Page 1

Ano 40 - Nº 7 - 11 de outubro de 2013

Gramado do Estádio do Café precisa de novo solo. Pág. 11

Jornalista investigativo José Maschio lança livro em Londrina. Pág. 12

Politicas do Hospital Veterinário abrem margem à discussão. Pág. 07


02

Opinião

11 de outubro de 2013

EDITORIAL

Jornal Laboratório produzido pelo 4º ano do Curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo, da Universidade Estadual de Londrina Coordenação Editorial (docentes responsáveis): Emerson Dias Fábio Silveira Gisele Rech Lauriano Benazzi Editor-Chefe: Erick Lopes Chefe de Redação: Lucas Rodrigues Projeto Editorial: Emerson Dias Fábio Silveira Gisele Rech Lauriano Benazzi Projeto Gráfico: Erick Lopes Lais Taine Lauriano Benazzi

E a luz no fim do túnel?

O

assunto é antigo, então vamos retomar de forma rápida: em 2010, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicou uma resolução que obrigava todas as distribuidoras de energia do Brasil a transferirem, sem ônus, o sistema de iluminação pública aos municípios nos quais estão instalados. Os municípios ficariam obrigados, então, a assumir todo ativo de iluminação pública pertencente às concessionárias de energia – no caso do Paraná, à Copel – de maneira que os custos com gestão, manutenção do sistema de distribuição, atendimento, operação e reposição de todos os materiais, das lâmpadas aos conectores, seriam de responsabilidade municipal. Em 2012, quando venceria o prazo inicial, uma nova resolução prorrogou o limite da mudança para 31 de janeiro de 2014, incluindo que a elaboração de projeto, a implantação, expansão, operação e manutenção das instalações de iluminação pública seriam também de responsabilidade do município ou de quem fosse delegado para prestar tais serviços. Vejamos, primeiramente, o seguinte ponto: A Aneel é uma agência reguladora e, como tal, visa regulação, fiscalização e normatização do setor elétrico. Suas resoluções são atos normativos, devendo, portanto, completar as leis e permitir a sua efetiva aplicação, sem poder contrariá-la, restringi-la, ampliá-la ou inová-la, de acordo com o ordenamento pátrio. Além disso, por ser responsabilidade da União Federal, a cessão, doação,

alienação ou desmembramento do ativo da concessionária de energia elétrica somente poderia ocorrer mediante a expressa autorização do Presidente da República, por meio de decreto. Ao editar as resoluções de 2010 e 2012, a Aneel extrapolou sua competência de poder regulamentador, uma vez que criou e ampliou obrigações, reformou legislação de nível superior e invadiu a competência da União. Não há restrições quanto à municipalização da iluminação pública – em algumas cidades funciona bem, inclusive –, mas essa decisão deveria partir de cada município. Atualmente, o cenário brasileiro está composto de ações de prefeituras contra a Aneel, prefeituras que assumiram a responsabilidade da iluminação pública, outras que já haviam assumido há muito tempo, formação de consórcios entre pequenos municípios e terceirizações do serviço. Londrina, recentemente, anunciou que fará parte do último grupo, pois não terá tempo de montar uma estrutura municipal adequada em apenas quatro meses. Ainda que a imposição das resoluções da Aneel seja, de certa forma, absurda, deve-se lembrar de que o “recado” veio em 2010 e o “reforço”, em 2012. Um planejamento até poderia ter sido iniciado. Terceirizado, o custo será maior – para a prefeitura e para o contribuinte. A comodidade, também – essa só para a prefeitura. A qualidade do serviço? Espera-se que haja luz por aí...

MEMÓRIA PRETEXTO

Diagramação: Ananda Ribeiro Fernando Almeida Lais Taine Chefe do Departamento de Comunicação: Mário Benedito Sales Coordenador do Colegiado de Jornalismo: Ayoub Hanna Ayoub Correspondência: Coordenação do Curso de Jornalismo UEL – Universidade Estadual de Londrina Rodovia Celso Garcia Cid, BR 445, Km 380 CEP 86057-970 Londrina – PR Tel.: (43) 3371-4328 E-mail: jornalpretexto@gmail.com

Há 14 anos, em julho de 1999, o PreTexto trazia um especial sobre guerras, com as principais informações sobre as Guerras do Século. A edição continha matérias que abordavam os diferentes lados dos conflitos: a ajuda humanitária, os aspectos sociais, o trabalho da imprensa, depoimentos e um grande trabalho de retrospectiva. A Guerra do Kosovo, que encerravase recentemente, foi o principal assunto abordado.

PreTexto na Internet: facebook.com/JornalismoUEL www.issuu.com/jornalpretexto www.jornalismouel.com

CRÔNICA

O sertanejo

N

Bruno Cunha

ão é nem do professor ficar enrolando que eu reclamo, nem do horário em si que eu acho ruim. Na minha opinião, a pior coisa em sair a essa altura da noite da faculdade são os ônibus. Aquele monte de gente infeliz, que não tem condições de bancar o próprio transporte e se espreme em busca de um mísero lugar à janela me deprime. Principalmente porque eu quase nunca pego a janela. Mas devaneios sociológicos à parte, o que vou contar aconteceu em um desses coletivos super-lotados, na volta para casa. Aquele era um dia atípico, já que eu tinha conseguido ir sentado, e o mais atípico ainda era que do meu lado viajava um menino, de uns oito anos, talvez. É muito difícil ver crianças pequenas nessa linha e a esse horário, ainda mais desacompanhadas. Como o guri não parava de me encarar, resolvi puxar papo, perguntando se o meu novo corte de cabelo tinha ficado tão estranho assim. Olhando agora para o chão, o menino balançou negativamente a cabeça e disse que estava tentando entender a minha camiseta, o porquê dela estampar as letras A, C, D e outro C. Meio rindo, expliquei que era ‘Eici-Dici’, uma banda antiga de rock, e ainda me virei para mostrar que tinha uma música deles escrita nas costas.

Naturalmente, o pequeno não conhecia o conjunto, então aproveitei os últimos suspiros da bateria do meu MP3 para apresentar a ele um pouco do meu acervo musical. O garoto com o fone direito e eu com o esquerdo, ouvimos Back in Black, depois Thunderstruck, mas a bateria acabou justo no riff de Shook me All Night Long. Uma pena. Enquanto recolhia os fios e guardava o aparelho, perguntei se ele tinha gostado. Olhando em meus olhos pela primeira vez naquela conversa, o menino disse que era até legal, mas muito barulhento, e não entendia o que ‘carinha’ cantava. E, completando, falou que preferia as músicas brasileiras, tipo Luan Santana, Paula Fernandes e umas duplas que eu nem conhecia, mas deduzi serem sertanejas. Nosso papo, até então descontraído, foi ficando monossilábico até acabar. Durante o trajeto até o terminal, onde nos separamos, fiquei pensando naquele guri, que nem cheguei a perguntei o nome, sua possível história de vida, seu relacionamento com a família, tudo baseado naquela frase. Seu gosto musical, totalmente inverso ao meu, não me impediu de simpatizar com ele, e manter uma curtíssima amizade. Se esse menino vai buscar conhecer melhor as músicas que ele havia ouvido pela primeira vez através de mim, isso é outra história


Opinião

11de outubro de 2013 debates

Que não seja pra enrolar peixe

E

Lucas Rodrigues

m 2008 estudantes de medicina da Universidade Estadual de Londrina (UEL) entraram no Hospital Universitário fazendo uma verdadeira festa. Gritos, fogos e bêbados. Em 2012 estudantes do mesmo curso e da mesma instituição filmaram a extração de um peixe do estômago de um paciente e disponibilizaram na internet. Agora é o caso de estudantes de direito da UEL que bobearam e deixaram vazar na rede um vídeo onde fazem uma paródia da música Show das Poderosas da cantora Anita – nele zombam dos clientes do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos (Eaaj) da UEL dizendo que estes têm “bafo” e “não tomam banho”. Escritório utilizado em sua maioria pela população de baixa Quando não são muros de renda que não tem como custear a asconcreto existem outros que sessoria de um addificultam o acesso e parece e nestes me que a instituição é de pertence vogado, incluo. Até agora foi de seres superiores, mais para falar de estudansábios ou elevados. tes que o teclado foi utilizado, mas a história não acaba por aí – o Conselho Universitário da mesma universidade pretende lutar na justiça para reaver um direito conquistado em reunião de forma muito escusa. Lutam pelo fim do voto paritário que dá o mesmo peso de voto entre professores, estudantes e funcionários na eleição para reitoria. A idéia do Conselho Universitário é que a proporção na importância dos votos seja de 70% para professores, 20% para os estudantes e 10% para funcionários. São quatro eventos distintos e que, aparentemente, não possuem nenhuma relação. Ledo engano de quem acredita se tratar de casos isolados e desconexos. Também não se trata de nenhuma especificidade ou qualidade intrínseca da universidade relatada. Para entendermos, sem demagogia, proselitismo ou falso interesse, devemos ver como é estrutura a universidade pública no país e como ela é inserida na sociedade. Com o tratamento constantemente superficial do jornalismo cotidiano não é possível auferir a gravidade de tais problemas. Entretanto, é imprescindível, para quem não queira fazer uma análise

superficial dos fatos ter em mente em que posição o analista se encontra diante da forma como a universidade pública, em geral, é mantida (aí o manter não se refere somente a questão de recurso financeiro). Em primeiro lugar temos que ver que as universidades de hoje em dia não conseguem manter a qualidade geral que conseguiam tempos atrás – em geral estão todas sucateadas, a maioria dos professores e funcionários são mal pagos, os prédios deveriam ser bem melhores etc. Em segundo sabemos (e aí não pretendo persuadir ninguém) que o esquema de entrada e manutenção do estudante dentro da universidade dificulta em muito que a população carente tenho acesso verdadeiro ao ensino superior (não tente me convencer que o estudante que se dedica integralmente ao estudos e àquele que precisa também trabalhar possuem as mesmas oportunidades). O terceiro ponto diz respeito à mercantilização dos cursos universitários, que têm se tornado cada vez mais apenas um meio de formação de mão de obra, reduzindo ano a ano o conteúdo de ciências humanas e suas importantes discussões – pois nunca foi nem deveria ser função da universidade a formação de técnicos para a iniciativa privada. A quarta questão, e pra parar por aqui, ainda que pudesse ser pior, a permanência de professores retrógrados, autoritários e sem conteúdo vai até o fim de suas vidas. Muitos departamentos só se vêem livres de verdadeiros patrões universitários quando estes se aposentam. Mas, e daí? O que tudo isso tem a ver com estudantes de medicina, direito e conselhos universitários? O que acontece é que a universidade pública está a quilômetros de distância da população em geral a qual deveria servir. Quando não são muros de concreto existem outros que dificultam o acesso e parece que a instituição é de pertence de seres superiores, mais sábios ou elevados. Fosse verdade não teríamos este tipo de notícia nos jornais. Punir ou não punir estudantes não é o que vai mudar de fato o que deveria ser um braço de apoio da sociedade. Enquanto professores discursarem por democracia e seus representantes dentro da universidade votarem na contracorrente da história, toda verborragia utilizada em sala de aula caíra no vazio. Não há respostas. Aqui a única conclusão que se chega é de que enquanto a estrutura inteira não for mudada gastaremos páginas e mais páginas de jornal e horário de trabalho por nenhuma verdadeira transformação.

jornalpretexto@gmail.com facebook.com/JornalismoUEL issuu.com/jornalpretexto jornalismouel.com

debates

Pela infância

Foto: Erick Lopes

Parecer Lucas Rodrigues

Mal estar

nas redes Confira o PreTexto e as produções dos estudantes do curso de Jornalismo da UEL na internet. Mande seus comentários e sugestões de pauta através do Facebook e do Twitter. Acompanhe também a versão digital dos jornais laboratórios e as produções das demais séries no portal de notícias do curso.

03

A equipe do jornal Pretexto deseja às crianças uma infância alegre e colorida, de sorrisos e brincadeiras, de sonhos e aprendizado. Por isso, a conversa é diretamente com os adultos. De terça (8) a quinta-feira (10) foi realizada em Brasília a 3ª Conferência Global sobre o Trabalho Infantil, presidida pelo governo brasileiro em conjunto com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e com a participação de 153 países. De acordo com o último relatório da OIT, divulgado em setembro, há 168 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos em situação de trabalho infantil. De 2000 a 2012, a incidência mundial de trabalho infantil entre 5 e 14 anos caiu 36% e, no Brasil, 67%. Mas é preciso avançar mais. Denuncie toda e qualquer forma de exploração do trabalho infantil. A denúncia pode ser feita ao Conselho Tutelar de sua cidade, à Delegacia Regional do Trabalho mais perto de sua casa, às secretarias de Assistência Social ou diretamente ao Ministério Público do Trabalho.

Na visita das autoridades a Log logística sobrou também para o diretor da Câmara de Londrina, Evandir Duarte Aquino. Quando o mestre de cerimônias anunciou o nome do diretor da Câmara o vereador Rony Alves, presidente da Casa de leis, olhou para ele daquele jeito tipo:oquequeestáacontecendo? Ocorre que normalmente o cerimonial só anuncia os titulares. Aquino só seria citado caso estivesse representando o próprio vereador Rony Alves, que estava presente. O mal estar foi rápido, logo depois Alves também foi nominado e tudo voltou ao normal. (Blog Paçoca com Cebola) Os mesmos? O senador João Capiberibe (PSB-AP) comemorou o ingresso de Marina Silva ao seu partido. A aliança, segundo ele, sepultará a “velha República” e iniciará uma nova era política no país. Doce ilusão. Mas como será Marina Silva no PSB? Ela foi testada nas urnas para a presidência da República e recebeu uma pusta votação.Será que vai ficar na sombra do governador Eduardo Campos que se movimenta para ser o candidato a presidente pelo PSB? Capiberibe disse, pra quem quer acreditar, que se trata de uma parceria em torno de projetos e princípios, não envolvendo cargos. Uma união de forças para apresentar uma alternativa que supere “os vários vícios e o atraso da política brasileira”, como destacou durante leitura, em Plenário, de nota oficial da Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. (Blog Paçoca com Cebola) Richa “SEM tempo” O governador Beto Richa tem evitado microfones, gravadores e câmeras de tevê. Pelo menos no que diz respeito a dois assuntos. Um deles já vem se arrastando há cerca de um mês: é a licitação do transporte coletivo de Curitiba, que vem sendo espancada de todos os lados. Há questionamentos em uma auditoria da prefeitura, numa CPI da Câmara e numa análise do TC. Luciano Ducci, que era o vice, já falou. Marcos Ísfer, da Urbs, também. Richa, o prefeito da licitação, ficou em silêncio. Agora é o caso do suposto tráfico de influência na eleição de Fabio Camargo para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas. Nesta terça, o relatório do conselheiro Francisco Falcão disse que uma triangulação entre TJ, Assembleia e governo está sendo investigada. A suspeita surge em boa parte por o TJ ter aprovado uma transferência bilionária para o caixa de Beto no mesmo dia em que a bancada governista alçou Fabio Camargo ao TC. Richa, procurado pela imprensa, disse que não tinha tempo para responder. Sabe como é: agenda lotada. Não dá para parar e tirar uma dúvida que envolve bilhões de reais e um suposto esquema ilícito entre os três Poderes do Paraná. (Blog Caixa Zero da Gazeta do Povo)


04

Londrina

11 de outubro de 2013


Londrina

11 de outubro de 2013 SECA

Falta água em Londrina Obras da Sanepar afetam o abastecimento regular de água para os moradores de Londrina

Neste último final de semana, mais de 100 mil casas sofreram com a falta de abastecimento de água, devido a obras da Sanepar na região leste de Londrina. Mais de 100 mil famílias (cerca de 34 bairros)tiveram que passar o Sábado e o Domingo tendo que improvisar a higienização básica pessoal, residencial, de automóveis, etc. O transtorno aconteceu devido a fase de duplicação do sistema Tibagi que visa melhorar a oferta de água para os municípios de Londrina e Cambé. Victor Gonçalves, que possui comércio na região Norte, foi um dos cidadãos que sofreram com a falta do recurso natural. “Aqui no comércio tive que dispensar funcionário porque estava sem água pra beber; banheiro não podia usar porque estava sem descarga e tive que me deslocar pra casa da minha mãe pra poder tomar banho”, comenta. Orçado em R$80mi, o investimento nas obras da Sanepar gerou transtorno por conta de interligações que estão sendo feitas para reformar o sistema. Roberto Arai, gerente industrial da Sanepar, diz que as operações são semelhantes a fazer reformas em uma casa. “É difícil fazer essas interligações com tubulações com água dentro. Por isso que a Sanepar tem que fazer esse isolamento. São várias etapas, já fizemos por

dois finais de semana e agora estamos programando as próximas interligações”, explica. Depois do corte que durou até a madrugada de Domingo (6) para Segunda (7), o prefeito Alexandre Kireeff se reuniu com técnicos da Sanepar para esclarecimentos. Pelo Facebook, Kireeff comentou que houve uma “complexidade elevada” nos trabalhos, ocasionando a demora para a volta do abastecimento de água às casas.“Quanto ao inconveniente das obras estarem sendo feitas nos fins de semana, eles [técnicos da Sanepar] me disseram que o impacto de se fazer a interrupção em dia comercial é muito maior, pois afetaria escolas, comércio, indústria, além das próprias residências”, comentou. “Estão programados mais três intervenções no sistema e eu solicitei que, quando isto ocorrer, a comunicação seja feita de forma que a população esteja esclarecida das consequências da interrupção do abastecimento, especialmente quanto a duração”, acrescentou. Além dos trabalhos da reforma, o que pode ocasionar a queda de abastecimento de água pode ser a queda de energia elétrica, uma vez que os sistema de água é um dependente fundamental do recurso energético. Para preparar-se para eventuais futuros transtornos, Roberto Arai orienta: “nesse período é extremamente necessário que a população use

Vereador defende municipalização Outra questão importante relacionada à Companhia de Saneamento do Paraná é seu aspecto legal. A Sanepar passa por uma frágil questão judiciária desde a administração de Luiz Eduardo Cheida. Desde lá, a empresa, de autonomia do Estado, vem sendo gerida por contratos que vencem em cerca de 180 dias. “Para que a Sanepar possa trabalhar no município legalmente, este tem que reconhecer o servi-

ço da Sanepar, então ele o faz na forma de Decreto”, afirma o vereador Mario Takahashi (PV). Para o vereador, “o ideal é o município tomar conta da água, com um bom dinheiro em caixa; criar uma agência reguladora (pública) desse serviço municipal para que não fique dependendo de outras entidades, do Estado, etc... Mas não deve ser privatizado, visto que a água é um bem natural do ser humano”, defende.

Ronda

Bruno Cunha

FESTIM DIABÓLICO Um rapaz de 16 anos foi morto a tiros enquanto comemorava seu aniversário na madrugada de quarta para quinta (10), em um bar de Ibiporã. De acordo com a PM, o garoto –com alguns antecedentes criminais – estava no estabelecimento quando um homem entrou e disparou contra ele, fugindo em seguida. O jovem, atingido por disparos no peito e na cabeça, teve seu corpo encaminhado ao IML de Londrina. EASY RIDERS - SEM DESTINO Um homem ficou ferido na tarde desta quinta-feira (10) após colidir sua motocicleta contra um automóvel no centro de Londrina, próximo ao Terminal. Alexandro Pereira de Souza Silva, de 26 anos, sofreu fraturas no braço esquerdo e no fêmur direito. A vítima foi encaminhada para a Santa Casa e não corre risco de morrer. ÁRIDO MOVIE

Foto: Yuri Martinez

Yuri Martinez e Felipe Leonel

05

Para Mário Takahashi (PV) município deveria ser responsável pelo serviço para não depender de outras entidades ou Estado

a água pra atividade essencial, que seria higiene e alimentação. Atividades como lavagem

de carros, regar jardim, lavar calçada, deve ser feito em outras oportunidades”.

Balanço

PM detém quarteto e libera sequestrada

Greve dos bancários chega ao fim em Londrina

Halo solar: Fenômeno celeste chama a atenção

Ladrão de farmácias é preso após assalto

Três adolescentes e um maior de 18 anos foram detidos, no final da tarde desta sexta-feira (11) por policiais militares no município de Sabáudia, após roubo seguido de sequestro ocorrido no centro em Rolândia. Com eles, a PM apreendeu um revólver calibre 32 e uma pistola de brinquedo. Conforme o capitão Vilson Laurentino da Silva, o quarteto havia roubado e em seguida sequestrado uma mulher na área central de Rolândia. A vítima foi colocada no porta-malas e os bandidos seguiam com o carro por estrada rural de Sabáudia quando foram abordados pela equipe da PM de Arapongas.

Os bancários de Londrina deram um ponto final à greve da categoria no fim da tarde desta sexta-feira (11). Uma assembleia realizada na sede do sindicato aprovou a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na última quinta-feira (10). Dos 164 bancários presentes, 153 votaram pela aprovação. Em 23 dias de movimento, foram fechadas 118 agências e sete PABs (Postos de Atendimento Bancário) da base territorial do sindicato em Londrina. Ao todo, 2.141 bancários e bancários de 16 cidades ficaram de braços cruzados no período. O atendimento volta ao normal na próxima segunda-feira (14).

O céu ficou diferente no final da manhã desta sexta-feira (11) em Londrina. Um fenômeno chamado halo solar atraiu a atenção de curiosos. O círculo formado em torno do sol é muito mais comum do que muita gente imagina. O fenômeno depende das condições climáticas. No caso desta sexta, foi possibilitado devido ao fato das nuvens estarem bem altas. Em geral, isso já ocorre. Mas como o sol brilha muito forte, esse halo é muito pequeno e fica quase imperceptível. O fenômeno é comum na passagem do inverno para a primavera e foi registrado por muitos fotógrafos, que espalharam as imagens pela internet.

A Polícia Militar deteve um homem na madrugada desta sexta-feira (11), que confessou ter roubado quatro farmácias de Londrina nos últimos dois dias. A prisão foi efetuada justamente após um dos assaltos, registrado desta vez contra um estabelecimento localizado no cruzamento das avenidas JK e Higienópolis, no Centro. Após o roubo, as equipes da PM foram avisadas e uma delas avistou um rapaz em atitude suspeita, transitando com uma motocicleta em alta velocidade pela Avenida Maringá, na região oeste. Um cerco foi feito e Elias Ferreira dos Santos, 25 anos, foi parado na Avenida Tiradentes, esquina com a Avenida Rio Branco.

A realização de uma obra irá interromper o abastecimento de água nas Chácaras Maria Stela, zona norte de Londrina, nesta sexta-feira (11). O serviço será executado das 9h às 16h e a previsão é que o fornecimento seja normalizado por volta das 18h.A Sanepar disponibiliza o telefone 115 para atendimento ao cliente. FILHOS DA ESPERANÇA Os vestibulares da UEM para o próximo ano já têm data definidas: o de Inverno será aplicado de 6 a 8 de julho e o resultado divulgado no dia 25 de julho. Já as provas de Verão serão realizadas de 7 a 9 de dezembro, com a publicação do resultado prevista para o dia 22 de dezembro. O período de inscrição vai de 7 a 23 de abril de 2014 para o concurso de inverno e de 1º a 17 de setembro do mesmo ano para o vestibular de verão. ACQUÁRIA Os portos de Paranaguá e Antonina fecharam setembro com 35 mi de toneladas movimentadas. O relatório divulgado nesta quinta (10) indicaque a carga geral registrou alta de 17%, totalizando 6,6 mi de toneladas movimentadas. Entre os destaques, estão a soja (registrando alta de 8% em relação a 2012) e o milho (alta de 7%, usando o mesmo comparativo).


06

Campus

11 de outubro de 2013

Crise

Fotos: Soraya Momi

l u g e r r i r o p U H a i c n u n e d P M

Pronto Socorro tranquilo não traduz a deficiência que há no quadro de funcionário do Hospital Universitário da Uel

Referência regional, o HU enfrenta denúncias referentes à funcionários e estrutura. Temor é de população possa ser prejudicada Soraya Momi

Investigações e irregularidades. Duas palavras que, ultimamente, estão sempre associadas ao Hospital Universitário de Londrina. Nas últimas semanas, o Ministério Público (MP) ajuizou duas ações contra o hospital, que chamaram a atenção da mídia e ganharam destaque na capa dos jornais: tratam-se da fraude de cartões ponto, cometidas por 14 médicos da instituição, e de uma série de irregularidades detectadas pela Vigilância Sanitária Municipal nas dependências do HU, exigindo urgentes providências por parte da Universidade. O caso envolvendo os médicos – e suas falsas jornadas de trabalho – não é recente. As irregularidades, comprovadas a partir de comparação

entre espelhos dos cartões ponto e as imagens captadas por câmeras de segurança, datam de abril e maio de 2007. Na época, seria prática comum a esses profissionais o não cumprimento parcial ou mesmo total de suas jornadas de trabalho, ficando a cargo de colegas o registro – “batidas” indevido de seus cartões. Prática que, além de ser moral e profissionalmente repudiável, gerou perda de R$ 26.438,64 aos cofres da UEL, que pagou corretamente as jornadas. Perdem os cofres públicos e arranhou-se a imagem da instituição junto à população, que questiona-se se foi aquele o

antineoplástica e sistemas de ar, água e controle de pragas. A falta de funcionários, tanto no setor administrativo como no operacional, também foi apontada em relatórios que se iniciaram em 2011. Frente à situação, o promotor de Justiça Paulo Tavares requereu determinação da Justiça para que o Estado e a Universidade adequem-se às exigências no prazo de 60 dias. Serviços Considerando todos estes obstáculos ao bom funcionamento de um serviço público essencial ao bem estar da comunidade, a reportagem do PreTexto foi até o Hospital Universitário e questionou a De maneira geral, percebe-se população sobre a qualidaque questões estruturais de dos serviços comprometem o atendimento. prestados. De único momento em que uma maneira geral, percebe-se que situação dessa natureza ocor- questões estruturais comprometem o atendimento. Acomreu. Mais recentes, as irregu- panhando a esposa, que foi inlaridades apontadas pela Vigi- ternada pela manhã, o auxiliar lância Sanitária apontam defici- de produção Rodrigo Gentil ências em diversos setores do afirma que, já tendo necessiHU, tais como lavanderia, se- tado dos serviços do hospital tor de alimentos, banco de lei- em outra ocasião, sempre foi te humano, unidade de inter- bem atendido pelos profissionação, preparação de terapia nais, embora “às vezes, seja

possível perceber que há um certo ‘bate papo’ dos médicos nos corredores, ao invés de estarem focados em diminuir o tempo de espera pela consulta”, relata. O tempo de espera, geralmente de duas a três horas, não é o ideal, mas suportável, ressaltando Rodrigo que o fato de estar de férias do trabalho, ajuda: “Se não estivesse, teria que perder turnos de serviço, a situação estaria bem mais complicada”. Após uma viagem de aproximadamente 170 km, o esposo da dona de casa Edna Santos passava pelos exames que precederiam sua internação para fazer uma cirurgia. De acordo com ela, o deslocamento de Ivaiporã, interior do Estado, vale a pena, pois o HU oferece recursos inexistentes em sua cidade e em outras localidades mais próximas. Uma vez estando os procedimentos agendados, Edna diz que o atendimento é rápido, a única dificuldade encontrada, segundo ela, “foi ter que esperar alguns dias para a liberação de uma vaga na UTI, para onde meu marido precisará ser encaminhado após a cirurgia, já que o caso não estava classificado como emergência”.

Há duas semanas na UTI, o irmão da auxiliar de serviços gerais Maria José Guedes, está, segundo ela, sendo muito bem atendido: “Não podemos reclamar de qualidade: da atenção dispensada pelos médicos às refeições oferecidas, é tudo muito bom”. Maria José destaca que, na chegada do irmão ao local, não havia vagas disponíveis na UTI, mas que outros hospitais públicos de Londrina estavam na mesma situação, sendo o HU a alternativa mais viável: “Meu irmão ficou um dia em um quarto, aguardando leito, mas lá havia a estrutura necessária à manutenção do estado dele, e a situação foi logo resolvida”. Também conta que sempre que ela ou seus familiares necessitam de atendimento médico, vem ao HU e que as únicas reclamações recorrentes são: “as de pessoas aqui da cidade que chegam sem nenhum encaminhamento. O fato de, na maioria das vezes, serem priorizados atendimentos a doentes de outras cidades ou que já tenham recebido algum atendimento em outros locais, acaba se tornando um problema para quem chega aqui para o primeiro atendimento”, relata.


Campus

11 de outubro de 2013 Discussão

laridades

////////////////H U em

números Inaugurado em

Déficit de

1975

de dessas vezes, bem atendido e tendo os problemas de seus animais resolvidos. Entretanto, assustado com os valores cobrados, decidiu fazer uma pesquisa de preço, e constatou: “Em um dos casos, meu cão necessitava de uma consulta, injeção e medicamentos. O orçamento apresentado pelo HV foi de R$ 390,00. Na clínica veterinária de um amigo meu paguei R$ 230,00 pelos mesmos itens. O atendimento prestado foi igualmente de excelente qualidade”, relata. A cadelinha do senhor Sidnei Aparecido Costa passou recentemente por um atendimento no HV, para tratamento de uma virose. Apesar de não se lembrar com exatidão do valor pago, Sidnei diz que não o considerou exagerado, embora ressalte que não tem muitos parâmetros, já que, dada a gravidade da situação, não verificou valores em outros locais. Ele elogia a atenção que os funcionários lhe prestaram, mas revela um fato intrigante: o animal foi, há alguns meses, lhe doado pelo próprio HV, que segundo ele: “não ofertou nenhuma assistência veterinária gratuita, ainda que por um período mínimo após a adoção.” Assim, surge também o questionamento acerca da viabilidade da implementação de uma política de incentivo a adoção de animais abandonados, através da isenção – ainda que parcial – de valores em caso de posterior necessidade de atendimento do Hospital. (S.M.)

218 funcionários 350

1,8 mil técnicos

administrativos e cerca de

200 docentes/médicos

Por ano são realizadas

8,7 mil cirurgias e perto de

1,1 milhão

de exames e análises

Isabela Cunha

Colégio de Aplicação A Semana Cultural do Colégio de Aplicação da UEL (Professor José Aloísio Aragão) ficou restrita às salas de aula esse ano. Depois da decisão judicial que puniu a escola por supostas emissões de ruído acima da média, a atividade cultural que costumava envolver música, dança e gincana, trouxe apenas palestras aos estudantes. A escola atende alunos de ensino fundamental e médio e a atividade terminou na última sexta-feira (11). CEPV O Curso Especial Pré-Vestibular da Universidade Estadual de Londrina (CEPV-UEL) abriu inscrições para seleção de instrutores bolsistas. O processo seletivo é exclusivo para estudantes de graduação da UEL que ainda tenham dois anos de vínculo a cumprir com a Universidade. As áreas disponíveis são Artes, Biologia, Espanhol, Filosofia, Física, Geografia, Gramática, História, Inglês, Interpretação e/ou Redação, Literatura, Matemática, Química e Sociologia. A seleção é feita em duas etapas: uma prova escrita e uma banca avaliativa e para se inscrever não é necessário ter a disciplina de interesse na grade curricular. As inscrições são gratuitas e vão até 18 de outubro. Prêmio em extensão

Atende pacientes de cidades Possui

Perobal

HV: prestação de serviços tarifados à comunidade O Hospital Veterinário (HV), enquanto órgão suplementar da Universidade tem por finalidade “servir de campo para o ensino, pesquisa e extensão e prestação de serviços”, de acordo com o seu Regimento. Entretanto, o fato de serviços como consultas, internação e medicamentos serem cobrados – às vezes, por um valor superior ao praticado por clínicas particulares – gera discussão acerca do quesito “prestação de serviços”, já que ele deveria, em todos os aspectos, ter seu acesso facilitado à população interna e externa ao campus. Oficialmente, o HV declara, em comunicado público, que “não visa lucro, porém cobra pelo atendimento para repor materiais, medicamentos e equipamentos para poder continuar funcionando”. A explicação gera discussões, já que entende-se que cabe ao governo esse respaldo orçamentário. Considera-se também que a cobrança, especialmente quando praticada em valores maiores do que o ofertado em outros locais, acaba por distanciar até mesmo a comunidade interna da prestação de seus serviços. O caso do servidor da UEL, Rafael Bataglia da Silva, ilustra a situação. Mesmo trabalhando ao lado do HV ele tem recorrido a outros locais de atendimento, particulares, quando algum de seus cinco cães necessita de cuidados veterinários. Rafael já utilizou muitas vezes o serviço do Hospital Veterinário, sendo, na totalida-

07

O Hospital Veterinário tem Plantão 24 horas desde 1994

Na última quinta-feira, 10, a Pró-reitoria de Extensão da UEL (PROEX) divulgou a relação dos projetos premiados no “Por Extenso - II Simpósio de Extensão da UEL edição 2013”, que tem o objetivo de divulgar as melhores iniciativas, considerando a redução da vulnerabilidade e a promoção da inclusão social. O projeto classificado em primeiro lugar foi “Assessoria para Desenvolvimento do Grupo de Mulheres do Assentamento Libertação Camponesa”, de autoria de uma equipe de estudantes ligados à Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Solidários (INTES) da UEL. Em segundo lugar ficou o projeto “Desenvolvimento de software de avaliação de feridas” e o terceiro classificado foi o projeto “Jornal na escola: elemento incentivador da leitura e da escrita”, da estudante Fernanda de Souza. Além desses, a PROEX ainda ofereceu três prêmios de incentivo.


08

Geral

11 de outubro de 2013

PROTESTO

Manifestação dos professores estaduais do Rio termina pacificamente A coordenadora criticou o governo do estado que, além de não receber os representantes dos professores Roger Bressianini com Agência Brasil

Rio de Janeiro – A manifestação dos professores da rede estadual de ensino, que começou na manhã de hoje (10), no Largo do Machado, no Catete, na zona sul da capital fluminense, terminou pacificamente no mesmo local no começo da noite, mas alguns professores se juntaram a um grupo de mascarados e seguiram em direção à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no centro da cidade. A decisão de ir até a Alerj, no entanto, não contou com o apoio do Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe). A manifestação, durante toda a tarde e início da noite, com os professores tentando chegar ao Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, provocou o fechamento da Rua Pinheiro Machado, no bairro de Laranjeiras. Segundo a cordenadora-geral do Sepe, Ivanete Conceição da Silva, a intenção era pedir ao governo do estado a retomada das negociações para pôr fim à paralisação da categoria, que começou no dia 8 de agosto. A coordenadora criticou o governo do estado que, além de não receber os representan-

Professores protestam em ruas cariocas contra veto de lei. Greve passou de um mês e segue sem previsão de acabar tes dos professores, ainda montou um esquema com a Polícia Militar para impedir a chegada dos manifestantes ao palácio. De acordo com Ivanete, entre as reivindicações estão a definição de 40 horas para os funcionários da área de educação, que hoje trabalham com a carga de 30 horas; o veto à lei que de-

INVESTIMENTOS

termina uma matrícula do professor por escola; a mudança na grade curricular para 2014 e a implantação de um terço de carga horária para planejamento. “São pontos determinantes para o fim da paralisação”, disse. Enquanto os professores faziam a manifestação, no trecho da Rua Pinheiro Machado, que

estava cercado por policiais militares (PMs), alguns ativistas tentaram entrar em confronto com os PMs., mas a diretora de imprensa do Sepe, Vera Nepomuceno, pediu que os professores não aceitassem provocação. “Estamos aqui tranquilamente. Quem é estranho ao nosso movimento a gente agradece o

VETERINÁRIA

UFSC obtém autorização Europa está aberta ao crescimento conjunto com para utilizar animais o Brasil, diz Antonio Tajani em aulas de medicina Agência Brasil

Brasília – A Europa está disposta a expandir os negócios com o Brasil, e para isso “precisamos competir em igualdade de condições”, disse hoje (10) o vice-presidente da Comissão Europeia, Antonio Tajani, em solenidade na Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo ele, existem muitas oportunidades nos diversos ramos da atividade econômica, tais como os setores de energia, infraestrutura, tecnologia e informação, comércio e outros. “Temos potencial de complementariedade em todos eles”, disse. Antonio Tajani lembrou que o Brasil vai sediar a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpí-

adas em 2016, competições esportivas que se constituem em oportunidades para grandes investimentos. Segundo ele, nunca um país promoveu tantos eventos importantes em tão pouco tempo, e “temos que trabalhar isso em conjunto”. O encontro na CNI reuniu empresários e representantes governamentais em torno do diálogo Parceria Estratégica Brasil – União Europeia: Competitividade e Promoção de Negócios, que discutiu a negociação do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, incluindo temas como propriedade intelectual, integração das cadeias produtivas e investimentos bilaterais.

Agência Brasil

Brasília - A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que estava proibida de usar animais em suas aulas de medicina, poderá voltar a utilizar o recurso didático. A suspensão da proibição foi dada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador federal Tadaaqui Hirose. Em seu voto, Hirose explicou que, “embora veja como necessária a adoção de métodos alternativos pelo meio científico, certo é que a utilização de animais em atividades de ensino e pesquisa está devidamente regulada por lei em vigor (...)”. A ação, movida contra a universidade por uma entidade de defesa dos animais, gerou a de-

terminação de proibição do uso de animais pela Faculdade de Medicina da instituição. No entanto, o presidente do TRF4 entendeu que a UFSC não aplica métodos considerados cruéis nos animais, como o uso de cães e a ausência de anestesia em outros animais, e que a própria sentença anterior havia reconhecido isso. A suspensão da proibição vale até o término do processo, que está em segunda instância e ainda não tem decisão final. Cabe apelação contra a decisão do desembargador federal. Outros processos semelhantes correm na Justiça contra universidades em Porto Alegre e Santa Maria, ambas no Rio Grande do Sul. Todos os processos ainda estão em andamento.

apoio, mas não queremos confusão”, disse. Ao fim do protesto, os professores marcaram um ato para terça-feira (15), quando é comemorado o Dia do Professor. Segundo a coordenadora do Sepe, a concentração será na Candelária e a passeata seguirá até a Cinelândia, no centro da cidade.

Correios lançam selos omemorativos Agência Brasil

Acontece na próxima terça-feira (15), no início da sessão plenária da Assembleia Legislativa, a solenidade de lançamento dos selos comemorativos da Série Relações Diplomáticas Brasil-Alemanha – Temporada da Alemanha no Brasil, pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Sob o lema “Quando ideias se encontram” foi criada uma minifolha com cinco selos que representam as principais áreas de cooperação entre os dois países: Turismo, Ciência e Educação, Economia, Política e Cultura. A parte superior da minifolha apresenta uma faixa com as bandeiras do Brasil e da Alemanha entrelaçadas, formando um painel ilustrado com ícones arquitetônicos dos dois países.


Giro

11 de outubro de 2013

09

Curtas

Roger Bressianini

Rato na garrafa Tem causado repercussão a reportagem veiculada pela Record, sobre o caso do rato encontrado dentro de uma garrafa de Coca-Cola. Especialistas em crise analisam que o procedimento adotado pela empresa – que não está dando muita importância ao caso – no tratamento do caso não tem sido o ideal para uma polêmica de tal porte.

“Temos que garantir a livre expressão e a livre circulação de ideias e informação. Se isso for violado de alguma maneira, o Judiciário pode reparar”

José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, sobre a recente polêmica da proibição de biografias de artistas como Roberto Carlos e Caetano Veloso.

(Folha de S. Paulo, 10/10/2013)

“Estou numa fase de beijos. Só beijos (...) Os beijos são para o Brasil”

Dilma Rousseff, presidente do Brasil, quando perguntada sobre sua relação com o Congresso.

(Folha de S. Paulo, 10/10/2013)

Petrobras terá de investir R$ 1 bi A Petrobras, por exigência da Agência Nacional do Petróleo (ANP), investirá mais de R$ 1 bilhão em seu maior campo produtor, o Marlim Sul. Após uma revisão do plano de desenvolvimento do campo, a ANP lançou a previsão de que a Petrobras faça pelo mais menos dez poços novos. Atualmente, há cerca de 40, e três serão construídos ainda em 2013. Balas de borracha em SP Proibidas desde a onda de protestos em junho, as balas de borracha voltarão a ser usadas pela Polícia Militar em São Paulo. A medida, faz parte da força-tarefa anunciada pelo procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Fernando Elias Rosa.

“Ela foi um dos ícones do

Cinema Novo como uma figura de mulher de centros urbanos”

Celso Amorim, ministro da Defesa e excineasta, sobre a morte da atriz Norma Bengell, aos 78.

(Agência Brasil)

17

Com mandatos de busca e apreensão, polícia

6

do Rio prende Black Blocs nesta sexta (dia 11)

As forças opositoras ao regime do ditador sírio Bashar Assad executaram 190 civis e fizeram outros 200 reféns durante o mês de agosto, segundo um relatório divulgado nesta sexta-feira pela organização Human Rights Watch

Ziraldo é internado na Alemanha O escritor Ziraldo, que viajou para representar o Brasil na Feira do Livro de Frankfurt, teve um mal-estar e precisou ser hospitalizado na quinta-feira (10). Ziraldo integrava a delegação de autores convidados pelo governo brasileiro para representar o país em um dos mais importantes eventos do setor. O Brasil é o país homenageado do ano. Brasil polui como desenvolvido O pesquisador peruano José Marengo, representante latino-americano no Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), colocou o Brasil entre os países que mais poluem no mundo. Segundo Marengo, o desmatamento deixou há muito de ser o principal problema no combate a emissão de gases que causam o efeito estufa. Atualmente, o que basicamente coloca o país no topo da lista de poluidores é a grande queima de combustíveis fósseis.


10

Mix Tech&Cult

11 de outubro de 2013 Em cena

Andreza Pandulfo

Sessão da tarde

Outubro com sotaque Três grandes músicos nordestinos desembarcam em Londrina esse mês. O pernambucano Lenine se apresenta no teatro Marista dia 25, com ingressos entre R$ 60 e R$ 120. No mesmo local, dia 26, o também recifense Siba é a atração do Vectra ConstruSom. Convites entre R$ 20 e R$ 40. Na madrugada do dia 27, o baiano Moraes Moreira promete agitar a estrutura do Anfiteatro do Zerão, na Virada Cultural Paraná. A apresentação é gratuita e a Virada conta ainda com shows das bandas Real Coletivo, Humanish, Nevilton e Rosa Armorial.

Nativos digitais Pesquisa da União Internacional das Telecomunicações (UIT), órgão da ONU, revelou que o Brasil tem a 4ª maior população do mundo de “nativos digitais”, jovens que cresceram acompanhando de perto a expansão da internet. São 20 milhões de jovens entre 15 e 24 anos com experiência de conexão à rede de no mínimo cinco anos. O país está atrás apenas de China, EUA e Índia. Brasil quer Snowden Os membros da CPI da Espionagem querem agendar videoconferência com Edward Snowden, ex-consultor da CIA dos EUA. Segundo o senador Ricardo Ferraço, relator da CPI, o governo brasileiro quer informações objetivas sobre a possível violação às informações da ANP (Agência Nacional de Petróleo), além de esclarecimentos a respeito das motivações da espionagem do Canadá a empresas brasileiras. Os requerimentos foram aprovados pela CPI na quarta, 9, e devem ser encaminhados ao advogado de Snowden e ao governo russo.

Teatro sobre nós, os envelhescentes

Foto: Giovanna Machado

A partir de hoje, o Cine Com-Tour/UEL passou a oferecer sessões vespertinas diariamente, além da já tradicional sessão noturna, às 20h30. Os filmes serão exibidos sempre às 16h00 e a estreia da programação fica por conta da animação Zarafa (França/Bélgica, 2012), em cartaz até a próxima sexta-feira. Durante a semana de lançamento, a entrada será promocional, com preço único a R$ 6. Excepcionalmente na quarta, 16, não haverá exibição vespertina.

Completando vinte e seis anos de carreira, a Companhia londrinense ‘Casa das Fases’ faz planos para o futuro

A Companhia iniciou sua história no ano de 1986, no Sesc Londrina, em Com uma fachada simples e um um grupo de convivência que sentiu a banner pequeno de identificação, al- necessidade de estudar teatro. À época, guém desatento pode não perceber que Bernardi foi convidado para fazer parte no número 546 da Rua Lindóia, está o desse grupo comandado por Sueli Borgrupo Casa das Fases. O nome faz re- tolin. “Esse grupo cresceu, eu me enferência ao fato da Companhia tratar da cantei pelo teatro, aprendemos juntos, deu certo”, afirma o diretor. fase três da vida, a terceira idade. Em 2000, iniciou uma nova fase “Somos todos envelhescentes”, com essa frase o diretor Henrique Ber- para o grupo, que decidiu sair do Sesc e nardi demonstra o que o seu trabalho ter uma sede própria. Bernardi e o produtor Fabricio Borges criaram a Casa das Fa“Esse grupo cresceu, eu ses, inicialmente com sede no Jardim Hime encantei pelo teatro, aprendemos juntos, deu certo” gienópolis, e somente há cerca de um ano deseja passar para o público. O Grupo, mudaram para o Jardim San Remo. Atuque trabalha apenas com atrizes idosas, almente, além de Henrique e Fabricio, não acredita que seu trabalho deva ser fazem parte da ‘Casa’ as atrizes Carmen, rotulado como teatro de terceira idade. Benedita e Rosa, a figurinista Ella Mello e Destacando que arte vai além de um o iluminador Devas Girotto. Fabricio destaca que em todos esses rótulo, o diretor deseja passar a mensagem de que todos nós estamos em uma anos a companhia precisou se moldar a algumas necessidades do mercado. fase de transição.

Giovanna Machado

“Nós não gostávamos do termo ‘terceira idade’, mas é algo que o mercado pede, as pessoas entendem assim, então ou você se adapta ou você é engolido”. Henrique explica que a Companhia sobrevive financeiramente de projetos, patrocinados pelo Promic (Programa Municipal de Incentivo à Cultura) ou de editais de cultura, e afirma: “Não estamos bem. Se estivéssemos trabalhando com soja, vacas, prédios, estaríamos melhor, é claro, mas a gente não pode reclamar, estamos conseguindo passar nossa mensagem”. A Casa das Fases também oferece regularmente oficinas teatrais. Os cursos têm o objetivo de formar novos atores para a Companhia. As atrizes Rosa e Benedita fizeram uma das oficinas e decidiram se comprometer com a rotina da ‘Casa’. O grupo também ministra oficinas nas cidades de Arapongas, Apucarana e na periferia de Londrina. Ao todo a ‘Casa’ já visitou cinco países: Alemanha, Suécia, Inglaterra, Noruega e Dinamarca. O último projeto

internacional foi com a Companhia dinamarquesa ‘Odin Teatret’, em que o grupo teve a oportunidade de fazer um intercâmbio de trabalhos, realizando uma oficina para idosos no país: “O teatro de fora, internacional, é mais assistencialista, o nosso é mais artístico. Com esse intercâmbio, eles acabam experimentando outras coisas e nós também”, afirma Fabricio. A Companhia está com a peça Yolanda Calaboca em cartaz durante todo o mês de outubro e tem como foco a solidão, as lembranças, as memórias, o envelhecer. No palco, apenas a atriz de 82 anos, Carmen Mattos. Ela foi convidada para participar do grupo em 2000: “Os filhos cresceram, netos, e eu pensei: Preciso fazer alguma coisa para preencher esse vazio”, diz ela. O teatro tem conseguido preencher. A Casa das Fases tem planos para o futuro, projetos internacionais, documentários e está a todo vapor, o principal objetivo é simples e difícil, diz o diretor Henrique Bernardi: “Sobreviver”.

ENTRETENIMENTO

“Você não sabia?” é sucesso no Youtube Renan Cunha Os vlogs vieram para ficar. Desde que a internet popularizou a produção independente, a televisão deixou de dominar a cultura dos audiovisuais. A cada dia, um novo canal surge no Youtube - ou em outra plataforma para vídeos -, chamando a atenção do público, seja com piadas politicamente incorretas, seja com bastidores e curiosidades. Há um ano no ar, o canal “Você não sabia?”, do curitibano Andrei Bedene, 24, faz sucesso entre os jovens. Com uma proposta criativa - e bem diferente da dos populares “Porta dos Fundos” e “Parafernalha” - o vlog traz uma série de curiosidades sobre desenhos, filmes e séries marcantes, que fizeram parte da infância de várias pessoas. Atingindo um milhão de visualizações no final de agosto, “Você não sabia?” reúne cerca de 70 mil assinantes no Youtube.

O canal estreou em outubro de 2012, contando os bastidores de “Onde está o Wally?”, famosa série de livros infanto-juvenis que deu origem a uma animação homônima. Mas a ideia do projeto surgiu muito antes. Em abril do mesmo ano, Bedene precisou fechar sua empresa de projeção interativa, a Be Move. As dificuldades o incentivaram a buscar novos caminhos. Foi então que o rapaz descobriu que era possível ganhar dinheiro com vídeos. “E aí eu comecei a estudar, passei seis meses estudando a internet, o marketing digital, como funcionava o Youtube”,

explica o vlogueiro. O vlog conta hoje com 20 episódios. Um dos mais aclamados pelos assinantes foi “Desenhos mais polêmicos da história”, que de tanto sucesso, ganhou uma segunda parte. “Você não sabia?” também já revelou o plágio do filme “O Rei Leão”, os bastidores de “Piratas do Caribe” e a versão americana dos super-heróis japoneses, “Power Rangers”. Mas para Bedene, o que mais lhe agradou foi o episódio sobre “He-man”: “É um personagem carismático, bastante rico em informação (...) ele transmite uma mensagem legal, principalmente para as crian-

ças, e eu fiz questão de destacar isso”. Andrei Bedene faz edições audiovisuais desde os 11 anos, quando pediu aos pais uma placa de vídeo, a fim de converter arquivos de VHS em configurações compatíveis para a internet. Desde então, o jovem vem se especializando na área. Atualmente, o vlogueiro cursa o quarto ano de Comunicação em Tecnologia Institucional, na Universidade Federal do Paraná. Apesar da repercussão do canal, Bedene revela que o trabalho, no momento, é quase um hobby, uma vez que o retorno financeiro ainda é muito baixo. “Eu estou só no começo, eu já sei aonde quero chegar e o que eu preciso fazer para atingir meus objetivos, mas isso leva um longo processo”, explica. Para os próximos meses, ele espera regularizar uma produção semanal e a criação de novos quadros para o “Você não sabia?”


Esporte

11 de outubro de 2013 NOVELA

Areia no Estádio do Café Avaliação feita por equipe multidisciplinar do IAPAR é de março deste ano e FEL continua com medidas paliativas. Fato é que gramado precisa de novo solo

Vestiário Heron Heloy

EQUILÍBRIO Com o título na mão do Cruzeiro, a disputa que empolga no Brasileirão é a luta contra o rebaixamento. Do quinto colocado, Atlético-MG, para o primeiro da zona da degola, Vasco, são sete pontos de diferença.

Amanda Tostes

First time, baby!

Fotos: Heron Heloy

Com a determinação do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva ) de perda de dois mandos de campo, o Palmeiras escolheu Londrina para atuar diante do Figueirense, no dia 8, e do Guaratinguetá, hoje à noite. A nova casa do Verdão, não está, contudo, muito bem preparada para a correria das chuteiras. O campo apresenta um gramado de baixa qualidade, com falhas na cobertura. O pesquisador Valdir Lourenço Junior, da Área de Proteção de Plantas do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), participou da avaliação de amostras do gramado, e afirma que foram encontrados fungos dos gêneros Fusarium e Curvularia na grama do Estádio Jacy Scaff, o Café. São fungos que infectam as raízes de diversas espécies de gramíneas. “O fungo Curvularia também infecta a parte aérea da grama esmeralda, causando manchas amareladas e secas nas folhas (foto). Um dos principais fatores que favorecem a ocorrência desses fungos é a compactação do solo que dificulta a drenagem e mantém o ambiente úmido por longo período de tempo”. É esse o problema do Café. O pesquisador Cezar Francisco Araujo Junior, da Área de Solos do IAPAR, explica que a grande quantidade de areia do tipo muito fina, presente no solo do Estádio, é a principal causa da

11

A areia do Estádio, do tipo muito fina, é a principal causa dos danos no gramado

As visitas dos grandes Cinco clubes conseguem superar, em termos de torcida, o Tubarão em Londrina. São eles, por porcentagem de preferência entre a população: Corinthians (24,56%), Palmeiras (11,18%), São Paulo (11,03%), Santos (10,11%) e Flamengo (4,49%). Os dados são do Instituto Paraná Pesquisas, em levantamento feito entre novembro e dezembro drenagem deficiente. “Nós não vemos outra alternativa, o solo precisa ser substituído”. De acordo com a pesquisadora do Laboratório de Nematologia do IAPAR, Andressa Machado, as análises feitas em março deste ano descartaram a presença de vermes prejudiciais às plantas em quantidade suficiente para serem apontados como os grandes vilões da história. A Fundação de Esportes de

de 2011. O Londrina Esporte Clube (LEC) ocupa o sexto lugar, com 4,11% do gosto local. Com exceção do Santos, os outros times do quinteto visitaram Londrina nos dois últimos anos. Corinthians e Flamengo empataram por dois gols em amistoso no início da temporada 2012, no dia 15 de janeiro, no Estádio do Café. Em 2013, o tricolor Londrina (FEL), responsável pela manutenção do Estádio, aplicou alguns tipos de produtos e, segundo o assessor da FEL, Sidimar Ernegas, nos últimos três meses houve melhora nas condições. Ainda existem outras benfeitorias a fazer: o placar da praça ainda é manual, mesmo com 30 mil cadeiras na arquibancada. Os banheiros tiveram a reforma interrompida. Faltam portas e, segundo

paulista fez um amistoso contra a equipe da casa. No dia 22 de maio, o tricampeão mundial bateu o alviceleste por dois a um, com gols de Roni e Luís Fabiano. Nessa semana, o Palmeiras mandou dois jogos pela Série B do Brasileirão em terra roxa. Na terça-feira (8), contra o Figueirense, e na sexta-feira (11), contra o Guaratinguetá. (A.T.) a FEL, não há verbas. A fundação está à espera de um aditivo. Ernegas afirma que melhorias têm sido feitas nos últimos anos. “Solicitamos a implantação de 32 câmeras, sendo 25 fixas e sete giratórias. Implantamos um sistema de irrigação, a arquibancada recebeu oito mil novas cadeiras”, explicou o assessor. Mesmo com os problemas, só em 2013, São Paulo e Palmeiras vieram jogar aqui (ver Box).

Neste feriado de dia das crianças, será realizado o primeiro jogo da história da NBA em solo (ou quadra) brasileiro. Chicago Bulls e Washington Wizards se enfrentam no Rio de Janeiro. Chance de ver all-stars como Joaquim Noah, Derrick Rose e Loul Deng pelo lado do Bulls e o brasileiro Nenê, representando o time da capital estadunidense. Fórmula 1 com chucrute Neste fim de semana, Sebastian Vettel (RBR), pode se tornar o mais jovem tetracampeão do mundo, se vencer o GP do Japão e o vice-líder, Fernando Alonso (Ferrari), não passar do nono lugar. Com o caneco, o piloto da RBR alcança a marca de quatro títulos, ficando a três do compatriota Michael Schumacher, sete vezes campeão. Com o de 2013 e o título da próxima temporada, Vettel igualaria o feito de Schumi, que ganhou cinco vezes seguidas entre 2000 e 2004. Ainda invictos Após cinco jogos, apenas dois times permanecem invictos na NFL, a liga de futebol americano. São eles: New Orleans Saints, do quarterback Drew Brees, e Denver Broncos, de Peyton Manning. Tour pela Ásia. A seleção da CBF fará dois jogos nos próximos dias. No sábado (às 8h de Brasília), os comandados de Felipão enfrentam a Coreia do Sul. Na quartafeira, o adversário é a africana Zâmbia.

Mesmo com problemas, Café tem recebido grandes times nos últimos anos.


12

Perfil

11 de outubro de 2013

Metralhadora giratória

CUIDADO, José Maschio, o Ganchão, recebe a reportagem do Pretexto em sua chácara e dá lambadas em todo mundo. Sobrou até para os jornais laboratório

Foto: Lucas Marcondes

jornalista indignado

Ganchão: “O pessoal do curso de Jornalismo faz os jornais repetindo os jornalões, as TVs, as rádios que ficam criticando no dia a dia. Eles pensam que estão fazendo coisa diferente”

cursos de jornalismo (o da UEL, por exemplo), a saraivada de críticas é ainda mais inA democracia no Brasil é mais nova do tensa. A começar por nós, estudantes, e que Ganchão. Ele tem 56 anos. Ela, entre nossos jornais laboratório (te cuida, Preidas e vindas, regimes de exceção, Var- texto!). Para Ganchão, os proto-jornalistas, gas, Geisel, é, nas palavras dele, uma pré- inconscientemente, reproduzem o que -adolescente. Por isso, quando o encontrei é feito nos grandes veículos de mídia. “O na chácara onde mora, ali entre Cambé e pessoal do curso de Jornalismo faz os jorLondrina, o jornalista mostrou confiança nais repetindo os jornalões, as TVs, as rána evolução do Brasil. Seja ela econômica, dios que ficam criticando no dia a dia. Eles política, ou social. “Estamos bem melho- pensam que estão fazendo coisa diferente. res que no começo do século XX, do que Você pega o produto final, é exatamente há cinquenta, dez anos” avaliou Ganchão, igual”. O mundo acadêmico, para ele, tem entre um gole na cerveja e uma beliscada problemas ainda maiores. Maschio afirmou em um saboroso quiabo em conserva feito que a universidade é dividida em castas e pela esposa. Porém, ele não vê com bons reproduz as discriminações da sociedade. olhos a polarização do debate político na- Algumas graduações são prestigiadíssimas, cional entre PT e PSDB. “Precisamos parar outras são relegadas. “Nos cursos de Medicina ou de Odontologia não falta [aparelho de] raios“Londrina comporta um jornal -x. O curso de Jornalismo popular – não popularesco” não tem uma gráfica, não tem uma TV a serviço dos com esse Fla-Flu, com esse maniqueísmo”. estudantes, não tem uma rádio a serviço A diversidade de assuntos mastigados dos estudantes”. à mesa por Ganchão foi além do campo Ganchão é cria do curso de Jornalispolítico. As cutucadas foram amplas. Um mo da UEL. Porém, ele relembrou que, dos alvos foi o presidente da Associação quando sentou nos bancos da graduação, Comercial e Industrial de Londrina (Acil), os estudantes pareciam ser mais disposFlávio Balan. O jornalista criticou a suposta tos a enfrentar os problemas do curso. prepotência do homem forte da entida- “Nós éramos mais briguentos. Se nós não de classista. “[Ele] fala uma besteira atrás nos satisfazíamos, ocupávamos a reitoria da outra todo dia no noticiário e ninguém exigindo as coisas. Agora eu vejo que os contesta. O cara é extremamente arrogan- estudantes, talvez por conta do ensino te. Uma cidade não se faz com arrogância. básico, entram na universidade sem se Uma cidade não se faz com gente falando preocupar, não tem reflexão”. A preocusim, sim, sim. Uma cidade se faz com po- pação do jornalista pelos futuros colegas de lêmica, com discussão, com cobrança”. As profissão pode virar livro. É o “Manual de orelhas dos vários coelhos que Ganchão indignação para jovens jornalistas”. Embora cria na chácara ficaram ainda mais em pé. tenha ‘manual’ no nome, a obra, será um Do jornalismo... contraponto “a esse ensino tecnicista nas Se peço a ele uma avaliação sobre os universidades”, explicou Ganchão. “No Lucas Marcondes

jornalismo, como você mexe com gente atual governador do estado, André Puctodo dia, você tem que ser especialista em cinelli (PMDB). “O caso do Mato Grosso gente. Falta isso, porque é muito técnico. do Sul é uma síntese do que acontece na E, quando vão discutir teóricos, a univer- política brasileira, independente de partisidade discute teóricos da moda, aqueles do”, exemplificou Ganchão. Depois de dizer como o livro se deque são lá de fora”. E vai além: “uma elite foi fazer jornalismo, e é uma elite que não senvolve, Ganchão deu alguns marca-páginas da obra. Pediu para que eu distribuíssabe andar de ônibus”. se entre os colegas de sala e os convidasse ... Para a literatura Quando começou a escrever o “Ma- para o lançamento. A entrevista acabou, nual”, Ganchão foi atrás de dados para o mas a conversa continuou. As críticas, livro em anotações de gastos de viagens claro, estavam presentes. Mas feitas de feitas por ele quando repórter da Folha modo sensato, sem a raiva cega de alguns de S. Paulo. Os rabiscos sobre coberturas cronistas do cotidiano. Ganchão cutuca realizadas nos rincões e nos grandes cen- (“jornalismo vagabundo, burocrata” – sotros do Brasil, além de países da América bre a cobertura de greves feita por teleLatina, reavivaram a memória para situa- pone, sem deixar a redação), mas aponta ções que não entraram, ou não puderam saídas (“Londrina comporta um jornal poentrar, nas matérias do jornal. “Eu comecei a folhear aquilo e tudo “Além de “Crônica de uma Grande tinha uma historinha Farsa”, Ganchão planeja lançar interessante que eu outros dois livros” lembrava”. Agora, o “Manual” está temporariamente na ge- pular – não popularesco”). Saí da chácara por volta de 20h (eu haladeira e o jornalista escreve um novo livro: “Apontamentos de repórter”. “Vou via chegado às 16h). De todos os causos, escrever umas 100 historietas, separar histórias, críticas e bordoadas que saíram umas 60, 70. Pretendo fechar até o final da voz rouca de Ganchão, uma frase de impacto ficou. “Jornalismo é a arte diária do ano”, planejou. Mas, para 2013, um terceiro livro já da indignação”, soltou ele. Na verdade, se saiu do forno e será lançado agora, sexta- o recanto do jornalista tivesse uma placa -feira (18). Escrito em parceria com o logo na entrada, ela poderia muito bem jornalista Luiz Taques, “Crônica de uma estar com essa máxima. Ou, então, uma Grande Farsa” é um livro reportagem que plaqueta como aquelas de “cão bravo”, relata como a suposta denúncia de com- mas alertando para um “jornalista indignapra de votos contra um ex-deputado fe- do”. “Crônica de uma Grande Farsa” será deral do Mato Grosso Sul tornou-se, na verdade, o centro de uma trama planejada lançado sexta-feira (18), as 19h, na Bipor um grupo político que tentava liquidar blioteca Pública Municipal de Londrina. O a carreira do ex-parlamentar. No coman- livro custará R$ 30 e os dois autores estado dos responsáveis pela farsa estava o rão no local para autografá-lo.

Jornal Pretexto Expresso 7  

Pretexto Jornal Expresso de 11-10-2013. Jornal Laboratório produzido pelo 4 º ano do Curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo, da...