Page 1

Bairros

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

A VOZ DOS BAIRROS BETTINA SCHÜNKE

Praça do bairro Aparecida será reformada em breve página 3 DIVULGAÇÃO

Informação Alunos transformam atividades escolares em notícia página 3

RAQUEL FRONZA

Música Morador do Aparecida canta e encanta a cidade página 6 ARQUIVO

A melhor idade para viver Mais de 12% da população de Bento Gonçalves têm mais de 60 anos de idade. É nessa fase da vida que muitos aproveitam o tempo livre para fazer o que mais gostam. páginas 4 e 5

Planalto A história de um clube que marcou dois bairros página 7


2

Editorial A população de Bento Gonçalves está envelhecendo. Segundo o último censo, realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 12% dos moradores da capital da uva e do vinho tem acima de 60 anos. Muito já foi feito, mas ainda existe muito a realizar para proporcionar uma melhor qualidade de vida dessa expressiva parte da população. A cidade precisa adequar também sua estrutura, serviços e lazer para que os cidadãos da terceira idade possam viver de maneira tranquila e com boa expectativa de vida. Mas apesar de algumas falhas, a cidade de Bento Gonçalves está evoluindo e oferece algumas opções interessantes para os idosos que querem viver ativamente. Grupos de terceira idade, oficinas de artesanato, alongamento e diversas outras atividades desenvolvidas especialmente para eles, fazem a vida dos nossos vovôs bem mais tranquila e trazem a alegria para a fase da vida onde o descanso e a felicidade são primordiais. É muito importante que o idoso pratique exercícios físicos e se envolva socialmente em atividades que proporcionem prazer para ter uma vida feliz. Qualidade de vida nessa fase não pode estar focada apenas na manutenção da saúde e na prevenção de doenças. Além das rugas que aparecem nessa etapa da vida, a terceira idade pode ser muito prazerosa, pois com a aposentadoria e o tempo ocioso, sobra tempo para fazer o que se gosta. Saber usufruir de todos os momentos de lazer, interação social e o desenvolvimento de atividades e interesses diversos, colaboram para que a mente mantenha-se ativa e saudável. É importante que o idoso seja respeitado como ser humano que é, com todas as limitações da sua idade. O conhecimento adquirido através das experiências ao longo de toda uma vida e a partilha desses conhecimentos com as novas gerações, proporciona ao idoso a chance de manter-se integrado à sociedade.

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

Bairros

ARTIGO

A fisioterapia inserida nas Unidades de Saúde da Família através do Nasf A inserção da Fisioterapia nos ESFs de Bento Gonçalves surgiu à partir do Projeto do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (Nasf). A instituição tem como principal objetivo a prevenção e a melhora da qualidade de vida, juntamente com a equipe da saúde da família como forma de apoio, integrada e planejada, nas atividades desenvolvidas pelas ESF, acompanhando e atendendo casos, de acordo com os critérios previamente estabelecidos. A fisioterapia tem como objetivo, prevenir, reabilitar e preparar o corpo humano; e muito além de tratar, tem como premissa prevenir as doenças e agravos do corpo, através de uma melhor qualidade de vida e consequentemente de uma melhora da saúde, que favoreçam a redução do consumo de medicamentos, a formação de redes de suporte social e que possibilitem a participação ativa dos usuários na elaboração de diferentes projetos terapêuticos. O trabalho acontece nas 9 ESFs – Unidades de Saúde da Família do município - Aparecida, Barracão, Conceição, Eucaliptos, Municipal, Progresso II, Ouro Verde, Vila Nova e Zatt. Em forma de grupos específicos, grupos de Diabéticos e Hipertensos, Gestantes, através de atendimentos

DIVULGAÇÃO

Trabalho acontece nas nove unidades da ESF

individuais com avaliação e orientação, visitas domiciliares para pacientes que necessitarem, projetos nas escolas com avaliação e orientação postural e percepção corporal. Para ter acesso a agenda no Nasf e da fisioterapia, procure a Unidade de Saúde da Família do seu bairro e informe-se sobre as atividades que estes desenvolvem. Fernanda Zatt Fisioterapeuta CREFITO 5 - 122.936-F

Enquete: Você acha que a cidade recebe bem os idosos? FOTOS BETTINA SCHÜNKE

“Eu acho que sim. Não dá para reclamar. Os atendimentos são bons”

Ângelo Strapazzon, 70 anos Borgo

Caderno

Bairros Este caderno faz parte da edição 2721, de quarta-feira, 18 de maio de 2011, do Jornal Semanário

“Apesar de alguns problemas, eu não tenho reclamação. Eu levo uma vida muito boa” Iris Minúsculli, 63 anos São Francisco

Edição: Bettina Schünke bairros@jornalsemanario.com.br Colaboração: Noemir Leitão reporter6@jornalsemanario.com.br Diamagramação: Maiara Alvarez diamagrador@jornalsemanario.com.br Projeto Gráfico: Maiara Alvarez

“Eu acho uma cidade muito boa. É um local saudável. Os grupos de terceira idade motivão os idosos” Sorgene Mayer, 68 anos Centro

Direção: Henrique Alfredo Caprara jornal.semanario@italnet.com.br SEDE Wolsir A. Antonini, 451 Bairro Fenavinho Bento Gonçalves, RS Fone: 54 3455-4500


Bairros Educação

3

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

A VOZ DOS BAIRROS Noemir Leitão

Repórteres por uma disciplina

narleitao@gmail.com

Alunos da sétima série elaboraram notícias e reportagem para jornal mural Bettina Schünke

U

m projeto de comunicação na Escola Municipal de Ensino Fundamental Doutor Tancredo de Almeida Neves, localizada no bairro São Vendelino, tem aproximado os alunos da sétima série com as atividades da instituição. Desde fevereiro, os mais de 50 estudantes estão trabalhando os acontecimentos da escola e os relatando em formato de notícias. O projeto está dentro da disciplina de língua portuguesa, ministrada pela professora Adriane Eitelven, que está trabalhando os conceitos de

notícia e reportagem. “Comecei trabalhando o conceito de notícia, sua estrutura e finalidade e cada dupla ficou responsável por elaborar uma notícia sobre algum acontecimento ou fato da escola”, explica a professora Adriane. As notícias foram escritas sobre os mais variados assuntos relacionados ao cotidiano da instituição. Abertura do ano letivo, reformas na sede da escola, assembleia de pais e Grêmio Estudantil foram alguns dos temas abordados pelos alunos. Juntas, as notícias compõem um informativo chamado “50% Tancredo 50% Neves”, colocado nos

murais espalhados pela escola. “Queremos que os nossos alunos saiam da escola preparados para o mundo. Lá fora eles terão que fazer o uso da fala e da escrita e nós queremos ensiná-los a fazer isso. Queremos aproximar o mundo real da educação”, disse Adriane. Desde maio, os alunos estão trabalhando o conceito de reportagem. A atividade está dentro do projeto maior da escola, chamado “Cultura e Humanização”, tema que será tratado durante todo o ano com todos os alunos da instituição. bairros@jornalsemanario.com.br DIVULGAÇÃO

Na avenida São Roque, os moradores estão preocupados com a situação de uma calçada que ainda não foi construída para a passagem dos estudantes quando os mesmos retornam para suas casas. Ocorre que eles têm que usar boa parte da rua, que é movimentada, justamente no horário de picos e poderá ocasionar acidentes. Essa calçada irá com certeza ajudar a evitar o pior. O local fica bem próximo a uma rua que dá acesso a caixa d’água da Corsan. Recebi a informação do próprio prefeito Roberto Lunelli. A praça do bairro Aparecida será reformada e revitalizada para que os moradores tenham um espaço de lazer, principalmente as crianças do Ceacri Balão Mágico. Foram diversos pedidos e uma luta grande por parte dos moradores e associação. Finalmente está prevista para o segundo semestre o início das obras. O pedido será uma realidade. Essa é uma boa notícia. As ruas do bairro Borgo ainda têm problemas de esgoto que corre a céu aberto. Pelo menos veio a informação da Rua Luis Neves que tem até formação de limo próximo às calçadas, o que dificulta para quem trafega pelo local. Nesta região do Borgo, sempre ocorreu uma preocupação dos moradores neste sentido, qual seja, evitar transtornos com os esgotos ou pelo menos com a água que corre dos terrenos baldios e se junta com os esgotos caseiros. E a rua Sete de Setembro, no bairro Fenavinho, como está? Ela teve reforma na canalização dos esgotos, porém muitos moradores estão reclamando da atual situação do trecho em que foi aberto e ficou irregular. Segundo eles, há buracos na camada asfáltica e algumas garagens próximas ficaram prejudicadas para os veículos, o que dificulta em todos os sentidos. Eles querem uma reforma nesta parte que foi aberta para facilitar o fluxo de carros que trafegam diariamente pelo local. Finalmente alguém ouviu os apelos dos pedestres, e as calçadas da avenida Presidente Costa e Silva estão sendo construídas para que haja possibilidades de passeio por parte das pessoas, que precisam usar esse trecho, no sentido de realizar suas caminhadas pela manhã e no final da tarde. O morador José De Toni iniciou a construção das calçadas neste local, mais precisamente na parte abaixo da rua. Muitos esperam que em toda a avenida seja feito o mesmo.

Jornal mural “50% Tancredo 50% Neves” é elaborado pelos alunos com notícias do cotidiano da escola

VILA NOVA

Dia para pesar os pequeninos Familiares de crianças moradoras dos bairros Vila Nova I e II poderão levar os pequeninos, menores de seis anos, para serem pesadas. O evento será realizado no sábado, 21, em parceria com

as voluntárias da Pastoral da Criança e as enfermeiras do posto de saúde Vila Nova. A ação terá início às 14h e será realizada no salão da Igreja Nossa Senhora do Caravaggio. Segundo Cristiane Wottri-

ch, enfermeira coordenadora da unidade, esta avaliação é importante para intervir na saúde das crianças e também conhecer um pouco mais as famílias do bairro, além de criar vínculos com elas.

Muitas pessoas estiveram presentes nas duas festas realizadas no último domingo nos bairros Santa Rita e Cohab II. Nestes dois lugares verificou-se a falta de espaço para estacionamentos dos veículos que, de fato, eram muitos. É preciso haver também uma atenção especial com relação ao trabalho do Departamento Municipal de Trânsito-DMT, que muitas vezes não tem como arcar com dois ou mais eventos sozinho, pois há outros serviços de urgência para serem realizados nos finais de semana. No Barracão, alguns moradores reclamam da falta de água nesta localidade. Foram mais de 24h na semana passada sem água, onde muitas famílias ficaram a espera de uma solução. Neste local, o consumo também é grande, mas é estranho ressaltar essa falta, já que é no Barracão que fica o reservatório de abastecimento para os moradores desta região. Canos quebrados, e problemas nas bombas, quase sempre são as causas da falta de água nos bairros da cidade.


4

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

Bairros FOTOS BETTINA SCHÜNKE

Idosos

Sem idade para ser feliz Idosos mostram como é possível viver bem e saudável e encontrar a felicidade depois dos 60 anos Bettina Schünke ensina o que sabe. É uma troca de saberes onde ensinamos e uem disse que para ser feliz aprendemos todas juntas”, disse tem idade certa? Alguns di- Luzia Armani, a professora da zem que a melhor fase da vida é a vez. Clarice Cellin Beal, de 69 anos, infância e a adolescência. Outros querem logo fazer 18 anos para não perde um encontro. Particibuscar a independência. Ser feliz é pando desde o ano passado, ela algo muito subjetivo, cada pessoa encontrou no grupo um passatem uma forma diferente de en- tempo, além de muitas amizades. contrar a felicidade e cada época “Eu gosto de tudo aqui. Aprenda vida tem seu charme especial. der a fazer artesanato e conversar. A terceira idade é uma fase que O grupo tem que estar sempre pode ser muito prazerosa, mas animado. A gente sai de casa para há quem não consiga perceber se divertir. Trabalhar a gente traisso. Para muitos, envelhecer é balha em casa”, conta Clarice. O apenas sinônimo de rugas, de encontro ocorre no salão da igredoenças e de solidão. Mas, para ja Nossa Senhora do Caravaggio, muitos, a famosa frase “a vida só localizado no bairro Vila Nova, e começa depois dos 60” realmen- o grupo conta com o auxílio de agentes de saúde do posto, que te faz sentido. É o caso dos idosos do bairro acompanham as atividades. Apesar de só contar com muVila Nova. O grupo se encontra lheres, as aulas são também para uma vez por semana para aprender artesanato e jogar conversa os homens. “A turma está aberfora. Organizado pelo grupo da ta para receber a todos”, disse a terceira idade Prazer de Viver, presidente do grupo Prazer de com apoio da Unidade de Es- Viver, Eli Caetano. A entidade foi criada em 2007 e tratégia Saúde da Família (ESF) conta com a participação de mais Vila Nova, a oficina ocorre toda de 30 membros. Em dezembro segunda-feira, às 13h30min. Na aula do dia 9 de maio, cer- do ano passado, foi eleita a corca de dez mulheres se reuniram te do grupo, composta pelo rei para aprender técnicas de pintura Hermelindo de Morais, 66 anos, em tecido. As aulas são ministra- e a rainha Oraide de Barros, 64. das pelas próprias alunas e cada Clarice Beal, 69, e Eli Caetano uma traz o seu material. “A gente de Morais, 56, foram escolhidas

Q

como 1ª e 2ª princesas, respectivamente. Janete Bender, 43 anos, e Francisca de Oliveira, 50, são as Misses Simpatia. Exercícios para fortificar a mente e o corpo Após a aula de artesanato, mulheres e homens se reúnem para praticar exercício físico. As aulas são ministradas pelo educador físico Telmo Tomasi, do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (Nasf), em parceria com o a unidade de saúde. Caminhada, dança, alongamento e diversos exercícios físicos são algumas das atividades desenvolvidas por Tomasi para o grupo da terceira idade. “Todos os idosos podem fazer, desde que o médico autorize”, esclarece Tomasi. O encontro no bairro Vila Nova acontece todas as segundas-feiras, às 15h. Há um ano e meio no Nasf, o educador físico também presta atendimento a outras unidades de saúde da cidade, como da Vila dos Eucaliptos. Lá, as aulas ocorrem todas as terças-feiras de manhã, das 8h30min às 9h30min. Dulce Somin, 59 anos, é uma das frequentadoras da aula. Ela participa desde junho do ano passado e conta que já sentiu

Idosos são os que mais se beneficiam praticando atividades. Fortalece a musculatura e fortifica os ossos

Clarice Beal, de 69 anos, não perde uma aula de artesanato

melhorias na sua saúde. “Essas aulas me fazem muito bem. Não só para a saúde, mas também para o corpo e a mente. Acho muito importante praticar atividades físicas”, disse. Alguns dos exercícios aprendidos na aula, Dulce leva pra casa e ensina para toda a família. “É melhor fazer alongamento em casa do que ter que tomar remédios”, ensina. Segundo Tomasi, os benefícios de quem pratica exercícios físicos são enormes. “Os idosos são os que mais se beneficiam praticando atividades. Fortalece a musculatura e fortifica os ossos, a pressão diminui e os

remédios ficam de lado”, esclarece. O recomendado é praticar exercícios físicos, no mínimo, duas vezes por semana. Alda Vicentim, de 64 anos, sabe disso e é por esse motivo que não perde uma aula. “Faz um ano que participo do grupo e quando não venho sinto muito falta. Me faz bem, eu tenho mais resistência e não canso tão rápido”, disse. “Um dos objetivos da educação física para o idoso é promover a sua independência física, como se abaixar para pegar algum objeto, levantar da cama e assim por diante”, finaliza Tomasi.

Grupo de idosos do bairro Vila Nova se encontra uma vez por semana para a


Bairros

Sem idade para trabalhar Quando uma pessoa se encontra com idade mais avançada e já se aposentou, ela tem mais tempo para aproveitar sua vida. Isso consiste em sair, praticar esportes, estudar e até mesmo para trabalhar naquilo que gosta. A moradora do bairro Zatt, Judite Neves de Menezes, tem 90 anos e a idade avançada não a impediu de confeccionar bonecas de pano. Morando sozinha em uma pequena casa de um cômodo, Judite lembra que aprendeu a fazer as bonecas quando tinha 70 anos. “Eu era a mais velha da turma”, lembra ela. Fazendo peões e prendas de algodão e espuma, seus bonecos ficaram conhecidos no bairro quando uma de suas bisnetas levou-as para o colégio. “Sempre trabalhei com costura, reformando roupas e também confeccionando vestidos de prenda. Agora meu passatempo favorito é fazer as bonecas. Acordo, pego meu chimarrão e já começou a fazer as bonecas. Faço elas até na minha cama”, conta Judite. Para confeccionar as bonecas, a simpática senhora utiliza uma antiga máquina de costura, que ganhou de presente de aniversário do seu pai quando tinha 16 anos. Natural de São Luiz Gonzaga, Judite tem uma família bem grande: oito filhos, netos, bisnetos e até tataranetos. Bento e os idosos Segundo o último censo, realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Bento Gonçalves possui uma população de idosos de 13.467. Desses, 5.880

aprender artesanato

5

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

são homens e 7.587 são mulheres. E ainda: quatro pessoas têm 100 anos ou mais. Para a presidente do Conselho Municipal do Idoso (Comui), Carmem Rasera, ainda há muito o que ser feito para que os moradores com mais de 60 anos tenham uma vida tranquila. Uma das conquistas do conselho foi à implantação de vagas de estacionamento destinada aos idosos. “Foi uma grande vitória, mas agora nossa reclamação é pela falta de fiscalização. As vagas estão aí, mas quando um idoso quer estacionar, esses locais estão sempre ocupados por outras pessoas”, relata Carmem. O conselho do idoso é um órgão de caráter propositivo, consultivo, fiscalizador, normativo e deliberativo, que tem como objetivo formular e promover políticas e ações governamentais destinadas a assegurar o bem-estar dos moradores com mais de 60 anos. “Eu acho que o idoso vive bem em Bento. Mas sabemos que há muito o que ser feito na cidade, principalmente com relação à conscientização e ao respeito aos mais velhos. Através do disque-denúncia, o Comui recebe cerca de 10 denúncias de maus tratos aos idosos por mês”, disse Carmem. Saúde na maturidade Com a chegada da terceira idade cresce a preocupação com a saúde. As medidas de prevenção de doenças devem ser focadas em aumentar os anos de vida vividos com saúde, e não apenas prolongar a vida. Com o passar dos anos aumentam as chances de determinadas doenças, como as cardíacas, alguns ti-

A moradora de 90 anos, Judite de Menezes, ainda trabalha com a máquina que ganhou quando tinha 16

pos de câncer, entre outras. Por isso, é importante identificar os fatores de risco precocemente e tratá-las evitando mais problemas. Segundo o Dr. André Moschetta, médico geriatra, as doenças mais frequentes durante essa época da vida são aquelas que resultam do envelhecimento dos órgãos e sistemas, que pode ser notado por volta dos 30 anos. “Mais especificamente, as doenças cardiovasculares como pressão alta, isquemias, arritmias, diabetes, colesterol alto, tireóide, cânceres, artrose, artrite, osteoporose, psiquiátricas (depressão, ansiedade, insônia) são muito comuns após os 60 anos”, explica Moschetta. Mas é possível evitar doenças em todas as idades. Os cuidados preventivos começam na infância ou até antes dela. “Isso depende de cada pessoa e de que doença

A presidente do Comui, Carmem Rasera, diz que há muito o que fazer

se quer prevenir. As bases para a prevenção das patologias na terceira idade são conhecimento, moderação e equilíbrio”, disse. Conforme explica o geriatra, é importante saber o que faz bem e

Aulas de alongamento ocorrem no posto de saúda da Vila dos Eucaliptos todas as terças-feiras, a partir das 8h30min

o que faz mal para a saúde, o que deve ser evitado e o que é preciso mudar. É importante também saber quais problemas de saúde na família podem ser herdados, como por exemplo alguns cânceres e alguns reumatismos. Não abusar na alimentação, nos esforços do corpo e da mente, nas relações sociais e buscar o equilíbrio para não valorizar uma área da vida em detrimento de outras. Dr. Moschetta ainda recomenda: “De um modo geral, algumas atitudes simples podem melhorar a qualidade de vida na terceira idade: tentar esquecer o lado negativo das coisas, e entender que nada é proibido ou feio quando o fazemos com pureza, e perceber que, enquanto a cabeça funciona e o coração bate, vale à pena investir na vida”, finaliza. bairros@jornalsemanario.com.br


6

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

Bairros

Anônimos

O filho de Dênis e Sandra Com a inspiração surgida em filme de dupla sertaneja, Samuel Pedrotti solta a voz e encanta o público Raquel Fronza

L

ançado em 2005, um filme que retratou a simplicidade e a vontade de uma família em obter sucesso musical serviu como pano de fundo a uma história semelhante e com um final também feliz. Foi ao assistir “Dois Filhos de Francisco” que o bento-gonçalvense Samuel Francisco Pedrotti, 12 anos, despertou sua vontade (e talento) musical: ainda sem ser alfabetizado, o jovem sonhava em subir ao palco munido de um violão e voz afinada, para poder espalhar cantorias sertanejas e conquista fãs. Os fãs ele tem desde o primeiro momento em que aprendeu a tocar violão com o então professor Juliano Volpato, atual secretário de Cultura da cidade. Seus pais e sua avó formam a plateia mais fiel que Samuel poderia ter, registrando em fotos e vídeos

cada momento de seus shows. Eles depositaram fé no seu sonho desde o primeiro momento: “Todos que o conhecem vem elogiar”, confessa a mãe, Sandra. Então, com 8 anos, Samuel iniciou sua carreira. Desde lá, já se apresentou em ocasiões como Fenavinho, Expobento, festas comunitárias e outros eventos, onde mais de 700 pessoas acompanharam o jovem e suas canções de diferentes estilos musicais. Sertanejo universitário, música gauchesca e do folclore italiano compõem o seu repertório. Luan Santana e Victor e Léo são os artistas preferidos por Samuel. “Principalmente o Victor, porque ele também toca violão”, define. Apesar de já ter passado por vários palcos, ele afirma ainda sentir o famoso “frio na barriga” quando se apresenta, mas se esforça para que o nervosismo

RAQUEL FRONZA

Samuel Francisco Pedrotti, de 12 anos, iniciou sua carreira artística com oito anos de idade

não ofusque seu brilho artístico. Atualmente, ele também faz parte do Coro dos Meninos Cantantes de Bento Gonçalves. Continua seu aprendizado com violão quinzenalmente e

participa de outras atividades ligadas à música, como animações de missas e celebrações religiosas. E a carreira já começou a render bons frutos: o primeiro cachê de Samuel sur-

giu e já está sendo administrado pelo jovem, que guarda o dinheiro pensando num futuro musical de sucesso. regional@jornalsemanario.com.br


Bairros Memória Esportiva

ESPORTES

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

7

Uma lenda viva no futebol

Clube Planalto foi fundado nos anos 50 e conquistou muitos títulos na cidade. Agora, a equipe quer recomeçar os trabalhos Noemir Letião

E

m 19 de maio de 1955, foi fundado por um grupo de esportistas dos bairros Planalto e Licorsul, o Planalto Futebol Clube. O primeiro presidente foi Generino Rinaldi, mas outros grandes nomes do futebol amador participaram da equipe, tanto na

diretoria, como na equipe que nasceu com um propósito de ser um dos mais vencedores da cidade. Ao longo de quatro décadas, o Planalto disputou centenas de jogos amistosos, torneios e campeonatos, vencendo sempre e mostrando seu talentoso futebol. Um dos atletas desta equipe foi Enio Ghelen, que ressalta ARQUIVO

com boa lembrança do time que iniciou próximo ao hotel Planalto, e depois teve sua sede onde é o atual campo municipal. “Ajudamos a construir o municipal e tínhamos rivalidade com outras equipes de Bento Gonçalves, mas conquistamos muitos jogos, porque mesmo sendo varzeano nosso clube era muito respeitado”, disse. O time tinha dois quadros que se seguiu até os anos 90, depois veio a atuar apenas com veteranos. Elenco bem conhecido

As equipes do Planalto Futebol Clube conquistaram muitos títulos

Desde a sua fundação, o Planalto Futebol Clube acumulou títulos. Tinha uma escalação de jogadores que atuaram em outras equipes de nome na cidade. Vital Pértile, 66 anos, que foi membro da Liga de Arbitragem e fez parte da diretoria do clube, disse

que o jogo mais difícil de ser disputado era contra a equipe do Santa Tereza. Ele não se esquece do bom time que tinha no início da sua existência. Era um elenco bem conhecido e com bons jogadores que atuariam até mesmo em equipes de ponta. “Fomos à Santa Tereza e vencemos o time da casa por 3 X 1, já que eles não perdiam a 25 jogos, até o Esportivo e outros times da cidade haviam perdido lá, mas nós conquistamos essa façanha dentro do Colosso do Vale”, afirmou. Vital também tem na sua memória a construção da sede do Planalto, levantado com o apoio de desportistas e do 1º Batalhão Ferroviário. Vital ficou na diretoria de 1970 até 1979, tem boas recordações da equipe e dos bons jogos que mostravam o verdadeiro

futebol amador de Bento. Uma nova era Com o passar do tempo, o Planalto iniciou um ciclo com novos atletas. Um deles foi Delvile Giovanella, o popular “Tarzan”, que atuou na equipe e também foi dirigente em várias ocasiões. Atualmente, o Planalto está tentando reativar seus quadros e trabalhar com categorias de base, para formação de um elenco qualificado. A ideia segundo Giovanella é dar continuidade a história do clube. “Ainda estamos aqui, muito fizemos pelo Planalto, assim como outros grandes nomes que ajudaram a fundar esse clube. O objetivo é dar sequência ao trabalho”, salientou. narleitao@gmail.com


8

Quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sociais

Bairros

Santa Helena IV Cerca de 280 pessoas estiveram reunidas no bairro Santa Helena IV, domingo, 8 de maio, para celebrar o Dia das Mães. O evento foi organizado pelos casais festeiros Milton e Rosali Echekhardt, Antônio e Maria Ribiki, Adélio e Edirane Melo, Paulo e Rosane Nunes. Os primos Kaliandra de Melo, 11 anos, e Gustavo de Melo, 2 anos Os festeiros da Paróquia Cristo Rei: Ellen, Marilene e Gilmar Anceski

As amigas Clarinês da Costa e Iraci Alves de Anhaia

Adriana Salete Mecca, Joceli Soares de Oliveira e Erick Mecca de Oliveira

Caderno Bairros - 18/05/2011  

Caderno Bairros - Jornal Semanário - Edição 2721 - 18/05/20121 - Bento Gonçalves

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you