Page 1

Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Quer saber que hora seu ônibus vai passar no ponto? É só baixar o aplicativo “SigaBus” Lançado nesta segunda (17), o APP tem conteúdo em áudio para pessoas com deficiência visual

Gerenciado pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (Transcon), o aplicativo “SigaBus” está disponível nas lojas virtuais para ser baixado gratuitamente. O APP foi lançado nesta segunda-feira (17) e trará mais conforto aos usuários do sistema de transporte coletivo municipal. O “SigaBus” contém informações sobre itinerários e previsões de horários que os ônibus passarão nos pontos, fazendo o monitoramento em tempo real das linhas municipais. O aplicativo ocupa pouco espaço de armazenamento na memória dos telefones celulares. A opção “Fale com a Transcon” é um canal de comunicação entre a Autarquia e os passageiros, que podem dar sugestões e fazer reclamações. A opção “Para onde?” é um serviço de roteirização, em que o passageiro informa o endereço de origem e de destino e o “SigaBus”

aponta como chegar. Nesse caso, se o usuário ativar o Sistema de Posicionamento Global (GPS) do aparelho, o aplicativo faz a identificação do local de partida automaticamente. O gerente de Operações de Transportes da Transcon, Wilson Junior, explica o funcionamento do APP em todos os ônibus das 44 linhas municipais. “Funciona com a reprodução dos dados dos veículos, que já estão com rastreador instalado e ativado. “O download pode ser feito nas lojas de aplicativos PlayStore, para aparelhos que operam no sistema Android, e AppleStore, do sistema IOS”. O presidente da Transcon, Gustavo Peixoto, ressalta as melhorias que o aplicativo trará ao sistema de transporte. “Com o lançamento do “SigaBus”, o usuário terá mais tranquilidade para utili-

zar a linha certa no horário correto. Além disso, poderá fazer a reclamação quando for necessário. É mais uma forma de monitoramento e nós precisamos contar com o usuário para isso”. Para o diretor administrativo financeiro do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Sintram), Ermelindo Rocha Faria Júnior, a qualidade do transporte vai aumentar. “É uma grande realização do Município poder seguir para o ponto de ônibus com hora programada. Estamos partindo para o alto nível de transporte e eficiência”, afirma. Acessibilidade O “SigaBus” também é acessível para pessoas com deficiência visual. Pelas funções Talkback e VoiceOver, disponível nos smartphones Android e iOS, res-

pectivamente, basta o usuário dar um toque duplo na tela que o aparelho informará em áudio o conteúdo do aplicativo. Outros serviços surgirão com as atualizações do aplicativo. Gerenciamento A Central de Monitoramento da Transcon é responsável pelo gerenciamento da operação das linhas municipais. Também fiscaliza o cumprimento dos quadros de horários e itinerários e registra as solicitações de passageiros. Qualquer usuário do transporte coletivo de Contagem que deseja reclamar, elogiar ou sugerir algo pode entrar em contato com a Central pelo telefone 118 (opção 2 e em seguida opção 1). No caso do aplicativo “SigaBus, o contato pode ser feito por meio do e m a i l sigabus.transcon@contagem.mg.gov.br

Caps III Sede em novo endereço Durante a mudança, pacientes serão atendidos em casa e em outras unidades O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Sede está ganhando novo prédio. O objetivo é proporcionar mais conforto e comodidade aos usuários. As novas instalações possibilitam um atendimento com mais segurança. De acordo com o diretor do Caps Sede, Rafael Kalil, a mudança será

gradativa. “Vamos começar a transferir os equipamentos já na segunda-feira (17). Até o fim da semana, tudo deverá estar no novo prédio”, destacou. No período da mudança, entre os dias 17 e 23 de junho, os pacientes do Caps Sede não ficarão sem assistência. Os usuários de perma-

nência diurna receberão a medicação em casa. Já os atendimentos de urgência serão realizados nos Caps Eldorado e Caps AD. A previsão é que o novo Caps III Sede esteja funcionando no dia 24 de junho. A unidade atende cerca de 300 pacientes; é composto por equipes multidisci-

plinares, que atendem durante 24 horas. Em Contagem, existem cinco Caps. As instituições acolhem pacientes com transtornos mentais e estimulam a integração social e familiar. Mais informações pelos telefones 3355-1558, 3398-7378 e 3398-9922.

1

EXEMPLAR CORTESIA - VENDA


Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Restaurante Popular do Eldorado é revitalizado para maior comodidade dos frequentadores São oferecidas 1.900 refeições diariamente na hora do almoço, a R$ 3 cada, com cardápio variado

O Restaurante Popular do Eldorado foi totalmente revitalizado, para maior comodidade dos usuários. São servidos diariamente 1.900 pratos no almoço, ao custo de R$ 3 cada. O cardápio é definido por uma nutricionista, que garante a qualidade dos alimentos. “O preço é muito baixo, permitindo que tenhamos uma alimentação saudável e de qualidade, diariamente”, destaca o aposentado Luiz Borges. O gerente do Restaurante Popular, Maurício Steiner, coordena uma equipe com cerca de 35 profissionais, que trabalha com muito carinho para

preparar refeições tão saborosas. “Sempre ouvimos elogios não só pela qualidade da comida, mas pelo respeito com que tratamos cada um dos frequentadores. É isso que torna o trabalho tão gratificante. As pessoas saem daqui satisfeitas e isso é mérito dessa equipe, que se dedica. Com essa revitalização, o espaço está ficando cada dia melhor”, destaca. A secretária Municipal de Desenvolvimento Social, Luzia Ferreira, ressalta que garantir a qualidade nas refeições é uma das preocupações na Política de Segurança Alimentar

de Contagem. “São 1.900 pessoas aqui todos os dias, então precisamos que o restaurante esteja funcionando a todo o vapor, com a comida saborosa, variada e saudável. É muito gratificante saber como cada pessoa é tratada com carinho e como a comida é realmente preparada com cuidado e preocupação com a saúde das pessoas”, diz. O restaurante tem um cardápio variado, buscando sempre equilibrar os nutrientes. “São opções ricas em nutrientes, com as frutas, legumes e verduras da estação. Essa variedade que a natureza nos

proporciona, aliada ao carinho com que a nossa equipe prepara os alimentos, é que torna a comida tão saborosa”, reforça Maurício Steiner. O esforço da Prefeitura é para que a população de Contagem tenha um restaurante de qualidade, com valor acessível. “A revitalização foi feita com muito carinho, para que todos possam fazer suas refeições de forma digna e mais agradável”, completa o gerente. O Restaurante Popular do Eldorado funciona de segunda à sexta-feira, das 10h30 às 14h. O endereço é rua Madre MargheritaFontanaresa, 432, Eldorado.

2


Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

3

Programa “Obra na rua – É Mudança climática é grande da tosse? rápida, é sua” contempla causadora Baixa temperatura e clima mais seco aumentam poluição atmosférica e agravam risco bairro Bernardo Monteiro Prefeito Alex de Freitas esteve no local para anunciar a execução de obras de recapeamento e melhorias urbanísticas

Foto: Cássio Matias

Cartazes com mensagens de agradecimento fixados nos portões das casas. Foi dessa forma que o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, foi recebido pelos moradores do bairro Bernardo Monteiro 2ª Seção, na manhã de quarta-feira (12), em mais uma etapa do programa “Obra na rua – É rápida, é sua”. Ele esteve no local, junto com vice-prefeito William Barreiro e as equipes da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs) e da Administração Regional Sede, para acompanhar a construção de uma pista de caminhada na rua Eugênio Nápoli e o início de obras de recapeamento asfáltico na avenida Dois e nas ruas Três, Quatro e Cinco. Além do asfalto, o pacote prevê a criação de um novo acesso, ligando a avenida Dois à rua Três, a troca de lâmpadas convencionais por LED e a retirada de um pequeno muro que obstrui a passagem de veículos na rua Três. As intervenções, além de facilitar a mobilidade, vão garantir mais segurança e qualidade de vida aos moradores. A expectativa é que as obras sejam executadas num prazo máximo de 90 dias.

Para o prefeito Alex de Freitas, o reconhecimento dos moradores é um indicativo de que o atual governo está resgatando o compromisso social de garantir uma vida mais digna à população de Contagem. “A reivindicação dessas famílias que aqui vivem é antiga e legítima. Ficamos felizes com as manifestações, mas acima de tudo por assegurar um direito delas”, destacou. Já o vice-prefeito William Barreiro lembrou que o programa “Obra na rua – É rápida, é sua” tem beneficiado muitos bairros da cidade. “O projeto trouxe um novo olhar para as demandas localizadas em áreas mais carentes, que necessitam e precisam da intervenção do poder público de modo urgente. Agora foi a vez do Bernardo Monteiro. Tenho a convicção de que foi um grande presente”, afirmou Barreiro. Incrédula há alguns anos, Elaine Macedo de Oliveira, moradora da rua Três, disse que a visita do prefeito trouxe esperança: “Muitos políticos prometeram e não fizeram. Mas Alex de Freitas esteve aqui, pegou na nossa mão, então, isso nos transmitiu confiança e credibilidade. Apesar de só acreditar quando esti-

ver pronta, agradeço o empenho da Prefeitura em nos beneficiar”. Quem também sonha com a conclusão das obras é a aposentada Iris Maria Diniz. Ela mora há 42 anos na avenida Dois e espera que as intervenções possam inibir a presença de usuários de drogas. “A rua virou um ponto de boca de fumo. Com as obras e a iluminação de LED, creio que a rua ficará mais segura. Sofremos muito com isso, já fizemos até boletim de ocorrência. Contudo só agora, com a realização dessas obras, acreditamos que há chances de mudar essa situação”, relatou a aposentada.

Obra na rua – É rápida, é sua”

Objetivo é dar visibilidade à temática e sensibilizar a sociedade para os fatores de proteção que podem evitar ou retardar o contato com álcool e outras drogas e, também, fortalecer a rede de parceiros que atuam no campo da prevenção, assistência, tratamento e reinserção social de pessoas que usam e/ou abusam do álcool e outras drogas, além de seus familiares. Organizado em parceria com o Conselho Municipal de Políticas so-

JORNAL REGIONAL CONTAGEM LTDA. CNPJ: 04.917.575/0001-24 Editor-Chefe e Jornalista Responsável:

José Antônio Borba REGJPMG09675 Diretora de Redação: Sandra Bochiard Borba Rua das Acácias, 1137 - Conj. 401 - CEP: 32310-370 Eldorado - Contagem -TEL.: (31) 3042-0034/ 99713-2530 / 99952-4073 E-mail: gruporegionalcontagem@gmail.com http://www.jornalregionalcontagem.com.br http://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs https://www.facebook.com/pages/Jornal-Regional-de-Contagem/ 442009609264258?ref=hl

PÚBLICO ALVO: 200.000 LEITORES Os artigos e matérias assinados são de responsabilidade dos seus autores, não representando, necessariamente, a opinião deste jornal.

piora noturna, depende muito do caso. "Um paciente com alergia respiratória, por exemplo, tem, em seu quarto, diversos alergênicos e, durante seu sono, pode ficar mais exposto. Outros pacientes acumulam muita secreção nas vias aéreas superiores e, quando se deitam para dormir, desenvolvem gotejamento posterior como causa da tosse. Pessoas com algumas cardiopatias têm tosse geralmente quando se deitam. Outras têm irritação das vias aéreas com baixas temperaturas que ocorrem geralmente à noite", conclui o médico otorrinolaringologista. É preciso ficar atento, pois existem diversas complicações que podem ser desencadeadas por conta da tosse. As mais frequentes são as alterações nas cordas vocais que podem gerar disfonia (rouquidão) ou até afonia (perda da voz). Ainda há possibilidade de alterações mais graves no caso de não buscar um tratamento adequado. Alguns exemplos são alterações no diafragma e musculatura torácica, fratura de costela, perfuração da traqueia, brônquios e pulmões com risco de vida, pneumomediastino e pneumotórax. Segundo o Dr. Alessandro Goldner, o fundamental é a elucidação diagnóstica. "A tosse

bre Álcool e outras Drogas de Contagem (Comadc), o evento é celebrado em consonância com a Lei Municipal Nº 4.439/2011, que institui a Semana de Enfrentamento e Prevenção ao Uso/Abuso de Álcool e outras Drogas; com a Resolução 42/ 112 da Organização das Nações Unidas (ONU), que institui 26 de junho como o Dia Internacional de Combate às Drogas; e com a lei estadual que cria a Semana Estadual de Prevenção às Drogas.

nada mais é que um ato reflexo natural do aparelho respiratório em consequência de alguns transtornos que podem modificar a fisiologia da mucosa, como agressões inflamatórias e/ou infecciosas, alérgica, exposição química, uso de alguns medicamentos etc", afirma. Por isso, o ideal é tratar a causa da tosse. Manter-se hidratado, limpar as vias aéreas com soluções salinas, usar umidificadores de ar, manter limpos os ambientes, escritório, entre outros são as primeiras soluções a serem tomadas. Se a tosse ainda persistir, o ideal é procurar por um médico que possa optar pelo tratamento com medicamentos homeopáticos. "Eles fazem parte do arsenal terapêutico por atuar na irritação da mucosa e diminuir a viscosidade das secreções facilitando a expectoração. São isentos de efeitos colaterais e podem ser usados em qualquer idade. Ainda, dependendo do fator causal da tosse, podem ser usados como monodrogas e/ou associados a outros medicamentos. Para pacientes com comorbidades graves ou alergias medicamentosas podem ser uma grande opção, haja vista as limitações terapêuticas", diz o médico otorrinolaringologista.

Celulares e crianças: qual

o limite dessa relação?

Foto: Divulgação

Lançado este ano, o programa prevê dezenas de intervenções nos dois próximos anos. O objetivo é atender às reivindicações da população e oferecer melhor qualidade de vida, dignidade, conforto e segurança, em um curto período de tempo. As intervenções abrangem saneamento, pavimentação, limpeza urbana, mobilidade e iluminação, simultaneamente em todas as oito regionais da cidade.

Semana de Enfrentamento e Prevenção ao Uso/Abuso de Álcool e outras Drogas

De 19 a 26 de junho, a Prefeitura promove a Semana de Enfrentamento e Prevenção ao Uso/ Abuso de Álcool e outras Drogas, com o tema: “Contagem a favor da Vida”. Diversas atividades serão desenvolvidas com o objetivo de chamar a atenção da população para a causa

As mudanças climáticas desempenham um papel fundamental na fisiopatologia da tosse. Isso é o que afirma médico otor rinolaringologista, Dr. Alessandro Goldner. Com as baixas temperaturas e o clima geralmente mais seco, a poluição atmosférica aumenta e agrava o risco de o sintoma aparecer – geralmente ele é multifatorial. Saber o motivo da tosse é o primeiro passo para tratá-la. Mesmo assim, outras razões podem agravar os casos. Conheça! Ambientes fechados – De acordo com o Dr. Goldner, no frio, as pessoas tendem a ficar mais aglomeradas e em ambientes fechados, o que facilita a disseminação dos quadros virais como resfriados e gripes, que são causas frequentes de tosse. Componentes alergênicos – Sabe aquele edredom que você não lava há meses? Aquele travesseiro que já passou por gerações ou aquela blusa grossa que só vê a luz do dia quando está 10ºC? Isso é totalmente errado. O ideal é manter a higienização sempre nesses componentes utilizados apenas nas épocas mais frias, onde se acumulam ácaros e bactérias por meses. Existe realmente a piora noturna? – Não é sempre que existe a

Pedagoga de Belo Horizonte comenta sobre o perigo dos maus hábitos digitais entre as crianças. Alerta vale para pais, professores e sociedade. Recorrente nos dias atuais, o uso da tecnologia pode funcionar como uma faca de dois gumes quando o assunto são as crianças. Se por um lado, o auxílio de tablets e celulares podem contribuir para o acesso a um conteúdo educacional diversificado e de qualidade, por outro, há uma série de fatores que devem ser levados em conta e que podem se tornar os grandes vilões da história. Recentemente, dois institutos - a Sociedade Canadense de Pediatria e Academia Americana de Pediatria - desenvolveram estudos a

respeito do assunto e enumeram os riscos que o uso excessivo da tecnologia pode trazer para os pequenos. O primeiro deles é a questão do desenvolvimento cerebral: Observase que, quanto menos idade tem a criança, mais próxima ela está do período de desenvolvimento cognitivo. Isso significa que a superexposição a eletrônicos pode ser prejudicial e causar déficit de atenção, distúrbios de aprendizado e o aumento da impulsividade. Estima-se também, de acordo com o site tecmundo, que as crianças que usam excessivamente os aparelhos eletrônicos tem maior tendência ao sedentarismo e, consequentemente, à obesidade. A constante utilização pode fazer com que haja, também,

problemas relacionados ao sono noturno. Segundo a pedagoga Aline Dias, de uma escola na região nordeste da capital, é fundamental que haja entre pais e professores um debate constante de conscientização acerca do tema. "Esse é um momento em que as crianças estão formando personalidade e hábitos que vão, certamente, valer para toda a vida. Então é necessário impor um limite, regrar horários, analisar os conteúdos acessados por elas. Esse zelo dos pais - e da escola que é quem percebe os primeiros efeitos colaterais do uso abusivo dos meios eletrônicos - é essencial para garantir um futuro de qualidade para os pequenos.", completa.


Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Contagem inicia terceiro ciclo de borrifação de veneno em casas da Vila Boa Vista Aplicação de cal no terreno onde as pessoas contraíram febre maculosa está em fase final

4

Guarda Civil de Contagem e parceiros realizam Mutirão Social no domingo

Repórter: Júlio César Santos - Foto: Fábio Silva

Dez agentes de saúde percorreram a rua Primeiro de Maio, na Vila Boa Vista, aplicando veneno nos imóveis. Essa é a terceira fase do ciclo de dedetização. O objetivo é exterminar o carrapato-estrela na região. “Estabelecemos quatro ciclos, com intervalos de sete dias. O procedimento de aplicação interna e externa elimina qualquer possibilidade de reprodução nos imóveis”, destaca o superintendente de Vigilância em Saúde, José Renato Rezende. A Defesa Civil também promoveu a liberação da rua Primeiro de

Maio para fluxo de carros e pessoas. A rua estava interditada havia dez dias. “A partir do momento que notamos que não há presença de carrapatos, a Defesa Civil, em conjunto com outras secretarias, decidiu liberar a via, já que a interdição também impacta na rotina dos moradores”, comenta José Renato. A aplicação de cal no terreno onde foram localizados focos de carrapatos está na etapa final. Cerca de 20 homens fazem a aragem da terra e aplicam o produto. A ação basifica o solo e contribui com o extermínio do carrapato. De acordo

com técnicos do Centro de Zoonoses, o terreno será monitorado durante três anos, ciclo médio de vida dos carrapatos.

Registros Dados divulgados apontam que são 54 notificações referentes à febre maculosa. Seis casos já foram confirmados. O último é de uma mulher, de 25 anos, moradora da Vila Boa Vista. A paciente procurou atendimento no dia 31 de maio. Passou por consulta e agora recebe acompanhamento médico.

Prefeitura Aqui amplia ser viços no serviços Shopping Contagem com a inclusão de atendimentos da Copasa

Evento na Praça do Sol, na regional Ressaca, começa às 10h e é voltado a pessoas de todas as idades Para estreitar os laços dos órgãos de segurança pública com a comunidade, a Guarda Civil de Contagem (GCC) e o Centro Integrado da Secretaria Municipal de Defesa Social, em parceria com diversos órgãos e instituições, vai promover um Mutirão Social no domingo (16), a partir das 10h, na Praça do Sol / Parque Linear do Ressaca, no bairro Cabral. O Mutirão Social, que já está em sua terceira edição, é um evento vol-

tado para toda a família. Entre as atrações, muita brincadeira, pipoca e algodão-doce, exposição de animais peçonhentos e apresentações de artes marciais, circense, de grafite e de cantores. Haverá também o recolhimento de roupas e livros para doação. O evento contará ainda com a presença de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para prestar orientações jurídicas, e com o ônibus do Sine-Contagem, o banco de empregos da cidade. O chefe de Gerenciamento da GCC e um dos responsáveis pela organização do evento, Emerson da

Silva Lopes, explica que a iniciativa busca oferecer opções de lazer e cultura e, ao mesmo tempo, incentivar a identificação das pessoas, principalmente das crianças, com os trabalhos oferecidos ou com a atuação dos agentes envolvidos. “O trabalho social é a união das forças e de todos, no qual cada um ajuda como pode e, no final, temos um montante. Se no final desse evento, uma criança se identificar com algum trabalho ofertado ou profissão desenvolvida, isso significa que estamos no caminho certo e que o objetivo foi atingido”, comenta o profissional.

Grupo Amais promove palestras sobre autismo Com apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, evento será realizado no sábado (15), na UNA Contagem

FOTO: DIVULGAÇÃO

Foto: Elias Ramos

Após um ano de articulações, a Prefeitura Aqui, central de atendimento da Prefeitura no Shopping Contagem, localizado no bairro Cabral, regional Ressaca, também passa a fazer atendimentos relacionados à Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Já é possível acessar serviços da Copasa na Prefeitura Aqui, que é vinculada ao gabinete do prefeito. A Central também oferece serviços relacionados às secretarias Municipais de Fazenda, de Trabalho e Geração de Renda e de Desenvolvimento Social. No local são ofertados serviços como encaminhamento de demandas relativas ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU); requerimento de Seguro-desemprego e encaminhamento para vagas de emprego; e inscrição no Cadastro Único, principal instrumento para a seleção e inclusão de famílias de baixa renda em programas sociais, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Programa Bolsa Família. Também pode ser feita a

recarga e a solicitação do Cartão Ótimo, que é gratuito para idosos, pessoas com deficiência, estudantes e outros públicos que atendem aos critérios de gratuidade. O horário de funcionamento varia conforme o serviço ofertado. Mas das 10h às 16h é possível encontrar todos os serviços funcionando simultaneamente. O atendimento é feito com distribuição de senhas. A gestora do Prefeitura Aqui, Alessandra Mara Moreira de Paiva Lopes, explica que a experiência cotidiana na unidade apontou que incluir serviços da Copasa facilitaria o encaminhamento de demandas de pessoas com perfil de vulnerabilidade socioeconômica que acessam serviços no local. “Como os usuários beneficiados por programas do Cadastro Único que têm direito à tarifa social da Copasa. Para acessar esse direito, eles precisavam comprovar que atendem aos critérios para o acesso à essa tarifa social e, para tanto, precisam obter um documento que comprove a situação de vulnerabilidade. Antes, elas

precisavam vir até aqui, retirar uma folha-resumo que comprova essa situação para só então se dirigirem à alguma unidade da Copasa e fazer o requerimento da tarifa social. Entretanto, muitas dessas pessoas sequer têm dinheiro para fazer esse deslocamento de ônibus. Agora a pessoa pode vir até aqui, retirar o documento no Cadastro Único e simultaneamente pode fazer o requerimento da tarifa social junto à Copasa”, detalha Alessandra. “No posto de atendimento da Copasa é possível requerer a ligação de água e esgoto, fazer a alteração da titularidade para segunda via de conta, parcelamento de débito e o próprio requerimento da tarifa social”, destaca Roberto Oliveira Passos, supervisor comercial da Copasa em Contagem. Denilza do Nascimento Barbosa Souza, de 33 anos, aprovou a iniciativa. “Achei excelente o atendimento da Copasa na Prefeitura Aqui, pois moro perto e é muito contar com um lugar como esse pra resolver as coisas”, afirma.

Junho é o mês do orgulho autista. Diante disso, o Amais (Grupo de Apoio ao Autista, Pais e Familiares de Contagem) promoverá, no sábado (15), às 14h, evento na Faculdade UNA Contagem. “Uma história de sucesso: da comunicação alternativa ao discurso”, com a palestrante e fonoaudióloga Juliene Fernanda, será um dos temas abordados. Já a palestrante Luciana Gomes falará sobre “Autismo: o que aprendi com minha filha”. A inscrição deve-

rá ser feita por telefone. O evento tem o apoio da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania. Quem comparecer ao evento também se encantará com os trabalhos na exposição feita por autistas, no hall da Faculdade, que ficará lá até o dia 30. De acordo com a presidente do Grupo, Josy Silva, a proposta do evento é mostrar para sociedade e familiares que é possível vencer as barreiras do autismo. “Cada autista é único.

Com muito amor, vamos vencendo”, afirma. “O objetivo do Dia do Orgulho Autista é mudar a visão negativa dos meios de comunicação quanto ao autismo, e também da sociedade em geral, passando o autismo de doença para diferença, além de assegurar que as pessoas com autismo não são doentes, mas que possuem características próprias que lhes trazem desafios e recompensas únicas”, alega a vice-presidente do Gr upo, Dayse Lima.


Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Larissa Rafaella

Olá, meu nome é Larissa Rafaela. Tenho 19 anos. Atualmente busco meu lugar dentro da área de Recursos Humanos, onde já estou concluindo o curso superior e adquirindo experiência estagiando na área. Meu objetivo se tratando do profissional é buscar cada vez mais conhecimentos e especializações. Por ser apaixonada por fotos resolvi embarcar nessa aventura e fazer meu primeiro álbum, onde estou ainda mais apaixonada por fotos e já planejo o próximo ensaio haha! Foi uma experiência maravilhosa e única, que recomendaria a todos.

Fotos: Cuca Baixo

5


6

Por Vinícius Fernandes Cardoso

Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

ASSOCIAÇÃO DOS AR TISTAS DE CONTAGEM: UMA HISTÓRIA QUE NÃO FOI CONTADA C ONSIDERAÇÕES

POR VINÍCIUS FERNANDES CARDOSO INICIAIS

O presente texto visa salvar do completo esquecimento o empreendimento que foi a Associa-ção dos Artistas de Contagem, a AAC, enti-dade fundada em junho de 2001 e extinta no segundo semestre de 2003. Os músicos GA e Arley Ribeiro e o poeta popular Roberto Alves Is-chaber são pessoas que também podem contribuir, com teste-munhos escritos ou orais gravados, para a rememoração de toda uma temporada de trabalho e de otimismo no meio cultural do bairro Novo Riacho, em Contagem-MG. A Associação dos Artistas de Contagem foi registrada no Ca-dastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), da Receita Federal, com o número de inscrição 04.706.659/001-19, e sob o código 91.12-0-00, correspondente a “Atividades de organizações profissionais”. Tudo começou com Eli Ferreira de Noronha Júnior, morador do bairro Novo Riacho, autor, juntamente com o professor Paulo Marcelo Villani, do livro “Filosofando em verso e prosa” (Contagem, 2001), produzido de forma artesanal e distribuído entre os seus, cujo poema “Inconsequências”, de Júnior, talvez seja o melhor, numa pegada que lembra o “Cântico Negro”, do modernista português José Régio (Ao folhear o livrinho Filoso-fando em verso e prosa, meu tio Rander Barbosa, professor e leitor erudito, observou certa verve verbal). Eli nasceu a 04 de novembro de 1972. Quanto empreendeu a Associação já estava a caminho de consolidada idade adulta e casado, o que lhe valeu a censura da mulher e da família, que lhe cobravam uma atividade profissional rentável e segura. Eli já havia, há este tempo, experiência como autônomo num negócio de sanduíches, e tam-bém tinha larga experiência com transportes e carretos, além de ser herdeiro de propriedades, das quais a família captava os aluguéis, vivendo em boa parte de rendas. Machado de Assis é seu escritor do coração. Questionado sobre suas leituras marcantes, cita O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, e conceitua literatura “Como uma boa forma de se evitar o revólver”. Eli é sarcástico nas falas, e, no comportamento institucional, como presidente da Associação e produtor cultural, pragmáticoidealista, e, em alguns momentos, quase maquiavélico. Quando da sua entrada na Academia Contagense de Letras, escreve no questionário que esta submetia aos seus aspirantes a uma cadeira que “Lugar de louco é no sanatório, e, de loucos disfarçados de sãos, é na academia, ainda que de letras, ainda que de Contagem, ainda que se tenha que preencher este questionário”. E escreve: AOS AMIGOS QUE OUTRORA ME QUESTIONARAM SOBRE AS RAZÕES DE MINHA ESCRITA Aos amigos e só aos amigos Diria que faço uso da caneta Para não fazer uso do revólver REALIDADE TOSCA Tal qual um lavrador de homens Que não podendo esperar frutos de sua lavra Impõem-lhe estaca e diz: —Aqui jaz uma poesia Eis o poeta que odeia poesia E ainda assim a faz por ironia Por talento mediano, quase nulo Coleciona absurdos numa lauda Que bem poderia ter outra valia Mas deixemos de rasgos, por hora Covas são covas Enterremo-la agora.” E ainda: A CADEMIA Já conhecia Roberto Quando naquele dia Deveras incerto Me apareceu Vinícius Do mais popular simplório e carismático à nobreza do clássico sem dor e sem parto a cademia dos pobres Naquele lugar e naquela época Naquela cidade movida a fumaça Surgimos das cinzas do nada para criar este movimento literário Hoje, falando como imortais, lembramos aos mortos viventes, que a cademia hoje de letras, de letras já foi contagense.

Em meados de 2001, quem passava pela Rua Rio Mantiqueira (Leia o texto “Rua Rio Mantiqueira”, em A Alma dos Bairros, VFC, 2007), podia observar uma faixa fixada num bilhar em frente ao lendário Supermercado Verde Amarelo, com os dizeres “Associação dos Artistas de Contagem”. Mais tarde, Eli explicou que a faixa lá estava porque foi ali onde aconteceu à primeira festa destinada à arrecadação de recursos à fundação da Associação. A Associação tinha objetivos; lê-se nos seus primeiros estatutos: “desenvolver e executar projetos so-ciais e culturais; promover a arte, os artistas e a cultura; apoiar a educação formal; criar em sua sede própria biblioteca denominada “Lindalva de Freitas Ribeiro”, que terá seus serviços prestados gratuitamente e será aberta ao público; criar um informativo cultural com a finalidade de informar as ações da AAC., bem como divulgar eventos de outras entidades de promoção sociocultural; construir um quadro social e realizar movimentos comunitários destinados a adquirir recursos, visando o aprimoramento patrimonial, técnico e cultural da biblioteca; firmar con-vênios com pessoas jurídicas de direitos públicos e de direito privado, nacionais e estrangeiras; obter de pessoas físicas e jurídicas, públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, subvenções, doações em dinheiro ou em obras, destinadas a consecução dos objetivos da AAC.”. Ciente da importância de se cumprir objetivos, ter métodos e coerência, como já ensinavam os bolcheviques, a Associação procurou cumprir seus objetivos primeiros. Criou seu informativo cultural, cujo primeiro exemplar saiu em fevereiro de 2002, oito meses após a fundação da Associação, após esta ter antes criado uma base social-econômica mínima: obter seu CNPJ, RAIS, fazer parceria com pessoas e empresas financiadoras, etc. O Informativo Cultural durou cinco meses, chegando ao número 5 em junho de 2002. Perce-bendo certo esmorecimento por parte dos membros da Associação no tocante ao Informativo, Eli Ferreira de Noronha Júnior, a esta altura membro da Academia Contagense de Letras (que havia sido fundada em outubro de 2001), com a qual trabalhava irmanamente, convida esta – que já publicava restritamente o Paralê-lo (título bolado pelo músico GA, futuro Barulhista) – a assumir o informativo, transformado no periódico literário, numa parceria AAC e ACL. O primeiro exemplar do Paralê-lo, na quantidade de mil exemplares, sai em agosto de 2002. Retratando um pouco da empolgação dos membros da Academia, o primeiro exemplar saiu com texto de capa intitulado “Velinhas, parcerias e Nobel”, assinado por Lecy Pereira Sousa, no qual ele trata do aniversário da cidade de Contagem, das parcerias estabelecidas pela ACL e lançando uma “campanha” em favor do agraciamento de um escritor brasileiro com o Prêmio Nobel, sugerindo o nome de Ferreira Gullar. Neste exemplar, sai uma minientrevista com Eli Ferreira de Noronha Júnior na coluna “Ping-pong”; a coluna “ACLida”, que informava sobre os atos da ACL; a programação do Centro Cultural de Contagem de agosto de 2002; o texto “Fragmento”, de Luciano Dutra Fernandes, meu primo por parte de mãe, violonista; além dos poemas “O Grande Regente”, de Gilmar Silvério Rodrigues, policial, morador do Conjunto Habitacional Colúmbia, que mor-rerá em serviço mais à frente, recebendo homenagem póstuma no livrinho Pontos Cardeais, encontro literário (Contagem, 2008); sai ainda texto de Rozilda Jacinta Lopes, um texto informativo sobre a Oficina Literária, projeto da Superintendência de Cultura de Contagem; e um poema das irmãs Neiva e Leila J. P., evangélicas, do bairro Ipê Amarelo, região de Nova Contagem. Importante registrar deste informativo é a minientrevista com Eli Ferreira de Noronha Júnior, que ajuda a imprimir melhor a personalidade inteligenteconsequente-sarcásticabolchevique-determinada deste, cujas perguntas partem de Vinícius Fernandes Cardoso: MÊS DE ANIVERSÁRIO DE C ON TAGEM (AGOSTO), O QUE VOCÊ DESEJA PARA A CIDADE?

NO

Feliz Aniversário!

COMO VIABILIZAR A CULTURA NO BRASIL? - Criando uma identidade cultural.

DEMOCRACIA... Só falta agora a democracia dos deveres, já que a dos direitos... QUAL O PAPEL DA POESIA EM SUA VIDA? - Nenhum, odeio poesia! P ROJETO ? Q UAL ? - Desenvolver em Contagem o mínimo de identidade cultural. O CO-AUTOR DE FILOSOFANDO EM VERSO E PROSA ( REFERINDO- SE AO ENTREVISTADO ) ATUALMENTE TÃO ATAREFADO COM A C ULTURA, ENCONTRA TEMPO PARA FILOSOFAR?

Este é um vício permanente. Não requer tempo ou espaço. O QUE ESTÁ LENDO? Educação para a prática da liberdade, Paulo Freire. Ideias do livro: pedagogia da esperança, método socratiano de ensino (educador como agente estimulador). Já um objetivo que não-cumprido a risca foi o referente à biblioteca, cujos serviços, mandava o estatuto, deveriam ser oferecidos gratuitamente, o que era praticado. A Biblioteca Comunitária Lindalva de Freitas Ribeiro – ela sozinha uma barricada à ignorância e um incômodo aos politiqueiros do bairro – cobrava R$ 0,25 por empréstimo de livro de menos de 100 páginas, e R$ 0,50 por livro de mais de 100 páginas. Os trocados colhidos com os empréstimos dos livros eram revertidos para a biblioteca. A PRIMEIRA FASE : SINDICATO DE ARTISTAS A primeira fase da Associação dos Artistas de Contagem é marcada pelo voluntarismo. Foi a época em que mais colaborei com ela, mesmo já ocupado com o cargo de secretário-geral da Academia Contagense de Letras e com o curso de letras, na UFMG. Foi a fase heroica. Eu e Júnior ficávamos até de madrugada a conver-sar, estratejando ações para a Associação e a sociologar sobre a produção cultural em Contagem (Leia o texto “Produção Cultural em Contagem: reflexões”, VFC, 2004). Mas, definidas as estratégias e táticas, partíamos para o trabalho, e como trabalhávamos (!). Exemplo foi madrugada que saíamos à rua com um carrinho de mão para recolher faixas de campanha eleitoral, após as eleições de 2002, no intuito de reapro-veitar o material publicitário para uma imaginária campanha a fim de eleger um “vereador cultural” para Conta-gem, plano muito consequente para nós na época, mas também para reaproveitar o material nas futuras oficinas de artes que a Associação efetivamente realizou na sua segunda fase. Outro exemplo foi e doação de livros feita pelo poeta Roberto Alves Ischaber, que, da mesma forma, utilizou um carrinho de mão para levar os livros doados à Biblioteca Lindalva de Freitas Ribeiro, já no seu segundo endereço, à Rua Rio Poti. Adendo: a inauguração da biblioteca. A Biblioteca Comunitária Lindalva de Freitas Ribeiro foi fundada numa irradiante manhã de domingo, no dia 28 de abril de 2002. Na ocasião, estiveram presentes eu, na condição de secretário-geral da Academia Contagense de Letras (ACL), com ainda 17 anos (faria 18 no dia seguinte), em “discurso solene” (como informa o informativo n.º 4 da AAC), o vereador Jander Fillareti, “representando a Câ-mara dos Vereadores”, José Gomes Sobrinho, secretário de Atividades Urbanas, “representando o prefeito Ade-mir Lucas (PSDB)”, Oscar Lima, dono da Gráfica Editora Diniz Lima, “representando os comerciantes”. “Também estiveram presentes: Cibele de Oliveira Pereira, da Galeria da Arte (loja da rua Rio Mantiqueira à época); Edna Mel-gaço, presidente da Associação Comunitária do bairro Monte Castelo; Jorge de Souza, tesoureiro da Associação Comunitária do bairro Novo Riacho; Mires Martins Barcelos, diretora da Escola Municipal René Chateaubriand Domingues; o senhor Anaías, da Secretaria Municipal de Planejamento, além de muitos moradores da comunidade que muito engrandeceram a solenidade”, lê-se no informativo. O padre Luís, da Paróquia Cristo Salvador, abençoou a biblioteca, que, nesta época, ficava na rua Rio Tibre. Em tempo, o meu afetado discurso à inauguração da biblioteca: “Cumprimentamos O Sr. Eli Ferreira de Noronha Júnior, presidente da Associação dos Artistas de Con-

Inauguração da Biblioteca Comunitária Lindalva de Freitas Ribeiro a 28/04/2001, 1º sede da AAC

tagem, poeta e militante cultural incansável. Padre Ferreira, pároco da Paróquia Cristo Salvador e precursor da mobilização social da região contemplada por sua batina. Padre Luís, carismático líder da juventude paroquiana. Viviane e Fabiano, organizadores dedicados do louvável Festival da Juventude. Edna Macedo, presidenta da Associação dos Moradores do Monte Castelo, senhores, senhoras, jovens e crianças. Com os corações jubilosos, nós da Academia Contagense de Letras felicitamos a Associação dos Artistas de Contagem e toda comunidade pela florescente Biblioteca Lindalva de Freitas. Sem pestanejar pode-se dizer que esta inauguração é um acontecimento histórico, prova cabal da sociedade civil organizada promotora de proezas. Comprovamos hoje, que, alheios ao apoio governamental, é o ímpeto humano quem faz a empresa. A Associação dos Artistas teve a iniciativa, pessoas se solidarizaram com a nobre causa e aqui estamos, colhendo o fruto da comunhão. Talvez não se tenha dimensão da importância do fato, pois, ao se disponibilizar um ambi-ente de leitura, estudo e pesquisa, é oferecido o que tanto se nega às pessoas, a oportunidade. Faz-se aqui, com a inauguração da Biblioteca Lindalva de Freitas a tão aclamada justiça social. Digamos mais, pois, tratando-se de uma promoção da sociedade civil, excluímos quaisquer dúvidas quanto a interesses políticos. Desde já, como mostra de satisfação pelo acontecimento, predispomo-nos a divulgar este espaço, acreditando ser a divulgação o próximo passo para reconhecimento e a repercussão da biblioteca. Desejamos renovados êxitos à nascente biblioteca e reiteremos as mais vigorosas congratulações a Associação dos Artistas e a comunidade local pelo trabalho louvável.” Como se lê em texto sobre a biblioteca escrito à máquina por Eli, “O nome é uma homenagem a pro-fessora particular, D. Lindalva, nascida dia 21 de julho de 1914 na cidade de Barbacena. D. Lindalva mudou para Contagem em 1967. Mãe de cinco filhos, D. Lindalva deu aulas particulares para alunos do pré-primário e primá-rio. Dedica-se as causas sociais junto à comunidade católica, sendo uma das colaboradoras de primeira hora na construção da paróquia Cristo Salvador. Artista por excelência, participou ativamente dos grupos de terceira idade: Grupo Fim de Tarde no SESI... Despediu-se de nós aos 28 de março de 1996 alfabetizando milhares de pessoas”. Na sua primeira fase, como classifico, a Associação tomou o cuidado de comunicar sua existência e a existência da sua biblioteca, solicitando a praticamente todas as importantes editoras do país doações de livros para o seu acervo. Já nesta época, a Associação preocupou-se em recrutar voluntários. Poucos se ofereceram. Um deles foi o músico GA, que começou colaborando na biblioteca, e, na segunda fase, trabalhando intensa-mente no Núcleo de Arte e Cultura. Da mesma forma, a Associação tomou o cuidado de buscar parcerias com empresas, órgãos públicos, lideranças comunitárias e pessoas em geral: agregar forças, motivar, realizar; tragédia, mal a Associação sabia que as suas altas aspirações cairiam por terra em função do bairrismo, da inveja, da pequenez de caráter, do metabolismo capitalista individualista-competitivo, do não associativismo do

brasileiro (Oh, eu e Júnior ainda não havíamos lido Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Hollanda!). Mas que garra, que garra. Há de se ouvir ainda o som da minha bicicleta se aproximando da biblioteca, trazendo novidades, publicações, informações, resultados de missões concluídas. Mas a indiferença do mundo era grande demais, e nos envolvia, e nós levamos as boas aspirações institucionais para o campo da amizade. E a amizade ficou alta, como nossas altas conversas nas madrugadas. E a queda foi proporcional à altura, quando do nosso desentendimento por ocasião do 1º Concurso de Poesias da Biblioteca Lindalva de Freitas Ribeiro, parceria da Associação com a Academia Contagense de Letras (ACL) e patrocinadores. O mal entendido logrou êxito. Esbarrávamos no desgaste da relação próxima, no silêncio da indiferença, no muro das hegemonias arrogantes... A SEGUNDA FASE : PROMOTORA DE EVENTOS Insatisfeito e constatando o erro que foi não ter aferido a real demanda dos “artistas de Contagem” por associativismo e empreendimento, Eli transforma a Associação numa promotora de eventos, buscando, além de adequá-la a realidade não associativa e capitalista-individualista reinante, tomá-la fonte de sobrevivência familiar (ele era casado, sem filhos), pois a esta altura, Eli dedicava-se exclusivamente à Associação. Perspicaz, Eli tinha uma segunda carta na manga: se não vamos pelo cooperativismo, vamos pelo capitalismo mesmo. Esta fase é muito rica em empreendimentos. Registro a criação do Núcleo de Arte e Cultura e a mu-dança de endereço da Associação, da rua Rio Poti para a rua Rio São Lourenço. Acompanhei de perto e colabo-rei com a Associação até o final de 2002, quando do desentendimento por causa do 1º Concurso Literário da Associação. Depois disso, acompanhei a Associação através dos informativos que esta publicava e através de relatos do músico GA. Foi GA quem me informou sobre o projeto “Tivira”, que propositalmente sugere a expressão popular “te vira”, destinado a troca de conhecimento e experiências entre músicos. Tal projeto foi comunicado - no jornal Folha de Contagem. Interessante registrar um encontro do projeto que aconteceu durante toda uma madrugada de sábado para domingo! Nesta fase, a Associação dos Artistas de Contagem-AAC aproxima-se mais da Paróquia Cristo Salva-dor, quando da participação da AAC no 17º Festival da Juventude, realização da Paróquia Cristo Salvador e SESC - Minas, onde Eli incentivou o PLAN (Projeto Luz da Anti Normalidade), dos músicos GA e Luís Rocha. Desafeto meu à época ainda por causa do concurso literário, desclassifica-me da categoria de poesia do Festival, desclassificação comprovada pela comissão organizadora do Festival, depois de carta que entreguei à comissão. A

EXTINÇÃO

Em agosto de 2003, a Associação dos Artistas de Contagem – que se aproximava da extin-ção – publicou um informativo comunicando a realização dos seguintes cursos oferecidos pelo Núcleo de Arte e Cultura: Curso de Pintura em Tecido (para iniciantes), sob instrução de Maria Helena, ao preço popular de R$ 20; os cursos de Desenho Artístico (para iniciantes) e Desenho Artístico II

O poeta Roberto Alves Ischaber doa carrinho de mão cheio de livros, 2º sede da AAC

(avançado), ficariam por conta de Daniel Lima, com mensalidade no valor de R$ 30; Curso Arte em Jornal, com Isabel Ribeiro, a R$ 20; Curso de Pintura em Emborrachado, com Isabel Ribeiro, também a R$ 20; já a instrutora Joicelei Castellan daria os cursos de Artesanato em Argila e curso de Tapeçaria, ambos vinte reais. Enfatizando a natureza dos cursos, o informativo explicava: “Da Natureza dos Cursos / Os cursos são de natureza sócio cultural, as taxas e mensalidades cobra-das são equivalentes ao custo operacional dos mesmos. Se você sabe de alguma empresa ou entidade que possa somar conosco, entre em contato, fone tal”. No informativo, que se abria com a chamada “Não esconda o seu talento, apareça!”, ainda podia-se ler: “Outras atividades: Funcionam também no Núcleo de Arte e Cultura uma biblioteca comunitária e uma mostra permanente de artesanato. Venha nos visitar!”. Mal a Associação sabia que, neste simples informativo, estava o gérmen da auto-organização popular que causa medo nos poderosos, e foi este informativo que precipitou o curso dos eventos dali adiante. Este simples informativo não poderia passar despercebido dos donos do bairro Novo Riacho. E a reação não tardou. Passado um mês após a divulgação do informativo, o vereador Jander Fillareti, talvez temendo em Eli Ferreira de Noronha Júnior um futuro concorrente a uma cadeira na Câmara dos Vereadores pelo bairro Novo Riacho, mandou construir às pressas um centro comunitário na Rua Rio Mantiqueira, principal via do bairro Novo Riacho, a uns 500 metros do Núcleo de Arte e Cultura (na rua Rio São Lourenço, 632), no qual oferecia os mesmos cursos do Núcleo de Arte e Cultura, só que de graça, populisticamente de graça. Foi um golpe na Associação, e bem sucedido. C ONSIDERAÇÕES

FINAIS

Golpeada pelo curralismo eleitoral bairrista e desestimulada pelo metabolismo social neoliberal, a Associação dos Artistas de Contagem consumiu demasiado cartucho numa época desfavorável ao empreendimento social e cultural na cidade de Contagem, queima que cansou o seu fiel fundador. Se a Associação tivesse sobre-vivido até a primeira administração do PT em Contagem será que ela teria subsistido? Num Brasil PT cada vez mais amigo do Capital? O projeto da Associação, inicialmente e inconscientemente era um projeto de autogestão popular que não vingou, e talvez não vingou menos pelo empenho dos seus empreendedores do que por motivos de outra ordem. A Associação não podia ser um projeto ingênuo, pois não podia ser ingênuo Eli Ferreira de Noronha Júnior, seu principal fundador e empreendedor. O que extinguiu e Associação? Essa não é uma pergunta justa. Mas, se for para responder, uma aposta é que o que extinguiu a Associação dos Artistas de Contagem foi a sociedade, uma sociedade não-associativista, uma sociedade contra o social.


SAÚDE

Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

7

10 alimentos do dia-a-dia que podem

auxiliar na saúde do coração Salmão Salmão: contém gorduras poli-insaturadas, como o ômega-3, que ajuda a combater as inflamações. Dica Dica: altere suas refeições entre carnes, aves e peixes. Esse alimento fica ótimo preparado ao forno ou grelhado.

Segundo os resultados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Ministério da Saúde, 56,9% dos brasileiros com 18 anos ou mais estão acima do peso, o que representa 82 milhões de pessoas. No estudo divulgado no ano passado, o alto número de pessoas que não estão com o peso ideal é fruto de mudanças na alimentação e do menor tempo destinado à prática de atividades físicas. O dado é preocupante pelo excesso de peso ser um fator de risco para doenças crônicas não transmissíveis, como as doenças do coração.“Uma boa alimentação influencia di-

retamente na prevenção e controle de doenças cardiovasculares, equilibrando o bem-estar do coração”, explica Dra. Bianca Chimenti Naves, nutricionista sócia e proprietária da NutriOffice. O mais importante, segundo Bianca, é manter um cardápio variado, com alimentos que contribuem para o bom funcionamento do organismo. E para seguir uma dieta balanceada não é preciso abrir mão de uma refeição saborosa. Anote 10 alimentos que podem auxiliar na saúde do seu coração e tornam sua hora de comer muito mais prazerosa:

Pimenta dedo-de-moça dedo-de-moça: contém capsaicina, um componente que produz efeitos termogênicos no corpo humano e auxilia no controle da pressão arterial. Dica Dica: para diminuir a picância da pimenta, retire as sementes dela. Tomate:contém flavonoides, fitoquímicos antioxidantes que auxiliam na redução de LDL, o colesterol “ruim” além de modesta atividade antiplaquetária e anti-inflamatória. Dica Dica: além das saladas, podemos consumí-lo recheado e assado.

Cr eme Ve g etal: contém Creme gorduras poli-insaturadas: gorduras essenciais, como o ômega-3, são fundamentais ao funcionamento do organismo e devem estar presentes na dieta, pois não são produzidas pelo corpo. Este óleo possui ação anti-inflamatória, além de auxiliar a reduzir a concentração de triglicerídeos e ter propriedades antiarrítmicas. É importante consumí-los em quantidade adequada e associá-los a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis. Dica Dica: ótima opção para se utilizar no café da manhã, seja com torradas ou pães. Azeite Azeite: estudos indicam que as gorduras monoinsaturadas auxiliam na redução da concentração de colesterol total e no aumento dos níveis de HDL nas vias sanguíneas. Dica: o azeite de oliva exDica

tra virgem é uma ótima opção para tempero de saladas! Fica ainda melhor quando combinado com ervas aromáticas. Banana Banana: O aumento da ingestão desses e de outros alimentos fonte em potássio favorecem o controle da pressão ar terial devido ao seu efeito anti-hipertensivo. Dica Dica: o recomendado é consumir de 3 a 5 porções de frutas por dia, dando sempre preferência a variar entre elas. Maçã Maçã: contém quercetina, que possui atividade antioxidante, isto é, previne o surgimento de depósitos ateroscleróticos nas artérias. Dica Dica: assim como a banana, a maçã é uma ótima opção de lanchinho intermediário por poder ser facilmente colocada na bolsa para ser consumida quando sentir fome. Uva: contém resveratrol que tem propriedades anticarcinogênica e antiesclerótica. Dica: o suco de uva e o vinho também são opções de consumo. No entanto, deve-se consumir com moderação a versão alcoólica.

er de escur os Ve g etais vver erde escuros (brócolis, espinafre, entre outros): contem vitamina E, um composto antioxidante e lipossolúvel que captura os radicais livres, prevenindo mudanças deletérias nas células. Dica Dica: preencha pelo menos metade do prato com esses alimentos. Aveia Aveia: rica em fibras solúveis, que dificultam a absorção de gordura e auxiliam na redução da absorção de colesterol. Dica Dica: ótima opção para acrescentar a sua salada de frutas, iogurte ou a uma vitamina. Oleaginosas (castanhas, amêndoas, nozes etc.): apesar de ter sua formação composta por lipídeos, elas são pobres em gorduras saturadas e possuem alta concentração de ácidos graxos monoinsaturados, que auxiliam a redução do LDL sem reduzir o HDL. Dica: para evitar abusar do consumo desse alimento, uma sugestão é dividi-los em saquinhos com quantidades adequadas e leválos assim na bolsa.


Ano XXIII - Nº 357 - 14 a 21 de junho de 2019 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 99713-2530 / 99952-4073 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Uma vida contada em forma de poesias

No sábado (15), às 16h, na praça da Jabuticaba, haverá a apresentação do espetáculo “Bituca – Milton Nascimento para Crianças”, dando sequência à temporada 2019 do Circuito Cultural, ação que promove apresentação de espetáculos voltados ao público infantil. Bituca é o terceiro espetáculo do projeto “Grandes Músicos para Peque-

nos”. Inspirado em trechos reais da biografia do cantor e em suas músicas, mostra a chegada de Milton em Minas Gerais e as dificuldades de inserção de uma criança negra em uma sociedade majoritariamente branca. A direção criativa de Diego Morais (também diretor dos espetáculos anteriores do projeto) repete, no palco, a magia e a leveza que as crianças trazem em sua

essência, ao contar essa história. A apresentação lúdica de temas tão necessários para a nossa sociedade, como adoção e preconceito racial, compartilha boas lições com as famílias de todos os espectadores e proporciona momentos inesquecíveis de muita diversão. A história de Bituca começa quando ele se torna órfão e sua avó passa a cuidar

dele. Ela trabalha em uma casa de família, no Rio de Janeiro, e passa a levar o menino sempre com ela. A filha da patroa é Lília, uma jovem recém-casada que está tentando engravidar. Lília se apega muito ao menino, e o menino à Lília. O marido de Lília é transferido para Minas Gerais. Ela precisa ir embora com a família. Mas como deixar o pequeno Milton no Rio? Lília propõe adotar o menino. A avó do menino, enxergando um mundo novo de possibilidades para o menino, concorda com a adoção, mas pede que o nome de sua filha não seja tirado de sua certidão de nascimento, para que ele nunca se esqueça de suas origens. Milton Nascimento é um dos maiores artistas da música popular brasileira de todos os tempos. Sua obra como compositor e cantor são estudadas e reconhecidas no mundo todo. O movimento “Clube da Esquina”, criado com Lô Borges, é, sem dúvida, uma das maiores expressões da música brasileira. Como reconhecimento de tamanha genialidade, sua obra é cada vez mais difundida entre as novas gerações.

Arraiá do Contagem agita cidade neste fim de semana Nos dias 15 e 16 de junho, artistas vão animar a festa junina no Shopping Contagem, com muita diversão, comidas típicas e animação

Uma das datas mais animadas do ano chegou e, para garantir a festança, o Shopping Contagem realiza a quarta edição do Arraiá do Contagem nos dias 15 e 16 de junho, de 12h às 21h. Além da tradicional decoração de festa junina, o mall

preparou uma super programação que promete agitar a cidade. Com entrada gratuita, os clientes poderão se divertir ao som de bandas de rock, forró e, claro, a tradicional quadrilha. As crianças também terão motivo de sobra para curtir a

festa. Durante os dois dias, os pequenos poderão participar de brincadeiras Típicas Juninas gratuitas. E para completar a programação, os pets vestidos de caipira poderão participar de um concurso de fantasias. O “cãopira” mais criativo receberá uma premiação especial. Para o líder de marketing do Shopping Contagem, Rumenigue Marchioro, o Arraiá vai trazer muita diversão para todos, além de manter viva a tradição da festa junina. “O evento será animado, com música boa, comida gostosa e brincadeiras para as crianças. Essa é uma ótima oportunidade de reunir lazer, gastronomia, compras e segurança, junto com a comodidade de realizar tudo isso em um mesmo espaço”, enfatiza. A festa será realizada no estacionamento G4 e estará repleta de barraquinhas com comidas e bebi-

das típicas, como canjica, quentão, caldos, milho verde e pasteis. Outras opções também poderão ser encontradas no Arraiá, como hamburguer artesanal, churrasco e comida árabe. Para acompanhar a comilança, haverá diversas opções de cervejas ar tesanais, drinks, vinhos, espumantes e bebidas não alcoólicas. Para agitar ainda mais o evento, bandas de rock e de forró animarão os dois dias de festa. Para os amantes do rock, as bandas Locomotive, cover do Guns N’ Roses, Dona Odeth e Legião II (Legião Urbana) são as atrações de sábado, junto com o arrasta-pé da banda Menina Fulô. No domingo, a música fica por conta das bandas de rock Mais 80, Velotrol e Poison Gas. Também haverá a apresentação da Quadrilha Chic Chic.

EXEMPLAR CORTESIA - VENDA PROIBIDA

Profile for JORNAL REGIONAL CONTAGEM

JORNAL REGIONAL CONTAGEM ED 357  

Segue a edição 357 do JORNAL REGIONAL CONTAGEM . Boa leitura. Forte abraço!!!

JORNAL REGIONAL CONTAGEM ED 357  

Segue a edição 357 do JORNAL REGIONAL CONTAGEM . Boa leitura. Forte abraço!!!

Advertisement