Page 1

BENTO VALORIZADA

Imóveis são certeza

de bons negócios MARCELO MACIEL

Valorização média de áreas urbanas e rurais chega aos 40% por ano, Páginas 18 e 19 o que gera lucros e garante retorno do investimento BENTO GONÇALVES, SÁBADO, 27 DE ABRIL DE 2013 – ANO 46 – N°2920 – R$ 3,00 – www.jornalsemanario.com.br

A ESPERA POR ATENDIMENTO FRANCINE BOIJINK

Reajuste rejeitado

Servidores municipais ameaçam paralisar Depois de recusar a proposta de 3% oferecida pelo governo, sindicato mantém pedido de 21,75%, decreta Estado de Greve e protesta Página 10

Menos médicos, mais paciência Falta de profissionais nas unidades faz crescer procura pelo PA 24 Horas

Página 17


2

Opinião

Sábado, 27 de abril de 2013

EDITORIAL SEDE Wolsir A. Antonini, 451 Bairro Fenavinho - Caixa Postal 126 95 700.000 - Bento Gonçalves - RS ESCRITÓRIO CENTRAL Mal. Deodoro, Centro, 101 Galeria Central - Sala 501 DIRETOR PRESIDENTE HENRIQUE ALFREDO CAPRARA DIRETORES ANA INÊS FACCHIN HENRIQUE ANTÔNIO FRANCIO GERENTE ADMINISTRATIVO Mateus Mezzaroba GERENTE VENDAS Felipe Dall’Igna

JORNALISTA RESPONSÁVEL HENRIQUE ALFREDO CAPRARA Registro Prof. DRT 3321 CHEFE DE REDAÇÃO ROGÉRIO COSTA ARANTES SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Zélia Ferreira REPÓRTERES Estefania V. Linhares Fernando Levinski Josiane Ribeiro Jussara Konrad Kátia Casagrande Marcelo Maciel Mariana Maioli Noemir Leitão Rodrigo Bergsleithner DIAGRAMADORES Jonas Brum Juliano Camerin Pricila Piccini Robson Berlatto Oliveira COLUNISTAS/COLABORADORES Adelgides Stefenon Alini Pegoraro Antônio Frizzo Assunta De Paris Denise Da Ré Eliane Zanluchi Flávio Luís Ferrarini Getulio Lucas de Abreu Itacyr Giacomello Taise Agostini Valnil Jr.

GERENTE Luiz Everson Inácio

EVENTOS Rainha Indústria e Comércio Mérito Grandes Líderes Campeões da Preferência Talentos

FALE COM A GENTE Telefones: Central/Fax: 3455.4500 Escritório Centro: 3452.2186 Rádio - Estúdio: 3455.4530 Rádio - Coordenação: 3455.4535 Circulação: 3452.2686 / 8408.4644 / 3455.4500 E-mails: classificados@jornalsemanario.com.br jornal.semanario@italnet.com.br radio@radiorainha.fm.br Sites: www.jornalsemanario.com.br www.radiorainha.fm.br Somos filiados à ADJORI / RS Este jornal não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados e não devolve originais que não foram publicados. Representante em Porto Alegre Grupo de Diários Rua Garibaldi, 659, Conjunto 102 Centro - POA - Fone: (51) 3272.9595 e-mail: fernanda@grupodediarios.com.br

Semanário na Internet Siga-nos no Twitter: @jsemanario Curta a fan-page: on.fb.me/jsemanario

Leia também no nosso site: www.jornalsemanario.com.br

Os donos do Lar Quando Salomão disse que cortaria o bebê ao meio para agradar às duas mulheres que se diziam mães da criança, ele obviamente sabia que esta opção jamais seria uma solução; era só uma estratégia para descobrir a verdadeira mãe, nada mais. Agradar gregos e troianos ao mesmo tempo é tarefa impossível, pelos antagonismos inerentes. Não dá para ser branco e preto ao mesmo tempo. O resultado é cinza, que não serve nem para branco nem para preto. Enfim. Algumas coisas são incompatíveis, para não dizer ilegais. Ao estabelecer um meio termo que permita a coexistência de gregos, troianos, árabes, egípcios e israelenses, todos juntos dentro do mesmo prédio do “Lar das Meninas” o secretário de Governo, César Gabardo, supõe-se, tenha se utilizado provavelmente de um artifício estratégico semelhante. Há muitas dúvidas ainda sobre como as decisões vão se concretizar de fato, mas o que ficou claro, nas palavras do secretário, é que o prédio será, Quando a primeira criança sim, destinado prioritariamenem condição de risco puder te ao acolhimento institucional de menores em condição de usufruir da insfraestrutura risco, com a transferência para do Lar das Meninas, haverá lá do ex-ex-albergue, que havia voltado, enfim, a ser albergue de render graças a uma de novo, só com outro nome. pessoa, principalmente: De qualquer forma, para os Inês Pompermayer mais de 300 doadores do Lar das Meninas – que assinaram protestando contra a então decisão oriunda do Rotary Bento Gonçalves de transformar o prédio num Ceacri e que já estavam prontos para reivindicar judicialmente a devolução dos valores doados – parece que finalmente os rumos estão sendo corrigidos e o Lar vai ser Lar mesmo para menores em condição de risco, podendo atender ainda o que mais a lei permitir concomitantemente, o que, diga-se, não é muita coisa como alguns possam supor. E aquela inverdade de que “a lei não permite acolhimento institucional” cai por terra, morta e sepultada, espera-se que ninguém mais ouse pronunciar. Na verdade, Bento Gonçalves está muito atrasada no seu tema de casa com relação a este problema social. Muito atrás de Farroupilha, por exemplo, cidade vizinha bem menor, onde funciona uma Casa Lar modelar para menores em condições de risco, num imóvel amplo e espaçoso,

maior inclusive do que o do Lar das Meninas. Lá estão acolhidas com alta qualidade de atendimento, 22 crianças (já foram mais de 30) todas de Farroupilha apenas. O local é tão qualificado que utiliza o método Montessori. E, de lá, nos últimos três anos, já foram muito bem adotadas, entre outras, três crianças em Bento Gonçalves. Mas aqui, em Bento, até “ontem”, inclusive no próprio Judiciário, se afirmava não haver demanda para uma casa de acolhimento com estas proporções e que o prédio do Lar das Meninas poderia ser melhor utilizado na forma de Ceacri. Um Ceacri com até 300 crianças em contraturno, como chegou a ventilar de peito estufado o preposto da presidência do Lar das Meninas, mas que nunca chegou a ter uma só, pois, como era previsto, não teve público algum para esta demanda, nem professores. Enquanto isso, hoje, 12 menores em condição de risco (já foram mais de 20) continuam albergados em Bento em estrutura totalmente insatisfatória onde chegam a dormir, no mesmo quarto, adolescentes e bebês, numa casa alugada pela prefeitura. Quando a primeira criança em condição de risco puder usufruir daquela insfraestrutura que a ela pertence de fato – o prédio do Lar das Meninas – haverá de render graças a uma pessoa, principalmente: Inês Pompermayer. Esta líder que, apesar de ter sido tão humilhada e destratada dentro do próprio Rotary Bento Gonçalves por acreditar no ideal proposto ainda pelo então prefeito Darcy Pozza e torná-lo concreto com sua capacidade de mobilização comunitária, jamais desistiu da luta e afrontou a tudo e a todos na defesa deste espaço digno para crianças em situação de vulnerabilidade que já sofreram tanto e precisam de um local que as acolha com muito carinho, atenção e competência profissional. O mesmo Rotary que, aliás, chegou a expulsar por justa causa de seus quadros um associado que foi um dos principais doadores do Lar das Meninas, que estava inconformado com toda esta situação. Mas agora, finalmente, o Lar vai ser Lar, isso parece estar bem claro. Restam entretanto, algumas perguntas que não querem calar: Como ficarão as pendências com o INSS? E as doações em dinheiro feitas à Associação Lar das Meninas desde a inauguração do prédio em 2009, destinadas a atender criança alguma até hoje? E os valores repassados pelo Comdica a um projeto que jamais existiu? Com certeza a comunidade, especialmente os mais de 300 doadores, receberão alguma resposta.


Opinião 3

Sábado, 27 de abril de 2013

Painel Cirurgia reparadora

Escultura em

exposição

DIVULGAÇÃO

A escultura feita com pão que apareceu no Programa Dança da Galera, do Domingão do Faustão, da Rede Globo, encontra-se em exposição no estabelecimento comercial Parada Doce. A obra, de autoria dos “escultores culinários” Domingos da Costa e Eduardo Clereton Chaves da Rosa, pode ser apreciada por quem passar pelo local. Vale conferir.

Lançamento do Pronatec

Pré-romaria

Aconteceu na terça-feira, 23, o lançamento oficial do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), em Bento Gonçalves. O evento, que ocorreu no auditório do Senai/Cetemo, contou com a presença de pais, alunos, professores e dirigentes das entidades conveniadas ofertantes dos cursos. Entre os cursos ofertados no programa estão Técnico em Design de Móveis, Técnico em Mecânica, Técnico em Recursos Humanos, Libras, Inglês, e Espanhol. Além dos cursos serem gratuitos, os alunos recebem auxílio-transporte e auxílio-alimentação.

Amanhã, 28, os motoristas de carros antigos pedem proteção à Santa de Caravaggio durante a quinta edição da Pré-romaria dos Carros Antigos, que deverá contar com mais de 100 veículos de cidades como Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Flores da Cunha e São Sebastião do Caí, os motoristas iniciam a procissão às 9h30min, com saída do estacionamento da prefeitura de Caxias do Sul, rumo ao Santuário de Caravaggio para acompanharem a missa das 11h.

HUMOR

Moacir Arlan

Bento Bandini: Seja Você Mesmo O escritor e colunista Flávio Luis Ferrarini está lançando um novo livro dirigido ao público juvenil, Bento Bandini: Seja Você Mesmo, pela editora Maneco Ed. Algumas escolas estão começando a trabalhar este título e a repercussão está sendo positiva ao autor.

Zoo de Sapucaia Uma lista de 261 animais foi publicada no Livro Vermelho da fauna ameaçada de extinção no Rio Grande do Sul. No Zoológico de Sapucaia do Sul, vivem mais de 20 deles, como a onça, o lobo-guará e a anta. Lá, todo mês são consumidas mais de 4,5 toneladas de carne e 30 de pasto verde. Um trabalho, complexo e volumoso, que envolve uma estrutura de mais de 100 funcionários para manter o parque, atender cerca de mil animais e ainda recepcionar mais de 500 mil visitantes por ano em uma área de 50 hectares destinada à visitação.

TrêsPontos... Os Brakelights (painéis) de propaganda instalados na cidade chamam a sua atenção? Você acha que deveriam estar ali?

“E uma forma de vender seu produto, porém para outras pessoas isso vira uma poluição visual, particularmente eu acho importante mostrar o que é bonito, mas não em demasia”. Dirceu Pedrotti, 50 anos, coordenador distrital, morador de Tuiuty.

“Deveriam estar em um local que não atrapalhasse a visão dos motoristas, porém eles mostram comerciais de empresas numa forma prática de vender um determinado produto”. Maria Aparecida da Silva, 41 anos, balconista, moradora do bairro Licorsul.

Desde a quinta-feira, 25, o SUS começou a realizar a cirurgia plástica reparadora de mama imediatamente após a retirada devido ao câncer. A nova lei obriga que as cirurgias de retirada e reconstrução sejam feitas em um mesmo procedimento. Se não puder serem feitas na hora, que a paciente faça imediatamente, assim que ela tenha condições clínicas. A senadora Ana Amélia Lemos (PP) destacou que muitas cirurgias são adiadas “indefinidamente” nas unidades do sistema público habilitadas para o procedimento. Por isso, ela entende que há um aperfeiçoamento da legislação para que as mulheres possam contar com a reconstrução. Diferente do que foi publicado à página 18 da edição de quarta-feira, 24, a professora Flávia Cavalet Caldato é a diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora da Salete, da localidade do Barracão. Ela substituiu a professora Adriana Caravaglia.

A pergunta que não quer calar Produção de trigo argentino será a menor em 35 anos. Com isso a Argentina poderá vender ao Brasil apenas 40% do trigo que precisamos dos hermanos. Vamos ter que sair por aí procurar quem nos venda o trigo que a Argentina não poderá nos vender. Não é patético? A propósito, você sabe quem é o Ministro da Agricultura? Envie a sua sugestão de pergunta pelo e-mail redacao@jornalsemanario.com.br

“Chamam a atenção, mesmo assim não sou contra, isto porque é normal essa forma de você divulgar seu produto, mesmo que seja uma poluição visual, não acho que seja prejudicial”. Luiz Lovera, 62 anos, representante comercial, morador dos Caminhos de Pedra.


4 Opinião

Sábado, 27 de abril de 2013

AntônioFrizzo UM GOVERNO CAPITALISTA Circulam na internet milhões de e-mails “acusando” o PT de ser comunista, socialista ou ambos. Ainda bem! Imaginem se fosse “capitalista”! É capitalista, sim, e dos “quatro costados”, senão, vejamos: Durante os oito anos do governo de Lula os banqueiros, grandes empresários, usineiros, ruralistas, etc, encheram as burras de dinheiro. Lula proporcionou, com sua política econômica, oportunidades para que os miseráveis saíssem da sua situação, mas os “donos do Brasil” também adoraram seu governo, fingindo que estavam descontentes e criticando o “populismo Lulista”. Amaram de paixão quando a CPMF foi extinta e passou a entrar nos cofres deles. Os capitalistas selvagens gostaram tanto do governo petista de Lula que ajudaram a eleger Dilma, indicada por ele. E Dilma segue concedendo favores aos mesmos. Reduziu a carga tributária de um sem número de produtos. Desonerou outros tantos. Agora chegou a vez, novamente, dos usineiros. Dilma, como representante do PT capitalista, resolveu desonerar o etanol (álcool combustível), reduzindo R$ 0,12 por litro e, mais, aumentando de 20% para 25% a adição na gasolina. Mas, o Ministro Mantega apressou-se a dizer que “não significaria redução do preço do etanol nas bombas”. Genial! Os usineiros tiveram orgasmos múltiplos. Socialista? Comunista? Quem? O PT? Ora...

QUEREM O QUÊ, AFINAL? Recordemos: a chamada “grande imprensa” vinha detonando os governos por causa dos juros altos – “o mais alto do mundo” -, que reprimiam os investimentos, sufocavam a economia, prejudicava o povo, tudo segundo “ela”. É bom lembrar alguns percentuais que a Taxa Selic chegou. O governo fhc entregou com a TS em 25%, tendo seu pico em julho de 1998 com 42%. Lula assumiu com 25% e atingiu o pico no seu governo em março de 2003 com 26,5% e com o mínimo de 8,75% em setembro de 2009. Dilma assumiu com 10,75% anuais e reduziu, a partir de dezembro de 2012, para 7,25%, percentual até hoje em vigor. A utilização da Taxa Selic como instrumento para conter a inflação fez com que fhc, durante as crises Asiática e Russa a elevasse a patamares inimagináveis atualmente. Em 2002, a inflação foi de 12,53%. Os especuladores (os que gostam de ganhar dinheiro nas costas dos outros, inclusive empresários de setores monopolizados, oligopolizados ou cartelizados), querem MUITO que a Taxa Selic aumente. Nem que para isso tenham que se valer do tomate e da cebola como argumento, tudo sob os auspícios dos meios de comunicação que controlam. E a Dilma deverá zerar mais impostos para que essa gente se entupa de lucros.

TERÁ, AINDA, MUITOS PADRINHOS Há algum tempo, o médico e empresário Jaime Farina mobilizou muita gente. Imprensa, políticos, empresários, etc, foram recepcionados no Hotel Farina Park. Lá foi apresentado um vídeo tomado sobrevoando a região situada entre Portão e Porto Alegre para mostrar a vital, decisiva importância do prolongamento da BR-448, a Rodovia do Parque, cujo projeto a coloca entre Sapucaia e a Capital. A BR-448 foi projetada para amenizar o pepinaço em que se tornou a BR-116 entre Novo Hamburgo e Porto Alegre. Só que para todos os usuários do norte/ nordeste que se dirigiam para a Capital não teriam grandes vantagens. Todavia, com o prolongamento, todos seriam beneficiados, desafogando muito a BR-116. Jaime Farina – salvo melhor juízo – foi o grande divulgador e reivindicador desse novo projeto. Há poucos dias a presidenta Dilma anunciou que a licitação para esse prolongamento será realizado ainda este ano. Pronto! O que surgiu de “padrinhos” da idéia não está no gibi. Todos, obviamente, querendo capitalizar dividendos políticos. Mas, haverá quem diga: a política é assim mesmo. Tudo bem, desde que a obra seja realizada, não ficando só na promessa como tantas outras, não é, Jaime?

Antônio Frizzo

antoniofrizzo@italnet.com.br

SALÁRIOS NABABESCOS

Esta semana mais uma bomba explodiu nos ouvidos do povo brasileiro. Garçons do Senado Federal ganham salários de 7,5 a 14 mil reais mensais. Claro que a profissão é importante e deve ser bem remunerada, mas nosso Senado exagerou na dose. Aliás, o Congresso Nacional, via de regra, exagera nas doses de tudo. O Senado Federal possui inacreditáveis seis mil funcionários que, se somados aos da Câmara dos Deputados, ultrapassa muito a casa dos vinte mil. Uma notícia dessas deixa todos estarrecidos. Imaginemos um policial, civil ou militar, que recebe muito menos que isso para colocar sua vida em jogo pela comunidade; Imaginemos um professor (desses que se desgastam terrivelmente em salas de aula para ensinar, não raramente, uma horda de selvagens) vendo seu salário não chegar a um quinto disso; Imaginemos nas mais de 5.500 câmaras de vereadores e nas assembleias legislativas do Brasil quantos desses modernos marajás as habitam. E, muito pior, imaginemos quantos desses abonados restituem aos seus “empregadores” parte de seus salários. O Brasil é, realmente, o país dos acomodados, dos omissos, dos alienados. O povo sabe de tudo isso, mas nada faz.

ESTÁ TUDO ERRADO? Normalmente, o que começa errado continua dando errado e só pode terminar errado. Desde 1988, quando se instalou a Assembléia Nacional Constituinte NÃO exclusiva, para elaborar a nova Constituição apontei, nesta coluna, que não poderia, não deveria ser daquela forma. José Ribamar da Costa Sarney, guindado ao cargo de presidente indevidamente, convocou a Assembléia a toque de caixa. O povo brasileiro elegeu os parlamentares constituintes sem ter a mínima noção do que estava fazendo. Qualquer pessoa, de medianos conhecimentos jurídicos e políticos, sabia que aqueles que fariam a Constituição NÃO PODERIAM CONTINUAR COMO DEPUTADOS E SENADORES. Deu a lógica: fizeram uma Constituição sob peso e medida para eles mesmos, os parlamentares, a classe mais privilegiada do Brasil no âmbito dos municípios, dos estados e da União. Autoatribuiram-se poderes ilimitados. Tanto que, agora, já se acham no direito de interferir no Poder Judiciário.

ESTÁ TUDO ERRADO? II O Congresso Nacional, pela sua omissão, marasmo ou descaso com a legislação – que deveria ser sua atribuição -, pela forma errônea com que tem legislado, tem dado imenso trabalho do Judiciário. A Constituição e leis feitas posteriormente entupiram o judiciário de recursos, embargos, etc, possibilitando aos processados inúmeras firulas que, não raro, visam protelar sentenças. Em outros casos, as leis tiraram da polícia o DIREITO DE SEREM RESPEITADO e da justiça o DEVER de encarcerar delinquentes, envolvendo aqui os poderes executivos que não fazem a sua parte, construindo casas prisionais (com algumas exceções, como Bento Gonçalves, por exemplo, que tinha seu novo presídio já com a verba disponibilizada, mas, tripudiou e não construiu). O resultado disso tudo foi que o Supremo Tribunal Federal é obrigado a decidir pela constitucionalidade ou não de montanhas de leis feitas moda diabo pelos legislativos. Por tudo isso, agora, um deputado sentiu-se no direito de propor uma Emenda Constitucional que dá ao Congresso o poder de decidir se uma decisão do STF deve ou não ser cumprida. Está tudo errado, portanto? Pois é, o que começou errado está continuando errado. E o povo o que faz?

ÚLTIMAS Primeira: Estive observando a Via Del Vino. Em janeiro, com as obras inconclusas por imposição do MP, havia madeira cobrindo os buracos de acesso ao subsolo; Segunda: O risco aos pedestres era claríssimo. A prefeitura resolveu colocar concreto no lugar das tábuas. O perigo aos pedestres foi, praticamente, extinto. Bom. Muito bom; Terceira: Mas, convenhamos, DUVIDO que o projeto da revitalização da Via Del Vino tenha previsto aqueles feios blocos de concreto nela; Quarta: O fechamento dos acessos ao subsolo deve ter sido projetado com o mesmo visual de toda a Via Del Vino. Se sim, por que não foram colocados ainda? Foram comprados? Se sim, onde estão? Quando a Via Del Vino será TOTALMENTE concluída? Quinta: A “justissa” brasileira tem, por vezes, decisões muito engraçadas. Demóstenes Torres, senador cassado por envolvimento com Carlinhos Cachoeira, foi “condenado” a receber sem trabalhar como promotor por mais 60 dias; Sexta: Apesar de ele haver optado pela não vitaliciedade do cargo para pode ser eleito a cargos políticos, a “justissa” entendeu que ele não pode abrir mão desse direito, mesmo previsto na Constituição. Fecha o pano. Apaguem as luzes; Sétima: Os acidentes na ERS-470, a São Vendelino entre Bento e Carlos Barbosa, continuam dia após dia. E SEMPRE acontecem por “imprudência”, NUNCA pela porca sinalização, pelos trevos estúpidos e pelo estado ridículo da pista; Oitava: : O Projeto “De Peito Aberto” apresentado nesta quarta-feira, pelo IMAMA Bento Gonçalves, pela mastologista Cídia Mazzoccatto em palestra-almoço conduzida pela Andressa Bem, no CIC/BG, é mais uma demonstração da união das mulheres em torno de um problema comum: o câncer de mama; Nona: E a Liga de Combate ao Câncer anuncia um grande ciclo de palestras gratuitas, a partir de 30 de abril, às 19h, na sua sede, versando sobre Nutrição e Alimentação saudável. Participe ligando para 3451.4233; Décima: Está surgindo um novo sindicato. Finalmente teremos em Bento, abrangendo a região, o SINDICATO RURAL PATRONAL que deverá ser presidido por Elson Schneider. Uma boa nova, sem dúvidas; Décima-primeira: Hoje e amanha teremos, em Caxias as semifinais do ruralito 2013. Inter favoritaço contra o Veranópolis e o Grêmio terá um pepinão contra o Juventude. Inter deverá conquistar o título semana que vem. Está escrito.


Sรกbado, 27 de abril de 2013

5


6 Opinião

Sábado, 27 de abril de 2013

EmDebate

Rogério Costa Arantes rogerio@jornalsemanario.com.br

Testes e comparações

O LAR...

O governo de Guilherme Pasin começa a enfrentar seu primeiro grande teste na relação com os servidores municipais quatro meses depois da posse. Em assembleia realizada na noite da quarta-feira, 24, os funcionários públicos rejeitaram a proposta de reajuste de 3% apresentada pela prefeitura, decretaram estado de greve e, depois da decisão, foram em caminhada até a prefeitura, onde protestaram contra a proposta, muito distante das reivindicações. Na assembleia, eles mantiveram a solicitação de reajuste de 21,75% para recompor as perdas salariais, mas acenaram com um cronograma para o pagamento: 11,75% agora e duas parcelas de 5% a serem pagas em agosto e novembro. Com isso, garante a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos (Sindiserp), Isaura Zandonai, todos os servidores passarão a ganhar pelo menos um salário mínimo, o que, de acordo com o sindicato, não ocorre hoje.

Construir as condições para um entendimento sobre a utilização do prédio do Lar das Meninas e encerrar uma polêmica que se arrastava há quatro anos é talvez o primeiro grande feito de um governo que – pode soar como heresia aos ouvidos mais sensíveis –, até agora, vive mais de lucrar com o governo anterior. Restabelecer a proposição original de acolher crianças em situação de vulnerabilidade e criar um espaço multiuso para cursos profissionalizantes e atividades de contraturno não foi uma ideia fácil entre posições muitas vezes antagônicas e aparentemente irreconciliáveis. O mérito político do acordo é do atual governo. Além de acabar com o imbróglio sobre o Lar das Meninas, concretizar a proposta significará ao menos iniciar um processo para solucionar a contento o problema do acolhimento de menores em risco, hoje realizado num totalmente sem condições albergue municipal, repaginado para uma ainda sem condições Casa Azaleia.

Pasin revelou à coluna que pretende criar mecanismos para eliminar distorções como essa, mas disse que os 3% é um índice que a atual situação da prefeitura poderá suportar. O prefeito sabe que não é o ideal, e justifica a proposta por conta dos alegados R$ 51 milhões a cobrir. Quer mesmo é fazer caixa para não fechar o ano no vermelho. Segundo ele, seria o terceiro déficit seguido, o que implicaria em bloqueios de recursos e programas governamentais e seria um golpe arrasador para o governo – e para toda a população.

O jovem prefeito não confia no orçamento que tem em mãos e teme correr riscos, mas mantém a promessa de reajustar trimestralmente o salário dos servidores – a partir do momento em que superar a “crise gigantesca”, disse –, afirma que está aberto ao diálogo e considera o movimento do sindicato “exagerado e desnecessário”. Além disso, Pasin reclama da data-base e comemora uma oferta maior que o reajuste dado no último ano do governo anterior, 1,86%.

Ok, o prefeito tem lá suas razões. Mas a comparação omite que, durante a gestão de Lunelli, o funcionalismo recuperou as perdas nos governos anteriores (mais de 15% de Pozza e pouco menos de 5% de Gabrieli) e recebeu um aumento de 12% acima da inflação. Nos quatro anos do PT, apesar do pífio reajuste concedido no ano passado, foram 32,59% de aumento, diante de uma inflação – em números oficiais, claro – de 20,56% no período.

A proposta ao funcionalismo terá que ser revisada, o bom senso indica que sindicato e prefeitura terão que ceder. A ameaça de greve é real, mas ela seria uma catástrofe para a cidade, na delicada situação dos serviços públicos. O custo político seria alto, e dividido por ambas as partes. Não se pode chegar ao confronto. O prefeito terá que sentar à mesa e negociar.

Reflorestar é preciso O prefeito de Santa Tereza, Diogo Segabinazzi Siqueira, será o anfitrião, na próxima terça-feira, 30, de uma reunião de trabalho do projeto Corredor Ecológico do Rio Taquari , que pretende recuperar 500 quilômetros de vegetação nativa em 13 municípios que recebem o rio. Iniciado em 2008, o projeto envolve inicialmente os municípios de Lajeado, Estrela, Taquari, Muçum, Roca Sales, Encantado, Arroio do Meio, Bom Retiro do Sul, Venâncio Aires, General Câmara, Colinas, Cruzeiro do Sul e Santa Tereza. Cada propriedade ribeirinha é vistoriada, e são analisadas a forma de ocupação do solo, as áreas de inundação, de erosão, e a geografia do terreno. O objetivo é replantar árvores e plantas nativas numa faixa de cinco a 30 metros de extensão.

...E A HERANÇA A intenção, agora, a partir do encontro em Santa Tereza, é iniciar também a recuperação da mata ciliar nos principais afluentes do Taquari, incluindo o Rio das Antas, difundindo sua atuação para todos os 13 municípios vizinhos, entre eles Bento Gonçalves, revelou a promotora especial de Estrela e uma das responsáveis pelo projeto, Mônica Maranguelli de Ávila, que estará em Santa Tereza na próxima semana. O prazo para a consolidação do projeto, segundo ela, é de 20 anos. Apesar das dificuldades encontradas em outros municípios por falta de mudas e resistência dos produtores ribeirinhos, Siqueira está entusiasmado. Santa Tereza fará o projeto piloto para ser o primeiro município a reflorestar um afluente do Taquari.

Para os mais fanáticos, que coraram ao ler referências ao governo de Lunelli, dou exemplos: depois de apenas retirar postes, Pasin colhe os louros de uma remodelada Via del Vino livre do emaranhado de fios graças a um projeto executado em sua maioria pela administração passada, que sofreu o ônus dos buracos e transtornos intermináveis da obra. Ainda há as obras da Corsan para a implantação do saneamento, a implantação do policiamento comunitário, a construção da UPA e, ainda este ano, espera-se, o início das obras de modalidade urbana, todas conquistadas pelo governo que saiu sob a acusação de ter desordenado a prefeitura. Como se vê, para o bem ou para o mal, é a herança de Lunelli que dá o tom aos primeiros meses do governo de Pasin. Os clientes da RGE na Serra Gaúcha deverão sentir os efeitos da redução da conta da luz no segundo semestre. Nas contas residenciais, a redução tarifária pode chegar aos 10,5%, enquanto os consumidores industriais vão comemorar uma conta até 5,5% mais barata.

Ponto Depois da palestra do narrador Pedro Ernesto sobre a Copa, no CIC, o secretário de Turismo, Gilberto Durante, confirmou a retomada das atividades do comitê local da Copa do Mundo de 2014 e a contratação da empresa de consultoria Cartan Global, agência de viagens fundada em 1899 nos Estados Unidos Para quem não ligou o nome à coisa, a prefeitura agora conta com a experiência de Daniel Gamba, hoje vicepresidente executivo da companhia que possui os direitos de comercialização dos ingressos para as Olimpíadas e dos pacotes de hospitalidade com ingressos para as Copas do Mundo da Fifa em diversos países. Gamba deve atuar pelo menos nos próximos quatro meses para vender a imagem da cidade que conhece muito bem: sua iniciação no ambiente do futebol começou dentro das quatro linhas do campo do São Paulo e passou ao Montanha, quando ele vestiu o manto alviazul do Esportivo nas categorias de base. A Movergs voltou à carga para cobrar do governo federal um novo período de isenção do IPI para a cadeia dos móveis. O presidente da entidade que congrega as indústrias moveleiras gaúchas, Ivo Cansan, solicitou esta semana ao Ministério da Fazenda a reedição do benefício. Cansan apresentou ao assessor da Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, Júlio Alexandre Menezes, números que justificariam a medida: segundo ele, a produção nacional de móveis recuou 18,7% em fevereiro, as exportações tiveram queda de 6%, o consumo de móveis apresentou queda de 22,7%, o que se reflete em uma queda de investimentos no setor. Até o final de junho, o setor paga uma alíquota de 2,5%.


Sรกbado, 27 de abril de 2013

7


8

Política

Sábado, 27 de abril de 2013

CPI da Fenavinho

A análise agora nas mãos do MP Promotor Alécio Nogueira diz que vai reunir a documentação entregue pela CPI e pela prefeitura para analisar o caso Rodrigo Bergsleithner

O

presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Fenavinho Brasil, vereador Moisés Scussel Neto (PMDB), acompanhado da relatora, vereadora Marlen Peliciolli (PPS), realizaram a entrega ao Ministério Público Estadual (MPE), do Projeto de Resolução nº 7/2013, que apresenta o relatório final das investigações sobre as edições de 2009 e 2011 da Fenavinho. A partir de agora, a documentação vai ser avaliada pelo promotor de Justiça Alécio Nogueira, que adiantou que, somente a partir de uma análi-

se concluída, é que será decidido se vão existir novos depoimentos sobre a CPI. “Como já observei em outras oportunidades, o caso da Fenavinho depende de análise, num primeiro momento, estritamente técnico-contábil; assim, meu próximo passo é elaborar um questionário a partir dos documentos reunidos (CPI e documentos remetidos pela prefeitura) e rermetê-lo à nossa Divisão de Assessoramento Técnico para esse estudo, em que se apontarão eventuais inconsistências nas prestações de contas – ou mesmo sua correção. A partir disso, poderei avaliar quais outros desdobra-

JONAS IUNES/CÂMARA, DIVULGAÇÃO

Vereadores fizeram a entrega ao promotor Alécio Nogueira

mentos a investigação poderá ter”, revela Nogueira. Após a entrega da documentação, o presidente da CPI da Fenavinho, Moisés Scussel

Neto, frisou que, independente do relatório ter sido entregue, a Câmara Municipal de Vereadores estará à disposição do Ministério Público para

quaisquer informações a respeito das investigações realizadas. “Viemos ao Ministério Público cumprindo o que a lei determina. Nos colocamos à disposição da promotoria para possíveis encaminhamentos, dúvidas, sugestões ou outra documentação necessária. A Câmara hoje finaliza a CPI da Fenavinho com a entrega do relatório”, disse. A CPI da Fenavinho foi criada no dia 25 de fevereiro, tendo sido uma proposição do vereador Moacir Camerini (PT). No dia 2 de abril, a relatora Marlen Pelicioli fez a leitura final. politica@jornalsemanario.com.br

PRESÍDIO

Avaliação comercial da área ainda não foi feita A avaliação do atual terreno do Presídio Estadual de Bento Gonçalves está em processo de chamamento para reunir empresas interessadas. Caso não apareçam interessados para realizar este serviço, o prefeito Guilherme Pasin afirmou que optará por designar arquitetos da prefeitura para realizar o trabalho, porém, esta não é a alternativa preferida do Chefe do Executivo: “Um arquiteto da prefeitura pode não estar ciente dos valores praticados no mercado por áreas como aquela, por isso, prefiro que uma empresa faça isso”, avalia. O prefeito manifestou interesse em concluir a avaliação até a metade do mês de maio, para entrar em contato com o Estado, que é o dono da área. Pasin, que esteve no início de abril, em Porto Alegre, reunido com o secretário de Segurança Pública, Airton Michels, ouviu que o governo do Estado não dispõe de recursos para construir o novo presídio de Bento nos próximos dois anos e, naquele momento, ficou acordado que o

governo municipal viabilizaria maneiras de realizar a construção por meio de parceria público-privada (PPP). Na terça-feira, 23, Michels esteve em Bento para a entrega das viaturas do policiamento comunitário e, na oportunidade, confirmou a falta de verbas do Estado para a construção do presídio, que ficará localizado na Linha Palmeiro, mas afirmou que, se fosse preciso, o Estado poderá fazer um investimento financeiro reduzido. “Como sabemos da atual situação do governo, preferimos evitar”, afirma o prefeito. De acordo com as informações repassadas pelo Estado à prefeitura, a área da atual casa prisional engloba a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), a 1ª Delegacia de Polícia (1ª DP) e a 2ª Delegacia de Polícia (2ª DP), o que deve valorizar o terreno, pois pode ser acessado pelas ruas Assis Brasil e Treze de Maio, além da Travessa Bahia, isso poderá atrair um número maior de potenciais investidores.


Política 9

Sábado, 27 de abril de 2013

Secretariado

O desafio à frente da Administração Subprocuradora do município, Mariana Largura, será empossada como titular da Secretaria de Administração na segunda-feira Rodrigo Bergsleithner

O

Governo Pasin contará com uma nova integrante em seu secretariado a partir de segunda-feira, 29, quando a advogada e atual subprocuradora do município, Mariana Largura, assume a Secretaria Municipal de Administração, em substituição a Roberto Cainelli, que deixou a pasta no início do mês. A nova secretária do governo diz estar pronta para o novo desafio e focada para exercer um bom trabalho. “A secretaria conta com uma equipe experiente, séria, e que se mostrou disposta e motivada a colaborar conosco para o bom desenvolvimento do trabalho que pretendemos realizar. O município conta com excelentes servidores, pessoas com muita competên-

cia e seriedade para nos auxiliar. Assumo a secretaria com tranquilidade e com a certeza de contar com o comprometimento da equipe para podermos fazer a diferença juntos”, disse. Para a nova secretária, a prioridade à frente da secretaria de Administração é “continuar com o processo de modernização de gestão que foi iniciado em 1º de janeiro pelo secretário anterior”. Com relação aos servidores, ela afirma que vai trabalhar para oportunizar constante desenvolvimento. Para que possam estar atualizados e estimulados, além de procurar modernizar e tornar o ambiente de trabalho agradável para que tenham boas condições para desenvolver suas atividades”, aponta. Outro desafio em questão,

DANIEL PAESE DOS SANTOS

Mariana Largura é a nova secretária municipal de Administração

de acordo com a nova titular da pasta, é em relação ao desafio de melhorar a vida da população. “Arrumar a casa é o primeiro compromisso, mas a população pode ter certeza de que o governo irá fazer as grandes mudanças que o nosso município vem precisando

e esperando. Os resultados aparecerão, alguns em pouco tempo e outros demandarão um tempo e um esforço maior, mas com certeza se concretizarão. A nossa prioridade é trabalhar para o bem comum e para o desenvolvimento e evolução de nosso município. Es-

tou disposta a participar desse processo e contribuir para que tenhamos sucesso no cumprimento das metas almejadas. Participei como assessora jurídica na Administração na Gestão do prefeito Darcy Pozza (PP) e do prefeito Alcindo Gabrielli (PMDB), quando tive oportunidade de adquirir a experiência que me trouxe até aqui”, disse. Mariana Largura é graduada em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Atua na Administração Pública desde 1998, como assessora jurídica no município de Bento Gonçalves e em Candelária, por três anos, como Procuradora-Geral. Atualmente, estava na Procuradoria-Geral do Município, como Subprocuradora-Geral. politica@jornalsemanario.com.br


10 Política

Sábado, 27 de abril de 2013

Reajuste do funcionalismo

Servidores à beira da greve Sindicato rejeita a proposta de 3%, ameaça parar e exige nova negociação com o Poder Executivo Rodrigo Bergsleithner e Rogério Costa Arantes

Q

uatro meses depois da posse, a administração de Guilherme Pasin enfrenta seu primeiro grande desafio na relação com o funcionalismo público. Na noite da quarta-feira, 24, no plenário da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserp) realizou a segunda assembleia geral do funcionalismo, que decidiu pela rejeição ao reajuste de 3% apresentado pela prefeitura e decretou estado de greve. Os servidores mantiveram a solicitação de reajuste de 21,75% para recompor perdas salariais, mas a nova proposta acena para um cronograma de pagamento ao longo do ano, com 11,75% agora e duas parcelas de 5% a serem pagas em agosto e novembro. Desta forma, de acordo com a presidente do Sindiserp, Isaura Zandonai, os servidores passariam a ganhar, pelo menos, um salário mínimo, o que não aconteceria hoje. A proposta do Executivo apresenta três itens. O primeiro estabelece um abono que garante que o menor vencimento básico não será inferior ao salário mínimo nacional e que nenhum professor da rede municipal receberá salário inferior

LIGIANE ARNORTE, DIVULGAÇÃO

ao Piso Nacional do Magistério. O segundo item salienta que o reajuste de salários deve contar com o repasse da inflação acumulada, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), não repassado no reajuste do ano de 2012. Os dois primeiros itens foram negados pelo servidores públicos. O terceiro ítem, o único aprovador pela categoria, propõe a alteração da data base para março. Nova negociação Hoje, o Sindiserp exige uma nova negociação que busca o aumento do vale-alimentação, também negado pela prefeitura. “O que desejamos é debater a pauta diretamente com o prefeito”, disse a presidente. O secretário de governo, César Gabardo, afirmou ao Sindiserp que a percentagem se refere somente à recomposição da inflação do último ano. “Não temos ainda a situação de orçamento, pois estamos apurando as dívidas da administração anterior”, disse. Após a assembleia, os servidores foram à prefeitura, onde manifestaram sua insatisfação quanto à proposta apresentada com gritos de protesto. editoria@jornalsemanario.com.br

Servidores públicos lotaram a câmara para rejeitar proposta de 3%

Proposta do governo é quarta pior desde 2001 Caso a prefeitura não amplie a proposta de reajuste além da atual oferta de 3%, este será o quarto pior índice de reajuste conquistado pelos servidores públicos municipais de Bento Gonçalves desde o início do milênio. Nestes 13 anos, com exceção de 2001 e 2005, quando não houve correção dos salários, caso aprovado, seria o segundo pior resultado, e em sequência: só seria melhor que o 1,86% conferido no ano passado, alegadamente definido em consequência de uma falha de entendimento sobre as implicações do período eleitoral. Por outro lado, os 21,75% solicitados pelo Sindiserp, em três parcelas, para repor alegadas perdas salariais e garantir todos os salários acima do mínimo nacional, ao final do ano representariam o maior índice já negociado, disparado, até agora: quase 10% a mais que os 12% concedidos em 2009, no primeiro ano da gestão de Roberto Lunelli (PT). Naquele

ano, a negociação recuperou os 4,05% perdidos para a inflação dos quatro anos anteriores e rendeu um ganho real de 7,89% acima da inflação anual. De acordo com o sindicato, a proposta para a negociação salarial tem base nas perdas acumuladas desde 2001, quando os servidores, sem reajuste, viram o salário encurtar 9,44% diante da inflação. O poder de compra ainda caiu 8,74% em 2002, iniciando uma recuperação nos dois anos seguintes. Mesmo assim, os quatro anos do último mandato de Darcy Pozza (PP) resultaram em uma perda salarial de 16,58% ante a inflação oficial do período. No período de Alcindo Gabrieli (PMDB), somente em 2006 o reajuste dado aos servidores foi acima da inflação anual, e o ano inaugural do mandato também foi de reajuste zero. No saldo do governo anterior, o funcionalismo conquistou 12,03% de aumento real, descontada a inflação do período.

Pasin crê que movimento é desnecessário O prefeito Guilherme Pasin recebeu com surpresa, pela imprensa, a notícia de que o Sindicato dos Servidores Públicos (Sindiserp) declarou estado de greve após rejeitar a proposta de reajuste de 3%. Ele considera a atitude “desnecessária”, afirmando que as negociações não foram interrompidas. “Não estamos fechados para o diálogo; as portas estão abertas”, garantiu ao Semanário na quinta-feira, 25. Pasin defende que a proposta é fruto da preocupação com as condições atuais da prefeitura, mas afirma ter consciência de que ela não atende às necessidades dos servidores. Embasado por uma lei orçamentária da qual desconfia, o prefeito opta pela cautela para enfrentar “um período de crise”. “Não podemos ser irresponsáveis e prometer o que não poderemos cumprir”, disse. Mesmo sem rever a proposta, ele anunciou que pretende criar mecanismos para erradicar algumas distorções identificadas pelo sindicato. Longe dos 21,75% pretendidos pelo sindicato, a prefeitura acena com melhorias depois da turbulência. “A proposta é justa e meritória e, a partir do momento em que superarmos essa crise gigantesca, vamos chamar o sindicato para conversar”, declarou Pasin, para completar: “Mas os 3% é até onde estamos conseguindo chegar agora”. O prefeito garante manter o compromisso de discutir os prometidos reajustes trimestrais, mas pediu a compreensão dos servidores. “Não fujo da responsabilidade”, garantiu. Filho de servidor municipal, o prefeito sentiu o golpe, e considera que o estado de greve é “exagerado” e mostra de “falta de diálogo” por parte do sindicato. “A questão é recurso, a impossibilidade de atingir o recurso” – a queixa sai quase ao natural, e logo revela que tem o compromisso de “não fechar as contas no vermelho”. E depois acusa: “Irresponsável é a manifestação de alguns líderes exigindo isso em meio ao que herdamos. É preciso deixar de lado os argumentos políticos”.


Política 11

Sábado, 27 de abril de 2013

Região Metropolitana

Projeto pode trazer benefícios imediatos Municípios unificados terão benefícios como a redução de tarifas públicas Rogério Costa Arantes

A

Em números

13 4,5 cidades

735.276 23,6 habitantes

mil

quilômetros quadrados de área

R$

$ milhões de PIB

ARTE ROBSON B. OLIVEIRA

população da Serra Gaúcha poderá se beneficiar de vantagens imediatas com o projeto que cria a região metropolitana. Uma delas é o pagamento de tarifas locais em ligações telefônicas entre as 13 cidades da região, em vez da obrigação do uso de DDD. Trata-se de uma norma da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que, desde maio de 2011, prevê chamadas a custo de ligação local para cidades de uma mesma região metropolitana. A diferença na cobrança pode chegar a R$ 0,24 para cada minuto de ligação. Enquanto o valor da tarifa local é de R$ 0,10 por minuto, o de longa distância alcança o valor máximo de R$ 0,34 entre as cidades mais distantes na região. Uma ligação de dez minutos entre Bento e Caxias, por exemplo, que hoje custa em torno de R$ 3,40, sairia por R$ 1 na nova condição. Também entra no pacote de benefícios da nova condição serrana a possibilidade de melhorias no transporte rodoviário entre os municípios. Após a criação, a tendência é que o sistema de transporte intermunicipal passe a ser administrado e fiscalizado com mais rigor. Poderá haver aumento na oferta de linhas, horários e pontos de embarque e desembarque de passageiros. Prefeitos de cidades pequenas encaram com cautela os eventuais benefícios da Região Metropolitana. A preocupação é de que a gestão priorize projetos nas cidades maiores. Além disso, algumas lideranças não veem garantias de que a condição dê caráter prioritário aos investimentos federais, por exemplo, e apostam no fortalecimento dos consórcios municipais. Mesmo assim, o acesso prioritário a recursos e financiamentos governamentais é visto com certo otimismo. Mas nada

O perfil da região

Área abrangente dos 13 municípios unificados

mudará se tanto o governo estadual quanto as cidades da Serra não apresentarem projetos planejados em conformidade com o status de região metropolitana. A vantagem de ter acesso a recursos governamentais não garante que o dinheiro virá. É preciso, antes disso, planejar o desenvolvimento regional. Isso significa que cidades com um alto grau de integração econômica, política e cultural (principalmente devido à proximidade física) podem se unir de forma a se beneficiarem de recursos como a liberação de verbas públicas – que podem ser federais, estaduais, municipais ou financiamentos do BNDES, BID e Caixa Econômica Federal. Por serem áreas com maior densidade demográfica, as regiões metropolitanas conseguem financiamentos do

governo federal que os municípios não conseguiriam individualmente. Tomando como exemplo o município de Bento, os moradores da cidade, hoje, podem solicitar crédito de no máximo R$ 80 mil pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”. Se o município estivesse integrado a uma região metropolitana, esse valor passaria a ser de R$ 120 mil. Aos poucos, a região passaria a ter um Desenvolvimento Regional Planejado, integraria o seu tratamento de água e esgoto, criaria parcerias na destinação ordenada do lixo e unificaria o seu sistema de transporte coletivo. Todas essas mudanças trariam não só benefícios econômicos para a população, mas também mais praticidade para a administração pública. editoria@jornalsemanario.com.br


12

Geral

Sábado, 27 de abril de 2013

UBS Zona Sul

Pacientes buscam especialistas Movimento é gerado também pela procura da comunidade de diferentes localidades do município por atendimentos Francine Boijink

N

a Unidade Básica de Saúde (UBS) Zona Sul, localizada no bairro As UBSs Botafogo, são 3. Zona Sul realizadas, por mês, em torno de 698 consultas com clínicos gerais. Eles atendem, entre a retirada de fichas, agendamentos e urgências, 16 consultas por turno. Além disso, para os idosos (acima de 60 anos) são agendadas cinco fichas por turno para cada clínico. Entre os atendidos, estão pessoas de diferentes localidades do município, que alegam carência de médicos nos postos próximos de onde moram. Uma das necessidades que o local enfrenta, segundo a secretaria de Saúde, é a reforma na infraestrutura. Há uma perspectiva de que as obras comecem quando for entregue a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Aos 85 anos, Analice Tomasi Santos procura atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS) Zona Sul sempre que precisa. Na quarta-feira, 26, a moradora da localidade de Tuiuty, em Bento Gonçalves, acompanhada do neto Cassiano Piovezana, foi em busca de um ortopedista. Quanto a demora na espera, ela garante: “É ruim, porque

FRANCINE BOIJINK

a gente cansa né.” O deslocamento para a unidade, no bairro Botafogo, seria necessário pela carência de profissionais na unidade do distrito onde mora. Segundo o coordenador-geral dos serviços médicos da secretaria de Saúde, Marco Antônio Ebert, foi convocado um médico para ajudar a atender a demanda, tanto de Tuiuty, quanto de Faria Lemos. Agora, faltaria a contratação, que é esperada para essa próxima semana.

Clínicos gerais atendem cerca de 698 pacientes por mês na UBS

Espera para exames A lojista Lúcia Francisconi, de 39 anos, é moradora da Vila Nova 2 e também estava na fila para ser atendida na UBS Zona Sul. Ela acredita que deveria ter um número maior de médicos, para que as pessoas precisassem esperar menos. Há demora também para a realização dos exames. Conforme Ebert, é preciso que seja analisada qual a característica de cada exame, se for caso de emergência, será realizado no mesmo dia. Caso não for, o período para a realização é de um mês. Necessidade de clínicos A aposentada Terezinha de Martini, de 76 anos, moradora no bairro Botafogo, tem a impressão de que os atendi-

Radiografia da Saúde Clínicos gerais: 2 (1 clínico geral de 40 horas, todos os dias com turno integral), 1 clínico geral com 8 horas (segundas e quintas de manhã); 1 enfermeira; 3 técnicas de enfermagem: 40h; 1 técnica de Enfermagem: 20h; 1 pneumologista: 17 consultas por turno, 51 por semana; 1 endocrinologista: 14 consultas por turno, 42 por semana; 1 reumatologista: 20 consultas por turno, 60 por semana; 1 ginecologista: 12 consultas por turno, 36 por semana; 1 cardiologista: 15 consultas por turno, 30 por semana; 2 ortopedistas: 30 consultas por turno cada um, 120 por semana; 1 pediatra: 12 consultas por turno, 48 por semana; 1 gastro: 10 consultas por turno, 30 por semana; 1 nutricionista: 1 turno por semana, 10 consultas na semana; 4 auxiliares administrativos: 40 horas; 1 Higienizadora: 40 horas; 1 dentista para adulto: 4 agendadas e 4 na fila, mais duas de urgência; 1 dentista para criança: 6 agendadas, 2 urgências; 1 auxiliar de odontologia: 40 horas. FONTE: SECRETARIA DE SAUDE DE BENTO GONÇALVES

mentos estão começando a ser agilizados, se comparado a um tempo atrás. “ Esses dias só tinha na parte da tarde, diz que agora tem de manhã. De tarde já tinha poucas fichas. A gente tinha de agradecer a Deus quando tinha.”, revela. Porém, a aposentada ressalta que ainda estariam faltando clínicos gerais para realizar os atendimentos. Segundo Ebert, há a necessidade de contratação de mais um clínico geral para equilibrar o trabalho. Movimento é comum Conforme a coordenadora da UBS Zona Sul, Sara Jane da Costa de Souza, o corredor lotado é comum na unidade. Isso porque, há mais de dez especialistas atendendo e pessoas de toda a cidade se deslocam em busca dos serviços oferecidos. Ela ressalta que o movimento somente não é maior porque, há pacientes que faltam às consultas agendadas. Quanto a demora, Sara afirma que, há casos, em que os pacientes estão agendados para um determinado horário e chegam antes, o que faz aumentar a demora de atendimento. Depois que o médico começa a atender o fluxo seria normal. geral3@jornalsemanario.com.br


Geral 13

Sábado, 27 de abril de 2013

Destinação de resíduos

O problema continua a transbordar Obras na estação do transbordo foram anunciadas há um mês em caráter emergencial, mas pouco foi feito para reparar os problemas FERNANDO LEVINSKI

Fernando Levinski

U

m mês depois do Semanário noticiar os problemas na Estação de Transbordo de Resíduos Sólidos Domésticos de Bento Gonçalves, muito pouco foi feito para reparar os pontos mais críticos do local. A principal questão que ainda precisa ser solucionada é a construção da rampa para o carregamento dos caminhões. Sem isso, parte do lixo cai no chão, atrapalhando o andamento dos trabalhos. A rampa, somente este ano, já passou por três reformas. Quem visita o local, também pode constatar muros tortos e com buracos, inclusive um deles pode prejudicar o fornecimento de energia para o local, pois a caixa de força está instalada em um dos muros que ameaça cair.

Falta da rampa continua atrapalhando o carregamento dos caminhões

As poucas mudanças feitas na estação de transbordo foram a colocação de vigas metálicas entre os muros e armações do barracão pré-moldado. Esta medida evita que os

muros caiam, pois, um destes muros já caiu. No dia 27 de março, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ipurb) informou que notificou a construtora

responsável pela obra, Emprec Engenharia. Ela recebeu um prazo de cinco a 10 dias para agregar o material de serviço e iniciar a obra, o que, até o momento, não foi feito. Na época, o gerente da empresa responsável pela coleta do lixo seletivo em Bento, a RN Freitas, Everton Luis Lopes Fraga, relatou o problema que a falta de uma rampa causava aos caminhões: “O nosso trabalho dificultou, pois houve aumento em virtude de ser preciso coletar o lixo que cai no chão”, afirmou. Quando começa? O secretário de Meio Ambiente de Bento Gonçalves, Luiz Augusto Signor, informou que as reformas na rampa de carragamento devem iniciar na próxima semana.

Além disso, estão previstos também o início dos trabalhos para recuperar os muros que ameaçam ruir. Sobre o motivo do atraso no início das obras, já que as mudanças eram consideradas emergenciais e foram prometidas para iniciar em um período de 10 dias, Signor atribuiu a demora a questões burocráticas. O local A Estação de Transbordo custou aos cofres públicos cerca de R$ 250 mil. O local tem capacidade para receber até 60 toneladas de lixo por dia. A licença para a operação foi concedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) no dia 4 de junho do ano passado, e tem validade até 2016. geral1@jornalsemanario.com.br


14 Geral

Sábado, 27 de abril de 2013

Bento

Trânsito sofre com ações paliativas Técnico em circulação viária acredita que é necessário aprovar um macroprojeto de circulação para elaborar medidas visando o futuro Fernando Levinski

P

ossivelmente são poucos os condutores de Bento que nunca sofreram com problemas no trânsito, principalmente no Centro da cidade. De acordo com o técnico em circulação viária Oscar Biasin, o provável motivo dos congestionamentos na cidade são as séries de “medidas paliativas” que foram adotadas no trânsito de Bento. Uma medida que poderá melhorar o trânsito, de acordo com Biasin, é a aprovação de um macroprojeto de circulação e torna-lo lei: “Isso servirá para que não construam onde serão feitas novas ruas”, analisa. Além disso, o macroprojeto servirá para planejar o trânsito de Bento para os próximos anos. Principais problemas Para a reportagem, o técnico elencou alguns dos pontos críticos no trânsito da cidade.

Biasin acredita que a rua Rolando Gudde, no bairro Planalto, não deveria ser a escolhida para receber o projeto da Rua Coberta. “Esta via forma um binário com a rua Herny Hugo Dreher”, avalia. Com a construção do projeto, o técnico acredita que a rua Herny Hugo Dreher poderá ficar sobrecarregada. A segunda questão é a mão dupla na rua Marechal Floriano (1). Quando a via seguia a mão inglesa, o trânsito fluia melhor no local. Na rua Saldanha Marinho (2), o técnico alerta que é necessário elaborar um estudo para implantar uma sincronização de semáforos, evitando o acúmulo de tráfego. O último local ressaltado é o cruzamento da rua Saldanha Marinho com a Marechal Deodoro (3), que possui uma faixa de pedestres logo no início da Marechal. A sugestão dada pelo técnico é realizar a sincronização dos semáforos na Saldanha Marinho

FOTOS FERNANDO LEVINSKI

e transferir a faixa de pedestres para um ponto mais central da rua que passa ao lado da Via del Vino, além disso, ele recomenda a instalação de um semáforo para pedestres junto a esta faixa. Restrição a caminhões Biasin alerta para outras questões que poderiam ser alteradas no trânsito de Bento. Para ele, não há razões para proibirem que carros estacionem na Marechal Deodoro. “Não há condições para a circulação de duas faixas de carros, então poderia existir estacionamento lá”, afirma. Outra medida sugerida para melhorar o trânsito, principalmente no Centro, é a restrição do tráfego de caminhões. O técnico acredita que deveria ser permitido o fluxo destes veículos em determinados horários, principalmente no período da noite. geral1@jornalsemanario.com.br

Secretário revela projetos sem dizer datas e detalhes O secretário de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana de Bento, Mauro Moro, afirmou que há projetos tramitando que abrangem diversos pontos de mobilidade urbana. O titular da pasta afirma que os planos projetem o trânsito de Bento para os próximos 20 anos. Porém, Moro não revelou detalhes nem prazos para que estes planos entrem em vigor. Sobre os pontos problemáticos no trânsito da cidade indicados por Biasin, Moro opina que, em vez do binário com a rua Rolando Gudde, isto pode ser feito com a rua Marcos Nardon de maneira mais abrangente. Com relação ao fluxo na rua Marechal Floriano, Moro afirma que a pista, com largura de sete metros, permite um fluxo que comporta dois carros. Sobre a sincronização dos semáforos, o secretário admi-

tiu que isso é uma necessidade. A faixa de pedestres na Marechal Deodoro foi elaborada com recursos federais sob a fiscalização da Caixa Econômica Federal. “Só podem ser reestudados após a conclusão das obras previstas para que os recursos não sejam perdidos”, afirma Moro. “Realmente, não temos uma fiscalização que proíba os deslocamentos de caminhões no Centro, principalmente de grande porte que acarretam problemas pela largura das vias”, afirma o secretário. Os veículos abandonados nas ruas de alguns bairros da cidade já são considerados um problema por parte da secretaria. Moro afirma que é necessário agir com cautela para “não inviabilizar comércios e indústrias”. Além disso, é necessário disponibilizar áreas de descarga em porto seco


Sรกbado, 27 de abril de 2013

15


16 Geral

Sábado, 27 de abril de 2013

O fim da polêmica

Lar deverá acolher crianças Cessão de uso do prédio inaugurado em 2009 vai garantirespaço para projetos da prefeitura FERNANDO LEVINSKI

Rogério Costa Arantes

D

epois de anos de impasses jurídicos e conflitos de interesses, um acordo estabelecido na manhã da quarta-feira, 23, vai permitir a utilização do prédio do Lar das Meninas, construído com a intenção de abrigar um projeto de acolhimento institucional de crianças em situação de risco e que nunca cumpriu a tarefa. Inaugurado em 2009, o local deverá agora ser cedido, em forma de comodato, à prefeitura, que pretende criar ali “um espaço multiuso, visando atender crianças e adolescentes de ambos os sexos de 0 a 18 anos em situação de vulnerabilidade social”, conforme revelou o secretário de Governo do município, César Gabardo, que esteve à frente da construção do acordo. O acordo selado em uma reunião a portas fechadas que envolveu o governo municipal, a promotoria pública, representantes do Rotary Club Bento Gonçalves, a direção da Associação Lar das Meninas e a representante dos doadores e uma das idealizadoras do projeto, Inês Pompermayer, deve ser confirmado em aproximadamente 30 dias, quando a cessão de uso do prédio será formalizada. A ideia de unir, no mesmo local, cursos profissionalizantes, a instalação da Justiça Restaurativa (um processo colaborativo em que as partes afetadas mais diretamente por um crime determinam a melhor forma de reparar o dano) e as ações de acolhimento encerrou a polêmica que impediu a ocupação do prédio desde sua inauguração, em 2009. Com a

Prédio do Lar das Meninas vai substituir antigo albergue e oferecerá acolhimento a crianças em risco

transferência das atividades do antigo albergue municipal, que atende bebês, crianças e adolescentes em vulnerabilidade e hoje ostenta o nome de Casa de Acolhimento Azaleia, o Lar das Meninas, ao menos em parte, cumprirá seu objetivo inicial. “Me sinto vitoriosa. O prédio foi feito com o objetivo de abrigar meninas, e vamos finalmente cumprir essa função de abrigar crianças. Saio satisfeita”, revelou Inês. Situação de vulnerabilidade Há menos de um ano, uma reunião presidida pelo promotor da Infância e Juventude, Elcio Resmini Meneses, com a participação do juiz Rudolf Carlos Reitz e de entidades ligadas ao funcionamento da instituição, definiu que o funcionamento da casa deve estar “intimamente

vinculado a situações de vulnerabilidade”. “A casa construída para abrigar a Associação Lar das Meninas e seu(s) projeto(s) deverá voltar sua atividade, com a maior urgência possível, para o programa socioeducativo em meio aberto proposto e acolhido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica)”, como foi lavrado na ata do encontro. Na época, a possibilidade de repasse do prédio à prefeitura já era analisada, para a implantação de um Centro de Atendimento à Criança e ao Adolescente (Ceacri), além da proposta do Programa Florescer, mantido pelo Instituto Elisabetha Randon, que realiza em Bento atividades com a Abraçaí, o que foi afastado pela administração, que deve encaminhar parcerias com a iniciativa privada para a oferta de cursos de qualificação.

Para abrigar o novo espaço multiuso, o prédio de mil metros quadrados deverá receber adaptações. Os critérios a ser adotados deverão ser definidos pela promotoria, em conjunto com uma arquiteta da prefeitura, que terá a tarefa de apresentar, em cerca de 20 dias, um projeto para as adequações, mas o potencial de atendimentos a serem prestados, a eficácia na implantação e no custeio para manutenção das atividades e a equipe profissional multidisciplinar já existente deverão ser levados em consideração. A medida ainda deverá significar economia aos cofres públicos, que deixará de locar o espaço onde atualmente funciona a Casa Azaleia, mas a prefeitura ainda não tem uma definição sobre como serão financiadas as atividades. editoria@jornalsemanario.com.br

Acordo pode significar fim de ações do MP O promotor Elcio Resmini Meneses, da Vara da Infância e Adolescência de Bento, acredita que o novo acordo deve encerrar a polêmica e as disputas em torno do uso do prédio do Lar das Meninas. De quebra, caso o processo corra dentro do esperado, a definição poderá também gerar o encerramento de dois inquéritos civis encaminhados pela promotoria em relação ao acolhimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Para Meneses, as investigações sobre a polêmica que envolve o Lar das Meninas e a que avalia irregularidades no acolhimento na Casa Azaleia foram decisivas para a construção do acordo que permitirá ao Lar o acolhimento de crianças. O promotor revelou que irá acompanhar de perto os estudos para a elaboração de um projeto para a adequação dos espaços. 20 crianças Uma das definições é que haverá adaptações em um dos grandes espaços do prédio para o recebimento de, no máximo, 20 crianças em risco. Hoje, cerca de 12 crianças se encontram internadas na Casa Azaleia. A adaptação é necessária porque, tanto para o Comdica quanto para os idealizadores do projeto de acolhimento, a demanda deverá aumentar. Segun do o promotor, o número estabelecido como máximo para responder ao acolhimento é suficiente, porque a intenção é que essa situação não seja permanente, para que o Lar não se torne um “depósito” de crianças. Ao contrário, com um trabalho bem realizado, o foco é devolver às crianças ao convívio familiar sempre que for possível. O acolhimento deverá inciar no segundo semestre.


Geral 17

Sábado, 27 de abril de 2013

Pronto Atendimento

Falta de médicos gera espera O PA 24 Horas, no bairro Botafogo, registra em torno de 280 consultas por dia. No mês de março, foram realizadas 7.394 Francine Boijink

N

o Pronto Atendimento 24 Horas, são realizadas, cerca de 280 consultas por dia. A procura, aliada à falta de médicos, faz com que a espera chegue a se estender por horas. Com poucos profissionais nas Unidades B ásicas de Saúde (UBSs), a comunidade de diferentes localidades do município acaba se deslocando até a unidade. A quarta-feira, 24, foi um desses dias com registro de grande movimento. Pacientes reclamando da fila de espera faziam parte do cenário. Caroline do Carmo, de 25 anos, afirma ter chegado no local por volta das 10h e ter sido atendida por volta de cinco horas depois. Segundo ela, foi solicitado que retornasse às 18h para mostrar um exame ao clínico geral. A moradora do bairro Fenavinho diz não ter procurado a Unidade Básica do bairro Licorsul pela dificuldade em conseguir atendimento. “No posto onde eu vou, são cinco fichas. Para consultar de manhã, tem de ir às 4h da manhã. De tarde, tinha gente às 8h para conseguir às 13h30min”. A costureira afirmou que o médico pediu para que ela fosse com o exame até a UBS. Foi o que ela fez, mas sem sucesso, na quinta-feira, 25. No Licorsul, ela não conseguiu mais consulta para o turno da manhã e decidiu ir até o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) para ver se conseguiria ser atendida. Como não conseguiu, desistiu de buscar o atendimento Segundo o secretário de Saúde, Roberto Miele, há uma carência de médicos, tanto em

Bento Gonçalves, quanto na região. Para resolver esse problema, um dos trabalhos da administração é rever algumas questões, como o salário pago a esses profissionais. Para Miele, está sendo feita uma reestruturação para que os médicos permaneçam trabalhando na rede e criar vínculos com a comunidade. “ A batalha é diária”,desabafa. A demora no atendimento estaria relacionadada também à gravidade de cada paciente, pois, no PA, têm prioridade os casos de urgência e emergência. Uma das expectativas da secretaria é pela conclusão, ainda neste ano, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Uma estrutura que deve oferecer mais qualidade no atendimento e no próprio espaço físico. Quem também buscou atendimento na quarta-feira, 24, foi Gian Carlo Santos Costa. Com tontura e dor de cabeça, o morador do distrito de São Valentim estava no trabalho e decidiu ir no PA 24 Horas. Na unidade próxima de sua casa, ele afirma ter um clínico geral apenas na manhã das terças-feiras. Ele aguardou, desde cerca de 9h45min até aproximadamente às 15h45min, e salientou: “Está brabo, deveria ter mais médicos pelo tamanho populacional, todo mundo procura aqui, é um ponto de referência”, diz. geral3@jornalsemanario.com.br

Atendimentos Janeiro 6.960 Fevereiro 6.208 Março 7.394

FRANCINE BOIJINK

Comunidade que não consegue atendimento nas UBSs próximas de suas casas também opta pelo Pronto Atendimento 24 Horas, como é o caso de Gian Costa, de 24 anos (no detalhe)


18 Geral

Sábado, 27 de abril de 2013

Mercado imobiliário

Áreas urbanas e rurais valorizam até 40% ao ano Lei da oferta e da procura torna a aquisição de imóveis um ótimo investimento Marcelo Maciel

J

unte uma cidade com economia em crescimento considerável, uma população com poder aquisitivo e investidores querendo aplicar seus recursos. A soma destes fatores, aliado a uma procura intensa por imóveis, fez com que ovalor das áreas urbanas e rurais de Bento Gonçalves aumentasse consideravelmente. Hoje, um imóvel pode ter um reajuste anual de até 40%, independente de ser casa, apartamento ou terreno. De acordo com o consultor imobiliário Adelgides Stefenon, o aquecimento do mercado permite que haja um investimento maior no setor, mesmo que o valor dos imóveis esteja alto. Com o crescimento da construção civil, a procura está sendo maior que a oferta, fazendo com que os terrenos fiquem ainda mais caros. Um dos fatores que contribui com esta valorização é a migração das pessoas que moram em casas para apartamentos. A procura por

mais segurança e a proximidade com áreas mais centrais faz com que a negociação seja facilitada. Também existe a questão das permutas com construtoras, onde o proprietário troca sua casa por apartamentos que serão construídos em seu terreno. Os irmãos Ricardo e Ivo Siviero, que atuam com empreendimentos imobiliários, destacam que a burocracia para a construção é um fator que encarece a obra e acaba refletindo diretamente no valor final do imóvel. Ricardo Siviero cita o exemplo da demora na aprovação dos projetos, que pode levar entre dois e cinco anos. Ele revela que o valor de um lote de terras, que hoje pode ser adquirido por R$ 100 mil, terá um custo de R$ 300 mil para o investidor até que a obra seja iniciada, sem que a infraestrutura esteja pronta. Este valor, por sua vez, precisa ser repassado para o empreendimento para que o retorno seja garantido. “Se tivéssemos maior agilidade na liberação e aprovação

de projetos, os custos seriam menores e o consumidor teria acesso a imóveis com valores mais baixos”, destaca o empreendedor. Zona Rural A valorização também chega às terras do interior de Bento Gonçalves. Stefenon esclarece que a procura maior é por sítios e casas de campo. Como há poucos espaços disponíveis, explica ele, quem possui áreas de terra vê a possibilidade de vendê-las com preços bem acima do valor de mercado. Entre as áreas mais valorizadas estão as localizadas no Vale dos Vinhedos, principal roteiro turístico da cidade, e São Valentim, no distrito de Tuiuty, onde foi formado um distrito industrial. A boa infraestrutura e a pavimentação asfáltica no acesso até estas regiões são fatores que impulsionaram a valorização dos terrenos.

Empreendimentos imobiliários crescem com uma velocidade surpreendente e

Números interessantes Os bairros mais valorizados da cidade são: São Francisco, São Bento, Botafogo, Humaita, Borgo, São Roque e Progresso. O Vale dos Vinhedos é a área rural mais valiosa da cidade. O distrito de Tuiuty também é considerado atrativo, principalmente para o setor industrial. Existem apartamentos para todos os bolsos, com valores de R$ 150 mil até R$ 2,5 milhões. Um lote de terras comprado a R$ 30 mil, dependendo da localização, pode valer até R$ 100 mil em apenas 12 meses. Um imóvel comprado na planta tem uma valorização média de 30% a 40% até ficar pronto.

geral2@jornalsemanario.com.br

Qualidade auxilia crescimento Um fator importante que garante o crescimento contínuo dos empreendimentos imobiliários é a qualidade do trabalho realizado pelas imobiliárias. De acordo com Wanderly José Ferreira, delegado do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) de Bento Gonçalves, foi-se o tempo em que apenas se procurava vender um imóvel a qualquer custo. Ele destaca que hoje a maioria das imobiliárias está muito qualifi-

cada, com corretores preparados para, além de dar um bom atendimento, fazer análises das documentações necessárias para as transações. Ferreira afirma que existe também uma preocupação maior com a evolução da obra, a qualidade dos materiais utilizados e, principalmente, com os acabamentos. O mercado imobiliário está muito competitivo e o consumidor está cada vez mais exigente. Estes são dois fatores que acabam

influenciando diretamente na valorização dos imóveis. Além disso, o delegado do Creci adianta que Bento Gonçalves é considerada a terra das oportunidades, o que, por si só, acaba gerando um crescimento considerável. “Acredito que esta valorização elevada dos imóveis seja em virtude do que a nossa cidade oferece, como empregos e a formação profissional através de nossos centros de ensino superior e técnico”.


Geral 19

Sábado, 27 de abril de 2013

FOTOS MARCELO MACIEL

impulsionam a valorização dos imóveis, contrariando a tendência nacional

Imóvel na planta torna-se um negócio mais atrativo A valorização das áreas urbanas e rurais não impede o boom imobiliário que ocorre em Bento Gonçalves. Segundo Wanderly Ferreira, o setor vem apresentando um crescimento acentuado nos últimos cinco anos. Numa cidade onde o poder aquisitivo é consideravelmente alto, o reajuste acima da média dos imóveis não tem impedido que as vendas aconteçam. O consultor Adelgides Stefenon revela que um dos imóveis comercializados teve sucesso de vendas. Todos os 35 apartamentos do prédio foram vendidos em oito meses. Detalhe: ainda na planta. “O prédio ainda está na fase de escavação e já foi todo comercializado”, salienta o consultor. O aquecimento do mercado nos últimos anos tem sido contínuo, tanto para a venda de terrenos como para a co-

Adelgides ao lado do empreendimento vendido em menos de um ano

mercialização de apartamentos. A preferência tem sido por apartamentos com um e dois dormitórios. Wanderly Ferreira explica que, quem tem recursos financeiros para investir, percebe que adquirir um imóvel na planta é um grande negócio. Ele acredita que cada vez mais as pessoas que não tem

pressa em ir morar adquiram dessa forma, tendo em vista a facilidade da aquisição, da forma de pagamento e da taxa aplicada devido à correção até o imóvel estar pronto ser somente o Índice Nacional do Custo da Construção do Mercado (INCC-M), índice administrado pela Fundação Getulio Vargas.

Valorização em todos os bairros Apesar de alguns bairros se destacarem, a valorização imobiliária acontece na cidade como um todo. Ivo e Ricardo Siviero afirmam que a chegada do programa Minha Casa, Minha Vida provocou um crescimento “avassalador” do mercado. Isto permitiu que regiões mais afastadas da área central também fossem valorizadas. Os empreendedores lamen-

tam que o crescimento preferencial seja pela construção de apartamentos e não por lotes com casas. Há quatro anos, no loteamento Bertolini, por exemplo, um lote custava em torno de R$ 25 mil. Hoje, eles são vendidos entre R$ 80 mil e R$ 100 mil. A mudança de perfil do ramo imobiliário permitiu que bairros como o São Ro-

que tivessem uma valorização considerável em seus imóveis. Porém, os irmãos Siviero acreditam que a construção de casas ficou mais restrita, e deve migrar para o estilo de condomínios fechados. Eles citam o exemplo do bairro Glória, que teve uma valorização enorme e, mesmo não havendo mais lotes, a procura pelo imóvel continua.

Os irmãos Siviero acreditam na migração para condomínios fechados


20 Geral

Sábado, 27 de abril de 2013

Gripe

Em Bento, meta não é atingida

Até quinta-feira, 25, 72% do total dos grupos prioritários foram vacinados, ou seja, 16.196 pessoas imunizadas Francine Boijink

ARQUIVO

Q

uem ainda não se imunizou contra a gripe, em Bento Gonçalves, e pertence aos grupos de risco, pode ter mais uma oportunidade para receber a dose. Isso porque, até a manhã de ontem, 26, o setor de imunizações da secretaria de Saúde do município aguardava a decisão oficial do estado sobre a prorrogação da campanha. Segundo o enfermeiro coordenador do setor de imunizações da secretaria de Saúde, Maichel Manfredini, até a quinta-feira, 25, foram imunizadas nas 23 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) 16.196 mil pessoas, o que representa 72% da população de risco, não atingindo a meta de 80%. O número de doentes crônicos totalizou

Dados da vacinação Crianças com mais de seis meses e menos de dois anos de idade

990

1.508

1.522

1.191

2.498

2.272

Gestantes

416

596

760

Puérperas (mulheres em período pós-parto de até 45 dias)

176

248

125

7.248

9.182

11.012

Trabalhadores da área de saúde

A meta não foi atingida entre idosos e gestantes

2164 e a soma dos demais grupos chega a 14.032. As metas não foram alcançadas entre as gestantes, com 63% vacinadas, e idosos, com um total de 67%. Situação diferente das puérperas, que ultrapassaram os 100% da meta. Os trabalhadores da

Vacinados até Meta de dia 20 dia 25 imunização

Idosos

FONTE: SMS

saúde também ultrapassaram a meta, com 88% vacinados. Se a campanha continuar, estará destinada para todas as pessoas do público prioritário. Conforme Manfredini, por enquanto, as doses ainda não devem ser estendidas à população em geral.

Público alvo Podem se vacinar gratuitamente na rede pública pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, mulheres em período pós-parto de 45 dias, profissionais da saúde, crianças de seis meses a menores de

dois anos (é preciso levar carteira de vacinação) e portadores de doenças crônicas não transmissíveis (precisam levar uma prescrição médica com o nome da doença ou a categoria de risco a que pertence). A vacina protege contra o Vírus Influenza H1N1, H3N2 e contra o vírus Influenza B, causador da gripe comum. Se prorrogada oficialmentem, os atendimentos continuarão sendo feitos nas UBSs.Até o sábado passado, 20, em Bento, 65% da população havia recebido a dose. No Brasil, até a manhã de ontem, 26, a meta de vacinação não chegava a alcançar os 50%. No Rio Grande do Sul, o percentual era maior do que do país, mas não alcançou os 70%. geral3@jornalsemanario.com.br


Sรกbado, 27 de abril de 2013

21


22

Economia

Sábado, 27 de abril de 2013

Vitivinicultura

Dia do Vinho comemora 10 anos Comemoração acontecerá de 24 de maio a 2 de junho, nos municípios produtores, para lembrar a cultura e tradição italianas CRISTIANE MORO,DIVULGAÇÃO

Kátia Casagrande

N

este ano, a região vai comemorar 10 anos da promulgação da Lei 12019/2003 que instituiu o primeiro domingo de junho como o Dia Estadual do Vinho. A data tem sido comemorada com programações especiais que envolvem os municípios produtores. Este ano, a comemoração ganha um novo sentido: o objetivo principal é celebrar o Dia Nacional do Vinho, em 2014. Para o secretário de Turismo de Bento Gonçalves, Gilberto Durante, para na cidade, que é a Capital Brasileira do Vinho, a data é motivo de comemoração. “Serve também para despertar o mercado no sentido que consigamos aumentar o consumo médio per capita, que no Brasil é muito pequeno”, avalia. De acordo com a diretora executiva do Sindicato de Hotéis Restaurantes Bares e Similares (SHRBS), Região Uva

com o objetivo de buscar mais visibilidade e seguir posicionando o setor vitivinícola. Repercussão

No ano passado, um grupo lembrou a tradição através da música

e Vinho, Márcia Ferronato, Bento, com seus imigrantes, é pioneira na elaboração de vinhos e, consequentemente, em promover a cultura do vinho e o estilo de vida de quem aqui vive. “O objetivo da data é referenciar, homenagear um dos produtos âncora da região e agradecer pelos frutos colhidos”, avalia. Segundo o gerente de marketing do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Diego

Bertolini, foram orquestradas e reunidas todas as estratégias de cada município, para assim se estabelecer uma data ou semana para lembrar o vinho. “Além dos municípios queremos sensibilizar as vinícolas, restaurantes, hotéis e outros empreendimentos”, revela. O Ibravin, com apoio de empresas do setor, está acompanhando junto ao congresso nacional a aprovação da lei que institui a data a nível nacional,

O 4º Dia do Vinho será comemorado entre 24 de maio e2 de junho, nos municípios de Antônio Prado, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Alegrete, Bagé, Dom Pedrito, Rosário do Sul, Santana do Livramento e Porto Alegre. Os hotéis, vinícolas, restaurantes e comércio da cidade trabalham promovendo atrativos para este dia especial, conforme afirma o gerente operacional do Hotel Laguhetto Viverone, Cesar Boch. “Desta forma fazemos com que o turista possa desfrutar de todas as opções que a cidade oferece”, explica. Para o sócio-gerente da Rede de Hotéis Dall’Onder, Tarcísio Michelon, o vinho é o princi-

pal atrativo de Bento e, a partir disso, devem ser trabalhadas todas as atrações. Ele acredita que a semana de comemorações deve ser enriquecida com eventos-âncora, que valorizem a arte, a cultura e os costumes dos imigrantes italianos. A coordenadora de turismo da Salton, Cristine Bosi da Cruz, afirma que a cidade ostenta com muito orgulho o título de Capital do Vinho, e é muito importante que toda população esteja consciente da importância desta distinção para o desenvolvimento do município. Dados do Ibravin apontam que o consumo de vinhos no Brasil ainda é pequeno, e promover o produto por meio de ações específicas é uma forma de contruibuir para a aproximação de novos consumidores, argumenta a supervisora de turismo da Vinícola Aurora, Ana Maria De Paris Possamai. geral4@jornalsemanario.com.br


Economia 23

Sábado, 27 de abril de 2013

Ambiente

Recicladora quer local próprio Associação do Jardim Glória existe há 10 anos, e é exemplo de união, trabalho e de partilha dos lucros adquiridos KÁTIA CASAGRANDE

Kátia Casagrande

T

odo o lixo reciclável em Bento Gonçalves, recolhido pelos caminhões da Coleta Seletiva é entregue a uma das unidades de reciclagem do município. As recicladoras fazem a separação dos materiais para depois repassar às empresas que os reutilizam. A Associação dos Recicladores do Jardim Glória, é uma delas, e está atuando há 10 anos. A presidente, Ana Lúcia Brito, que trabalhou em outra recicladora da cidade, juntamente com mais duas amigas, foi quem decidiu abrir a associação. “Aqui, recebemos todos os tipos de materiais que podem ser reciclados”, explica. Com uma equipe de aproximadamente 20 pessoas, recu-

Num mês bom reciclam em torno de 50 toneladas de materiais

peram em torno de 50 toneladas e arrecadam R$ 10 mil por mês. Com o dinheiro arrecadado a partir da venda dos materiais, a associação paga as

contas básicas, como aluguel, luz, água e telefone, e o restante do valor é dividido de forma igual entre os trabalhadores. “A quantidade que é reciclada

e arrecada varia de acordo com o tipo de material que mais recebemos. Aqui, trabalhamos com centavos, pois o papelão é R$ 0,26 o quilo e a embalagem tetrapark é R$ 0,06”, afirma a tesoureira, Vanderléia Araudi. Para ter a liberação e abrir uma recicladora é preciso ter o alvará dos bombeiros e licença ambiental da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). Mesmo estando com a situação regularizada, a associação é denunciada por causa dos animais. “Duas vezes por mês fazemos uma dedetização no pavilhão, em função dos ratos e baratas”, argumenta Ana Lúcia. Vanderléia afirma que um desejo dos associados é um local próprio, mais retirado da cidade. “Não adianta gostar do

que se faz e ter tudo em dia, quando têm pessoas que nos prejudicam”, desabafa Ana. De acordo com o presidente Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), Gilnei Rigotto, esta associação está enfrentando alguns problemas internos. “Numa das gestões, ficou um rombo de R$ 3,5 mil, o que dificulta um pouco para conseguirem pagar as contas”, afirma. Rigotto declara que esse grupo é um exemplo de partilha dos lucros. “Eles sempre me dizem que entre esperar um recurso da prefeitura irão trabalhar para ter o dinheiro necessário, o que vier a mais ajudará para equilibrar as contas. E isso é muito bom”, avalia. geral4@jornalsemanario.com.br


24

Educação

Sábado, 27 de abril de 2013

Paralisação do Cpers

Encontro para discutir as reivindicações

AssuntaDeParis Considerações sobre o valor documental

Os 42 núcleos do sindicato se reúnem em Porto Alegre no dia 17 de maio MARCOS AZAMBUJA/ CPERS DIVULGAÇÃO

Francine Boijink

U

REPRODUÇÃO

m documento contendo as reivindicações de professores e funcionários das escolas estaduais é o resultado de três dias da paralisação do CPERS/Sindicato realizada durante a semana passada. No dia 17 de maio, os 42 núcleos vão avaliar a paralisação em Porto Alegre e definir as próximas estratégias na luta pela implementação do piso salarial. Das 24 escolas estaduais de Bento, sete paralisaram as atividades, algumas total e outras parcialmente, durante os três dias de mobilização do CPERS, segundo a 16ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). Conforme a diretora-geral do 12° Núcleo do CPERS, Juçara de Fátima Borges, entre os assuntos reivindicados pela categoria está a inclusão dos trabalhadores da educação como grupos prioritários na campanha de vacinação

Durante mobilização, plenária foi realizada em Bento

contra a gripe. Além disso, outro pedido é a realização de concurso para funcionários de escola, para substituir os que se aposentaram e os terceirizados contratados. Conforme Juçara, essa carência faz com que bibliotecas estejam atualmente fechadas. A implementação da hora-atividade também é avaliada como uma das necessidades da categoria. Como não foi implementada em todas as escolas, os professores não têm um tempo destinado para atividades como a organização das aulas, por exemplo.

A redução da carga-horária para que os docentes possam se aperfeiçoar, o piso salarial e a melhor infraestrutura das escolas foram alguns dos outros assuntos em pauta durante as atividades. Conforme o coordenador da 16ª CRE, Enio Ceccagno, as aulas canceladas durante a paralisação precisam ser recuperadas. Um novo calendário será apresentado para que sejam cumpridos os 200 dias letivos e as horas necessárias que constam na legislação. geral3@jornalsemanario.com.br

Instalação do monumento à cruzinha – O primeiro nome do nosso município – 1926 – Em frente a Igreja Santo Antônio A queda do Império Romano descentralizou o poder e a simplicidade econômica da cultura dos bárbaros que não contemplava uma continuação da estrutura administrativa Romana. Porém, a produção Documental não se extinguiu por completo, pois mesmo nesse extenso período de “ruralização”, fazia-se necessário o registro de algumas atividades. Em geral, os documentos eram regidos por alguns clérigos, herdeiros das práticas romanas. Uma das principais características dos arquivos medievais é o fato de que eles eram, em geral, constituídos por documentos recebidos: cartas de vasalagem, obrigações de senhores e servos. Os reis e senhores que não possuíam residência fixa, preservavam esses DOCUMENTOS junto aos seus tesouros ou depositavam em instituições da Igreja Católica, que se tronou a primeira instituição medieval a desenvolver um sistema ARQUIVÍSTICO. Há um consenso entre estudiosos de que a Revolução Francesa é um marco na HISTÓRIA DOS ARQUIVOS. Outro efeito positivo da Revolução Francesa foi o reconhecimento, por parte do Estado, de sua responsabilidade com a “Herança Documental”. Somente após a Revolução o acesso tornou-se um direito do cidadão. Inicia-se dessa forma uma nova fase dos ARQUIVOS, tratados, como colaboradores da ADMINISTRAÇÃO e fonte de pesquisa para os historiadores e estudiosos. Deve-se também salientar todo o suporte legal que envolve o tratamento arquivístico, contribuindo para a cristalização de um tratamento disciplinar. Isto é, normas para a administração, triagem, restauração e eliminação de documentos, depois de passarem pala Tabela de Temporalidade! Essa ordenação classifica os DOCUMENTOS em: CICLO VITAL DOS DOCUMENTOS e como resultado a TEORIA DAS TRÊS IDADES. A 1ª idade ou ARQUIVO CORRENTE, a freqüência de uso é intensa, devem permanecer o mais possível organizados ao órgão que os produziram. A 2ª idade, ARQUIVO INTERMEDIÁRIO, encontra-se documentos em que a freqüência do uso diminui, mas sua conservação deve-se a prescrição de prazos legais, administrativos ou fiscais, o acesso é RESTRITO, sob autorização dos mesmos; a 3ª idade ou ARQUIVO PERMANENTE OU HISTÓRICO – é a custódia permanente dos DOCUMENTOS. É o repositório da memória, os DOCUMENTOS, devidamente avaliados em caráter irrevogável, serão conservados para a pesquisa HISTÓRICA. É no ARQUIVO PERMANENTE que o DOCUMENTO vai começar sua operacionalidade, tornado-se um ENTE-VIVO E ÚTIL para a pesquisa científica. Historiadores, pesquisadores e interessados à pesquisa poderão conhecer o tesouro DOCUMENTAL deixado pelas administrações e pelas gerações dos antepassados. Geralmente os ARQUIVOS HISTÓRICOS são Orgãos Federais, Estaduais e Municipais, tem como objetivo fundamental PRESERVAR O DOCUMENTO. O ARQUIVO PÚBLICO E HISTÓRICO MUNICIPAL DE BENTO GONÇALVES É PATRIMÔNIO HISTORICO DOCUMENTAL, E É UMA REFERÊNCIA NACIONAL. “ PARABÉNS AO PODER PUBLICO MUNIICIPAL PELA DEDICAÇÃO E GUARDA DESTE IMPORTANTE PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE PROJEÇÃO NACIONAL”. Fonte: ARQUIVO & ADMINISTRAÇÃO Publicação Oficial dos Arquivos Brasileiros


Educação 25

Sábado, 27 de abril de 2013

Dia do Livro Infantil

FOTOS DIVULGAÇÃO

Alunos do 2º ano 21 se divertindo com a leitura durante realização do Projeto Mundo da Leitura

Literatura faz parte do fazer pedagógico Educandos puderam interagir e aprender mais sobre Monteiro Lobato

N

o dia 18 de abril é comemorado o Dia do Livro Infantil e o aniversário Monteiro Lobato, patrono da Biblioteca Infantil do Colégio Medianeira. Entre as várias atividades do Projeto Mundo da Leitura, os alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a vida de Monteiro Lobato e suas obras. Monteiro Lobato foi apresentado aos alunos, interagindo com as crianças e cantando músicas do Sítio do Picapau Amarelo. Todas as turmas participaram do momento que envolveu a habilidade da leitura, realizando atividades práticas na Biblioteca, no Laboratório de Informática e na Praça. O Colégio Scalabriniano prepara e estimula seus educadores para serem testemunhos da verdade e afirmadores de valores éticos, evangélicos, vivam a sensibilidade sócio-religiosa da fé e da esperança, praticantes e mestres da acolhida fraterna e solidária, a fim de serem referenciais iluminados para o aprendizado vivo e realizador.

Alunos do 3º ano, com a professora, trabalham em frente à prefeitura

A turma do 2º ano 22 recebeu a visita da personagem Cuca


26

Bairros

Sábado, 27 de abril de 2013

Zatt

Lixo permanece a céu aberto Sem as tradicionais lixeiras de coleta, as sacolas são jogadas na rua próxima a uma escadaria e causam muito transtorno FOTOS NOEMIR LEITÃO

Noemir Leitão

U

ma situação que vem perdurando por muitos anos no bairro Zatt é a questão do lixo, depositado a céu aberto, próximo de residências e sem qualquer cuidado. A razão é simples: em muitos locais não existem lixeiras de coleta para que o lixo, principalmente o orgânico seja depositado corretamente. Na rua Orestes Spadari, os moradores reclamam que o lixo fica depositado sem qualquer cuidado. Os moradores reclamam que o lixo se acumula e cachorros acabam rasgando as sacolas, espalhando pelo chão, jogados nas calçadas e na escadaria que existe no local. Na há fiscalização no bairro, e a coleta do lixo orgânico, acaba deixando para trás o lixo que está espalhado, já que não existem as lixeiras, por determinação da própria Secretaria Municipal de meio Ambiente. O morador Egon Wtndt, de

Uma triste realidade: o local é inadequado, e resíduos orgânicos continuam depositados na rua

47 anos, e que há 20 reside no local, afirma que é muito complicada essa questão, porque o lixo orgânico fica jogado na rua e acaba entrando nas residên-

cias. “O ideal seria ter uma lixeira grande e educar nossos moradores com orientações para que esse problema não fosse repetido por muitas vezes”, disse.

Ele também sugere um muro de contenção, para que o lixo que fica depositado não entra nas casas que ficam no barranco abaixo da rua.

Nas oportunidades em que foram solicitadas as lixeiras ao secretário de Meio Ambiente, Luiz Augusto Signor, o pedido foi negado, devido aos problemas enfrentados pela falta de organização das comunidades. O secretário ressalta que a organização tem que ser dos próprios moradores, que precisam ter uma consciência ambiental e ecológica, cuidando do seu lixo, aguardando a coleta nos dias corretos e sabendo respeitar o meio ambiente. Com relação à colocação das lixeiras, o secretário não descarta a possibilidade, porém adverte que será preciso haver um trabalho de conscientização das famílias, seja qual for o bairro ou comunidade, no caso, para saber separar o lixo e ser responsável pela sua colocação adequada, sem que haja desrespeito com a natureza. bairros@jornalsemanario.com.br


Bairros 27

Sábado, 27 de abril de 2013

SANTA HELENA III

Ruas começam a receber reparos na pavimentação

São Roque

Abóboras gigantes para fazer doces Moradora cultiva em sua horta hortaliças que cresceram acima do normal FOTOS NOEMIR LEITÃO

Noemir Leitão

D

No bairro Santa Helena III, diversas ruas serão beneficiadas

Em diversas ruas do bairro Santa Helena III iniciaram, na semana passada, reformas na pavimentação e na rede de esgoto, além de outros pontos que vinham sendo reivindicados pelos moradores desta comunidade. Uma das ruas que está sendo reformada é parte da Rai-

mundo Carvalho, juntamente com as ruas Noely Clemente de Rossi, José Rossini e Pedro Koff. São obras na pavimentação, que irão fazer com que o fluxo de veículos seja facilitado. As obras deverão ser finalizadas neste mês, e irão melhorar a infraestrutura do bairro.

e frutos gigantes, todos já tiveram a oportunidade de conhecer em diversas partes da cidade. Eles são encontrados em locais muitas vezes inadequados, e que acabam aguçando a curiosidade de quem nunca conheceu. No bairro São Roque, na rua Luiz Pasqualli, a moradora Leda Dal Ponte Segatto, de 66 anos, reside há mais de 30 anos na mesma casa e mantém um quintal com árvores e horta bem cuidada. Junto com o marido, Dorval Segatto, 67, e uma filha, ela tem na cerca de arame próxima à entrada da sua cozinha, mais de 10 abóboras gigantes que estão espalhadas e prontas para fazer doces, caldas e chimias. Leda ressalta que não plantou as aqbóboras, simplesmente elas cresceram e ficaram enormes, o que chama a atenção de quem visita a sua residência. “Minha casa virou um ponto de visitação, por curiosidade das pessoas em ver esses vegetais, vizinhos

UNIVERSITÁRIO

Leda Segatto tem todo cuidado em exibir uma das abóboras

e pessoas que gostam deste tipo de exibição”, disse. Ela destaca que deve ter colocado alguma semente na terra próxima da sua casa e, com isso, houve uma germinação natural e o crescimento acima do normal. As abóboras sempre brotam nos meses de outubro

e novembro, e ficam durante um bom tempo, até serem recolhidas. Para Leda, o mais importante é deixar os vegetais pendurados na tela e bonitos, para serem exibidos para as pessoas que querem ver de perto. bairros@jornalsemanario.com.br

SÃO JOÃO

Iniciam obras do novo ginásio Escolha da rainha da No bairro Universitário, iniciaram as obras da construção do complexo esportivo e cultural da comunidade. Depois de uma longa luta espera, o terreno onde será erguido o ginásio recebeu, no início deste mês, a colocação dos pilares de sustentação e a instalação da placa de identificação do empreendimento. O complexo terá dois pisos, e servirá para manter a integração entre os moradores do bairro Universitário, no esporte e também nas promoções sociais. Ainda não há uma data para a inauguração do ginásio, mas os trabalhos deverão prosseguir até o final de maio,

escola Tancredo Neves

Área destinada para a construção do complexo multiuso do bairro

quando já se terá uma posição da data de uso deste complexo. O ginásio ficará próximo à escola Ernesto Dornelles e

da UCS/Carvi, em um terreno que foi conseguido graças ao esforço da associação dos moradores.

Ocorre hoje, 27, na Escola Estadual de Ensino Fundamental Doutor Tancredo de Almeida Neves, do bairro São João, a escolha da rainha e gatão do educandário edição 2013. O evento este ano será dividido em turmas, o que possibilitará a participação de todos os alunos de diversas séries. Segundo a diretora, Stael Invernizzi, a rainha, princesas e miss simpatia, além do gatão, serão escolhidas através de alunos oriundos das 7ª e 8ª séries. Já o broto e gato serão escolhidos das 5º e 6º anos, a gatinha e gatinho virão dos 3º

e 4º anos e os brotinhos tanto no masculino, como no feminino serão do jardim “B” até o 2º ano. A festa terá como local o ginásio do educandário, iniciando às 14h30min. Para Stael, os alunos todos estarão envolvidos neste evento, pois eles estão sendo escolhidos em salas de aula, como representantes, e desfilarão na presença do corpo de jurados, dos pais e comunidade em geral. “Temos a certeza que faremos uma grande festa em nosso educandário, pois será uma união entre escola e bairro, numa única integração”, disse.


28

Interior & Região

Sábado, 27 de abril de 2013

Interior

MONTE BELO DO SUL

Hora da prevenção contra as taturanas Agricultores estão atentos contra o perigo destas pequenas lagartas Noemir Leitão

A

Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e a Emater alertam os agricultores sobre os perigos que podem ser causados pelas taturanas. Comuns nos troncos dos plátanos que existem em grande quantidade na região, podem causar hemorragias graves e levar à morte, se não forem tomadas as medidas corretas após o contato. As taturanas têm características que as diferenciam das outras lagartas, como as pintas brancas ao longo do corpo e cerdas de coloração

verde em forma de pinheirinho. As “queimaduras” provocadas por taturanas são acompanhadas de dor intensa, que se irradia pelo corpo e leva com frequência ao intumescimento de gânglios. A dor costuma ceder em pouco tempo, embora possa, ás vezes, prolongar-se por até mais de 24 horas e associar-se a sintomas generalizados de intoxicação, como febre, náusea e eliminação de sangue na urina. Em caso de contato acidental com a taturana, deve-se procurar atendimento médico imediatamente, de preferência levando o inseto

FOTOS NOEMIR LEITÃO

Lagartas são muito comuns na nossa região

consigo. Não se deve pegar diretamente a taturana com as mãos. Deve-se usar luvas e colocá-las em um frasco. interior@jornalsemanario.com.br

Escolinha com vários projetos para o ano Estando preparados para o decorrer do ano, os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Caminhos do Aprender, de Monte Belo do Sul desenvolverão os projetos em 2013. A entidade conta com 111 alunos nos dois turnos. Hoje a escola também conta com 35 profissionais entre professores, pedagogos e funcionários, incluindo 6 professores em atividade e 8 atendentes e 4 monitores. A diretora Gelândia Ceccon Piovesana, conta ainda com as suas vice-diretoras Paula Santos Dinardi, Roselene Roman Brum e Taiane Dorigon. Os projetos deste ano são três grandes envolvendo todo o trabalho desempenhado na entidade, sendo eles: Receita da Minha Casa, que é a valorização das tradições italianas, Educação e Higiene nutricional. Leitura ao trabalho voltado em sala de aula que tem a finalidade de buscar o melhor aprendizado para os pequenos alunos. Além disso, existe um projeto sobre o meio ambiente com eixos de estudos e de conhecimento e com ativi-

Os pequenos alunos da escola Caminhos do Aprender

dades voltadas ao ambiente sustentável. Por outro lado, existe um projeto paralelo conhecido como, sorrindo para o futuro com uma odontóloga, que trata dos dentes dos pequenos e realiza um trabalho voltado para a boa saúde bucal. Segundo a professora Gelândia Piovesana, “o mais importante é que a escola vem desempenhando sua função de forma a dar condições aos nossos alunos, sempre objetivando uma melhor saída para o crescimento intelectual principalmente nesta fase do aprendizado”, disse.

SÃO PEDRO

Esculturas cuidadas por artista local O artista Carlos Bianchetti, de 48 anos, que reside no centro de Bento Gonçalves, realiza um trabalho de esculpir e cuidar de esculturas que existe no distrito de São Pedro. Ele faz o trabalho de topiaria e esfáguero esculpindo imagem de uma ovelha próxima a avenida principal do distrito que foi montada por arbustos e com material reciclado, além disso, Carlos também estará esculpindo um cachorro gigante que está no parque de uma indústria do distrito. Ele ganhou o material de estrutura de fundição da cidade de Parentins, no Amazonas e o cuidado como todo o artista gosta de fazer, ou seja, trabalhar bem suas peças. “Levarei seis meses para encerrar todo esse trabalho, mas

Trabalho de aparar a obra de arte é feito com muito cuidado

o mais importante será mostrar para os turistas que visitam o distrito essas duas obras de arte que terá um significado todo especial”, afirma.


Sábado, 27 de abril de 2013

Publicações Legais

29


30

Obituário

Sábado, 27 de abril de 2013

Faleceram em Bento

PAULO ROBERTO DIAS DOS SANTOS, no dia 21 de abril de 2013. Natural de Porto Alegre, RS, era filho de Jorge Adriano Pereira doa Santos e Dorciria Dias e tinha 20 anos.

PAOLO LAZARINI, no dia 22 de abril de 2013. Natural de Veranópolis, RS, era filho de João Virgilio Lazarini e Elvira Thereza Argenta Lazarini e tinha 91 anos.

RENAN RECK, no dia 22 de abril de 2013. Natural de Passo Fundo, RS, era filho de João Reck e Maria Monteiro Reck e tinha 78 anos.

MARIA ORSOLINA ZONATTO CALZA, no dia 23 de abril de 2013. Natural de Guaporé, RS, era filha de Angelo Zonatto e Magdalena Polli e tinha 82 anos.

DEJAIR PEREIRA, no dia 23 de abril de 2013. Natural de Iraí, RS, era filho de Felipe Pereira e Emilia da Costa e tinha 74 anos.

DELMAR MIGUEL ALBA, no dia 17 de abril de 2013. Natural de Rodeio Bonito, RS, era filho de Leonildo Alba e Maria Zampese Alba e tinha 54 anos. EMILIA ROZALIA SARTORI TRUCOLO, no dia 17 de abril de 2013. Natural de Garibaldi, RS, era filha de José Sartori e Adele Ambrosio e tinha 88 anos. IRES MARIA MANGONI, no dia 17 de abril de 2013. Natural de Farroupilha, RS, era filha de Armando Mangoni e Carolina Mandelli e tinha 76 anos. JOSÉ RUI BELMONTE LOPES, no dia 17 de abril de 2013. Natural de Itacurubi, RS, era filho de Aparício dos Santos Lopes e Adalia Belmonte Lopes e tinha 44 anos. ANCILA AGOSTINI BOCHI, no dia 18 de abril de 2013. Natural de Estrela, RS, era filha de Emilio Agostini e Catarina Agostini e tinha 85 anos. GREGÓRIO TITO PEGORARO, no dia 18 de abril de 2013. Natural de Bento Gonçalves, RS, era filho de Tito Pegoraro e Angela Passarin e tinha 77 anos. ALCIDES BERGAMASCHI, no dia 19 de abril de 2013. Natural de Bento Gonçalves, RS, era filho de Emilio Bergamaschi e Maria Delfina Brun Bergamaschi e tinha 75 anos. OSCAR NATAL PREZZI, no dia 19 de abril de 2013. Natural de Bento Gonçalves, RS, era filho de Roberto Prezzi e Guerina Prezzi e tinha 90 anos. CLECÍ LURDES MARINI RODRIGUES, no dia 19 de abril de 2013. Natural de Sananduva, RS, era filha de Arduino Marini e Maria Agostineto Marini e tinha 54 anos. DIRNEI BECKER PIVETTA, no dia 19 de abril de 2013. Natural de Porto Alegre, RS, era filho de Dirceu Isidoro Pivetta e Vilsone Teresinha Becker Pivetta e tinha 35 anos. ADELIA SILVA DE MELLO, no dia 19 de abril de 2013. Natural de Ijuí, RS, era filha de Octacílio Teles de Mello e Lucidia Silva de Mello e tinha 59 anos. ANDRÉ GAYESKI NETO, no dia 21 de abril de 2013. Natural de Nova Prata, RS, era filho de Felix Gayeski e Josefa Waiczikoski Gayeski e tinha 80 anos. GILBERTO ALVES DOS SANTOS, no dia 21 de abril de 2013. Natural de Lagoa Vermelha, RS, era filho de Alceu Alves dos Santos e Tereza Franco dos Santos e tinha 46 anos.


Polícia

Sábado, 27 de abril de 2013

31

Segurança Pública

Polícia mais perto da comunidade Em funcionamento há cinco dias, polícia comunitária tem o propósito de coibir a violência em 15 bairros de Bento Gonçalves FERNANDO LEVINSKI

Rodrigo Bergsleithner

O

policiamento comunitário já é uma realidade em Bento Gonçalves desde a tarde de terça-feira, 23, quando ocorreu a solenidade oficial de lançamento. O município conta com 26 policiais trabalhando neste sistema, sendo 18 da Brigada Militar (BM) e seis da Polícia Civil, que atuam em 15 bairros, divididos em seis núcleos, com o reforço de sete novas viaturas. O policiamento comunitário está ocorrendo nos bairros São Roque, Universitário, Progresso, Humaitá, Maria Goretti, Cidade Alta, Juventude, São Francisco, Licorsul, São Bento, Planalto, Fenavinho, Botafogo e Santa Rita. O anúncio de que o município de Bento Gonçalves estaria apto a receber o policiamento comunitário foi feito em 26 de março de 2012, na administração do prefeito Roberto Lunelli, pelo Secretário da Segurança Pública (SSP), Airton Michels, em solenidade em frente à prefeitura. Na época,

No bairro Cidade Alta, policiais militares zelam pela segurança da comunidade durante 24 horas

Airton Michels afirmou que a implantação do Polícia Comunitária é mais uma parceria que a Prefeitura de Bento Gonçalves está construindo com o Governo do Estado, por intermédio da SSP. E que para o reforço policial na cidade, a Secretaria estaria investin-

do R$ 350 mil na aquisição de viaturas e equipamentos, como coletes e pistolas. Ainda, que os policiais selecionados participarão do curso de capacitação que terá 40 horas/aula. Nesta semana, a Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul instalou o po-

liciamento comunitário em Bento Gonçalves. O objetivo da criação da polícia comunitária é reduzir os índices de criminalidade. Deste modo, o Estado investiu na compra de novas viaturas para a Brigada Militar e equipamentos de serviço. O projeto, desenvolvido

em parceria com a prefeitura, pagará uma bolsa de R$ 600 para os policiais morarem nos locais onde atuarão. Bento Gonçalves é a primeira cidade do Rio Grande do Sul a receber um núcleo da Polícia Civil atuando no policiamento comunitário. O núcleo da Polícia Civil atuará no acolhimento das vítimas de violência doméstica, desenvolverá projetos, em parceria com a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), de reabilitação de agressores, diminuição na reincidência dos crimes e trabalhos de conscientização a grupos vulneráveis. O objetivo principal da integração do núcleo é aproximar o trabalho da Polícia Civil da comunidade e acompanhar as vítimas após as ocorrências e os grupos de conscientização. A prefeitura vai realizar audiências públicas com a comunidade para detalher sobre o funcionamento do policiamento comunitário. redacao@jornalsemanario.com.br

O policiamento chegou em bom momento O início do policiamento comunitário agrada a comunidade e é visto como uma espécie de salvação em relação ao recente aumento da criminalidade em Bento Gonçalves. É o que diz a estudante Suelen Marcon Mikolaiczyk, 15, que mesmo não havendo o policiamento comunitário em seu bairro, que é o Ouro Verde, se diz mais segura para transitar pelas ruas da cidade. “Eu acho que o policiamento comunitário é uma boa para a nossa cidade. Acredito que com o início do projeto, os crimes tendem a diminuir na cidade”, diz. No bairro Planalto, um dos locais que conta com os policiais, o auxiliar de cozinha José Patrício de Britto Figuera, 36, trabalha mais sossegado com a chegada do serviço

FOTOS RODRIGO BERGSLEITHNER

José Figuera, no bairro Planalto

Virgílio Rizze, no Botafogo

Jandiro Parisotto, no Licorsul

por acreditar que vai existir mais segurança para todos. “É ótimo o fato de Bento Gonçalves contar com este policiamento, pois poderão monitorar mais o crime e as irregularidades que acontecem nos bairros. Me sinto mais seguro com isso”, disse.

Para o empresário Jandiro Parisotto, 61, a insegurança ronda a cidade em todos os locais e pode ocorrer em qualquer momento. Com a polícia comunitária, ele acredita que vai ser mais seguro sair de casa e andar a pé pelas ruas. “No meu comércio já fui assaltado

duas vezes. Acredito que com este reforço na segurança, vamos poder colher bons frutos em relação ao combate à criminalidade”, disse. No bairro Botafogo, o aposentado Virgílio João Rizze, 80, diz que estava na hora da segurança pública rece-

ber mais atenção por parte das autoridades. “Todos os bairros de Bento Gonçalves estavam abandonados. Muitas pessoas vem sofrendo assaltos e sendo vítimas dos ladrões. Precisamos de mais segurança em nossos bairros. Eu já sofri uma ameaça de assalto no bairro Cidade Alta, mesmo assim está perigoso circular por alguns pontos em nossa cidade”, disse. Para Jussara da Silva Franco, 51, que mora no bairro Botafogo, a comunidade precisava de reforço no policiamento. “Já fui assaltada uma vez, aqui no bairro Botafogo mesmo. Minha filha foi assaltada no bairro Licorsul. Está ficando muito perigoso circular a pé e ficar em paradas de ônibus aqui em Bento. Isto aqui parece Porto Alegre!”, disse.


32 Polícia

Sábado, 27 de abril de 2013

Drogadição

RODRIGO BERGSLEITHNER

Diariamente, no turno da noite, o viaduto é um local de encontro de usuários de drogas, entre as principais, a maconha e o crack. A maioria deles, menores de idade

Viaduto vira reduto de usuários Cresce o consumo de maconha e crack, tanto na parte superior quanto na inferior do viaduto da rua General Gomes Carneiro Rodrigo Bergsleithner

M

ovimentada durante o horário comercial e no início da noite, no chamado “horário de pico”, a rua General Gomes Carneiro se transforma em uma solitária via durante a madrugada. Com o andar dos ponteiros do relógio madrugada adentro, surgem timidamente os primeiros personagens que rondam o viaduto nas proximidades da Estação Rodoviária. De vez em quando, o ronco do motor de um ônibus que chega ou sai a caminho da estrada é a única atividade sonora existente no local. Com o silêncio, pode-se ouvir as primeiras conversas ao fundo e o barulho dos isqueiros que acendem e apagam. Estamos falando de mais um ponto de drogadição em Bento Gonçalves. Segunda-feira Noite da segunda-feira, 22, por volta das 23h50min, um cidadão atravessa a rua e pula sobre o corrimão de ferro que

separa a via do passeio. Rapidamente, olha para os dois lados e esconde-se embaixo de uma das vigas de concreto que sustentam o viaduto. Desconfiado e em estado de hiperatividade, o jovem coloca a camiseta sobre a cabeça para acender um cigarro de maconha, facilmente notado pelo cheiro que se alastra pela via. A cada tragada, uma olhada para os dois lados. Quando um veículo se aproxima, ele se esconde atrás de um dos pilares. Retoma seu lugar, fuma novamente com seis tragadas seguidas e joga o cigarro aceso. Em um piscar de olhos, o indivíduo some. Nem desce, e muito menos sobe a rua, apenas se esconde no meio de uma vegetação ao lado. “Isto acontece muito seguido por aqui. Maconha a gente sabe quando é devido ao forte odor; agora, o perigoso mesmo é quando são dois ou três fumando crack ali embaixo. Ficam todos loucos. Saem por aí chutando e quebrando as coisas e andando feito uns zumbis. Parece que vivemos na prática um pesadelo”, disse Alexandra Moreira Lallela, de 27 anos, estudante que passa pelo local todas as noites, às vezes de ônibus, outras de táxi. Segundo ela,

andar por este caminho quando há usuários de drogas por perto é arriscar a própria vida. Terça-feira No início da noite da terça-feira, 23, por volta das 18h45min, dois jovens sentados embaixo do viaduto fumavam maconha tranquilamente, enquanto o intenso movimento de veículos e pessoas circulava pela via. Sem se preocupar com a situação, os dois garotos, ambos na faixa etária entre 16 a 18 anos, trocavam de mão em mão o cigarro de maconha, enquanto cantarolavam trechos de música de Hip Hop. “Por que esta questão ainda persiste em nosso país? A gente olha na televisão e, a cada mês, a notícia é de um país que legaliza as drogas ou o casamento homossexual. Não entendo o porquê do Brasil ainda ser atrasado neste ponto. Somos tratados como doentes. Acho que doente é quem é preconceituoso”, disse João (O nome foi alterado para preservar a identidade da fonte). Ao ser indagado sobre o porquê de usar drogas, o jo-

vem Paulo (O nome foi alterado para preservar a indetidade da fonte) disse que só usa maconha, e que a droga, apesar de ilícita, tem poder relaxante em sua vida. “Eu estudo. Eu trabalho. Vim de outra cidade para cá. Moro sozinho. Me sustento. Não roubo. Não falo mal da vida de ninguém. Não perturbo ninguém. Agora não entendo porque eu não posso fumar algo que faz tão mal quanto o cigarro que é vendido em qualquer boteco ou as bebidas alcoólicas que qualquer pessoa compra, inclusive menores de idade”, disse. Quarta-feira Por volta das 19h da quarta-feira, 24, três adolescentes conversavam e riam, sentados sob a parte de cima do viaduto. O cigarro de maconha passava de mão em mão, sem importar a presença de pessoas passando abaixo do viaduto e as dezenas de carros circulando pelo local. Os três adolescentes, que não quiseram conversar sobre o assunto, todos aparentando ter entre 15 a 18 anos, permane-

ceram no local durante exatos 35 minutos. Após jogar a bituca do cigarro para baixo, eles acenderam outro. Medo de assalto Quem circula pelo local e precisa passar a pé debaixo do viaduto diz que não é nada tranquilo. “Quando passo pelo local, por volta das 22h, sempre espero me aproximar de outras pessoas que vão pelo mesmo caminho ou simplesmente passo caminhando rapidamente. É muito perigoso. Não é só maconha que consomem no local. Já vi muitos usuários de crack aqui ao lado do viaduto. Fico com medo de ser assaltada”, disse Eliane Maria Corrêa, de 23 anos, que mora nas proximidades. O mesmo disse Rafael Silveira Cortês, de 21, que já foi assaltado no local. “Passando pelo local, e eram 21h, fui assaltado por dois usuários de crack, que levaram a minha carteira, o relógio e o telefone celular”, conta. redacao@jornalsemanario.com.br


Polícia 33

Sábado, 27 de abril de 2013

Homem cai em golpe de estelionato

Drogas

RODRIGO BERGSLEITHNER

Um morador do bairro Borgo, proprietário de um veículo, vendeu o mesmo para um homem que reside em Caxias do Sul e recebeu como pagamento um cheque no valor de R$ 39 mil. Na terça-feira, 23, ao conferir o depósito no banco, verificou que o cheque não possuía fundos, e o veículo, conforme foi observado no site do Detran, estava em processo de transferência para Porto Alegre. A polícia investiga o caso.

Indivíduo é preso em flagrante Na terça-feira, 23, uma residência do bairro Cidade Alta foi arrombada. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), o vizinho do proprietário da residência, localizada na rua Dr. Casagrande, ao perceber que um indivíduo estava deixando a residência com duas sacolas plásticas com objetos, acionou a Brigada Militar. A polícia imediatamente deslocou-se para atendimento da ocorrência e, em frente à Câmara de Vereadores, deparou-se com o suspeito e com os objetos furtados. O indivíduo foi preso em flagrante. A vítima, após localizada, reconheceu os objetos de sua propriedade. A guarnição deslocou-se até a residência e verificou que a porta dos fundos da casa estava arrombada. O ladrão foi conduzido à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) para a lavratura dos autos.

Mulher diz que pastor a enganou Uma mulher de 44 anos, moradora do bairro Universitário, foi vítima de um golpe. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), registrado na terça-feira, 23, a vítima afirma que, no mês de março de 2012, adquiriu de um pastor um pacote de viagem no valor de R$ 16.130, sendo o pagamento feito em uma entrada de R$ 849 e outros 18 cheques no mesmo valor. Até o momento, 10 cheques da vítima foram compensados, totalizando R$ 8.490. Há poucos dias, o pastor alegou para a mulher que a empresa de viagens e turismo contratada para a viagem decretou falência, e a viagem não se realizará. Após informar a vítima, o pastor não atende mais suas ligações. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia.

Em uma residência em Bento, a Polícia Civil prendeu quatro pessoas que portavam um quilo de cocaína

Polícia prende quatro pessoas por tráfico Em uma operação no bairro Aparecida, foi apreendido um quilo de cocaína Rodrigo Bergsleithner

E

m operação da 1ª Delegacia de Polícia (DP), sob o comando da delegada Cristiane Pasche, que contou com o trabalho de oito policiais civis de três delegacias de Bento Gonçalves, foram presas quatro pessoas por tráfico de drogas, sendo dois casais, na rua Buarque de Macedo, no bairro Aparecida, por volta das 16h de ontem. Presos em flagrante em casa, os indiví-

duos estavam em posse de um quilo de cocaína. Além disso, foram apreendidos materiais para confeccionar a droga para a venda (plástico, fita adesiva e papelotes de alumínio) e uma máquina fotográfica. Segundo a delegada, todos os presos têm antecedentes criminais e, inclusive, têm familiares que cumprem pena por tráfico de drogas. “Investigamos esta residência, após denúncias de tráfico, desde o início deste ano. Na tarde de hoje, reali-

zamos a busca e a apreensão, que resultou na prisão de quatro pessoas e na apreensão um quilo de cocaína. Todos tem passagem pela polícia e alguns deles tem parentes que já cumprem pena pelo mesmo crime”, disse. Após serem encaminhados à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), os quatro indivíduos foram levados para o Presídio Estadual de Bento Gonçalves. redacao@jornalsemanario.com.br

RODOVIA DA SERRA

Mais um acidente na RSC-470 Na manhã de ontem, 26, por volta das 7h45min, um veículo Gol, com placas de Bento Gonçalves, colidiu contra um caminhão Volvo, de uma transportadora de Bento Gonçalves, que fazia a transposição da pista no Km 22 da RSC-470, nas proximidades do trevo de acesso à Linha Garibaldina. No momento do acidente, o caminhão atravessava a rodovia e o veículo Gol vinha no sentido Garibaldi/ Bento Gonçalves, não conseguindo evitar o choque, batendo na lateral e entrando de frente embaixo do caminhão. De acordo com informações do Grupo Rodoviário da Brigada Militar, o motorista e uma passageira que estavam no veí-

DANIEL PAESE DOS SANTOS

Veículo Gol colidiu contra um caminhão na manhã de ontem

culo Gol ficaram feridos e foram conduzidos ao Hospital Tacchini pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O motorista do caminhão não se feriu. Os bombeiros voluntários de Garibaldi, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

(Samu) e o Corpo de Bombeiros de Bento Gonçalves atenderam as vítimas no acidente. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual de Bento Gonçalves, o trânsito ficou lento no local, porém, foi controlado em poucos minutos.

Cidadã é vítima de falsidade ideológica Uma mulher de 55 anos teve sua assinatura falsificada. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), a falsa assinatura da vítima foi utilizada em um contrato com a operadora Claro. A empresa, localizada no centro de Bento Gonçalves, informou que uma pessoa, fazendo-se passar pela vítima, comprou um aparelho de telefone celular, deixando uma dívida de aproximadamente R$ 87. A vítima não pagou a dívida, alegando que não realizou nenhuma compra. Não há suspeitos, nem testemunhas. De acordo com a vítima, a empresa não quis lhe conceder uma cópia do contrato.

Acidente entre motoneta e Palio No início da noite da quinta-feira, 25, por volta das 18h25min, o condutor de um automóvel Palio, com placas de São Gabriel, parou o veículo no cruzamento das vias Avenida Osvaldo Aranha e Dante Larentis, quando uma motoneta com placas de Bento Gonçalves, que seguia atrás do veículo, colidiu em sua traseira. Após ser atendido pelo resgate do Corpo de Bombeiros, o motoqueiro foi encaminhado ao Pronto Atendimento 24h, com pequenas escoriações.

Motorista flagrado embriagado Um rapaz de 20 anos foi abordado pelo Grupo Rodoviário da Brigada Militar de Bento Gonçalves, às 2h20min da madrugada de ontem, 26, por estar com o som do veículo Gol, que estava dirigindo, em volume extremamente alto. Ao realizar a abordagem, os policiais solicitaram ao motorista que descesse do veículo. Quando o motorista desceu, os policiais suspeitaram de embriaguez. O motorista recusou-se a fazer o teste do bafômetro, mas afirmou que tinha bebido. Ele foi então multado administrativamente por embriaguez ao volante e por estar sem cinto. O rapaz teve que chamar seu pai para retirar o veículo, que estava em seu nome, do local. A multa administrativa aplicada ao rapaz custa aproximadamente R$ 1.915. As informações são do Grupo Rodoviário da Brigada Militar de Bento Gonçalves.


34 Opinião

Sábado, 27 de abril de 2013

É uma questão por enquanto contábil. Depois de avaliar a documentação, veremos se é necessário ou não convocar pessoas para depoimentos”, disse o Promotor de Justiça Alécio Nogueira ao receber em mãos o relatório da CPI da Fenavinho.

U

Rodrigo Bergsleithner

O Governo Tarso Genro e as rodovias no estado

m dos principais problemas apresentados pela população gaúcha é a situação das rodovias no estado, de acordo com pesquisa encomendada pelo governo estadual no fim do primeiro trimestre deste ano, que ouviu mais de quatro mil pessoas em todas as regiões do Rio Grande do Sul. Em primeiro lugar, segundo a pesquisa, há o empate entre a Segurança Pública e a Saúde. A má-conservação das rodovias é o terceiro item, um outro desafio do governo de Tarso Genro, que tem na malha rodoviária uma das prioridades de sua administração. Trechos sem sinalização, falta de acostamentos, buracos na pista, trevos perigosos e com a vegetação no acostamento encobrindo as placas de sinalização tornam

Em recente viagem à Brasília, o vereador Moisés Scussel (PMDB) esteve visitando a sede da Polícia Federal. Segundo o vereador, uma das metas durante o seu mandato é conseguir a implantação de um posto regional da Polícia Federal (PF) em Bento Gonçalves. “Um município do porte de Bento Gonçalves precisa de um posto da Polícia Federal. E este pedido é antigo da nossa comunidade”.

Policiamento comunitário A delegada titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), Isabel Pires Trevisan, será a responsável pelo policiamento comunitário por parte da Polícia Civil. Segundo ela, o trabalho vai ser baseado na repressão qualificada, com o objetivo de diminuir a reincidência de crimes na cidade.

te neste ano, foram mais de 125 acidentes registrados em 117 dias. O Código de Trânsito Brasileiro, aprovado em 1997, apesar de requerer alguns ajustes, é suficiente para ordenar o trânsito. Quando desrespeitado, não existe punição, e quando, excepcionalmente, a punição acontece, o famoso jeitinho brasileiro entra em ação para livrar a cara do infrator ou do criminoso. Infelizmente, isto ocorre livremente no Brasil. Hoje, é imprescindível oferecer ao Poder Judiciário instrumentos mais eficazes, capazes de permitir que os magistrados punam de maneira mais dura, mais rigorosa, os que cometem crimes de trânsito. Enquanto isso não ocorrer, a impunidade prosseguirá. Enquanto isso, os acidentes continuam e o número de mortes no trânsito cresce.

RSC-470 é uma das estradas recordistas em número de acidentes

as rodovias um local propício para tragédias. A Organização Mundial de Saúde (OMS), por exemplo, já colocou o Brasil entre os países onde há mais mortes no trânsito em todo o mundo. O trânsito brasileiro transformou-se em uma selva, em um caos. Em virtude desse

fato, a quantidade de acidentes fatais e não-fatais expandiu-se de maneira absurda no país. Na Serra Gaúcha, por exemplo, a RSC-470, que liga Bento Gonçalves a Veranópolis e a Garibaldi, é uma das mais perigosas rodovias gaúchas em número de acidentes. Somen-

Delegada quer coibir o tráfico A delegada titular da 1ª Delegacia de Polícia (DP) de Bento Gonçalves, Cristiane Pasche, disse à coluna que a principal meta de trabalho para este ano é combater o tráfico de drogas. “Estamos trabalhando severamente para combater o tráfico de drogas em Bento Gonçalves, onde a principal droga vendida e consumida por aqui continua sendo, disparadamente, o crack”, disse.

RODRIGO BERGSLEITHNER

Scussel quer posto da PF

DANIEL PAESE DOS SANTOS

Delegada Cristiane Pasche

Marina Silva em Bento em maio A 14ª Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul vai ocorrer em Bento Gonçalves neste ano. O evento será realizado no período de 22 a 24 de maio, no Parque de Eventos, e deve contar com a participação de duas mil pessoas, segundo estimativa da direção do evento. A finalidade da convenção é debater os principais temas presentes no cotidiano dos contadores e técnicos em contabilidade. A ex-ministra do Meio Am-

biente e ex-senadora da República, Marina Silva, confirmou participação no evento, onde vai ministrar uma palestra sobre o tema “Desafios do Desenvolvimento Sustentável”. Para Marina Silva, o Governo Dilma Rousseff vem subtraindo as conquistas ambientais obtidas pela sociedade ao longo dos governos anteriores. Um dos retrocessos foi a reformulação do Código Florestal, que foi desfigurado para anistiar os desmatadores.

redacao@jornalsemanario.com.br

Polícia reforçada na cidade O 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (BPAT) de Bento Gonçalves conta com 28 novos policiais militares. Em todo o Rio Grande do Sul, são 2.447 novos soldados. O comandante do 3º BPAT, major José Paulo Marinho, disse que, com os novos soldados formados e com o policiamento comunitário, a segurança em Bento Gonçalves fica reforçada a partir desta semana, onde o mote principal é o combate ao crime.

Sem previsão para o presídio O prefeito Guilherme Pasin cobrou do Secretário Estadual da Segurança Pública, Aírton Michels, o novo presídio em Bento, durante a solenidade de lançamento da polícia comunitária, na tarde da terça-feira, 23. O secretário disse que, para este ano, não há recursos, e, em 2014, não há previsão.

Zás-trás Aconteceu na terça-feira, 23, o lançamento oficial do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), em Bento Gonçalves. O Delegado Regional do Trabalho na Serra, José Balestrin, fez um comparativo com a evolução no número de vagas ofertadas no estado de 2012 a 2013, afirmando que as mesmas duplicaram e que o Rio Grande do Sul é um dos estados brasileiros com mais alunos no Pronatec. As feiras Envase Brasil e Brasil Alimenta serão realizadas entre os dias 8 e 11 de abril de 2014, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. O evento deve contar com 250 expositores, de oito estados brasileiros e de 12 países, e a estimativa de faturamento é de US$ 60 milhões, segundo a organização do evento. A professora de geografia da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Adriana Des Essarts Trinidad, vai ministrar o curso de extensão, na modalidade Educação à Distância, “Luz, câmera, Ação: o cinema e as tramas do espaço-tempo através da análise de longas e curtas metragens na perceptiva da geografia cultural”, em Bento Gonçalves, no período de 2 a 21 de maio. O 5º Comando Regional dos Bombeiros (5º CRB), conta com 32 novos soldados desde o sábado, 20. Além disso, nos próximos dias, o 5º CRB vai receber mais 43 homens, totalizando 75 novos soldados. Segundo o comandante, major Ricardo França, depois da chegada de todos os soldados, estes serão divididos entre os municípios de Bento Gonçalves e Caxias do Sul. Além disso, o 5º CRB recebeu o investimento no valor de R$ 28 mil para a aquisição de novos equipamentos.


35

Sábado, 27 de abril de 2013

Banda A Banda Municipal de Bento Gonçalves, foto, atendendo convite que lhe foi formulado pelo Prefeito Aristides Zambonato, de Erechim, deixará nossa cidade na tarde de hoje, rumo àquele Município, onde participará, no dia de amanhã, do IV Festival de Bandas, promoção da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Erechim. A “nossa banda”, como é carinhosamente definida e conhecida na Capital do Vinho, tem como regente ao Maestro Alves José Rossatto, e é composta por 22 figuras. O dobrado “Pre-

sidente Geisel”, de autoria de seu regente, executado quando da vinda daquele eminente bento-gonçalvense à sua terra natal, por ocasião da III.a Fenavinho, foi muito comentado pela imprensa do Estado, bem como as apresentações da Banda durante a Festa, várias das quais originando carnavais de rua. Em Erechim a Banda Municipal de nossa cidade cumprirá intensa programação, que inicia às 20,00 horas de hoje com um jantar no Ginásio Esportivo São Pedro e encerra amanhã, às 17,00 horas, com a entrega de troféus aos vereadores.

Jovens da Cidade Alta tem encontro dia 4 A Paróquia de Cristo Rei, sob a coordenação do seu vigário Ernesto Sbrissa, auxiliado pelos jovens Enuc Giordani, Vanderlei Basso, e Eva Floriano, vem de formar onze Clubes de Jovens, alguns da cidade e outros do interior, com o objetivo de unir cada vez mais

na juventude da Cidade Alta e localidades subordinadas à Paróquia. Periodicamente, todos os membros dos Clubes reunir-se-ão, uma vez em cada lugar, onde debaterão assuntos relacionados com a juventude atual. O 1.º Encontro da série, será no próximo dia 4 de

maio, na Garibaldina e deverá reunir cerca de 300 jovens da Paróquia do Programa desse encontro custam: às 10,00 – trabalho em grupo, às 11,00 horas – missa especial para jovens, às 12,00 horas – almoço de confraternização e, às 14,30 horas – apresentação artística.

Capa da edição de 26 de abril de 1975


A Edição

www.jornalsemanario.com.br

72 páginas

BENTO GONÇALVES

Sábado

27 DE ABRIL DE 2013

Primeiro caderno .................... 36 páginas Esportes .................................. 8 páginas Empresas & Empresários .......... 8 páginas Saúde & Beleza ........................ 8 páginas Caderno S ............................... 12 páginas

ANO 46

N°2920

R$ 3,00

Lar das Meninas

FERNANDO LEVINSKI

DE PEITO ABERTO

Projeto alerta sobre o câncer de mama Saúde & Beleza, Página 6

CAPA S

A mamãe coruja Karine Callegari Caderno S, Capa

EXPORTAÇÃO

Bertolini é campeã em vendas ao exterior Empresas & Empresários, Página 4

TRÁFICO NO APARECIDA

Acordo vai permitir

acolhimento Cessão de uso do prédio inaugurado em 2009 para a prefeitura resgata objetivos iniciais, encerra impasse que impedia uso e Página 16 e Editorial projeta reformas para criar espaço multiuso

RODRIGO BERGSLEITHNER

Colunistas ADELGIDES STEFFENON

FLAVIO LUIZ FERRARINI

Um poder global

O tempo

Dança da Galera comprovou efeito da exposição turística da cidade no programa do Faustão Empresas & Empresários / 2

Polícia apreende 1kg de cocaína em bairro Página 33

Editorial

A vida não é um ensaio, embora haja uma sucessão de tentativas ao longo da existência Carderno S / 2

Os donos do lar retrata definição de utilização do Lar das Meninas para o acolhimento

Profile for Jornal Semanário - Bento Gonçalves - RS

27/04/2013 - Jornal Semanário - Edição 2920 - Bento Gonçalves  

27/04/2013 - Jornal Semanário - Edição 2920 - Bento Gonçalves

27/04/2013 - Jornal Semanário - Edição 2920 - Bento Gonçalves  

27/04/2013 - Jornal Semanário - Edição 2920 - Bento Gonçalves

Advertisement