Issuu on Google+

BENTO GONÇALVES

quarta-feira

12 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO 47 N°3001 R$ 3,00 www.jornalsemanario.com.br

O que houve com eles?

Depois de quatro vitórias consecutivas, Bento Vôlei sofre com altos e baixos e vê adversários se aproximarem Página

14

Página

13

Setor moveleiro

Crema/Serra

Daer dá ultimato para CSL iniciar obra Página 5

Presídio

Página 11

Trânsito

Bebê fica em estado grave em acidente

Hora de buscar soluções viáveis O baixo crescimento da indústria moveleira em 2013 ligou o sinal de alerta no setor. O mestre em marketing e presidente do Instituto Brasileiro do Móvel (Ibramóvel), Adelgides Stefenon, faz uma análise detalhada dos motivos que levaram a indústria de móveis bento-gonçalvense ter resultados considerados preocupantes pelas lideranças locais no que diz respeito ao seu faturamento e também na geração de empregos

Página 12 Páginas 6

e7

FIMMA BRASIL/DIVULGAÇÃO

Tornozeleiras entram em funcionamento

DIVULGAÇÃO

FOTOS MARCELO MACIEL

Após a vitória sobre o Pelotas, Esportivo fez apenas três pontos em 18 e vê o rebaixamento se aproximar


2

Opinião EXPEDIENTE

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Editorial

Novos rumos SEDE Wolsir A. Antonini, 451 Bairro Fenavinho - Caixa Postal 126 95 700.000 - Bento Gonçalves - RS ESCRITÓRIO CENTRAL Mal. Deodoro, Centro, 101 Galeria Central - Sala 501 DIRETOR PRESIDENTE HENRIQUE ALFREDO CAPRARA DIRETORES ANA INÊS FACCHIN HENRIQUE ANTÔNIO FRANCIO

JORNALISTA RESPONSÁVEL HENRIQUE ALFREDO CAPRARA Registro Prof. DRT 3321 Somos filiados à ADJORI / RS Este jornal não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados e não devolve originais que não foram publicados.

Não há quem não conheça neste país e, até mesmo Também é preciso se espelhar em negócios que deram fora dele, a força do setor moveleiro de Bento Gonçalcerto, como o distrito industrial do município de Araves. Trata-se de uma área da indústria pujante e que copongas, onde a geração de empregos é combinada com loca o município em posição de destaque nas economias a qualificação permanente da mão-de-obra e o invesgaúcha e brasileira. Ao longo dos anos, nossa indústria timento em tecnologia. E, antes que o mercado estagsempre esteve impulsionando os negócios e liderando nasse, os industriais paranaenses enxergaram um filão a vanguarda com inovação e ações que abriram muitos econômico nas classes C e D, o que permitiu um retorno mercados dentro e fora do Brasil. financeiro interessante através da produção em série e Pois bem, 2013 foi mais um ano em que o faturamento em grande escala. industrial foi positivo mas, ao contrário de anos anterioNovos desafios se apresentam para o setor moveleiro res, não há muito o que se comemorar. A de Bento Gonçalves. Sabemos que 2014 letra fria dos números impede a euforia, não será um ano fácil, mas é bom saberMas é preciso transformando-a em alerta. Isso porque que temos lideranças de alto quilate seguir em frente e mos os números foram muito abaixo dos comno comando deste barco que nem sempre buscar alternativas navega em águas calmas. Nossos empreparados com 2012 e, além disso, mostram que a geração de empregos também foi viáveis para que a endedores estão gabaritados e qualificaquase nula no ano que passou. para achar o rumo certo e evitar que a estagnação não se dos Sabemos que os custos aumentaram e tempestade chegue. repita neste ano houve um aumento generalizado de preVivemos momentos em que decisões ços, sem falar na queda das exportações. precisam ser tomadas e é nestas situações que inicia Mas é preciso seguir em frente e buscar que os grandes homens aparecem e se alternativas viáveis para que a estagnação não se repita destacam. O setor moveleiro bento-gonçalvense sempre neste ano que inicia. As apostas de virada começam pela foi e continuará sendo protagonista e ocupando posição Movelsul, grande feira do setor moveleiro que deve gade destaque no cenário econômico nacional e internaciorantir um fôlego extra para as indústrias. nal. Isso ninguém nos tira. Continuaremos, sim, a frente Os móveis de Bento tem uma particularidade e isto do nosso tempo, trazendo inovações e mostrando que o não deve mudar a curto prazo. Então, é preciso ampliar móvel de Bento Gonçalves tem o seu valor preservado os horizontes. Os mercados americano e europeu devem e garantido. A qualidade dos nossos produtos sempre ser uma saída interessante para que as exportações volforam o nosso cartão de visitas e continuarão abrindo tem a acontecer com maior volume em relação a 2013. portas no mercado nacional e internacional.

AntônioFrizzo antoniofrizzo@italnet.com.br

FALE COM A GENTE Telefones: Central/Fax: 3455.4500 Escritório Centro: 3452.2186 Rádio - Estúdio: 3455.4530 Rádio - Coordenação: 3455.4535 Atendimento ao assinante: 3055.3073 ou 9971.6364 E-mails: classificados@jornalsemanario.com.br jornal.semanario@italnet.com.br radio@radiorainha.fm.br Sites: www.jornalsemanario.com.br www.radiorainha.fm.br Representante em Porto Alegre Grupo de Diários Rua Garibaldi, 659, Conjunto 102 Centro - POA - Fone: (51) 3272.9595 e-mail: fernanda@grupodediarios.com.br

Semanário na Internet Siga-nos no Twitter: @jsemanario Curta a fan-page: on.fb.me/jsemanario

Leia também no nosso site:

www.jornalsemanario.com.br

Não vai ter copa? Impressionante o ponto a que chegamos. A chamada “grande imprensa”, a soldo dos “donos do Brasil” (grandes empreiteiras, grandes empresários, banqueiro, ruralistas, usineiros, etc), que tem a seu serviço muitos políticos, consegue fazer gato e sapato com a “opinião publicada”. Se os governos – sejam estaduais ou federal – mobilizam a força policial para conter a fúria predadora, destruidora dos “manifestantes”, pau neles porque “houve excesso por parte da policia”; se apenas acompanha e não toma atitude, pau neles porque há conivência, inércia, falta de ação, etc. Resumo: presos por ter cão; presos por não ter cão. E assim ficam os governos, submetidos ao humor dessa imprensa fajuta, que tudo faz, menos INFORMAR a população. Com verdadeiros pit bulls a seu serviço, essa imprensa, por vezes, sai da toca e mostra sua cara. Agora, no recente episódio que ceifou a vida de um cinegrafista da Bandeirantes, deu para perceber o quanto essa gente leva a sério o que acontece no Brasil. Até agora era pura politicagem do mais baixo e nojento nível. Precisou ocorrer uma morte de pessoa ligada a eles para que a “grande imprensa” mostrasse a cara. Enquanto a violação dos mais comezinhos preceitos legais – preservação do patrimônio público e privado, além de direitos fundamentais como o de ir e vir – estava sendo “relevada” por essa mídia comprometida com o “quanto pior, melhor” da politicagem

imunda que assola o Brasil, procuravam de todas as formas politizar o vandalismo, atribuindo-o a partidos ou grupos ligados a eles. Quando aconteceu a agressão ao cinegrafista, alguns meios de comunicação (?) tentaram apontar culpados dentro do poder público. Precisou uma emissora de televisão da Rússia apresentar imagens incontroversas para que despolitizassem o fato. Foi um desses bandidos a serviço da tchurma do “quanto pior, melhor” a agir criminosamente. E essa mesma trupe criou e criará muitos sites, blogs, páginas, etc, na internet com o visível intuito de bagunçar a realização da Copa do Mundo de 2014. Usam de argumentos fajutos para justificar seus atos político-partidários. A comunidade “Não vai ter Copa” é explícita. Notoriamente querem fazer com que a imprensa mundial que aqui estará tenha a pior ideia possível do Brasil. Menos mal que já há quem se mobilize para tornar mais rígida a legislação, permitindo que punições severas sejam aplicadas a essa bandidagem. Particularmente, vou torcer muito para que seja aprovada em tempo hábil e aplicada contra essa gentalha. O Brasil não ficará mais pobre, mais rico ou com mais ou menos saúde, educação e transporte por causa da Copa 2014. Mas poderá ficar bem melhor servido em termos de segurança pública se o vandalismo e a violação dos direitos do povo forem punidos com o rigor de outros países civilizados. É a hora do parlamento agir. Agirá?


Opinião 3

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Painel A partir de hoje à noite as temperaturas devem mudar em Bento Gonçalves, segundo a Somar Meteorologia. Uma frente fria deve vencer o bloqueio atmosférico que parou entre o sul e o sudeste do país, podendo garantir máximas de 20°C na sexta-feira, 14, e de 25°C no sábado, 15, na região. Na quinta-feira, 13, os termômetros devem marcar temperaturas entre 20ºC e 27ºC. O calor deve diminuir até a quarta-feira, 19, com variação média entre 17ºC e 25ºC. Com as altas temperaturas, qualquer queda nos termômetros é bem-vinda. Afinal, não tem corpo que aguente um tempo abafado e quente como este.

FOTOS DIVULGAÇÃO

Frente fria a partir de hoje, será?

Cães envenenados na Linha Zemith “Quem colocou isso na comida deles, tinha que pagar com a mesma moeda. Bando de sem vergonhas, desumanos, vocês é que são animais, os cachorros são seres superiores a quem fez isso. Cada vez mais tenho nojo desse tipo de gente ... espero que a polícia descubra e aí serão 4 anos de cadeia pra vocês .... Nojooooooooooooooo”. Marinês Heuser Morte do agricultor por bala perdida NOEMIR LEITÃO

“ Não vamos mais tolerar atrasos. Há um contrato a ser cumprido” Silvio Roberto Pinheiro Davi, superintendente do Daer

“Agora sei que a justiça vai ser feita até que enfim. Deus não falha, espero que a justiça seja realmente feita”. Mari Paese

A pergunta que não quer calar Aprendiz na construção civil Na busca de atender a demanda por mão de obra do setor da construção civil em Bento Gonçalves e região, o Senai Cetemo está com vagas abertas para o curso de Pedreiro de Edificações. Mesmo sendo gratuito e exigindo uma escolaridade mínima de 6ª série concluída, ainda restam vagas para a conclusão da turma, o que reflete nas empresas do setor, que precisam cumprir a Lei 10097/2000 que determina a contratação de aprendizes, na proporção de 5% a 15% dos funcionários que demandem formação profissional. São 15 vagas abertas para jovens de 16 a 22 anos, com aulas a partir do dia 10 de março.

Como que o administrador municipal que contratou a empresa deu um dos seus maiores prejuízos ao município - a Cooperativa Mista dos Trabalhadores Autônomos do Alto Uruguai, COOMTAAU, hoje é o advogado que defende a mesma na Reclamação 18886 que tramita no Supremo Tribunal Federal? Envie a sua sugestão de pergunta pelo e-mail redacao@jornalsemanario.com.br

Trânsito em Bento Gonçalves “O Conselho Municipal de Trânsito poderia avaliar também outras questões como as paradas de ônibus coletivo urbano localizadas ao lado de sinaleiras, outras que causam congestionamento no trânsito por falta de recuo na pista de rolamento para o ônibus estacionar (leia-se parada antes do posto de combustíveis na esquina da Herny Hugo Dreher). Neste mesmo local, a sinaleira que controla o trânsito bairro-centro de quem sobe do Barracão poderia muito bem permanecer aberta para quem entra na cidade (lado direito) enquanto o lado esquerdo fecha. Isso daria mais fluxo ao trânsito naquela pista, que normalmente congestiona, principalmente, nos horários de pico ou quando há tráfego de caminhões pesados e vagarosos. Estes são apenas alguns exemplos que observamos.”.

Quarta-feira, dia de ficar rico

Fernando Santos Curta e comente na página do Semanário no Facebook. Seu comentário pode ser publicado aqui. www.fb.me/jornalsemanario

CURTI!

Quem gosta de apostas, hoje é o dia ideal para passar numa casa lotérica e fazer a sua tradicional fézinha. A Mega Sena está acumulada e, pelos cálculos da Caixa Federal, vai pagar um prêmio de R$ 52 milhões. O sonho de ficar milionário deve provocar um recorde de apostas nas casas lotéricas. O número 5 é o mais sorteado da história da Mega-Sena. Desde que os sorteios começaram a ser realizados, em março de 1996, a dezena saiu 183 vezes, de acordo com a Caixa Econômica Federal. Na lista dos números mais frequentes, 4 vem em segundo, com 180 aparições, seguido por 54, com 175. 53 e o 33 ocuparam por 173 vezes o grupo da sorte. Em seguida vem o 51, com 171 aparições. Bons números para a aposta de hoje, hein!!!

A iniciativa de realizar o ensaio da escola Embaixadores do Ritmo em Bento Gonçalves. O embalo dos ritmistas movimentou a comunidade e foi um atrativo a mais para os turistas que estavam na Capital do Vinho.

NÃO CURTI... A falta de luz no Transbordo Municipal. Quem trabalha no local tem que fazer a separação do lixo às escuras. Há iluminação apenas na área externa do local.


4

Geral

Crônica Paulo Vicente Caleffi

Carros X Ruas O leitor pediu e eu fui conferir.

E assim foi, das 17h45min até às 18h15min fiz apenas alguns quarteirões. Tudo era só três marchas: DEVAGAR, DEVAGARINHO e PARADO. Pode parecer estranho alguém estar escrevendo sobre um problema que já existe há muito tempo e vem se agravando. Desculpo-me por trabalhar na periferia da cidade, por ir poucas vezes ao centro da cidade e por sempre ausentar-me do trabalho após às 18h30min, quando o trânsito já acalmou. Não importa! Sou cidadão 24 horas por dia e desculpas não resolvem. Fico imaginando o caos que será na próxima semana, quando iniciar o período letivo. Vai ser um sufoco. Nossa Bento Gonçalves precisa de soluções de infraestrutura planejadas e executadas com ANTECEDÊNCIA para que o problema não se agrave. Já está ruim e, se nada for feito, imagine o quanto vai piorar. Lembro que há cinco anos passados apresentei no CDL, no SINDIBENTO e entreguei para o Poder Público Municipal, um projeto, pago pela FETRANSUL, sobre mudanças significativas no trânsito da cidade transformando-a num sistema viário de mão única que na época certamente aliviaria o trânsito. Hoje pode ser que sirva em parte, pois a cidade já cresceu, e muito. Não adianta pintar o cordão da calçada, manter as ruas limpas, arrumar as flores dos canteiros, pintar as faixas de segurança e os quebra-molas se o trânsito não fluir. O cidadão precisa ir e vir, todo dia e toda a hora. Algumas cidades proíbem o trânsito de caminhões esquecendo que são estes que abastecem o comércio, bares e restaurantes. Outros só permitem o trânsito dos caminhões à noite, quando os estabelecimentos recebedores das cargas estão fechados e não querem abrir por falta de segurança. Outras cidades estabelecem o rodízio de placas: nos dias pares circulam as placas dos veículos pares e nos dias ímpares circulam as placas ímpares, só aumentando o número de carros nas famílias: dois ao invés de um. Tudo é PALEATIVO que demonstra a falta de infraestrutura implantada. Infraestrutura não se começa e termina em apenas dois anos. Já estamos atrasados!

Serviço de limpeza

Prefeitura notifica empresas do pregão Processo licitatório deve acontecer ainda este mês no município Da Redação

ARQUIVO

O trânsito de Bento estava um caos: mais carros do que ruas. Por telefone eu me comunicava com outras duas pessoas para saber se aquele jeitinho de escapar pelo Borgo estava mais disponível: -“Engarrafado!”, era a resposta.

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

redacao@jornalsemanario.com.br

A

prefeitura está retomando os processos para que um novo processo licitatório do serviço de limpeza da cidade seja realizado ainda neste mês. As empresas participantes foram notificadas esta semana de que um novo pregão será realizado, devido ao retorno da empresa CCS à licitação. A data do pregão ainda não foi definida. Segundo o secretário municipal de Finanças, Marcos Fracalossi, como ficou definido que a CCS Serviços Terceirizados estava regular, o processo retornará para o momento anterior ao pregão. Fracalossi explica que a licitação foi dividida em cinco lotes e estão aptas a participar deste processo as empresas CCS e J.L Scorpions (todos os lotes), Arki

Os passos do pregão

As empresas concorrentes são credenciadas; As propostas iniciais são entregues ao pregoeiro em envelopes fechados; É feita a leitura das ofertas e são lançados os valores no Sistema de Acompanhamento de Pregão Presencial; Além da empresa que ofereceu o menor preço, permanecem na disputa as empresas que apresentaram propostas com valores até 10% acima da menor oferta; Não havendo ao menos três ofertas nessas condições, as empresas com as três melhores propostas podem participar do processo;

Disputa vai recomeçar neste mês (somente lote 2) e Marinonio (somente para os lotes 2, 3 e 4). O secretário revela que a no-

Instigados pelo pregoeiro, os concorrentes dão lances verbais, seguindo a ordem de classificação; Quando as empresas esgotam seus lances, encerra-se a etapa competitiva; O pregoeiro negocia com a empresa com melhor proposta uma nova redução de preço; Verificam-se as condições de habilitação da empresa com melhor proposta e, caso tudo esteja de acordo, ela é declarada vencedora; Ao final da sessão, qualquer licitante pode manifestar a intenção de interpor recurso.

tificação foi enviada para as empresas comunicando o posicionamento e as intenções do poder público. As empresas devem responder, ainda esta semana, se concordam com o método exposto ou se há alguma contestação a fazer. Após o recebimento de todas as respostas, será marcada uma data para a realização do pregão. Todas as participantes terão que apresentar valores para a prestação dos serviços, sendo que o menor valor apresentado será o escolhido, desde que a empresa esteja com a documentação em dia. O objetivo do poder público é que a vencedora da licitação inicie os trabalhos já no mês de março. Atualmente, os serviços são realizados pela CCS, sendo que o contrato vence no dia 27 deste mês, podendo ser prorrogado.

Os lotes

Lote 1 – Coordenação e supervisão da equipe de limpeza; assist. administrativa e arquivo; atendimento e recepção; serviço de copa, cozinha e limpeza. Lote 2 – Eletricista automotivo e de máquinas pesadas; especialista em mec.; técnico em Tecnologia da Informação e manutenção de informática. Lote 3 – Carpintaria; corte e quebra de pedras; instalação elétrica predial; instalação hidráulica; pedreiro; pintura de sinalização viária e coordenação e supervisão de equipes de trabalho. Lote 4 – Operação de máquinas pesadas, condução de veículos leves e coordenação e supervisão de equipes de trabalho. Lote 5 – Pintura e recuperação de meio-fio; limpeza e manutenção urbana; roçada e limpeza urbana; coordenação e supervisão de equipes de trabalho; varrição de ruas (gari).


Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

5

Crema/Serra

Empresa recebe ultimato do Daer Empreiteira não retornou de férias coletivas. Reunião em Porto Alegre serviu para cobrar o início imediato dos trabalhos FERNANDO LEVINSKI, ARQUIVO

Fernando Levinski geral1@jornalsemanario.com.br

A

CSL Construtora Sachi, vencedora do lote do Crema/Serra responsável pela manutenção de trechos da RSC-470 e RS-324, foi comunicada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) que as obras devem começar imediatamente, sob o risco de receber alguma punição. Uma reunião que aconteceu no final da semana passada em Porto Alegre determinou a cobrança da empresa. No encontro também ficou estipulado de que a construtora deverá apresentar cronogramas a cada 15 dias sobre as atividades que serão realizadas nas duas rodovias. O primeiro cronograma deverá ser entregue à direção do Daer hoje, quarta-feira. O superintendente regional do Daer em Bento Gonçalves, Sílvio Roberto Pinheiro David, também espera que o ritmo das obras seja acelerado devido ao atraso no cronograma. “Não vamos mais tolerar atrasos, há um contrato a ser cumprido”, enfatiza o superintendente.

Obras Os trabalhos iniciaram no dia 3 de dezembro na RSC-470 nas proximidades de Nova Prata. Entretanto, três semanas depois foram paralisadas por

Roçadas aconteceram no final do mês de julho do ano passado causa de férias coletivas, e não retornou ao trabalho no mês de janeiro. As ações realizadas no final do ano passado foram apenas de conservação e pouco mais de dois quilômetros de pavimento foram trocados. Porém, essa novela é bem mais antiga. O trabalho iniciou no final do mês de julho com a roçada dos acostamentos, entre outros serviços de manutenção. No mês de agosto a empresa iniciou ações de tapa-buracos, além da desobstrução de dispositivos de drenagem, limpeza de pontes entre outras coisas. Em setembro o Daer anunciou que as obras de troca do pavimento deveriam acontecer na segunda quinzena do mês e, segundo o superintendente regional, a troca do pavimento

em todo o trecho da RSC-470 deveria ser finalizada entre os meses de abril e maio deste ano. Outro episódio da novela aconteceu no início de outubro, quando o Daer anunciou que não existia a confirmação de uma data para o início da recuperação do asfalto. A razão alegada eram problemas técnicos nos projetos executivos apresentados pela empresa vencedora da licitação. Outra data anunciada pelo Daer para o início das obras foi no dia 25 de novembro, que acabou não se confirmando. Para recuperar pouco mais de 57 quilômetros nas duas rodovias a empreiteira CSL receberá cerca de R$ 61 milhões. O contrato prevê que a empresa será responsável pela conservação do local por até cinco anos.

Empresa afirma que obras de conservação acontecem O gerente de contratos da empresa CSL, Tiago Borto, afirma que desde o início de janeiro a empresa está cumprindo com as obrigações de conservação do Crema/Serra. “São dois contratos, um de conservação e outro de restauração”, explica. Segundo ele, as obras de conservação acontecem no trecho da serra do Rio das Antas. Porém, ao ser perguntado do

motivo para a empresa não ter retomado as obras de restauração nas rodovias RSC-470 e ERS-324, Borto é evasivo. “Você tem que perguntar ao Daer sobre isso”, enfatiza. Borto afirma que a empresa já tem preparado o novo cronograma que será entregue à direção do Daer nesta quarta-feira. A expectativa é de que as obras de restauração recomecem na próxima semana.


6 Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Setor moveleiro

Baixo crescimento exige mudanças Adelgides Stefenon, mestre em marketing, analisa o desempenho do polo que fechou 2013 com faturamento de 3,01%

E

m uma primeira análise, os números do faturamento da indústria moveleira de Bento Gonçalves em 2013 são positivos. O setor fechou o ano com crescimento de 3,01% chegando a um total de R$ 2,48 bilhões. No entanto, segundo o presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), Henrique Tecchio, o aumento real pode ser considerado nulo ou negativo quando levamos em consideração a elevação dos custos tributários e de produção – com inflação de 5,91% o setor tem crescimento negativo de 2,9 pontos percentuais. A desaceleração das vendas vem acompanhada pelo aumento de preços das matérias-primas e pela consequente alta dos preços dos móveis. O cenário aponta para uma mudança de foco e do modelo de crescimento da indústria no geral. Para Adelgides Stefenon, mestre em marketing e presidente do Instituto Brasileiro do Móvel (Ibramóvel), a redução do desempenho do setor não é surpresa, uma vez que o baixo desempenho já esteja sendo sentido desde 2010. “A indústria moveleira da cidade precisa ser renovada, pois está mostrando sinais de limitação”, afirma. Essa limitação, destacada por Stefenon, acompanha as restrições presentes em todo Brasil. A falta de fornecedores de matérias-primas básicas como aglomerado, MDF e tubos, que força os preços para cima, é uma delas. Por outro lado, o grande número de concorrentes e a semelhança entre os produtos faz

Em 2012, o setor moveleiro registrou crescimento de 7,49% com que os preços dos móveis caiam. Tudo isso, reunido com os altos custos de transporte e canais de venda pouco diferenciados. “Estas características levam a poucos diferenciais entre os produtores de imóveis o que facilita a concorrência, dificultando ainda mais o crescimento de todas as empresas”, avalia. Segundo Stefenon, as razões para o fraco desempenho podem ser resumidas pelo foco excessivo no mercado interno que não cresce. Além disso, as maiores empresas de Bento Gonçalves estão centradas em segmentos de maior poder aquisitivo (lojas exclusivas)

que não estão crescendo como as classes mais baixas. “Uma grande segmentação de marcas dentro da mesma empresa força uma concorrência interna sem muito sentido. O crescimento de concorrentes no segmento de planejados também interfere”, explica. A saída, segundo Stefenon, é desenvolver novos modelos de aproximação com os mercados além das lojas exclusivas e os magazines e expandir o comércio para países como Estados Unidos e Europa. “O mundo tem que ser o limite. Não somente o país. Precisamos investir nas pessoas diferenciadas”.

Possíveis causas para o baixo desempenho do setor Foco excessivo no mercado interno; em segmentos de maior poder aquisitivo; Uma excessiva segmentação de marFalta de aposta no mercado internaciocas dentro da mesma empresa; nal como os EUA e a Europa, responsáNovos polos moveleiros com alta pro- veis por quase 60% do consumo mundutividade cresceram no segmento de dial de móveis; baixo valor agregado; A Argentina limitou as compras de móUm crescente número de concorrentes veis do Brasil e este país representava no segmento de planejados; uma parcela considerável das exportaAs maiores empresas estão centradas ções da cidade FONTE: ADELGIDES STEFENON

Líder, Arapongas aposta nas classes C e D De acordo com Stefenon, Bento Gonçalves sempre liderou mudanças significativas em toda a indústria. Foi assim com a produção em série na década de 1970, a verticalização da produção na década de 1980; na década de 90 o uso da baixa pressão (BP) e do finish foil (FF) em substituição à lâmina de madeira natural aumentou a produtividade, além de investir em tecnologia italiana e alemã. “O polo ampliou o conceito de franquias para lojas exclusivas, mudando radicalmente toda a indústria brasileira com extensão dos móveis planejados da cozinha para todos os ambientes das residências, com o uso do design como ferramenta de diferenciação”, afirma. Mas no novo século, conforme Stefenon, a cidade foi superada por Arapongas (Paraná) e interior de São Paulo na produção de móveis seriados de baixo valor agregado. “As exportações nunca deslancharam e a concorrência aumentou em muito internamente. O sucesso das lojas exclusivas foi copiado indiscriminadamente e hoje já mostra sinais de esgotamento por alguns problemas decorrentes na administração das lojas junto aos clientes”, justifica. Com esse bom desempenho, a indústria moveleira do Paraná cresceu 3,2% enquanto a produção do setor no país inteiro cresceu 2,1%. Arapongas se destaca com 11 mil pessoas na linha de produção e faturamento de R$ 1.403 bilhões em 2012. Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Móveis

Alternativas para recuperação Desenvolver novos modelos de aproximação com os mercados além das lojas exclusivas e os magazines; Expandir os horizontes para novos países, em especial os EUA e Europa; Reduzir a dependência das matérias-primas oligopolizadas; Novos canais de distribuição;

IVONALDO ALEXANDRE/GAZETA DO POVO, DIVULGAÇÃO

JEFERSON SOLDI, DIVULGAÇÃO

Josiane Ribeiro geral4@jornalsemanario.com.br

Poliseli, presidente do Sima de Arapongas (Sima), Nelson Poliseli, o segredo está em focar em produtos populares para as classes C e D. “Arapongas cresceu e se modernizou, gerando empregos em mais de 160 empresas. Nosso perfil está na linha de produção em série, diferentemente do polo de Bento Gonçalves que se destaca nos móveis planejados. Nosso objetivo é auxiliar pessoas das classes mais baixas que estão sendo beneficiadas pelo governo com programas como o Minha Casa, Minha Vida. Praticamente toda produção é distribuída no país, sem enfoque no comércio exterior”, explica o presidente. Segundo Poliseli, a estimativa é que o setor apresente resultado de crescimento de 10% em 2013. Para o primeiro trimestre desse ano, a aposta está também na qualificação dos profissionais. “Pretendemos crescer ainda mais, pensando no preço baixo sem abrir mão da qualidade do produto”, destaca.

Investir mais e melhor em marketing, em logística e no entendimento do comportamento do consumidor; Definir novos modelos de competitividade baseados em inovação; Visitar mais e mais os mercados do mundo para repensar modelos de sucesso internacionais - parcerias internacionais podem ajudar.


Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Avaliação do presidente

Setor precisa pensar em uma nova formatação

Sem os números oficiais do crescimento do Rio Grande do Sul, que ficam prontos em abril, Cansan avalia que o faturamento será maior do que a média do crescimento do PIB a nível de Brasil. “O setor em 2013, como um todo, ficará de 2,6% a 3%. Passamos um ano com várias dificuldades, mas a indústria moveleira ainda é muito forte e atuante”, avalia. Conforme o presidente,

Cansan, presidente da Movergs para aumentar o faturamento, a indústria deve continuar apostando em suprir as necessidades do consumidor, independente da classe. “Cada vez mais pessoas das classes C e D buscam móveis de qualidade, novidades e marcas, deixando de lado um pouco o preço. As classes A e B continuam com um consumo estruturado pela qualidade do atendimento e lançamentos. O mercado interno consume apenas 1/5 da produção. Com certeza há espaço para mais móveis dentro dos nossos lares em todas as classes”, justifica. Outra necessidade apontada por Cansan está no governo que precisa administrar uma política econômica e não apenas de poder. “É preciso que o governo entenda que o setor produtivo merece atenção, com taxas diferentes perante aos demais competidores. Caso contrário as nossas indústrias estarão cada vez menos competitivas”, finaliza.

O faturamento nominal da indústria moveleira de Bento cresceu 3,01% em 2013, chegando a um total de R$ 2,48 bilhões. O crescimento foi muito abaixo ao de 2012, onde registrou-se 7,49% de aumento. O presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio, avalia o crescimento e fala sobre a expectativa para 2014 que, segundo ele, será um ano atípico para o Brasil. Jornal Semanário: O baixo índice indica que o polo precisa de uma mudança de mercado e perfil? Henrique Tecchio: Os fatores que influenciaram o baixo desempenho não são apenas mercadológicos. Se avaliarmos a produção industrial como um todo, também notamos um índice baixo. A economia brasileira fechou com um PIB reduzido e as perspectivas para este ano já são de crescimento menor. Nossas indústrias possuem a melhor tecnologia do mundo, a matéria prima é adquirida praticamente dos mesmos fornecedores, por isso, o que necessitaremos é cada vez mais investimentos em qualificação, visando assim que nosso modelo de negócio migre de produto para serviços. JS: Por que deve ou não mudar? Tecchio: A evolução do mer-

SILVIA TONON, DIVULGAÇÃO

Para alavancar o crescimento

Os desafios e apostas para o setor EVANDRO SOARES, DIVULGAÇÃO

Para atuar de forma mais competitiva e ganhar mais destaque no cenário nacional, Ivo Cansan, presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul, acredita que o setor moveleiro, em específico o ramo dos planejados, precise passar por uma formatação e atualização. “Não vamos reinventar a maneira de como será feito, mas sim a forma de fazer e fazer bem feito. O setor passa por uma estagnação e precisamos retomar isso”, afirma Essa reformulação, conforme Cansan, está em atingir o público de uma forma diferente, estruturando os pontos de venda, melhorando o serviço e o contato com os distribuidores. “Precisamos atender as necessidades básicas da população e mudar a forma de buscar os clientes e parceiros. Os lojistas precisam reverter esse descrédito que foi criado nos últimos dois anos através de parcerias”, explica.

7

Tecchio, presidente do Sindmóveis cado consumidor é constante, por isso, devemos estar atentos e sensíveis a fim de conseguirmos entender quais são as reais necessidades e perfis de nosso consumidor. O mercado de móveis no Brasil é de R$ 50 bilhões, oportunidades não faltam. JS: Estamos próximos de um esgotamento dos planejados? Tecchio: Não, porque ainda é a melhor opção se avaliarmos custo x benefício e também devido a grande quantidade de imóveis ainda a serem mobiliados onde o móvel planejado se adapta perfeitamente. JS: Quais são as saídas?

Tecchio: Investimentos em qualificação e gestão das lojas. O diferencial é e continuará sendo o serviço oferecido. JS: As empresas pensam em focar nas classes C e D? Tecchio: Muitas industrias do nosso polo já produzem móveis para classe C e D. A dificuldade, por vezes, está nos custos logísticos por estarmos no extremo do Brasil e isso nos onera mais do que outros polos. Nossas empresas precisam agregar inovação, tecnologia e design com um custo acessível para este tipo de público. Somente assim poderemos mais uma vez nos diferenciar e compensar outras questões que nos tiram a competitividade. JS: A aposta está também na Movelsul. Quais são os desafios e as particularidades desse ano? Tecchio: O grande desafio está em, mesmo num cenário recessivo, mantermos um crescimento acima da média. Não possuímos histórico em relação à Copa do Mundo, também não temos parâmetros comparativos de como o mercado moveleiro vai se comportar durante este período. Por isso, o esforço necessitará ser maior e o cuidado proporcional para que não tenhamos perdas.


8 Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Chimarrão

Preço da erva-mate cresce 136% Mesmo com o aumento do produto, consumidores não deixam de apreciar a bebida e buscam alternativas para economizar JOSIANE RIBEIRO

Josiane Ribeiro geral4@jornalsemanario.com.br

E

scolher um pacote de erva-mate na prateleira do supermercado não é mais uma tarefa fácil. Desde agosto de 2013, tomar chimarrão ficou mais caro para o consumidor. Apreciadores da bebida se deparam com o aumento de mais de 136% - hoje o quilo mais barato fica em R$ 10,90 podendo chegar a até R$ 14,90. O aumento se deve especialmente pelo reajuste realizado pelos produtores da erva em todo Estado. No entanto, apesar dos preços altos, os gaúchos não deixaram de comprar o produto e buscam alternativas para economizar. Para a professora Fernanda Toniolo a saída foi trocar a marca da erva-mate optando por outra um pouco mais barata. A diferença não é grande, mas já pode influenciar no final do mês. “Realmente para quem toma chimarrão todos os dias ficou mais caro, basta dar uma olhada nos supermercados. Antes o pacote ficava em torno de R$ 6 ou R$ 8, hoje passa de R$ 13”, afirma. Outra medida encontrada foi reduzir a quantidade de erva no chimarrão e diminuir também o tamanho da cuia. “Quando não recebemos visitas em casa usamos uma cuia pequena que leva pouca erva. Com certeza o gaúcho não está mais esbanjando erva-mate”, complementa.

Reajuste para produtores atinge média de até 400% O reflexo do aumento do preço da erva-mate já atinge os pequenos produtores. Segundo Jaqueline M. B. Ferrari, proprietária da Casa da Erva-mate localizada nos Caminhos de Pedra em Bento Gonçalves, a pouca oferta e a grande demanda são os principais fatores que influenciaram essa alta. Jaqueline, que apenas compra a erva-mate e processa, avalia a alteração do preço da arroba (equivalente a 15kg de erva). “Ano passado pagávamos de R$ 6 a R$ 8 a arroba. Agora estamos pagando até R$ 28, dependendo do produtor. Apesar disso não podemos repassar todo esse reajuste ao consumidor final”, afirma. O reajuste verificado varia de 366% a 400% dependendo

muito de região para região e ainda da qualidade do produto e negociação com cada ervateira. Para Jaqueline, o preço cobrado pelo produtor é justo. “Era um reajuste que eles batalhavam a muito tempo. O cultivador merecia. Para quem não conhece o processo pensa que é fácil, mas o produtor sofre. É tudo manual e demanda tempo. A colheita, por exemplo, só é feita a cada dois anos”, justifica. Mesmo com os preços altos, Jaqueline verifica que os clientes não deixaram de comprar e buscam, agora, mais qualidade do que preço. “Recebemos muitos comentários sobre o aumento, mas temos cliente fieis que buscam o sabor artesanal”, finaliza.

Valor nas prateleiras dos supermercados pode chegar até a R$15

Cuia menor é alternativa Diminuir a quantidade de erva-mate que vai na cuia para o chimarrão é uma das alternativas encontradas pelos gaúchos para economizar no dia a dia. A dona de casa, Marlene Mezacasa Pierucci, não reduziu o consumo e nem cogitou substituir

a marca que compra a tantos anos. “Não fico sem chimarrão, por isso não posso fugir dos preços altos. O aumento foi alto sim. Para não ficar sem tomar chimarrão acabei comprando uma cuia menor que leva menos erva. A parte do ‘morrinho’, que não influencia muito, também está bem menor”, destaca.

Acompanhe o aumento De 2012 a agosto de 2013 o preço da arroba (15kg de erva-mate) ficava em R$ 6. A partir do ano passado, após reajuste, o produtor está cobrando até R$ 28 pela arroba. O pacote de 1kg de erva-mate, em 2012, ficava entre R$ 6 a R$ 8. Hoje o consumidor paga mais de R$ 10 dependendo a marca. A variação de preço nas prateleiras chega até 38%. O pacote mais barato pode ser encontrado por R$ 10,90 e o mais caro por R$ 15. Outros valores: R$ 11,49| R$ 11,90 | R$ 12,90 | R$ 14,69


Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

9

Água

Corsan garante fornecimento Gerente da unidade em Bento afirma que reservatórios estão com bons níveis. Consumo deve se manter alto até março FERNANDO LEVINSKI

Fernando Levinski geral1@jornalsemanario.com.br

C

om a chegada do verão já é normal o aumento do consumo de água. Porém, apesar das altas temperaturas na Serra Gaúcha, o gerente da unidade da Corsan em Bento Gonçalves, Claudio Ferreto, garante que, no momento, não há risco de racionamento de água no município. Na avaliação dele, o nível de água nas barragens é considerado bom. Entretanto, o gerente alerta para a possibilidade de quedas no fornecimento de energia e, a partir disso, prejudica o sistema de distribuição de água. Ferreto explica que o consumo sempre se mantém alto durante o verão, principalmente em períodos de alta temperatura, como está acontecendo nas últimas semanas. De maneira geral o aumento acontece

Ferreto enfatiza que as quedas no fornecimento de energia elétrica podem prejudicar a distribuição mais especificamente entre os meses de dezembro a março. Sobre qual a região que mais consome água na cidade, o gerente da unidade explica que as medições não acontecem especificamente por bairros, mas por setores de distribui-

ção, que são áreas da cidade divididas da seguinte maneira: São Roque, Aparecida, Ouro Verde, Zatt, Bertolini, Panorâmico; Imigrante, Santa Marta, Santa Helena e Fátima; Humaitá, Progresso, Maria Goreti e Conceição; Botafogo, Cidade

Alta, São Bento, Verona, Santa Rita, Santo Antão, Jardim Glória, Municipal e Pomarosa; São Francisco, Borgo e Centro; Licorsul, Cohab, Salgado, Vila Nova, Eucaliptos, Fenavinho, Barracão e Santo Antoninho.

O monitoramento do consumo é feito analisando a média dos níveis nos reservatórios.

Um alerta Apesar do gerente da unidade garantir que não há risco de racionamento de água, ele enfatiza a necessidade da população realizar um consumo consciente, evitando qualquer desperdício. Além disso, ele destaca a importância das residências possuírem um reservatório de água, levando em consideração o número de moradores e a média de consumo da família. Outro ponto enfatizado pelo gerente é que a distribuição de água na cidade necessita de dezenas de estações elevatórias. Porém, em caso de falta de energia elétrica a distribuição pode ser prejudicada. Por isso o reservatório de água é importante.


10 Geral

Quarta-feira,12 de fevereiro de 2014

Pavimentação

Três locais beneficiados no interior Estrada dos Sabores, São Pedro e Vale dos Vinhedos receberão mais de cinco quilômetros com estradas asfaltadas FOTOS ARQUIVO

Fernando Levinski geral1@jornalsemanario.com.br

A

lgumas estradas do interior de Bento Gonçalves receberão pavimentação asfáltica até o final do primeiro semestre. A Câmara de Vereadores aprovou na última sessão a abertura de crédito no valor de R$ 3 milhões para as obras. Serão beneficiadas três localidades no interior do município; Estrada dos Sabores, Santa Lúcia, no Vale dos Vinhedos e em São Miguel, no distrito de São Pedro. Dos três locais, apenas São Miguel passará por um processo de recapeamento, pois já possui asfalto. O secretário de Governo do município, César Gabardo, estima que a empresa vencedora da licitação deverá ser conhecida em, aproximadamente, 30 dias, o que será depois da colheita da safra de uva. Após esta etapa, ele espera que as obras possam ser concluídas entre 30 e 40 dias. Esse asfaltamento é o resultado de um convênio entre a prefeitura e o Badesul, a par-

Em São Miguel haverá um recapeamento do asfalto existente

Parte da Graciema também será beneficiada com o asfaltamento

ceria foi firmada em dezembro de 2011. No mesmo período foi criada a lei municipal que autorizou o convênio. De acordo com o projeto encaminhado para a Câmara de Vereadores, a Estrada dos Sabores será beneficiada com um quilômetro de asfalto, já São

investimentos sociais exigida pela Caixa para a liberação de R$ 65 milhões, que serão destinados para a pavimentação de vários trechos nos distritos de Faria Lemos, com seis trechos, Tuiuty, em três locais, quatro lugares em São Pedro e dois pontos no Vale dos Vi-

Miguel e Santa Lúcia receberão 1,8 quilômetro de asfalto cada.

R$ 65 milhões A prefeitura está estudando quais os projetos serão incluídos em uma contrapartida de

nhedos. A contrapartida terá que ser de 50% do total do projeto. A definição dos locais que serão beneficiados aconteceu após uma seleção inicial dos sub-prefeitos, que depois foi encaminhado ao prefeito e definiu a lista final dos locais.

Chuva de granizo

Temporal provoca estragos VINICIUS MIEZNIKOWSKI

Duas casas foram destelhadas no bairro Planalto ANTONIO SERGIO DE OLIVEIRA/RÁDIO DIFUSORA

Um temporal seguido de ventos fortes e granizo atingiu algumas áreas da cidade na tarde da segunda-feira, 10. As chuvas vieram acompanhadas do granizo, que acabou destelhando algumas residências no bairro Planalto. Foram apenas alguns minutos, mas o suficiente para causar alguns estragos provocados principalmente pelo granizo e a ventania. Na RSC-470, no trecho entre o Grupo Rodoviário da Brigada Militar e o trevo da Telasul, ocorreram danos em painéis de publicidade e queda de árvores, quase no entroncamento da rodovia com a ERS-444, no Vale dos Vinhedos. Um outdoor por pouco não atinge uma residência nas proximidades da rodovia.

Na RSC-470, um outdoor quase caiu em cima de uma residência


Geral

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Presídio

Apenados já estão usando tornozeleiras Juiz Rudolf Reitz já autorizou a utilização do aparelho em 13 detentos DIVULGAÇÃO

Da Redação redação@jornalsemanario.com.br

D

esde segunda-feira, 10, os primeiros detentos do Presídio Estadual de Bento Gonçalves devem estar utilizando as novas tornozeleiras eletrônicas. O juiz-substituto da 1ª Vara de Execuções Criminais, Rudolf Carlos Reitz, autorizou 13 apenados a deixarem a casa de detenção e irem para suas residências já com os novos equipamentos. A expectativa é que até 20 detentos do regime aberto deixem a penitenciária. Rudolf Reitz está analisando cada um dos pedidos enviados pelo presídio. Além disso, o representante do Poder Judiciário tem solicitado a manifestação do Ministério Público antes de deferir a utilização do equipamento. Até o momento, 13 detentos já estão com as tornozeleiras. Outros três aguardam o deferimento do juiz. De acordo com o diretor do presídio, Volnei Zago, a saída destes detentos vai diminuir a lotação nas celas. Ele revela que boa parte dos detentos do regime semiaberto, que aguardam progressão de regime, já manifestaram interesse em utilizar a tornezeleira. Hoje, dos 30 apenados do aberto, apenas 13 optaram por não usar o equipamento. “Temos certeza que a adesão será grande, mas dependeremos do judiciário para avançarmos”, finaliza.

Nova vida O apenado L.C.C., de 28 anos, recebeu sua tornozeleira na tarde desta terça-feira. Ele já foi preso por vários crimes e estava cumprindo cinco anos de detenção. Ele afirma que a colocação do equipamento é um voto de confiança da Susepe e do Poder Judiciário na recuperação do apenado. “Mesmo monitorado, fico feliz de poder voltar para casa e dormir com minha filha”, afirma o detento. Para L.C.C., a tornozeleira chega como uma antecipação de um mês da sua liberdade. O presidiário vai ter direito a liberdade condicional no mês de março e poderá retirar o equipamento.

Monitoramento será efetuado pela Central da Susepe, em Porto Alegre

Como funcionam as tornozeleiras Satélite O aparelho instalado na perna do monitorado se comunica por GPS, sistema de navegação por satélite. Monitoramento O equipamento recebe as informações de posicionamento Operadora GSM/GPRS Pela rede GPRS, mesma usada nos celulares, as informações seguem para o Data Center por conexão segura. Centro de Processamento de Dados Os servidores estimam, a partir da posição da pessoa, saídas, chegadas, paradas, violações e diversos eventos. Central da Susepe As informações geradas são remetidas à Central da Susepe, onde um sistema guarda o cadastro dos monitorados e alerta as ocorrências. Trinta agentes trabalham por turno no monitoramento (funciona 24h). Uma Central de Monitoramento da Serra funcionará em Caxias do Sul, onde atualmente é o Instituto Penal, na rua Conselheiro Dantas, no bairro Sagrada Família.

As infrações Violação da zona de inclusão Quando o monitorado ultrapassa áreas de circulação permitidas pelo juiz. Quando isso acontece, agentes telefonam e mandam mensagens pedindo ao monitorado para retornar à zona permitida. O mesmo ocorre quando os horários estipulados também são descumpridos. Se não obedece, ele é considerado foragido. Dispositivo rompido Os sensores de luz e ar indicam quando o preso tenta violar a caixa. Quando o apenado tenta retirá-la, uma luz vermelha acende, o aparelho vibra, e agentes da Susepe entram em contato. Violação da zona de exclusão Quando o monitorado está em áreas cadastradas como proibidas. Também é feito o contato com o apenado pelo celular. Caso ele não responda, entra na lista de foragidos.

11


12

Segurança

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Rodovia

RSC-453

Acidentes registrados na RSC-470

Bebê de quatro meses está em estado grave

Ao fazer uma curva e acessar a RSC-470 a carreta virou na pista

Noemir Leitão policia@jornalsemanario.com.br

N

a manhã de ontem, 11, uma carreta, com placas de Tupandi, trafegava pela RSC-453, no quilômetro 96, quando ao tentar realizar uma curva e acessar a RSC-470, em Garibaldi, acabou tombando. A carreta estava carregada com chapas. Na cabine haviam seis pessoas, um casal e quatro fi-

lhos. Duas crinças foram atendidas no Hospital São Pedro e liberadas. A situação mais grave é do bebê de quatro meses que ficou gravemente ferido. Ele foi encaminhado para o Hospital, onde passou por exames e na tarde desta terça foi transferido para o Hospital Cristo Redendor, em Porto Alegre, onde aguarda um leito de UTI Pediátrica em um dos hospitais da região.

ERS-444

Dois caminhões colidem no trevo do Barracão FOTOS ANTÔNIO SÉRGIO DE OLIVEIRA/RÁDIO DIFUSORA, DIVULGAÇÃO

Na noite da última segunda-feira, 10, por volta das 21h20mim, aconteceu um acidente de trânsito no quilômetro 107 da RSC-453 com a ERS-444, no trevo de acesso ao Barracão, no município de Farroupilha. No local houve a colisão de dois caminhões. Um com placas de Caxias do Sul e o outro com placas de Santa Cruz do Sul. A Polícia Rodoviária Estadual de Bento Gonçalves compareceu no local para fazer o registro da ocorrência. Nenhum dos motoristas ficou ferido, houve apenas danos materiais nos caminhões.

Ambos os caminhões tiveram danos materiais

Dois acidentes ocorreram no início do final de semana na rodovia da RSC-470. O primeiro ocorreu na noite de sexta-feira, 7, na cidade de Garibaldi e envolveu um veículo C3 com placas de Bento Gonçalves. O motorista perdeu o controle e acabou caindo em uma vala, e o seu carro ficou com as rodas para cima. Os dois ocupantes acabaram saindo pela janela. Eles receberam atendimento pelos Bombeiros Voluntários de Garibaldi. No local, a Prefeitura de Garibaldi abriu essa vala para que fosse instalada a nova rede de esgoto de um bairro da cidade. O outro acidente ocorreu na noite de sábado, 8, por volta das 19h40min, e deixou um motorista ferido na RSC-470, também em Garibaldi, próximo a uma empresa. O veículo

Centro

Veículo é furtado e condutor é levado junto Na noite do último domingo, 9, um veículo Fiat/Palio foi roubado em frente a Unimed, na rua Assis Brasil, no Centro de Bento Gonçalves. A vítima relatou a polícia que foi abordado por um elemento que chegou portando uma arma de fogo e anunciou o roubo. O assaltante ordenou que ele saísse do veículo e entrasse no porta-malas do carro. O elemento ficou rodando com o automóvel pela cidade por aproximadamente uns trinta minutos, quando parou em uma rua, abriu o porta-malas e mandou a vítima sair. O ladrão determinou que ele corresse e não olhasse para trás, ameaçando que iria atirar caso não fizesse o que ele estava mandando. A vítima então percebeu que estava na rua dos fundos do cemitério municipal. Além do veículo foi roubado uma quantia em dinheiro e um celular. O autor do roubo estava com uma touca que encobria seu rosto. Por volta das 23h, o veículo foi localizado abandonado na rua Adelaide Basso Pasquali. O carro foi recolhido e encaminhado para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

FELIPE MACHADO/RÁDIO DIFUSORA, DIVULGAÇÃO

Carreta tomba e três crianças ficam feridas

Dois motoristas perderam o controle de seus carros e caíram em valas CRV, com placas de Garibaldi, perdeu o controle do carro e tombou também em uma vala na lateral da pista. Compareceram para prestar atendimento os Bombeiros Voluntários de Garibaldi, com o apoio do Serviço de Aten-

dimento Móvel de Urgência (Samu), que encaminhou o homem de 51 anos para o Hospital Tacchini com ferimentos. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) monitorou o trânsito e efetuou o registro de ocorrência.

Colisão

Uma pessoa fica ferida em acidente na RSC-453

O condutor do Corsa ficou ferido e precisou ser atendido Na manhã desta segunda-feira, 10, por volta das 9h, a colisão entre dois automóveis e um caminhão na RSC-453, quilômetro 94, próximo ao trevo do bairro Alfândega, em Garibaldi, deixou uma pessoa ferida. Um Corsa, placas de Farroupilha, que vinha no sentido Boa Vista do Sul/Garibaldi se envolveu na colisão com um Ford Fiesta, placas de Campo Bom. Com a pancada o Corsa rodopiou na pista e chocou-se com um caminhão MB 608, com placas de Garibaldi. Luis Daniel Vieira, de 41

anos, condutor do Corsa, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros Voluntários de Garibaldi e encaminhado para o Hospital São Pedro. O trânsito ficou lento no local até a remoção dos veículos.

Os dois carros colidiram e o Corsa atingiu o caminhão


Esportes

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

13

Gauchão 2014

Esportivo vive situação delicada Técnico Flávio Campos admite mudanças no elenco com deficiências e busca de resultados para não ser rebaixado VINICIUS MIEZNIKOWSKI

Vinicius Mieznikowski esporte@jornalsemanario.com.br

O

Esportivo não teve sorte na estreia do técnico Flávio Campos e perdeu fora de casa pela sétima rodada do campeonato gaúcho para o time do São Luiz de Ijuí, na noite de sábado,8. O São Luiz por sua vez, jogou melhor e venceu o Esportivo pelo placar de 3 x 0, com gols de Aloísio, Felipe Alves e Ademir Sopa. Para Campos, a a equipe foi muito mal na partida, o que é fator de grande preocupação para a comissão técnica. “A situação delicada do clube passa pelos atletas. A avaliação é que devemos melhorar isso, para que os jogadores possam estar melhores a nível físico, para que estejam melhores tática e tecnicamente. Assim vamos trabalhar a equipe de uma maneira melhor, para que possamos chegar no gol, com melhor efetividade e finalizar com melhor certeza, com posse de bola e não-vulnerabilidade na defesa, caso contrário, não fica fácil vencer.” disse o treinador A equipe de Bento chegou a sua sétima rodada na penúltima colocação. A preocupação com a zona do rebaixamento é grande e assombra, já que são seis pontos somados na classificação, sendo que no geral do campeonato existem quatro equipes abaixo do Esportivo que tem um ponto

Sétima Rodada 14/02 Juventude x N. Hamburgo 15/02 Inter x Caxias São José x São Paulo 16/02 Grêmio x Esportivo Lajeadense x Cruzeiro Veranópolis x Passo Fundo Brasil x São Luiz Aimoré x Pelotas

Esportivo precisa de vitórias nos próximos jogos para subir na tabela do grupo A e afastar o rebaixamento a menos; Aimoré, São Luiz, São Paulo e Pelotas, todas equipes somam cinco pontos. “O nosso time tem uma luta muito grande que é brigar contra o rebaixamento. Mediante os adversários e tabela, a avaliação que eu faço do grupo é que a gente briga contra o rebaixamento. Essa será a nossa gana e a nossa luta daqui até o final. Se isso ocorrer, o Esportivo deve comemorar como um título, porque a situação é muito delicada.Dessa forma nós vamos trabalhar forte e tentar trazer atletas, para incorporar o plantel da melhor maneira possível, para que se possa jogar um campeonato gaúcho para fazer

pontos.” explicou o técnico. O Esportivo busca o resultado positivo, depois da mudança de comando do novo treinador. Campos pegou o time praticamente sem muitas alternativas, já que teve apenas um dia para fazer treinamentos e conhecer mais a fundo a situação vivida pelo Alviazul. O momento no Montanha dos Vinhedos é de renovação, esquecer o passado e pensar no novo. A participação da torcida neste momento que o clube atravessa é fundamental para reerguer a honra e a tradição no campeonato gaúcho. O próximo adversário do Es-

portivo é o Grêmio no Estádio Montanha dos Vinhedos no domingo, 16, a partir das 16h. O adversário vem de um empate com o Inter em casa.

Grupo A 1) Inter 2) Brasil 3) Veranópolis 4) São José 5) Lajeadense 6) Juventude 7) Esportivo 8) Aimoré

Sétima Rodada Grêmio 1x1 Inter Caxias 3x0 São José Cruzeiro 2x1 Aimoré VEC 4x2 São Paulo Passo Fundo 2x1 Juventude Pelotas 1x1 Brasil São Luiz 3x0 Esportivo N. Hamburgo 2x1 Lajeadense

P 19 14 12 10 9 8 6 5

Grupo B 1) Grêmio 2) Cruzeiro 3) Caxias 4) Passo Fundo 5) Novo Hamburgo 6) São Luiz 7) São Paulo 8) Pelotas

P 12 9 8 8 7 5 5 5

Mais três reforços para fugir da zona do rebaixamento FOTOS DIVULGAÇÃO

Para que o Esportivo continue brigando para não cair, o clube correu atrás de novos reforços depois da chegada de Flávio Campos. Nessa semana o clube dispensou os jogadores Walisson, Rafael Assis e Cássio Gabriel. O tempo é curto para fazer planos e quem desembarca no Montanha dos Vinhedos deve estar pronto para entrar em campo. O Esportivo anunciou ainda na segunda-feira, 10, a contratação do meia Ricardo Maria, de 22 anos, e do volante Maiquel Weber, de 21. Ricardo estava treinando no Santa Cruz e foi treinado por Flávio Campos no Lajeadense. Ele

Maiquel Weber Naturalidade: Dois Irmãos Altura: 1,82 m Idade: 21 Posição: Meia

Ricardo Maria Naturalidade: Estrela Altura: --Idade: 21 Posição: Meia

Felipe Athirson Naturalidade: Santa Rosa Altura: 1,81 m Idade: 28 Posição: Meia

vem para dar mais qualidade ao meio-campo, principalmente ao setor de criação. Já Maiquel estava nas categorias de base do Internacional, e reforça a marcação. O diretor do clube, Bruno Noventa, explica que ainda esta semana o clube deve anunciar mais um volante, um meia e um atacante. “Precisamos mudar as coisas para ver se o time reage”, afirma o dirigente. Outro nome que já está treinando no clube, mas não assinou contrato ainda é o meia Felipe Athirsson, que passou pelo clube no ano de 2013. Segundo Noventa, ainda faltam detalhes técnicos do contrato para fechar oficialmente com Athirson.


14 Esportes

Quarta-feira,12 de fevereiro de 2014

Cards

Superliga B

1º Torneio Aberto de Card acontece hoje no L’América

O próximo adversário do Bento é a equipe do Sesi, sexta colocada Vinicius Mieznikowski esporte@jornalsemanario.com.br

O

Bento Vôlei entrou em quadra no sábado, 8, em Novo Hamburgo e não conseguiu repetir a vitória com o Voleisul. O time de Fernando Rabelo perdeu por 3 sets 2 para os comandados do técnico Gilson, com parciais de 15/21, 21/16, 21/16, 16/21 e 18/16. A derrota fora de casa deixa a disputa na tabela mais complicada para o Bento, já que Santo André e São José encostaram na classificação e somam 14 pontos. O Sada segue firme na liderança com 20 pontos, mesmo

1ª Rodada – Returno Voleisul 3 x 2 Bto. Vôlei Parciais: 15/21, 21/16, 21/16, 16/21 e 18/16 Sada 1 x 3 Olympico Parciais: 17/21, 21/16, 21/17 e 21/17 Santo André 3 x 1 Sesi Parciais: 12/21, 21/12, 21/19 e 21/13

tidas tem saído na frente no placar, mas logo depois acaba deixando o adversário se aproximar e tomar conta do jogo. O que se percebe muitas vezes dentro de quadra é o nervosismo dos jogadores, em querer buscar a vitória e fechar a partida. A ansiedade atrapalha a equipe que precisa pontuar. A semana de treinamentos no Ginásio Municipal de Esportes e na academia segue intensa com o grupo. O jogador Dentinho segue fazendo tratamento para a panturrilha, já que na últimas partidas teve que entrar no sacrifício no jogo.

perdendo o último jogo para o Olympico dentro de casa. O Voleisul de Novo Hamburgo cresceu nas últimas partidas e também quer a vaga na fase final da Superliga B. O jogo de amanhã, 13,com o Sesi é de vital importância para a campanha da equipe, já que os pontos podem ajudar o Bento a ganhar uma gordura sobre os adversários. Para o técnico do Bento, Fernando Rabelo, o próprio Sesi é candidato a se classificar. “No esporte tudo pode acontecer,” disse Rabelo. A instabilidade do Bento Vôlei preocupa o torcedor, já que a equipe nas últimas par-

Classificação

S. José 3 x 2 Rio Claro Parciais: 17/21, 16/21, 21/11, 23/21 e 22/20

Sada Bento Santo André São José Voleisul Sesi Olympico Rio Claro

2ª Rodada - Returno Sesi x Bento Vôlei - 20h São Paulo-SP - Vila Leopoldina Santo André x Voleisul Rio Claro x Olympico São José x Sada

20 14 14 14 12 8 8 6

A busca pelo equilíbrio na quadra VINICIUS MIEZNIKOWSKI

O começo da competição foi empolgante. O Bento chegou a abrir vantagem e depois acabou caindo de rendimento. Apesar dos problemas enfrentados, desfalques e as vitórias que não vieram, o técnico Fernando Rabelo segue otimista com relação a campanha, mas não esconde que está preocupado com o atual momento do time. “Nós saímos muito bem, com quatro vitórias, depois tivemos duas derrotas, mas acredito que estamos no caminho e nós sabíamos que seria assim. A questão dos pontos preocupa, mas temos que jogar voleibol e vencer. Ninguém imaginou que abriríamos uma boa vantagem e sabíamos que seria

Rabelo: “Estamos no caminho certo e sabiamos que seria assim” pegado. Nesse ponto é que entra o diferencial, ter cabeça para administrar,” disse o treinador. Sobre possíveis problemas fora de quadra, Rabelo explica que as únicas preocupações, são

com relação ao jogador Dentinho que tem uma contratura na panturrilha e o levantador Brasilia que tem uma leve torção no tornozelo. Sobre a última partida com o Voleisul, o técnico credita o mal desempenho as mudanças táticas do adversário. “Nós sempre saímos vencendo nos primeiros sets. No jogo com o Voleisul, tiveram alterações táticas e algumas inconstâncias técnicas também, que permitiram que eles virassem o jogo para 2 sets 1. No quarto set nós fizemos um excelente jogo. O tié-break também foi bem disputado, e nós estávamos na frente até 13/12, quando eles fizeram uma bela defesa e conseguiram virar o jogo,” concluiu Rabelo.

Um esporte diferente de tudo que existe, o card já é mania em vários países do mundo e vem ganhando cada vez mais força no Brasil. Em Bento, um grupo de pessoas se reuniu para promover o 1º Torneio de Cards Magic e Pokemón, com o objetivo de reunir todos os amantes do card de Bento Gonçalves. A competição acontece hoje, 12, na sala 309 do Shopping L’América. Para quem não conhece ou não é praticante de card, é uma grande oportunidade para conhecer o esporte. O organizador do evento, Rafael Jaques, explica que no jogo existem milhares de cartas diferentes, que vem com pacotinhos sortidos, onde o jogador adquire esses pacotes e monta um baralho de 60 cartas, de acordo com a estratégia que julga ser apropriada para o combate. “Ganha o jogo quem conseguir desabilitar o adversário de alguma forma (existem diversas maneiras, segundo as regras). É um jogo bem interessante e que usa muito a capacidade de raciocínio, improvisação e criativi-

DIVULGAÇÃO

Bento Vôlei busca a vitória fora de casa

Cerca de 20 participantes são esperados para a competição dade de cada jogador. Desde o momento em que monta a estratégia do seu trabalho, até o momento em que precisa decidir o que fazer durante o jogo.” explica Jaques. Mais informações sobre o torneio podem ser obtidas no seguinte endereço através das redes sociais: https://www.facebook.com/groups/rpg.bento.

Futsal

BGF começa a formatar a equipe para a temporada O BGF realiza no sábado, 15, peneira para avaliação de jogadores no Ginásio da Madecenter. O trabalho será realizado pelo técnico Vaner Flores, com o objetivo de buscar atletas para o grupo do BGF em 2014. No dia serão avaliados atletas nascidos em 94, 95, 96 e 97. O grupo de jogadores foi divulgado na tarde de terça-feira, 11, pelo novo presidente do BGF, Alcindo Somensi, que assume o cargo no lugar de Gildinei Ferreira. O clube pretende para 2014 montar um plantel enxuto para o primeiro semestre e no segundo buscar mais reforços com o objetivo de permanecer na primeira divisão. A diretoria do BGF busca ainda nessa semana, uma verba de patrocínio no projeto Pró-Esporte, da Fundação Estadual de Esportes, Fundergs. A apresentação oficial do grupo acontece na terça-feira, 18.

Equipe Emerson Diego Zizo Paulo Renato Hal Lindsay Bruno Jeffe Kevin Idrian Foppa Luizinho Well

Posição Goleiro Goleiro Goleiro Beque Ala/beque Ala/beque Ala/beque Ala Ala Ala Ala Ala/pivô

Comissão Técnica Vaner Flores Técnico Reni Prep. Físico David Massagista Túlio Atendente


Esportes

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Futsal

15

Pinto Bandeira

Definidas as equipes finalistas do La Pinta Competição inicia a partir das 8h de domingo no campo do Rosário

Congresso técnico para decidir o Distrital de Futsal A bola vai voltar a rolar nas quadras de futsal do interior do município. A Secretaria de Esportes realiza o congresso técnico da competição no dia 18 de fevereiro no Ginásio Municipal de Esportes a partir das 19h. O Distrital de

2014 vai reunir três categorias: adulto, feminino aberto e veteranos. O objetivo da reunião é definir a fórmula do campeonato, bem como a apresentação do regulamento e o sorteio das chaves.

FOTOS MARCELO MACIEL

Vinicius Mieznikowski

Competição que reúne equipes do interior do município é disputada

esporte@jornalsemanario.com.br

O

Torneio De La Pinta chega ao seu final nesse domingo, 16. O campeonato que reúne um grande número de competidores teve uma grande movimentação na última rodada, domingo, 9. No torneio do dia o vencedor foi o Primavera, que venceu nas penalidades o B.F.C Espacio Salute, 1 x 1 no tempo normal e 6 x 5 nas penalidades. As partidas da etapa final que acontecem no domingo, 16, serão limitadas ao tempo de 10 minutos. Paralelo ao Torneio De La Pinta, a organização do evento estará promovendo também torneio de penalidades ao lado do campo. Durante o evento serão vendidas rifas e o clube Rosário oferece para quem estiver acompanhando as partidas almoço no valor de R$ 15. Das equipes que participam do De La Pinta, três times estão entre os favoritos para chegar na conquista do título; Progresso, Primavera de São Valentim (já ganhou o Torneio de Verão de Santa Tereza nesse ano), e Colorado que é o atual campeão do Torneio. Os três times venceram os três primeiros domingos e levaram o título de cada etapa. A expectativa é que mais uma vez um bom público prestigie as partidas que iniciam às 8h.

Equipes entram em campo para decidir quem será o grande campeão

Classificados Final Primavera B.F.C Spacio Salute Santa Tereza Postes De Gaspari 24 de Maio Liverpool Gama Bebidas Gremio Vila Lobos Progresso São Gotardo de Mari Cruzeiro Pomarosa Rizzardo/Lancheria Nalin

Mec. Longo/Const. De Toni Cruzeiro Tonieto Destroier Seiva do Mate D.S.A Moveis Colorado Conquista Ouro Verde Posto Foppa Geração Amigos do Nego Lavagem Cabelo/Molas Longo Papelaria Portal

Rodada Domingo - 16/02 Conquista x Rizzardo M.E D.S.A x Vila Lobos Postes Degasperi x Geração P. Portal x Cruzeiro Tonietto Amigos do Nego x Destroyer Mecânica Longo x Progresso

Colorado x Santa Tereza Ouro Verde x 24 de Maio Posto Fopa x Liverpool Cruzeiro x BSC Espaço Salute C. De Toni x Gama São Gotardo x Primavera


www.jornalsemanario.com.br

A Edição

32 páginas

Primeiro caderno .................... 16 páginas Classificados .......................... 16 páginas

Estradas do Vale terão pavimentação

Quarta-feira

12 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO 47

N°3001

R$ 3,00

Chimarrão mais amargo

Página 10

Água

Abastecimento não será afetado no verão Página 9

Erva-mate mais cara muda hábitos dos bento-gonçalvenses

Página 8

VINICIUS MIEZNIKOWSKI

Interior

BENTO GONÇALVES


12/02/2014 - Jornal Semanário - Edição 3001