Issuu on Google+

Especial Dia das Mães O sonho de ser mãe 1

Sábado, 12 de maio de 2012

Ser mãe é maravilho, mas existem mulheres que encontram dificuldades em realizar este sonho. O contexto atual da sociedade também contribui para isso, já que muitas desejam engravidar, geralmente, depois dos 30 anos, por motivos sócio-culturais e financeiros. Conforme a Dra. Ângela Marcon D’Avila, estudos mostram que a capacidade reprodutiva começa cair a partir dos 30 anos. “Quanto mais velha a mulher tentar engravidar, mais velho será o óvulo. Logo, mais sujeita a falhas será esta ovulação e menor chance de gravidez. Além disso, quanto mais idade, maior é a chance de alguns problemas acometerem o útero e as trompas”, explica a médica especialista em reprodução humana. A Dra. Ângela já foi responsável por auxiliar cerca de 50 gestações bem sucedidas e, para ela, é um sentimento inexplicável. “É muito bom conseguir junto com elas. Eu costumo dizer que fico grávida junto. Acho que me foi dada uma oportunidade ímpar de poder fazer esse trabalho”, ressalta. A médica, que está grávida de seu primeiro filho, diz que também passou pela dificuldade de engravidar e isso a fez crescer muito. “Na minha vida pessoal, a gestação tem sido a melhor fase. Do ponto de vista profissional, hoje entendo perfeitamente o que quer dizer um “não” após um tratamento, mas o “sim” me mostrou que não podemos desistir nunca de alcançar essa experiência maravilhosa que é poder gerar um bebê”, conclui.

Maior presente

Após fazer tratamento para engravidar por três anos sem obter sucesso, Olga Machetto Frey, 36 anos, conseguiu realizar um de seus maiores sonhos: ser mãe. Há pouco mais de dois meses veio ao mundo o pequeno Moisés, que hoje é motivo de muita alegria para ela e o pai Rafael Zanetti. Olga conta que apesar dos muitos “nãos” que recebeu, nunca desistiu do sonho de ser mãe. “Era meu maior motivo de estar viva”, assegura. A nova mamãe afirma que sempre trabalhou com crianças e vivia imaginando como seria a sua vez. “Quando o resultado vinha negativo, dava uma desanimada, porque eu olhava mulheres grávidas e pensava “será que eu

não vou conseguir”. Nessas horas meu marido sempre me apoiou e eu nunca perdi as esperanças”, relata. Após o sonho de ser mãe se concretizar, Olga não consegue descrever a emoção que sentiu no nascimento de Moisés. “Tudo compensou, inclusive as noites em claro. Até o choro dele é lindo. Por isso, quem está tentando não deve desistir e sempre acreditar, que será abençoada como eu fui”, salienta a mãe, que teve que perder 18 kg para conseguir engravidar. FOTO PAVAN

A mamãe Olga não esconde a alegria pelo nascimento de Moisés


2

Especial Di

Sábado, 12 de maio de 2012

Dedicação e ARQUIVO PESSOAL

Marta e o filho Enzo se divertindo em recente viagem pela Europa

“Ser mãe atualmente é o melhor anti-estresse da vida moderna! É muito bom chegar em casa e esquecer do trabalho brincando com o filho.” Ver um sorriso, ganhar um beijo, um abraço verdadeiro e escutar a frase “mamãe eu te amo”, para a designer Marta Manente Tecchio é a melhor coisa de ser mãe. A empresária conta que o filho Enzo de três anos e 11 meses, foi uma criança muito esperada e o nascimento um momento emocionante: “Ver a carinha dele e escutar o primeiro chorinho foi o melhor presente de Deus”. Ela lembra, ainda, que ao mesmo tempo em que trabalhou muito quando estava grávida, também curtiu cada momento. “Fazia cursinhos de gestante, ginástica com personal trainer e nu-

tricionista. Tudo para o bebê que estava chegando”, conta Marta. Além disso, por ter o próprio negócio, a empresária também teve mais liberdade de horários para acompanhar de perto o filho, inclusive levando junto no trabalho. Marta diz que mesmo com muitos compromissos dá tempo para fazer tudo e a dica para as mães na mesma situação é ter o auxílio da família. Segundo a designer, ela e o marido, Henrique Tecchio, possuem diversos compromissos. “Então o segredo é dividir as atividades com o filho. Um sempre tem que estar por perto”, afirma.

Outra forma que o casal encontrou para desfrutar de momentos em família é realizar viagens junto com o filho. “Nós três adoramos viajar. O Enzo desde pequenino sempre nos acompanha para tudo. A viagem para a Europa (Milão, Gênova, Veneza, Disneyland e Paris) foi toda programada com roteiros para que ele pudesse nos acompanhar e foi maravilhosa. O melhor era ver o Enzo gostando e se divertindo”, conta Marta. A mamãe planeja, talvez no próximo ano, ampliar a família com “um maninho ou uma maninha para o Enzo”.

ARQUIVO PE

Todo o amor da mamãe Sandra com Augusto e Francisco


ia das Mães

Sábado, 12 de maio de 2012

e amor aos filhos

“Se alguns momentos passaram, outros novos e mais incríveis virão.”

Taís Alberton Scotton é um exemplo de que não existe desculpa para ficar longe dos filhos. Para a supervisora comercial, quando não se tem filhos o tempo é grande, mas quando se tem, o tempo é maior ainda. “A gente sempre acaba conseguindo um tempo para conciliar tudo”, complementa. A mãe de Felipe, de um ano e

dois meses, conta que percebeu, após o primeiro ano do filho, que sempre é possível fazer o necessário e estar com a criança. “Eu acho que todos passam por isso e sobrevivem. Eu não sou a única pessoa que faz isso, e poder dar todo meu amor e segurança ao meu filho faz com que a gente consiga passar cada dia”, assegura Taís. RETRATU’S ATELIÊ FOTOGRÁFICO

A alegria de Taís e Felipe, aproveitando momentos juntos

ESSOAL

“Ser mãe é fazer tudo pelo outro sem esperar nada em troca. É conhecer o verdadeiro amor.” Quando assumiu o papel de mãe aos 18 anos, a jornalista Sandra Maria Pagot, 37 anos, sabia que sua vida iria mudar muito, mas que precisava se dedicar ao filho. Ela conta que enfrentou uma época difícil, pelo fato de estar estudando e a sociedade ser muito preconceituosa. “Apesar disso, eu resolvi assumir meu papel de mãe sozinha e pude contar com todo o apoio de minha família”, afirma. Sandra destaca que as dificuldades de ser mãe jovem foram muitas, mas que tudo valeu a pena. “O nascimento do Augusto, que está com 19 anos atualmente, foi uma benção, só trouxe alegrias, crescimento pessoal e acima de tudo ganhei um super amigo, com o qual hoje divido momentos maravilhosos de companheirismo e

amizade”, conta a mãe. Recentemente Sandra engravidou de Francisco, hoje com quatro meses, e a experiência foi completamente diferente: “Além de ter o apoio de toda minha família, eu tenho meu esposo do lado, estou mais amadurecida e acredito que muitos medos já não aparecem mais”, explica. Casada com André Luís Possamai, a jornalista diz que ama ser mãe e procura aproveitar ao máximo os momentos em família. “Ser mãe é dar amor incondicionalmente, é ser amiga verdadeira, é saber compreender. É passar valores para que os filhos cresçam sendo pessoas maravilhosas e respeitadas pelo seu caráter. É descobrir uma nova mulher em si a cada dia”, descreve Sandra.

O pai, Alexandre Alberton, também passa o dia fora, mas quando os dois chegam em casa são exclusivos do pequeno Felipe. Para Taís nos primeiros meses não foi fácil, mas com o passar dos dias e a convivência com o bebê tudo foi se ajeitando. “Ver ele crescendo a cada dia e com saúde é a melhor coisa de ser mãe”, conclui.

3


Especial Dia das Mães

Sábado, 12 de maio de 2012

4

Tempo para tudo

A mulher atualmente está tão voltada para o mercado de trabalho quanto o homem. E muitas vezes com a correria do dia a dia não soso bra tempo para aproveitar os momentos em família. Para a empreempre sária Mônica Bandeira, mãe de Vitor de dois meses e meio, admiadmi nistrar o trabalho com os cuidados com o filho é muito tranquilo. “Com organização tudo é possível conciliar”, diz. Mônica explica que a relação trabalho-filhos é um pouco mais complicada, mas que é totalmente possível conviver com todos os compromissos. “O planejamento do tempo é feito por nós. E quando os contratempos ocorrem, uma boa estruestru tura por perto faz toda a diferença, seja ela no trabalho ou na nossa família”. Por isso, a mamãe sempre conta com o auau xílio de uma babá pela manhã, da sempre disposta vovó pela tarde e do esposo CleiClei ton Bianchi à noite. “Mesmo com todo e o maior trabalho do mundo, nos momentos em que estivermos com nossos filhos devemos proporcionar o melhor a eles, e será nestes momentos (mesmo que curtos) que eles saberão como retribuir a nossa presença: com sua alegria, caricari nho, engraçadas reações e evoluções”, comenta. A mamãe de primeira viagem teve uma gestagesta ção tranquila, saudável e mágica: “Ser mãe é ter consciência de que você nunca está sozinha, viver a alegria do reencontro diário com seu filho e saber que parte de nosso coração pulsa fora do nosso corpo. A vida realmente passa a ter um O carinho da relação entre Mônica e Vitor novo sentido e os planos daqui para frente são feitos em função da nossa felicidade em família”, revela.

MERLO FOTOGRAFIAS

“Ser mãe atualmente é um desafio compensador e, sem dúvida, realizador.”


12/05/2012 - MÃES Jornal Semanário