Page 1

Grátis

ANIMAIS SILVESTRES Por Dr. Fábio Franco

Problemas dentários em Roedores e Lagomorfos Pag. 2

SAÚDE ANIMAL

Foto: Divulgação

www.jornalsuperpet.com.br

Ano 1 - Edição 07 - Abril/Maio de 2017 - Tiragem: 10.000 exemplares

DOENÇA HEPÁTICA CANINA A doença hepática canina é uma das cinco

principais doenças que causam a morte de cães. Os sintomas são quase imperceptíveis Pag. 3

ENDOSCOPIA MÓVEL EM RIO PRETO E REGIÃO

O CALOR PODE SAÚDE ANIMAL QUEIMAR AS PATAS DO SEU CÃO

Nessa edição do jornal Super Pet, trazemos para vocês um pouco sobre esse tipo de exame/método terapêutico e como ele pode ajudar nossos fiéis amigos. Para realizar o exame utiliza-se um aparelho voltado aos pacientes veterinários chamado videoendoscópio, que é portátil e possui alta definição de imagem

Levar o seu cãozinho a locais com grande presença de animais, ou mesmo a convivência de mais de um cão no mesmo local, expõem o seu companheiro a diversas infecções. Uma das mais comuns é a giardíase, causada pelo protozoário giardia lamblia. A doença pode ser transmitida do animal para o homem e vice-versa, por isso é considerada uma zoonose pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

Por Luciana H. Garcia Pag. 3

FOTOPET

Por Su Santos Pag. 6

Pag. 5

A FORMA FARMACÊUTICA IDEAL

17

3121.6960

R. Coronel Spinola de Castro, 4251 drogavetriopreto@drogavet.com

Pag. 4

OS SABORES FAVORITOS DOS ANIMAIS


2

JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

A

doença hepática canina é uma das cinco principais doenças que causam a morte de cães. Os sintomas são quase imperceptíveis, até o momento em que a doença é diagnosticada, que já pode estar em estágio avançado. Abaixo segue as causas, predisposições, sintomas e forma de prevenção: 1. Causas: A maioria dos casos de hepatite primária canina têm origem idiopática, isto é, surgem espontaneamente. Mas também há hepatopatias causadas por microrganismos, toxinas, drogas, reações imunomediadas, distúrbios hereditários relacionados ao metabolismo de cobre, alterações metabólicas raciais, além de neoplasias. 2. Predisposição: A idade média de animais acometidos está entre 4 e 7 anos, mas não há predileção sexual. As raças mais predispostas são: Dobermann, Pinscher, West Highland, White Terrier, Scottish Terrier, Labrador, Retriever, Cocker Inglês e Cocker Americano. 3. Cirrose: A cirrose é o estágio terminal da hepatite crônica e é caracterizada por fibrose do fígado e mudança da arquitetura hepática, entre outras características. 4. Sintomas: Os sintomas dependem da gravidade e progressão da doença e só são observados quando a enfermidade esgota as reservas hepáticas. Os pacientes podem apresentar quadros gastrintestinais inespecíficos, como hiporexia, perda de peso, náusea, êmese e diarreia. 5. HE cães dieta específica: A doença hepática é agravada pela falta de apetite do animal. Por isso, o alimento precisa ser bastante palatável e muito digestível, para reduzir o estado catabólico. É preciso oferecer uma dieta de manutenção que utilize proteínas em quantidade suficiente para atender a regeneração, reparação e manutenção hepática, reduzindo ao mínimo os produtos nitrogenados resultantes do catabolismo das proteínas.

EXPEDIENTE O Jornal Super Pet é distribuído gratuitamente em 300 pontos fixos da cidade.

Artigos assinados representam opiniões dos autores. REDAÇÃO Leandro Gasparetti, Marcelo Arede

JORNALISTA RESPONSÁVEL Leandro Gasparetti - MTB: 76039/SP

FOTOGRAFIA Leandro Gasparetti

JORNALISTA André Luiz de Oliveira Souza MTB: 75680/SP

PROJETO GRÁFICO - EDITORAÇÃO Rede A comunicação IMPRESSÃO Fotogravura Rio Preto 17 3016.4000

REDAÇÃO, COMERCIAL E ADMINISTRAÇÃO Redação / Comercial: 17 99151-5658 contato@jornalsupet.com.br

www.JORNALSUPERPET.com.br “Não Jogue este impresso em vias públicas.”

10.000 exemplares - Distribuíção gratuita

ANIMAIS SILVESTRES Por dr. FÁBIO FRANCO

Médico Veterinário Clinica Gaiavet- CRMV 27849

Foto: Divulgação Gaiavet

Foto: Divulgação

DOENÇA HEPÁTICA CANINA

PROBLEMAS DENTÁRIOS EM ROEDORES E LAGOMORFOS

C

oelhos, porquinhos da índia, hamsters e chinchilas são considerados herbívoros roedores. Por esta característica é normal e comum que eles pratiquem o hábito de roerem tudo ao seu alcance. Seus incisivos crescem ao longo de toda a vida e, em uma oclusão correta seu desgaste ocorre normalmente por contra abrasão. Em algumas destas espécies também podem ocorrer o crescimento de molares e pré molares. Em chinchilas e hamsters os incisivos apresentam naturalmente uma forte coloração alaranjada ou amarela, que tendem a clarear na presença de doença odontológica. Somente os coelhos são considerados lagomorfos, pois possuem 2 pares de incisivos superiores e dois pares inferiores. Diferentemente do que muitos acreditam, os roedores não possuem dentes somente na frente da boca (incisivos). Também possuem pré molares e molares na parte de trás de suas bocas, facilitando assim sua mastigação. Os únicos dentes que não possuem são os caninos, característicos dos carnívoros. As alterações mais comuns observadas nestes animais são a má oclusão e o supercrescimento dental. Podem ser distinguidas duas origens: 1 – mecânica, devido ao mau manejo (alimentação inadequada) ou traumatismo e, 2- genética, devido ao fato da posição mandíbula-maxilar estar adiantada ou atrasada (chamado de prognatismo ou braquignatismo). Ao não ocorrer um desgaste adequado dos incisivos, eles crescem em excesso e impedem a correta apreensão dos alimentos, de modo que o mais frequente é que os donos começam a perceber que seu animal não consegue mais se alimentar normalmente. Algumas dicas ajudam na identificação de problemas dentários: 1- O animal diminuiu a ingestão de alimentos em relação a que normalmente come. 2- Percebe-se fome no animal, ele tenta se alimentar, se aproxima da comida, muitas vezes vocaliza (porquinhos da índia), e não pega o alimento 3- Sialorréia (salivação) também é um achado comum, pois muitas vezes não conseguem nem deglutir. 4- Perda de peso 5- Perda do dinamismo, animal tende a ficar mais quieto 6- Diminuição na quantidade diária de fezes, tamanho, cor e volume mudam 7- Dentes da frente dos animais (incisivos), estão mais evidentes, muitas vezes saindo até da cavidade oral e sendo facilmente visualizados pelo dono. 8- Muitas vezes o animal fica “mastigando” mesmo sem ter comido nada. A correta alimentação destes animais é a prevenção mais eficaz nestes casos, salvo quando os animais tendem a ter problemas genéticos. Servir sempre verduras verde escuras, legumes como cenoura e feno a vontade, minimizam os quadros. Somente a ração pode desencadear estes problemas citados acima. É de suma importância o diagnóstico precoce, pois quanto antes corrigirmos o problema, mais rápida será sua recuperação. Ao menos duas vezes ao ano faz se necessário uma avaliação com um médico veterinário especialista nas espécies, para que em muitos dos casos trabalhar na prevenção. A prevenção sempre é o melhor remédio!


JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

3

SAÚDE ANIMAL

Por Luciana H. Garcia

Médica Veterinário - CRMV 38.683

PORQUE OPTAR POR ALIMENTAÇÃO NATURAL AO INVÉS DE RAÇÃO?

Foto: Divulgação

SIGA NOSSA REDES SOCIAIS

C

ães são descentes de lobos, viveram muitos anos se alimentando de presas, e ai vieram dietas industrializadas, secas e à base de grãos, que não é uma dieta apropriada para cães carnívoros. Quantos anos viveram os cães dos seus avós se alimentando de comida? A ração existe no mercado a menos de 100 anos, claro que ela facilita muito as nossas vidas, mas está distante de uma alimentação apropriada para cães. Falam-se muito em preço e trabalho que a alimentação dá, porém paga-se muito mais caro por uma epidemia de doenças crônicas causadas pela alimentação seca, como: diabetes, alergias, tumores, problemas renais, e que aparecem em animais cada dia mais jovens. Hoje em dia o assunto sobre qualidade de vida humana está em alta, e por que animal seria diferente? Você já leu e entendeu o rótulo de uma ração? Quem me acompanha nas redes sociais, aprende a ler rótulos e entender do que você alimenta seu animal. Na natureza, um cão se alimentaria de presas (animal predominantemente carnívoro – que se alimenta de carne), tubérculos, frutas, ovos, e você encontra isso na ração que oferece? Fresco? Até por que a ração possui 10% de água sendo um alimento seco, e claro a água é o principal nutriente do corpo, uma dieta caseira então pode apresentar 70% de água. Uma dieta baseada em

grãos não é alimento direcionado para cães, de longe sabemos que uma carne, um vegetal, uma víscera, isso sim é comida de verdade, comida apropriada para a espécie. Muitas rações são compostas por: alimentos transgênicos, glúten, milho e farinha de subprodutos de carne, milho, soja e trigo (comida de ruminantes e não de carnívoros, além disso, considerado alergênico para os pets), conservantes, antioxidantes. Então precisamos entender que a indústria de rações cada dia mais entra em nossas casas como se este produto fosse um alimento completo, mas nós sabemos que “somos o que comemos”, e claro que nossos bichinhos também. Hoje nossos pets se tornaram membros da nossa família, então queremos o melhor para eles correto? Corra, há um mundo de qualidade de vida para seu pet lá fora, abandone a indústria, frequente açougues e feiras, lá sim você encontra o que o seu pet merece. Uma alimentação Natural balanceada, fresca e caseira é sempre a melhor opção. SEMPRE. Ela é biologicamente apropriada para carnívoros, como é o caso do cão e do gato e oferece muito mais saúde e qualidade de vida. Lambidas de saúde da Tia Lu

JORNALSUPERPET

DICAS DA LU Cães Blogueirinhos?

Cada dia mais os cães vem tomando conta das redes sociais, eles estão sendo um arraso, virando garotos propaganda, digital influencer , e assim por diante. Quem ai acompanha algum deles? É uma explosão de fofura e muitas curiosidades, alguns instagram viram febre mesmo, quem ai já viu o @bonosurfdog surfando junto com seu papai e seu irmão? e a @julie.pom toda linda tomando banho na pia da sua casa de barriga para cima? E a nossa querida @vidas_life se jogado em lagos e piscinas atrás de bolinhas? Confiram, vale a pena, o fofurômetro chega a explodir!


4

JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

VOCÊ SABIA! PREVENÇÃO PET MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM EQUIPAMENTOS PET

Colaborou: Elite MaqLam - Fotos: Leandro Gasparetti

Top 10 Brasil

As 10 raças mais populares entre os brasileiros são: 1º: Poodle; 2º: Yorkshire; 3º: Maltês; 4: Pug; 5º: Golden e Labrador; 6º: Buldogue Francês; 7º: Spitz Alemão; 8º: Rotweiller; 9º: Buldogue Inglês; 10º: Lhasa Apso.

Escova felina

Os pelos curtos dos gatos só precisam ser escovados de duas a três vezes por semana, fora isso, eles não precisam de nenhuma ajuda na higiene dos pelos. Por outro lado, os de pelos compridos precisam ser escovados diariamente, para evitar nós. Use pentes de dentes longos e uma escova macia para desembaraçar os pelos.

Doação de sangue

Cães e gatos podem precisar de transfusão de sangue e, por isso, devem contar com a solidariedade de pets saudáveis que alimentem os bancos de sangue veterinários com doações. Assim como a doação de sangue de seres humanos, esse é um ato de amor e solidariedade.

Muitas vezes nos deparamos com equipamentos de pouco tempo de uso, porém com defeitos ou mal funcionamento. Mas por que isso ocorre?

T

odos equipamentos eletroeletrônicos devem sempre passar por uma manutenção preventiva para melhor funcionamento, e com os de banho e tosa não é diferente. Os sopradores, por exemplo, devem ser verificados todos os dias, principalmente o filtro ou a manta filtrante na parte traseira do aparelho. Ele tem que ser limpo diariamente e sempre estar presente no aparelho. Um aparelho sem filtro é caso certo de queima, pois os pelos, sujeira e poeira que ficam no ambiente entram pela parte de trás, fazendo com que o soprador tenha um superaquecimento, trabalhando mais lento e diminuindo, assim sua vida útil. Outro ponto importante do soprador é a peça chamada “escova de carvão”.

Ela é responsável pelo funcionamento do motor e é uma peça de desgaste. Deve ser trocada na hora certa, para não ocasionar a queima precoce do motor. Alguns sinais de problemas são: cheiro de queimado, enfraquecimento do vento, barulho “estranho” no motor e faiscamento interno. Assim como os sopradores, as maquinas de tosa, em geral, também necessitam de manutenção preventiva. Máquina com placas eletrônicas não devem ser lubrificadas, a única manutenção necessária e indicada para ser realizada pelos portadores, é somente a limpeza. Linguetas e dobradiças devem sempre ser checadas, pois essas peças danificadas fazem com que as laminas de

tosa não cortem o pelo do animal, mesmo estando afiadas. Secadores profissionais necessitam ser checados por técnicos especializados periodicamente para limpeza e melhor funcionamento de rolamentos, resistência e potência de motor. A higiene no local de trabalho, é imprescindível para o melhor funcionamento de todos os aparelhos, fique sempre atento para quaisquer alterações dos equipamentos, e lembre-se, procure sempre um técnico especializado para as manutenções. Serviços de qualidade requerem estudo, habilidade, eficiência, peças originais e garantia. Serviço: Elite Maqlam Fone: 17 3212-7793

Chocolate é tóxico

O chocolate que nós comemos é um alimento tóxico para cães! Isso porque ele contém teobromina, uma substância altamente tóxica para cães e que não consegue ser metabolizada no organismo deles. Quanto mais escuro um chocolate é, mais teobromina contém. Para se ter uma ideia do perigo, apenas 25g de chocolate pode envenenar um cão de 20kg.

Santa Tartaruga

Tartarugas tem uma boa visão, vendo a cores e um forte sentido de cheiro. Elas têm excelente audição e tato. Suas cascas têm sentindo devido a terminações nervosas.

Papagaio canhoto

Os papagaios, em sua maioria, são canhotos, seguram o alimento com o pé esquerdo e se equilibram com o direito.

Equipamento sem Manutenção

Equipamento em perfeitas condições


JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

5

TRATAMENTOS PET

ENDOSCOPIA MÓVEL EM RIO PRETO E REGIÃO

N

essa edição do jornal Super Pet, trazemos para vocês um pouco sobre esse tipo de exame/método terapêutico e como ele pode ajudar nossos fiéis amigos. Para realizar o exame utiliza-se um aparelho voltado aos pacientes veterinários chamado videoendoscópio, que é portátil e possui alta definição de imagem. A endoscopia veterinária é um meio diagnóstico que permite a visibilização e análise interna de órgãos com uma imagem em tempo real. É muito útil na clínica de pequenos animais (cães, gatos e exóticos) por possibilitar ao veterinário, através de um método minimamente invasivo, confiável e seguro, o exame macroscópico do trato gastrointestinal e/ou vias aéreas. Algumas vezes é um método de tratamento também, sendo nesses casos chamado de terapêutico. Através da endoscopia é possível localizar e guiar a coleta de materiais (biópsias, citologia e cultura bacteriana ou fúngica), diagnosticar doenças inflamatórias infecciosas, nódulos e neoplasias, alterações anatômicas, ulcerações e erosões nas mucosas. Outro caso em que a prática é indicada é na ocasião em que o pet ingere algo inadequado (moedas, meias, caroços de frutas, brinquedos entre outros), já que com endoscopia, na maioria das vezes, é possível retirá-lo do esôfago, estômago e sistema respiratório sem necessidade cirúrgica. Assim evita-se o desgaste e as complicações pós-cirúrgicas que podem eventualmente ocorrer, o que traz alívio para o animal e seu tutor. Dependendo do que for ingerido a situação pode ser caracterizada como emergência médica. A ingestão de corpos estranhos é muito mais comum do que se imagina! Além disso, o exame endoscópico também é indicado para animais que apresentam vômito crônico, diarreia, espirro e tosse sem causa conhecida. Pode-

-se também promover dilatação esofágica para correção de estenoses e fixação de sondas gástricas percutâneas em animais que tem indicação para tal (como por exemplo em animais muito debilitados fisicamente). Ao realizar procedimentos endoscópicos o paciente terá menos dor, recuperação em um curto período de tempo e menos complicações quando comparado a outros meios terapêuticos. Em muitos casos, a en-

Corpo estranho metálico medindo 3,4 cm identificado em radiografia abdominal e retirado por endoscopia

Cenoura sendo retirada do esôfago torácico de animal engasgado Carolline Justi P. Santos é médica veterinária graduada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e atua na área de diagnóstico por imagem em São José do Rio Preto com radiologia e endoscopia. Possui cursos específicos em ambas as áreas e atualmente está introduzindo o serviço de endoscopia móvel na cidade e região, atendendo e auxiliando os clínicos veterinários em suas próprias instalações.

doscopia pode ser realizada como um procedimento ambulatorial, uma alternativa menos traumática para o paciente e seu tutor. Para a realização do procedimento é necessário que o animal seja submetido à anestesia geral inalatória, por isso a indicação pode ser feita somente após uma cuidadosa avaliação clínica e com exames pré-anestésicos.


6

JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

FOTO PET

Por Su Santos

@su_photos /susantosfotografia

Fotografia

HOJE O ASSUNTO É SESSÃO FOTOGRÁFICA TEMÁTICA PARA O SEU PET!

P

Fotos: Su Santos

ara quem gosta muito de um filme, livro ou música, a sessão temática possibilita trabalhar a fotografia dessas paixões de uma maneira muito particular. É possível utilizar técnicas e composições que permitem a imersão na temática. Criar situações diferentes é um prazer pessoal, permite que as sessões sejam descontraídas e um momento prazeroso de se compartilhar.

ADOTE UM PET INFORMAÇÕES PARA ADOÇÃO Machos - 1 ANO DE IDADE Fêmeas - 2 ANOS DE IDADE 17 99721.6320 São José do Rio Preto/SP

FÊMEA

FÊMEA

MACHO

MACHO


JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

7

Foto: Divulgação

MY PET O CALOR PODE QUEIMAR AS PATINHAS DO SEU CÃO

A

s patas dos cães são a base de sustentação para que os bichinhos possam correr e brincar. Porém, muitas pessoas não sabem que essa região também merece cuidados especiais, pois a almofada plantar, como é conhecida a parte macia debaixo da pata do cão, apesar de parecer forte, é sensível e delicada. Os passeios com os cães devem garantir a segurança do animal, pois pedrinhas, plásticos, galhos e cacos de vidro podem machucar, além do piso quente - que provoca sérias queimaduras nos pets. Uma boa dica é

sempre limpar e revisar as patinhas depois do passeio, aparando os pelos que ficam entre as almofadinhas. Se constatar ferimentos nas patas do seu pet, lembre-se que lavar ainda é a melhor alternativa. Não medique seu cão em hipótese alguma e consulte o veterinário para que o medicamento, se necessário, seja aplicado corretamente. Sair nos horários de sol mais baixo, antes das 10 horas pela manhã e após as 16 horas, ajuda na prevenção. Com os cuidados essenciais correspondidos, o seu companheiro vai crescer forte, saudável e muito feliz.

QUEDA DE PELOS EM FELINOS

N

ormalmente os proprietários de felinos domésticos reclamam muito da queda excessiva de pelos. A verdade é que a queda de pelos nem sempre é considerada normal, na maioria das vezes está envolvida com alguma patologia. O primeiro item que deve ser avaliado pelo médico veterinário é se a queda de pelos tem característica sazonal ou se ocorre constantemente. Ela só é considerada normal quando é uniforme, pois o gato realiza a lambedura diária para a troca da pelagem fraca. A troca é feita de seis em seis meses e a pelagem é fortalecida, adquirindo mais brilho e vitalidade. As fêmeas podem apresentar maior queda de pelo quando ficam no cio por um longo período ou quando estão amamentando. O felino não deve apresentar nenhum outro sintoma como vômito, diarreia, apatia ou alopecia localizada com coceira e descamação.

Caso apresente qualquer uma destas alterações, deve-se procurar imediatamente o médico veterinário para que o problema possa ser diagnosticado e tratado. Atualmente o principal mecanismo para evitar grandes quedas de pelo é manter o gato com alimentação adequada, como rações super premium específicas para o tipo de pelagem e raça, higienização do ambiente com material de limpeza adequado e sem odores, controle correto contra pulgas e ácaros e escovação realizada de três em três dias com pente adequado. As patologias mais comuns que envolvem queda de pelos são dermatites, alterações hormonais como hiperadrenocorticismo e hipertireoidismo, alimentação inadequada, como rações com corante e petiscos, contato do felino com material de limpeza, carpetes e fungos presentes no ambiente. Em geral, a queda de pelos está associada a gatos de raças de pelagem

longa, porém nem sempre são as que liberam mais pelos. Este fato está relacionado aos cuidados do felino e a sua genética. Apesar do diagnóstico das patologias associadas à queda excessiva de pelo ser complicado, quando realizado adequadamente, pode haver um tratamento específico e uma evolução imediata mantendo a saúde fisiológica e estética do felino doméstico.


8

JORNAL SUPER PET - ABRIL/MAIO 2017

7ª Edição - Jornal Super Pet  
7ª Edição - Jornal Super Pet  

Edição 7 - ABRIL / MAIO 2017 Contato: (17) 99151-5658 (WhatsApp) contato@jornalsuperpet.com.br jornalsuperpet@gmail.com www.jornalsuperpet....

Advertisement