Page 1

Arquivo

.: SE LIGA AÍ

Celular e juventude: riscos e oportunidades

50ª Assembleia Geral da CNBB acontece de 17 a 26 de abril 5

10

J O R N A L

D E

ANO 111 • Nº 5.587 • 8 DE ABRIL DE 2012 • WWW.JORNALSANTUARIO.COM.BR

A PA R E C I D A

Reprodução

O Brasil é o país com o maior número de transplantes de órgãos realizados por meio do sistema público de saúde em todo o mundo. Em 2011, foram mais de 23 mil procedimentos. Saiba como você pode ser um doador e também confira um testemunho de quem partilhou um pouco da própria vida com quem mais precisava.

VIDAS MULTIPLICADAS 6e7 INTERCÂMBIO

JORNADA DA JUVENTUDE

JMJ Rio 2013: preparação para o evento é apresentada no Vaticano

Solidão e a capacidade de estar só. Confira artigo de Roberto Girola

Leonardo Meira /JS

Divulgação

Aparecida e Fátima promovem troca de experiências

VIDA EM FAMÍLIA

9

4

8


2

DA REDAÇÃO

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 DE ABRIL DE 2012

.: Editorial

.: Espaço do leitor

Sobre o desenvolvimento

O leitor Antônio das Graças Brito, de Piracicaba (SP), enviou um comentário sobre a matéria Água é bem comum da humanidade, publicada na edição de 25 de março. Em nosso blog, ele indica: “Enquanto não nos conscientizarmos de que a água é um bem finito, continuará o desperdício a favor de uns e contra os outros. Mas se trata também de conscientização dos nossos mandatários com políticas públicas mais claras e voltadas para os menos favorecidos”.

O Jornal Santuário de Aparecida é uma publicação semanal dos Missionários Redentoristas ISSN - 1980-3192

Servizio

Informazione

Focolari

Servizio Informazione Focolari

UNHO .: TESTEM e rev a Casal esc s da fira ação Con ram meditaçõe og pr a o mana O -Sacra par UNH Via a da Se M a STE e Pap Sant .: TE escrev da al 3 Cas ações it ra o med acra pa Via-S Papa 3

lari e Foco

3

twitter.com/ santuariojornal

EDITOR: Leonardo Meira - MTB 14261/RS REVISÃO: Ana Lúcia de C. Leite Leila Cristina Dinis Fernandes Lessandra Muniz de Carvalho Camila de Castro Sanches dos Santos

Redação (12) 3104.2019 Assinaturas (12) 3104.2040 0800 16 00 04

Jornal www.jornalsantuario.com.br Santuário de Aparecida jornalsantuario@ Rua Pe. Claro Monteiro, 342 editorasantuario.com.br

REDAÇÃO: Deniele Simões - MTB 26435/SP Eduardo Gois - MTB 57928/SP DIAGRAMAÇÃO: Rafael Felix Simone Godoy

Centro – Aparecida (SP) Cx. Postal 4 – 12.570-000

Assinatura anual: R$ 81,00 (parcelados em até 3x) Semestral: R$ 50,00 (parcelados em até 2x) Nº avulso: R$ 2,00

Notícias da Igreja, debates, fatos relevantes do Brasil, do mundo e muito mais.

o Ma rioia gi gresso uáriSaniatuá Mar ia Marial, ioló Sa ntno O VI ConMar giosos dem reli deamAca soos eso . s no Aca leig gres a. 200 iana la pel mo ligio pevido , pro mar o marian I Con eve e rentoov idoo aes sãorcessã O V igO rc inte om o foc le os , eprcom 200 tev O VI Congresso Mariológico reuniu mais de a inte to en co O ev como fo 200 leigos e religiosos no Santuário Nacional. teve O evento, promovido pela Academia Marial, teve como foco a intercessão mariana.

SANT

RNAL

W.JO

• WW

L DE

ABRI

2012

ASSINATURA SEMESTRAL 2x

6e 6e7

* R$ 25,00

7

AÍ SE LIGALIGA AÍ SE

Divulgaç

ão

lgação

4

Divu

Divulgação

4

4

ção Reprodu

6e7 ção Reprodu

ção Reprodu

itas DADE Cár OVINOVIDADES Rede N novas escolhe des priorida Cáritas s de Cáritas oRede nova paraRe lhe novas nio co escolhe es des quadriê iorida prioridades pr015 2012-2 o para parao riênio quad -2015 quadriênio 2012 2012-2015

ção Reprodu

S

ÁRIO MISSIONÁRIO MISSION

e Cuba o México visita visita caridade” Papa Papa México e Cuba rinooda “pereg comocomo “peregrino da caridade” a Cub ” ÁRIO N oe IO éxic caridade MISS oM da ta visi rino Papa “pereg o com

de de Projetoojetoção Pr lizagelização Evange o ismo Evan cismec @Cate at @C SE LIGA AÍ Jovem vemnas nas a Jo geliz evangeliza evaniais sociais redes soc des de Projeto re Evangelização @Catecismo 9 Jovem 9 evangeliza nas redes sociais

10 10

Reprodução

S NOVIDADE

9

no cartão ou no boleto*

ASSINE AGORA e receba toda semana o Jornal Santuário em sua casa!

0800 16 00 04

www.editorasantuario.com.br

Reprodução

Deniele Simões /JS

1º DE

facebook.com/ jornalsantuario

5

izio

/JS

Simões

Deniele

/JS ões Sim iele Den

6•

5.58

.: Contatos

Confira a programação da Semana Santa 5

NÓS! R POR AI POAI ROGROG ÓS! NÓS! N OR AI P ROG • Nº

30% – Atividades Culturais

* a opção “Praticar esportes” não obteve nenhum voto.

CONSELHO EDITORIAL: Pe. Jorge P. S. Sampaio, C.Ss.R. Pe. José Uilson Inácio Soares Júnior, C.Ss.R.

Serv

ANO

111

30% – Festas

40% – Cinema

DIRETOR-GERAL: Pe. Marcelo Conceição Araújo, C.Ss.R.

A D A C I E C I D R EP A R D EA A A P .BR ARIO.COM E AL LSANTU D RNA N WWW.JO R de 2012 • ais E ANO 111IL DE • Nº .BR • WWW.JORNALSANTU 5.586 • 1º DE ABRIL DEM2012 m l. is de JO D • 1º DE ABR ARIO.COM.BRuniu ionamaA Pal.A R E C I D A reu O.CO 5.586 acniu reógico N UARI l, cion Na 111 • Nº coriol

ANO

Confira o resultado:

J O R N A L

A L J O R N

zion Informa

a Confira mação pro .:gra TESTEMUNHO Semana daCasal escreve ta San meditações da Via-Sacra para o Papa 5

O JS perguntou aos curtidores de nossa página no Facebook: Qual é a sua preferência de lazer aos finais de semana?

Arquivo Pessoal

Os últimos números do Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, revelam que os analistas reduziram as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB), a soma de todas as riquezas produzidas no país, de 3,23% para 3,2% em 2012. Frente às recessões que assolam as mais consagradas economias globais, o Brasil está bem. Do ponto de vista dos índices econômico-financeiros, pelo menos. Sim, porque, mesmo sendo a sexta maior economia mundial, ocupamos o 88º lugar de 127 no ranking de educação feito pela Unesco, bem como a marca de 84ª posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), entre os 187 países avaliados pelas Nações Unidas. Nesse sentido, vale destacar a concepção cristã de desenvolvimento humano integral. Nada mais é do que ressaltar que os vários elementos da sociedade devem interagir para que se promova um verdadeiro desenvolvimento dos povos. O desenvolvimento autêntico subentende a união entre o valor insubstituível dos vários campos de saber e a importância da caridade na verdade. Esse, inclusive, é o tema da segunda Carta Encíclica do pontificado de Bento XVI. Já Paulo VI oferecia uma síntese dessa lógica de pensamento: “promover todos os homens e o homem todo”. O verdadeiro desenvolvimento não fica restrito ao desempenho econômico do país, embora isso seja importante. Os bons índices registrados pelo Brasil só se transformarão em desenvolvimento autêntico quando forem traduzidos em um real compromisso, de todas as instâncias da nação, em colocar o homem no centro das preocupações e decisões. “A vocação cristã ao desenvolvimento ajuda a empenhar-se na promoção de todos os homens e do homem todo. Se não é assim, não é verdadeiro desenvolvimento”, enfatiza Bento XVI.

.: Expediente

ENQUETE

Água

10

*Valor total da assinatura semestral: R$ 50,00. Assinatura anual R$ 81,00 nas mesmas condições. Preços válidos até dezembro de 2012.


OPINIÃO / DEBATE

Jornal Santuário de Aparecida • 8 DE abril DE 2012

3

ENTREVISTA | PESQUISADORA FALA SOBRE A MANIFESTAÇÃO POPULAR RELIGIOSA E QUESTÕES RACIAIS

Andresa Custódio/Comunicação FSB 2012

Festa de São Benedito garante aprendizado, resistência e reorganização social Eduardo Gois eduardo.jornal@editorasantuario.com.br

Jornal Santuário de Aparecida – Conte um pouco sobre suas experiências profissionais e em qual momento começou a se interessar por manifestações populares a São Benedito? Vera Lúcia Lopes – Sou da área da educação e sempre me preocupei em respeitar a identidade religiosa de meus alunos (da creche ao ensino superior). Assim, interessei-me muito pelas questões ecumênicas e chegou um momento em que avaliei que estudar a ciência das religiões poderia me ajudar a entender o universo religioso que, na educação formal e educação social, precisa ir além das relações ecumênicas. Dessa forma, cheguei às festas do catolicismo popular. No estudo, trato do espaço das festas de São Benedito como potencializador de relações emancipatórias. JS – Quais são as principais particularidades na devoção a santos e santas negras? Vera – Para o povo negro é a aproximação identitária; para a comunidade

A devoção a santos da mesma cor garante ao povo negro a aproximação identitária, afirma Vera Lúcia

como um todo é a referência modelar de fé e poder de intercessão diante das diversas necessidades. JS – Qual conclusão obteve em seus estudos sobre a Festa de São Benedito em Aparecida? Vera – Pude comprovar minha hipótese: as festas do catolicismo popular garantem para muitos o espaço de aprendizado, resistência e reorganização social. Os festejos de São Benedito em Aparecida forneceram com propriedade os elementos complementares para garantir os

“Já parou para enumerar quantos são os padres e bispos negros? A proximidade do povo afro com São Benedito tem tudo a ver”

dados coletados em festas diversas do catolicismo popular. JS – A senhora é membro do grupo de Educadoras Negras da CNBB. Conte um pouco sobre como começou sua participação nessa iniciativa e quais trabalhos têm realizado nesse sentido.

JS – A senhora acredita que o fator racial ainda é um aspecto forte no Brasil, ou seja, ainda existe preconceito?

Vera – Estou atuante na Pastoral Afro-Brasileira (PAB) desde a Campanha da Fraternidade (CF) de 1988, ou seja, no seu surgimento. Quanto ao convite, acredito ter sido indicada pelo assessor nacional da

Leonardo Meira /JS

Uma semana inteira de celebrações, festas, procissões e apresentações de congadas. Cada palmo de chão sendo disputado para que nada passe despercebido aos olhares atentos do povo de Aparecida (SP) e dos milhares de turistas que participam da festa. A fé em São Benedito é a explicação para o aglomerado de pessoas que há 103 anos lota a cidade de Aparecida e diversas outras pelo país. O evento é objeto de estudo de Vera Lúcia Lopes, que realizou um trabalho científico sobre as festas do catolicismo popular, tendo o foco nos festejos de São Benedito que acontecem em Aparecida. A pesquisadora também é bacharel em Ciências da Religião e membro do Grupo de Trabalho das Educadoras Negras da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). “Frequento as Festas de São Benedito há mais de duas décadas. Comecei a estudar as particularidades da vida desse e de outros santos e santas negras. São Benedito chama a minha atenção pelo número de devotos e por ser festejado em muitos lugares, todos os meses”, explica Vera Lopes, que concede entrevista exclusiva ao JS.

PAB na CNBB, padre Ari Reis, e confirmada pelo meu pároco e bispo, pois participo da Diocese de Osasco (SP). Pelo trabalho e compromisso com a Igreja e com o meu povo negro, sou a pessoa referência para as articulações da PAB no Regional Sul-1 da CNBB (Estado de São Paulo). O Grupo de Trabalho (GT) é constituído por mulheres negras que são referência na PAB em seus regionais da CNBB. Atualmente, reunimo-nos com foco pedagógico para iniciar uma dupla elaboração de um subsídio para auxiliar as reflexões e ações missionárias da Igreja Católica Apostólica Romana. O foco está na evangelização em todos os grupos, tendo o recorte étnico racial. O trabalho é complexo, porque queremos tratar dessa temática fundamentando nossos textos nos documentos da Igreja que buscam tratar a preferência de Jesus Cristo pelos rostos sofredores. Temos isso nos documentos do Concilio Vaticano II, no Documento de Puebla e no de Aparecida. A questão dos afros merece destaque, tratando com bastante ênfase a inculturação.

Vera – O último senso do IBGE revelou que os negros afro-brasileiros somam (negros e pardos) 51,07% e, mesmo com essa porcentagem, ainda precisamos lutar pelas garantias de direitos constitucionais de igualdade. A comunidade negra afirma que avançamos e ainda precisamos, a exemplo de Zumbi dos Palmares, continuar resistindo. Não queremos ser melhor e nem “pior”, queremos apenas igualdade de oportunidades. JS – Qual é o maior desafio em atuar na defesa da igualdade racial? Vera – Buscar não negros (outras etnias) que entendam a nossa luta e venham a se tornar solidários à causa. Essa pessoa pode ser você, que nos lê.

“Pude comprovar que as festas do catolicismo popular garantem um espaço de aprendizado, resistência e reorganização social. Os festejos de São Benedito em Aparecida fornecem com propriedade esses elementos”


4

ATUALIDADES

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 DE ABRIL DE 2012

PREPARAÇÃO | COLETIVA DE IMPRENSA NO VATICANO REVELA DETALHES DO EVENTO

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

“A Jornada Mundial da Juventude no Rio já começou, e não somente no Brasil: falamos da preparação, uma verdadeira peregrinação de uma JMJ à outra”, enfatiza o presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanislaw Rylko. A Sala de Imprensa da Santa Sé acolheu uma coletiva, na manhã do dia 2 de abril, para falar sobre a preparação para o encontro. A 27ª Jornada acontecerá na capital fluminense entre os dias 23 e 28 de julho, com o tema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (cf. Mt 28,19). O encontro no Brasil acontece a apenas dois anos do anterior, um tempo menor do que o habitual triênio que separa uma jornada da outra. Isso acontece para evitar a sobreposição com a Copa do Mundo, programada para 2014. Dessa forma, os organizadores já colocarão em campo uma série de ações, como o site rio2013. com, disponível em cinco línguas, e a presença incisiva nas redes sociais – já são mais de 600 mil pessoas atingidas pelo facebook e twitter, segundo dados apresentados pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta.

O prelado destacou que se prevê o envolvimento de 60 mil voluntários e, até agora, 16 mil pessoas já se inscreveram para isso. O concurso para a escolha do hino recebeu 180 letras e o próximo passo será o concurso para a música. A apresentação do hino oficial será feita um ano antes da JMJ. Dom Orani também explicou que as inscrições para os grupos de peregrinos estarão abertas a partir de julho. “Após 25 anos da JMJ em Buenos Aires, a América Latina terá a oportunidade de revitalizar o impulso missionário entre os jovens e reforçar a opção preferencial por eles. A Jornada será uma oportunidade para oferecer um crescimento nos valores cristãos de solidariedade, justiça, esperança e coragem para as novas gerações”, destacou. O presidente da comissão governamental que trata sobre a Jornada, Luiz Carlos Pugialli, assegurou o pleno apoio das instituições em todos os níveis e sublinhou que, para o Brasil, a JMJ é um evento tão importante quanto a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016. Novidades Uma das características da Jornada no Rio é a transformação da préJornada de Dias nas dioceses em Semana

Coletiva na Sala de Imprensa da Santa Sé

Missionária, conforme explicou o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB e BispoAuxiliar de Campo Grande (MT), Dom Eduardo Pinheiro da Silva. Isso acontece porque as conclusões da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho (Celam) estão sintetizadas no próprio tema da JMJ 2013, além do fato de que a Jornada acontecerá no contexto do Ano da Fé, proclamado pelo Papa para o período de outubro de 2012 a outubro de 2013. É provável que uma das etapas da tradicional Via-Sacra da JMJ aconteça em uma favela. Além disso, o

Cardeal Rylko revelou que começa a se trabalhar a hipótese de que o próximo evento aconteça, pela primeira vez, na África. Ele também abordou os resultados do encontro internacional dos encarregados da pastoral juvenil, que aconteceu entre 29 e 31 de março em Rocca di Papa (Itália), uma espécie de divisor de águas entre a JMJ Madri 2011 e Rio 2013.

Paz, do qual o Cardeal Van Thuan foi presidente. • A vida do Bispo Prelado Emérito de São Felix do Araguaia (MT), Dom Pedro Casaldáliga, de 84 anos, vai se tornar minissérie em tevês espanhola e brasileira. O missionário espanhol chegou ao Brasil em 1968. A minissérie “Terra Roxa” será produzida pela TV Brasil, TVc, TVe e Raiz Produções Cinematográficas. Dom Pedro defendeu a democracia em - militar e enfrentou latiplena ditadura fundiários e posseiros de terras. • Bento XVI visita o Líbano de 14 a 16 de setembro. É o que revela o Patriarca de Antioquia e chefe da Igreja Melquita (Síria), Gregório III Laham. Na ocasião, o Papa entregará o docu-

mento conclusivo (Exortação Apostólica) do Sínodo dos Bispos sobre o oriente Médio, realizado no Vaticano em 2010. Será a segunda viagem de Bento XVI à região, após a histórica visita que efetuou em maio de 2009 à Jordânia, Israel e territórios palestinos. • São numerosos os relatos de graças atribuídas à intercessão do Beato João Paulo II e que podem auxiliar no processo de Canonização do Papa polonês. É o que afirmou o postulador da Causa, padre Slawomir Oder, no dia 2 de abril, data em que se completaram sete anos do falecimento do Pontífice. O Direito Canônico prevê que, para a canonização, é necessário um novo milagre atribuído à intercessão do beato a partir da data da beatificação.

Saiba mais sobre a JMJ Rio 2013. Acesse www.rio2013.com

Curtas • As Obras Sociais Irmã Dulce registraram 135% de aumento no número de visitas em 2011. Após a beatificação da religiosa baiana, não para de crescer o número de turistas do Brasil e do exterior em visitas ao Memorial Irmã Dulce (MID) e ao Santuário da Bem-aventurada. Dos quase 90 mil visitantes que passaram pela instituição no ano passado, 5% eram estrangeiros. • Mais de cinco mil jovens espanhóis agradecem ao Papa Bento XVI por sua viagem a Madri, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude 2011. Eles foram recebidos em audiência no dia 2 de abril, na Sala Paulo VI, no Vaticano. “Cristo necessita-os a seu lado para estender e edificar seu Reino de caridade”, disse o Pontífice. • A Sexta-Feira Santa deste ano foi feriado em Cuba pela primeira vez desde a revolução que implementou o regime comunista na Ilha, em 1959. A decisão das autoridades governamentais atendeu a um pedido que o Papa fez pessoalmente ao presidente Raúl Castro durante sua recente viagem ao país, entre os dias 26 e 28 de março. • Os Franciscanos e as Clarissas de todo o mundo celebram com um “Ano Clariano” o VIII centenário da chamada conversão e consagração de

Santa Clara de Assis (1194-1253), que aconteceu no Domingo de Ramos de 1211 ou 1212. “É uma conversão ao amor. Não usará mais as roupas refinadas da nobreza; sua elegância será uma alma dedicada ao louvor de Deus e à entrega de si mesma”, escreve o Papa em uma carta endereçada ao Bispo da Diocese de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino, Dom Domenico Sorrentino. • Bento XVI doa 100 mil dólares em favor da população da Síria e financia projetos de desenvolvimento agrícola em dioceses cubanas. O Pontifício Conselho Cor Unum, órgão que manifesta de forma concreta a caridade do Santo Padre, lembra que o Papa já lançou diversos apelos pelo fim da violência na Síria. Já os projetos em Cuba são o primeiro fruto concreto da visita do Pontífice à Ilha. • O Arcebispo de Canterbury e Primaz da Igreja Anglicana, Rowan Williams, anunciou sua aposentadoria à Rainha Elizabete II, considerada a líder suprema da comunidade eclesial. Ele permaneceu durante dez anos no posto. • Crescem as esperanças da Igreja no Vietnã para a Beatificação do Cardeal Xavier Van Thuan, que foi detido sem julgamento e viveu preso durante treze anos. Falecido em 2002, seu processo de beatificação foi aberto em 22 de outubro de 2010, sob proposta do Pontifício Conselho Justiça e

André Luiz da Rosa / Canção Nova Roma

JMJ Rio 2013 já começou, afirma Cardeal Rylko


Santuário acolhe a 50ª Assembleia dos Bispos do Brasil

Façamos a experiência do Deus-Amor, contemplando o crucificado Padre Darci Nicioli, Reitor do Santuário Nacional

Central de reservas de hospedagem

O Santuário Nacional criou um novo serviço para todos que se hospedam em Aparecida: a Central de Reservas. A intenção é implementar um novo conceito de hospedagem, oferecendo a você e sua família, aos grupos e romarias, hotéis com conforto e ótimos serviços. Afinal, a Casa da Mãe Aparecida é a nossa casa. Os hotéis cadastrados estão localizados a 700 metros do Santuário Nacional. Além de hospedagem com ótima localização e qualidade de serviços, a Central de Reservas possibilita descontos especiais para romarias organizadas, grupos, participantes de encontros e congressos. As reservas podem ser feitas por telefone. Ligue (12) 3104-1010 ou escreva para reservas@santuarionacional.com.

setembro, iremos inaugurar o primeiro hotel na Cidade do Romeiro. Para 2013, todos os bispos já poderão se alojar em nossos hotéis. Por enquanto, os bispos ficarão hospedados em hotéis da cidade.” Além de toda a estrutura do Santuário, também estará à disposição da Assembleia a Rede Aparecida de Comunicação. A intenção é facilitar a divulgação dos assuntos tratados durante o encontro e promover a maior proximidade Bispos reunidos durante a entre os bispos e o Assembleia de 2011 Povo de Deus.

Arquivo

O Santuário Nacional acolhe a 50ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) entre os dias 17 e 23 de abril. Desde o ano passado, a Casa da Mãe Aparecida é sede permanente da Assembleia, que reúne cerca de 400 bispos de todo o país. Para que o evento aconteça, o Santuário investiu em infraestrutura, com espaços específicos para esse encontro. “Toda a estrutura do Centro de Eventos padre Vítor Coelho de Almeida está pronta. Tenho certeza de que os bispos serão bem acolhidos e poderão tratar de uma forma adequada os assuntos relacionados à Igreja”, explica o reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli. O sacerdote também lembra que o Santuário fez um cronograma de investimentos. “Para a Assembleia deste ano, deixamos pronto o Centro de Eventos e, em

Dê carona para a solidariedade O Santuário Nacional promove, pelo terceiro ano consecutivo, o projeto Dê Carona para a Solidariedade. A ação social vai sortear um veículo Renault Sandero modelo 2012 e tem como objetivo auxiliar o Santuário Nacional no repasse financeiro à Santa Casa de Aparecida. Cada cupom é vendido pelo valor de R$ 2,00, até o dia 21 de dezembro, data em que ocorre o sorteio. No ano passado, a ação sorteou uma réplica do automóvel Porsche Spyder 550, modelo de 1955. O cupom sorteado foi o de número 010963, e a ganhadora foi Débora M. Bosquero, da cidade de Brotas (SP). Qualquer pessoa pode concorrer. Basta adquirir os bilhetes, vendidos somente no local onde o veículo está exposto, no Ponto de Encontro do Centro de Apoio ao Romeiro, no pátio da Basílica. Vale lembrar que ninguém está autorizado a vender em nome do Santuário Nacional. O resultado será divulgado no portal www.A12.com.

FIQUE LIGADO

Missas Segunda a sexta: 7h - 9h (TV) - 10h30 - 12h - 16h Sábado: 6h30 - 9h (TV) - 10h30 - 12h - 16h - 18h (TV) Domingo: 5h30 - 8h (TV) - 10h - 12h - 14h - 16h - 18h (TV) Bênçãos (ao final de todas as missas) Confissões Segunda a sexta: 7h30 às 11h - 14h às 16h Sábado: 6h30 às 11h15 - 13h30 às 16h45 Domingo: 6h30 às 11h15 - 13h30 às 16h Batismo Segunda a sexta: 10h e 15h Sábado: 9h - 10h - 11h - 14h - 15h Domingo: 8h - 9h - 10h - 11h - 14h - 15h Piedade Popular Consagração a Nossa Senhora Segunda a sexta: 11h (TV) e 15h - Sábado: 15h Hora Mariana (Terço) - Segunda a sábado: 14h Novena Perpétua - Quarta: 15h15 e 19h30 Procissão Eucarística - Quinta: 10h Procissão Luminosa do Terço - Sábado: 19h Procissão Mariana - Domingo: 6h30 Encontros Especiais Coordenadores de Romarias: Sábado: após missa das 9h Domingo: após missa das 8h Local: Sala dos Coordenadores de Romarias (ao lado da Sala de Confissões) Plantão Religioso Segunda a sexta: das 17h às 18h Telefone para informações: (12) 3104 1000 Horários de Missa - Matriz Basílica Horário das Missas Segunda, Quarta e Quinta: 7h e 18h (TV) Terça: 7h, 16h (missa dos doentes) e 18h (TV) Sexta: 7h, 18h (TV) e 19h30 Sábado: 15h e 19h Domingo: 19h30 Bênçãos (ao final de todas as missas) Telefone para informações: (12) 3105 1517

Orientações para Batismos no Santuário Nacional Confira as orientações e documentos necessários para celebrar o Sacramento do Batismo no Santuário Nacional. • Batismo de crianças – Autorização (transferência) por escrito do pároco responsável pela paróquia dos pais da criança para que ela seja batizada no Santuário Nacional. Deve conter o nome dos pais, assinatura do pároco e carimbo da paróquia. – Atestado do curso de preparação para o batismo dos pais e padrinhos, que deve ser feito em suas respectivas cidades. – Certidão de nascimento da criança.

• Batismo de adultos (É considerado adulto quem já possui idade superior a 7 anos de idade) – A própria pessoa que será batizada deverá apresentar comprovante de participação na Catequese para o Batismo, a 1ª Comunhão e o Crisma. Essa preparação deve ser realizada em sua cidade, com o catequista responsável. – Autorização (transferência) por escrito do pároco, contendo a assinatura e o carimbo da paróquia a que pertence, constando que o interessado está devidamente preparado. – Certidão de nascimento ou documento de identidade (RG).

``

– Atestado dos padrinhos do curso de preparação para o batismo, que deve ser feito em suas respectivas cidades. No Santuário Nacional não é realizado curso de batismo. • Orientações Gerais Não é necessário marcar o batismo. Basta chegar uma hora antes do horário escolhido, trazendo os documentos necessários, e se dirigir ao Setor de Batismo, localizado no subsolo do Santuário. Informações através do telefone (12) 3104-1560


6

Transplantes

Jornal Santuário de Aparecida • 8 DE abril DE 2012

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS | BRASIL POSSUI MAIOR atendimento via SISTEMA PÚBLICO NO MUNDO

Eduardo Gois eduardo.jornal@editorasantuario.com.br

No dia 17 de outubro de 2005, as vidas de Darci Postal, mais conhecido como “Seu Nenê” da churrascaria, então com 52 anos, e de seu genro Marne Crozariol, que na época tinha 31 anos, mudariam de uma vez por todas. “Seu Nenê” não teria mais de suportar a espera para fazer um transplante de fígado. Nesse dia, seu genro doou 60% do seu órgão para o sogro. Um ato de amor e amizade que não espera troca nem agradecimentos, apenas trazer de volta a felicidade a toda a família. Mas antes de contar essa história, é preciso voltar um pouco no tempo. Dono de uma das churrascarias mais conhecidas em Taubaté (SP), Darci Postal trabalhava normalmente no ramo há cerca de 40 anos. Porém, em 2005, sua saúde foi ficando cada vez mais comprometida por conta de uma hepatite C e de cirrose hepática. Era preciso urgentemente um transplante de fígado. Com suas filhas abaixo da estatura e peso mínimo para serem doadoras, Marne não pensou duas vezes e ofereceu-se para ser doador, uma vez que esperar na fila de doação de órgãos poderia ser muito arriscado. Daí em diante, seria preciso somente que houvesse a compatibilidade, identificada após uma bateria de exames. Foi no Albert Einstein, em São Paulo (SP), um dos hospitais mais conceituados do mundo, que “Seu Nenê” e Marne submeteram-se a 12 horas de cirurgia, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Embora seja particular, a instituição também atende uma demanda de pacientes por meio de uma política de filantropia. Essa história ilustra um dado bastante positivo em meio ao cenário de descaso da saúde pública no país: o Brasil desponta como o maior sistema de transplantes públicos do mundo, com 95% dos procedimentos feitos inteiramente

pelo SUS. Entre 2003 e 2011, o investimento em transplantes aumentou de R$ 327 milhões para R$ 1 bilhão e 300 milhões. Ou seja, um crescimento superior a 400%. No ano passado, foram 23.397 transplantes realizados no país. Os Estados-referência no assunto são Santa Catarina, São Paulo, e Ceará, com uma média acima de 20 doações por milhão de pessoas, o dobro da média nacional, que atualmente é de 10 doações por milhão. O Ministério da Saúde quer aumentar a média nacional em 50% até 2015. De acordo com o médico especialista em cirurgia e transplantes do aparelho digestivo, doutor Matheus Rassi, que atua no Hospital Geral de Goiânia, essa meta faz parte de uma política de saúde pública federal que se baseia principalmente em investimentos na interiorização e na especialização de profissionais para trabalhar com transplantes, bem como no incentivo à criação de núcleos transplantadores no país. Rassi explica que o cenário brasileiro é muito heterogêneo. “Os principais centros do país são localizados nas grandes metrópoles, no Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Há uma carência muito grande no centro-oeste e norte do país; por isso, há um interesse do governo em interiorizar os transplantes para suprir a demanda de outras localidades.” Por meio do Sistema Nacional de Transplantes, foram 54 novas centrais inauguradas no Brasil em 2011, mas esse número ainda não chega a um patamar que atenda toda a necessidade dos brasileiros. Em algumas especialidades, há filas com mais de 19 mil pessoas à espera de um órgão. “Sem dúvida é um quadro que passa por uma cena política notável, mas, apesar disso, há necessidades de investimentos na política de divulgação e captação de órgãos, além de haver carência de investimentos na área hospitalar e de formação de profissio-

“Seu Nenê” e Marne Crozariol: doação foi crucial para salvar a vida do sogro

nais especializados para que se tenham unidades de saúde capacitadas e equipadas”, lembra Rassi. O Presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), doutor José Osmar Medina Pestana, ressalta que o atual sistema de transplantes é uma organização que foi se estabelecendo com o tempo e adquiriu o crédito da população. O próximo passo necessário é investir em transporte, identificação de doadores e na conscientização da população de que é necessário doar os órgãos após a morte. “É uma forma de a pessoa falecida continuar ajudando a população.” Para Pestana, hoje, há muito menos preconceito do que desconhecimento. Nas comunidades onde as pessoas conhecem os transplantes e há uma estrutura que permita a doação de órgãos, o número de doações é maior. O médico destaca principalmente os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. “Nessas localidades, a comunidade já entendeu os benefícios dos transplantes. Quando há conhecimento e informação, a maioria das pessoas é favorável”, acredita. Conhecimento é ferramenta eficaz Na opinião do especialista Rassi, o preconceito ainda é uma situação bastan-

Arquivo Pessoal

Doe vida!

te presente, mas tudo pode ser resolvido com o esclarecimento da população. Ele cita como exemplo o Estado de São Paulo, que tem grandes índices de doação, e critica outras regiões que carecem de mais esclarecimento. “Embora tenhamos casos isolados, ainda há uma carência muito grande de conscientização da população.” “Seu Nenê”, o personagem real do começo desta reportagem, também partilha da opinião de que as políticas de divulgação aplicadas atualmente ainda não são eficazes o suficiente. “O governo deveria divulgar mais as informações sobre transplantes, porque isso facilita o acesso das pessoas. Ainda acho a divulgação muito fraca.” O bom dessa história é que as experiências vividas por “Nenê” e Crozariol agora são refletidas na internet, com o objetivo de ajudar pessoas que passam pelo drama do transplante. Marne criou um blog – www.transplanteevida.blogspot.com –, onde divulga todo tipo de informação que possa contribuir para a conscientização de pacientes que passam por essa situação. Lá ele deixa claro que todos podem ser potenciais doadores e devem manifestar em vida, para seus familiares, esse desejo. Por meio do site também é possível obter informações sobre os mais diversos tipos de patologia e variedade de transplantes.


Jornal Santuário de aparecida • 8 de abril de 2012

7

novidades para os transplantados Segundo a Agência Brasil, desde o dia 20 de março, a distribuição do medicamento Tracolimo, imunossupressor fundamental para evitar a rejeição

de órgãos transplantados, sobretudo rins e fígado, será feita integralmente com tecnologia brasileira. A produção é fruto de parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o laboratório nacional Libbs Farmacêutica. Cerca de 25 mil pessoas que fizeram transplantes precisam tomar esse

medicamento diariamente, pelo resto da vida, para diminuir a atividade do sistema imunológico, efeito necessário para contornar a rejeição ao órgão transplantado. Antes, as cápsulas, oferecidas gratuitamente aos pacientes pelo Ministério da Saúde, eram importa-

das. Com a produção nacional, o país vai economizar cerca de R$ 240 milhões. A parceria será de cinco anos e a primeira carga, com aproximadamente 6 milhões de unidades farmacêuticas, já está sendo distribuída para as secretarias estaduais de saúde.

a ordem de inscrição sejam totalmente respeitados. Portanto, a fila de espera por um órgão não funciona unicamente por ordem de inscrição. Primeiro, o órgão precisa ser compatível com o receptor. Depois é selecionado, dentre aqueles compatíveis, quem tem maior tempo de espera na lista. Para isso, conta-se com um programa de computador que faz a distribuição dos órgãos de forma muito bem determinada.

comum. Em situações especiais, pode-se doar parte do fígado ou do pulmão. Do doador falecido podem ser retirados para transplante: duas córneas, dois rins, dois pulmões, fígado, coração, pâncreas, intestino, pele, ossos e tendões. Um único doador pode salvar muitas vidas.

10 perguntas frequentes

2 – se no momento da minha morte os meus familiares não assinarem o termo de doação de órgãos, mesmo que eu tenha manifestado em vida a minha vontade, o que acontecerá com os meus órgãos? Nada. Ninguém irá retirá-los, pois os seus familiares não concordaram com a doação. Por esse motivo, é muito importante que os seus familiares diretos estejam bem esclarecidos da sua vontade. Quando isso acontece, ela é sempre respeitada. 3 – Qual é a diferença entre morte encefálica e coma? Quem está em coma pode doar órgãos? A morte encefálica, comumente conhecida como morte cerebral, representa a perda irreversível das funções vitais que mantêm a vida, como perda da consciência e da capacidade de respirar, o que significa que o individuo está morto. O coração permanece batendo por pouco tempo e é nesse período que os órgãos

4 – É muito difícil fazer o diagnóstico diferencial entre morte encefálica e coma? Não. Por meio de exame clínico é possível fazer o diagnóstico de cada um deles. Esse é um processo frequente e muito seguro no Brasil, que possui um dos protocolos de morte encefálica mais rígidos do mundo. No nosso país, a morte encefálica precisa ser confirmada por dois médicos especialistas e por exames específicos, o que torna o diagnóstico seguro. 5 – Como os órgãos são distribuídos? existe uma fila dos receptores de órgãos? Todo paciente que necessita de um transplante precisa obrigatoriamente estar inscrito em uma Central de Transplantes da Secretaria de Estado da Saúde distribuída pelos diferentes estados do Brasil. No registro são colocados os dados do candidato ao transplante e, a partir de então, ele aguarda por um órgão que seja compatível com as suas características. As filas são controladas pelas Centrais de Transplantes de tal forma que os critérios médicos e

6 – Os órgãos podem ser vendidos? Quanto custa cada um deles? Não! Qualquer manifestação de vender ou comprar órgãos é crime. Nenhum transplante de órgãos é realizado no Brasil sem o conhecimento das Centrais de Transplantes das Secretarias de Estado da Saúde, portanto essa possibilidade não ocorre. Doação é um ato de livre e espontânea vontade e de amor ao próximo. 7 – notícias sobre pessoas que foram sequestradas e tiveram os seus órgãos retirados têm fundamento? Não. O transplante é uma operação muito delicada e realizada somente em Centro Cirúrgico e em Hospitais Especializados. Os órgãos são distribuídos para esses hospitais pelas Centrais de Transplantes. Portanto, essas notícias são completamente infundadas e prestam total desserviço à população. 8 – Quais os órgãos podem ser doados em vida e quais podem ser doados após a morte? A falta de doadores falecidos faz com que se utilize a doação intervivos. Nesse caso, é possível doar um dos rins, que é o transplante intervivos mais

9 – Todo indivíduo em morte encefálica é doador? Conheço famílias que doaram, mas os órgãos não foram utilizados. Isto é possível? Sim. Há casos em que as famílias querem doar, concordam com a doação, mas os órgãos não podem ser utilizados. Isso acontece se o doador for portador de doença infectocontagiosa, tiver permanecido por tempo prolongado em choque ou tiver diagnóstico de câncer. Em situações raras, a distância entre o doador e o receptor pode comprometer a qualidade de preservação do órgão. Nessas situações, as famílias são comunicadas sobre o motivo da recusa dos órgãos e não devem ficar aborrecidas, pois a vontade do doador foi totalmente respeitada. 10 – Como fica o corpo do doador após a retirada de múltiplos órgãos? Fica muito deformado? A retirada de órgãos é um procedimento cirúrgico muito delicado, que não causa a mutilação do corpo. São retirados apenas os órgãos para ser transplantados, como se fosse uma cirurgia de rotina. Após o procedimento, o corpo é liberado aos familiares para o sepultamento. Fonte: Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO)

Ministério da Saúde: Sistema nacional de transplantes

1 – É difícil ser um doador de órgãos? Não. É muito fácil e não exige nenhuma burocracia. Basta você conversar com os seus familiares e deixar bem claro a sua vontade de doar. Não há necessidade de deixar nenhum documento assinado, pois os órgãos somente são doados com a autorização expressa dos familiares.

podem ser utilizados para transplante. O coma representa uma lesão cerebral grave, mas que pode ser reversível e, portanto, o paciente não é doador de órgãos. A morte encefálica também não deve ser confundida com o estado vegetativo persistente, em que o paciente tem uma lesão cerebral, permanece em coma por meses ou anos, mas mantém a capacidade de respirar. No entanto, se o indivíduo em coma ou em estado vegetativo persistente evoluir para um quadro de morte encefálica, que é irreversível, poderá tornar-se um doador.


8

ARTIGOS

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 de abril de 2012

DIALOGANDO E ESCLARECENDO (PADRE CIDO PEREIRA)

“Fiquei muito doente quando tinha apenas 15 dias de vida e morava na roça. Então minha mãe pediu aos missionários que fossem me batizar e crismar no mesmo dia. Hoje tenho 83 anos de idade e quero saber se meu batismo e minha crisma são válidos.” (Maria Aparecida, São Paulo-SP)

Dona Maria Aparecida, veja só. Se a Igreja ensina que em caso de risco de morte qualquer pessoa pode batizar, por que o seu batismo não seria válido tendo sido ele feito por um missionário? O mesmo vale para a crisma. Fique tranquila, então. A senhora está batizada e crismada. Mas a sua pergunta, dona Maria Aparecida, permite-me ir mais longe e lembrar algumas formas de se batizar. Existe o batismo solene, na igreja, com todos os ritos previstos pela Igreja. É uma cerimônia linda, cheia de símbolos e que chega ao ponto máximo quando o sacerdote derrama água na cabeça da pessoa e diz: “Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Existe também o batismo de emergência, que é aquele que a senhora recebeu porque corria o risco de morrer. Sua mãe chamou os missionários. Nem era

preciso, porém. Ela mesma ou alguém da família poderia ter pego água e batizado a senhora. Esses batizados de emergência a Igreja recomenda que, se a criança se recuperar, ela seja levada à Igreja para realizar aqueles ritos que não foram realizados. Só não se derramará mais água na cabeça dela porque ela já foi batizada. Existe também o batismo de desejo. Alguém se preparava para o batismo e morreu. Os pais de uma criança tinham preparado o batismo dela, e ela morreu de repente. A Igreja entende que esta pessoa é filha de Deus como se tivesse sido batizada. E existe, enfim, o batismo de sangue, quando alguém que não é batizado dá sua vida por Cristo através do martírio. Então, dona Maria Aparecida, viva seu batismo, viu! Viva sua fé. E que Deus abençoe a senhora e a sua família.

VIDA EM FAMÍLIA (ROBERTO GIROLA – PSICANALISTA)

Solidão e a capacidade de estar só O filme O náufrago relata a história de Chuck Noland (Tom Hanks), um executivo da FedEx que sobrevive à queda do avião da empresa, nadando até uma ilha deserta. Uma das cenas mais comoventes do filme mostra a terrível angústia que ele experimenta ao perder no mar uma bola de vôlei que, recuperada dos destroços do avião, ele tinha caracterizado como a cabeça de um ser humano e com a qual “conversava” ao longo dos quatro anos em que ficou sem nenhum contato com a civilização, na mais absoluta solidão. Infelizmente, no mundo que habitamos, não precisa ser um náufrago para experimentar a solidão. Mesmo quem vive no meio da civilização e tem à sua disposição centenas de “amigos” no Facebook pode experimentar esse sentimento angustiante. Todos os dias conversamos com seres humanos que são tão interativos quanto a “bola de vôlei” do Chuck Noland, com uma única diferença: a bola do náufrago pelo menos dava a impressão de que sabia escutar, enquanto no mundo dos humanos é cada vez mais raro encontrar alguém disposto a ouvir o outro. Atropelados pelo barulho da civilização, capturados pelos diálogos da novela ou do Big Brother, mergulhados no bate-estaca da balada da hora, ou nas letras sem sentido de algum pagode da moda, ficamos cada vez mais à mercê de uma solidão tão profunda que sequer a rotina maçante do trabalho e as conversas formais do dia a dia conseguem calar. Em casa as coisas podem não ser melhores, sobretudo quando todos parecem seguir seu roteiro diário, sem perceber as necessidades do outro. Somos náufragos no mar da civilização, cada um habitando uma pequena ilha deserta.

Assim como Chuck Noland ficou à mercê do seu isolamento até perder o medo de encarar os perigos do oceano e empreender o caminho de volta, nós também precisamos nos livrar dos nossos medos para poder “voltar”. Mas voltar para onde? Qual não foi a surpresa do Chuck ao voltar para o seu mundo e perceber que a vida tinha continuado o seu curso sem a sua presença. Foi doloroso constatar que a noiva já tinha se casado com outro e que não tinha mais como “voltar“ ao que era, àquilo que deixara para trás. Ele deveria encarar o mundo, consciente de que estava absolutamente só, rico de sua terrível experiência, que não poderia compartilhar com ninguém, pois só ele sabia exatamente do que se tratava. O náufrago é uma metáfora da vida, pois todos somos náufragos em busca de voltar para nós mesmos, para a enriquecedora experiência de estarmos sós. A viagem de volta nos leva, como a viagem de Odisseu, a encarar nossos fantasmas internos, as sereias que nos atraem para a morte com o seu canto (a fuga para as drogas, o álcool, o jogo etc.), a sedutora maga Circe que nos oferece o conforto em troca do esquecimento e da renúncia a nós mesmos, os Polifemos que nos querem devorar, se não formos suficientemente astutos para fugir de sua voracidade. De volta a Ítaca o único que nos reconhece é o cachorro. Lá estaremos sós e deveremos lutar pelo amor da fiel Penélope, pois quem ela esperava não era o viajante envelhecido que está no seu palácio, e sim o antigo rei guerreiro, orgulhoso e astuto. Estar só é a confortante experiência de sermos nós mesmos, sem ficar à mercê das aprisionantes expectativas do outro, podendo criar nossa própria maneira de estar no mundo de forma criativa.


COMUNHÃO

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 DE ABRIL DE 2012

9

MARIA | APARIÇÃO EM PORTUGAL E ENCONTRO DA IMAGEM NO BRASIL ACONTECERAM EM OUTUBRO

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

A cidade de Aparecida (SP) recebeu a visita de uma comitiva de OurémFátima, localidade em que fica o santuário dedicado à Padroeira de Portugal. O encontro aconteceu no dia 28 de março e incluiu visitas ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida e ao Seminário Missionário Bom Jesus. A celebração conjunta de duas datas importantes para ambas as devoções marianas foi um dos pontos centrais da agenda. Em 2017, será celebrado o 100º aniversário da aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos e, também, o 300º aniversário do encontro da imagem da Padroeira do Brasil no Rio Paraíba. “Nesse sentido, dialogamos sobre o início da preparação de uma agenda comum entre as cidades-santuário, para motivar tanto a Europa a visitar Aparecida quanto o Brasil a visitar Fátima e Portugal”, relata o reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli, C.Ss.R. O Arcebispo de Aparecida, Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, destaca ainda que o intercâmbio de experiências e o estreitamento dos laços entre os santuários resultam em uma maior propagação da devoção a Nossa Senhora. “Além, claro, de um maior número de romeiros e peregrinos”, completa.

A comitiva portuguesa foi composta por representantes do poder público e também empresários que trabalham diretamente com o setor de turismo. “A parceria que propomos é ativa, é um compromisso pró-futuro entre Aparecida e Fátima, que passe pelo estabelecimento de cidades-irmãs e até mesmo o cruzamento da atividade empresarial”, indica o presidente da Câmara Municipal de Ourém-Fátima (cargo português equivalente a prefeito, no Brasil), Paulo Fonseca. Um marco simbólico da visita foi a celebração da troca de imagens, na Capela Pontifícia do Seminário Missionário Bom Jesus. Dom Raymundo entregou ao prefeito de Fátima uma réplica da Padroeira do Brasil e, por sua vez, recebeu como presente uma imagem da Rainha dos portugueses. “Desejamos que as relações se estreitem cada vez mais, não só do ponto de vista econômico, mas também cultural, religioso e social. Essa troca de imagens realmente promove a união entre seus filhos, que desejamos que cresça e se aprofunde”, indicou o Cardeal. Turismo religioso Segundo dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), cerca de 8,1 milhões de viagens domésticas “motivadas pela fé” são realizadas anualmente. Isso representa 3,6% de todas as viagens realizadas dentro do país.

Troca de imagens acontece na Capela Pontifícia do Seminário Missionário Bom Jesus

O turismo religioso no Brasil ainda engatinha e, nesse sentido, a Europa pode ter muito a ensinar. “E nós também temos algo a dizer sobre o nosso estilo de acolher e evangelizar. Somando forças na devoção à mesma Mãe, todos têm a ganhar”, salienta padre Darci. A partir da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe (Celam), realizada em maio de 2007, a visibilidade do Santuário de Aparecida ampliou-se consideravelmente. É cada vez maior o número de romeiros provenientes de outros países da América Latina e da Europa. Além disso, a Opera Romana Pellegrinagi – associação turística ligada ao Vaticano – também estuda a inclusão de Aparecida e outros destinos religiosos do Vale do

Leonardo Meira /JS

Aparecida e Fátima promovem troca de experiências

Paraíba em seu catálogo oficial, o que deve aumentar o afluxo de peregrinos. Em 2011, mais de 11 milhões de pessoas visitaram o santuário brasileiro. Já Fátima recebeu cinco milhões de visitantes. A aproximação entre as duas cidades busca potencializar um conjunto de fatores comuns que possam incrementar as áreas econômica, social, cultural e religiosa. “As pessoas precisam ficar alojadas, fazer refeições, levar recordações de sua devoção. Isso tudo gera emprego, desenvolvimento, riqueza. Esta comitiva institucional e de empresários de diversos setores procura alavancar parcerias nesse sentido, tanto na área de devoção e espiritualidade quanto no que diz respeito ao desenvolvimento, riqueza e investimentos”, explica o prefeito de Fátima.

NOVIDADES | COMISSÃO PASTORAL DA TERRA ESTEVE REUNIDA PARA XXIV ASSEMBLEIA NACIONAL

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) realizou a XXIV Assembleia Nacional da entidade entre os dias 28 e 30 de março, com base no tema Não mais terão fome ou sede. O encontro aconteceu em Hidrolândia (GO) e promoveu a discussão, reflexão e planejamento da caminhada da Comissão. Cerca de 70 pessoas participaram da assembleia. A eleição da nova diretoria executiva nacional, o renovar dos compromissos assumidos no terceiro Congresso Nacional e a esfera de celebração entre os agentes de pastoral foram os pontos centrais do evento. O tema da pastoralidade, a retomada sobre o processo de criação da CPT e a conjuntura política e religiosa desse período, bem como a educação libertadora e transformadora foram alguns dos itens debatidos, além dos testemunhos de quem luta na contramão das estruturas de injustiça presentes na sociedade. Em uma carta final, os participantes da assembleia recordam a memória de testemunhas ativas da luta pela terra, bem como a saga dos povos indíge-

Cristiane Passos / CPT Nacional

CPT elege nova diretoria e celebra caminhada da entidade

Participantes da Assembleia em momento de espiritualidade

nas pela sobrevivência e seu processo de resistência diante dos projetos e práticas que podem comprometer suas culturas. “Reafirmamos nossa missão evangélica a serviço dos povos da terra e das águas”, indicam os participantes. O texto destaca os “impactos socioambientais, cada vez mais violentos e acelerados, que atingem diretamente toda a sociedade”. Cita ainda as mudanças aprovadas no Código Florestal, a tentativa de retirar do Executivo a prerrogativa de definir e aprovar o reconhecimento dos territórios indígenas e de comunidades quilombolas e os inúmeros

projetos que visam minar os direitos dos mais pobres como exemplos da aposta no “crescimento neocolonialista predador, concentrador de riquezas, em troca de meros projetos assistencialistas”. O documento lembra também o assassinato de quatro trabalhadores nos últimos dias, vítimas do processo de violência no campo que se torna cada vez mais latente no país. E conclui: “percebemos o risco que corre a democracia, no mundo inteiro, pelos persistentes rearranjos do poder econômico-financeiro nacional e transnacional. Despontam os riscos sobre o futuro do

Estado de Direito, na medida em que crescem, nas instituições e na sociedade, mentalidade e comportamentos que impedem a participação das maiorias nas decisões”. Nova diretoria executiva nacional O mandato da nova diretoria vai de 2012 a 2015. Confira os nomes: Presidente – Bispo de Balsas (MA) e vice-presidente da CPT entre 2009 e 2012, Dom Enemésio Lazzares Vice-presidente – Bispo de Três Lagoas (MS), Dom José Moreira Bastos Neto Diretoria – Edmundo Rodrigues (CPT Tocantins), Isolete Wichinieski (CPT Goiás), Flávio Lazzarin (CPT Maranhão) e Jane Silva (CPT Pará). Suplentes: Frei Luciano Bernardi (CPT Bahia) e Thiago Valentin (CPT Ceará)

Saiba mais sobre a CPT. Acesse www.cptnacional.org.br


SE LIGA AÍ

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 DE ABRIL DE 2012

goodenoughmother.com

10

COMUNICAÇÃO | TELEFONE MÓVEL FAZ PARTE DO COTIDIANO. RECEITA IDEAL É USAR COM EQUILÍBRIO

Celular e juventude: saiba mais sobre essa relação

O telefone celular não é acessório, tampouco um item raro no bolso dos brasileiros. Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o país teve mais de 240 milhões de acessos na telefonia móvel em 2011. Os dados mais recentes indicam que há cerca de 250 milhões de telefones celulares ativos, ou seja, mais aparelhos do que habitantes. Uma boa fatia desses números deve-se à comunicação entre os jovens. Apesar de o aparelho ter sido inventado para atender à demanda dos executivos nos anos 1980, caiu nas graças da geração digital dos anos 2000 e se tornou uma verdadeira coqueluche. Tudo isso fez com que surgissem novos hábitos culturais, potencializados nos últimos anos com a rapidíssima evolução das plataformas móveis, como os smartphones e tablets. Esses avanços foram possíveis graças a uma geração que foi socializada com a presença constante de computadores, games e internet, além dos próprios celulares. O fato é que estamos encravados no limiar entre a sociedade analógica e a digital. “As mídias móveis e as tecnologias digitais popularizam-se,

integram-se à vida cotidiana. É uma realidade social ampla. Nenhum jovem nasce sabendo utilizar essas tecnologias, mas são apresentados a elas desde muito cedo e, assim, tornam-se protagonistas desse cenário”, ressalta o mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), analista de mídias sociais e consultor, João Francisco de Lemos. E o celular serve para muito mais coisas do que fazer ligações: acesso à web, redes sociais, games e aplicativos são algumas das opções. O carro-chefe da grande maioria das interações feitas pelos jovens por meio do aparelho é a comunicação com os amigos e o grupo de afinidades. Como a interação via celular é normal para essa faixa etária, a questão da identidade digital levanta opiniões favoráveis e contrárias ao uso do aparelho pelos jovens. A questão central é se os jovens se dão conta da extensão de sua exposição na vida digital, onde os celulares ocupam um papel central. Opiniões diversas A lista dos “riscos e perigos” da imersão dos jovens no universo digital é ampla, assim como o elenco dos benefícios de estar plenamente integrado com as novas formas de se comunicar.

vida. “O uso da tecnologia não deve ser ignorado, mas sim equilibrado com as circunstâncias e demandas de cada jovem”, acredita João. É claro que a importância de praticar esportes, se exercitar, conhecer a natureza e o mundo fora da tela devem ser incentivados, mas isso não significa que a tecnologia deva ser eliminada. “Não é mais possível estar desconectado, tampouco ter uma visão tradicional e reproduzir medos do passado. O celular com internet abre mais portas ainda. A questão-chave é não encarar essas portas como negativas, mas incentivar seus usos positivos e participar do mundo do jovem”, acrescenta o consultor. Apesar de ser outra plataforma, também aqui são os pais e outros agentes responsáveis pelo jovem que devem ajudá-lo a entender os limites, e não apenas proibir o uso. A estrada é irreversível, e é bom que seja assim. O uso positivo ou negativo do celular não procede da tecnologia, mas de toda a escala de valores e relações tecidas na família, na escola e nos outros grupos frequentados pelo jovem. Arquivo Pessoal

Leonardo Meira leonardo.jornal@editorasantuario.com.br

Uma pesquisa feita em Flandres, na Bélgica, com 1.656 estudantes, de 13 a 17 anos, revelou que o uso do celular à noite é prática recorrente entre os adolescentes, e isso está diretamente relacionado ao aumento do nível de cansaço desses jovens após algum tempo. Isso porque muitos passam a noite toda conversando via mensagens de texto ou conectados à internet. Há também quem não consiga se separar do celular nem por um segundo. Viagens para locais em que não há cobertura de sinal, então, tornam-se uma verdadeira tortura. “Quando isso acontece, essa abstinência, os sinais são perceptíveis: impaciência, desespero, ansiedade, falta de atenção no presente. Ou seja, o jovem conecta-se com a falta, e não com a presença”, avalia o psicólogo clínico Odair Comin. “A privação do sono é o que pode causar mais estragos”, alerta o médico hebiatra Maurício de Souza Lima. Ele relata que, além de distração nas aulas e mau desempenho nas provas, as noites mal dormidas comprometem a produção do hormônio do crescimento (GH), responsável pelo estirão puberal, a esticada típica da adolescência. No entanto, é preciso também olhar para a faceta positiva da questão. Se tanto se fala sobre uso excessivo dessa tecnologia, é preciso analisar o problema sob o ponto de vista do conteúdo que é consumido, e não tanto do tempo gasto, conforme orienta o consultor João Francisco. “Em dez minutos, um jovem pode acessar um conteúdo que o influencie negativamente. Mas, por outro lado, pode passar duas horas lendo artigos de jornais em seu tablet. Não é só o tempo, mas a qualidade desse tempo que importa.” O desafio talvez seja entender que essas tecnologias derrubam as fronteiras entre o off e o on-line, de tal forma que a dimensão digital deve ser observada como algo que pode e deve, sim, estar integrada às outras situações da

João Francisco acredita que as tecnologias devem estar integradas às outras situações da vida, e não serem eliminadas

Confira as entrevistas na íntegra. Acesse http://bit.ly/celularejuventude


#

4a

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 DE abril de 2012

NOSSA SENHORA

LITURGIA

1a

ano 111 • nº 5.587 • 8 de abril DE 2012

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 1º DE MAIO de 2011

Soledade de Maria: o sim do Calvário! (Pe. ANTONIO CLAYTON SANT’ANNA, C.Ss.R.)

As cerimônias, procissões, imagens religiosas e simbólicas da Semana Santa ainda atraem milhões de pessoas. Nas igrejas falta espaço para acolher os fiéis. Entramos num oásis de espiritualidade em meio ao deserto da descrença imposto pela “camisa de força” da lei do mercado no feriadão da Páscoa: turismo, viagens, praia, passeios, diversões. Agitação, barulho, novidades. As relações econômicas atuais têm o estigma da competição feroz, da concorrência desleal, da corrupção espraiada. É preciso preencher o tempo, buscar benefícios imediatos nas trocas de interesses. São relações solitárias e não solidárias. Não há partilha de pessoas em sua dignidade e dons. Se por seu lado a globalização econômica multiplica contatos e ramifica relações isoladas de consumação pascal sem aproximar corações nem criar mais solidariedade, a Semana Santa celebra a Mãe das Dores, a mulher da solidão solidária, a Maria irmanada às nossas dores e sofrimentos de todo tipo. Ela é mãe dolorosa junto à cruz do Filho e junto às nossas cruzes, pequenas ou grandes. Nas procissões e igrejas a imagem dessa mulher recorda-nos a hora suprema de Jesus da qual ela é inseparável. Por sua dolorosa solidão ela derrama consolo, conforto, esperança nas comunidades cristãs que celebram a passagem da cruz ao túmulo glorioso. A imagem de Nossa Senhora Reprodução das Dores ou da Soledade projeta para nós a figura exemplar daquela mulher bíblica, a nova Eva, peregrina no êxodo ou na via humilde e não raro sofrida da fé. A agonia e morte de Jesus, a descida do cadáver da cruz, o seu sepultamento às pressas, os três dias no túmulo exigiram de Maria o auge da entrega a

Deus. Foi então a plenitude daquele sim da noiva donzela dado, não ao futuro esposo, mas ao misterioso chamado da Palavra do Senhor. O chamado repercutiu na angústia do forte grito de Jesus: “Meu Deus, meu Deus! Por que me abandonaste”? Na experiência pessoal da revelação particular em Nazaré, Maria foi sócia única de Deus na geração do Verbo em seu seio virginal. Aos pés da cruz foi sócia na solidão extrema de Jesus. Acolhendo o cadáver dele em seu regaço a mãe chegou ao máximo grau de solidariedade com a missão do Filho, solidários ambos na obediência ao Projeto de Deus. Mulher bíblica da salvação, nova Eva, Maria viveu no sim do Calvário e na soledade após o enterro de Jesus a expulsão do paraíso: Onde estava Deus? Onde ficaram os apóstolos? Onde ficou o cumprimento das profecias? Onde ficara o entusiasmo do povo? Terrível a ausência de Deus na vida! É a máxima angústia humana em qualquer tempo! Superável apenas por um ato de fé total. Maria é a discípula que encontrou nessa fé a suprema razão de viver tornando-se ícone de uma igreja-solidária. A espada de dor rasgou seu coração e o sim da fé o curou! Por isso, a comemoração de suas dores fecha o cenário triste da semana santa e abre as portas da Igreja em festa de aleluias pascais. As sombras aterradoras do Calvário são espantadas pela luz fulgurante do ressuscitado.

sUPLEMENTO LITÚRGICO-PASTORAL

06.05.2012 – Ano B

6º DOMINGO DA PÁSCOA

Deus não faz distinção entre pessoas! PRIMEIRA LEITURA (At 10,25-26.34-35.44-48) Leitura dos Atos dos Apóstolos: 25 Quando Pedro estava para entrar em casa, Cornélio saiu-lhe ao encontro, caiu a seus pés e se prostrou. 26Mas Pedro levantou-o, dizendo: “Levanta-te. Eu também sou apenas um homem”. 34 Então Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença”. 44 Pedro estava ainda falando, quando o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a palavra. 45 Os fiéis de origem judaica, que tinham vindo com Pedro, ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo fosse derramado também sobre os pagãos. 46Pois eles os ouviam falar e louvar a grandeza de Deus em línguas estranhas. Então Pedro falou: 47 “Podemos, por acaso, negar a água do batismo a estas pessoas que receberam, como nós, o Espírito Santo?” 48 E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Eles pediram, então, que Pedro ficasse alguns dias com eles. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus! SALMO RESPONSORIAL (Sl 97) — O Senhor fez conhecer a salvação/ e revelou sua justiça às nações. — O Senhor fez conhecer a salvação/ e revelou sua justiça às nações. — Cantai ao Senhor Deus um canto novo,/

porque ele fez prodígios!/ Sua mão e seu braço forte e santo/ alcançaram-lhe a vitória. — O Senhor fez conhecer a salvação,/ e às nações, sua justiça;/ recordou o seu amor sempre fiel/ pela casa de Israel. — Os confins do universo contemplaram/ a salvação do nosso Deus./ Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,/ alegrai-vos e exultai!


#

2a

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 de abril de 2012

LITURGIA

LITURGIA

JORNAL SANTUÁRIO DE APARECIDA • 8 de abril de 2012

3a

Refletindo a Palavra

EVANGELHO (Jo 15,9-17) — O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João. — Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isso, para que minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena. 12 Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. 14Vós sois meus amigos, se fizerdes o que vos mando. 15 Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16 Não fostes vós que me escolhestes, mas

fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17 Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor! ORAÇÃO DA COMUNIDADE — Peçamos ao Pai, em nome de Jesus, o que nos convém pela fé e, com certeza, Ele nos atenderá como prometeu o próprio Cristo. 1. PELA IGREJA de Cristo, para que seja um sinal vivo do amor de Deus derramado no mundo, rezemos ao Senhor. — Senhor, escutai nossa prece. 2. PARA QUE os governantes sejam iluminados em sua missão política, a qual deve ser sempre expressão de amor, rezemos ao Senhor 3. POR NOSSA Paróquia, que procura ser sinal do amor nesta porção da sociedade onde vivemos como Povo de Deus, rezemos ao Senhor. 4. POR TODAS as mães, para que possam ser fiéis em sua missão, rezemos ao Senhor. 5. PARA QUE sejam acolhidas na vida eterna todas as mães que já cumpriram sua missão, rezemos ao Senhor. (Intenções próprias da Comunidade.) — Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor. — Amém. LEITURAS DA SEMANA: SEGUNDA: S. Matias At 1,15-17.20-26 / Sl 112 / Jo 15,917. TERÇA: At 16,22-34 / Sl 137 / Jo 16,511. QUARTA: At 17,15.22–18,1/ Sl 148 / Jo 16,12-15. QUINTA: At 18,1-8 / Sl 97 / Jo 16,16-20. SEXTA: At 18,9-18 / Sl 46 / Jo 16,20-23a. SÁBADO: At 18,23-28 / Sl 46 / Jo 16,23b-28. DOMINGO: Ascensão: At 1,1-11 / Sl 46 / Ef 1,17-23 ou Ef 4,1-13 / Mc 16,15-20.

(Pe. PAULO BOTAS, MTS)

O amor de Deus ultrapassa nossa pequenez e miopia. Esse amor é livre dom e não depende de nenhuma estrutura clerical: “Deus não faz discriminação entre as pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença”. Regra de ouro nestes tempos de fundamentalismo religioso e de um proselitismo exacerbado. A liberdade do Senhor frente a qualquer institucionalização é inculcada em Pedro: “E se quero... o que te importa? Quanto a ti segue-me” (Jo 21,22). Ninguém pode pretender reivindicar para si, exclusivamente, as dimensões do Reino de Deus. O encontro de Jesus com a samaritana é devastador para a instituição religiosa. Nesse encontro acontece a dessacralização total do mundo em prol de uma única sacralidade, a da consciência humana: “Crê em mim, mulher. Chega a hora em que nem neste monte nem em Jerusalém se prestará culto ao Pai. Mas chega a hora, e já chegou, em que os que prestam culto autêntico prestarão culto ao Pai em espírito e de verdade” (Jo 4,21.23). O que significa “seguir Jesus”? Em primeiro lugar, o conhecimento explícito de sua mensagem: ouvir a Palavra e praticá-la (Mt 7,24.26); em segundo lugar, viver da sabedoria do Evangelho, que atinge a todos, mesmo os que não o conhecem: amor ao

próximo, e para nós, cristãos, a exigência de que o amor fraterno seja multiplicado, no mínimo, por três vezes mais, pois somos amados por um tríplice amor – o do Pai, o do Filho e do Espírito Santo. João, na sua primeira carta, relativiza toda mediação religiosa normativa e ritualística: “Amados, amemos uns aos outros, pois o amor vem de Deus; todo aquele que ama é filho de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conheceu a Deus, já que Deus é amor” (1Jo 4,7-8). O amor cristão critica todas as formas discriminatórias, recusa a distinção entre puros e impuros, acolhe leprosos, publicanos e prostitutas e nos revela que o outro, quem quer que seja, é o meu próximo (Lc 10,29-37). Paulo é enfático: “Já não se distinguem judeu e grego, escravo e livre, homem e mulher, pois com Cristo Jesus sois todos um só” (Gl 3,28). Jesus revela que nenhuma mediação institucional, nenhum gesto sacrificial e nenhum ritual são indispensáveis. No seguimento de Jesus, o mais importante é a verdade da relação íntima com Deus e a prática do amor fraterno, pois todo aquele que age de maneira verdadeira e amorosa está ligado a Deus. Não nos esqueçamos de que o Reino de Deus é de Deus e Ele coloca nele quem melhor lhe aprouver e quiser.

GENTE SANTA (Pe. Eugênio Antônio Bisinoto, C.Ss.R.)

Santa Maria da Encarnação Santa Maria da Encarnação foi uma mulher piedosa e caridosa, que viveu nos séculos XVI e XVII. Foi exemplo de mãe dedicada e educadora. Maria da Encarnação nasceu em Paris, no dia 1º de fevereiro de 1566. Chamava-se Bárbara Avrillot. Bárbara era filha do senhor de Champstreaux, homem nobre, influente e muito piedoso. Como era costume da época, a adolescente foi enviada às Irmãs Menores da Humildade de Nossa Senhora, que residiam nas proximidades. Aos 14 anos, Bárbara regressou à família. Foi entregue como esposa a Pedro Acário, visconde de Ville-

mor, homem rico e influente, que seguia a religião cristã. Bárbara foi mãe de seis filhos, sabendo educá-los na fé. Quando o esposo foi exilado durante quatro anos, ela esteve do lado dele, defendendo-o das acusações políticas levianas. Bárbara sabia contagiar as pessoas com seu testemunho cristão. Teve como diretor espiritual São Francisco de Sales. Dedicou-se às obras de caridade. Bárbara ajudou a introduzir na França as religiosas carmelitas e a construir o primeiro convento carmelita. Três filhas suas entraram para o Carmelo de Amiens.

Quando seu esposo faleceu em 1613, Bárbara tornou-se religiosa carmelita. Fez a profissão religiosa com o nome de Maria da Encarnação. Em Pontoise, Maria da Encarnação faleceu aos 18 de abril de 1618. Sua festa é comemorada no dia 18 de abril. Reprodução

SEGUNDA LEITURA (1Jo 4,7-10) Leitura da Primeira Carta de São João: Caríssimos: 7Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. 8 Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor. 9 Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. 10 Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus!

Jornal Santuário de Aparecida [Ed. 5587 - 8 abr 2012]  

Edição 5587 - 1 de abril de 2012. Saiba mais em http://www.jornalsantuario.com.br

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you