Page 1

Uniforme escolar de Contagem de cara nova

Ano XX - Nº 320 - 08 A 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Estudantes devem informar medidas para receberem uniformes em 2018

No próximo ano, além dos kits escolares, todos os estudantes da rede municipal de ensino vão ganhar uniformes escolares. Para que eles recebam as peças no tamanho exato, os responsáveis precisam preencher um formulário com informações sobre as medidas dos estudantes. O documento já foi enviado pelas escolas. O preenchimento é simples. O responsável pode usar as peças de roupa do estudante como exemplo. Para as blusas ele deve medir a

altura e largura. Já para calças, saias e bermudas é preciso medir por uma peça o quadril. Após preencher o formulário, os responsáveis devem entregar o documento na escola que o filho vai estudar em 2018. O prazo é até 15 de dezembro. São quatro categorias de kits. O infantil é destinado para crianças de 0 a 5 anos. O kit fundamental I é para crianças do 1º ao 5º ano. O kit fundamental II será para estudantes do 6º ao 9º ano. Já o kit

de Educação de Jovens e Adultos é para estudantes do EJA. Os modelos foram criados para atender às necessidades de cada estação do ano. O kit infantil (0 a 5 anos) é composto por três camisetas de manga curta, uma camiseta de manga longa, duas bermudas ou short-saia infantil, uma jaqueta com capuz infantil e duas calças infantil. Já o kit fundamental I (1º ao 5º ano) é composto por três camisetas de manga curta, uma camiseta sem

manga, duas bermudas ou shortsaia, uma jaqueta com capuz e uma calça. Os estudantes do fundamental II (6º ao 9º ano) irão receber duas camisetas de manga curta, uma camiseta sem manga e uma jaqueta sem capuz. Para os estudantes da Educação de Jovens e Adultos serão entregues duas camisetas de manga curta, uma camiseta sem manga e uma jaqueta sem capuz.

Débitos Municipais em dívida ativa poderão ser pagos com até 80% de descontos nas multas e parcelados em até 84 vezes Divulgação

Por Michael Magalhães

A prefeitura de Contagem em atendimento ao requerimento 1263/2017 de autoria do vereador, vice líder de governo João Bosco New Texas, aprovado em 14 de novembro de 2017 solicitando ao poder público a prorrogação do refis (Programa de regularização fiscal) que havia encerrado no dia 06 de novembro. No requerimento o parlamentar solicitou que o prazo fosse prorrogado até o final de Dezembro de 2017. João Bosco apresentou o requerimento pensando na crise financeira que assola todo o país e que tem impossibilitado aos contribuintes de arcar com suas responsabilidades fiscais. Através do refis todas as pessoas físicas e jurídicas podem refinanciar os débitos em divida ativa com até 80% de

desconto nas multas ou parcelar em até 84 vezes. Em atendimento ao requerimento acima mencionado o poder executivo enviou para a Câmara Municipal de Contagem o projeto que altera a lei complementar 225/2017 , prorrogando o prazo do refis até 29 de Dezembro de 2017, que foi aprovado em 2º turno e redação final no dia 05 de dezembro de 2017. “O programa tem como objetivo viabilizar parcelamentos, descontos e dar oportunidades aos contribuintes de quitarem seus débitos em dívida ativa, e ao mesmo tempo o município tem a opor tunidade de receber o que é devido e poder investir em políticas publicas e melhor qualidade de vida para os munícipios” - finalizou o Vereador.

EXEMPLAR CORTESIA - VENDA PROIBIDA


Ano XX - NÂş 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e RegiĂŁo Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

2


Ano XX - Nº 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

CONGRES SO ‘CIDADES INTELIGENTES’ CONGRESSO TEM PPARTICIP ARTICIP AÇÃO PREMIADA DA ARTICIPAÇÃO CÂMAR AGEM CÂMARAA DE CONT CONTAGEM

Foto: Samuel Junio Tomaz

3

Centro Especializado de Reabilitação pronto no 1º semestre de 2018 FOTO: Adelcio R Barbosa

A Câmara Municipal de Contagem teve participação de destaque no ‘Cidades Inteligentes’ – Congresso Mineiro de Empreendedorismo, Sustentabilidade e Modernização das Cidades, realizado nos dias 05 e 06 de dezembro em Belo Horizonte. A Escola do Legislativo recebeu o prêmio na categoria Educação, pela iniciativa do Aulão Solidário de Redação para o Enem, promovida em três oportunidades em outubro deste ano; e o presidente da Câmara, vereador Daniel Carvalho (PV), ministrou palestra sobre a gestão da Casa Legislativa. O prêmio ‘Cidades Inteligentes’ foi entregue ao diretor da Escola do Legislativo, vereador Leo Motta (PSDC), e à equipe formada pela assessora Flávia Reis, pela supervisora pedagógica Cristyany Meireles e pela administradora Daniela Rocha. O projeto foi escolhido entre os mais de 100 inscritos no congresso, por uma comissão composta por Instituições de Ensino Superior, Entidades e Associações Microrregionais de Municípios de todo o Estado de Minas Gerais. Foram três aulões realizados no mês de outubro – dois no plenário da Câmara e um na Faculdade Una Contagem – reunindo aproximadamente 500 estudantes do ensino médio, a maioria da Escola Estadual Professora Maria Coutinho, do Instituto Maria Montessori, de várias unidades da Funec (Fundação de Ensino de Contagem), do Colégio São Judas Tadeu e do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Desenvolvida e ministrada pelo professor e jornalista Éverlan Stutz, a aula fez uma abordagem prática das cinco competências exigidas na redação do Exame Nacional do Ensino Médio, com peso de 50% na

nota final dos candidatos, focando, sobretudo, na arquitetura do texto e na construção do argumento. Para isso, o especialista desenvolveu uma metodologia específica, que é tema de sua tese de doutorado.

Transparência e identidade Palestrante do evento, o presidente Daniel Carvalho falou para gestores, prefeitos, vereadores e servidores públicos, entre outros, um pouco sobre sua trajetória política, destacando que a base de sua primeira campanha para um cargo eletivo – a de deputado estadual em 2006 – foi “transparência e informação” e “resgate da identidade do contagense”, lemas que manteve consigo inclusive na gestão da Câmara Municipal de Contagem. Nesse sentido, Daniel Carvalho citou algumas das ferramentas implementadas no Legislativo com o objetivo de aproximar o poder público do cidadão, de prover a ele informações sobre tudo que acontece na Câmara e de criar um sentimento de pertencimento e identidade com Contagem. Ele destacou o SAPL (Sistema de Apoio ao Processo Legislativo), que é atualizado automaticamente com toda a produção legislativa – projetos de lei, requerimentos, etc – e em qual fase de tramitação se encontra, além de informações sobre os parlamentares, comissões, documentos e pautas das plenárias; ferramenta que pode ser acessada pelo cidadão de qualquer dispositivo com acesso à internet. Outras iniciativas destacadas foram a Ouvidoria Cidadã, que “rompe os muros da Câmara”, indo a cada regional de Contagem para registrar as manifestações do cidadão e

encaminhá-las aos órgãos competentes, além de oferecer serviços gratuitos à população. E o programa “Cultura na Câmara”, que oferece o espaço – “tão escasso em Contagem” – para manifestações artísticas e culturais da cidade na primeira terça-feira de cada mês. O presidente da Câmara ressaltou também o compromisso de sua gestão com a responsabilidade fiscal e com o recurso público, falando sobre a economia de mais de R$ 30 milhões em recursos públicos com a interrupção da obra de construção da nova sede do Legislativo Municipal. “Não era prioridade da minha gestão gastar até R$ 50 milhões na construção de um prédio, sendo que, com apenas R$ 3 milhões, poderíamos fazer uma grande reforma, que iria garantir conforto e acessibilidade para o cidadão, servidores e vereadores”. Por fim, Daniel Carvalho demonstrou otimismo com atual gestão da Prefeitura de Contagem, considerando a maior arrecadação proporcionada pelo retorno do IPTU residencial, e as ações já demonstradas principalmente na área da Saúde, Educação e mobilidade urbana. E um dos participantes belo-horizontinos corroborou, citando a importância do funcionamento pleno da Maternidade, e relatando o bom atendimento que teve no Hospital Municipal. “Não precisamos de políticos, mas de gestores com ousadia e coragem, pessoas comprometidas com a cidade, para fazer o que deve ser feito para oferecer uma cidade melhor para todos, com serviços e estrutura para os menos favorecidos, para os que mais precisam”, concluiu Daniel Carvalho.

Legislativo consulta a população na revisão do Plano Diretor de Contagem Com vistas a democratizar o processo de discussão e aprovação do projeto que trata da revisão do Plano Diretor de Contagem, a Câmara Municipal realiza, nos próximos dias 09 (sábado) e 13 de dezembro (quarta-feira), audiência pública envolvendo o poder Executivo, o Ministério Público, diversas instituições e entidades, além da sociedade civil. O Plano Diretor trata do conjunto de regras e princípios que orientam o ordenamento e a ocupação do espaço no município: como é dividido, que tipo de construções e atividades econômicas podem ser realizadas em cada região, e os parâmetros urbanísticos e ambientais de cada localidade. Como impacta diretamente na vida do cidadão, é importante que haja uma participação efetiva da população no debate, e transparência em relação às possíveis alterações. De acordo com o Estatuto das

Cidades, o Plano Diretor deve ser revisado a cada 10 anos e, como a última versão de Contagem é de 2006, o Plano está desatualizado. O processo da atual revisão começou em 2011, com os debates na II Conferência Municipal de Políticas Urbanas, cujo resultado foi aproveitado para leitura técnica em 2014, quando houve o desenvolvimento de um texto base para a revisão do Plano. Em 2017, a atual gestão colocou o texto em consulta popular, realizando pré-conferências regionais e a III Conferência. E o processo agora está em fase final, sob responsabilidade do Legislativo, na figura da Comissão Especial de Análise do Projeto de Lei Complementar 026/2017, que tem empreendido debates frequentes envolvendo todos os vereadores. Após a consulta à população nas duas audiências públicas, o texto será adequado às contribuições e

colocado em votação ainda neste ano. Tema: Vargem das Flores Data: 09 de dezembro de 2017 (Sábado) Horário: 09h às 12h Local: Plenário da Câmara Municipal de Contagem Tema: Macro-zoneamento Data: 13 de dezembro de 2017 (quarta-feira) Horário: 19h às 22h. Local: Plenário da Câmara Municipal de Contagem * Nos dias das audiências, será permitida a entrada do público no plenário da Câmara, por ordem de chegada, até o limite de lugares disponíveis, que é de 178 pessoas. O restante poderá acompanhar, em tempo real, a par tir de um telão, ou pelas mídias sociais da Câmara Municipal de Contagem.

O vice-prefeito William Barreiro visitou, as obras do Centro Especializado em Reabilitação tipo IV (CER IV). O equipamento é destinado a ampliação dos serviços de saúde direcionados às pessoas com deficiências. A previsão que o CER IV atenda cerca de 1.700 pacientes por mês. Além de Contagem, somente Diamantina e Três Corações possuem uma unidade do Centro Especializado de Reabilitação. Sendo o CER IV implantado em Contagem o mais completo do Estado. “Contagem tem uma estrutura que muitos hospitais de cidades interiores ou até do mesmo porte não têm. Essa obra é um ganho para a área da saúde do município”, res-

saltou o vice-prefeito William Barreiro. O Centro Especializado em Reabilitação é incluído na categoria IV, por atender quatro tipos de deficiência, física, visual, intelectual e auditiva. “O grande diferencial da estrutura implementada em Contagem é a oficina ortopédica construída para confecção de órteses e próteses dos usuários assistidos”, definiu o secretário de Saúde, Bruno Diniz.

Inauguração de obra inacabada Em 25 de agosto de 2015, a

gestão anterior assinou a ordem de serviço para construção do CER IV. A obra teve início em 15 de julho do mesmo ano, com a previsão de entrega para 15 de junho de 2016. No final de 2016, o prédio foi inaugurado, com obras inacabadas, sem luz e equipamentos. A gestão do prefeito Alex de Freitas e do vice William Barreiro retornou as obras imediatamente. A partir de então, estão sendo feitas as inter venções para readequação do espaço. A expectativa que o CER IV seja inaugurado, de fato, no primeiro semestre de 2018.

Estacionamento rotativo permite hora fracionada Sistema permite que o usuário fracione a hora em 20 minutos Desde o dia 6 de dezembro o novo sistema de estacionamento rotativo da cidade permite que o usuário fracione a hora em 20 minutos, a venda continua sendo da hora cheia, o que muda é a utilização. Antes o usuário não receberia os créditos de volta, caso não utilizasse os 60 minutos. Agora, o sistema permite que sejam utilizados apenas 20 minutos, sendo assim, os 40 minutos restantes serão computados como créditos. A substituição dos parquímetros por um aplicativo eletrônico, que é operado pelo

smartphone, iniciou no dia 1º de novembro. O usuário que não possuir um smartphone com acesso à internet não será prejudicado, existem mais de 50 pontos de vendas espalhados nas proximidades das áreas do rotativo, além da venda na web pelo site www.comtempo.com.br. O pagamento pode feito por cartão de crédito no aplicativo e, nos pontos de venda, o usuário também pode optar por pagamento em dinheiro ou cartões. Estão disponíveis 1.740 vagas, sendo que 5% delas são des-

tinadas a idosos e 5% a deficientes. Para os cadastrados que possuem credencial na Transcon, a prefeitura garante a isenção no estacionamento, nas vagas demarcadas. O não pagamento do rotativo para os demais veículos implica em infração grave de trânsito, gerando multa no valor de R$ 195,23 e perda de 5 pontos na carteira. Para mais informações sobre a utilização, regulamento, pontos de venda e mapas, acesse o site da comtempo e fique por dentro das novidades.


Ano XX - NÂş 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e RegiĂŁo Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

4


5

Ano XX - Nº 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Prefeitura monitora locais atingidos pelas chuvas

PROJETO TUDOAVER APRESENTA

Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil continua vistoriando os locais atingidos pela chuva dos últimos dias

GALERIA DO CENTRO CULTURAL DE CONTAGEM

A Prefeitura de Contagem, por meio da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, continua vistoriando os locais atingidos pela chuva dos últimos dias e dando o apoio necessário à população. Desde o ocorrido, todos os 45 pontos de alagamento identificados estão sendo monitorados. O número de pessoas desalojadas e desabrigadas continua o mesmo: 200 desalojados e 11 desabrigados. Na Vila São Paulo, já foram retirados cerca de 300 caminhões de terra próximo à linha férrea. Na tarde de hoje (5), os moradores desalojados foram levados para um hotel da capital, onde irão permanecer até que a limpeza e a inspeção nas casas sejam feitas pela prefeitura em parceria com a VLI. O secretário-adjunto de Defe-

O NINHO DA CORUJA - fotografias de Hugo Honorato

sa Social, Coronel Antônio Fiúza, informa que estão sendo feitas avaliações para encontrar uma solução eficaz que evite mais deslizamento de terra do talude. “Após a averiguação, as casas que não estiverem com a estrutura abalada serão liberadas e as famílias poderão retornar com segurança”, concluiu. A recomendação da Defesa Civil em caso de chuva forte em locais de risco, é que o cidadão saia do local o mais rápido possível e, imediatamente, entre em contato com a Defesa Civil por telefone 199. A Defesa Civil está recebendo doações de roupas, produtos de higiene, colchonetes e cestas básicas. As doações podem ser entregues na sede da Defesa Civil (rua Vereador David de Oliveira da Costa, 14, bairro Fonte Grande).

Banda Cordilheira

Confraternização reúne mais de mil idosos em Contagem Neste ano, a tradicional confraternização dos grupos de convivência da melhor idade foi promovida na quarta-feira (6), na Cidade Encantada, na Praça da Jabuticaba, e contou com a participação da jornalista e apresentadora Roberta Zampetti. A apresentadora contou como foi a experiência de escrever o livro “Sou 60 – Diário de uma jornalista em busca de respostas sobre envelhecimento e a vida”. Ela informou que a obra trata de forma leve e bem-humorada da importância da atitude positiva após os 60 anos. “Escrever Sou 60 foi a forma que encontrei de me reinventar aos 60 anos. Apesar da sociedade julgar o contrário, envelhecer é muito bom, basta que se tenha projeto de vida e que dê sentido a ele”, disse. Além de Zampetti, o evento contou com atrações músicas e disponibilizou profissionais da área da saúde para aferir pressão e teste de glicose. Organizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, o evento reu-

niu mais de mil idosos de todas as regiões da cidade. Segundo o secretário de Direitos Humanos e Cidadania, Rodney Ferreira, a festa teve como objetivo proporcionar momentos de lazer e de reflexão. “Foi também uma ótima oportunidade para dançar, estreitar os laços de convivência, comemorar e, também, compreender como é importante viver com alegria e de maneira saudável”, destacou. O secretário informou que, no próximo ano, pretende avançar nos projetos voltados ao cuidado da pessoa idosa. “Nosso país está envelhecendo, temos que nos preparar e, sobretudo, pensar nas políticas que possam atendê-los e assegurar mais qualidade de vida”. Uma das idosas presente, a aposentada Sandra de Souza, 68 anos, elogiou a iniciativa. “É uma festa maravilhosa. Adoramos esses encontros, nos divertimos e aprendemos uns com os outros. A convivência com os amigos é fundamental para nossa mente e saúde. Gosto de participar sempre que posso”, contou.

aproxima-os do universo das Artes Visuais. As fotografias não são apenas um registro documental dos personagens em ação, mas um olhar estético, formal e conceitual que reforça seu caráter misterioso e instigante. Em 2012 o Ninho da Coruja fez sua estreia na E.M Professor Lourenço de Oliveira, em Belo Horizonte. Em 2015 e 2016, contemplado pelo Edital do FMIC – Fundo Municipal de Incentivo à Cultura de Contagem, da Fundac / Prefeitura de Contagem, o projeto Ninho da Coruja foi realizado em escolas locais - E.M Dona Gabriela Leite Araújo e E. M. Professora Júlia Kubitschek de Oliveira, respectivamente, ambas no Bairro Industrial.

A exposição Ninho da Coruja do artista Hugo Honorato apresenta imagens especialmente produzidas para o projeto artístico pedagógico homônimo. Estas fotografias são parte essencial de ações performáticas no ambiente escolar, sendo utilizadas para construir o imaginário visual do projeto, numa proposta provocativa e interativa. Usualmente a coruja está associada à sabedoria. Aparece como símbolo de aprendizado e leitura. O Ninho da coruja é o seu lugar de estar, seu refúgio, seu lar. A biblioteca então seria este ninho, espaço fértil onde habita o conhecimento.

Utilizando destes signos, as Fotografias estão inseridas no projeto Ninho da Coruja que consiste na realização de intervenções performáticas no ambiente escolar, instigando os estudantes por meio de recursos cênicos e visuais a um novo olhar para a biblioteca e a leitura. Estranhos personagens (Coruja e Vladas) penetram no espaço físico e social das escolas, criando uma perturbação provocativa que conduz os estudantes a uma viagem fantástica, cujo destino é a biblioteca. A força teatral e expressividade desses seres estranhos, desperta o interesse dos estudantes para

um jogo interativo enigmático. Gradualmente os jovens se veem inseridos num roteiro de mistério no qual a biblioteca e a leitura se tornam protagonistas. A atividade é sempre registrada por Hugo Honorato, tanto no ambiente das escolas onde acontece a ação, como também em seus desdobramentos externos. Em uma das intervenções do projeto, a escola amanhece surpreendentemente tomada por centenas de fotografias impressas dos personagens em cenários intrigantes. Esta ação inesperada alimenta o imaginário dos estudantes, reforçando o jogo proposto e

A Cordilheira é uma banda autoral de música instrumental que tempera a atitude inquieta do rock’n roll com a tradicionalidade dos ritmos brasileiros. O relevo da montanhosa Minas Gerais serviu de inspiração não só para o nome da banda, bem como em suas composições, evidenciadas hora pela agressividades de suas serras, picos e vales, ora pela calmaria das veredas ou singeleza de seus mares de morros. Em 2017 apresenta seu novo trabalho Ferrugem, inspirado na cidade de Contagem e seu aspecto plural, que mescla ares industriais e rurais de uma cidade em constante transformação. Este projeto marca a Parceria da Cordilheira com o artista Marco Vieira, responsável pelos vídeos projetados durante o espetáculo e Lúcio Honorato, co-idealizador, produtor e cenógrafo do Projeto. Este projeto é contemplado pelo FMIC, da Fundac / Prefeitura de Contagem. Uma das apresentações previstas acontece na abertura da exposição Ninho da Coruja, na rua de pedras, em frente à Galeria da Casa Amarela. Formação da Cordilheira: Alan de Melo – Leonardo Medeiros – Walber Augusto Contato: (31) 3488-3462 / cordilheira.contato@gmail.com / facebook.com/Cordilheira 15/12 - Espaço do Saber 20h.

Novo empreendimento gera mais de 400 empregos na cidade Loja do Atacadão foi inaugurada

Bazar natalino do Centro de Convivência Horizonte Aberto Além de se o mês quando as pessoas comemoram as festas natalinas, dezembro é um mês de reflexão, dedicação ao próximo e planejamento para o ano vindouro. O Centro de Convivência Horizonte Aberto também prepara seu natal. Nos dias 6 e 7 de dezembro, o centro promoveu um bazar natalino para celebrar o 2017. O Horizonte Aberto é um equipamento da Prefeitura de Contagem que atende usuários da rede de saúde mental do município, que apresentam quadro psíquico estável. Além de artesanatos, confeccionados pelos usuários, roupas e bijuterias estavam a venda. Cerca de 100 pessoas passaram para conferir o bazar e levar para casa uma lembrança do que é realmente a magia do natal, ajudar o próximo. O intuito é promover a socialização dos usuários e arrecadar fundos para passeios e confraternizações. "Além de arrecadar fundos,

queremos mostrar para a população que o usuário da saúde mental é capaz de exercer tarefas e se inserir na sociedade", ressaltou a gestora do Horizonte Aberto, Karem Alvin. O Centro de Convivência oferece diariamente, para aproximadamente 25 usuários, diversas oficinas de artesanato como pintura em tecido, confecção de potes, entre outros. Nas oficinas são atendidos usuários do Centro de Convivência e, também, os usuários em situação de permanência/dia dos Centros de Atendimento Psicossocial Infantil (Caps I), Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), Atendimento Psicossocial (Caps) Eldorado e Caps Sede, em dias alternados. Bazar na Saúde Dia:12 de dezembro (Terça-feira) Local: Secretaria de Saúde Endereço: Avenida General David Sarnoff, 3113 Horário: 10h às 15h

Contagem recebeu nesta quinta-feira (7), a primeira unidade de autosserviço da loja Atacadão. Com capacidade para atender 120 mil clientes por mês, o empreendimento irá gerar mais de 450 empregos diretos, além de 300 empregos indiretos gerados pela obra. Com a abertura, a rede atinge a marca de 146 unidades de autosserviço no Brasil, distribuídas por todos os estados, sendo cinco lojas em Minas Gerais, além de um atacado de entrega. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sant Clair Terres, abrigar um empreendimento da dimensão do Atacadão

reforça a importância do município como polo econômico e aumenta a competitividade. “Com a implantação da loja foram gerados mais de 400 postos de trabalho, muitos deles voltados àqueles que buscam a primeira oportunidade de emprego. O local oferece uma gama de produtos, estrutura de qualidade e compromisso em oferecer preços baixos. São inúmeros benefícios para a população e município como um todo”, destacou. “Com esta inauguração, ampliamos a nossa oferta de serviços no Estado de Minas Gerais, onde estamos presentes desde 2010 como uma solução eficiente para os clien-

tes de Contagem e entorno”, informou Roberto Müssnich, diretor-presidente do Atacadão. “Oferecemos sortimento, eficiência e, principalmente, preços competitivos, reforçando nosso compromisso de ser o melhor parceiro do comerciante e do consumidor mineiro”, completa Müssnich. O município de Contagem é um importante polo econômico e comercial da Região Sudeste. A cidade possui a terceira maior população do Estado de Minas Gerais, com quase 700 mil habitantes, atrás apenas de Belo Horizonte e Uberlândia, de acordo com o Instituto Brasileiro de

Geografia e Estatística (IBGE).

Nova loja O Atacadão Contagem, localizado na Rodovia BR 040, Km 25, possui 6.300 m² de área de vendas, 28 checkouts e amplo estacionamento com 436 vagas para carros, sendo 145 cobertas, além de 58 posições para motos. Preparada para atender donos de bares, pizzarias, mercados e consumidores finais, a loja oferece mais de 10.000 opções de produtos, que podem ser adquiridos em embalagens fechadas e fracionadas.


6

Ano XX - Nº 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Mudanças no Simples Nacional começam a valer a partir de 1º janeiro Pequenos negócios devem estar atentos para alterações importantes que irão ocorrer no regime tributário simplificado Em Minas Gerais, 518 mil Micro e Pequenas Empresas (MPE) e 851 mil Microempreendedores Individuais (MEI) serão impactados com as novas mudanças que ocorrerão no Simples Nacional no próximo ano. Entre as alterações está o aumento do limite de faturamento, medida que entrar em vigor a partir de 1º de janeiro. O Sebrae Minas esclarece as principais mudanças que impactarão os pequenos negócios. Veja algumas delas: Novos tetos de faturamento: a partir de janeiro do ano que vem, o limite para enquadramento do MEI passa de R$ 60 mil por ano para R$ 81 mil por ano, média mensal de R$ 6,75 mil. Já a Pequena Empresa aumenta de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões anuais, média mensal de R$ 400 mil. Porém, as EPP que ultrapassarem o valor anterior de R$ 3,6 milhões de faturamento terão o ICMS e ISS calculados fora da tabela do Simples Nacional. Novas alíquotas: também não será mais aplicada uma alíquota simples sobre a receita bruta mensal. A partir de 2018, a alíquota a ser paga dependerá de um cálculo que leva em consideração a receita bruta acumulada nos doze meses anteriores e o desconto fixo. Essas mudanças poderão aumentar ou reduzir a carga tributária para algumas empresas. Por isso, o ideal é buscar a ajuda de um contatado. Redução de tabelas e de faixas: as tabelas do Simples Nacional passaram de seis para cinco anexos, sendo um para comércio, um para indústria e três para serviços. O número de faixas de alíquotas aplicadas diretamente no faturamento cai de 20 para seis. Também haverá alteração do cálculo do imposto incidente sobre faturamento. Antes era feito pela multiplicação da alíquota pelo faturamento, a partir de 2018 será considerado o valor fixo de abatimento da tabela. Universalização: algumas atividades que antes não podiam se enquadrar no Simples Nacional foram contempladas nesta nova versão. As principais atividades que poderão ingressar no sistema tributário sim-

plificado são: Indústria ou comércio de bebidas alcoólicas como: micro e pequenas cervejarias; micro e pequenas vinícolas; produtores de licores e micro e pequenas destilarias desde que não produzam ou comercializem no atacado. Serviços médicos como a própria atividade de medicina, inclusive laboratorial e enfermagem; medicina veterinária; odontologia; psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição e de vacinação e bancos de leite. Representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros; Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração; Outras atividades do setor de serviços que tenham por finalidade a prestação de serviços decorrentes do exercício de atividade intelectual, de natureza técnica, científica, desportiva, artística ou cultural, que constitua profissão regulamentada ou não, desde que não sujeitas à tributação na forma dos Anexos III, IV ou V da Lei Complementar 123/2006 Investidor-anjo: foi criada a figura do investidor anjo, beneficiando principalmente as startups. Podem ser tornar investidor-anjo pessoas físicas ou jurídicas, além de fundos de investimentos, que queiram investir capital em micro e pequenas empresas e participar dos lucros, em contratos com duração de sete anos, não tendo direito a voto, mas também contraindo as dívidas da empresa.

Praça da Glória recebe 3º Encontro de Lian Gong Ação reuniu cerca de cem pessoas que buscam melhorar a qualidade de vida FOTO: Adelcio R Barbosa

A prática é oferecida, gratuitamente, em 24 pontos espalhados nas oito regionais Ao longo dos anos devido a uma vida sedentária, especialmente pela falta de exercícios físicos, milhares de pessoas sofrem com dores articulares. Entre essas pessoas está Leandra Morais, 65 anos. Em decorrência de um quadro crônico de fibromialgia, ela sentia muitas dores pelo corpo. A vida da moradora do Eldorado mudou quando conheceu o Lian Gong. “Eu sentia muitas dores no pescoço, costas e pernas. Comecei a praticar essa atividade que para mim é fundamental, não sinto quase dor nenhuma mais”, explicou ressaltando os benefícios das práticas. Leandra foi mais uma entre os cerca de 100 usuários que participaram na Praça da Glória, do 3º Encontro de Lian Gong. O encontrão é pro-

movido pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde. Atualmente, mais de 500 pessoas praticam a técnica no município. A prática é oferecida, gratuitamente, em 24 pontos espalhados nas oito regionais. A coordenadora de Práticas Integradas e Complementares da Secretaria de Saúde, Ana Viegas, destacou a importância dessa atividade para a cidade bem como falou da ampliação do programa. “É uma satisfação em implementar esse programa em Contagem. A gestão abraçou o Lian Gong, a expectativa é que em 2018 possamos ampliar a atividade em toda a cidade, passando para mais de 50 núcleos”, afirmou Ana.

Empresa Simples de Crédito (ESC): outra novidade é a criação da Empresa Simples de Crédito, figura jurídica que teria o papel de expandir a oferta de financiamentos para as micro e pequenas empresas (MPE), suprindo lacunas deixadas pelos bancos. Só poderá atuar com capital próprio e as atividades devem se restringir ao município onde a empresa sede ou em municípios vizinhos.

Copa Motawh de Judô reúne cerca de duzentos atletas A 17ª edição do evento contou com a participação dos medalhistas do XVII Campeonato Brasileiro das Ligas de Judô Competição que reuniu atletas de várias categorias oriundos de Contagem e de cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte Aconteceu no último sábado (02), no ginásio poliesportivo da Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, a 17º Copa Motawh de Judô. A competição reuniu cerca de 200 atletas e, entre eles, contou com a participação dos judocas que representaram a cidade e o Estado no XVII Campeonato Brasileiro das Ligas de Judô, na cidade de Recife (PE). O evento contou com o apoio da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude (Selju). Mais de 500 pessoas prestigiaram a competição que reuniu atletas de várias categorias de

Contagem e de cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O secretário-adjunto de Esportes, Denilson Elias, esteve presente e falou sobre o empenho de todos os envolvidos. “A Secretaria abriu o espaço para este evento, oferecendo inclusive suporte com profissionais da área de saúde e uma ambulância do Samu. Estamos comprometidos em resgatar esse histórico esportivo de Contagem, e de fato o poder público, representado pelo prefeito Alex de Freitas e William Barreiro, tem acompanhado de perto tudo que envolve a cidade”, relatou. Também estiveram presentes a administradora da Regional Riacho, Leandra Medeiros, e o diretor-geral da Secretaria de Trabalho e Geração de Renda, Belmiro Morais.

2018 Promete. E muito! Já estamos no finzinho de 2017, dezembro, época em que começamos a ponderar nossas realizações, nossos acertos e no que podemos evoluir. No que concerne ao segmento esportivo, Minas Gerais não tem do que reclamar no balanço de 2017: tivemos destaque em muitos esportes e gratas surpresas surgiram no desenrolar dos meses, a ponto de superar os melhores prognósticos. Lógico, algumas situações não são surpresa nenhuma, o resultado já era esperado, mas mesmo assim permanece o brilho. Comecemos pelovoleibol masculino: o Cruzeiro continua impecável, em uma hegemonia que é marca de um ótimo trabalho e com certeza o resultado positivo de uma parceria de sucesso entre a patrocinadora Sadae o time celeste. Dentre os 4 títulos conquistados este ano, destacam-se o pentacampeonato da Superliga 2016/2017 e o tetracampeonato sul-americano de Clubes. Estas conquistas do time celeste de vôlei devem servir de incentivo para que outros times venham buscar seu espaço ou até mesmo reconquistar, a exemplo do tradicional Minas Tênis Clube. E não é só no vôlei masculino: o Cruzeiro sagrou-se campeão brasileiro também no futebol americano derrotando o João Pessoa Espectros, da Paraíba. Nesta modalidade que cresce a cada dia no Brasil, esta foi a nona edição do Brasileiro de Futebol Americano e pela primeira vez um time mineiro conquistou o título. No futebol profissional, é claro que as maiores conquistas foram do Cruzeiro e do América Mineiro, respectivamente campeões da Copa do Brasil e do Brasileiro da Série B, tendo como prêmio a vaga na Libertadores e o acesso à Série A. Após garantir com louvor a vaga para a Libertadores, o time celeste este fim de ano já se movimenta para trazer ao elenco peças pontuais que possam agregar ao time. Neste caso, uma destas peças necessárias é um atacante de origem, sendo que o alvo principal neste momento é o argentino Lucas Pratto, do São Paulo. Mano Menezes quer trazer para o time um jogador de qualidade e que possa aumentar a eficiência no ataque e fazer gols. Pelo perfil de centroavante que também sabe combater e apoiar, além dos gols, o atacante são paulino seria uma excelente contratação. Já o Coelhão, que costura mais uma estrela em seu uniforme –

superando inclusive o tradicional Internacional - deu um passo enorme para se firmar na elite da Série A, sinal claro de que o planejamento da diretoria para a equipe está no caminho certo. Destaque, é claro, para o competente técnico Enderson Moreira, da Massa Atleticana. O retorno de jogadores emprestados, tais como Carlos (emprestado para o Internacional, tendo ficado na reserva), Hyuri (emprestado para o Guizhou Renhe, da China) e Dodô (atualmente reserva na Chapecoense), não promete muitas novidades e com certeza o Atlético terá de rever algumas posições com novas contratações. No MMA, ou artes marciais mistas, o ano foi para lá de positivo: Paulo Borrachinha - ou Eraser, em inglês – é, segundo palavras do próprio Danna White, chefão do UFC, a próxima estrela neste esporte. Sua última vitória contra o ex-campeão dos meio médios Johny Hendricks mostrou um lutador forte e que nunca recua, desferindo potentes socos e sabendo se defender muito bem de seu adversário. Vamos acompanhar atentamente o seu desempenho e torcer, é claro, para que conquiste e perpetue o cinturão. Na patinação de velocidade, tivemos a grande revelação da equipe SpeedInline BH, onde os integrantes da equipe foram destaque em vários campeonatos (inclusive internacionais) desta temporada. Dentre os integrantes destacamos a atleta contagense Marcela Marcenes. Se tivemos boas notícias no campo esportivo, cabe agora, nesta avaliação que fazemos do ano que passou, seja de nossas vidas, sucessos e fracassos, planejar nossas metas e renovar nossas esperanças, nos ater ao ano que virá. Por se tratar de um ano de eleições, além do aspecto da ética, que nos atenhamos a candidatos que, além de um passado limpo, tenham comprometimento no desenvolvimento do esporte, com propostas que privilegiem a destinação de verbas públicas não só ao aprimoramento e patrocínio do atleta, mas também o resgate da cidadania de toda a sociedade através do esporte. Abraço a todos! Fiquem com Deus! EDUARDO ROCHA DE MA MATT OS BORB BORBAA

JORNAL REGIONAL CONTAGEM LTDA. CNPJ: 04.917.575/0001-24

Publicação de requerimento de licença. A. empresa Enecar A uto MecânicaLtda - ME por determinação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente torna público que solicitou através do processo Nº9916/01-14 Licença Ambiental Sumaria para Atividadede “Serviço de manutenção e reparação mecânica de veículos automotor es; Ser viços de lanter na automotores; nagg em ou funilaria e pintur pinturaa de utenção e rree par ação elév eículos automotor es; ser viços de man manutenção paração automotores; trica de vveículos eículos automotor es; ser viços de alinhamento e automotores; balanceamento de veículos automotores.” Localizada na Rua Raul Soares, N°12, Bairro Antônio Cambraia, Contagem MG - Contagem – MG – CEP: 32.230-380.

Editor-Chefe e Jornalista Responsável:

José Antônio Borba REGJPMG09675

Diretora de Redação: Sandra Bochiard Borba Rua das Acácias, 1137 - Conj. 401 - CEP: 32310-370 Eldorado - Contagem -TEL.: (31) 3042-0034/3041-5473 E-mail: gruporegionalcontagem@gmail.com http://www.jornalregionalcontagem.com.br http://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs https://www.facebook.com/pages/Jornal-Regional-de-Contagem/442009609264258?ref=hl

PÚBLICO ALVO: 100.000 LEITORES Os artigos e matérias assinados são de responsabilidade dos seus autores, não representando, necessariamente, a opinião deste jornal.


Ano XX - NÂş 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e RegiĂŁo Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

7


Por Vinícius Fernandes Cardoso

8

Ano XX - Nº 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

DECAS

Centenário de Josué Montello

DÉCIMAS SATÍRICAS DE YENDIS ASOR SAID

Um sonho de criança Os périplos do músico Juju do Vale POR MARCO DOMENICI *

FASCÍCULO 14

DOR TAMANHA esfigurado pela Dor e o Ciúme, D Fui procurar na montanha o desfecho, E lá chegando só encontrei o Costume, Que só me disse: “Vai que só ali, eu deixo”. Falei: — Sou eu quem mando, sai, que nesta sala quando a dor trai só resta ao solitário subir a montanha! Disse-me “Sim, mas quando está vivo! Você que do sentimento puro eu privo, conhece a dor, mas não a dor tamanha!”

HORTA

C

hove lá fora, dorme o lobo, O coiote vespereia sua caça, O unicórnio pula e o velho bobo sai correndo do romance na raça! Um dragão passou voando agora Um morcego aquela árvore namora, Um fantasma bateu na minha porta, Atendi e perguntei: — O que é que é? Disse ele: “Saci Pererê acabou de perder o pé”. Eu disse: — Tava fingindo de mendigo na horta?

PORTA huva torta na janela do louco, C Parede triste no jocoso ambiente, Chão gelado e cemitério torto,

Frívolo pensamento deste que sente, Sente montanha no centauro oblíquo, Sente estrelas titubearem no longínquo, Sidéreo estelar da abóbada morta, Assim frenético, direcionei o pensamento, Para pena íntima, dor do esquecimento, E lá, já sem sorrir, eu fechei a porta!

AGONIA nganchado na estrada torto, E Molhado, caído e obcecado, Fiquei por aquele caminho morto,

E lá descansei daquele pecado, Tranquilo, bem distante e sereno, Estava até chegar perto de mim veneno, E direcionou a mim triste ironia, Falou: “Ôh perdido, louco e maltratado, não esqueça nunca que é safado”, Levantei e fui embora, ó agonia!

PRIMEIRO sentença maior que já foi dita, A Está no peito como lei decretada, Aí então que desperta linha maldita,

Pra descrever minha culpa desgraçada, Saí sem rumo desgostoso pelas ruas, Encontrando pelo caminho pessoas nuas De amor de sentimento verdadeiro, Aí me levantei e fui ao encalço meu, Procurando aquele ente que era eu, Sei que não sei, nem se sou o primeiro.

OPRÓBRIO s buscas foram feitas, A Eu realmente me perdi, No leito das formas estreitas

De meu rio me esqueci, Me deixei levar por outro rio, Eu segui este corpo esguio, Amor paralelo ao ódio, Depois que me vi só, me larguei, Fiquei no rio e me entreguei, Fiquei sendo de mim o opróbrio!

LADRÃO heguei no antro do inferno C e logo perguntei: — O quê que há? Respondeu-me um homem de inverno Dizendo: “Sai daqui pessoa do além!” Eu disse: — Você ainda está aqui? Ele disse sorrindo: “Eu fugi daqueles que na terra estão”. — Tenho más noticias para você eles logo, logo vão descer, pastores, bispos, padres, ladrão...

FALAR ontei até dez e respirei fundo, C A chuva caía mansa lá fora, E neste meu desgraçar profundo

Levantei e disse: — Chegou a hora! O pastor diabo sorriu e disse: “Vamos para o inferno e se sentisse o que o povo sente só sorriria”. Contei novamente de um até dez, Sumiu todos até o semblante da tez, Refletido na alma deste que só falava e sorria...

JOSUÉ MONTELLO (J. de Souza M.), jornalista, professor, romancista, cronista, ensaísta, historiador, orador, teatrólogo e memorialista, nasceu em São Luís do Maranhão a 21 de agosto de 1917, onde passou sua infância e juventude. No começo de 1936, mudou-se para Belém, dali saindo com destino ao Rio de Janeiro, em dezembro do mesmo ano. Filho de Antônio Bernardo Montello, de origem italiana, e de Mância de Souza Montello, de origem portuguesa. Residindo no Rio de Janeiro desde dezembro de 1936, Josué Montello considerava-se um homem de sua Província, com a marca da terra e dos hábitos do Maranhão. Morou também no Peru de 1953 a 1955, como Catedrático Honorário da Universidade Maior de São Marcos, de Lima; em Portugal, em 1957, a convite do Itamaraty, regeu a Cátedra de Estudos de Lisboa, na Faculdade de Letras; em Madri, em 1957, como professor de Cátedra de Estudos Brasileiros pelo Itamaraty; em Paris como Conselheiro Cultural da Embaixada do Brasil de 1968 a 1970. De 1985 a 1989 exerceu o cargo de Embaixador do Brasil junto à UNESCO, em Paris, sempre retornando a São Luís nas suas vindas ao Brasil. Quase toda sua obra literária traz a marca da inspiração e da cultura maranhense. Foi agraciado com 12 prêmios literários, um fardão de imortal da Academia Brasileira de Letras, no dia 4 de julho de 1955, ocupando a cadeira nº. 29, fundada por Arthur Azevedo e que tem como patrono Martins Pena. Foi recepcionado por Viriato Corrêa. Membro da Academia Maranhense de Letras desde 1948 e sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Acumulou uma coleção de títulos e funções entre eles o de Reitor da Universidade Federal do Maranhão. Foi considerado um clássico de nossa literatura com muitos livros traduzidos no exterior, bem como versões cinematográficas de duas de suas novelas. A obra literária de Josué Montello eleva-se a 160 títulos em vários gêneros, entre eles: romances, ensaios, crônicas, história, história literária, discursos, antologias, educação, novelas, teatro, biblioteconomia, literatura infantil e juvenil, memórias, prefácios, edições para cegos e cinema. Foi colaborador do Jornal do Brasil e também da Revista Manchete. Ocupou o cargo de presidente da Academia Brasileira de Letras, eleito em 09 de dezembro de 1993, onde tomou posse no dia 16 de dezembro permanecendo até dezembro de 1995. Faleceu em 15 de março de 2006, aos 88 anos no Rio de Janeiro, onde vivia. Seu corpo está enterrado no cemitério São João Batista, naquela capital. (* Informações da Casa de Cultura Josué Montello, localizada em São Luís do Maranhão)

A fundação da Academia POR JOSUÉ MONTELLO (1917-2006)

A

idéia da criação de uma Academia de Letras no Brasil, nos moldes da Academia Francesa, não teve a inspirá-la o espírito de iniciativa daquele que seria, como seu primeiro presidente, o principal responsável pela sobrevivência e pelo prestígio do novo instituto. Com efeito, não se pode incluir Machado de Assis entre os idealizadores da Academia. Este papel cabe, em épocas diferentes, a Medeiros e Albuquerque e a Lúcio de Mendonça. Entretanto, pode-se afirmar, com segurança, que, sem a figura de Machado de Assis, a idéia não se teria concretizado. As origens da Academia Francesa, no dizer de Voltaire, não foram de ordem intelectual e sim de ordem cordial, como um círculo de bons amigos. Os requisitos de ordem intelectual vieram depois, no aprimoramento gradativo da corporação, sem que esta perdesse, no entanto, na escolha de seus novos membros, o sentido da cordialidade que inspirou a formação do pequeno cenáculo em casa de Valentin Conrart. Nossa Academia, bem examinada nas suas origens, constituiu-se também sob a inspiração da afinidade de sentimentos. Não constituíra exagero afirmar que sob certos aspectos, no que concerne às suas raízes, ela decorre mais da geração boêmia que fez a Abolição do que do grupo de altos espíritos que moldou a consolidação legislativa de seus estatutos. Graça Aranha, testemunha do nascimento da Academia, disse que ela, “oriunda de um pacto entre espíritos amigos, hauriu nesta inspiração original a força intrínseca de que se mantém, e se vai transmitindo às gerações que se sucedem”. Ao contrário do que ocorre na Academia Francesa, sempre pendente de algumas vontades firmes que orientam as deliberações do instituto, nossa Academia habituou-se a prescindir dessas vontades individuais, que não se compaginam com as tradições da Casa. Há ali quarenta companheiros, comumente identificados no gosto das boas letras, sem chefes de grupos nem líderes evidentes. Ninguém comandou jamais, de modo ostensivo e pessoal, os destinos da Academia Brasileira. Não houve um tempo em que, na Academia Francesa o gênio de d’Alembert, assistido por Madame de Lespinasse, exerceu influência tirânica sobre os com-

panheiros? E Voltaire, com toda a universalidade de seu gênio, não se viu compelido a abrigarse sob a proteção de Madame de Pompadour, para eleger-se acadêmico? E não é verdade, ainda, que, desde os tempos de Richelieu, só se pode ser acadêmico, na França, andando em boas graças oficiais? Não foi assim com La Fontaine? Não foi assim com Chateaubriand? E não foi assim, ainda recentemente, com Paul Morand, cuja condição de antigo colaboracionista lhe cerrou por largo tempo a porta da Academia? A Academia Brasileira, nesse, e ainda em outros pontos, divergiu de seu figurino, a começar pela autonomia das deliberações do instituto. Só uma influência decisiva se observa no curso de sua evolução: a de Machado de Assis. Influência habilíssima, mais sugestão que ordem, menos determinação que alvitre. Depois dele, ninguém mais desempenhou esse papel de líder, a não ser, de relance, um de seus herdeiros diretos no plano da vida acadêmica: Mário de Alencar. Na fase inicial da Academia, a geração boêmia plasmou a amizade que uniu a maior parte dos companheiros. Coelho Neto, Bilac, Araripe Júnior, Patrocínio, Murat, Valentim Magalhães, Aluísio e Artur Azevedo, Guimarães Passos, Raimundo Correia, Alberto de Oliveira, Medeiros e Albuquerque, Pedro Rabelo e Filinto de Almeida pertenceram à plêiade de espíritos desprendidos e joviais que a afeição aproximou, antes da identificação definitiva na cordialidade da Academia. Machado de Assis, José Veríssimo, Joaquim Nabuco, Lúcio de Mendonça, Rodrigo Otávio e Inglês de Sousa - para lembrar apenas os que mais se destacaram em realizar o pensamento comum - trouxeram à idéia da corporação literária a porção de austeridade e a constância de propósitos com que se consolidam as instituições de sua espécie. Mesmo no caso deste grupo, foi a amizade que uniu e identificou seus componentes, no período que imediatamente precede a criação da Academia. Basta lembrar a importância, para essa criação, dos jantares promovidos pela Revista Brasileira, ao tempo em que José Veríssimo a dirigiu. [Do livro “O presidente Machado de Assis”, de 1961)

O cantor e compositor Juju do Vale

O RFANDADE , V ALE DO MUCURI, PEDRA PONTUDA

JV A ,

UAREZ

DIAS DE

LCÂNTARA,O

JUJU DO ALE ficou órfão de mãe ainda bebê. Com apenas um ano, percebeu feérico o dissabor das circunstâncias, ao perder a mãe durante o parto de seu irmão caçula. Tão logo sepultada sua mãe, ainda nas condolências da missa de sétimo dia, Juju foi entregue aos cuidados dos padrinhos de batismo, que ficaram com o encargo de criá-lo e educá-lo até os oito anos, quando então foi devolvido ao pai biológico na Fazenda Baixa Verde, zona rural do município de Ataléia-MG, Vale do Mucuri. Por coincidência natural, nas proximidades da fazenda ergue-se uma grande pedra, batizada toponimicamente pelo nome de “Pedra Pontuda”, formação geológica este que inspirou Juju do Vale na criação de uma canção, anos mais tarde.

NO BATENTE DA LAVOURA

Aos 15 anos, no ápice da adolescência, Juju do Vale, percebendo o grau de miserabilidade regional, que açambarcava as famílias locais, resolveu, então, ofertar os seus préstimos laborais na lavoura, com o intuito de ajudar o pai na criação dos irmãos e, neste intento, foi trabalhar em uma fazenda de propriedade de um homem conhecido pela alcunha de Seu Canuto, permanecendo ali por dois anos consecutivos sob o sol escaldante, recebendo ínfimo salário, com o qual ajudava nas despesas de casa. Aos 17 anos, Juju do Vale foi trabalhar em outra fazenda, conhecida pelo nome de Moranga e, lá, mesmo ajudando nas despesas de casa, conseguiu guardar uma pequena quantia em dinheiro, que utilizou para viajar até a cidade de Ouro Verde, onde ganharia um montante pecuniário satisfatório para que pudesse, então, tirar os seus documentos pessoais, no município de Ataléia. Juju do Vale permanecera na região do vale do Mucuri até aos 21 anos, vivendo sozinho, uma vez que o seu pai, procurando oportunidades melhores, migrou com os outros filhos para a capital do Estado.

PÉRIPLOS DE UM MATUTO

Em 1983, Juju deixou AtaléiaMG e foi para Belo Horizonte a

convite do irmão mais velho, a residir no bairro Padre Eustáquio, conseguindo trabalho como ajudante de caminhão em uma rede de supermercados que prestava serviço a CEASA. Em 1987, deixando o trabalho braçal, recolocou-se no ramo da contabilidade, no qual permaneceu por cinco anos, época na qual se mudou para o município de Contagem, iniciando uma microempresa estilo “fundo de quintal” no seguimento de temperos e condimentos, ocupação que deixaria a frente, para se dedicar ao comércio de bares e restaurantes. Neste período, Juju do Vale deu os seus primeiros passos como cantor e compositor, ao sentir o desejo de materializar um sonho de criança, qual seja, o de transmitir em canções as suas próprias origens, isto é, a cultura popular de raiz que ele absorveu quando criança, quando teve o privilégio de ter estado com o matuto Ferreirinha e o seu acordeom nas festas caboclas do vale do Mucuri, este último depois tornado grande nome da música caipira.

“O GAITEIRO SOLITÁRIO”, PARCERIA MUSICAL E O CANAL DO YOU TUBE

Em Contagem, em meados de 1980, Juju do Vale compôs e escreveu a sua primeira canção, O Gaiteiro Solitário, uma alusão e homenagem a Ferreirinha, mentor e inspiração primeira. Desde então, Juju do Vale criou várias canções sobre os mais variados assuntos, divulgando-as nas apresentações que lhe convidam a fazer, em festivais de música e bares da região. Em 2016, nos conhecemos e estabelecemos uma parceria musical que, em apenas um ano, gerou inúmeras canções, sendo que todas elas podem ser visualizadas no CANAL JUJU DO VALE, no You Tube: estejam todos convidad@s a acessar, ouvir e curtir! Aos músicos caipiras e sertanejos, assim como de outros seguimentos musicais, que gostem das canções da dupla e sintam vontade de gravá-las ou regraválas, entrem em contato conosco, estamos aptos ao diálogo! CONTATOS PELO WHATSAPP: * (31) 97340-3393 (Juju) * (31) 98710-3091 (Marco). * MARCO DOMENICI morou por anos em Santa Tereza/BH, onde conheceu membros do Clube da Esquina; hoje reside no Eldorado, em ContagemMG, músico, compositor, arranjador, produtor musical e poeta.

Escritora de Contagem lança o romance “Entr “Entree as montanhas” A escritora Anna de Andrade, moradora do bairro Água Branca, em Contagem, estreia com o romance “Entre as Montanhas” (Editora Scortecci, 2017), lançado no último dia 10 de dezembro no Parque Municipal de BH. O romance conta a história de um grupo de adolescentes que, em sua magnificência, traz à tona uma reflexão, alguns projetos memoráveis que mostram respeito e admiração por seus precursores. Nesse ínterim, duas personagens se juntam a um grupo que tenta salvar as árvores ameaçadas de extinção. Esta história é narrada na terceira pessoa e a autora mistura a tríade – diversão, espionagem e natureza – com fantasia e realidade, respeitando seus leitores, mas ao mesmo tempo chamando a atenção para as coisas loucas e desconcertantes que andam acontecendo com a Natureza.

Mesmo tendo um público alvo, a tríade desenvolvida e entrelaçada nas linhas do livro “Entre as Montanhas” desperta a emoção em todos os leitores, independente da idade. Anna de Andrade faz acontecer em cada capítulo, o inesperado, tornando a leitura de sua obra fascinante.


Ano XX - Nº 320 - 08 a 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

9

Com o Aedes Qualificação para enfrentar a leishmaniose não se brinca

Agentes comunitários de saúde e de combate às endemias do distrito Nacional participaram de capacitação sobre a doença FOTO : Fábio Silva

Chikungunya, Zika e Dengue são doenças transmitidas pela picada do mosquito Aedes aegypti, também conhecido como "mosquito da Dengue". Com a chegada da época do calor e do período chuvoso, todo cuidado é pouco para não deixar água parada em casa. O pneu que ficou esquecido no quintal, o vaso de planta na varanda ou, até mesmo, a calha de escorrimento de água no telhado podem ser locais propícios para a proliferação do mosquito. Para enfrentar este problema é preciso a união de toda sociedade para que cada um faça a sua parte. Com o tema "Com o Aedes não se brinca", a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lança, em outubro de 2017, a sua nova campanha de mobilização, controle e enfrentamento ao mosquito Aedes

aegypti. Esta nova abordagem quer sensibilizar a população sobre os riscos à saúde causados por estas doenças, bem como mostrar que a prevenção – por meio da eliminação de água parada, é o melhor caminho para evitar estes agravos.

Comitê Gestor O Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Zika, Chikungunya e Dengue tem como objetivo propor, articular, coordenar e avaliar ações destinadas ao controle do Aedes aegypti, bem como reduzir a incidência das doenças e seus efeitos e auxiliar a pesquisa relacionada às ações de vigilância, prevenção, atenção à saúde e controle da Dengue, Chikungunya e Zika.

Coordenado pelo Vice-Governador e com a SES-MG à frente da secretaria executiva, o grupo de trabalho é composto pelas secretarias de Estados de Governo; Casa Civil e Relações Institucionais; Planejamento e Gestão; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Defesa Social; Desenvolvimento Regional e Política Urbana; Educação; Transportes e Obras Públicas; além da Defesa Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Copasa, Cemig, Departamento de Obras Públicas e da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário. A Assembleia Legislativa de Minas e a Associação Mineira de Municípios também integram o comitê como convidados. Fonte: SES/MG

Nas pequenas, médias e grandes cidades, é bastante comum cruzar com animais de rua. Contagem não foge à regra, e a estimativa é que existam aproximadamente 85 mil cães e gatos no município, muitos deles em situação de rua e vulnerabilidade. Além de correrem riscos e privações diversas, como fome, problemas de saúde e maus tratos, esses animais podem transmitir infecções ao ser humano, como a leishmaniose. Lidar com essa doença, de difícil controle e tratamento demorado, inclui a adoção de ações integradas do poder público e a disseminação da cultura da guarda responsável junto à so-

ciedade. Em Contagem, a atual gestão vem implantando uma política pública ética de controle populacional de cães e gatos, a guarda responsável e a prevenção de zoonoses, na perspectiva do conceito de saúde única, firmando-se, aos poucos, como uma referência na área. Como parte do enfrentamento à doença, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoveu hoje, terça-feira (5), uma capacitação voltada a Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) do distrito sanitário Nacional. Ao todo, mais de 50 pessoas partici-

param de uma conversa com a médica veterinária Taiza Gonçalves, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Na oportunidade, os agentes puderam aprender mais sobre o ciclo de transmissão da doença, sobre as medidas de prevenção e, principalmente, sobre a importância que têm no sentido de levar aos tutores dos animais as informações e orientações necessárias. “No meio urbano, o cachorro é considerado o principal reservatório da leishmaniose, mas quem a transmite é o mosquito Palha, que é o vetor do protozoário que provoca a doença”, ressaltou a médica veterinária. “Para o controle da doença, não basta recolher e eutanasiar os cães que apresentam resultado positivo e borrifar inseticida no ambiente. Precisamos de controle integrado, o que inclui a disseminação e adoção da guarda responsável por parte dos tutores (também conhecidos como proprietários) dos animais. E os agentes de saúde têm papel fundamental na promoção da guarda responsável”, frisou Taiza Gonçalves. Em 2016, no município, 4160 cães foram submetidos a exame de leishmaniose e, desses, 760 apresentaram resultados positivos para a doença.


Ano XX - Nº 320 - 08 A 15 de Dezembro de 2017 - Contagem e Região Metropolitana - Tel.: (31) 3042-0034 / 3041-5473 - www.jornalregionalcontagem.com.br - https://issuu.com/jornalregionalcontagem/docs - email: gruporegionalcontagem@gmail.com

Imprensa de Contagem em almoço de confraternização Foto: Danilo Diogo

A imprensa de Contagem reuniu em um delicioso almoço no Carretão Gaúcho para uma confraternização de final de ano.

O tradicional encontro de amigos Divulgação

O Vereador Bruno Barreiro, participou da confraternização de Natal 2017, promovida pelo Marcelinho do Bar Camarões da Floresta. Foi um grande sucesso de público, a já tradicional pelada entre Atleticanos e Cruzeirences. Este ano a competição ficou empatada em 2x2.

Cultura na Câmara encerra com exposição de Ângela Granato

Divulgação

A Câmara de Contagem encerra o primeiro ano do projeto “Cultura na Câmara” com a artista plástica Angela Granato. Até o dia 20 de dezembro, o hall e corredores da Câmara estarão mais coloridos e bonitos com a exposição dos quadros da artista, moradora de Contagem.

EXEMPLAR CORTESIA - VENDA PROIBIDA

Jornal regional 320  
Jornal regional 320  
Advertisement