Page 1

Volvo segue crescendo, lidera em pesados e investe mais R$ 1 bilhão no Brasil Nº 152 FEVEREIRO 2020

www.jornalreposicao.com

www.portalreposicao.com.br

Leia na página 14.

BorgWarner compra Delphi Technologies

Aquisição irá reforçar o portfólio de produtos da BorgWarner em sistemas de propulsão, especialmente para veículos elétricos e híbridos. Leia na Página 8. Foto: Divulgação

ANO XIII

Flush Oil System Cleaner 500ml

VIA TANQUE Fuel Injector Cleaner Flex 500ml

Evita e elimina as borras em início de formação na parte interna do motor do veículo

Ideal para limpeza de todos os canais de alimentação dos automóveis que tenham injeção eletrônica alimentados a etanol e gasolina.

www.radnaq.com.br

SEJA UM DISTRIBUIDOR RADNAQ

radnaqautomotive


EDITORIAL

Eventos confirmados no Paraná em 2020 Neste ano teremos a 10ª edição da AUTOPAR – Feira de Fornecedores da Indústria Automotiva, no mês de maio, evento de alcance internacional, tanto no que diz respeito ao universo expositor, que soma mais de 500 marcas, quanto na visitação, que supera a casa dos 50 mil profissionais, vindos de todos os estados brasileiros e de outros 15 países. No mesmo período, acontece a 8ª edição da Autofesta, tradicional evento que alia network e entretenimento focado na conexão emocional. Para esta edição da festa, a PROMKT, preparou uma viagem pela mobilidade, da ficção científica do Século XIX à realidade do Século XXI. Prepare-se. Teremos muitas novidades por aqui.

ADMINISTRAÇÃO

Superação... Para nós que convivemos com empresas de pequeno e médio porte, acreditamos que chegou o momento de se olhar firmemente em busca de encontrar meios para a adequação à nova realidade que se aproxima. Fazendo uma analogia, seria o mesmo que estivéssemos acima do peso e resolvêssemos lutar contra a balança indo periodicamente numa academia. Tínhamos a sensação de que somente isso bastaria para controlar o nosso peso independente do que comíamos, da forma que comíamos, das bebidas que absorvíamos durante semanas, etc. mas isso não é verdadeiramente a solução. O que se vê, entretanto, é o impactante avanço da tecnologia: robôs que invadem os meios de produção substituindo a mão de obra humana, sistemas operacionais de toda ordem facilitando o processo de atingimento ao cliente e destoando cada vez mais dos atendimentos tradicionais, o mesmo ocorrendo com as faculdades que já partem para o ensino à distância, distanciando-se cada vez mais do essencialmente presencial, etc. como meio de sustentação. E o sistema de venda de peças automotivas para onde caminha? Até que ponto o comércio eletrônico vai impactar nos processos de vendas tradicionais? Há que se iniciar um redimensionamento, reciclagem, reflexão na forma em que se processa o negócio atual e iniciar aos poucos o ajustamento às novas necessidades.

Désirée Sessegolo EDITORA

Genésio Guariente

Quer parecer deve começar pela atualização profissional dos componentes da empresa, a fim de melhorar, de buscar sair das fórmulas tradicionais usadas até hoje, nos erros e tentativas improvisadas, para que, com esforços meio sem

rumo, esperam obter resultado, sem base, sem planejamento, para encarar o futuro, etc. Imaginemos como será enfrentar uma guerra altamente competitiva se não procurar um novo modelo mais moderno e atual que realmente venha a fazer a diferença. O mercado de autopeças não deve se modificar muito nos próximos 15 a 20 anos, e mesmo que os carros elétricos, etc. venham a ser fabricados no Brasil, o fato é que as montadoras continuarão a produzir carros a combustão, digamos por mais uns 10 anos pelo menos e a considerar que a vida útil desses carros giram em torno de 15 anos, mais os existentes que não serão destruídos, dá para prever a longa vida desse mercado atual ainda a ser considerado. Mas não se deve, por isso, deixar de buscar meios para sair desse estado repetitivo que já podemos chamar, com exceções, de padrões ultrapassados, padrões tradicionais de vendas usados aos longo dos anos, ou seja, todos fazendo as mesmas coisas, com os seus balcões rotineiros e o atendente a espera de uma ligação ou da entrada de algum cliente, ou quando não, sai-se atirando para todos os lados em busca de algum resultado. A pergunta é: o que fazer para atender às exigências das demandas atuais que virão daqui para a frente, quando atualmente os carros são produzidos com centenas e milhares de configurações diferentes? Como estocar? como fazer GIRAR O ESTOQUE mais vezes ao ano para obter resultados? O que há de ser feito? Em primeiro lugar, acredito que deva ser o de buscar a melhor preparação profissional dos componentes da empresa, direcionando-os e conscientizando-os do que seja a

empresa pessoa jurídica e porque foi criada, isto é, ela não foi criada com o objetivo único de ter lucro, mas, acima de tudo com um comprometimento social e cujo lucro será advindo de trabalho harmônico entre todos os que a compõem. A isto podemos chamar de comprometimento profissional num processo produtivo em busca de desenvolver riquezas em todas as suas nuances. O que se caracteriza um profissional ou uma empresa profissional? São os que estão devidamente preparados e que preencham todos os aspectos que envolvam o seu o negócio. Não se pode mais “empurrar com a barriga”. Por isso, aos empresários, continuamos insistindo, e será oportuno, que busquem criar condições, desde já, para enfrentar as exigências mais presentes e em futuro bem próximo, preparando-se através da participação em cursos, treinamentos, palestras, etc. a fim de enriquecerem seus conhecimentos, suas experiências, e que sejam extensivas a todos os colaboradores. Não se ganha uma competição, sem treinamento, sem preparação constante de toda a equipe! A era digital, robôs, etc. estão por ai, e, portanto, o mercado de varejo de autopeças não deve ficar para trás. Investir na busca de melhores conhecimentos em gestões administrativas e financeiras, e obter o domínio consciente de como isso se processa, será vital para a manutenção do negócio. Bons negócios a todos!

Genésio Francisco Guariente.

EXPEDIENTE Veículo de Comunicação da Projeto Marketing Rua Hermógenes de Oliveira 90 B Curitiba PR 41 3155-2532 www.projetomarketing.com Versão Eletrônica: www.jornalreposicao.com www.portalreposicao.com.br Direção: Désirée Sessegolo desiree.sessegolo@projetomarketing.com Financeiro: Ana Paula Pimpão financeiro@projetomarketing.com Colaboradores: Genésio Guariente, Fernando Calmon. Tiragem: 10.000 exemplares impressos e 35.000 leitores cadastrados na versão digital. Veiculação no portal www.alltopecas.com.br e redes sociais. *Os conteúdo enviados por colaboradores são de inteira responsabilidade dos autores. *Os anúncios aqui publicados são de responsabilidade exclusiva dos anunciantes. Distribuidores oficiais do Jornal Reposição: ALVORADA, BARROS, DPS, DSR, ELETROPAR, MOTO PEÇAS e ROLEMAR.

2

jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

3


MANN+HUMMEL lança tecnologia para filtrar partículas finas e gases nocivos do ar

NTN ALERTA PARA FALSIFICAÇÃO DE ROLAMENTOS

Valores muito abaixo dos praticados pelo mercado, recusa de emissão de nota fiscal discriminada, produto sem embalagem original são algumas das características que podem chamar a atenção para produtos falsificados ou popularmente conhecidos como “piratas”.

As autopeças são um dos maiores alvos para os falsificadores. A aplicação de um rolamento falsificado por exemplo, pode, além de causar sérios danos materiais, desgaste prematuro de peças e sistemas, custos desnecessários com manutenção e retrabalho, além de pôr em risco a vida dos ocupantes do veículo e quem mais estiver por perto. Apesar dos produtos falsificados poderem apresentar similaridade com o original NTNSNR, sua qualidade, segurança e durabilidade são duvidosas e não seguem os padrões exigidos pelas certificações ISO9001, ISO14001 e a IATF16949, exigidos pelas principais montadoras do mundo para fornecimento de peças para o mercado original que a empresa possui. Todos os produtos da marca são

fabricados com tecnologia de última geração e materiais premium. Vale lembrar que a marca possui mais de 100 anos de tradição na fabricação de rolamentos de rodas e ressalta que 7 em cada 10 modelos de veículos fabricados no Mercosul utilizam rolamentos originais NTN-SNR, com cobertura de atendimento em todo o território nacional. A NTN-SNR ressalta que é associada ao WBA (World Bearing Association) que visa auxiliar na identificação e controle de rolamentos falsificados, contando com especialistas altamente capacitados para identificar esses itens. Para dúvidas ou denúncias sobre a autenticidade, o contato deve ser feito através do denuncia@ntn.com.br, para aplicação de produtos e sobre a instalação do catálogo envie um e-mail para o mailto:marketing@ ntn.com.br e para novos produtos e soluções oferecidas pelo Grupo NTN acesse www.ntn. com.br Paula Skoretzky

JORNAL REPOSIÇÃO Edições Especiais da Autopar:

Abril - Maio - Junho/2020 41 3155-2532 4

Créditos: Sacha Ueda

Inédito no Brasil, Public Air Solutions filtra partículas finas com dimensões entre 2,5 e 10 microns, CO2 e NOX , nocivos ao sistema respiratório

A MANN+HUMMEL, maior fabricante do mundo em soluções de filtragem e fornecedor de equipamentos originais para as indústrias internacionais de engenharia automotiva e mecânica, está lançando no Brasil o projeto Public Air Solutions, tecnologia desenvolvida pela divisão Life Science & Environment da empresa, para realizar a filtragem de partículas finas em locais com grande concentração de poluentes. Inédita no Brasil, a tecnologia realiza a filtragem de partículas finas com dimensões entre 2,5 e 10 microns, podendo filtrar também CO2 (Dióxido de Carbono) e NOX (Óxidos de Nitrogênio), nocivos ao sistema respiratório. A inovação já é utilizada em cidades da Alemanha, França Índia, China e Coreia do Sul. “Muitas cidades ao redor do mundo estão atentas às altas concentrações de poluição causadas pelas partículas finas em suspensão no ar. Há mais de 70 anos a MANN+HUMMEL é especialista em sistemas de filtragem e agora, estamos aplicando nosso know-how para limpar o ar ao nosso redor nas cidades, para proporcionar uma melhor qualidade de vida para a população”, afirma Bert Kempeneers, VP & General Manager da MANN+HUMMEL. O Public Air Solutions possui sistemas automatizados que detectam a necessidade de realizar a filtragem das partículas finas geradas pelo tráfego ou pela indústria, nocivos à saúde, especialmente para pessoas com doenças respiratórias, idosos e crianças.

A tecnologia desenvolvida pela MANN+HUMMEL trabalha em conjunto com a natureza no processo de filtragem do ar, e pode ser utilizada em ambientes externos ou internos, como terminais rodoviários ou estações de metrô. Em Indaiatuba (SP), serão instaladas quatro torres de filtragem do ar na praça Dom Pedro, região central da cidade com grande concentração de ônibus e circulação de pessoas. Os equipamentos funcionarão no local por seis meses para testes e avaliações entre simulação e dados reais, assim como realizado pela matriz na cidade de Stuttgart, na Alemanha. Nesse período, os dados coletados serão analisados no laboratório da MANN+HUMMEL em conjunto com pesquisadores do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, que apoiam o projeto e usarão os dados para um estudo vinculado à universidade. Em frente à sede da empresa ficará uma torre fixa para filtrar o ar. O projeto também será levado para outras cidades e regiões metropolitanas, como São Paulo. Para que o sistema de filtragem seja eficiente, a área a ser filtrada é analisada por equipamentos de medição de poluentes em conjunto com um software, determinando a quantidade de torres e a distância entre elas para atingir a expectativa de redução dos poluentes no ar. A manutenção dos equipamentos requer a troca dos filtros para partículas finas uma vez ao ano e os filtros para CO2, a cada três meses. Alfapress

jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

5


COLUNA FERNANDO CALMON 1085

Fernando Calmon

APLICATIVOS DE ROTAS AINDA ERRAM FEIO As recentes enchentes em várias cidades brasileiras, provocadas por chuvas muito acima do normal e grandes erros de projeto da malha viária ou falta de manutenção das vias pluviais chamaram atenção para os graves problemas de mobilidade urbana do Brasil. No caso específico de São Paulo, com a maior população e frota de veículos do País, que ficou literalmente paralisada por várias horas e em algumas regiões por mais de um dia, ocorreu outro episódio surpreendente. No dia de interrupção total das duas maiores vias expressas da cidade, quem procurasse o caminho para o aeroporto internacional de Guarulhos recebia um tempo de viagem surreal de 43 minutos informado pelos dois principais aplicativos de rotas alternativas, Waze e Google Maps. Esse é o tempo em feriados, domingos ou horários longe do pico. Desconcertante foi a resposta das duas empresas. Alegaram “apenas desenvolver ferramentas colaborativas que se baseiam nos alertas dos usuários para estabelecer quais pontos das rotas das pessoas estão afetados por incidentes”. Waze acrescentou ainda que troca informações com órgãos públicos. Rádios e TVs de livre acesso, porém, mostravam tudo ao vivo... Em plena era de desenvolvimento da inteligência artificial, trata-se de algo classificável como desinteligência artificial. Não é crível algoritmos

6

deixarem de detectar problemas, naquele dia e horário, quando milhares de veículos deveriam estar circulando pelas duas vias com inevitáveis longos e enervantes congestionamentos. Com a interrupção de trechos por horas isso teria de ser considerado de alguma forma e não indicar trânsito leve. Embora os dois aplicativos sejam de uso gratuito, as rotas incluem várias inserções publicitárias que, em teoria, deveriam dar suporte mais do que suficiente para ao menos garantir um nível primário de inteligência artificial. Sempre é bom lembrar que São Paulo é a cidade com maior número registrado de usuários da plataforma Waze no mundo.

melhorar a mobilidade urbana, reduzir poluição e gasto extra de combustível. Também vale relembrar os esforços para evitar áreas mais perigosas em cidades sujeitas à violência. Waze, por exemplo, fez um bom trabalho, iniciado no Rio de Janeiro e depois estendido a outras capitais, ao mapear locais sensíveis e evitálos ao indicar outros caminhos. Nada, porém, justifica o erro flagrado em São Paulo e que poderia ter acontecido em qualquer outra cidade do Brasil ou do mundo.

ALTA RODA

O caso lembra o truque que enganou o sistema do Google Maps em Berlim, capital alemã, no início deste mês. Com um carrinho de mão e 99 celulares ali armazenados, o artista Simon Wreckert circulou calmamente puxando sua “carruagem de fogo” e conseguiu esvaziar quase completamente uma via da cidade. A iniciativa foi irresponsável por provocar congestionamentos em outras ruas.

ANTONIO FILOSA, presidente da FCA Latam, confirmou a estratégia de 25 lançamentos no Brasil até 2024 quando se concluirá o atual plano de investimentos. Desse total, seis chegaram ao mercado em 2019 e mais seis, virão este ano. Para 2020, indicou uma picape grande (Ram 1500), a picape leve Strada e a importação do Fiat 500 elétrico (em volume simbólico).

A brincadeira de mau gosto do alemão repercutiu aqui e fica claro que algo precisa ser feito para aperfeiçoar os programas de rotas alternativas. Os dois aplicativos citados prestam, sem dúvidas, relevantes serviços e já livraram milhões de usuários em todo o mundo de milhares de horas perdidas no trânsito. É recurso válido para

FALTAM contabilizar outros três modelos do grupo, que Filosa não abriu aos jornalistas em entrevista na filial paulistana do grupo. A aposta da Coluna é nos recém-lançados na Europa modelos híbridos dos Jeep Renegade e Compass que também chegarão importados em pequenos volumes da Itália. O sexto produto é a picape Jeep Gladiator importada da América do Norte.

VIRTUS GTS, sexto sedã VW, tem mesmo motor do Polo GTS: 150 cv e 25,5 kgfm. Eixo traseiro com calibração diferente em razão do maior peso e capacidade de carga. 0 a 100 km/h, 8,7 s; 210 km/h, máxima. Câmbio automático 6-marchas. Novo para-choque frontal, faróis full LED, grade, spoiler e saias laterais com friso vermelho, rodas 17 pol. e interior exclusivo. R$ 104.940. EMBORA sem grandes mudanças, Honda Civic EXL continua um sedã particularmente íntegro e bem agradável de dirigir, em especial pela suspensão independente nas quatro rodas. Câmbio CVT simula sete marchas, mas não empolga. Seu freio elétrico de imobilização é exemplo de conforto no para-e-anda do trânsito. Destacam-se espaço para as pernas atrás e porta-malas (519 litros). PROH PUDOR!, expressão em latim para Ó vergonha!. É o que se deduz sobre projeto, que passou na Comissão de Constituição e Justiça do Senado: proibir fabricação de motores a gasolina e diesel no Brasil, a partir de 2030. RESSALVA: os dois motores elétricos assíncronos do Mercedes-Benz EQC 400 somam 408 cv. fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

7


BorgWarner compra Delphi Technologies

Aquisição irá reforçar o portfólio de produtos da BorgWarner em sistemas de propulsão, especialmente para veículos elétricos e híbridos Nesta terça-feira (28), a BorgWarner anunciou a compra da Delphi Technologies, em uma negociação que envolveu 3,3 bilhões de dólares. Com essa aquisição, o objetivo da empresa é crescer no segmento de veículos elétricos e híbridos, reforçando seu portfólio de produtos e aumentando a capacidade de produção. Conforme estipulado no acordo firmado entre ambas as empresas, os acionistas da Delphi Technologies receberão uma relação de troca fixa de 0,4534 das ações ordinárias da BorgWarner por ação da Delphi Technologies. Ao final das transações, os atuais acionistas da BorgWarner devem possuir aproximadamente 84% das companhias unidas, enquanto os acionistas da Delphi Technologies devem posuir cerca de 16%. No ano de 2019, BorgWarner e Delphi Technologies geraram receitas de

aproximadamente 10.17 bilhões e 4.36 bilhões, respectivamente, em vendas líquidas. Com a união das empresas, a companhia deve se tornar líder global em propulsão, atendendo veículos leves e comerciais, além do mercado de reposição. “Essa empolgante transação representa o próximo passo na estratégia de fornecimento de sistemas de propulsão da BorgWarner, fortalecendo nossa posição em propulsão elétrica, além dos motores a combustão, veículos comerciais e aftermarket”, afirma Frédéric Lissalde, presidente e CEO da BorgWarner. Revista O Mecânico. O posicionamento oficial da aquisição da Delphi pela Borg Warner está disponível no site global. https://www.borgwarner.com/newsroom/pressreleases/2020/01/28/borgwarner-to-acquire-delphitechnologies-in-all-stock-transaction-to-strengthenpropulsion-systems-leadership

Mercado de usados cresce 4,5%

A cada automóvel ou comercial leve novo vendido em janeiro, outros 5 usados foram negociados no País. De acordo com os dados da FENABRAVE Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, as transações comerciais de veículos usados, considerando todos os segmentos automotivos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), apresentaram alta de 4,5% em janeiro, na comparação com o mesmo mês de 2019, somando 1.210.465 unidades, contra 1.157.776. Na comparação com o mês de dezembro de 2019, quando foram transferidas 1.285.007 unidades, houve retração de 5,8%. Para os Segmentos de Automóveis e Comerciais Leves, as transações apresentaram aumento

de 4,8%, em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, totalizando 916.361 unidades neste ano, ante os 874.466 veículos transferidos em janeiro de 2019. Em relação a dezembro do ano passado, quando foram comercializadas 985.380 unidades, houve queda de 7%. Do total de automóveis e comerciais leves transacionados, os usados (de 1 a 3 anos de fabricação) representaram 5,4% das negociações realizadas em janeiro de 2020. Nesse mês, a relação entre novos e usados ficou em 5 automóveis e comerciais leves usados para cada novo, comercializado no país. MCE Comunicação Empresarial

Com apoio da Cobreq, mostra retrata os 120 anos do motociclismo no Brasil A exposição “Duas Rodas e Uma Nação”, que resgata a história dos 120 anos de motociclismo no Brasil, conta com o apoio da Cobreq, marca da TMD Friction, maior fabricante de pastilhas de freio do mundo. Com curadoria do Motostory, a mostra acontece até dia 1º de março no Museu Municipal de Socorro, no interior de São Paulo.

desenvolvimento da pesquisa que resultou na exposição mais completa do projeto Motostory. “A Cobreq acreditou na proposta de preservar a memória do motociclismo no país, contribuindo de forma valiosa para o trabalho silencioso e necessário que é a pesquisa, essencial para a realização da mostra”, comenta.

Com entrada gratuita, a exposição reúne documentos, mobiliário e muitas motos raras, que pertencem ao acervo Moto Classic Museum, assim como a coleção Remaza Collection, a Phelo & Moore de 1918 e que pertence a Edgard Soares, e a antiquíssima Triumph Type H, de 1915, da TecMoto.

A exposição também integra o projeto “Socorro, Destino Duas Rodas” e abre o calendário de eventos da cidade no Museu Municipal. Consolidada como importante polo do turismo de aventura no Brasil, o município quer se tornar também o ponto de encontro dos mototuristas e cicloturistas.

Idealizada por Carlãozinho Coachman, historiador, jornalista especializado em motocicletas e motociclista apaixonado, a mostra é fruto de muita pesquisa, com inúmeros arquivos revirados e contribuição de pilotos e entusiastas do motociclismo que repassaram suas vivências em duas rodas para os “garimpeiros” do Motostory Brasil.

Serviço Exposição Duas Rodas e Uma Nação – Entrada Franca Local: Museu Municipal de Socorro - Rua Antônio Leopoldino, 185 – Centro-Socorro/ SP A mostra vai até dia 01/03/2020 Visitação: De terça a domingo - das 9h às 17h Informações (19) 3895 8005

Segundo Coachman, o apoio da Cobreq desde 2016 tem importância fundamental no 8

Alfapress

jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

9


MARELLI COFAP LANÇA FLUIDOS DE RADIADORES E AMPLIA PORTFÓLIO TÉRMICO Nova linha conta com quatro aditivos, dois anticorrosivos e uma solução arrefecedora

O impacto do uso incorreto do óleo de motor para os veículos Qualquer motor à combustão demanda um óleo para funcionar corretamente. Responsável pela lubrificação, o óleo de motor evita o atrito entre as peças e, consequentemente, o desgaste delas. Para garantir a saúde do veículo, é imperativa a utilização de um lubrificante adequado para o motor, além de trocas regulares. Mas o que acontece se motor for abastecido com um lubrificante errado?

Maximizando o desempenho do motor O óleo de motor tem a função de lubrificar as peças para reduzir a fricção e minimizar a perda desnecessária de energia. Um motor bem lubrificado queimará combustível com mais eficiência, tendo assim, um melhor desempenho. A lubrificação, no entanto, é apenas uma tarefa. À medida que o atrito é reduzido, as peças e superfícies sujeitas à fricção também são protegidas. A quantidade de desgaste é minimizada para que as peças tenham uma vida útil mais longa. Um bom lubrificante também evita reações químicas indesejadas na superfície das peças, como por exemplo, a corrosão. Peças corroídas geralmente perdem a funcionalidade resultando em um aumento exponencial das emissões do motor. Mesmo com o lubrificante correto no local, certo grau de abrasão no ponto de contato entre diferentes superfícies das peças não pode ser completamente evitado, fazendo com que partículas sejam liberadas. O lubrificante garante que essas partículas sejam emanadas para locais onde não danifiquem o motor. Idealmente, o lubrificante dissolve até impurezas e sedimentos, além de possuir uma função de resfriamento, na qual o fluido absorve o calor do atrito no motor. Sem esse sistema, as peças do motor superaqueceriam e não poderiam continuar executando suas tarefas apropriadamente.

Motores atuais x tipos de lubrificantes Atualmente, os motores modernos são diferentes entre si e não existe um lubrificante único que se adapte a todos os modelos. Por exemplo, os motores modernos demandam um lubrificante com menos viscosidade (mais fino) para realizar todo o seu potencial de economia de combustível. Esses lubrificantes mais leves foram projetados para proteger as peças com maior dificuldade de trabalhar durante seu funcionamento, enquanto permite que o motor gire livremente com a menor resistência possível. Deixar a escolha de um óleo de motor para os motoristas pode ser complexo e gerar 10

Por Marcelo Martini

dúvidas. Por isso, os fabricantes de automóveis reúnem todos os requisitos que um fluido de motor precisa cumprir para determinado modelo de motor em uma publicação chamada “especificação de óleo de motor” (por exemplo, GM dexos1TM), disponibilizada no manual de cada carro. Desta forma, os proprietários de carros podem encontrar mais facilmente a especificação necessária para o seu veículo e o lubrificante correto para o seu motor. Além disso, organizações como a Associação Americana de Petróleo (API) e o Comitê Internacional de Padronização e Aprovação de Lubrificantes (ILSAC) publicam especificações padronizadas às quais alguns fabricantes originais de equipamentos (OEMs) se referem, por exemplo, API SP ou ILSAC GF-6. No Brasil, o órgão regulador das atividades que integram as indústrias de petróleo, gás natural e de biocombustíveis é a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Atender as recomendações nacionais e internacionais é crucial para escolha correta do lubrificante a fim de garantir maior longevidade e performance do motor.

Lubrificantes independentes Os fabricantes, por outro lado, podem desenvolver seus próprios lubrificantes de acordo com essas regras. Por lei, esses fabricantes devem apresentar na embalagem quais especificações seu óleo de motor atende para que os consumidores possam escolher o lubrificante apropriado de maneira mais assertiva. Muitas montadoras até aprovam lubrificantes para seus respectivos veículos. Somente uma aprovação dá aos motoristas a certeza sobre a adequação de um lubrificante, pois não se trata apenas do nível de desempenho, mas também de uma garantia de qualidade de uma fonte confiável. Isso é especialmente importante para marcas globais como Mercedes ou Volkswagen, já que estas normalmente têm fabricantes originais de equipamentos e até requisitos específicos de modelos, que vão muito além dos padrões da indústria. Utilizar o óleo de motor errado pode ter consequências significativas. O motor pode perder energia, tornar-se barulhento ou, na pior das hipóteses, quebrar completamente. Para evitar esses prejuízos e outro ainda pior – os gastos desnecessários – só há uma maneira: utilizar o óleo de motor correto para a conservação do seu veículo. A escolha do lubrificante deve ser levada a sério! Marcelo Martini é Gestor da divisão automotiva da FUCHS, maior fabricante independente de lubrificantes e produtos relacionados do mundo.

Líder no mercado de reposição de autopeças no Brasil, a Marelli Cofap Aftermarket expande o portfólio da sua linha térmica com o lançamento de uma nova família de produtos: fluidos para radiadores para veículos leves e pesados. A novidade conta com 2 anticorrosivos, 4 aditivos e uma solução arrefecedora, 7 produtos que chegam ao mercado com a marca Magneti Marelli, disponíveis nas versões concentrada e pronta para uso, nas bases orgânica e inorgânica. Responsáveis por proteger os componentes de sistemas de arrefecimento automotivos contra a corrosão, os fluidos possuem ainda funções antiebulição, anticongelante e de lubrificação, sendo indispensáveis para garantir a durabilidade do motor do veículo e auxiliar para que a temperatura do sistema se mantenha numa faixa adequada para o funcionamento do motor. Os fluidos para arrefecimento automotivo Magneti Marelli contêm glicóis em sua composição, que garantem eficiente gestão térmica. Oferecem a mesma tecnologia empregada nos componentes originais utilizados pelas montadoras e utilizam matérias primas de fontes renováveis, sendo biodegradáveis e, consequentemente, causando menor impacto ao meio ambiente. As versões concentradas do produto devem ser diluídas em água desmineralizada na proporção de 50% de fluido e 50% de água, enquanto as prontas para uso devem ser aplicadas diretamente no sistema, sem a necessidade de diluição. No segmento de veículos leves, os produtos possuem vida útil de 2 anos ou 60 mil quilômetros e no segmento de pesados, de 1 ano ou 120 mil quilômetros. Os anticorrosivos, com ação antiespumante, oferecem excelente proteção para sistemas de arrefecimento de veículos leves movidos à gasolina, etanol e GNV. Sua ação é responsável por prolongar a vida útil dos componentes metálicos com inibidores inorgânicos de alto desempenho. O produto tem vida útil de 1 ano

ou 30 mil quilômetros e é comercializado apenas na versão concentrada, quando há necessidade de diluição de 50% do produto em 50% de água desmineralizada antes de ser aplicada ao sistema de arrefecimento. A nova linha de produtos vem se juntar à já tradicional linha térmica Magneti Marelli que conta, também, com radiadores, eletroventiladores, visco-fans, intercoolers, bombas dʼágua e válvulas termostáticas, além de compressores, evaporadores e condensadores para ar-condicionado. Os códigos dos fluidos de arrefecimento Magneti Marelli são FRMM6004 (solução arrefecedora, linha leve, pronta para uso), FRMM6005 e FRMM6008 (aditivos para radiadores linha leve, concentrados), FRMM6111 e FRMM6112 (aditivos para radiadores, linha pesada, concentrados), FRMM6000 e FRMM6003 (anticorrosivos concentrados). Importante salientar que o descarte desse tipo de produto deve ser realizado de acordo com as regulamentações locais. Não devem ser despejados em esgotos, águas superficiais ou no solo.

Qualidade reconhecida no mercado Com investimentos constantes na ampliação de seu portfólio e no aperfeiçoamento de seus componentes, os produtos comercializados pela Marelli Cofap Aftermarket são desenvolvidos sob rigorosos padrões de qualidade com o objetivo de oferecer ao mercado reparador a mesma qualidade e confiabilidade dos produtos genuínos, proporcionando desempenho compatível com o produto original. Mais informações sobre os produtos e lançamentos das marcas Cofap e Marelli podem ser encontradas em www.mmcofap.com.br. SD&PRESS Consultoria

jornalreposicao.com.br


Intenção de Consumo das Famílias (ICF) segue elevada no Paraná Indicador paranaense está acima da média nacional A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) se mantém elevada no Paraná. O indicador, aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), marca 115 pontos em fevereiro, com variação mensal de 0,2%. A pontuação também é semelhante à registrada em fevereiro de 2019, quando era de 114,9 pontos.

para compra de bens duráveis (110,2 pontos), perspectiva de consumo (107,5 pontos) e acesso ao crédito (104,6 pontos).

O índice da ICF no Paraná está acima da média nacional, que é de 99,3 pontos e teve acréscimo mensal de 1,2%. É o melhor resultado para o mês de fevereiro desde 2016.

No comparativo por faixa de renda, o indicador é maior entre as famílias com renda superior a dez salários mínimos, com 121,3 pontos, ante 113,6 pontos entre as famílias que ganham menos. No entanto, na variação mensal, houve alta entre as classes C, D e E, de 0,4%, enquanto houve redução de 0,9% entre as famílias de maior renda.

Os fatores que têm contribuído para o indicador elevado no estado são renda atual (158,4 pontos), confiança no emprego (129,6 pontos), momento

Os quesitos acesso ao crédito e perspectiva profissional tiveram as maiores altas mensais, com elevação de 4,3% e 3,7%, respectivamente, em relação ao primeiro mês deste ano. Na variação anual, a perspectiva profissional cresceu 10%, enquanto o acesso ao crédito subiu 8,5%.

Fecomércio PR

DAYCO SE DESTACA EM PESQUISA MARCAS NA OFICINA 2019, REALIZADA PELA CINAU A Dayco, fornecedora líder de produtos para motores e sistemas de transmissão para as montadoras de automóveis, linha industrial e reposição, se destacou na pesquisa Marcas na Oficina realizada pela Central de Inteligência Automotiva, nas categorias correias, tensionadores e ainda no quadro geral, entre as marcas mais admiradas. O estudo analisou as respostas de mais de 1,8 mil reparadores em todo o território nacional, com grau de confiabilidade de 95%, onde os mecânicos responderam sobre as marcas que lembram e preferem comprar em suas oficinas. Deste que a pesquisa foi iniciada 2006, a Dayco vem figurando entre as marcas mais lembradas e compradas nas categorias correias e tensionadores, sendo que na edição de 2019, pela primeira vez, também apareceu entre as 15 marcas mais admiradas no quadro geral da pesquisa. A Dayco vem investindo fortemente em suas equipes próprias regionais para um atendimento mais ágil e personalizado, lançamentos de jornalreposicao.com.br

produtos, tecnologia, palestras técnicas, suporte marketing e ações promocionais, além de ferramentas que facilitem o dia a dia do seu cliente. A empresa agradece a roda a rede de aplicadores, varejistas e distribuidores que devido a sua parceria e confiança, fazem com que sua marca global, tenha conseguido conquistar o coração do público brasileiro, nesses quase 20 anos no país. A Dayco continuará focada em melhorar a forma como o mundo se move criando produtos, sistemas e relacionamentos que perduram. Para maiores informações sobre a Dayco e seus produtos, a empresa disponibiliza atendimento técnico especializado através dos telefones 0800 772 0033 e 11 99385-1313 (WhatsApp). A Dayco é um fornecedor completo de sistemas de transmissão de força e a parceira escolhida pelos principais fabricantes de veículos do mundo. DAYCO

11


WEGA MOTORS REALIZA CONVENÇÃO DE VENDAS 2020 CONTABILIZANDO SUCESSO E PROJETANDO CRESCIMENTO

A Wega realizou nos dias 03 e 4 de fevereiro sua Convenção Anual de Vendas, onde todas as equipes da empresa participaram de reunião e dinâmicas para a apresentação de resultados do ano anterior e expectativas e projeções para 2020. A empresa teve um crescimento de mercado acima do esperado, em comparação ao ano de 2018. Tanto sucesso foi atribuído além de todos os lançamentos de produtos no decorrer de 2019, abrangendo ainda mais veículos da frota brasileira, a toda sinergia das equipes envolvidas em todos os processos, desde a engenharia, passando pelo TI, logística, marketing, vendas até chegar aos clientes no balcão e ao aplicador. “A Wega Motors entende que uma empresa é feita de pessoas...os números devem e fazem parte de todos os processos, mas no final, o resultado vem do empenho das equipes. O importante é ver que todos estão comprometidos e encantados com nossos produtos e nossa marca no setor automotivo.”, explica Cesar Costa, Diretor de Vendas e Marketing da Wega. “O sucesso é apenas consequência da satisfação em trabalhar com a marca.”, finaliza Costa. Durante a Convenção a equipe de Representantes da empresa compartilhou informações das regiões, os trabalhos realizados, o crescimento

12

da linha Wega nos clientes, o trabalho dos Promotores. Todo esse conjunto de ações é o segredo da marca Wega no setor de Reparação Automotiva. “É muito gratificante quando visitamos um autocenter ou loja e encontramos o estoque cheio de embalagens vermelhas!” declara Cristian Neto, CEO da Wega Motors. No ano de 2019, a empresa ressalta que vendeu mais de 22,8 milhões de peças de seu portfolio que abrange filtros de óleo, ar, cabine, combustível, câmbio, velas de ignição, aquecedoras, filtro para Arla 32, desumidificador, do sistema de arrefecimento, sedimentador e óleo hidráulico. A Convenção de Vendas foi relatado vários acontecimentos importantes para a organização como: O reconhecimento dos reparadores no Prêmio Sindirepa SP e RJ e pela primeira vez o prêmio INOVA. Em 2020 a empresa projeta crescimento em sua produção para atender à crescente demanda do mercado de reposição da América Latina. Atualmente a Wega Motors possui fábrica na Argentina, Centro de Distribuição (com capacidade de 12 milhões de peças) na cidade de Itajaí, em Santa Catarina, atendendo e entregando em todo o território nacional além de seu escritório técnico comercial em São Paulo. PSC Comunicação

jornalreposicao.com.br


Falta de troca do filtro de ar condicionado pode provocar problemas de saúde, alerta Tecfil Respeitar a vida útil do filtro é fundamental para manter a boa qualidade do ar no interior dos veículos

Responsável por reter as impurezas que passam pelos dutos de ventilação, o filtro do ar condicionado (ou de cabine), é um componente fundamental para purificar o ar que entra nos automóveis. Porém, alguns motoristas nem sequer sabem que eles existem, e, muitas vezes, o equipamento não recebe a manutenção devida, o que pode provocar consequências perigosas para a saúde dos passageiros, segundo alerta a Tecfil, maior fabricante em filtros automotivos da América Latina. Pesquisas mostram que, quando a troca deste filtro não é realizada no tempo adequado, a concentração de poluentes dentro de um veículo pode ser muito maior que fora dele, podendo causar doenças alérgicas e respiratórias graves, como crises de rinite, sinusite, asma, bronquite e até pneumonia. “Quando o filtro de cabine fica velho, ele perde eficiência, e as partículas de sujeira e bactérias começam a impregnar os dutos de ventilação. Com isso, todo o ambiente interno do veículo é contaminado, e os ocupantes passam a respirar um ar muito poluído”, explica Plinio Fazol, gerente de marketing e novos produtos da Tecfil, empresa cujos filtros de cabine retêm até 99% das impurezas e são capazes de filtrar partículas até 25 vezes menores que um fio de cabelo. Fazol acrescenta que um filtro saturado diminui a vazão de ar, forçando o sistema de ventilação e refrigeração a trabalhar com cargas mais elevadas, podendo causar, inclusive, aumento no consumo de combustível. Para não cair nestas armadilhas, é preciso ficar atento à vida útil do filtro, que varia de acordo com a quantidade de contaminação existente no ar. Em ambientes urbanos, por exemplo, a Tecfil

terra e poeira.

orienta que os filtros de cabine sejam trocados entre seis meses e um ano, no máximo. Este tempo pode ser ainda menor quando o veículo roda em locais com grande quantidade de

“Ter estes prazos em mente é importante para fazer uma averiguação periódica”, alerta o executivo, ao destacar que alguns indícios podem ajudar os usuários de veículos a saberem se está na hora de trocar o filtro. Entre eles, estão a redução do fluxo de ar, a presença de odores desagradáveis e as partículas visíveis nas saídas de ar condicionado. É muito comum os proprietários de veículos acharem que a substituição deste tipo de filtro possui um custo elevado e um alto grau de dificuldade. No entanto, é possível realizar o serviço com um custo acessível em vários locais, como oficinas independentes, centros automotivos, postos de combustíveis e, dependendo do modelo do veículo, o filtro pode ser substituído pelo próprio proprietário. Com um portfólio que atende mais de 97% dos modelos de veículos, a Tecfil voltou a fabricar filtros de cabine com carvão ativado que conseguem barrar partículas sólidas e permitem ao sistema de ar condicionado de um veículo reter com mais eficiência impurezas como poeira, fuligem e gases. “Os novos modelos contam com alta tecnologia em sua mídia filtrante, e são superiores aos modelos comuns, pois retêm odores desagradáveis com a máxima eficiência de filtragem”, conclui Fazol. GPCOM Comunicação Corporativa

JORNAL REPOSIÇÃO Edições Especiais da Autopar:

Abril - Maio - Junho/2020 41 3155-2532 jornalreposicao.com.br

13


Volvo segue crescendo, lidera em pesados e investe mais R$ 1 bilhão no Brasil

Registrando em 2019 o melhor resultado histórico na venda de caminhões pesados no Brasil e com o maior crescimento percentual na indústria brasileira de ônibus, o Grupo Volvo está renovando seus investimentos no país. Serão mais R$ 1 bilhão no período entre 2020 a 2023, principalmente para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços, além de melhoria de processos industriais e de gestão. No ranking por países, o crescimento de 2019 colocou novamente o Brasil como o segundo maior mercado de caminhões Volvo no mundo. “O Brasil continua sendo muito importante para a Volvo. A recuperação gradativa da economia foi decisiva para o aumento das entregas e a retomada da liderança no segmento de caminhões pesados. O crescimento de 58% em 2019 nos dá a confiança para um novo ciclo de investimento para os próximos anos”, declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. Os novos recursos anunciados hoje são destinados para todos os negócios da Volvo no Brasil: caminhões pesados e semipesados, ônibus urbanos e rodoviários, equipamentos de construção, motores marítimos e industriais e serviços financeiros.

A Volvo recuperou a liderança brasileira em caminhões pesados em 2019, com entregas de 14.505 unidades, 58% a mais que o ano anterior. As vendas de semipesados cresceram 55,5%, bem acima da média de 30% do mercado. Nesse segmento, a Volvo emplacou 2.339 caminhões no Brasil. O pesado FH 540 6x4 repetiu grande desempenho em vendas, tornando-se mais uma vez o caminhão mais vendido entre todas as classes no Brasil (7.135 unidades emplacadas) e também na América Latina (7.271 unidades). “Fechamos a década como líderes em caminhões pesados”, comemora Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões da Volvo, ao se referir aos resultados do período 2010/2019. Nesse intervalo, a Volvo liderou o mercado de pesados por sete vezes. A Volvo ainda teve bons resultados nos demais países da América Latina. Mesmo com o mercado em queda na Argentina (1.179 caminhões), a

14

Foto: Divulgação

Caminhões

marca ganhou market share (+5%) naquele país. A empresa também teve bom desempenho no Peru (1.292 caminhões), onde há vários anos é líder absoluta em pesados, e também no Chile (1.182 caminhões). Na soma de todos os países da América Latina a Volvo entregou 20.665 veículos, com o Brasil representando 82% dos volumes. No ranking por países, o crescimento de 2019 colocou novamente o Brasil como o segundo maior mercado de caminhões Volvo no mundo. Ônibus No segmento de ônibus a Volvo entregou 744 chassis no Brasil, volume 73% superior ao do ano passado. “Em termos percentuais nenhuma

outra marca cresceu como nós”, assegura Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America. Em 2019 foram emplacados 389 chassis rodoviários (62% de crescimento) e 355 chassis urbanos (87% de crescimento). No segmento de rodoviários, foram realizadas as primeiras entregas de chassis com a nova geração do Sistema de Segurança Ativa Volvo (SSA), com avançados recursos que ajudam a prevenir acidentes. Em urbanos, a marca fez importantes vendas externas para a Colômbia (594 articulados/ biarticulados), Chile (120 ônibus) e República Dominicana (50 articulados). Em 2019, as exportações representaram 60% dos volumes de ônibus.

Volvo Financial Services O braço financeiro do Grupo Volvo também registrou números importantes no Brasil. A Volvo Financial Services terminou 2019 com participação em 40% das vendas de todos os produtos da marca (caminhões, ônibus e máquinas), apresentou uma forte recuperação de 20% na venda de seguros para caminhões e atingiu mais R$ 1 bilhão em novos volumes de cartas de crédito de consórcio comercializadas (crescimento de 22%). “Aumentamos em 80% os volumes de financiamentos no Brasil”, afirma Ruy Meirelles, presidente da Volvo Financial Services Brasil. VOLVO

jornalreposicao.com.br


Além do robô-táxi: como os carros autônomos vão mudar a experiência do consumidor

Chassis do futuro é em código: ZF se torna uma fornecedora de soluções em software

Foto: Divulgação

“cubiX” da ZF: O chassis do futuro feito por código. Um componente de software reúne informações de sensores de todo o veículo e as prepara para um controle otimizado de sistemas ativos em chassis, direção, freios e propulsão. Desta forma, o “cubiX” pode otimizar o comportamento do carro a partir de uma fonte central.

A Ford continua avançando no seu plano de lançar em 2021 um serviço comercial de veículos autônomos, que já roda em fase de testes em várias cidades norteamericanas. Como resultado desses estudos a empresa constatou que, mais do que o desenvolvimento da tecnologia em si, ter como foco a experiência do cliente é essencial para o sucesso do futuro negócio. “Não há atalhos quando se trata do lançamento de um serviço de veículos autônomos. De fato, é a coisa mais difícil que a indústria automobilística já enfrentou desde que as pessoas trocaram os cavalos por carros. Precisamos que as pessoas confiem o bastante na nossa tecnologia para entrar no veículo e, depois, amem a experiência o bastante para voltar”, diz Jim Farley, presidente de Novos Negócios, Tecnologia e Estratégia da Ford, recém-nomeado diretor global de Operações. Segundo ele, nos próximos anos os veículos autônomos têm um enorme potencial para ajudar a expandir o acesso ao transporte, mercadorias e empregos em várias cidades. A Ford entendeu que o caminho para isso é criar um serviço além do software, que ofereça uma experiência centrada no cliente em cada passo da sua jornada. Mudança de comportamento Para liderar a Ford Autonomous Vehicle LLC, divisão dedicada a veículos autônomos, a empresa contratou Scott Griffith, ex-CEO da jornalreposicao.com.br

Zipcar, o maior serviço de compartilhamento de carros dos EUA. “Scott está assumindo o papel crítico de liderar o desenvolvimento e a execução de nossa estratégia de entrada nesse mercado. Ele conhece os desafios de lançar um novo serviço de mobilidade com operações em larga escala, que envolvem uma mudança fundamental no comportamento do consumidor: a troca da propriedade do carro pelo seu compartilhamento.” A capacidade de administrar uma frota apoiada em tecnologia e com alta taxa de utilização é outro aspecto crítico na criação de um serviço de carros autônomos confiável e eficiente. Isso significa atender as expectativas dos clientes em relação à limpeza, manutenção, recuperação e durabilidade dos veículos para conquistar sua fidelidade. Além disso, é preciso saber programar a expansão do serviço, definindo onde e como ele será lançado para aperfeiçoar a experiência do cliente antes de ganhar escala nacional e global. “Operar em um número limitado de cidades nos permitirá definir o modelo de negócios, a experiência do cliente e ter uma compreensão ampla das parcerias necessárias para lançar um serviço totalmente novo. Vencida essa etapa inicial, o avanço nas próximas cidades será muito mais fácil”, completa Jim Farley. Imprensa Ford

ZF fecha colaboração com a Microsoft para se transformar em uma fornecedora de soluções em mobilidade orientada por software Colaboração inclui processos avançados para viabilizar rápidos desenvolvimentos e validação de funções conectadas de veículos em escala global “cubiX” é exemplo de chassis conectados, orientados por software Friedrichshafen. A ZF está definindo o caminho para o desenvolvimento de software rápido e aprimorado. Junto à Microsoft, a ZF pretende levar seus processos, métodos e soluções de engenharia de software à velocidade e qualidade característica das líderes em TI. Transformando-se em uma fornecedora de serviços de mobilidade orientada por software, a ZF pode escalar seus recursos globais mais eficientemente e responder melhor às necessidades em evolução dos clientes. Trabalhando com a Microsoft, a ZF se utiliza dos serviços de nuvem Azure e de ferramentas de desenvolvimento, assim como da experiência da Microsoft em desenvolvimento ágil de softwares. No futuro, a ZF fornecerá soluções em software para o setor automotivo. “No futuro, o software terá um dos maiores impactos no desenvolvimento de sistemas automotivos e será um dos principais fatores de diferenciação no que se refere à realização de níveis mais altos de funções de direção automatizada. Queremos ajudar a impulsionar o avanço desta tendência. A colaboração com a Microsoft nos capacitará a acelerar a integração e entrega de softwares significativamente. Isto é importante para nossos clientes que apreciam a colaboração ágil e precisam de cadência nas entregas de atualizações de software. Além disso, o software precisará ser desenvolvido enquanto o hardware ainda não está disponível”, explicou o Dr. Dirk Walliser, Head de Pesquisa e Desenvolvimento Corporativo da ZF. A ZF irá então combinar seu enorme know-how como desenvolvedora de sistemas para o setor automotivo, com a vantagem extra de, a partir de agora, desenvolver softwares em velocidades significativamente mais altas. “Os recursos digitais serão essenciais para empresas automotivas crescerem e se destacarem entre seus concorrentes. O DevOps capacita equipes de desenvolvimento e operações a otimizarem a colaboração entre equipes de automação, teste, monitoramento e entrega contínua, usando métodos ágeis.

A Microsoft está fornecendo capacitação em DevOps e compartilhando suas experiências com a ZF para ajudar a torná-la uma fornecedora de serviços de mobilidade orientada por software”, disse Sanjay Ravi, Gerente Geral do Setor Automotivo da Microsoft. cubiX: Chassis do Futuro a partir de Código Na CES 2020, a ZF exibirá sua visão de desenvolvimento de softwares com o “cubiX”. Trata-se de um componente de software que reúne informações de sensores de todo o veículo e as prepara para um controle otimizado de sistemas ativos em chassis, direção, freios e propulsão. Seguindo uma abordagem independente de marcas, o cubiX suportará componentes da ZF e também de terceiros. “O cubiX cria funções de chassis em rede graças ao software: ao conectar vários sistemas de veículos como sistemas de direção elétrica, sistema de direção ativa do eixo traseiro, sistema de amortecimento ativo sMOTION, controle da direção e controle integrado dos freios, o cubiX pode otimizar o comportamento do carro a partir de uma fonte central. Isto permite um novo nível de controle do veículo e assim pode aumentar a segurança, por exemplo, em condições desfavoráveis de pista ou em situações de emergência”, disse o Dr. Dirk Walliser. A ZF planeja iniciar projetos com os primeiros clientes em 2020 e oferecerá o cubiX a partir de 2023, tanto como parte de um sistema geral ou como um componente de software individual. ZF na CES 2020 Além disso, a ZF apresentará seus abrangentes sistemas para direção automatizada e autônoma na CES. Eles são formados por sensores, energia computacional, software e atuadores. Para carros de passeio, os sistemas de nível 2+ abrem caminho para um meio mais seguro e confortável de transporte privado. As novas soluções em mobilidade como robo-táxis são projetadas para operar com sistemas níveis 4 e 5 da ZF. Além disso, os inovadores sistemas de segurança integrados da ZF estarão à mostra, como o Safe Human Interaction Cockpit (cockpit SHI). Softwares inovadores utilizando inteligência artificial para fornecer novos recursos e ofertas de mobilidade mais avançadas também serão destaque. MM EDITORIAL

15


16

jornalreposicao.com.br

Profile for Jornal Reposição

Jornal Reposição #152 Fevereiro 2020  

O Jornal Reposição é um veículo segmentado para profissionais do seetor de Reposição Automotiva, que circula mensalmente no Paraná e online...

Jornal Reposição #152 Fevereiro 2020  

O Jornal Reposição é um veículo segmentado para profissionais do seetor de Reposição Automotiva, que circula mensalmente no Paraná e online...

Advertisement