Issuu on Google+

J O R N A L

ANO 111 • Nº 5.614 • 12 DE OUTUBRO DE 2012 • WWW.JORNALSANTUARIO.COM.BR

Pág. 12

A PA R E C I D A

ENTREVISTA “Nossa Senhora ajuda a ver que Deus está perto e é parceiro”, afirma reitor do Santuário Nacional

Leonardo Meira / JS

Saiba mais sobre o hotel Rainha do Brasil

D E

Pág. 3

Conheça os bastidores da Novena e Festa da Padroeira do Brasil

Pág. 4

Montagem sobre fotos / JS

Reprodução

DESAFIO

Papa preside Missa de abertura do Sínodo para a Nova Evangelização

Pág. 6 Reprodução

SE LIGA AÍ

Cursar Ensino Superior nos EUA pode ser boa escolha

Pág. 10 Reprodução

TELECOMUNICAÇÕES

Quem vê as coreografias e os belos carros enfeitados adentrando o Santuário Nacional talvez não imagine quanto esforço é necessário para que dê tudo certo durante os dias de celebração a Nossa Senhora Aparecida. Confira uma reportagem especial que mostra os bastidores desse grande evento de fé que une o país. Págs. 8 e 9

Tecnologia 4G promete revolução, mas enfrenta obstáculos para ser implantada no Brasil


2

DA REDAÇÃO

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

.: Editorial

.: Espaço do leitor

Festa para Maria é festa de todos nós Talvez haja quem se pergunte: qual é o sentido de se ter uma novena em honra à Padroeira do Brasil e se dedicar um dia especialmente para celebrá-la? As cerimônias que acontecem no Santuário Nacional de Aparecida e em tantas comunidades espalhadas pelo país permitem vislumbrar duas vias de explicação. 1 – Maria não é deusa, mas também não é mulher como qualquer mulher, conforme bem afirma padre Zezinho em uma de suas célebres canções. O sentido de celebrar a sua pessoa é agradecer por gesto, tão generoso e nobre, de se dobrar docilmente à voz do Senhor e aceitar ser morada do Altíssimo. Não foi uma aceitação passiva ou por medo de ser condenada. Ao contrário, Maria aceita ser Mãe de Deus motivada por amor e por se sentir amparada pelas mãos do Senhor. Ela se coloca na condição de ativa participante do mistério de salvação do Pai e, sempre por amor, gera em seu ventre o Filho de Deus. 2 – São muitos os olhares que a Mãe Aparecida recebe de seus filhos. Uns gemem em dores e angústias, outros agradecem por sua intercessão, e há também aqueles que simplesmente contemplam criatura tão bela do Senhor. Celebrando Maria, celebramos as alegrias, tristezas, sucessos e vicissitudes que constroem a vida de cada um de nós. Honrar a Mãe do Senhor é fortalecer a fé em crer que o que vale realmente a pena é entregar-se à proteção do Pai e deixar-se guiar por sua mão. Eis aqui dois motivos maiores para celebrar Nossa Senhora Aparecida: a pessoa de Maria e seu gesto de entrega, bem como porque ela recolhe em si todas as necessidades dos filhos de Deus. Ao mesmo tempo que é Mãe, ela também se faz companheira de jornada e, como bela educadora, ensina que há sempre apenas um caminho para chegar ao Pai: o Filho Jesus!

ENQUETE

Doações

A localidade de São Manoel, no interior de Ipiranga (PR), acaba de ganhar uma Biblioteca Comunitária Rural. O senhor Romaldo Bittencourt é administrador rural, líder pastoral, coordena um grupo de aproximadamente 90 jovens e é um dos principais motivadores da iniciativa. A ideia de criar a biblioteca surgiu para que os jovens “possam ‘ocupar a cabeça’ com coisas sadias”, escreve. “Somos leitores assíduos do Jornal Santuário de Aparecida, uma publicação com um excelente projeto editorial e gráfico”, acrescenta. “Moramos em uma região rural carente de informações e lazer, sem acesso à internet. Porém, somos apaixonados pela magia do cinema”, afirma ao JS. Como não dispõe de verbas públicas, a comunidade pede que os leitores possam ajudar a montar uma filmoteca, com acervo de filmes religiosos, educativos, culturais e documentários, bem como os premiados ou indicados ao prêmio Margarida de Prata, promovido pela CNBB. Também podem ser doados CDs e DVDs com músicas, shows e palestras. Mais informações pelo e-mail romaldobitencourt@ibest.com.br ou telefone (42) 9122-5302. O material deve ser enviado para: Biblioteca Comunitária Rural de São Manoel A/C Romaldo Bitencourt CEP 84.450-000 / Caixa Postal 2 Ipiranga-PR

O JS perguntou aos curtidores de nossa página no facebook: A tecnologia 4G promete revolucionar o acesso à internet móvel, permitindo muito mais velocidade na navegação. O processo de implantação da tecnologia no Brasil enfrenta desafios, pois as operadoras defendem que os usuários ainda estão migrando para o 3G. Você concorda?

75% – Não, as operadoras apenas estão preocupadas com o lucro e inventam desculpas para não investir em infraestrutura 25% – Sim, os usuários de telefonia móvel no Brasil ainda precisam saber utilizar o 3G e ter equipamentos melhores para poder ter acesso a uma nova tecnologia

*Curta você também a nossa página no facebook e participe das enquetes.

.: Contatos

facebook.com/ jornalsantuario

twitter.com/ santuariojornal

issuu.com/ www.jornalsantuario.com.br jornalsantuario jornalsantuario@

O Jornal Santuário de Aparecida é uma publicação semanal dos Missionários Redentoristas ISSN - 1980-3192

Jornal Santuário de Aparecida Rua Pe. Claro Monteiro, 342 Centro – Aparecida (SP) Cx. Postal 4 – 12.570-000

DIAGRAMAÇÃO: Mauricio Pereira Rafael Felix Simone Godoy

Veículo associado à

editorasantuario.com.br

Boa leitura!

.: Expediente

Redação (12) 3104.2019 Assinaturas (12) 3104.2057 0800 16 00 04

DIRETOR-GERAL: Pe. Marcelo Conceição Araújo, C.Ss.R.

EDITOR: Leonardo Meira (MTB 14261/RS)

CONSELHO EDITORIAL: Pe. Jorge P. S. Sampaio, C.Ss.R. Pe. José Uilson Inácio Soares Júnior, C.Ss.R.

REVISÃO: Ana Lúcia de C. Leite Leila Cristina Dinis Fernandes Benedita Cristina G. N. da Silva

REDAÇÃO: Deniele Simões (MTB 26435/SP) Eduardo Gois (MTB 57928/SP)

Nº avulso: R$ 2,00


OPINIÃO / DEBATE

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

3

TRADIÇÃO | TEMA DESTE ANO INICIA PREPARATIVOS PARA 300 ANOS DO ENCONTRO DA IMAGEM

Deniele Simões deniele.jornal@editorasantuario.com.br

JS – O que representa a celebração da Padroeira sob o ponto de vista da fé e da religiosidade do povo brasileiro?

O reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli, conversa com o JS sobre o significado da Novena e Festa da Padroeira para o povo brasileiro e para a Igreja no país. Durante os 10 dias de celebração e também no período que precede o início das festividades, o povo começa a celebrar a Padroeira, nas casas, comunidades ou paróquias. Padre Darci destaca que a novena é uma prática devocional muito importante, revestindo-se em um momento de catequese, que mostra Maria como fio condutor para a Boa-nova. O sacerdote também esclarece a escolha do tema Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria, que inicia o quinquênio para o grande jubileu dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora.

Padre Darci – Nossa Senhora tem uma identificação muito grande com o povo brasileiro e isso acontece desde quando os três pescadores retiraram a imagem das águas do Paraíba. Esse olhar dos pescadores continua hoje na troca de olhares que acontece com a imagem pelos peregrinos que aqui vêm. E celebrar a festa reforça essa devoção. Celebramos para reforçar que nosso Deus é bondade, que não estamos sozinhos neste vale de lágrimas, que ele é nossa esperança e certeza de salvação!

Jornal Santuário de Aparecida – Qual o significado da Novena e Festa da Padroeira para o Santuário Nacional e para a Igreja no Brasil?

Padre Darci – Tem fortalecido e muito. Vemos isso pela participação de romeiros no Santuário. Ultrapassaremos os 11,5 milhões neste ano. Outro aspecto é que a realidade está muito dura e as pessoas estão buscando Deus. Nossa Senhora nos ajuda a ver que Deus é atingível, que está perto e é parceiro, que podemos chegar até Ele.

Padre Darci Nicioli – A novena está no coração do povo. É uma prática devocional bastante importante. É uma forma de preparar a festa, fazer com que o espírito aconteça em um crescimento contínuo, para que quem vier para a festa ou celebrá-la na paróquia, na comunidade, ou mesmo pessoalmente, esteja vivendo essa emoção. A novena prepara para isso e nós procuramos fazer uma catequese. Aproveitamos o momento da novena para cumprir a missão do Santuário, que é evangelizar e anunciar a Boa-nova. Nossa Senhora é um canal, um instrumento. Deus a escolheu para isso e ela continua fazendo esse mesmo serviço, porque é aquela que apresenta Cristo.

JS – A Festa da Padroeira revive o início dessa devoção, em outubro de 1717, quando a imagem de Nossa Senhora foi encontrada. Estamos prestes a completar 300 anos desse encontro. De lá para cá, a devoção a Nossa Senhora está mais fortalecida?

JS – Como é partilhar toda essa alegria expressa no tema com os milhares de fiéis, vindos das mais diversas localidades desse imenso e heterogêneo Brasil? Padre Darci – As pessoas vêm aqui com o coração aberto, trazendo suas dores, seus sofrimentos, suas vitórias e depositam tudo isso no altar do Santuário. Acredito também que conta muito o arquétipo da mãe. É tão bom ir para a casa da mãe, onde a gente se sente afeti-

vamente acolhido. Acredito que quem aqui vem sente esse abraço da Mãe e, por intermédio dela, o encontro com Jesus. Esse tema da alegria está dentro de um roteiro que vai nos preparando para o jubileu dos 300 anos. Nós usamos os mistérios do Rosário. E o primeiro mistério é o mistério gozoso, o mistério da alegria, da festa, da encarnação. No próximo ano, vamos rezar os mistérios luminosos, por ser o Ano da Fé. E depois os mistérios dolorosos e gloriosos. Então, veja, é um itinerário de catequese até 2017. E o primeiro passo é a alegria. JS – Então, trata-se de uma preparação para o tricentenário do encontro da imagem? Padre Darci – Passaremos pelos quatro mistérios e, em 2016, vamos celebrar os rostos de Maria no Brasil. Envolveremos o Brasil inteiro a partir dessas devoções. Todas as Nossas Senhoras são uma mesma, mas com rostos e nomes diferentes e, no Brasil, isso tudo se concentra na Senhora Aparecida. Chegamos a essa conclusão estudando com teólogos, liturgistas, preparando o roteiro, a fim de que façamos uma grande catequese até o jubileu de 2017. JS – A participação dos funcionários e dos voluntários é fundamental para o bom andamento da Novena e da Festa. O que motiva essas pessoas? Padre Darci – Sentir-se participante no Santuário é um desejo de muita gente. Ninguém faz nada sozinho. Precisamos de colaboradores, tanto aqueles que estão ligados conosco por um vínculo empregatício, como também de voluntários. São quase 1.000 voluntários cotidianamente no Santuário, mas na Novena e Festa isso se incrementa e mais gente participa. É uma forma de essas pessoas somarem

Leonardo Meira / JS

“Nossa Senhora ajuda a ver que Deus está perto e é parceiro”, afirma reitor do Santuário Nacional

Padre Darci: “Nossa Senhora nos ajuda a ver que Deus é atingível”

conosco e serem corresponsáveis em seu batismo, para evangelizarem com os missionários redentoristas. JS – Nesse período, a presença na internet reveste-se de um significado especial, devido ao aumento da participação do público. Como o senhor avalia o uso do ciberespaço para propagar a devoção a Maria? Padre Darci – Estamos envolvidos com as novas mídias. É uma forma de evangelizar, mesmo porque o Papa Bento XVI pede maior atenção à evangelização por meio desses meios. As novas mídias facilitam esse diálogo interativo. É tão verdade isso que, por exemplo, muitos devotos podem acender sua vela virtual no Santuário. Podem mandar um SMS hoje para a Sala das Promessas. Estamos vendo também as pessoas de meia-idade e também as vovozinhas lidando com o computador. Essa interatividade é fundamental nessa relação, porque não queremos tratar ninguém como número, mas como pessoa.

Confira a entrevista na íntegra. Acesse http://bit.ly/js_pdarcif2012


4

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

ATUALIDADES

ASSEMBLEIA| 261 PADRES SINODAIS REÚNEM-SE NO VATICANO ATÉ O DIA 28 DE OUTUBRO

Bento XVI preside Missa de início do Sínodo

O Papa Bento XVI presidiu a Missa de início da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que tem como tema A Nova Evangelização para a transmissão da fé cristã. A cerimônia aconteceu no adro (parte externa) da Basílica de São Pedro, no domingo, 7. Em sua homilia, o Santo Padre destacou que o tema do sínodo responde a uma orientação programática para a vida da Igreja, perspectiva reforçada pela coincidência com o início do Ano da Fé, que aconteceu no dia 11 – data do 50º aniversário da abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II. “A evangelização, em todo tempo e lugar, teve sempre como ponto central e último Jesus, o Cristo, o Filho de Deus. E o Crucificado é por excelência o sinal distintivo de quem anuncia o Evangelho: sinal de amor e de paz, chamada à conversão e à reconciliação.” Sobre a nova evangelização, o Papa destacou que a Igreja existe para evangelizar e que, em determinados períodos da história, a Providência divina suscita um renovado dinamismo na ação

evangelizadora na Igreja. Nos tempos de hoje, esse dinamismo espiritual e pastoral encontrou sua expressão mais universal e seu impulso mais autorizado no Concílio Ecumênico Vaticano II. “Este renovado dinamismo de evangelização produz uma influência benéfica sobre os dois ‘ramos’ concretos que se desenvolvem a partir dela, ou seja, por um lado, a missio ad gentes, isto é, a proclamação do Evangelho para aqueles que ainda não conhecem a Jesus Cristo e a sua mensagem de salvação; e, por outro lado, a nova evangelização, destinada principalmente às pessoas que, embora batizadas, se distanciaram da Igreja e vivem sem levar em conta prática cristã”, destacou. Logo, a nova evangelização implica ajudar essas pessoas a ter um novo encontro com o Senhor, “para favorecer a redescoberta da fé, a fonte de graça que traz alegria e esperança na vida pessoal, familiar e social”.

Matrimônio e Jesus

As leituras bíblicas do domingo ofereceram dois pontos principais de reflexão, segundo Bento XVI: o primeiro sobre o matrimônio e o segundo sobre Jesus Cristo. O Papa salienta que o matrimônio se constitui, em si mesmo, “um Evangelho, uma Boa-Nova para o mundo de hoje, em particular para o mundo

descristianizado”. E não é por acaso que o matrimônio enfrenta hoje uma crise. “Há uma clara correspondência entre a crise da fé e a crise do matrimônio”, declarou. Já o ideal da vida cristã, expresso no chamado à santidade, encoraja a ver com humildade a fragilidade de muitos cristãos, o que se apresenta como um grande obstáculo para a evangelização. “Não se pode falar da nova evangelização sem uma disposição sincera de conversão.”

Reprodução

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

Dados

Entre os 261 padres sinodais que concelebraram a Eucaristia com o Papa, estavam: 49 cardeais, sete bispos de Igrejas Orientais, 71 arcebispos, 120 bispos e presbíteros, além de 72 colaboradores. No início da celebração, o Santo Padre proclamou como Doutores da Igreja os santos João d’Ávila, sacerdote espanhol diocesano, e Hildegarda de Bingen, monja alemã da Ordem de São Bento. A Primeira Leitura foi pronunciada em espanhol, o Salmo em italiano e a Segunda Leitura em alemão. O Evangelho foi proclamado em Latim. As preces foram pronunciadas em inglês, português, francês, russo e neerlandês. A assembleia do Sínodo segue até o dia 28 deste mês.

“Deixar-se reconciliar com Deus e com o próximo é a via mestra da nova evangelização”, afirma Bento XVI

Confira a homilia do Papa na íntegra. Acesse http://bit.ly/js_hpsne2012

Curtas • Pastoral da Educação e Cultura da CNBB promove formação de agentes e diálogo com artistas. A reunião do grupo de colaboradores da pastoral aconteceu em Belo Horizonte (MG), no dia 5. O objetivo do encontro foi articular os encaminhamentos dos projetos Formação de Agentes da Pastoral da Cultura e Arte e Artistas, do 21º Plano de Atividades do Secretariado Geral. • Papa transfere dom Francisco Carlos Bach para a diocese de São José dos Pinhais (PR). Dom Francisco era bispo de Toledo (PR). Ele sucede a dom Ladislau Biernaski, falecido em fevereiro deste ano. • Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos ADULÃO, de Aparecida (SP), participará de evento latino-americano. O centro foi aceito e aprovado pela banca examinadora do XV Simpósio Internacional sobre Tabaco, Álcool e outras Drogas e também para o Congresso Latino-americano da KBS, a maior associação de pesquisa sobre epidemiologia de álcool e outras drogas no mundo. Os eventos são simultâneos e acontecerão no Colégio Brasileiro de Cirurgiões, no Rio de Janeiro, no final de novembro. • Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP) divulga nota sobre os 20 anos do massacre do Carandiru. O massa-

cre que vitimou 111 presos na casa de detenção de São Paulo, conhecida como Carandiru, aconteceu em 2 de outubro de 1992. Confira a nota na íntegra em http://bit.ly/js_carandiru • Divulgada mensagem sobre o Dia Nacional de Valorização da Família. A data é celebrada no dia 21 deste mês. O texto é assinado pelo secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, e pelo presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini. A mensagem sugere que a data possa proporcionar uma reflexão em favor da evangelização e da valorização da família brasileira. Confira na íntegra em http://bit.ly/js_dvf2012 • Inscrições abertas para 2º Seminário Igreja e Bens Culturais. O evento acontece de 22 a 25 de outubro, em Belo Horizonte (MG). Mais informações e inscrições pelo site www.cnbbleste2.org.br • 18º Encontro Estadual de Comunicação acontece em novembro, em São Paulo. O tema será Mídias Digitais: desafios e possibilidades para a evangelização. O encontro acontece de 23 a 25 de novembro, no Instituto Salesiano Pio XI, em São Paulo (SP). Mais informações e inscrições em www.cnbbsul1.org.br • Natal (RN) sediará lançamento nacional da CF 2013. A próxima edição da Campanha da Fraternidade celebra os

50 anos da criação da iniciativa. O tema será Fraternidade e Juventude. A primeira CF foi realizada na Arquidiocese de Natal, em abril de 1962, por iniciativa do então administrador apostólico, dom Eugênio de Araújo Sales. O objetivo era fazer uma coleta em favor das obras sociais e apostólicas da arquidiocese. • Núcleo Estudantes Internacionais, da CNBB, promove mapeamento de ações no Brasil. A ideia é catalogar os trabalhos com estudantes estrangeiros no país. O objetivo é estabelecer um contato direto com as instituições que promovem iniciativas na área, articulando um trabalho em rede. O núcleo nasceu após o 3º Congresso Mundial de Pastoral para os Estudantes Internacionais, que aconteceu em 2011, em Roma, na Itália. Entre em contato pelo e-mail estudantesinternacionais@gmail.com • Pastoral dos Surdos está organizando a participação dos jovens surdos na JMJ, em 2013, bem como o 16º Encontro Nacional da Pastoral dos Surdos (Enapas) e o 6º Encontro Nacional dos Intérpretes Católicos (Encicat), em Porto Alegre (RS), entre os dias 9 e 12 de janeiro de 2014. • Conselhos Missionários de dioceses (Comidis) e paróquias (Comipas) terão formação sobre comunicação. O 2º Encontro de Formação para Comidis e Comipas acontece de 14 a 18 de novem-

bro, em Brasília (DF). A promoção é das Pontifícias Obras Missionárias (POM), Centro Cultural Missionário e Comissão Episcopal para a Ação Missionária da CNBB. Mais informações e inscrições em www.ccm.org.br • Concurso seleciona grafiteiros para exposição da JMJ 2013. O Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS-SP) e a Jornada abriram edital para jovens peregrinos do mundo inteiro que tenham interesse em participar de workshop e exposição de grafite. Os trabalhos selecionados ficarão em exibição por dois meses. Os candidatos devem ter entre 18 e 35 anos. Mais informações e inscrições em www.museuartesacra.org.br • Bento XVI concede Indulgência plenária por ocasião do Ano da Fé. Podem obter a indulgência os fiéis verdadeiramente arrependidos, que tenham reparado os próprios pecados com a penitência sacramental e elevado orações segundo as intenções do Santo Padre. Confira as exigências para receber a indulgência em http://bit.ly/ js_indulgencianofe. • Ex-mordomo do Papa é condenado a 1 ano e meio de prisão. Paolo Gabriele foi condenado pelo roubo qualificado de documentos reservados da Santa Sé, caso conhecido como vatileaks. O Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano emitiu a sentença no sábado, 6.


REDENTORISTAS

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

RENOVAÇÃO | ESTATUTOS ESTÃO EM PROCESSO DE REVISÃO

VOCACIONAL

Arquivo Pessoal

Os missionários redentoristas da Província de São Paulo estiveram reunidos em Assembleia Capitular. O encontro aconteceu entre os dias 24 e 27 de setembro, no bairro da Pedrinha, no município de Guaratinguetá (SP). Vinte e cinco capitulares participaram da assembleia, entre eles o superior provincial de São Paulo, padre Luís Rodrigues, e o vice-superior de Recife, padre Antônio Ranis, além de outros membros pertencentes às diversas frentes pastorais da Província. O Capítulo é o órgão máximo de decisão da Província. Neste ano, o principal trabalho foi a aprovação da primeira

parte dos Estatutos Provinciais. Esse documento serve para guiar a vida e o dia a dia de cada congregado redentorista e está sendo renovado. O missionário redentorista padre Victor Hugo Silveira Lapenta é membro da comissão responsável por conduzir os trabalhos de reforma do documento e esteve presente para assessorar o encontro. A assembleia começou com a celebração da Santa Missa no Santuário Nacional, no dia 24, às 9h. A cerimônia foi presidida pelo padre Luís Rodrigues Batista. A programação e a metodologia do trabalho da assembleia abrangeram a divisão dos membros em grupos de trabalho, para debaterem diversos pontos dos estatutos e proporem renovações e alterações.

Redentoristas reunidos em Assembleia Capitular

Reprodução

Capítulo Provincial Redentorista Da Redação jornalsantuario@editorasantuario.com.br

5

O mês de outubro é especial para os católicos. Afinal, celebra-se Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. Mas, no dia 12, também se comemora o dia das Crianças. O que aprendemos na infância e adolescência vai nos acompanhar pela vida inteira. Quando crianças, aprendemos algumas regras básicas da vida, que valerão até quando estivermos bem velhinhos. Não pegar o que não é nosso, pedir desculpas se machucarmos alguém, lavar as mãos antes de comer e agradecer a Deus antes de deitar. Esses são apenas alguns exemplos dos tantos ensinamentos da infância.

O apreço pelas coisas de Deus também deve ser mostrado aos pequeninos. “Ensina a criança quanto ao caminho a seguir; e ela não se desviará, mesmo quando envelhecer” (Pv 22,6). O momento de oração é sagrado para as famílias, e assim deve continuar. Quem, entre os mais velhos, não se lembra de, apesar de não saber rezar, cantar para a “Mãezinha do Céu” ou de repetir a oração ao Anjo da Guarda antes de dormir. O alicerce para uma vida na Igreja é construído nos primeiros anos de vida. O mesmo acontece com as vocações. A semente vocacional é regada e cuidada durante a infância e dará frutos nos anos seguintes. É por isso que dizemos que a família é o celeiro das vocações. Se a criança é o futuro da Igreja, a família é a responsável direta por esse futuro. É dentro que a criança dá os de casa primeiros passos para conhecer o amor de Deus. “Deixai as crianças e não as proibais de vir a mim, porque delas é o Reino do Céu” (Mt 19,14).

Pequeninos também devem fazer orações diárias


6

SE LIGA AÍ

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

PROFISSIONALIZAÇÃO | ESCOLHA DE QUAL PAÍS ESTUDAR PODE SER DIFERENCIAL NO CURRÍCULO

Ei Brazil / Divulgação

Cursar Ensino Superior nos EUA pode ser boa escolha para futuro promissor Eduardo Gois eduardo.jornal@editorasantuario.com.br

Vale a pena estudar nos EUA?

No país norte-americano, a avaliação para ingressar na faculdade é chamada de Scholastic Aptitude Test (SAT) ou Teste de Aptidão Escolar. Esse exame também é realizado em mais de 170 países, pois quase todas as faculdades ou universida-

Raposo é sócio da Ei Brazil, empresa responsável por preparar interessados em estudar fora do país

des dos Estados Unidos o exigem para admissão. Em seu formato e metodologia de execução, o SAT consiste num teste com questões de múltipla escolha e uma redação que mede as aptidões, habilidades e conhecimentos desenvolvidos na escola e a capacidade do aluno em aplicá-las. Nos EUA, o exame é considerado muito importante, já que a maioria das universidades considera a pontuação alcançada no teste como um dos principais fatores do processo de admissão. Outro aspecto relevante são as notas que o candidato obteve no colégio durante toda a sua vida acadêmica, pois serão levadas em conta na hora da seleção. Norte-americanos ou não, todos os alunos são obrigados a fazer essa prova antes de entrar nas universidades do país. No caso de alunos estrangeiros, também é realizado em muitas instituições uma análise dos exames de línguas: ELTS, Cambridge (FCE, CAE e CPE), TOEFL, GMAT ou GRE. “O inglês do candidato é avaliado com a preocupação de que o aluno não tenha dificuldade na questão da escuta, da fala e da interpretação de texto”, detalha. Lá não existem cotas de qualquer natureza, como aqui no Brasil. “Necessitar de cotas significa dar um passo atrás e admitir que não se sabe manter um ensino de qualidade”, opina Raposo.

Arquivo Pessoal

Chegado o momento de cursar a faculdade, grandes decisões na vida dos jovens devem ser tomadas. Indagações sobre qual carreira seguir e onde estudar são as mais frequentes. Esses são pontos-chave na hora de decidir qual rumo tomar. O período em que boa parte dos brasileiros termina o Ensino Médio, com a idade entre 16 e 18 anos, é o de maior pressão por parte da família e do próprio sistema de ensino. Mas será que esse seria o momento exato para tomar uma decisão tão importante? Especialistas afirmam que não. Aqui no Brasil, para que se possa ingressar em uma faculdade, é necessário que, no ato da inscrição para os exames vestibulares, a pessoa informe qual curso deseja seguir. O resultado desse tipo de sistema é que muitos candidatos, após um ou dois anos, trocam de curso, trancam a matrícula ou até mesmo terminam a faculdade, mas nunca exercem a profissão, por falta de afinidade com a área. “É um período de imaturidade”, critica o sócio da Ei Brazil, instituição que prepara os interessados em estudar no exterior, Ricardo Raposo. O empresário defende o modelo de Ensino Superior norte-americano. “Assessoramos os alunos na escolha da universidade, no aprimoramento e nos exames de língua, na preparação dos documentos e nos testes de ingresso nas universidades”, explica. São muitas opções de cursos, a um custo que varia de US$ 13 a US$ 45 mil dólares por ano, incluindo alimentação e moradia.

Gustavo Oliveira: “O Sistema de ensino nos EUA mostra-se mais eficaz do que o brasileiro”

E como funciona?

Por lá, a realidade é bem diferente: não é necessária uma escolha de cursos nos dois primeiros anos de estudo. “Somente a partir do terceiro ano é que os alunos têm de escolher qual carreira seguir. Antes disso, eles estudam matérias comuns para todos os cursos de acordo com a área de interesse (humanas, exatas, biológicas), possibilitando uma maior vivência e maturidade acadêmica antes de definir seu destino profissional”, explica. O mestre em educação Gustavo Oliveira revela que tem sido crescente o interesse das universidades norte-americanas por estudantes brasileiros. “Em agosto deste ano, ocorreu um dos mais volumosos e expressivos cortejos

dessas instituições para atrair alunos brasileiros”, conta. De acordo com Oliveira, 66 universidades dos Estados Unidos participaram de feiras estudantis em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Um total dez vezes maior que a realidade de outro grupo, responsável por visitar a Indonésia e o Vietnã meses antes, até então a missão mais numerosa. Esse intercâmbio é valioso tanto para as universidades norte-americanas quanto para os alunos estrangeiros. Para as instituições de ensino, representa um aumento de receita; para os alunos, uma garantia de ensino de qualidade, troca de experiências com outras culturas e maior reconhecimento profissional aqui no Brasil. “Também é um crescimento humano, pois possibilita ao jovem o amadurecimento de vida, uma vez que ele terá de ser o dono do próprio nariz, em um país estranho”, ressalta. É grande o número de instituições, programas, cursos e localidades que recebem alunos estrangeiros. Isso, logicamente, torna mais difícil a escolha por uma opção mais acertada. Para viabilizar e facilitar o processo de escolha, o estudante precisa avaliar de forma criteriosa todos os programas e as opções de localidades, distâncias e infraestrutura oferecida, para que tudo esteja em absoluta identidade com aquilo que satisfaça suas metas pessoais. “Para poder tomar decisões seguras, o estudante precisa conhecer como o sistema norte-americano de educação é organizado, além de levar em consideração seus objetivos e condições para poder dedicar-se e obter os resultados esperados. Sem planejamento, fatalmente regressará ao país de origem antes do esperado”, alerta Gustavo.

Está interessado no assunto? Saiba mais sobre como estudar nos EUA. Acesse www.eibrazil.com.br


VIVER

7

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

.: De Olho

Acompanhar os eleitos Acompanhar os eleitos

Na maioria das cidades brasileiras, as eleições foram definidas no primeiro turno. Agora, é hora de voltarmos a refletir na política como ação coletiva que se desenvolve na relação com os outros. Política e democracia são noções que há muito tempo caminham juntas e por vezes até se confundem. A democracia como regime de governo pode ser considerada um exercício raro na história. Teve sua primeira experiência como Demokratia (Demos = povo; Kratia = governo) na antiguidade grega. Após essa experiência, predominaram a aristrocacia e o absolutismo dos reis como forma de governo. Depois de longos séculos, já na modernidade, a democracia tornou-se um regime político experimentado por várias sociedades e adquiriu formatação diferenciada. Devido ao grande número de habitantes e a complexidade das sociedades modernas, a democracia emergiu a partir do princípio da representatividade e seu funcionamento pressupõe que os cidadãos elejam representantes para legislarem sobre assuntos de interesse de todos. A escolha dos representantes pelos cidadãos, por meio das eleições, é uma das condições básicas da democracia

moderna que pressupõe, fundamentalmente, o voto com igual valor para todos. As teorias modernas consideram a democracia como um conjunto de regras e procedimentos para a constituição do governo e para a tomada de decisões. Nesse sistema, os cidadãos escolhem aqueles que consideram os mais preparados para os representarem politicamente. Nessa perspectiva, a democracia é considerada um meio, e não um fim em si mesmo. Fica claro, portanto, que no modelo representativo o voto é o pressuposto fundamental para o exercício democrático. No entanto, apenas votar em eleições períodicas tem-se mostrado insuficiente para o exercício pleno da democraia. É preciso que o eleitor esteja atento às ações de seus representantes, tornando o exercício da cidadania algo cotidiano em sua vida. Ou seja, é fundamental o acompanhamento sistemático dos eleitos. Robson Sávio Reis Souza é professor e coordenador do Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) da PUC Minas e associado pleno do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Contato: robsonsavio@yahoo.com.br www.uai.com.br/conversandodireito

.: RECEITA

Isso é IMPORTANTE sobretudo considerando-se que, segundo pesquisas realizadas em todo o MUNDO, mais de 60% dos acidentes são causados pelos CONDUTORES de veículos, devido a imprudência, IMPERÍCIA e negligência. Por exemplo, o motorista deve: • Estar sempre ATENTO ao que está acontecendo ao REDOR. • Manter DISTÂNCIA segura do veículo à sua frente, lembrando que em PISTA escorregadia essa distância deve ser MAIOR. • Se houver um CARRO muito próximo atrás do veículo, dar-lhe passagem. • Reduzir a velocidade nas CURVAS. • Sinalizar corretamente o que pretende FAZER. • Evitar ultrapassagens PERIGOSAS. L D M Ç R

E D O R V G D C U R V A S

L

C A A Y

T

E

Ç W G

C O N D U T O R

T

Ç O B Q O R

I

L G Q V H Ã M F J

U S

N N Q D

I

A G F

C Õ M P X

I

T

R Ã S

F

R

E

P W X

V T

F

C

Cobertura: Coloque na tigela da batedeira o chantilly e o pó de morango. Bata em velocidade média até ficar com consistência para trabalhar com bico. Na manga de confeiteiro com um bico pitanga, coloque o chantilly e faça o acabamento. Coloque por cima um brigadeiro de morango passado em confeito colorido.

P

I

S

T A X

S

Z

X A

E

I

F

J

A N Ç X

L W O O T

F M C D T

I

E

C Õ G B I

P

N A E

I

E N W H N

Y Ç

Y N M A S

S

I

J

T

S

I

S O V

T

L

P

L

S

C R W Ã N Y Q F A

C Z U A A B

F N R

I

G

I

R

I

Q W L

Ç U Õ P Ã U Q A Ç D D P

T

S N A R

P U

V

R A Õ U E

E M C B

O T W Q E

I

S U E

V M U R Y

O T

I

S A G E W T O P

R

F

D U Ã L D S

J

Z

S O O S 8

Solução

C U R V A S C R E S P I S T A E D D Z E E A I A N F F M T E P E E N E S N S R M T I I U O V C N A I D D A O

Recheio de Brigadeiro de Morango: Leve ao fogo o leite condensado, a margarina, o chocolate em pó, o creme de leite e a farinha de trigo. Mexa até soltar do fundo da panela. Retire do fogo, coloque em um prato e deixe esfriar. Faça as bolinhas, abra os cupcakes no centro e recheie.

S

P Q D N H V C A O H R Ã D R J

T Q Z

X M C N X W Y Ã

M B G C O I

ovos um a um e bata bem. Acrescente a farinha de trigo peneirada com o fermento e o leite alternadamente. Colocar em forminhas de papel apropriadas para cupcakes.

R

S M E D Q W D W R X G D

O R A Ç Q A L E

E

R

Modo de preparo Massa: Na batedeira coloque o açúcar e a manteiga, bata bem até a mistura ficar bem clara. Junte o chocolate em pó e bata mais. Acrescente os

Direção DEFENSIVA, como o próprio nome diz, significa DIRIGIR de modo a evitar ACIDENTES, ainda que outras pessoas ajam indevidamente no TRÂNSITO. Por meio dela, o condutor APLICA procedimentos preventivos.

T O S A S O G I R E P G I

Cobertura: 200 ml chantilly gelado 2 colheres (sopa) de pó de morango (12g)

Direção defensiva

M R E D O R A E I C O N D U T O N D R A A I P T S L R T I O C A R R O C P N A M C I O T I S N A R T A R I

Recheio de Brigadeiro de Morango: 1 lata de leite condensado (395g) 1 colher (sopa) de margarina sem sal (12g) 2 colheres (sopa) pó de morango (12g) 3 colheres (sopa) creme de leite (60ml) 1 colher (sopa) de farinha de trigo (7g)

© Revistas COQUETEL 2012

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

O Q C A R R O C D P

Cupcake de brigadeiro com morango Ingredientes Massa: 4 ovos (160ml) 1 xícara (chá) de açúcar (160g) 2 xícaras (chá) de farinha de trigo (240g) 6 colheres (sopa) de manteiga (72g) 1 xícara (chá) de chocolate em pó (120g) 1 xícara (chá) de leite (240 ml) 1 colher (sopa) de fermento em pó (10g)

CAÇA-PALAVRAS

www.coquetel.com.br


8

PREPARATIVOS

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

DEDICAÇÃO | MAIS DE 4.000 PESSOAS ATUAM NOS BASTIDORES DA NOVENA E FESTA

O tema deste ano é Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria. Ele começou a ser pensado no início do ano e contou com o auxílio de teólogos e especialistas em mariologia. O segundo passo do processo foi a construção dos textos para a cerimônia, que inspirou todo o trabalho das coreografias para as celebrações. A cada ano que passa, a Novena e a Festa contam com uma novidade. O grande diferencial desta edição é a participação de membros da escola de samba X-9 Paulistana na confecção das alegorias. “Queríamos que os carros fossem mais bem elaborados e, por isso, buscamos essa parceria”, explica padre Valdivino. A parceria funciona da seguinte maneira: a escola entra com o conhecimento de dança, figurino e coreografias; o Santuário, por sua vez, com os dados litúrgicos, que, na verdade, dão o norte para todo o trabalho. O mês de agosto foi a época de início dos ensaios, que aconteceram todas as noites, de segunda à sexta-feira, no altar do Santuário, sempre das 19h às 21h, muitas vezes se estendendo até as 22h. Os figurinos e carros de entrada para as celebrações da Novena e da Festa foram todos confeccionados no próprio Santuário. “Vamos a São Paulo, compramos o que necessitamos e trazemos. Nada é feito fora daqui”, completa o missionário redentorista, frisando que todo o trabalho tem um cunho evangelizador e segue à risca a temática. Deniele Simões Eduardo Gois jornalsantuario@editorasantuario.com.br

Bandeiras azuis e brancas penduradas nas casas, romeiros circulando pelas ruas da cidade e muita alegria. Antes mesmo de o mês de outubro começar, o clima já é de festa em Aparecida (SP) e todos esperam ansiosos para celebrar a Padroeira do Brasil. A mística que envolve a população local e os peregrinos que chegam à cidade já no final de setembro é a mesma que reveste as equipes que trabalham na Novena e Festa da Padroeira. Mas, quem pensa que tudo começa apenas alguns dias antes está muito enganado. “Os preparativos estendem-se desde janeiro até os dias da festa”, conta o prefeito de Igreja do Santuário Nacional, o padre redentorista Valdivino Guimarães, C.Ss.R. Segundo ele, tudo é pensado para que a programação estimule os visitantes a rezar bem e fazer a experiência com o sagrado no Santuário. A ideia é que o povo de Deus que participa da Novena e da Festa volte para casa renovado.

Temática planejada A Novena de 2012 marca o início dos preparativos para o grande jubileu de 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. O tema deste ano é o primeiro a refletir sobre os Mistérios do Rosário, tradicional devoção católica a partir da qual se contempla a vida de Jesus na companhia de Maria. O também prefeito de Igreja do Santuário, irmão redentorista João Batista de Viveiros, C.Ss.R., destaca que a reflexão deste ano é baseada nos Mistérios Gozosos. Em 2013, o tema refletirá os Mistérios Luminosos. No ano subsequente, o enfoque será os Segundo padre Valdivino, tema é ponto de partida para todas as atividades

Mistérios Dolorosos e, em 2015, os Mistérios Gloriosos. Em 2016, o tema vai abordar os diversos títulos dados a Maria para, finalmente, celebrar o jubileu do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, em 2017. “Esse processo é lento. Tudo é feito com muito carinho”, aponta irmão Viveiros. A rigor, parte da temática a definição dos subtemas da Novena, assim como a elaboração dos textos do livreto e a composição do hino para as festividades. Outro ponto marcante é a participação da Igreja no Brasil nas festividades. São religiosos de várias localidades do país que participam das celebrações. “A cada ano, trazemos bispos e missionários diferentes, que se sentem felizes, orgulhosos e honrados por participarem”, conta. Para irmão Viveiros, essa multiplicidade é fundamental, pois a Novena e Festa pertence ao povo brasileiro. Somando forças A participação dos 1.300 funcionários do Santuário e dos cerca de 1.000 voluntários fixos e mais de 2.000 que atuam somente na Novena e Festa é fundamental para que tudo aconteça dentro do planejado. “A devoção a Nossa Senhora leva essas pessoas a querer participar”, avalia irmão Viveiros, ao destacar que são mais de 4.000 pessoas envolvidas diretamente no andamento dos trabalhos. Um dos grupos de voluntários é a equipe da acolhida, que faz de tudo para bem receber o romeiro. Ao todo, são

Fotos: Deniele Simões / JS

Celebração da Padroeira do Brasil é resultado de doação, esforço e gratidão Padre Frasson ressalta caráter evangelizador da acolhida Equipe da X-9 Paulistana trabalha na confecção de alegorias cerca de 40 voluntários, que já atuam no dia a dia do Santuário. “Durante a festa, essa equipe se especializa um pouquinho mais”, conta um dos responsáveis pelo grupo, padre Antônio Agostinho Frasson. Nos dias da Novena e Festa, o pessoal da acolhida faz o correto encaminhamento das autoridades e do público em geral para que todos possam desempenhar seu papel, seja no altar ou na assembleia. Geralmente, os membros da equipe são de Aparecida ou de cidades próximas, como Roseira, Guaratinguetá e Potim. “São pessoas que se sentem valorizadas no sentido de aqui estarem e participarem de todo esse processo do Reino de Deus, porque acolher bem também é evangelizar.”

Estrutura é ampliada para atender demanda Se, ao longo do ano, o Santuário Nacional já dispõe de uma grande estrutura para acolher os romeiros que acompanham a programação normal, durante a Novena e Festa da Padroeira há um incremento nos trabalhos. A medida é necessária para garantir o atendimento aos peregrinos, que devem atingir a marca de 300 mil pessoas no final de semana da Festa (12 a 14 de outubro). No dia 12, a expectativa é de que 150 mil visitantes passem pelo Santuário. Ambulatório médico – No dia da Festa, o ambulatório médico do Santuário chega a atender 500 pessoas. Há apoio da equipe da Unimed, que disponibiliza cinco enfermeiros e três médicos, somando-se ao efetivo normal, formado por quatro médicos plantonistas, dois enfermeiros, dois auxiliares de enfermagem e cinco técnicos de enfermagem. O espaço

oferece quatro veículos para transporte e atendimento. Estacionamento – São 2.000 vagas para ônibus, 3.000 para veículos de passeio e 600 para motocicletas. Os serviços são pagos e contemplam socorro mecânico e seguro. Segurança – Ao todo são 58 câmeras de monitoramento no interior e exterior da Basílica, bem como um efetivo de 154 vigilantes. De setembro a dezembro, e especialmente nos dias 11 e 12 de outubro, o número de vigilantes é acrescido entre 20% e 30%, em função da alta demanda. Embarque e desembarque – Há dois terminais de embarque e desembarque nos estacionamentos superiores. No dia 12, serão quatro vans para transportar os romeiros até a marquise do Centro de Apoio aos Romeiros. O serviço é preferencial para pessoas portadoras de necessidades especiais, idosos e gestantes.


Jornal Santuário de Aparecida • 12 DE outubro DE 2012

9

Coreografias e encenações embelezam dias de Novena e Festa idosos. Todos com o mesmo objetivo: evangelizar e contribuir. As equipes são auxiliadas por uma coreógrafa e mais dois padres. “As coreografias devem ser feitas com um caráter evangelizador. Não é feita de qualquer jeito, pois se pretende passar uma mensagem. É para ajudar o povo de Deus a pensar no que está sendo celebrado em cada dia da novena, ou seja, fazer com que a liturgia seja mais acessível, principalmente para aqueles mais simples”, explica padre Valdivino. Quem participa das encenações dedica suas horas vagas para servir. A maioria afirma ser uma forma de agradecimento à Mãe Aparecida. Veja os testemunhos:

“Significa uma história de grande devoção aqui no Santuário, que começou na adolescência. É indescritível. Tenho uma relação muito íntima com Nossa Senhora Aparecida. É uma maneira de renovar as energias e a fé.” Angélica Aparecida da Fonseca, 30 anos. É colaboradora do Santuário há quase 10 anos na área de Tecnologia da Informação. Mora em Guaratinguetá e, nas horas vagas, ensaiou com a equipe de teatro e coreografias.

Fotos: Eduardo Gois/ JS

Cada dia da Novena é baseado em um subtema, sempre vinculado ao tema geral da Festa e à liturgia. A participação da comunidade é grande e muito carregada de fé e doação. Mas, antes de tudo, é necessária uma preparação para que tudo corra bem e saia da forma como Nossa Senhora Aparecida merece. São meses de ensaios para as encenações de diversas coreografias, regados de muito esforço e doação. Somente nos grupos de coreografias e encenações, mais de 1.500 voluntários participam ativamente dos ensaios. São pessoas de todas as idades: crianças, jovens, adultos e

“Comecei a atuar na preparação para as novenas há oito anos, após o convite de um amigo. É muito gratificante participar de todo esse processo.” Ivan Geraldo da Costa dos Reis, 54 anos, é aposentado. Mora em Aparecida.

“Nada de brincadeiras. Aqui, o teatro é ‘negócio sério’. Quando crescer, sonho em ser ator.” Felipe Samuel Glória, 7 anos. Reside em Potim e participa do grupo de teatro faz quatro meses. Fez questão que sua mãe o levasse ao Santuário todas as noites para os ensaios.

Portal A12.com

Mãe Aparecida recebe novo manto e trono

Bordado cuidadosamente pelas mãos das irmãs carmelitas de Aparecida, um manto especial revestiu a imagem de Nossa Senhora Aparecida durante a Novena e também na Festa da Padroeira deste ano. No dia 27 de setembro, padre Valdivino Guimarães recebeu o manto entregue pelas religiosas. Este é o quarto ano que as irmãs da Ordem da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo bordam o manto usado durante as celebrações. Um trono especial também foi preparado para ostentar a imagem. O intuito é que o devoto, ao olhar para o trono da Mãe Aparecida, recorde o tema central da Festa.

Imprensa Santuário Nacional

Todos os anos, cerca de 600 profissionais de comunicação dos diversos meios – rádio, televisão, jornal, internet – marcam presença no Santuário Nacional. A equipe de assessoria de imprensa prepara-se em grandes proporções para o evento. “Para a Festa, é disponibilizado um recuo de imprensa ao redor do Altar Central, um recuo no mezanino superior para as emissoras de rádio, com estrutura que contempla mesas, cadeiras, pontos de energia elétrica e suporte de telefonia. Além disso, é preparada uma estrutura para percurso e subida dos jornalistas até a Cúpula, bem como um auditório para a coletiva de imprensa no dia 12 e um press kit especial, com informações históricas e sobre a estrutura do Santuário”, salienta a gerente de comunicação institucional do Santuário Nacional, Flávia Gabriela. O radialista Luiz Carlos Martins completa 32 anos de cobertura da Festa. Ele vem de Curitiba (PR) e afirma que sua missão é como profissional e devoto. “Queria que o amor por Nossa Senhora ultrapassasse todas as paredes do Santuário”, conta.

Arquivo Pessoal

Cobertura da imprensa nacional também é destaque

Da Rádio Banda B AM de Curitiba, o radialista Luiz Carlos Martins durante a cobertura no ano de 2010


10

TELECOMUNICAÇÕES

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA •12 DE OUTUBRO DE 2012

NOVIDADE | SISTEMA AMPLIARÁ VELOCIDADE DE NAVEGAÇÃO E SEGURANÇA DOS DADOS

Novos serviços e inúmeras possibilidades. Vídeos, músicas, textos e uma gama enorme de arquivos digitais disponíveis em pouquíssimos segundos. Esse é o cenário que surge a partir da implantação da tecnologia 4G, que promete revolucionar o acesso à internet móvel. “A tecnologia 4G é a quarta geração da telefonia móvel e se aplica a essa, tablets e outros dispositivos”, explica Leonardo Bortoletto, diretor-presidente da Web Consult, especializada em sistemas para internet. Segundo Bortoletto, hoje, os Estados Unidos contam com 40% do território coberto pela nova tecnologia. Já no Brasil, a situação é bem diferente. “A adequação da rede demanda grandes investimentos e as operadoras nacionais

Mariana Neto

Bortoletto: “operadoras nacionais ainda estão no processo de transição da geração 2G para 3G”

alegam que seus usuários ainda estão no processo de transição da geração 2G para a 3G”, adverte. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) assina, no dia 16 de outubro, os contratos que autorizam o uso das faixas de frequência 4G, leiloados em junho. As empresas vencedoras terão de disponibilizar a nova tecnologia nas cidades-sede da Copa das Confederações até 30 de abril do ano que vem, e, nas sedes e subsedes da Copa do Mundo, até 31 de dezembro de 2013. Essa transição permitirá um consumo cada vez mais direto a partir da internet, sem a necessidade de armazenamento nos equipamentos. Isso significa a possibilidade de acesso a uma gama maior de serviços. Para quem trabalha com tecnologia e depende do tamanho da banda de velocidade, o sistema abre múltiplas possibilidades na entrega da informação ao receptor. Na prática, o usuário poderá participar de videoconferências, assistir a noticiários ou filmes por streaming. Tudo isso em tempo real. “No âmbito do marketing digital, a interação em tempo real, realidade aumentada, games, dentre outras ações, passam a ser possíveis”, completa. Desafios Um dos grandes desafios para a implantação da nova tecnologia no Brasil é o de atender as exigências da Copa do Mundo e das Olimpíadas. “Dessa forma, as cidades-sede serão as primeiras beneficiadas; depois, virão as outras”, prevê Bortoletto. Para o especialista, o maior problema será o alto custo da 4G, em um primeiro momento. Porém, como as operadoras estão se comprometendo com investimentos bilionários e até mesmo divulgando isso na mídia, ele acredita na possibilidade da entrega da nova tecnologia ao consumidor final com menos problemas do que no caso das anteriores.

Novo sistema vai permitir acesso a videoconferências, filmes por streaming, vídeos em tempo real e muito mais

Diferenças entre os sistemas Fotos: Reprodução

Deniele Simões deniele.jornal@editorasantuario.com.br

abc.net.au

Tecnologia 4G promete revolução, mas implantação no Brasil enfrenta série de obstáculos

A plataforma é baseada em uma nova tecnologia de rádio, que pode ser WiMax (por micro-ondas) ou LTE (evolução de longo prazo). Além da velocidade maior na internet, o sistema permite aumento da cobertura. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, autorizou a licitação de um novo leilão no ano que vem, para a exploração de uma frequência hoje de uso exclusivo das TVs abertas. A faixa deverá ser utilizada para oferecer o serviço 4G e, de acordo com o governo, não poderá fazer com que os usuários corram o risco de ficar sem o serviço de televisão. Além disso, o uso efetivo da frequência só será possível em 2016 – após o processo de transição da TV analógica para a digital ser completado –, a partir da liberação da faixa usada pelo sistema analógico. Nas localidades onde a TV digital é realidade, já é possível a utilização da frequência para a internet móvel. Para se ter uma ideia dos desafios da implantação do novo sistema, o leilão realizado em junho, para a faixa de 2,5 Mhz, foi feito para disponibilizar o sistema 3G onde ainda não há cobertura e também para o incremento da telefonia móvel rural. No mundo, a faixa de 700 Mhz é a mais utilizada pelos sistemas de telefonia no sistema 4G. Já a faixa 2,5 Mhz corresponde a 18,3% dos usuários.

É a primeira geração de celulares, possibilitando a comunicação entre telefones móveis. Foi implantada na déca1G da de 1980, operando com serviço de telefonia móvel análogo (AMPS) e aparelhos grandes (tijolão). Surgiu em 1991, a partir do uso do sistema D-AMPS (digital), baseado em pequenos pulsos elétricos. Marcou o início da era das mensagens de texto e a diminuição no tamanho dos aparelhos. Permitiu acesso pleno à internet, a partir de 2001, e hoje oferece serviços com velocidade de até 10 Mbps. Possibilita navegação na internet, downloads e acesso a conteúdo multimídia. Ainda é o formato mais utilizado no mundo.

2G

3G

Permite atingir velocidade de até 100Mbps, ou seja, 10 vezes mais do que o 3G. Na práti4G ca, significa capacidade de recepção mais rápida, permitindo o uso de aplicativos mais pesados, bem como incremento na segurança dos dados.

.com A Mãe Aparecida mais perto de você


EXEMPLOS

Jornal Santuário de Aparecida • 12 DE OUTUBRO DE 2012

11

SANTIDADE | JOÃO D’ÁVILA E HILDEGARDA DE BINGEN FORAM INCLUÍDOS NA LISTA POR BENTO XVI

Saiba mais sobre a vida dos novos Doutores da Igreja O Papa Bento XVI proclamou como Doutores da Igreja os santos João d’Ávila, sacerdote espanhol diocesano, e Hildegarda de Bingen, monja alemã da Ordem de São Bento. O anúncio aconteceu antes da Missa que deu início ao Sínodo para a Nova Evangelização, que acontece no Vaticano até o dia 28. “São João de Ávila viveu no século 16. Profundo conhecedor das Sagradas Escrituras, era dotado de um ardente espírito missionário. Soube adentrar, com uma profundidade particular, nos mistérios da Redenção operada por Cristo para a humanidade. Homem de Deus, unia a oração constante à atividade apostólica”, explica. Já santa Hildegarda de Bingen é apresentada por Bento 12 como importante figura feminina do século XII. “Ofereceu a sua valiosa contribuição para o crescimento da Igreja do seu tempo, valorizando os dons recebidos de Deus e mostrando-se uma mulher de grande inteligência, sensibilidade profunda e de reconhecida autoridade espiritual. O Senhor dotou-a com um espírito profético e de fervorosa capacidade de discernir os sinais dos tempos.”

Santa Hildegarda de Bingen *

São João d’Ávila *

São João nasceu em 1499 ou 1500 e faleceu em 1569. Ele dedicou sua vida à oração e ao estudo, a pregar a pequenos e grandes, clérigos e leigos, tornando a Palavra de Deus compreensível aos sábios e aos ignorantes. Deixou uma série de tratados de espiritualidade, sermões, conversações e

Reprodução

Hildegarda nasceu em 1098 e faleceu em 1179. Ela é considerada uma das figuras mais extraordinárias da ciência humana europeia. Foi definida inclusive como a mulher mais inteligente da Idade Média. De nenhuma mulher medieval foram transmitidos tantos testemunhos literários. No centro do pensamento teológico e espiritual da santa está a criação, no sentido de que Deus, pelo seu amor incomparável à existência criadora, quis pôr o homem no centro da Criação. Para falar sobre a união característica de toda a criação, Hildegarda usa com frequência o termo sinfonia, principalmente nas poesias e nos seus cânticos. Ela não tem dúvidas quando afirma que Deus criou o mundo como mundo bom. Logo, tudo depende da conversão do homem. * Texto baseado na apresentação do bispo de Mainz, cardeal Karl Lehmann

Reprodução / Miniatur aus dem Rupertsberger Codex des Liber Scivias

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

Criação é centro do pensamento teológico e espiritual de santa Hildegarda

São João era criativo na escolha dos instrumentos adequados à mensagem que desejava transmitir

cartas. Em todas as suas obras se pode apreciar a metodologia rigorosa nos conteúdos e nas citações bíblicas, patrísticas e conciliares, ao lado de um raciocínio metódico e coerente e de um estilo cheios de comparações pedagógicas. Era muito criativo na escolha dos instrumentos adequados à mensagem que desejava transmitir. Por exemplo, escreveu um catecismo em versos que podia ser cantado, de tal maneira

que as crianças o aprendessem facilmente e com prazer. Ouvindo as crianças, também os adultos podiam aprender. Sua teologia estava próxima da vida e respondia às questões da época, fazendo-o de modo didático e compreensível. * Texto baseado na apresentação do arcebispo de Madri e presidente da Conferência Episcopal espanhola, cardeal Antonio María Rouco Varela


Fique Ligado Missas Segunda a sexta: 7h – 9h (TV) – 10h30 – 12h - 16h Sábado: 6h30 – 9h (TV) – 10h30 – 12h – 16h – 18h (TV) Domingo: 5h30 – 8h (TV) – 10h – 12h – 14h – 16h – 18h (TV) Bênçãos (ao final de todas as missas) Confissões Segunda a sexta: 7h30 às 11h – 14h às 16h Sábado: 6h30 às 11h15 – 13h30 às 16h45 Domingo: 6h30 às 11h15 – 13h30 às 16h Batismo Segunda a sexta: 10h e 15h Sábado: 9h – 10h – 11h – 14h – 15h Domingo: 8h – 9h – 10h – 11h – 14h – 15h Piedade popular Consagração a Nossa Senhora Segunda a sexta: 11h45 (TV e Rádio) e 15h – Sábado: 15h Hora Mariana (Terço) – Segunda a sábado: 14h Novena Perpétua – Quarta: 15h15 e 19h30 Novena de Aparecida Segunda a sábado: 10h – Domingo: 9h Procissão Eucarística – Quinta: 10h Procissão Luminosa do Terço – Sábado: 19h Procissão Mariana – Domingo: 6h30 Encontros especiais Coordenadores de Romarias: Sábado: após missa das 9h Domingo: após missa das 8h Local: Sala dos Coordenadores de Romarias (ao lado da Sala de Confissões) Plantão religioso Segunda a sexta: das 17h às 18h Telefone para informações: (12) 3104 1000 Horários de missa - Matriz Basílica Segunda, quarta e quinta: 7h – 18h (TV) Terça: 7h – 16h (missa dos doentes) – 18h (TV) Sexta: 7h – 18h (TV) – 19h30 Sábado: 15h – 19h Domingo: 19h30 Bênçãos (ao final de todas as missas) Telefone para informações: (12) 3105 1517

``


#

4a

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE outubro de 2012

J O R N A L LITURGIA

MARIA

1a

ano 111 • nº 5.614 • 12 de outubro DE 2012

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 1º DE MAIO de 2011

Devoção a Maria sustenta a identidade cristã (PADRE ANTONIO CLAYTON SANT’ANNA, C.Ss.R. *)

* Diretor da Academia Marial de Aparecida

sUPLEMENTO LITÚRGICO-PASTORAL

D E

A PA R E C I D A 18.11.2012 – Ano B

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM “O céu e a terra passarão, mas minhas palavras não passarão!” PRIMEIRA LEITURA (Dn 12,1-3) Leitura da Profecia de Daniel: 1 “Naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, defensor dos filhos de teu povo; e será um tempo de angústia, como nunca houve até então, desde que começaram a existir nações. Mas, nesse tempo, teu povo será salvo, todos os que se acharem inscritos no Livro. 2 Muitos dos que dormem no pó da terra despertarão, uns para a vida eterna, outros para o opróbrio eterno. 3 Mas os que tiverem sido sábios brilharão como o firmamento; e os que tiverem ensinado a muitos homens os caminhos da virtude brilharão como as estrelas, por toda a eternidade. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus! SALMO RESPONSORIAL (Sl 15) — Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! — Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! — Ó Senhor, sois minha herança e minha taça,/ meu destino está seguro em vossas mãos!/ Tenho sempre o Senhor ante meus olhos,/ pois se o tenho a meu lado não vacilo. — Eis porque meu coração está em festa,/ minha alma rejubila de alegria,/ e até meu corpo no repouso está tranquilo;/ pois não haveis de me deixar entregue à morte,/ nem vosso amigo conhecer a corrupção. — Vós me ensinais vosso caminho para a vida;/ junto a vós, felicidade sem limites,/ delícia eterna e alegria ao vosso lado!

Marco Funchal

cumpririam as promessas de Deus sobre a vinda do Messias! Entre esse tipo de pessoas estava Maria, possuída por uma total entrega a Deus, denominada pelos estudiosos da Bíblia como a pobre de Javé. Maria viveu bem no centro do mistério de Jesus. Mesmo não entendendo logo tudo o que se passava com ela desde a encarnação, acolheu e entregou-se totalmente ao querer de Deus. Naquele momento de sua vida, a jovem donzela de Nazaré identificou-se plenamente com Jesus. Esperou mais que todos. Ela assumiu a identidade com Jesus antes mesmo da gravidez. Ela o concebeu primeiro no coração e depois no corpo. Que nós saibamos sustentar nossa fé em Jesus por meio da devoção correta a Maria!

Reprodução

No Evangelho, reflete-se a personalidade bíblica de Maria em sua identidade com Jesus. Já como mãe biológica ela é a pessoa mais próxima dele. É apresentada depois como aquela que acreditou, a mulher em quem a identidade se confundia com a fé e, por isso, colaboradora incondicional da salvação messiânica. A história cristã nos leva à nossa raiz: a origem, a formação e o desenvolvimento da Igreja. É Jesus, o Verbo que do seio da Trindade desce ao seio virginal de Maria de Nazaré. A pedagogia misteriosa de Deus em sua intervenção amorosa na história preparou a encarnação. Deus revelou-se a Abraão (Gênesis, caps. 17 a 25) e convidou-o a uma Aliança que lhe daria uma numerosa descendência. Essa aliança reuniu 12 tribos nômades, que depois foram escravizadas no Egito. Libertado da escravidão e liderado por Moisés, esse povo recebeu a promulgação da Aliança em 10 mandamentos (Êxodo, capítulos 20; 24; 34). No curso de sua história, porém, interesses políticos e ambições de poder prevaleceram sobre a fidelidade a Deus. Então, fiel a si mesmo, o Senhor fez brotar sua aliança como um rebento novo de um tronco seco. O profeta Isaías, 700 anos antes de Maria, descreveu assim a origem davídica do Messias-Salvador: “Do tronco de Jessé sairá um ramo, um broto surgirá de suas raízes. Repousará sobre ele o Espírito de Javé” (Is 11,1-2). Jessé foi o pai do rei Davi. Na Palestina do tempo de Maria, era intensa a expectativa pelo Messias, o salvador prometido por Deus por meio dos profetas. No tempo messiânico vindouro, todos gozariam da paz e da justiça, do progresso material e espiritual. A promessa da vinda do Messias sustentava no povo o desejo de restabelecer a aliança com Deus mediante uma vida santa. Mas, o nacionalismo de raça e nação, os privilégios das classes abastadas, o esquema corrompido de reis e elites sociais penalizando os mais pobres se infiltrava na organização do país e esvaziava na expectativa messiânica o caráter de conversão para Deus. Por outro lado, havia muita gente piedosa, confiante na Palavra de Deus. Em geral, pessoas mais pobres e, por isso mesmo, abertas ao desejo da justiça messiânica: um dia se


#

2a

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 de outubro de 2012

LITURGIA

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 de OUTUBRO de 2012

3a

REFLETINDO A PALAVRA SEGUNDA LEITURA (Hb 10,11-14.18) Leitura da Carta aos Hebreus: 11 Todo sacerdote se apresenta diariamente para celebrar o culto, oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, incapazes de apagar os pecados. 12 Cristo, ao contrário, depois de ter oferecido um sacrifício único pelos pecados, sentou-se para sempre à direita de Deus. 13 Não lhe resta mais senão esperar até que seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. 14 De fato, com esta única oferenda, levou à perfeição definitiva os que ele santifica. 18 Ora, onde existe o perdão, já não se faz oferenda pelo pecado. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus! EVANGELHO (Mc 13,24-32) — O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos. — Glória a vós, Senhor! Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: 24 “Naqueles dias, depois da grande tribulação, o sol vai se escurecer, e a lua não brilhará mais, 25as estrelas começarão a cair do céu e as forças do céu serão abaladas. 26 Então vereis o Filho do Homem vindo nas nuvens com grande poder e glória. 27Ele enviará os anjos aos quatro cantos da terra e reunirá os eleitos de Deus, de uma extremidade à outra da terra. 28 Aprendei, pois, da figueira esta parábola: quando seus ramos ficam verdes e as folhas começam a brotar, sabeis que o verão está perto. 29Assim também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Filho do Homem está próximo, às portas. 30 Em verdade vos digo, esta geração não passará até que tudo isto aconteça. 31O céu

e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão. 32Quanto àquele dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor! ORAÇÃO DA COMUNIDADE — Como homens e mulheres proclamadores da esperança, confiantes apresentemos ao Senhor da vida as nossas orações, na certeza de que Ele nos escuta e acolhe. 1. PELA SANTA Igreja de Deus, para que anuncie a esperança de uma terra renovada, na qual toda lágrima será enxugada e onde Deus reinará sobre tudo e sobre todos, rezemos. — Senhor, escutai nossa prece. 2. PARA QUE, sempre alimentados pela Palavra de Deus, procuremos depositar toda a nossa confiança e esperança nos bens eternos, rezemos. 3. PARA QUE a certeza da vida eterna nos leve a um compromisso cada vez mais sólido na promoção da justiça e na defesa da vida, rezemos. 4. PARA QUE nossa comunidade cresça cada vez mais na fé e no amor e que por nossa evangelização testemunhemos a misericórdia de Cristo pelos pequenos, rezemos. (Intenções próprias da comunidade.) — Pai santo, mantende viva em nós a esperança, para que possamos chegar a vossa casa e tomar posse do lugar que nos foi preparado por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. — Amém. LEITURAS DA SEMANA: SEGUNDA: Ap 1,1-4; 2,1-5a / Sl 1 / Lc 18,3543. TERÇA: Ap 3,1-6.14-22 / Sl 14 / Lc 19,1-10. QUARTA: Apresentação de N. Senhora Zc 2,14-17 / Ct Lc 1 / Mt 12,4650. QUINTA: Ap 5,1-10 / Sl 149 / Lc 19,41-44. SEXTA: Ap 10,8-11 / Sl 118 / Lc 19,45-48. SÁBADO: Ap 11,4-12 / Sl 143 / Lc 20,27-40. DOMINGO: Cristo Rei: Dn 7,13-14 / Sl 92 / Ap 1,5-8 / Jo 18,33b-37.

(PADRE MARCELO CONCEIÇÃO ARAÚJO, C.Ss.R.)

Pela fé, alimentamos a esperança! Um olhar trágico sobre a realidade pode nos apontar situações que, aparentemente, sejam insolúveis. Por essa razão, o chamado realismo da razão humana pode criar, de fato, situações sem saída. No entanto, indo além da razão humana, a fé coloca-se no horizonte da esperança. Mesmo diante de situações e realidades consideradas intransponíveis, no horizonte de Deus sempre haverá saídas para os problemas e misérias humanas. Um Tempo de Esperança O livro de Daniel insere-se na chamada Literatura Apocalíptica do Primeiro Testamento. Sob o domínio dos gregos, o povo sofria pela exploração econômico-social e pela destruição progressiva de suas tradições religiosas e culturais. Esse ambiente fomentava o desânimo no espírito do povo (dormir no pó). Sem cair na ingenuidade, o profeta constata o acirramento da situação de sofrimento. No entanto, não o faz para prostrar o povo diante de seus dominadores. A partir do horizonte da fé, o profeta incita o povo à perseverança, afirmando a realização da justiça. Já encontramos aqui uma referência à ressurreição: vida eterna. Discernir a Vontade de Deus Em linguagem também apocalíptica, Jesus descreve o dia do julgamento e convida os discípulos a ler os sinais dos tempos. Provavelmente escrito em fins do século I, ocasião em que ocorreram os grandes conflitos que

levaram ao fim da Palestina, o Evangelho de Marcos descreve essa realidade, de forma simbólica, através de imagens dos desastres naturais. O juízo divino não é descrito de forma negativa como condenação aos malvados. O objetivo fundamental do julgamento é reunir em Cristo todos os filhos de Deus, que estavam dispersos. A palavra de Deus, que permanece, constitui o critério de discernimento. Saber ler os sinais dos tempos significa estar em contínuo espírito de discernimento, para saber o que Deus nos pede nas diferentes situações, e buscar realizá-lo nas práticas da vida. Quem faz a vontade de Deus já sabe qual o seu futuro, não precisa preocupar-se com o dia ou a hora, porque o juízo de Deus lhe será salvação. A Serviço da Esperança A Carta aos Hebreus, falando do sacerdócio de Cristo, coloca nele a encarnação da misericórdia divina. É o sacerdócio perfeito, porque não oferece vítimas, mas entrega a si mesmo como redenção. O Cristianismo prima-se pela esperança, porque em Jesus vê realizado o plano de salvação de Deus. Abertos às realidades nas quais se fazem presentes, os cristãos são chamados a dar as razões de sua esperança. Não se iludem com as maldades ou os desvios humanos, mas em atitude de misericórdia, manifestam o amor de Deus para com todos, convidando toda a humanidade à vivência e prática da justiça como sinal do acolhimento de Cristo e de sua palavra.

GENTE SANTA (PADRE EUGÊNIO ANTÔNIO BISINOTO, C.Ss.R.)

Nossa Senhora da Conceição Aparecida A solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é celebrada no dia 12 de outubro. É considerada a padroeira principal do Brasil. Na segunda quinzena de outubro de 1717, a imagem de Nossa Senhora de Conceição foi encontrada por João Alves, Domingos Garcia e Felipe Pedroso, no Porto Itaguaçu, no rio Paraíba do Sul, Aparecida (SP). Acharam primeiro o corpo e, depois, a cabeça da imagem. O povo deu à imagem o nome de Aparecida para indicar as circunstâncias misteriosas de seu encontro. Felipe Pedroso levou a imagem para sua casa. Ele mesmo, juntando a cabeça ao corpo, colou a imagem com cera preta. Depois colocou-a num pequeno altar, em sua casa. Sua

família e vizinhos iniciaram o culto familiar diante da imagem. Todos os sábados os primeiros devotos se reuniam para rezar o terço e cantar as ladainhas. Em 1733, Felipe Pedroso foi residir no Porto Itaguaçu. Lá entregou a imagem ao filho Atanásio Pedroso. Este construiu um pequeno oratório para Nossa Senhora, no próprio Porto Itaguaçu, à beira da estrada, por onde transitavam muitos viajantes. O culto mariano extrapolou os limites locais, propagando-se para outras regiões. Aos 26 de julho de 1745 foi inaugurada a primeira capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Em 24 de junho de 1888, um novo templo bem maior foi inaugurado.

Aos 8 de setembro de 1904, por ordem do Papa Pio X, a imagem foi solenemente coroada. Em 1908, foi concedido ao Santuário o título de Basílica Menor. Em 16 de julho de 1930, o Papa Pio XI declarou e proclamou Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil. Em 5 de março de 1967, o Papa Paulo VI ofereceu-lhe a Rosa de Ouro. Em 1980, o Papa João Paulo II consagrou a nova igreja construída e concedeu-lhe o título de Basílica Menor. Em 1984 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil a elevou a Santuário Nacional. Hoje é um grande centro mariano de evangelização.


ARTIGOS

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 12 DE OUTUBRO DE 2012

FÉ EM QUESTÃO (PADRE CIDO PEREIRA)

“A religião hinduísta, que tem mais de 10 mil anos, prega a reencarnação. Nós ouvimos em um programa evangélico um pastor dizer que o catolicismo também pregava a reencarnação e que essa crença foi abolida depois. O senhor poderia explicar isso?” (Anselmo e Paulo, São Paulo – SP) Vamos entender, meus amigos, o que significa reencarnação. Reencarnação é a transmigração da alma. É a crença de que a alma passe, após a morte, para um outro corpo. Os gregos acreditavam nisso. A Bíblia não fala de reencarnação e Santo Agostinho condenou a reencarnação. A Igreja condenou a reencarnação no Concílio de Lion, em 1274. A Igreja nunca professou a reencarnação. Houve sim, alguns autores cristãos como Orígenes, de Alexandria, que professou a pré-existência das almas e a reencarnação. Um sínodo realizado em 543 condenou essas teses todas.

ave maria 26x18 jornal santuario.indd 1

Qual é então a verdade que a Igreja Católica ensina? É a da ressurreição do mortos. A ressurreição, que acontecerá nos últimos dias, no final dos tempos, é a mesma que aconteceu com Jesus. Ele, três dias após sua morte, não se reencarnou em outro corpo. Ressuscitou, isto é, voltou ao mesmo corpo que tinha antes de morrer. E nós ressuscitaremos também, voltaremos ao nosso corpo, que será glorioso como o de Jesus ressuscitado. Alguns pastores evangélicos, meus irmãos queridos, muitas vezes estão mais preocupados em destruir a Igreja Católica do que em anunciar o Evangelho de Jesus. A tese que eles sustentam de que só crescerão se nossa Igreja diminuir faz com que inventem bobagens ou pintem mentiras com jeito de verdade. Isso é bom para nós. Significa que nossa Igreja os incomoda. Nós, em vez de brigarmos, fiquemos com as verdades de nossa fé, verdades colhidas na Sagrada Escritura. Anselmo e Paulo, Deus abençoe vocês dois.

13

PERGUNTAS A UM PSICANALISTA (ROBERTO GIROLA)

“Eu era uma pessoa pacífica e agora sou a favor da pena de morte. Chego a me surpreender com os pensamentos agressivos que tenho. Estou errado?”

Agressividade: um sinal dos tempos A agressividade não é necessariamente um sentimento ruim. Nossa mente precisa dela para se defender de situações que apresentam perigo e para empreender determinadas ações no mundo real, evitando um recuo que nos levaria a uma submissão passiva ao ambiente. Mantida essa premissa, não podemos deixar de notar que comportamentos agressivos e um clima generalizado de violência pairam no ar. O trânsito é um exemplo disso, apesar das campanhas para sensibilizar o motorista em favor de uma direção mais gentil e criteriosa. Mas as agressões não param por aí. Situações de bullying são cada vez mais comuns tanto no ambiente de trabalho quanto na escola e na universidade. Podemos falar de uma escalada geral da violência que está se manifestando em ambientes e situações os mais diferentes.

A causa desse fenômeno não é apenas a indignação devido à corrupção generalizada e ao desmando. Psicanalistas e psiquiatras apontam para um enfraquecimento geral do mecanismo psíquico do recalque, devido ao colapso da noção simbólica de lei e de autoridade (a função paterna). Traduzindo em termos mais simples, isso significa que o inconsciente está solto: estamos à mercê de seus impulsos. Como a vida instintiva de nosso psiquismo não é apenas dominada por Eros (o instinto erótico), mas também por Tânatos (o instinto de morte), as consequências são cada vez mais claras: esvaziamento da estrutura desejante pela inflação do desejo e irrupção dos instintos de morte por meio da agressividade e da violência. O risco é a volta à barbárie: por um lado, a dificuldade de aceitar o limite e a lei; por outro, reativamente, uma lei que se impõe de forma arbitrária, como nos casos recentes de violência policial.

26/09/2012 16:48:27



Jornal Santuário de Aparecida [Ed. 5614 - 12 out 2012]