Page 1

J O R N A L

ANO 111 • Nº 5.607 • 26 DE AGOSTO DE 2012 • WWW.JORNALSANTUARIO.COM.BR

Confira detalhes sobre o Hotel Rainha do Brasil

D E

A PA R E C I D A

Pág. 5

Reprodução

CRIATIVIDADE Inovações constroem futuro sustentável e dinâmico Pág. 9

sosnexcare

Câncer:

boas e más notícias O câncer é a segunda doença que mais mata em todo o mundo. Até 2030, será a primeira. Apesar da progressão no número de casos, cada vez mais os avanços da medicina aproximam os pacientes da cura e melhoram a qualidade de vida durante o tratamento.

Ciber-religião é tema de pesquisa de historiador

Pág. 3

CIDADANIA

SE LIGA AÍ

Pág. 4

Pág. 10

sxc.hu

FÉ EM ESTUDO

Eduardo Gois / JS

Reprodução

Págs. 6 e 7

Centro de Assistência Social Redentorista é inaugurado em Potim

Maus hábitos afetam qualidade do sono em jovens e adolescentes


2

Da Redação

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE agosto de 2012

.: Editorial

.: Espaço do leitor

Esta edição do JS reflete todo o esforço de nossa equipe por cumprir a missão de trazer até você as principais discussões e problemáticas que dizem respeito ao seu dia a dia e também ao futuro do planeta. O editor, Leonardo Meira, apresenta algumas inovações que prometem ajudar na construção de um futuro sustentável e mais dinâmico. Há uma série de pesquisas que buscam produzir materiais e disponibilizar serviços que conjuguem crescimento e cuidado com os recursos naturais (pág. 9). A repórter Deniele Simões preparou uma reportagem especial que traz as principais notícias, boas e ruins, relacionadas ao câncer. Até 2030, a doença deve ocupar a primeira posição no ranking das que mais matam em todo o mundo. Mas isso não deve ser motivo para pânico, pois o aumento do número de casos também é reflexo de métodos mais eficazes de diagnóstico. Além disso, cada vez mais alternativas que aumentam as chances de qualidade de vida e cura dos pacientes são desenvolvidas (págs. 6 e 7). O modo como a fé é vivida no mundo digital é explorado em uma entrevista “ping-pong” com o historiador Jorge Miklos, autor do livro Ciber-religião – A construção de vínculos religiosos na cibercultura, lançamento da Editora Idéias & Letras (pág. 3). O repórter Eduardo Gois aborda um problema muito comum no mundo contemporâneo: a falta de sono. O problema afeta especialmente os jovens, devido aos maus hábitos próprios dessa fase da vida (pág. 10). A inauguração de mais um Centro de Assistência Social sob os cuidados dos missionários redentoristas da Província de São Paulo garante cidadania aos moradores de Potim (SP). Você confere as novas instalações e também a estrutura totalmente adaptada do local (pág. 4).

“Parabenizo vocês, que fazem esse belo jornal. Sou assinante e me sinto feliz em fazer parte desse belo meio de evangelização.”

ISSN - 1980-3192

Servizio

Informazione

Focolari

Servizio Informazione Focolari

a .: TESTEMUNHO Confira gramação UNHO proescreve Casal .: TESTEM efira a ana ão meditações da Sem da rev on Casal escC s daramaç Santa para o Via-Sacra prog mana O meditaçõe ao parSe UNH Papa -Sacra da EM Via 5 a nt ST e Sa .: TE escrev Papa da al as es C itaçõ ra o 3 3 med acra pa Via-S pa Pa 3

Serv

izio

Infor

maz

ione

Foco

lari

J O R N A L A L J O R N

Conte sua história, fale sobre sua devoção a Nossa Senhora e comente as matérias que você lê todas as semanas aqui no jornal. Escreva sua carta, mande seu e-mail, entre em contato por telefone ou por meio de nossas redes sociais. Estamos esperando sua participação!

facebook.com/ jornalsantuario

twitter.com/ santuariojornal

Deniele

teve com

reuniu mais de 200 leigos e religiosos no Santuário Nacional. O evento, promovido pela Academia Marial, teve como foco a intercessão mariana.

A AÍ

4

Notícias da Igreja, debates, fatos relevantes do Brasil, do mundo e muito mais.

ASSINE AGORA

9

9

4

9

@Catecismo Jovem evangeliza nas redes sociais

ão oduç Repr

6e7

10 ção Reprodu

ão oduç Repr

ção Reprodu

Pr geliz Evan ecismo at de @C jeto Pro m ção nas Jove liza liza Evange SEge LIGAcioAÍ ais evan cism so @Create des Jovem nas ngelizade eva Projeto es sociais red Evangelização

10

0800 16 00 04

www.editorasantuario.com.br

Reprodução

Divu

lgaçã

o

ão Divulgaç

Divulgação

4

Reprodução

ri M a o no da ca visit ri Papa “pereg o com M

Assinatura anual: R$ 81,00 (parcelados em até 3x) Semestral: R$ 50,00 (parcelados em até 2x) Nº avulso: R$ 2,00

AÍ de SEojLIGA eto ação

DES VIDA ADES NOVID NO

NOVIDADES itas Cár vas Cáreitas Reede no Red ass coelhnovde es olh esc da rides RedeioCáritas prioprrida ra onovas escolhe io parapao adriên 5 prioridades qu nio quadriê12-201 20 para2-2 015 o 201 quadriênio 2012-2015

DIAGRAMAÇÃO: Mauricio Pereira Rafael Felix Simone Godoy

Ligue agora e ganhe 10% de desconto na assinatura do jornal, e também de brinde o livro “Peregrinos na à casa casadedeMaria". Maria.

6e7

SE LIG

MISSIONÁRIO ÁRIO

REDAÇÃO: Deniele Simões (MTB 26435/SP) Eduardo Gois (MTB 57928/SP)

Centro – Aparecida (SP) Cx. Postal 4 – 12.570-000

e receba toda semana o Jornal Santuário em sua casa!

7 6e

MISSION

Jornal www.jornalsantuario.com.br Santuário de Aparecida jornalsantuario@ Rua Pe. Claro Monteiro, 342 editorasantuario.com.br

5

D E A PA R E C I D A

a Papa visita o México e eCub Cuba a Mé O xico o RI de” taNÁ Cub como a visi “peregrino dacar o eida dade” caridade” Pap ISSIOregrino da éxic como “pe

EDITOR: Leonardo Meira - MTB 14261/RS REVISão: Ana Lúcia de C. Leite Lessandra Muniz de Carvalho Camila de Castro Sanches dos Santos

Redação (12) 3104.2019 Assinaturas (12) 3104.2057 0800 16 00 04

5

.BR R ARIO.COM ais de l. LSA M.BNTU ANO 111 • Nº 5.586 • 1º DE ABRIL iu m na RNA 2012 • WWW.JORNALSANTUARIO.COM.BR O.CO WWW.JO DE reun Nacio l, 2012 • NTUARI SA ABRIL DE lógico ntuário Maria niu mais de ario ia co reu 6 • 1º DE RNAL • Nº 5.58 W.JO demógina cional. so M s no SaAMa . ANO 111 • WW gres ligiosogre sso cariol ia Santuário Na rial, arno Con o pela gio Con O 2012 m VI re I sos ia Ma o V e DE L O os ovid essã osteercreli a Academ ABRI leig 0 leig , 200 prom in , promovido pel o mariana. 1º DE 20 a • to 6 en co nto rcessã O VI 5.58 inteCongresso Mariológico O ev comoOfoeve • Nº o foco a

teve

* a opção “Conscientização da população em geral” não obteve nenhum voto. Curta você também a nossa página no Facebook e participe das enquetes.

.: Contatos

CONSELHO EDITORIAL: Pe. Jorge P. S. Sampaio, C.Ss.R. Pe. José Uilson Inácio Soares Júnior, C.Ss.R.

Deniele Simões /JS

Simões

/JS

/JS ões Sim iele Den

111

14,28% – Vontade política

Confira a programação da Semana Santa

! ! SNÓS! ROGPAI ÓNSÓ ORPOR ROGIAPIOR N A ROG

ANO

85,71% – Investimentos maiores em pesquisa

Entre você também em contato com a Redação do JS!

Diretor-Geral: Pe. Marcelo Conceição Araújo, C.Ss.R.

A I D E C C I D A A R A P E A PA R E D D E

AL RN JO

Sustentabilidade e inovação são duas palavras que estão em nosso dia a dia. O que você acha que é preciso para que soluções que contemplem o desenvolvimento e o bem-estar do planeta passem a fazer parte do nosso cotidiano? Confira o resultado:

Boa leitura!

O Jornal Santuário de Aparecida é uma publicação semanal dos Missionários Redentoristas

O JS perguntou aos curtidores de nossa página no Facebook:

Reprodução

Aprofundamento

.: Expediente

ENQUETE

O leitor Sabino Antonio da Silva entrou em contato com o JS por meio do Facebook e nos deixou a seguinte mensagem:

10

Assinatura semestral 2x de R$ 25,00 no cartão ou no boleto. Assinatura anual R$ 81,00 nas mesmas condições. Preços válidos até dezembro de 2012.


OPINIÃO / DEBATE

Jornal Santuário de Aparecida • 26 DE Agosto DE 2012

3

FÉ ON-LINE | LANÇAMENTO DA IDÉIAS & LETRAS ANALISA FENÔMENO DA CIBER-RELIGIÃO

Manifestações religiosas invadem ciberespaço O fenômeno da midiatização do sagrado está cada vez mais presente nos meios de comunicação. Essa realidade começa agora a se manifestar também nas mídias digitais, com destaque para as redes sociais, sites, blogs e afins, que formam o chamado ciberespaço. Foi atento a essas transformações que o historiador Jorge Miklos fundamentou sua tese de doutorado em comunicação e semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC). A pesquisa deu origem ao livro Ciber-religião – A construção de vínculos religiosos na cibercultura. A obra acaba de sair do forno e será lançada pela Editora Idéias & Letras no início de setembro. Com exclusividade, Miklos fala ao JS sobre os aspectos abordados no livro, explicando o significado de expressões como ciber-religião, ciberperegrinação, virtualização da fé e a implicação de mudanças relacionadas a elas na vida social e religiosa. Jornal Santuário de Aparecida – Como surgiu a ideia de escrever sobre o tema e quais são os propósitos da obra? Jorge Miklos – A ideia surgiu quando eu comecei a perceber um maior protagonismo das religiões, das Igrejas nas mídias – no rádio, na televisão e na internet. E também surgiu a ideia de perceber em que circunstâncias essa contaminação dos formatos midiáticos poderia alterar ou não determinados tipos de experiências religiosas. Um caso emblemático foi quando eu comecei a perceber que as missas transmitidas pela televisão foram migrando aos poucos para a internet. O propósito do livro, na verdade, é fazer uma análise acerca dessas experiências religiosas no contexto da cibercultura, ou seja, da internet.

Essas experiências deslocam-se do campo físico, do espaço tradicional propriamente conhecido, para o campo do ciberespaço, que constrói uma nova modalidade do real, que é o virtual. JS – Quais são as principais alterações sofridas pelas experiências religiosas quando migram para o ciberespaço? Miklos – São muitas. Na verdade, nós estamos vivendo, não só no campo religioso, mas no campo social, muitas mudanças na vida social, no cotidiano, por conta desse alargamento do ciberespaço. Eu acredito que uma delas é o que muitos especialistas chamam também de desmaterialização, ou seja, aquilo que antes possuía uma realidade física, sensível a nosso sentido, agora se desmaterializa, passa a ser uma experiência cujo suporte físico não é mais determinante. Como o espaço e o tempo são fundamentais para a experiência do sagrado, parece-me que as experiências e os vínculos religiosos no ciberespaço alteram profundamente essas realidades. Agora o corpo não precisa mais estar presente no templo, na peregrinação. O corpo agora passa a ser sacrificado na experiência do ciberespaço. JS – Será que a ciber-religião não pode provocar certo distanciamento do corpo e dos espaços materiais, tão necessários à experiência religiosa e à comunicação? Miklos – Sem dúvida. O uso das novas tecnologias comunicacionais provoca mudanças no comportamento

Miklos aponta mudança nas manifestações de fé, mas não crise religiosa

das pessoas. Mas isso não acontece só na religião. Está ocorrendo na educação, no mundo do trabalho e em todos os campos da vida social. Na minha pesquisa, eu concluo, como resultado disso, que está acontecendo sim uma mudança na experiência religiosa, em que o corpo, que antes era fundamental para essa experiência com o sagrado, com o divino, passa agora a ser descartado, na medida em que eu consigo acessar o divino pela internet. O que não significa, em hipótese alguma, que está acontecendo uma crise de fé, ou uma crise das religiões. Não é essa a questão. A fé continua forte, sobretudo no campo da vida social. Porém, o que se altera é a experiência dessa fé. A experiência social religiosa. JS – A ciberperegrinação é outro aspecto abordado no livro. Essa prática não tiraria todo o sentido da peregrinação original, que está intimamente relacionada à história da Igreja e das devoções? Miklos – O último capítulo do meu livro é exatamente sobre o que eu chamo de ciberperegrinação, ou seja, a

JS – O que é a ciber-religião e quais são as principais experiências que se podem destacar dessa nova modalidade de conexão com o divino? Miklos – A ciber-religião resume-se a experiências religiosas que ocorrem no ciberespaço, nessa nova modalidade espacial que se construiu socialmente por conta da proliferação da cibercultura. É uma espécie de hibridação entre a técnica e o sagrado. As experiências religiosas que estão mais presentes hoje na ciber-religião são a vela e o terço virtual. Há também o velório e a peregrinação virtuais.

Arquivo Pessoal

Deniele Simões deniele.jornal@editorasantuario.com.br

Encomende seu exemplar pela central 0800 16 00 04

peregrinação no espaço virtual. Então, o Caminho de Santiago de Compostela, o Vaticano e o próprio Santuário de Aparecida são também acessíveis por esse meio. As pessoas têm acessado com muita frequência e tudo o que é novo causa certo estranhamento, sem dúvida. Penso que essas tecnologias vão alterar significativamente as experiências religiosas. Disso eu não tenho dúvida. Assim como elas já estão alterando as relações sociais. E isso tem-se tornado cada vez mais imperativo. Mas a história tem mostrado que a adesão da sociedade às novas tecnologias não descarta as antigas. Eu acredito que a ciberperegrinação não vai acabar com a peregrinação física, material, como a gente conhece tradicionalmente. As duas vão coexistir e obviamente haverá diferenças nítidas entre uma e outra experiência. JS – Que contribuições essa obra pode oferecer aos estudiosos de religião, comunicação, aos religiosos e ao público em geral? Miklos – Eu acredito que são pelo menos três. A primeira é tentar olhar para o fenômeno, que é complexo, por um eixo epistemológico interdisciplinar, tanto usando referenciais teóricos do campo da comunicação, da cultura e da cibercultura, quanto das ciências da religião. A outra é perceber também o fato de as Igrejas estarem usando as ferramentas comunicacionais e essas ferramentas estarem, de certa forma, permeando as experiências religiosas, de modo que fé e razão não são tão inconciliáveis como se costuma dizer. Outro ponto forte que eu destaco talvez seja o fato de a obra tentar mapear uma experiência que é a primeira pesquisa sobre a ciber-religião, especificamente. E eu espero que isso contribua para que outros pesquisadores possam, a partir daí, fazerem suas pesquisas, contestarem-me, se for o caso, e assim criarmos um debate acerca disso.


4

ATUALIDADES

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

REFERÊNCIA| AMPLIAÇÃO DE PROJETOS SERÁ PONTO FORTE EM NOVO CENTRO SOCIAL

Redentoristas inauguram novo espaço socioeducativo em Potim (SP) A Congregação do Santíssimo Redentor inaugurou o Centro de Assistência Social (CAS) São Geraldo, em Potim (SP), no dia 15 de agosto. O espaço conta com instalações modernas, que proporcionarão à população carente da cidade diversos atendimentos na área social, educativa e inclusiva. Os ambientes são atrativos e oferecem ótimas condições de acolhida ao público. O CAS inicia seus atendimentos com o mesmo grupo de cem crianças e adolescentes, de 6 a 18 anos, que já era beneficiado no prédio antigo. Com a ampliação do espaço, a meta é atingir um público de 150 pessoas até o fim do ano, e de 600 futuramente, de forma gradativa. Um dos pontos fortes é a possibilidade de ampliação no número de oficinas que já eram oferecidas no então Projeto São Geraldo, como informática, teatro, dança, corpo e expressão, culinária, artesanato, música e capoeira. O diretor da Pastoral de Assistência Social da Província Redentorista de São Paulo, padre Jadir Teixeira da Silva, disse que a inauguração do centro social é marcante não só por aquilo

que representa a instituição, mas pelo fato de a província caminhar convicta na direção da assistência social. “Cada vez mais estamos concretizando nossa responsabilidade social como entidade civil e religiosa”, afirma. Segundo ele, a realização do projeto é a concretização de um sonho da congregação. “A semente foi jogada e caiu em um terreno bom. O CAS São Geraldo será referência em assistência social. É uma obra de Deus totalmente voltada para o ser humano”, salienta padre Jadir.

O superior da província, padre Luís Batista Rodrigues, explica que a congregação é chamada a fazer um projeto de tal amplitude pelos ideais que carrega. “É um passo muito forte e significativo, um gesto de profetismo, pois sonhamos que um dia seja possível tornar realidade esses ideais e propósitos”, comenta. Segundo padre Luís, o mais importante é a esperança de que a obra possa fazer diferença na vida de muitas pessoas e que elas se sintam incentivadas a conquistar novos sonhos e realizações.

Da esquerda para direita: vista parcial de uma das salas do CAS; padre Jadir Teixeira e padre Luís Rodrigues

A coordenadora e assistente social responsável pelos projetos no CAS, Márcia Rodrigues dos Santos Castro, revela sua expectativa: “Queremos atender melhor e ampliar os trabalhos, trazendo mais dignidade e oferecendo cada vez mais atividades aos participantes”. O CAS São Geraldo inicia uma nova etapa. Ele assume a condição de referência para as outras sete unidades de atendimento social ligadas à congregação e as em parceria com outras associações. Também passa a despontar como um projeto único na região do Vale do Paraíba. Em 2013, será disponibilizada à população carente de Potim uma creche, e serão ampliados os atendimentos para os idosos, com cursos de inclusão digital e espaços de convivência da terceira idade. Fotos: Eduardo Gois/ JS

Eduardo Gois eduardo.jornal@editorasantuario.com.br

Curtas • Pastoral da Juventude realiza Encontro Nacional de Assessores. Acompanhamento juvenil em tempos de mudança é o tema. O encontro aconteceu de 16 a 19 de agosto no Centro de Acolhida Missionária Religiosas da Assunção, no Rio de Janeiro (RJ). Participaram mais de 100 assessores de todo o país. Saiba mais em www.pj.org.br • Obser vatório Social do Nordeste terá novas ações. A publicação de anais e de dois livros são as próximas iniciativas previstas, conforme o presidente do conselho superior do Observatório e arcebispo de Natal (RN), dom Jaime Vieira

Irmão Bento – Redentorista artista Irmão Bento (1837-1912), o missionário das artes sacras, chegou ao Brasil em setembro de 1897. Ele iniciou suas atividades artísticas com entalhes em madeira e pinturas.

Rocha. O observatório foi fundado em 2011 e busca prestar serviço e colaborar com a gestão pública, acompanhando e contribuindo com dados sobre controle social. • CNBB emite mensagem aos consagrados e consagradas do Brasil. “A vida consagrada é um dos rastos concretos que a Trindade deixa na história para que os seres humanos possam sentir o encanto e a saudade da beleza divina”. O texto pode ser lido na íntegra em http://bit.ly/js_msgvidaconsagrada2012 • Pastoral Vocacional lança site. A plataforma divulga atividades e notícias da pastoral nos regionais e dioceses, bem como disponibiliza materiais e

Em fevereiro de 1898, seu superior provincial bávaro, padre Antônio Schoepf, esteve em Aparecida (SP), quando lhe trouxe outras ferramentas úteis e necessárias ao seu trabalho. O padre Gebardo Wiggermann (1843-1920), em março daquele ano, notifica que o irmão continuava a esculpir imagens e que havia feito há pouco uma imagem de São Benedito. No triênio de 1898 a 1901, irmão

subsídios sobre o assunto. Confira em http://pastoralvocacional.cnbb.org.br • Itaici sedia 13º Congresso de Assistência Espiritual Hospitalar. O encontro acontece entre os dias 23 e 25 de outubro e conta com o apoio da arquidiocese de Campinas (SP) e do Centro Universitário São Camilo. O tema é Assistência espiritual em hospital hoje. Saiba mais em www.congressocampinas.com.br • Bispos nomeados entre agosto de 2011 e julho deste ano reuniram-se na CNBB. O encontro dos novos bispos aconteceu entre os dias 13 e 17 de agosto, em Brasília (DF). • Imagem de Nossa Senhora Aparecida visitará escolas de Apareci-

Bento foi professor de matemática e desenho no recém-fundado Seminário Redentorista Santo Afonso, em Aparecida. Ao findar o ano letivo de 1898, no mês de agosto, o irmão passou a se dedicar especialmente à confecção de imagens, devido às muitas encomendas. Ele já era então conhecido como o “irmão santeiro”. O genuíno artista percebe dimensões, profundidade, perspectivas e

da e Potim. As visitas começarão no mês de setembro, sempre conduzidas por um religioso do Santuário. O calendário das visitas ainda será definido e estará disponível no canal oficial da Festa da Padroeira. Confira em www.a12.com/padroeira • A visita de Bento XVI ao Líbano conta com site oficial. O Papa estará no país entre os dias 12 e 14 de setembro. As expectativas são muito grandes devido à situação dos cristãos na região e também ao quadro político atual. O Papa visitará as cidades de Beirute/Harissa, Baabda, Bzommar, Bkerké e Charfet. Saiba detalhes em www.lbpapalvisit.com

conjecturas onde comumente as pessoas não veem!

Confira a série completa de artigos. Acesse http://bit.ly/js_irmaobento * Os textos sobre a vida e a obra de irmão Bento são de responsabilidade da Comissão de Patrimônio Histórico da Província Redentorista de São Paulo


``


6

saúde

Jornal Santuário de Aparecida • 26 DE Agosto DE 2012

Tratamento | CASOS DA DOENÇA PROGRIDEM, MAS AVANÇOS DA MEDICINA APROXIMAM MAIS PACIENTES DA CURA

Charles Pádua recomenda hábitos saudáveis e vacina anti-HPV como formas de prevenção Pesquisa do Hospital do Câncer poderá determinar melhor forma de tratamento a partir da coleta de sangue Divulgação / Clinonco

O número de pessoas diagnosticadas com câncer no mundo todos os anos é 12,7 milhões. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) e apontam que, desse total, mais de 7,6 milhões são vítimas fatais da doença. Ainda de acordo com a OMS, a expectativa é que, até o ano de 2030, apareçam outros 26 milhões de novos casos de câncer e 17 milhões de pessoas morram em função da doença. “O câncer é a segunda principal causa de morte em todo o mundo, atrás apenas das doenças cardiovasculares”, aponta o médico oncologista da Clínica de Oncologia Médica (Clinonco), em São Paulo (SP), Ricardo Caponero. Para o oncologista, as expectativas com relação à doença não são as melhores e a previsão é que daqui a 18 anos o câncer passe a ocupar o primeiro posto entre as causas de morte no mundo. O Brasil acompanha as estatísticas e deverá ter 520 mil novos casos da doença neste ano, de acordo com projeção do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Mas, será que essas altas taxas são motivo para pânico? Claro que não. Afinal, embora os casos de câncer aumentem progressivamente, a ciência tem avançado na busca de soluções que proporcionem o diagnóstico precoce, chances de cura, além de incentivar a realização de procedimentos que impactem positivamente na qualidade de vida do paciente.

Ainda de acordo com Pádua, a nova droga pode mostrar-se mais eficaz e dispensar o uso da quimioterapia convencional no futuro, transformando-se em um importante recurso para pacientes em fase inicial da doença.

Prevenção ajuda e muito

Novas tecnologias

O Hospital do Câncer A.C. Camargo, referência na área de pesquisa, está investindo R$ 700 mil no desenvolvimento de um método que analisa os níveis de células tumorais circulantes, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O método possibilita que, por meio de uma simples coleta de sangue de pacientes com câncer, seja possível antever se determinado tipo de tratamento trará ou não a resposta mais eficaz para cada caso. Até o final da pesquisa, em 2014, a equipe fará a contagem das células tumorais circulantes (CTCs) de 230 pacientes atendidos no ambulatório de oncologia. Estão sendo analisados portadores de câncer de colo no reto, pulmão e pâncreas com tumores sólidos metastáticos ou localmente avançados. “Queremos correlacionar os níveis de CTCs com exames de imagem e poder afirmar se, com a informação gerada, o clínico poderá melhor determinar se uma uma terapia específica está funcionando ou não”, destaca a pesquisadora Ludmilla Chinen.

Divulgação / Cetus Hopital-dia

Deniele Simões deniele.jornal@editorasantuario.com.br

commons.wikimedia.org

commons.wikimedia.org

Câncer: as boas e más notícias

Câncer poderá ser principal causa de morte a partir de 2030, aponta Ricardo Caponero

A ideia é diminuir os exames de imagem, considerados onerosos e cansativos, e por meio do novo método poder concluir que tipo de terapia pode ser mais eficaz para cada paciente. Assim, o tratamento poderá acontecer de maneira individualizada, proporcionando mais chances de cura e melhor qualidade de vida. Outra boa notícia para os portadores da doença é o medicamento T-DM1, que chegará ao Brasil a partir do ano que vem. A droga, indicada contra o câncer de mama, reduz em até 35% o risco de progressão da doença nos pacientes em fase avançada. O médico oncologista e diretor do Cetus-Hospital dia de Betim (MG), Charles Pádua, teve acesso ao medicamento e destaca que, além da maior resposta, a vantagem é o menor índice de toxicidade ao organismo. “As pacientes que receberam o tratamento convencional tiveram sobrevida mediana de seis meses, contra mediana de nove meses”, avalia.

Além dos avanços na área de pesquisa, outro fator importante é a prevenção, já que entre 30% e 40% dos casos de câncer podem ser evitados com bons hábitos. A OMS aponta que o cigarro é o principal agente causador de 30% das mortes por câncer. Segundo Pádua, o consumo de álcool em excesso, bem como de alimentos salgados e defumados, o tabagismo, o sedentarismo e a exposição solar excessiva também estão entre as maiores causas de câncer. Um estudo promovido pelo Grupo de Epidemiologida do Câncer do Kings College de Londres aponta a existência de uma relação entre pessoas hipertensas e o desenvolvimento de câncer.

“O fato de o paciente ser hipertenso aumenta a chance de câncer, pois existem alterações que levam a uma síndrome metabólica que pode interferir na gênese de células tumorais”, complementa. Outra dica importante é adotar a prática do sexo seguro e imunizar-se contra o vírus do papiloma humano (HPV), agente responsável pela transmissão de 90% dos casos de câncer de útero e de outras variedades, como cânceres genitais e em algumas regiões da cabeça e pescoço. Segundo Pádua, a vacina contra o vírus foi testada inicialmente em mulheres e demonstrou efeito protetor importante, mas também tem eficácia nos homens – o que já levou à liberação por órgãos reguladores sanitários de alguns países. Apesar do sucesso da vacina como prevenção, a rede pública de saúde brasileira não oferece o serviço. “O principal fator limitante certamente é o custo”, destaca. Porém, o oncologista acredita que a vacinação contra o HPV traria a redução dos gastos com tratamentos, tornando-se uma solução mais barata para o governo.

Dicas para prevenir o câncer • Não fume: o cigarro é responsável por 30 % das mortes por câncer. • Mantenha uma dieta equilibrada, rica em frutas e verduras. • Reduza a proteína animal do cardápio. • Tente manter o peso ideal, evitando o sobrepeso e a obesidade. • Pratique sexo seguro para evitar o HPV. Fonte: Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC)


JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

7

o medo do câncer Expressões como “aquela doença” ou a sigla “CA” ainda costumam ser usadas por muita gente para designar a palavra câncer, devido ao medo de atrair a doença. Apesar dos avanços na medicina, esse receio ainda é muito grande e o assunto continua sendo tratado como tabu. “As pessoas acham que falar ou se interessar por essa doença ‘ruim’ é sinal de depressão ou de pessimismo”, explica o oncologista Ricardo Caponaro. Na opinião do médico, isso representa um grande problema quando se trata da prevenção ou do rastreamento da

doença precoce em pacientes sem sintomas. Afinal, como as pessoas tendem a achar que esse não é um problema que as afetará, acabam não buscando informações, muito menos métodos adequados para a redução dos riscos. A OMS aponta que um terço dos casos de câncer poderia ser evitado com medidas simples e eficazes baseadas na prevenção. Quanto mais informações corretas sobre o assunto e quanto menor o medo, maior a chance de diagnósticos precoces e tratamentos mais efetivos. Caponaro aponta vários caminhos para que a pessoa obtenha informações

Arquivo Pessoal

Uma história de superação

Maria Helena: dois cânceres em pouco mais de um ano

Maria Helena Balthazar é prova viva de que o câncer é uma doença que pode ser superada. Moradora de São José (SC), a analista ambiental teve dois cânceres em pouco mais de um ano e nem por isso se abateu. Passada a fase de enfrentamento da doença e o período de recuperação, hoje ela presta serviços voluntários junto à Associação Brasileira de Portadores de Câncer (Amucc), ajudando a conscientizar os portadores de que é possível, sim, vencer a doença. O primeiro câncer foi detectado em maio de 2008. Maria Helena sentiu algo espetando o nariz. “Parecia um fiozinho de nylon. Fiquei esfregando com a toalha e, no outro dia, havia uma mancha vermelha enorme, cor de vinho muito forte.” A catarinense então procurou um dermatologista e o diagnóstico de câncer foi confirmado. O tratamento indicado foi uma

cirurgia com laser, realizada no próprio consultório. A recuperação foi fácil porque a doença foi detectada em estágio inicial e se tratava do tipo mais comum de câncer de pele. Depois de pouco mais de um ano, Maria Helena detectou uma mancha marrom no braço, que mudou de tamanho e de coloração. Dessa vez, o caso era mais grave: ela possuía um melanoma – tipo de câncer de pele que está entre os mais agressivos e que pode levar à morte, caso não seja tratado a tempo. Os sinais a motivaram a procurar o médico novamente, que a partir de uma cirurgia retirou toda a mancha, para a realização de biópsia. O resultado confirmou o melanoma e Maria Helena submeteu-se ao tratamento. Quando descobriu o problema, não gostava de contar a ninguém. Depois, acabou mudando a postura e hoje dá seu testemunho de otimismo a pessoas que enfrentam problemas como o melanoma ou outros ainda piores. Para a ambientalista, é fundamental manter a força e o pensamento positivo. “As pessoas não podem se sentir diferentes porque tiveram a doença. Temos de dar as mãos, e eu estou tentando mostrar o que acontece, que é a mesma coisa que tirar um apêndice ou uma amígdala”, relata.

sobre o câncer e possa, dessa forma, se prevenir contra a doença. “A primeira, e mais óbvia, é procurar um especialista”. O oncologista é o profissional indicado para fazer uma avaliação individual dos riscos, além de traçar um programa de prevenção e rastreamento, oferecendo fontes confiáveis para a consulta e o estudo. Outra dica do oncologista é procurar páginas da internet com informações oficiais dos governos, não só do Brasil, mas também de outros países, de sociedades médicas, de organizações não governamentais e páginas mantidas por

associações de pacientes. “Nesse caso, o problema é filtrar e individualizar as informações”, ensina, lembrando que o importante é não disseminar o medo da doença. Além disso, é fundamental saber que, em todo tipo de câncer, o diagnóstico não precisa ser associado à fatalidade. Segundo informações da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), com as novas descobertas, as taxas de remissão ou cura são hoje uma realidade incontestável, bem como a melhoria da qualidade de vida do paciente.

estatísticas e soluções O INCA aponta que pouco mais de um milhão de pessoas receberão o diagnóstico de câncer no Brasil, nos próximos dois anos. Dentre esses casos, 50,8% devem atingir os homens, com destaque para o câncer de próstata – o mais comum entre o sexo masculino. Já os outros 49,2% afetarão as mulheres, primeiramente com tumores nas mamas (primeiro em incidência nas regiões Sul e Sudeste) e depois na região do colo de útero – líder no ranking entre as populações mais carentes. Seguem preenchendo as estatísticas do INCA, independentemente do sexo, os tumores na traqueia, brônquios e pulmão; cólon e reto; estômago e na cavidade oral (ver tabelas abaixo).

Próstata: o mais comum

O INCA prevê o aparecimento de 60 mil novos casos de câncer de próstata em 2012. Um número bastante alto, que coloca esse tipo de tumor como o principal entre os homens. Para o médico oncologista e consultor da Ferring

Pharmaceuticals, Paulo Vernaglia, uma combinação de fatores tem contribuído para o aumento desse tipo de câncer: o aumento da expectativa de vida, a alteração dos hábitos alimentares, a melhora nos métodos de diagnose e nos serviços de coleta de dados epidemiológicos. No caso do primeiro fator, o câncer de próstata tem aparecido mais porque é uma doença mais frequente na terceira idade, com pico máximo de incidência aos 65 anos. Vernaglia destaca que o Ministério da Saúde preconiza a combinação do toque retal e da dosagem do PSA sanguíneo (Antígeno Prostático Específico) como os dois exames mais importantes. “Esses exames são recomendados a partir dos 45 anos em homens pertencentes a grupos de risco com história familiar para câncer de próstata, e a partir dos 50 anos na população em geral”, explica. Ainda que o exame de toque seja encarado como tabu por grande parte dos brasileiros, a adoção do procedimento tem ajudado a descobrir precocemente cada vez mais casos de câncer de próstata.

estimativas para o ano de 2012 de número de casos novos de câncer, por região 1Localização Primária Próstata Mama Feminina Colo do Útero Traqueia, Brônquio e Pulmão Cólon e Reto Estômago Cavidade Oral Laringe Bexiga Esôfago Ovário Linfoma não Hodgkin Glândula Tireoide Sistema Nervoso Central Leucemias Corpo do Útero Pele Melanoma Outras Localizações Subtotal Pele não Melanoma Total

Norte 2.390 1.530 1.860 1.030 690 1.300 390 210 210 190 200 290 580 290 500 110 120 3.400 15.290 6.410 21.700

Nordeste 11.550 8.970 5.050 3.890 3.280 3.940 2.550 1.090 940 1.550 1.250 1.540 1.670 1.650 1.840 900 610 14.040 66.310 22.040 88.350

Centro-Oeste 5.350 3.470 2.020 1.860 2.080 1.480 850 400 610 650 420 610 460 740 630 320 390 5.480 27.820 16.810 44.630

Sul 9.490 9.350 2.000 7.820 5.370 3.410 2.040 1.310 1.650 2.830 1.110 1.600 1.480 1.870 1.520 790 1.580 14.810 70.030 20.910 90.940

Sudeste 31.400 29.360 6.610 12.720 18.720 9.960 8.340 3.100 5.490 5.200 3.210 5.600 6.400 4.720 4.020 2.400 3.530 44.110 204.890 68.000 272.890

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

estimativa de novos casos Região Norte Nordeste Centro-Oeste Sul Sudeste Total-Brasil

Masculino 10.470 42.480 23.700 48.180 133.040 257.870

Feminino 11.230 45.870 20.930 42.760 139.850 260.640

Total 21.700 88.350 44.630 90.940 272.890 518.510


JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

7

O medo do câncer Expressões como “aquela doença” ou a sigla “CA” ainda costumam ser usadas por muita gente para designar a palavra câncer, devido ao medo de atrair a doença. Apesar dos avanços na medicina, esse receio ainda é muito grande e o assunto continua sendo tratado como tabu. “As pessoas acham que falar ou se interessar por essa doença ‘ruim’ é sinal de depressão ou de pessimismo”, explica o oncologista Ricardo Caponaro. Na opinião do médico, isso representa um grande problema quando se trata da prevenção ou do rastreamento da

doença precoce em pacientes sem sintomas. Afinal, como as pessoas tendem a achar que esse não é um problema que as afetará, acabam não buscando informações, muito menos métodos adequados para a redução dos riscos. A OMS aponta que um terço dos casos de câncer poderia ser evitado com medidas simples e eficazes baseadas na prevenção. Quanto mais informações corretas sobre o assunto e quanto menor o medo, maior a chance de diagnósticos precoces e tratamentos mais efetivos. Caponaro aponta vários caminhos para que a pessoa obtenha informações

Arquivo Pessoal

Uma história de superação

Maria Helena: dois cânceres em pouco mais de um ano

Maria Helena Balthazar é prova viva de que o câncer é uma doença que pode ser superada. Moradora de São José (SC), a analista ambiental teve dois cânceres em pouco mais de um ano e nem por isso se abateu. Passada a fase de enfrentamento da doença e o período de recuperação, hoje ela presta serviços voluntários junto à Associação Brasileira de Portadores de Câncer (Amucc), ajudando a conscientizar os portadores de que é possível, sim, vencer a doença. O primeiro câncer foi detectado em maio de 2008. Maria Helena sentiu algo espetando o nariz. “Parecia um fiozinho de nylon. Fiquei esfregando com a toalha e, no outro dia, havia uma mancha vermelha enorme, cor de vinho muito forte.” A catarinense então procurou um dermatologista e o diagnóstico de câncer foi confirmado. O tratamento indicado foi uma

cirurgia com laser, realizada no próprio consultório. A recuperação foi fácil porque a doença foi detectada em estágio inicial e se tratava do tipo mais comum de câncer de pele. Depois de pouco mais de um ano, Maria Helena detectou uma mancha marrom no braço, que mudou de tamanho e de coloração. Dessa vez, o caso era mais grave: ela possuía um melanoma – tipo de câncer de pele que está entre os mais agressivos e que pode levar à morte, caso não seja tratado a tempo. Os sinais a motivaram a procurar o médico novamente, que a partir de uma cirurgia retirou toda a mancha, para a realização de biópsia. O resultado confirmou o melanoma e Maria Helena submeteu-se ao tratamento. Quando descobriu o problema, não gostava de contar a ninguém. Depois, acabou mudando a postura e hoje dá seu testemunho de otimismo a pessoas que enfrentam problemas como o melanoma ou outros ainda piores. Para a ambientalista, é fundamental manter a força e o pensamento positivo. “As pessoas não podem se sentir diferentes porque tiveram a doença. Temos de dar as mãos, e eu estou tentando mostrar o que acontece, que é a mesma coisa que tirar um apêndice ou uma amígdala”, relata.

sobre o câncer e possa, dessa forma, se prevenir contra a doença. “A primeira, e mais óbvia, é procurar um especialista”. O oncologista é o profissional indicado para fazer uma avaliação individual dos riscos, além de traçar um programa de prevenção e rastreamento, oferecendo fontes confiáveis para a consulta e o estudo. Outra dica do oncologista é procurar páginas da internet com informações oficiais dos governos, não só do Brasil, mas também de outros países, de sociedades médicas, de organizações não governamentais e páginas mantidas por

associações de pacientes. “Nesse caso, o problema é filtrar e individualizar as informações”, ensina, lembrando que o importante é não disseminar o medo da doença. Além disso, é fundamental saber que, em todo tipo de câncer, o diagnóstico não precisa ser associado à fatalidade. Segundo informações da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), com as novas descobertas, as taxas de remissão ou cura são hoje uma realidade incontestável, bem como a melhoria da qualidade de vida do paciente.

Estatísticas e soluções O INCA aponta que pouco mais de um milhão de pessoas receberão o diagnóstico de câncer no Brasil, nos próximos dois anos. Dentre esses casos, 50,8% devem atingir os homens, com destaque para o câncer de próstata – o mais comum entre o sexo masculino. Já os outros 49,2% afetarão as mulheres, primeiramente com tumores nas mamas (primeiro em incidência nas regiões Sul e Sudeste) e depois na região do colo de útero – líder no ranking entre as populações mais carentes. Seguem preenchendo as estatísticas do INCA, independentemente do sexo, os tumores na traqueia, brônquios e pulmão; cólon e reto; estômago e na cavidade oral (ver tabelas abaixo).

Próstata: o mais comum

O INCA prevê o aparecimento de 60 mil novos casos de câncer de próstata em 2012. Um número bastante alto, que coloca esse tipo de tumor como o principal entre os homens. Para o médico oncologista e consultor da Ferring

Pharmaceuticals, Paulo Vernaglia, uma combinação de fatores tem contribuído para o aumento desse tipo de câncer: o aumento da expectativa de vida, a alteração dos hábitos alimentares, a melhora nos métodos de diagnose e nos serviços de coleta de dados epidemiológicos. No caso do primeiro fator, o câncer de próstata tem aparecido mais porque é uma doença mais frequente na terceira idade, com pico máximo de incidência aos 65 anos. Vernaglia destaca que o Ministério da Saúde preconiza a combinação do toque retal e da dosagem do PSA sanguíneo (Antígeno Prostático Específico) como os dois exames mais importantes. “Esses exames são recomendados a partir dos 45 anos em homens pertencentes a grupos de risco com história familiar para câncer de próstata, e a partir dos 50 anos na população em geral”, explica. Ainda que o exame de toque seja encarado como tabu por grande parte dos brasileiros, a adoção do procedimento tem ajudado a descobrir precocemente cada vez mais casos de câncer de próstata.

Estimativas para o ano de 2012 de número de casos novos de câncer, por região Localização Primária Próstata Mama Feminina Colo do Útero Traqueia, Brônquio e Pulmão Cólon e Reto Estômago Cavidade Oral Laringe Bexiga Esôfago Ovário Linfoma não Hodgkin Glândula Tireoide Sistema Nervoso Central Leucemias Corpo do Útero Pele Melanoma Outras Localizações Subtotal Pele não Melanoma Total

Norte 2.390 1.530 1.860 1.030 690 1.300 390 210 210 190 200 290 580 290 500 110 120 3.400 15.290 6.410 21.700

Nordeste 11.550 8.970 5.050 3.890 3.280 3.940 2.550 1.090 940 1.550 1.250 1.540 1.670 1.650 1.840 900 610 14.040 66.310 22.040 88.350

Centro-Oeste 5.350 3.470 2.020 1.860 2.080 1.480 850 400 610 650 420 610 460 740 630 320 390 5.480 27.820 16.810 44.630

Sul 9.490 9.350 2.000 7.820 5.370 3.410 2.040 1.310 1.650 2.830 1.110 1.600 1.480 1.870 1.520 790 1.580 14.810 70.030 20.910 90.940

Sudeste 31.400 29.360 6.610 12.720 18.720 9.960 8.340 3.100 5.490 5.200 3.210 5.600 6.400 4.720 4.020 2.400 3.530 44.110 204.890 68.000 272.890

Estimativa de novos casos Região Norte Nordeste Centro-Oeste Sul Sudeste Total-Brasil

Masculino 10.470 42.480 23.700 48.180 133.040 257.870

Feminino 11.230 45.870 20.930 42.760 139.850 260.640

Total 21.700 88.350 44.630 90.940 272.890 518.510

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)


8

ARTIGOS

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

DIALOGANDO E ESCLARECENDO (PADRE CIDO PEREIRA)

“Por que quando Jesus realizava algum milagre pedia para não contarem a ninguém?” (Diomar Sena, Pirituba-SP)

Nossa, que pergunta importante, Diomar. Você tem razão, minha irmã. Jesus não veio ao mundo para fazer milagres. Ele veio ao mundo para fazer de nós filhos amados de Deus. Os milagres eram apenas sinais de seu poder, sinais que lembravam sua divindade. Mas Jesus não queria que as pessoas o seguissem por causa dos milagres. Queria que as pessoas o seguissem desejosas de uma vida de maior comunhão com Deus e com o próximo. É triste ver hoje as pessoas procurando Jesus como um quebra galho e não como um Deus amigo, companheiro, comprometido com a nossa felicidade, desejoso de transformar a vida das pessoas. O grande e inestimável milagre que devemos pedir a Jesus é que o Reino de Deus que Ele veio anunciar aconteça em nossa pátria. Porque o Reino

de Deus é Reino de amor, de justiça, de paz, de bondade, de misericórdia, de perdão. No Reino de Deus ninguém mais vai sofrer, vai passar necessidade, vai ser feliz. Por isso Jesus colocou na oração do pai-nosso o pedido: “Venha a nós o vosso Reino!” Você entendeu, Diomar? Agora, você deve estar perguntando: “Então não podemos pedir milagres a Jesus?” É claro que nós podemos. Ele é Deus presente no meio de nós. Mas os nossos pedidos devem ser acompanhados de um compromisso sério de conhecê-lo profundamente, amá-lo, servi-lo e testemunhá-lo. É por isso que, para que as pessoas conhecessem sua mensagem em vez de correr atrás dele buscando espetáculos públicos de milagres, Jesus algumas vezes proibiu as pessoas de contarem o milagre que ele lhes fizera. Seja feliz, Diomar.

VIDA EM FAMÍLIA

(ROBERTO GIROLA – PSICANALISTA)

Superproteção e desenvolvimento sexual dos filhos A superproteção pode ser o resultado de problemas não resolvidos do pai ou da mãe em relação à sua função paterna e materna, ou, em alguns casos, a problemas mais complexos do seu desenvolvimento psíquico. A tendência a superproteger o filho está se tornando cada vez mais comum. Paradoxalmente, a superproteção pode ser uma reação inconsciente à crescente ausência dos pais na vida dos filhos. Tomados pelo trabalho ou simplesmente pelo desejo de não abrir mão de sua vida com a dedicação que a criação dos filhos exige, muitos pais acabam passando cada vez menos tempo com o filho. Os filhos acabam assim sendo terceirizados para a escola ou, quando menores, para a babá, aliviando os pais do ônus do cuidado no dia a dia. Isso não impede que pais muito presentes na vida dos filhos também tenham problemas. A superproteção pode, de fato, ser uma atitude que brota da maneira como o inconsciente se posiciona diante do outro de maneira geral. Em ambos os casos, culpa e fragilização do outro são processos inconscientes que impedem que os pais consigam dar a seus filhos a autonomia de que eles precisam para se desenvolver saudavelmente. A culpa traz como consequência a necessidade de um desgastante cuidado ansioso: uma forma de reparar e de se autopunir quando o inconsciente alimenta esse sentimento a partir de uma situação real ou imaginária. A fragilização do outro também tem origem no inconsciente que tende a perceber o outro como extremamente frágil, incapaz de suportar qualquer tipo de frustração (um não, por exem-

plo). Se a culpa gera um cuidado ansioso, geralmente intrusivo, a fragilização gera um cuidado que leva a uma identificação fusional com o outro, que impede a possibilidade de se “separar” psiquicamente dele e portanto de impor limites e estimular a sua autonomia e autorizá-lo a existir por si só. Estamos assistindo ao nascer de uma geração de crianças mimadas e pouco preparadas a enfrentar a vida, apesar de todos os estímulos a que são submetidas para tornarem-se “competitivas” e prontas para assumir o seu lugar no cortejo dos bem-sucedidos. O fortalecimento interno do Self infelizmente não passa por academias, escolas caras, cursos diversos e viagens ao exterior. Tudo isso pode ajudar, mas não é suficiente para lidar com um eu enfraquecido. Do ponto de vista sexual, obviamente, o enfraquecimento do eu também pode gerar problemas. Os jovens podem se sentir “impotentes” diante das solicitações sexuais dos círculos que frequentam (por exemplo, sentindo que não são bons “pegadores”), e as jovens obrigadas a um desempenho sexual “liberado” e desinibido além dos seus limites emocionais. Tomar a iniciativa na vida amorosa pode se tornar para esses jovens igualmente difícil, pois isso supõe ter exercido a própria autonomia durante todo o processo de desenvolvimento emocional, desde a infância até a adolescência. Parece, nesse sentido, não ser casual que os jovens costumem associar a um massivo consumo de álcool e estimulantes os momentos em que se sentem “desafiados’” para um desempenho emocional e sexual mais comprometedor, como em uma balada, por exemplo.


CUIDADOS COM O PLANETA

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

9

PESQUISA | CRIATIVIDADE E INCLUSÃO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS DESPONTAM COMO SOLUÇÕES

Inovações constroem

futuro sustentável e dinâmico Os desafios globais na busca por um modelo de desenvolvimento que una inovação, crescimento e sustentabilidade são imensos. Recursos naturais, meio ambiente e clima, alimentos e nutrição e qualidade de vida são apenas algumas das áreas que são diretamente afetadas por esse tripé. Especialistas mundo afora arregaçam as mangas para pesquisar formas de concretizar esse futuro ideal. Confira algumas novidades:

Monitores OLED A tecnologia de diodo orgânico emissor de luz ou fotoemissor (Organic Light-Emitting Diode, em inglês) foi criada em 1980 e promete telas planas mais finas, leves e baratas que as atuais telas de LCD. As moléculas de carbono (orgânico) emitem luz ao receberem carga elétrica e podem ser diretamente aplicadas sobre a superfície da tela, por meio de um método de impressão. Com relação aos LCDs atuais, os monitores OLED prometem um tempo de resposta mais baixo, podem ser visualizados de diversos ângulos (até 180º), têm contraste muito melhor, suportam melhor o calor e o frio, além de ser produzidos de forma mais simplificada e usando menos materiais do que os LCDs. As cores vermelha, verde e azul é que fazem as telas ganharem vida. As atuais pesquisas de OLED buscam desenvolver emissores azuis que sejam eficientes para aplicações em iluminação. O conceito de qualidade de vida e eficiência energética inclui componentes transparentes e flexíveis. Os monitores são apenas um dos campos em que se pode aplicar a tecnologia OLED, que consome metade da energia elétrica das lâmpadas convencionais. Ao contrário das tradicionais, as lâmpadas de OLED proporcionarão mais conforto, pois sua luz é difusa e pode ser controlada por intensidade.

Em linguagem mais simples, as telas OLED poderão estar espalhadas pela sua casa, pois serão flexíveis. Suas janelas poderão se transformar em grandes monitores e também pontos de iluminação. Tudo de acordo com seu controle! Fotos: Reprodução

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

Nutrição animal Em 2050, haverá 9 bilhões de pessoas no planeta. Será necessária uma quantidade 70% maior de alimentos do que hoje. E isso é um enorme desafio. Uma das saídas é fazer com que a nutrição animal seja mais eficiente. Já existem rações que priorizam os componentes dos quais os animais extraem suas energias e nutrientes. Para os produtores, isso significa utilizar menos ração, fazendo com que toda a cadeia produtiva seja mais sustentável e tenha uma melhor relação custo-benefício. Um exemplo é o da combinação de enzimas (glucanase e xilanase) que permite a aves e suínos extraírem mais de sua ração à base de vegetais. De forma concreta, isso significa produzir mais carne e ovos com menos recursos. Com essa ração evoluída, haverá menos emissões de carbono, uso de água e energia. Energia eólica A energia eólica está em ascensão em todo o mundo como uma matriz energética que não agride o meio ambiente e se vale do clima. Com lâminas cada vez maiores, a produção de energia das turbinas eólicas modernas aumenta constantemente. As lâminas atuais medem 126 m, mas seu tamanho deve dobrar até 2020. A área coberta equivale a quatro vezes o seu tamanho. Dessa maneira, a capacidade de produção energética vai saltar dos atuais 10.000 kW para 20.000 kW. A longevidade desses equipamentos e sua produção eficiente são fatores-chave para a melhoria da eficiência econômica da energia eólica.

Pure – calçado conceito A indústria calçadista é influenciada pela moda e pelo constante desejo de mudança do público. É preciso buscar novas soluções e materiais. O calçado conceito PURE é o primeiro feito somente em poliuretano, material que é, ao mesmo tempo, leve e resistente. Ele substitui a borracha e possui de 30 a 50% de conteúdo de carbono biológico. Isso faz com que a ecoeficiência para o ciclo de vida completo de um tênis seja superior quando comparada ao padrão de mercado atualmente, o EVA. Mobilidade elétrica – e-mobility O crescimento da população e a urbanização exigem mobilidade. Como contraponto, o desenvolvimento do mundo contemporâneo necessita estar baseado na eficiência energética, com baixa emissão de gás carbônico. É da resposta a essa equação que depende o futuro da mobilidade elétrica. Os materiais são o coração da célula da bateria química, pois desempenham um papel decisivo no que diz respeito a itens como segurança, custos, potência e autonomia. As megacidades do futuro exigem um ar mais limpo, com distâncias mais curtas em um cenário de recursos naturais limitados. Outras características que jogam a favor do carro elétrico são o elevado preço dos combustíveis fósseis, os benefícios de impostos e a consciência ecológica das pessoas. Hoje, 18% do total de emissões de gás carbônico (CO2) tem origem no tráfego de veículos. Para se ter uma ideia, os atuais veículos otimizados, movidos a diesel, poluem a uma média de 110g de CO2/km. Já os elétricos marcam 5g de CO2/km. A sustentabilidade também é ponto positivo quando o quesito é o material utilizado: tetos com células solares orgânicas transparentes, baseadas na tecnologia OLED, que geram eletricidade mesmo com céus nebulosos; filmes e pigmentos reflexivos; e o uso de termoplásticos são alguns itens. Uma barreira a ser transposta pelo carro elétrico é a autonomia. Os atuais rodam até 150 km sem necessidade de recarga. Em 2017, rodarão 200 km e, em 2025, a previsão é que trafeguem de 300 a 400 km.

Pisos permeáveis A mistura de poliuretano e agregados de minerais selecionados cria uma superfície sólida porosa com enorme potencial para o design. O resultado é que as superfícies permanecem secas, firmes e limpas. A permeabilidade permite que a água da chuva escorra naturalmente, reabastecendo o lençol freático local. Uma solução e tanto para ajudar a amenizar os problemas de alagamentos nos centros urbanos, que são carentes de um adequado sistema de escoamento pluvial. Os pesquisadores preveem que dois terços da população viverão em centros metropolitanos nos próximos anos. Isso precisa ter como resposta uma nova estratégia ecológica. Os pisos permeáveis podem ser utilizados em trilhas de caminhada, áreas de estacionamento, zonas de pedestre e muitos outros locais. O repórter viajou a convite da organização da edição sul-americana da turnê global Marketplace of Innovations – We create chemistry, promovida pela companhia química multinacional BASF.


10

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

SE LIGA AÍ

SAÚDE | JOVENS DEVEM FICAR ATENTOS AOS HÁBITOS DIÁRIOS ANTES DE DORMIR

Eduardo Gois eduardo.jornal@editorasantuario.com.br

No corre-corre frenético do dia a dia, jovens em idade escolar têm uma vida cheia de compromissos. Colégio, curso de inglês, natação, futebol ou balé são só algumas das atividades que os adolescentes têm de realizar. Esse novo mundo não desliga e, depois dos afazeres diários, há ainda muitas horas em frente ao computador, seja jogando, batendo papo nas redes sociais ou assistindo a vídeos. Mas, atenção: adolescentes que permanecem muito tempo em frente ao computador podem apresentar má qualidade do sono. É o que indica uma pesquisa da doutora em ciências médicas e psicóloga Gema Galgani. Em sua dissertação de mestrado, ela ouviu 160 adolescentes entre 15 e 18 anos. O estudo trouxe à tona a discussão de um problema enfrentado por grande parte das famílias: o uso noturno do computador pelos jovens. Mãe de adolescentes, a doutora passou a se incomodar com as longas horas de sono perdidas pelos seus filhos em frente ao computador. Ela constatou que 60% dos entrevistados na pesquisa que ficavam em frente ao computador apresentavam mais sonolência diurna. Tudo isso vem acompanhado por alterações de humor, piora da concentração, irritabilidade e ansiedade. “A população mundial está diminuindo o sono, mas a

necessidade de dormir é a mesma de 100 anos atrás”, exemplifica. Na opinião de Gema, o computador é a primeira causa de piora. Já a pediatra com aperfeiçoamento em sono para crianças e adolescentes, doutora Elitânia Pontes, avalia que a culpa da má qualidade do sono em jovens é a falta de limites dos pais. Muitas vezes o sono já começa a ser comprometido na infância, devido à falta de cuidados e à “rédea frouxa”. A doutora recomenda que, desde os primeiros anos de vida, as pessoas passem a educar o sono das crianças, possibilitando uma espécie de ritual ou preparação antes de dormir. Nada de alimentos estimulantes, chocolates, café ou refrigerantes de cola. Outro aspecto importante é não ceder aos caprichos. “A culpa não é do computador ou da tecnologia, e sim da falta de limites”, opina. Segundo a especialista, jamais o jovem deve ir para a cama levado pela exaustão. “O corpo tem de se preparar ao menos 1h30 antes de deitar”, explica. Na avaliação de Gema Galgani, os problemas de sono estão sempre ligados à mudança social que se firmou com a chegada das novas tecnologias. “Smartphones, videogames e redes sociais favorecem a comunicação humana e as pessoas são muito carentes de comunicação”, comenta. O principal problema da falta de limites durante a juventude é que hábitos infantis podem ser levados para faixas etárias mais elevadas e ocasionar

sxc.hu

Qualidade do sono em adolescentes exige atenção

uma série de problemas na vida adulta, como depressão, distúrbios gastrointestinais, diabetes, hipertensão e distúrbios alimentares. Por outro lado, para aqueles que têm uma boa noite de sono, a memória torna-se mais eficaz, resguardando o conteúdo aprendido durante o dia. Isso é indicado para todos, mas principalmente para os estudantes. De acordo com a doutora Elitânia, 70% dos pais acreditam que o sono dos filhos está adequado e que eles já podem cuidar do sono sozinhos. Porém, é preciso um acompanhamento mesmo para aqueles que já beiram a idade adulta. “Existe uma epidemia de sono

insuficiente, mas os jovens acham que já podem cuidar disso sozinhos”, reforça.

e física (tome um banho, vista uma roupa leve e confortável: esses sinais indicam ao cérebro que já é hora de descansar). – Não realize exercícios físicos. Pelo menos cinco horas antes de dormir é o tempo limite indicado para praticar esportes ou ir à academia. Após esse tempo, a temperatura do seu corpo estará ainda muito elevada para o repouso. – Regularize o seu horário. Deixe no

ponto seu relógio biológico. Dormir e levantar nos mesmos horários vai ser bom e lhe dará mais disposição.

O sono perdido Sono perdido não se recupera. É como acordar e permanecer em jejum: comer muita comida no café da manhã do dia seguinte não vai compensar a fome sentida no dia anterior. Também é assim que acontece com o sono. Não adianta extrapolar no dia seguinte dormindo 12, 14 horas, por ter dormido pouco anteriormente. Os especialistas indicam justamente o contrário: que se possa manter uma permanência das mesmas horas de sono durante todos os dias, inclusive aos finais de semana. O corpo agradece.

Tenha uma boa noite Aqui vão algumas dicas para dormir e acordar de bem com a vida no dia seguinte, pronto para uma longa e satisfatória jornada: – Não durma com a televisão ligada. As luzes emitidas pelo aparelho mantêm o cérebro funcionando como se estivesse acordado, fazendo com que não haja um relaxamento e a produção de secreções cerebrais

benéficas ao organismo, como a melatonina, que é um neuro-hormônio que tem como principal função regular o sono. – Não use computador muito próximo da hora do repouso. O corpo precisa de uma preparação e de um ritual tranquilo para cessar. Estar desligado de fatores externos vai lhe ajudar na sinalização ao cérebro de que é hora de dormir. – Faça atividades tranquilas que não exijam muita atividade mental

Conheça um aplicativo que pode lhe auxiliar indicando se o sono vai bem. Acesse http://www.sleepcycle.com


4A

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

MARIA

LITURGIA

1A

ANO 111 • Nº 5.607 • 26 DE AGOSTO DE 2012

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 1º DE MAIO DE 2011

NOSSA SENHORA DA AJUDA (PADRE ANTONIO CLAYTON SANT’ANNA, C.Ss.R. *)

Origem e tradição Segundo a história, os navegadores e as caravelas reais enfrentavam grandes perigos e desafios na travessia de mares e oceanos. Na Idade Média, reis, capitães de esquadras mercantes, descobridores colocavam suas naus em expedições ou em batalhas navais sob a proteção de Maria, invocada como Nossa Senhora da Ajuda. Faziam-se celebrações e festejos, seja na

partida ou na chegada das embarcações aos portos. Essa foi a origem de muitas igrejas ou capelas construídas na orla marítima da Europa. No início das grandes expedições marítimas do século 16, o culto a Nossa Senhora da Ajuda chegou ao Brasil Colônia por devoção de cinco padres jesuítas. Em 1549, eles integraram a comitiva do Governador-geral do Brasil, Tomé de Souza. Trouxeram consigo uma bonita imagem da Virgem, medindo uns 30 cm, e se estabeleceram no litoral sul da Bahia, onde construíram a capela em honra de Nossa Senhora da Ajuda. Aí nasceu o povoado, hoje distrito de Porto Seguro, com o nome de Arraial da Ajuda, conhecido local turístico do país. Conta a tradição que os jesuítas, após inúmeras tentativas, não encontravam água potável. Pediram então a ajuda da Mãe de Deus para erguer a capela em sua honra. Enquanto era celebrada a missa, surgiu misteriosa e mansamente uma fonte de água viva sob uma árvore ali perto. Não poucos autores deixaram relatado o fato, que logo foi se espalhando da Bahia para São Paulo, inclusive no testemunho do Beato José de Anchieta. O santuário de Nossa Senhora da Ajuda é tido como o mais antigo do Brasil. Foi confiado aos cuidados pastorais dos padres redentoristas. A festa tradicional é celebrada solenemente no dia 15 de agosto. * Diretor da Academia Marial de Aparecida Reprodução

SUPLEMENTO LITÚRGICO-PASTORAL

30.9.2012 – Ano B

26º DOMINGO DO TEMPO COMUM O Senhor conhece os seus! PRIMEIRA LEITURA (Nm 11,25-29) Leitura do Livro dos Números: Naqueles dias, 25o Senhor desceu na nuvem e falou a Moisés. Retirou um pouco do espírito que Moisés possuía e deu aos setenta anciãos. Assim que repousou sobre eles o espírito, puseram-se a profetizar, mas não continuaram.

pode perceber suas faltas?/ Perdoai as que não vejo! — E preservai o vosso servo do orgulho:/ não domine sobre mim!/ E assim, puro, eu serei preservado/ dos delitos mais perversos.

Dois homens, porém, tinham ficado no acampamento. Um chamava-se Eldad e o outro Medad. O espírito pousou igualmente sobre os dois, que estavam na lista mas não tinham ido à Tenda, e eles profetizavam no acampamento. 27 Um jovem correu a avisar Moisés que Eldad e Medad estavam profetizando no acampamento. 28 Josué, filho de Num, ajudante de Moisés desde a juventude, disse: “Moisés, meu Senhor, manda que eles se calem!” 29 Moisés respondeu: “Tens ciúmes de mim? Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta e que o Senhor lhe concedesse o seu espírito!” — Palavra do Senhor. — Graças a Deus! 26

SALMO RESPONSORIAL (Sl 18) — A lei do Senhor Deus é perfeita,/ alegria ao coração. — A lei do Senhor Deus é perfeita,/ alegria ao coração. — A lei do Senhor Deus é perfeita,/ conforto para a alma!/ O testemunho do Senhor é fiel,/ sabedoria dos humildes. — É puro o temor do Senhor,/ imutável para sempre./ Os julgamentos do Senhor são corretos/ e justos igualmente. — E vosso servo, instruído por eles,/ se empenha em guardá-los./ Mas quem

Marco Funchal

O culto a Nossa Senhora é bíblico, teológico, litúrgico, pastoral e devocional. Ele é necessário para a vivência da fé cristã, mas nunca deve ser prestado por mero devocionalismo ou sentimentalismo. Sem dúvidas, comover-se com as aflições dos outros, sensibilizar-se com seus sofrimentos e ajudar as pessoas necessitadas é sinal de solidariedade, enobrece o caráter humano. Entretanto, quando se trata de viver a fé cristã, não bastam emoções. Se vivida apenas com emoções, a fé não resiste às dúvidas, às incertezas e provações. O título de Nossa Senhora da Ajuda foi atribuído a Maria tendo presente essa convicção profunda e estaria relacionado, antes de tudo, à agonia de Cristo no Calvário. Lá estava ela, de pé, a mulher forte, a mãe à qual o Filho legou seus discípulos para que os ajudasse. A Virgem Maria, associada ao sofrimento de Jesus, é nossa intercessora pelos méritos dele junto a Deus Pai. Ela recebeu dele o poder de nos ajudar em situações difíceis, angustiosas, incertas, sofridas ou perigosas. Essa “ajuda” é-lhe pedida também por meio de outras invocações, como Perpétuo Socorro, Auxiliadora, Amparo, Livramento, Mercês, Bom Sucesso, Desatadora dos nós e outras mais.


2A

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

LITURGIA

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 26 DE AGOSTO DE 2012

3A

REFLETINDO A PALAVRA

EVANGELHO (Mc 9,38-43.45.47-48) — O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Marcos. — Glória a vós, Senhor! Naquele tempo, 38João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue”. 39 Jesus disse: “Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim. 40Quem não é contra nós é a nosso favor. 41 Em verdade eu vos digo: quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42 E, se alguém escandalizar um destes pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço. 43 Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45 Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na Vida sem um dos pés,

do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47 Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor! ORAÇÃO DA COMUNIDADE — Ser fiel à missão de Jesus Cristo exige abertura de coração e gestos concretos de solidariedade. Vamos pedir ao Senhor que nos dê os dons necessários para sermos instrumentos de seu reino no mundo: 1. PARA QUE a Igreja e seus Pastores, imitando Jesus, tenham a capacidade de acolher, reintegrar e promover as pessoas que, mesmo de modo diferente, buscam promover a paz no mundo, rezemos. — Senhor, acolhei nossa súplica. 2. PARA QUE as pessoas que exercem autoridade usem o poder para promover a igualdade, a justiça e a vida de todos, rezemos. 3. CELEBRANDO hoje o dia da Bíblia, fazei Senhor que vossa Palavra seja sempre viva e eficaz em nossa comunidade, em nossa família e em nossa vida, rezemos. 4. PARA QUE, num mundo de tantas oportunidades, saibamos escolher o bem usando corretamente nossos dons e sejamos construtores de um mundo onde todos possam viver com dignidade, rezemos. (Intenções próprias da comunidade.) — Senhor, queremos vossa paz reinando no coração de todo homem e de toda mulher. Venha ao nosso encontro, acolhei nossos pedidos e socorrei-nos em nossas necessidades. Por Cristo, Senhor nosso. — Amém. LEITURAS DA SEMANA: SEGUNDA: Jó 1,6-22 / Sl 16 / Lc 9,46-50. TERÇA: Ss. Anjos Ex 23,20-23 / Sl 90 / Mt 18,1-5.10. QUARTA: Jó 9,1-12.14-16 / Sl 87 / Lc 9,5762. QUINTA: Jó 19,21-27 / Sl 26 / Lc 10,112. SEXTA: Jó 38,1.12-21; 40,3-5 / Sl 138 / Lc 10,13-16. SÁBADO: Jó 42,1-3.5-6.1217 / Sl 118 / Lc 10,17-24. DOMINGO: Gn 2,18-24 / Sl 127 / Hb 2,9-11 / Mc 10,2-16.

(PADRE LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA, C.SS.R.)

Deus é para todos Às vezes, o mundo é aberto ao diferente, apoia e estimula até extravagâncias e defende o direito de todos. Por outro lado, mostra também certo fechamento a tudo que é diferente. Percebemos que o fundamentalismo, seja religioso, político ou social, aumenta cada vez mais. Alguns deles anulam completamente o ser humano. Na verdade não somos tão abertos nem tão tolerantes, principalmente em se tratando de religião. Deus não é assim. Ele acolhe a todos. Propõe, mas não impõe. Ninguém é dono de Deus. Deus é para todos. Comunidade aberta Os textos da Liturgia de hoje nos ensinam como Deus age: Os 70 anciãos que Moisés reuniu para estar com Deus ficaram cheios do Espírito Santo e profetizavam. Dois deles não estavam com o grupo, mas também receberam o Espírito. Moisés não se irrita e diz: “Oxalá todo povo de Deus fosse profeta, dando-lhe o Senhor seu Espírito” (Nm 11,29). O mesmo lemos no Evangelho: Havia gente curando em nome de Jesus e não era discípulo. Jesus não proíbe, e diz que quem não é contra é a favor (Mc 9,38-40). Podemos ver nesse texto o fechamento da comunidade que quer controlar a ação de Deus. Ninguém é dono de Jesus. Onde está o Espírito ali está Deus, ali está o Reino. O Espírito atua onde quer e como quer (Jo 38). Podemos dizer que

temos o ensinamento completo para a salvação, mas a salvação está onde Deus quer. Quem faz o bem, pratica a justiça e o amor, está agradando a Deus e está no Reino. Nós podemos ampliar o conhecimento da fé, mas não podemos negar a ação de Deus. Jesus ensina a ver a ação de Deus no mundo e nas pessoas diferentes de nós. Valor de um copo-d’água Jesus ensina que toda boa ação tem sua recompensa. Mesmo que seja um copo-d’água dado ao sedento. Para que o amor seja sempre maior é necessário não escandalizar os pequeninos. E tudo o que atrapalha o caminho do Reino deve ser mudado. Jesus usa o termo, cortado. Pelo Reino temos o dever de fazer tudo. A comunidade aberta é expressão do Reino que se realiza no mundo. Como lemos na carta de Tiago, os bens são bons, mas na caridade, pois do contrário se tornam um perigo. Um copo-d’água dado ao pequenino tem valor de eternidade. Ao lado da recompensa pela dedicação aos outros, encontramos o respeito à pessoa do outro, não o fazendo pecar. Por isso, simbolicamente, diz que corte a mão e o pé, arranque o olho se forem causa de pecado. Quer dizer: acabar com o uso inadequado do poder, da riqueza e do orgulho. Vemos aqui as mesmas três tentações de Jesus no deserto. Vencê-las é caridade para os irmãos.

GENTE SANTA (PADRE EUGÊNIO ANTÔNIO BISINOTO, C.SS.R.)

Santa Rosa de Lima Santa Rosa de Lima era virgem, mística e penitente peruana. É considerada padroeira da América Latina e do Peru. Santa Rosa nasceu em 1586, em Lima, capital do Peru. Descendente de família espanhola, seu nome civil era Isabel de Oliva. De extraordinária beleza, Isabel mudou seu nome para Rosa. Acrescentou o nome de Maria, por sua devoção filial a Nossa Senhora. Desde menina, Rosa cultivava as virtudes cristãs, como a fé, a paciência, a humildade, a penitência e a alegria. Escolheu Santa Catarina de Sena como patrona e modelo. Rosa era muito inteligente e vivaz, dotada de qualidades artísticas: poesia, canto e música. Seus

pais queriam que ela se casasse, mas recusou o matrimônio por se consagrar totalmente ao Senhor. Para ajudar a família nas despesas da casa, Rosa trabalhou como empregada doméstica. Assumiu o serviço com pontualidade e fidelidade. Imitadora do Cristo da Paixão, Rosa ingressou na Ordem Terceira de São Domingos. Edificou uma cela estreita e simples no fundo do quintal da casa dos pais, onde começou a viver a vocação consagrada, praticando o recolhimento, a oração, a meditação do Evangelho e a penitência. Dedicando-se também à evangelização e à caridade, Rosa faleceu aos 24 de agosto de 1617, com apenas 31 anos de idade. Logo após sua

morte, seu túmulo tornou-se local de orações e peregrinações. Beatificada em 1668, Rosa foi canonizada em 1671. Sua festa é comemorada no dia 23 de agosto.

Reprodução

SEGUNDA LEITURA (Tg 5,1-6) Leitura da Carta de São Tiago: 1 E agora, ricos, chorai e gemei, por causa das desgraças que estão para cair sobre vós. 2 Vossa riqueza está apodrecendo, e vossas roupas estão carcomidas pelas traças. 3 Vosso ouro e vossa prata estão enferrujados, e a ferrugem deles vai servir de testemunho contra vós e devorar vossas carnes, como fogo! Amontoastes tesouros nos últimos dias. 4 Vede: o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos, que vós deixastes de pagar, está gritando, e o clamor dos trabalhadores chegou aos ouvidos do Senhor todo-poderoso. 5Vós vivestes luxuosamente na terra, entregues à boa vida, cevando os vossos corações para o dia da matança. 6Condenastes o justo e o assassinastes; ele não resiste a vós. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus!

Jornal Santuário de Aparecida [Ed. 5607 - 26 ago 2012]  

Edição 5607 - 26 de agosto de 2012. Saiba mais em http://www.jornalsantuario.com.br

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you