-prefeito e deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), tudo pode acontecer numa eleição de prefeito da Serra, inclusive dar zebra.

jornal tempo novo ltda me | cnpj: 01.543.441/0001-00 | insc. estadual: isento | insc. municipal: 017.199-0 | Registro nº 200.707.86.283 na Junta Comercial do Estado do Espírito Santo, em 25 de setembro de 2007.| endereço: Rua Euclides da Cunha, 394 - Sl. 104 - P. R. Laranjeiras, Serra ES. CEP 29165-310 | Telefone: 27- 3328-5765 | email: jornaltemponovo@gmail.com | DIRETOR GERAL: Eci Scardini | Editor-Chefe: Bruno Lyra - brunolyra.jtn@gmail.com | consultor editorial: Fabrício Ribeiro | diretor de marketing: Yuri Scardini | GERENTE COMERCIAL: Karla Alvarenga | Impressão: Gráfica Metro | Tiragem: 5000 exemplares

empresa filiada ao


| SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 | TN | P3

Política

Casagrande vai liberar R$ 8,2 mi para hospital infantil, diz Bruno foto: divulgação prefeitura da serra

yuri scardini conceição nascimento

O

bjeto de muita tensão política no início do ano entre o governador Renato Casagrande (PSB) e o prefeito da Serra, Audifax Barcelos (Rede), os convênios entre Estado e Município vão sendo liberados. A previsão é que o próximo seja o convênio para equipar o futuro Hospital Materno Infantil (HMI), no valor aproximado de R$ 8,2 milhões. Segundo o secretário de Estado Bruno Lamas (PSB), a previsão é repactuar o acordo no próximo dia 5. Na agenda, estaria prevista uma visita de Casagrande à obra, acompanhado do prefeito Audifax. “Esse tempo foi importante para o Governo se organizar, agora a tendência é tocar tudo para frente. Fui informado pela assessoria do governador que dia 5 de agosto é a previsão para assinar o convênio de R$ 8,2 milhões e equipar o Hospital Infantil, que será o maior do ES. É uma previsão; haverá uma confirmação formal ainda. Mas demonstra o empenho do governador com a Serra e com o prefeito”, disse Bruno Lamas. A inauguração do HMI deve ocorrer em fevereiro de 2020, de acordo com a Prefeitura. Dos cinco convênios suspensos pelo Estado referentes à Serra, dois já foram liberados: compra de equipamentos para a futura Upa de Castelândia, no valor de R$ 2 milhões (a estimativa da Prefeitura é inaugurar essa obra no dia 12 de setembro). O segundo convênio liberado é a construção da ciclovia entre Barcelona e Laranjei-

O hospital Materno Infantil: previsão para inaugurar obra é em fevereiro de 2020

ras, no valor de R$ 2,7 milhões, que já está sem execução. Estão na fila mais dois que aguardam liberação: urbanização da Avenida Talma Rodrigues e intervenções em Bairro de Fátima. Juntos, os valores estão estimados em R$ 10 milhões. Estes ainda estão sem previsão para serem repactuados. “Melhorando” Audifax foi procurado para comentar o assunto; no entanto, até o fechamento da edição, não houve resposta. Em entrevista há duas semanas, ele sinalizou que a relação com Casagrande “está melhorando” e que, além dos convênios, estaria no horizonte o início de obras como a do “viaduto em frente ao Vitória Apart; reinício do Contorno de Jacaraípe no ano

que vem e a ES 010 nesse ano, desde Manguinhos até Capuba”. Além disso, afirmou que Casagrande “ajudou muito na obra do Contorno do Mestre Álvaro”. Casagrande, por sua vez, falou por meio da assessoria. Informou que “somente semana que vem” poderia oficializar a data de assinatura do convênio. Entenda No primeiro dia de mandato, o governador assinou um decreto suspendendo todos os convênios firmados nos últimos três meses de gestão do seu antecessor, o ex-governador Paulo Hartung (sem partido). O fato gerou apreensão entre prefeitos contemplados, inclusive Audifax, que criticou a medida à época.

Vidigal e Contarato são contra liberação de agrotóxicos Com a liberação de mais 51 agrotóxicos antes proibidos, confirmados no Diário Oficial desta terçafeira (22), o Brasil registra neste ano 290 novos pesticidas que passaram a ser permitidos entre janeiro e julho de 2019. A movimentação, que recebeu críticas de muitos setores organizados, será tema de uma audiência pública do ex-prefeito e deputado federal, Sérgio Vidigal (PDT), que defende a revisão das liberações. Faz coro a ele o senador Fabiano Contarato (Rede), que aguarda decisões da Justiça sobre o tema. O encontro vai entrar na agenda da Câmara dos Deputados após o recesso parlamentar. “É uma situação preocupante e o debate se faz necessário, pois impacta seriamente nossa saúde e o meio ambiente. Vamos cobrar do Governo Federal explicações sobre essa decisão de liberar agrotóxicos proibidos em vários lugares do mundo e propor medidas que busquem reverter a situação”, comentou Sérgio Vidigal. Vidigal tem sido um forte crítico do Governo Bolsonaro. Membro da Comissão na qual tramitou a Reforma da Previdência, ele chegou a defender a inconstitucionalidade do projeto. Em plenário, o ex-prefeito votou contra a Reforma, a qual ele diz que vai impactar os mais pobres. Em contato com a reportagem do Tempo Novo, o senador Fabiano Contarato também criticou a permissão de agrotóxicos e disse que, juntamente com membros do PV, vai adotar medidas para conter a onda de liberação. “Considero muito elevada essa liberação. Temos denunciado isso no Senado por meio da Comissão de Meio Ambiente, que presido.

Das ações em andamento, há uma ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) no Supremo Tribunal Federal, iniciativa do Partido Verde, para contestar as liberações. Aguardamos a apreciação pela Corte. Também temos acompanhado as ações do Tribunal de Contas da União (TCU), que faz o controle externo e apura essa situação. Então, da nossa parte, há uma movimentação contrária”. Segundo dados divulgados pelo Greenpeace, do total de 290 tipos de agrotóxico liberados, 41% são altamente tóxicos. Destes, 32% são proibidos na União Europeia. Segundo dados da ONU, os agrotóxicos são responsáveis pelo surgimento de doenças como o mal de Parkinson e o câncer. A reportagem solicitou informações ao Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) sobre o uso de agrotóxicos em território capixaba, mas até o fechamento desta edição não houve retorno. foto: divulgação senado

vidigal q  uer rever liberação de agrotóxicos proibidos em outros países

Orçamento Participativo ganha revista comemorativa por seus 20 anos foto: arquivo tn

guilherme Lima é coordenador da Assembleia Municipal do Orçamento

Para marcar os 20 anos do Orçamento Participativo (OP) na Serra, foi lançada uma revista no último dia 24 de julho. O evento aconteceu no Centro de Convivência de Caçaroca, região de Serra Sede. O lançamento do material foi uma parceria entre a Assembleia Municipal do Orçamento (AMO) e a Prefeitura da Serra. Segundo o coordenador da AMO, Guilherme Lima, na revista estão listadas todas as obras eleitas, que já

foram cumpridas e as que estão em execução atualmente. “É um material histórico, que serve para dar transparência a todas as obras do OP. A legislação do Orçamento Participativo existe há 25 anos, mas ela é atuante há 20″, explica. A revista será distribuída a todos os presidentes de comunidade do município e associações de moradores. “É uma prestação de contas de toda a história do OP na cidade”, frisa Gui-

lherme. Segundo Guilherme, agora a luta é para que o Orçamento Participativo se torne impositivo, num formato semelhante ao que ocorre na Câmara dos Deputados. “Isso obriga o prefeito a cumprir com o OP, sob pena de improbidade administrativa”, completa. A secretária de Planejamento Estratégico (Seplae), Lauriete Caneva, explica que por meio do OP já foram

1.565 obras concluídas, 23 em execução e 213 ainda não iniciadas. Ao todo, 1.801 obras foram escolhidas diretamente pela sociedade. Na avaliação de Lauriete, a revista será um documento de pesquisa para que os moradores consigam saber qual obra foi eleita prioridade, qual já foi construída e foi entregue, além checar os investimentos da Prefeitura que ainda estão pendentes ou em construção.


P4 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 |

Meio Ambiente

Cesan/Ambiental Serra já recebeu 51 multas por poluição de esgoto foto: arquivo tn

yuri scardini

D

esde 2015, a Ambiental Serra é a parceira privada da Cesan e, de acordo com a Prefeitura da Serra, de lá para cá já foram aplicadas 51 multas por poluição, que totalizam R$ 4,5 milhões. As infrações estão ligadas ao descarte irregular de esgoto, impactando comunidades, mananciais e locais protegidos por lei. A empresa é a responsável pelo serviço de coleta, tratamento e descarte de esgoto, com valor contratual de R$ 628 milhões e vigência de 30 anos. Somente nas duas últimas semanas, o Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdemas) discutiu nove infrações da Ambiental Serra/ Cesan, que totalizam R$ 890 mil. Destas, seis já foram julgadas e mantidas pelo órgão. Não é atípico ver multas das duas empresas tramitando na pauta do órgão. No ano passado, a concessionária contratou a advogada Andreia Carvalho para fazer a defesa oral das multas dentro do Comdemas, órgão que ela já presidiu até 2017, quando foi secretária de Meio Ambiente da Serra. Durante a defesa de uma das in-

banhistas s e arriscam para atravessar córrego imundo entre Jacaraípe e Manguinhos:concessionárias são questionadas por qualidade do tratamento

frações na sessão de nº 214, do dia 16 de julho, a advogada disse que fiscais da Serra estariam “preferindo” multar a empresa de acordo com um regramento específico, com o objetivo de “ganhar mais produtividade”. Tal afirmação foi registrada em ata e confirmada por conselheiros ouvidos na reportagem. Andreia teria

dito que fiscais preferem enquadrar a empresa de acordo com o Decreto Municipal nº 078/2000, e não pelo de nº 5575/2015. Ambos regulam a dosimetria da pena e o escalonamento de valores em casos como esses; no entanto, o segundo decreto citado - defendido por Andreia - é mais

brando e redunda em multas mais baratas. Dois conselheiros ouvidos pela reportagem, Guilherme Lima e Gilson Mesquita, confirmaram que a advogada estaria “colocando a culpa” em fiscais para justificar a grande quantidade de multas. Além disso, segundo os conselheiros, ela teria defendido que o município adotasse políticas da Prefeitura de Vitória, que estabeleceu um plano de carreira para os fiscais e acabou com o ganho por produtividade. “A empresa polui, e a culpa é da fiscalização? Não parece ter procedência. Basta olhar os rios e córregos da Serra para tirar uma conclusão rápida: após quatro anos de concessão, está tudo tomado pela poluição, pior do que era antes. Ninguém viu evolução nenhuma nesse sentido”, disparou Guilherme Lima. O Conselheiro Gilson Mesquita acredita que a empresa “tem preferido investir em obras de coleta de esgoto, já que cada residência ligada à rede paga uma taxa de 80% do valor da água”; porém, não tem “priorizado a área do tratamento”, que gera retorno na qualidade dos rios, lagoas, córregos e mar.

Advogada das empresas sugere mudanças, mas diz que respeita fiscalização Andreia encaminhou nota na qual afirma que não acusou fiscais de multar a empresa para ganhar mais produtividade, mas defende que a Serra adote uma política de remuneração parecida com a de Vitória e diz que “respeita” os profissionais. “Em momento algum afirmei que as multas são aplicadas com vistas à obtenção

da produtividade pelos fiscais, mas que a nova política de fiscalização adotada pelo município de Vitória privilegia as ações de educação e cooperação sobre a sanção pura e simples, e que essas medidas atendem ao interesse público sem obstar as atividades privadas e a própria prestação dos serviços”, diz no documento.

Andreia acrescenta que “essa mudança implementada na capital estabelece um novo modelo de construção social, em que o funcionário recebe o reconhecimento pelos resultados obtidos junto à população, promovendo a sustentabilidade da cidade, do indivíduo e do meio ambiente. Exemplos inovadores como

esse devem servir de inspiração para o desenvolvimento de outros municípios no estado e no país. Reitero que a leitura do registro da ata é clara e não traz afirmação minha nesse sentido. Tenho sincero respeito por todos os fiscais de meio ambiente da Serra, com quem tive a honra de trabalhar”, conclui.

Ong quer revisão de dados sobre poluição da Vale A Ong Juntos SOS Ambiental ES protocolou no Ministério Público do Espírito Santo (MPES), na última segunda feira (22), pedido para que o órgão cobre a revisão do Inventário de Emissões Atmosféricas da Região da Grande Vitória do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema), referente a 2015, mas divulgada somente no último dia 10 de julho. A entidade argumenta que o volume de pó preto e gases gerados na planta da Vale em Tubarão não contabilizou os dados das usinas I e II, que estavam paradas na ocasião e teriam retornado as operações somente em 2018. Representante da Ong, Eraylton Moreschi, diz que os dados também revelam outro problema: a poluição da Vale mostrada pelo Inventário do Iema está acima do que foi previsto pelo Estudo de Impacto Ambiental (EIA) feito por ocasião da expansão produtiva das usinas I a VII e para a construção da usina VIII, mesmo estando paradas as duas primeiras unidades pelotizadoras no ano de 2015. O ativista também questiona a legalidade da Licença de Operação (LO) emitida em 2014 pelo Iema para a usina VIII da mineradora. Segundo ele, houve intervalo de mais de sete anos entre a emissão da Licença de Instalação (LI), concedida em 21 de junho de 2007, e a liberação da LO, ocorrida em 8 de agosto de 2014. Pela regra, esse prazo tem de ser, no máximo, de seis anos. Eraylton destaca, ainda, que, diantedoquadro,aOngpediuaoIema a interdição das usinas I a VIII da Vale, em Tubarão, e acionou o MPES para acompanhar o caso. Vale e Iema não se pronunciaram.


| SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 | TN | P5

Economia

Obras de expansão do Tims abrem mil postos de trabalho FOTO: DIVULGAÇÃ PMS

CLARICE POLTRONIERI

A

s obras do Terminal Intermodal da Serra (Tims) estão em andamento e ainda devem abrir mil postos de trabalho temporários. Segundo o gerente de projetos do Tims, André Silveira Melo Ramalho, durante as obras, duas mil vagas de trabalho estão sendo geradas e cerca de 50% delas ainda serão contratadas. Mas as contratações não são feitas diretamente no Tims, e sim nas empresas subcontratadas que estão na execução do serviço. Por isso, o interessado deve ficar de olho no Sine da Serra. “As obras já estão acontecendo desde o ano passado e pelo menos 50% das vagas já foram preenchidas. O Tims não está contratando, apenas fazemos o gerenciamento das obras. São as empresas subcontratadas que empregam. Parte dessas vagas pode ser encontrada no Sine. São empresas de pré-moldados de concreto, estrutura metálica, concreteiras, construção civil e outras”, enumera André. Sem detalhar quantas empresas estão previstas para se alocar no Tims ao final das obras, o gerente destaca que até 2020 o terminal terá 77 mil metros de galpões disponíveis. “Para o final de setembro, teremos 11 mil metros de galpão; depois, mais 26 mil no final de novembro e estamos com outros projetos para mais 40 mil em 2020”, destaca. Sobre as contratações das empre-

Novo hipermercado em Barcelona vai abrir 250 vagas de emprego O novo hipermercado em Barcelona da rede Casagrande vai abrir 250 vagas de empregos em diversas áreas. As obras do Hiper Casagrande já estão a todo vapor e a inauguração está prevista para o final de setembro deste ano. Não foi divulgado o valor do investimento, mas durante as obras estão sendo geradas 100 vagas de emprego e, em breve, começam as contratações para atuar na loja. De acordo com a assessoria de marketing do Casagrande, em breve será feita a divulgação do processo seletivo. Ao todo, serão gerados 250 empregos diretos em diversas áreas, como repositor, açougueiro, operador de caixa, vendedor de eletro, vendedor de moda, entre outras funções. Só o hipermercado terá 24 caixas. No hipermercado, haverá seções para todos os tipos de produto, como pet, cama, mesa e banho, prataria, entre outras. O empreendimento também abrigará outras 12 lojas,

FOTO: DIVULGAÇÃO

AUDIFAX e o gerente de projetos do Tims, André Silveira, no canteiro de obras

sas que foram para o Tims, ele ressalta que serão feitas via Sine. “Estamos fomentando a infraestrutura comercial e industrial para as empresas que estão vindo para o estado. E para elas conseguirem o benefício fiscal, vão disponibilizar as vagas via Sine assim que as obras estiverem prontas”, conclui. O prefeito da Serra, Audifax Barcelos, destaca a importância dos investimentos para a cidade. “A vinda de novas empresas vai criar empregos qualificados e aumentar o volume de negócios. Além das vagas geradas diretamente, serão criados no-

vos postos de trabalho indiretos, com empresas terceirizadas, de logística, entre outras”, enumera. Audifax destaca, ainda, que o município conta com instituições públicas e privadas direcionadas para a formação e qualificação técnica e superior da mão de obra local. Além disso, faz parcerias para capacitar a população, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

uma agência bancária, uma casa lotérica e praça de alimentação com restaurantes e lanchonetes, tudo distribuído em 7.200 m². Segundo o diretor de Marketing, Eduardo Casagrande, a escolha do local foi estratégica para atender a comunidade do entorno. “A Serra é um local propício para investimento, devido ao crescimento e desenvolvimento apresentados na região. O Casagrande é uma marca que se identifica com a população desse município. Agora chegou a hora e vamos ter o prazer de atender essa população com muita alegria. O Hiper Casagrande de Barcelona vai atrair pessoas de regiões circunvizinhas ao bairro, em função do empreendimento âncora (um grande hipermercado), mas também pelo fato de possuir serviços agregados, como agência bancária, casa lotérica; tudo isso com fácil estacionamento e fácil acesso pela Avenida Norte Sul”, explica.

projeção d  e como ficará a fachada do hipermercado em Barcelona

Franquia nascida no município já tem 70 unidades pelo Brasil Uma empresa da Serra criada há cinco anos é exemplo de sucesso em tempos de crise e já abriu 70 franquias no Brasil. O Instituto Gourmet (IG), escola de gastronomia e empreendedorismo, é fruto da história de um casal que veio do interior do estado. E foi justamente o casamento dos dois que impulsionou a criação do IG. Robson começou a trabalhar aos 11 anos no bar de seu pai, em Muniz Freire, e aos 19 abriu uma loja de

agropecuária. Mas seu sonho era vir para a cidade. “Comecei a estudar MBA aqui e, na época, só se falava na expansão da Serra. Investi em uma franquia de escola de beleza em Laranjeiras, perto de onde morávamos”, relata.Mas o casal ainda não tinha oficializado a união e foi o casamento que trouxe a mudança. Por falta de gente que fizesse o doce no prazo, Lucilaine teve que confeccionar os bem-casados para sua festa. “O doce agradou muito e, na

época, eu dava aulas de Biologia, mas estava de licença maternidade. Quando voltei à escola, passei a vender os doces lá e também por encomenda. Mas, paralelamente, estudei gastronomia e os negócios foram fluindo. Logo deixei a escola e comecei a dar aulas de culinária em casa, além de continuar atendendo encomendas”, narra. Como o marido tinha um espaço em Laranjeiras, eles decidiram investir juntos no negócio. “Reforma-

mos o espaço e criamos a primeira escola de gastronomia em Laranjeiras, em 2014, em cima de onde eu tinha minha franquia de beleza. O negócio foi crescendo e, no final de 2015, convidamos um amigo que conhecia um mercado amplo, Gláucio Ataíde, para entrar na sociedade e ampliar os horizontes. Fomos pra Cariacica e depois para o Rio, onde o negócio decolou e se expandiu pelo Brasil”, conta Robson. Atualmente, o Instituto Gourmet

está presente em quatro regiões do país (norte, nordeste, sul e sudeste) e possui 70 franquias. Já formou mais de 15 mil alunos e gera cerca de 1.050 empregos no país (média de 15 por franquia). Para ser um franqueado, o investimento inicial é de R$250 mil. Para estudar, os cursos custam a partir de R$ 350 a mensalidade e têm duração variada, de acordo com o tipo de culinária a ser aprendida (doces, salgados, vegetariana, vegana, etc).


P6 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 |

Cultura e Lazer

Filme de 1971 mostra tradição do congo e início da siderurgia na Serra foto: arqui vo edson reis

ana paula bonelli

U

m lugar entre antigas tradições e a chegada do progresso com a construção do Porto de Tubarão, da Vale. Retrato da Serra em 1971 capturado em imagens raras pelo documentário ‘O Mastro de Bino Santo’, que mostra o contraste entre o antigo, na Festa de São Benedito, e o novo, com a movimentação dos milhares de trabalhadores nas obras do Porto de Tubarão, cujo gigantesco complexo industrial siderúrgico alçaria uma pequena cidade à condição de maior do Espírito Santo. Dirigido por Ramon Alvarado, o trabalho agora está na internet e pode ser conferido na página do Youtube ‘Memória Capixaba’ (https://www. youtube.com/watch?v=e2KIrpuFlqI). São quase 10 minutos que mostram a origem da festa do padroeiro da cidade, com foco na puxada e na fincada do mastro do santo. Aparecem, ainda, no documentário grandes nomes do congo serrano e capixaba, como Mestre Antônio Rosa, já falecido. A ênfase na festa popular de origem africana - que era um dos poucos momentos de liberdade dos negros dos tempos sombrios da escravidão – e sua mistura com elementos de outras culturas ao longo dos anos é ponto chave da narrativa, entrecortada por imagens de trabalhadores nas obras civis em Tubarão. ‘O Mastro de Bino Santo’ revela como era diferente a Serra de quase 50 anos atrás. Casas simples, algumas de estuque, salpicam a paisagem, dominada

o documentário a  lterna imagens da tradicional Festa de São Benedito e o início das obras do Complexo de Tubarão na década de 1970

pela imponência do Mestre Álvaro e a beleza da Igreja de Nossa Senhora Conceição. Também há imagens da construção da rodovia BR 101. Chamam a atenção, ainda, uma feira onde um dos produtos principais cultivados em terras serranas era vendido, o abacaxi. Tudo isso em meio ao badalar dos sinos da igreja matriz, do baticum dos tambores e casacas ditando o ritmo do congo, além do tradicional navio Palermo, a junta de bois e o mastro de São Benedito. O curta também mostra a sinfonia dos metais das bandas de músicas que até hoje acompanham o ritual festivo do município, além dos cavaleiros. Devotos em procissão, uns mais contritos, outros mais soltos em

danças frenéticas como se estivessem em transe, completam um cenário de marcante identidade capixaba. “Esta pequena cidade limítrofe do litoral do ES, chamada Serra, e todo ano nas vésperas do Natal, realiza uma festa que remonta os tempos da escravatura. A puxada do mastro de São Benedito teve seus altos inspirados nas cruzadas e peregrinações religiosas da Idade Média e foi para os negros cativos, além de um consolo para os duros sacrifícios a que estavam submetidos, o único meio cultural de que eles tinham para integrar-se nos valores e costumes da sociedade que aqui se tornara dominante”, destaca no vídeo o narrador Amaury Valério.

Reggae, surf music e forró na Ressaca de Itaúnas em Manguinhos Neste sábado (27), tem Ressaca de Itaúnas, no restaurante Chico Bento, em Manguinhos, de frente para a praia. Reggae, surf music e forró serão os ritmos dominantes do evento, que terá entre as principais atrações o vocalista Hélio Bentes, da banda carioca Ponto de Equilíbrio. A agenda começa a partir da 17h e terá ainda show com Pura Vida e Forró Raiz e ainda DJ Maholics. Hélio Bentes é vocalista do Ponto de Equilíbrio e conhecido por canções marcantes como ‘Aonde vai chegar’, ‘Árvore

do Reggae’ e ‘Jah Jah me leve’. Já a banda PuraVidainvestenasurfmusicparaagitar a galera de Manguinhos. A banda Forró Raiz faz, em 2019, 20 anos de carreira. No currículo dos forrozeiros somam-se três turnês pela Europa e viagens pelo Brasil. Os rapazes de Bairro de Fátima são donos de sucessos como ‘Ensinando Forró’, ‘Xote de Itaúnas’ e ‘Vem Menina’. Os ingressos estão à venda no site Superticket. O Chico Bento fica na Avenida Desembargador Cassiano Castelo, 195, Manguinhos.

foto: divulgação

helio bentes, v ocalista do Ponto de Equilibrio, é uma das atrações

Forró, sertanejo, petiscos e brejas na ‘Tardezinha’ de Domingo em Porto Canoa Neste domingo (28), vai acontecer em Porto Canoa o evento Tardezinha de Domingo, na SB Conveniência, que fica anexa ao Posto SB, que promete agitar o local a partir das 18h. Quem quiser curtir é só chegar, pois não é cobrado couvert artístico. E também vai rolar muita porção gostosa, com destaque para o carro-chefe da casa, bolinha de aipim com queijo, além de cerveja gelada. As atrações serão Artur Nogueira, com forró pé de serra, ao lado de Felipe BO, Tonny Ribeiro e Mauro D’Blaze, e sertanejo com Italo Cosvosk, Tati Azevedo, Rodrigo Leal e Rafael Silva. O evento será no dia do aniversário de 16 anos do Posto SB da bandeira BR. E será realizado pela SB Conveniência, que fica dentro do posto de combustível. Segundo Lenon Boschetti, proprietário da loja, o Tardezinha de Domingo acontece há cerca de um ano e sempre tem como bandeira o repertório regado

a sertanejo universitário e forró pé de serra. “E tem dado certo. Atraímos com os eventos pessoas de Serra, Vitória, Vila Velha, Cariacica e até de Guarapari”, conta Lenon. Quem for ao local vai poder curtir, além da música ao vivo, as delícias oferecidas pela loja de conveniência. “Temos vários tipos de bebidas, como refrigerantes, sucos, cervejas; bebidas quentes (whisky, vodka e cachaça); além de comidas diversas como salgados, biscoitos e porções. Também servimos almoço em dias quando não há eventos”. A SB Conveniência funciona de segunda à segunda, das 7h às 23h. “Nosso horário de fechamento depende do movimento; se tiver cliente, ficamos até um pouco mais tarde, às 1h da manhã”. Os pagamentos podem ser feitos com cartões de crédito e débito e em dinheiro. A loja SB fica na Avenida Brasília, nº 1.611, em Porto Canoa. foto: fabio barcelos

o evento acontece na SB Conveniência, do empreendedor Lenon Boschetti (ao centro), e terá entre as atrações os cantores Artur Nogueira e Italo Cosvosk

Agosto chega com festival de viola caipira Quem curte a boa e velha moda de viola tem encontro marcado em Manguinhosnopróximodia3deagosto.Orestaurante Chico Bento será palco do ll Festival da Viola Caipira de Manguinhos. Vai ter show com Jean da Viola & Renato, Trem Caipira, Elias da Viola & Leonardo Bruno e convidados. O evento começa às 18h e oferece acesso ao mar de Manguinhos e espaço kids para a criançada se divertir. Além disso, a área do festival é coberta e possui segurança privada.

Os ingressos já estão à venda nas lojas Mavericks Shopping Vila Velha, Shopping Vitória e Shopping Mestre Álvaro; Joalheria R&D (Laranjeiras); Chico Bento (Jardim da Penha e Laranjeiras); Prenda (Jacaraípe) e Farmácia Santana e Bar do Marquinhos, em Manguinhos. A venda online é pelo site Superticket. O primeiro lote custa R$ 25 (meia); 2°lote, R$ 30 (meia) e 3° lote, R$ 40 (meia). Informações: (27) 99754 0818 / 98131 8774 / 99914 8317.


Publicação Legal

| SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 | TN | P7


P8 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019

|

Geral

Cannabis ajuda capixabas com parkinson, dor crônica e dependência química Médico prescreve substância extraída da planta e relata sucesso no tratamento de pacientes. Acesso ainda é desafio no Brasil e ES foto: reprodução internet

ana paula bonelli

R

emédios à base da cannabis, mais conhecida como maconha, têm ajudado a melhorar a saúde de capixabas que estão recebendo tratamento com substâncias à base da planta, cuja aplicação medicinal se expande mundialmente. Um idoso com mal de Parkinson, uma mulher adulta com dores crônicas e um homem com dependência química estão sendo acompanhados pelo clínico geral doutor Fábio Pinheiro Rocha Junior. Fábio, que também é coordenador da equipe do Pronto Socorro do Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt, é um dos médicos pioneiros no estado a indicar uso do CDB (canabidiol) extraído da maconha para tratar pacientes. Segundo o profissional, ele só tem autorização para receitar o CDB, mas lembra que da maconha se extrai diversas outras substâncias também com aplicação na medicina. “Preciso fazer um laudo do paciente todo detalhado, e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é quem autoriza o uso da medicação”, explica. Para cada paciente é um tipo de administração. Pode ser em gota, óleo como suplemento alimentar, cápsula, comprimido, pomadas, vaporizado e até spray nasal. Segundo Fábio, o CBD não costuma causar o efeito da embriaguez no paciente. “Os avanços na saúde podem ser

as diversas s ubstâncias extraídas da maconha têm ajudado a melhorar condição de crianças autistas e idosos com doenças degenerativas

percebidos imediatamente. Quanto mais tempo de uso, maior o efeito. Em casos de tumores, ajuda a inibir e, algumas vezes, até a reduzir o tamanho. Cada paciente é tratado de forma diferenciada de acordo com o problema de saúde diagnosticado. O CDB não apresenta efeito colateral e não é entrada para drogas, é a saída”, frisa o médico. Além das já citadas, há várias outras doenças cujos efeitos podem ser combatidos pela maconha. “Dentre elas autismo, câncer de mama, insô-

nia, câimbra, fibromialgia, alzheimer, tumores diversos, epilepsia, dores crônicas e patologias da coluna vertebral, inflamação, depressão, asma, ansiedade”, enumera. Fábio acrescenta que os tratamentos estão, gradativamente, ficando mais acessíveis. “Antes, o custo básico mensal era em torno de R$ 1.500. Mas hoje já se consegue frascos de 30 ml por R$ 300. Fora as associações que conseguem autorização para cultivar a planta, extrair as substâncias e cedê-las aos seus associados”, conclui.

Consulta pública para facilitar acesso à planta Apesar de a Anvisa ter liberado o uso terapêutico a partir de 2015, a proibição da maconha no Brasil é a maior barreira para quem precisa dos medicamentos. A importação por empresas, para distribuição no Brasil, é vetada. A autorização é concedida de forma individual para cada paciente. Alguns conseguem aval da Justiça para plantar individualmente. No Brasil, em 2017, a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace), entidade de João Pes-

soa, obteve judicialmente o direito de produzir óleos a partir da maconha para tratamento de pacientes associados. É a única entidade no país hoje com autorização para o cultivo coletivo. A Apepi (Apoio à Pesquisa e a Pacientes de Cannabis Medicinal) está com uma ação com a expectativa de obter o mesmo direito da Abrace. Segundo a Fiocruz, existem no Brasil mais de oito mil pacientes autorizados a importar remédio à base de cannabis para diversos tipos de doença.

Já a Anvisa está com uma consulta pública que dispõe sobre o procedimento específico para registro e monitoramento de medicamentos à base de cannabis, seus derivados e análogos sintéticos, inclusive para estudar o cultivo para uso medicinal. Qualquer cidadão ou instituição pode participar com opiniões até o dia 19 de agosto. Para isso, basta acessar o site portal.anvisa.gov.br e clicar em ‘Consultas Públicas’. O número da consulta é 654.

Testes rápidos para identificar hepatites virais em Laranjeiras Nesta sexta-feira (26), serão feitos testes rápidos para hepatites B e C em frente à Unidade de Saúde de Parque Residencial Laranjeiras. A iniciativa, que é da Prefeitura da Serra, tem como objetivo chamar a atenção da população sobre o diagnóstico precoce dessas doenças. A unidade móvel do Centro de Testagem e Aconselhamento da Serra (CTA) estará no local, onde serão ofertados testes rápidos para as doenças, das 8 às 11h. A ideia é divulgar o serviço em locais de grande circulação de pessoas. De

acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o teste rápido não causa dor e o resultado sai em menos de cinco minutos. A iniciativa faz parte do Julho Amarelo, mês de conscientização contra as hepatites virais B e C. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, já foram realizados vários eventos como: Dia D de Vacinação contra hepatite B; um fórum para os servidores com objetivo de aprimorar o conhecimento técnico sobre o tema; e oferta de testes rápidos no Pró-Cidadão, em Portal de Jacaraípe.


Vacina contra sarampo na Serra até no sábado após surto em São Paulo FOTO: AGÊNCIA BRASIL

gabriel almeida

A

pós uma explosão de casos confirmados de sarampo em São Paulo e em outros estados brasileiros, a Serra começou a intensificar a vacinação para evitar que a doença se alastre no município. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) está imunizando a população até nos sábados, além de realizar a vacinação de rotina durante os dias úteis. O Espírito Santo e, consequentemente, a Serra, não registra casos de sarampo desde 1999; mas no início de julho, um morador de SP - que estava contaminado pela doença - esteve em Colatina por dois dias. A presença de um portador do vírus acabou assustando os capixabas e a Secretaria Estadual de Saúde chegou a realizar vacinação de bloqueio para evitar que o vírus se espalhasse. A Prefeitura da Serra iniciou, nas últimas semanas, a vacinação contra a doença no projeto ‘Sábado Saúde’, em que a população pode se vacinar em algumas unidades de saúde aos sábados. Essa é uma opção para quem não pode se vacinar durante a semana. O horário de vacinação é das

26 de julho a 2 de agosto de 2019 | TN | P9

Dengue adoece mais de 15 mil e mata seis na cidade Os números de doentes por dengue na Serra não param de crescer. Só em 2019 já foram registradas mais de 15 mil pessoas infectadas e seis mortes pela doença na cidade. Enquanto isso, o município segue combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e também do vírus da zika e chikungunya. Neste ano, já foram 15.014, enquanto no ano passado foram apenas 644. Dados da Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) mostram que o aumento dos casos, em comparação ao mesmo período do ano passado, é de mais de 2.200%. Zika

e chikungunya não tiveram nenhuma morte registrada, sendo confirmados, respectivamente, 40 e 38 casos na cidade em 2019. Para tentar frear a dengue e as outras patologias transmitidas pelo Aedes aegypti, a Prefeitura da Serra vai realizar um novo mutirão contra o mosquito transmissor no final deste mês, cuja data ainda está sendo definida. Além disso, o Município diz ter intensificado ações de combate em locais de maiores notificações com carro fumacê, ações de educação, visitas domiciliares e em ferros-velhos, borracharias e floriculturas.

Município pode ter comedouros e bebedouros para cães de rua a vacinação o  corre em todas as unidades de saúde, de segunda à sexta, e em algumas unidades aos sábados, conforme calendário no site da Prefeitura

8 às 16h30, e as unidades onde ocorre a imunização aos sábados são divulgadas pela Prefeitura em seu site oficial. Além disso, de segunda à sextafeira, os moradores podem se vacinar em uma das 39 unidades de saúde da

Dose é para pessoas de até 49 anos de idade Moradores da Serra de 01 a 49 anos podem ser imunizados contra o sarampo. Todos os indivíduos com idades entre 01 e 29 anos devem tomar duas doses. Para os que possuem entre 30 e 49 anos, uma dose é suficiente. Para se vacinar, a pessoa deve comparecer na unidade de saúde com um documento de identificação, o cartão de vacinas e o Cartão SUS, quem tiver. No ano passado, o Norte do Brasil viveu um grave surto de sarampo, que adoeceu mais de 10 mil pessoas. Já em

geral | SERRA (ES),

2019, o estado de São Paulo está enfrentando um surto da doença, que se espalha rapidamente por conta de vírus que chegaram da Europa e Ásia. Para se ter uma ideia, de cada 10 brasileiros infectados em 2019, oito vivem na capital paulista. No total, já são 484 casos de sarampo, sendo 363 na cidade de São Paulo. Os outros registros são também de cidades de SP. Os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas, Roraima e Santa Catarina também registraram casos.

Serra. O paciente deve ficar atento ao horário da Sala de Vacina, que varia de um bairro para o outro. De acordo com a Prefeitura, não há casos confirmados de sarampo no município há anos, e também não existem casos suspeitos ou em investigação.

Com cerca de 15 mil cães nas ruas, a Serra pode ganhar comedouros e bebedouros para os bichos. É o que propõe o Projeto de Lei (PL) do vereador Basílio da Saúde (Pros), protocolado na semana passada na Câmara Municipal. O PL estabelece que a instalação dos comedouros/bebedouros seja feita pela Prefeitura em parceria com entidades, a exemplo de ONGs que resgatam e cuidam de animais em situação de rua. A proposta ainda prevê que as entidades irão escolher voluntários para que monitorem e cuidem dos pontos instalados. “Os custos do projeto serão reali-

zados por empresas da iniciativa privada e voluntários, que passarão por uma entrevista e assinarão um termo de compromisso em monitorar os pontos”, afirma o Basílio. O PL também não define quantos equipamentos serão instalados pela cidade; no entanto, prevê que os equipamentos sejam colocados em locais que tenham maior concentração de animais. De acordo com uma estimativa divulgada pela Prefeitura, a cidade conta com 75 mil cães, sendo que 15 mil vivem nas ruas. Os gatos são em torno de 11 mil, sendo 10% deles em situação de rua.


P10 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019

|

geral

Teto de terminal segue com escora improvisada gabriel almeida

U

m mês após a Ceturb improvisar uma estrutura de andaime para escorar uma viga do teto do Terminal de Carapina, na Serra, o Governo do Estado ainda não tem uma solução para resolver o problema que assusta e preocupa os usuários do espaço. A estrutura foi escorada a pedido da Defesa Civil, mas o Estado garante que não há risco de queda e diz que a medida foi para “evitar transtornos”. A reportagem esteve no local e constatou que existe um vão entre as vigas do teto do terminal no ponto onde foi colocada a escora. Mas a Ceturb garantiu que a situação não apresenta nenhum risco e confirmou que foi um pedido da Defesa Civil. “O que foi constatado foi uma abertura excessiva nos encaixes do console e, por precaução, foi feito o escoramento”, disse, em nota. O escoramento ocorreu no dia 6 de junho. Questionada sobre quando o problema será resolvido e se já existe alguma solução, a Ceturb informou que, em conjunto com o Instituto de Obras Públicas do Estado do Espírito Santo (Iopes), está avaliando qual a melhor forma de reparar o local. “A Companhia volta a afirmar que o Terminal de Carapina não oferece risco de queda. A Defesa Civil fez uma avaliação visual e sugeriu a medida para evitar transtornos”, disse a companhia. Vale destacar que, nesta semana, a Ceturb iniciou a reforma do telhado do Terminal de Laranjeiras, que custará mais de R$ 2 milhões e deve ficar pronta em 90 dias. foto: arquivo tn

a escora f oi colocada há pouco mais de um mês no Terminal de Carapina


geral | SERRA (ES),

26 de julho a 2 de agosto de 2019| TN | P11

Mulher vítima de violência pode Estado promete retomar ganhar imóvel de graça na Serra obra do Contorno FOTO: MARCOS SANTOS USP

gabriel almeida

M

oradoras da Serra vítimas de violência doméstica e que dependem financeiramente do companheiro agressor poderão ganhar um imóvel de graça no município. Isso porque o prefeito Audifax Barcelos (Rede) sancionou nesta terça-feira (23) uma lei que destina 5% dos imóveis de programas habitacionais para mulheres que foram agredidas. Sendo assim, programas habitacionais feitos com recurso da Prefeitura da Serra, adquiridos via convênio com o poder público ou iniciativa privada, serão obrigados a destinar essa porcentagem para mulheres que sofreram ou ainda sofrem violência. A proposição, que agora virou lei, é de autoria do vereador Stefano Andrade (PHS). De acordo com o texto da lei, para ter o benefício, as mulheres deverão ser moradoras da Serra há mais de três anos e comprovar esta afirmação. Além disso, as moradoras devem depender financeiramente do seu companheiro - o homem agressor. A lei tem como principal objetivo retirar essa dependência e, assim, per-

BENEFÍCIO s erá definido pela Secretaria de Habitação para mulheres vítimas de violência e que dependem economicamente de seus agressores

mitir que as vítimas fiquem livres dos agressores. Audifax explicou que a Secretaria de Assistência Social será a responsável pelo encaminhamento dessas mulheres. “Ficará destinada à Secretaria de Assistência Social, junto com demais secretarias e órgãos da Administração Pública Municipal, atender às mulheres beneficiárias e encaminhar para a Secretaria de Habitação para cadastramento e devidas provi-

dências”, disse o prefeito. Já Stefano explicou que a situação de fragilidade financeira que acomete vítimas de agressões dos companheiros o motivou a propor a regra. “Cinco por cento das moradias populares de programas habitacionais públicos serão destinados gratuitamente a mulheres vítimas de violência com base na lei Maria da Penha e vítimas de tentativa de feminicídio, decorrente de relações amorosa”, explica.

de Jacaraípe em 2020

As obras do Contorno de Jacaraípe, que estão paralisadas há cinco anos, devem ser retomadas em 2020. A promessa é do Governo do Estado que afirma está reavaliando o projeto da construção e ainda realizará uma audiência pública para ouvir a opinião dos moradores de Jacaraípe e Nova Almeida sobre as obras. Em março de 2017, o Governo do Estado, na gestão do então governador Paulo Hartung (sem partido), disse que os trabalhos seriam retomados ainda no primeiro semestre daquele ano, mas nada aconteceu. Na ocasião, a previsão era de que o trecho de 8,5 km seria concluído em seis meses. O custo da obra era estimado inicialmente em mais de R$ 100 milhões. Por enquanto, só foi feita a terraplanagem de um trecho na região do bairro Lagoa, em Jacaraípe, e noutro próximo a Nova Almeida, mas com o passar dos anos está se deteriorando. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES) foi questionado sobre qual valor já foi gasto na construção, mas não respondeu.

“O DER-ES informa que está reavaliando o projeto do Contorno de Jacaraípe, para, posteriormente, abrir nova licitação de obras. A previsão é que as intervenções sejam retomadas no ano que vem”, disse o órgão, em nota. Vale destacar que o valor a ser gasto nessa obra é de um empréstimo que o Estado vai pegar com o Banco Interamericano de Desenvolvimento. No total, o valor será de R$ 815 milhões, mas a quantia também será utilizada para outras obras no ES. Audiência O Governo do Estado vai realizar uma audiência pública para ouvir os moradores da região de Jacaraípe e Nova Almeida sobre as obras do Contorno de Jacaraípe. Segundo o DER, será feita uma consulta pública aberta à população para tratar do retomada da construção. A audiência acontecerá na próxima segunda-feira (29) na EEEFM Antônio José Peixoto Miguel, em Nova Almeida. O evento começa às 19h e os moradores poderão dar opinião.


P12 | TN | SERRA (ES), 26 de julho a 2 de agosto de 2019 |

Esporte

Maxcileide é a Serra com a seleção de basquete no Parapan FOTO: FÁBIO BARCELOS

Vilson Vieira Jr.

A

o nascer, ela sofreu falta de oxigênio no cérebro, o que gerou uma paralisia nas pernas. Mas ainda criança, uma nova história começou a ser escrita na vida de Maxcileide Ramos. Aos oito anos, a paratleta de Planalto Serrano conheceu o basquete em cadeira de rodas,esportequehojealevaráaoParapan de Lima, no Peru, por meio da convocação para a Seleção Brasileira. Com 21 anos de idade, ela é a única da Serraaserconvocadaparadisputar os jogos, que começam em agosto na capital peruana. “Eu conheci esse esporte num projeto infantil no Crefes (Centro de Reabilitação Física do ES). Eu era paciente e o professor me convidou a participar. Parei por um longo tempo e retornei aos 17 anos, quando realmente comecei a jogar”, relembra Max, que hoje é atleta do Instituto Reabilitacional e Esportivo para Deficientes Físicos do ES (Irefes). Será a sua primeira participação nessa que é a competição esportiva mais importante das Américas. Por isso, as palavras de ordem para Max são forçaededicaçãonostreinos,queacontecem três vezes por semana, além da preparação física na academia. “Minha preparação vem sendo forte e constante, por ser uma competição grande, em que iremos enfrentar seleções fortes que também estão em busca de uma vaga nas Paralimpíadas

MAXCILEIDE é de Planalto Serrano e foi convocada para a Seleção Brasileira

de Tóquio”, explica a jogadora da seleção brasileira. Por ser a sua estreia em Parapan, Max quer aproveitar ao máximo a oportunidade e ganhar mais experiência. “Além de ajudar a seleção a conquistar a vaga que tanto almejamos, espero poder sentir e vivenciar a competição, porque para um atleta alcançar o feito de ir ao Pan já é uma grande honra”, relata. Ela acredita que o basquete do Brasil tem grandes chances de medalha, mas que vai enfrentar seleções fortes, como a dos Estados Unidos e do Canadá. “Entre-

Cobrinha Coral duela com Estrela no Sub 20 Líderes invictos na fase inicial do Campeonato EstadualFutebolSub20,osgarotos do Serra voltam a campo para enfrentar o Estrela do Norte pelas quartas de final da competição. O jogo de ida acontece neste sábado (27), no Estádio do Sumaré, em Cachoeiro de Itapemirim, às 15h. Já a partida de volta será dia 3 de agosto, às 15h, no Robertão, em Serra Sede. E quando se compara o retrospecto das duas equipes na competição deste ano, a Cobrinha Coral leva

grande vantagem sobre o próximo adversário. Dos cinco últimos jogos, o Serra venceu quatro, empatou um e terminou líder com 22 pontos da Chave Centro; já o time do sul do estado encerrou a fase classificatória em 3º lugar, com três derrotas, um empate e uma vitória, somando apenas cinco pontos.

tanto, viemos de várias etapas de treinamentos, trabalhando para que nosso resultado seja positivo”, frisa a paratleta. Além de inclusão e saúde, o basquete em cadeira de rodas já trouxe medalhas para Maxcileide em competições internacionais. Em 2017, ela foi medalha de ouro no Sul-Americano disputado no Peru e bronze na Copa América na Colômbia. Agora, a meta é buscar um lugar no pódio no Parapan. Max desembarca em Lima com a seleção no dia 17 de agosto. Os jogos começam no dia 23.

Serrano encara onda gigante no litoral do ES Imagens de ondas gigantes sendo surfadas no litoral de Vila Velha no último final de semana impressionaram. E dentre os corajosos que se aventuraram nas ‘bombas’, estava o surfista de Jacaraípe Lucas Medeiros, especialista em ondas gigantes e com experiência nos principais picos do mundo. O jovem de 24 anos organizou uma expedição especialmente para pegar as ondas formadas a cerca de 5 km da Praia da Costa, que segundo ele chegaram a cerca de 10 metros e estão entre as maiores já registradas no país. “Botamos toda a equipe na água e veio essa onda gigantesca; mas infelizmente, minha prancha entrou de forma errada na água e, então, tomei um ‘caldo’, que foi a parte mais tensa. Mas deu tudo certo e fui resgatado”, conta Lucas. Ele diz que vive movido à adrenalina, mas que nunca tinha imaginado surfar em condições extremas, ainda mais em casa. “Sempre quis pegar ondas gigantes pelo mundo, e desta vez eu consegui surfar uma onda dessas em casa. Sempre sonhei em ser surfista, viajar pelo mundo, pegar ondas perfeitas”, conta Lucas, que virou surfista de ondas gigantes há cerca de quatro anos após algumas temporadas no Havaí. E não foi só em Vila Velha que o ciclone em alto mar associado à frente fria fez a festa dos surfistas. Nos

picos da Serra, o mar cresceu e a galera caiu na água. Morador de Jacaraípe e membro da Associação de Surf do ES (Ases), o surfista Pablo Torres, 41 anos, aproveitou esses dias de ondulação, que, segundo ele, começaram antes mesmo de a frente fria chegar e explica por que a Praia de Carapebus merece destaque. “É o lugar que mais aguenta ondulações pesadas, além das bancadas de corais no litoral da Serra. Ainda nesta semana tem surfistas pegando boas ondas”, destaca. Ele conta que as ondas chegaram a dois metros de altura, com outras ainda maiores, o que não é comum. “Foram as maiores do ano e dos últimos tempos, e isso coincidiu de ser lua cheia e uma frente fria muito forte”, explica Pablo, que surfa há quase 30 anos. A Praia do Barrote, em Jacaraípe, e Praia Grande, em Fundão, também deram boas ondas nesses dias de mar agitado. Até Capuba virou pico para a turma do surf. De Carapebus, o veterano Hugo Caiado, 58 anos, botou a prancha de stand up paddle (SUP) na água. Ele pegou boas ondas no Coral do Sítio, em Bicanga, pouco antes do pico de ondulações registrado no litoral. Mas segundo ele, na última quarta (24), o mar da Praia de Carapebus ainda lhe rendeu boas manobras de SUP. FOTO: STRAYA FILMES

Águia quer fazer Jacaré de presa pela Copa Verde O Vitória tem compromisso marcado pela Copa Verde neste final de semana. Jogando em casa, o alvianil da capital recebe o time do Brasiliense no sábado, às 15h, no Salvador Costa, em Bento Ferreira. É o jogo de ida entre a Águia Azul e o Jacaré, apelido dos times. O confronto da volta está marcado para a próxima quarta-feira (31), em Brasília. Mas para os capixabas, a competição nacional começou na última quarta-feira (24), quando o Real Noroes-

te bateu o Iporá-GO por 1 a 0. O jogo foi disputado na casa do Real em Águia Branca, noroeste capixaba. O duelo da volta acontece na próxima quarta-feira (31), em Goiás. A Copa Verde tem 24 times dos estados da região Centro Oeste, Norte e o Espírito Santo. A disputa é dividida em cinco fases, no sistema de mata-mata. O vencedor do torneio garante vaga na fase das oitavas de final da Copa do Brasil em 2020, além de levar o prêmio de R$ 2,5 milhões.

LucaS na onda gigante: surfista liderou expedição para swell histórico no ES

é tricampeão O Serra Unilog de Futebol 7 conquistou pela terceira vez a Copa Espirito Santo de Fut 7 ao vencer, nos shoot outs, a equipe do Real Madrid, também da Serra, no último fim de semana, em Vitória. Essa foi a 5ª edição do torneio.O primeiro gol foi de Tuti, para o Unilog, mas o Real Madrid empatou logo depois com Gersinho. Tuti marcou novamente para os campeões da Libertadores, e Ninil empatou novamente a partida para o Real.E na decisão por shoot-outs, o Serra Unilog derrotou o Real Madrid por 2 a 1. E da equipe tricampeã saíram o artilheiro da competição, Tutti (3 gols), e o melhor goleiro, Walter.

Profile for Jornal Tempo Novo

Leia a edição 1344 do jornal Tempo Novo desta sexta-feira (26) na íntegra  

Leia a edição 1344 do jornal Tempo Novo desta sexta-feira (26) na íntegra  

Advertisement