Page 1

Bairros

Quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A VOZ DOS BAIRROS Ruas esburacadas a espera de reformas página 4 REPRODUÇÃO

FOTOS NOEMIR LEITÃO

Vacinação Unidade de Saúde do Vila Nova espera pelas crianças página 2

Time histórico Mesmo extinto, sede do Palmeiras continua no Vinosul página 3

Pequenos detalhes Chapeador no bairro Maria Goretti, o tímido Seu Antonio faz do trabalho uma terapia nas horas de folga. Ele reconstrói em miniatura os mais variados modelos de carros e caminhões página 2

Padroeiro Visita de São Roque e São Gotardo nas comunidades página 3


2

Quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Especial

SÃO ROQUE

Bairros FOTOS NOEMIR LEITÃO

Mãos talentosas recriam modelos Morador constrói miniaturas de carros e outros objetos que encantam Noemir Leitão

R

evelando um talento especial e muita dedicação, o chapeador Antonio Trevisan, 69 anos, morador do bairro Maria Goretti, mostra sua habilidade na criação e construção de pequenas miniaturas de carros e carretas. O trabalho exige muita concentração e horas de esforço, levando de 30 a 40 dias para fazer uma miniatura de veículos. Seu Antonio também faz vasos, mosaicos e quadros especiais, que espalha pelos cômodos de casa. “É preciso dedicação e conhecimento para montar estas peças e criar os modelos de carros, mas faço tudo isso com muito amor e paciência, porque faz parte de minha vida”, salienta. Na pequena garagem do chapeador estão expostos os carros e caminhões de diversas marcas e modelos que ele já recriou, entre eles, até mesmo um carro de boi. Seu Antonio ressalta que não gosta muito de mostrar seus carros e objetos em fabricação, pois muitas vezes as pessoas trazem crianças, que gostam de mexer e, como as miniaturas são pesadas e de ferro, podem ocasionar acidentes. “Já apareceram muitas pessoas, até mesmo de outros estados do Brasil, para comprar minhas peças, mas eu não vendo, invento sempre um valor muito caro, porém eles insistem em adquirir”.

O espaço criado pela unidade mostra que amamentar é importante

UBS monta Cantinho da Amamentação Morador recria as miniaturas dos veículos com habilidade e dedicação

Modelos idênticos Nas diversas peças criadas e fabricadas pelo morador, muitos carros são copiados de fotos que os proprietários mandam para a oficina de seu Antonio. Então, com toda a qualidade de um bom chapeador e observador, ele cria os pequenos modelos que ficam idênticos e causam fascinação em todas as pessoas que já visitaram a sua garagem, que fica ao lado da atual residência. “Não gosto muito de informar qual o meu segredo para esse trabalho, tampouco quando as pessoas querem visitar o local, pois fico muito incomodado, porque elas querem comprar de qualquer jeito e isso é uma relíquia, ja-

Mesa em exposição na oficina mostra os pequenos carros e caminhões

mais venderei”, conta. Na oficina, além dos trabalhos como chapeador, existem veículos muito antigos, que já saíram de fabricação, refeitos em forma de miniatura. São carretas, caminhões tanques, carros de luxo e outras peças, feitas inclusive com material reciclado, que são classificados como um luxo para o morador. Trabalho como lazer Antonio Trevisan trabalha desde 1958 como chapeador em sua oficina. Ele sempre atendeu aos pedidos das pessoas para reformar seus veículos, e ressalta que o seu trabalho com as miniaturas jamais atrapalhou no serviço geral de consertar as latarias dos carros que os proprietários solicitam. “Isso tudo para mim vira um lazer, sou grato a Deus por fazer essas pequenas peças, pois sempre será uma terapia nos momentos de folga”, concluiu. Seu Antonio iniciou na profissão na antiga Mecânica Internacional, e sempre mostrou esforço no trabalho diário. Hoje, mesmo tendo que cuidar da sua própria oficina, ele não deixa de criar novas ideias para novos carros que serão transformados em obras de arte. narleitao@gmail.com

No bairro São Roque, a Unidade Básica de Saúde (UBS) local já conta com o chamado Cantinho da Amamentação. O espaço recebeu uma decoração especial, com ilustrações de incentivo e orientações para as mamães no que se refere à alimentação dos bebês. Bonecos simbolizando uma mãe e um bebê recebendo mamadeira mostra a criatividade da funcionária Maria de Fátima Costa, que montou a cena para ilustrar

e dar sentido ao gesto de carinho com os recém-nascidos. A ornamentação foi realizada em virtude da semana mundial da amamentação. A oficina da Rede Amamenta Brasil esteve realizando trabalhos na cidade no dia 27 de julho. As enfermeiras da unidade do bairro Valesca Dall’Óglio e Marione Kirschkuchosff aprovaram a ideia, pois acreditam que será um incentivo a mais para todas as mães que frequentam a unidade.

VILA NOVA

Atenção especial para vacinação das crianças A unidade de saúde do bairro Vila Nova está realizando um trabalho de motivação para que os pais possam trazer seus filhos no próximo sábado, 13, na rua Carlos Dreher Neto, para tomar mais uma gotinha da vacina contra a Poliomielite, doença que pode causar a paralisia infantil. O posto ficará aberto das 8h às 17h, sem fechar ao meio-dia. A vacinação, então, não ocorrerá mais no salão Nossa Senhora do Caravaggio, como usualmente acontecia. Segundo a enfermeira coordenadora da unidade, Cristiane Wottrich, as crianças entre zero e cinco anos incompletos devem receber mais essa gotinha, para ajudar no controle da doença que ainda não está totalmente

erradicada. “Precisamos que os pais tenha consciência que é importante a vacinação das crianças. Eles não devem esquecer da carteirinha de vacinação, já que faremos apenas na nossa unidade nesta etapa”, explicou. Aproveitando a oportunidade, Cristiane ressalta que, no dia 20 deste mês ocorrerá a pesagem das crianças, às 14 horas, no salão Nossa Senhora do Caravaggio, no bairro Vila Nova II. Já para o dia 31, os grupos dos hipertensos, diabéticos e idosos terão encontro no mesmo salão, às 14 horas, com a psicóloga Mariana Velasco. Além disso, continua todas as sexta-feiras, às 14h30min, o grupo de gestantes, que se encontram após a pré-consulta realizada na unidade.


Bairros

3

Quarta-feira, 10 de agosto de 2011

VILA NOVA III FOTOS NOEMIR LEITÃO

Memória Esportiva

O inesquecível “Verdão da Busa” Clube Esportivo Palmeiras foi a grande sensação nos anos 50 e 60 ARQUIVO PESSOAL, GEMA SCHRODER

Os trabalhos devem estar prontos até o final de setembro

Iniciam obras de pavimentação Se o tempo colaborar, até o final de setembro, as ruas do bairro Vila Nova III estarão completamente pavimentadas. O calçamento já foi iniciado, mas as chuvas vêm prejudicando o andamento dos serviços. Há muito tempo os moradores reivindicavam melhorias no novo loteamento, já que, mesmo depois de muitas famílias terem construídos suas

casas, não havia tratamento de esgoto, tampouco iluminação e abertura das ruas. Agora, com essa retomada de pavimentá-las, a urbanização do bairro Vila Nova III já começa a ser uma realidade. A ideia é que, ainda este ano, os ônibus coletivos façam um itinerário pelo local, pois a infraestrutura permitirá que isso ocorra.

SÃO ROQUE

Os casais festeiros da 55ª Festa de São Roque e São Gotardo

Preparativos para a festa do padroeiro A festa em honra a São Roque e São Gotardo, em sua 55ª edição, prossegue com a visitação do padroeiro nas comunidades dos bairros que pertencem à paróquia. Na sexta-feira 29, o bairro São João recebeu a visita de festeiros e do padre Jocemar Conte, onde foi celebrada missa e depois foi realizado um pequeno coquetel para convidados do evento. O local foi o salão da própria comunidade. O evento principal ocorrerá no dia 14 de agosto,

com uma programação especial, tanto na área religiosa como na social. Haverá missas votivas e os tríduos, além do grande almoço de confraternização, que deverá ocorrer no salão paroquial. Os festeiros deste ano são os casais Aneli e Maria Cimadon, Luiz Lino e Ana Inês dos Santos, Odair e Ângela Anderle Cimadon, Delmar e Fabiane Franciskieviecz, Gilberto e Joceli Faccin. Eles, juntamente com a organização geral da paróquia, estão visitando as comunidades.

Os jogadores que formavam um dos primeiros times do Palmeiras, considerado invencível nos anos 1950

difícil a vitória dos adversários, Torcedora de fé pois sempre nos espelhávamos Gema Schroder, 70 anos, á mais de meio século, na na equipe do Palmeiras de São antiga Linha Busa, hoje Paulo. No nosso time, o grupo que mora no bairro Maria Goretti, sabe muito bem o que é bairro Vinosul, existiu uma era fantástico”, salientou. ter paixão por uma equipe. Ela equipe inesquecível para os acompanhou o Palmeiras em moradores. O Clube EsporCaminhão como sua trajetória considerando-se tivo Palmeiras foi criado em transporte a principal torcedora. Onde 1950, exatamente na época em que o Brasil perdeu a Copa do Alguns dos primeiros inte- a equipe jogava, Gema estava Mundo, em pleno Maracanã, grantes do Palmeiras foram junto, torcendo e incentivando para o Uruguai. Naquela épo- Amandio Dalcin, Fiorelo Man- os atletas da equipe. “Jamais ca, nascia uma equipe que veio fredi, Elino Valduga, Lasier Ba- me esqueço da torcida que tía disputar muitos jogos e que tisti, além de tantos outros que, nhamos pelo Palmeiras, era divenceu mais de 40 torneios e segundo Remy, eram um grupo vertido e muito animador. Não disputou dois campeonatos ci- de amigos que ajudaram a criar perdíamos uma partida sequer. tadino com as grandes equipes a equipe. O meio de transporte A equipe sempre vencia, e graamadoras da cidade. usado era um velho caminhão ças ao nosso entusiasmo fora Remy Valduga foi um dos que servia para levar atletas e de campo”, ressalta. Dona Gema é daquelas torceintegrantes. Ele relembra que torcedores; ônibus, naquela participar dos jogos amistosos epóca, era privilégio de poucos. doras que conhece tudo de fue torneios daquela época era Mesmo assim, a equipe se tebol. Ela sabia quando o time muito prazeroso, pois acredi- divertia, lembra Vadulga. “Jo- precisava de apoio e, juntamenta que os atletas jogavam por gávamos em Santa Bárbara, te com os demais moradores amor à camisa, ninguém co- Monte Belo do Sul, Santa Te- que acompanhavam o Palmeiras brava nada e o futebol amador resa, e em várias localidades, de caminhão, dava aquela força era respeitado. “Tínhamos uma parecia que eram viagens lon- a mais fora do campo para ver o das melhores equipes de inte- gas com o caminhão, mas era time vencer. “Meus filhos tamrior no nosso município, mas um compromisso sempre aos bém incentivavam o Palmeiras a garra e a determinação era o domingos à tarde. O prazer e a e não deixavam de acompanhar principal fator que diferenciava diversão eram maiores do que a equipe nos jogos amistosos e nosso time dos demais”, disse. os cuidados em viajar”, relata. torneios pelo interior”. O filho Remy lembra com saudade O Palmeiras da Busa, como Marcelo, hoje com 44 anos, era as grandes equipes da cidade era carinhosamente conhecido, o mascote da equipe. O Palmeiras deixou de existir, que enfrentaram o Palmeiras. durou até 2002. A sociedade Em 1958, o time construiu o ainda existe, mas o time acabou mas a saudade de cada morador campo de futebol, que até hoje extinto. “Acho que o pessoal é lembrada com alegria e bom existe na localidade. Mais tarde, não quis mais saber das tradi- humor. O “Verdão da Busa” tifoi feita a sede social. cionais partidas, porque o pró- nha muito valor. A lembrança Os dois quadros empolgan- prio futebol começou a tomar está presente hoje, nas pessoas tes, tanto o aspirante como o outros rumos até o nível finan- que um dia dirigiram o time e principal, reuniam atletas de ceiro e exagerado, e isso tirou tiveram orgulho de vestir a caalto nível do futebol amador. um pouco o brilho de quem misa palmeirense. “Nossos atletas eram pura gar- praticava o esporte com amor à ra e em nosso campo ficava camisa”, completou Remy. narleitao@gmail.com Noemir Leitão

H


4

Sociais

Quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Bairros

A VOZ DOS BAIRROS FOTOS NOEMIR LEITÃO

Noemir Leitão

narleitao@gmail.com

Os moradores da João Casagrande, no bairro Imigrante, querem uma reforma geral e prolongamento da rua, com colocação de asfalto para a melhoria do fluxo de veículos. Eles também querem que sejam colocadas lombada e faixas de segurança, pois, se o asfalto for colocado, o perigo será constante, principalmente com risco de acidentes. A rua é um dos principais acessos para outros locais da cidade.

O casal Anderson Alves e Jucelaine Panizzi, com a filhinha Milena Alves, de 6 anos, moradores do bairro Progresso José Antonio e Sandra Dornelles Borges, no jantar da associação dos moradores do Borgo MERLO FOTOGRAFIA

No bairro São Roque, os moradores querem melhorias em duas ruas que, segundo eles, são principais no tráfego de veículos: Ângelo Marcon e Arlindo Franklin Barbosa. A primeira liga o transporte coletivo aos bairros Ouro Verde, Panorâmico, Loteamento Bertolini e Zatt; a segunda faz um trajeto de acesso para Linha Pradel e interior. Atualmente, as duas ruas encontram-se esburacadas e com irregularidades na pavimentação. E o lixo continua sendo o problema dos bairros Juventude e Conceição. Muitas sacolas com resíduos orgânicos estão sendo jogadas nas encostas dos barrancos, já que não há lixeira grande para a colocação. Os moradores ressaltam que havia uma lixeira neste local, mas que foi retirada e não foi implantada outra para as comunidades. O acúmulo de lixo é intenso e a proliferação de insetos e o mau cheiro causam transtornos para as famílias nos dois locais. Algumas bocas de lobo e bueiros do bairro Aparecida necessitam de limpeza geral. Os moradores querem que a secretaria de Obras do município, que há pouco tempo adquiriu um caminhão para jateamento de resíduos e limpeza, possa visitar essa comunidade e realizar o trabalho de desentupimento. Com as chuvas que caíram na cidade, a situação se agravou, pois a água acaba escoando para dentro das residências. Na avenida Planalto com a rua Henri Hugo Dreher continua a situação dos buracos e irregularidades na camada asfáltica. Há muito transtorno para os motoristas trafegarem por este trecho. Outra preocupação diz respeito à falta de sinalização adequada na saída dessas duas ruas. Há um fluxo maior nos horários de picos, o que acaba causando demora, já que muitas pessoas usam este caminho para acessar o centro da cidade e outros locais desejados.

O charme das bonecas da festa em honra a Santa Marta: Larissa Pinto, Laura Soccol, Emely Siglerski e Thalya Ramos, que encheram de alegria os participantes da festa e, principalmente, os familiares

Existem muitas irregularidades nas ruas do bairro Ouro Verde. Uma delas, próximo a escadaria que dá acesso a rua Calixto Sganzerla, é um buraco que foi aberto para o conserto de uma boca de lobo e está há dias sem solução. Com as chuvas, a água transborda e desce pela rua, invadindo as casas próximas. Em outros locais, as pavimentações estão se soltando e pode haver formação também de buracos, em virtude deste problema. O bairro recebe um grande fluxo de veículos diariamente. Já no bairro Zatt, além dos problemas de esgoto que aterroriza os moradores, continua a velha reclamação para a reforma da rua Balduino Valduga. Esse local é o principal acesso dos ônibus coletivos e de muitos veículos diariamente. Porém, o barranco próximo, com as chuvas, tende a desmoronar e não há um muro de contenção, já que existem dificuldades para a construção. Os moradores que residem na rua temem pelo pior, ainda mais com o acúmulo de terra que tem no local. O itinerário dos ônibus coletivos que fazem a linha Centro/Aparecida/Zatt sofreu alterações. A mudança foi efetivada desde a última semana, pois os moradores do bairro Panorâmico e arredores tinham dificuldades em pegar o transporte. Agora, há uma volta a mais dos ônibus em torno da comunidade, retornando à rua Ângelo Marcon, com destino comum ao Zatt. A mudança beneficiou moradores do Loteamento Bertolini e, principalmente, do Panorâmico.

10/08/2011 - Bairros - Jornal Semanário  

Jornal Semanário - Edição 2745 - 10/08/2011 - Bento Gonçalves

Advertisement