Issuu on Google+

“A vontade da população tem que ser respeitada”

[3]

FOTO: JOATAN ALVES

Ciclovia e calçadão de avenida estão destruídos em Alterosas [11]

Vai viajar? Cuidado para sua casa não virar alvo de ladrão [10]

Município tem jacarés que precisam de ajuda contra a extinção [9]

tempo novo

nal o Jor Mais da ente e inFlu Cidad r o i a M ta d o do es

serra (es) | 13 a 20 de Janeiro de 2017 | nº 1.212 - ano XXXiii | Fundado eM deZeMBro de 1984

Água já está no nível crítico, mas rodízio é descartado [7]

FOTO: FÁBIO BARCELOS

Audifax convoca vereadores para votar pacote antigastos [5]

Ong recebe verba milionária para recuperar rio da Grande Vitória [7]

Os points da Serra para aprender e curtir os esportes do mar [12]

Comércio exterior do ES despenca 50% em dois anos [6]

FOTO: FÁBIO BARCELOS

FOTO: FÁBIO BARCELOS

Famílias aprendem a gastar menos com material escolar [9]

Rosas e Tradição esquentam tamborins para arrasar no Sambão [8]


P2 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 | opinião

Mestre álvaro

POR kleber galveas

Eles trabalham e confiam

POR eci scardini

Sem saber para onde ir Desde o momento em que foi deflagrada a crise financeira internacional, em 2008, e dos primeiros sinais do declínio econômico do país nos anos subsequentes, a Serra está sem rumo, sem saber para que lado caminhar. Nos primeiros anos da crise no Brasil, que ainda era só econômica, não tinha ainda desencadeado o terremoto político. Até então, só estava ficando perceptível a redução da atividade econômica em alguns setores: importação, exportação, início da retração da construção civil, menos consumo mundial de aço, entre outros setores. Mas como o país vinha embalado por um crescimento extraordinário, no geral, a nova realidade não foi sentida de imediato pela população. O município, que na época era administrado por Sérgio Vidigal (PDT), viu parar de crescer a receita que vinha tendo saltos significativos ano a ano. O peso da crise no poder público foi sentido gradativamente: obras sendo tocadas a passos de tartaruga, enquanto outras foram literalmente sendo paralisadas, aumento da dívida municipal, desorganização administrativa e por aí a fora. Saiu Vidigal no final de 2012 e entrou Audifax no início de 2013 e o cenário foi só piorando, piorando, piorando...

A receita não reagiu, tanto que a arrecadação municipal de 2016, de cerca de R$ 1,1 bilhão, se equipara à de 2008, porém, com uma população de praticamente 100 mil moradores a mais, equivalentes a uma Viana. Sem contar a desvalorização provocada pela inflação. Na outra ponta, a despesa não parou de crescer. A expansão da malha urbana exige novos investimentos em serviços prestados a população. Pessoal, saúde e educação compõem o carro chefe das despesas, e todos os três têm leis protecionistas. Há leis que não permitem a perda salarial e a Constituição Federal garante percentual mínimo de aplicação em saúde e educação. A expansão demográfica pressiona por mais escolas, mais creches, mais unidades de saúde, por regularização fundiária, habitação popular, políticas de segurança, limpeza urbana. A imigração de pessoas que estão na linha da pobreza leva a uma ocupação irregular do solo, que exige do município investimentos em assistência social, expande áreas sem cobertura de saneamento básico, sem iluminação pública, sem sistema viário adequado, além de aumentar a degradação ambiental.

O município viu parar de crescer a receita que vinha tendo saltos significativos ano a ano, enquanto a despesa seguiu crescendo.

Ou muda ou o colapso virá Com o advento da crise política nacional, no segundo semestre de 2014, a situaçãosópiorou.União,estadosemunicípios estão engessados, só apagando fogo e como diz o ditado popular: vendendo almoço para comprar a janta. No caso específico da Serra, Vidigal e Audifax surfaram na onda do crescimento do país, dos anos de 1997 a 2009. Foram dois mandatos do primeiro e um do segundo, onde se fez vista grossa para muitos fatores importantes. Não foram (como ainda não é Audifax) implacáveis com a ocupação irregular, não foram arrojados

tempo novo www.portaltemponovo.com.br Edição finalizada em 12 de janeiro de 2017, às 18h

na aplicação de políticas de atração de novos investimentos privados e, principalmente Audifax, deixou escorrer por entre os dedos, empresas importantes sediadas na Serra. O poder público local deu muita ênfase ao mercado imobiliário e o setor produtivo ficou entregue à própria sorte. Enquanto isso, os vizinhos se articularam e passaram a competir fortemente com a Serra a atração de importantes plantas industriais e logísticas, principalmente o norte do Estado, que conta com significativos benefícios fiscais, tributários e de crédito propi-

ciados pela Sudene. Perdemos a Ambev, Petrobras, Escelsa entre outras menores. Deixamos de ter o centro de distribuição da BMW no Brasil, indústria de cosmético e algumas mais. E estamos à beira de perder outras empresas aqui instaladas. Se não houver um olhar mais aguçado, uma política mais arrojada, mais criatividade, mais informações e uma dedicação pessoal do prefeito, a Serra entrará em colapso em pouco tempo. O que vai ficar na memória do povo dessa cidade, não são as boas lembranças da 1ª gestão e sim, as más lembranças das últimas.

Será que se pretende “botar areia” nas locomotivas da economia nacional: SP, RJ e MG? . Esses Estados impulsionam o Brasil. Enviam para o Governo Federal recursos muitas vezes superiores aos que dele recebem. O ES não consegue que o Governo Federal invista aqui nem 10% do que enviamos para ele. Já os Estados do Norte e do Nordeste do país contribuem modestamente para o bolo da União, mas resgatam fatias muitas vezes superiores às suas contribuições. Se o povo punido pelo desgoverno que ocorreu resolver reagir pacificamente, o capixaba apoiará. O ES é, também, vítima da repartição política do Tesouro Nacional. Tímido, sem expediente (ação), visto com desconfiança por seu provincianismo, higiene precária (saneamento/poluição), saúde debilitada, personalidade pública distante da sua identidade, valores intrínsecos desprezados e a vocação esquecida, o ES nos preocupa. Sem imaginação, contando com parcos recursos, o governo investe na aparência e procura mascarar a pobreza e inação glorificando a hipotética independência, se vangloriando

por não dever a ninguém, ter o barraco arrumado e servidores fiéis. Esqueceu que detonando o ambiente, inviabiliza a nossa legítima vocação para o terceiro setor da Economia. Dívida, com responsabilidade, é um privilégio. É ter a confiança dos credores, ter crédito na praça e poder investir. É conseguir manter as atividades e progredir. SP, BH e RJ passaram por grandes transformações em tempo curto. Infelizmente sabemos que muito do capital para esses investimentos foi desviado, administrado sem o devido cuidado, e a roubalheira foi à mão grande. Corrigir distorções populistas, investigar para recuperar a grana desviada, apontar os ladrões e os gestores irresponsáveis, aplicar punições exemplares aos verdadeiros culpados é o correto. Aliviar o povo desses estados, lembrando a contribuição que oferecem ao bolo nacional e a disposição que têm para o trabalho e liderança é agir com bom senso, tolerância, respeito e justiça. Sejamos solidários. Kleber Galvêas é pintor e ativista cultural e ambiental

POR bruno lyra

Dá turismo nas praias de Bicanga e Carapebus As praias da Serra são lindas. Poucas são profundas e com ondas fortes, como as famosas e frequentadíssimas Itapuã e Itaparica em Vila Velha. Aqui as mais procuradas são as praias de Jacaraípe e de Manguinhos. Sem dúvida, balneários bacanas. Mas há outros excelentes locais para banho entre Bicanga, Balneário Carapebus e Praia de Carapebus, que representam a porção sul dos 24 km de litoral da Serra. É uma região pouco frequentada, não obstante a presença de algumas colônias de férias, quiosques e restaurantes.

Ali há um potencial para turismo de veraneio reprimido. Mas a falta de estrutura dos bairros, que cresceram como zona periférica, habitadas pelos trabalhadores temporários ou não do Complexo Industrial de Tubarão, e da própria orla, são fatores que inibem o crescimento do turismo local. Se o município, em parceria com setores empresariais que possam colher frutos com a qualificação e aumento da presença de visitantes na região, se engajarem na melhoria da orla que hoje é péssima, a cidade poderá colher bons frutos. FOTO: BRUNO LYRA

movimento de banhistas na praia de Bicanga n  a última quarta-feira (1’1)

jornal tempo novo ltda me | cnpj: 01.543.441/0001-00 | insc. estadual: isento | insc. municipal: 017.199-0 | Registro nº 200.707.86.283 na Junta Comercial do Estado do Espírito Santo, em 25 de setembro de 2007.| endereço: Rua Euclides da Cunha, 394 - Sl. 104 - P. R. Laranjeiras, Serra ES. CEP 29165-310 | Telefone: 27- 3328-5765 | email: jornaltemponovo@gmail.com | DIRETOR GERAL: Eci Scardini | Editor-Chefe: Bruno Lyra - brunolyra.jtn@gmail.com | diretor de marketing: Yuri Scardini | GERENTE COMERCIAL: Karla Alvarenga | Impressão: Gráfica Metro | Tiragem: 8000 exemplares

empresa filiada ao


| SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 | TN | P3

entrevista |

neidia maura pimentel |  PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DA SERRA

“Só estava no grupo para votar, eu não servia para ser votada” FOTO: FÁBIO BARCELOS

yuri scardini

D

epois de ser a pivô da polêmica eleição da Mesa Diretora da Câmara da Serra, que consagrou a reeleição de Neidia Maura Pimentel à frente do legislativo, a vereadora fala pela primeira vez sobre os motivos de ter saído do grupo de oposição e migrado para o grupo dos governistas. Confira:

O pensamento que a senhora tem hoje do prefeito Aldifax é diferente daquele que a senhora expressou nos últimos dois anos e que estão aí, gravados na memoria de milhares de pessoas e que estão nas redes sociais para quem quiser ouvir? Audifax é o prefeito e eu a presidente da Câmara, vou trabalhar como sempre trabalhei de forma independente, respeitando meus pares, as comissões, e acima de tudo, a população. Audifax foi eleito pelo povo da Serra para administrar a cidade e a vontade da população tem que ser respeitada, as matérias de interesse da população continuarão sendo prioridade na Câmara.

[TN] Presidente, a senhora surpre-

endeu a todos ao migrar do grupo dos 12 para o grupo do prefeito Audifax. Por quê a senhora tomou essa decisão?

[nedia maura pimentel] D  uran-

te as negociações das coligações para as eleições do ano passado, o meu partido (PSD) abriu mão de duas coisas, a primeira era ter candidatura própria e depois abrimos mão de indicar o vice na chapa do PDT. A contrapartida seria o compromisso que nós do PSD, teríamos o apoio dos vereadores eleitos na nossa coligação encabeçada pelo PDT, para minha reeleição à Presidência da Câmara da Serra. E isso não aconteceu? Mesmo depois do resultado desfavorável ao PDT nas eleições, tivemos inúmeras reuniões com o presidente estadual do partido, o deputado Sérgio Vidigal, e este compromisso estava de pé, no entanto na hora de decidir dentro do grupo o nome do presidente na chapa, percebi que nem ao menos o voto dos três vereadores do PDT eu tinha. Além disso, havia um outro vereador que disse para todos sem segredo, que caso eu fosse escolhida ele sairia do grupo, ou seja, eu só estava ali para votar, e não servia para ser votada, exatamente neste momento a minha permanência no grupo começou a ser reavaliada por mim e pelo meu partido. Mesmo perdendo a eleição de prefeito, a senhora julga que o deputado federal Sérgio Vidigal teria que cumprir com o acordo de dar os votos dos vereadores do PDT para a senhora? Claro, pois o meu compromisso em andar a Serra pedindo votos para ele foi cumprido, e quando formalizamos este acordo, participaram da conversa não apenas eu, mais os presidentes do PSD municipal e estadual Flávio Serri e José Carlos da Fonseca Júnior, além do Ama-

senhora e hoje, a senhora está do lado deles. Tem algum constrangimento? Nenhum. Aprendi a olhar para frente, estou focada em dar o meu melhor para a Serra, o que passou ficou no passado. Agora é novo mandato e nova vida.

a presidenta Neidia Maura acredita que mesmo depois da polêmica, haverá harmonia entre os vereadores na Câmara da Serra

rildo Lovate, presidente estadual do PSL, partido que firmamos a nossa coligação proporcional e elegeu o vereador Adilson de Novo Porto Canoa junto comigo na chapa.

“Não trai ninguém. Fui traída e quem me conhece sabe que não sou de inventar história”

A senhora criou a imagem de uma mulher de luta, guerreira, que supera as adversidades. Agora lida com a pecha da traição. Como vai convencer as pessoas que a senhora é vitima de um acordo não cumprido? Primeiro que não trai ninguém, pelo contrário, fui traída e quem me conhece sabe que não sou mulher de inventar história, e desafio qualquer um dos que falei que participaram da reunião na sede estadual do PSD em Vitória me desmentir. Fizemos um acordo e acordo é para ser cumprido, se eu não posso cumprir eu não faço, mas fiquei muito triste com os companheiros que estavam no grupo, pois não foram eles que deram a palavra, mas tenho conversado com vários deles e hoje, muitos deles já entenderam minhas razões. A senhora subiu e desceu a montanha varias vezes; conviveu com os outros 11 vereadores e seus fa-

miliares por vários momentos lá no sítio do Nacib. Eles acreditavam na senhora. Como á senhora vai conviver com eles agora? Vimemos em uma democracia, e ninguém é obrigado a votar em ninguém, se tivessem me falado desde o início tudo que descobri nas vésperas da eleição da mesa diretora, todo esse constrangimento poderia ter sido evitado, talvez nem teria ido para o sítio, o problema foi deixar para decidir tudo nas vésperas, já participei de várias eleições da Câmara, e esse movimento dos vereadores em se retirarem alguns dias antes sempre aconteceu, mas só viaja com presidente escolhido, não foi eu quem montou a estratégia, mas quem montou, cometeu um erro. Da minha parte já estou trabalhando para ter uma Câmara harmonizada, é isso que espero dos meus pares, para dedicarmos nosso tempo para trabalhar para a população. Em 2014/2015 A senhora lutou contra Guto, Xambinho, outros vereadores, e até com a desconfiança de que o prefeito Audifax patrocinava a tomada da presidência da

Como a senhora vai pacificar uma Câmara rachada e com boa parte dos vereadores a taxando de traidora? Muito dialogo, já tenho conversado com vários vereadores e tenho certeza que vamos fazer uma legislatura muito propositiva para a cidade. Mais uma vez o mandato de presidente da senhora deve bater nas portas da Justiça. A senhora vai tentar evitar isso? Como disse estou dialogando com todos os vereadores, mas caso seja judicializado estamos preparados para enfrentar mais esse embate, até por que nossa eleição foi legítima, dentro da legalidade, e outra coisa eu acredito muito no judiciário capixaba, pois já vivi esse tipo de ação no passado e o judiciário sempre me deu demonstrações de seriedade e imparcialidade que é o que vou precisar caso isso se concretize.

“Hoje muitos deles (vereadores) já entenderam minhas razões”


P4 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 |

Política

PHS na expectativa de ocupar secretaria da gestão Audifax FOTO: ARQUIVO TN / THIAGO ALBUQUERQUE

Conceição nascimento

A

pós conquistar duas cadeiras na Câmara de Vereadores e a 1ª Secretaria da Casa, o PHS pode ser contemplado com uma secretaria na gestão de Audifax Barcelos (Rede). Para isso, aguarda uma agenda com o redista para discutir qual espaço será ocupado. Quem explica é o presidente municipal da legenda, Jadson Barcelos. “A relação do PHS com o prefeito é boa, até porque foi o primeiro partido a firmar coligação com o prefeito já no dia da convenção, no dia 24 de julho/2016. Naquela ocasião, firmamos a coligação sem qualquer negociata futura”, disse. Já no segundo turno, de acordo com Jadson, o prefeito sentou com lideranças do partido, presidente e vereadores eleitos. Na ocasião, disse que se se fosse reeleito teríamos espaço no primeiro escalão da administração, o que é uma situação natural no processo político. Passado tudo isso, o PHS está no aguardo. Temos consciência

O nó da gravata jornaltemponovo@gmail.com

Time modesto

Circula à boca miúda que para aceitar ser secretária de Saúde da Serra, a assistente social Andreia Passamani Corteletti, exigiu a nomeação de mais 19 profissionais que a acompanham e que formam o seu time. É pouco se comparado aos 70 cargos, que muitos asseguram ter ocupado o petista e ex-secretário de Saúde, Luiz Carlos Reblim.

Certo e errado

A vereadora Neidia arriscou e deu certo: saiu do grupo dos 12 e virou presidente da Câmara no grupo dos 11. Já o vereador Luiz Carlos Moreira (PMDB) arriscou e deu errado: saiu do grupo dos 11 e não virou o candidato a presidente da Câmara pelo grupo dos 12. Muitos acreditam que a sua ‘pulada de muro’ custará liderança do prefeito na Câmara. O presidente Jadson Barcelos (ao centro) e os vereadores do partido, Roberto Catirica e Stefano Andrade aguardam agenda com o prefeito Audifax

de que o prefeito vai nos chamar, mas até agora não chamou”. Jadson lembrou ainda que, durante a fase de composição de alianças, na primeira quinzena de julho/2016, o presidente nacional da articulação política do PHS, Osmar Bria, quando foram discutidos os espaços a serem ocupa-

dos pela legenda na administração do redista. “A relação do PHS com o prefeito está cordial, acho que a agenda, solicitada pelo vereador Catirica, pode não acontecer, mas caso seja necessário, Osmar Bria e o deputado federal Jorge Silva podem vir ao município para participar das conversas”, frisou.

Asas aflitas

Com o prestígio abalado, Moreira tenta manter alguns vereadores embaixo de suas experientes asas e assim, fazer com que o executivo necessite de seus préstimos para que os projetos de lei caminhem bem na Câmara. O seu sonho de consumo, a Secretaria de Saúde, já era. Agora tem dona.

Até a Penélope

O deputado contou ainda que o veículo oficial foi devolvido à Ales no período de recesso parlamentar. “Fui o primeiro deputado a dar transparência às despesas, economizando e apresentando os resultados oficialmente. Fizemos isso em 2014, 2015 e em 2016 não foi diferente; a economia se repetiu”, contou.

O gabinete tinha à disposição R$ 93 mil, como verba de gabinete (combustível, material de expediente, telefone, periódico, postagens, cópias reprográficas e diárias). Mas que foi utilizado apenas 30% do montante. Essa iniciativa teria motivado, ainda, outros parlamentares a agirem da mesma forma, segundo Bruno Lamas.

Falando nos Lamas, tem se ventilado cada vez mais forte no meio político, a possiblidade da vice-prefeita e Secretária de Educação da Serra, Márcia Lamas (PSB), vir na condição de candidata à deputada federal em 2018. Isso porque, discute-se dentro do partido, uma forte inclinação do atual deputado Paulo Foletto em desistir da reeleição por questões de saúde. Fato que, se consumado, abriria um vácuo para a experiente Márcia Lamas ocupar. Ao que tudo indica, só falta convencer Márcia, que não demonstra grande vontade de se mudar para Brasília. Outro nome que naturalmente surgiria caso Folleto decline, é o do filho de Márcia, o deputado estadual Bruno Lamas. Mas ele não quer saber de falar no assunto. Diz que está focado nas questões que envolvem a Serra e uma ida para Brasília poderia afastá-lo do cotidiano da cidade. Logo, o plano de Bruno, permanece de reeleição à Estadual mirando as eleições de prefeito em 2020.

FOTO: DIVULGAÇÃO ASSEMBLEIA LEGISLATIVQ

SEGUNDO lAMAS f oi utilizado apenas 30% do montante da verba de gabinete

Fico aqui

eu também

Deputado economiza R$ 63 mil em 2016 Em tempos de crise e escassez de recursos, a regra é economizar. Pensando nisso, o deputado estadual Bruno Lamas (PSB), abriu mão de utilizar toda a verba de gabinete de 2016, e economizou R$ 63.583,05, o que representa 70% do valor disponibilizado ao seu gabinete. O parlamentar notificou a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (Ales) sobre o valor não utilizado e que volta aos cofres públicos. “O valor que deixamos de usar permanece no caixa da Ales. Trata-se de uma economia real que volta para a população. Estamos definindo o destino. No ano passado foi para hospitais filantrópicos”, disse. Lamas disse ainda que, em 17 anos de vida pública, nunca utilizou diárias ou passagens aéreas, mesmo tendo direito. “Sei que faço apenas a minha obrigação. O momento é de economia, mais do que nunca. A população exige trabalho, ética, economia e respeito ao recurso, que é público”, acrescentou.

Em uma das peças publicitárias, até a irreverente personagem Penélope Charmosa, do desenho animado “Corrida Maluca”, apareceu toda contente com a nova possibilidade de parcelamento do imposto.

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB), tirou onda com a lei de sua autoria que foi sancionada pelo governador Paulo Hartung (PMDB) e que prevê parcelamento em até quatro vezes o IPVA.

Debandada

TNT

Circula burburinho que Audifax deve convocar os vereadores para uma sessão extraordinária. Na pauta, um assunto bomba: o fim das gratificações de produtividade dos fiscais do município. Essa promete dar o que falar.

Como já era de se esperar, o PDT da Serra, que saiu derrotado na eleição de prefeito ano passado, tem sofrido com debandada de filiados locais. Este tipo de movimentação é vista como normal entre candidaturas derrotadas, vide a do ex-governador Renato Casagrande em 2014, onde o PSB sofreu um processo de encolhimento após a derrota para o (ainda) peemedebista Paulo Hartung. Seria muita gente para distribuir nos poucos espaços que sobraram?


Prefeito convoca Câmara para votar pacotão hoje foto: divulgação

conceição nascimento

O

s vereadores voltam às atenções para o pacote de projetos enviados pelo Executivo, que deverá ser votado hoje (13), ás 11h em outra sessão extraordinária. Entre os assuntos que serão apreciados pelos vereadores, estão medidas de contenção de despesas, envolvendo maiores restrições sobre licenças médicas; adicional por tempo de serviço; adicional por assiduidade; licença de afastamento não remunerado; gratificações a servidores da saúde; insalubridade; criação e extinção de cargos; ajusta o número de servidores, que podem ser cedidos aos sindicatos com ônus para a prefeitura e cria a possiblidade de serem cedidos sem ônus para a PMS; além de cessão de escrituras às famílias de baixa renda inclusas em programas de assentamento; concessão de exploração publicitária em determinadas áreas urbanas da cidade; alteração da lei orçamentária e outras providências. Comissões Em sessão extraordinária na ma-

| SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 | TN | P5

Mais três nomes no 1º escalão da prefeitura Esta semana, o prefeito Audifax Barcelos (Rede) confirmou mais três nomes do seu primeiro escalão. Luciana Malini na Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher (Seppom); Isabela Lamego na Secretaria de Comunicação Social (Secom) e Magaly Nunes do Nascimento na Controladoria Geral. Luciana Malini reassumiu a pasta que comandou entre os anos de 2013 e 2016, quando disputou as eleições de vereador pelo PPS. Isabela Lamego é editora de Economia de um jornal de circulação no Estado. Ela está providencian-

do a documentação para assumir a Secom. Atualmente, quem responde interinamente pela pasta é o assessor especial do prefeito, André Toscano. Magaly Nunes foi confirmada na Controladoria, já comandada por ela desde 2013. Ela é contadora, especialista em Controle da Administração Pública. Ainda seguem pendentes as indicações de secretarias importantes, como a de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico. A assessoria do prefeito não informou quando serão apontados esses nomes. FOTO: DIVULGAÇÃO ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

com comissões ocupadas por aliados, o prefeito Audifax Barcelos não deve ter dificuldades em tramitar os projetos de lei de interesse do Executivo

nhã desta quinta-feira (12), vereadores da Serra aprovaram os membros das 13 comissões permanentes da Câmara. Até o fechamento desta edição, ainda não tinham sido escolhidos os presidentes, vices e membros dos colegiados de algumas comissões. Mas o entendimento é de que os projetos de interesse do executivo devem fluir melhor na Câmara, visto que as principais comissões (Finanças e Justiça)

ficaram nas mãos de aliados do prefeito. (Confira a lista dos membros das comissões no site www.portaltemponovo.com.br). Em linhas gerais, foram votadas as chapas inscritas no último dia 1º, quando os parlamentares tomaram posse e escolheram a nova Mesa Diretora da Casa. Naquele dia, os membros das comissões deveriam ter sido votados, mas a sessão foi esvaziada.

luciana M  alini ocupou a Secretaria da Mulher de 2013 a 2016


P6 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 |

Economia

FOTO: DIVULGAÇÃO REVISTA MINÉRIOS

Desconto de 10% para cota única do IPTU

A Prefeitura da Serra acaba de divulgar o calendário de pagamento do IPTU para o ano de 2017. O contribuinte que pagar em cota única terá um desconto de 10% sobre o valor do IPTU e Taxas de Serviços Públicos. O pagamento, sem o desconto, poderá ser parcelado em até seis vezes. A Cota Única terá que ser paga até 12 de abril. Quem for fazer o parcelamento também pagará a primeira parcela no dia 12 de abril. As outras parcelas terão de ser pagas nos meses subsequentes, 12/05, 12/06, 12/07, 14/08 e 14/09. Para o exercício de 2017 a tabe-

la do IPTU foi corrigida em 8,27%, que corresponde à variação do IPCA-E de novembro de 2015 a outubro de 2016. De acordo com o secretário Interino da Fazenda, Jorge Teixeira e Silva Neto, o IPTU representa uma das principais fontes de receitas próprias do município. “Com o pagamento do imposto em dia, além de evitar multas e juros, o contribuinte possibilita que o município reverta o dinheiro investido em importantes obras e serviços para a população, principalmente na educação, saúde, limpeza pública e infraestrutura”, enumera.

COMUNICADO NT EXPRESS BRASIL EIRELI ME , 21.660.434/0001-98, torna público que REQUEREU da SEMMA, através do Processo n°67642/2016,a(s) Licença(s) LMP e LMI e LMO para atividade de lavagem de veículos com ou sem rampa ou fosso na localidade de José de Anchieta , município da Serra.

A PARALISAÇÃO da exportação de minério de ferro no Porto de Ubu, da Samarco, foi um duro golpe na economia capixaba

Comércio exterior do Estado cai pela metade em 2 anos

O

comércio exterior capixaba sofre os efeitos da grave crise econômica que assola o país, em especial o Espírito Santo. O estado está penando com a paralisação da Samarco, com a redução das atividades da Petrobrás, com os efeitos da longa estiagem, com o fim do Fundap e com a mudança das regras de distribuição dos royalties entre os estados. Tanto que as importações e exportações caíram pela metade, assim como o saldo da balança comercial capixaba, que apesar disso, ainda segue positivo. Em 2016 as exportações caíram 33,5%, enquanto as importações recuaram 28,7% em relação a 2015, ano que já vinha em queda em relação ao anterior.

Quando observado o recorte 2014 / 2016, o tombo das exportações foi de 51% e das importações foi de 53,7%. Em 2016, foram exportados do território capixaba US$ 6,5 bilhões (cerca de R$ 20,6 bilhões) contra US$ 9,83 bilhões (cerca de R$ 31,16 bilhões) em 2015 e US$ 12,69 bilhões (cerca de R$ 40,2 bilhões) em 2014. De importações, em 2016 foram movimentados US$ 3,69 bilhões (cerca de R$ 11,7 bilhões) contra US$ 5,15 bilhões (cerca de R$ 16,3 bilhões) em 2015 e US$ 6,88 bilhões (cerca de R$ 21,8 bilhões) em 2014. Em 2016, o saldo de balança comercial foi de US$ 2,8 bilhões (cerca de R$ 8,8 bilhões), menor superávit desde 2009. Segundo a assessoria de im-

R$ 20,6 bi

R$ 11,7 bi

de exportação em 2016 contra R$ 40,2 bi em 2014

de importação em 2016 contra R$ 21,8 bi em 2014

prensa do Sindiex, os principais vilões da queda do comércio exterior são o recuo nas exportações de minério de ferro (-59% -2016/2015) e petróleo (-64% -2016/2015). O primeiro está relacionado à paralisação da Samarco (Vale + BHP Billiton) em novembro de 2015, após o rompimento das barragens dos rejeitos de mineração em Mariana – MG. E o segundo aos desinvestimentos da Petrobrás, que vieram na esteira da devassa nos contratos da estatal feita pela Operação Lava Jato. Um desses desinvestimentos atingiu a Serra em especial, com a transferência do centro de distribuição da Petrobrás no TIMS para Macaé, norte do Rio de Janeiro.

R$ 8,8 bi

foi o saldo da balança comercial do ES em 2016, o menor desde 2009

COMUNICADO NNX TRANSPORTE E LOGISTICA LTDA ME , 13.626992/0001-09, torna público que REQUEREU da SEMMA, através do Processo n°67638/2016,a(s) Licença(s) LMP e LMI e LMO para atividade de Posto de abastecimento de combustivel (não revendedor) na localidade de José de Anchieta , município da Serra.

COMUNICADO “G KLABUNDER JUNIOR ME”, “CNPJ nº. 12.395.924/0001-13, torna público que OBTEVE da SEMMA, através do Processo nº. 59.449/2011, a Licença Municipal de Regularização, LMR, para a atividade de “OFICINA MECÂNICA COM LANTERNAGEM E PINTURA” na localidade da Av. Norte Sul, 290, Jardim Limoeiro, Serra – ES.

COMUNICADO SUPERGASBRAS ENERGIA LTDA CNPJ Nº 19.791.896/0052-42, torna público que OBTEVE da SEMMA, através do processo nº 32.424/2006 e Apensos, a Licença de Operação, para a atividade de Envasamento, Industrialização e Armazenamento de Gás Liquefeito de Petróleo, na localidade Rua 4A, S/N, Quadra 9, Civit II, CEP 29168-077, município da Serra – ES.


| SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 | TN | P7

Meio Ambiente

FOTO: BRUNO LYRA

Esgoto sem tratamento polui praia de Costa Bela Gabriel Almeida

GADO n  a beira do rio Santa Maria na captação da Cesan entre Serra e Cariacica: poder público não consegue fazer cumprir a lei de proteção das margens nem no local onde é retirada a água para abastecer população

Abastecimento de água volta a ficar no limite

Bruno Lyra

B

astaram três semanas sem chuva para que o sistema de abastecimento da água da Grande Vitória voltasse a ficar à beira do colapso. O Santa Maria, rio que abastece a Serra, teve sua vazão reduzida de 45 mil litros por segundo em 20 de dezembro para 3,7 mil litros na última quarta-feira (11). E já está abaixo do nível crítico de 3,8 mil litros e muito aquém da média para janeiro, de 23 mil litros. Mesmo assim a Cesan descartou o retorno do rodízio, pelo menos por enquanto, já que a represa de Rio Bonito nas montanhas de Santa Maria de Jetibá, estava com cerca de 65% da capacidade total de 27 bilhões de litros nesta semana. A represa, construída nos anos 1950 para geração de eletricidade, passou a funcionar como reservatório por determinação do Governo do ES em fevereiro de 2015, por ocasião do agravamento da crise da água. É esta represa que garante a vazão

mínima necessária – cerca de 2,5 mil litros por segundo - no Santa Maria para atender a Serra, zona norte de Vitória, parte de Cariacica, Praia Grande em Fundão e o complexo Industrial de Tubarão (Vale e ArcelorMittal), este último o maior consumidor individual do rio. O problema mais grave é na bacia do rio Jucu, onde não há represa, apenas um plano do governo para isto em Domingos Martins, ainda sem previsão de quando será executado. O rio abastece cerca de 1 milhão de pessoas em Vila Velha, Cariacica, Vitória (parte da ilha) e Viana. Sua vazão estava em 7 mil litros por segundo na última quarta-feira, sendo que dele a Cesan capta de 3,5 mil a 5 mil litros para atender a Grande Vitória. A média do Jucu para janeiro é de 40 mil litros.

Diante do cenário, o Governo do Estado voltou a adotar restrições ao uso dos rios, através da resolução 049/2017. A principal delas é a proibição da captação de água para fins que não sejam o abastecimento humano, das 5 às 18 horas. No entanto tal restrição não se aplica às indústrias que recebem água da Cesan. Mas pega em cheio empresas que captam direto nos rios, bem como os agricultores que ficam proibidos de irrigar no horário estabelecido. A resolução determina ainda que indústrias devam adaptar métodos de produção que reduzam o consumo, como a recirculação, e que as Prefeituras estabeleçam leis que restrinjam, proíbam e penalizem lavagem com mangueiras de calçada, de fachadas e de veículos.

3,7 mil litros 23 mil litros

por segundo é a vazão atual do Santa Maria

por segundo é a vazão média histórica em janeiro

Moradores de Costa Bela estão revoltados com várias manilhas que estão despejando esgoto sem tratamento direto na praia. Segundo eles, o problema é antigo e isso afasta turistas da orla do bairro, já que o mau cheiro é forte e o perigo de contaminação também. Um morador da comunidade que não quis se identificar, disse que a situação é antiga e parece não ter fim. “Esse esgoto caindo direto na praia só afasta mais os banhistas aqui de Costa Bela”, pondera. O morador ainda disse que já entrou em contato com a Cesan, mas nada foi resolvido. “Já entrei em contato uma vez com a Cesan, mas até hoje nada foi feito. Como podemos deixar nossos filhos tomar banho nesta área da praia?”, indaga.

A Cesan disse através da assessoria de imprensa, que no bairro Costa Bela não há rede de esgotamento sanitário e de acordo com a Lei Estadual 7.499/2003, onde não há rede disponível o morador deve utilizar fossa. A assessoria da Cesan disse também que o vazamento pode estar relacionado a ligações irregulares na rede de drenagem de água da chuva, que é responsabilidade da Prefeitura da Serra. E acrescentou que o sistema de esgotamento será ampliado para toda a cidade em até nove anos, através da Parceria Público Privada feita pela Companhia. Já a Prefeitura da Serra, também por meio da assessoria de imprensa, prometeu enviar uma equipe de fiscalização ambiental ao local para identificar a situação e tomar as providências cabíveis. FOTO: DIVULGAÇÃO LEITOR

o perigo de contaminação é constante para quem frequenta a praia

Verba milionária para ong recuperar rio Jucu JOSÉ SALUcci

Ong sediada em Vila Velha, o Instituto Brasileiro do Mar (Ibramar), receberá R$2,8 milhões para recuperar margens de nascentes e cursos d’água da bacia do rio Jucu no município de Domingos Martins. A verba será repassada pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA). A informação foi publicada no site do Ministério do Meio Ambiente, no último dia 02 de janeiro. A ONG foi contemplada no edital de “Recuperação de Áreas de Preservação Permanente para Produção de Água”, publicado em janeiro de 2015. Em dezembro de 2016, a Ibramar assinou um termo de colaboração, publicado no Diário Oficial da União, que formaliza a parceria entre a instituição e Governo Federal.

O recurso ainda não foi repassado para a ONG, portanto, as atividades de execução do projeto não tem data marcada. A reportagem procurou o presidente da Ibramar, Jucenio Mauro Romagna, para saber detalhes do projeto. Mas Jucenio não retornou as ligações. Um atendente que trabalha na ong, que pediu para não ter o nome divulgado, disse que a entidade não está autorizada falar sobre o projeto, mesmo sendo uma verba pública. Esse atendente disse ainda, que o FNMA fará uma oficina em Brasília com os representantes da ong para orientar a aplicação do dinheiro. O Rio Jucu é responsável pelo abastecimento de pouco mais de 1 milhão de habitantes na porção sul da Grande Vitória: Vila Velha, Viana, Cariacica e Vitória (a parte da ilha).


P8 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 |

Cultura e Lazer

Rosas e Tradição prontas para o Sambão do Povo As duas agremiações da Serra desfilam no Centro de Vitória, no dia 17 de fevereiro, uma sexta-feira, pelo Grupo de Acesso e quem quiser curtir a folia, já pode reservar sua fantasia FOTO: FÁBIO BARCELOS

Ana Paula Bonelli

F

alta pouco mais de um mês para o carnaval de Vitória e as escolas de samba da Serra já estão com os preparativos a todo o vapor para a folia de Momo, que acontece no Sambão do Povo, no Centro da Cidade. Pelo cronograma divulgado pela Liga Espíritossantense das Escolas de Samba - Lieses, os desfiles das escolas de samba ocorrerão nos dias 17 (Grupo de Acesso) e 18 (Grupo Especial) de fevereiro, com início previsto para às 21 horas, nos dois dias de evento. E a Serra será representada pela Tradição Serrana e Rosas de Ouro, que entram na avenida do Sambão pelo Grupo de Acesso. A Tradição Serrana já tem fantasias para vender e podem ser adquiridas pelo telefone 9 9802-5091. Os valores variam entre R$ 80 e R$ 150 e o pagamento é feito à vista. O enredo falará de bruxas e leva o título “Sim salabim o caldeirão vai ferver”. A agremiação pretende levar dez alas, dois carros e cerca de 1.200 integrantes. A escola será a sexta a entrar na avenida no dia 17 e deve entrar na passarela da folia por volta das 1h30 e 2h da madrugada. “Vamos entrar com o intuito de subir para o Grupo Especial. Fomos vice em 2015 e no ano passado ficamos em quarto, mas no gosto popular fomos campeões”, declara o presidente da agremiação Vinicius Caran. À frente do desenvolvimento dos

A boate Usina está com uma programação variada neste verão. Na sexta-feira (13), a noite é a vez de Estevão Duarte e convidados. No sábado (14), duas festas animam a boate. A tarde, às 16 horas, será a vez da Privilege Vip Sub 17 com MC Brinquedo, Jean do PCB, DJ LC. Mais tarde, às 23h, é a vez de MC Brinquedo e Baile do GG. A Usina fica na Avenida Eudes Scherrer de Souza, 575/585, Laranjeiras. Informações e nome na lista: (27) 99910-0107 e os ingressos custam R$ 20 (feminino) e R$ 30 (masculino).

Sexta e sábado tem teatro no Carlos Gomes

Na tradição serrana, as fantasias já estão sendo vendidas e podem ser adquiridas pelo telefone 9 9802-5091

trabalhos da escola estão os carnavalescos Sidney e Angely e as fantasias vêm com assinatura de Eduardo Belo. Já no comando da bateria está o mestre Nacagy e os intérpretes são Marcinho Diola e Leonardo. As japonesas

Kokomayazaki e Sayuri também participarão do desfile pelo terceiro ano consecutivo. Quem quiser curtir o ensaio da agremiação, o primeiro encontro será neste sábado (14) em Serra Doura-

Enredo de 2011 para da sorte em 2017 Já a Rosas de Ouro levará para a avenida uma reedição do enredo de 2011 “É pirata! Fica de olho! A Rosas de Ouro vai desvendar o tesouro” que por pouco, não deu o título do Grupo de Acesso a agremiação da Serra. O presidente da escola Reginaldo Silva, disse que mesmo diante das dificuldades, a agremiação vai fazer bonito. “Temos material guardado de anos anteriores e conseguimos comprar coisas novas e estamos mandando ver. A escola vai entrar bem na avenida. Estamos confiantes, pois os

Funk e sertanejo agitam boate de Laranjeiras

protótipos já estão sendo confeccionados e em breve estaremos vendendo as fantasias”, destaca. A escola desfila sexta-feira - dia 17 e será a terceira a entrar na avenida por volta das 24h. A ideia é levar 15 alas, dois carros alegóricos, dois tripés e 900 componentes. As fantasias estão em fase de confecção e os trabalhos estão sendo coordenados pelo carnavalesco Willian Silva, que contará em breve com reforço do carioca Plínio, que atua no Rio de Janeiro pela escola de acesso Unidos de Santa Teresa.

Outras escolas O carnaval capixaba conta com a participação de quatorze escolas de samba que desfilam divididas em dois grupos. No dia 17, pelo Grupo de Acesso, além de Tradição e Rosas desfilam ainda São Torquato, Chegou o que Faltava, Chega Mais, Andaraí, Imperatriz do Forte e Barreiros. No dia 18, pelo Grupo Especial, que agrega a elite do carnaval capixaba, desfilam Novo Império, Jucutuquara, Mocidade Unida da Glória, Pega no Samba, Unidos da Piedade e Independentes de Boa Vista.

da III, a partir das 18 horas com bateria, passistas e intérprete. A entrada é gratuita e é só chegar. No dia 26, tem ensaio técnico no Sambão do Povo e no dia 28, a Tradição participa do Botequim do Ferreira.

Ingressos a venda a partir de domingo

A venda dos ingressos para a arquibancada terá início em 15 de janeiro, a partir das 10h30, e vai até 31 de janeiro. Serão disponibilizados 5 mil bilhetes por dia. No lote promocional, o ingresso para a sexta-feira custará R$ 13 (meia) e, para o sábado, R$ 28 (meia). O 1º lote, custará na sexta R$ 20 (meia) e, no sábado. R$ 35 (meia). A compra poderá ser feita pelo site www.meubilhete.com ou na Central do Ingresso, no Shopping Vitória.

A temporada de teatro no Teatro Carlos Gomes, em Vitória, será aberta neste final de semana com o espetáculo “A Absurda Comédia De Duas Vidas”, do Grupo Teatral capixaba Gota, Pó e Poeira. A peça será apresentada nos dias 13 (sexta) e 14 (sábado), às 20 horas. Em uma linguagem irônica, a história gira em torno do cotidiano de duas senhoras, supostamente distintas e falidas, Mirtes e Ester, que vivem num mundo à parte. Com situações surreais, as personagens, que são interpretadas pelos atores Edmar da Silva e Ronilson Pires, conseguem conquistar o público em uma história aparentemente engraçada, mas que ao longo do texto reserva notáveis surpresas: a vida dessas duas mulheres é marcada por tragédias, como as mortes das outras cinco irmãs e ainda da mãe, todas de forma misteriosa. Os ingressos custam R$ 20,00 Inteira | R$ 10,00 meia. O telefone do teatro é o 3132.8396.


geral | SERRA (ES),

geral FOTO: FÁBIO BARCELOS

13 a 20 de janeiro de 2017 | TN | P9

amar É o bicho

ana paula bonelli | jornaltemponovo@gmail.com

Serra tem muitos jacarés: saiba como ajudá-los

rose favalessa (ao centro) só leva os filhos Cristiane e Flyner quando a compra é de materiais pessoais, que têm menos peso no custo total dos utensílios escolares exigidos pelo colégio

Famílias driblam excesso de gastos com material escolar

Pesquisa, reaproveitamento de sobras do ano anterior, compra de livros usados pela internet estão entre as dicas para frear gastos ThiaGO albuquerque

É

poca de férias, criançada e adolecentes aproveitando. Enquanto isso, pais, mães e responsáveis estão com a tarefa de comprar o material escolar dessa galera. E com crise econômica, contas de início de ano e inflação atazanando, não tá fácil. Mas, tomando alguns cuidados, dá para conseguir bons materiais sem maltratar demais o bolso. Moradora de Laranjeiras e mãe de dois filhos, Rose Favalessa, tem sua tática . “Sair com as crianças para comprar material escolar, é só prejuízo. Então pego a lista da escola e vou sozinha. Compro todo o grosso dela. Não levo as crianças. Elas só me acompanham na hora

de comparar alguns materiais pessoais, como lápis de cor”, revela. De Porto Canoa, Danielli Silva, tem missão mais complicada. Ela é mãe de três filhos e elegeu a calculadora como sua maior aliada na hora de adquirir o material de estudo da meninada. “Materiais com mudança de preço constante, como livros, eu tento comprar pela Internet. Inclusive usados. Assim já consegui economizar R$ 300 numa lista de livros. E comprei lápis de cor, canetas coloridas, borrachas e apontador em setembro do ano passado. Comprar em cima da hora, é certeza de gastar descontroladamente”, ensina. O Procon também dá dicas preciosas para o consumidor não levar prejuízio na hora das compras. Uma

delas é reaproveitar os materiais do ano anterior que ainda podem ser utilizados. E além de pesquisar os preços, o órgão também orienta os pais e responsáveis a buscarem marcas alternativas, principalmente quando nem sempre o mais caro é o melhor material a ser comprado. Segundo levantamento da BDO Auditoria e Consultoria, o alto imposto nos produtos escolares é o maior motivo dos preços altos. A carga tributária, por exemplo, na régua é de 62%, a caneta fica em 57%, a agenda escolar 54%, mochila 49%, papel sulfite 38%, lápis 27%. O estudo mostra que existem produtos que estão com seus preços formados mais por imposto do que o valor do próprio produto.

Uma cena que tem se tornado constante na Grande Vitória, principalmente na Serra, é a aparição de jacarés em áreas urbanas. E a primeira pergunta que vem na cabeça da maioria das pessoas é: o que fazer? A Serra é o município que tem a maior população de jacaré da Região Metropolitana da Grande Vitória. A informação é do coordenador do Projeto Caiman, Yuri Cardoso Nóbrega. O Projeto Caiman é referência no estudo e na conservação dos jacarés-de-papo-amarelo no Brasil e tem atuado fortemente na proteção desses animais em terras capixabas. A grande população desses animais na Serra se deve pela presença de lagoas, córregos e brejos nas áreas verdes, que ainda existem entre os bairros, locais que vem sofrendo intensa pressão pela expensão urbana. “Onde era Mata Atlântica hoje virou valão, casas, rodovias, avenidas e isto tem feito com que os animais vivamespremidos,sujeitosàcaçaesem condições sanitárias. Temos tido muitos problemas no Espírito santo neste sentido, principalmente na Serra, onde estes animais têm aparecido próximos a residências. Por isso lançamos a campanha ‘Encontrou um jacaré? Ligue para o Projeto Caiman!”, explica o coordenador. Yuri conta que somente dentro da área da ArcellorMittal, em Jardim Limoeiro, vivem cerca de 250 jacarés estáveis e sadios. “Lá é o santu-

ário destes animais que sofrem com a caça”. Em locais como as lagoas Juara e Jacuném também podem ser encontrados muitos exemplares da espécie. Neste mês, inclusive, o projeto irá realizar um censo populacional dos animais que vivem na região. Então, já sabe, encontrou um jacaré, ligue para o número 9 95734483 que pertence ao Caiman. Uma equipe especializada do projeto vai juntamente com a Polícia Ambiental monitorar o animal e devolvê-lo a seu habitat natural. “Avaliamos a saúde, fazemos o registro cientifico de onde está aparecendo e em que condição está o ambiente onde ele vive,microchipamos e devolvemos para seu habitat natural. Se o encontrarmos daqui a dez anos, teremos todo um histórico de seu desenvolvimento”, detalha Yuri. O projeto Caiman atua em quatro vertentes principais, pesquisa em conservação; desenvolvimento tecnológico & científico do Brasil; formação de jovens pesquisadores e educação e sensibilização ambiental. Atualmente o projeto conta com o patrocínio da ArcellorMital e parceria do Instituto Marcos Daniel. SerViçO projeto caiman – jacarés da mata atlântica Telefone:(27) 995734483 Facebook:facebook.com/projetocaiman

FOTO: DIVULGAÇÃO LEONARDO MERÇON \ PROJETO CAIMAN

o caiman é referência no estudo e na proteção dos jacarés-de-papo-amarelo no Brasil

Pequeno porte para adoção

Quer adotar uma cachorrinha de pequeno porte a médio? A Julia Duarte tem duas menininhas lindas para adoção. Elas já comem ração úmida e não tem raça definida, mas a fofura é garantida. Contato com o telefone 99255-8080.


P10 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 |

geral

Olho vivo para a casa não virar alvo de ladrões no período de férias FOTO: FABIO BARCELOS

Thiago Albuquerque

J

aneiro é mês de férias e muita gente aproveita para pôr o pé na estrada e passar uns dias longe do lar. É também uma época em que as residências ficam sozinhas e vulneráveis a ação de ladrões. Por isso é fundamental que os moradores adotem alguns cuidados para evitarem visitas indesejadas, seja em casa de bairro, condomínio e apartamento, inclusive com o auxílio de tecnologia. Moradora de Eurico Salles, Kátia Ferreira, não descuida da segurança quando viaja. “Por ter família na Bahia, estou sempre fora de casa. Por isso coloquei grades em todo o imóvel. Também conto com um vigilante, que pago R$ 25 reais por mês, para patrulhar na rua durante a noite. E ainda procuro não deixar nenhum objeto de valor a vista, para não chamar a atenção”, enumera. Morador de condomínio de casas há quase 10 anos em Laranjeiras, Walker Souza, diz contar com o auxílio da administração condominial. “Me sinto bastante seguro. O condomínio tem monitoramento das câmeras, cerca elétrica, porteiro 24 horas, então viajo sem medo, apenas tranco minha casa, confiro as janelas e deixo bens mais caros guardados em cofres”, revela. O Sócio e Gerente de Operações da Sei (Segurança e Inteligência), Edimar Barbosa, fala que a tecnologia é fundamental para facilitar a segurança

rua da parte r esidencial de Laranjeiras: bairros longe da praia ficam mais vazios na época de férias, o que aumenta o risco de roubos a residências

dos imóveis. “Hoje em dia existem câmeras que detectam o movimento e o calor, onde a imagem pode ser vista ao vivo na tela do celular do dono. Mas é preciso ver as características de cada imóvel para indicar o produto ideal”, explica. Edimar conta que sistemas de monitoramento residencial podem ser instalados a partir de um custo mensal de R$ 100, variando conforme a demanda do proprietário e a característica do imóvel. “Essa época do ano, a

procura é grande e neste ano de 2017, com tantos feriados prolongados, a procura deve ser grande também”, observa. O gerente diz ainda que a Sei possui uma central de monitoramento que acompanha e está atenta aos avisos. Mas frisa que a empresa não resolve todos os problemas sozinha. “Para funcionar, precisamos da ação da Segurança Pública e as empresas trabalham para minimizar a situação”, pondera.

Cursos superior com até 70% de desconto Com a chegada do ano novo muitas pessoas fazem planos e um deles é ingressar em uma faculdade. A Faculdade Multivix aplicará na próxima quarta-feira (18) a prova para o processo seletivo de vagas remanescentes. As inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser feitas no site multivix.edu.br ou pelo telefone 3041-7070. Vale lembrar que o Grupo Multivix possui unidade na Serra, Cariacica, Vitória, Vila Velha, São Mateus, Nova Venécia, Cachoeiro de Itapemirim e Castelo. Está há mais de 17 anos no mercado capixaba, destacando-se pela oferta de cursos de qualidade reconhecida. Na unidade de Serra, os cursos além de terem reconhecimento e autorização do Ministério da Educação, possuem índices de quali-

FOTO: DIVULGAÇÃO

NA SERRA a Multivix fica em Colina de Laranjeiras e as inscrições começam na quarta

dade que podem ser conferidos no site melhoresfaculdades.com. A faculdade tem bolsas de até 70% e 4

novos cursos, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção e Fisioterapia.


| SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 | TN | P11

Ciclovia e calçada de avenida estão arruinadas em Alterosas FOTO: JOATAN ALVES

Gabriel Almeida

B

uracos, mato e, quando chove, várias poças de água. É o que virou o canteiro central da avenida Talma Rodrigues Ribeiro, no bairro Alterosas, Civit II, a ciclovia e a calçada que liga a região de Feu Rosa e Laranjeiras. Nos trechos mais críticos os equipamentos urbanos estão desfigurados, um risco para quem passa no local. Tudo porque, para evitar semáforos, motoristas mais apressados transformaram o canteiro em local de retorno para acessar o sentido oposto da avenida, aumentando também o perigo de acidentes automobilísticos. Usuários garantem que antes dos retornos clandestinos se generalizarem, o canteiro central da Talma Rodrigues era bem cuidado e não tinha os obstáculos que atrapalham quem passa ali. O ciclista José Araújo, mais conhecido como Zezinho Pescador, passa pela ciclovia diariamente e sofre com a situação. “Quando está chovendo a ciclovia enche de água e deixa poças gigantes que escondem buracos.

o ciclista Zezinho Pescador é um dos que sofrem e se arriscam para passar no trecho que fica em frente ao bairro Alterosas, transformado em retorno irregular de carros

Já vi muito ciclista cair por causa disso”, diz. Já o pedestre Adenilson Coelho, que circula pelo canteiro constantemente, diz que uma das partes mais precárias fica próxima a rotatória do cemitério

Jardim da Paz. “Sempre passo por aqui e quando o sol está quente, o local fica com muita poeira devido à terra que fica ao lado da ciclovia”, explica. Adenilson ainda disse que vários carros cortam caminho por cima do

canteiro. “Enquanto ciclistas passam pela pista para desviarem das crateras, os carros retornam para o outro lado da avenida passando pelo canteiro”. Através da assessoria de imprensa, a Prefeitura da Serra disse que apresentou projeto para buscar recursos junto ao Governo Federal para fazer obra de revitalização da Talma Rodrigues e entorno. Mas não deu previsão de prazo de quando a obra poderá acontecer. A Prefeitura informou ainda que a via é sinalizada e que fez melhoria de iluminação em março do ano passado.

Carroças com animais são proibidas Agora é lei. Está proibida a permanência e utilização de animais de grande porte em municípios com mais de 100 mil habitantes. A lei de autoria da deputada Janete de Sá (PMN) foi aprovada na Assembleia Legislativa e já está em vigor desde a última sexta (6). A nova legislação prevê desde a remoção, acolhimento e destinação dos animais irregulares, doação, convênios e até multas para os donos dos mesmos, em caso de resgate dos animais. A lei só não se aplica aos animais de grande porte utilizados pelas forças de segurança pública. “Nossa intenção, além de proteger os animais de maus tratos, é garantir melhores condições de vida dos carroceiros, dos seus familiares e desses animais de tração. A Lei estabelece a substituição das carroças tracionadas por cavalos, por veículos de propulsão humana ou motorizada, como as bicicletas normais ou as bicicletas elétricas, já existentes em outros estados.”, destacou aJanete. A Prefeitura da Serra, disse que está analisando a melhor forma de fazer o cumprimento da lei.


P12 | TN | SERRA (ES), 13 a 20 de janeiro de 2017 |

Esporte FOTO: FÁBIO BARCELOS

Os points da Serra para aprender os esportes do mar

em jacaraípe e Manguinhos tem aulas de boby, surf, kitsurf e stand up para iniciantes e points para os veteranos

thiago albuquerque

V

erão ”pocando”. Época de férias em que as praias recebem um número alto de turistas e a galera que está de férias. O esporte pode ser uma opção de curtir a praia de uma maneira diferente. Nas praias da Serra muitos esportes aquáticos podem ser encontrados, o surf, o stand up, o bodyboarding e o kitesurf, são algumas modalidades que as pessoas podem aprender nas areias dos balneários serranos. Para galera que quer conhecer o surf, a Asees - Associação de Surf do Estado do Espírito Santo, neste verão vai funcionar de segunda a domingo, todos os dias, na Praia do Solemar, em Jacaraípe. Lá tem aula para quem quiser aprender o esporte. Cada sessão tem 1h30 de duração e pode ser agendada pelo telefone 99734-0499 ou no próprio local. Os valores para uma aula é R$ 50. Tem também pacotes com cinco aulas que sai por R$ 200 ou dez aulas por R$ 380. O local também tem natação com acompanhamento e orientação de como proceder no mar. “Trabalhamos também com aluguel de pranchas de longboard, funboard e pranchinha de alta performance, estilo que Gabriel Medina, Mineirinho e Jhon Jhon Florence usam. Oferece-

mos também uma lanchonete com muitas opções, temos hotel para pranchas, venda de acessórios, concerto de prancha, aluguel de cadeiras de praia e guarda-sol. Tudo para ajudar turistas e banhistas”, conta Flávio Minotauro. body Outro esporte com referência na cidade é o bodyboard. E uma referência para quem quer conhecer a modalidade é o Instituto Maylla Venturin, também em Jacaraípe. Em atividades há quase seis anos, no verão as aulas são ininterruptas. Tem aula todos os sábados das 09h às 11h, para idades entre 8 aos 18 anos, com o ex-atleta Fábio Di Franco e com a atleta Maylla Venturin, que atua voluntariamente através do projeto. São disponibilizadas prancha, pé de pato e camisa de lycra. “Além das noções prática da modalidade, damos noções de segurança no mar, falamos sobre marés e correntes marítimas, cuidados com a saúde, proteção solar, cuidados com meio ambiente, preservação da restinga e preservação das praias”, conta Fábio. Stand up Agora, para quem buscar um esporte mais fácil para aprender a opção é o stand up, que chegou já há alguns

anos e a cada dia novos adeptos aderem a modalidade. A pessoa que pode auxiliar no início da prática é Junior Mineiro. “Normalmente as pessoas procuram as escolas para alugar pranchas e dar as primeiras remadas. Começar em água lisa, sem ondulações é mais fácil, só que logo depois da vontade de pegar algumas ondinhas. É ai que mora o perigo, o stand up, já é visto como um esporte que exige preparo físico e ajuda a condicionar fisicamente o praticante, trabalhando toda musculatura do corpo”, fala Mineiro. Para saber mais basta ligar para 9 8819-9731. As aulas também acontecem em Jacaraípe. kitesurf Outra ótima opção é o kitesurf que requer um pouco mais de equipamentos. Pipa, barra, trapézio e prancha são necessários na prática. E Lucas Rocha Cosme é o professor da modalidade que geralmente tem suas aulas práticas em Manguinhos. O curso básico que tem requisitos mínimos para a pessoa entrar na água, custa R$ 1.400 e tem o período de 8h, sendo oito aulas de 1h cada. “Essa época é ótima para a prática do esporte, o litoral capixaba inteiro está ventando”. O contato para mais informações é o 9 9779-7147.

Serrana do tiro esportivo sonha com a Seleção

O ano de 2017 está apenas no começo, mas para uma atleta, o trabalho e os treinos fortes já são rotina para disputar muitas competições ao longo do ano. Do Tiro Esportivo, a serrana Eloisa Fernandes, aguarda ter um ano de muitas conquistas e superações. A maior expectativa para este ano é fazer parte da Seleção Brasileira pela primeira vez. A paratleta, em 2016 participou das três principais competições nacionais, sendo duas Copas do Brasil, em fevereiro e julho e em novembro, ela participou do Brasileiro de Tiro Esportivo. “Foi um ano de muito aprendizado, muito conhecimento adquirido, em fevereiro conquistei o bronze, e voltei da competição determinada a lutar por outros objetivos além das medalhas, o MQS”, conta ela. O MQS é o Escore Mínimo de Qualificação, onde cada atleta para participar das Olímpiadas ou Mundiais, necessita de uma cota de vagas e deve alcançar pelo menos uma vez o MQS, durante um período de tempo definido. “Em julho eu alcancei dois MQS, um mundial e um do CPB (Comi-

tê Paralímpico Brasileiro) e em novembro eu consegui mais três, um mundial, do CPB e um paralímpico. Por esse motivo estou aguardando ansiosa, tudo indica que posso começar este ano na Seleção Brasileira de Tiro Esportivo, um sonho virando realidade”. Segundo a atleta os técnicos dela já estão comemorando essa conquista, “estou com o grito preso na garganta, quero muito comemorar, mas primeiro quero ver a convocação oficial”.

Ajuda Uma das maiores atletas de tiro do Brasil, com um pé na Seleção Brasileira não conta com nenhum patrocínio. “Tenho ajuda dos meus técnicos, do diretor do tiro esportivo do Álvares Cabral, Dr. Mário Pinheiro, que tem me dado todo suporte para subir cada degrau, gratidão ao meu técnico Thiago Torezanie, pela dedicação e incentivo, a minha família por entender a minha ausência e por estar na torcida sempre, a minha equipe, parceiros de viagem e competições e as pessoas que ficam nos bastidores trabalhando”. FOTO: ARQUIVO TN / EDSON REIS

ELOISA é paratleta e está confiante de entrar para a Seleção Brasileira

Copa Verão de Vôlei no sábado em Laranjeiras Neste sábado (14), no ginásio da Associação de Moradores de Laranjeiras, quatro times vão agitar o dia com a Copa Verão Fabra/AMPRL de Vôlei Adulto Masculino. Com início às 09h, a competição terá premiação individual para cada categoria, e acontecerá também sorteio de brindes e de uma bolsa de estudos na Faculdade Fabra, no curso de Educação Física. Em busca de levantar o caneco da competição os quatro times que dis-

putarão são: da cidade de Aracruz, o CTV Aravolei; da capital o time do Saldanha da Gama; e para finalizar os dois serrano são o Fabra/AMPRL e o D.R.U da Serra. O sistema de disputa é após todos jogarem entre si, o 1º enfrenta o 4º e o 2º contra o 3º, em uma semifinal decisiva. Os vencedores se enfrentam na final, e os perdedores jogam a disputa por terceiro lugar. A realização é da Faculdade Fabra e da AssociaçãodeMoradoresdeLaranjeiras.


Leia a edição 1212 desta sexta-feira (12) na íntegra