Page 1

PUB

praçapública

PUB

RUA ANTERO DE QUENTAL, Nº 17 - 3880-146 OVAR

QUARTA-FEIRA, 16 DE JANEIRO DE 2013 . 0,50€. ANO 13 . Nº 625 QUINZENÁRIO DO CONCELHO DE OVAR . Diretora: SOFIA STOFFEL

PUB

DESTAQUE

Troupes prestam homenagens em Noite de Reis Págs. 6 a 8

INICIATIVAS

Raúl Almeida diz que ocupa o lugar na Assembleia da República que Manuel Oliveira “ambiciona”

INICIATIVAS

Págs. 2 e 3

PSD vence eleições

OCORRÊNCIAS

Nonagenária morre atropelada pelo comboio Pág. 4

Págs. 12 e 13

Está inaugurado o Parque Urbano da cidade

intercalares em Esmoriz. António Bebiano é o novo presidente da Junta de Freguesia Pág. 4 Publicidade Publicidade


2

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

praçapública

DESTAQUE

CENTRISTA AFIRMA QUE FOI ALVO DE UM ATAQUE “SOEZ” NA ÚLTIMA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Raúl Almeida responde a Manuel Oliveira e diz não ter culpa de ocupar o cargo de deputado na Assembleia da República “que o presidentefilósofo mais ambiciona” DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

O deputa do da deputado Assembleia da Repúbli ca República diz que o executivo de Ma nuel Oliveira geriu o Manuel pro cesso da reforma processo adminis trativa de forma administrativa “ incom preen sível e preensível incompreen politicamente incompetente incompetente”” e assegura que “ o soez ataque do pre si den te-filósofo presi siden dente-filósofo te-filósofo”” permite tirar “ ilaç õ es ilaçõ políticas políticas”” .

A proposta de redução do número de freguesias, aprovada no final de 2012, na Assembleia da República, no âmbito da Reorganização Administrativa Territorial Autárquica, aqueceu a última Assembleia Municipal de Ovar do ano e levou Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar a criticar duramente a maioria do governo PDS/CDS-PP, nomeadamente a posição assumida pelos deputados eleitos pelo círculo de Aveiro, com particular incidência para o centrista vareiro e único representante de Ovar no parlamento, Raúl Camelo Almeida. A resposta do deputado do CDS/PP surgiu na semana seguinte, nas redes sociais e posteriormente de forma oficial, ao que garante ter sido “um ataque inusitado e soez”, protagonizado por Manuel Oliveira. Apesar de classificar o discurso do atual presidente da autarquia como

“rasteiro e profundamente desonesto”, Raúl Almeida destaca que o caso não é para dramatizaçÕes, uma vez que “a credibilidade das palavras depende sempre da credibilidade de quem as profere”, justifica. O centrista assegura que “o presidente-filósofo” nunca quis falar com ele enquanto deputado, “sobre qualquer tema de interesse para Ovar”, isto apesar de garantir a sua “total e inteira disponibilidade para servir a terra, também através da Câmara Municipal”. Raúl Almeida garante estar de consciência tranquila e diz-se “disponível para qualquer comparação” entre o seu historial de deputado e o de “qualquer outro, particularmente do Partido Socialista”. O deputado da Assembleia da República diz que o executivo de Manuel Oliveira geriu o processo da reforma administrativa de forma “incompreensível e politicamente incompetente” e assegura que “o soez ataque do pre-

sidente-filósofo” permite tirar “ilações políticas”. Raúl Almeida frisa que “ser a inspiração e motivo” do primeiro discurso de Manuel Oliveira, “inteligível em anos é algo que não esperava”, lhe dá “um pequenino orgulho”, mas assegura não estar surpreendido com a posição do presidente da autarquia, a quem acusa de estar “já manifestamente saudoso do poder que anunciou deixar em breve”. O deputado do CDS/PP diz que “o presidente-filósofo, para conseguir cumprir a sua ambiçÃo de vir a ser deputado, terá que convencer, em primeiro lugar, o PS, e depois, mais importante, convencer os eleitores”, assegurando que, neste capítulo, nada tem a ver com isso, “a não ser ocupar o cargo que o presidente-filósofo mais ambiciona”, garante. Raúl Almeida refere que “este é o sumo político da infeliz intervenção do presidente-filósofo” e que o resto “a má educação, a calúnia, a rasteirice, são só traços de caráter”, afirma.


DESTAQUE

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Fonte: httpwww.cds.parlamento.pt

praçapública

Raúl Almeida, na Assembleia da República

Manuel Oliveira diz que PSD e CDS/PP “nada fizeram para manter a identidade das freguesias” de Ovar O presidente da Câmara Municipal de Ovar já reagiu às declarações de Raúl Almeida e garante que “por muitas que sejam as palavras e ataques pessoais o importante é que esses senhores nada fizeram para manter a identidade das nossas freguesias” quando, na realidade “tinham efetivo poder e competência para o fazerem”. O autarca defende que na última Assembleia Municipal de Ovar nunca terá referido o nome de nenhum deputado em particular, tendo-se dirigido, “isso sim, a deputados do distrito que, sobre esta matéria, ignoraram as legítimas deliberações das Assembleias de Freguesia, votando sem razões que a razão entenda, a favor da extinção/agregação de freguesias no concelho de Ovar”. Num comunicado enviado à nossa redação, Manuel Oliveira garante que “desonesto e com falta de seriedade política será o facto de quererem atribuir ao presidente da câmara a responsabilidade pela extinção/agregação de freguesias” quando, na realidade “foram eles que aprovaram a Lei e votaram em conformidade com essa Lei que aprovaram, ignorando os abaixo-assinados das populações e as deliberações das Assembleias de Freguesia do concelho”, afirma. Manuel Oliveira destaca que “na política cada um deve responder pelos seus atos e pelo exercício responsável dos cargos que ocupa” e frisa que o seu “trabalho como presidente da câmara, é à população que compete julgá-lo, e já o julgou em atos eleitorais anteriores”, referindo que “a disponibilidade para servir a terra manifesta-se em atos e na coerência no exercício de funções e competências”. O presidente da câmara alerta que quem ouviu a sua afirmação “do dito pelo não dito, soube perfeitamente distinguir entre o irónico tom da afirmação e o seu sentido literal”, e lembra que “a sofreguidão e pouca lucidez levam alguns a fazer leituras inadequadas e a não querer entender”, destacando serem “problemas de quem lê, e, ou não sabe, ou não quer ler”. Manuel Oliveira revela ainda que “quem não tem argumentos usa o insulto e julga levianamente o caráter das pessoas” e afirma que “vindo de quem vem”, não lhe “merecerá mais perda de tempo”.

3


4

praçapública

POLÍTICA/OCORRÊNCIAS

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

OVAR

PSD vence eleições intercalares em Esmoriz

Idosa morre atropelada pelo comboio quando tentava atravessar a linha

O acidente aconteceu na Estação de Ovar

Uma mulher morreu, no passado sábado, perto do meiodia, atropelada por um comboio que iria parar na Estação de Ovar. Ao que o PRAÇA PÚBLICA apurou no local, a idosa, na casa dos 90 anos, vinha do mercado e preparava-se para regressar a casa, contudo, ao atravessar na passagem para os peões não se terá apercebido da aproximação do comboio que, embora a circular a baixa velocidade, por se preparar para parar na estação, acabou por a colher mortalmente. O acidente, que acabou por condicionar momentaneamente a circulação, mobilizou os Bombeiros Voluntários de Ovar, a Polícia de Segurança Pública, e o delegado de saúde.

OVAR

PSP detém dois homens por suspeita de tráfico de estupefacientes António Bebiano

sentido de reatar a relação que Esmoriz perdeu com a Câmara Municipal de Ovar”, algo que a acontecer “só trará benefícios para a cidade e para os esmorizenses”, disse. PS AVERBA MAIOR DERROTA DOS ÚL TIMOS 20 ANOS ÚLTIMOS Dos 10308 cidadãos inscritos na cidade de Esmoriz apenas 4204 (40,5%) compareceram às urnas, o que significa uma abstenção ao ato eleitoral que rondou os 60%. O PSD captou o voto de 1507 eleitores, mais quatro do que o Grupo de Independentes Por Esmoriz (35,75%). O PS alcançou 465 votos

(11,06%), o Bloco de Esquerda conseguiu 273 votos (6,49%), o CDS 134 (3,19), a CDU (128 (3,04%). Foram ainda contados 96 votos brancos e 98 votos nulos. Contas feitas, o grande perdedor do ato eleitoral acabou por ser o Partido Socialista. Depois de vencer em 2009, o PS depositava esperanças na eleição de Miranda Gomes, contudo, acabou por encaixar a derrota local mais pesada dos últimos 20 anos. Dos 50% dos votos alcançados em 1993, os socialistas caíram em 2001 para a eleição de apenas três mandatos, dois nas eleições intercalares

de 2002, quatro nas autárquicas de 2005, seis em 2009, e agora apenas um.

A PSP deteve, no passado dia 5, à tarde, dois indivíduos, um de 35 anos e outro de 44 anos, desempregados, por suspeita de tráfico de estupefacientes. Segundo o Comando Distrital de Polícia de Aveiro, “foram-lhes apreendidas cerca de nove doses de cocaína, 11 de heroína, três telemóveis, um veículo automóvel e 532,29 euros. Publicidade

O social-democrata, António Bebiano é o novo presidente da Junta de Freguesia de Esmoriz, depois da lista do PSD ter conseguido vencer, por escassos quatro votos, as eleições intercalares que tiveram lugar no último domingo. Com esta vitória histórica, o PSD de Esmoriz assegurou seis mandatos, contudo não chegou à maioria que desejava. O Grupo de Independentes, liderado pela ex-presidente Rosário Relva, acabou por fazer sensação no ato eleitoral, ao assegurar a eleição de cinco mandatos, relegando o Partido Socialista, que encaixou uma derrota pesada, a apenas um mandato, tantos quantos o Bloco de Esquerda. O CDS/PP e a CDU não elegeram qualquer mandato. O PSD venceu o ato eleitoral “porque os esmorizenses demonstraram vontade de mudança”, assegurou António Bebiano, e o resultado aparece “fruto do mérito e do grande trabalho da equipa do PSD”, destacou o vencedor. Apesar de ainda não conhecer a data em que irá tomar posse, António Bebiano frisou ao PRAÇA PÚBLICA que “já se encontra a trabalhar” no sentido de planear “estes nove meses”, já com os olhos postos nas eleições de outubro. “Mesmo que não ganhássemos, achávamos que quem fosse eleito deveria pensar para além destes nove meses, pois os trabalhos têm e devem de ser feitos”, assegurou António Bebiano. Por não ter alcançado a maioria que desejava, o líder dos sociais-democratas garantiu já estar “em conversações com as pessoas” por forma a encontrar um ‘parceiro’, mas destacou que “para já estão em cima da mesa diversos cenários” que, entretanto, diz “terão de ser bem avaliados”. António Bebiano referiu ainda ao nosso jornal que está “empenhado em trabalhar no

DR

DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

DR

PS PERDE JUNTA DE FREGUESIA APÓS DERROTA PESADA


praçapública

praçapública

HALL DE ENTRADA

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

POSTAL DA SEMANA

5

editorial

Quinzenário Vareiro

Diretor a : Sofia Stoffel (director@pracapublica.com) D i r e t o rr-- a d j u n t o de informação: Dinis Amaral (CP n.º 6198) Redação: Fernando Souteiro, Sandrine Oliveira (CP 9636)

EDUARDO COSTA

Colaborador e s Aníbal Gomes Colaboradores Fotográficos: Tiago Carriola Assinaturas: (assinaturas@pracapublica.com) Propriedade Propriedade:: Globinóplia, Unipessoal, Lda Edição: Notícias Amplas, Unipessoal, Lda, Contribuinte nº 509 158 692 Capital Social: 1 000 Euros Administração Administração: Manuel Domingos da Silva Moreira Detentores de mais de 10% do Capital Social: Gadgetresult SGPS. S.A. Contribuinte n.º 508 950 520 Reg. DGCS nº 123740 Dep. Legal nº 159271/00 Redação: Rua Antero de Quental, nº 17, 3880-148 OVAR Tel: 256 753 044 TM: 917 489 469 e-mail: geral@pracapublica.com Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Telm.: 910252676 / 910253116 / 914602969 Tiragem média: 3.000 exemplares Assinatura anual: 22,50 euros (nacional); 62,50 euros (estrangeiro). As opiniões publicadas neste semanário, podem não refletir a linha editorial do PRAÇA PÚBLICA. Por isso, os textos de opinião assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores, não cabendo qualquer responsabilidade à direção e administração deste jornal.

Ano novo! SOFIA STOFFEL

DROGA-TEC A jovem estava literalmente em pânico: haviam-lhe roubado a carteira e com ela o telemóvel, o cartão de cidadão, algum dinheiro e outras coisas. ”Estou aqui no aeroporto dum país estrangeiro, sem iphone, sem acesso ao Facebook…” Tentei aliviar o stresse, explicando que estranhava a preocupação única da perca do telemóvel, quando a falta de identificação seria o maior dos problemas! “Quando não havia iphone nem computadores portáteis como hoje, desenrascávamo-nos bem e ainda há esses mesmos meios: as cabines telefónicas, os pontos de Internet, os hotéis, hoje com custos bastante acessíveis…” Mas não! O pânico estava instalado e parecia que a jovem estava completamente perdida numa floresta selvagem, sem qualquer referência de civilização! Crescemos habituados a esta dependência e não sabemos como funcionar sem estas tecnologias!”, confessou a jovem. A bem da verdade, são a grande maioria (ou a quase totalidade…) os jovens que passam o tempo agarrados ao telemóvel, com uma dependência viciante, a ponto de verem-se namorados, que passam horas juntos e em contacto permanente com os seus amigos das redes sociais, ignorando-se um ao outro. Dormem com o telemóvel encostado ao ouvido e às vezes até se esquecem que este não sobrevive à água e levam-no para o chuveiro! O diálogo aumentou imenso, com amigos à distância, centenas de amigos, milhares de amigos! Nada a opor, porque tem o seu quê de positivo. Pena é que o façam a todo o tempo, sem interrupção e ignorandose mutuamente, como se as companhias presentes não bastassem.

Terminámos o ano de 2012 e começámos este novo ano com a certeza que 2013 não vai ser fácil para nenhum de nós. De fato, temos vindo a ser alertados por várias vezes nos últimos tempos, por governantes, políticos, observadores, que o ano de 2013 vai exigir ainda mais sacrifícios e contenções. E se é verdade que esta mensagem sobre a crise e a necessidade de sacrifícios é recorrente, pois todos os anos, desde há uns tempos a esta parte, que a mensagem que nos é transmitida é sensivelmente a mesma, parece que desta vez as dificuldades serão maiores e mais sérias do que até aqui. Este novo ano será, assim, mais um ano de desafios, de demonstrar a nós próprios e ao resto do mundo, que somos capazes de resolver os nossos problemas, de ultrapassar as dificuldades e de gerir o nosso destino. Muitos desafios se nos colocam para este ano que agora chega, e, eventualmente, também para os próximos. Apesar das previsões para 2013 que nos vão chegando não serem nada optimistas, designadamente no que toca à taxa de desemprego, ao aumento dos impostos e a outras dificuldades socioeconómicas, isso não nos pode fazer desistir, nem sequer alhear-nos do problema que vivemos. É importante neste momento que tentemos encontrar soluções para a situação do nosso país, e que tenhamos a consciência que essas soluções necessariamente terão de ser cumpridas por todos nós, e não apenas por alguns. Bom ano novo!

“ Apesar das previsões para 2013 que nos vão chegando não serem nada optimistas, designadamente no que toca à taxa de desemprego, ao aumento dos impostos e a outras dificuldades socioeconómicas, isso não nos pode fazer .” desistir desistir.”

DIRECTOR@PRACAPUBLICA.COM

Publicidade


Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

praçapública

TERRA-A-TERRA

Fotos: Tiago Carriola

ENCONTRO DE TROUPES 2013

Cantar os Reis marcado por a Edwiges Pacheco e António DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis da Associação Fraterna de Prevenção e Ajuda

Não se sabe ao certo em que ano terá surgido a tradição de Cantar os Reis em Ovar, mas é seguro que tal terá acontecido no final do século XIX, altura em que os primeiros reiseiros saíram à rua, nas noites de 5 e 6 de janeiro, com “pandeiras, violas e ferrinhos, a que se sucederam as troupes, na última década” desse século. A primeira, segundo a obra do historiador Alberto Sousa Lamy, Monografia de Ovar, terá sido “a Troupe dos Ve-

lhos”, que mais tarde deu lugar à atual e mais antiga Troupe de Reis de Ovar, a Troupe de Reis da Associação Desportiva Ovarense. Classificada como uma das maiores e mais antigas tradições do município de Ovar, o Cantar os Reis voltou a sair à rua na primeira semana de 2013 e as várias troupes encheram bares, cafés, restaurantes, sedes de coletividades, casas particulares, instituições de solidariedade, entre outros, onde foi possível assistir a verdadeiros espetáculos musicais, característicos desta data fes-

tiva. Este ano, ao contrário da tradição, que manda que cada troupe apresente temas originais, cantados por um solista que é também acompanhado pelo coro, diversas troupes apresentaram-se ao público com temas antigos, em homenagem a Edwiges Pacheco, que se despediu da cultura vareira no último ano, deixando Ovar e a Cultura vareira mais pobres. A Troupe de Reis da Associação Desportiva Ovarense liderou a sentida homenagem, partilhada por várias troupes, a Edwiges Pacheco

Fotos: Tiago Carriola

Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis Tradição e Juventude

Troupe de Reis da Casa da Amizade Fotos: Tiago Carriola

Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis do Grupo Folclórico “Os Moliceiros de Ovar”

Troupe de Reis do Grupo Folclórico “Os Fogueteiros de Arada” Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis da Associação Desportiva Ovarense Fotos: Tiago Carriola

6

Troupe de Reis da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar

Troupe de Reis da Associação Cultural e Atlética de Guilhovai


praçapública

Troupe de Reis da JOC/LOC

Troupe de Reis do Orfeão de Ovar Fotos: Tiago Carriola

geou o ex-membro do Conjunto Oliveira Muge, António Policarpo, falecido em 2012, e levou ao palco o tema “Mãe”, uma música internacionalmente conhecida nos anos 70, que continua a fazer as delícias dos ovarenses. Durante perto de quatro horas, foram 16 as Troupes de Reis, compostas por reiseiros novos, velhos, homens, mulheres, oriundos de vários extratos sociais, que passaram por aquele palco cultural e que ‘aqueceram’ e ‘embalaram’ as centenas de ovarenses que não arredaram pé.

Fotos: Tiago Carriola

A T roupe de Troupe Reis da Asso cia ção Associa ciação Desportiva Ovarense liderou a sentida home na gem, homena nagem, partilhada por várias troupes, a Edwiges Pacheco

ex-maestrina. Mas foi no dia 6 de janeiro, quando subiu ao palco do Centro de Arte de Ovar, que a Troupe de Reis da Associação Desportiva Ovarense lhe prestou o verdadeiro tributo. Pela voz de David Brandão, os reiseiros ovarenses lembraram “a maestrina, a compositora, a mãe, a amiga e a confidente” que durante anos serviu e ensinou esta tradição, cantando, em seguida, três números já apresentados em 1988, que representam “25 anos de história”, destacou o solista. A Troupe de Reis do Órfeão de Ovar homena-

7

Fotos: Tiago Carriola

r homenagens o Policarpo e apresentou-se este ano com três melodiosos temas, da autoria (letra e música) da sua

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Fotos: Tiago Carriola

TERRA-A-TERRA

Troupe de Reis da Associação Cultural e Recreativa de Sande, Salgueiral e Cimo de Vila Fotos: Tiago Carriola

Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis da Associação Cultural e Recreativa da Ribeira

Troupe de Reis da Associação Cultural e Recreativa de Valdágua Fotos: Tiago Carriola

Fotos: Tiago Carriola

Troupe de Reis da Música Nova

Troupe de Reis da Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes

Troupe de Reis da Casa do Povo de Válega


O futuro do Cantar os Reis em Ovar está assegurado pelas troupes infantis, que este ano voltaram a demonstrar a sua vontade de participar nesta tradição. As oito troupes mais novas subiram ao palco do Centro de Arte na tarde do dia 6 de janeiro, e repetiram o êxito do ano passado arrancando ovações e aplausos a toda a plateia.

Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Troupes de Reis infantis asseguram continuidade da tradição

INICIATIVAS

Troupe de Reis Infantil da EB dos Combatentes Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Troupe de Reis Infantil da EB da Ponte Nova

Troupe de Reis Infantil do Grupo Coral Infantil e Juvenil de Maceda Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Troupe de Reis da Infantil do ATL da Ribeira

Troupe de Reis Infantil da EB do Furadouro Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

Troupe de Reis Infantil da EB da Oliveirinha Fotos: Paulo Homem de Melo/IN-Ovar

8

Troupe de Reis Infantil da EB da Habitovar

Troupe de Reis Infantil da EB da Santa Casa da Misericórdia

praçapública


praçapública

CORREIO DO LEITOR

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

9

Da Alma à Razão DICIONÁRIO DA HISTÓRIA DE OVAR Condomínio aberto

F continuação...

TIAGO GONÇALVES

DR. ALBERTO DE SOUSA LAMY

FRAGA, Rua das Na freguesia de S. João de Ovar, a norte da Rua de Salgueiral de Cima.

FRAGATA O Fragata era a “embarcação do Tejo, empregada ao serviço de cargas e descargas, de boca aberta, sólida construção e que aparelha um mastro com vela latina de caranguejo e uma vela de proa” (G.E.P.B., vol. XI, pág.734). A carpintaria naval, a arte ou indústria dos calafates, foi uma das mais florescentes da freguesia, empregando grande número de operários, que eram os mais remunerados em Ovar. Terminadas até meados da Primavera as construções navais nos estaleiros da freguesia de Ovar, dos quais o principal era o cais da Ribeira, onde anualmente se construíam 10 fragatas, os calafates costumavam ir para Lisboa onde se empregavam no serviço do conserto das embarcações antigas. Os fragateiros ovarenses, em Lisboa, ou eram proprietários de fragatas (em Junho de 1909, com 42 anos, faleceu em Lisboa Francisco de Oliveira da Graça, de Ovar, proprietário de fragatas), ou empregavam-se no serviço das mesmas ou no conserto das embarcações antigas (calafates). Nos finais do século XIX, as duas indústrias – a dos calafates e a dos fragateiros – estavam decadentes, prejudicadas com as obras do porto de Lisboa, a construção de paredões onde os grandes navios que vinham ao Tejo passaram a acostar comodamente que tornaram indispensável a maior parte do serviço das fragatas. Mas ainda em 1887 construíram-se no estaleiro do cais da Ribeira 18 barcos – fragatas e barcos-varinos de diferente tonelagem. Bibliografia – Alberto Sousa Lamy, M.O., 2ª edição, 2º volume, 160/161; António Vítor N. de Carvalho, Fragatas, barcos de mar e lugres: a construção naval nos estaleiros de Ovar, in: Dunas, nº 6, Novembro de 2006, págs. 45/56; e José de Oliveira Neves, A construção de fragatas em Ovar nos séculos XIXXX – artigo no J.S., de 1/10/2006, Os fragateiros ovarenses – artigo no J.S., de 15/10/2006 (com relação de arrais de fragatas ovarenses), e Fragatas e Varinos do Tejo – artigo no J.S., de 1/11/2006.

A

no novo, vida nova. Ritual de passagem, mudança. Esperança no futuro, na oportunidade, na luz que no passado faltou. Neste início de ano, 2013, todos anunciam caótico, temível, desolador, devastador, todos o afirmam como o pior de sempre, como o ano negro da crise e dos portugueses. Mas será mesmo? Será 2013 pior ou mesmo melhor? Porque vamos estar derrotados já de antemão? Mais um ano, mais dias

de possíveis mudanças, de transformação, de força, de acreditar nas oportunidades, de procurar as oportunidades. 2013 pode ser o renascer da alma perdida. Já muito o mundo e o país se transformou, muita mudança, para pior, para melhor, quem sabe, certo é que não podemos desistir, desanimar, quebrar e cair antes de correr e criar. Temos de tomar as rédeas do nosso próprio destino e fazer deste 2013 um bom ano, um novo ano,

um ano de esperança e de sucesso, apesar das adversidades. Não podemos esperar que o façam por nós, nem os políticos nem ninguém com poder para tal, a solidariedade temos nós de criar, reinventar e aprofundar as parcerias e os laços para o nosso negócio. A esperança é sempre a última a morrer e se queremos que seja um ano de viragem, temos nós mesmos de virar e criar o nosso próprio futuro. Bom 2013.

Ricardo Almeida

continua... Publicidade


10 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

praçapública

INICIATIVAS SÃO JOÃO DE OVAR

Associação Recreativa e Cultural da Ponte Nova elege novos Corpos Gerentes ANÍBAL GOMES

23º ANIVERSÁRIO DO ISPAB

ISPAB divulga aposta na abertura do ensino diurno a partir do próximo ano letivo

No passado dia 29 de dezembro foram eleitos os novos Corpos Gerentes da Associação Recreativa e Cultural da Ponte Nova, que guiarão os destinos da coletividade durante o ano de 2013. A Mesa da Assembleia Geral é presidida por José Silva, a direção por Álvaro Tojal e o Conselho Fiscal por Jorge Mendonça.

Leilão do Menino No próximo dia 20 de janeiro, pelas 15h00, vai realizar-se, no Salão Paroquial de São João de Ovar, o tradicional “Leilão do Menino”. Os contributos que forem conseguidos servirão para pagar o Relicário, no valor de 1800 euros, que se encontra a ser executado. A organização da iniciativa apela, por isso, à participação de todos.

CORTEGAÇA

Encontro de casais

O Instituto Superior de Paços de Brandão (ISPAB) comemorou, no passado dia 11 de janeiro, 23 anos de existência. Esta Instituição de Ensino Superior, que nasceu em 1990, no concelho de Santa Maria da Feira, tem-se dedicado à promoção e ao desenvolvimento de atividades de ensino e formação, tendo contribuído, assim, para dotar a região e o país de profissionais de elevado perfil técnico, científico e humano, conferindo-lhe, por isso, o estatuto de importante agente de progresso da região Aveiro-Norte. Tratando-se de uma data especial, o ISPAB organizou

um programa comemorativo, que contou com a sessão solene, seguida da palestra “Dilema do Ensino Superior: Manual de Sobrevivência”, proferida por Francisco Restivo, docente da Universidade Católica de Braga e membro da Direção do IDIT. À noite tiveram lugar diversos momentos de animação, com destaque para a atuação da Tuna Académica. Raquel Oliveira, diretora da instituição, referiu ao PRAÇA PÚBLICA que o ISPAB “está a investir na qualificação do corpo docente”,e assegura pretender “avançar com novas ofertas formativas, tanto licenciaturas

como outro tipo de formações”, com o objetivo de “responder às exigências do mercado e do tecido empresarial e industrial em que estamos inseridos”, disse. Raquel Oliveira destacou que “um dos grandes erros estratégicos dos Institutos Politécnicos tem sido, precisamente, o de quererem ser uma universidade” e adiantou que “o Instituto Superior de Paços de Brandão tem abraçado a verdadeira estrutura politécncia, a que pretende dar continuidade”, revelando que a instituição está apostada em “reabrir o ensino diurno”, já a partir do próximo ano letivo.

Refletir sobre os “desafios da vida em casal” é o mote dado pela Pastoral da Família Vicarial, que se encontra a organizar a iniciativa, que decorrerá no próximo dia 25 de janeiro, pelas 21h30, no Salão Paroquial de Cortegaça. Participe.

FURADOURO

Colheita de Sangue O Instituto Português do Sangue vai levar a efeito, no próximo dia 20 de janeiro, entre as 9h00 e as 13h00, no Centro de Promoção Social, no Furadouro, mais uma Colheita de Sangue. Dê Sangue!

Homenagem a Lenine Cunha DR

Fotos: DR

EPROFCOR

Lenine Cunha com os alunos

No passado mês de dezembro, no auditório da Junta de Freguesia de Maceda, celebrou-se a tradicional Festa de Natal da EProfCor - Escola Profissional de Cortegaça. Este ano, para além de terem desfilado em palco peças de teatro animadas, bailados expressivos, brincadeiras tecnológicas, humor, dança, canto e boa disposição, houve um momento especialmente dedicado à homenagem ao atleta paraolímpico Lenine Cunha. Desde o dia 3 de dezembro, aquando da Comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, que os alunos finalistas do Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial mostraram interesse em ir mais além dentro da temática da deficiência. Moveram todos os seus contactos e com arrojada coragem convidaram o atleta paraolímpico Lenine Cunha para se juntar à turma na sua cruzada pela desconstrução do preconceito em relação à pessoa com deficiência e de-

cidiram que ele poderia ser uma bandeira para essa causa. O atleta ficou sensibilizado e prontamente aceitou o convite que lhe foi endereçado. Muniu-se da sua tão almejada medalha, que conquistou nos Jogos Paraolímpicos de Londres em 2012 e rumou a Maceda, onde foi calorosamente recebido pela plateia. Os alunos conceberam um vídeo sobre a temática e conseguiram arrancar algumas lágrimas aos presentes que se emocionaram com uma realidade, para a qual nem sempre estão despertos. Liliana Gama pintou uma tela que ofereceu, em nome da turma e da Escola, ao atleta e que representou os obstáculos enfrentados ao longo da vida por Lenine Cunha. No final o atleta agradeceu e deixou uma mensagem de incentivo aos jovens, para que não desistissem de lutar e para enfrentarem os problemas da vida com coragem e determinação.


praçapública

INICIATIVAS

11

DR

“OS ARAUTOS - GRUPO D’ARTE E CULTURA”

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Fernando Souteiro

Noite de festa na apresentação dos novos elementos

Maria Irene Costa à conversa com os alunos

O espetáculo contou com alegria, música, teatro, dança e diversão FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

muitos corações. Por outro lado, a dupla de palhaços Nini e Parafuso encantou a pequenada, que também estava em grande número. O momento fulcral da noite aconteceu com a subida ao palco dos novos elementos que compõem os corpos sociais dos “Os Arautos Grupo d’Arte e Cultura”, que no futuro se propõe apresentar bons espetáculos teatrais, de dança e música. De realçar que estiveram presentes nesta iniciativa, Vitor Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Ovar, Rosário Relva, responsável pelo executivo esmorizense, os candidatos às eleições intercalares que se realizaram no domingo, o presidente da Contacto, Fernando Rodrigues e muitos elementos ligados a grupos teatrais da região.

Maria Irene Costa partilhou gosto pelas histórias infantis com alunos da Escola EB 2,3 António Dias Simões A equipa da Biblioteca Escolar da EB 2,3 António Dias Simões proporcionou, no passado dia 10 de janeiro, um encontro com a escritora e poetisa Maria Irene Costa, em que participaram alunos das turmas do 5º ano (B, C, E e L), 6º ano (E, J e L) e 7º A. Neste primeiro contacto com a autora de poesia infantil e os seus livros, Teia de Afectos, O Livro da Nena, Histórias de minha Prima Ri-

ASSOCIAÇÃO DOS EMIGRANTES DE SANTA MARIA DE VÁLEGA

Passagem de ano vivida com muita folia FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Nem mesmo o frio e a chuva que se fez sentir até ao princípio da noite afastou as mais de 50 pessoas que se deslocaram até à sede da Associação dos Emigrantes de Santa Maria de Válega para celebrar a passagem de ano.

A animação musical esteve a cargo de Elísio Baptista, que brindou os presentes com música ligeira, temas românticos, anedotas, imitações e conseguiu estabelecer uma grande empatia com o público. Como já é da praxe, muitos casais aproveitaram a noite para dançar, para se divertir e viver uma noite diferente, num ambiente fami-

liar. Tal como já estava anunciado, por volta da meia-noite, houve uma descarga de fogo de artifício e a festa prolongou-se pela madrugada dentro. Armando Valente, presidente da Associação dos Emigrantes de Santa Maria de Válega confirmou ao PRAÇA PÚBLICA que a adesão das pessoas “ultrapassou

todas as expetativas”e acrescentou que a iniciativa “decorreu de uma forma impecável. Tivemos a casa cheia e as pessoas saíram daqui satisfeitas”. De referir que esta associação teve no exterior da sua sede uma excelente iluminação natalícia de modo a dar mais vida ao centro da vila de Válega.

Quina Barreiros anima Válega em março A Associação dos Emigrantes de Santa Maria de Válega vai levar a efeito, no próximo dia 24 de março, um espetáculo musical que contará com a presença da conceituada artista Quina Barreiros. Entretanto, outros eventos irão ser desenvolvidos no seio daquela instituição, que continua a abrir as suas portas ao público, aos domingos, servindo almoços e lanches.

ma ou o título, Circo, Magia, Histórias e Poesia. Os alunos, que estudaram a sua obra na disciplina de Português e entre as várias perguntas que fizeram, leram ainda alguns textos. Foram merecedores de um simpático desabafo da escritora, que fez carreira profissional de professora do 1º ciclo, e

ali, ao partilhar o gosto pelas histórias infantis e personagens que lhe trazem à memória, a leiteira ou a padeira, assumiu já não escrever algum tempo, adiantando, “posso ter encontrado em vós nova motivação e interesse, para continuar a dedicar-me à escrita de poesia e histórias infantis”.

Publicidade

O espetáculo dos novos corpos sociais do grupo “Os Arautos”, de Esmoriz, contou com muita alegria, música, teatro, dança e diversão. Foi uma noite em que o auditório da Junta de Freguesia de Esmoriz esteva repleto de pessoas, não só para a conhecer os novos rostos desta instituição, mas também porque o cartaz era bastante apelativo. O evento principiou com um grupo de dança da casa. Seguiu-se a jovem cantora Solange Rodrigues, que brindou a plateia com “Nada em comum”, “Nossa Senhora” e “Eu sei”, dedicado a todos os presentes e aos elementos dos Arautos. Houve declamação de poesia e mensagens, e pelo palco passaram ainda a can-

tora Ofélia, Manuel Marques, a consagrada Magui Mateus e o duo “Marcalmo”. No entanto, um dos momentos mais ovacionados pelo público aconteceu com a atuação do jovem Ruben Pinto, que cantou “A noite grita por mim”, “A cabana junto à praia”, entre outros sucessos musicais que fizeram palpitar

ESCRITORA PODERÁ TER ENCONTRADO UMA NOVA MOTIVAÇÃO NESTA INICIATIVA


praçapública

INICIATIVAS

12 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

MAIS DE SETE HECTARES AO SERVIÇO DA POPULAÇÃO

Fernando Souteiro

Parque Urbano de Ovar inaugurado com pompa, desporto e cultura Publicidade

A população compareceu em grande número, para assistir à inauguração do Parque Urbano da cidade de Ovar FERNANDO SOUTEIRO

A inauguração oficial do Parque Urbano de Ovar reuniu, no passado dia 5 de janeiro, dezenas de pessoas, que se quiseram juntar a uma cerimónia abrilhantada por música, poesia, desporto e espetáculos multimédia. Tratase de uma infraestrutura que se encontra implantada no centro da cidade e que irá, com certeza, transformar a relação das pessoas com os próprios valores naturais da cidade. O Parque Urbano foi inaugurado por Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar, e contou ainda com a presença de inúmeras individualidades, com destaque para Joaquim Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Ovar, Pedro Saraiva, presidente da Comissão de Coordenação de Desen-

volvimento Regional do Centro, do projetista Sidónio Pardal, entidades civis e religiosas, bem como diversos autarcas do concelho. O parque agora inaugurado é um espaço público dotado de relvados, árvores, arbustos, herbáceas e tem no rio Cáster o seu ponto fulcral e de ligação. Como destacou Sidónio Pardal, esta obra foi

O parque agora inaugu rado é inaugurado um espaço público do tado dotado de relvados, árvores, ar bustos, arbustos, herbáceas e tem no rio Cáster o seu ponto fulcral e de ligação.

concebida “à imagem dos parques românticos”. Por outro lado é de destacar que as margens e os muros de suporte dos cursos de água foram construídos em pedra, tornando o espaço acolhedor, que em determinados pontos permite o sossego e a reflexão, revelando ainda traços de multifuncionalidade, pois os visitantes e até as próprias instituições ovarenses poderão utilizá-lo para desenvolver algumas das suas atividades. Sidónio Pardal destacou que “a construção de um parque urbano é um momento singular na vida de uma cidade”, particularmente este, que assegura ter “a escala do mundo”. Manuel Oliveira destacou que o Parque Urbano “é um marco na Regeneração Urbana de Ovar”, onde foram já desenvolvidas diversas obras que resultaram em


praçapública

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

13

Fernando Souteiro

INICIATIVAS

Fernando Souteiro

A cerimónia ficou marcada pela interpretação de diversos números musicais

A poesia esteve presente no Parque Urbano da cidade de Ovar DR

sintam este espaço como seu e a paisagem como sua e que se torne um lugar para onde apetece fugir”. Joaquim Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Ovar reconheceu que este era “um momento importante para a freguesia” e que o mesmo constitui “um motivo de orgulho para todos nós”, recordando que a ideia já tinha surgido há uns anos atrás e que a autarquia lhe deu corpo, mostrando-se satisfeito com a conclusão final. O autarca pediu ainda aos cidadãos ovarenses para “cuidarem e usufruírem” do Parque Urbano. Já Pedro Saraiva, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro, disse que este “é um espaço que fala por si (…), e até permite que as pedras falem”. Pedro Saraiva recordou que o Parque Urbano da cidade contraria a tese vigente numa época em que vivemos de costas voltadas para os rios.

O Clube de Canoagem de Ovar esteve no Rio Cáster Publicidade

“mais cidade”, disse o edil. O presidente da Câmara Municipal de Ovar enalteceu o ‘papel’ de todos os intervenientes na obra e realçou a importância de José Américo, vereador responsável pelo pelouro das obras públicas, “pelo seu constante acompanhamento da obra”. Manuel Oliveira salientou que o “maior volume de investimentos que tem acontecido em Ovar nos últimos anos” não seria possível “sem os fundos comunitários” e referiu que a autarquia se tem pautado “por uma gestão rigorosa e sustentável que catapultou Ovar para um dos melhores municípios em eficiência financeira”. Sobre a obra inaugurada, Manuel Oliveira referiu que esta “valoriza o concelho e a região”, podendo ser o sítio “onde as coisas acontecem, uma nova forma de apropriação do Território na nossa memória coletiva”, disse, desejando ainda que “todos


14 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

CLASSIFICADOS

praçapública


praçadesportiva Jogadores: Patrick, Vitinha, Nuno, Borges, Tiago Lopes, Fernando, Tiago Barroqueiro, Domingos (Muge, 65’), David Joel, Sabry (Jony, 38’) e David Costa (Carlos Alberto, 76’). Treinador: João Rodrigues. Disciplina: Vitinha (35’ e 86’), Nuno (48’). Vermelho por acumulação: Vitinha (86’). Golos: Sabry (23’), Barroqueiro (70’).

Ovarense Local Hora Árbitro

2 1

Jogadores: Hélder, França, Moreira, Rui Santos, Rui Silva, Fábio (Jorge, 73’), Félix (Malhado, 81’), Diogo, Pacheco, Fabrica e Parreira (Zé Luís, 70’). Treinador: António Alberto. Disciplina: Rui Silva (33’), Moreira (65’), Pacheco (80’). Golo: Pacheco (12’, g.p.).

Avanca

Estádio Marques da Silva (Ovar) 15h00 João Carlos (AF Aveiro)

CAMPEONATO DISTRITAL 2ª DIVISÃO

DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

A Ovarense bateu o Avanca B (2-1), no passado domingo, em casa, em jogo a contar para a 15ª jornada do Campeonato Distrital da IIª Divisão - Série B, e segurou o primeiro lugar da tabela classificativa. Os vareiros estiveram em desvantagem no marcador, mas com dois golos de Sabry e Barroqueiro deram a volta ao resultado. O Avanca adiantou-se no marcador logo aos 12 minu-

tos, fruto de uma grande penalidade convertida por Pacheco, contudo a Ovarense respondeu no lance seguinte e Sabry deixou o primeiro aviso. Os vareiros carregaram no ataque e aos poucos tomaram conta do jogo, mas só aos 23 minutos voltaram a criar perigo, novamente por intermédio de Sabry que, dentro da pequena área, respondeu com eficácia a um cruzamento de David Joel, restabelecendo a igualdade. O autor do golo vareiro voltou a construir mais uma jogada de grande perigo, num lance de onde acabou por sair tocado, de tal forma que aos 38 minutos acabou mesmo por ser substituído por Jony, o jogador que haveria de desperdiçar a última grande ocasião da primeira parte. No regresso dos balneá-

A Ovarense ganha três pontos e garante liderança

rios o Avanca voltou a entrar mais forte e por pouco não passou para a frente do marcador quando, aos 54 minutos, o travessão da baliza vareira substituiu Patrick e de-

VICENTINOS ENTRARAM O ANO A VENCER

SV Pereira 1 - 0 Macieira Cambra FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O São Vicente de Pereira sentiu muitas dificuldades para levar de vencida a aguerrida equipa do Macieira de Cambra. Durante a etapa inicial, só de bolas paradas é que os pupilos de Arlindo Reis conseguiram criar perigo para a baliza de Jaime, um jovem que durante alguns anos representou o Centro de Válega. Wilson e Mendes foram os verdadeiros protagonistas deste tipo de lances. No entanto, aos 17 e aos 28 minutos, Lapa e Pinóquio coloca-

ram à prova os reflexos do guardião André. Na sequência de um livre, Mendes, com um bom cabeceamento, inaugurou o marcador. Na resposta, o forasteiro Paulo proporcionou uma excelente defesa a André. Na etapa complementar os vicentinos tentaram controlar a partida e gerir o resultado, mas nem sempre o fizeram da melhor forma e aos 59 minutos, o júnior Lapa surgiu completamente liberto de marcação, mas rematou por cima da trave. Mais tarde, o recém entrado Terra errou o alvo por pouco e o médio

Diogo aproveitou um passe de um contrário, mas Jaime opôs-se com mestria. Esta foi uma vitória arrancada a “ferros”, perante um adversário que nunca virou a cara à luta e valorizou o espetáculo. Arlindo Reis referiu ao PRAÇA PÚBLICA que o jogo “foi muito difícil”, e que o Macieira de Cambra “veio jogar o tudo ou nada”, salientado que a sua equipa “teve a sorte de marcar cedo”.

volveu um remate portentoso de Pacheco. Nos primeiros 15 minutos da segunda parte, a Ovarense teve dificuldades em sair para o ataque e os visitantes aproveitaram para

voltar a criar perigo, só que, desta vez, foi Patrick que, aos 60 minutos, evitou o pior com uma defesa que galvanizou a equipa alvi-negra. Depois de suster o ímpeto

ofensivo dos visitantes, os vareiros responderam no ataque e estiveram perto de marcar, num lance onde o guardaredes do Avanca acreditou no seu golpe de vista e, por pouco, não viu a bola entrar na sua baliza. Não foi neste lance, mas acabou por ser um pouco mais tarde, aos 70 minutos, na sequência de um pontapé de livre, apontado superiormente por Barroqueiro, que colocou a Ovarense na frente do marcador. O técnico dos visitantes reagiu com alterações ao “onze” inicial, mas os vareiros protagonizaram uma ponta final de partida guerreira e objetiva que assegurou a vitória no encontro e a consequente conquista de mais três pontos, que lhe garantem a liderança isolada no campeonato.

Tiago Carriola

Sabry abriu o caminho para a vitória que Barroqueiro confirmou com golo de antologia.

Tiago Carriola

Vitória guerreira confirma candidatura ao título

Vincentinos iniciam o ano com uma vitória num jogo “muito difícil”

SV Pereira: André, Fonseca, Toninho, Mendes, Fábio, Paivinha, Wilson, Teko (Hélder), Diogo, Samuel (Túlio) e Filipe (Terra).


FUTSAL

Casa do Povo de Válega venceu Copa de Natal FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

A equipa da Casa do Povo de Válega Futsal venceu, pelo segundo ano consecutivo, o torneio “Copa Natal”, levado a cabo pela Associação de Futsal de Avanca, o evento desportivo tem como finalidade a angariação de fundos para a Cerciesta (Estarreja). A formação valeguense, orientada por Manuel Carvalho, começou por perder frente à equipa organizadora por quatro golos sem resposta. Seguiu-se um triunfo sobre o Dynamo (Murtosa), por quatro bolas a duas. Nesta partida, os “artilheiros” de serviço foram Miguel Amaral e Ricardo Rodrigues, com dois golos cada. Nas meias-finais a Casa do Povo de Válega teve como opositor a União do Douro, que venceu por três a dois. Roberto Oliveira, Miguel Amaral e Filipe foram os autores dos golos da formação valeguense. Já na finalíssima, a Casa do Povo de Válega defrontou a JUV de São João da Madeira, tendo vencido por uma bola a zero. A formação valeguense utilizou neste torneio: Ricardo Pinho e Daniel Tavares (g.r.), Roberto Oliveira, Ricardo Rodrigues, Hélio, Mané, Miguel Amaral, Ricardo Valente, Luís Mendes e Filipe. Registe-se que este torneio contou com a participação de seis equipas distribuídas por duas séries.

ATLETISMO

Valdágua arranca um passaporte para o nacional Ana Pinho, atleta juvenil, superou o mínimo de participação no Campeonato Nacional de Atletismo, na categoria de juvenis, na disciplina de lançamento de dardo de 500 gramas. Ana bateu o seu recorde pessoal em vários lançamentos, o melhor deles a 28,83m e classificou-se em segundo lugar. Na mesma prova a infantil, Patrícia Silva lançou o engenho de 400 gramas a 23,12m, próximo do recorde distrital do escalão e venceu as infantis. Marta Granja, juvenil, também bateu o seu recorde pessoal no salto em comprimento, com 4,49m e foi quarta classificada. Ana Garrido, sub-23, também se superou no lançamento de disco com um arremesso de 26,62m. Ana Garrido arremessou ainda o martelo de 4kg a 36,05m, próximo do mínimo para o Campeonato Nacional de esperanças e ainda mais próximo do seu máximo pessoal. Os 60m com barreiras foram corridos pela júnior Cátia Coelho, em 10,66m, pela juvenil Marta Granja, em 11.80seg, e pela infantil Patrícia Silva, em 12.73seg. O veterano, 46 anos, Paulo Silva lançou o dardo a 39,29m. Estes resultados foram obtidos no Torneio de Natal da Associação de Atletismo de Aveiro, no dia 29 de dezembro, em Aveiro. Cátia Coelho foi a Braga correr os 60m em pista coberta, no dia anterior. No dia 30 de dezembro as atividades competitivas dos atletas da Associação de Valdágua ficaram a cargo dos mais pequenos: Inês Silva, Pedro Pinheiro e Hugo Pereira participaram no 1º Torneio de Benjamins da época 2012/ 2013, que se realizou em Escapães, com o apoio do clube e da Junta de Freguesia locais.

praçapública

DESPORTO

16 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

ATLETISMO

S. Silvestre de Santo Tirso A corrida de S. Silvestre de Santo Tirso foi disputada no passado dia 29 de dezembro e teve a partida e a chegada na Praça 25 de Abril, em frente à Câmara Municipal. Esta prova, que foi organizada conjuntamente pela autarquia de Santo Tirso e pelo Centro de Atletismo de Santo Tirso, contou com a participação de dois atletas vareiros, em representação do AFIS/ Ovar, que obtiveram as seguintes classificações: Veteranos M55 24º - José Moreira da Silva Veteranos M60 48º - Luís Quintino

S. Silvestre de Lisboa Também na tarde de 29 de dezembro teve lugar, em Lisboa, mais uma edição da São Silvestre de Lisboa. Esta prova de 10 km, cuja organização coube ao Clube Olímpico de Oeiras, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, teve a participação de três atletas do AFIS/OVAR, que obtiveram as seguintes classificações: Sénior Feminino 255ª - Mafalda Carvalho Veteranas 455ª - Lina Cruz Veteranos 4 182º - Severino Cruz

S. Silvestre da Amadora No último dia do ano, correu-se a “S. Silvestre da Amadora”, em Lisboa. Esta prova contou com a participação da vareira Clarisse Cruz que, com o dorsal do Sporting Clube de Portugal, arrancou o segundo lugar, cedendo apenas para a vencedora da prova, Sara Moreira.

GRANDE ENTREVISTA COM ARMÉNIO LEITE

“Pensamos regressar aos c Arménio Leite, de 59 anos, foi um dos homens que mais se empenhou para que a Associação Desportiva Ovarense não se extinguisse. Um fã incondicional do futebol de formação, entregou-se de corpo e alma aos mais jovens, criando condições para que nada lhes faltasse. A atual direção do clube soube reconhecer esse trabalho e no jantar comemorativo do 91º aniversário da coletividade atribuiu o seu nome a um prémio que, no futuro, contemplará quem se dedicar ao clube, tal como ele o tem feito desde há vários anos. FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Qual a sensação de ter sido agraciado durante o jantar comemorativo do 91º aniversário da Associação Desportiva Ovarense? É muito esquisita, porque não estava nada a contar com o prémio. Fiquei feliz e bastante emocionado. Também reconheci que a atribuição daquele prémio tinha a ver um bocado, ou totalmente, com o trabalho que eu desenvolvi dentro deste clube, durante os anos em que aqui estou. O que é que sente pelo fato da direção do clube ter instituído um prémio com o seu nome para distinguir, a partir de agora, pessoas ou atletas da formação? Só foi possível a atribuição do meu nome ao troféu porque na época 2005/2006, como toda a gente sabe, o clube esteve para ser extinto. Foi quando acabou a equipa profissional e numa assembleia, aqui no estádio, houve quem propusesse a extinção do clube. Eu fiz tudo o que estava ao meu alcance. Dei tudo o que tinha e não tinha e trabalhei arduamente para que o clube não fosse extinto. Se calhar ainda existe Ovarense, graças ao trabalho que eu desenvolvi naquela altura. O nome Ar-

ménio Leite aparece, assim, ligado a este troféu por aquilo que eu fiz para que o clube não acabasse. Tenho de salientar que, no atual momento, há gente a trabalhar neste clube que merecia prémios superiores àquele que eu recebi. Se calhar uma miniatura do estádio, ou uma miniatura da cidade de Ovar, porque há diretores, e não só, que muito trabalham para que o clube não acabe. Seria bom que a população de Ovar reconhecesse, se apercebesse ou que soubesse o trabalho que se desenvolve. O que é que o levou a interessarse pelo futebol de formação da Ovarense? Interessei-me pelo futebol de formação, como pelo futebol total. Hoje não tenho a minha saúde toda, mas sempre procurei dar o melhor que pude em prol deste clube, quer fosse nos escalões de formação, quer fosse no futebol sénior. Eu lembro-me que, quando a Ovarense tinha equipas profissionais, era apenas seccionista, e mesmo assim trabalhava arduamente para colaborar com a direção, para que as coisas também funcionassem. É claro que não era eu que resolvia tudo sozinho, mas dava o meu contributo. A grande razão pelo meu interesse é a paixão que eu tenho por este clube. Qual é o com-

portamento dos escalões de formação da Ovarense Futebol? Temos, neste momento, oito equipas de futebol de formação. Temos uma equipa de traquinas, duas de benjamins, duas infantis e iniciados, juvenis e juniores. Temos mais uma de traquinas que não está em competição. Por vezes temos o azar de apanhar algumas equipas extremamente fortes, que é o caso da Oliveirense, Sanjoanense e Feirense, que não nos permitem alcançar o primeiro lugar, que nos poderia dar a possibilidade de alcançarmos alguns títulos. Penso que estamos a trabalhar bem, dentro da realidade que temos e as nossas equipas correspondem. Prova disso é que, cada vez mais, se vê atletas a quererem ingressar no clube. Se os pais dos miúdos estão connosco é porque confiam na atual direção e veem que esta e os treinadores de formação estão a trabalhar em função daquilo que eles também pensavam. Convém também realçar que a Ovarense, apesar das dificuldades todas que tem é, no distrito, o 12º clube com mais jogadores inscritos. A realidade atual é muito diferente de há uns dez anos atrás? É um bocado diferente, porque nós, há uns dez anos atrás, treinávamos e jogávamos no Torrão do Lameiro ou treinávamos e jogávamos em Arada, ou ainda treinávamos e jogávamos em Tarei. Pelo menos foram esses três campos que eu conheci. Era complicado, porque tínhamos só uma carrinha. Os atletas concentravam-se no estádio e depois tínhamos de os deslocar para os respetivos campos. Às vezes tínhamos de ir duas e três vezes. Aquilo tinha custos. Hoje é mais fácil, porque se treina no Centro de Formação e, uma vez ou outra, os juniores treinam no estádio, o que facilita as coisas. Atualmente, e tendo em conta a crise que se vive, temos de combater um bocado isso.


praçapública

DESPORTO

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

17

Fernando Souteiro

campeonatos nacionais” “... hoje, os miúdos preferem jogar e treinar no sintético, do que treinar e jogar num pelado, mas não deixa de ser verdade que há muitos atletas de outros clu bes clubes bes,, aqui do nosso concelho concelho,, que ingressam na Ovarense”

Temos os juniores em formação/competição, que passaram à fase seguinte, para a série dos primeiros. Os juvenis, ‘morreram’ na praia. Poderiam também ter ido à série dos primeiros. Mas temos os iniciados, que golearam os seus adversários quase todos. Também passaram à fase seguinte e irão disputar a série dos primeiros, que eu penso que é extremamente significativo. “GOSTARÍAMOS DE TER NO CENTRO DE FORMAÇÃO OUTRO TIPO DE CONDIÇÕES” Arménio Leite

O clube dispõe das

condições necessárias para dar comodidade, conforto e, acima de tudo, dar o prazer daquilo que eles tanto gostam de praticar? É claro que nós sempre dissemos que gostaríamos de ter lá em cima, no Centro de Formação, outras condições. Aqui, no estádio, temos condições para que os nossos atletas treinem e joguem. Gostaríamos de ter lá em cima outro tipo de condições, um relvado sintético no campo de onze, no campo de sete. Temos uma caixa ao lado que lhe falta um piso e gostaríamos que a população de Ovar reparasse nisso e que nos ajudasse a transformar aquele Centro de Formação em melhores condições. Aquelas que os miúdos, se calhar, sonham, ou que veem noutros clubes. O fato dos juniores, juvenis e iniciados jogarem no estádio Marques da Silva é uma mais-valia para os atletas que integram estas equipas? Penso que sim. O Centro de Formação fica um pouco fora da cidade e aquilo que se verifica em termos de iniciados, juvenis e juniores, nos jogos aqui no estádio, é que a afluência das pessoas é bastante grande. Que importância atribui ao fato das equipas de futebol de ‘onze’ terem obtido, até ao momento, 75% de vitórias, com uma média de 3,5 golos marcados e de apenas um sofrido, por jogo?

Isso tem a ver um bocado com a filosofia do clube. Nós não somos um clube rico. Somos um clube que tem 91 anos de existência e pensamos a curto/médio prazo regressar aos campeonatos nacionais. Os treinadores que temos, de alguma forma são escolhidos com algum cuidado, por forma a que desenvolvam um trabalho sério para que, de fato, isso aconteça. Penso que isso é mérito dos jogadores, mas também mérito do trabalho dos nossos treinadores. É capaz de existir alguma. Eu não me queria pronunciar muito sobre esse tipo de rivalidade. É evidente que, aqui e ali, eu também sinto que ela existe, que ela é bem patente. Acho que não há uma razão plausível para que esse tipo de rivalidade exista. Sou da opinião que devíamos procurar um entendimento entre todos os clubes. Não basta só um clube querer, têm de ser todos a pretenderem, para que pudéssemos ter aqui um grande clube e, se calhar, pelo seu passado, a Ovarense é o clube mais representativo do nosso concelho. O que é que falta em Ovar para que as equipas ovarenses possam ombrear ainda mais com as dos concelhos vizinhos? Melhores condições, campos sintéticos, pois como já disse, hoje os miúdos reparam um bocado nisso. Preferem jogar e treinar no sintético do que treinar e jogar num pelado, mas não deixa de ser verdade que há muitos atletas de outros clubes, aqui do nosso concelho, que ingressam na Ovarense. Publicidade


praçapública

ATRELAGEM

Trio valeguense sagra-se campeão nacional

Tiago Carriola

DESPORTO

18 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Praia do Furadouro

PRIMEIRO BANHO DO ANO – “RUMO AO ATLÂNTICO”

A melhor maneira de começar o novo ano e obtendo o segundo lugar na Taça de Portugal e no Campeonato Regional do norte. Estas conquistas foram conseguidas em parelha de póneis e ambos contaram

António Reis

com a presença do groom André Dias. Estes dois jovens frisaram ao PRAÇA PÚBLICA que quanto aos feitos conquistados “é um orgulho imenso, pois representa todo o trabalho que temos efetuado”. De referir que António Reis se dedica à atrelagem há quatro anos e teve influências familiares na escolha desta modalidade, nomeadamente do pai e do tio, António e Manuel Reis. Estes dois jovens juntamente com o groom André Dias treinam cinco dias por semana e cerca de 90 minutos diários.

A tradição do 1º banho do ano voltou a cumprir-se na Praia do Furadouro, em Ovar. Na manhã do primeiro dia de 2013, o AFIS/OVAR convidou a população a descer da cidade à praia para, num misto de arrojo e valentia, mergulhar nas águas revoltas do Atlântico, como forma de dar as boas vindas

ao novo ano. Numa manhã solarenga, não faltou quem quisesse demonstrar a sua coragem e enfrentar a bravura do mar, perante o olhar atento e curioso de muitos que, apesar de não terem demonstrado a vontade de pisar a areia molhada, não deixaram de marcar a sua presença nesta ini-

ciativa, que já é uma referência na passagem do ano em terras vareiras. Com as almas já purificadas pelas águas cristalinas do Atlântico, os corpos foram aconchegados com um brinde a 2013 e com uma fatia de bolo-rei, que serviu de alimento para o regresso. Para o ano, há mais!

Tiago Carriola

Manuel Reis

Fernando Souteiro

Três jovens do concelho de Ovar têm dado nas vistas nesta espetacular modalidade desportiva. António Reis, de 16 anos, foi campeão nacional na Golegã e venceu, igualmente, a Taça de Portugal, que teve lugar na Exponor, em Matosinhos. Por sua vez, foi também vencedor do Campeonato Nacional e da Taça Regional do norte, prova que teve lugar em Cabeceiras de Basto. Já Manuel Reis, que é o primeiro ano em que está envolvido na atrelagem, teve uma estreia auspiciosa, sagrando-se campeão nacional

Fernando Souteiro

FERNANDO SOUTEIRO

Praia de Cortegaça

CORTEGAÇA - GRUPO “DE FACA E GARFO”

CANOAGEM

DR

Liliana Resende e Pedro Costa chamados à seleção nacional

A atleta no estágio de junho de 2012

Ryszard Hoppe, selecionador nacional de canoagem em velocidade divulgou, no passado dia 7, a lista dos atletas convocados para o segundo estágio da Seleção Nacional Júnior, previsto no Plano de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ca-

noagem, para a nova época desportiva de 2013. Este estágio será dividido por dois locais, um no norte do país, em Gaia com a presença de oito atletas e outro no sul, a realizar em Mértola, e que contará com a presença de dez atletas.

Este estágio terá início no dia 19 de janeiro, de manhã, e fim no dia 26, sábado. Pelo Clube de Canoagem de Ovar foram novamente selecionados Liliana Resende, em K1, e Pedro Costa, em C1, e estagiarão em Mértola.

Primeiro banho do ano atraiu muitas pessoas FERNANDO SOUTEIRO

Pelo 13º ano consecutivo, o grupo “De faca e garfo” levou a efeito, na praia de Cortegaça, o tradicional “1º banho do ano”, que reuniu mais de três dezenas de participantes, de ambos os sexos e diferentes faixas etárias. Ao princípio da tarde do primeiro dia do ano começaram a chegar os mais destemidos e, aos poucos, o grupo foi aumentando. Como anunciava o cartaz “é preciso curagem”, e estas pessoas, entre as quais diversas crianças, atiraram-se ao mar, no sul da praia cortegacense, perante o

olhar e o incentivo de largas centenas de visitantes que se aglomeraram junto às rochas. O PRAÇA PÚBLICA esteve à conversa com dois elementos do grupo organizador do evento, que principiou em 2001, como uma mera brincadeira, e que é atualmente um marco importante desta instituição e da própria vila de Cortegaça. Jorge Dias destacou que a iniciativa teve “muita aderência” e referiu que na edição deste ano “apareceu gente nova, muitas senhoras e crianças”. Cipriano Gomes, um dos fundadores da instituição referiu que “o pessoal aderiu

bem” e relembrou que o grupo “De faca e garfo” realiza, anualmente, este “1º banho do ano”, um jantar de Carnaval, uma descida de carrinhos de rolamentos e um passeio de bicicleta, no verão. Por outro lado admitiu serem “poucos, mas bons”, fazendo questão de frisar que, para pertencer ao grupo é preciso obedecer e “fazer certas provas que temos nos nossos estatutos”. A alegria, a diversão, o espírito de camaradagem prevaleceram ao longo deste evento, que terminou, à mesa, com chouriço caseiro, bolorei e vinho do Porto, entre outros.


praçapública

Ponte Nova vence dérbi concelhio

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Algés 69 Ovarense 70 Gonçalo Stringfellow nj Cristovão Cordeiro 14 José Barbosa 04 Júlio Silva 00 Sergi Coll 16 Nuno Morais nj Fernando Neves 17 Miguel Miranda 13 João Ribeiro nj Emanuel Sá 06 Pedro Costa 00 Renato Fião nj Treinador: Carlos Pinto

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

No Campeonato Nacional da 2ª divisão houve dérbi concelhio e Associação Recreativa e Cultural (ARC) da Ponte Nova defrontou e venceu o Centro Cultural e Recreativo (CCR) de Válega, por 4-1. Pela formação da Ponte Nova participaram na partida, Bruno Almeida, Renato Marques e Hugo Rocha, enquanto que a turma valeguense se fez representar por Álvaro Resende, Joel Pinho e Vítor Tavares. Por sua vez, no Campeonato Distrital de equipas, na categoria de seniores masculinos, o CCR de Válega perdeu contra o Cenap (Esgueira-Aveiro), igualmente por 4-1. Nesta partida deram o seu contributo, à equipa valeguense, os jovens cadetes Rodrigo Domingues e João Silva. Por sua vez, o Clube Recreativo (CR) de Arada derrotou o Válega (4-1) e o Cenap (4-2), perdendo contra o Clube de Campismo de São João da Madeira, por 4-1. A formação aradense é formada por Delmar Marques, Hélder Silva, João Resende, Bruno Almeida e Pedro Silvares. No Campeonato Distrital de Equipas, na categoria de juniores, a ARC da Ponte Nova vai defrontar o Lourosa (A), para o apuramento do quinto e sexto lugar. A formação do nosso concelho tem utilizado nos diversos encontros, os jovens Jorge Brás, Ruben Correia e André Martins. Já o CR de Arada perdeu frente à Oliveirinha (2-4) e contra o Lourosa (0-4). Bruno Almeida, João Resende, João Santos e Ruben Costa têm jogado por esta equipa. Em cadetes masculinos, o CR de Arada está a competir com duas equipas. O Arada (A) venceu a Juventude de Sanguedo e o Colégio de Calvão, pela contagem máxima. Já o Lourosa (B) bateu a equipa aradense por 4-1. No próximo dia 27 a turma aradense vai disputar um dos quatro primeiros lugares. Jogaram por esta equipa, João Resende, João Santos, Ruben Costa e Vasco Valente. Por sua vez, a equipa B derrotou o Bairro da Misericórdia pela contagem máxima e perdeu por igual resultado frente à Casa do Povo da Oliveirinha. Voltou a conhecer o sabor amargo da derrota nos dois jogos seguintes, contra o Colégio de Calvão e frente ao Lourosa (A), ambos por 4-2. Esta equipa é formada por Vera Marques, Pedro Almeida e Ruben Coelho. No escalão de cadetes femininos, o CR de Arada perdeu contra o Lourosa, por 4-1, e derrotou a Juventude de Sanguedo, por 42. Vera Marques e Rafaela Resende são as mesatenistas que representam o CR de Arada nesta categoria. Em termos individuais, João Resende conquistou o terceiro lugar no campeonato de cadetes, enquanto que João foi nono e Vasco Valente e Ruben Costa arrecadaram a 14ª e 16ª posição. Em cadetes femininos, as atletas do CR de Arada ficaram nos dez primeiros, Rafaela Resende (6ª) e Vera Marques (9ª). Em pares masculinos, a dupla João Resende/João Santos arrecadou o terceiro posto, enquanto que o duo Ruben Costa/Vasco Valente ficou no quinto lugar. Em pares mistos, a dupla João Resende/Vera Marques obteve a terceira posição. No escalão de infantis, Pedro Almeida foi terceiro. Já em seniores, Hélder Silva obteve o 16º posto.

19

12ª JORNADA

Tiago Carriola: Foto de arquivo

TÉNIS MESA

DESPORTO

11ª JORNADA

Benfica 91 Ovarense 80 Gonçalo Stringfellow nj Cristovão Cordeiro 02 José Barbosa 15 Júlio Silva 02 Sergi Coll 28 Nuno Morais nj Fernando Neves 06 Miguel Miranda 22 Pedro Costa nj Renato Fião nj João Ribeiro nj Emanuel Sá 05 Treinador: Carlos Pinto

A conquista da vitória vareira foi conseguida no último segundo do jogo

VAREIROS SOFRERAM E SÓ CHEGARAM AO TRIUNFO NO ÚLTIMO SEGUNDO DA PARTIDA

Cesto incrível de José Barbosa garantiu triunfo em Algés Os dois pontos apontados por José Barbosa, no último segundo do jogo frente ao Algés, garantiram a conquista da vitória vareira. Os alvi-negros estiveram perdulários nos últimos instantes do encontro, mas o capitão acabou por resolver. DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

A Ovarense sofreu, mas venceu o Algés (69-70), no passado sábado, em jogo a contar para a 12ª jornada da Liga Portuguesa de Basquetebol. Os vareiros entraram melhor no encontro e durante os dez minutos iniciais conseguiram reduzir o ataque do Algés a uns escassos 13 pontos, que permitiram construir a primeira vantagem significativa da partida (13-21) favorável à equipa de Carlos Pinto. Contudo, os donos da casa reagiram no período seguinte e até ao intervalo trataram de equilibrar as contas e com um parcial de 20-12 igualaram o marcador (33-33) e lançaram uma segunda parte verdadeiramente emotiva.

No regresso dos balneários a Ovarense voltou a surpreender o Algés com um parcial de 13-20, que parecia indicar o desfecho do jogo, só que a equipa de Lisboa não entregou os pontos e, embalada pela exibição portentosa de Rui Quintino (21 pontos e 9 ressaltos), reequilibrou o jogo e, consequentemente, adiou a decisão da partida para os instantes finais. Já no último minuto, a Ovarense desperdiçou da linha de lance livre a oportunidade de sentenciar o resultado final e permitiu a Rui Quintino virar o marcador (69-68), quando faltavam cinco segundos para o apito final. O treinador vareiro parou o jogo com um desconto de tempo e traçou a derradeira jogada da tarde, que acabou com uma penetração

do José Barbosa, onde o capitão acabou por concretizar, desenquadrado com o cesto, os dois pontos que garanti-

ram o triunfo. Miguel Miranda (13 pontos e 17 ressaltos) voltou a ser a “pedra de toque” do conjunto alvi-negro, que contou ainda com as excelentes exibições de Fernando Neves (17 pontos e 2 ressaltos), Sergi Coll (16 pontos e 5 ressaltos) e Cristóvão Cordeiro (14 pontos e 3 ressaltos).

Resultados da Formação Seniores Fem. SIMECQ 54 Ovarense 56

Sub 16 M (A) Ovarense 70 Brandoense 30

Sub 20 M Ovarense Gaia

81 43

Sub 16 M (B) Gafanha 47 Ovarense 48

Sub 19 F Vagos Ovarense

53 58

Sub 14 F Esgueira Ovarense

Sub 18 M Illiabum Ovarense

55 42

Sub 14 M (A) Ovarense 86 Ginásio 62

Sub 16 F Ovarense C. Calvão

50 34

Sub 14 M (BCO) Oliveirense 63 BCO 59

46 42


FUTEBOL FORMAÇÃO - INICIADOS

RESULTADOS 14ª jornada Esmoriz 1 Rio Meão 1 0 2

Rocas do Vouga 1 Ovarense 2 S.V. Pereira M. Cambra

1 0

15ª jornada Rio Meão 3 Cortegaça 1 Alvarenga Esmoriz

1 0

Ovarense Avanca B

2 1

Valonguense S.V. Pereira

4 0

DISTRITAL SÉRIE Equipa J Esmoriz 14 Soutense 14 Caldas S. Jorge 14 Real Nogueirense 13 Macieirense 14 Rio Meão 14 Lobão 13 Alvarenga 13 Argoncilhe 14 Sanguêdo 14 Mosteirô 13 ACRD Mosteirô 14 Cortegaça 14

DIVISÃO A V E D P 11 1 2 34 10 1 3 32 9 2 3 29 8 1 4 25 6 4 4 22 5 4 5 19 6 1 6 19 6 1 6 19 5 3 6 18 4 5 5 17 3 4 6 13 2 1 11 07 0 0 14 00

DISTRITAL - 2ª DIVISÃO SÉRIE B Equipa J V E D P Ovarense 14 11 2 1 35 SV Pereira 14 10 1 3 31 Beira-Vouga 14 9 2 3 29 AD Valonguense 14 8 4 2 28 M. Cambra 14 8 2 4 26 Avanca B 13 8 0 5 24 Pinheirense 14 6 2 6 20 Bom-Sucesso 14 5 4 5 19 Rocas do Vouga 14 3 4 7 13 Gafanha 14 2 5 7 11 Macinhatense 13 2 2 9 08 Santiais 14 1 2 11 05 Palmaz 14 1 2 11 05

BASQUETEBOL LIGA DE Equipa Ovarense Benfica Guimarães Académica Barcelos Galitos CAB Física Lusitânia Sampaense Algés

PORTUGUESA BASQUETETBOL J V D P 5 4 1 9 4 4 0 8 4 4 0 8 4 3 1 7 5 2 3 7 5 1 4 6 3 2 1 5 4 1 3 5 4 1 3 5 4 1 3 5 4 0 4 4

Válega 0 - 1 Avanca FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SOUTEIRO

Frente a frente estiveram duas equipas com objetivos completamente diferentes, mas isso parece não ter amedrontado os jovens valeguenses, comandados por Diogo Padrela e Tiago Maia, que souberam contrariar o futebol mais evoluído do seu opositor. A formação do Avanca, treinada por Rui Miguel e António Santos, teve mais posse de bola, mas raramente criou situações flagrantes de golo para a baliza defendida por Tiago. A equipa da casa, jogando com dois homens mais adiantados, Chico e Leonardo, tentou tirar partido do contra-ataque e foi numa dessas jogadas que Leonardo tentou entrar, através de iniciativa individual, na defesa contrária, mas a jogada foi anulada por um defesa avancanense. Na resposta, o Avanca desenvolveu um ata-

Fernando Souteiro

SÉNIOR

Num jogo difícil, frente ao Avanca, os valeguenses acabaram por perder pela margem mínima

que rápido pela direita e abriu o ativo. Na segunda parte, Chico isolou Leonardo, mas a defensiva contrária foi mais rápida que o dianteiro valeguense. O Válega jogava numa toada mais defensiva e tentou equilibrar a partida a meio-campo, o que acabou

por conseguir. Já na parte final do encontro, o guardião da casa negou o golo aos visitantes, por duas vezes, e através de um contra-ataque protagonizado por Chico, este criou perigo para a baliza adversária. No fim de contas, vitória justa do Avanca, valorizada

pela atitude aguerrida da formação da casa. O técnico valeguense, Diogo Padrela, admitiu ao PRAÇA PÚBLICA que “era um jogo que tínhamos a noção que ía ser difícil. Defrontámos o líder e perder por um a zero foi para nós um resultado positivo”.

Válega: Tiago, Pedro Mané, Leonardo, Bruno, Ricky, Gonçalo, Miguel, Bruno II, Leonardo Torres, Amaral e Chico. Jogaram ainda: Paulo, Miguel e Saviola.

FUTEBOL FORMAÇÃO – TRAQUINAS

Furadouro 5 - 1 Ovarense FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Furadouro venceu a Ovarense (5-1), num encontro onde os donos da casa demonstraram superioridade absoluta. Os alvi-negros até estiveram a vencer, com um golo apontado por Pedro Oliveira, mas o Furadouro acabou por inverter a tendência do marcador, primeiro por Telmo, que empatou o resultado, e mais tarde por intermédio de Gabi, que colocou a sua equipa em vantagem, na saída para os balneários. Na segunda parte, os pupilos de Hugo Malheiro adaptaram-se melhor às condições do campo e Rodrigo Malheiro, ao apontar o 3-1, acabou com as esperanças dos ovarenses, que ainda viram Telmo bisar na partida e André fixar o resultado final. Hugo Malheiro, treinador da turma da casa, admitiu que a sua equipa “foi claramente superior” destacando a “evidência do resultado”.

Fernando Souteiro

FUTEBOL

Cortegaça Lobão

praçapública

DESPORTO

20 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O Furadouro foi melhor na segunda parte e desequilibrou o marcador

Quanto ao comportamento da equipa ao longo desta primeira fase, o técnico considerou que o seu conjunto “fez uma primeira volta muito boa” destacando que “a segunda, não nos correu tão bem” Daniel Cruz, técnico da

Ovarense, disse que o jogo começou bem para a Ovarense e que a sua equipa “fez uma boa primeira parte”, contudo referiu o revés “da chuva, que não veio ajudar” contudo, deu os parabéns à sua equipa “pelo quarto lugar alcançado”.

Furadouro: Jorginho, Pedro, Renato, André, Rodrigo Malheiro, Gabi e Telmo. Jogaram ainda: Villas, Tomás e Gui. Ovarense: João Paulo, Pedro Teles, João Graça, Pedro Oliveira, Filipe, Rodrigo e João Filipe. Jogaram ainda: Vieira, Tomás, Carolina e Joãozinho.


praçapública

momentos de música Filipe Pinto Cerne O disco de estreia de Filipe Pinto, intitulado “Cerne”, foi editado no dia 17 de Setembro 2012. Autor de todas as suas letras, compositor de todas as suas músicas, intérprete e produtor, Filipe Pinto é mais do que um artista, um músico na verdadeira aceção da palavra. “Insónia” é o nome do single de apresentação do primeiro disco do grande vencedor do programa “Ídolos”.

ÓCIO DO POVO

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

21

momentos de leitura Duas Vidas Jessica Thompson

Quando os olhares de Sienna e Nick se cruzam, poderia ter sido amor à primeira vista... se Sienna não tivesse resistido com todas as suas forças. Se a intensidade dos olhos de Nick não a tivesse intimidado, levando-a a pensar de imediato: Estes olhos. Não. Te. Deixes. Levar. Por. Eles. Nick é igualmente apanhado de surpresa e logo se arrepende de não ter agido a tempo. Mas o ritmo de Londres é implacável. Separados e engolidos pela multidão, sabem que a probabilidade de voltarem a encontrar-se é quase nula. Quase... Mas o impensável acontece: Sienna e Nick voltam mesmo a encontrar-se. Muitas vezes. E no ambiente menos romântico que se possa imaginar. Esta quase podia ser a história de duas pessoas que não estão destinadas a viver o amor das suas vidas. Quase... Publicidade

momentos de diversão Descubra as sete diferenças

momentos de sudoku momentos de diversão


22 Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

DIVERSOS

farmáciasdeserviço Ovar

Maria otília Dias Correia 70 anos Rua Castilho - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Hoje, dia 16 Farmácia Lamy .............................. 256 572 594 Amanhã, dia 17 Farmácia Central ...................... 256 572 145 Sexta, dia 18 Farmácia Rodrigues ..................... 256 572 226 Sábado, dia 19 Instituto Pereira Zagalo .............. 256 574 606 Domingo, dia 20 Farmácia Manuel Castro ......... 256 572 185 Segunda, dia 21Farmácia Lamy ......................... 256 572 594 Terça, dia 22 Farmácia Central ........................... 256 572 145 Quarta, dia 23 Farmácia Rodrigues ................... 256 572 226 Quinta, dia 24 Instituto Pereira Zagalo ................ 256 572 226 Sexta, dia 25 Farmácia Manuel Castro .............. 256 574 606 Sábado, dia 26 Farmácia Lamy .......................... 256 572 185 Domingo, dia 27 Farmácia Central ..................... 256 572 594 Segunda, dia 28 Farmácia Rodrigues ................. 256 572 145 Terça, dia 29 Instituto Pereira Zagalo .................. 256 572 226

Válega Francisco André Bouturão 83 anos Rua da Granja - São João de Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

António da Silva Covas 75 anos Bairro do Casal - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Manuel Lopes Fião 84 anos Rua Caminho da Gaia - Marinha - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Margarida Oliveira Veiros 69 anos Rua da Parvoíce - Ribeira - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Rita Emília Seixas Santos (Ruela) 78 anos Rua Dr. José Falcão - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Álvaro Marques Vasconcelos 78 anos Rua Graça Afreixo - São João de Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

José Maria de Pinho Leite 82 anos Rua de São Goldrofe - Guilhovai - S.J. de Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Maria da Conceição Cruz Rodrigues da Fonseca 44 anos Rua do Casal - Cimo de Vila - S.J. de Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

De 16 a 20 Farmácia Lopes Rodrigues .............. 256 502 215 De 21 a 25 Farmácia Resende ........................... 256 502 152 De 26 a 30 Farmácia Lopes Rodrigues .............. 256 502 215

Esmoriz

De 16 a 20 Farmácia Moderna ........................... 256 752 150 De 21 a 25 Farmácia Central .............................. 256 758 117 De 26 a 30 Farmácia Barbosa ............................ 256 751 090

telefonesúteis

Hospital de Ovar ............................................. 256 579 200 Unidade de Saúde Familiar João Semana ........ 256 590 050 Unidade de Saúde Familiar da Barrinha ........... 256 785 170 Unidade de Saúde Familiar de S. João ............. 256 509 060 Extensão de Saúde Furadouro ......................... 256 591 114 Extensão de Saúde Maceda ............................. 256 791 351 Extensão de Saúde Arada ................................ 256 793 440 Extensão de Saúde Cortegaça ......................... 256 752 233 USF Alpha - Pólo de S. Vicente de Pereira ....... 256 890 406 USF Alpha - Pólo de Válega ............................. 256 502 260 Bombeiros Voluntários de Ovar ....................... 256 572 122 Bombeiros Voluntários de Esmoriz .................. 256 752 122 Segurança Social de Ovar ............................... 256 572 031 Serviço Social ................................................. 256 573 240 PSP ................................................................. 256 580 890 GNR Ovar ....................................................... 256 572 629 GNR Esmoriz .................................................. 256 750 240 Central Táxis ................................................... 256 573 369 Táxis Ovar ....................................................... 256 573 111 Táxis S. João de Ovar ...................................... 964 220 615 Táxi Carlos da Ponte ........................................ 917 571 909 Táxis Esmoriz .................................................. 256 754 650 Táxis Cortegaça .............................................. 256 753 305 Táxis S. Vicente de Pereira .............................. 256 890 657 Táxis Maceda .................................................. 917 540 236 CP Informações .............................................. 808 208 208 CP de Esmoriz ................................................. 256 752 999

praçapública


praçapública

DIVERSOS

Quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Cristina Luísa Moura Ramos JUSTIFICAÇÃO

Confraria do Santíssimo Sacramento da Paróquia de São João de Ovar Convocatória

Certifico narrativamente, para efeitos de publicação que, neste Cartório e no Livro de notas para escrituras diversas, número cento e doze - A, a folhas quarenta e nove, se encontra exarada uma escritura de justificação notarial, outorgada em oito de Janeiro de dois mil e treze, na qual, MARIA GOMES DA SILVA, contribuinte 129 587 940 e marido DOMINGOS DE OLIVEIRA BARBOSA, contribuinte 169 618 870, casados no regime da comunhão geral, naturais, respectivamente, da freguesia de Maceda e da freguesia de Ovar, ambas do concelho de Ovar, residentes na Rua da Carvalheira, nº 65, na dita freguesia de Maceda, Declararam que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, do prédio rústico sito em Cordões Velhos, freguesia de Maceda, concelho de Ovar, composto de pinhal com mato, com a área de quatro mil e setecentos metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel Rodrigues Pereira, do sul com Américo de Jesus Pereira Frade, do nascente com Rego de Água e a poente com Base Aérea (Nato), inscrito na matriz sob o artigo 972, em nome do justificante marido, omisso na competente Conservatória do Registo Predial. Que este prédio adveio à sua posse por partilha não titulada por óbito de Ana Gomes Pereira e marido Francisco da Silva Henriques, casados sob o regime da comunhão geral, residentes que foram no lugar de Carvalheira, freguesia de Maceda, concelho de Ovar, em data que não conseguem precisar do ano de mil novecentos e setenta e dois. Que, desde essa data, os justificantes têm possuído o dito prédio em nome próprio e sem a menor oposição de quem quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, à vista e com conhecimento de toda a gente e traduzida no cultivo da terra e recolha do mato e dos respectivos frutos, bem como em todos os demais actos materiais de fruição e também dos de conservação, pagando os respectivos impostos, sendo, por isso, uma posse pacífica, porque exercida sem violência, de boa fé, por ignorarem lesar direito alheio, contínua, sem qualquer suspensão ou interrupção e pública. Como esta posse assim exercida o foi sempre de forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, acabaram por adquirir o prédio por usucapião, que invocam para justificar o direito de propriedade para fins de registo predial, dado que este modo de aquisição não pode ser comprovado extrajudicialmente de outra forma. Está conforme ao original Santa Maria da Feira, oito de Janeiro de dois mil e treze A Notária, Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013 Conta Registada sob o nº. 60

O presidente da mesa da Assembleia Geral da Confraria do Santíssimo Sacramento da Paróquia de São João de Ovar, ao abrigo do artigo 8º, dos Estatutos, convoca todos os irmãos para uma Assembleia Geral, a realizar no próximo dia 26 de janeiro, pelas 21h00, no Salão Paroquial de São João de Ovar, com a seguinte Ordem de Trabalhos: - Apresentação do relatório e Constas do exercício de 2012. São João de Ovar, 8 de janeiro de 2013 O presidente da Mesa da Assembleia Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013 Antero Resende de Oliveira

Mariana Bessa Martins Notária em Ovar Nif.: 228311489 Rua Engº Adelino Amaro da Costa, n.º 252, r/ch esq. 3880-214 OVAR Tel e Fax. 256589 112 e-mail: notariamarianamartins@hotmail.com

CERTIFICO narrativamente, para efeitos de publicação, que neste Cartório, no dia 3 de Janeiro de 2013, iniciada a fls. 6, do livro de escrituras diversas número 25 A, foi celebrada escritura de Justificação, pela qual a) Rosa Ester Marques Valente, casada com Anselmo José de Almeida Duarte sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Válega, concelho de Ovar, onde é residente na Rua de Real de Cima, n° 229; b) Maria do Céu Marques Valente Fonseca, casada com Manuel Luís Pinho da Fonseca sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da mencionada freguesia de Válega, residentes em França, em 57 Rue de Narvick, 38670 Chasse Sur Rhone (representada por Sandrine Valente da Fonseca), c) Fernando Manuel Tavares Valente, solteiro, maior, natural da freguesia de Bunheiro, concelho da Murtosa, onde é residente na Rua da Regueira Nova, n° 23; e d) Manuel Marques Valente e mulher Rosa Clara Tavares da Cruz, casados sob o regime da comunhão geral, naturais, ele da indicada freguesia de Válega, ela da dita freguesia de Bunheiro, concelho da Murtosa, onde são residentes na Rua da Regueira Nova, n° 23, Bestida, declararam que, com exclusão de outrem, os referidos Rosa Ester Marques Valente e Maria do Céu Marques Valente Fonseca, ambas em propriedade plena, Fernando Manuel Tavares Valente em nua propriedade (na proporção de um terço para cada um dos indicados) e Manuel Marques Valente e mulher em direito de usufruto (sobre o terço pertencente ao filho Fernando Manuel), são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do prédio rústico, composto de terreno de mato de pinhal, sito em Braziela, freguesia de Válega, concelho de Ovar, com a área de três mil oitocentos e setenta e três vírgula noventa e um metros quadrados, a confrontar do norte com caminho e rio, do sul com Maria do Céu Marques Valente, do nascente com caminho e do poente com caminho de servidão e António Maria de Pinho Chibante, inscrito na matriz sob o artigo 5839, descrito na Conservatória do Registo Predial de Ovar sob o número seis mil quatrocentos e vinte e oito e ali inscrito a favor de Francisco Rodrigues de Sá Inácio, casado, residente que foi no lugar de Ervideira, dita freguesia de Válega, pela Ap. quatro, de dezasseis de Agosto de mil novecentos e quarenta e oito. Que Rosa Ester, Maria do Céu e Manuel adquiriram em comum, ainda menores, o indicado prédio por compra feita por seu pai João Maria Valente a Maria Alves Ferreira, viúva do titular inscrito na Conservatória, o referido Francisco Rodrigues de Sá Inácio, por escritura de vinte e um de Março de mil novecentos e setenta e dois, iniciada a folhas sessenta e quatro, do livro B -vinte e nove do então Cartório Notarial de Ovar, conforme certidão que me exibiram. Posteriormente, os outorgantes da alínea d) doaram a sua fracção de um/terço a seu filho Fernando Manuel, ora outorgante da alínea c), reservando para si o direito de usufruto vitalício simultâneo e sucessivo, por escritura de Doação outorgada em oito de Fevereiro de dois mil e dez, iniciada a folhas cem, do livro setenta - E do Cartório Notarial em Estarreja a cargo do Notário Manuel Augusto Esteves Raposo, de que me foi exibida certidão. Que a mencionada Maria Alves Ferreira adquiriu a propriedade do prédio supra por partilha ajustada e não titulada a que, com os demais herdeiros, procedeu por óbito de seu marido, o titular inscrito Francisco Rodrigues de Sá Inácio, em data que não podem precisar do ano de mil novecentos e setenta e dois, não tendo os justificantes, por isso, titulo formalmente válido que legitime esta transmissão por partilha. Que, não obstante isso, os justificantes, na proporção dos respectivos direitos, por si e seus antepossuidores, têm usufruído o mencionado prédio, usando todas as utilidades por ele proporcionadas, pagando os respectivos impostos, com ânimo de quem exerce direito próprio, sendo reconhecidos por seus donos por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorarem lesar direito alheio, pacificamente porque sem violência, continua e publicamente à vista e com conhecimento de toda a gente, sem oposição de ninguém, tudo isto há mais de trinta anos. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, os justificantes adquiriram o citado prédio, nas referidas proporções e direitos, por usucapião, título este que, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais. Está conforme ao original. Ovar, 3 de Janeiro de 2013 Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013

Mariana Bessa Martins Natária em Ovar Nif.: 228311489 Rua Engº Adelino Amaro da Costa, n.º 252, r/ch esq. 3880-214 OVAR Tel e Fax. 256589112 e-mail: notariamarianamartins@hotmail.com EXTRATO CERTIFICO narrativamente, para efeitos de publicação, que neste Cartório, no dia 14 de Janeiro de 2013, iniciada a fls. 33, do livro 25 -A, foi celebrada escritura rectificação de Justificação na qual Amilcar Manuel Dias Pereira e mulher Maria do Rosário Oliveira Leite, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia Arada, concelho de Ovar, ela da freguesia de Esmoriz, concelho de Ovar, residentes na Rua do Corgo, n° 8, freguesia de Maceda, concelho de Ovar, declararam: Que por escritura de 27 de Dezembro de 2012, iniciada a folhas 137, do livro 24 -A, deste Cartório Notarial, procederam à justificação notarial do prédio rústico composto de terreno a cultura, sito na Rua do Cargo, freguesia de Maceda, concelho de Ovar, com a área de cento e vinte virgula sessenta e um metros quadrados, a confrontar, do norte com Anacleto da Silva Pereira, do sul com António Dias de Oliveira, do nascente com Américo Dias da Silva Pereira e do poente com Rua do Corgo, inscrito na matriz, em nome do justificante marido, sob o artigo 2685, omisso no Registo Predial, alegando não disporem de titulo formal que legitimasse o domínio do identificado imóvel para efeitos de Registo Predial, por o terem adquirido mediante por doação não titulada feita a ambos pelos pais do justificante marido, Anacleto da Silva Pereira e mulher Maria de Lurdes de Pinho Dias, em data que não podem precisar do ano de mil novecentos e oitenta e sete. Que dela ficou a constar que os referidos doadores já se encontravam falecidos, o que ocorreu por mero lapso de escrita, não pretendendo os justificantes prestar essa declaração nem os declarantes confirmá-la, uma vez que tal não corresponde à verdade. Que, pela presente escritura, rectificam aqueloutra, no sentido de nela ser eliminada essa menção. Está conforme o original Ovar, 14 de janeiro de 2013 Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013

EXTRATO

A Notária Mariana Bessa Martins

23

A Notária Maria de Bessa Ferreira Martins

EDITAL Nº 2/2013 DOUTOR MANUEL ALVES DE OLIVEIRA, Presidente da Câmara Municipal de Ovar: Faz público que, a Assembleia Municipal de Ovar, na sua reunião extraordinária realizada no dia três de Dezembro de dois mil e doze, deliberou aprovar, sob proposta da Câmara Municipal, aprovada em reunião ordinária realizada no dia vinte e dois de Novembro de dois mil e doze, a alteração do Regulamento Municipal de Concessão de Apoios Sociais para Água e Saneamento, do Município de Ovar, nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 64º, 6, a) e 53º, 2, a) da Lei 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro. Para constar e legais efeitos se torna público este Edital vai ser publicado nos termos do artigo 91º da Lei 169/ 99, 18 de Setembro, na redação atual, e outros de igual teor, vão ser afixados nos lugares de estilo, nas Juntas de Freguesia do concelho e publicado no site do Município de Ovar, www.cm-ovar.pt. E eu, Susana Cristina Teixeira Pinto, Diretora de Departamento Administrativo, Jurídico e Financeiro, o subscrevi. Ovar, 08 de Janeiro de 2013 O Presidente da Câmara Municipal de Ovar Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013 Doutor Manuel Alves de Oliveira

EDITAL Nº 3/2013 DOUTOR MANUEL ALVES DE OLIVEIRA, Presidente da Câmara Municipal de Ovar: Faz público que, a Assembleia Municipal de Ovar, na sua reunião extraordinária realizada no dia três de Dezembro de dois mil e doze, deliberou aprovar, sob proposta da Câmara Municipal, aprovada em reunião ordinária realizada no dia vinte e dois de Novembro de dois mil e doze, o Regulamento para Atribuição de Subsídio ao Arrendamento para Habitação do Município de Ovar, nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 64º, 6, a) e 53º, 2, a) da Lei 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro. Para constar e legais efeitos se torna público este Edital vai ser publicado nos termos do artigo 91º da Lei 169/ 99, 18 de Setembro, na redação atual, e outros de igual teor, vão ser afixados nos lugares de estilo, nas Juntas de Freguesia do concelho e publiAcado no site do Município de Ovar, www.cm-ovar.pt. E eu, Susana Cristina Teixeira Pinto, Diretora de Departamento Administrativo, Jurídico e Financeiro, o subscrevi. Ovar, 08 de Janeiro de 2013 O Presidente da Câmara Municipal de Ovar Praça Pública N.º 625, 16 de janeiro de 2013 Doutor Manuel Alves de Oliveira


praçapública ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DE BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE OVAR

Dinocrato Formigal afirmou pretender “manter a atual estrutura em funcionamento”

Realizou-se, no passado dia 10 de janeiro, em Ovar, a tomada de posse dos elementos eleitos aos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar, numa cerimónia que contou com a presença de membros das autarquias locais e de representantes das forças de segurança e proteção civil, concelhia, distrital

e nacional, bombeiros e público em geral. O ato marca uma nova fase na vida da associação, com 116 anos, foi presidido pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, João Natária, que sublinhou que esta direção é uma mistura de antigos dirigentes, com gente jovem, com muita experiência profissional e associativa, de

forma a preparar o futuro dos bombeiros. Dinocrato Formigal Costa, reeleito presidente para novo mandato, cargo que ocupa desde 2001, afirmou que o seu principal objetivo passa por “preparar o futuro e delegar nos novos elementos toda uma experiência adquirida ao longo dos anos”. Dinocrato Formigal sublinhou

que “o futuro não se adivinha fácil” e relembrou que “é necessário continuar a servir com empenho, dedicação e trabalho, mantendo uma gestão rigorosa e contida dos recursos financeiros, cada vez mais escassos, com base num conselho fiscal vigoroso”. Eleito para mais um mandato, Dinocrato Formigal afirmou pretender “manter a atual estrutura em funcionamento de modo a que possa ser assegurada a proteção de vidas humanas, bens e socorro às nossas populações, com cerca de 33 viaturas e um corpo de bombeiros com 88 elementos” e aproveitou para agradecer à Câmara Municipal de Ovar, “que já garantiu o cumprimento do protocolo com os valores idênticos de 2012”, e à Junta de Freguesia de Ovar, “por todo o apoio logístico que tem sido dada à associação”, disse.

Tiago Carriola

Tiago Carriola

Manter a atual estrutura em funcionamento é a prioridade

Dinocrato Formigal Publicidade

16-01-2013  

Edição 625

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you