Page 1

Hidrojato com água salgada chega ao Brasil Waterjet technology using salt water arrives in Brazil

Conferências técnicas começam nesta quarta

Rodada Tecnológica discute inovações para área subsea

Rio das Ostras apresenta projeto de Parque Tecnológico

The technical conferences begin on Wednesday

Technology Round companies offer innovations in subsea area

Rio das Ostras project presents a Science Park

• PÁGINA 15

• PÁGINAS 8 e 9

• PÁGINA 7

MÍDIA DESTAQUE OFICIAL DA BRASIL OFFSHORE 2013 / FEATURED MEDIA OFFICER BRAZIL OFFSHORE 2013 12 DE JUNHO/ JUNE DE 2013 - Edição / Edition 2

ESPECIAL BRASIL OFFSHORE 2013 / SPECIAL BRAZIL OFFSHORE 2013

• PÁGINA 13

2º DIA

UM PRODUTO DA REDE RJNEWS DE COMUNICAÇÃO / A PRODUCT OF COMMUNICATION NETWORK RJNEWS

“Sem o porto de Macaé, estamos ameaçados de não atender a indústria do petróleo” “Without the port of Macae, we are threatened with not being able to meet demand from the oil industry “

» Durante a abertura da Brasil Offshore, o prefeito de Macaé cobrou do Estado a construção do novo porto em caráter de urgência. Dr.

Aluízio ainda prometeu divulgar hoje os investimentos do Master Plan, que visam melhorar a infraestrutura do setor. / During the opening of Brazil Offshore, the mayor of Macaé called on the state to build a new port as a matter of urgency. Dr. Aluízio also promised to release the investments making up the Master Plan today, aimed at improving the infrastructure sector. • PÁGINAS 10 e 11

SIGA O JORNAL RJNEWS

riodasostrasnews.com.br | macaenews.com.br

facebook.com/RedeRJNews

twitter.com/rederjnews

FALE COM O RJNEWS:

(22) 9791-0229 | (22) 7811-4921


2

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

RJNEWS

Setor de petróleo e gás enfrenta dificuldade de conseguir mão de obra Agência Petrobras

» Das 1. 500 vagas oferecidas no Balcão de Empregos em Macaé, 30% são para esse setor

U

m dos problemas enfrentados, tanto no setor offshore quanto no onshore, é a falta de mão de obra qualificada para ocupar as vagas oferecidas na área. Essa é uma dificuldade que aumenta conforme se atualizam as tecnologias e crescem as extrações. De acordo com os anúncios de novos postos e com as extrações do pré-sal, daqui a sete anos essa escassez poderá ser um problema ainda maior. Técnicos com especificações na área, engenheiros, soldadores e inspetores, são algumas das profissões que requerem qualificação especial, por isso, não é tão fácil encontrar profissionais disponíveis. De acordo com o secretário de Trabalho e Renda de Macaé, Alexandre Fernandes, o Balcão de Empregos da cidade trabalha semanalmente com cerca de 1500 vagas, sendo 30% delas para o setor de petróleo. “Dependendo do tipo

de função a vaga fica semanas em aberto. Com isso, as empresas acabam trazendo mão de obra especializada de fora da cidade e muitas vezes de outros países. As melhores vagas, que exigem maior qualificação e pagam os melhores salários, na maioria das vezes são preenchidas por esses profissionais”, afirmou. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico

e Tecnológico de Macaé, Lincoln Weinhardt, essa demanda tende a dobrar nos próximos sete anos, já que a previsão da Petrobras para extração em 2020 é de 4,2 milhões de barris de petróleo por dia, mais que o dobro do que é extraído atualmente. “Com esse aumento, o setor irá precisar de todos os tipos de profissionais, desde motoristas de caminhão a engenheiros. O número de

contratados tende a superar o dobro de hoje” destacou. De acordo com Lincoln, para acompanhar esse crescimento na demanda é preciso abrir mais cursos de qualificação em diversas áreas. Ele afirma que essa deve ser uma parceria entre poder público, privado e o meio acadêmico. “Esse é o desafio do Brasil, qualificar profissionais para que possam ocupar os cargos que estão

disponíveis aqui”, ressaltou. O Prominp já é uma das formas encontradas para acelerar a entrada de pessoas qualificadas no mercado de petróleo. Com o apoio da Petrobras, o programa torna a formação mais rápida, e em um ano, coloca o profissional pronto para o trabalho. O secretário de Trabalho e Renda concorda que é preciso abrir novos postos de qualificação profissio-

nal. Para ele é importante regionalizar a mão de obra para que moradores da cidade possam ter a condição de trabalhar dentro do setor com maior oferta de emprego. “Atualmente, a prefeitura possui um centro que oferece 15 cursos profissionalizantes, desde plataformista até soldador. Mas, com o crescimento da demanda, mais cursos serão oferecidos”, finalzou.

The oil and gas sector faces difficulty in obtaining labor » 1500 Positions offered in the Macaé Jobs Tour, 30% are in this sector One of the problems, both offshore and onshore, is the lack of a qualified workforce to fill the vacancies offered in the area. This difficulty increases as technologies are modernized and extraction increases. According to the number of new job advertisements and the increasing level of pre-salt extractions - this shortage could be an even bigger problem over the next seven years. Professionals such as engineers, welders, and inspectors, are some of the professionals that require special qualifications and are not easy to find in the area to manage specific technology. According to the Macaé Secretary of Labor and Income, Alexandre Fernandes, the city employment office works with about 1,500 jobs every week, about 30% of them in the oil sector. “Depending on the type of the function the vacancy may stay open for weeks. In this situation, companies end up bringing in experts from out of town and often from other countries. The best jobs that require higher skills and pay the best wages, are filled by these professionals most of the time, “he said. JORNAL RJNEWS

MACAENEWS.COM.BR | RIODASOSTRASNEWS.COM.BR

Lincoln Weinhardt, Macaé Secretary for Economic Development and Technological, this demand is likely to double over the next seven years, since the forecast for the Petrobras’ extraction in 2020 is 4.2 million barrels of oil per day, more than double what is currently extracted. “With this increase the area will need all kinds of professionals, from truck drivers to engineers. The number of contractors is likely to double from today, “he said. According to Lincoln, to match this growth in demand it is necessary to open more training courses in several areas. He states that this must be a partnership between the public, private businesses, and academia. “This is the challenge of Brazil: to train professionals who can fill the positions that are available here,” he said. The Proimp, is already one of the ways to accelerate the entrance of qualified people into the oil sector. With the support of Petrobras, the program makes training faster and enables professional to work in a year. The Secretary of Labor and Income agrees that it is necessary to open new routes to professional qualification. For him it is important to employ the city’s workforce in the largest local employment sector. “Currently, the city has a center that offers 15 vocational courses, from platform worker to welder. But with the growing demand, more courses will be offered, “ he concluded.

Instituto Macaé de Geração de Empregos e Rendas Ltda » CNPJ 04.536.054/0001-27 Av. Cristóvão Barcelos, 131 - Centro (Praça São Pedro) - Rio das Ostras/RJ Tiragem: 35.000 exemplares » Circulação: Rio das Ostras, Macaé, Casimiro de Abreu e Barra de São João O RJNEWS se isenta de qualquer assunto discutido pelos colunistas, que não possuem vínculo empregatício com o jornal. Diretor Geral: Roger Vilela » Diretor Executivo: Luiz Claudio Coelho Vieira Diretora de Redação e Comercial: Rafaela Azevedo - DRT: JP 1336 RN » Gerente Financeira: Raphaela Freitas » Editor: Magno Lopes Jornalista: Carolina Gomes e Verônica Côrtes » Estagiária de Jornalismo: Laís Barcelos » Fotografia: Gilismar Correa Filiado a Adjori-RJ Revisor: Maurício Marques »Projeto Gráfico e Diagramação: Alexandre Albuquerque » Diagramação: Samuel Rocha e Adjori Brasil Assessor de Logística: Alexandre Fausto » Ass. Jurídica: Dr. Hélio Márcio Porto » Atendimento Comercial: Aline Rodrigues, Leandra Soares, Michelle Neto e Ronaldo Lima » Contatos: (22) 2764-2705 / (22) 7811-4921 /contato@rjnews.com.br / contato@jornalrjnews.com.br


4

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

RJNEWS

Prefeitura de Macaé quer acelerar implantação de empresas » Com novo projeto apresentado tempo de retorno ao empresário cai de 150 dias para apenas três

T

razer ao empresariado a facilidade de se instalar na cidade. Esse é o objetivo do Programa de Ações que Integram Empresas e Município, que foi apresentado no primeiro dia da Brasil Offshore. O programa é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Tecnológico – Indústria e Comércio de Macaé e tem como principal foco melhorar a relação entre a prefeitura e os empresários interessados em se instalarem no município. Através do Registro Integrado (Regin), o empresário poderá fazer um cadastro e solicitar uma consulta prévia de local de instalação. Logo em seguida, esta possibilida-

de é avaliada. Conseguindo essa autorização, o processo é encaminhado para os demais setores responsáveis por legalizar a empresa dentro do município. De acordo com o subsecretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Rodrigo Romero, o programa vai inverter o modo de abertura de empresas. “Atualmente, os empresários abrem suas companhias, fazem todas as instalações e só depois pedem o registro na prefeitura. Com o novo programa haverá uma consulta e isso irá agilizar os trâmites”, informou. Para o presidente do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Fumdec), Vandré Guimarães, esse processo vai acelerar o tempo de retorno ao empresário, que, atualmente, é de 150 dias. Para ele, esse tempo pode passar a ser de três dias. “O intuito é desburocratizar o processo e ajudar os empresários a acompanhar o andamento”, afirmou. Outro objetivo do pro-

Gilismar Correa/RJNEWS

De acordo com o subsecretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Rodrigo Romero, o programa vai inverter o modo de abertura de empresas grama é incentivar a abertura de empresas em Macaé e, ao mesmo tempo, que elas encontrem mão de obra qualificada. Para isso, foram feitas parcerias com o SESI/ SENAI e com a Firjan, dentre outras empresas, para que os interessados possam receber todo o auxílio depois que a

empresa já estiver instalada. De acordo com o gerente executivo do SESI/SENAI, Luiz Eduardo Campino, o empreendedor terá todo um portfólio focado na qualidade de vida do trabalhador e na sua qualificação. “Direcionamos nossos cursos de acordo com a necessidade lo-

cal. Caso não haja nenhuma capacitação disponível que se enquadre dentro do perfil procurado, nós customizamos o curso”, informou. Para Campino, a união de várias instituições é uma forma de quebrar paradigmas e transmitir segurança para o empresário, já que todas as

empresas envolvidas buscam o desenvolvimento sustentável da região. Ainda como formas de incentivo estão sendo oferecidas ao micro, pequeno e médio empresário linhas de crédito para aquisição de máquinas para o empreendimento.


RJNEWS

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

Macaé City Hall wants to accelerate the creation of businesses » With the new project shown turnaround time for the entrepreneur falls from 150 days to only 3 Bringing entrepreneurship by making it easier for them set up in the city - this is the goal of the Action Program to Integrate Businesses and the City, which was presented on the first day of Brazil Offshore. The program is an initiative of Macaé‘s Department of Technological - Industrial Economic Development and it is mainly focused on improving the relationship between the city and entrepreneurs interested in setting up in the city. Through the Integrated Registration (Regin), the entrepreneur can make a registration and request a consultation of local installation. This possibility is analyzed right after. Following such authorization, the process is forwarded to the other sectors responsible for legalizing the company within the municipality. According to Rodrigo Romero, to Undersecretary of Economic and Technological Development, the program will reverse the order of starting a business. “In reality business owners open their companies, prepare all facilities and then ask for the registration at the City Hall. With the new program there will be a query and it will streamline the procedures, “he said. For Vandre Guimarães, the president of the City Fund for

Economic and Social Development (Fumdec), this process will accelerate the return time to the business, which is currently 150 days. For him, this time may be extended to three days. “The aim is to reduce the bureaucracy in the process and help entrepreneurs to make progress,” he said. Another objective of the program is to encourage business startups in Macaé and at the same time find skilled labor. For this, we made partnerships with SESI / SENAI and the FIRJAN, among other companies, so that interested parties can receive any assistance after the company is already set up. According to the executive manager of SESI / Senai, Luiz Eduardo Campino, the entrepreneur will have a whole portfolio focused on the quality of life of workers and their qualification. “We target our courses according to local need. If there is no training available that fits within the profile sought, we customize the course, “he said. According to Luiz Eduardo Campino, the union of several institutions, is a way to break paradigms and providing security for the entrepreneur, as all companies involved seek sustainable development of the region. Still as forms of incentives are being offered to micro, small and medium business; lines of credit to purchase operational machines.

5


6

â—˜

12 de junho de 2013

RJNEWS


BRASIL OFFSHORE 2013

RJNEWS

12 de junho de 2013

7

Rodada Tecnológica aproxima grandes e pequenas empresas » Muitos dos produtos estão voltados para área de subsea

A

s grandes empresas do setor de petróleo e gás como a Subsea 7, Shell e Aker Solutions, ficaram frente a frente com as pequenas e médias empresas na Rodada Tecnológica promovida pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) nesta segunda-feira, dia 11. O objetivo foi estimular a interação dessas companhias. Muitas delas, mesmo de pequeno porte, já oferecem tecnologia de ponta para as empresas ancoras. De acordo com o superintendente da Onip, Carlos Camerini, muitas das ideias apresentadas estão voltadas para o setor de subsea como equipamentos desenvolvidos para serem aplicados a três mil metros de profundidade em um ambiente com baixa temperatura, alta pressão e água corrosiva. “No futuro não teremos plataformas em

Fotos: Gilismar Correa/RJNEWS

cima, será tudo embaixo do mar e já temos tecnologia para isso”. Pelas perguntas e conversas que aconteceram, o superintende avalia a ação de forma positiva. Segundo ele, alguns produtos apresentados já foram desenvolvidos e estão sendo aplicados no mercado, outros ainda serão elaborados. “Observamos que estas empresas menores precisam ter o mesmo apoio que o Governo oferece às empresas multinacionais”.

O QUE ELAS APRESENTARAM

O diretor financeiro, Adriano Figueiredo, participou pela primeira vez de uma iniciativa como a Rodada Tecnológica. Ele mostrou aos presentes peças para área subsea como alguns tipos de válvulas. “Mostramos os nossos próximos desenvolvimentos que estão voltados para as empresas que vão atuar na exploração do pré-sal. Ao mesmo tempo buscamos mais conhecimentos. É um ambiente onde estão as cabeças pensantes da área offshore, bem como os executivos que tomam as decisões”.

Diretor financeiro da Formatus, Adriano Figueiredo

Superintendente da Onip, Carlos Camerini

Duas empresas apresentaram ferramentas que podem ser usadas no fundo do mar para constatar se algum parafuso esta rompido ou se algum

da onde e até mesmo a movimentação da correnteza. Está entre as funções desse produto, analisar se existe alguma poluição embaixo do

duto está furado ou entupido. Outra empresa apresentou a ideia de boias inteligentes que leem a velocidade do vento, a maré, o tamanho

mar. “Ou seja, o trabalhador em cima da plataforma consegue ter uma noção do ambiente ao seu redor”, disse Camerini.


8

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

RJNEWS

Primeiro dia de conferências aborda poços subterrâneos e reservatórios Divulgação

» Vagas para os debates já foram todas preenchidas por meio de inscrição antecipada

10h - 12h30 Sessão Plenária - Integridade Interface Poço e Reservatório Chair: André Leibsohn Martins – Consultor Sênior – Petrobras Co-Chair: Eduardo H. Albino - Gerente do Programa de Pesquisa de Completação BRGC - Schlumberger 10h - 10h30: Carlos Agenor Onofre Cabral – Especialista em Regulação - ANP

C

omeçam hoje, dia 12, às 10h, as Conferências Tecnológicas. O objetivo da iniciativa é agregar conhecimento, promover negócios e trocar ideias junto aos participantes da Brasil Offshore. As palestras e debates, que seguem até a sexta-feira, dia 14, são realizados nos dois auditórios do Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho. A conferência é totalmente gratuita para qualquer interessado que tenha se cadastrado no site da feira. O tema dessa edição ressalta a questão da integridade nas diversas operações das empresas ligadas ao ramo offshore, assunto considerado amplamente

PROGRAMAÇÃO

10h30 - 11h: Virmondes Alves Pereira - Gerente Geral de Construção de Poços – PETROBRAS 11h - 11h30: Saul Plavnik - Diretor - Baker Hughes 11h30 - 12h: Kamel Bennaceur – Vice-Presidente Schlumberger 12h - 12h30: Perguntas e respostas 12h30 – 13h45 Intervalo – Almoço

discutido na região da Bacia de Campos. Para facilitar a escolha dos tópicos abordados nas conferências, a organização do evento distribuiu os assuntos. Hoje, é abordada a questão subterrânea, do poço ao observatório. Os campos offshore maduros requerem ações rápidas do operador para manter

os níveis de produção exigidos nas condições adequadas de SMS. Os principais temas a serem abordados neste primeiro dia de programação técnica inclui integridade do wellbore no longo prazo (zona de isolamento, controle de areia), campanhas de Infill Drilling , gestão e remediação de escala, corrosão

e estratégias para Recuperação de Óleo (EOR). O papel de novas tecnologias no alcance destes objetivos será também abordado. A conferência é organizada pela Society of Petroleum Engineers (SPE) e pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Combustíveis (IBP).

Sala - Perfuração 13h45-16h05 Chair: Luis Carlos Baralho Bianco - RAM Team D&C Consultant – Chevron Co-Chair: Antônio Carlos Lage - Gerente de Perfuração e Completação de Poços - Petrobras 13h45 - 14h20: Dayana Nunes e Silva – Engenheira de Petróleo Pleno - Petrobras Tema: Projeto de “Infill Drilling” em Campos Maduros na Bacia de Campos 14h20 - 14h55: Sara Shayegy – Engenheiro Sênior de Poço Shell International E&P Tema: MPD / Mudcap para Reservatórios Depletados 14h55 - 15h30: Oscar Gabaldon – Gerente de Projetos - Blade


RJNEWS

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

9

Tema: Operações com MudCap e Perfuração com Gerenciamento de Pressões 15h30 - 16h05: Ron Dirksen – Gerente de Negócios Estratégicos e Jeremy Greenwood – Consultor Chefe Global - Halliburton Tema: Projeto de Poços Complexos e Práticas Operacionais Recomendadas para Viabilizar Acesso ao Hidrocarboneto Não-Varrido

The first day of the conference addresses groundwater wells and reservoirs

Sala - Completação 13h45-16h05 Chair: Fernando A. Machado – Gerente de Projeto de Construção de Poço – Petrobras Co-Chair: Carlos Alberto Pedroso – Engenheiro de Completação - QGEP

» All the seats for the debates have been booked via advance registration

13h45 - 14h20: Luiz Carlos do Carmo Marques – Consultor - Petrobras Tema: Incrustação Inorgânica: Revisão das Atuais Práticas de Campo e Soluções Previstas para Futuros Problemas 14h20 - 14h55: David Underdown – Consultor de Pesquisa - Chevron Tema: Uma Abordagem Holística para Compreender a Causa e o Impacto da Migração de Finos 14h55 - 15h30: Mehmet Parlar – Consultor Técnico - Schlumberger Tema: Mitos Associados à Contenção de Areia Stand Alone e os Avanços na Metodologia de Seleção de Telas 15h30 - 16h05: Ole Eddie Karlsen – Vice-Presidente Global de Operações Subsea - Welltec Tema: Melhoria na Recuperação da Vazão em Campos Maduros Offshore usando o Sistema de “Riserless Light Workover” Sala - Reservatório - Integridade do Desenvolvimento ao Abandono 13h45-16h05 Chair: Armando de Almeida Ferreira - Gerente Executivo - OGX Co-Chair: Paulo Marcos Bastos Tinoco – Gerente de Reservatório - Petrobras 13h45 - 14h20: Marcelo Frydman – Gerente de Geomecânica - Schlumberger Tema: Aplicações Avançadas de Geomecânica em Reservatórios de Água Profunda no Brasil 14h20 - 14h55: José Sergio Daher – Consultor Técnico de Reservatórios- Petrobras Tema: Gerenciamento de Reservatórios: Desafios e Lições Aprendidas em Campos Maduros 14h55 - 15h30: José Adilson Tenório Gomes – Gerente de Reservatório Petrobras e Dirceu Bampi – Engenheiro de Reservatório Petrobras Tema: Questões de Reservatórios a serem Consideradas nos Projetos de Desenvolvimento da Produção 15h30 - 16h05: Frode Velsand Blindheim – Líder da Equipe de Tecnologia de Reservatório no Campo de Statfjord - Statoil Tema: Estudo de Caso do Mar do Norte: Campo de Statfjord – Os Desafios de uma Referência em Extensão de Vida Produtiva

The Technology Conferences are starting today, June 12th, at 10am. The initiative aims to share knowledge, promote business and exchange ideas with the participants of Brazil Offshore. The subsequent lectures and discussions that continue through to Friday the 14th will be held in the auditorium of the Convention Center named after the famous journalist Roberto Marinho. The conference is completely free to any interested party having registered on the fair’s site. The theme of this edition highlights the issue of integrity in the various operations of the companies related to the offshore industry, a matter widely discussed in the Campos Basin

region. To facilitate the choice of the topics covered in the conference, the organizers circulated a list of potential subjects. Today, we are discussing the underground issues from the well to the observatory. The mature offshore fields require quick actions on the part of the operator to maintain production levels required under the corresponding regulations set out by SMS (Health, Environment, and Safety). The main topics to be covered on the first day’s coverage of technical programming includes the integrity of a wellbore in the long run (regarding isolation zone and sand control), Infill Drilling campaigns, management and remediation of scale, corrosion and strategies for Oil Recovery (EOR). The role of new technologies in achieving these goals will also be discussed. The conference is organized by the Society of Petroleum Engineers (SPE) and the Brazilian Institute of Oil, Gas and Fuels (IBP).

SCHEDULE

10:00 to 12:30: Plenary Session - Well Interface Integrity and the Reservoir Chair: André Martins Leibsohn - Senior Consultant - Petrobras Co-Chair: Eduardo H. Albino - Research Program Manager - Schlumberger 10:00 to 10:30: Carlos Cabral Agenor Onofre - Regulation Specialist - ANP 10:30 to 11:00: Virmondes Pereira Alves - of Construction General Manager - PETROBRAS 11:00 to 11:30: Saul Plavnik - Director - Baker Hughes 11:30 to 12:00: Kamel Bennaceur - Vice President - Schlumberger 12:00 to 12:30: Questions and answers 12:30 to 13:45 Lunch - Break Room - Drilling 13:45 to 16:05 Chair: Luis Carlos Bianco Deck - RAM Team C & D Consultant - Chevron Co-Chair: Antonio Carlos Lage - Drilling and Completion of Wells Manager - Petrobras 13:45 to 14:20: Dayana and Nunes Silva - Full Petroleum Engineer - Petrobras Theme: Project “Infill Drilling” for Mature Fields in the Campos Basin 14:20 to 14:55: Sara Shayegy - Senior Well Engineer - Shell International E & P Theme: MPD / Mudcaps for depleted reservoirs 14:55 to 15:30: Oscar Gabaldon - Project Manager - Blade Theme: Operations and Drilling with MudCap Management Pressures 15:30 to 16:05: Ron Dirksen - Strategic Business Manager, and Jeremy Greenwood - Chief Global Consultant - Halliburton Theme: Complex Well Projects and Recommended Operational Practices to Facilitate Access to Non-Swept Hydrocarbon Room - Completion 13:45 to 16:05 Chair: Fernando A. Machado – Well Construction Project Manager - Petrobras Co-Chair: Carlos Alberto Pedroso - Completion Engineer - QGEP 13:45 to 14:20: Marques Luiz Carlos do Carmo - Consultant - Petrobras Theme: Inorganic Fouling: A Review of Current Practices and Field Solutions Planned for Future Problems 14:20 to 14:55: David Underdown - Research Consultant - Chevron Theme: A Holistic Approach to Understanding the Causes and Impact of Migration of Fines 14:55 to 15:30: Mehmet Parlar - Technical Consultant - Schlumberger Theme: Myths Associated with Containment of Stand Alone Sand Areas and Advances in the Methodology of Screens Selection 15:30 to 16:05: Ole Eddie Karlsen - Vice President of Global Subsea Operations - WellTec Theme: Improved Recovery of Flow in Mature Offshore Fields using the “Riserless Light Workover” System Room - Reservoir - Development Integrity to Abandonment 13:45 to 16:05 Chair: Armando de Almeida Ferreira - Executive Manager - OGX Co-Chair: Marcos Paulo Bastos Tinoco - Reservoir Manager - Petrobras 13:45 to 14:20: Marcelo Frydman - Geomechanics Manager - Schlumberger Theme: Advanced Applications in Deep Water Reservoir Geomechanics in Brazil 14:20 to 14:55: Jose Sergio Daher – Reservoir Technical Consultant -Petrobras Theme: Management of Reservoirs: Lessons Learned and The Challenges of Mature Fields 14:55 to 15:30: Jose Tenorio Adilson Gomes - Reservoir Manager at Petrobras and Dirceu Bampi Reservoir Engineer at Petrobras Theme: Issues Regarding Reservoirs and Considerations of Production Development Projects 15:30 to 16:05: Frode Velsand Blindheim – Technology Team Leader in the Statfjord Field reservoir - Statoil Theme: North Sea Case Study: Statfjord Field - Challenges Regarding Extending Productive Life


10

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

RJNEWS

“Sem o Porto Macaé, estamos ameaçados de não atender a indústria de petróleo”, declara Dr. Aluízio Fotos: Gilismar Correa/RJNEWS

» Análise foi apresentada durante a abertura oficial da Brasil Offshore

O

prefeito de Macaé, Dr. Aluízio, aproveitou as autoridades presentes na abertura da 7ª edição da Brasil Offshore, ontem, dia 11, para levantar algumas reflexões sobre a atuação da indústria do petróleo na cidade. A cerimônia aconteceu no Macaé Centro, às 14h. Segundo Dr. Aluízio, assim como o mundo dos negócios de petróleo e gás, o município sempre convive com as ameaças que rodeiam a exploração e pro-

dução desse recurso natural. “Ora, estas intimidações estão relacionadas ao fim dos royalties, outra, aos riscos ambientais provenientes do setor”. Para o prefeito, Macaé precisa ser a grande “Cidade do petróleo”. “Vamos trabalhar todos os dias para alcançar este objetivo. E os resultados justificam as nossas atitudes. Com Macaé, o país conseguiu a autossuficiência na produção do petróleo. Além disso, participamos da descoberta do pré-sal. Por isso, somos um grande protagonista nesse segmento”. Para melhorar a infraestrutura, o governo municipal vai anunciar hoje, dia 12, um Master Plan. Entretanto, o poder público local não

pretende apenas se destacar no cenário internacional com as ações municipais. Dr. Aluízio cobrou do Estado esforços para que o porto de Macaé seja construído. “Sem ele, estamos ameaçados de não atender as indústrias de petróleo. É uma urgência. É preciso entender que sem a indústria do petróleo Macaé não caminha, e sem Macaé, a indústria do petróleo vai tropeçar”. De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, o Rio de Janeiro está aberto para as melhorias e investimentos nesta indústria. “Temos infraestrutura e uma rede de recursos humanos. Ficamos felizes quando as indústrias se instalam

aqui no Norte Fluminense, pois, assim, é criada uma rede que se sustentará por muito tempo”.

INTEGRIDADE

Para o gerente de Exploração e Produção da Bacia de Campos da Petrobras, Joelson Falcão Mendes, a integridade foi um tema bem escolhido para conduzir as conferências técnicas. “Temos muitos investimentos para serem feitos em campos novos, mas também em campos maduros. Precisamos cuidar da integridade desses sistemas antigos para que eles continuem em produção”. Segundo ele, a intenção é levantar discussões sobre como seria possível estender


12 de junho de 2013

RJNEWS

11

a vida útil dessas plataformas e poços antigos de forma rentável. Para lidar com esse desafio, a Petrobras criou um programa de melhoria de eficiência da Bacia de Campos que está ligado a questão da integridade.

NÚMEROS

O vice-presidente da Reed Exhibitions, Paulo Almeida, comemorou os números da feira. Ele destacou que, neste ano, 157 empresas, que nem atuam no Brasil, vieram pela primeira vez para fechar negócios. “Crescemos cerca de 6%. No espaço, passamos de 35 mil m² para 37mil m². São 10 km de corredores, onde estão instalados 720 expositores”. Almeida informou ainda que a produção da feira gerou em média 17 mil postos de trabalho.

“Without the Macaé Port, we are in danger of not meeting the demand for oil.” » The analysis was presented during the official opening of Brazil Offshore Dr. Aluízio, the mayor of Macaé, took the opportunity to share some reflections with the authorities present at the opening of the 7th edition of Brazil Offshore yesterday, June 11th, on the role of the oil industry in the city. The ceremony took place at Macaé Center, at 2pm. According to Dr. Aluízio, as well as the oil and gas business world, the city always lives with the threats

surrounding the exploration and production of this natural resource. “Time is a threat in relation to the end of the royalties as well as other environmental risks from the industry.” For the mayor, Macaé needs to be the great “City of Oil.” “We will work hard n order to achieve that goal. And the results justify our attitudes. With Macaé, the country has achieved selfsufficiency in oil production. In addition, we participated in the discovery of pre-salt. Therefore, we are a major player in this segment. “ To improve infrastructure, the

the city

government will announce a Master Plan tomorrow the 12th . However, the local government does not intend to hold out only local issues to the international scene. Dr. Aluízio called for State efforts for a port to be built in Macaé. “Without it, we are in danger of not meeting the demand for oil. It’s an emergency. One must understand that without the oil industry Macaé will not walk and without Macaé the oil industry will stumble. “ According to Julio Bueno, the Secretary of State for Economic Development, the state of Rio de Janeiro is open for improvements and investments in this

industry. “We have an infrastructure network and human resources. We are happy when industries are established here in the Norte Fluminense, that way a network that will be sustained in the long run is created. “

INTEGRITY To Joelson Falcão Mendes, the Manager of Exploration and Production in the Campos Basin for Petrobras, integrity was the theme of choice for conducting technical conferences. “We have a lot of investments to be made in new fields but also in mature fields. We need to take care

of the integrity of these old systems so that they continue to be productive. “ According to him, the idea raises issues about how it would be possible make the life of these platforms and old wells longer and profitable. To deal with such a challenge, Petrobras created a program to improve efficiency in the Campos Basin which is linked to the issue of integrity.

NUMBERS Paulo Almeida, the vice president of Reed Exhibitions, celebrated the fair’s figures. He noted that

157 companies operating in Brazil came to the fair for the first time to close deals this year. “We are growing by about 6%. In terms of space we went from 35 million m² to 37 million. There are 10 km of corridors, where 720 exhibitors are set up. “ Almeida also said that the organization of the fair generated on average 17,000 employment positions.

LAYOUT

One must understand that without the oil industry Macaé will not grow and without Macaé the oil industry will stumble. “ - Dr. Aluízio, Mayor of Macaé.


12

â—˜

12 de junho de 2013

RJNEWS


BRASIL OFFSHORE 2013

RJNEWS

12 de junho de 2013

13

Rio das Ostras apresenta projeto de Parque Tecnológico na Brasil Offshore » Ação teve como objetivo conseguir possíveis parceiros para a iniciativa da prefeitura

P

ensando no desenvolvimento de energias sustentáveis, a prefeitura de Rio das Ostras, através de algumas secretarias, está buscando parcerias para a implantação de um Parque Tecnológico. Para apresentar o empreendimento científico e conseguir mais parceiros, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Rio das Ostras, Mário Almeida, esteve na Brasil Offshore logo no primeiro dia. O projeto ainda está em processo embrionário, mas é pioneiro na região. “Nossa cidade está saindo na frente na busca do desenvolvimento de novas tecnologias que trarão inúmeros benefícios para toda a comunidade”, afirmou o secretário de De-

senvolvimento Econômico. O objetivo do projeto é abrir um leque de possibilidades para que sejam desenvolvidas tecnologias nas áreas acadêmicas e técnicas, com foco principal na energia sustentável. “Esse conhecimento é fundamental para a conservação do planeta. Queremos ajudar a desenvolver tecnologias que foquem na diminuição da emissão de gás carbônico na atmosfera”, informou o secretário. Para concretizar esse projeto várias parcerias estão sendo firmadas e outras estão por acontecer. A Universidade Federal Fluminense (UFF), e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) já fazem parte do processo. Além disso, as secretarias de Planejamento, Urbanismo e Habitação e Ciência, Tecnologia e Inovação também estão ligadas à implantação do Parque Tecnológico. Para conseguir o máximo de informações possíveis, a subsecretária de Ciência Tecnologia e Inovação, Nelma

Gilismar Correa/RJNEWS

Secretário de Desenvolvimento Econômico de Rio das Ostras, Mário Almeida Ferreira, visitou instalações na Alemanha que trabalham com esse tipo de energia. No segundo semestre, os alemães responsáveis por

tal projeto virão a Rio das Ostras para trazer conhecimento sobre o tema. O projeto ainda está na fase inicial e o lançamento

oficial está previsto para 17 de setembro. O Parque Tecnológico é um diferencial que colocará a cidade de Rio das Ostras em um

novo patamar. “A cidade vai se tornar a cidade do conhecimento e conhecimento é tudo”, destacou Almeida.


14

â—˜

12 de junho de 2013

RJNEWS


RJNEWS

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

15

Hidrojato com água salgada chega ao Brasil

Fotos: Gilismar Correa/RJNEWS

» Com o equipamento é possível realizar limpeza e até perfurar estruturas de 300 milímetros

Q

uem passa pela Brasil Offshore é atraído pelas inúmeras máquinas, tecnologias e equipamentos expostos. Alguns já são conhecidos do público e ganharam apenas versões mais modernas, outros são totalmente novos aos olhos dos visitantes. Um dos produtos apresentados nesta edição é a bomba de alta pressão Kamati K1014 que usa jateamento de água. O diferencial dela é usar água salgada, preservando água potável. Produzido na Alemanha e montado no Brasil, esse maquinário é utilizado para corte e limpeza de superfícies e possui uma potência de 55 mil psi e 3.300 par. Com suas três pistolas de alta pressão, usa água para remover qualquer tipo de substância, seja ela ferrugem, tinta ou outro elemento. Assim, prepara a superfície para receber a pintura.

A bomba de alta pressão, quando utilizada para corte, pode perfurar uma chapa de ferro de até 300 milímetros. O expositor da Anticorrosiva do Brasil (ACB), Rony Santos, informa que a bomba funciona com jateamento de água, o que é bem mais seguro e ecologicamente correto como a forma anterior de realizar o mesmo serviço, que antes era feito com jatos de areia. Segundo o expositor, essa forma era perigosa para o profissional que realizava a tarefa, pois havia a possibilidade de ocorrer vários ferimentos graves. “A bomba Kamati dispara 21 litros de água por segundo, mas sem riscos para o profissional, que pode ficar a um metro de distância da área trabalhada e conseguir ótimos resultados”. Essa bomba de alta pressão é mais procurada por empresas ligadas à pintura industrial, empresas da indústria naval e também aquelas ligadas ao setor offshore e onshore. Pesando 500 kg, a bomba deve ser anexada a um motor, que pode ser a diesel, tornando- a móvel; ou elétrico, possibilitando seu uso em local fixo.

O técnico comercial da empresa, Paulo Prado, conta que o fato de poder usar agua salgada é bastante inovador. Ele ressalta ainda que não há nenhuma outra bomba que ofereça essa possibilidade. “Isso cria uma grande expectativa na apresentação desse equipamento”. De acordo com Prado, água doce é um recurso cada vez mais difícil de conseguir, e por isso, tem um custo alto, mas, a possibilidade de usar água salgada, que está mais disponível, acaba diminuindo o custo. “Além de ser uma iniciativa mais sustentável”, acrescenta. Paulo Prado explica que essa tecnologia de hidrojato com água salgada já existe há aproximadamente quatro anos na Europa, mas que no Brasil é uma novidade. A ACB tem mais de 23 anos de atividade e participa da Brasil Offshore desde 2002. A empresa possui um destaque no desenvolvimento de bombas de alta e ultra-pressão. Disponibiliza ainda uma linha completa de acessórios, como pistolas, bicos, mangueiras e outros, que possibilitam aos equipamentos terem o máximo de funcionalidade.

Expositor da Anticorrosiva do Brasil (ACB), Rony Santos

Técnico comercial Paulo Prado


16

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

RJNEWS

Finep disponibiliza fundos para pesquisa na indústria naval » Valor disponibilizado para os projetos chega a R$ 41 milhões

A

Agência Brasileira de Inovação (Finep) lançou uma chamada pública que destina recursos dos Fundos Setoriais de Ciência e Tecnologia (FNDCT), destinados a apoiar projetos cooperativos entre Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (IPCTs) e empresas do setor de navipeças para a navegação interior, cabotagem e longo curso. O valor dos recursos disponibilizados chega a R$ 41 milhões e tem como objetivos investir em novas tecnologias e equipamentos da indústria naval brasileira. Com isso, visa aumentar o índice de nacionalização das embarcações produzidas no Brasil e elevar a capacidade de geração de empregos na área da Construção Naval, procurando garantir o suporte necessário ao seu crescimento, aliado ao desenvolvi-

mento social. Dos recursos oferecidos, pelo menos 30% deles deverão ser aplicados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e nas regiões de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). As empresas interessadas no projeto deverão encaminhar propostas que abranjam pelo menos um dos seguintes temas: sistema de navegação, posicionamento, fundeio e atracação; geração, distribuição e armazenamento de energia; automação, controle e software; e meio ambiente, segurança e salvatagem. A seleção dos projetos se realizará em duas etapas. Na primeira, a companhia, individualmente ou em conjunto com outras empresas, deverá apresentar uma Carta de Manifestação de Interesse, que estará disponível por meio de um formulário no site da FINEP. Já na segunda etapa, a empresa deverá definir o arranjo institucional, incluindo as IPCTs e

Agência Petrobras


RJNEWS instituição proponente. Cada empresa ou grupo poderá apresentar mais de uma Carta de Manifestação de Interesse, caso demande mais de uma proposta de desenvolvimento tecnológico, com valor mínimo por proposta de R$ 1,1 milhão e valor máximo de R$ 3,3 milhões. Essa carta deverá conter informações das principais atividades econômicas, com destaque para aquelas relacionadas ao setor de navipeças; segmento de mercado em que atua, indicando os principais clientes, fornecedores e concorrentes; a missão e estratégia de negócio; estrutura organizacional e equipe voltada para pesquisa, desenvolvimento e inovação (P, D&I); os projetos já realizados pela empresa nessa área, a fim de ilustrar a experiência da companhia e faturamento anual detalhado, entre outros itens. Os projetos que atenderem às exigências formais serão submetidos a um comitê de avaliação, que analisará o mérito das propostas de acordo com os critérios estabelecidos, que serão: relevância da proposta para o setor; qualificação e experiência da equipe executora; aporte financeiro; relevância dos resultados do projeto para o aumento da competitividade e do índice de nacionalização; coerência com o objetivo proposto; grau de participação da empresa; capacidade de fabricação e atuação; infraestrutura e adequação orçamentária.

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

FINEP provides funds for research in the marine industry » Amount available for projects reaches R$ 41,00 million The Brazilian Innovation Agency (FINEP) announced a public call that allocates resources for Sectoral Funds for Science and Technology (FNDCT), to support cooperative projects between institutions of Scientific and Technological Research (IPCTs) and companies producing ship parts for navigating interior waters, coastal waters as well as long haul journeys. The amount of resources available is to reach US $ 41 million and is earmarked to invest in new technology and equipment for the Brazilian naval industry. Thus it will increase the domestically manufactured components of the ships and increase the capacity for job creation in the shipbuilding sector while ensuring the necessary support for its growth and associated social development. At least 30% of the resources should be allocated to the North, Northeast and Midwest regions under the supervision of the Superintendence for the Development of the Northeast (SUDENE) and the Superintendence for Development of Amazonia (Sudam). Companies interested in the project should submit proposals targeting at least one of the following themes: navigation systems, positioning, mooring and berthing, generation, distribution and storage of energy, automation, control software, environment, safety and salvage. The selection of projects will take place in two stages.

First off, the company either individually or jointly with other companies, must submit a Letter of Expression of Interest, which will be available via a form on the website of FINEP. In the second stage, the company should define the institutional arrangement, including IPCTs and proposing institution. Each company or group may submit more than one letter of Expression of Interest, as long as it proposes a technological development project with a minimum value of R$ 1.1 million and a maximum value of R $ 3.3 million. This letter should contain information on the company’s main economic activities, especially those related to the ship parts industry; the market segment in which it operates, indicating key customers, suppliers and competitors; its mission and business strategy, its organizational structure and management of team-oriented research , development and innovation (R &D); and projects already undertaken by the company in this segment in order to illustrate the company’s experience as well as detailed annual revenues, among other items. Projects that meet the formal requirements will be submitted to a review committee to examine the merits of the proposals according to the criteria, which are: the relevance of the proposal for the sector, qualifications and experience of the executive team; financial support; relevance of project results to increase competitiveness and national content, consistence with the proposed objective, degree of participation of the company; manufacturing capacity and performance, as well as infrastructure and budget adequacy.

17


18

â—˜

12 de junho de 2013

RJNEWS


BRASIL OFFSHORE 2013

RJNEWS

12 de junho de 2013

19

Nova linha de solventes ecológicos e biodegradáveis é apresentada na feira Gilismar Correa/RJNEWS

» Produto da Greensun Química foca na qualidade e sustentabilidade

N

ascida em Rio das Ostras, a Greensun Química está na Brasil Offshore. A empresa, que fabrica produtos desengraxantes e solventes, está em busca de novas revendas pelo país e seu objetivo é alcançar todos os estados do Brasil e o exterior. Segundo o sócio-gerente, Pedro Guenes, a Greensun foi a primeira empresa de Rio das Ostras direcionada para a área de petróleo. No início eram produzidos apenas desengraxantes. Atualmente a empresa ampliou sua linha de produtos e expandiu o mercado para área de usinagem, metalurgia, hoteleira e hospitalar. Apesar de serem produtos químicos de alto poder de ação, todos eles recebem certificados de biodegrabilidade total, corrosividade e irritabilidade cutânea, análise de limite de metanol, benzeno e organoclorados e toxidade oral. “Temos uma total preocupação com o impacto ambiental de nossos produtos. Todos eles foram pensados para não poluir o meio ambiente. Além disso, nossos laudos auxiliam para que as empresas possam manter suas certificações, como ISO”, ressaltou Guenes.

xxxxxxxxxx

A preocupação com a qualidade e sustentabilidade do produto é tanta, que todos os itens produzidos pela empresa passam por pesquisas laboratoriais de controle e estabilidade, que simulam como estará o produto depois de um ano de sua fabricação. Como novidade para a Brasil Offshore a Greensun trouxe uma nova linha de

solventes ecológicos e biodegradáveis. A busca por novas revendas autorizadas pelo país também faz parte das intenções da empresa, como informou o gerente comercial, Marco Paiva. “Procuramos ampliar nossos negócios sem nunca deixar de seguir o lema principal da empresa, que é buscar a sustentabilidade ambiental e o respeito pela saú-

de do trabalhador”, ressaltou. A empresa, que começou em 1995 na cidade, possui, atualmente, revendas em várias cidades. Rio de Janeiro, Aracruz, Ipatinga, São Paulo e Salvador são algumas delas. Além de vender para o mercado interno, a Greensun também possui contratos com empresas internacionais como a TransOcean.

A new line of eco-solvent and biodegradable is showcased at the fair » Greensun Química Product focuses on quality and sustainability

ISO, “said Guenes.

Funded in Rio das Ostras, the Greensun Química is at Brazil Offshore. The company, which manufactures degreasers and solvents, is looking for new resellers across the country and its goal is to reach all states in Brazil and abroad.

produced by the company undergo laboratory research of control and stability,

According to the managing partner, Peter Guenes Greensun was the first company in the Rio das Ostras area targeting oil. At first they only produced degreasers. Currently the company has expanded its product line and expanded the market for machining area, metallurgy, hotel and hospital.

Offshore. The search for new authorized dealers across the country is also part of the

Despite being chemicals of high power action, they all receive total biodegradability certificates corrosively and skin irritant, analyzing limit of methanol, benzene and organ chlorine and oral toxicity. “We have an overall concern about the environmental impact of our products. They all were made in order not to pollute the environment. In addition, our reports to help enable companies to maintain their certifications, such as

Concern about the quality and sustainability of the product is such that all items

simulating how the product will be after a year of its manufacture.

Greensun has brought a new line of eco-solvent and biodegradable to Brazil

company’s intentions, as reported by the commercial manager, Marco Paiva. “We seek to grow our business whilst continuing to follow the main motto of the company, which is seeking environmental sustainability and respect for workers’ health,” he said.

The company, which began in 1995 in the city, currently has dealers in various cities.

Rio de Janeiro, Aracruz, Ipatinga, São Paulo and Salvador are some of them. Besides selling to the domestic market, the Greensun also has contracts with international companies such as Transocean.


20

â—˜

12 de junho de 2013

RJNEWS


RJNEWS

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

21


22

BRASIL OFFSHORE 2013

12 de junho de 2013

PETRÓLEO E GÁS

Consciência Limpa SÉRGIO ARRUDA

ATUALIDADES OIL AND GAS NEWS

sergio@vicel.com.br

SOBRE O CONTEÚDO LOCAL (I) Todos temos afirmado e ouvido reafirmar, nesta Feira Brasil Offshore 2013, o compromisso da Petrobras como

compradora de produtos e serviços, e de toda indústria em geral com nossas regras e políticas de CONTEÚDO LOCAL para as áreas naval e offshore, ainda mais por ser POLÍTICA DE ESTADO – como insistentemente afirma o Governo – e não de uma ou outra empresa do Setor. É sabido que tanto a indústria naval como a indústria offshore, tem gozado de “incentivos fiscais” e benefícios de toda ordem, entre os quais se destacam o REPETRO (indústria offshore) e o REB (indústria naval) que lhes permite importar equipamentos com isenções tributárias, principalmente do Imposto de Importação – II. Também é sabido que nosso Governo tem sistematicamente incentivado áreas estratégicas da produção nacional com isenções de impostos e desonerações outras , onde se destaca a desoneração da Folha de Pagamento , para garantir a competitividade destas áreas, e com elas, garantir o crescimento da renda e do emprego nacional. Porque então não juntar as duas coisas. Conteúdo local pode bem ser uma “reserva de mercado”, mas nossa indústria local somente poderá ocupar espaço, em competição direta com a indústria global – já beneficiada com REPETRO e REB – se tiver incentivos fiscais e compensações e desonerações que lhes garanta a competitividade. Parece simples, mas não é. Mas como sempre bradaram nossos governantes, sem ”vontade política” não se sairá do dilema: temos uma política de CONTEÚDO LOCAL e temos uma indústria local competitiva em qualidade e tecnologia, mas não em preços. É tempo de mais ação e menos discurso. Desoneração JÁ !

ON THE LOCAL CONTENT In this Brazil Offshore 2013, we all have confirmed and have heard other confirmations of Petrobras - as the most important buyer of products and services - commitment to the LOCAL CONTENT rule and policies to the marine and the offshore industries , even as a Policy of State, as the Government often re-affirms, and not only a company policy. It is well known also that both the offshore industry and the maritime, have received “fiscal incentives” and other benefits, among which we emphasize REPETRO (offshore) and REB (maritime), that allows those industries to import equipment and goods “tax-free”, mainly the Import Duties – II. It is al well known that our Government have systematically given other incentives to strategic products national industries, with other tax exemptions and other de-tax systems - where the emphasis have gone to the payroll taxes – to ensure competitiveness of these industries towards national income and employment rates sustainable growth. So, why not matching those two things: local content may be a policy towards “market protection” ., but our local industry will only occupy an important space, competing with the global industry – already benefiting from REPETRO and REB – if tax incentives and de-tax policies on payroll grants its competitiveness. Easier said than done ! As our Governors always say loud, without “political wish” we will not solve this dilemma: we do have a local content policy, and we do have a competitive local industry both in quality and technology, but not in prices. It is time for more action and less speeches. For the “de-taxation” of our industry ! NOW !

www.blog.vicel.com.br

RJNEWS

Por/By Prof. Queiroga

Brasil Offshore atrai empresas para o norte fluminense

A

feira BRASIL OFFSHORE traz, sem dúvida, novas oportunidades de negócios e consiste em um atrativo para implantação de novas empresas na região. Vou citar um exemplo. 1- A empresa CALINOX, ha vinte anos no mercado trazendo soluções em aços e metais, vai expandir sua atividades criando escritório de vendas para atender as empresas do segmento E&P em nossa região. Segundo os executivos da empresa, Antônio Angélica e Jorge Ferreira, que estarão presentes na feira, a ideia é expandir os negócios de vendas de aços e metais para pequenas, médias e grandes empresas do segmento de petróleo, com entrega rápida e um preço diferenciado. A empresa já tem como cliente a PETROBRAS, mas busca

Divulgação

novos parceiros na região. Os interessados já podem entrar em contato direto com o diretor comercial Jorge Ferreira pelo Tel.: 21-8181-8090 – 21-7875-6869.

VICEL PARTICIPA DA BRAISL OFFSHORE E ESTÁ NO STAND G41 Convido aos amigos a visitarem o lindo STAND da VICEL localizado no pavilhão principal G-41. Além de conhecerem os inúmeros produtos desta renomada empresa que atua na área ambiental, poderão ver uma grande novidade na área de treinamento sobre a IMO-MARPOL, gerenciamento de resíduos e poluição no mar. Vale a pena conferir.

COMPANIES AND BUSINESSES ARE ATTRACTED BY BRAZIL OFFSHORE The fair BRAZIL OFFSHORE undoubtedly brings new business opportunities and consists of an attraction for establishment of new companies in the region. I will cite an example. 1 - The company CALINOX twenty years in bringing solutions in steel and metal will expand its activities by creating sales office to meet companies in the E & P segment in our region. According to company

executives, Antônio Angélica and Jorge Ferreira who will be present at the fair the idea is to expand the business of sales of steels and metals for small, medium and large companies for oil companies with fast delivery and a price differential. The company already has a client PETROBRAS, but seeks new partners in the region. Those interested can now come into direct contact with the commercial director Jorge Ferreira at Tel: 21-8181-8090 21-7875-6869.

VICEL ATTENDS BRAISL OFFSHORE ON STAND G41 I would like to Invite friends to visit the beautiful STAND of VICEL located in the main pavilion G-41. You certainly will know many products of this renowned company engaged in the environmental area it also has a great novelty in the area of training on the IMOMARPOL waste management and pollution at sea. Do not miss this opportunity. Visit VICEL at stand G-41.


RJNEWS Especial Brasil Offshore  

RJNEWS Especial Brasil Offshore

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you