Issuu on Google+

Bento Gonçalves :: Sábado :: 7 de setembro de 2013

Rir Veja alguns benefícios de um dos comportamentos mais prazerosos do ser humano

Página 7

Espiritualidade Confira a relação entre a fé e a nossa saúde Página 4

REPRODUÇÃO


2

Sábado | 7 de setembro de 2013

Formas de melhorar sua concentração

S

REPRODUÇÃO

e você tem Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) ou, como a maioria, apenas dificuldade de concentração, estamos hoje cheio de tentações. A psicóloga Lucy Jo Palladino, em entrevista à WebMD, oferece algumas dicas de como gerenciar essas distrações, começando pelas mídias sociais, passando por e-mails, celular e tarefas entediantes. Enfrente o tédio Algumas tarefas que precisamos fazer a cada dia são entediantes, o que tiram nossa atenção em questão de minutos, nos tornando extremamente vulneráveis a distrações. Qualquer coisa pode parecer tentadora quando você está entediado. Faça um acordo consigo: se focar numa tarefa por um certo período, você ganha dez minutos de intervalo. Recompense a si mesmo com café, lanche ou uma curta caminhada. Tarefas chatas são mais fáceis de serem feitas quando há alguma recompensa. Email superlotado Quando você vê aquele sinalzinho na caixa de entrada de e-mail, é quase impossível resistir de abrir a mensagem e pensar em respondê-la imediatamente. Embora muitos e-mails estejam relacionados ao trabalho, eles ainda contam como distrações de seu projeto em andamento. Você não fará

Fuja das armadilhas da distração e aprenda a se concentrar muito progresso se constantemente parar o que está fazendo para responder toda mensagem. Em vez de checá-lo o tempo todo, reserve horários específicos para esta finalidade; durante o resto do dia, você pode fechar o programa. Pessoa multitarefa Se você domina a arte da multitarefa, provavelmente sente que está fazendo mais em menos tempo. Pense de novo, dizem especialistas. Uma pesquisa sugere que você perde tempo quando muda o foco da atenção de uma tarefa para outra. Sempre que possível, foque sua atenção num projeto, principalmente se é prioritário e intenso. Guarde suas habilidades de multitarefa para as que não são urgentes ou difíceis – provavelmente não vai doer arrumar a mesa enquanto fala ao telefone.

Controle o celular Talvez ainda mais perturbador do que o sinal de um novo e-mail seja o de um celular. É um barulho que poucos ignoram. Portanto, colocar identificador de chamadas é bem útil. Se suspeitar que a chamada não é urgente, deixe-a cair na caixa de voz. Se você está trabalhando num projeto particularmente intenso, considere colocá-lo no silencioso, para que você não seja tentado a atender a chamada. Mídias sociais É fácil se conectar a amigos – e se desconectar do trabalho, muitas vezes numa hora. Cada atualização do status quebra sua linha de pensamento, forçando-o a ter que recuar quando retomar o trabalho. Evite fazer login em sites de mídia social enquanto estiver trabalhando. Fonte: blogdasaude.com.br


3

Sábado | 7 de setembro de 2013

Ideias para começar seu dia cheio de energia IMAGENS REPRODUÇÃO

Proteja-se das mudanças bruscas de temperatura

V

Alem de uma boa noite de sono, existem alguns detalhes que podem dar mais disposição Do despertar ao caminho para o trabalho, existem formas simples de levantar o astral e ter muito mais disposição pelas próximas horas. Mesmo que a noite tenha sido tranquila e bem dormida, uma dose extra de disposição é sempre bem-vinda para encarar o dia que começa. O melhor momento para colocar mais energia na vida é pela manhã, antes de dar início às tarefas cotidianas. “É um período de menos de uma hora que vale muito para o bem-estar. A mente ainda não se contaminou com os estímulos visuais da cidade, o que torna mais fácil estimular o corpo”, explica a terapeuta corporal Alexandra Borges. O fisioterapeuta especializado em pilates Daniel D’Attilio lista alguns benefícios conquistados pelos hábitos energizantes matutinos: “O cérebro fica mais desperto e a concentração, mais aguçada. A postura melhora”. Ele conta, ainda, que “todos os alunos da manhã dizem que seus dias são mais produtivos quando iniciados sem pressa e com atenção ao corpo”. Alexandra e D’Attilio dão nove ideias simples, que não exigem preparo especial ou produção diferente do normal, para começar o dia cheio de energia. Confira. Antes de levantar da cama pela manhã, respire profundamente por alguns minutos. Enquanto isso, pense em cada parte do corpo e na importância que todas têm para o bom funcionamento do conjunto. Espreguice por pelo menos três minutos, todos os dias, ainda deitado na cama. Mexa

a cabeça, o pescoço, os quadris, os braços, as pernas e todos os dedos. Durante o banho, faça movimentos lentos e circulares ao passar a esponja ou a bucha ensaboada pelo corpo. Quando acabar o banho, alongue-se ainda dentro do banheiro. É um alongamento simples, de esticar os braços para cima e as pernas para a frente, curvar as costas para a frente e para trás, fazer movimentos circulares com os ombros. Prepare seu café da manhã com calma e coma prestando atenção à mastigação, que deve ser lenta – isso é bom para a saúde mental e ótimo para a digestão. Escove os dentes com calma, fazendo com a escova os movimentos adequados para a limpeza de cada parte da arcada dentária. Faça uma caminhada de pelo menos cinco minutos perto de casa. Vale dar voltas no quarteirão ou adiantar parte do trajeto ao trabalho, a ideia não é se exercitar pesadamente. No caminho para o trabalho, ouça músicas que levantem o seu astral. Tanto faz se é rock, pop, pagode, sertanejo, clássico, samba; o importante é deixá-lo feliz. Varie o caminho para o trabalho – as novidades que podem ser vistas deixam os sentidos mais aguçados. Se usar transporte público, caminhe por ruas diferentes até chegar ao ponto ou à estação. Se for de carro, procure rotas alternativas. Fonte: saude.ig.com.br

ocê sai de casa em trajes mais leves e, passadas poucas horas, acaba tomando um susto com a queda brusca de temperatura? O seu corpo sente mais do que o desconforto causado pela falta de agasalho quando esfria de repente: processos alérgicos, resfriados e até baixa imunidade são alguns dos prejuízos comuns à saúde quando há instabilidade no clima. Segundo o pneumologista Hassan Ahmed Yassine Neto, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, quem mais sofre com as mudanças bruscas na temperatura são crianças e idosos, extremos de idade que tem em comum a imunidade baixa e/ ou um sistema respiratório frágil. “Além deles, pacientes de asma e rinite também sentem os efeitos dessa alteração, apresentando crises mesmo com o uso de remédios”, explica. Previna-se contra esses problemas com as dicas dos especialistas. Beba muito líquido “Uma boa hidratação, que inclui ingestão de frutas, legumes e verduras com bastante água, é fundamental para melhorar a imunidade, principalmente se o clima estiver seco”, afirma a pneumologista Andrea Aparecida Sette, do Hospital e Maternidade São Luiz. Mesmo não sentindo sede, carregue uma garrafinha de água com você e dê pequenos goles de tempos em tempos. Ajuste a alimentação A alimentação balanceada deixa a imunidade nas alturas, criando uma barreira contra complicações decorrentes da queda brusca de temperatura. “Priorize alimentos que aceleram o metabolismo e opções mais calóricas, já que o corpo tende a gastar mais energia para manter o calor”, afirma o pneumologista Hassan. Evite ambientes com muitas pessoas “Aglomerações favorecem a transmissão de doenças pelo ar e pelo contato”, afirma Andrea. Como a queda de temperatura já deixa

REPRODUÇÃO

Crianças e idosos estão entre os mais prejudicados pelas mudanças bruscas de temperatura o corpo mais frágil, evite ficar em lugares fechados com muitas pessoas. Além disso, essa concentração pode deixar o local abafado demais, causando queda de pressão e mal-estar. Deixe a casa ventilada Seja para manter o calor ou evitar a entrada do sol, muitas pessoas acabam deixando suas casas completamente fechadas. Entretanto, ao impedir a circulação de ar, você favorece a proliferação ou a estagnação de vírus, fungos e bactérias no ambiente. “Eles não são levados pela corrente de ar, ficando concentrados nos cômodos da casa”, explica. Por isso, por mais fresquinha que seja sua casa ou por mais frio que esteja o tempo lá fora, abra as janelas alguns períodos do dia ? pela manhã e à tarde, principalmente. Evite o choque térmico Segundo Hassan, o choque de temperaturas é uma mudança bastante agressiva para quem tem as vias respiratórias mais sensíveis. “É comum haver piora de rinite, tosse ou falta de ar”, afirma. Para minimizar tais problemas, evite sair de um lugar abafado para um gelado sem proteger nariz e boca com a blusa ou um cachecol e não espere estar em con-

tato com o ar frio para se agasalhar. Aqueça o ambiente “O ar gelado resfria as vias aéreas, o que pode desencadear chiado no peito ou um quadro de falta de ar, principalmente em alérgicos”, afirma Andrea. Manter um aquecedor no quarto ajuda a evitar uma péssima noite de sonoquando ocorre uma mudança brusca de temperatura. Lembre-se, porém, de que o ar quente diminui a umidade do ar. Por isso, não se esqueça de providenciar também um umidificador ou, pelo menos, bacias com água perto da cama. Lave as roupas de inverno É natural guardar casacos, blusas e cobertas até precisar deles novamente. Mas, enquanto são deixados de lado, eles podem absorver a umidade do ar e criar bolor. “Os fungos que causam o bolor são altamente irritantes para as mucosas nasais, principalmente no caso de quem já sofre com asma, rinite alérgica ou bronquite”, esclarece Andrea. Por isso, de tempos em tempos, deixe roupas e cobertores no sol e lave todos eles periodicamente, mesmo que eles não tenham sido usados. Fonte: minhavida.com.br


4

Sábado | 7 de setembro de 2013

Conheça os efeitos da espiritualidade na saúde

F

ato que não chega a ser raro na rotina médica de cardiologistas é se deparar com pacientes que apresentam melhora no seu quadro clínico após promessas, orações e pedidos ao santo de sua devoção para que os ajudem na sua cura. Na prática, não há respostas científicas para isso. Mas muitos profissionais já começam a se interessar pelo assunto, não só no Brasil, mas no mundo todo. Um deles é o cardiologista Álvaro Avezum, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo, que coordena o Grupo de Estudos em Espiritualidade, e participará como debatedor em duas mesas-redondas sobre o tema no 68º Congresso Brasileiro de Cardiologia, que será realizado em setembro, no Rio de Janeiro. O objetivo é entender se o modo como as pessoas vivem e encaram as doenças pode interferir na saúde e na recuperação de problemas cardiovasculares. “As evidências científicas de que pessoas religiosas e espiritualizadas controlam sua pressão arterial, têm menores riscos cardíacos que levam a infartos e derrames e têm melhor qualidade de vida são abundantes”, afirma Avezum. “Além disso, sentimentos tidos como positivos são relacionados à melhora de doenças em geral”, avalia. Para o especialista, a espiritualidade é uma postura perante a vida e não uma religião. Desta forma, sentimentos de paz, tolerância, tranquilidade, perdão e resignação caracterizam uma personalidade espiritual, influenciando na saúde do coração. “Tanto que o grupo é integrado por agnósticos, judeus, católicos, muçulmanos, espíritas e até mesmo ateus”, conta. Fase inicial Os estudos ainda estão em fase inicial. Porém, Avezum comenta: “Há de chegar o dia em que poderei dizer ao paciente que, se ele for espiritualizado e souber lidar bem com as suas emoções, evitará as cardiopatias ou pelo menos elas não serão tão graves. Da mesma forma como hoje posso dizer com segurança a um paciente que, se ele fuma, tem maior possibilidade de sofrer um infarto

REPRODUÇÃO

A espiritualidade provoca reações favoráveis ao nosso corpo, auxiliando nos tratamentos do que um não fumante”. O grupo, atualmente, desenvolve uma pesquisa com 14 mil médicos associados à Sociedade Brasileira de Cardiologia, na qual os profissionais são questionados se têm religião, se frequentam igrejas ou cultos, com que frequência leem trabalhos sobre o tema e se têm o hábito de rezar ou não. Esse questionário vem de um estudo norte-americano, já que há bastante tempo os Estados Unidos investem nesse tipo de pesquisa. Tanto que 80 faculdades de medicina daquele país incluem formalmente no currículo a cadeira Saúde e Espiritualidade, enquanto por aqui essa matéria só é curricular em três instituições. No Brasil Segundo a literatura científica mundial, há uma correlação direta sobre espiritualidade e doenças cardiovasculares, uma conclusão que o grupo de estudos brasileiro se propõe a verificar se é válida também para o Brasil. Outra médica que pesquisa o assunto é a ginecologista Marlene Nobre, presidente da Associação Médico-Espírita do Brasil, a AME, entidade que acaba de realizar a 9ª edição do Mednesp – Congresso Nacional Médico-Espírita do Brasil, em Maceió, Alagoas. O tema desenvolvido durante o congresso foi a relação entre a saúde do corpo, da mente e do espírito, com palestras em torno de estudos médicos que usam a fé, a oração e a espiritualidade nos tratamentos e processos de cura.

Para a médica, o que é importante para o espírito são os sentimentos que promovem o encorajamento e a confiança de que a pessoa irá melhorar. “A atitude do ser humano pode promover uma reação favorável ao seu corpo, com sensação de bem-estar e alegria, tornando o cérebro produtor de estímulos positivos”. E, segundo ela, isso já é comprovado por estudos psicossomáticos. “Além disso, procurar ser feliz, desejar o bem dos outros e não guardar rancores já é uma boa forma de se ter uma vida muito mais saudável”, afirma. Visão cristã Para o Padre Valeriano dos Santos Costa, diretor da Faculdade de Teologia da PUC-SP, espiritualidade é viver em comunhão com o Espírito de Deus. É um refinamento, um desenvolvimento que se busca em qualquer religião. É algo antropológico, considerado pela Filosofia como uma virtude humana. De acordo com Costa, a fé pode levar à calma e à estabilidade emocional, normalizando picos de agitação. Desta forma, o coração repercute a espiritualidade e a religiosidade de cada um. O padre, que celebra missas na Igreja Nossa Senhora do Brasil (aos domingos, às 12h30, em São Paulo), diz, inclusive, que isso é algo bem comum. “Consigo me recordar de vários casos em que promessas e orações auxiliaram no tratamento de fiéis”, finaliza. Fonte: noticias.uol.com.br


5

Sábado | 7 de setembro de 2013

Cuidados necessários com dietas hipocalóricas REPRODUÇÃO

Dr. Cezar de Moura Médico

Q

uando o assunto é gordura todos tem as suas receitas e dietas, as quais são tão falhas que a população brasileira está cada vez mais gorda. Para piorar a situação muitos profissionais de saúde ainda imputam o problema ao doente, dizendo que o problema é o não fechar a boca e não fazer exercício. Digo-lhe ainda que o tratamento que mais engorda é o que lhe faz “emagrecer” de forma desordenada, o que será visto nas perdas rápidas de peso, situações em que o obeso coloca, realmente, em risco sua saúde. Em toda perda rápida de peso, saiba que apesar de ter menos peso, sua quantidade de gordura será maior, pois o peso mais facilmente mobilizável são água e músculo (massa magra), de modo que a queda do seu metabolismo basal fará você recuperar de forma relativamente rápida o peso perdido, porém passará a ter mais dificuldade de perder peso. Motivos para vermos a obesidade avançar não faltam e boa parte deles mostra que o problema real não é simplesmente calorias, pois se comer salada emagrecesse o hipopótamo seria manequim. Penso que temos de encarar gordura excessiva como uma doença, e como tal a causa nunca será única e isto impede que obesidade, como toda doença, seja tratada simplesmente com medicamento, dieta hipocalórica e exercício. Pois mais importante que caloria é a qualidade desta dieta, grau de vitalidade, presença enzimática, etc. Como podemos esperar emagrecer a população num país que falta informação em relação ao que realmente é uma

A forma mais adequada de perder peso é reduzir gordura e aumentar massa magra dieta saudável, pois muitos buscam dieta saudável em alimentos processados, ricos em corantes, acidulantes, conservantes e adoçantes? Quanto aos adoçantes, trabalhos científicos tem mostrado toda a gama de problemas a eles relacionados, dentre estes está exatamente à capacidade de aumentar a fome por doces. Entretanto, “você vai à pizzaria e toma coca zero”, para não engordar. Muitas dietas ainda usam gelatina, pois é hipocalórica, mas eu lhe pergunto onde está a parte saudável desta gelatina? Gelatina pura é incolor, porém a que você ingere tem o sabor que quiseres, com corante, acidulante e, novamente, adoçante. Estamos entre os maiores consumidores mundiais de agrotóxicos, aditivos alimentares, alimentos transgênicos, medicamentos, plásticos, etc. Muitos dos agrotóxicos e aditivos alimentares usados hoje estão banidos da Europa, porém permitidos no Brasil. Entre os efeitos colaterais desta parte química citamos: alterações endocrinológicas, psiquiátricas, imunológicas, hepáticas, etc. Aqui vemos a “coincidência” do aumento da obesidade e todo o tipo de doença que estamos presenciando no Brasil, entre elas o câncer. Obesidade tem de ser encarada como doença, cujo fundo

está num quadro de intoxicação orgânica levando ao desequilíbrio funcional do corpo como um todo. Tratar obesidade não pode ser simplesmente reduzir o peso com dieta e exercícios, pois o peso, inicialmente, pode ser o menos importante de todos, em face de que você precisa perder peso em gordura e aumentar o peso da massa magra, o que pode não gerar mudanças na balança, porém gerando mudanças na sua sensação de bem estar, de vitalidade, de autoestima, etc. Costumo dizer que a qualidade do emagrecimento deve ser visto no espelho, com uma aparência rejuvenescida, sem aquela flacidez vista na face especialmente, pois isto mostra a perda de tônus muscular (perda de massa magra), e viço da pele, que perde o brilho pela desidratação cutânea. Saiba que o emagrecimento saudável, que acontece no espelho, ainda pode ser favorecido pelo uso de tecnologias liberadas pela ANVISA para tratar gordura e induzir reparo tecidual da pele e músculos. Porém, novamente, não fique somente buscando o melhor aparelho, pois tratar gordura é muito mais amplo do que isto. Para mais informações busque um profissional da saúde e “não simplesmente a melhor dieta ou o melhor aparelho”. Seja Feliz!


6

Sábado | 7 de setembro de 2013

Proteja sua casa dos ácaros e obtenha saúde REPRODUÇÃO

Para quem sofre com problemas respiratórios, o ideal é manter a casa sempre limpa e arejada

E

stender a colcha no sol, aspirar as cortinas, nunca deixar uma toalha na mesa das refeições e outras medidas protegem o ambiente doméstico dos ácaros e de outros micro-organismos causadores de alergias. Muitas vezes, nos preocupamos com lugares públicos e esquecemos de olhar a nossa própria casa como fonte de causadores de doenças. E quem sofre com problemas respiratórios, como asma, bronquite e rinite, precisa redobrar os cuidados. “Dentro de casa há utensílios considerados habitat ideal para o acúmulo de micro-organismos, como a tábua utilizada na cozinha para cortar alimentos, que é feita de madeira, ou a toalha de rosto que não é trocada com frequência no banheiro”, explica o infectologista Milton Lapchik. Logo abaixo, você descobre como eliminar a poeira de todos os cantos da casa, protegendo a sua imunidade e sua saúde. Na cozinha Pano de prato: eles costumam carregar muitas impurezas, pois além de servir para secar a louça, secam as mãos e ainda podem acumular a poeira da cozinha. Nunca deixe o pano molhado e embolado, pois isso favorece a proliferação de bactérias. Uma dica é ter mais de uma peça na cozinha. Uma delas, exclusiva para as louças e utensílios. Depois disso, estenda no varal para secar. Troque as peças mais de uma vez por semana para evitar o acúmulo de sujeira Toalha de mesa: deixá-la sobre a mesa, após as refeições é uma péssima ideia. Sobre a toalha recaem todas as impurezas

do ar. Outro cuidado é não guardar a toalha suja ou molhada, pois isso aumenta a reprodução de micro-organismos. Se sujou, está na hora de trocar. Pia de louças: a troca da esponja e do paninho de secar deve ser periódica. “Eles devem ser descartados quando a sujeira não puder ser removida ou antes de começarem a despedaçar”, completa o infectologista Milton Lapchik. Além de acumularem gordura, eles são foco de bactérias pois acumulam fragmentos de alimentos. A dica é higienizá-los bem, com sabão e água quente, e esperar que sequem para guardá-los em local seco e limpo. No banheiro As toalhas, de banho ou de rosto, sofrem com duas situações: quando estão secas, acumulam poeira. E se ficam úmidas por muito tempo, também podem acumular bactérias e fungos. Além disso, como é usada por várias pessoas acaba tornando-se em um meio de transmissão desses micro-organismos. Em casa, a dica do especialista é de trocar as toalhas sempre que se encontrarem sujas ou que impossibilitem a limpeza correta. Mesmo se estiverem secas, procure deixá-las estendidas e não jogadas no quarto ou no banheiro para não acumular ácaros. Na sala Tapetes e carpete também podem ser uma ameaça para a saúde, principalmente para o sistema respiratório. Dependendo do material utilizado na confecção, o próprio tecido pode desencadear alergias, ao soltar fiapos minúsculos no am-

biente. Mas o que geralmente provoca reações alérgicas são os elementos que se depositam nele, como poeira, ácaros e pelos de animais. Segundo a pediatra Elza Yamada, o ideal é retirar os resíduos diariamente para que não haja o acúmulo. “Utilizar produtos adequados duas vezes por semana, além da limpeza diária, podem garantir um local limpo e sem riscos de ocasionar processos alérgicos”, enfatiza a pediatra. Portanto, não esqueça de: Manter a sala sempre arejada e ensolarada Limpar a mobília com pano úmido com frequência superior a uma vez por semana Aspirar o sofá, tapetes e carpetes, além de passar pano úmido no piso periodicamente Aspirar as cortina uma vez por semana. Em caso de cortinas de tecido leve, lave-as a cada 15 dias no máximo. No quarto Quando mal conservados, os lençóis, travesseiros, colchões e cobertas são verdadeiros depósitos de micro-organismos, causadores de alergias. Eles podem reunir ácaros, poeira e até células mortas do corpo. Quanto maior o tempo desde a última higienização, maior a quantidade dessas partículas alojadas no local. Segundo Elza Yamada, colchões e travesseiros de quem já tem pré-disposição para alergias precisam ainda mais de cuidados. “O ideal seria lavar as roupas de cama com frequência e colocar o colchão, travesseiros e edredons para tomar sol”, explica a pediatra. Fonte: portalvital.com.br


7

Sábado | 7 de setembro de 2013

Rir, para ter mais saúde e bem-estar R ir é um dos mais prazerosos comportamentos humanos, mas, até a Idade Média, havia sérias dúvidas a respeito de suas eventuais qualidades positivas. Embora o filósofo grego Aristóteles reconhecesse que o riso é saudável – desde que originário de uma situação que não envergonhe outra pessoa –, seu antecessor Platão considerava que ele distanciava o ser humano da verdadeira sabedoria. A Igreja cristã medieval renegava o riso, alegando, tão somente, que Jesus não teria rido em sua vida terrena – pelo menos segundo os evangelhos. O tempo, contudo, foi diluindo essas resistências, e nas últimas décadas o riso começou a ganhar importância em termos de saúde. Hoje em dia ele é considerado benéfico em mais de 20 condições diferentes. Entre essas, é conhecida a história do professor e jornalista norte-americano Norman Cousins, que superou graves complicações cardíacas seguindo à risca um programa no qual um dos itens fundamentais era assistir a comédias dos Irmãos Marx. O riso – a resposta psicofisiológica ao humor ou a outros estímulos – exige bastante do corpo. Ele abrange contrações do diafragma, sons vocais repetitivos produzidos pelas câmaras de ressonância da faringe, boca e cavidades nasais, o movimento de aproximadamente 50 músculos (sobretudo ao redor da boca) e, em certos casos, até lágrimas. “O riso é, na verdade, uma coisa muito estranha, e é por

REPRODUÇÃO

Estresse O riso reduz o nível dos hormônios do estresse, como o cortisol, a dopamina, a epinefrina (adrenalina) e o hormônio do crescimento. Por outro lado, eleva o nível de hormônios que reforçam a saúde, como as endorfinas, e de neurotransmissores. Perda de peso O riso aumenta entre 10% e 20% o consumo de energia, de acordo com um estudo norte-americano.

O riso aumenta a concentração de endorfinas, causando uma sensação de bem-estar isso que me interessei por ele”, diz Dunbar. Psicólogo evolucionário da Universidade de Oxford, ele se interessa sobretudo pelo riso social – não a gargalhada sinistra de um vilão de ficção ou o “riso polido” induzido por uma situação em que outros riem sem saber por que, mas aquela risada descontraída e contagiante como as deflagradas por comédias clássicas. Durban comandou uma equipe de pesquisadores em seis experimentos, cinco em laboratório e um em campo, nos quais era testada em voluntários a resistência à dor antes e depois de acessos de riso social. A dor era provocada de três formas diferentes: passando-se uma garrafa de vinho congelada no antebraço da pessoa, apertando-lhe muito o braço com um aparelho medidor de pressão arterial ou submetendo-a a extenuantes exercícios de esqui, até chegar a um ponto em que ela afirmava ser seu limite. Depois os voluntários passavam

por testes e, em seguida, assistiam a trechos de comédias (como Os Simpsons e Friends), programas de conteúdo neutro (como um documentário sobre treinamento de animais e um especial sobre golfe) e outros de conteúdo positivo, mas incapazes de provocar risos (como filmes sobre a natureza). Benefícios do riso Alergia O riso reduz reações cutâneas a alérgenos (agentes capazes de produzir alergias) em testes. Também diminui os níveis de anticorpos e melhora o sono. Asma/bronquite O efeito de uma terapia do tipo Doutores da Alegria reduz a hiperinflação (inchaço excessivo) dos pulmões em pacientes graves e muito graves de doença pulmonar obstrutiva crônica. Depressão A ioga do riso (uma combinação de riso natural e respiração

iogue) funciona tão bem quanto uma rotina de exercícios convencionais para mulheres idosas com depressão, informa um estudo da Universidade Allameh Tabatabai (Irã). Segundo os pesquisadores, nesse caso não há diferença se o riso é espontâneo ou forçado. Dor O riso aumenta os limites da tolerância à dor e ao desconforto. Ele também eleva os níveis de endorfinas, os analgésicos naturais do nosso corpo. Eczema Assistir a uma comédia pode melhorar a flora intestinal em pessoas com eczema. Em um estudo realizado em um hospital japonês, várias pessoas assistiram a comédias diferentes e tiveram as fezes analisadas antes e após cada exibição. O riso mudou a constituição das bactérias intestinais nos pacientes que apresentavam eczema.

Problemas cardíacos De acordo com um estudo da Universidade de Atenas, o riso reduz a rigidez arterial (um indicador do risco de doença cardiovascular) e os níveis do hormônio do estresse. Outras pesquisas mostram que pessoas com maior propensão a rir têm um risco menor de doenças cardíacas e de sofrer ataques cardíacos. Ele também diminui a incidência de ataques cardíacos em diabéticos de alto risco. Sistema imunológico O número de células produtoras de anticorpos e a efetividade das células T são aumentados com o riso, o que reforça todo o sistema imunológico. Os resultados comprovaram que rir aumenta a resistência à dor. De acordo com Dunbar, o esforço muscular que ocorre no ato de rir aumenta a concentração de endorfinas, neurotransmissores que deflagram um efeito de bem-estar na pessoa. Fonte: revistaplaneta.terra.com.br


8 Alguns benefícios Roupaterapia: bem-estar vestido do chocolate Sábado | 7 de setembro de 2013

E

studos recentes indicam que o doce evita doenças cardíacas, previne a pele contra exposição solar e mais alguns efeitos benéficos que você confere a seguir: Evita o estresse De acordo com estudo publicado no Journal of Proteome Research, o chocolate pode reduzir os níveis de cortisol após duas semanas de consumo diário. Conhecido como hormônio do estresse, o cortisol pode alterar a produção hormonal, aumentar processos inflamatórios e a pressão sanguínea. Protege a pele dos efeitos nocivos da exposição solar Você acredita que o consumo de chocolate pode deixar a pele oleosa e com acne? Segundo um estudo da Universidade de Laval, no Canadá, o alimento não prejudica a pele e ainda pode protegê-la dos efeitos nocivos causados pela exposição solar. De acordo com os pesquisadores, o chocolate é rico em flavonoides, que reduzem os efeitos negativos da radiação UV. Vale ressaltar que o uso de filtro solar continua sendo necessário. Reduz processos inflamatórios do corpo Segundo pesquisadores da Universidade Católica, em Campobasso, na Itália, o consumo regular de chocolate

reduz inflamações no organismo, que podem levar a problemas de saúde.No estudo, os voluntários que consumiram uma porção de chocolate amargo a cada três dias apresentaram redução de 27% na concentração de proteína- reativa no sangue quando comparados aqueles que não consumiram o doce durante a pesquisa. A proteína C reativa é considerada um marcador para inflamações, ou seja, quanto menos concentração no organismo, menores as chances de desenvolver um processo inflamatório. Previne doenças cardíacas Estudo da Universidade de Glasgow, na Escócia, analisou os efeitos do consumo de chocolate em cerca de cinco mil voluntários. Aqueles que comeram o doce mais de cinco vezes por semana reduziram os riscos de desenvolver doenças cardíacas em até 42% quando comparados aos participantes que consumiram quantidades menores. Alimento para o cérebro Gorduras do bem são verdadeiros combustíveis para o bom funcionamento do cérebro. De acordo com estudo publicado na revista Neurology, o chocolate pode melhorar a memória e as funções motoras. Na pesquisa, um grupo de voluntários consumiram chocolate quente, duas vezes ao dia, durante um mês. O outro grupo não teve tanta sorte e passou longe do chocolate durante 30 dias. Após este período, os participantes dos grupos foram submetidos a testes cognitivos que sugerem uma melhoria de 30% nas funções daqueles que consumiram o chocolate quente, quando comparados aqueles que não consumiram a bebida. De acordo com os pesquisadores, o fluxo sanguíneo para o cérebro também melhorou cerca de 8% nestes mesmos voluntários. Fonte: gnt.globo.com

Além de beleza e conforto, roupas também devem proporcionar prazer. Já reparou que todas as manhãs, assim que você acorda, uma das primeiras coisas que faz é escolher a roupa que lhe fará companhia durante o dia? Pode ser aquele pijama gostoso para um dia preguiçoso, um vestido leve para passear com as amigas, ou ainda aquela camisa sofisticada para uma reunião importante. As peças que veste funcionam como um abraço de bom dia e acompanham você ao longo de sua jornada. As roupas são aliadas importantes, já que podem representar um aconchego confortável ou até a primeira impressão que transmite para os outros. Para a psicoterapeuta Celia Lima, sentir a pele confortável pelo contato de uma roupa limpa, macia e que não limita os movimentos permite uma espontaneidade nos gestos, fazendo com que a pessoa possa se revelar sem incômodos. No entanto, mais do que estar bem vestidas, as pessoas vêm procurando cada vez mais o conceito

IMAGENS REPRODUÇÃO

As roupas, não devem ser escolhidas apenas pelo visual, mas também pelo conforto de “bem-estar vestidas”. De acordo com a designer e consultora de moda, Keka Ribeiro, isso significa que além de beleza e conforto, as peças do guarda-roupa também devem proporcionar bem-estar. “Todos nós - homens, mulheres e até crianças - gostamos de usar uma roupa bonita, com estilo e inovadora. Mas independente da escolha, sentir bem-estar ao vestir é fundamental. Afinal, estamos vivendo um momento de busca por mais qualidade de vida e a roupa, por fazer

parte da “pele” que escolhemos para determinada ocasião, torna-se um excelente suporte nessa jornada. Hoje em dia não basta um vestido elegante, lindo e sofisticado. É preciso que esse vestido seja confortável, tenha um bom toque e um cheiro gostoso. Sentimos a necessidade de nos vestir para o mundo, mas também para nós. Gostamos dessa sensação de que está tudo bem, por dentro e por fora”, explica Keka. Fonte: personare.com.br

Os efeitos prejudiciais do salto alto Toda mulher tem ou já teve em seu armário sapatos de salto alto. Ícones da beleza feminina, eles deixam a mulher mais elegante, sensual e dão um ar de poder que encanta os homens. O problema é que seu uso contínuo pode trazer prejuízos à coluna, pois o corpo da mulher é projetado para a frente e, devido à ação da gravidade, gera um movimento de compensação em que o tronco é jogado para trás, aumentando a lordose lombar. “Com isso, uma lombalgia e, futuramente, uma hérnia de disco serão inevitáveis, lembrando também que o salto ainda causa encurtamento de musculatura posterior das pernas”, alerta o fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de

Coluna (ABRColuna) e do ITC Vertebral Curitiba. De acordo com o fisioterapeuta, quanto mais alto o salto, maior o prejuízo à coluna, e é um mito achar que o salto plataforma é menos prejudicial. “Não há diferença; quanto mais alto o salto, mais a lordose aumenta”, alerta. Os problemas mais comuns para quem usa salto alto diariamente são: enfraquecimento do abdome, aumento da lordose lombar e lombalgias, as degenerações nos discos e o encurtamento muscular dos membros inferiores. Dr. Giuliano esclarece que o nosso corpo não foi projetado para usar salto, mas se for preciso usá-lo ele recomenda escolher os mais baixos e para uso eventual. “A atividade física também

é importante para combater o encurtamento muscular e fortalecer a musculatura da coluna, o que evita dores”, ressalta. Entretanto, para quem não abre mão do salto alto ou tem que usá-lo em seu dia a dia,a recomendação do especialista é fazer alongamento. Alerta às usuárias Os sapatos mais prejudiciais à coluna são os saltos altos acima de 6 centímetros, uma vez que quanto maior o salto maior é a pressão que o corpo exerce sobre os pés. Sem falar que esse problema pode ser agravado se o tipo do sapato é de ponta fina, em que os dedos são pressionados ao formato, causando deformidades. Além disso, o uso contínuo dos saltos altos pode criar joanetes, aumentar a pressão na ponta dos pés, agravando problemas já existentes, e atrofiar o tendão de Aquiles. Por isso, na hora de comprar o seu modelo preferido, pondere todos estes riscos e preserve a sua coluna! Fonte: revistacorpore.com.br


07/09/2013 - Saúde & Beleza - Edição 2958